MOBILIDADE URBANA Soluções Viáveis em Salvador


Transporte público é uma atividade ESSENCIAL e como tal,deve ser tratada como uma Prestação de Serviços de UTILIDADE PÚBLICA E SOCIAL


Aqui apontamos soluções viáveis e possíveis de serem implementadas,que se somarão e funcionarão conjuntamente integradas aos sistemas de transportes de Salvador: Metrô,Trens e demais modais operantes na cidade.


A Cidade Baixa
Um sistema de VLT composto de 2 linhas, Tramo 1 saindo do T.da França ( Pça Cairu),Comercio,Calçada,(fazendo integração com o Trem),Mares,Lgo.de Roma,C de Areia,Ribeira e aTramo 2, saindo de Roma (integrada com a linha 1),Dendezeiros,B.do Bonfim,Lgo.Papagaio,Lgo.Madragoa.Esse sistema além de atender a população de toda aquela região da Cidade Baixa,complementado por um sistema de integração com ônibus alimentadores, fazendo a ligação com os  bairros locais ao longo das linhas,servirá também como uma boa alternativa para o turismo, em toda extensão do percurso, pelas características próprias dos VLTs por serem bastante funcionais,atrativos, e serem equipados com janelas panorâmicas o que facilita uma melhor visão dos passageiros para a área externa durante o trajeto das viagens.Além de serem ecologicamente corretos por usarem energia limpa para a sua propulsão e material rodante não poluente, esses veículos também agregam e somam um enorme valor a paisagem Urbana da cidade.
A retomada do projeto da via Náutica estabelecendo uma ligação aquaviária entre o Porto da Barra,Comercio,S.Joaquim,Humaitá,Ribeira,Plataforma,não só servira para beneficiar a atividade turística como também atuará como um grande reforço  no sistema da mobilidade urbana entre esses locais.

Centro da Cidade* 
A revitalização e a humanização do centro Histórico de Salvador terá que dar uma quinada na direção da mobilidade com sustentabilidade e de uma convivência pacífica e harmônica com a sua história e a sua população.A implantação de um sistema de VLT no centro da cidade,ligando a Pça. da Sé ao C.Grande/Canela, usando todo o percurso em via dupla na Rua Chile e na Av. Sete no corredor  compreendido entre a Praça Castro Alves até próximo ao Campo Grande (Casa D'Itália) proibindo o estacionamento e restringindo-se a circulação de veículos no local no período compreendido entre as 7:00hs e as 21:00hs,sendo permitido nesse horário apenas a circulação de táxis bicicletas,veículos de serviços (excluído operações de carga e descarga),e moradores cadastrados e autorizados,melhorando-se as condições para a circulação de pedestres com o alargamento e modernização das calçadas,revitalizando-se o degradado centro da cidade com intervenções urbanas voltadas para a sua restauração (digo,restauração e não reformas,demolições e descaracterizações)de maneira abrangente,comercio,moradias e sua conseguente recuperação devolvendo a sua real importância no contexto urbano da cidade,garantindo e preservando também dessa forma a sua identidade histórica. Poderia se criar também a expl. do que já foi feito na década de 80, estacionamentos periféricos em áreas fora do centro com alimentadores entre os estacionamentos e o terminal do VLT no C.Grande.A operação desse tipo de veículo movido a energia elétrica atualmente,devido ao seu alto grau de evolução tecnológica,não implica mais na necessidade da implantação de uma rede aérea de alimentação elétrica contínua,ou então o sistema APS (Alimentação Pelo Solo),sem prejuízos para o aspecto visual e sem impactar o ambiente urbano no local,podendo ser a mesma fracionada ficando a sua instalação restrita apenas nos locais das paradas dos veículos,em ambos os casos,que em apenas 25 segundos recarregam os seus acumuladores com uma autonomia de 1.200 metros,As distâncias entre as paradas do VLT urbano por padrão internacional oscilam entre 600 e 1000 metros.No Campo Grande se faria a integração com um sistema de ônibus destinados aos bairros da região,(Como já foi feito na década de 80 com a implantação da linha de ônibus circular Pça,da Sé/Campo Grande e os estacionamentos periféricos),com as linhas transferidas do centro (Rua Chile) para o C.Grande e as linhas que já usam o local como ponto final. - O comercio informal existente na região seria beneficiado com a implantação do "centro de comercio popular" na estação do Arquidabã,ver no capitulo seguinte.

A Baixa do Sapateiros*
Esse tradicional e histórico centro comercial de Salvador poderá contar com um sistema de Bondes Modernos (VLT) trafegando nos dois sentidos, (em via dupla) Barroquinha,Arquidabã,Sete Portas, chegando até a antiga Estação Rodoviária que seria transformada num "terminal de integração" passando a atender as linhas que hoje se destinam ao terminal da Barroquinha (Ou estação da Lapa interligada a Barroquinha por um túnel),e do Arquidabã,além de um sistema alimentador para os bairros do entorno e mais próximos.Uma boa parte do comercio hoje ali existente (Na antiga rodoviária) seria transferido para uma área atualmente ocupada e sub utilizada pela Limpurb próxima ao Mercado da Sete Portas previamente reformada e preparada com infraestrutura própria e adequada para o funcionamento do novo centro comercial. O estacionamento e a circulação de veículos ao longo de toda via na Baixa dos Sapateiros (No trecho Barroquinha/Arquidabã) sofreria restrição total no período das 7:00hs até as 21:00hs.Nesse horário apenas circulariam além do VLT, veículos de serviços (excluídos operações de cargas e descargas),táxis,bicicletas e moradores cadastrados e autorizados.O alargamento das calçadas em toda extensão da via,com dispositivos para melhorar a acessibilidade e circulação de pedestres irá possibilitar uma melhoria no fluxo das pessoas com mais conforto e segurança além de trazer também consequentemente,benefícios para  o comercio local.A estação do Arquidabã subutilizada atualmente como terminal de ônibus acarretando custos de manutenção para o município seria transformada em um "centro de comercio popular"com infraestrutura adequada,e gerando receita, para onde seriam transferidos os trabalhadores que atuam no comercio informal  em toda a extensão da via, arredores e outros locais do centro da cidade,além da instalação de postos de atendimento de serviços públicos e outros serviços "ancoras".A essas ações também se somariam a restauração e a revitalização arquitetônica do local inclusive com a recuperação e reativação do elevador do Taboão e de uma das mais belas obras arquitetônicas e históricas de Salvador o Cine e Teatro Jandaia, um acervo histórico cultural do qual a nossa cidade jamais deverá abrir mão de possui-lo, além de outros prédios (Cine Pax) também importantes que fazem parte da história do local e da nossa cidade. - *(Um estudo poderia ser feito para um possível projeto de um túnel equipado com esteiras rolantes,apenas para a circulação de pedestres numa ligação entre o terminal da Barroquinha e a Estação da Lapa,ou o próprio sistema de VLT chegando até lá,possibilitando a integração com o sistema metroviário e o terminal de ônibus)

Corredor da Orla. Lapa/Orla/Itapuã/S.Cristovão
A implantação de um sistema operado com ônibus padron com piso baixo suspensão a ar,portas largas (dentro da atual norma ABNT-NBR 15.570/2011 melhorando assim também a acessibilidade) inspirado no sistema Mobilien de Paris (Um sistema baseado na regularidade do cumprimento dos horários com acompanhamento de controle eletrônico e através de GPS) com sistema de informação eletrônico para os usuários nas paradas e a bordo dos  veículos,passaria a atender o corredor compreendido entre a "Lapa,Centenário,Shp.Barra,Barravento,Ondina,R.Vermelho,Pituba,Boca do Rio,Patamares,Piatã, Itapuã,S.Cristóvão",com um sistema de integração transversal funcionando entre ele e os outros corredores paralelos de modais existentes ( Linhas do Metro ) com  alimentadores usando as principais vias transversais,que irão interligar esses corredores  fazendo a integração entre eles e os bairros ao longo dos mesmos.Esse sistema (Corredor da Orla) não funcionara nos moldes de um BRT,que opera em corredores centrais,mais sim como um BHLS,por ter características diferentes,trafegara em faixas exclusivas e deverá funcionar com horários fixos e intervalos regulares programados e projetados em função da demanda existente ao longo de todo o percurso.

Corredor Lapa/(Vasco da Gama ou Av.Garibaldi)/Itaigara/Pituba
Alternativa 1- Um sistema de VLT (linha 1) também poderá ser implantado no corredor Lapa,(Vasco da Gama ou Av. Garibaldi),Av Juraci Magalhães Jr.Candeal.Uma segunda linha de VLT ou Monotrilho,Iguatemi/Itaigara/Pituba,se integraria  a linha 1 do VLT em uma futura estação localizada na confluência das Avs.Juaraci Magalhães Jr. com a Av.ACM (Candeal) ligando a Estação Iguatemi (Metrô Linha 2) aos bairros Itaigara/Pituba,dinamizando dessa forma uma alternativa com maior capacidade de transporte de passageiros para os bairros dessa região providos de uma integração,física e tarifária inteligente entre o modal principal e os bairros do entorno, através de um eficiente sistema alimentador por ônibus e micro-ônibus.
Alternativa 2- Seria um sistema BHLS (Bus with High Level of Service) em faixas exclusivas (Já existentes nas vias),com rigorosa fiscalização eletrônica,operado com ônibus alongados ou articulados,com piso baixo,climatizados,câmbio automático,suspensão pneumática,motor traseiro/central.O sistema funcionaria com duas linhas: a 1ª Linha) Lapa/(Av.Vasco da Gama ou Av.Garibaldi)/Av.Juracy Magalhães Jr./Av. ACM - Itaigara/Pituba. a 2ª Linha) Estação Iguatemi/Av.ACM - Itaigara/Pituba,promovendo desse modo também uma integração com o sistema Metroviário com bairros da orla marítima além de uma ligação direta Lapa/Itaigara/Pituba.
Esta segunda opção embora tenha custo e tempo menor de implantação (Leva vantagem também sobre o BRT) poderá ter uma vida útil mais curta em função do provável aumento na demanda de passageiros no sistema a médio prazo principalmente na 2ª linha que será um forte vetor de ligação com os bairros Pituba/Itaigara,com as linhas 1 e 2 do Metrô/Iguatemi abrindo um leque de ligação com os dois corredores da alta capacidade para Br 324 e Lauro de Freitas.
Alternativa 3- Seria o sistema BHLS,linha 1 (Lapa/Candeal) integrado ao sistema (VLT - Monotrilho),linha 2 ligando a Pituba/Itaigara ao Iguatemi

A ampliação e modernização da  ferrovia suburbana
Promover a  reforma a melhoria e a modernização das estações,a aquisição de novos e modernos trens,implantar um  novo e eficiente sistema eletrônico de controle de operação e sinalização (ATC / CBTC) para tornar mais eficiente a segurança operacional,resultando no aumento da velocidade dos trens e diminuindo o intervalo entre os mesmos ( headway). A criação de um sistema alimentador de ônibus  para ligar as estações ao longo da ferrovia com os bairros do entorno para dar maior fluides e mais flexibilidade ao sistema,diminuindo inclusive a circulação de ônibus na Av.Suburbana aliado a isso para garantir e melhorar mais ainda a acessibilidade da população local ao trem,a instalação de bicicletários nas estações da ferrovia para facilitar os deslocamentos de pequenas distancias dos usuários entre elas e as suas residências usando  bicicletas. Ativar o ramal a partir de Paripe chegando ate a região metropolitana que passará a ser atendida pelos trens: Mapele,Caboto,S.Filho,Camaçari,Dias D'avila, até Alagoinhas,e o outro Paripe,S.Francisco do Conde e até Madre de Deus,o que também viabilizaria o uso do sistema para o transporte dos trabalhadores nas industrias instaladas nesses locais com a implementação de linhas de trens expressas nos horários de entrada e saída dos ADMs coincidentes com as "trocas de turnos" (geralmente são os mais carregados as 8:00hs e as 16:00hs) o que reduziria substancialmente não só custo das empresas com transportes mais também a diminuição da grande quantidade de ônibus especiais que circulam nas estradas nestes horários considerados críticos, entre o polo industrial e Salvador.Nestes horários os ônibus ficariam restritos a integração com o trem nas duas pontas.Esta solução para o transporte dos trabalhadores das industrias situadas fora de Salvador por ser de interesse também das empresas instaladas na RMS, poderá ser fruto de uma  parceria com a participação de todas elas neste projeto pois o mesmo traria grandes e significativos benefícios para todos.Os trens de passageiros que passariam a atender a RMS partiriam da estação de Paripe (por ter uma carga menor seriam alimentados pelos trens do subúrbio), podendo operar com intervalos diferenciados dos trens que operam restritos ao subúrbio e que finalizam suas viagens nesta estação ( Paripe), onde seria feita então a integração entre ambos,mantendo a eficiência e diminuindo dessa forma o custo de operação do sistema.

Est.Pirajá - Cajazeiras/Castelo Branco/Fazenda Grande
Com relação a esse conglomerado de bairros com um alto índice populacional (um dos maiores da cidade de Salvador),algumas intervenções importantes podem ser adotadas no sentido de diminuir os graves problemas hoje existentes no trânsito e no sistema de transportes que atende a essa populosa localidade.Para a reestruturação (urgente e necessária) a ser adotada sugerimos a criação de um sistema de circulação interna local independente de transportes,que também funcionara como sistema alimentador para duas ou três linhas troncos a serem também implantadas entre a Estação Pirajá (Águas Claras*) e setores de maior demanda dentro da área do bairro.O sistema funcionara integrado nas duas pontas - uma na estação Pirajá com linhas de ônibus vindas de pontos diferentes da cidade e com a linha 1 do Metrô (Lapa/Pirajá),e a outra com o sistema alimentador e de circulação interna local de Cajazeiras/Faz.Grande,que complementariam o resto das viagens.A implantação de duas ou três linhas troncais únicas Pirajá-Cajazeiras/Faz.Grande (E futuramente com a expansão da linha 1 do metrô até Águas Claras,linhas de ônibus troncais semelhantes,partiriam também da estação de integração metrô/ônibus a ser construída no local) aumentaria a oferta de numero de viagens para o bairro de forma genérica e contínua,reduzindo consequentemente o intervalo entre as viagens e o tempo de espera dos usuários nos terminais,que não ficariam mais dependendo apenas de uma única e especifica linha  de atendimento a determinado setor dentro do complexo Cajazeiras/Faz.Grande ao qual se destinam,e a outros bairros ao longo dos corredores que deverão contar também com sistemas alimentadores integrados aos sistemas troncais.Esse modelo além de flexibilizar a operação dos transportes nessa região,funcionando com a integração física e tarifária,deverá também reduzir os custos operacionais do sistema.Será necessária também a reorganização e modernização da atual frota com a substituição por ônibus com tecnologia moderna,com acessibilidade e conforto,dentro das atuais normas ABNT-NBR 15 .570,que circularão nas duas ou três linhas no corredor principal (Est.Pirajá-Cajazeiras/Faz.Grande) ocasionando uma sensível redução do numero de ônibus,sem prejuízos para a demanda,em função da racionalização operacional das linhas existentes (o excesso de ônibus não resulta em boa qualidade no serviço,mais sim a racionalização do uso dos mesmos),e um sistema de operação inteligente que além de diminuir o tempo de espera e o intervalo entre as viagens,beneficiará a todos os usuários do transporte dessa região.Outras ligações entre Cajazeiras/Faz.Grande e S.Cristóvão e a Estação Mussurunga,via Estrada Velha do Aeroporto,deverão ser alvo de estudos para implantação e reestruturação das atuais linhas existentes,para melhorar e criar novas alternativas de ligação entre essas localidades.Existe também a possibilidade de uma possível ligação,de 1,4 km,entre a estação Pirajá com o subúrbio ferroviário no bairro de Lobato,que encurtaria a distância da integração da Linha 1 do Metrô (Lapa/Pirajá) com o Trem do Subúrbio (futuro VLT) o que facilitaria uma conexão mais rápida entre ambos,diminuindo também o tempo de viagem para os usuários dos dois sistemas com destino aos bairros do Subúrbio e vice e versa.
- A integração (física e tarifária) com transbordo,não devem ser vistos como algo inconveniente,mais sim como um elemento transformador,de racionalização,de eficiência de agilidade do sistema e um facilitador para os deslocamentos dos usuários do transporte público,que terão além do tempo de deslocamento reduzido,mais opções para a escolha de seus itinerários sem acréscimos na tarifa.
(*) Estação Águas Claras - Conforme projeto previsto para expansão de mais 5,5 km da linha 1 do Metrô ligando a Estação Pirajá a Águas Claras onde será implantado um novo complexo metro-rodoviário.

Transportes Verticais e Teleféricos
A melhoria e a modernização dos equipamentos de transportes verticais atualmente existentes ( Elevador Lacerda e Planos Inclinados ) a recuperação do elevador do Taboão,( um monumento histórico) a criação de novos sistemas em outros locais necessários,a implantação de sistemas de Teleféricos,aproveitando-se a topografia da cidade composta de cumes e vales,a exemplo de bairros situados as margens da Av. Bonoco,da Av. Vasco da Gama,Av.ACM/Brotas-Cabula, ,BR 324/Retiro,Av.Heitor Dias (Barros Reis),Av.Paralela/Pernambués e entre o Bairro de Nazaré e o Centro Histórico encurtariam distâncias entre os locais interligados e aliviariam consideravelmente a carga do fluxo de passageiros nos transportes por via terrestre.Também o uso de passarelas seria recomendável em distâncias mais curtas facilitando os deslocamentos a pé entre bairros.

Acessibilidade
Um dos  graves problemas que atinge toda a população de Salvador e com o maior prejuízo para as pessoas com dificuldade de locomoção e portadores de necessidades especias precisa ser atacado com rigor no sentido de dar a população maior segurança conforto e agilidade.O péssimo estado de conservação das calçadas repletas de obstáculos,buracos,objetos,lixo,e até o comercio informal dificultam a circulação das pessoas e muitas vezes  causam acidentes aos pedestres que por vezes são obrigados a transitar fora das calçadas nas vias perto dos veículos automotivos expondo-se a riscos inteiramente desnecessários.A requalificação das calçadas com sinalizações especificas e rampas de acesso para os portadores de necessidades especiais,a implantação de ônibus com piso baixo ( sem degraus) com portas largas e sistema de ajoelhamento ( suspensão a ar e sistema que rebaixa o veículo nas paradas nivelando o seu piso com a calçada),a eliminação definitiva dos "currais" dentro dos ônibus,facilidade de acesso para pessoas que tenham dificuldade em transpor as catracas dos ônibus,ascensores e locais públicos, a implantação de equipamentos de transporte especial nas escadarias para transportes das pessoas com dificuldade de locomoção,( http://pregopontocom.blogspot.com.br/2010/12/transportes-especiais.html ),implantação de semáforos sonoros,bem com a regulamentação para a livre circulação dos cães guias com seus donos em locais públicos diversos.Implantação de sistemas de áudio paralelos aos sistemas de avisos e informações eletrônicos de leitura.Todas essas medidas e mais outras que possam ser adotadas refletiram na melhoria da qualidade de vida,na segurança e no conforto da população como um todo. - Veja mais sobre acessibilidade e mobilidade urbana em nossa Pg. Seminários e Fóruns - http://pregopontocom.blogspot.com.br/p/seminarios-e-foruns-mobilidade-urbana.html -

Ciclovias e Calçadas
A implantação de sistemas cicloviários (ciclofaixas,compartilhamentos,pequenas ciclovias) a partir dos bairros que serviriam como sistemas de circulação interna nos mesmos,que se integrariam através de ciclovias (Bairro a Bairro) a implantação de bicicletários em pontos estratégicos,(terminais de transbordo,de Trens,de Metro,de VLT,de ônibus,Shoppings,etc),a implantação de estações para aluguel de bicicletas através de controle eletrônico ( Expl.Vélo V de Lyon na França ) também nos terminais de transbordo dos diversos modais existentes e outros pontos importantes da cidade.A reforma e modernização das "CALÇADAS" com o alargamento das mesmas nas áreas de grande circulação com a implantação de sistemas especias de sinalização e segurança para portadores de dificuldade de locomoção,a remoção de obstáculos além de rampas de acesso em todos os locais necessários para garantir a segurança e a livre circulação de todos os  pedestres nessas vias.Construção de passarelas em vias de alto índice no fluxo de tráfico de veículos garantindo a "segurança dos pedestres" e a livre circulação nas vias evitando retenções causadas pelo uso de semáforos.

Integração Física e Tarifária
Esse é um dos principais pontos a ser atacado diretamente pelo poder publico para que todo o sistema de mobilidade não só facilite, mais também flexibilize os deslocamentos dos usuários do transporte público em toda a  rede e em todas as direções,nos diversos modais existentes.Alem da integração física de todos os modais se faz necessário a tarifação única através da bilhetagem eletrônica,por tempo de permanência no sistema ( Por hora), com o uso de bilhetes eletrônicos avulsos com validades de 1h e de 2hs além dos cartões eletrônicos semanais,quinzenais e mensais com validade de 30 dias corridos, independente do quanto possa ser usado nesse período ao contrário dos atuais cartões com limitação de uso condicionado as recargas.Os bilhetes de 2hs deverão ter um redução no custo em relação ao de 1h, explo: se um bilhete de 1h custar R$2,80 o de 2hs poderá custar R$4,90 isso estimulará o uso do transporte público em detrimento do transporte individual,atraindo para o sistema um numero maior de usuários, diminuindo a circulação de veículos nas vias da cidade e consequentemente o numero de acidentes e todo o custo financeiro e social que envolve essas ocorrências,além dos gastos com a manutenção da pavimentação da cidade que terá consequentemente uma vida útil mais longa.Também serão concedidos benefícios inestimáveis ao meio ambiente com a diminuição da poluição causada por emissão de gases pelos veículos, bem como a poluição (poeira) gerada pelo desgaste do atrito dos pneus com piso rolante. Obs- Nenhum sistema de transportes público conseguira atingir um alto grau de abrangência e eficiência se não incorporar dentro do seu contexto a solução para a "integração física e tarifária".

Estações de ônibus (mono-modal)
Estações de ônibus,mono-modal,tem um alto custo de manutenção e operacional (vide Est.da Lapa ) além do custo da sua construção.Quando operadas também com sistemas de integração fechada,para garantir o direito de transbordo gratuito dos usuários entre as linhas que nelas circulam ainda fazem algum sentido,ainda assim podemos considera-las como "elefantes brancos",quando estão abrigadas em grandes e pesadas estruturas.Os sistemas modernos de transportes por ônibus que operam no mundo com integração FÍSICA E TARIFÁRIA e bilhete único eletrônico,válido por tempo de permanência no sistema (por hora),eliminam a necessidade de estações com grandes e pesadas estruturas,sendo substituídos por terminais com estruturas mais simples equipados com dispositivos eletrônicos modernos de informação aos usuários, mapas de toda a rede de transportes local,sinalização vertical e horizontal e com acessibilidade fácil.Com custos operacionais menores e manutenção mais simples,podem também influenciar inclusive na desoneração percentual no custo final do transporte.Com a implantação da tarifa integrada com bilhete único eletrônico torna-se desnecessário o uso de estações de grande porte (mono-modal),com grandes e pesadas estruturas,exclusivamente para ônibus.Os terminais de ônibus,devem ter como finalidade única e precípua o atendimento ao embarque e desembarque de passageiros,com segurança,proteção e acessibilidade garantidas,locais onde os usuários devem permanecer apenas o tempo mínimo necessário.

Trânsito
Seria muito importante também a adoção de políticas de redução de velocidades em vias em áreas centrais da cidade e em locais com grande fluxo de pedestres,com a implantação das chamadas vias calmas,contribuindo dessa forma para a diminuição dos  índices de acidentes e o aumento da segurança no transito para pedestres,ciclistas  e condutores de veículos.

Considerações finais
A implementação de políticas públicas corretas,  modernas e eficientes para a melhoria da Mobilidade Urbana e direcionada unica e exclusivamente para o interesse "público e social" sem levar em conta interesses "políticos ou econômicos" poderá contribuir de maneira significativa para a melhoria da qualidade de vida da população da nossa cidade bem como a qualidade da mesma e também intervenções na sua ampla reestruturação Urbana,sejam elas: investimento em sistemas de transporte público utilizando energia limpa - politicas de restrição de uso do transporte individual nas áreas centrais da cidade - aumento qualitativo do transporte público - regulação de veículos de cargas,locais,vias de transito e paradas para carga e descarga - sistemas de controle e fiscalização eletrônico e "humano" de transito - Calçadas largas e seguras - pontos de travessias com segurança - ciclovias - controle e prevenção da poluição ambiental - e a implantação de áreas verdes nas zonas urbanas da cidade. Transportes Público é uma prestação de serviço de utilidade pública e social e extremamente essencial para a vida da cidade e da sua população e nessa condição deve ser exercida apenas como uma atividade remunerada,mas nunca poderá ser destinada a uma atividade como "fonte incessante de lucros", seja ela pública ou privada.

*A restauração e recuperação do centro histórico e comercial de Salvador só acontecerá através de um grande projeto urbano "revolucionário", ousado e corajoso que seja capaz de humaniza-lo e devolvê-lo de verdade a população da nossa cidade colocando-a definitivamente no rol das cidades com desenvolvimento equilibrado e sustentável.
A.Luis - Salvador Ba. 29/06/2012

Movimento Salvador Sobre Trilhos 
salvatrilhos@hotmail.com

Pregopontocom
http://pregopontocom.blogspot.com.br/ -
pregopontocom@hotmail.com

Grupo no Facebook
Transportes Sobre Trilhos

Artigos relacionados
MOBILIDADE URBANA EM SALVADOR - Soluções Viáveis
Uma nova visão Economica,Social e Urbana para a CIDADE BAIXA

Pregopontocom/Salvador Sobre Trilhos  - Atualizado em 10/09/2016