quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

O primeiro VLT fabricado pela Alstom para a cidade de Lusail/Qatar,saiu da fabrica de La Rochelle na França

Transportes sobre trilhos  🚄

O comboio segue para o porto de Barcelona na Espanha,​​de onde vai sair de navio para Doha.A Alstom é responsável pela concepção, fabricação, comissionamento e manutenção,obras de linhas, equipamentos de energia (subestações, catenária e APS), portas de sinalização. A cidade de Lusail terá, assim, um sistema de bonde totalmente integrado.

Da Redação
Foto divulgação/Alstom
A Alstom acaba de enviar o primeiro VLT (Bonde moderno) eléctrico para Lusail no Qatar saindo da fábrica de La Rochelle. O comboio segue para o porto de Barcelona,​​de onde vai sair de navio para Doha. Em 2014, como participante do consórcio LRTC com QDVC, a Alstom ganhou um contrato da empresa ferroviária do Qatar para o fornecimento de um sistema de trânsito turnkey(*), para uma rede de 4 linhas para Lusail. Esta rede irá atravessar a cidade de Lusail, cobrir uma distância de 22 km, incluindo 10 km de metro, e terá 28 estações. Este primeiro trem deve chegar ao seu destino em março de 2018.
Cada etapa de produção, incluindo os testes estáticos e dinâmicos finais, é realizada em La Rochelle (França).
A Alstom é responsável pela concepção, fabricação, comissionamento e manutenção,obras de linhas, equipamentos de energia (subestações, catenária e APS), portas de sinalização. A cidade de Lusail terá, assim, um sistema de bonde totalmente integrado.
O VLT/APS(Alimentação pelo solo) elétrico de Lusail, é composto de cinco carros por veículo, cada bonde com 33 metros de comprimento pode transportar 207 passageiros.Cada VLT oferece duas classes, uma comum e uma classe familiar. Os carros terão piso baixo completo, permitindo um acesso mais fácil para todos os passageiros, que também gozam de um alto nível de conforto, além de sistemas de segurança e informações a bordo e nas estações. Estes bonde ecológicos estão equipados com sistema de travagem totalmente elétrico e iluminação LED.
(*) Turnkey - É um sistema que oferece o fornecimento de um pacote completo de serviços e soluções para um projeto em todas as suas etapas,desde a consultoria inicial à posterior manutenção.
Com informações da Alstom  21/02/2018

terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Bahia mantém segundo lugar em investimentos dos estados em 2017

Economia  🚇

Levantamento sobre as despesas liquidadas pelos estados na área mostra que a Bahia, com um total de R$ 2,48 bilhões, ficou novamente atrás apenas de São Paulo, com R$ 8,81 bilhões. Levando-se em conta a proporção entre os respectivos orçamentos, pode-se considerar, em termos relativos, que o governo baiano destinou mais recursos que o paulista para obras e ações que beneficiam diretamente a população.

Da Redação
foto - ilustração/arquivo
A Bahia manteve o segundo lugar em volume de investimentos públicos no país em 2017, de acordo com dados divulgados pelo jornal Folha de S. Paulo. Levantamento sobre as despesas liquidadas pelos estados na área mostra que a Bahia, com um total de R$ 2,48 bilhões, ficou novamente atrás apenas de São Paulo, com R$ 8,81 bilhões. Levando-se em conta a proporção entre os respectivos orçamentos, pode-se considerar, em termos relativos, que o governo baiano destinou mais recursos que o paulista para obras e ações que beneficiam diretamente a população.
Publicados na edição do último dia 11, os dados mostram os dois estados nas mesmas posições ocupadas em 2016, quando a Bahia também havia ficado em segundo quando considerados os valores de investimentos em termos absolutos, com a liderança cabendo ao estado mais rico do país.
"As finanças estaduais em todo o país ainda se ressentem dos efeitos da crise econômica, e o cenário em 2017 foi de estagnação, mas conseguimos, tendo à frente o governador Rui Costa, manter o ritmo da arrecadação e o controle rigoroso dos gastos públicos", afirma o secretário da Fazenda do Estado, Manoel Vitório.
Graças a essa estratégia, a Bahia tem assegurado a plena operacionalização da máquina pública, ressalta Vitório. "O trabalho árduo nos permitiu fechar com equilíbrio mais um ano difícil, em dia com os salários dos servidores e os compromissos com fornecedores, mantendo a máquina pública em funcionamento e ainda investindo mais que a maioria dos estados".
Entre os principais exemplos de investimentos do governo estadual em 2017 estão os novos corredores estruturantes em Salvador, a exemplo da Via Barradão, inaugurada no último sábado (10); a expansão do metrô; a construção e a recuperação de estradas em todo o estado; a implantação de obras de segurança hídrica que minimizam os efeitos da seca; os hospitais regionais do Cacau e da Chapada e as policlínicas regionais; a renovação da frota da Segurança Pública e a implantação dos distritos integrados de segurança no interior; e, na educação, a reforma de escolas, a implantação de escolas culturais e quadras cobertas.
Com informações da Seinfra BA  20/02/2018

Ferrovia Beijing-Zhangjiakou inaugura era 2.0 do trem-bala na China

Transportes sobre trilhos  🚅

Cem anos depois, a nova linha da ferrovia de alta velocidade Beijing-Zhangjiakou está em plena construção. Ela vai garantir o transporte durante as Olimpíadas de Inverno de 2022 de Beijing e inaugurará a era 2.0 da ferrovia chinesa.

China Radio Internacional

foto ilustração/arquivo
Em 1905, a primeira ferrovia construída por chineses, a ferrovia Beijing-Zhangjiakou lançou sua pedra fundamental. Cem anos depois, a nova linha da ferrovia de alta velocidade Beijing-Zhangjiakou está em plena construção. Ela vai garantir o transporte durante as Olimpíadas de Inverno de 2022 de Beijing e inaugurará a era 2.0 da ferrovia chinesa.
Durante o Festival do Ano Novo Chinês, os operários do ramal ferroviário Chongli, trecho da ferrovia Beijing-Zhangjiakou continuam trabalhando para garantir a conclusão do projeto dentro do prazo. Segundo o gerente responsável pelo projeto, Chen Duojin, as obras deverão terminar antes do previsto.
“Já concluímos 43% da construção do túnel Taizicheng do ramal Chongli. Tendo em vista a situação atual, as obras poderão ser concluídas 15 dias antes da data prevista.”
Com uma extensão de 52 quilômetros, o ramal ferroviário Chongli fica na cidade de Zhangjiakou, na província de Hebei, e está conectado à ferrovia de alta velocidade Beijing-Zhangjiakou. O governo prevê que o projeto será concluído em 2019. Nas Olimpíadas de Inverno de Beijing em 2022, a ferrovia chegará direto à vila olímpica em Chongli.
A inteligência do projeto está refletida tanto na construção e equipamentos quanto no serviço para passageiros da ferrovia.
O trecho é uma importante parte da rede ferroviária planejada pela China para construir oito linhas leste-oeste e oito norte-sul no território chinês. Com início na estação Norte de Beijing e termina na cidade de Zhangjiakou, a ferrovia percorre 173 quilômetros e vai reduzir o tempo entre as das cidades de 3 horas para 50 minutos.
A construção da ferrovia Beijing-Zhangjiakou começou em 2016 e se encerrará em 2019, segundo o engenheiro Li Yanbo, vice-diretor da companhia responsável pela construção da ferrovia.
“A obra anda bem. Ela absorveu mais de 17 bilhões de yuans de investimento, representando 40% do investimento total. É certo que entrará em funcionamento no fim de 2019.”
Há mais de 100 anos, o engenheiro chinês, Zhan Tianyou, considerado o pai da ferrovia chinesa, projectou e construiu, junto com suas equipes, a primeira ferrovia independente na China. A linha quebrou o monopólio do mundo ocidental sobre o setor e inaugurou a nova era da construção ferroviária da China.
Para Li Yanbo, o espírito da antiga linha ferroviária será transmitido de geração em geração e a nova linha se tornará uma obra simbólica da ferrovia chinesa.
“A ferrovia Beijing-Zhangjiakou é a primeira projetada, construída e operada totalmente pela China. Agora, queremos fazer a versão 2.0 da ferrovia de alta velocidade da China. Vai ser emblemática. Somos muito rigorosos nas tecnologias e ainda mais exigentes na gestão.
Fonte - Revista Ferroviária  20/02/2018

Alstom fornecerá novos trens MP14 para substituir a frota da linha 11 do metro de Paris

Transportes sobre trilhos  🚇

A Alstom fornecerá novos trens MP14 para substituir a frota de MP59 da linha 11 do metrô de Paris.O anuncio foi feito pela empresa em 19 de fevereiro.As composições MP14 com sistemas Gangway (passagens livres entre os carros), entrarão em serviço na Linha 11, onde substituiriam a atual frota em operação dos MP59.

Da Redação
foto - ilustração/Pinterest
A RATP,operador estatal de transportes público de Paris,fechou um contrato com a Alstom no valor de € 157 milhões para o fornecimento de 20 trens de metrô com pneus e 5 carros,sendo o financiamento dividido em duas partes,uma pela RATP e a outra pela autoridade regional de transportes Ile-de-France Mobilités.O anuncio foi feito pela Alstom em 19 de fevereiro.
As composições MP14 com sistemas Gangway (passagens livres entre os carros),iluminação LED e CCTV, entrarão em serviço na Linha 11, onde substituiriam a atual frota em operação dos MP59. A Alstom realizará montagem em sua planta de Valenciennes, com componentes provenientes de Le Creusot, Ornans, Villeurbanne, Tarbes, Saint-Ouen e Aix-en-Provence.
Em março de 2015, a Alstom assinou um contrato para o fornecimento de até 217 trens de metrô para a cidade de Paris, com 35 conjuntos de oito carros incluídos no pedido principal. Estes seriam colocados em serviço na Linha 14. Uma opção para 20 composições de seis carros atribuídos à Linha 4 foi feita em dezembro de 2016.
Com informações do Metro Report  20/02/2018

Inflação e custo de vida: por que os números enganam?

Ponto de Vista/Economia  🔍

A percepção geral da sociedade brasileira é que, hoje, os itens básicos estão muito caros e o rendimento mensal possibilita cada vez a compra de menos itens. Resumindo, houve o empobrecimento das famílias, principalmente, as de baixa renda,o País vivencia a redução no crescimento da economia, a diminuição das ocupações, a elevação do desemprego, o aumento da informalidade e a queda nos rendimentos.

Clemente Ganz Lúcio* - Portogente
foto - ilustração/arquivo
Em 2017, enquanto o governo comemorava a inflação média acumulada de 2,95%, segundo o Índice de Preços ao Consumidor Amplo, calculado pelo IBGE, resultado muito abaixo da meta estipulada de 4,5%, o consumidor reclamava que os números eram manipulados pelas instituições que os calculavam, que os preços estavam altos e que havia, sim, aumento no custo de vida.
É importante considerar, antes de tudo, que a inflação é calculada com base em uma cesta média da população da localidade a que se refere o índice. Com base nesta cesta, acompanha-se, mensalmente, a variação dos preços destes bens, e, de acordo com o peso de cada item, calcula-se a taxa mensal. Nem sempre a cesta média é igual à do conjunto de bens consumidos por uma determinada família. Por exemplo, se uma família específica não possui carro, o preço do combustível não faz parte do seu orçamento, mas é um item componente da cesta média pesquisada pelos vários institutos que calculam a inflação. Assim, a inflação média divulgada pode ser maior ou menor do que a inflação de uma determinada família. Há, porém, por trás dos números, muito mais do que a composição da cesta.
Em 2017, os alimentos foram os itens que mais diminuíram de valor e o motivo foi a excelente safra do ano. Realmente, os preços dos bens alimentícios mostraram retração no ano passado; no entanto, em 2015 e 2016, os valores médios de alimentos básicos como leite, carne, feijão, manteiga, queijo, frango, entre outros, tiveram trajetória altista, principalmente devido às variações climáticas, e atingiram patamares muito elevados. Por exemplo, o feijão carioquinha que, em 2016, chegou a ser reajustado em mais de 50% em alguns meses do ano, ao normalizar a oferta, não diminuiu o preço ao valor do início do ano. De forma que, em 2017, os recuos aconteceram, mas não foram suficientes para colocar as cotações em patamares próximos aos registrados em 2014.
Além disso, os preços dos bens chamados administrados, como água, luz, gasolina, álcool, gás de botijão, entre outros, foram reajustados muito acima da taxa média do ano. Segundo o Índice de Custo de Vida, calculado pelo Dieese, enquanto a taxa média do ano foi de 2,44%, o conjunto de preços administrados variou mais de 6%. Vale destacar ainda que os bens administrados são essenciais para todas as famílias, e têm peso maior no orçamento doméstico das famílias de menor renda: quando as contas de água, luz e gás não são pagas, os serviços a elas relacionados são cortados e a família fica sem refrigeração para os alimentos, sem televisão, sem banho, sem a possibilidade de cozinhar. Assim, grande parcela da renda das pessoas ficou comprometida no pagamento das contas de serviços básicos.
Existem ainda os bens oligopolizados, que são produzidos por grandes indústrias. O reajuste de alguns de seus segmentos, como o dos remédios, possui regulação do governo, mesmo assim, apresentaram elevação de preços no patamar de 6%, segundo o cálculo do Dieese, superior à inflação média acumulada.
O outro lado do problema está no decréscimo da renda das famílias. Desde 2014, o País vivencia a redução no crescimento da economia, a diminuição das ocupações, a elevação do desemprego, o aumento da informalidade e a queda nos rendimentos.
Por um lado, os preços dos bens livres, como alimentos básicos, atingiram alto patamar de valor e o recuo não foi suficiente para reduzir o preço final ofertado ao consumidor; e ainda, os bens essenciais ou administrados estão sendo reajustados muito acima da média da inflação. Por outro, as famílias brasileiras vêm perdendo renda e poder aquisitivo.
A percepção geral da sociedade brasileira é que, hoje, os itens básicos estão muito caros e o rendimento mensal possibilita cada vez a compra de menos itens. Resumindo, houve o empobrecimento das famílias, principalmente, as de baixa renda e, não há como comemorar os resultados da inflação em 2017.
*Clemente Ganz Lúcio, sociólogo e diretor-técnico do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômcios (Dieese)
Fonte - Portogente  20/02/2018

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Cartões da CCR Metrô Bahia, SalvadorCARD e Metropasse garantem integração em metrô e ônibus de Salvador e Região Metropolitana

Transportes sobre trilhos  🚇

Com a integração, os passageiros podem usar metrô e ônibus para se deslocar de um lado a outro da cidade pagando apenas uma tarifa, dentro do prazo de duas horas (se for com ônibus urbano) ou de três horas (se envolver ônibus metropolitano).

Da Redação
foto - ilustração/arquivo
A chegada do metrô, o redesenho das linhas de ônibus urbanos e metropolitanos e a integração tarifária plena entre os modais deram um novo sentido ao sistema de transporte público de Salvador e da Região Metropolitana. Além de promover a mobilidade urbana na cidade, as mudanças vêm beneficiando os baianos com a redução de percurso e tempo de viagem.
Com a integração, os passageiros podem usar metrô e ônibus para se deslocar de um lado a outro da cidade pagando apenas uma tarifa, dentro do prazo de duas horas (se for com ônibus urbano) ou de três horas (se envolver ônibus metropolitano).
O uso dos cartões CCR Metrô Bahia, SalvadorCARD e Metropasse permite a integração metrô-ônibus urbanos, metrô-ônibus metropolitanos, ônibus urbanos-metrô-ônibus metropolitanos, além de integrarem ônibus com ônibus da frota urbana (Integra).
O caráter interoperável dos cartões, isto é, qualquer cartão pode ser utilizado em qualquer modal dos operadores acima citados, garante o benefício de forma exclusiva ou integrada, dispensando a necessidade do usuário possuir mais de um cartão de acesso.
Atualmente, em todo o sistema há um número muito maior de cartões distribuídos se comparado à quantidade dos efetivamente utilizados. De um total de 3 milhões de cartões distribuídos gratuitamente pelos operadores com a carga de pelo menos uma tarifa, apenas 21% foram utilizados pelo menos uma vez nos últimos 90 dias e somente 8% foram usados continuamente por mais de 10 dias neste período. Em média, cada usuário possui, desnecessariamente, mais de dois cartões.
Ter um só cartão facilita a rotina dos usuários. Com ele, os passageiros ganham tempo e podem recarregar nas bilheterias, máquinas de autoatendimento ou postos credenciados. Além de não ser necessário ter mais de um cartão para utilizar qualquer meio de transporte, ter um só cartão facilita e garante a integração, pois evita que o usuário se engane utilizando um cartão no primeiro transporte e outro no segundo, não conseguindo assim usufruir de seu benefício.
Além disso, aqueles que tiverem um cartão do tipo Avulso (ou cartão Integração), podem optar por cadastrar (identificar) o cartão, e bloqueá-lo para recuperar os créditos em caso de perda ou roubo.
Com informações da CCR Metrô Bahia  19/02/2018

Trens de João Pessoa transportam mais de 200 mil passageiros em janeiro

Transportes sobre trilhos  🚄

Ao todo foram 202.583 passageiros transportados, o que representa uma elevação de 7,72% em relação ao mesmo período do ano anterior. 

CBTU
foto - ilustração/arquivo
Os trens de João Pessoa transportaram mais de 200 mil passageiros no mês de janeiro desde ano. Com isso, a CBTU registrou um crescimento de 15% comparado a dezembro de 2017. Ao todo foram 202.583 passageiros transportados, o que representa uma elevação de 7,72% em relação ao mesmo período do ano anterior. De acordo com a Gerência de Operações (Giope), este foi o melhor desempenho no mês de janeiro dos últimos quatro anos.
Segundo dados da Giope, o número de passageiros transportados diariamente também aumentou de 7,3 mil para 8,5 mil. Desde de fevereiro de 2012 que não a Companhia, em João Pessoa, não ultrapassa essa marca. O relatório também revela que a regularidade nas viagens atingiu 100% e a pontualidade dos trens chegou a 87%.
Para o engenho de operações da CBTU João Pessoa, Rômulo Gouveia, o crescimento no fluxo de passageiros foi consequência da período de férias, da tarifa social e dos bons índices de regularidade e pontualidade dos trens. “No mês de janeiro sempre há uma elevação nos índices de usuários transportados por conta das férias e do verão”, acrescenta.
Com informações da CBTU  19/02/2018

domingo, 18 de fevereiro de 2018

Avenida Mario Sergio é liberada para o trânsito neste domingo (18) com 1º BaVi do ano

Infraestrutura urbana  🚗 🚌 🚲

Neste domingo (18), os torcedores do Vitória e do Bahia puderam chegar ao Estádio Manoel Barradas através da nova Avenida Mário Sérgio Pontes de Paiva, inaugurada no sábado (17) pelo governador Rui Costa.No primeiro Ba-Vi do ano, as torcidas voltaram a se encontrar após seis jogos com torcida única. 

Da Redação
foto -  Elói Corrêa/GOVBA
A Avenida Mário Sergio nos próximos jogos do Vitória,vai continuar facilitando o acesso dos integrantes e torcedores do clube,que tem como casa o estádio do Barradão, mas a via vai beneficiar também e principalmente, quem precisa passar todos os dias por Canabrava e os bairros de Pau da Lima, Castelo Branco e Nova Brasília. A avenida, que recebeu investimento de R$ 40 milhões, foi totalmente urbanizada e possui pista dupla, acessibilidade, rampas, escadas, passeios dos dois lados, ciclofaixa, pontos de ônibus recuados e equipamentos de esporte e lazer.
Executada pela Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado (Conder), a obra era uma demanda antiga de moradores da área e de membros da equipe rubro-negra. Na Avenida Paralela, a via sai a 300 metros da estação Flamboyant da Linha 2 do metrô. A partir deste domingo (18), a via contará com linhas regulares de ônibus. Em dias de jogos, o número de coletivos na região será ampliado.

Homenagem

O nome da avenida é uma homenagem ao ex-jogador e ídolo do time, Mário Sérgio, uma das vítimas do acidente de avião sofrido pelo time da Chapecoense, no qual 71 pessoas foram vítimas em novembro de 2016.
Com informações da Secom BA  18/02/2018

sábado, 17 de fevereiro de 2018

Governador Rui Costa inaugura a Via Mario Sergio, ligando a Av. Paralela ao estádio Barradão

Infraestrutura  🚕🚌

É uma avenida de quatro pistas, com parques, que teve obras de macrodrenagem, pista de ciclismo, e vai dar mobilidade e acesso a milhares de pessoas que moram no entorno, e também facilitar o acesso dos torcedores ao estádio.A nova avenida liga a Av Luis Viana Filho (Paralela) aos bairros de Canabrava, Trobogy, Nova Brasília, Pau da Lima e ao Estádio Manoel Barradas, o Barradão, melhorando a mobilidade da região.

Da Redação
foto -  Manu Dias/GOVBA
O governador Rui Costa inaugurou, na manhã deste sábado (17), a Via Mario Sérgio Pontes de Paiva, que liga a Avenida Luis Viana Filho (Paralela) aos bairros de Canabrava, Trobogy, Nova Brasília, Pau da Lima e ao Estádio Manoel Barradas, o Barradão, melhorando a mobilidade da região.
“É uma avenida de quatro pistas, com parques, que teve obras de macrodrenagem, pista de ciclismo, e vai dar mobilidade e acesso a milhares de pessoas que moram no entorno, e também facilitar o acesso dos torcedores ao estádio. Isso aqui era um vale, sem drenagem, as pessoas viviam em condição ruim, e hoje ganharam uma moderna avenida, que vai facilitar a vida de quem precisa passar por aqui, e eu tenho certeza também, que os moradores da outra avenida, por onde passavam os carros no caminho pro Barradão, estão felizes porque vão poder entrar e sair de suas casas sem aquele engarrafamento dos dias de jogos”, afirmou o governador.
Com quase quatro quilômetros de extensão, a nova via fica a 300 metros da estação Flamboyant da linha 2 do metrô. Realizada pelo Governo do Estado, através da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado (Conder), a obra reúne um investimento de R$ 40 milhões. Obras no entorno garantem a segurança da via e o bem-estar da população.

Homenagem
A Via foi batizada em homenagem a um dos maiores ídolos da história do Esporte Clube Vitória, Mário Sérgio. O ex-jogador marcou época atuando no clube rubro-negro na década de 70, quando formou trio de ataque ao lado de Osni e André Catimba. O meio-campista morreu em 2016, na tragédia no avião da Chapecoense, que vitimou 71 pessoas. Mario Sérgio integrava a equipe de uma emissora de televisão que transmitiria a final da Copa Sulamericana. A família de Mario Sérgio compareceu à inauguração.
Participaram do evento de inauguração da Via Mário Sérgio o vice-governador do Estado, João Leão; o secretário do Desenvolvimento Econômico, Jaques Wagner; da Comunicação, André Curvello; de Desenvolvimento Urbano, Jusmari Oliveira; do Trabalho, Renda, Emprego e Esporte, Olívia Santana; da Casa Civil, Bruno Dauster; da Promoção da Igualdade Racial, Fabya Reis; da Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social, Carlos Martins; do Meio Ambiente, Geraldo Reis; da Agricultura, Pecuária, Irrigação, Pesca e Aquicultura, Vitor Bonfim; e o secretário da Administração do Estado, Edelvino Góes.
Com informações da Secom BA  17/02/2018

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Assinada ordem de serviço para conclusão da Estação Padre Cícero do metrô de Fortaleza

Transportes sobre Trilhos  🚇

Atualmente, a estação encontra-se com cerca de 50% de suas obras realizadas. Dentro do mesmo prazo, o consórcio construirá equipamentos de lazer no terreno ao lado da Estação Juscelino Kubitscheck, inaugurada em maio passado.

Metrofor
foto - ilustração/arquivo
O Secretário da Infraestrutura, Lucio Gomes, assinou, nesta quinta-feira (8/2), ordem de serviço para a retomada das obras da Estação Padre Cícero, da Linha Sul do Metrô de Fortaleza. A assinatura foi realizada na sede da Secretaria da Infraestrutura – SEINFRA, na presença do Diretor de Implantação da Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos – Metrofor, João Menescal; e do Coordenador de Transportes e Obras da SEINFRA, André Pierre.
O consórcio IGC & JMV Empreendimentos, vencedor da licitação, será o executor do projeto, e terá prazo de 12 meses para concluir o equipamento. Atualmente, a estação encontra-se com cerca de 50% de suas obras realizadas. Dentro do mesmo prazo, o consórcio construirá equipamentos de lazer no terreno ao lado da Estação Juscelino Kubitscheck, inaugurada em maio passado.
A Estação Padre Cícero está localizada na Av José Bastos, entre as Estações Benfica e Porangabussu, no bairro Damas - na altura do campo do Ceará. O projeto inclui a construção de duas passarelas laterais, criando acessos para a estação nos dois lados da via férrea. Com isso, os pedestres que estão na Rua José Bastos ou na Avenida José Bastos terão passagem para a estação. As duas passarelas serão integradas e funcionarão como travessia sobre os trilhos e Avenida José Bastos.
Esta será a 20ª estação da Linha Sul. A nova unidade criará mais uma opção de embarque e desembarque ao longo dos 24,1 km da via férrea, melhorando a mobilidade em Fortaleza e Região Metropolitana.
Além da conclusão da estação Padre Cícero, o contrato entre Metrofor e o consórcio contempla a construção de uma quadra poliesportiva e uma academia ao ar livre, no terreno de acesso à estação Juscelino Kubitschek, no bairro Demócrito Rocha, consolidando uma área de lazer de mais de 2.000 metros quadrados. Este equipamento de lazer foi um compromisso assumido pelo Governador Camilo Santana, em maio de 2017, durante evento de inauguração da JK.
Fonte - Metrofor  16/02/2018

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

Conder inicia asfaltamento em ruas do Comércio em Salvador

Infraestrutura  🚧

Já foram concluídas as obras em sete ruas da região e em 30 os serviços estão em andamento, com a recuperação dos passeios para melhoria na acessibilidade. As intervenções integram o projeto ‘Pelas Ruas do Centro Antigo de Salvador’, do Governo do Estado, de pavimentação de vias e requalificação de calçadas em mais de 270 ruas em toda a região antiga da cidade.

Da Redação 
 foto - ilustração/SkyscraperCity
A Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado (Conder) inicia, nesta quinta-feira (15), o asfaltamento de sete vias no bairro do Comércio, em Salvador. Já foram concluídas as obras em sete ruas da região e em 30 os serviços estão em andamento, com a recuperação dos passeios para melhoria na acessibilidade. As intervenções integram o projeto ‘Pelas Ruas do Centro Antigo de Salvador’, do Governo do Estado, de pavimentação de vias e requalificação de calçadas em mais de 270 ruas em toda a região antiga da cidade.
O Comércio e Calçada formam o lote 1 do projeto, onde estão sendo investidos R$ 28 milhões para recuperar um total de 50 vias. “Vamos dar início, na noite desta quinta-feira, à primeira parte da pavimentação com a fresagem na Avenida Jequitaia – trecho da Água de Meninos -, Praça da Inglaterra e ruas da Noruega, Espanha, Polônia, parte da Conde D’Eu e Suécia. Os serviços serão realizados no período noturno e não haverá necessidade de interdição do tráfego nesses trechos”, explica o gestor da Diretoria do Centro Antigo de Salvador (Dircas/Conder), Maurício Mathias. Na próxima semana, tem início o asfaltamento para finalizar a recuperação dessas ruas.

Diálogo aberto
Os serviços que estão sendo realizados seguem planejamento que inclui a mobilização da equipe do setor social da Conder, que entra em cena antes da obra começar, para conversar com os moradores. É neste momento que particularidades da rua são observadas, os aspectos importantes da composição, as instituições presentes, moradores que precisam de cuidados especiais, como cadeirantes e idosos. O cuidado é intensificado quando, por exemplo, há necessidade de interrupção dos serviços de água, luz, telefone e também interdição do tráfego.
A obra geralmente começa com a requalificação dos passeios e melhorias na acessibilidade para, em sequência, serem iniciadas as intervenções na pista, com a recuperação da via. A instituição coloca à disposição o número 71 3116-6760 para que a comunidade possa tirar dúvidas sobre o projeto, das 8h30 ao meio-dia e das 13h30 às 18h, além do endereço eletrônico (email) socialpacpav@conder.ba.gov.br
Na região do Comércio, foi criada a Comissão de Acompanhamento de Obra (CAO), instituída pelos empresários, para reuniões mensais e visitas técnicas junto à equipe da Conder, quando são discutidos pontos dos serviços que estão sendo realizados na área.

Pelas Ruas
As intervenções já estão melhorando o acesso das pessoas a diversos pontos do Centro Antigo de Salvador, bem como tornando mais confortável a mobilidade por ruas, praças e travessas. Esta é uma das primeiras grandes obras brasileiras de urbanização que seguem as normas de acessibilidade e o desafio de implantar melhorias em ruas antigas, muitas das quais nunca tinham sido beneficiadas com um projeto deste porte.
Ao todo, serão investidos R$ 124 milhões para a melhoria da acessibilidade com a pavimentação de mais de 270 vias e requalificação de calçadas.
Com informações da Secom BA  15/02/2018

CBTU João Pessoa implanta novo sistema de radiocomunicação no CCO

Transportes sobre trilhos  🚄

Com isso, o Centro passará a ter controle total do sistema de licenciamento e ganhará mais agilidade, além de confiabilidade. A fase de teste do sistema deverá ser concluída até o fim do primeiro semestre deste ano.

CBTU
Divulgação/CBTU
A CBTU João Pessoa iniciou a fase de testes dos novos equipamentos de radiocomunicação digital no Centro de Controle Operacional (CCO), localizado na estação João Pessoa, que permitirá, em breve, abolir a licença de tráfego, que hoje ainda é feita através de formulário de papel, e adotar a autorização de viagem dos trens por meio eletrônico. Com isso, o Centro passará a ter controle total do sistema de licenciamento e ganhará mais agilidade, além de confiabilidade. A fase de teste do sistema deverá ser concluída até o fim do primeiro semestre deste ano.
De acordo com operador do CCO, Moacir do Nascimento, o sistema em teste possibilita a comunicação com maquinistas dos Veículos Leves sobre Trilhos (VLT’s), gravação dos diálogos e acompanhamento em tempo real da localização dos trens com visualização em uma tela que mostra o deslocamento das composições no mapa. “Em breve os radiocomunicadores e Sistema de Posicionamento Global (GPS) deverão ser instalados nas locomotivas diesel”, acrescenta o coordenador de operações, Franciclebe do Vale.
A partir de agora toda comunicação operacional já está sendo gravada, atendendo as necessidades tecnológicas de controle de tráfego. Em relação ao rastreamento via GPS é possível ainda determinar pontos de interesse no mapa, criar alertas no console do CCO para o monitoramento de entrada e saída de zonas de controle e emitir relatórios de viagem. O Sistema de Radiocomunicação Digital instalado no CCO, abrange rádios fixos e móveis e um console de despacho.
Fonte - CBTU  15/02/2018

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Metrô-DF quer cobrar de vândalos prejuízo com 41 carros depredados

Transportes sobre trilhos  🚇

De acordo com a direção do Metrô, a noite com mais ocorrências de vandalismo foi a de terça-feira (13/2), com 14 trens danificados. No total foram quebradas 48 janelas, 25 portas, 118 capas de botões de emergência, 21 extintores e cinco luminárias. Três trens também foram alvo de pichações.

Metrópoles
foto - ilustração/arquivo
Janelas e portas quebradas, bancos rasgados, correria e confusão. As imagens dos foliões voltando para casa são de vandalismo e destruição nas estações do Metrô-DF. Ao todo, 41 vagões foram danificados – cinco deles precisaram ser retirados de circulação para reparos.
A diretoria do Metrô informou que analisa as imagens das câmeras de segurança para identificar os responsáveis pelos danos. A ideia é acionar a Justiça e cobrar o valor dos reparos. Os prejuízos ainda estão sendo calculados pelas empresas atuantes no sistema de transporte público do Distrito Federal.
O Metrô-DF afirmou que os estragos não vão prejudicar a circulação de passageiros. “Conseguimos manter 23 trens rodando durante o feriado. Na próxima semana, pretendemos retomar a circulação normal, com 24 composições”, explicou o diretor de Operação e Manutenção da empresa, Carlos Alexandre Cunha.
De acordo com a direção do Metrô, a noite com mais ocorrências de vandalismo foi a de terça-feira (13/2), com 14 trens danificados. No total foram quebradas 48 janelas, 25 portas, 118 capas de botões de emergência, 21 extintores e cinco luminárias. Três trens também foram alvo de pichações.
As cenas de destruição foram registradas em vídeos. Em uma das gravações, um homem é detido após caminhar pelos trilhos.
Fonte - Revista Ferroviária  14/02/2018

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

Alstom entrega o primeiro VLT Citadis X05 para a linha T2 de Nice na França

Transportes sobre trilhos   🚄

O Bonde foi apresentado à mídia pelo, no Centro de Manutenção Charles Ginésy, no dia 9 de fevereiro.Cada VLT com 44 m de comprimento terá capacidade para até 300 passageiros e terá uma velocidade máxima de 70 km / h. A linha T2 devera entrar em serviço ainda este ano.

Da Redação
IRJ/Divulgação
O prefeito de Nice,Christian Estrosi, apresentou o primeiro VLT (Bonde moderno) Alstom Citadis X05 com piso baixo que irá operar na segunda linha de bondes na cidade.O Bonde foi apresentado à mídia no Centro de Manutenção Charles Ginésy, no dia 9 de fevereiro.
O Conselho Metropolitano da Nice Côte dAzur fechou um contrato com a Alstom de € 91 milhões em outubro de 2015 para fornecer 19 VLTs e Zonas de cobrança estáticas (SRS) baseadas no solo para a linha de 11,3 km, que conectará o Terminal 2 do Aeroporto com o Centro Administrativo Nikaia no oeste, com Port de Agradável no leste. A linha T2 devera entrar em serviço ainda este ano.
O design final do veículo, ficou a cargo do designer Ora Ïto, com sede em Nice e foi selecionado através de uma pesquisa feita com quase 15 mil habitantes, com 44% escolhendo o chamado look "modelo ocre".
Cada VLT com 44 m de comprimento terá capacidade para até 300 passageiros e terá uma velocidade máxima de 70 km / h. Os veículos estão equipados com o sistema Citadis EcoPack da Alstom para operação sem catenária, com um ciclo de carregamento de 20 segundos nas estações.
O conselho firmou em dezembro de 2017 uma nova opção no valor de 27 milhões de euros com a Alstom, para fornecimento de mais seis veículos adicionais e 22 zonas SRS no solo para a linha T3 de bondes (VLT).
Com informações do International Railway Journal  13/02/2018

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

BaianaSystem sacode foliões e é destaque no Carnaval do Pelô

Carnaval/Salvador  🎭

A banda atraiu uma multidão de pessoas na madrugada deste domingo (11) e encerrou as apresentações do quarto dia do Carnaval do Pelô.Antecipando os saltos que viriam com a batida da guitarra baiana, a cantora Virgina Rodrigues fez a abertura do show da banda cantando a música Juízo Final. O convite para participação da cantora surgiu de Russo Passapusso e Roberto Barreto

Da Redação
foto - Almir Santos/Secult
Quem pensou que as pedras do Largo do Pelourinho e sua inclinação preponderante seriam obstáculos para as famosas rodinhas do BaianaSystem, se esqueceu que seus fãs seguem firme na batalha. A banda atraiu uma multidão de pessoas na madrugada deste domingo (11) e encerrou as apresentações do quarto dia do Carnaval do Pelô.
Antecipando os saltos que viriam com a batida da guitarra baiana, a cantora Virgina Rodrigues fez a abertura do show da banda cantando a música Juízo Final. O convite para participação da cantora surgiu de Russo Passapusso e Roberto Barreto. “Eu me tornei fã da banda e não podia deixar de vir. A expressão deles no palco e a linguagem que eles utilizam para se comunicar com os jovens são coisas que realmente valem a pena”, defende Virginia.
Do Carnaval de trio para o Carnaval do palco, a diferença é pouca,quase nada. A vibração contagiante dos foliões se encaixa em qualquer parada, seja na cidade alta ou na cidade baixa. Afinal, há oito anos que os primeiros caminhos que os fãs do BaianaSystem percorreram para escutar o novo som que surgia no pedaço foram nas ruas do Pelô.
“O Pelourinho é a casa do Baiana. A banda se fez tocando nesses largos, foi onde aprendemos a falar com o público e a tocar nossas músicas. Para a gente, faz todo sentido, energeticamente e musicalmente falando,tocar aqui”, destaca o guitarrista Roberto Barreto,que também idealizou a banda.
O ditado popular “um bom filho a casa torna” cabe tanto aos músicos da BaianaSystem quanto ao rapper Vandal, que fez participação especial durante o show, incluindo na música Jah Jah Revolta. Vandal é cria das ruas do Centro Histórico. “É muito signficativo tocar aqui porque sei que toco para minha família, para meu povo que vive nessa região. Então, é o certo pelo certo, assim como a canção que participei. É tempo de luta”, conclui o rapper.

Diversidade
Antes do show do BaianaSystem, a noite no Largo do Pelourinho teve início com o cantor Mateus Aleluia e as cantoras Ana Mametto e Rita Beneditto, que juntos fizeram a Folia Afro Brasileira. Eles apresentaram um repertório completamente voltado para um louvor às entidades africanas e afro-brasileiras. Indo para ritmos completamente diferentes, também passaram pelo palco principal Ronei Jorge, Giovani Cidreira e Maglore, marcando a presença do pop rock e da MPB na folia.
A programação também seguiu com todo o gás nos demais largos do Pelô. O baile infantil do dia foi comandado pela banda PUMM – Por um Mundo Melhor, que agitou pequenos foliões trajados de personagens como unicórnios, super-heróis e bailarinas. Já à noite, o largo foi da filarmônica, com Zeca Freitas e Orquestra, ao axé music, com Missinho, um dos pioneiros do gênero, e ao rock, com Márcio Melo. No Largo Tereza Batista, ecoou a voz potente de Aloísio Menezes, seguido pela animação de Carlos Pitta & Bando Anunciador no segundo dia do projeto A Praça do Frevo Elétrico. Já no encerramento, o cantor de reggae Zabah Bush levou um ritmo cadenciado e letras que pregam a paz, amor e a igualdade. No Largo Quincas Berro d’Água, o público pôde curtir os shows da banda Lateral Elétrica, tocando músicas dos antigos carnavais, Kelly Cristina, que representou o arrocha, e da cantora de samba Marizélya.
As ruas também se tornaram palcos, prosseguindo movimentadas por diversos grupos culturais, dentre os quais se destacaram filarmônicas como a Oficina de Frevos e Dobrados, dando ao público o prazer de ouvir canções clássicas da cultura afro baiana ao som de instrumentos como flautas e clarinetas. Quem também marcou presença na programação foi a Orquestra Os Franciscanos. O nome é uma referência à cidade de São Francisco do Conde, de onde são originários
Com informações da Secom BA  12/02/2018