sábado, 10 de junho de 2017

Governo do Estado (BA) dialoga sobre macrodrenagem do Rio Jaguaribe na orla de Salvador

Meio Ambiente  🌊

O encontro, na sexta-feira (9), foi intermediado pelo secretário Geraldo Reis, titular da Sema, que dará continuidade ao diálogo com os representantes da Associação dos Moradores de Jaguaribe (AMA Jaguaribe), o Grupo Ambientalista da Bahia, SOS Vale Encantado, Instituto de Arquitetos do Brasil - Bahia e Conselho de Entidades Socioambientais da Bahia. No próximo dia 20, será realizada uma nova reunião com o grupo, que conta com a colaboração dos engenheiros e pesquisadores da Escola Politécnica da Universidade Federal da Bahia (Ufba), Lafayette Luz e Severino Agra

Da Redação
foto - ilustração/Pregopontocom
Em reunião com a participação das secretarias estaduais do Meio Ambiente (Sema) e Casa Civil, representantes dos movimentos em defesa do Rio Jaguaribe conheceram o projeto de macrodrenagem do rio, que foi apresentado pela Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder), vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur), e pelos integrantes do Consórcio Desenvolvimento Urbano de Jaguaribe. Eles esclareceram que não haverá tamponamento do rio e, em grande parte do trecho da orla, será preservada a vegetação característica das margens.
O encontro, na sexta-feira (9), foi intermediado pelo secretário Geraldo Reis, titular da Sema, que dará continuidade ao diálogo com os representantes da Associação dos Moradores de Jaguaribe (AMA Jaguaribe), o Grupo Ambientalista da Bahia, SOS Vale Encantado, Instituto de Arquitetos do Brasil - Bahia e Conselho de Entidades Socioambientais da Bahia. No próximo dia 20, será realizada uma nova reunião com o grupo, que conta com a colaboração dos engenheiros e pesquisadores da Escola Politécnica da Universidade Federal da Bahia (Ufba), Lafayette Luz e Severino Agra. Também participou do encontro, o deputado Afonso Florence.
O projeto apresentado tem o objetivo de reduzir os impactos das cheias e transbordamento dos rios Jaguaribe e Mangabeira e deve beneficiar os bairros de Piatã, Itapuã, Alto do Coqueirinho e Bairro da Paz. Conforme apresentou o coordenador do consórcio, Edu José Franco, não haverá tamponamento do rio.
As intervenções também preservam a vegetação das margens no trecho da orla e o leito permanece sem revestimento em grande parte do trecho mais largo do rio, porém com faixa de concreto nas laterais, mostrando uma “franja” aparente acima da linha da água, o que tem como propósito garantir o escoamento e evitar o assoreamento das bordas. As intervenções mais estruturais de canalização e urbanização das margens acontecem nos trechos a montante, onde a largura não permite a mesma solução. O projeto também prevê bacias de contenção.
Os representantes da sociedade civil irão analisar o projeto e apresentar críticas e sugestões no próximo encontro. O secretário Bruno Dauster, da Casa Civil, e o diretor de Obras Estruturantes da Conder, Sérgio Santos, sinalizaram com a abertura para incorporar ajustes ao projeto, contudo, dentro dos limites técnicos e administrativos viáveis.
Com informações da Secom Ba.  10/06/2017

COMENTÁRIO Pregopontocom

Esperamos de tudo isso resulte em uma solução que favoreça o único Rio Urbano da cidade que ainda resiste em sobreviver,ainda que degradado maltratado,mais que teima em ser uma rara e bela paisagem na orla de Salvador.A defesa da preservação e da  sobrevivência do Rio Jaguaripe no seu aspecto natural com sua vegetação e a fauna que ainda lhe resta na orla de Salvador é mais do que justa,o rio merece tudo isso e muito mais.Salve o Rio Jaguaribe.


foto - ilustração/Pregopontocom

Conferência da ONU termina com mais de mil compromissos para proteger os oceanos

Meio Ambiente  🌊

O presidente da Assembleia Geral da ONU, Peter Thomson, afirmou que a conferência foi um ponto de partida para deter o ciclo de degradação dos recursos marinhos causada pelas atividades humanas. Falando a jornalistas nesta sexta-feira (9), ele disse "estar seguro que a partir do evento, ninguém poderá dizer que não sabia da gravidade do problema, que não sabia que a acidificação estava acabando com a vida marinha".

Da ONU News - Ag.Brasil
Em alguns lugares do mundo a poluição dos mares
por plásticos é simplesmente catastrófica, como nesta
 praia em Mumbai, na Índia
h UN Environment - Divulgação
Um total de 1.161 compromissos voluntários para proteger os mares foram assumidos por diversos governos e organizações da sociedade civil e internacionais durante a Conferência sobre os Oceanos
promovida pelas Nações Unidas em Nova York durante toda esta semana. A informação é da ONU News.
O presidente da Assembleia Geral da ONU, Peter Thomson, afirmou que a conferência foi um ponto de partida para deter o ciclo de degradação dos recursos marinhos causada pelas atividades humanas. Falando a jornalistas nesta sexta-feira (9), ele disse "estar seguro que a partir do evento, ninguém poderá dizer que não sabia da gravidade do problema, que não sabia que a acidificação estava acabando com a vida marinha".
Thomson disse que ninguém pode dizer que não sabia que "haverá mais plástico do que peixes nos oceanos em 2050, que tantas espécies marinhas estão em extinção pelo consumo de peixes capturados de forma ilegal ou pela pesca excessiva".

Compromissos
Entre os 1.161 compromissos adotados, 460 têm como meta eliminar a poluição causada por materiais plásticos e produtos de microplásticos no mar, muito comum na indústria de cosméticos.
Outros 315 compromissos irão controlar e acabar com a sobrepesca. Os especialistas querem ainda realizar mais pesquisas para aumentar o conhecimento científico sobre a vida marinha.
Peter Thomson disse ainda que houve um grande apoio entre os participantes para ampliar as zonas de proteção marinhas e costeiras. E foram formadas várias alianças para reduzir a acidificação dos mares.
A Conferência dos Oceanos termina com um chamado de ação contendo todos os assuntos acordados pela comunidade internacional no evento para implementar o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 14: Promover a conservação e uso sustentável dos oceanos, dos mares e dos recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável.
Fonte - Agência Brasil  10/06/2017

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Projeto de requalificação é apresentado previamente à comunidade do Centro Antigo de Salvador

Desenvolvimento Urbano  🏠

A Conder vai a campo esclarecer os principais pontos dos serviços que serão realizados. “Cada uma das 267 ruas que serão beneficiadas são visitadas por nossa equipe antes do início das obras. Este é um importante diferencial do projeto”, explica a coordenadora da área do Social da Diretoria do Centro Antigo de Salvador (Dircas), da Conder, Sydney Oliveira. 

Da Redação
imagem - ilustração/Video Secom
A equipe técnica do Social da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder) informa previamente aos moradores e comerciantes do Centro Antigo de Salvador sobre a requalificação das vias no local, que está sendo executado pelo Governo do Estado, por meio do órgão. As intervenções que integram o projeto ‘Pelas Ruas do Centro Antigo’.
A Conder vai a campo esclarecer os principais pontos dos serviços que serão realizados. “Cada uma das 267 ruas que serão beneficiadas são visitadas por nossa equipe antes do início das obras. Este é um importante diferencial do projeto”, explica a coordenadora da área do Social da Diretoria do Centro Antigo de Salvador (Dircas), da Conder, Sydney Oliveira.
Nesta semana, a equipe visitou as ruas Rockfeller, nos Barris, e Monte Castelo, no Barbalho. As duas vias integram, respectivamente, os lotes 3 e 5 do projeto. Na ocasião, foram entregues folhetos explicativos, incluindo um número de contato telefônico (3116-6760) e e-mail da Coordenação do Social (socialpacpav@conder.ba.gov.br) para mais esclarecimentos. Nilson Rebouças, morador da Rua Rockfeller há 14 anos, está na expectativa sobre as melhorias, principalmente, com relação à acessibilidade. “O projeto conta com meu apoio. O contato com a comunidade é algo inédito para mim e acho essencial esse diálogo”.
No Barbalho, na Rua Monte Castelo, dona Vanda Sampaio elogia ‘este canal de comunicação direta’. Moradora da rua há 38 anos, ela já distribuiu os contatos deixados pela equipe da Conder para todos os vizinhos. “A iniciativa da obra é excelente. Vamos acompanhar de perto a execução dos serviços”.
As intervenções já estão melhorando o acesso das pessoas a diversos pontos do Centro Antigo de Salvador e também tornando mais confortável a mobilidade por ruas, praças e travessas. As obras estão sendo executadas por etapas, simultaneamente, em diferentes pontos da região. Assim, os bairros próximos foram interligados por cinco lotes, sendo quatro com obras já iniciadas. Ao todo serão investidos R$ 124 milhões para a melhoria da acessibilidade com a pavimentação de vias e requalificação de calçadas.
Com informações da Secom  09/06/2017

Metrô de Salvador entra no clima de São João

Transportes sobre trilhos  🚇

A CCR Metrô Bahia entra no clima de São João.Na Estação Lapa, a mais movimentada do Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas, a programação começou ontem (quarta-feira), com apresentação de um trio nordestino circulando entre o mezanino e as plataformas. Os sons da sanfona, triângulo e zabumba voltam ao espaço hoje (9) e nos dias 14 e 16 de junho, sempre entre 14h e 15h.

Da Redação
divulgação/CCR
Sanfona, forró e muita alegria dão o tom do “São João no Metrô”, que começou na quarta-feira (7/06) e segue até o dia 20 com várias atrações sintonizadas com o clima junino. Para deixar os usuários do metrô no mesmo compasso, acontecerá um aulão de forró animado pela banda Estakazero. Conduzida por profissionais da academia Alpha Fitness e com apoio da Eletromídia, a atividade será na Estação Acesso Norte, na próxima terça-feira (13/06), às 12h.
No dia 20, às 17h, o “São João no Metrô” desembarca na Estação Pirajá com a apresentação do grupo cultural Estrela Dalva, formado por homens e mulheres da 3ª idade que moram em Catu. Usando roupas típicas do período junino, os integrantes dançarão desde clássicos do forró, como Luiz Gonzaga e Dominguinhos, a sucessos recentes do ritmo. O toque especial do repertório é a versão “arrasta-pé” da vencedora do Carnaval 2017, a música “Santinha”, de Leo Santana.
Na Estação Lapa, a mais movimentada do Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas, a programação começou ontem (quarta-feira), com apresentação de um trio nordestino circulando entre o mezanino e as plataformas. Os sons da sanfona, triângulo e zabumba voltam ao espaço hoje (9) e nos dias 14 e 16 de junho, sempre entre 14h e 15h.
Os usuários da Estação Lapa do metrô contarão ainda com a apresentação do Coral da Sesab, que acontece hoje (9), às 17h, quando muitos usuários iniciam a volta para casa após um dia de trabalho. Vestidos a caráter, colaboradores da Sesab e do Planserv vão cantar hits eternos da música junina, como “Asa Branca”, “Esperando na janela” e “Eu só quero um xodó”, entre outros. Em paralelo serão distribuídos panfletos com informações sobre prevenção do diabetes e outros temas.
O “São João no Metrô” integra o calendário de eventos nas estações do Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas, que tem o objetivo de ampliar a aproximação entre a CCR Metrô Bahia e os usuários desse sistema de transporte, promovendo momentos de lazer e bem-estar.
Com informações da CCR Metrô Bahia  09/06/2017

Locomotiva do Forró faz primeiras viagens neste fim de semana em Campina Grande

Turismo Ferroviário   🚃

O trem da CBTU João Pessoa que fará as viagens da Locomotiva do Forró já está na cidade de Campina Grande, a 120 km da capital e passou por uma série de melhorias. O comboio recebeu pintura e algumas adequações para facilitar ainda mais o conforto dos passageiros. Este ano, a novidade fica por conta do Vagão Vip, com uma estrutura diferenciada, mesas, grades de ventilação e decoração especial. 

CBTU
divulgação/CBTU
Forró, xote, baião e muita alegria na mais tradicional viagem de trem no interior da Paraíba. É a Locomotiva do Forró, que leva todos os anos os forrozeiros da cidade de Campina Grande para o distrito de Galante, num percurso de 23 km. Os passeios cheios dos ritmos mais tradicionais do Nordeste atraem turistas de todo o país e têm datas certas. O trem vai fazer suas primeiras viagens neste sábado e domingo, 10 e 11, com saídas previstas para as 10h, da Estação Velha, atual Museu do Algodão, em Campina Grande. O retorno está marcado para as 15h.
O trem da CBTU João Pessoa que fará as viagens da Locomotiva do Forró já está na cidade de Campina Grande, a 120 km da capital e passou por uma série de melhorias. O comboio recebeu pintura e algumas adequações para facilitar ainda mais o conforto dos passageiros. Este ano, a novidade fica por conta do Vagão Vip, com uma estrutura diferenciada, mesas, grades de ventilação e decoração especial. Além disso, a composição composta por uma locomotiva e sete carros de passageiros (vagões) foi minuciosamente revisada para atender aos passeios com segurança e agilidade.
Na Estação Velha, os férreos-forrozeiros da Locomotiva do Forró serão recepcionados grupos folclóricos e trios de forró. Artesãos estarão expondo seus trabalhos para quem quiser levar uma lembrança da terra do Maior São João do Mundo. No interior do trem, cada vagão tem um trio de forró pé-de-serra com sanfona, triângulo e zabumba tocando sem parar durante a ida e volta. A novidade esse ano é que terá um vagão VIP, no primeiro dia será destinado para jornalistas e convidados.
Em Galante, uma grande estrutura foi montada para receber os férreos-forrozeiros, que conta com palco para apresentação de shows e ilhas forró para quem prefere o forró de raiz. A gastronomia paraibana e regional também estará presente em vários restaurantes e barracas de comidas típicas. Um verdadeiro convite ao sabor inesquecível da Paraíba.
Mais informações sobre os eventos no  site locomotivadoforro.
Com informações da CBTU  09/06/2017

Acordo para retomar obras do VLT de Cuiabá deve sair até segunda

Transportes sobre trilhos   🚄

Na última semana, o MPF e o Ministério Público do Estado emitiram um parecer conjunto em que se posicionam contra a minuta do acordo apresentada pelo estado e o Consórcio-VLT. Entre outros pontos, afirmam que peritos analisaram a minuta do acordo e encontraram inconsistências. 

Ag.Brasil
foto - ilustração
A Justiça Federal deu prazo de cinco dias úteis para que o Consórcio VLT Cuiabá, o estado de Mato Grosso e os ministérios públicos estadual e federal entrem num consenso sobre o acordo para a retomada das obras do Veículo Leve Sobre Trilhos, em Cuiabá.
Na última semana, o MPF e o Ministério Público do Estado emitiram um parecer conjunto em que se posicionam contra a minuta do acordo apresentada pelo estado e o Consórcio-VLT. Entre outros pontos, afirmam que peritos analisaram a minuta do acordo e encontraram inconsistências.
Segundo o MPF, o consórcio pede por diversas vezes nos autos que o estado arque com as despesas causadas por conta do período de suspensão judicial de mais de dois anos, como os gastos de conservação de material que ficou parado, situação que ainda não foi decidida judicialmente.
O Ministério Público acredita que esses valores estão sendo embutidos no acordo para a continuação das obras.
De acordo com o secretário adjunto das obras do VLT de Mato Grosso, José Píccoli Neto, o governo vai apresentar novas alegações até segunda-feira (12), para tentar agilizar a retomada das obras.
A decisão ressalta que o MPF e o Ministério Público Estadual são os responsáveis por fiscalizar o atendimento ao interesse público e, também, por velar pelo patrimônio público.
No entanto, ressalta que deve-se levar em conta a tentativa do estado e do Consórcio VLT, de buscarem uma composição amigável para uma solução definitiva. O prazo para apresentação da nova tentativa de acordo termina na próxima segunda-feira.
Em 2012, o governo de Mato Grosso assinou contrato com o Consórcio VLT, no valor de R$ 1,4 bilhão, com prazo de execução da obra fixado em 24 meses. Em dezembro de 2014, o Governo de Mato Grosso determinou a paralisação das obras, alegando atrasos no cronograma de execução, por exemplo.
O contrato foi paralisado com 30% das obras físicas executadas e um investimento de mais de R$ 1 bilhão.
Procurado, o MPF disse que vai aguardar o estado se manifestar nos autos sobre um novo acordo.
Fonte - Abifer   09/06/2017

Descarrilamento no metrô fecha três estações em São Paulo

Transportes sobre trilhos   🚇

A assessoria de imprensa do Metrô informou que três estações (Jabaquara, Conceição e São Judas) estão fechadas. A linha opera em velocidade reduzida. Ao meio-dia, a composição ainda não havia sido removida e não há previsão de quando o serviço será normalizado.

Fernanda Cruz
Repórter da Agência Brasil
foto - ilustração
Um trem da Linha 1 – Azul, do Metrô de São Paulo, descarrilou às 9h40 de hoje (9), próximo à estação Jabaquara, zona sul da capital paulista. Aproximadamente 1 milhão de pessoas circulam diariamente em dias úteis nesta linha. Não há registro de pessoas feridas.
A assessoria de imprensa do Metrô informou que três estações (Jabaquara, Conceição e São Judas) estão fechadas. A linha opera em velocidade reduzida. Ao meio-dia, a composição ainda não havia sido removida e não há previsão de quando o serviço será normalizado.
O Plano de Apoio entre Empresas em Situação de Emergência (Paese) foi acionado com ônibus extras para atender aos usuários. O Metrô informou que a Comissão Permanente de Segurança, formada por especialistas, abriu investigação para determinar as causas da ocorrência.
Fonte - Agência Brasil  09/06/2017

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Aeroporto de Comandatuba receberá voos regulares

Infraestrutura   ✈

Administrado pelo governo do estado (BA) através da Secretaria de Infraestrutura (Seinfra), o equipamento tem capacidade de receber aeronaves comerciais, como o Boeing 737 e Airbus 320, além de aviões executivos. 

Da Redação
foto - divulgação
O aeródromo de Comandatuba, na cidade baiana de Una, passou por intervenções para receber voos regulares e a partir de agora conta com um veículo contra incêndio. Administrado pelo governo do estado através da Secretaria de Infraestrutura (Seinfra), o equipamento tem capacidade de receber aeronaves comerciais, como o Boeing 737 e Airbus 320, além de aviões executivos.
Nesta semana, representantes da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) estiveram presentes no aeródromo e realizaram inspeção no local para a liberação de voos regulares. "A expectativa é de que os voos aqueçam as viagens regionais e ampliem o turismo e a economia no interior baiano", explica Denisson Oliveira, diretor de Terminais da Seinfra.
Com informações da Seinfra Ba.  07/06/2017

Osba prepara concerto do Dia dos Namorados com ensaio aberto

Cultura   🎻

Os ensaios, sempre às 10h, no Teatro Castro Alves (TCA), são abertos ao público até esta sexta-feira (9). Com poemas sinfônicos dos compositores Wagner e Arnold Schöenberg, além de um clássico de Gonzagão, a Osba aposta num clima romântico para o concerto Enamorados, que será realizado na próxima segunda-feira (12), às 19h, no Goethe-Institut Salvador/ICBA, no Corredor da Vitória.

Da Redenção
foto -  Elói Corrêa/GOVBA
A Orquestra Sinfônica da Bahia (Osba) segue em fase de preparação para fazer bonito no Dia dos Namorados. Os ensaios, sempre às 10h, no Teatro Castro Alves (TCA), são abertos ao público até esta sexta-feira (9). Com poemas sinfônicos dos compositores Wagner e Arnold Schöenberg, além de um clássico de Gonzagão, a Osba aposta num clima romântico para o concerto Enamorados, que será realizado na próxima segunda-feira (12), às 19h, no Goethe-Institut Salvador/ICBA, no Corredor da Vitória.
“Este será um belíssimo concerto. A peça é muito complexa, principalmente, para os instrumentos de cordas. Por isso, optamos por fazer ensaios em dois momentos: separados por instrumentos, e o ensaio coletivo. O público está convidado”, afirma o regente da Osba, maestro Carlos Prazeres.
A servidora pública estadual, Jamile Fontenelle Bastos, aproveitou o período das férias para acompanhar os ensaios da orquestra de cordas. O som de violinos, violas, violoncelos e contrabaixos encantaram a visitante, admiradora da música clássica. “Acho a Osba maravilhosa. A música relaxa, faz viajar. Muitas vezes me pego resgatando momentos marcantes da minha vida. Hoje em dia a música clássica está mais acessível e acho que a população deveria aproveitar mais. Hoje eu não poderia deixar de vir”, afirma Jamile.

Repertório
O concerto conta com a participação especial do violinista Alexandre Casado, que atuará como Spalla convidado, além da violoncelista Suzana Kato. O repertório reserva ao público dois poemas sinfônicos. O primeiro deles do compositor alemão Richard Wagner (1813-1883), ícone do Romantismo, o público confere o “Idílio de Sigfried (WWV 103) – para Orquestra de Câmara”, composto em 1870 por ocasião dos 33 anos de Cosima Wagner (1837-1930), esposa do compositor, e para comemorar o nascimento do último filho do casal: Siegfried Wagner (1869-1930).
O segundo poema sinfônico apresentado é “Noite Transfigurada Op. 4”, do compositor austríaco Arnold Schöenberg (1874-1951), conhecido por criar o Dodecafonismo, estilo que revolucionou as formas de composição no século XX, A obra é baseada no poema homônimo do escritor alemão Richard Dehmel (1863-1920) que nas suas estrofes apresenta o diálogo de dois amantes, durante uma caminhada à luz da lua. Por fim, para contemplar suas raízes brasileiras e já em clima de ensaio para o seu São João Sinfônico, a OSBA apresenta o “Xote das Meninas”, composição do mestre Luiz Gonzaga em parceria com Zé Dantas, para fazer o público acompanhar a Orquestra cantando o inconfundível refrão “Ela só quer, só pensa em namorar”.
Os ingressos custam R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia) e as vendas acontecem somente no dia do espetáculo, a partir das 18h, na própria bilheteria do ICBA.
Com informações da Secom Ba.   08/06/2017

Relatores da ONU criticam "ataques" aos direitos ambientais e indígenas no país

Direitos Humanos  ✋

Em comunicado divulgado hoje (8), a relatora especial das Nações Unidas sobre Direitos dos Povos Indígenas, Victoria Tauli Corpuz; o relator sobre os Defensores dos Direitos Humanos, Michel Forst, e sobre o Meio Ambiente, John Knox, e o relator da CIDH sobre os Direitos dos Povos Indígenas, Francisco José Eguiguren Praeli, afirmam que “os direitos dos povos indígenas e os direitos 

Alex Rodrigues
Repórter da Agência Brasil

foto - ilustração
Relatores da Organização das Nações Unidas (ONU) e da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) criticaram a situação dos povos indígenas no Brasil e o que classificam como “ataques aos direitos ambientais” no país.
Em comunicado divulgado hoje (8), a relatora especial das Nações Unidas sobre Direitos dos Povos Indígenas, Victoria Tauli Corpuz; o relator sobre os Defensores dos Direitos Humanos, Michel Forst, e sobre o Meio Ambiente, John Knox, e o relator da CIDH sobre os Direitos dos Povos Indígenas, Francisco José Eguiguren Praeli, afirmam que “os direitos dos povos indígenas e os direitos ambientais estão sendo atacados no Brasil" e que as autoridades políticas vêm aprovando medidas que enfraquecem a já frágil proteção institucional e legal às comunidades tradicionais em geral.
O principal alvo das críticas dos relatores internacionais é o relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Fundação Nacional do Índio (Funai) e Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) 2, aprovado no mês passado, que pede o indiciamento de 96 pessoas entre lideranças comunitárias, antropólogos e servidores públicos acusados de fraudarem processos de demarcação de terras indígenas, quilombolas e de assentamentos rurais destinados à reforma agrária.
O relatório do deputado e presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária, Nilson Leitão (PSDB-MT), também propõe a reestruturação da Funai e a reanálise de processos de terras indígenas já demarcadas, bem como dos procedimentos administrativos demarcatórios em andamento no Ministério da Justiça.
Para os três relatores da ONU e o relator da CIDH, o Brasil deveria fortalecer a proteção institucional e legal para os povos indígenas, afrodescendentes e outras comunidades. "É extremamente preocupante que, em vez disso, o Brasil esteja considerando enfraquecer essas proteções", dizem os relatores, afirmando que, ao longo dos últimos 15 anos, o Brasil “tem visto o maior número de assassinatos de defensores ambientais e territoriais de qualquer país, com uma média de uma morte semanal”, situação que afeta particularmente os povos indígenas.
Os relatores são especialmente severos ao comentar as críticas que o documento aprovado pela Câmara dos Deputados traz à própria ONU e a acordos internacionais assinados pelo Brasil, como a Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas, que na opinião de alguns parlamentares representa “uma ameaça à soberania do Brasil”.
"É muito lamentável que, em vez de exemplificar os princípios consagrados na Declaração, a comissão de investigação do Congresso questione os motivos por trás disso e os da própria ONU, minimizando os progressos obtidos até agora", lamentam os relatores, observando que uma série de projetos de lei recentemente aprovados ou sob análise do Congresso visam a enfraquecer a proteção ao meio ambiente.
Procurada pela reportagem, a Funai não se manifestou sobre o comunicado divulgado hoje. A Agência Brasil não conseguiu contato com o deputado Nilson Leitão, autor do relatório final da CPI da Funai-Incra 2, mas, em nota recente, o parlamentar disse que as recomendações de seu relatório são uma resposta às práticas ilícitas constatadas pela CPI e visam a, entre outras coisas, tirar da responsabilidade de organizações não-governamentais serviços prestados aos povos indígenas, como saúde e educação, devolvendo-a a responsabilidade direta da Funai.
“É preciso dar à Funai a importância que todo mundo diz que ela tem, mas que dizem da boca pra fora. É preciso dar importância de verdade, com orçamento. A sociedade compreender que o indígena não é propriedade particular de nenhum setor ideológico”, disse Leitão em nota divulgada por sua assessoria.
Fonte - Agência Brasil  08/06/2017

Consórcios solicitam nova data para licitação do VLT de Salvador

Transportes sobre trilhos  🚄

A sessão pública ocorreu nesta manhã, no Stiep, em Salvador. A reunião contou com as presenças de representantes de consórcios e empresários. O projeto foi apresentado pelo secretário da Casa Civil, Bruno Dauster. A reunião contou com as presenças de representantes de consórcios e empresários. O projeto foi apresentado pelo secretário da Casa Civil, Bruno Dauster.

Da Redação
foto - ilustração
Representantes dos seis consórcios que participaram da sessão pública de apresentação do projeto VLT (Veículo Leve sobre Trilhos), nesta quinta-feira (8), solicitaram a mudança na data da licitação. Inicialmente, o certame está marcado para o dia 30 de junho.
A sessão pública ocorreu nesta manhã, no Stiep, em Salvador. A reunião contou com as presenças de representantes de consórcios e empresários. O projeto foi apresentado pelo secretário da Casa Civil, Bruno Dauster.
A sessão pública ocorreu nesta manhã, no Stiep, em Salvador. A reunião contou com as presenças de representantes de consórcios e empresários. O projeto foi apresentado pelo secretário da Casa Civil, Bruno Dauster.
A sessão pública foi avaliada como bastante positiva pelo secretário da Casa Civil. “Discutimos pontos muito pertinentes, o que nos dá, em princípio, um conforto grande de que teremos uma disputa boa no VLT”, avaliou.

Ineditismo
Bruno Dauster ressaltou, ainda, o ineditismo desta modalidade de financiamento do VLT. “Essa é uma estrutura de financiamento absolutamente nova, onde o Estado é o protagonista, mas o tomador é o privado”, explicou.
O edital de concessão 01/2017 para a implantação e operação do VLT está disponível na página da Sedur na internet. O edital também pode ser obtido em mídia eletrônica no Setor de Licitações da Sedur - 2º andar, das 9 às 17 horas.
O VLT, que vai substituir os trens do Subúrbio, terá 18,5 quilômetros de extensão e 21 estações. Estão previstas intervenções em duas fases: a primeira, entre o Comércio e Plataforma, tem 9,4 km; e a segunda, entre Plataforma e São Luiz, com 9 km.
Atualmente, a malha ferroviária que liga Paripe à Calçada é de 13,6 quilômetros. É importante ressaltar que o sistema de trens do subúrbio data da década de 70, portanto, com equipamentos antigos e que, eventualmente apresentam problemas técnicos
Com informações da Sedur    08/06/2017 

Trem do Forró da Melhor Idade sai nesta sexta-feira, 09, em João Pessoa

Turismo Ferroviário  🚃

Os forrozeiros da terceira idade prometem animar as viagens ao som de muito forró pé de serra. A concentração começa na estação João Pessoa, às 13h, com saída prevista para às 13h28 com destino à Santa Rita e logo depois para Cabedelo na mesma composição. Ao todo serão cerca de 150 idosos vestidos de matutos e caipiras.

CBTU
foto - ilustração
Festejar o São João antecipadamente e dançar o melhor forró no balanço do trem. É assim que os integrantes do Grupo da Melhor Idade Creuza Pires, vão abrir, nesta sexta-feira, 09, os festejos juninos sobre trilhos na Capital. Os forrozeiros da terceira idade prometem animar as viagens ao som de muito forró pé de serra. A concentração começa na estação João Pessoa, às 13h, com saída prevista para às 13h28 com destino à Santa Rita e logo depois para Cabedelo na mesma composição. Ao todo serão cerca de 150 idosos vestidos de matutos e caipiras.
Além do Creuza Pires, integrantes do Centro de Referência da Assistência Social (Cras) de Santa Rita entrarão no ritmo do forró sobre trilhos no dia 14 de junho, a partir das 13h. E no dia 20, quem vai dançar forró no trem é a turma da melhor idade do Centro de Convivência do Idoso também de Santa Rita. Eles vão embarcar na Estação Santa Rita e seguirão até Cabedelo com retorno para a cidade de origem às 16h.
Com informações da CBTU  08/06/2017

Região Metropolitana de São Luis ganha serviço de ônibus com ar condicionado

Mobilidade   🚌

Ônibus com ar condicionado inicia atendimento na linha Tropical São Francisco.O veículo é o primeiro da linha com essas características e supre parte da demanda dos usuários por melhores condições neste serviço.Com o novo ônibus, equipado dentro das normas, a população tem acesso a um serviço de maior qualidade.

Da Redaçao
foto - ilustração/Pregoptontocom
Quem utiliza o transporte público em viagens intermunicipais na Região Metropolitana de São Luís passa a contar com mais uma alternativa. O Governo do Estado destinou à linha que serve o bairro Jardim Tropical e entorno um ônibus equipado com elevador para cadeirante, cadeiras acolchoadas e ar condicionado. O veículo é o primeiro da linha com essas características e supre parte da demanda dos usuários por melhores condições neste serviço. “Essa linha era uma das mais problemáticas e nos chegavam inúmeras reclamações. Com essa melhoria, queremos garantir que os passageiros tenham mais qualidade no serviço”, informa o presidente da Agência de Mobilidade Urbana do Maranhão (MOB), Artur Cabral, que coordena o serviço.
A linha Jardim Tropical era alvo de muitas reclamações dos usuários devido a atrasos e deficiência dos coletivos que não possuíam condições de conforto e tráfego. Com o novo ônibus, equipado dentro das normas, a população tem acesso a um serviço de maior qualidade. A aquisição do veículo integra o planejamento do Governo do Estado voltado à reestruturação do sistema de transporte coletivo intermunicipal. O plano inclui apoio às prefeituras em projetos de melhoria do transporte urbano.
A MOB vai manter equipes em ação de fiscalização no trecho para fazer cumprir os horários e avaliar as condições dos demais veículos para que, gradativamente, novos ônibus sejam incorporados. “É um processo de renovação que pretendemos levar às demais linhas semiurbanas e já estamos debatendo para elaboração de um cronograma que será apresentado posteriormente”, anuncia Artur Cabral. Pela viagem será cobrado o valor convencional de R$ 2,90. A linha faz trajeto nos bairros Jardim Tropical, Cidade Operária, Jardim América, Janaína e adjacências.
O serviço intermunicipal de transporte é de competência do Governo do Estado e executado via MOB. Estão incluídas as linhas semiurbanas que atendem os municípios da Região Metropolitana de São Luís (São Luís, Paço do Lumiar, Raposa e São José de Ribamar); e de Imperatriz (Imperatriz, João Lisboa, Senador La Roque, Comaru), totalizando 68 linhas.

Mais mobilidade
O transporte público e a garantia de mais mobilidade à população estão entre as prioridades deste o primeiro ano da gestão Flávio Dino. As transformações passaram pela ampliação de serviços, integração de linhas e aquisição de ônibus novos e equipados.
Entre as ações, a disponibilização do aplicativo ‘Meu Ônibus MOB’, por meio do qual o passageiro acessa, pelo celular, o horário e local das linhas, economizando tempo e garantindo segurança. O ‘Serviço Travessia’, que transporta cadeirantes e demais pessoas com deficiência em viagens para o trabalho, estudo, tratamento de saúde e também lazer, tem capacidade para mil atendimentos por mês.
Com informações da Secap/Gov.Ma   07/06/2017

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Carros comuns estão com dias contados

Automobilismo  🚗

Quem é fã de carro e gosta muito de dirigir já deve se preparar psicologicamente para um fato: os carros comuns como conhecemos hoje estão com os dias contados. Não falta muito para que veículos autônomos e/ou altamente conectados cheguem de vez ao mercado e se popularizem, tornando a experiência do deslocamento algo totalmente novo e talvez não tão prazeroso quanto o que ainda temos atualmente, em que se podemos sentir e acelerar um veículo.

Ricardo Camargo* - Portogente
foto - ilustração
A sociedade se mostra cada vez mais conectada e consciente de que precisa utilizar tecnologias mais limpas para preservar o meio ambiente. Este cenário motiva a indústria a avançar no desenvolvimento de veículos que sejam capazes de interagir com o usuário, dirigir de forma autônoma e receber comandos de voz ou mesmo ondas cerebrais, além de emitir menos poluentes e garantir o melhor custo-benefício na operação.
Todas essas inovações fomentam atualmente a revolução da eletroeletrônica aplicada à indústria da mobilidade. A cada ano feiras automotivas flertam de forma mais intensa com a tecnologia. Em todo o mundo, montadoras fazem questão de apresentar avanços em tecnologias aplicadas a veículos híbridos, movidos a hidrogênio e semiautônomos, conceitos que dão um gostinho de como poderá ser o futuro do automóvel.
Quem é fã de carro e gosta muito de dirigir já deve se preparar psicologicamente para um fato: os carros comuns como conhecemos hoje estão com os dias contados. Não falta muito para que veículos autônomos e/ou altamente conectados cheguem de vez ao mercado e se popularizem, tornando a experiência do deslocamento algo totalmente novo e talvez não tão prazeroso quanto o que ainda temos atualmente, em que se podemos sentir e acelerar um veículo.
No Brasil, entretanto, um simples olhar para a infraestrutura viária mostra que o maior desafio talvez seja fazer toda essa tecnologia, de fato, funcionar. Um exemplo é o aviso de saída da faixa de rodagem (LDS), que auxilia no controle do veículo, caso o motorista saia da faixa por qualquer motivo. Como esse sistema funcionaria em rodovias desprovidas de faixas pintadas? Ou ainda, como o veículo desviará dos buracos?
Enquanto essa questão permanece – e, quem sabe, até possa ser resolvida em médio ou longo prazo pela própria tecnologia embarcada no veículo –, montadoras seguem agregando mimos tecnológicos interessantes que prometem facilitar a vida dos motoristas e melhorar a segurança, como alerta de ponto cego no retrovisor, sensores de estacionamento e centrais multimídia que carregam todo o conteúdo do smartphone, entre outros.
Nos carros do futuro, a eletroeletrônica terá papel fundamental. Ela será responsável por todo o controle e a integração das informações do veículo. Para esta nova revolução tecnológica, módulos eletrônicos com cada vez mais capacidade de processamento e uma enorme carga de programação evidenciam que a mecânica está se convertendo em elétrica nos veículos.
A obtenção de energias alternativas e mais limpas para a alimentação dos motores, como a eletricidade em substituição aos combustíveis fósseis, também faz parte desta revolução, inclusive no Brasil. O País ainda precisa encontrar saídas para viabilização porque os valores que envolvem os desenvolvimentos e os produtos com estas tecnologias são altíssimos, embora o custo operacional seja atrativo em função da matriz energética brasileira. Esses e outros temas estão na pauta dos especialistas da indústria convidados para o 6º Colloquium SAE BRASIL de Eletroeletrônica & Mostra de Engenharia, dias 22 e 23 de junho, em Volta Redonda, RJ.
*Ricardo Camargo, engenheiro do Produto da MAN Latin America e chairperson da 6º Colloquium SAE Brasil de Eletroeletrônica &Mostra de Engenharia
Fonte - Portogente  07/06/2017

Projeto resgata mobilidade e valoriza história da Ladeira da Preguiça

Desenvolvimento Urbano  👪

As ações da Ladeira da Preguiça integram o lote 2 do projeto, que também contempla as ladeiras da Montanha, da Conceição da Praia e da Misericórdia, além das ruas Areal de Cima, Democrata, Pau da Bandeira, Sodré, Visconde de Mauá e Manoel Vitorino. "As alamedas foram todas projetadas para acessibilidade de pessoas com deficiência.

Da Redação
imagem - vídeo/Pelas Ruas
Construída como via de acesso entre a Cidade Baixa e a Cidade Alta, a Ladeira da Preguiça tem mais de quatro séculos de história. Como parte do Projeto Pelas Ruas do Centro Antigo, a ladeira recebeu nova pavimentação e teve as calçadas requalificadas. "As pedras estavam soltadas. O acesso era difícil. A população não tinha como ver a beleza do lugar", explica o coordenador da obra, Antônio Marcos Cruz.
As ações da Ladeira da Preguiça integram o lote 2 do projeto, que também contempla as ladeiras da Montanha, da Conceição da Praia e da Misericórdia, além das ruas Areal de Cima, Democrata, Pau da Bandeira, Sodré, Visconde de Mauá e Manoel Vitorino. "As alamedas foram todas projetadas para acessibilidade de pessoas com deficiência. Conseguimos transformar o lugar naquilo que ele merece ser.

imagem - vídeo/Pelas Ruas
As pessoas não conheciam direito [a Ladeira da Preguiça] e agora já têm essa oportunidade", acrescenta Cruz.
Após as obras, destaca o superintendente operacional da Diretoria do Centro Antigo de Salvador (Dircas/Conder), Milton Melo, a Ladeira da Preguiça voltou a ser “uma importante via entre a Avenida Contorno e a Avenida Sete de Setembro. Outras pessoas circulam pela região e isso antes não acontecia".
Ao todo, o Governo da Bahia investe R$ 124 milhões na pavimentação de mais de 260 ruas e requalificação de calçadas, beneficiando 11 bairros que formam o território.
Com informações da Secom Ba.  07/06/2017


Vídeo Pelas Ruas


Parar as reformas, voltar a crescer

Ponto de Vista   🔍

A greve geral de 28 de abril e a marcha a Brasília de 24 de maio, ambas manifestações vitoriosas, deram esse sinal claro, que deve ser assimilado pelos parlamentares. Equivocadas e injustas, tais proposições hoje, em meio a tamanha crise política, tornam-se também absurdas. Não é aceitável que se siga com a tramitação do Projeto de Lei da Câmara 38/17 e da Proposta de Emenda à Constituição 287/16, como se nada estivesse se passando no Brasil."

Portogente
foto - ilustração
O chamamento foi feito pelo presidente da Federação Nacional dos Engenheiros (FNE), Murilo Pinheiro, em recente publicação. Ele justifica: "É preciso que o Congresso Nacional compreenda a mensagem que vem sendo emitida pelos trabalhadores brasileiros, que são a imensa maioria da população: é tempo de parar a tramitação das reformas trabalhista e da Previdência. A greve geral de 28 de abril e a marcha a Brasília de 24 de maio, ambas manifestações vitoriosas, deram esse sinal claro, que deve ser assimilado pelos parlamentares. Equivocadas e injustas, tais proposições hoje, em meio a tamanha crise política, tornam-se também absurdas. Não é aceitável que se siga com a tramitação do Projeto de Lei da Câmara 38/17 e da Proposta de Emenda à Constituição 287/16, como se nada estivesse se passando no Brasil."
Segundo ele, não há justificativa para tamanha pressa ao tratar de questões tão relevantes. É necessário que o País volte à normalidade para que mudanças dessa monta, que atingem direitos históricos de um contingente de 100 milhões de pessoas e ameaçam minar a nossa já frágil proteção social, possam ser discutidas. "Os defensores de tais ideias devem se submeter ao real e efetivo debate público; não basta promover audiências meramente protocolares que em nada interferem na decisão das casas de leis. A sociedade precisa de informação clara e isenta, não de propaganda, para formar sua opinião e se posicionar."
Ao argumento do lendário déficit da Previdência, assevera Murilo, contrapõe-se a demonstração de inúmeros especialistas que negam a existência de rombo. Por que não permitir aos brasileiros acesso amplo a tais informações para que possam julgar por si próprios? Aos que afirmam que o fim dos direitos trabalhistas gerará empregos, muitos respondem que a precarização enfraquecerá ainda mais a economia. Essa discussão precisa ser feita.
Ele defende: "Nossa convicção é que se a opinião pública tiver acesso ao debate honesto e informado, o que é essencial a uma democracia de fato, a sociedade brasileira repudiará veementemente a ideia de retroceder em seus direitos. Em vez disso, optará por coletivamente buscar a saída da crise econômica que já flagela 14,5 milhões de cidadãos com o desemprego."
Fonte - Portogente   07/06/2017

A CRRC apresentou o ART - VLP autônomo (driveless)

Transportes sobre trilhos  🚄

Anunciado pelo seu fabricante como um trem sem trilhos, o veículo articulado de três seções tem 31,6 m de comprimento, 2 650 mm de largura e 3 · 4 m de altura, com capacidade para 300 passageiros.

Da Redação
divulgação
A Fabricante chinesa de trens CRRC Zhuzhou, apresentou no dia 2 de junho,o seu "veículo leve sobre pneus" (driveless) autônomo (ART) em Zhuzhou . O veículo elétrico articulado tem as mesmas dimensões de um VLT (bonde),mas trafega na via usando pneus de borracha e despensa trilhos,usando como guia apenas faixas pintadas no chão,.
Anunciado pelo seu fabricante como um trem sem trilhos,o veículo articulado bidirecional,possui três seções com 31,6 m de comprimento, 2 650 mm de largura, 3,4 m de altura, e capacidade para 300 passageiros.
O veículo é equipado com sensores que o orientam e podem mantê-lo na via em sua própria trajetória além de ajudá-lo também a executar manobras em caso de transtornos no tráfego.
A carga de energia armazenada a bordo do veículo permite que o mesmo percorra até 40 km,e a sua velocidade máxima é de 70 km / h.
O ART é destinado a pequenas e médias cidades,como uma alternativa mais barata aos transportes públicos ferroviários.Uma rota de demonstração de 6 km em Zhuzhou deve iniciar no próximo ano.
Com informações do Metro Report Internacional  06/06/2017

Vídeo divulgação


Prefeitura de Aracaju desiste do projeto de BRT

Mobilidade   🚌

O projeto foi iniciado na gestão do prefeito João Alves,Em 2016, a Prefeitura de Aracaju entregou os já conhecidos ônibus articulados, sem nenhuma tecnologia, sem ar-condicionado,confirmando a propaganda enganosa feita em 2013.

Jornal de Sergipe
foto - ilustração
A prefeitura de Aracaju desistiu do BRT (Bus Rapid Transit), projeto “iniciado” na gestão do então prefeito João Alves (DEM).
De acordo com a SMTT, o prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) concluiu que o BRT “não cabe” na capital. A prefeitura manterá os ônibus articulados e as faixas exclusivas. Serão multados os motoris
tas de veículos de passeio que transitar pelas faixas.
O Ministério Público de Sergipe, através da Promotoria de Justiça em Defesa do Patrimônio Público e do Grupo de Combate à Improbidade Administrativa (GCIA), ajuizou Ação Civil por ato de improbidade administrativa contra Carlos Alberto Pereira Batalha de Matos, então Secretário Municipal de Comunicação Social da Prefeitura de Aracaju na gestão de João Alves.
Na ação, o MP pede a condenação do secretário por ato de improbidade administrativa, a perda da função pública, suspensão dos direitos políticos, pagamento de multa civil, proibição de contratar com a administração pública e dela receber benefícios, incentivos ou subvenções, fiscais ou creditícias.
O MP constatou que a sinalização implantada pela SMTT –AJU não poderia ser considerada como implantação do BRT. Para que tal sistema de transporte seja implantado, há a necessidade da existência de vários outros requisitos primordiais e ainda não implantados, ou seja, o Sistema BRT ainda não é realidade em Aracaju.
Fonte - Jornal de Sergipe  06/06/2017

terça-feira, 6 de junho de 2017

Brasil dá sinais contraditórios em política ambiental

Meio ambiente   🌱

Nos dois últimos anos, aumentaram os níveis de desmatamento na Amazônia e vem diminuindo o número de concessão de licenças para áreas de proteção do ambiente.No Brasil, levantamento recente do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA) mostra que só no ano passado 8 mil quilômetros quadrados da Floresta Amazônica foram derrubados, um aumento de 29% sobre 2015 devido à expansão das plantações de soja, da abertura de pasto para pecuária e da extração de madeira.

Sputnik
Wilson dias/Agência Brasil/Fotos Públicas
Apesar de ter ratificado na segunda-feira (5/6) o compromisso do país com o Acordo de Paris sobre mudanças climáticas, o Brasil continua dando sinais contraditórios em política ambiental. Nos dois últimos anos, aumentaram os níveis de desmatamento na Amazônia e vem diminuindo o número de concessão de licenças para áreas de proteção do ambiente.
O documento foi ratificado em setembro do ano passado pelo presidente Michel Temer e a assinatura foi anunciada em uma cerimônia em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente, no Palácio do Planalto. Entre os compromissos assumidos pelo Brasil no acordo estão a redução de gases de efeito estufa em 37% abaixo dos níveis de 2005 até 2025 e aumentar a participação da bioenergia sustentável na matriz energética para cerca de 18% em 2030.
Em entrevista à Sputnik Brasil, David Zee, oceanógrafo, engenheiro ambiental e professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), diz que a retirada dos Estados Unidos do Acordo do Clima, apesar de criticada pela comunidade internacional, é um mau exemplo para os países, na medida em que pode enfraquecer os esforços nacionais para combater o aquecimento global. Em relação ao Brasil, ele prevê que o país terá dificuldade em cumprir as metas, que exigirão investimentos significativos, o que, hoje, é um grande desafio face à situação econômica do país.
"O que acontece hoje em dia é que ninguém quer pagar por serviços ambientais. Todo mundo quer ar puro, água limpa, e manda essa conta para a natureza, que já não aguenta mais com os 7,5 bilhões de pessoas no planeta, muito superior à capacidade da Terra sozinha fazer essa depuração", diz o especialista.
No Brasil, levantamento recente do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA) mostra que só no ano passado 8 mil quilômetros quadrados da Floresta Amazônica foram derrubados, um aumento de 29% sobre 2015 devido à expansão das plantações de soja, da abertura de pasto para pecuária e da extração de madeira. À exceção de Mato Grosso, houve aumento do desmatamento em todos os estados da região, em especial no Amazonas, onde a derrubada de florestas cresceu 54% de 2015 a 2016. Em 16 anos, o Brasil perdeu cerca de 190 mil km² de florestas, área equivalente a quatro vezes a do Estado do Rio de Janeiro. A boa notícia é que a Mata Atlântica, que corria o risco de extinção, está se recuperando. Nos últimos 16 anos, ela cresceu uma área equivalente a da Bélgica (30.500 km²), com maior proporção no Estado do Rio (18%), São Paulo (13%) e Paraná (11%).
Outro índice, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), mostra que o desmatamento no país, de agosto de 2015 a julho de 2016, foi de 7.989 km², 29% maior que o período anterior. A estimativa é de que essa destruição tenha liberado na atmosfera 586 milhões de toneladas de carbono equivalente, o mesmo que oito anos de emissões por todos os automóveis no Brasil. É a primeira vez em 12 anos que o desmatamento na maior floresta tropical do planeta apresenta aumento consecutivo.
Outro dado preocupante é a aprovação, no Congresso, de um novo Código Florestal, que anistiou aqueles que desmataram ilegalmente até 2008. Também no Congresso crescem as pressões da bancada ruralista para aprovação de um projeto autorizando a venda de terras para estrangeiros, o que já estaria estimulando a especulação fundiária, a grilagem e o aumento da violência no campo.
Para David Zee, tudo isso passa por uma falta de foco do Ministério das Relações Exteriores. Segundo ele, o Brasil, ao deixar a floresta em pé, está fazendo um benefício não só para o país, como também para o mundo, e isso tem um custo, por isso países como o Brasil e os da África deveriam ser recompensados com algum tipo de recurso por parte dos países ricos, que mais contribuem para o aquecimento global.
Zee dá como exemplo os países nórdicos, como a Noruega, o principal mantenedor estrangeiro do Fundo Amazônia, gerado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e que recentemente já advertiu o governo brasileiro que a doação de recursos pode ser suspensa se o governo não reverter o quadro de deterioração ambiental registrado no país nos últimos dois anos. Por fim, ele lembra que não basta manter a floresta em pé. É preciso criar viabilidade econômica para o seu manuseio.
"Não só o governo da Noruega pode fazer esse tipo de pressão, como o Brasil deve começar a desenvolver política internacionais onde faça o mundo ver que o Brasil também faz um grande esforço, mas para isso que tenha ajuda também", diz Zee, lembrando que das três últimas grandes conferências ambientais duas foram realizadas no país.
"Hoje, estamos olhando só para o nosso umbigo: a produção agrícola, que é necessária, mas também temos que ver o desenvolvimento de tecnologias de forma que seja mais eficiente a produção", diz o professor da UFRJ.
Fonte - Sputnik  06/06/2017

Entra em operação parque de geração de energia solar na Bahia

Sustentabilidade   🌅

O parque é composto por duas usinas, com capacidade instalada total de 158 megawatts. A operação do parque é da Enel Green Power, subsidiária brasileira do grupo italiano Enel.A operação do parque é da Enel Green Power, subsidiária brasileira do grupo italiano Enel.

Sabrina Craide  - Agência Brasil
foto - ilustração
O parque solar Lapa, considerado o maior parque solar fotovoltaico em operação no Brasil, entrou em operação hoje (5). Localizado em Bom Jesus da Lapa (BA), o parque é composto por duas usinas, com capacidade instalada total de 158 megawatts. A operação do parque é da Enel Green Power, subsidiária brasileira do grupo italiano Enel.
Lapa está localizada em uma área com altos níveis de radiação solar e, de acordo com a Enel, é capaz de gerar cerca de 340 gigawatts de energia por ano. A energia é suficiente para atender às necessidades anuais de consumo de energia de mais de 166 mil lares brasileiros, evitando a emissão de cerca de 198 mil toneladas de CO2 na atmosfera.
A Enel investiu cerca de US$ 175 milhões na construção do parque solar. O projeto foi concedido ao grupo em agosto de 2015 no leilão de reserva feito pela Agência Nacional de Energia Elétrica e o contrato de fornecimento é de 20 anos.
Fonte - Revista Amazônia  06/06/2017

Quinto VLT entra em circulação na CBTU João Pessoa nesta terça, 06

Transportes sobre trilhos  🚄

Ao final do programa, serão oito composições de trens modernos e mais confortáveis trafegando entre as estações de Cabedelo e Santa Rita. A primeira teste viagem do quinto VLT teve início na Estação Cabedelo, com saída às 09h46 com destino a Santa Rita.

CBTU
divulgação - CBTU
A quinta composição do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) da CBTU João Pessoa entrou em circulação na manhã desta terça-feira, 06. A entrega de mais um trem para a operação comercial faz parte do projeto de modernização da Companhia no Estado e objetiva oferecer transporte com mais qualidade e comodidade para os paraibanos. Ao final do programa, serão oito composições de trens modernos e mais confortáveis trafegando entre as estações de Cabedelo e Santa Rita. A primeira teste viagem do quinto VLT teve início na Estação Cabedelo, com saída às 09h46 com destino a Santa Rita.
A previsão é que no ano de 2018 todo esse processo esteja concluído. E com a modernização realizada na via e a construção de estações ilhas que possibilitará mais cruzamentos entre as composições, a estimativa da CBTU é reduzir o tempo de espera entre os trens dos atuais 60 minutos para 15 minutos em média. A Companhia também prevê um aumento no número de passageiros transportados diariamente.
Fonte - CBTU  06/06/2017

Veículos elétricos pautam evento em Volta Redonda

Tecnologia   🚗

Referência no setor, o encontro bienal contará com mesas redondas, apresentações de trabalhos técnicos e mostra de engenharia, que apresentará os últimos lançamentos em eletroeletrônica automotiva. Em paralelo à programação principal, o evento oferecerá palestras para estudantes de engenharia, com o objetivo de despertar o interesse pela área.

Portogente


Os veículos elétricos são tendência ou modismo no Brasil? A questão norteará as discussões do segundo dia do 6º Colloquium SAE Brasil de Eletroeletrônica Embarcada & Mostra de Engenharia, que receberá lideranças de montadoras, sistemistas, autopeças e universidades nos dias 22 e 23 de junho, no Hotel Escola Bela Vista, em Volta Redonda (RJ). As informações são da assessoria de imprensa do evento.
Referência no setor, o encontro bienal contará com mesas redondas, apresentações de trabalhos técnicos e mostra de engenharia, que apresentará os últimos lançamentos em eletroeletrônica automotiva. Em paralelo à programação principal, o evento oferecerá palestras para estudantes de engenharia, com o objetivo de despertar o interesse pela área.
“Em passado não muito distante, o Brasil comemorou a autossuficiência para a produção de combustíveis fósseis, no entanto existem outras formas de se obter energia para a alimentação dos motores, como a eletricidade, que é menos agressiva ao meio ambiente e pode apresentar custos atraentes em razão da matriz energética brasileira e da posição geográfica privilegiada. A intenção é discutir se a indústria automotiva nacional deve perseguir essa tecnologia”, adianta Ricardo Camargo, chairperson do encontro.
Fonte - Portogente   06/06/2017

Inflação para famílias com renda mais baixa avança e fecha maio em 0,67%

Economia   📈

A taxa é superior ao 0,11% de abril. O indicador também ficou acima do Índice de Preços ao Consumidor – Brasil (IPC-BR), que mede a inflação para todas as faixas de renda e que fechou em 0,52% em maio.Os dados foram divulgados hoje (6), no Rio de Janeiro, pela Fundação Getulio Vargas (FGV). O IPC-C1 acumula taxa de 3,47% em 12 meses.

Vitor Abdala
Repórter da Agência Brasil
Tânia Rêgo/Agência Brasil
Em todo o país, o Índice de Preços ao Consumidor - Classe 1 (IPC-C1), que mede a inflação para famílias com renda até 2,5 salários mínimos, registrou 0,67% em maio. A taxa é superior ao 0,11% de abril. O indicador também ficou acima do Índice de Preços ao Consumidor – Brasil (IPC-BR), que mede a inflação para todas as faixas de renda e que fechou em 0,52% em maio.
Os dados foram divulgados hoje (6), no Rio de Janeiro, pela Fundação Getulio Vargas (FGV). O IPC-C1 acumula taxa de 3,47% em 12 meses. A taxa acumulada é inferior ao anotado pelo IPC-BR, cujo variação em 12 meses chega a 4,05%.

Cinco itens puxam inflação
O avanço da taxa entre abril e maio foi puxado por cinco das oito classes de despesa avaliadas pela FGV: habitação (cuja taxa subiu -1% para 2,19%), vestuário (de -0,65% para 0,52%), transportes (de 0,12% para 0,31%), despesas diversas (de 0,02% para 0,26%) e educação, leitura e recreação (de -0,02% para 0,15%).
Por outro lado, três grupos tiveram queda na taxa: alimentação (de 0,71% para -0,29%), saúde e cuidados pessoais (de 1,27% para 0,81%) e comunicação (de 0,58% para 0,21%).
Fonte - Agência Brasil  06/06/2017

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Reunião pública do VLT do Suburbio nesta quinta em Salvador

VLT de Salvador  🚄

A sessão pretende reunir os interessados na licitação da concessão patrocinada do VLT do Subúrbio de Salvador. Ela será realizada, no São Salvador Hotéis e Convenções, 1º andar, sala Imperial, localizado na Rua José Peroba nº 244 - Stiep. A abertura está prevista para as 9 horas.

Da Redação
foto - divulgação
Uma nova reunião pública para apresentar o projeto de VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) será realizada nesta quinta-feira (8), em Salvador. A sessão será promovida pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Sedur).
A sessão pretende reunir os interessados na licitação da concessão patrocinada do VLT do Subúrbio de Salvador. Ela será realizada, no São Salvador Hotéis e Convenções, 1º andar, sala Imperial, localizado na Rua José Peroba nº 244 - Stiep. A abertura está prevista para as 9 horas.
O VLT, que vai substituir os trens do Subúrbio, terá 18,5 quilômetros de extensão e 21 estações. Estão previstas intervenções em duas fases: a primeira, entre o Comércio e Plataforma, tem 9,4 km; e a segunda, entre Plataforma e São Luiz, com 9 km.

Licitação
No último dia 8 de maio, o projeto do VLT foi apresentado em São Paulo. A sessão pública foi realizada na antiga BM&F Bovespa e Cetip. A apresentação foi considerada um sucesso pelos organizadores.
O edital de concessão 01/2017 para a implantação e operação do VLT está disponível na página da Sedur na internet . O edital também pode ser obtido em mídia eletrônica no Setor de Licitações da Sedur - 2º andar, das 9 às 17 horas.
A entrega das propostas está prevista para o dia 30 de junho de 2017. Elas deverão ser entregues na sede da BM&F Bovespa, localizada na rua XV de Novembro, nº 275, 1º andar, em São Paulo. O horário para entrega das propostas será das 12 às 14 horas. No mesmo dia, às 15 horas, será realizada a sessão pública de abertura das garantias e propostas.
Atualmente, a malha ferroviária que liga Paripe à Calçada é de 13,6 quilômetros. É importante ressaltar que o sistema de trens do subúrbio data da década de 70, portanto, com equipamentos antigos e que, eventualmente apresentam problemas técnicos.
Com informações da Sedur Ba.  05/06/2017

Belezas naturais da Bahia estão em exposição na Estação Pituaçu do Metrô de Salvador

Meio Ambiente    🚇

As belezas do Litoral Norte, da região da Chapada Diamantina, as exuberâncias do Parque Metropolitano de Pituaçu fazem parte de uma exposição com imagens do fotógrafo Rui Rezende que atraiu a atenção de passageiros e estudantes do Colégio Estadual Bolívar Santana, que visitaram o local.

Da Redação
foto -  Paula Fróes/GOVBA
Nesta segunda-feira (5), quando se comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente, quem passou pela Estação Pituaçu do Metrô de Salvador pôde conferir as riquezas naturais de treze unidades de conservação da Bahia. As belezas do Litoral Norte, da região da Chapada Diamantina, as exuberâncias do Parque Metropolitano de Pituaçu fazem parte de uma exposição com imagens do fotógrafo Rui Rezende que atraiu a atenção de passageiros e estudantes do Colégio Estadual Bolívar Santana, que visitaram o local.
Durante a abertura da exposição, outras ações foram realizadas na Estação Pituaçu, entre elas a entrega de mudas de plantas para passageiros e a doação de um exemplar do livro Unidades de Conservação da Bahia para a biblioteca do Bolívar Santana. Para a diretora da instituição estadual, Edilene Sena, é uma oportunidade de ampliar os conhecimentos dos alunos. “Muitos deles não conhecem as riquezas naturais do nosso estado e vão passar a poder ver isso de perto através das fotos. Isso agrega conhecimento”, ressalta.
A exposição Unidades de Conservação da Bahia é uma ação da Secretaria do Meio Ambiente, em parceria com o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) e a CCR Metrô Bahia, e vai ficar no sistema metroviário até o fim do mês. Toda a ação teve o objetivo de garantir um novo olhar sobre a preservação ambiental. “Na data em que é celebrado o Dia Mundial do Meio Ambiente, aproveitamos para tocar no assunto da conservação. É necessário na Bahia e no mundo, que as pessoas curtam a natureza e que aprendam a preservá-la. É uma missão vital para a sobrevivência de todo o planeta”, concluiu o secretário do Meio Ambiente do Estado, Geraldo Reis.
Com informações da Secom Ba. 05/06/2017   

Sedur faz estudo para licitar novas linhas de ônibus para integração com Metrô de Salvador

Mobilidade  🚌 <>  🚇

A decisão de licitar novas linhas é fruto do não cumprimento de obrigações contraídas pela Prefeitura de Salvador junto ao Governo do Estado, através do Convênio de Cooperação Infrafederativo nº 01/2012, do Contrato de Programa e do Termo de Cessão de Uso dos Terminais.

Da Redação
foto - ilustração
A Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur) já iniciou estudo técnico para licitar novas linhas de ônibus que atendam o sistema de integração do metrô, em Salvador. O objetivo é permitir a finalização das viagens metropolitanas, obedecendo à integração do sistema pactuada entre o Governo do Estado e a Prefeitura de Salvador.
A decisão de licitar novas linhas é fruto do não cumprimento de obrigações contraídas pela Prefeitura de Salvador junto ao Governo do Estado, através do Convênio de Cooperação Infrafederativo nº 01/2012, do Contrato de Programa e do Termo de Cessão de Uso dos Terminais.
A Prefeitura de Salvador deveria ter promovido a integração de todas as linhas do sistema de transporte municipal com o metrô, permitindo o acesso de qualquer passageiro, sem a segregação da origem e sem a cobrança da segunda etapa da integração.
O estudo que está sendo elaborado pela Sedur prevê a licitação de um novo sistema de integração com metrô, a partir de novas linhas alimentadoras. O estudo deverá ser submetido, em breve, ao secretário Fernando Torres para análise.
Com informações da Sedur Ba.  05/06/2017

Ferry-Boat com movimento tranquilo nesta segunda (05)

Travessia marítima   🚢

Com movimento tranquilo para veículos e passageiros nos dois terminais,o sistema Ferry-Boat opera nesta segunda (05) com 4 embarcações em trânsito e duas de reserva

Da Redação
foto - ilustração/arquivo
De acordo com a ITS operadora e administradora do sistema Ferry-Boat, o movimento na travessia entre Salvador e a ilha de Itaparica manhã de segunda-feira (05), esteve tranquilo para embarque de veículos e passageiros.Estão em operação as embarcações, Ivete Sangalo, Agenor Gordilho, Pinheiro e Zumbi dos Palmares,com saídas nos horários regulares com intervalos de hora em hora. As embarcações Anna Nery e Juracy Magalhães Jr. estão em stand by, podendo integrar a operação, caso ocorram alterações na demanda.
O serviço de Hora Marcada também funciona normalmente e para utilisa-lo os usuários deverão acessar o site da ITS - portalsits.internacionaltravessias. - para verificar a disponibilidade de vagas para embarque e a compra das passagens,que podem ser adquiridas através de cartões de débito ou crédito.
Contatos - Tel 071 3032-0475 e  pelo cac@internacionaltravessias.com.br.
Com informações da ITS  05/06/2017

Estratégias sustentáveis reduzem consumo de energia e água nas estações do Metrô de Salvador

Sustentabilidade   🚇

Pensando em transporte público, o Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas se destaca por ser um meio de transporte menos poluente, pois utiliza energia elétrica em sua maioria oriunda de hidrelétrica, limpa e renovável.E não somente o transporte sobre trilhos contribui para o meio ambiente, mas as estações também foram planejadas pela CCR Metrô Bahia dentro dos princípios da sustentabilidade ambiental.

Da Redação
divulgação/CCR
Neste Dia do Meio Ambiente (5/6) é natural que as pessoas reflitam sobre como ter uma vida mais sustentável. Pensando em transporte público, o Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas se destaca por ser um meio de transporte menos poluente, pois utiliza energia elétrica em sua maioria oriunda de hidrelétrica, limpa e renovável. E não somente o transporte sobre trilhos contribui para o meio ambiente, mas as estações também foram planejadas pela CCR Metrô Bahia dentro dos princípios da sustentabilidade ambiental.
As luminárias das plataformas, mezaninos e acessos que possuem iluminação natural permanecem desligadas parcial ou totalmente durante o dia, respeitando os níveis estabelecidos pelas normas vigentes. A luz natural possibilita uma economia de até 50% no consumo total de energia. Quando escurece, e também em algumas estações subterrâneas, lâmpadas de LED garantem a iluminação plena com redução do consumo, representando em média, 50% de economia de eletricidade.
As escadas rolantes funcionam constantemente, mas possuem um temporizador que reduz sua velocidade na ausência de usuários, contribuindo para a economia de energia, só retornando à velocidade normal quando alguém passa por um sensor. Essa medida representa cerca de 40% de redução no consumo de energia.
As estações também armazenam água das chuvas, que são utilizadas para a limpeza de bacias sanitárias dos banheiros, ação que representa, em média, 65% da demanda diária de água nas estações. Mesmo a água utilizada na limpeza dos trens, no Complexo Integrado de Operação e Manutenção Pirajá, é até 85% de reuso.
O gerenciamento de resíduos é outro destaque da CCR Metrô Bahia. Todas as instalações da empresa possuem lixeiras adequadas para o descarte seletivo do lixo. Resíduos recicláveis (papel/papelão e plástico) coletados internamente são segregados e doados para cooperativas de reciclagem. Em 2016, 4,8 toneladas de material foram encaminhadas para a Cooperativa de Coleta Seletiva Processamento de Plástico e Proteção Ambiental – CAMAPET. Madeiras são doadas para reaproveitamento pela indústria de cerâmica, como fonte de energia nas fornalhas.

Metrô sustentável
O metrô é um importante vetor da ampliação da mobilidade urbana de Salvador, trazendo com ele a melhoria da qualidade ambiental, contribuindo para a redução do número de automóveis e ônibus nas ruas e para a melhoria da qualidade de vida dos soteropolitanos. Cada trem do metrô é capaz de transportar 1.000 passageiros por viagem – o que equivale, por exemplo, a mil automóveis ou cerca de 25 ônibus a menos nas ruas de Salvador.
O metrô é um modal de transporte de cunho social, pois desloca milhares de pessoas durante o dia, e ambiental, por seus princípios da sustentabilidade: movido a energia elétrica limpa e renovável, com baixa emissão de CO2. O metrô de Salvador já transportou mais de 34 milhões de pessoas desde junho de 2014 e tem previsão de conclusão total até o fim de 2017.
As Linhas 1 e 2 funcionam das 5h à meia-noite, inclusive em feriados e nos finais de semana, com cobrança de tarifa – R$ 3,60. No metrô, o usuário pode utilizar o cartão da CCR Metrô Bahia, o SalvadorCARD e o Metropasse.
Com informações da CCR Metrô Bahia  05/06/2017

Déficit nacional de infraestrutura de metrô chega a 1200 quilômetros

Transportes sobre trilhos  🚇

De acordo com o Plano CNT de Transporte e Logística, o Brasil possui um déficit de infraestrutura metroferroviária de pelo menos 1.200 km. Para solucionar esse entrave e modernizar a mobilidade urbana nas principais cidades brasileiras, a CNT estimou a necessidade de R$ 167,1 bilhões.

Valor Econômico - RF
foto - Ilustração/CCR Metrô Bahia
Com pouco mais de 300 km de trilhos em sete capitais (São Paulo, Recife, Rio de Janeiro, Brasília, Salvador, Belo Horizonte e Fortaleza), a rede de metrô no Brasil tem extensão menor que a de Xangai, construída em menos de duas décadas e que já soma quase 600 km. De acordo com o Plano CNT de Transporte e Logística, o Brasil possui um déficit de infraestrutura metroferroviária de pelo menos 1.200 km. Para solucionar esse entrave e modernizar a mobilidade urbana nas principais cidades brasileiras, a CNT estimou a necessidade de R$ 167,1 bilhões.
O volume de recursos pode ser ainda maior. Segundo estudo do BNDES, são necessários R$ 235 bilhões em linhas de metrô, corredores expressos de ônibus e Veículos Leves sobre Trilhos (VLT), para minimizar o congestionamento nas cidades brasileiras. O maior gargalo está em São Paulo, cuja demanda chegaria a R$ 84 bilhões, pouco mais de um terço do total. De acordo com o relatório do BNDES, haveria um déficit de 235 km em linhas de metrô no Brasil, demandando R$ 141 bilhões em investimentos, e 365 km de VLT, com demanda de R$ 25,5 bilhões e outros R$ 29 bilhões para suprir os 146 km de déficit em trens leves.
O estudo do BNDES ainda aponta que os maiores gargalos estão em São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. As três capitais, ao lado de Fortaleza e Porto Alegre, concentram 77% da demanda dos R$ 235 bilhões necessários para a expansão. A maior parte dos recursos deveria se destinar aos modais metroferroviários: R$ 210 bilhões para a construção de 834 km de metrôs, trens, monotrilhos e VLTs.
O sistema precisa ter mais novas opções. Os ônibus realizam mais de 80% das viagens por transporte público no país e transportam 70% dos brasileiros. O metrô, que tem sido a alternativa adotada pelas grandes metrópoles no mundo, é uma solução cara e pode ser lenta, mas seria eficiente para as grandes cidades brasileiras, por ser um meio rápido, seguro e de alta capacidade de transportar pessoas, observa Paulo Resende, da Fundação Dom Cabral. O custo de implementação de um quilômetro de metrô com a construção da estação estaria em R$ 500 milhões, podendo exceder esse valor, dependendo do volume de desapropriações a ser feito e da complexidade das intervenções subterrâneas.
Resende aponta que estudos realizados em Belo Horizonte mostram que a rede de linhas subterrâneas da cidade deveria ter 150 km de extensão para atender à demanda. Hoje a capital mineira possui menos de 30 km em operação. Para chegar à extensão necessária, seria preciso investir R$ 150 bilhões. "Não será o Orçamento da União ou orçamentos de Estados que farão o milagre. Será preciso adotar soluções diferenciadas, como a atração de investidores estrangeiros que possam operar as linhas", defende.
A solução não depende apenas do metrô, mas de viabilizar outros meios, como os monotrilhos, os Veículos Leves sobre Trilhos (VLTs), trens urbanos, bondes elétricos, cada qual com custos e capacidades de transporte diferentes.
Cabe ressaltar que a emissão de poluentes desses sistemas é mais baixa do que o transporte individual ou coletivo sobre rodas. Os metrôs são considerados sistemas de alta capacidade, podendo levar de 40.000 a 80.000 passageiros por sentido por hora. Os monotrilhos transportam até 48.000 passageiros por sentido por hora.
Fonte - Revista Ferroviária  05/06/2017