sábado, 3 de junho de 2017

Carro voador com apoio da Toyota faz demonstração de voo

Tecnologia  🚗

Criado pela startup “Cartivator”, o modelo foi criado com a intenção de acender a chama olímpica durante a cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020. Por enquanto, porém, o protótipo foi capaz de decolar e de se manter no ar durante alguns segundos.

Revista Amazônia
imagem - YouYube
Apoiado pela Toyota, o grupo de engenheiros responsável pelo SkyDrive, um protótipo de carro voador, fez uma demonstração do veículo na manhã deste sábado.
Criado pela startup “Cartivator”, o modelo foi criado com a intenção de acender a chama olímpica durante a cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020. Por enquanto, porém, o protótipo foi capaz de decolar e de se manter no ar durante alguns segundos.
Segundo o presidente da startup, Tsubasa Nakamura, o design necessita ainda de mais estabilidade para que o protótipo consiga se manter no ar durante o tempo necessário e na altura correta para acender a chama. Mesmo assim, Nakamura assegurou que o carro está ainda em estágio inicial de desenvolvimento.
A previsão do grupo é realizar o primeiro voo tripulado no final de 2018.
Fonte - Revista Amazônia  03/06/2017


Veja o Vídeo

Governo da Bahia entrega estrada recuperada no baixo sul entre Nilo Peçanha e Cairú

Infraestrutura  🚗

O trecho de curvas perigosas que cortam manguezais e remanescentes de Mata Atlântica foi completamente recuperado, com investimentos de R$ 8,5 milhões, e entregue pelo governador Rui Costa, na manhã deste sábado (3).

Da Redação
foto - Pereira/GOVBA
O turismo no baixo sul, o escoamento da produção, especialmente da pesca e da piaçava, e a locomoção entre os municípios está muito mais fácil pela BA-884, nos 21 quilômetros que ligam Cairú a Nilo Peçanha. O trecho de curvas perigosas que cortam manguezais e remanescentes de Mata Atlântica foi completamente recuperado, com investimentos de R$ 8,5 milhões, e entregue pelo governador Rui Costa, na manhã deste sábado (3). Participaram da solenidade o senador Otto Alencar, o prefeito de Cairu, Fernando Brito, e outras autoridades, entre prefeitos da região e deputados.
O governador destacou que, com a crise financeira, a arrecadação do Estado cai, e também a dos municípios. “O Estado deixou de receber R$ 1,8 bilhão nesses últimos dois anos. Essa estrada custou 8,5 milhões. Imaginem quantas estradas daria para fazer. Mas a gente vai organizando as finanças, estabelecendo prioridades e, por isso, eu trago hoje essa obra, que proporciona conforto e qualidade de vida para o povo. Semana que vem estaremos em Banzaê, inaugurando mais estradas”.
O trecho beneficia uma população de 117 mil pessoas e dá acesso ao terceiro polo turístico da Bahia, com localidades como Morro de São Paulo e Boipeba. André Magalhães é comerciante em Cairú e falou das facilidades que a estrada trouxe para quem mantém negócios no município. “Antigamente, as empresas de grande porte se negavam a fazer entregas aqui por causa das estradas da região. Hoje a gente escolhe a empresa que quer comprar. Acabou aquela dificuldade. Temos empresas e mais empresas entrando aqui, coisa que não tinha há dois anos’.
O superintendente de Infraestrutura e Transportes da Bahia, Saulo Pontes, informou que a obra faz parte de um programa para, que até o final do governo, todos os 417 municípios baianos estejam interligados à malha rodoviária do estado por rodovias pavimentadas. “Hoje, completamos exatos 680 quilômetros de rodovias restauradas e construídas nos últimos dois anos. Somados aos 441 em andamento e em torno de 400 quilômetros em licitação, alcançamos a casa dos 1.500 quilômetros. Isso é um feito importante neste momento em que o País passar por uma grande crise financeira”.

foto - Pereira/GOVBA
São João
Rui orientou o prefeito Fernando a procurar a Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) e a Companhia de Engenharia Hídrica e Saneamento (Cerb) para resolver os problemas de abastecimento em várias localidades de Cairu. “Aqui, beleza sobra, mas é preciso reforçar a infraestrutura de abastecimento e solucionar o esgotamento sanitário. Também é necessário melhorar o atracamento para facilitar o tráfego entre as ilhas. O desafio é grande, mas na parceria com os prefeitos, nós vamos melhorar a infraestrutura do baixo sul, que eu considero o lugar mais bonito do Brasil, gerando emprego e renda e reforçando a economia da região”.
Rui Costa disse ainda que o Governo do Estado vai ajudar também a financiar o São João de Cairu este ano. “O São João é um elemento cultural que movimenta a economia das cidades. Se estamos atravessando uma crise econômica, não fazer o São João é aumentar a crise. Com a festa, as pessoas vêm fazer turismo, alugam casas, vão aos restaurantes, aos bares, movimentam a economia. O São João é uma atividade turística e econômica importante”.
Com informações da Secom Ba. 03/06/2017

sexta-feira, 2 de junho de 2017

A recessão continua

Economia  📉

O PIB cresceu 1% no primeiro trimestre do ano em relação ao trimestre anterior, mas apresentou queda de 0,4% em relação primeiro trimestre de 2016. Que PIB é esse? A recuperação que ocorrera em relação ao trimestre anterior não está relacionada com a dinamização da economia doméstica. O consumo das famílias e os investimentos seguem a trajetória contracionista apontada no gráfico.

João Sicsú - Portogente
foto - ilustração
A economia não está se recuperando. O Brasil está mergulhado em uma depressão que foi de 8,4% de perda de PIB entre o 4º trimestre de 2014 e o mesmo trimestre de 2016.
O PIB cresceu 1% no primeiro trimestre do ano em relação ao trimestre anterior, mas apresentou queda de 0,4% em relação primeiro trimestre de 2016. A agropecuária teve desempenho extraordinário, crescendo 13,4%. As exportações cresceram 4,8%. Transportes e armazenagem cresceram 2,8%. Tais números indicam que o PIB cresceu voltado para fora. Os investimentos e o consumo das famílias sofreram contração no trimestre, respectivamente 3,7% e 1,9%.
Que PIB é esse? A recuperação que ocorrera em relação ao trimestre anterior não está relacionada com a dinamização da economia doméstica. O consumo das famílias e os investimentos seguem a trajetória contracionista apontada no gráfico.
Desde quando a economia entrou em crise, ou seja, no último trimestre de 2014, até o primeiro trimestre de 2017, o consumo das famílias já contraiu aproximadamente 10%. No mesmo período, os investimentos retraíram 24%. Pelo oitavo trimestre consecutivo, todos os componentes da demanda interna apresentaram resultado negativo na comparação com igual trimestre do ano anterior.
O que representa o resultado do trimestre? Sabemos que o que acontece em um trimestre, ainda mais se não ocorreram mudanças extraordinárias no nível de investimentos, pouco significa. Mas se os investimentos ou o consumo das famílias tivessem crescido com taxas elevadas, haveria mais empregos e mais consumo no futuro próximo.
Portanto, o resultado de um PIB que cresceu para fora não apontou para o futuro uma trajetória consistente de recuperação. O crescimento na margem do PIB do primeiro trimestre, por enquanto, parece como o primeiro voo de galinha que, após queda profunda, continuará se debatendo dentro do poço. Suspiros acontecem e são naturais em economias deprimidas.
A economia não está se recuperando. O Brasil está mergulhado em uma depressão. A nossa depressão foi de 8,4% de perda de PIB entre o quarto trimestre de 2014 e o mesmo trimestre de 2016. A economia somente estará em recuperação se apresentar trajetória consistente de saída do poço que mergulhou e somente estará recuperada quando atingir um PIB equivalente ao do quarto trimestre de 2014.
O PIB do primeiro trimestre de 2017 é ainda 93% do PIB que finalizamos 2014. Daqui para frente, provavelmente, a economia dará saltos sem significância, alternados com maus resultados, tal como uma galinha que caiu no poço, dando saltos e quedas.
Aproveitamento político. O suspiro que a economia está dando não tem nada a ver com a atuação do governo. Aliás, esse suspiro aconteceu apesar da paralisia do governo, tanto é que é um PIB que dependeu de demanda externa.O governo atribui uma suposta recuperação ao movimento bem-sucedido para aprovação das reformas trabalhista e previdenciária.
Que fique claro: o crescimento econômico jamais será impulsionado por movimentos pré-reformas previdenciárias ou trabalhistas. Tais reformas não estimulam nem o investimento e muito menos o consumo. Muito pelo contrário, podem estimular a poupança já que geram muita insegurança, principalmente para os trabalhadores.
*João Sicsú é professor do Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro, foi diretor de Políticas e Estudos Macroeconômicos do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).
Fonte - Portogente  02/06/2017

Prazo de 24 meses para finalizar o VLT é maior que o necessário, apontam MPs

Transportes sobre trilhos  🚄

O prazo de 24 meses apresentado na Minuta é maior que aquele apontado como necessário na auditoria da KPMG – 19 meses -, e que tal ‘composição de prazo apresenta R$ 122.704.061,07’ em acréscimos de valores ao total a ser englobado na proposta apresentada para acordo”, aponta o documento divulgado pelos MPs. 

Olhar Direto
foto - ilustração
Em sua manifestação contrária ao acordo entre o Governo do Estado e o Consórcio VLT, os Ministérios Públicos Estadual e Federal apontaram que o prazo apresentado de 24 meses para finalizar a obra do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) é maior que o necessário. Isso porque a própria auditoria da KPMG, contratada pelo Executivo para realizar uma auditoria, fala em um prazo de 19 meses.
“O prazo de 24 meses apresentado na Minuta é maior que aquele apontado como necessário na auditoria da KPMG – 19 meses -, e que tal ‘composição de prazo apresenta R$ 122.704.061,07’ em acréscimos de valores ao total a ser englobado na proposta apresentada para acordo”, aponta o documento divulgado pelos MPs.
Os Ministérios Públicos ainda apontam que o prazo de 24 meses é o original, para a conclusão total da obra, “não sendo razoável, nem mesmo para o leigo, que a retomada de uma obra, na qual já foram despendidos/pagos cerca de 70% do valor total do contrato ou mais de 2/3 desse valor, contemple a finalização dos menos de 30% restantes no mesmo prazo”.
Os órgãos ainda apontam que mais de 70% da obra já teria sido efetivamente executado, “não se mostrando justificável que o restante da execução do instrumento contratual necessite do mesmo tempo originalmente fixado no contrato administrativo para a sua execução total”.
O Estado acordou em pagar R$ 922 milhões para a conclusão integral da implantação do modal. A previsão é de as obras sejam concluídas em 24 meses.
No acordo firmado entre o Governo e Consórcio, a primeira etapa da obra será finalizada em março de 2018 e compreende o trecho entre o aeroporto de Várzea Grande até a estação do Porto, em Cuiabá.
Até dezembro de 2018 deverá entrar em funcionado todo o trecho da linha 1, num total de 15 quilômetros, entre o aeroporto de Várzea Grande e o Terminal do Comando Geral, na Capital. Já a linha 2, que compreende o trecho de 7,2 km entre a avenida Tenente Coronel Duarte (Prainha) e o Parque Ohara, no Coxipó, será entregue até maio de 2019.
Fonte - Olhar Direto 02/06/2017

Acordo sobre o clima - Estados e cidades americanas decidem boicotar decisão de Trump

Internacional  🌁

Na carta assinada e publicada na internet, os Estados reafirmam o compromisso com o acordo do clima e lembram que representam 38% do Produto Interno Bruto (PIB) americano.“Nós escrevemos como governadores de 12 estados que abrigam 107 milhões de americanos e compõem cerca de 38% do PIB do país para manter os Estados Unidos no Acordo do Clima Paris”, diz o texto.

Leandra Felipe
Correspondente da Agência Brasil
foto - ilustração
Um grupo de 12 governadores assinou um manifesto de boicote à saída do acordo sobre o clima. Também milhares de manifestantes foram as ruas de Nova York e Washington, bem como ativistas à Casa Branca em protestos contra a decisão do presidente Donald Trump de retirar os Estados Unidos do acordo de Paris – sobre os compromissos para diminuir a emissão de gases de efeito estufa.
Governadores dos estados da Califórnia, do Colorado, do Connecticut, de Delaware, do Hawaii, de Minnesota, New York, Oregon, da Pensilvânia, de Rhode Island, da Virginia e de Washington assinaram o manifesto.
Algumas prefeituras, como a de Atlanta, por exemplo, também manifestaram-se a favor do acordo. Estados e cidades querem negociar diretamente com as Nações Unidas para se manterem de forma independente no Acordo de Paris.
Na carta assinada e publicada na internet, os Estados reafirmam o compromisso com o acordo do clima e lembram que representam 38% do Produto Interno Bruto (PIB) americano.
“Nós escrevemos como governadores de 12 estados que abrigam 107 milhões de americanos e compõem cerca de 38% do PIB do país para manter os Estados Unidos no Acordo do Clima Paris”, diz o texto.
Na carta, os estados relatam que vem conseguindo reduzir as emissões de gases de efeito estufa, e dizem estar convencidos de que o objetivo dos Estados Unidos de reduzir entre 26% e 28% dos níveis de emissão de 2005 é “perfeitamente viável”.
O texto contesta os argumentos econômicos usados por Donald Trump. No Twitter houve reações de ex- vice presidentes como Al Gore e Joe Biden. Para defender sua posição, Donald Trump twittou que foi eleito para representar os interesses dos cidadãos de Pittsburgh, e não de Paris. O prefeito da cidade, Bil Peduto, escreveu “que a cidade vai seguir as orientações do Acordo de Paris, porque em Pittsburgh quem ganhou a eleição foi Hillary Clinton que teve 80% dos votos na campanha presidencial”.
O ex-presidente Barack Obama que tem evitado comentar as decisões políticas de Trump, divulgou um comunicado e disse estar confiante que os estados, cidades e empresas vão se unir para proteger as gerações futuras e o planeta. Algumas empresas, estados e prefeituras, como aqui em Atlanta, por exemplo, estão se mobilizando para manter o compromisso de produzir energia limpa e continuar no acordo de Paris, em um movimento contrário ao caminho do isolamento escolhido por Trump.
Fonte - Agência Brasil  02/06/2017

Carro elétrico será destaque na 12ª Eletrolar Show

Tecnologia   🚗

A Eletrolar Show reunirá, de 17 a 20 de julho, no Transamerica Expo Center, em São Paulo, 10 mil produtos de 700 marcas, que serão vistos por 29 mil executivos de compras do grande, médio e pequeno varejo, que respondem por 30 mil pontos de venda em todo o Brasil. 

Portogente
foto - ilustração
Enquanto os sete países mais ricos do mundo tentam firmar acordo para diminuir a emissão de gases causadores do efeito estufa, a indústria aumenta a exploração no mercado de produtos de uso de energia limpa. Uma evidência disso é o segmento automotivo de veículos elétricos ganhando destaque nas feiras globais de tecnologia.
A Elektra Motors, que desde o final do ano passado comercializa os veículos da marca Tesla no Brasil, confirmou participação na 12ª Eletrolar Show, um evento de negócios dirigido à indústria e varejo de eletrodomésticos e eletroeletrônicos no Brasil.. Em seu estande, a loja de luxo apresentará um modelo do portfólio da companhia americana especializada em automóveis movidos por tração elétrica.
A Eletrolar Show reunirá, de 17 a 20 de julho, no Transamerica Expo Center, em São Paulo, 10 mil produtos de 700 marcas, que serão vistos por 29 mil executivos de compras do grande, médio e pequeno varejo, que respondem por 30 mil pontos de venda em todo o Brasil. O evento terá, também, a participação de 800 compradores de grandes redes do Brasil que não têm sede em São Paulo, e 200 da América do Sul, que virão da Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Paraguai, Peru e Venezuela para a feira, com o patrocínio do Grupo Eletrolar.
Fonte - Portogente  02/06/2017

quinta-feira, 1 de junho de 2017

Renfe encomenda mais 15 trens extras da Talgo

Transportes sobre trilhos   🚅

Os trens terão equipamentos para mudança de bitola permitindo que eles operem em linhas de bitolas de 1 668 mm, e  de 1 435 mm. Eles também serão equipados com três sistemas de eletrificação diferentes  para operações internacionais e vários sistemas diferentes de sinalização e controle.

Da Redação
foto - ilustração/Twitter.com (Talgo)
O operador nacional espanhol de trens Renfe, acaba de aprovar no dia 31/05 a compra de mais 15 trens adicionais de alta velocidade da Talgo Avril.
A compra  é uma opção a partir de um contrato inicial de € 786 milhões para fornecimento e manutenção de 15 trens,que foi concedido ao final de 2016 .O valor total da opção é de €495 m, sendo €242.7 m para compra dos trens e €252.3 m por um período de 30 anos de manutenção.
Os trens terão equipamentos para mudança de bitola permitindo que eles operem em linhas de bitolas de 1 668 mm,e  de 1 435 mm.Eles também serão equipados com três sistemas de eletrificação diferentes para operações internacionais e vários sistemas de sinalização e controle.
A manutenção do material rodante será realizada durante 30 anos por uma "joint venture" da Renfe com a Talgo,porem a Renfe poderá realizar a manutenção pesada de maneira independente.Os trens terão cobertura de cinco anos de garantia pelo fabricante.
De acordo com o cronograma de entrega traçado,as novas composições deverão entrar em operação até o final do 1º simestre de 2020
Pregopontocom  01/06/2017

Avançam as obras da Ponte do Pontal em Ilheus,a primeira estaiada da Bahia

Infraestrutura   🚧

A intervenção está sendo executada pelo Governo da Bahia, com investimentos de R$ 99,6 milhões, e vai estimular o desenvolvimento para a população de sete municípios cortados pela BA 001.A primeira ponte estaiada da Bahia desafogará a velha Ponte Lomanto Júnior – a única que liga desde 1966 o continente à ilha de São Jorge dos Ilhéus.

Da Redação
foto - divulgação
Nove meses depois de iniciada, a nova ponte que irá ligar a zona sul ao centro de Ilhéus, na região sul do estado, já tem 13% de sua engenharia executada, 200 trabalhadores em atividade e previsão de entrega de uma das obras mais esperadas pela população do município no prazo de 15 meses. A intervenção está sendo executada pelo Governo da Bahia, com investimentos de R$ 99,6 milhões, e vai estimular o desenvolvimento para a população de sete municípios cortados pela BA 001.
A primeira ponte estaiada da Bahia desafogará a velha Ponte Lomanto Júnior – a única que liga desde 1966 o continente à ilha de São Jorge dos Ilhéus. O equipamento terá 533 metros de comprimento e 24,6 metros de largura e contará com passeio, canteiro central, pistas duplas nos dois sentidos e uma ciclovia. O conjunto da obra inclui 2,2 quilômetros.
Para o superintendente de Infraestrutura de Transportes do Governo da Bahia, Saulo Pontes, quando concluída, a nova ponte estaiada facilitará a ligação entre as orlas norte e sul, complementando a beleza da Baía do Pontal e melhorando a mobilidade urbana de ilhéus. "Um dos cartões postais de Ilhéus está prestes a ganhar mais ingredientes de beleza. O sul da Bahia, mais mobilidade. E novos caminhos estarão abertos pelo governo estadual para a pavimentação do novo e importante momento do desenvolvimento regional".

Ponte Ilhéus
A nova ponte terá uma formatação mais moderna, valorizando ainda mais as belezas da Baía do Pontal, e beneficiará mais de 510 mil habitantes dos municípios de Ilhéus, Itabuna, Una, Canavieiras, Buerarema, Itacaré e Uruçuca, além de favorecer o turismo na região. Além disso, prepara o sul da Bahia para receber novos investimentos privados e públicos que incluem a Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol) e o Porto Sul, também atraídos pelo Governo da Bahia, dando outro ritmo à economia regional.
Segundo o engenheiro Suzano Mendes, gerente de contrato da obra, a ponte terá estrutura mista. Serão 298 metros de trecho estaiado, com estrutura sustentada por cabos. Os 235 metros restantes serão formados por conjunto armado. "Já passamos pela fase de engenharia que ninguém vê a obra".
Agora, a construtora trabalha para levantar um dos símbolos da nova ponte - a fundação do mastro principal, que terá 20 fundações em estacas encravadas com diâmetro de dois metros, a 31 metros de profundidade. A operação deve durar 90 dias. Em seguida, será a vez da montagem do ‘Balanço Sucessivo’, um diferencial da obra, por ser um método de construção da superestrutura (parte superior) da ponte, sem necessitar de apoio externo (uso de estacas) para dar continuidade da expansão da ponte. O prazo é de mais 10 meses.
A engenharia singular da obra aguça a curiosidade até de estudantes de Engenharia da região. Toda sexta-feira à tarde, os engenheiros destinam parte do tempo às visitações dos alunos das faculdades regionais.

Oportunidades
Com 63 anos, o carpinteiro Albérico de Souza Novaes estava desempregado desde 2016. A idade avançada que, para ele, já se tornara um problema para recomeçar na profissão, se agravava pelo fato de quase não saber ler nem escrever. Hoje, além de funcionário da obra, ele se prepara para ser um aluno da Escola da OAS. Nos próximos meses, a empresa vai formar salas de aula para alfabetizar seus funcionários que tiveram, quando jovens, poucas oportunidades na escola.
Secretário de Planejamento e Desenvolvimento Sustentável e vice-prefeito de Ilhéus, o historiador José Nazal destaca que o Governo do Estado fez um grande acerto ao escolher a Baía do Pontal para a implantação da obra. "Torcemos para que este ritmo da obra continue intenso, para que, em breve, possamos inaugurar aquilo que foi pensado e sonhado pelos ilheenses há mais de 50 anos". O prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre Sousa, explica que, quando estiver concluída, a velha ponte e a nova vão funcionar nos dois sentidos. Elas devem vão dividir um fluxo diário de 8.500 veículos, no período de baixa estação, trafegando entre o centro e a zona sul.
Com informações da Seinfra Ba.  01/06/2017  

Sistema Ferroviário do Subúrbio de Salvador tem manutenção cotidiana

Transportes sobre trilhos  🚃

O Sistema Ferroviário do Subúrbio é muito antigo. Todos os trens possuem fabricação superior a 50 anos, e as peças de reposição não são mais encontradas no mercado, tornando ainda mais difícil o processo de manutenção dos trens.Uma nova solução para a mobilidade na região do Subúrbio,será a implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) em substituição aos antigos trens atualmente em operação, ampliando a oferta de viagens inclusive para as novas estações do Comércio e da avenida São Luiz.

Da Redação
foto - ilustração/Pregopontocom
A Companhia de Transportes da Bahia (CTB) realiza, cotidianamente, a manutenção do Sistema Ferroviário do Subúrbio de Salvador. Mas as chuvas dos últimos dias tem dificultado a ação dos operadores.
O Sistema Ferroviário do Subúrbio é muito antigo. Todos os trens possuem fabricação superior a 50 anos, e as peças de reposição não são mais encontradas no mercado, tornando ainda mais difícil o processo de manutenção dos trens.
Após a transferência do sistema, do município de Salvador para o Estado, em maio de 2013, foram realizados estudos e planejamentos, propondo uma nova solução para a mobilidade na região do Subúrbio, com a implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) em substituição ao Trem do Subúrbio e ampliando a oferta para o Comércio e avenida São Luiz.
Neste novo cenário, os antigos trens serão desativados para dar lugar ao moderno VLT, em condições de atender com segurança, qualidade e rapidez às necessidades de mobilidade na região.
O aviso de licitação para implantação e operação do VLT já foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE). O edital de Concessão nº 01/2017 define o dia 30 de junho como prazo final para as empresas entregarem as propostas.

VLT

O VLT terá cerca de 19 quilômetros de extensão e 21 paradas. Estão previstas intervenções em duas fases. A primeira, entre o Comércio e Plataforma, tem 9,4 quilômetros. A segunda, entre Plataforma e São Luiz, com 9 quilômetros. Atualmente, a malha ferroviária que liga Paripe à Calçada é de 13,6 quilômetros.
O sistema atual opera com trens de 40 em 40 minutos e, futuramente, com o VLT, a disponibilidade será de 10 em 10 minutos. Em horário de pico, ele vai operar até com intervalos menores. O tempo de viagem também vai mudar. Hoje, da Calçada até Paripe, leva-se 35 minutos. Com a substituição, este mesmo tempo será utilizado para fazer uma viagem mais longa, entre o Comércio e a região de São Luiz. Ou seja, será ampliada a velocidade e as possibilidades para a população.
Além da modernidade, segurança, rapidez e conforto, o VLT possibilitará requalificação urbana para toda a região do Subúrbio, Calçada e Comércio.
Com informações da Sedur  01/06/2017

São Vicente (SP) começa a definir tarifa integrada de lotação e VLT

Transportes sobre trilhos  🚄

A primeira reunião sobre o futuro formato do transporte vicentino e para a elaboração do edital que definirá quem ficará responsável pelo serviço ocorreria nesta quinta-feira (1º), mas foi adiada porque representantes da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU), do Governo Estadual, não poderiam comparecer nesta data. 

A Tribuna 
foto - ilustração
A integração das tarifas do transporte municipal de São Vicente e do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) começa a ser definida nos próximos dias. A primeira reunião sobre o futuro formato do transporte vicentino e para a elaboração do edital que definirá quem ficará responsável pelo serviço ocorreria nesta quinta-feira (1º), mas foi adiada porque representantes da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU), do Governo Estadual, não poderiam comparecer nesta data.
Com média entre 15 mil e 20 mil pessoas utilizando o transporte público por dia, ou cerca de 600 mil usuários por mês, segundo estimativa da Secretaria de Trânsito e Transportes de São Vicente, a Cidade mantém o sistema de transporte alternativo, que é feito por 275 micro-ônibus.
Circulando por todos os bairros vicentinos, os veículos que formam o sistema são administrados pela Cooperlotação, que conta com sete associações. “Cada veículo tem o seu proprietário, conforme o alvará registrado. Hoje, São Vicente não tem uma empresa operando como concessionária. Este modelo atual inviabiliza a integração. Por isso, temos discutido a questão desde o início do governo do prefeito Pedro Gouvêa (PMDB)”, explica o secretário de Trânsito e Transportes, Alexandre Almeida da Costa.
O secretário destaca que a reunião será mais um passo no sentido de se instituir a integração. “A reunião contará com a presença de técnicos da EMTU, que nos tem dado subsídios para que a mudança necessária seja concretizada”.
Costa também trata dos profissionais que atuam no transporte vicentino. “Eles terão de se adaptar às regras que forem definidas, mudando a atual forma administrativa da Cooperativa, para, assim, poderem participar do futuro processo licitatório”, explica.
A Tribuna procurou representantes da Cooperlotação, mas não conseguiu o retorno até a publicação deste nota.

Pode mudar
Com a tarifa integrada, os usuários pagarão apenas um valor, que será definido com a oficialização do sistema, para utilizarem os ônibus (ou micro-ônibus, se estes vencerem a futura licitação) e o VLT.
“Ainda não temos um valor definido. Mas é certo que a integração vai facilitar o transporte e com preço bem mais acessível para os usuários”, de acordo com o secretário.
A integração existe há anos na Capital: usuários do metrô podem optar pela integração entre este serviço e ônibus ou os de metrô e trens, pela ligação do sistema da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e do Metrô com os ônibus municipais da SPTrans.
Fonte - Abifer  01/06/2017

Exposição fotográfica marca o Dia do Meio Ambiente na Estação Pituaçu do Metrô de Salvador

Meio ambiente  🚇

A ação, da Secretaria do Meio Ambiente (Sema) e do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), em parceria com a CCR Metrô Bahia, integra as atividades do Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado no dia 5 de junho.

Da Redação
foto - ilustração
As imagens das riquezas naturais de 13 Unidades de Conservação da Bahia, registradas pelo fotógrafo Rui Rezende, farão parte da exposição fotográfica que será lançada no próximo dia 5 de junho, às 16h, na Estação Pituaçu do metrô da capital baiana. A ação, da Secretaria do Meio Ambiente (Sema) e do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), em parceria com a CCR Metrô Bahia, integra as atividades do Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado no dia 5 de junho. Durante o evento, serão distribuídas 100 mudas de plantas, e será entregue, simbolicamente, um exemplar do livro Unidades de Conservação da Bahia, obra que dá título à exposição, para a biblioteca da Escola Estadual Bolívar Santana.
A mostra ficará disponível durante todo o mês de junho, no horário de funcionamento do metrô, das 5h até a meia noite. A comemoração do Dia Mundial do Meio Ambiente integra o calendário de eventos nas estações do Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas, que tem o objetivo de ampliar a aproximação entre a concessionária do metrô e os usuários desse sistema de transporte, promovendo momentos de lazer, conscientização e bem-estar.
Através da mostra fotográfica, o público poderá conhecer um pouco mais sobre as Unidades de Conservação (UC) da Bahia, que são áreas naturais passíveis de proteção por suas características especiais e têm a função de salvaguardar a representatividade de porções do patrimônio biológico. Sua função é definida pelas categorias de Proteção
Integral e Uso Sustentável, e podem ser definidas como: Parques, Monumento Natural, Estação Ecológica, Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) e Área de Relevante Interesse Ecológico e Área de Proteção Ambiental (APA).
Para a elaboração do livro Unidades de Conservação da Bahia, foram selecionadas fotos coloridas de 14 UCs, com textos em português e espanhol. A elaboração do conteúdo contou com a participação do cordelista Kitute de Licinho, que expressou um olhar regional, com trechos em cordel, que também serão vistos na mostra fotográfica. O livro, lançado em 2016, terá sua distribuição retomada este mês para bibliotecas de escolas públicas da rede estadual de ensino.
Com informações da Secom Ba.  01/06/2017

Faturamento da indústria caiu 3,1% em abril diz CNI

Economia  📉

Essa queda é na comparação com março. Em relação a abril de 2016, houve retração de 9,9%.O emprego também caiu: 0,6% na comparação com março. A massa salarial encolheu 0,4% em abril, na série livre de influências sazonais. Somente o rendimento do trabalhador teve alta pelo segundo mês consecutivo. 

Da Agência Brasil
foto - ilustração
O faturamento da indústria caiu 3,1% em abril, revertendo o crescimento registrado em março, de acordo com a pesquisa Indicadores Industriais, divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), hoje (1º), em Brasília. Essa queda é na comparação com março. Em relação a abril de 2016, houve retração de 9,9%.
O emprego também caiu: 0,6% na comparação com março. A massa salarial encolheu 0,4% em abril, na série livre de influências sazonais. Somente o rendimento do trabalhador teve alta pelo segundo mês consecutivo. O indicador, que cresceu 0,5% entre março e abril, foi influenciado pelo recuo acentuado da inflação nos últimos meses, explicou a CNI.
As horas trabalhadas na indústria recuaram 1,3% em abril na comparação com março. Além disso, o setor operou, em média, com 76,7% da capacidade instalada em abril, queda de 0,5 ponto percentual.

Indicadores do quadrimestre
Todos os indicadores do primeiro quadrimestre acusaram queda na comparação com o mesmo período de 2016. O faturamento ficou 7,8% menor e as horas trabalhadas 4% abaixo do verificado no primeiro quadrimestre de 2016.
Já a utilização média da capacidade instalada foi 0,7 ponto percentual menor nos primeiros quatro meses deste ano do que em igual período de 2016.
O emprego teve redução de 4,3%. A massa salarial real acumulada no primeiro quadrimestre de 2017 é 4,8% inferior e o rendimento médio está 0,5% abaixo do registrado nos primeiros quatro meses de 2016.
Fonte - Agência Brasil  01/06/2017

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Ônibus autônomo (Driverless) Easymile EZ10 é lançado em Taiwan

Tecnologia  🚌

A Easymile e 7Starlake apresentaram o ônibus autônomo (Driverless) EZ10 pela primeira vez em Taiwan na Universidade Nacional de Taiwan (NTU).

Do Eurotransport
foto - easymili.com
O EZ10 e equipado com motor elétrico e tem capacidade para transportar até 12 pessoas (6 sentados e 6 em pé), além de atender a passageiros de mobilidade reduzida.
É fabricado pela francesa Ligier o ônibus tem velocidade de cruzeiro de 20 km / h.
O ônibus não tem volante,nem frente ou fundo e o EZ10 pode em qualquer ponto da rota, facilmente mudar sua direção sem precisar de fazer uma curva curta. Está equipado com uma bateria de íons de lítio e um carregador de bateria de 230V, 16A.
A primeira etapa de testes do EZ10 está programada para iniciar em julho no Campus da NTU Shuiyuan,e a segunda etapa o EZ10 será testado no campus da NTU com diferentes rotas de transporte.
Com informações do Eurotransport  31/05/2017

Video


Osba promove nova série de ensaios abertos em junho

Cultura   🎻

Uma excelente oportunidade é acompanhar mensalmente os Ensaios Abertos da Osba, que normalmente acontecem na própria Sala de Ensaio da Orquestra, localizada no Piso C do Teatro Castro Alves (TCA), em Salvador. Assim será com os previstos para os dias 1°, 8, 9, 16 e 29 de junho, das 10h às 11h30

Da Redação
foto - divulgação/Osba
Para os fãs, admiradores, músicos e estudantes interessados em conhecer um pouco mais da rotina de trabalho da Orquestra Sinfônica da Bahia (Osba), uma excelente oportunidade é acompanhar mensalmente os seus Ensaios Abertos, que normalmente acontecem na própria Sala de Ensaio da Orquestra, localizada no Piso C do Teatro Castro Alves (TCA), em Salvador. Assim será com os previstos para os dias 1°, 8, 9, 16 e 29 de junho, das 10h às 11h30.
Após a consolidação do processo de publicização, a Associação de Amigos do Teatro Castro Alves (ATCA), Organização Social sem fins lucrativos, se torna responsável pela gestão da Osba. Neste novo modelo de gestão, ela passa a fazer parte do Programa Estadual de Organizações Sociais, mas permanece como patrimônio público, sendo ainda subsidiada pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Cultura (Secult).
Com informações da Secom Ba.  31/05/2017

Sistema Ferry-Boat Salvador/Itaparica com movimento tranquilo nesta quarta (31)

Travessia marítima  🚢

O sistema Ferry-Boat que realiza a travessia marítima entre Salvador e a Ilha de Itaparica opera normalmente nesta quarta (31) com 4 embarcações com partidas regulares nos dois sentidos com  partidas acontecendo em intervalos de uma (1) hora.

Da Redação
foto - ilustração/arquivo
A ITS administradora e operadora do sistema Ferry-Boat que faz a travessia entre Salvador e a ilha de Itaparica,informa que iniciou a operação na manhã desta quarta-feira (31),com as embarcações, Ivete Sangalo, Agenor Gordilho, Pinheiro e Zumbi dos Palmares,com saídas nos horários programados,de hora em hora e com previsão de viagens extras caso ocorra um eventual aumento da demanda. Durante a manhã o fluxo de passageiros e veículos esteve tranquilo nos dois terminais,em São Joaquim e Bom Despacho.
Além do embarque feito por fila de espera os usuários do sistema  que realizam a travessia com veículos podem optar também pelo serviço de hora marcada,bastando para isso acessar o site da ITS -portalsits.internacionaltravessias.-,onde poderão também fazer as suas reservas com pagamento feito com cartões de débito ou crédito.
Mais informações através dos contatos - Tel 071 3032-0475 e pelocac@internacionaltravessias.com.br.
Com informações da ITS 31/05/2017

Reforma política não é prioridade

Ponto de Vista  🔍

Alardear que o sistema político brasileiro está na raiz das crises a que temos assistido, como vemos setores hegemônicos atingidos pela Lava Jato, nada mais é que uma tentativa de desviar o foco do caso Temer e de descriminalizar o caixa 2 e a prática da propina. Convenhamos, as prioridades do Brasil são outras.“É preciso mudar o foco do debate nacional.” Bem diferente de fazer mera reforma política casuística.

Portogente
foto - ilustração
Propalar que a reforma política é panaceia para os males que desequilibram o País contribui para ensombrecer, ainda mais, o entendimento dos caminhos para se sair de um estado incapaz, cujo presidente vem sendo arrastado ao abismo por denúncias e escutas graves, envolvendo-o em corrupção, formação de quadrilha e de criar embaraços às investigações da Justiça. Alardear que o sistema político brasileiro está na raiz das crises a que temos assistido, como vemos setores hegemônicos atingidos pela Lava Jato, nada mais é que uma tentativa de desviar o foco do caso Temer e de descriminalizar o caixa 2 e a prática da propina. Convenhamos, as prioridades do Brasil são outras.
É preocupante ver importantes setores produtivos nacionais perdendo investimentos significativos e oportunidades preciosas, por tratar novos paradigmas sob óticas anacrônicas. Como recomenda o baiano e professor de Havard Roberto Mangabeira Unger: “É preciso mudar o foco do debate nacional.” Bem diferente de fazer mera reforma política casuística.
Organizar o Brasil é dar rumo por meio de estratégias calcadas na capacitação e produtividade, com um Estado, nem mínimo e nem máximo, mas necessário, para mobilizar o fantástico potencial produtivo do seu povo e das suas micros, médias e grandes empresas, como um processo de produtividade do capital, na construção do desenvolvimento. É fácil perceber que essa mobilização nacional necessária e suas possibilidades são bem distintas do que se atribui às conquistas, ainda incertas, mas que se mostram frágeis, atingidas neste primeiro ano do governo Temer.
Um fato que expõe a crise de liderança que vive o Brasil, por conta de um governo conduzido por um presidente isolado e sem interlocução com o mundo, foi o seu diálogo mais expressivo com Donald Trump ter ocorrido por telefone, para se explicar sobre o caso da Carne Fraca. O que esperar dessa situação tão precária para um país emergente como superpotência econômica e que precisa se posicionar em um mundo em constante mudança, com explosivo crescimento da tecnologia e de relações internacionais valorizadas?
Com certeza não é a substituição do ministro da Justiça por um aliado com trânsito em tribunais, e com maior capacidade de negociar a permanência do presidente Temer no cargo, a melhor solução que se espera para a crise que assola o Brasil. Indubitavelmente, a intolerância popular vai se acirrar e a crise continuará crescendo a cada dia, adiando ainda mais as possibilidades construtivas e um melhor atendimento ao interesse nacional.
Como diria o mestre Ulysses Guimarães, em política como em nuvens no céu, há mudanças imprevisíveis. No entanto, como a baixa popularidade e o "Fora Temer" vêm de antes da gravação da JBS que agravou sua situação, é inevitável a vacância do cargo de presidente do Brasil, antes mesmo do fatídico mês de agosto.
Fonte - Portogente  31/05/2017

DESEMPREGO cresce 8,7% e atinge 14 MILHÕES de pessoas

Economia   📉

Os dados foram divulgados hoje (31), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e fazem parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua – PNDA.Com a alta do último trimestre, a população desocupada em abril chegou a 14 milhões, uma alta de 8,7% em relação ao trimestre encerrado em janeiro. Assim, houve um acréscimo de 1,1 milhão de pessoas no número de desempregados.

Nielmar de Oliveira
Repórter da Agência Brasil
Rovena Rosa/Agência Brasil
A taxa de desocupação no país foi estimada em 13,6% no trimestre móvel encerrado em abril, ficando 1 ponto percentual acima da taxa do trimestre imediatamente anterior (novembro a janeiro), quando havia fechado em 12,6%. Os dados foram divulgados hoje (31), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e fazem parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua – PNDA.
Com a alta do último trimestre, a população desocupada em abril chegou a 14 milhões, uma alta de 8,7% em relação ao trimestre encerrado em janeiro. Assim, houve um acréscimo de 1,1 milhão de pessoas no número de desempregados.

Dados comparativos
Na comparação com igual trimestre de 2016, o total de desocupados subiu 23,1%, o que significa um aumento de 2,6 milhões em um ano no número de desempregados.
Quando a comparação se dá com o mesmo trimestre do ano passado (novembro de 2015/janeiro de 2016, quando a taxa de desemprego estava em 11,2%), houve crescimento de 2,4 pontos percentuais no desemprego.
Já a população ocupada no trimestre encerrado em abril era de 89,2 milhões de pessoas, uma queda de 0,7%, quando comparada com o trimestre de novembro de 2016 a janeiro de 2017 (89,9 milhões de pessoas).
Em comparação com igual trimestre de 2016, quando o total de ocupados era de 90,6 milhões de pessoas, em janeiro deste ano o número de desempregados aumentou 1,4 milhão de pessoas – uma queda na taxa de desemprego de 1,5%.

Carteira assinada
Entre as 14 milhões de pessoas que perderam o emprego entre os trimestres encerrados em janeiro e em abril, 572 mil fazem parte do contingente com emprego formal, ou seja, com carteira de trabalho assinada.
Os dados fazem parte da Pnad Contínua e indicam que havia em abril, quando do fechamento do trimestre, 33,3 milhões de pessoas com carteira assinada, uma queda de 1,7% na comparação com o trimestre de novembro a janeiro, quando havia 33,9 milhões de pessoas com carteira assinada.
Frente ao trimestre de fevereiro a abril de 2016, a queda é de 3,6%, o que significa que em um ano aproximadamente 1,2 milhão de pessoas com carteira assinada perderam emprego.

Rendimento médio real
Apesar da alta taxa de desemprego, a maior da história do país, o rendimento médio real pago ao trabalhador brasileiro vem se mantendo estável, tanto em relação ao trimestre encerrado em janeiro quanto ao mesmo trimestre do ano passado.
Os dados da Pnad Contínua indicam que o rendimento médio real habitualmente recebido em todos os trabalhos no trimestre fechado em abril era de R$ 2,107 mil; no trimestre móvel finalizado em janeiro o valor era de R$ 2,095 mil; e de R$ 2,052 mil em igual trimestre do ano passado.
Também a massa de rendimento real habitualmente recebida em todos os trabalhos ficou estável no trimestre fechado em abril: R$ 183,3 bilhões; no semestre encerrado em janeiro era de R$ 183,5 bilhões; e frente ao mesmo trimestre do ano anterior, de R$ 181,2 bilhões.
Fonte - Agência Brasil  31/05/2017

Governadores do Nordeste debatem questões para retomada do crescimento

Política   👀

Participaram da reunião desta terça-feira, além de Flávio Dino, os governadores do Ceará, Camilo Santana, do Piauí, Wellington Dias, da Bahia, Rui Costa, de Alagoas, Renan Filho, de Pernambuco, Paulo Câmara, de Sergipe, Jackson Barreto, do Rio Grande do Norte, Robinson Faria, além da vice-governadora da Paraíba, Lígia Feliciano.

Da Redação
foto - Divulgação
O governador Flávio Dino participou, na manhã desta terça-feira (30), em Brasília, da reunião de Governadores do Nordeste, ocorrida na sede da representação do estado do Ceará. Na pauta da reunião, questões administrativas e federativas, além da discussão acerca da atual conjuntura do país.
Para o governador Flávio Dino, hoje, mais uma vez, estiveram presentes os “nove estados do Nordeste unidos para ajudar o Brasil a reencontrar seu caminho de crescimento para todos”. Os governadores do Nordeste tem se reunido permanentemente para debater o desenvolvimento da região e temas relativos à diminuição dos efeitos da crise.
Participaram da reunião desta terça-feira, além de Flávio Dino, os governadores do Ceará, Camilo Santana, do Piauí, Wellington Dias, da Bahia, Rui Costa, de Alagoas, Renan Filho, de Pernambuco, Paulo Câmara, de Sergipe, Jackson Barreto, do Rio Grande do Norte, Robinson Faria, além da vice-governadora da Paraíba, Lígia Feliciano.
Com informações da Secap Gov.MA 30/05/2017

Metroviários de SP consideram escandalosa proposta de Alckmin para privatizar Metrô

Transportes sobre trilhos  🚇 

Para os trabalhadores, a proposta de lance mínimo do governo Alckmin é irrisória perto do valor das obras. O lance inicial proposto é de R$ 189 milhões, pelas duas linhas. O valor corresponde a aproximadamente 2% do que o governo está investindo na construção dos trechos. Até dezembro, o orçamento estimado era de R$ 10 bilhões.

Rede Brasil Atual - RF
foto - ilustração
A proposta do governo Geraldo Alckmin (PSDB) para privatizar as linhas 5-Lilás (Capão Redondo-Chácara Klabin) e 17-Ouro (Congonhas-Morumbi) do Metrô paulista foi tachada de "escandalosa" pelo coordenador geral do Sindicato dos Metroviários Wagner Fajardo, durante audiência pública realizada na noite de ontem (29), na Assembleia Legislativa de São Paulo. "Essa licitação é um escândalo. Nós vamos à greve e vamos à Justiça contra isso. Não vamos aceitar essa entrega do patrimônio público", afirmou Fajardo.
Para os trabalhadores, a proposta de lance mínimo do governo Alckmin é irrisória perto do valor das obras. O lance inicial proposto é de R$ 189 milhões, pelas duas linhas. O valor corresponde a aproximadamente 2% do que o governo está investindo na construção dos trechos. Até dezembro, o orçamento estimado era de R$ 10 bilhões.
No entanto, em março deste ano a base do governador na Assembleia aprovou a transferência de R$ 200 milhões para a Linha 5, que estavam destinados à Linha 6-Laranja (Brasilândia-São Joaquim). Mudança feita a pedido de Alckmin. "Só essa transferência já cobre o valor do lance mínimo. O governo constrói com dinheiro público e depois entrega de bandeja para a iniciativa privada lucrar muito, sem necessidade de investir nada", afirmou o deputado estadual Carlos Gianazzi (Psol), que organizou a audiência.
O valor cobrado pelo governo também é equivalente a apenas cinco dos 26 novos trens da Linha 5-Lilás, que ao todo custaram R$ 630 milhões aos cofres paulistas, mas que estão sem utilização, por causa dos recorrentes atrasos nas obras (iniciadas em em 1998). Pela concessão – que terá vigência por 30 anos –, será pedida somente a outorga onerosa mínima de R$ 189 milhões, mais 1% da arrecadação tarifária e 1% da receita com publicidade e utilização de espaços comerciais.
Para os participantes, a privatização das linhas se vale de uma falsa ideia de que a iniciativa privada é sempre melhor. E busca compensar trocas de financiamento de campanha de Alckmin, que recebeu boa parte das doações na eleição de 2014 de empresas envolvidas no cartel investigado pelo Ministério Público paulista. "Precisa ficar claro à população que quem quer privatizar tem rabo preso com a corrupção disfarçada de financiamento de campanha", afirmou o diretor da Federação Nacional dos Metroviários (Fenametro) Paulo Pasin.
Os trabalhadores pretendem apresentar quatro pedidos de investigação ao Ministério Público, aproveitando a audiência, sobre os R$ 200 milhões transferidos após o anúncio da privatização, os 26 trens sem uso na Linha 5, comprados em 2013 por R$ 630 milhões e que serão repassados à empresa que vencer a licitação, a insegurança do novo sistema de controle de trens que está sendo instalado na rede e a contratação do ex-executivo da Odebrecht – empresa investigada na Operação Lava Jato – Lucas Bermutto, para o setor de planejamento do Metrô.
Segundo o coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos, é absurdo que Alckmin proponha nova privatização depois da Linha 4-Amarela (Luz- Butantã). "As empresas que administram a linha participaram do consórcio que a construiu. Daí atrasaram a obra de um lado, depois entraram na justiça para cobrar indenização de R$ 400 milhões pelo atraso. É um escárnio. Os empresários só ganham", afirmou.
Fonte - Revista Ferroviária  30/05/2017

terça-feira, 30 de maio de 2017

Metrô de Salvador registra aumento de 25% no numero de passageiros transportados com as novas estações

Transportes sobre trilhos  🚇

Em dias úteis, a média de pessoas circulando pelas Linhas 1 e 2 passou de 92 mil para 115 mil. A expectativa é que esse número cresça nas próximas semanas, especialmente em razão do avanço do modal pela avenida Paralela, com as estações Pernambués, Imbuí, CAB e Pituaçu.

Da Redação
foto - ilustração
Com uma semana do início da operação de quatro novas estações do metrô de Salvador, o número de passageiros do sistema teve um aumento de 25%. Em dias úteis, a média de pessoas circulando pelas Linhas 1 e 2 passou de 92 mil para 115 mil. A expectativa é que esse número cresça nas próximas semanas, especialmente em razão do avanço do modal pela avenida Paralela, com as estações Pernambués, Imbuí, CAB e Pituaçu.
Moradora do Vale dos Lagos, a estudante Lídia Rocha usou a estação Pituaçu pela primeira vez nesta terça-feira (30). Ela comemora o início da operação do novo trecho por encurtar "distâncias, diminuindo o tempo de deslocamento. Como o metrô passa pelo meio da Paralela, não pegamos engarrafamento. Agora o trajeto ficou mais fácil e é muito mais prático. Estou indo para a Lapa e chego lá bem mais rápido”, afirma a estudante.
Segundo o gestor de arrecadação da concessionária CCR Metrô Bahia, Júlio Freitas, as obras da Linha 2 continuam a todo vapor. “Estamos com 96% das obras da Linha 2 concluídas. Os baianos podem esperar novas inaugurações até o final do ano. Até outubro, vamos entregar o trecho até Mussurunga e, até dezembro deste ano, concluiremos as obras da estação Aeroporto. Todas as estações representam mais opções para o usuário, que já pode sair de Pituaçu e chegar até a Lapa, por exemplo, em cerca de 20 minutos, sem trânsito. Temos visto as pessoas cada vez mais satisfeitas com essa nova modalidade de transporte", comenta o gestor.

Mais conforto
O número de trens do metrô também cresceu. Agora são 16 disponíveis na frota para as 15 estações. Eles passam em um intervalo de 5 minutos nas estações da Linha 2 e a cada 4 minutos e 40 segundos para a Linha 1, em horários de pico. Isso significa menos espera e mais facilidade para quem já opta pelo metrô diariamente, como o aposentado Derivaldo Ferreira.
“Eu comecei a usar metrô desde as primeiras inaugurações. Agora, com o avanço da Linha 2, ficou melhor ainda. Era um sonho antigo e fico feliz de ver isso se concretizando, porque antes do metrô, andar de ônibus era um sufoco. Eu sou idoso e tenho uma dificuldade de locomoção. Fico feliz de entrar nos trens e encontrar as poltronas azuis, separadas para esse público”, conta o aposentado.


foto -Alberto Coutinho/GOVBA
Integração
Para quem utiliza ônibus, já são cerca de 330 linhas urbanas e metropolitanas integradas ao metrô, nas quais os passageiros pagam apenas uma passagem usando o cartão da CCR Metrô, o SalvadorCard ou Metropasse
Já para chegar ao Centro Administrativo da Bahia (CAB), os passageiros que optam por descer nas estações de Pituaçu ou CAB contam com circulares gratuitos, das 6h às 19h30, de segunda a sexta-feira. Nas horas de maior movimento, como das 7h30 às 9h, das 12h às 14h e das 17h às 19h, os ônibus saem dos pontos a cada 10 minutos. No restante do dia, eles saem a cada 15 minutos. São quatro ônibus circulando pelo CAB que, em breve, terão ar condicionado, para proporcionar mais conforto aos usuários.
Com informações da Secom Ba.  30/05/2017

Trecho da Paralela será interditado para obras de revitalização de passarela do Imbuí

Infraestrutura urbana 🚧 🚇

A interdição ocorrerá das 23h30 do dia 29/05 (segunda-feira) até 5h do dia 30 (terça-feira) e será repetida entre 23h30 do dia 30/05 (terça-feira) e 5h do dia 31 (quarta-feira). 

Da Redação
Divulgação  - CCR
A CCR Metrô Bahia informa que um trecho da pista principal da Avenida Paralela, sentido Centro, será interditado para troca de estrutura metálica e instalação de cobertura na passarela do Imbuí (próxima à Advocacia Geral da União), dando continuidade à revitalização de passarelas na região. A interdição ocorrerá das 23h30 do dia 29/05 (segunda-feira) até 5h do dia 30 (terça-feira) e será repetida entre 23h30 do dia 30/05 (terça-feira) e 5h do dia 31 (quarta-feira). O bloqueio será colocado na altura do Viaduto de Narandiba, desviando o tráfego para a via marginal da avenida. Os motoristas poderão retornar à pista principal na altura do acesso para o Saboeiro.
Com informações da CCR metro Salvador  30/05/2017

Mais de 30 mil empregos eliminados no Estado de SP

Economia  📉

Os dados compõem a Pesquisa de Emprego no Comércio Varejista do Estado de São Paulo (PESP) realizada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) com base nos dados do Ministério do Trabalho, por meio do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e o impacto do seu resultado no estoque estabelecido de trabalhadores no Estado de São Paulo, calculado com base na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

Portogente

foto - ilustração
Pelo quarto mês consecutivo, o comércio varejista do Estado de São Paulo apresenta encolhimento no quadro de funcionários. Em março, foram fechados 9.949 postos de trabalho, resultado de 71.449 admissões contra 81.398 desligamentos. Apesar do saldo negativo, a eliminação de vagas foi menor do que a registrada em março de 2016, quando 13.277 empregos foram extintos. Com o resultado, o varejo encerrou o mês com um estoque total de 2.052.514 trabalhadores, queda de 1,5% na comparação com março de 2016. No acumulado dos últimos 12 meses, foram eliminados 30.797 empregos com carteira assinada.
Os dados compõem a Pesquisa de Emprego no Comércio Varejista do Estado de São Paulo (PESP) realizada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) com base nos dados do Ministério do Trabalho, por meio do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e o impacto do seu resultado no estoque estabelecido de trabalhadores no Estado de São Paulo, calculado com base na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).
De acordo com a Federação, os números do mercado de trabalho do comércio varejista do Estado de São Paulo no mês de março exemplificam bem a persistência da crise de empregabilidade que o setor vivencia. Segundo a Entidade, está cada vez mais claro que por mais que haja uma continuidade no processo de amenização das perdas de vagas, na comparação interanual, o estancamento da retração do mercado de trabalho se dá de forma bastante lenta.
Entre as nove atividades pesquisadas, apenas farmácias e perfumarias (2%) e supermercados (1%) apresentaram crescimento no número total de empregos na comparação com o mesmo mês de 2016. Por outro lado, os piores desempenhos foram registrados nos segmentos de concessionárias de veículos (-4,9%), lojas de vestuário, tecidos e calçados (-4,4%) e lojas de móveis e decoração (-4,2%).
Fonte - Portogente 30/05/2017

MPF aciona Justiça para impedir videomonitoramento de trânsito em Fortaleza

Trânsito  🚗

Iniciada em março, a fiscalização das vias com câmeras vem gerando polêmica por conta do nível de detalhamento das imagens dos equipamentos instalados. Na ação judicial, Costa Filho alega que o videomonitoramento “afronta os direitos fundamentais relativos à intimidade e à vida privada.”

Edwirges Nogueira
Correspondente da Agência Brasil

foto - ilustração/Gov.CE
O videomonitoramento do trânsito de Fortaleza é alvo de ação judicial por parte do Ministério Público Federal no Ceará. O procurador Oscar Costa Filho entrou com ação com pedido de liminar para suspender esse tipo de fiscalização na cidade e anular as multas aplicadas pelas câmeras.
Iniciada em março, a fiscalização das vias com câmeras vem gerando polêmica por conta do nível de detalhamento das imagens dos equipamentos instalados. Na ação judicial, Costa Filho alega que o videomonitoramento “afronta os direitos fundamentais relativos à intimidade e à vida privada.”
A nova medida obedece a Resolução 532 de 2015 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). No entanto, o MPF questiona esse fato ao afirmar que não houve regulamentação dos equipamentos que devem ser utilizados. Segundo o procurador da República, as câmeras utilizadas pela Autarquia Municipal de Trânsito de Fortaleza alcançam 400 metros e têm zoom de 20 vezes.
A autarquia, que implanta e promove a fiscalização por videomonitoramento, disse em nota que ainda não foi notificada da ação judicial, mas que tem “total tranquilidade” quanto a obedecer a resolução do Contran.
A nota diz ainda que a autarquia vai prestar todos os esclarecimentos à população sobre “a importância da utilização das câmeras no monitoramento do tráfego, no atendimento mais ágil aos acidentes e na coibição de irregularidades que comprometem tanto a fluidez quanto a segurança.” A previsão é que 41 cruzamentos de Fortaleza tenham esse tipo de fiscalização.
Fonte - Agência Brasil  30/05/2017

Justiça decide esta semana sobre VLT de Cuiabá e Vrzea Grande

Transportes sobre trilhos  🚄

Havendo a retomada da obra, o cronograma previsto para conclusão total do novo modal é de 24 meses. Mas, na hipótese de não homologação, haverá a extinção do contrato e ai fica a critério do Governo abrir ou não uma nova licitação.

Joanice de Deus -  Diário de Cuiabá
foto - ilustração
 
O Governo do Estado aguarda para esta semana a decisão da Justiça Federal sobre a oficialização do acordo firmado entre o governador Pedro Taques e o Consórcio VLT Cuiabá - Várzea Grande para retomar as obras do veículo leve sobre trilhos que ficou em R$ 922 milhões. O prazo expirou no início deste mês, mas foi prorrogado por mais 25 dias atendendo um pedido do Ministério Público Federal (MPF) que exigiu a realização de uma perícia na área de engenharia civil antes de emitir seu parecer sobre o acordo.
De acordo com o secretário de Estado de Cidades (Secid), Wilson Santos, a prorrogação vence nesta sexta-feira (02). “Acho que os Ministérios Públicos (Federal e Estadual) vão dar pareceres favoráveis e fazer suas recomendações que serão analisadas pelo magistrado titular da 1ª Vara Federal, Ciro Arapiraca. Mas, acho que os Ministérios Públicos não vão obstruir ou impedir a retomada desta obra”, disse Santos na semana passada em entrevista a uma rádio local.
A decisão foi do juiz federal João Moreira Pessoa de Azambuja, substituto em exercício na 1º Vara da Justiça Federal em Mato Grosso. "Defiro parcialmente o pedido formulado pelo Ministério Público Federal, autorizando a vista integral destes autos e daqueles que lhe são conexos, conforme relacionados acima e, por consequência, concedo ao Parquet Federal o prazo de 25 (vinte e cinco) dias corridos para manifestação nos autos acerca do termo do acordo firmado entre o Estado de Mato Grosso e o Consórcio VLT Cuiabá - Várzea Grande, contados a partir do dia 08/05/2017, período em que permanecerá hígida a suspensão autorizada pela decisão", pontou o juiz.
O magistrado ainda alegou que a medida se apresenta salutar e necessária para subsidiar a manifestação do órgão e para permitir uma maior fiscalização e controle dos termos da avença firmada entre o Estado e o Consórcio. A intenção do MPF com a perícia é e esclarecer “diversos pontos que entendem relevantes e necessários para apresentação do parecer ministerial acerca da avença referida".
Santos lembrou que o MPF e o MPE concordaram em fazer um documento único e, que assim que essa manifestação chegar à Justiça, a expectativa é pela homologação do acordo. “O governador Pedro Taques já deixou claro que esta obra não será retomada sem a devida autorização da Justiça”, afiançou.
Havendo a retomada da obra, o cronograma previsto para conclusão total do novo modal é de 24 meses. Mas, na hipótese de não homologação, haverá a extinção do contrato e ai fica a critério do Governo abrir ou não uma nova licitação.
As obras do VLT estão paralisadas desde final de 2014. No total, o VLT custará ao Estado cerca de R$ 2 bilhões, sendo que até agora R$ 1 bi foi pago pelos cofres do governo. O valor acordado de R$ 922 milhões levou em consideração o que foi feito e medido até 2014 e o que será construído a partir de agora, como linhas, estações, paradas, centro de integração, operação e manutenção, além da correção monetária e atualização financeira prevista no contrato de 2012.
Composto por duas linhas (Aeroporto - CPA e Coxipó – Porto), com total de 22 quilômetros, o primeiro trecho a ser terminado será do Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, até bairro do Porto, em Cuiabá, chegando depois ao bairro do CPA.
Fonte - Diário de Cuiabá  30/05/2017

Trensurb dá prazo para empresas apresentarem nova entrega dos trens fora de circulação

Transportes sobre trilhos  🚄

Os representantes do consórcio responsável pelos veículos foram convocados a apresentar uma solução até o fim desta semana. As informações são da Rádio Gaúcha.Dos 15 novos trens, cinco seguem fora de circulação.

Zero Hora - RF

foto - ilustração/arquivo
A Trensurb se reuniu no último dia 23 de maio com os presidentes das empresas Alstom e CAF para tratar do conserto dos novos trens. Os representantes do consórcio responsável pelos veículos foram convocados a apresentar uma solução até o fim desta semana. As informações são da Rádio Gaúcha.
Dos 15 novos trens, cinco seguem fora de circulação. As empresas deverão enviar oficialmente um novo prazo de forma a resolver definitivamente as pendências técnicas. A Trensurb, porém, não informou o que irá fazer se as empresas não derem uma resposta até sexta-feira (02). O Consórcio FrotaPoA, formado pelas empresas Alstom e CAF, disse em nota que "entregará essa semana o novo cronograma para entrega dos 5 trens."
O Ministério Público Federal (MPF) havia fixado o prazo de 20 de maio para a retomada de todos os novos veículos, o que acabou não ocorrendo. Em abril do ano passado, toda a nova frota foi retirada de operação após a identificação de que havia infiltração nos rolamentos dos veículos que custaram R$ 242,6 milhões.
Fonte - Revista Ferroviária 29/05/2017

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Diretas Já” invisível, e a barbárie: no Pará contra os Sem-Terra e na Cracolândia.

Ponto de Vista  🔍

No final de uma semana marcada por conflitos, multidão dominical se manifestou em paz.Em Copacabana sob neblina, movimentos sociais, partidos de esquerda, e dezenas de milhares de manifestantes. Ampla Coalisão. Cantoria de Caetano Veloso, Criolo, Milton Nascimento, Oto, depoimentos de atores, atrizes, cantoras, cantores.Sem o chamariz da cobertura midiática na véspera, sem imagens aéreas ou transmissão direta. E com a seguinte manchete no registro televisivo do evento: - Manifestação (...) pela saída de Temer e contra reformas trabalhista e da Previdência.... ...Não. A manifestação foi pelas "Diretas já" e pelo "Fora Temer". Convocação vista por milhões nas redes sociais. 

Bob Fernandes



YouTube

Avenidas Paralela e Edgard Santos têm trecho interditado para instalação de peças de passarela

Transito  🚗

Entre as 23h de amanhã (terça-feira) e 5h de quarta-feira (31/05) um bloqueio será colocado na via marginal da Avenida Paralela (sentido Centro) na altura do acesso à Av. Edgard Santos. Durante o mesmo período, também será fechada a saída da Av. Edgard Santos para a Av. Paralela.

Da Redação
divulgação - CCR
A CCR Metrô Bahia e o Consórcio Mobilidade Bahia informam que, para instalação de peças da passarela de acesso à Estação Imbuí, realizarão interdições nas avenidas Paralela e Edgard Santos. Entre as 23h de amanhã (terça-feira) e 5h de quarta-feira (31/05) um bloqueio será colocado na via marginal da Avenida Paralela (sentido Centro) na altura do acesso à Av. Edgard Santos. Durante o mesmo período, também será fechada a saída da Av. Edgard Santos para a Av. Paralela.
Os motoristas que estiverem na região de Narandiba e precisarem acessar a Av. Paralela terão que retornar na Av. Edgar Santos até o Largo do Saboeiro e de lá acessar a Rua Silveira Martins no sentido Av. Paralela. O trecho interditado na via marginal da Av. Paralela não afeta o tráfego de veículos que acessam a Av. Edgard Santos a partir da via.
Com informações da CCR Metrô Bahia  29/07/2017

Trabalho social com famílias do Minha Casa, Minha Vida

Desenvolvimento Urbano  🏠

A assinatura da ordem de serviço para o início do projeto será nesta terça-feira (31), às 15h, no auditório da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur).O Pós-ocupação será desenvolvido entre as famílias de seis residenciais. São eles: Fazenda Grande 15-A, Fazenda Grande 15-B, Fazenda Grande 15-L, Fazenda Grande 15-M, Fazenda Grande 8-B e Assis Valente.

Da Redação
divulgação/Sedur Ba.
Mais de 1700 famílias serão atendidas pelo projeto Trabalho Pós-ocupação do programa Minha Casa, Minha Vida, em Salvador. A assinatura da ordem de serviço para o início do projeto será nesta terça-feira (31), às 15h, no auditório da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur).
O Pós-ocupação será desenvolvido entre as famílias de seis residenciais. São eles: Fazenda Grande 15-A, Fazenda Grande 15-B, Fazenda Grande 15-L, Fazenda Grande 15-M, Fazenda Grande 8-B e Assis Valente.
O projeto prevê várias ações, divididas em três eixos de atuação. Durante nove meses, essas famílias irão ser capacitadas em ações de mobilização organizacional e fortalecimento social; educação ambiental e patrimonial, além de desenvolvimento socioeconômico.

Avaliação
Maria Rosa Vieira, da coordenação de monitoramento e avaliação da Diretoria de Planejamento Habitacional, ressalta a importância do Trabalho Pós-ocupação.
“Esse projeto fortalece o vínculo entre as famílias que habitam o mesmo residencial. Elas têm origens diferentes, oriundas de bairros diversos e precisam desta adaptação”, disse Maria Rosa Vieira.
A Superintendência de Habitação, da Sedur, já conta com resultado exitoso de outra experiência do Trabalho Pós-ocupação do Minha Casa, Minha Vida. O projeto está sendo finalizado no residencial Recanto Cajueiro, em Mata Escura. Lá cerca de 400 famílias estão sendo beneficiadas pela iniciativa.
Com informações da Sedur Ba.  29/05/2017

Trem da CBTU que fará Locomotiva do Forró chega em Campina Grande

Trem do forró  🚃

Durante todo o domingo, 28, uma locomotiva e sete carros de passageiros foram posicionados nas carretas e só puderam seguir viagem hoje. O descarregamento está previsto para começar as 13h, no pátio da Estação Ferroviária de Campina Grande, no bairro do 40.

Da Redação 
divulgação/CBTU
Os oito veículos ferroviários que vão compor o trem da Locomotiva do Forró começaram a chegar em Campina Grande por volta das 8h, desta segunda feira, 29. Durante todo o domingo, 28, uma locomotiva e sete carros de passageiros foram posicionados nas carretas e só puderam seguir viagem hoje. O descarregamento está previsto para começar as 13h, no pátio da Estação Ferroviária de Campina Grande, no bairro do 40.
De acordo com o coordenador de manutenção da CBTU João Pessoa, Sérgio Marcelino do Nascimento, a montagem da composição acontecerá ainda nesta segunda feira. “Se tudo ocorrer dentro do planejado e o tempo chuvoso permitir o trem estará pronto logo após o descarregamento dos veículos”, afirma.
Durante quase dois meses, equipes da manutenção da CBTU João Pessoa trabalharam na preparação do trem que fará o evento em Campina Grande e que neste ano terá uma série de novidades. “Estamos levando para a festa a locomotiva 6008 que foi totalmente reformada e modernizada em 2015 e realizamos algumas adaptações nos carros para oferecer maior espaço para os forrozeiros se divertirem”, acrescenta o coordenador.
Para assegurar todas as viagens da Locomotiva do Forró a CBTU João Pessoa também levará um auto de linha (trole ferroviário) para inspecionar o trecho antes das partidas do trem nos dois sentidos. O trecho do passeio Campina/Galante foi cedido pela Transnordestina Logística S/A (TLSA) e foi todo revisado e liberado pela Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT), o que garante a segurança do tráfego ferroviário no evento.
Fonte - CBTU  29/05/2017

Desmatamento na Mata Atlântica cresce quase 60% em um ano

Meio Ambiente  🌿

O número foi apresentado hoje (29) pela Fundação SOS Mata Atlântica e pelo Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe).No período anterior (2014-2015), o desmate no bioma havia sido de 18.433 hectares. Segundo a diretora executiva da SOS Mata Atlântica, Marcia Hirota, há 10 anos a área, que se espalha por 17 estados, não registrava um desmatamento dessas proporções. 

Flávia Albuquerque
Repórter da Agência Brasil
Arquivo/Agência Brasil
O desmatamento na Mata Atlântica cresceu 57,7% em um ano, entre 2015 e 2016, quando o bioma perdeu 29.075 hectares, o equivalente a mais de 29 mil campos de futebol. O número foi apresentado hoje (29) pela Fundação SOS Mata Atlântica e pelo Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe).
No período anterior (2014-2015), o desmate no bioma havia sido de 18.433 hectares. Segundo a diretora executiva da SOS Mata Atlântica, Marcia Hirota, há 10 anos a área, que se espalha por 17 estados, não registrava um desmatamento dessas proporções. “O que mais impressionou foi o enorme aumento no desmatamento no último período. Tivemos um retrocesso muito grande, com índices comparáveis aos de 2005”, disse. No período de 2005 a 2008, a Mata Atlântica perdeu 102.938 hectares de floresta, ou seja, média anual de 34.313 hectares a menos.

Estados
Em 2015-2016, a Bahia foi o estado onde houve mais desmatamento, com 12.288 hectares desmatados, 207% a mais que no período anterior, quando foram destruídos 3.997 hectares de vegetação nativa. Os municípios baianos de Santa Cruz Cabrália e Belmonte lideram a lista dos maiores desmatadores com 3.058 hectares e 2.119 hectares, respectivamente. Se somados aos desmatamentos identificados em outras cidades do Sul da Bahia, como Porto Seguro e Ilhéus, cerca de 30% da destruição do bioma no período ocorreu nesta região.
“Essa região é a mais rica do Brasil em biodiversidade e tem grande potencial para o turismo. Nós estamos destruindo um patrimônio que poderia gerar desenvolvimento, trabalho e renda para o estado”, avaliou Marcia.
Minas Gerais aparece em segundo lugar no ranking, com 7.410 hectares desmatados. Os principais pontos de desflorestamento ocorreram nos municípios de Águas Vermelhas (753 hectares), São João do Paraíso (573 hectares) e Jequitinhonha (450 hectares). Segundo os dados da SOS Mata Atlântica e do Inpe, a região é reconhecida pelos processos de destruição de vegetação nativa para produção de carvão ou pela conversão da floresta por plantios de eucalipto. Minas liderou o desmatamento em sete das últimas nove edições do Atlas da Mata Atlântica.
No Paraná, o desmatamento do bioma passou de 1.988 hectares entre 2014 e 2015 para 3.545 hectares entre 2015-2016, o que representa aumento de 74%. Este foi o segundo ano seguido de crescimento do desmate no estado. Segundo o relatório, a destruição está concentrada na região das araucárias, espécie ameaçada de extinção, com apenas 3% de florestas remanescentes.
No Piauí, pelo quarto ano consecutivo os maiores desmatamentos ocorreram nos municípios de Manoel Emídio (1.281 hectares), Canto do Buriti (641 hectares) e Alvorada do Gurguéia (625 hectares), todos próximos ao Parque Nacional Serra das Confusões.

Retrocesso

Segundo o diretor de Políticas Públicas da Fundação SOS Mata Atlântica, Mario Mantovani, a situação é gravíssima e indica uma reversão na tendência de queda do desmatamento registrada nos últimos anos.
“O setor produtivo voltou a avançar sobre nossas florestas, não só na Mata Atlântica, mas em todos os biomas, após as alterações realizadas no Código Florestal e o subsequente desmonte da legislação ambiental brasileira. Pode ser o início de uma nova fase de crescimento do desmatamento, o que não podemos aceitar.”
Fonte - Agência Brasil  29/05/2017