quinta-feira, 12 de maio de 2016

Implantação de telecomunicações na Linha Sul chega a 61% com fibra ótica em toda a via férrea

Transportes sobre trilhos

A fibra ótica e os equipamentos compõem o Sistema de Telecomunicações (Telecom), contratado no ano passado pela Cia Cearense de Transportes Metropolitanos (Metrofor) para aprimorar a troca de informações entre os trens, estações e o Centro de Controle Operacional (CCO) da Metrofor.

Metrofor
foto - ilustração
Está concluída a instalação de fibra ótica por toda a extensão da Linha Sul do metrô de Fortaleza, interligando todas as estações, e que será usada para transmissão digital de dados e informações operacionais. Além disso, está finalizada a implantação de equipamentos de som, de rádio, painéis de informação, câmeras de alta resolução e monitores no trecho subterrâneo – compreendido entre as estações Benfica e Chico da Silva. Os mesmos equipamentos estão sendo instalados nas demais estações e o serviço contratado está com 61% de execução.
A fibra ótica e os equipamentos compõem o Sistema de Telecomunicações (Telecom), contratado no ano passado pela Cia Cearense de Transportes Metropolitanos (Metrofor) para aprimorar a troca de informações entre os trens, estações e o Centro de Controle Operacional (CCO) da Metrofor.
Nesta quarta-feira (11/5), o secretário das Cidades do Ceará, Lucio Gomes, foi recebido pelo diretor-presidente da Metrofor, Eduardo Hotz, para uma visita técnica ao metrô de Fortaleza, em que foram apresentados os resultados destes e outros investimentos para melhoria constante dos serviços prestados à população.
“A visita de hoje teve como objetivo fazer o acompanhamento do cronograma das etapas traçadas para a implantação do sistema de telecomunicações. Pelo que foi visto, percebemos que houve avanços com a conclusão da instalação nas estações subterrâneas", afirmou Lucio Gomes. “É uma visita fundamental para discutirmos os nossos avanços e definir os próximos passos para a conclusão desses contratos”, avaliou Eduardo Hotz. O diretor de implantação da Metrofor, João Menescal, e o secretário adjunto da Secretaria das Cidades, Quintino Vieira, participaram da visita.

Telecom
O sistema de telecomunicações será usado para divulgar informações úteis aos passageiros, como por exemplo, as regras de embarque no metrô, campanhas institucionais, previsão de horários do próximo metrô e eventualidades. Nas estações subterrâneas, os equipamentos já funcionam experimentalmente.
O Telecom também inclui a implantação de um sistema de cronometria, que será responsável por acompanhar com exatidão o tempo de deslocamento de cada trem, fornecendo informações para o relógio de cada estação da Linha Sul. A cronometria é o que garante que todas as áreas do metrô funcionem de forma sincronizada.
Os avanços na implantação do Telecom também representam melhoria da comunicação entre os profissionais metroviários, envolvendo as áreas de manutenção, operação e segurança. Agora, o sistema de rádio usado nesta finalidade possui quatro frequências distintas, com transmissão digital e maior estabilidade e qualidade do áudio. Funcionários já recebem equipamentos portáveis e treinamento para uso da nova ferramenta de comunicação.

Linha Sul tem investimento de R$ 163,5 milhões
Acompanhado dos gestores da Metrofor, o secretário das Cidades, Lucio Gomes, visitou nesta quarta-feira (11/5) a sala de treinamento do sistema de bilhetagem eletrônica – lugar onde os profissionais das bilheterias aprendem a usar o sistema informatizado que está em fase de implantação, com 81% de execução.
O sistema de bilhetagem eletrônica vai realizar o embarque no metrô por meio de catracas eletrônicas, e o uso de cartão magnético, que poderá ser recarregado pelos usuários. Todas as 18 estações em funcionamento na linha Sul receberam as catracas eletrônicas e, no momento, está em fase de contratação a confecção dos cartões magnéticos.
Lucio também visitou o Centro de Controle Operacional (CCO), que está recebendo os primeiros equipamentos que fazem parte do sistema de sinalização e controle, contratado no ano passado.
Juntos, os sistemas de bilhetagem eletrônica, sinalização e controle e telecomunicações representam um investimento de cerca de 163.5 milhões, e resultarão na automatização da operação metroviária, informatização da bilheteria e melhor disponibilidade de informações operacionais para os usuários do metrô.
Fonte - ANPTrilhos  11/05/2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua visita,ajude-nos na divulgação desse Blog
Cidadania não é só um estado de "direito",é também um estado de "espírito"