quarta-feira, 10 de maio de 2017

Acesso às políticas públicas para povos indígenas da Bahia é tema de encontro

Políticas públicas  👀

O Encontro com Representações de Povos Indígenas foi realizado nesta terça-feira (9), em Salvador. Executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR).De acordo com o coordenador do projeto, Fernando Cabral, o encontro serviu para colher subsídios para o próximo ciclo de editais, que deve ser lançado no segundo semestre deste ano.

Da Redação
foto - Ascom/SDR - CAR
Com o objetivo de discutir as estratégias mais adequadas para que os povos indígenas garantam acesso aos investimentos do projeto Bahia Produtiva, o Encontro com Representações de Povos Indígenas foi realizado nesta terça-feira (9), em Salvador. Executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), o Bahia Produtiva já lançou oito editais.
De acordo com o coordenador do projeto, Fernando Cabral, o encontro serviu para colher subsídios para o próximo ciclo de editais, que deve ser lançado no segundo semestre deste ano. "Esse foi um momento de definir a forma de acesso dos povos indígenas aos editais do Bahia Produtiva. Saímos com diretrizes sobre a comunicação do projeto com as comunidades", afirmou.
Para o coordenador dos Povos Indígenas da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS), Jerry Matalawê, o evento acontece em um momento difícil para os indígenas. "Espaços como esse ajudam a fortalecer o povo indígena", comentou.
A representante Payaya, Edilene Santos Carvalho, do município de Utinga, destacou que essa é uma oportunidade para vencer a burocracia. "Temos nos empenhado para participar de projetos já faz tempo, agora temos mais esperança de que as coisas realmente aconteçam".
Dos cinco editais lançados pelo Bahia Produtiva - socioambientais e de apoio às cadeias produtivas de apicultura, bovinocultura, caprinocultura e aquicultura e pesca - foram inscritos 106 projetos. Destes, foram aprovadas 21 manifestações de interesse, onde serão investidos R$ 7,5 milhões em ações para beneficiar 462 famílias.
Estiveram presentes também representantes do Movimento Unificado dos Povos Indígenas da Bahia (Mupoiba), Movimento Indígena da Bahia (Miba), da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi), da Fundação Nacional dos Índios (Funai), da CAR e da SDR.
Com informações da Secom Ba.  10/05/2017

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua visita,ajude-nos na divulgação desse Blog
Cidadania não é só um estado de "direito",é também um estado de "espírito"