sábado, 8 de abril de 2017

Feriados em abril e maio terão 520 horários extras na rodoviária de Salvador

Transporte  🚌

O feriado de Páscoa começa na quinta-feira (13) e a estimativa é que a partir do dia 10, e até dia 17 de abril, mais de 95 mil passageiros viajem para o interior da Bahia. Neste período aproximadamente 300 horários extras foram disponibilizados para a população deixar a capital com mais tranquilidade, para curtir a Semana Santa.

Da Redação
foto - ilustração/arquivo
O mês de abril chegou e com ele a expectativa pelos próximos feriados. A estimativa realizada pela Coordenação de Polo da Agerba, em Salvador, é de que durante os três últimos finais de semana do mês, mais de 190 mil pessoas deixem a cidade através do Terminal Rodoviário. Semana Santa, de 13 a 17/04, Tiradentes, de 21 a 23/04, e Dia do Trabalhador, de 29/04 a 1° de maio, são as comemorações esperadas por quem deseja tirar uns dias de folga para viajar.
O feriado de Páscoa começa na quinta-feira (13) e a estimativa é que a partir do dia 10, e até dia 17 de abril, mais de 95 mil passageiros viajem para o interior da Bahia. Neste período aproximadamente 300 horários extras foram disponibilizados para a população deixar a capital com mais tranquilidade, para curtir a Semana Santa. “Por se tratar de um feriado religioso normalmente as pessoas viajam para passar a festa em família, e a demanda por passagens cresce de forma significativa”, afirma Abdul Novais, coordenador do Polo da Agerba em Salvador.
Já os feriados de Tiradentes e 1° de maio, que terão três dias de folga cada, vão contar com 120 e 100 horários extras, respectivamente, e em cada final de semana a expectativa é que 50 mil e 45 mil pessoas peguem a estrada em ônibus intermunicipais. Além dos horários extras, os horários regulares diários estão mantidos. As passagens podem ser compradas com antecedência na rodoviária, por telefone ou pela internet.

Cidades mais procuradas
Além dos municípios do Recôncavo Baiano e do Litoral Norte, que sempre têm as maiores buscas por passagem, as cidades do extremo sul baiano são as mais procuradas em períodos festivos. “Os bilhetes vendidos para Itacaré, Ilhéus e Porto Seguro quase sempre esgotam”, revela Abdul. Outras cidades procuradas com freqüência são Lençóis, Barreiras, Vitória da Conquista, Juazeiro.
Com informações da Seinfra  07/04/2017 

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Diretor da OIT alerta que Reforma Trabalhista pode trazer problemas ao Brasil

Política  👷

A afirmação foi feita nesta quinta-feira, na última audiência pública da Comissão Especial da Reforma Trabalhista da Câmara dos Deputados, em Brasília.Segundo Poschen, mais de 80 convenções da entidade preveem que uma lei deve ter mais valor do que um acordo coletivo. Ele citou as convenções 98 e 154, que tratam sobre negociações coletivas entre trabalhadores e empregadores. A interpretação do dirigente é o oposto do que defende o governo do presidente Michel Temer.

Sputnik
foto - ilustração/Arquivo
O diretor da Organização Internacional do Trabalho (OIT) Peter Poschen alertou autoridades e políticos brasileiros envolvidos na Reforma Trabalhista para os acordos assinados pelo país no passado. A afirmação foi feita nesta quinta-feira, na última audiência pública da Comissão Especial da Reforma Trabalhista da Câmara dos Deputados, em Brasília.
Segundo Poschen, mais de 80 convenções da entidade preveem que uma lei deve ter mais valor do que um acordo coletivo. Ele citou as convenções 98 e 154, que tratam sobre negociações coletivas entre trabalhadores e empregadores. A interpretação do dirigente é o oposto do que defende o governo do presidente Michel Temer.
Entretanto, o diretor da OIT explicou que a entidade não tem posicionamento favorável ou contrário ao tema, se colocando a disposição para formular um parecer, caso solicitado pelo governo brasileiro. Poschen sustentou ainda que o país, com a Reforma Trabalhista, não pode tolerar más condições de trabalho ou a exploração do trabalhador.

Mais críticas
Outros debatedores também alertaram para o teor da reforma que o governo está tentando aprovar. Um dos pontos mais questionados foi a alegação de que alterar as leis trabalhistas do Brasil significa gerar mais empregos.
“Não há nenhum estudo que indique esta relação de causa e efeito. Tanto é que muitos países fizeram reforma trabalhista e voltaram atrás”, avaliou o advogado trabalhista Mauro de Azevedo Menezes. Ele ainda criticou a abrangência desta e outras reformas em curso, as quais terão impactos nos direitos sociais da população.
Já o representante do Fórum Sindical dos Trabalhadores (FST) Artur Bueno destacou que ampliar a jornada de trabalho de oito horas para 12 horas, que consta no texto da Reforma Trabalhista, pode fazer crescer o desemprego, assim como o número de acidentes e doenças ocupacionais.

Relator defende mudanças
Relator do projeto, o deputado federal Rogério Marinho (PSDB-RN) voltou a dizer que o Congresso precisa agir contra a alta taxa de desemprego, exaltando que reformas estruturais podem acontecer em tempos de crise. O parlamentar aproveitou para criticar as interpretações “equivocadas” sobre a lei sancionada recentemente por Temer, que regulamentou a terceirização.
Também presente na audiência pública, o ex-ministro do Trabalho no governo de José Sarney e do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Almir Pazzianotto, exaltou que o negociado sobre o legislado pode sim ser um “instrumento hábil de combate de desemprego”.
“Ninguém mais quer gerar empregos, porque todo emprego encerra um passivo oculto […]. Temos uma legislação insegura. E um sistema jurídico inseguro é imprestável”, explicou. Assim como Marinho, Pazzianotto deu a entender que a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), de 1943, está ultrapassada em razão da atual relação entre tecnologia e automação no mercado de trabalho.
Fonte - Sputnik  07/04/17

Roupa de bom negócio

Ponto de Vista  🔍

O açodamento do governo em cobrir o rombo nas contas públicas leva ao dilapidamento do patrimônio da União, ou seja, do povo brasileiro. Um governo sério, nacionalista, teria a visão de que é preciso pensar no longo prazo, no que esse patrimônio representa para o País e suas gerações futuras, e não usar o imediatismo de salvar um governo tampão, ilegítimo e inconsequente

Fernando Siqueira - Portogente
foto - ilustração/arquivo
Os jornais do último final de semana estamparam em primeira página que os leilões do pré-sal renderão cerca de R$ 24 bilhões para o caixa do governo. O leitor foi induzido a concluir que é um ótimo negócio para o País. Entretanto, o patrimônio que está sendo leiloado, considerando-se que o pré-sal ainda tem, segundo estudo de geólogos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), entre 50 e 100 bilhões de barris a serem descobertos, pode variar entre US$ 2,5 trilhões e US$ 5 trilhões em valor bruto, considerando a atual cotação do petróleo, cerca de US$ 50 o barril. Vale observar que os analistas internacionais sérios consideram que esse preço tende a subir em curto e médio prazos.
O açodamento do governo em cobrir o rombo nas contas públicas leva ao dilapidamento do patrimônio da União, ou seja, do povo brasileiro. Um governo sério, nacionalista, teria a visão de que é preciso pensar no longo prazo, no que esse patrimônio representa para o País e suas gerações futuras, e não usar o imediatismo de salvar um governo tampão, ilegítimo e inconsequente.
O petróleo alavancou o crescimento econômico dos Estados Unidos, da Noruega, da Inglaterra, Canadá e outros que administraram bem essa riqueza e conseguiram gerar emprego, tecnologia e desenvolvimento para o seu povo. O pré-sal pode colocar o Brasil nivelado com essas grandes potências, mas o governo Temer está barganhando essa riqueza pelo salvamento de suas lideranças envolvidas na operação Lava Jato.
Assim, a maior oportunidade que o País já teve de ter um desenvolvimento em curto prazo está sendo dilapidada em detrimento do povo brasileiro.
*Fernando Siqueira é vice-presidente da Associação dos Engenheiros da Petrobras (Aepet).
Fonte - Portogente  07/04/2017

Mais de 7,5 mil turistas desembarcam no Porto de Salvador em abril

Turismo  🚢

Na primeira semana de abril, o MSC Orchestra trouxe à capital baiana 3.173 passageiros, vindos do Rio de Janeiro, com destino a Recife. Com isso, o movimento no Porto de Salvador totaliza 7.536 turistas durante este mês, contribuindo para incrementar as vendas em lojas e restaurantes do Pelourinho. 

Da Redação
Ascom/Setur
O navio MSC Preziosa traz a Salvador, no próximo dia 16, um total de 4.363 turistas, que terão a oportunidade de visitar o Centro Histórico e conhecer um pouco mais sobre a arquitetura do século 18 e a cultura baiana preservada pela arte, música, dança e gastronomia. Provenientes de Búzios, no Rio de Janeiro, os passageiros desembarcam no Porto de Salvador, passam o dia na capital e seguem viagem, no final da tarde, com destino a Fortaleza (CE).
Na primeira semana de abril, o MSC Orchestra trouxe à capital baiana 3.173 passageiros, vindos do Rio de Janeiro, com destino a Recife. Com isso, o movimento no Porto de Salvador totaliza 7.536 turistas durante este mês, contribuindo para incrementar as vendas em lojas e restaurantes do Pelourinho.
Ao comentar, nesta sexta-feira (7), sobre o fluxo de transatlânticos no Porto de Salvador, o secretário estadual do Turismo, José Alves, afirmou que a Bahia está preparada para bem receber os visitantes, oferecendo serviços de qualidade. Observou, ainda, que o mercado de cruzeiros é hoje um dos mais promissores. A indústria internacional de cruzeiros marítimos teve crescimento de 6,9% em 2015, com uma receita estimada em US$ 39,6 bilhões. “Temos todas as condições para alcançar uma boa fatia desse mercado”.
A Setur busca aproximação com a Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos (Abremar) e mantém aberto o diálogo que busca contribuir para o incremento do setor, por meio do estabelecimento de estratégias conjuntas. “A meta é alavancar o fluxo de turistas de cruzeiros para a Bahia”, ressaltou Alves.
Com informações da Secom Ba.  07/04/2017 

Metrô tem esquema especial para primeiro Ba-Vi do ano

Transportes sobre trilhos  🚇

Para garantir um deslocamento rápido, seguro e confortável para todos que forem à arena, a CCR Metrô Bahia reforçou a equipe de atendimento nas estações das Linhas 1 e 2 e a bordo dos trens.

Da Redação
foto - ilustração/arquivo
Com duas estações bem próximas à Arena Fonte Nova (Campo da Pólvora – a 400 metros e Brotas – a 700 metros), o Metrô de Salvador terá esquema especial para levar os torcedores ao primeiro Ba-Vi de 2017, neste domingo (9/04). Para garantir um deslocamento rápido, seguro e confortável para todos que forem à arena, a CCR Metrô Bahia reforçou a equipe de atendimento nas estações das Linhas 1 e 2 e a bordo dos trens.
Os Agentes de Atendimento e Segurança (AASs) das estações farão a orientação e encaminhamento do público para que os torcedores do Vitória embarquem sempre no primeiro carro dos trens. Os que torcem para o Bahia, time com mando de campo nesta partida, podem acessar os outros três carros do trem. A recomendação é que a torcida do Vitória desembarque na Estação Brotas e os torcedores do Bahia na Estação Campo da Pólvora.
O esquema especial de operação será iniciado às 13h em todas as estações, seguindo até o retorno de todos os torcedores após encerramento da partida. A separação por carros também será realizada no retorno dos torcedores após o jogo.
Para evitar filas e garantir o uso integrado do metrô com os ônibus, a dica é adquirir o Cartão Integração, fazendo uma carga a partir de R$ 5,00 (valor que fica como crédito para pagamento da passagem). Quem já tem o cartão pode antecipar a recarga nas bilheterias das estações em operação ou nas máquinas de autoatendimento disponíveis nas estações Lapa, Campo da Pólvora, Acesso Norte, Rodoviária e Brotas. O cartão avulso, que dá direito à uma única passagem, também podem ser comprado antecipadamente em qualquer bilheteria. A tarifa é R$ 3,60.

Segurança
Além de reforçar a equipe de Agentes de Atendimento e Segurança em todas as estações, a CCR Metrô Bahia também terá integrantes do grupo de Pronta Resposta disponíveis nas estações Campo da Pólvora, Acesso Norte e Pirajá. O grupo é formado por AASs treinados para promover a dispersão de situações de tumulto, com foco na segurança dos usuários.
O sistema metroviário conta com mais de mil câmeras interligadas ao Centro de Controle Operacional (CCO), que realiza o monitoramento contínuo das estações, trens e áreas de acesso. O controle de situações inesperadas é reforçado pela transmissão de imagens de parte dessas câmeras para o Centro de Informação e Comunicação (CICOM) da Secretaria de Segurança Pública (SSP). Além disso, um reforço do policiamento nas áreas de acesso de algumas estações foi alinhado com o Comando de Operações da Policia Militar (COPPM).
Com informações da CCR Metrô Bahia 07/04/2017

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Problema de energia interrompe circulação do VLT do Rio em sete estações

Transportes sobre trilhos  🚄

Circulação da linha 1 acontece somente entre as estações Parada dos Museus e Rodoviária Novo Rio. Causas da instabilidade são desconhecidas

O Dia
foto - ilustração/arquivo
Uma instabilidade de energia no sistema do VLT interrompe a circulação em sete estações na tarde desta quinta-feira.De acordo com a concessionária, a Linha 1 funciona somente entre a Parada dos Museus e a Rodoviária Novo Rio.
As causas do problema não foram divulgados. De acordo com a Light, não há nenhum registro de interrupção junto à empresa, sendo assim uma causa interna, de responsabilidade do VLT.
Com o problema, que começou por volta das 13h40, a circulação não ocorre entre as estações São Bento e Santos Dumont (aeroporto). Quedas de energia são frequentes no sistema.
Fonte - O Dia  06/04/2017 

Metrô de Salvador - horários,tarifas e integrações

Transportes sobre trilhos  🚇

O sistema Metroviário de Salvador composto pelas linhas, 1- Estação Lapa a Estação Pirajá e 2 - Estação Acesso Norte a Estação Rodoviária,funciona todos os dias inclusive domingos e feriados das 5h a meia noite. 

Da Redação
foto - ilustração/arquivo
Tarifa exclusiva do Metrô:
Para utilizar apenas o metrô no deslocamento,o usuário pagará R$ 3,60 (três reais e sessenta centavos) por viagem, que é a Tarifa Pública do Metrô,pagando apenas uma única tarifa enquanto permanecer dentro do sistema.

Tarifa de integração Metrô/Ônibus Urbano:
Tarifa integrada Metrô-Ônibus Municipais - Para realizar viagens integradas entre Metrô e os Ônibus Municipais,o usuário pagará a Tarifa Pública de Integração no valor de R$ 3,60 (três reais e sessenta centavos) por viagem integrada.
Com o pagamento desta tarifa, o usuário terá direito, em um intervalo de até 2 (duas) horas, às seguintes opções de viagens integradas com ônibus urbanos:
🚌Ônibus > 🚇Metrô > 🚌Ônibus
🚌Ônibus > 🚇Metrô
🚇Metrô   > 🚌Ônibus

Tarifa de integração Metrô/ônibus metropolitanos:
Os Cartões que permitem a integração são - Cartão Integração do Metrô e Metropasse ,Cartão Vale-Transporte do Metropasse
Com o cartão CCR Metrô Bahia ou Metropasse, o usuário terá direito, em um intervalo de até 3 horas, às seguintes opções de viagens integradas entre o metrô e as linhas metropolitanas integradas:
🚌Ônibus Metropolitano > 🚇Metrô
🚇Metrô > 🚌Ônibus Metropolitano
Obs - na integração metropolitana, o usuário não poderá efetuar mais de um transbordo. Caso ocorra, uma nova tarifa será cobrada.

Os estudantes têm o benefício da meia-passagem utilizando o cartão estudante do Metropasse de meia passagem escolar.
Pregopontocom 06/04/2017

Reformas podem quebrar Previdência

Ponto de Vista  🔍

Somente a reforma da Previdência tende a excluir uma enorme massa de contribuintes, com reflexos dramaticamente negativos sobre as receitas do setor. A exigência de 65 anos de idade e 49 anos de contribuição (para a aposentadoria “integral”) menospreza a realidade do mercado de trabalho, cujas estatísticas revelam que não serão cumpridos sequer os 25 anos de contribuição da aposentadoria parcial: 79% dos trabalhadores que se aposentaram por idade contribuíram por tempo inferior a 24 anos.

Eduardo Fagnani*
foto - ilustração
Combinadas, a reforma da Previdência, Proposta de Emenda Constitucional (PEC 287/2016), a terceirização irrestrita recém-sancionada por Michel Temer e a reforma trabalhista (Projeto de Lei 6.787/2016) que tramita no Congresso Nacional poderão quebrar o Regime Geral da Previdência Social (RGPS) e muitas Entidades Fechadas de Previdência Complementar (EFPC).
Somente a reforma da Previdência tende a excluir uma enorme massa de contribuintes, com reflexos dramaticamente negativos sobre as receitas do setor. A exigência de 65 anos de idade e 49 anos de contribuição (para a aposentadoria “integral”) menospreza a realidade do mercado de trabalho, cujas estatísticas revelam que não serão cumpridos sequer os 25 anos de contribuição da aposentadoria parcial: 79% dos trabalhadores que se aposentaram por idade contribuíram por tempo inferior a 24 anos.
Em função da rotatividade do emprego, o trabalhador com carteira assinada da iniciativa privada (cerca de 50% do total) contribui, em média, durante apenas nove meses por ano. Nesse ritmo, para cumprir a regra atual de 15 anos de contribuição (180 contribuições mensais) são necessários mais de 20 anos; e para cumprir a regra de 25 anos (300 contribuições mensais), prevista na PEC 287/2016, serão necessários mais de 33 anos.
Observe-se que cerca da metade (40 milhões) de trabalhadores no setor privado têm empregos sem carteira assinada, já não contribuem para a Previdência Social e não terão proteção na velhice. Nas regiões mais pobres do país, a informalidade é superior a 60%, chegando a 75% no Maranhão. Estudos do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) revelam que o emprego precário é maior entre os jovens de 15-19 anos (64%) e pessoas com mais de 59 anos, atingindo 70% na faixa entre 65-69 anos.
O trabalhador rural não tem condições de contribuir mensalmente, como determina a PEC 287, ignorando as condições de vida no campo e a realidade do regime de safras da agricultura familiar. Os jovens serão desmotivados a aderir ao sistema público, pois, para ter a aposentadoria “integral” aos 65 anos, eles precisam entrar no mercado de trabalho com 16 anos, permanecer no emprego com carteira de trabalho assinada e contribuir, ininterruptamente, durante quase meio século.
Um médico formado com 27 anos, só cumprirá esse requisito para obter aposentadoria “integral” aos 76 anos. Por que pagaria um carnê mensal de 600 parcelas, para quando tiver 76 anos, caso viva até essa idade, receber uma aposentadoria de no máximo 5 mil reais? Parcela expressiva dos brasileiros tendem a ser expulsos precocemente do mercado de trabalho, em decorrência de doenças crônicas que os incapacitam para as atividades laborais.
Em função do marketing negativo da Previdência pública e apologético da Previdência privada, os 20% que conseguem contribuir durante 25 anos e mais, tendem a migrar para planos ofertados pelo mercado. Dados da Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (Fenaprev) revelam que os investimentos das carteiras dos planos privados de aposentadoria cresceram 38,5% entre outubro de 2015 e outubro de 2016. Essa migração tende a se intensificar nos próximos anos.
Portanto, basta a Reforma da Previdência, para desmotivar a adesão ao sistema público, expulsar atuais contribuintes e incentivar a migração para a Previdência privada. Todas essas possibilidades terão consequências gravíssimas na quebra da arrecadação do RGPS, comprometendo a sobrevivência do sistema.

Terceirização e Previdência
O efeito da PEC 287 é explosivo se combinado com a terceirização irrestrita recém-sancionada pela presidência da República. Observe-se que de um total de 79 milhões de empregos no setor privado, apenas cerca de 36 milhões têm carteira assinada com contribuições contínuas e regulares para a Previdência.
O sociólogo Ruy Braga sustenta que a terceirização poderá promover uma inversão estrutural no mercado de trabalho: “em cinco, sete anos o total de terceirizados pode chegar a 75%", o que seria “um desastre” para as contas públicas, afirmou em recente entrevista ao jornal Valor.
A queda da receita advém da transformação de um número grande de trabalhadores com carteira assinada em Pessoas Jurídicas ou Empreendedores Individuais, cujas alíquotas, incidentes sobre o valor mínimo, são 50% menores que as praticadas num vínculo trabalhista registrado em carteira. Além disso, a terceirização tende a rebaixar os salários. Estudo do Dieese destaca que a remuneração nominal média nas atividades terceirizadas é 25% inferior à praticada nas atividades formalizadas.
Outros impactos negativos sobre as receitas previdenciárias são a maior rotatividade dos empregos terceirizados (o dobro dos empregos formais) e o menor tempo médio de duração do vínculo de emprego (metade das contratações formais). Longos períodos de desemprego e o exercício de atividades precárias reduzem o fluxo contínuo de receitas previdenciárias e prolongam o período contributivo, limitando ainda mais as possibilidades de o trabalhador cumprir sequer 25 anos de contribuição.
A empresa terceirizada poderá subcontratar outras empresas ("quarteirização") e tende a afastar o trabalhador do acesso a direitos como 13º salário e férias, sendo facultativa a oferta de serviços de saúde, transporte e alimentação aos empregados, o que incentiva a demissão de funcionários recontratados na sequência como terceirizados.
Além de pagarem menores salários, as empresas terceirizadas tendem a pagar menos imposto, abrem e fecham com facilidade e, em muitos casos, recolhem tributos dos trabalhadores e não repassam para os órgãos do governo.
A “falência” programada é prática corrente de grande parte das empresas contratadas pelo setor público, sobretudo nos períodos que antecedem o encerramento do contrato. Mais grave é que a lei sancionada não prevê a obrigatoriedade de a empresa contratante fiscalizar a terceirizada no cumprimento das suas obrigações trabalhistas e previdenciárias.
Atrasos no pagamento ou desrespeito a legislação trabalhista são deveres exclusivos da terceirizada, sendo que a “responsabilidade subsidiária” da contratante é acionada apenas na ausência da prestadora, em razão de falência, por exemplo. No caso da União, o Supremo Tribunal Federal (STF) acabou de decidir que não há “responsabilidade subsidiária” por débitos trabalhistas gerados pelo inadimplemento de empresa terceirizada.
Ao contrário do senso comum, a terceirização induz ao desemprego, posto que jornadas de trabalho mais longas (85,9% dos vínculos nas atividades terceirizadas possuem jornada de 41-44 horas semanais contra 61,6% nas atividades formais) tornam novas contratações desnecessárias. Por outro lado, os afastamentos por doenças profissionais e acidentes de trabalho são maiores nas atividades terceirizadas (o dobro, em alguns casos), o que implicará aumentos nas despesas previdenciárias.

Reforma Trabalhista e Previdência

Outra ameaça contra as contas da Previdência é a reforma trabalhista (Projeto de Lei 6.787/2016) que tramita no Congresso Nacional. Como se sabe, esse projeto de lei atinge a espinha dorsal da Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), alterando radicalmente o sistema de relações de trabalho no Brasil. O princípio de que “o negociado prevalece sobre o legislado” poderá induzir contratações em patamares inferiores aos estabelecidos pela legislação, fazer retroceder direitos, minar a representação sindical e limitar a atuação da Justiça do Trabalho.
*Eduardo Fagnani é professor do Instituto de Economia da Unicamp, pesquisador e coordenador da rede Plataforma Política Social.
Fonte - Portogente  06/04/2017

VLT do Cariri encontra-se fora de serviço desde novembro do ano passado

Transportes sobre trilhos   🚄

Em novembro do ano passado, devido ao avanço do projeto da Avenida do Contorno, em Juazeiro do Norte, o VLT do Cariri teve que interromper a operação para possibilitar a construção de dois viadutos que passarão sobre a via férrea.

Do Diário do Nordeste
foto - ilustração
O Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) do Cariri,que liga a cidade do Crato a Juazeiro do Norte no Ceará,esta parado desde novembro do ano passado.Inaugurado em 2009 e iniciando a operação assistida com horários reduzidos como forma de experiência, o VLT chegou à região com a promessa de "requalificar o transporte ferroviário de passageiros", e naquele ano,o equipamento transportou aproximadamente 10 mil usuários.
No ano seguinte já com horários já estendidos, foram transportados cerca de 90 mil usuários. Nos anos subsequentes o número de passageiros só aumentou. Em 2011 foram 295 mil, e em 2014 o VLT atingiu seu ápice com 390,6 mil passageiros transportados. No ano passado, de acordo com Metrofor, empresa que administra o equipamento,foram transportados 365 mil usuários. Estes números segundo o Governo, "cumprem portanto, importante função pública ao oferecer alternativa no deslocamento entre duas cidades de grande relevância,em uma das áreas de maior movimentação econômica, cultural e religiosa fora da Região Metropolitana de Fortaleza".
Em novembro do ano passado, devido ao avanço do projeto da Avenida do Contorno em Juazeiro do Norte, o VLT do Cariri teve que interromper a operação,para possibilitar a construção de dois viadutos que passarão sobre a via férrea. O prazo inicial para retorno da operação do VLT era de 60 dias, mais foi extrapolado. "O período de chuvas fortes na região provocou atrasos nos trabalhos e a necessidade de recuperação de algumas estruturas de drenagem e na própria via férrea", justificou a empresa que gere o VLT. A retomada das atividades ainda não tem data definida.
Fonte -  Diário do Nordeste 06/04/2017

Travessia marítima entre Salvador e Itaparica,pelo Ferry-Boat,tem movimento tranquilo na manhã desta quita (06)

Travessia marítima  🚢

Durante esta manhã desta quinta (06) o fluxo de passageiros no sistema Ferry-Boat e veículos está tranquilo nos dois terminais,em São Joaquim e Bom Despacho.O sistema opera com quatro embarcações

Da Redação
foto - ilustração/arquivo
O sistema Ferry-Boat,opera nesta manhã de quinta-feira (06), com quatro embarcações, Zumbi dos Palmares, Agenor Gordilho, Pinheiro e Ivete Sangalo, com saídas programadas nos horários regulares ,de hora em hora. Uma embarcação,a Juracy Magalhães Jr. permanece de reserva,em stand by, podendo integrar a operação caos seja necessário. Durante esta manhã o fluxo de passageiros e veículos está tranquilo nos dois terminais,em São Joaquim e Bom Despacho.
Os usuários que optarem pelo serviço de hora marcada,deverão consultar previamente o site da ITS _ -portalsits.internacionaltravessias.- para verificarem  a disponibilidade de vagas para embarque,o pagamento das passagens deverá ser feito também através do próprio site por meio de cartões de credito e débito.
O sistema mantém uma Central de Atendimento ao Cliente (CAC), localizada no Terminal São Joaquim funcionando de segunda a sexta, das 8h às 18h, e aos sábados, das 7h às 13h.
Com informações da ITS  06/04/2017

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Telescópio russo vai proteger os céus no Brasil

Ciência & Tecnologia  📡

O projeto é uma parceria entre o Laboratório Nacional de Astrofísica (LNA), junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, e a Roscosmos, a agência espacial da Rússia, que financiou o projeto, cujo custo foi de R$10 milhões. O novo telescópio é fruto de um convênio de cooperação científica dentro do acordo dos BRICs, assinado em 2016, e é o primeiro telescópio da Roscosmos no hemisfério sul.

Sputnik
Ministério da Ciência, Tecnologia Inovações e
Comunicações (MCTIC)
Esta quarta-feira, 5 de abril, os satélites de comunicação na órbita da Terra terão menos risco de colisão com detritos espaciais, graças à inauguração do novo telescópio russo instalado pela Roscosmos no Observatório do Pico dos Dias, em Brazópolis (MG), para monitorar o lixo espacial.
O projeto é uma parceria entre o Laboratório Nacional de Astrofísica (LNA), junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, e a Roscosmos, a agência espacial da Rússia, que financiou o projeto, cujo custo foi de R$10 milhões. O novo telescópio é fruto de um convênio de cooperação científica dentro do acordo dos BRICs, assinado em 2016, e é o primeiro telescópio da Roscosmos no hemisfério sul.
A instalação do telescópio faz parte do projeto da Agência Espacial Russa intitulado Panoramic Electro-Opical System for Space Debris Detection (PanEOS), que prevê a construção e operação de uma rede de instalações desse tipo de telescópio na Rússia e em vários outros pontos do planeta para ampliar o mapeamento da órbita terrestre e o monitoramento do lixo espacial.
A agência Sputnik Brasil conversou com o diretor do LNA, Bruno Castilho, que explicou a importância prática e teórica dessa parceria.
"A importância prática para o Brasil é o fato do acordo que já existe, entre a Agência Espacial da Rússia e a Agência Espacial Brasileira, para construção de satélites e utilização pacífica do espaço ser ainda mais reforçado. Quando o Brasil for lançar um satélite novo vai poder ter acesso aos dados do mapa de detritos espaciais feito pela Roscosmos, colocado assim o seu satélite em uma órbita mais segura e protendo um investimento brasileiro. Além disso, os pesquisadores da área de astronomia no Brasil vão poder usar todos os dados obtidos por este telescópio para pesquisarem supernovas, estrelas variáveis, asteroides, bem como para outras atividades científicas, reutilizando assim esses dados e dando mais utilidades para eles", explicou o especialista.
"Um aspecto muito importante desse projeto é o fato de abrir portas para novos projetos de desenvolvimento de tecnologia em parceria. O Brasil e a Rússia são dois países que possuem muitas possibilidades de cooperação, mas têm aproveitado muito pouco por motivos de distanciamento. Existem várias cooperações em andamento, mas de pesquisador para pesquisador. No nível institucional ou de ministérios tem muito ainda a ser feito nessa área de cooperação Brasil-Rússia. Esse projeto está demonstrando que esses dois países têm muito a contribuir e que isso pode ser feito. Em apenas um ano, desde a assinatura do acordo, que foi no dia 7 de abril de 2016, o projeto foi executado e está pronto para operar este mês. É um sucesso de desenvolvimento. Em apenas um ano, o projeto saiu do papel para o funcionamento", destacou o Bruno Castilho.
Segundo o diretor do LNA, o projeto ainda possui um significado especial, pois foi feito no âmbito da cooperação entre os BRICs.
"Existe a importância do projeto em si, bem como a importância de estar dentro desse acordo dos BRICs. O Brasil tem investido nessa cooperação com esses países. São países que têm muito a contribuir um com outro. E esse acordo com a Rússia é um exemplo de sucesso bilateral. A próxima reunião do Grupo de Astronomia dos BRICs será na Índia, e esse projeto será comunicado ao grupo, durante a reunião, como um projeto já concluído", comemorou o interlocutor da agência Sputnik Brasil.
Fonte - Sputnik  05/04/2017

O fim do emprego

Ponto de Vista  🔍

Estudos sobre o mercado de trabalho demonstram como terceirizados ganham, em média, 24% menos do que trabalhadores formais, mesmo trabalhando, em média, três horas a mais do que os últimos. Este é o mundo que os políticos brasileiros desejam a seus eleitores.Nenhum deputado, ao fazer campanha pela sua própria eleição em 2014, defendeu reforma parecida. 

Vladimir Safatle* - Portogente
foto - ilustração/arquivo
Nunca na história da República o Congresso Nacional votou uma lei tão contrária aos interesses da maioria do povo brasileiro de forma tão sorrateira. A terceirização irrestrita aprovada nesta semana cria uma situação geral de achatamento dos salários e intensificação dos regimes de trabalho, isto em um horizonte no qual, apenas neste ano, 3,6 milhões de pessoas voltarão à pobreza.
Estudos sobre o mercado de trabalho demonstram como terceirizados ganham, em média, 24% menos do que trabalhadores formais, mesmo trabalhando, em média, três horas a mais do que os últimos. Este é o mundo que os políticos brasileiros desejam a seus eleitores.
Nenhum deputado, ao fazer campanha pela sua própria eleição em 2014, defendeu reforma parecida. Ninguém prometeu a seus eleitores que os levaria ao paraíso da flexibilização absoluta, onde as empresas poderão usar trabalhadores de forma sazonal, sem nenhuma obrigatoriedade de contratação por até 180 dias. Ou seja, essa lei é um puro e simples estelionato eleitoral, feito só em condições de sociedade autoritária como a brasileira atual.
Da lei aprovada nesta semana desaparece até mesmo a obrigação da empresa contratante de trabalho terceirizado fiscalizar se a contratada está cumprindo obrigações trabalhistas e previdenciárias. Em um país no qual explodem casos de trabalho escravo, esse é um convite aberto à intensificação da espoliação e à insegurança econômica.
Ao menos, ninguém pode dizer que não entendeu a lógica da ação. Em uma situação na qual a economia brasileira está em queda livre, retirar direitos trabalhistas e diminuir os salários é usar a crise como chantagem para fortalecer o patronato e seu processo de acumulação. Isso não tem nada a ver com ações que visem o crescimento da economia. Como é possível uma economia crescer se a população está a empobrecer e a limitar seu consumo?
Na verdade, a função dessa lei é acabar com a sociedade do emprego. Um fim do emprego feito não por meio do fortalecimento de laços associativos de trabalhadores detentores de sua própria produção, objetivo maior dos que procuram uma sociedade emancipada. Um fim do emprego por meio da precarização absoluta dos trabalhos em um ambiente no qual não há mais garantias estatais de defesa mínima das condições de vida. O Brasil será um país no qual ninguém conseguirá se aposentar integralmente, ninguém será contratado, ninguém tirará férias. O engraçado é lembrar que a isso alguns chamam "modernização".
De fato, há sempre aqueles dispostos à velha identificação com o agressor. Sempre há uma claque a aplaudir as decisões mais absurdas, ainda mais quando falamos de uma parcela da classe média que agora flerta abertamente com o fascismo. Eles dirão que a flexibilização irrestrita aumentará a competitividade, que as pessoas precisarão ser realmente boas no que fazem, que os inovadores e competentes terão seu lugar ao sol. Em suma, que tudo ficará lindo se deixarmos livre a divina mão invisível do mercado.
O detalhe é que, no mundo dessas sumidades, não existe monopólio, não existe cartel, não existem empresas que constroem monopólios para depois te fazer consumir carne adulterada e cerveja de milho, não existe concentração de renda, rentismo, pessoas que nunca precisarão de fato trabalhar por saberem que receberão herança e patrimônio, aumento da desigualdade. Ou seja, o mundo dessas pessoas é uma peça de ficção sem nenhuma relação com a realidade.
Mas nada seria possível se setores da imprensa não tivessem, de vez, abandonado toda ideia elementar de jornalismo.
Por exemplo, na semana passada o Brasil foi sacudido por enormes manifestações contra a reforma da Previdência. Em qualquer país do mundo, não haveria veículo de mídia, por mais conservador que fosse, a não dar destaque a centenas de milhares de pessoas nas ruas contra o governo. A não ser no Brasil, onde não foram poucos os jornais e televisões que simplesmente agiram como se nada, absolutamente nada, houvesse acontecido. No que eles repetem uma prática de que se serviram nos idos de 1984, quando escondiam as mobilizações populares por Diretas Já!. O que é uma forma muito clara de demonstrar claramente de que lado sempre estiveram. Certamente, não estão do lado do jornalismo.
*Vladimir Safatle é professor livre-docente do Departamento de Filosofia da Universidade de São Paulo (USP). Artigo reproduzido a partir do site da Agência Sindical
Fonte - Portogente  05/04/2017

Final de semana terá Festival Caymmi e Feira de Arte em Salvador

Arte & Cultura

O Passeio Público recebe o Festival Caymmi de Música, apresentando, das 8 às 16h, cerca de 20 atrações, além de feira e atividades educativo e culturais (shows, gastronomia, meditação, yoga, saraus, vitrolagem e oficinas).

Da Redação
foto - Davi Caramelo
Dois grandes eventos devem reunir aproximadamente quatro mil pessoas no Passeio Público e Palácio da Aclamação, localizados no Campo Grande, em Salvador, nestes sábado e domingo (8 e 9). Das 11 às 17h, o palácio oferece ao público a feira ‘Pedra Papel Tesouro’, com 40 artistas que comercializam suas obras de arte, incluindo lanches naturais nos jardins e canjas musicais no salão.
O Passeio Público recebe o Festival Caymmi de Música, apresentando, das 8 às 16h, cerca de 20 atrações, além de feira e atividades educativo e culturais (shows, gastronomia, meditação, yoga, saraus, vitrolagem e oficinas). Os dois espaços pertencem ao Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac), vinculado à Secretaria de Cultura do Estado (Secult), e se consolidam como referência para artistas e produtores culturais da capital baiana. Leia mais sobre o evento no site do Ipac.
Com informações da Secom Ba.  05/04/2017

Justiça mantém contrato do VLT suspenso em MT

Transportes sobre trilhos  🚄

O pedido foi formulado para que o novo acordo entre as partes seja analisado pelo Ministério Público Estadual e Ministério Público Federal. Na segunda-feira (3), o governo anunciou o novo acordo para a retomada da obra já no próximo mês.

FolhaMax - RF
foto - ilustração/arquivo
O juiz Federal da 1ª Vara de Mato Grosso, Ciro José de Andrade Arapiraca, determinou a prorrogação da suspensão do contrato entre o Governo do Estado e o Consórcio VLT por mais 30 dias. A decisão foi proferida nesta terça-feira (4) e atende a um pedido do próprio Governo e do Consórcio VLT.
O pedido foi formulado para que o novo acordo entre as partes seja analisado pelo Ministério Público Estadual e Ministério Público Federal. Na segunda-feira (3), o governo anunciou o novo acordo para a retomada da obra já no próximo mês.
Para isso, o Estado será responsável pelo pagamento R$ 922 milhões para a conclusão integral da implantação do modal. A obra já custou R$ 1 bilhão e o novo acordo precisa ser homologado pela Justiça.
Diante do cenário, o juiz entendeu pela necessidade de que, tanto que o Ministério Público Estadual e o Ministério Público Federal confiram “a completa eficácia ao acordo entabulado entre as partes”. “Defiro o pedido de prorrogação da suspensão do presente processo e do Contrato Administrativo nº 037/SECOPA/2012 e seus aditivos, pelo prazo de 30 (trinta) dias, contados a partir do primeiro dia útil seguinte à publicação da presente decisão”, diz trecho da decisão.
Conforme o cronograma do novo acordo, a entrega da primeira etapa está prevista para março de 2018, no trecho entre o aeroporto de Várzea Grande até a estação do Porto, em Cuiabá. Até dezembro de 2018 deverá entrar em funcionamento todo o trecho da linha 1, num total de 15 quilômetros, entre o aeroporto de Várzea Grande e o Terminal do Comando Geral, em Cuiabá.
Já a linha 2, que compreende o trecho de 7,2 km entre a avenida Tenente Coronel Duarte (Prainha) e o Parque Ohara, no Coxipó, será entregue até maio de 2019.
Fonte - Revista Ferroviária  05/04/2017

Em dois meses, vias marginais de São Paulo têm 223 acidentes com vítimas

Trânsito  🚗

Desde o dia 25 de janeiro, as velocidades máximas foram reajustadas de 70 quilômetros por hora (km/h) para 90 km/h na pista expressa, de 60 km/h para 70km/h na pista central, e de 50 km/h para 60 km/h na pista local.Nos primeiros 30 dias dos novos limites de velocidade ocorreram 106 acidentes com vítima, com uma morte.

Daniel Mello
Repórter da Agência Brasil

foto - ilustração/arquivo
Após o aumento dos limites de velocidade nas vias marginais da capital paulista, foram registrados 223 acidentes com vítimas em dois meses. Segundo o balanço da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), foram 117 ocorrências de 24 de fevereiro a 26 de março, sendo que 93 envolveram motos. Foram registradas duas mortes no período. Nos primeiros 30 dias dos novos limites de velocidade ocorreram 106 acidentes com vítima, com uma morte.
Desde o dia 25 de janeiro, as velocidades máximas foram reajustadas de 70 quilômetros por hora (km/h) para 90 km/h na pista expressa, de 60 km/h para 70km/h na pista central, e de 50 km/h para 60 km/h na pista local. A exceção é a faixa direita da pista local, mais perto da calçada, que permaneceu com limite de 50 km/h. Trafegam pelas marginais Tietê e Pinheiros 1,2 milhão de veículos por dia. A prefeitura não disponibilizou os dados do mesmo período do ano passado para que se possa comparar se houve redução, aumento ou se o número de acidentes se manteve após a medida. Segundo o órgão, essa análise será feita após três meses da implantação dos novos limites.
O aumento das velocidades foi acompanhado por um programa de conscientização dos condutores e reforço nas equipes da CET que atuam nas vias. “Com o aumento de 67% no contingente, mais ocorrências nas marginais passaram a ser atendidas. Hoje, um agente leva em média 10 minutos para chegar em uma ocorrência”, destaca o comunicado da companhia.
A prefeitura de São Paulo havia reduzido as velocidades máximas permitidas não só nas marginais, como em diversas ruas e avenidas da cidade, como parte de um programa de segurança no trânsito da gestão do ex-prefeito, Fernando Haddad.
A CET divulgou, em outubro passado, um balanço que mostrou queda de 52% no número de acidentes fatais nas marginais Tietê e Pinheiros, durante o primeiro ano de implantação da medida. De julho de 2014 a junho de 2015, foram registrados 64 acidentes com mortes. De julho de 2015 a junho de 2016, ocorreram 31.
Fonte - Agência Brasil  04/04/2017

terça-feira, 4 de abril de 2017

Pregopontocom Por Trás da Câmera - Entrevista com Eduardo Copello Presidente da CTB,Cia de Transportes da Bahia

Por Trás da Câmera  📹

Entrevista

O Presidente da CTB (Cia de Transportes da Bahia), Eduardo Copello, fala sobre o Metrô de Salvador, o VLT da orla ferroviária da cidade, investimentos em infraestrutura, e o futuro da Mobilidade em Salvador e na RMS  







Lutar e impedir o assalto a direitos

Ponto de Vista  🔍

É hora de buscar a unidade, promover a mobilização e lutar para frear o avanço predatório sobre conquistas históricas e essenciais.Ao aprovar o Projeto de Lei 4.302/1998, no dia 22 de março, a Câmara dos Deputados deu demonstração grave nesse sentido. A proposição não só libera a terceirização das atividades-fim, acentuando a precarização do trabalho no Brasil, como amplia o tempo de contrato temporário.

Murilo Pinheiro* - Portogente
foto - ilustração/arquivo
O movimento sindical brasileiro tem uma clara missão colocada a sua frente neste momento em que, mais uma vez, os direitos dos trabalhadores – o que significa dizer da imensa maioria da população – são ameaçados em várias frentes. É hora de buscar a unidade, promover a mobilização e lutar para frear o avanço predatório sobre conquistas históricas e essenciais.
Ao aprovar o Projeto de Lei 4.302/1998, no dia 22 de março, a Câmara dos Deputados deu demonstração grave nesse sentido. A proposição não só libera a terceirização das atividades-fim, acentuando a precarização do trabalho no Brasil, como amplia o tempo de contrato temporário. As duas alterações podem ter o efeito prático de minar as garantias previstas na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e deixar o empregado, obviamente a parte mais frágil na relação com o patrão, à própria sorte.
Apresentado como matéria de interesse do empresariado, esse esforço de fragilizar a condição do trabalhador acabará por se mostrar um equívoco. Isso porque um fator fundamental de ganho de produtividade e competitividade no mercado é certamente mão de obra qualificada, capaz de garantir produtos, serviços e processos que assegurem os resultados perseguidos. Difícil imaginar um projeto capitalista robusto que se sustente com o esforço de pessoas mal pagas, sem benefícios e sujeitas a acidentes e doenças. Lamentavelmente, a falta de visão estratégica e de compromisso com o bem-estar da sociedade emplacou a aprovação de um projeto enviado ao Congresso há 19 anos e que já deveria ter sido retirado de lá.
Ainda em tramitação, temos a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287, que pretende reformar a Previdência Social, basicamente restringindo o direito à aposentadoria. Entre as principais mudanças estão a elevação da idade mínima para 65 anos para homens e mulheres, a contribuição por 25 anos e a exigência de 49 anos de contribuição para ter acesso ao benefício integral. No dia 15 de março, os trabalhadores, inclusive os engenheiros, foram às ruas dizer não a essa proposta inaceitável e injustificável, já que o alegado rombo já foi mais que desmentido por especialistas.
A mobilização precisa seguir e se fortalecer. É necessário construir forte consenso em torno da defesa da aposentadoria, não só no movimento sindical, mas no conjunto da sociedade que será prejudicada pela medida. Não podemos assistir passivamente ao assalto aos direitos do povo brasileiro em nome de um suposto ajuste exigido pelo mercado financeiro.
Ninguém questiona a necessidade de responsabilidade ao administrar as contas públicas, mas a arrumação da casa não pode ser feita única e exclusivamente à custa do trabalhador. É hora de baixar juros, retomar investimentos e obras paradas para combater o desemprego e incentivar a indústria de forma efetiva. Esse é o caminho que devemos trilhar.
*Murilo Pinheiro é presidente da Federação Nacional dos Engenheiros (FNE) e está à frente do movimento Engenharia Unida
Fonte - Portogente  04/04/2017

Contingenciamento coloca em risco investimento de Transportes e Defesa

Política  🚌📡

Com o contingenciamento, o governo definiu os limites de empenho de cada ministério para este ano, que é a autorização inicial para o gasto. O corte do decreto chegou, no entanto, a R$ 43,555 bilhões, pois o governo criou uma reserva de R$ 2 bilhões, que será distribuída no futuro de acordo com determinações dos ministros do Planejamento, Dyogo de Oliveira, e da Fazenda, Henrique Meirelles.

Valor Econômico - RF
foto - ilustração
O decreto de contingenciamento, editado na semana passada pelo presidente Michel Temer, afetará duramente os investimentos programados para este ano pelos ministérios dos Transportes e da Defesa. O primeiro perdeu R$ 6 bilhões, ou 35,9% das dotações destinadas aos investimentos e a gastos com custeio. O segundo também perdeu R$ 6 bilhões ou 38,5% do total sujeito ao contingenciamento.
Pela primeira vez, o decreto de programação orçamentária e financeira passou a detalhar o montante, por ministério, das despesas que, embora sejam classificadas como discricionárias, são efetivamente obrigatórias. Com isso, ficou mais evidente a pequena margem que o governo possui para fazer cortes em sua programação orçamentária.
As chamadas despesas discricionárias programadas para este ano totalizavam R$ 276,2 bilhões. Mas uma parte considerável deste gasto não pode ser cortada como, por exemplo, o programa Bolsa Família. Por isso, de acordo com o relatório de avaliação de receitas e despesas do segundo bimestre, a chamada base contingenciável (sujeita a cortes) neste ano é de apenas R$ 149,756 bilhões.
Foi sobre esse total que o governo realizou corte de R$ 41,555 bilhões. Com o contingenciamento, o governo definiu os limites de empenho de cada ministério para este ano, que é a autorização inicial para o gasto. O corte do decreto chegou, no entanto, a R$ 43,555 bilhões, pois o governo criou uma reserva de R$ 2 bilhões, que será distribuída no futuro de acordo com determinações dos ministros do Planejamento, Dyogo de Oliveira, e da Fazenda, Henrique Meirelles. O governo deixou também uma reserva de R$ 3 bilhões para elevar os limites de pagamento dos ministérios.
O decreto do presidente Temer apenas define os limites para empenho e para pagamento de cada ministério neste ano. Caberá a cada ministro definir onde serão realizados os cortes. Por isso, ainda não é possível saber quais serão as ações e os programas de investimento mais afetados pelo contingenciamento. Essa programação final por ministério, que consiste na distribuição do limite fixado, não é divulgada pelo governo. Assim, o contribuinte acaba não sabendo onde os cortes foram realizados.
Os investimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) foram reduzidos do total de R$ 37,192 bilhões, que constava da lei orçamentária, para R$ 26,655 bilhões - corte de R$ 10,537 bilhões ou 28,3% do total. A tesoura atingiu também as emendas individuais dos parlamentares ao Orçamento, que foram reduzidas de R$ 9,048 bilhões para R$ 6,369 bilhões. As emendas de bancada caíram de R$ 6,067 bilhões para R$ 3,2 bilhões.
O Ministério da Agricultura, que atualmente está sob fogo da Operação Carne Fraca da Polícia Federal, perdeu R$ 1,8 bilhão ou 66,7% das dotações sujeitas ao contingenciamento. O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações também foi duramente afetado: teve dotações reduzidas em R$ 2,6 bilhões ou 44,1% do total que poderia ser cortado.
A tesoura não poupou nem mesmo os ministérios da Educação e da Saúde. O primeiro perdeu R$ 5 bilhões ou 18,3% das dotações sujeitas ao corte e o segundo, R$ 6,4 bilhões ou 21,7% do total contingenciável. Uma parte considerável da redução das despesas desses dois ministérios resultou do corte das emendas dos parlamentares ao Orçamento.
Fonte - Revista - Ferroviária  04/04/2017

Bicicletar Fortaleza atinge 1,5 milhão de viagens

Ciclismo  🚲

Os equipamentos já foram utilizados mais de 1.513.200 vezes desde dezembro de 2014, uma média de 2.600 viagens por dia durante a semana. Atualmente, a Capital conta com 800 bikes compartilhadas distribuídas em 80 estações.

Diário do Nordeste
foto - Kid Júnior/DN
A ocupação da cidade por ciclistas tem sido um fenômeno mais visível a cada dia em diversas vias e ciclofaixas da Capital. Além de grupos que utilizam a magrela como exercício físico e lazer, um dos projetos que potencializam o uso da bike em Fortaleza, o Bicicletar, ultrapassou, neste ano, 1,5 milhão de viagens desde quando foi implantado, em dezembro de 2014.
Segundo a Secretaria de Conservação e Serviços Públicos (SCSP), responsável pela implantação do sistema de bicicletas compartilhadas, os equipamentos já foram utilizados mais de 1.513.200 vezes desde dezembro de 2014, uma média de 2.600 viagens por dia durante a semana. Atualmente, a Capital conta com 800 bikes compartilhadas distribuídas em 80 estações.

Avaliação
Um levantamento feito pela SCSP apontou o Bicicletar como o sistema de compartilhamento mais utilizado do País, sendo avaliado por 88% dos usuários como "bom" ou "ótimo". Um dos problemas apontados por vários dos 160 mil usuários cadastrados, porém, é a pouca quantidade de estações em áreas periféricas, o que, de acordo com a Prefeitura, tem sido solucionado de forma gradual, com a expansão do sistema, considerando a distância mínima entre os pontos.
Fonte -  Diário do Nordeste  04/04/2017

Rússia afirma que atentado em metrô foi causado por terrorista quirguiz

Internacional  🌏

O Comitê de Instrução da Rússia (CIR) afirmou que Akbarzhon Dzhalilov, um cidadão russo de origem quirguiz, é o responsável pelo atentado terrorista. Conforme as análises genéticas e as imagens das câmaras de segurança, Dzhalilov, de 22 anos, foi também quem colocou a segunda bomba em outra estação, mas desativada pela Polícia.

Da EFE - Ag.Brasil
foto - Anatoly Maltsev/EFE 
O Comitê de Instrução da Rússia (CIR) informou ontem (3) que um terrorista suicida foi o responsável por ativar a bomba que matou 14 pessoas ontem em um vagão do metrô de São Petersburgo. "A bomba foi ativada por um homem cujos restos mortais foram encontrados no terceiro vagão do trem. Sua identidade foi estabelecida", disse Svetlana Petrenko, porta-voz do CIR, a veículos de imprensa locais. A informação é da Agência EFE. A identidade do terrorista foi confirmada hoje (4).
O Comitê de Instrução da Rússia (CIR) afirmou que Akbarzhon Dzhalilov, um cidadão russo de origem quirguiz, é o responsável pelo atentado terrorista. Conforme as análises genéticas e as imagens das câmaras de segurança, Dzhalilov, de 22 anos, foi também quem colocou a segunda bomba em outra estação, mas desativada pela Polícia.
Anteriormente, o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, havia afirmado que as investigações indicavam que o atentado teria sido cometido por um terrorista suicida, como aconteceu nas ações realizadas em 2010 pelas "viúvas negras" no metrô de Moscou, quando morreram 34 pessoas.

Quirguistão
O serviço secreto do Quirguistão já havia revelado hoje (4) a identidade do suspeito. Este assunto foi abordado hoje em Moscou pelo ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov, e seu colega quirguiz, Erlan Abdildaev, que condenou firmemente o atentado.
Contudo, Abdildaev considerou prematuro afirmar que o citado terrorista era membro do Estado Islâmico, e Lavrov acrescentou que seria "cínico" qualificar o atentado de "vingança" pela intervenção russa na Síria.
"O terrorismo é um crime contra toda a humanidade e contra todas as religiões", disse o ministro russo, que também pediu a união das forças contra o terrorismo internacional e o fim da utilização de grupos que o praticam para obter ganhos políticos.
O Ministério da Saúde da Rússia elevou hoje para 14 o número de mortos no atentado, no qual mais de 50 pessoas também resultaram feridas.
Em prevenção a novos atentados, as autoridades reforçaram as medidas de segurança em toda a cidade, assim como na capital do país, tanto no transporte como em edifícios públicos, como em praças, escolas e creches.
Fonte - Agência Brasil  04/04/2017

Sistema Ferry-Boat tem movimento tranquilo na manhã desta terça (04)

Travessia Marítima  🚢

O movimento de passageiros e veículos durante a manhã desta terça na travessia marítima entre Salvador e Itaparica,foi tranquilo nos dois terminais,em São Joaquim e Bom Despacho.

Da Redação
foto - ilustração
A ITS administradora e operadora do sistema Ferry-Boat informa que na manhã de terça-feira (04), quatro embarcações, Zumbi dos Palmares, Ivete Sangalo, Pinheiro e Agenor Gordilho, operam na travessia entre Salvador e a ilha de Itaparica, com saídas nos horários programados de hora em hora,estando a embarcação Juracy Magalhães Jr. em stand by, na reserva. O movimento de passageiros e veículos durante a manhã desta terça é tranquilo nos dois terminais, em São Joaquim e Bom Despacho.
Para utilizar o serviço de Hora Marcada,os usuários do sistema deverão consultar o site da ITS,-portalsits.internacionaltravessias.- onde poderão também fazer as suas reservas com pagamento através de cartões de credito e débito O pagamento para esta modalidade é feito com cartões de débito ou crédito.
Contatos para mais informações - Tel 071 3032-0475 e pelo cac@internacionaltravessias.com.br.
Com informações da ITS 04/04/2017

Situação do fornecimento de energia no oeste baiano será debatida no GT Bahia-Sergipe

Energia  💡

A necessidade de evitar possíveis apagões na região oeste, por exemplo, fez com que técnicos do setor buscassem como solução a construção de conexões entre a linha de transmissão e a subestação Barreiras II, que será concluída em abril.

Da Redação
foto -  Ulgo Oliveira
A dificuldade no fornecimento de energia em algumas regiões tem sido pauta dos últimos grupos de trabalho entre a Bahia e Sergipe. A necessidade de evitar possíveis apagões na região oeste, por exemplo, fez com que técnicos do setor buscassem como solução a construção de conexões entre a linha de transmissão e a subestação Barreiras II, que será concluída em abril.
A Seinfra tem acompanhado de perto as decisões para minimizar os impactos no setor de energia. A obra que vai interligar as linhas de transmissão com a subestação é uma das pautas que será debatida na 7ª Reunião do GT Bahia-Sergipe, que acontece no auditório da Secretaria de Infraestrutura do Estado (Seinfra), dia 6 de abril, a partir das 9h. De responsabilidade do Governo Federal, os serviços serão concluídos neste mês de abril e buscam ampliar a distribuição de energia da rede básica.
“Sempre debatemos muito a dificuldade do fornecimento de energia principalmente na região oeste. A Secretaria tem tido uma atenção para o desenvolvimento de soluções nesta área. O debate é importante, pois viabiliza a competitividade da Bahia nos próximos leilões a serem realizados pelo Governo Federal a partir das fontes renováveis eólica e solar”, ressalta Celso Rodrigues, superintendente de Energia da Seinfra.

Energia na Bahia
Com projetos em fontes renováveis, a Bahia hoje conta com 68 parques eólicos. Até 2021 estima-se que este número aumente para 232. É um aumento de aproximadamente 240% nestes próximos quatros anos, com a construção de 164 parques. O Governo do Estado também está ampliando o Programa Luz Para Todos, que já atendeu 2,9 milhões de baianos, e tem como meta até 2018 realizar 20 mil novas ligações com um investimento inicial de R$ 700 milhões.

Serviço
O que: 7ª Reunião do GT Bahia-Sergipe
Onde: Auditório da Secretaria de Infraestrutura do Estado (Seinfra), no Centro Administrativo da Bahia (CAB)
Quando: 6 de abril, a partir das 9h
Com informações da Seinfra Ba. 04/04/2017

Governo do Ceará tenta destravar Linha Leste do metrô

Transportes sobre trilhos  🚉

O titular da Secretaria do Planejamento e Gestão (Seplag), Maia Júnior, e o secretário das Cidades, Lúcio Ferreira Gomes, viajam para representar o Estado. “Queremos que a União honre seu compromisso contratual. Mesmo com a situação das contas federais muito crítica, não podemos esmorecer. Temos que ir atrás dos direitos do Estado”, afirma Maia Júnior.

Diário do Nordeste - ANPTrilhos
foto - ilustração/arquivo
A liberação de recursos da ordem de R$ 2 bilhões para a retomada das obras da Linha Leste do Metrô de Fortaleza (Metrofor) será assunto da reunião que ocorre nesta quarta-feira (5), em Brasília, entre Governo do Ceará, Ministério das Cidades, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e Banco Mundial.
O titular da Secretaria do Planejamento e Gestão (Seplag), Maia Júnior, e o secretário das Cidades, Lúcio Ferreira Gomes, viajam para representar o Estado. “Queremos que a União honre seu compromisso contratual. Mesmo com a situação das contas federais muito crítica, não podemos esmorecer. Temos que ir atrás dos direitos do Estado”, afirma Maia Júnior.
De acordo com ele, o encontro é fruto de uma recente reunião que o governador do Ceará, Camilo Santana, teve com o ministro das Cidades, Bruno Araújo, e com o deputado federal cearense Leônidas Cristino (PDT). O parlamentar está intermediando as negociações ligadas à Linha Leste do Metrofor no Congresso Nacional.
“Vamos ver o que pode sair dessa reunião. Mesmo que não saia nenhuma decisão concreta da liberação dos recursos, esperamos, no mínimo, algum encaminhamento”, destaca Maia Júnior. “Mas o quadro do País ainda não está favorável do ponto de vista fiscal, com a economia sendo prejudicada com o aumento do desemprego. Estamos com o presidente (Michel Temer) e o ministro da Fazenda (Henrique Meirelles) sem nenhuma reação”, acrescenta.

Sobre a obra

A Linha Leste da Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos (Metrofor) recebe recursos do programa Mobilidade Grandes Cidades, do governo federal, de cerca de R$ 1 bilhão; e financiamento do BNDES, também de R$ 1 bilhão, aproximadamente. A contrapartida do Governo do Ceará é de R$ 259,22 milhões. Cerca de R$ 50 milhões já foram investidos na obra.
Iniciadas em novembro de 2013, as obras da Linha Leste do Metrô de Fortaleza foram paralisadas no início de 2015 por conta da reformulação societária articulada pelo consórcio. A expectativa inicial era que parte do equipamento fosse entregue em 2014, o que não ocorreu, sendo a nova data de conclusão prevista para 2019.

Compromisso
“Queremos que a União honre seu compromisso contratual. Mesmo com a situação das contas federais muito crítica, não podemos esmorecer”
Fonte - ANPTrilhos  03/04/2017

Obras do VLT entre Cuiabá e Várzea Grande serão retomadas em maio

Transportes sobre trilhos  🚄

O governo mato-grossense informou que serão pagos R$ 922 milhões para a conclusão do modal. A previsão é que as obras do Veículo Leve sobre Trilhos recomecem em maio e sejam concluídas em dois anos.

Sheily Noleto - EBC
foto - ilustração/arquivo
Governo do Mato Grosso e Consórcio VLT Cuiabá-Várzea Grande entram em acordo para retomada das obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT).
O governo mato-grossense informou que serão pagos R$ 922 milhões para a conclusão do modal. A previsão é que as obras do Veículo Leve sobre Trilhos recomecem em maio e sejam concluídas em dois anos.
A primeira etapa deve ser finalizada em março do ano que vem. E, pelo cronograma apresentado, até dezembro de 2018, deve entrar em funcionamento todo o trecho da linha 1, num total de 15 quilômetros, entre o aeroporto de Várzea Grande e o Terminal do Comando Geral, na capital, Cuiabá.
Mas a obra tem ações judiciais que podem atrapalhar o cumprimento do cronograma. De acordo com o Tribunal de Justiça de Mato Grosso estão pendentes 66 processos de desapropriação e reintegração de posse relacionados à execução das obras do VLT.
Com 22 quilômetros de extensão, o VLT entre Cuiabá e Várzea Grande deveria ter sido concluído para a Copa do Mundo de 2014. Mais de R$ 1 bilhão já foram investidos no projeto.
Fonte - EBC  03/04/2017

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Lyon apresenta projeto dos futuros trens do Metrô

Transportes sobre trilhos  🚇

A demanda do metro Lyon aumentou em 20% desde 2010.Para atender a essa demanda.O projeto chamado "Metro Futuro"(Avenir Metro),inclui a compra de novos Trens e desenvolvimento de novos sistemas de operação (Drive Less) automática. 

Da Redação
foto - Sytral
Foi apresentado a imprensa no dia 3 de abril,o projeto dos futuros trens de metrô encomendadas a Alstom para implantação nas linhas B e D na cidade de Lyon na França.
A demanda do metro Lyon aumentou em 20% desde 2010.Para atender a essa demanda.O projeto chamado "Metro Futuro"(Avenir Metro),inclui a compra de novos Trens e desenvolvimento de novos sistemas de operação (Drive Less) automática. O investimento será na ordem de €430 milhões até 2023, dos quais €350 milhões serão investidos durante o atual mandato mandato.
O objetivo é o de aumentar a capacidade das linhas A,B e D em 2020.A intenção é renovar toda a linha B do metro que irá ser totalmente automatizada.Os trens atuais irão reforçar a linha A,operada com o mesmo tipo de equipamento.A Linha D será reforçada em 2023 com novos trens de metrô e o sistema Drive Less,operação automática,será renovado.
O contrato no total de € 140 milhões para o fornecimento dos 30 novos trens de metrô foi conquistado pela Alstom,e eles serão colocados em operação entre 2019 e 2023.
Com informações da Sytral  03/04/2017

Campus Party deve reunir 4 mil pessoas na Arena Fonte Nova

Tecnologia 📶

O encontro, que reúne principalmente jovens com foco na tecnologia, tem a missão de entender como será o futuro e traz sempre cinco temáticas principais – Inovação, Ciências, Empreendedorismo, Criatividade e Entretenimento. Na Bahia, a edição do evento foi confirmada após a articulação do Governo do Estado, através do titular da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), Vivaldo Mendonça, junto ao presidente da Campus Party, Francesco Farruggia.

Da Redação
foto -  Manu Dias/GOVBA
A capital baiana será palco, entre os dias 9 e 13 de agosto, de uma edição da Campus Party, evento tecnológico que completa 10 anos no Brasil, com edições em 20 países e planos de expansão para outras regiões do Brasil. Em Salvador, o evento acontecerá na Arena Fonte Nova, tendo como tema principal Inovação Produtiva e a expectativa de reunir 4 mil campuseiros, que contarão com internet de 20 gigabytes para aproveitar mais de 250 horas de atividades e conteúdo; expectativa de atrair 30 mil visitantes, além de apresentação de projetos de instituições tecnológicas e de ensino, palestras, workshops, robótica, maratona de negócios, dentre outras atividades, e ainda instalação de 1.500 barracas para os participantes que chegam do interior e de outros estados do país.
O encontro, que reúne principalmente jovens com foco na tecnologia, tem a missão de entender como será o futuro e traz sempre cinco temáticas principais – Inovação, Ciências, Empreendedorismo, Criatividade e Entretenimento. Na Bahia, a edição do evento foi confirmada após a articulação do Governo do Estado, através do titular da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), Vivaldo Mendonça, junto ao presidente da Campus Party, Francesco Farruggia.
Com a vinda do evento para Salvador, as secretarias do estado estão se articulando para o desenvolvimento de projetos que poderão ser apresentados durante a Campus Party. Na avaliação do governador Rui Costa, o acontecimento traz para Salvador a possibilidade de ampliação das perspectivas profissionais de jovens baianos e proporciona o estímulo à troca de ideias na área tecnológica. “É mais uma oportunidade para que jovens inseridos na tecnologia ampliem seus horizontes e interajam com os demais participantes. Só temos a comemorar a vinda de mais esse evento para a nossa capital”, afirmou o governador, na manhã desta segunda-feira (3), durante coletiva que acontece no Salão de Atos da Governadoria, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador, para apresentação do detalhes da realização do evento.
A primeira edição regional acontecerá em junho em Brasília e, em seguida, é a vez de Salvador sediar o evento. “Temos em torno de 500 mil campuseiros cadastrados em nossa plataforma e morando em diversas regiões do país. Vemos um enorme potencial a ser explorado, uma vez que a Campus Party fomenta iniciativas focadas em inovação”, explica Francesco Farruggia.

Sobre a Campus Party
A Campus Party é a maior experiência tecnológica do mundo. Realizada desde 1997, reúne jovens geeks em um festival de inovação, criatividade, ciência, empreendedorismo e universo digital. Desde a sua primeira edição, na Espanha, encontrou um público tão entusiasmado que cresceu e se internacionalizou passando a ter, a partir de 2008, e dições no Brasil, Inglaterra, Alemanha, Colômbia, México Equador, El Salvador, Cingapura, Itália, Portugal e Estados Unidos.
As comunidades acadêmicas e científicas, além dos coletivos ligados à tecnologia, já foram ativadas pela Campus Party e pelo Governo do Estado. Eles receberam com grande entusiasmo a notícia e já colaboram na construção do conteúdo do evento. Em 2017, a Campus Party Brasil completa dez anos de existência.
Com informações da Secom Ba.  03/04/2017

Mais de 100 milhões de pessoas sofrem de grave insegurança alimentar, alerta FAO

Internacional  🍚

As causas principais são impactos de conflitos e guerras civis, alta nos preços e eventos extremos do clima, como secas prolongadas ou excesso de chuvas. De Roma, o diretor-geral da FAO, José Graziano da Silva, explicou ser possível garantir que a população tenha o suficiente para comer todos os dias.

Da ONU News - Ag.Brasil
foto -  FAO/Albert Gonzalez Farran
O número de pessoas sofrendo de insegurança alimentar severa está aumentando no mundo: já são cerca 108 milhões nesta condição, contra 80 milhões em 2015. Os dados acabam de ser divulgados pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação ( FAO, explicou que a problema é causado pela dificuldade que determinadas regiões estão tendo para produzir ou ter acesso aos alimentos.
As causas principais são impactos de conflitos e guerras civis, alta nos preços e eventos extremos do clima, como secas prolongadas ou excesso de chuvas. De Roma, o diretor-geral da FAO, José Graziano da Silva, explicou ser possível garantir que a população tenha o suficiente para comer todos os dias.
"Isso pode ser evitado. Não podemos evitar uma seca, mas podemos evitar que uma seca se transforme em fome. O Nordeste brasileiro é um bom exemplo disso. Nós sofremos com três anos seguidos de seca e não houve fome, graças às políticas preventivas adotadas pelos governos. O mais assustador hoje é que o que explica grande parte dessas situações de insegurança alimentar aguda são conflitos e desastres naturais", explicou Graziano.

Confrontos
Segundo o diretor-geral da FAO, existem quatro países hoje em risco de declarar a fome: Sudão do Sul, Somália, Iêmen e Nigéria. Neste último país, a crise alimentar concentra-se na região norte. Graziano destacou ainda que existm outras nações com insegurança alimentar severa por conta de guerras e conflitos.
"Quando se juntam conflito e desastres naturais, a situação se torna explosiva. É o caso da Somália e de algumas regiões da Etiópia, é o caso da República Centro-Africana e é o caso sobretudo do Iêmen e da Síria. Nesses lugares, a paz é uma pré-condição para se enfrentar a questão da fome. Sem paz não há segurança alimentar, da mesma maneira que sem segurança alimentar não há paz duradoura", disse Graziano.
De acordo com o chefe da FAO, as 108 milhões de pessoas sofrendo de insegurança alimentar severa apresentam índice de desnutrição acima do normal e pouco acesso à comida, mesmo com ajuda externa. Sem ações fortes para melhorar a situação, essas populações correm o risco de passar fome com consequências graves.
Fonte - Agência Brasil  03/04/2017

Professor universitário brasileiro escapou por pouco da explosão no metrô em São Petersburgo

Internacional  💣

O professor universitário brasileiro, Eduardo Bione, estava no metrô, em São Petersburgo, momentos depois da explosão. Ele conversou com Sputnik Brasil e relatou a sua experiência.

Por Sputnik
saint-petersburg.ru
"Por volta das 14h30 [horário local, 8:30 de Brasília], acredito, estava na linha violeta fazendo conexão na estação Sadovaya. Me chamou a atenção a intensa fumaça no ar, mas tudo estava aparentemente tranquilo por lá. Nenhum sinal de pânico na Sadovaya. Penso que ninguém sabia de nada ainda. Quando cheguei à rua, vi que havia um movimento maior que o normal, muita gente. Segui andando até a gare Moskovsky. Entrei numa cantina ao lado da gare, na avenida Ligovsky e pouco tempo depois comecei a receber notificações da Sputnik alertando para uma explosão no metrô. No mesmo momento, os telefones começaram a tocar e todas as pessoas começaram a dar notícias de que estavam bem. Ainda estou na cantina, o movimento na Ligovsky está intenso. Muita gente na rua. Todas as estações estão fechadas e o transporte público está circulando gratuitamente, soube. Uber também parece que está circulando dando carona gratuita às pessoas. Engarrafamento intenso aqui. Ainda não sei se os trens para Moscou foram cancelados ou não".
Com informações do Sputnik  03/04/2017

Movimento normal no Ferry-Boat nessa 2ª feira (03) chuvosa em Salvador

Travessia Marítima  🚢

Estão em operação as embarcações, Zumbi dos Palmares, Juracy Magalhães Jr., Pinheiro e Ivete Sangalo,com saídas nos horários regulares,programados de hora em hora.Uma embarcação, a  Agenor Gordilho,permanece na reserva,(em stand by).

Da Redação
foto - ilustração/arquivo
A travessia marítima entre Salvador e a ilha de Itaparica pelo sistema Ferry-Boat,nesta manhã chuvosa de segunda-feira (03),transcorre normalmente com movimento tranquilo de passageiros e veículos nos dois terminais,em São Joaquim e Bom Despacho.
Estão em operação as embarcações, Zumbi dos Palmares, Juracy Magalhães Jr., Pinheiro e Ivete Sangalo,com saídas nos horários regulares,programados de hora em hora.Uma embarcação, a  Agenor Gordilho,permanece na reserva,(em stand by), podendo integrar a operação,caso seja necessário.
O sistema disponibiliza uma Central de Atendimento ao Cliente (CAC), localizada no Terminal São Joaquim que funciona de segunda a sexta, das 8h às 18h, e aos sábados, das 7h às 13h, contatos pelo Tel 071 03032-0475 e pelo cac@internacionaltravessias.com.br.
Com informações da ITS  03/04/2017