sábado, 25 de março de 2017

Novos VLTs começam a operar em Moscou

Transportes sobre trilhos  🚄

Cada VLT (Bonde) com três seções, terá piso baixo, capacidade para até 260 passageiros,60 sentados,e será equipado com CCTV, Wi-Fi,e um moderno sistema de informação para os passageiros .

Da Redação
Mosgortrans
A cidade de Moscou iniciou a operação no dia 17 de março,do primeiro VLT (Bonde) da próxima geração que circulará na capital russa, quando o prefeito da cidade, Sergey Sobyanin, colocou dois protótipos de veículos Vityaz-M no serviço de transportes de passageiros.
A Mosgortrans fechou no ano passado um contrato no valor de cerca de 56 bilhões de rublos (US $ 978 milhões) para fornecimento e manutenção por 30 anos,da frota de 300 bondes (VLTs) de piso baixo com uma "joint venture" russa das empresas, Metrowagonmash,Transmashholding,e a PK Transport Systems.
Cada VLT (Bonde) com três seções, terá capacidade para até 260 passageiros,60 sentados,e será equipado com CCTV, Wi-Fi,e um moderno sistema de informação para os passageiros .
As entregas dos veículos,na média de 100 por ano,devem estar concluídas em 2019.
Com informações do International Railway Journal 24/03/2017

Passageiros do metrô do Rio já podem ir da Tijuca à Barra sem trocar de trem

Transportes sobre trilhos  🚇

De acordo com a concessionária que administra o transporte, o tempo da viagem foi reduzido em 10 minutos. O trajeto entre a Barra e o centro passa a ser feito em 30 minutos.Os intervalos entre os trens da Linha 4 serão reduzidos para quatro minutos e 30 segundos, nos horários de maior movimento de passageiros.

Flávia Villela
Repórter da Agência Brasil

foto - ilustração/arquivo
A partir de hoje (25), os passageiros do metrô no Rio de Janeiro poderão ir da Estação Uruguai, Linha 1 na Tijuca, zona norte, até a Estação Jardim Oceânico, na Barra, Linha 4, zona oeste, em meia hora, sem trocar de trem. Antes, os passageiros precisavam fazer a mudança de trens na Estação General Osório, Ipanema, zona sul, para ir para a Barra da Tijuca, zona oeste.
De acordo com a concessionária que administra o transporte, o tempo da viagem foi reduzido em 10 minutos. O trajeto entre a Barra e o centro passa a ser feito em 30 minutos.
O trajeto da Linha 4 vai da Estação Jardim Oceânico até a General Osório, enquanto a Linha 1 vai da General Osório até a Uruguai. A Linha 2 começa na Estação Botafogo, na zona sul, e vai até a Estação Pavuna, na zona norte.
Os intervalos entre os trens da Linha 4 serão reduzidos para quatro minutos e 30 segundos, nos horários de maior movimento de passageiros. Com a integração, os intervalos entre os trens foram reduzidos em dois minutos.
A Linha 4 do metrô iniciou sua operação durante os Jogos Olímpicos, exclusivamente para os participantes do evento, e foi aberta ao público de maneira ampla em setembro do ano passado com funcionamento de segunda a sexta-feira, das 6h às 21h. Em novembro, passou a operar aos sábados e, em dezembro, de segunda-feira a sábado, das 5h à meia-noite, e aos domingos e feriados, das 7h às 23h, tendo na Estação General Osório o ponto de transferência.
Fonte - Agência Brasil  25/03/2017

Bahia lidera índice de transparência da FGV pelo segundo ano consecutivo

Transparência/Bahia  👀

Pelo segundo ano consecutivo, o conselho baiano alcançou o nível A, o mais alto: de um total de 100 pontos, atingiu 96, mesmo desempenho de Minas Gerais.O resultado supera os números obtidos na última avaliação, quando a Bahia havia alcançado 90 pontos. 

Da Redação
foto - ilustração
O Conselho de Fazenda da Bahia (Consef), órgão colegiado vinculado à Secretaria da Fazenda do Estado (Sefaz), ficou em primeiro lugar no Índice de Transparência do Contencioso Administrativo Tributário (iCAT), pesquisa realizada pelo Núcleo de Estudos Fiscais da Fundação Getúlio Vargas (NEF FGV/Direito), que avalia a transparência dos contenciosos administrativos brasileiros estaduais. Pelo segundo ano consecutivo, o conselho baiano alcançou o nível A, o mais alto: de um total de 100 pontos, atingiu 96, mesmo desempenho de Minas Gerais.
O resultado supera os números obtidos na última avaliação, quando a Bahia havia alcançado 90 pontos. A pesquisa da FGV é feita há quatro anos, e, desde que teve início, o desempenho baiano vem melhorando sucessivamente.
Com informações da Secom Ba.  24/03/2017

Analistas discutem delações de Odebrecht sobre chapa Dilma-Temer

Ponto de Vista  🔍

Para o cientista político Leonardo Paz, analista de Inteligência da FGV no Rio de Janeiro e professor de Relações Internacionais do Ibmec/Rio, não foi surpresa o conteúdo das declarações atribuídas a Marcelo Odebrecht:Precisamos ter muito cuidado com o que tem sido revelado. Tudo que se sabe através destas delações é proveniente de vazamentos. Então, o que se tem é o estabelecimento de que a Presidente Dilma Rousseff teve a sua campanha de 2014 abastecida com recursos de Caixa 2 e se procura preservar o então vice-presidente e hoje Presidente Michel Temer. São portanto revelações que precisam ser tomadas com certo cuidado e que não apresentam nenhuma prova.

Sputnik
foto - ilustração
Um analista de Inteligência e um cientista político discutem as delações de Marcelo Odebrecht vazadas para a mídia, incluindo o suposto fato de que a campanha de 2014 de Dilma Rousseff e de Michel Temer teria sido abastecida com recursos provenientes de Caixa 1 e de Caixa 2.
A divulgação de trechos do depoimento do empresário Marcelo Odebrecht ao Ministro Herman Benjamin, relator no Tribunal Superior Eleitoral das ações que pedem a cassação da chapa Dilma-Temer na eleição presidencial de 2014, causou intensa repercussão.
Não só pelo conteúdo do que foi revelado como, principalmente, pelo fato de que as revelações decorreram de vazamentos, prontamente criticados pelo próprio Ministro Herman Benjamin como também pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Ministro Gilmar Mendes.
Entre outras citações, Marcelo Odebrecht disse ao ministro do TSE que Dilma Rousseff tinha pleno conhecimento de que sua campanha de 2014 foi abastecida com recursos provenientes de Caixa 1 e de Caixa 2.
De sua parte, a ex-presidente emitiu nota oficial, afirmando que jamais tratou do assunto com Marcelo Odebrecht, sendo totalmente inocente de tais acusações.
Para o cientista político Leonardo Paz, analista de Inteligência da Fundação Getúlio Vargas no Rio de Janeiro e professor de Relações Internacionais do Ibmec/Rio, não foi surpresa o conteúdo das declarações atribuídas a Marcelo Odebrecht:
"De certa maneira, já era esperado o que Marcelo Odebrecht poderia revelar ao Ministro Herman Benjamin, do Tribunal Superior Eleitoral. Ele disse que havia alertado a então Presidente Dilma Rousseff de que o dinheiro fornecido pelo grupo Odebrecht para sua campanha eleitoral de 2014 era proveniente de Caixa 1 e de Caixa 2. Se a presidente sabia ou não, é algo que não poderemos ter certeza, embora ela própria garanta que jamais tratou do assunto com Marcelo Odebrecht. Mas o fato é que já se esperava por algo assim, partindo do empresário, inclusive pelo volume do dinheiro envolvido tanto em Caixa 1 como em Caixa 2."
Leonardo Paz considera ainda prematuro tirar qualquer conclusão sobre o desfecho do julgamento pelo Tribunal Superior Eleitoral das ações que pedem a impugnação e consequente anulação da chapa Dilma —Temer no pleito de 2014, devido às denúncias de recebimento de dinheiro de origem escusa:
"Ainda há muita coisa para ser provada a partir das delações. Mas é indiscutível que estas delações têm servido como ferramentas para a política nacional, abrindo uma caixa (não sei nem mais qual é a cor dela) que não se pode sequer enxergar o fundo. Mas esse risco de o TSE cassar a chapa existe. Até porque, pelo que se sabe através da mídia, a linha de comportamento do Ministro Herman Benjamin, relator dessas ações no Tribunal Superior Eleitoral, induz à suposição de que ele poderá votar pela cassação da chapa. E se a chapa for cassada o Presidente Michel Temer será inevitavelmente afetado."
Por sua vez, o cientista político Carlos Eduardo Martins, professor da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), entende ser necessário adotar cautela com o que foi divulgado sobre as revelações de Marcelo Odebrecht:
"Precisamos ter muito cuidado com o que tem sido revelado. Tudo que se sabe através destas delações é proveniente de vazamentos. Então, o que se tem é o estabelecimento de que a Presidente Dilma Rousseff teve a sua campanha de 2014 abastecida com recursos de Caixa 2 e se procura preservar o então vice-presidente e hoje Presidente Michel Temer. São portanto revelações que precisam ser tomadas com certo cuidado e que não apresentam nenhuma prova. São falas de Marcelo Odebrecht que se tornam públicas após quase dois anos de sua prisão e que estão dentro de um certo espírito da Operação Lava Jato de buscar uma punição seletiva para os integrantes do PT e do Governo petista. Então, a meu ver, isto tem de ser visto com uma certa cautela, porque cai muito sob encomenda da atual situação. Busca-se preservar o Michel Temer e culpabilizar a Dilma Rousseff."
Carlos Eduardo Martins enfatiza o fato de que as revelações atribuídas a Marcelo Odebrecht surgiram quase dois anos após a sua detenção decretada pelo Juiz Sérgio Moro, da 13.ª Vara Federal Criminal de Curitiba, no Paraná, responsável pela Operação Lava Jato:
"O que me parece é que estas declarações de Marcelo Odebrecht são muito mais um fato político do que documental, uma vez que ele não apresenta provas do que diz. Entendo que há, neste momento, um anseio muito grande para que sejam combinadas determinadas forças políticas."
Fonte - Sputnik  24/03/2017

sexta-feira, 24 de março de 2017

Exposição nas estações do metrô celebra aniversário de Salvador

Cultura  🏠

A mostra itinerária, com 10 totens e 20 lâminas, ficará aberta à visitação do próximo dia 27 a 7 de abril na Estação Lapa (27 a 29), Estação Acesso Norte (30 de março a 1° de abril), Estação Pirajá (2 a 4 de abril) e Estação Rodoviária (5 a 7 de abril). O objetivo da mostra é levar o público a fazer uma caminhada no tempo, visualizando panoramas do urbanismo e a arquitetura no passado, para uma compreensão das paisagens urbanas no presente.

Da Redação
foto - Lázaro Menezes
Graça, década de 20 - Acervo Museu Tempostal
Como parte das comemorações do aniversário da capital baiana (29 de março), o Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac), por meio da Diretoria de Museus, e a CCR Metrô da Bahia apresentam ao público, em quatro estações do metrô, a exposição ‘Salvador 468 anos: Uma Viagem no Tempo’, composta por fotos e postais do acervo do Museu Tempostal (Pelourinho), com imagens desde fins do século 19 a meados do século 20. A iniciativa prevê a realização de uma série de atividades educativas e culturais nas estações do sistema metroviário durante o ano de 2017.
A mostra itinerária, com 10 totens e 20 lâminas, ficará aberta à visitação do próximo dia 27 a 7 de abril na Estação Lapa (27 a 29), Estação Acesso Norte (30 de março a 1° de abril), Estação Pirajá (2 a 4 de abril) e Estação Rodoviária (5 a 7 de abril).

foto - Lázaro Menezes
Largo do Pelourinho, década de 70 - Acervo Museu Tempostal

Comentário Pregopontocom-As duas Kombis,"vermelha e branca",
faziam parte do sistema complementar de transportes da cidade,
reunidas em uma Associação chamada Atanks  ( Associação  de
Transportes Kombis de Salvador).O sistema que era clandestino
foi legalizado devido a grande carência de transporte público na
época na cidade.Esse sistema alguns anos depois foi desativado,
 e entre os motivos,um foi a falta de segurança e o outro grande 
numero de acidentes graves ocorridos com esses veículos. 

O objetivo da mostra é levar o público a fazer uma caminhada no tempo, visualizando panoramas do urbanismo e a arquitetura no passado, para uma compreensão das paisagens urbanas no presente.
A exposição retrata as transformações que a cidade viveu, por meio das mudanças políticas e econômicas desde a Colônia aos períodos contemporâneos. É possível visualizar mudanças e a expansão de ‘Norte a Sul’; do Centro Antigo (do Comércio, Pelourinho à Barra) e bairros do entorno, Nazaré e o Antigo Dique. “Um crescimento que se refletiu na evolução dos meios de comunicação e na vida cotidiana da cidade. Todos esses aspectos estão registrados nessas imagens o acervo que integram a mostra, para contemplação e homenagem à nossa cidade”, afirma a coordenadora do Museu Tempostal, Luzia Ventura.

foto - Lázaro Menezes
Cais do Mercado Modelo,
década de 70 - Acervo
 Museu Tempostal
“Esta mostra comemorativa sugere uma viagem no tempo, um mergulho na nossa história a fim de que possamos acompanhar, via imagens, as transformações que ocorreram principalmente na paisagem urbana e cultural da cidade de Salvador ao longo desses 468 anos”, diz a responsável pelo Núcleo de Articulação da Dimus, Fátima Soledade.
“Resgatar a história da primeira capital do Brasil e suas inúmeras transformações ao longo do tempo tem tudo a ver com o Metrô, que certamente integrará retrospectivas históricas das próximas décadas e séculos, como projeto que mudou a mobilidade e a qualidade de vida em Salvador, o que gradualmente já vem acontecendo”, ressalta o gestor de Atendimento e Operação da CCR Metrô Bahia, Hamilton Trindade.
Com informações da Secom Ba.  24/03/2017


foto - Lázaro Menezes
Alfândega e Cais - Acervo Museu Tempostal

Novas linhas são integradas ao Metrô na Estação Acesso Norte a partir deste sábado (25)

Mobilidade  🚏 🚇

A partir deste sábado (25) algumas linhas de ônibus que trafegam pela Avenida Paralela vão estar integradas ao Metrô na Estação Acesso Norte. 

Da Redação
foto - ilustração/arquivo
Dando continuidade ao processo de integração, o Governo do Estado irá facilitar para que mais pessoas da região Metropolitana possam ser beneficiadas para utilizarem o Metrô. A partir deste sábado (25) algumas linhas de ônibus que trafegam pela Avenida Paralela vão estar integradas ao Metrô na Estação Acesso Norte.
Para que a integração aconteça de forma gratuita o usuário terá que estar de posse do cartão Metropasse ou do cartão do Metrô, ou seja, o cidadão pagará a tarifa no ônibus e não precisará pagar mais nada no Metrô e na volta ele pagará no Metrô e complementará com a diferença no ônibus caso a tarifa seja diferente.
A partir do dia primeiro de abril, estas mesmas linhas deixarão de ir ao Terminal de ônibus da Lapa e ao Terminal da Barroquinha, pois terão o seu retorno na Estação Acesso Norte. Em caso de dúvida, os usuários podem procurar os orientadores da equipe CCR Metrô Bahia que estarão de prontidão na Estação Acesso Norte.

Relação das novas linhas que se integram ao metrô na Estação Acesso Norte:

8081URB       - (CAMAÇARI-ESTAÇÃO DA BARROQUINHA VIA BONOCÔ) Tarifa R$ 5,30

883.URB        - (PORTÃO-ESTAÇÃO DA LAPA VIA PARALELA) Tarifa R$ 3,60

883A URB     - (VIDA NOVA-ESTAÇÃO DA LAPA VIA PARALELA) Tarifa R$3,60

883A-2 URB - (VIDA NOVA-ESTAÇÃO DA BARROQUINHA VIA VASCO DA GAMA) Tarifa R$ 3,60.
Com informações da Secom Ba.  24/03/2017

Hong Kong decide retirar do mercado toda a carne importada do Brasil

Economia  🍖

Ao detalhar a decisão para jornalistas, o secretário para Alimentação e Saúde, Ko Wing-man, afirmou que as últimas informações fornecidas por autoridades brasileiras sugerem que “o risco à segurança alimentar não pode ser totalmente descartado”.De acordo com Wing-man, técnicos do Centro de Segurança Alimentar identificaram mais uma fábrica nacional que importou produtos derivados da carne brasileira, além das cinco que já tinham sido identificadas.

Alex Rodrigues
Repórter da Agência Brasil

Ag.Brasil
As autoridades de Hong Kong decretaram o recolhimento de toda a carnes e derivados procedentes dos 21 frigoríficos brasileiros investigados na Operação Carne Fraca. A medida foi anunciada poucos dias depois de o governo local suspender a importação de carne brasileira sob suspeita.
Ao detalhar a decisão para jornalistas, o secretário para Alimentação e Saúde, Ko Wing-man, afirmou que as últimas informações fornecidas por autoridades brasileiras sugerem que “o risco à segurança alimentar não pode ser totalmente descartado”.
De acordo com Wing-man, técnicos do Centro de Segurança Alimentar identificaram mais uma fábrica nacional que importou produtos derivados da carne brasileira, além das cinco que já tinham sido identificadas.
O secretário não informou qual o volume de carne brasileira bovina, suína ou de frango, bem como de seus derivados, pode estar, hoje, à disposição dos consumidores e comerciantes de Hong Kong.
Quanto aos produtos embarcados com destino a Hong Kong antes do próprio governo brasileiro embargar as exportações dos 21 frigoríficos sob suspeita, o secretário disse que eles ficarão retidos na chegada ao porto até que as investigações sejam concluídas.
Wing-man também não precisou quanto tempo durará a suspensão, mas garantiu que a população será devidamente informada sobre todo o processo.
Considerado um dos maiores mercados para a carne brasileira, Hong Kong já tinha proibido, na terça-feira (21), a importação de carne brasileira congelada e refrigerada. Na ocasião, o próprio ministro da Agricultura, Blairo Maggi, incluiu o território semiautônomo chinês no grupo de compradores aos quais o governo brasileiro estava destinando mais atenção. “ China e Hong Kong são os dois pontos que estamos olhando com mais atenção, em permanente contato, respondendo a todas as questões”, disse Maggi. China, como Hong Kong, também já tinha anunciado a suspensão temporária das importações.
Até a noite desta quinta-feira (23), pelo menos 14 países, além da União Europeia, tinham suspendido temporária e integralmente a importação de carne brasileira e seus derivados depois que a deflagração da Operação Carne Fraca pela Polícia Federal (PF), na última sexta-feira (17), trouxe à tona suspeitas de irregularidades na produção e fiscalização do setor.
Onze países e territórios suspenderam temporária e integralmente a importação: Argélia, Bahamas, China, Chile, Egito, Hong Kong, Jamaica, México, Panamá, Qatar e Trinidad e Tobago. Três países suspenderam as importações apenas dos 21 frigoríficos investigados pela PF ou de parte deles: África do Sul, Japão e Suíça. A União Europeia também integra o bloco dos que optaram pela suspensão parcial, proibindo a entrada de produtos provenientes de quatro plantas industriais brasileiras onde eram processadas carne bovina, suína e de aves.
Fonte - Agência  Brasil  24/03/2017

Ferry-Boat tem movimento moderado sentido Salvador/Bom Despacho na manhã desta sexta (24)

Travessia marítima  🚢

O sistema opera com quatro embarcações,- Zumbi dos Palmares, Agenor Gordilho, Pinheiro e Juracy Magalhães Jr.,- com saídas nos horários programados de hora em hora.

Da Redação
foto - ilustração/arquivo
Os usuários do sistema Ferry-Boat,que realizaram a travessia marítima,Salvador/Bom Despacho,durante a manhã de sexta-feira (24),encontraram o movimento moderado de veículos no Terminal de São Joaquim e tranquilo no sentido Bom Despacho/Salvador para pedestres e veículos.O sistema opera com quatro embarcações,- Zumbi dos Palmares, Agenor Gordilho, Pinheiro e Juracy Magalhães Jr.,- com saídas nos horários programados de hora em hora. A embarcação Anna Nery encontra-se de reserva podendo integrar a operação, caso necessário.
Os usuários que desejarem optar pelo serviço de Hora marcada deverão consultar o site da ITS -portalsits.internacionaltravessias.-,para verificar a disponibilidade de vagas para embarques e adquiri as passagens,realizando o pagamento com cartões de credito ou débito .
Mais informações pelo TEL 071  3032-0475 e pelocac@internacionaltravessias.com.br.
Com informações da ITS 24/03/2017

Ação na faixa de pedestres é realizada no Centro de São Luís (MA)

Trânsito  🚥  🚶

Por repetidas vezes, as educadoras do Detran-MA ocuparam toda a extensão da faixa de pedestres, segurando letras grandes para formar a palavra ‘PARE’ no meio da avenida, fazendo com que motoristas dessem preferência para o pedestre. Durante a ação, também foram feitas abordagens educativas com distribuição de material informativo sobre a importância de respeitar a sinalização de trânsito.

Da Redação
foto - divulgação
Só com um pare deste tamanho para os motoristas respeitarem a faixa”- A frase é da estudante Eduarda Sousa, que usa transporte público e todos os dias tem que passar na faixa de pedestres para chegar à parada de ônibus. Ela se referia à ação do Departamento Estadual de Trânsito do Maranhão (Detran-MA), realizada nesta quinta-feira (23) na faixa em frente ao Ceprama, na Região Central de São Luís.
Por repetidas vezes, as educadoras do Detran-MA ocuparam toda a extensão da faixa de pedestres, segurando letras grandes para formar a palavra ‘PARE’ no meio da avenida, fazendo com que motoristas dessem preferência para o pedestre. Durante a ação, também foram feitas abordagens educativas com distribuição de material informativo sobre a importância de respeitar a sinalização de trânsito.
O chefe da Divisão de Orientação de Trânsito, Gilmárcio Lopes, reforça que o trabalho de Educação para o Trânsito nas faixas não consiste em uma simples panfletagem, o educador conversa com o motorista e com o pedestre. “O objetivo da ação é sensibilizar, por isso fazemos as abordagens. Acreditamos que São Luís pode ser uma cidade que respeita a faixa de pedestre. Só depende que cada um faça a sua parte”, destacou Gilmárcio.
O advogado Luís Figueiredo foi surpreendido pela ação do Detran-MA quando dirigia e aprovou a iniciativa. “Parar na faixa é um gesto de gentileza e de proteção à vida, mas muitos ainda não têm essa consciência. O Detran-MA está de parabéns. Mudar o comportamento das pessoas é um trabalho de formiguinha, mas é necessário”, disse ele.
O respeito à faixa de segurança vale para motoristas e pedestres. Quem está a pé no trânsito deve usar a faixa para atravessar ruas e avenidas e não tentar chegar do outro lado, forçando a travessia ou em trecho sem a sinalização. Já o motorista deve parar sempre que houver pedestre no bordo da pista na altura da faixa. Deixar de dar preferência de passagem a pedestre é infração gravíssima com penalidade de multa e acréscimo de pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).
Com informações do Gov.do Maranhão (Detran)  23/03/2017

quinta-feira, 23 de março de 2017

CNBB critica terceirização e reforma da Previdência em nota pública

Política  👀

Em entrevista convocada para comentar os principais temas em debate no país, o presidente da CNBB, cardeal Sérgio da Rocha, criticou também o projeto que libera a terceirização em todas as atividades das empresas, aprovado ontem (22) pela Câmara dos Deputados. Segundo dom Sérgio, o “risco de precarização das relações de trabalho” e de “perda de direitos é muito grande”.Em nota pública, a CNBB manifesta apreensão com o debate sobre mudanças na aposentadoria e pede que as contas da Previdência sejam mais transparentes.

Paulo Victor Chagas
Repórter da Agência Brasil

foto - ilustração
Após se reunirem por três dias, os dirigentes da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) manifestaram-se nesta quinta-feira (23) contra a reforma da Previdência proposta pelo governo federal e a favor da redução do número de autoridades com direito a foro privilegiado. De acordo com a CNBB, a proposta de emenda à Constituição (PEC) em debate no Congresso reduz a Previdência a uma questão econômica e “escolhe o caminho da exclusão social”.
Em entrevista convocada para comentar os principais temas em debate no país, o presidente da CNBB, cardeal Sérgio da Rocha, criticou também o projeto que libera a terceirização em todas as atividades das empresas, aprovado ontem (22) pela Câmara dos Deputados. Segundo dom Sérgio, o “risco de precarização das relações de trabalho” e de “perda de direitos é muito grande”.
Em nota pública, a CNBB manifesta apreensão com o debate sobre mudanças na aposentadoria e pede que as contas da Previdência sejam mais transparentes. “Os números do governo federal que apresentam um déficit previdenciário são diversos dos números apresentados por outras instituições, inclusive ligadas ao próprio governo. Não é possível encaminhar solução de assunto tão complexo com informações inseguras, desencontradas e contraditórias. É preciso conhecer a real situação da Previdência Social no Brasil. Iniciativas que visem ao conhecimento dessa realidade devem ser valorizadas e adotadas, particularmente pelo Congresso Nacional, com o total envolvimento da sociedade”, dizem os bispos, no comunicado.
Os representantes da CNBB reuniram-se na última segunda-feira (20) com o presidente Michel Temer e, depois, com Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara dos Deputados. “Fomos para dialogar. Manifestamos a nossa preocupação com os projetos que tramitam no Congresso, sobre a reforma da Previdência e sobre as matérias que tratam dos direitos indígenas”, afirmou o secretário-geral do CNBB, Leonardo Steiner. As notas públicas foram aprovadas após reunião do Conselho Permanente da CNBB, realizada de terça-feira (21) até hoje.
Apesar de convocar os católicos a se mobilizar em torno do tema, os bispos não propuseram ação direta nas comunidades. Para o cardeal, atitudes como, por exemplo, divulgar críticas à reforma durante as missas, vão depender de cada padre. “Queremos que esse tema seja debatido de alguma maneira nas nossas comunidades, que seja objeto de reflexão e de estudo. Mas não entramos em detalhe sobre as iniciativas concretas, que deverão ficar a cargo dos bispos diocesanos e, particularmente, das comunidades”, afirmou dom Sérgio.
De acordo com o comunicado, a CNBB defende que o sistema da Previdência Social continue tendo uma matriz ética que proteja as pessoas da vulnerabilidade social, de valores ético-sociais e solidários. “Na justificativa da PEC 287/2016 [que trata da reforma] não existe nenhuma referência a esses valores, reduzindo-se a Previdência a uma questão econômica”, diz o texto. A entidade afirma que, na proposta, o problema do déficit é solucionado “excluindo da proteção social os que têm direito a benefícios”.
O governo afirna que a reforma da Previdência é necessária em razão do atual déficit do sistema. De acordo com o governo, caso as mudanças não sejam feitas, o país corre o risco de não conseguir pagar o benefício às futuras gerações.
Como alternativa, a CNBB defende uma auditoria na dívida pública, taxação das rendas de instituições financeiras e revisão dos incentivos fiscais para exportadores de commodities.(produtos primários com cotação em mercados internacionais). Eles pedem ainda que sejam identificados e cobrados os devedores da Previdência.

Foro Privilegiado

Embora na nota pública defendam um “número restrito de autoridades” com direito ao foro privilegiado, os bispos não quiseram responder a quais cargos se referiam. “Queremos oferecer a nossa contribuição questionando a atual situação do foro privilegiado. Nossa postura é que se restrinja ao máximo, mantendo, é claro, a proteção necessária no conjunto de uma sociedade democrática, e não criando uma espécie de aristocracia privilegiada”, afirmou o presidente da CNBB.
Os dirigentes da entidade justificam que o debate é necessário diante do número crescente de autoridades envolvidas em casos de corrupção. “Calcula-se um universo de 22 mil autoridades que estariam beneficiadas pelo foro privilegiado. Aos olhos da população, esse procedimento jurídico parece garantia de impunidade numa afronta imperdoável ao princípio constitucional de que todos são iguais perante a lei”, diz o comunicado.
Para o vice-presidente da CNBB, dom Murilo Krieger, mais uma vez a intenção é incentivar a participação da sociedade. “Não vamos dizer nem o número, nem uma lista, porque não caberia a nós. O que a gente percebe é isso: esse número é realmente algo que deixa todo mundo surpreso. É impossível a Justiça, os dois supremos tribunais [STJ e STF], darem conta de tudo aquilo que chega a eles”, afirmou.
Fonte - Agência Brasil  23/03/2017

Teremos a melhor mobilidade urbana do país”,afirma Rui Costa governador da Bahia

Mobilidade/Salvador  🚏  🚇

“Eu posso afirmar que nós teremos a melhor mobilidade urbana do país, após a conclusão dessas obras. O prazo tanto do metrô quanto do sistema viário está antecipado. Nós vamos continuar com esse ritmo. O compromisso da concessionária é concluir o Terminal de Pituaçu em julho, assim como o trecho da [Avenida] Gal Costa que vai até a rotatória. Além disso, são três novos viadutos na Avenida Paralela, para dar mais mobilidade, ou seja, facilitar o tráfego e também viabilizar a obras do metrô”, comentou Rui.

Da Redação
foto -  Manu Dias/GOVBA
Visita ao canteiro de obras do Terminal de Integração ônibus
Metrô de Pituaçu
O governador Rui Costa visitou, nesta quinta-feira (23), as obras da Linha 2 do metrô, na Avenida Paralela. Rui iniciou a visita técnica no Terminal de Ônibus de Pituaçu, que será o maior desse segundo trecho do sistema metroviário. Em seguida, o governador foi ao elevado de Alphaville. Depois, conheceu as obras do retorno de Stella Maris, passou pelo Terminal Mussurunga e finalizou no retorno da Avenida Paralela, em frente ao Instituto Anísio Teixeira (IAT).
Passando por reforma, que deve ser concluída em agosto, o Terminal Mussurunga terá sua área ampliada em 23%, oferecendo mais conforto para os usuários. Futuramente interligado à Estação Pituaçu do Metrô por meio de passarela, o terminal terá 43,9 mil metros quartados de área construída distribuídos em quatro pavimentos.

 foto - Manu Dias/GOVBA
 Terminal de Integração ônibus/Metrô de Pituaçu
“Eu posso afirmar que nós teremos a melhor mobilidade urbana do país, após a conclusão dessas obras. O prazo tanto do metrô quanto do sistema viário está antecipado. Nós vamos continuar com esse ritmo. O compromisso da concessionária é concluir o Terminal de Pituaçu em julho, assim como o trecho da [Avenida] Gal Costa que vai até a rotatória. Além disso, são três novos viadutos na Avenida Paralela, para dar mais mobilidade, ou seja, facilitar o tráfego e também viabilizar a obras do metrô”, comentou Rui.

foto - Camila Souza/GOVBA
Visita ao canteiro de obras do Terminal de Integração
 ônibus/Metrô de Mussurunga
O Terminal de Mussurunga será interligado à estação do metrô por meio de passarela, que poderá ser acessada por escada rolante, escada fixa ou elevador. Trinta e duas câmeras integradas ao Centro de Controle Operacional (CCO) da CCR Metrô Bahia farão o monitoramento contínuo do espaço, com incremento de quase 60% no número atual de câmeras. Operando de forma totalmente integrada, a estação e o terminal atenderão aos moradores de Mussurunga, São Cristóvão, Jardim das Margaridas, Itinga, Itapuã e outras localidades do entorno.
Seguindo o padrão dos terminais administrados pela CCR, o espaço terá piso tátil, guaritas de entrada e saída, sala de primeiros socorros e sanitários para pessoas com deficiência (PCD), além de sanitários comuns. A dona de casa, Balbina Santos, que é cadeirante, aguarda entusiasmada para utilizar os serviços. Para ela, que faz o trajeto Mussurunga-Pirajá para realizar sessões de fisioterapia, o novo modal deve proporcionar mais conforto e segurança nas viagens.
“Vai ser muito bom para as pessoas porque reduz o tempo de viagem. Para uma pessoa que utiliza cadeira de rodas, como eu, vai representar ainda mais. O metrô têm menos obstáculos e ainda conta com uma equipe de profissionais que nos garante assistência”, afirma Balbina.
Com informações da Secom Ba.  23/03/2017


foto -  Manu Dias/GOVBA

Visita ao canteiro de obras do Terminal de Integração ônibus/Metrô de Pituaçu



Travessia Salvador-Mar Grande é suspensa devido ao mar agitado e vento forte

Travessia Marítima  🚤

O sistema foi interrompido às 12h30 por conta de ventos fortes e do mar agitado.A previsão de Associação dos Transportadores Marítimos da Bahia (Astramab), é que o sistema volte a funcionar na sexta-feira, 24, caso as condições de navegações melhorem.

A Tarde
foto - ilustração
Depois de retomar o serviço na manhã desta quinta-feira, 23, a Travessia Salvador-Mar Grande
voltou ser suspensa nesta tarde. O sistema foi interrompido às 12h30 por conta de ventos fortes e do mar agitado. O transporte foi retomado às 5h desta quinta, depois de ser suspenso às 10h de quarta, por causa do mau tempo.
A previsão de Associação dos Transportadores Marítimos da Bahia (Astramab), é que o sistema volte a funcionar na sexta-feira, 24, caso as condições de navegações melhorem.
Para os passageiros da linha Salvador-Morro de São Paulo, as operações estão sendo feitas hoje com os catamarãs fazendo conexão em Itaparica, de onde os passageiros seguem via terrestre até a Ponta do Curral, em Valença, e atravessam para o Morro. O último horário saindo do Terminal Náutico será às 14h30 e do Morro de São Paulo, às 15h. As escunas de turismo que fazem o passeio pelas ilhas da Baía de Todos os Santos não estão operando.
Fonte - A Tarde  23/03/2017

Einstein, a relatividade e o Brasil

Ponto de Vista  🔍

Na chegada de Einstein ao porto do Rio de Janeiro só não lhe tocaram Cidade Maravilhosa porque a banda não podia tocar o que ainda não existia. Mas as fotos mostram o cientista em um mar de curiosos, que lhe acenavam e sorriam como se ele fosse um astro de cinema. Se tivesse tempo para refletir, certamente ele diria o que certa vez comentou Borges, ao ser cumprimentado por muitas pessoas nas ruas de Buenos Aires: “eles acenam para um homem que pensam que sou eu”.


Uraniano Mota* - Portogente
foto - ilustração
Num 21 de março de 1925, Albert Einstein passou pelo Rio de Janeiro. Depois, voltou em 4 de maio Mas quase ninguém fala do desastre cômico da passagem do cientista pela boa sociedade do Brasil. Muitos personagens daquela elite continuam vivos, com uma atualidade arqueológica.
Na chegada de Einstein ao porto do Rio de Janeiro só não lhe tocaram Cidade Maravilhosa porque a banda não podia tocar o que ainda não existia. Mas as fotos mostram o cientista em um mar de curiosos, que lhe acenavam e sorriam como se ele fosse um astro de cinema. Se tivesse tempo para refletir, certamente ele diria o que certa vez comentou Borges, ao ser cumprimentado por muitas pessoas nas ruas de Buenos Aires: “eles acenam para um homem que pensam que sou eu”.
Dali, sempre cercado por uma comitiva das mais doutas toupeiras, visitou o Presidente da República e deu três conferências, no Clube de Engenharia, na Escola Politécnica e na Academia Brasileira de Ciências. Com direito a almoços e jantares nos intervalos, em locais diferentes, no prazo de uma semana.
Não havia entre os doutores que o cercavam um só físico ou matemático. Os doutores eram médicos, advogados, políticos, militares, embaixadores e engenheiros. Eram os doutores clássicos do Brasil, donos de uma posição social, e que por isso mereciam e merecem o tratamento honroso, como o chamado Doutor Jornalista Roberto Marinho. Com tal gente, o resultado foi o que se viu.
Na primeira palestra, no Clube de Engenharia, o salão ficou completa e absolutamente lotado. Políticos, graduados oficiais das três forças armadas, altos funcionários, engenheiros, esposas, filhos e filhinhos, todos muito unidos na mais absoluta ignorância do que vinha a ser aquele indivíduo estranho e suas ainda mais estranhas e cabeludas ideias. Com a vantagem, que os deixava ainda mais unidos, de não entenderem uma só palavra da língua alemã. O que importava era ver o homem famoso em ação.
Einstein anotaria em seu diário, mais tarde: “Às 4 horas, primeira conferência no Clube de Engenharia numa sala superlotada, com ruído da rua, as janelas abertas. Não tinha nenhuma acústica para que me entendessem. Pouco científico”.
No dia seguinte, para ser mais científico, foi à Academia Brasileira de Ciências. Se alguma dúvida ele possuía que estivesse no Brasil, ali os acadêmicos trataram de resolvê-la, porque lhe fizeram três longos, vazios e tenebrosos discursos. Entre outros, falou o doutor Juliano Moreira, Vice-Presidente, sobre a influência da Teoria da Relatividade na Biologia. É lamentável faltar um registro preciso desse discurso, pois teríamos um documento importante do nível mental daqueles acadêmicos.
Então veio o melhor dia. Na terceira e última palestra, na Escola Politécnica, não houve a invasão do grande público, das senhoras mães com seus filhinhos, dos oficiais com galões e de velhos generais do século dezenove. A julgar pelos jornais, “o Professor Einstein pôde desenvolver a sua palestra sob um ambiente tranqüilo, e dessa maneira os cientistas brasileiros acompanharam-no passo a passo na sua exposição”. Nem tanto, e por favor acreditem, porque nada é mais rico que a própria realidade. Um desses grandes nomes da ciência, um desses físicos foi o jurista Pontes de Miranda! Ele, a falar em alemão, desafiou Einstein, para maior fascínio dos doutores presentes:
- Data venia, Herr Einstein, a Teoria da Relatividade não considerou as implicações metafísicas das hipóteses que aventa. Das ciências físicas até as ciências jurídicas a diferença é de grau...
A plateia delirou diante de tal brilho. O cientista sorriu e manteve silêncio. Quando acabou o discurso do jurista, que derrubava a Teoria da Relatividade naquele tribunal, o físico se levantou, e como a se despedir entregou a um dos acadêmicos um papel onde se lia:
"A questão, que minha mente formulou, foi respondida pelo radiante céu do Brasil."
Era uma referência ao eclipse do Sol, observado em Sobral, no nordeste brasileiro, que em 1919 comprovara a previsão do cientista quanto à deflexão da luz pelo campo gravitacional do Sol. Mas assim não entendeu bem o ilustre jurista, que ao ler aquelas palavras interpretou-as como uma resposta à sua intervenção. Pois não era de sol e azul o céu do Rio de Janeiro?
Sim, salvo melhor juízo.
*Urariano Mota é escritor e jornalista.
Fonte - Portogente  23/03/2017

Sob gestão de Alckmin, metrô de SP tem atraso em todas as obras de expansão

Transportes sobre trilhos  🚃

Na campanha de 2010, quando se elegeu governador, Alckmin afirmou que até o fim do mandato, em 2014, entregaria a linha 4-amarela completa e 11 estações da linha 5-lilás –dois compromissos eleitorais frustrados.Outro exemplo de promessa não cumprida é o monotrilho da linha 17-ouro, que ligaria o Morumbi ao aeroporto de Congonhas a tempo da Copa de 2014 no país. 

Folha de São Paulo - RF
foto - ilustração/arquivo
Apesar de o governo Geraldo Alckmin (PSDB) pretender expandir a malha metroviária em 23 km até o fim de 2018, o avanço do metrô tem investimentos e prazos aquém do que o próprio governador prometeu à população em anos anteriores, além de projetos ora abandonados.
Na campanha de 2010, quando se elegeu governador, Alckmin afirmou que até o fim do mandato, em 2014, entregaria a linha 4-amarela completa e 11 estações da linha 5-lilás –dois compromissos eleitorais frustrados.
Outro exemplo de promessa não cumprida é o monotrilho da linha 17-ouro, que ligaria o Morumbi ao aeroporto de Congonhas a tempo da Copa de 2014 no país. Agora, sua conclusão é prevista para o segundo semestre de 2019, cinco anos após o megaevento esportivo. Esses episódios não configuram exceção. Todas as obras em andamento para expansão da rede do metrô em São Paulo têm atrasos.
A conclusão da linha 4-amarela, por exemplo, ficará para o próximo governador. A estação Vila Sônia só deve ficar pronta no segundo semestre de 2019. E não há previsão para sair do papel a parada em Taboão da Serra, que já fez parte do plano.
No caso da extensão da linha 5-lilás, iniciada com a abertura de Adolfo Pinheiro em fevereiro de 2014, o governo promete entregar até o fim do ano nove estações. Para chegar ao total de 11, restará a parada em Campo Belo, prevista para o ano que vem.
O monotrilho da linha 15-prata, importante para a zona leste da cidade, foi prometido para 2016, mas agora o governo Alckmin se compromete a concluir as obras de oito estações no primeiro semestre de 2018.
Há outros casos, no entanto, que não contam mais com previsão de inauguração. Prometidas para 2020, tanto a linha 6-laranja como a expansão da linha 2-verde até Guarulhos já não têm mais data certa de entrega, pois os trabalhos foram suspensos em razão de dificuldades no atual cenário econômico.
Diferentemente dos demais projetos, o monotrilho da linha 18-bronze, que faria a ligação com a região do ABC paulista, nem sequer começou. Ao apresentá-lo, em 2014, o governo estimava concluir suas obras até 2018, mas esse prazo já foi prorrogado para 2020 –e mesmo essa data já não parece viável.
Apesar de sofrerem atrasos significativos, gerando prejuízos à população, o governo ainda tem essas obras em seu radar. Não é o que acontece com outros projetos de expansão da malha metroviária que constam de documentos oficiais produzidos pelo Estado.
Estão nesse limbo, por exemplo, as linhas 19-celeste, 20-rosa e 23-magenta do metrô, cuja construção constava do Plano Integrado de Transporte Urbano 2025.

Corte nos Gastos
A redução no ritmo da expansão do metrô está diretamente ligada ao freio nos aportes previstos pelo Estado.
No plano plurianual para o período de 2012 a 2015, a gestão Alckmin prometia um investimento significativo no transporte sobre trilhos: R$ 45 bilhões, valor que incluía R$ 13,4 bilhões de recursos privados (caso da construção das linhas 6-laranja e 18-bronze, por exemplo).
Dos R$ 31,7 bilhões de responsabilidade estatal, contudo, apenas R$ 19,7 bilhões foram efetivamente gastos no período –62% do total.
Ninguém sabe por que o critério da Secretaria do Tesouro Nacional para nota de crédito é do jeito que é, e não conseguimos financiamento. Então como é que eu vou tocar linha nova sem recursos?, questiona Clodoaldo Pelissioni, secretário de Transportes Metropolitanos.

Monotrilho
Ouro, prata e bronze são os nomes das linhas de monotrilho de São Paulo. A execução de suas obras, contudo, está longe da ideia de excelência que esses metais representam nas medalhas olímpicas. Cada uma delas, aliás, enfrenta um tipo de dificuldade diferente.
No caso da linha 15-prata, que passará pela zona leste, os trabalhos chegaram a ser interrompidos por erros de projeto. Descobriu-se, com as obras em curso, que não era possível perfurar o solo para fincar a estrutura de estações na região da av. Luiz Ignácio Anhaia Mello em locais que já haviam sido desapropriados.
Isso porque os engenheiros desprezaram os riscos que galerias de água de um córrego que passava embaixo da avenida apresentavam à construção. Foi preciso paralisar as obras, com gastos adicionais e atrasos, para desviar essas galerias de água e avançar no monotrilho.
Na linha 17-ouro, que ligará o aeroporto de Congonhas à estação Morumbi da CPTM, o governo sofreu com outro tipo de problema. Litígios –inclusive judiciais– com empreiteiras que construíam lotes desse ramal colaboraram para que os prazos de entrega fossem descumpridos.
No início de 2016, obras do monotrilho da zona sul foram suspensas por prazo indeterminado. O contrato foi rescindido, e um novo consórcio só retomou os trabalhos meses depois. Há um problema comum às linhas 15 e 17: o congelamento de 17 das 36 estações originalmente previstas nesses ramais.
Com essa decisão, 21,9 km dos 44,4 km prometidos nesses trechos –que abrangeriam a favela de Paraisópolis, na zona sul, e o bairro de Cidade Tiradentes, no extremo leste– ficam sem data de entrega.
Já no monotrilho da linha 18-bronze, em direção à região do ABC paulista, o consórcio que venceu a licitação para a PPP (parceria público privada) está pronto para iniciar as obras, mas não consegue porque o governo não conseguiu liberar recursos com o governo federal para pagar desapropriações.
A opção de construir monotrilhos em São Paulo sofre resistência de especialistas em metrô, mas o governo Alckmin defende o modal por ter, em tese, custo mais baixo e construção mais rápida.

Transporte estagnado

Metrô atrasa novas linhas e extensão de atuais ramais

Linha Promessa inicial Previsão atual

Linha   2- 2020 Sem prazo
Linha   4- 2014 2º semestre de 2019
Linha   5- 2014 2º semestre de 2018
Linha   6- 2020 Obra interrompida, sem previsão
Linha 15- 2016 1º semestre de 2018
Linha 17- 2014 2º semestre de 2019
Linha 18- 2018 Sem prazo

Trechos

Linha   2- Extensão até a Dutra
Linha   4- Trecho até Vila Sônia
Linha   5- Extensão até Chácara Klabin (11 estações)
Linha   6- Novo ramal - Brasilândia a São Joaquim
Linha 15- Trecho até São Mateus
Linha 17- Novo ramal - Congonhas ao Morumbi
Linha 18- Novo ramal - Tamanduateí ao ABC

Outras Linhas
Ramais previstos no planejamento da Secretaria de Transportes Metropolitanos em 2013, mas que não tiveram nem as obras iniciadas

Linha 19- celeste (Campo Belo - Guarulhos)
Linha 20- rosa (Limão - Santo André)
Linha 23- magenta (Lapa - Dutra)
Fonte - Revista Ferroviária  23/03/2017

Trensurb testa pagamento de passagem do metrô com cartões de credito e débito em parceria com a prefeitura

Transportes sobre trilhos  🚉

Nesta sexta-feira (24), às 9h30, numa parceria entre a Trensurb e a Prefeitura de Porto Alegre, será lançado na Estação Mercado o projeto-piloto do novo bilhete unitário do metrô. Utilizando a tecnologia do QR code, o sistema também permitirá o pagamento do bilhete com cartão de crédito ou débito.

Trensurb
foto - ilustração/arquivo
Lançamento do projeto-piloto ocorre na sexta-feira (24), às 9h30, como parte da programação da Semana de Porto Alegre. Os testes, que incluem o uso de bilhetes com QR codes, continuam de segunda a sexta-feira, das 10h às 16h, até 7 de abril.
Nesta sexta-feira (24), às 9h30, numa parceria entre a Trensurb e a Prefeitura de Porto Alegre, será lançado na Estação Mercado o projeto-piloto do novo bilhete unitário do metrô. Utilizando a tecnologia do QR code, o sistema também permitirá o pagamento do bilhete com cartão de crédito ou débito.
A novidade será apresentada na semana de comemorações do 245º aniversário de Porto Alegre, com a presença do prefeito da capital, Nelson Marchezan Júnior, e do diretor-presidente da Trensurb, David Borille.
Uma máquina de autoatendimento estará instalada na Estação Mercado para a venda de bilhetes aceitando pagamento apenas com cartão de crédito ou débito. Uma bilheteria exclusiva na estação, devidamente identificada, também fará a venda dos novos bilhetes com pagamento somente em dinheiro, durante os horários de testes. Após adquirir seu bilhete, no qual estará impresso um QR code, o usuário deverá aproximá-lo do leitor na catraca exclusiva – adaptada para a leitura somente desse tipo de bilhete – para ter o acesso liberado.
A bilhetagem via QR code, ou código QR (sigla do inglês quick response – resposta rápida), é uma solução inovadora, que proporciona agilidade aos usuários do transporte público e redução de custos operacionais. Os testes serão desenvolvidos sem custos para o município e para a Trensurb, com o apoio técnico do TEU Bilhete Metropolitano. A 4all, startup gaúcha, apoia o projeto e trabalha em um aplicativo integrado para smartphones.
A viabilidade da implantação definitiva do sistema será analisada durante o período de testes, que inicia no dia 24 e segue de segunda a sexta-feira, das 10h às 16h, até 7 de abril. Caso se comprove a viabilidade de implantação definitiva, futuramente, a Trensurb deverá licitar o serviço e implantar nas estações do metrô.

Serviço
Lançamento de novo bilhete unitário com tecnologia QR code.
Dia 24/03, às 9h30, na Estação Mercado da Trensurb.

Período de testes:
De segunda a sexta-feira, das 10h às 16h, somente na Estação Mercado.
(Nos dias 24 de março, de 27 a 31 de março e de 3 a 7 de abril).
Fonte - Trensurb  23/03/2017

Pátio de Manutenção do Metrô de BH recebe alunos do curso de Eletrônica

Transportes sobre trilhos  🚃

As visitas são uma atividade complementar de sala de aula do colégio em parceria com a CBTU Belo Horizonte, que tiveram início na segunda-feira (20/3) e seguem até hoje (23/3).Os profissionais da CBTU Belo Horizonte estão sempre dispostos a trocar experiências com os estudantes que se preparam para o mercado de trabalho. 

CBTU
Divulgação/CBTU
Mais de 100 alunos do curso Técnico de Eletrônica do Colégio Padre Eustáquio vão participar de visitas Técnicas ao Pátio São Gabriel esta semana. Todas acontecem no período da noite, das 19h às 21h. As visitas são uma atividade complementar de sala de aula do colégio em parceria com a CBTU Belo Horizonte, que tiveram início na segunda-feira (20/3) e seguem até hoje (23/3).
Como parte da visitação, os estudantes acompanharão a dinâmica do setor de manutenção da Companhia identificando as peças que formam os sistemas elétricos e mecânicos dos trens e comparando a tecnologia aplicada aos novos carros, em relação à frota antiga.
Segundo a professora e Coordenadora de Estágio Bernadete Machado o contato com a prática influencia diretamente na formação profissional dos alunos. “A intenção é ampliar o conhecimento adquirido em sala de aula e vivenciar na prática os desafios diários de um profissional da área. Conhecer a tecnologia utilizada pela Companhia, os procedimentos internos e a relação entre os funcionários”, enfatiza.
Os profissionais da CBTU Belo Horizonte estão sempre dispostos a trocar experiências com os estudantes que se preparam para o mercado de trabalho. A realização de visitas técnicas são uma constante no Metrô e a Companhia faz questão de valorizar esse intercâmbio de ideias. De acordo o Coordenador da COMEP, Maurício Oliveira, os alunos estarão em contato com o dia a dia do profissional da área. “Eles irão vivenciar os desafios do serviço de manutenção, aprender sobre a logística empregada na Companhia e nos novos trens”, conta.
Com informações da CBTU  23/03/2017

quarta-feira, 22 de março de 2017

Intervenções tornam área do Centro Antigo de Salvador mais atrativa

Desenvolvimento Urbano  👪

No território, formado pelo centro histórico e mais onze bairros onde se encontram 70% dos equipamentos culturais da capital baiana, calçadas e vias danificadas já dão lugar a ruas pavimentadas e calçadas alargadas, com melhorias na acessibilidade. Todas as obras de requalificação fazem parte de projetos que pertencem ao Plano de Reabilitação do Centro Antigo de Salvador.

Da Redação
foto - Camila Souza/GOVBA
Um novo capítulo da história do Centro Antigo de Salvador é escrito com inúmeras intervenções nas áreas de infraestrutura urbana, habitação social e recuperação externa de igrejas e casarões históricos. No território, formado pelo centro histórico e mais onze bairros onde se encontram 70% dos equipamentos culturais da capital baiana, calçadas e vias danificadas já dão lugar a ruas pavimentadas e calçadas alargadas, com melhorias na acessibilidade. Todas as obras de requalificação fazem parte de projetos que pertencem ao Plano de Reabilitação do Centro Antigo de Salvador.
De acordo com o titular da Diretoria do Centro Antigo de Salvador (Dircas), unidade da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder), Maurício Mathias, o objetivo é recuperar a área, uma das mais antigas da cidade. Para Mathias, as intervenções são fundamentais para que a movimentação de pessoas seja intensificada, estruturas culturais contempladas e a economia fortalecida na região.
“Durante muito tempo, o centro antigo passou por degradação. As pessoas se afastaram desta parte da cidade. Estamos investindo na requalificação para que volte ser agradável visitar o centro antigo. Para os comerciantes, moradores e visitantes será muito interessante”, afirma.
Através do projeto Pelas Ruas do Centro Antigo, planejado e executado por etapas, as obras já foram concluídas em 51 ruas e outras 57 vias estão com frentes de trabalho. No total, mais de 260 vias serão contempladas em Salvador, com investimento de R$ 124 milhões. Aos poucos, bairros como Comércio, Dois de Julho, Nazaré, Tororó, Barbalho, Mouraria e Jardim Baiano, ganham rampas de acesso, piso tátil, travessias para pedestres, ciclofaixas, postes de iluminação e sinalização para facilitar o acesso das pessoas.
No entorno da Arena Fonte Nova, as intervenções incluem a substituição de meio-fio, a demolição dos passeios antigos e a construção de novos, como forma de garantir o fluxo de pessoas e veículos pela região. Até o momento já foram finalizadas as obras no Vale de Nazaré (do Aquidabã ao bairro da Saúde e da Arena Fonte Nova até a Estação da Lapa) e estão em fase de conclusão as obras na Rua Djalma Dutra. Além disto, operários trabalham na via que liga a Vasco da Gama ao estádio e, em breve, serão iniciadas as intervenções na área da Sete Portas, sentido Aquidabã.
Na Baixa dos Sapateiros, o Quartel do Corpo de Bombeiros, a Praça dos Veteranos e a Ladeira do Pax também passaram por obras. O local teve a infraestrutura recuperada e já é possível transitar e visitar lojas sem dificuldades.

Pelourinho
Por meio da Conder, casarões antigos e igrejas tradicionais do centro histórico têm as fachadas recuperadas. A reforma de telhados e pavimentos, assim como a recuperação de praças e largos também integram a série de ações para a manutenção da área, por onde circulam 530 mil pessoas por ano. Um exemplo é a Praça Tereza Batista, que teve a estrutura metálica e cobertura trocadas, pintura das fachadas dos imóveis além da reforma do palco e camarins.
A Fundação Casa de Jorge Amado, no Largo do Pelourinho, também passa por melhoria, com a reforma da fachada. Para a diretora executiva da entidade, Ângela Fraga, o local tem ficado ainda mais atrativo. “Estudantes e turistas costumam a procurar a Casa de Jorge Amado para visitar, conhecer e aprender um pouco mais. A fachada é o primeiro contato e precisava realmente ser melhorada. Acredito que as pessoas tenham ainda mais vontade de vir para cá”, destaca.
No mês em que Salvador completa 468 anos, a requalificação presenteia a população, e quem vive do comércio comemora. “É muito bom para o Pelourinho ter esse tipo de obra. O lugar que é um dos cartões postais da cidade fica mais bonito, e isso atrai os turistas. Consequentemente, temos aquecimento do comércio”, afirma a comerciante, Maristela Almeida.
Com informações da Secom Ba. 22/03/2017

Trecho da Paralela é interditado pela CCR para obras de novo viaduto

Mobilidade  🚗 🚇

O bloqueio será colocado pouco antes do acesso ao Alphaville, desviando o tráfego para a via marginal. Na altura da Concessionária Baviera, a via marginal estará com tráfego em meia pista ao longo de aproximadamente 150 metros.

Da Redação
Divulgação/CCR
A CCR Metrô Bahia e o Consórcio Mobilidade Bahia informam que, para colocação dos tramos de novo viaduto de retorno na região do Alphaville, realizarão a interdição de trecho da Av. Paralela (sentido Aeroporto) a partir das 23h30 de sexta-feira (24/03) até as 5h de sábado (25/03) e no domingo (26/03) a partir das 23h30 até a segunda-feira (27/03), às 5h.
O bloqueio será colocado pouco antes do acesso ao Alphaville, desviando o tráfego para a via marginal. Na altura da Concessionária Baviera, a via marginal estará com tráfego em meia pista ao longo de aproximadamente 150 metros.
A nova estrutura possibilitará o retorno no sentido Aeroporto/Centro com maior segurança, tendo como ponto de partida e chegada a pista de menor velocidade da avenida.
Com informações da CCR Metrô Bahia  22/03/2017

Para manter as florestas

Ecologia  🌱

Tamanha é a importância da preservação das árvores que a Universidade de Yale, de Connecticut (EUA), reuniu pesquisadores de 15 países diferentes, entre eles o Brasil, e apresentou um dos censos mais completos da história. O levantamento destaca que o planeta conta com aproximadamente 3 trilhões de árvores e que 43% delas estão em florestas tropicais, como a Amazônia, enquanto que as zonas temperadas possuem 22% e as zonas boreais frias de altas latitudes, 24%.

Thiago Terada* - Portogente
foto - ilustração/arquivo
O dia 21 de março foi estabelecido pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) o Dia Mundial da Floresta. A data convida a refletir sobre o que estamos fazendo para proteger um de nossos maiores patrimônios naturais. Afinal, é um elemento que tem interferência direta em nossas vidas, mas que ainda sofre com a questão do desmatamento, responsável por causar o aumento dos níveis de poluentes no ar, gerar a perda de biodiversidade e interferir diretamente na falta de água no sudeste do Brasil.
Tamanha é a importância da preservação das árvores que a Universidade de Yale, de Connecticut (EUA), reuniu pesquisadores de 15 países diferentes, entre eles o Brasil, e apresentou um dos censos mais completos da história. O levantamento destaca que o planeta conta com aproximadamente 3 trilhões de árvores e que 43% delas estão em florestas tropicais, como a Amazônia, enquanto que as zonas temperadas possuem 22% e as zonas boreais frias de altas latitudes, 24%.
O estudo aponta ainda que o Brasil possui 9,9% das florestas do planeta, ficando atrás apenas de Rússia (21,1%) e do Canadá (10,5%). Além disso, foi destacado que, enquanto a média global é de aproximadamente 420 árvores para cada habitante do planeta, no Brasil são cerca de 1.500 por habitante. Os números são elevados, mas ainda não podemos comemorar, pois foi constatado também que são derrubadas cerca de 15 bilhões de árvores anualmente, ao mesmo tempo em que apenas 5 bilhões de novas mudas são plantadas.
Reverter esses números exige um esforço coletivo, tanto do setor público quanto do privado, para que as pessoas tenham a consciência de que necessitamos das florestas em pé para sobreviver. Manter uma árvore viva significa preservar uma fonte de riqueza que será usada por gerações, ampliar o valor do patrimônio genético e contribuir para desacelerar o aquecimento global.
Avaliando a questão sob o ponto de vista econômico, a preservação das florestas pode ser estimulada pelo processo de vegetalização das formulações em substituição ao uso de matérias-primas sintéticas. Indústrias como as dos segmentos farmacêutico, cosmético, alimentício, químico e agrícola já estão investindo em parcerias com comunidades, por exemplo, da região amazônica, em prol do desenvolvimento sustentável. Elas promovem treinamentos e capacitações em manejo sustentável para mostrar que as árvores preservadas possuem recursos não madeireiros que irão garantir frutos e sementes ricos em vitaminas, com propriedades hidratantes, nutritivas e antioxidantes. Essa é uma iniciativa que garante não só a preservação das árvores, mas também um incentivo para que comunidades locais tenham uma fonte de renda ligada a preservação e uso sustentável dos recursos naturais.
Ações como essa vão ao encontro do novo Marco Legal da Biodiversidade, que entra em vigor no mês de novembro e pretende tornar as regras mais claras em relação ao uso da nossa biodiversidade e promover a repartição das riquezas entre os povos, permitindo modelos de negócios cada vez mais justos e transparentes.
Tudo isso nos mostra que já existe um engajamento em prol de nossas árvores. No entanto, ainda temos muito a fazer para minimizar os números do desmatamento, e a melhor forma de conquistarmos isso é por meio de ações que estimulem o respeito ao meio ambiente, o desenvolvimento social e a obtenção de lucro consciente.
*Thiago Terada é gerente de Sustentabilidade e Assuntos Corporativos da Beraca, líder global no fornecimento de ingredientes naturais provenientes da biodiversidade brasileira para as indústrias de cosméticos, produtos farmacêuticos e cuidados pessoais
Fonte - Portogente  22/03/2017

Trecho da Av. Paralela será interditado pela CCR para melhorias na passarela do Imbuí

Mobilidade  🚗 🚇

Entre 23h30 de quinta-feira (23) e 4h30 de sexta-feira (24), o bloqueio será colocado pouco antes do acesso ao 6º Batalhão do Exército (no sentido Aeroporto), desviando o tráfego para a via marginal da avenida. Os motoristas poderão retornar à pista principal na altura do Viaduto de Narandiba.

Da Redação
Divulgação/CCR
A CCR Metrô Bahia informa que, realizará interdições na pista principal da Av. Paralela, em ambos os sentidos da via, entre a noite de quinta-feira e domingo (23 e 26/3). A intervenção é necessária para remover parte danificada da passarela existente, executando melhorias na atual estrutura.
Entre 23h30 de quinta-feira (23) e 4h30 de sexta-feira (24), o bloqueio será colocado pouco antes do acesso ao 6º Batalhão do Exército (no sentido Aeroporto), desviando o tráfego para a via marginal da avenida. Os motoristas poderão retornar à pista principal na altura do Viaduto de Narandiba. Durante esse período, não será possível utilizar o viaduto do Imbuí para retorno no sentido Centro/Aeroporto. Os motoristas podem fazer o retorno no viaduto da Av. Luís Eduardo Magalhães.
Entre 23h30 de sexta-feira (24) e 4h30 de sábado (25), o bloqueio será colocado logo depois do Viaduto de Narandiba, desviando o tráfego para a via marginal da avenida. Os motoristas poderão retornar à pista principal na altura do acesso para o Saboeiro.
Entre 21h de sábado e 6h de domingo (26/3), o bloqueio será colocado pouco antes do acesso ao 6º Batalhão do Exército (no sentido Aeroporto), desviando o tráfego para a via marginal da avenida. Os motoristas poderão retornar à pista principal na altura do Viaduto de Narandiba. Durante esse período, não será possível utilizar o viaduto do Imbuí para retorno no sentido Centro/Aeroporto. Os motoristas podem fazer o retorno no viaduto da Av. Luís Eduardo Magalhães.
Com informações da CCR Metrô Bahia  22/03/2017

Janot nega vazamentos na PGR e diz que acusação "beira a irresponsabilidade"

Política  👀

Sem especificar o autor, Janot classificou a manifestação recente sobre o assunto de “disenteria verbal”.“É uma mentira, que beira a irresponsabilidade, afirmar que realizamos, na Procuradoria-Geral da República, coletiva de imprensa para 'vazar' nomes da Odebrecht”, afirmou o PGR nesta quarta-feira. - Ontem (22), o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), fez um duro discurso com críticas à Procuradoria-Geral da República (PGR), durante a abertura de uma sessão da Segunda Turma da Corte, colegiado responsável por julgar as questões relativas à Lava Jato.

Felipe Pontes
Repórter da Agência Brasil

foto - ilustração
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, reagiu hoje (22) às recentes declarações de que integrantes do Ministério Público Federal (MPF) teriam realizado uma “entrevista coletiva” informal com jornalistas para vazar informações sigilosas da Operação Lava Jato. Sem especificar o autor, ele classificou manifestação recente sobre o assunto de “disenteria verbal”.
Ontem (22), o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), fez um duro discurso com críticas à Procuradoria-Geral da República (PGR), durante a abertura de uma sessão da Segunda Turma da Corte, colegiado responsável por julgar as questões relativas à Lava Jato.
O ministro acusou a PGR de ter vazado para a imprensa parte dos nomes de pessoas citadas nos depoimentos de delação premiada de ex-executivos da empreiteira Odebrecht, que se encontram sob segredo de Justiça. Ele fez alusão a uma possível anulação de provas em decorrência dos vazamentos.
Gimar Mendes fez referência a um artigo publicado no domingo no jornal Folha de S.Paulo. Segundo o texto, a procuradoria divulgou extraoficialmente, em uma reunião com jornalistas, parte dos nomes de políticos que são alvo dos 83 pedidos de inquérito sigilosos enviados por Janot ao STF na semana passada.
“É uma mentira, que beira a irresponsabilidade, afirmar que realizamos, na Procuradoria-Geral da República, coletiva de imprensa para 'vazar' nomes da Odebrecht”, afirmou Janot nesta quarta-feira. “Só posso atribuir tal ideia a mentes ociosas e dadas a devaneios, mas, infelizmente, com meios para distorcer fatos e desvirtuar instrumentos legítimos de comunicação institucional.”
Janot fez o pronunciamento no encerramento de uma reunião de avaliação das eleições de 2016, realizada na Escola Superior do Ministério Público da União, em Brasília, na manhã de hoje. Para uma plateia composta por procuradores e jornalistas, Janot disse que “em projeção mental, alguns tentam nivelar todos à sua decrepitude moral”.
“Para isso acusam-nos de condutas que lhes são próprias, socorrendo-se não raras vezes da aparente intangibilidade proporcionada pela posição que ocupam no Estado”, acrescentou, numa referência a pessoas que gozam de proteção jurídica especial, como é o caso de ministros do STF.
"Procuramos nos distanciar dos banquetes palacianos. Fugimos dos círculos de comensais que cortejam desavergonhadamente o poder político. E repudiamos a relação promíscua com a imprensa", disse Janot aos procuradores.

"Mentira"
No artigo da Folha de S.Paulo, há críticas às chamadas “coletivas em off”, quando os jornalistas se comprometem em não revelar a fonte das informações, o que, segundo o texto, é uma prática não só no relacionamento da imprensa com membros do MPF, como também com integrantes do Congresso Nacional, do Palácio do Planalto e, inclusive, do Supremo Tribunal Federal. Antes de encerrar, Janot reforçou que é uma “mentira” a existência de tal prática no Ministério Público.
Logo no início de seu pronunciamento, Janot disse que leria seu discurso para evitar “arroubos verbais”, mas, em uma parte em que resolveu falar de improviso, disse: “Apesar da imputação expressa ao Supremo Tribunal Federal, não ouvi uma só palavra, de quem teve uma disenteria verbal ao se pronunciar, sobre essa imputação ao Palácio do Planalto, Congresso e STF".
Fonte - Agência Brasil  22/03/2017

Anunciados como novos, trens parados desde 2013 entram em operação no metrô de SP

Transportes sobre trilhos   🚃

Conforme a RBA denunciou, no ano passado esses trens estavam estacionados ao longo do trecho de circulação, no pátio Capão Redondo e na sede da fábrica da CAF, em Hortolândia, interior de São Paulo. As composições foram compradas por R$ 630 milhões, em 2012 e estão paradas desde que foram entregues, em 2013.

Jornal GGN - RF
foto - ilustração/arquivo
Depois de quase quatro anos parados, seis dos 26 trens novos que estavam sem uso na Linha 5-Lilás (Capão Redondo-Adolfo Pinheiro) do Metrô paulistano foram liberados para circulação na manhã de domingo (19), pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB). Inicialmente, vão operar somente aos domingos, ainda em fase de testes. Conforme a RBA denunciou, no ano passado esses trens estavam estacionados ao longo do trecho de circulação, no pátio Capão Redondo e na sede da fábrica da CAF, em Hortolândia, interior de São Paulo. As composições foram compradas por R$ 630 milhões, em 2012 e estão paradas desde que foram entregues, em 2013.
Alckmin não deu prazo para que os outros 20 trens sejam colocados em operação. O trem utilizado pelo governador para fazer o anúncio, no domingo, é o mesmo trem que a RBA flagrou sem utilização no ano passado, estacionado ao longo do trajeto da Linha 5 – composição P16.
Segundo Alckmin, a expectativa é de estender a operação dos novos trens para os sábados, a partir de abril. A operação plena, em todos os dias da semana, está prevista somente para maio. “Hoje é um grande dia”, declarou. “Os novos equipamentos, que têm ar condicionado, vagões contínuos e câmeras de vídeo, trazem mais conforto para os passageiros e reduzem a distância entre um trem e outro, incrementando a velocidade operacional”, completou.
O motivo principal para os trens terem ficado tanto tempo parados era o sistema de operação. A via opera com o sistema ATC (Controle Automático de Trens, na sigla em inglês) e os trens novos foram adquiridos com sistema CBTC (Controle de Trens Baseado em Comunicação, também do inglês). Além disso, como o trecho em operação era relativamente pequeno, com 9,6 quilômetros, não havia espaço para inserir as composições. Até ontem, a linha operava somente com oito trens da frota F, adquiridos em 2001. O motivo de o governo Alckmin ter adquirido os 26 trens sem ter como utilizá-los é objeto de investigação do Ministério Público Estadual, desde 2015.
O Sindicato dos Metroviários várias vezes manifestou preocupação com a manutenção desses trens sem uso. As composições vinham sofrendo oxidação e desgaste na parte externa, devido à exposição às intempéries. Além disso, componentes sem uso se degradam, levando à possibilidade de os trens apresentarem falhas quando começarem a ser colocados para circular. Outra preocupação dos trabalhadores é que a garantia das composições era de quatro anos, mesmo tempo em que os trens ficaram sem uso.
Sem dar mais detalhes, o governo Alckmin informou que a Linha 5-Lilás vai operar com CBTC. O sistema é o mesmo utilizado nas linhas 4-Amarela (Luz-Butantã), 15-Prata (Vila Prudente-Oratório), onde no ano passado um trem deixou a estação, em via elevada, com as portas abertas, e 2-Verde (Vila Prudente-Vila Madalena), que sofreu 74 panes graves, em apenas dez meses de operação com esse sistema.
Alckmin também prometeu entregar ainda este ano 10 das 11 estações que faltam à Linha 5. Com isso o trajeto vai passar dos atuais 9,6 quilômetros para 20,8 quilômetros de extensão, ligando a região de Santo Amaro à Chácara Klabin, na região Sudeste da cidade, em conexão com a Linha 2-Verde. A última estação – Moema, no meio do ramal – está prevista para 2018, após 20 anos do início das obras. Com a linha concluída, a expectativa é de transportar 780 mil pessoas diariamente.
Em julho do ano passado, o governador Geraldo Alckmin anunciou a intenção de privatizar tanto o trecho em operação quanto o trecho em obras da Linha 5-Lilás. A expansão do trecho começou orçada em R$ 6,9 bilhões e atualmente tem previsão de custo de R$ 9,1 bilhões. Este aumento está sendo investigado pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo.
A Linha 5-Lilás começou a ser construída em 1998, quando era a Linha F da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). O trecho em operação, entre Capão Redondo e Largo Treze, funciona desde 2002. Porém, a construção ficou parada até 2009 e, desde então, somente a estação Adolfo Pinheiro foi entregue. A Linha 5 está nos planos de privatização do governo Alckmin. Porém, o valor estimado é cerca de 1% do investido na construção.
Fonte - Revista Ferroviária  21/03/2017

terça-feira, 21 de março de 2017

A presidente Michelle Bachelet inaugura novo serviço de trens de subúrbio em Santiago

Transportes sobre trilhos  🚄

A linha com 21 km segue para o sul saindo da estação Alameda, a principal da cidade, até Nos, passando por 10 estações em uma seção atualizada da linha principal até Rancagua.O serviço inicialmente está sendo operado com intervalos de saída a cada 20 minutos,entre 10h e 17h30, com duração total no tempo de viagem de 30 min.

Da Redação
foto - EFE
A presidente do Chile Michelle Bachelet,participou no dia 17 de março,da inauguração de um novo serviço de trens para o subúrbio de Santiago. A linha com 21 km segue para o sul saindo da estação Alameda, a principal da cidade, até Nos, passando por 10 estações em uma seção atualizada da linha principal até Rancagua.
O serviço inicialmente está sendo operado com intervalos de saída a cada 20 minutos,entre 10h e 17h30, com duração total no tempo de viagem de 30 min entre Alameda e nós. A partir de 31 de março o tempo cairá para 24 min,e a operação será estendida até as 23,00. O intervalo de tempo entre as viagens deverá ser reduzido para 8 min no horário de pico e 10 min no horário de vale. A partir de 12 de abril o intervalo de tempo entre as viagens no horário de pico será de 6 min, e a operação começara às 06h.O serviço é operado pela Estrada de ferro do estado (EFE).O novo serviço é integrado ao Transantiago pago com bilhete eletrônico.O preço do bilhete vai variar entre 740 e 610 pesos, dependendo do intervalo de tempo e funcionará com até duas integrações,assim como acontece hoje no Metro.
A operação do novo serviço é feita com uma frota de 12 unidades da Alstom X'trapolis elétricas, encomendadas em 2012. Cada composição com dois carros tem 46 m de comprimento e capacidade para 518 passageiros, incluindo 96 sentados. As composições,com corpo de alumínio,também podem operar acopladas em pares dobrando a sua capacidade de passageiros.
Com informações da EFE  21/03/2017