sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Transposição do São Francisco chega a 81% das obras físicas

Transposição 

A obra é tida como saída para a crise de abastecimento d'água em muitos municípios do Semiárido.De acordo com o Ministério da Integração Nacional (MI),o projeto de transposição das águas do Rio São Francisco,considerado a maior obra de infraestrutura hídrica do País,está com 81% de execução física.

Diário do Nordeste
Por Honório Barbosa - Colaborador
foto - Elizângela Santos
Iguatu - Os moradores do Semiárido nordestino estão de olho nas obras de transposição do Rio São Francisco, numa verdadeira contagem regressiva. O temor, segundo previsões Meteorológicas, é que o atual ciclo de seca, que já perdura desde 2012, estenda-se em 2016, provocando desabastecimento para milhões de pessoas. O colapso em grandes centros urbanos pode ser evitado com a chegada das águas do "Velho Chico", mas haverá tempo suficiente para o início da operação de transferência do recurso hídrico?
De acordo com o Ministério da Integração Nacional (MI), o projeto de transposição das águas do Rio São Francisco, considerado a maior obra de infraestrutura hídrica do País, está com 81% de execução física. Os dados são referentes a outubro passado. "As primeiras estações de bombeamento já foram entregues e ainda para este ano está prevista a conclusão da segunda estação do Eixo Leste", assegurou o secretário de Infraestrutura do MI, Osvaldo Garcia.
Mais de 10 mil operários trabalham ao longo dos 477Km de extensão da obra. "O projeto é uma prioridade do governo federal", frisou Garcia. A transposição vai atender 12 milhões de pessoas em 390 cidades dos Estados de Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte. O sistema prevê a construção de dois eixos: Leste e Oeste. O primeiro levará água para áreas de Pernambuco, e o segundo para o Ceará, Paraíba e Rio Grande.
Segundo dados divulgados pelo MI, o eixo norte apresenta 82,2% de execução e o leste, 79,2%. A obra vem sendo construída por etapas, mas já sofreu atrasos e paralisações. O cronograma de execução prioriza a sequência construtiva do "caminho das águas" a partir da captação até os Estados que serão beneficiados. A expectativa é que a obra seja concluída em fins de 2016 ou início de 2017.
O secretário de Recursos Hídricos do Ceará, Francisco Teixeira, trabalha com esse cronograma. "Se não houver recarga nos reservatórios na quadra chuvosa de 2016 vamos enfrentar muitas dificuldades, mas até o fim do próximo ano já poderemos contar com a transposição do São Francisco", disse. O governo do Estado já solicita recursos federais para continuidade de obras de infraestrutura visando à distribuição de água do "Velho Chico" por bacias hidrográficas no Ceará. O principal projeto é o Cinturão das Águas.
Em agosto passado foi iniciado, em fase de teste, o bombeamento de águas do Rio São Francisco na estação de Cabrobó (PE). Essa operação trouxe a possibilidade de que a água do Velho Chico poderia chegar ao Ceará em julho do próximo ano, caso não ocorra contratempo na execução. Seria uma segurança e alívio para vários municípios e a Região Metropolitana de Fortaleza, que recebe água do Açude Castanhão. Atualmente, os açudes do Ceará acumulam somente 13,6% de sua capacidade. O projeto prevê quatro túneis, um com 15Km de extensão, 14 aquedutos, nove estações de bombeamento e 27 reservatórios.

Ações emergenciais
Mediante o quadro de estiagem que assola o Semiárido nordestino, o governo federal, em parceria com os Estados, vem liberando recursos para distribuição de água por caminhões-pipa, perfuração e recuperação de poços profundos e instalação de adutoras de montagem rápida. De agosto de 2012 a outubro deste ano, o governo federal já investiu R$ 525,4 milhões em ações de socorro e assistência.
Fonte - Diário do Nordeste  20/11/2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua visita,ajude-nos na divulgação desse Blog
Cidadania não é só um estado de "direito",é também um estado de "espírito"