sábado, 21 de janeiro de 2017

Audiência pública sobre o VLT recolhe propostas de população no Subúrbio

Transportes sobre trilhos  🚄

A audiência foi comandada pelo secretário da Casa Civil, Bruno Dauster. “O retorno foi positivo e já recebemos algumas propostas, o que nos dá a segurança de que realizaremos a obra. Faremos uma licitação e será apresentado o projeto base através de uma PPP (parceria público-privada), o vencedor desenvolverá o projeto executivo. Nossa modelagem econômica é baseada na melhor condição de financiamento que nos for oferecida, vencedor será aquela que pedir a menor cota para a execução do serviço”, explicou.

Da Redação
foto - Amanda Oliveira/GOVBA
Uma audiência pública sobre a concessão para implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), reuniu membros do Governo do Estado e a população do Subúrbio Ferroviário, nesta sexta-feira (20), no Colégio Estadual Almirante Barroso, no bairro de Paripe, em Salvador. O evento teve como objetivo esclarecer dúvidas e recolher sugestões para o processo licitatório, na modalidade de concorrência pública, para seleção da melhor proposta para contrato de Parceria Público Privada (PPP), para execução do projeto do VLT.
A audiência foi comandada pelo secretário da Casa Civil, Bruno Dauster. “O retorno foi positivo e já recebemos algumas propostas, o que nos dá a segurança de que realizaremos a obra. Faremos uma licitação e será apresentado o projeto base através de uma PPP (parceria público-privada), o vencedor desenvolverá o projeto executivo. Nossa modelagem econômica é baseada na melhor condição de financiamento que nos for oferecida, vencedor será aquela que pedir a menor cota para a execução do serviço”, explicou.
Dauster destaca ainda o impacto que a obra terá na vida da população. “É um investimento grande que vai transformar a mobilidade em Salvador e trazer uma importante melhoria na qualidade de vida dos baianos, reduzindo o tempo que as pessoas gastam para se locomover, com mais conforto, segurança e dignidade. É um projeto que afetará diretamente a vida da população, precisamos da opinião da sociedade, queremos que elas participem de forma ativa do projeto”.
A oportunidade de manter um diálogo aberto com governantes foi reconhecida pela comunidade. O professor Delcic Ferreira nasceu na região, e para ele a realização do evento demonstra a preocupação do governo com a opinião dos principais beneficiados “No passado não tínhamos oportunidade de debater questões como esta com os nossos gestores. Este diálogo não é importante apenas para a comunidade, mas para os gestores. Através desta troca eles entenderão melhor as nossas necessidades e pode responder diretamente a elas”.
Com um investimento total de R$ 1,5, bilhão, o modal vai substituir o atual Trem do Subúrbio. Ele terá aproximadamente 19 quilômetros de extensão, com 21 paradas, ligando a região do Comércio ao bairro de Paripe, num percurso de 40 minutos. A previsão de início das obras é em até 90 dias após a assinatura do contrato, com prazo para conclusão de 24 meses. Estão previstas intervenções em duas fases: a primeira, entre o Comércio e Plataforma, tem 9,4 km; a segunda, entre Plataforma e São Luiz, tem 9 km. O valor estimado é de R$ 1,5 bilhão.
Com 18,5 quilômetros de extensão e 21 estações, o Veículo Leve sobre Trilhos irá substituir o Sistema de Trens do Subúrbio. As atuais 10 estações serão desativadas e reaproveitadas para prestação de outros serviços à comunidade, como postos da Polícia Militar e centros de atendimento. Conforme o projeto, os usuários do VLT estarão integrados às linhas 1 e 2 do metrô e aos roteiros do BRT (Transporte Rápido por Ônibus) metropolitano. A perspectiva é de beneficiar mais de 1,5 milhão de moradores do Subúrbio Ferroviário.
Com informações da Secom Ba.  21/01/2017

Brasil perde 1,3 milhão de vagas de emprego formal em 2016, diz Caged

Economia  $

Foram registradas 869.439 admissões e 1.331.805 desligamentos no período. O resultado mantém a tendência de mais demissões que contratações no mercado de trabalho brasileiro.No acumulado de 2016, foram eliminados 1.321.994 postos de trabalho no Brasil, diminuindo o estoque de vagas formais em 3,33%.

Maiana Diniz
Repórter da Agência Brasil

foto - ilustração/arquivo
O país perdeu 462.366 vagas de emprego formal em dezembro de 2016, uma variação negativa de 1,19% em relação ao mês de novembro do mesmo ano, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados hoje (20) pelo Ministério do Trabalho. No acumulado de 2016, foram eliminados 1.321.994 postos de trabalho no Brasil, diminuindo o estoque de vagas formais em 3,33%.
Foram registradas 869.439 admissões e 1.331.805 desligamentos no período. O resultado mantém a tendência de mais demissões que contratações no mercado de trabalho brasileiro. A queda no estoque de emprego nas cinco regiões foi 22,4% menor que a observada no mesmo período de 2015.
A série histórica do Caged mostra que entre 2002 e 2016 ocorreram resultados negativos no estoque de vagas formais apenas em 2015 e 2016. A maior geração de empregos no período foi em 2010, quando 2.223.597 postos de trabalho foram criados. Os anos seguintes apresentaram resultados positivos, mas decrescentes.
De acordo com os dados, os oito setores de atividade econômica avaliados sofreram queda no nível de emprego. O setor de Serviços teve a maior redução do estoque de vagas em termos absolutos, com 157,6 mil postos a menos. O setor Indústria de Transformação perdeu 130,6 mil vagas. A maior queda percentual foi na Construção Civil, com 82,5 mil postos de trabalho fechados, o que representa um encolhimento de 3,47% do setor. O segundo maior recuo foi na Agricultura, com 48,2 mil vagas a menos.

Salários
O Caged informou também que o salário médio de admissão em 2016 caiu 1,09% em relação ao mesmo período do ano anterior, passando de R$ 1.389,19, em 2015, para R$ 1.374,12, em 2016.
O relatório aponta que os salários dos homens caiu mais que o de mulheres no período. O salário deles caiu em média 2,43% em 2016, enquanto o delas caiu 0,99%. Com a redução dos salários masculinos, a média de salarial das mulheres passou a representar 89,24% do que eles recebem.
Fonte - Agência  Brasil  21/01/2017

Em viagem teste na Linha 2,Metrô de Salvador chega até a Estação de Pituaçu

Transportes sobre trilhos  🚇

O trem partiu às 8h30 da Estação Rodoviária e percorreu 6,2 km, parando nas plataformas das estações Pernambués, Imbuí, CAB e Pituaçu.A viagem marca o início dos testes operacionais da Linha 2 do metrô, que segue em ritmo avançado rumo ao Aeroporto, e tornará Salvador a cidade com a terceira maior malha metroviária do País.

Da Redação
foto -  Lucas Peixoto/ Ascom Seplan
A população que circulava pela Avenida Paralela na manhã desta sexta-feira (20) foi surpreendida com a primeira viagem da linha 2 do metrô entre as estações Rodoviária e Pituaçu. O trem partiu às 8h30 da Estação Rodoviária e percorreu 6,2 km, parando nas plataformas das estações Pernambués, Imbuí, CAB e Pituaçu.
A viagem marca o início dos testes operacionais da Linha 2 do metrô, que segue em ritmo avançado rumo ao Aeroporto, e tornará Salvador a cidade com a terceira maior malha metroviária do País. “Essa viagem é um marco para a cidade. Pela primeira vez, a população consegue ver o metrô circular na Paralela e esse é só o início de uma revolução na mobilidade urbana que o Governo do Estado está fazendo em Salvador”, pontuou o secretário de Desenvolvimento Urbano, Carlos Martins, que participou da viagem ao lado do presidente da Companhia de Transporte do Estado da Bahia (CTB), Eduardo Copello, do presidente da CCR Metrô Bahia, Luis Valença, diretores e colaboradores da Sedur, CTB, da concessionária e do Consórcio Mobilidade Bahia.
Nesta primeira viagem, sem passageiros, foram avaliadas a movimentação do trem nos trilhos, possíveis ruídos e o desempenho da rede de energia, entre outros aspectos técnicos. Os testes seguirão até o fim do primeiro semestre, quando está previsto o início da operação comercial do trecho.

foto - Camila Souza/GOVBA
Ritmo avançado
A obra da Linha 2 do metrô avança rápido com a atuação de mais de 7 mil trabalhadores, dentro do cronograma previsto, e para ser concluída ainda esse ano. Cerca de 87% das obras das estações da Linha 2 estão concluídas. A previsão é concluir até a Estação Aeroporto, até dezembro de 2017.
A estação Pernambués e as primeiras da Av. Paralela - Imbuí, CAB e Pituaçu – já estão em fase final de retoques. Na estação de Pituaçu, a maior da Linha 2, também está sendo construído um Terminal de Integração com ônibus urbanos. No trecho seguinte, até Mussurunga, os trilhos já estão sendo instalados e, nas estações, estão sendo efetivadas as instalações hidráulicas e elétricas, fechamento lateral e montagem dos equipamentos das salas técnicas.
As intervenções na região entre a Rodoviária e Pernambués ainda incluem a construção de uma via exclusiva para ônibus (Via Expressa), abrindo uma ligação direta com o Viaduto Raul Seixas e contribuindo para desafogar o trânsito no local. Já as intervenções no canteiro da Avenida Paralela incluem a construção de dez novas passarelas ao longo da via, 3 novos viadutos sobre a avenida, além de reforma e adequação de passarelas já existentes.
Quando ficar pronta, a Linha 2 vai permitir que o trajeto entre Acesso Norte e o aeroporto seja percorrido em 27 minutos, passando pelas 12 estações que compõem o trecho. Seis estações terão integração com os terminais de ônibus: Acesso Norte (já em operação), Rodoviária, Pituaçu, Mussurunga, Aeroporto e Lauro de Freitas (prevista dentro do projeto de expansão da Linha 2).

Estações da Paralela
foto - Camila Souza/GOVBA
Quem passa pela Av. Paralela, consegue ver as estações típicas, aquelas com estrutura similar que se repetem ao longo da Avenida Paralela, praticamente prontas, como Pernambués, Imbuí, CAB e Pituaçu, recebendo os retoques finais.
Nas estações típicas, iluminação e ventilação naturais são garantidas por aberturas nas cúpulas. A cor predomina no interior, potencializada pela luz natural diurna e iluminação artificial à noite. As graduações de amarelos e laranjas remetem às cores da paisagem natural e cultural de Salvador, fazendo parte de um projeto mais amplo que abrange o espectro de cores de todo o sistema. No exterior, a aplicação da cor cinza claro leva em conta a necessidade de reflexão da forte incidência solar nas superfícies metálicas.
Devido ao projeto arquitetônico diferenciado, as estações típicas do Metrô de Salvador receberam uma menção honrosa no 9º Prêmio AsBEA de Arquitetura. Essa premiação é bienal, promovida pela Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura e pela Arcoweb/ Revista Projeto, que publica uma edição especial com os premiados.
Com informações da Secom Ba. 20/01/2017

Justiça proíbe aumento de limites de velocidade nas marginais Tietê e Pinheiros

Trânsito  🚗

A liminar atende à ação civil pública movida pela Ciclocidade - Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo. No pedido, a entidade argumentou que a prefeitura não dá garantias de que a medida não vai colocar em risco a vida de quem circula pelas vias.

Camila Boehm
Repórter da Agência Brasil
foto - ilustração/arqivo
A Justiça de São Paulo decidiu hoje (20), em caráter liminar, que os limites de velocidade das marginais Tietê e Pinheiros não poderão ser elevados, conforme anunciado pelo prefeito João Doria.
A liminar atende à ação civil pública movida pela Ciclocidade - Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo. No pedido, a entidade argumentou que a prefeitura não dá garantias de que a medida não vai colocar em risco a vida de quem circula pelas vias.
“Não dá para testar programas desse porte em vidas humanas”, disse, em nota, o diretor da Ciclocidade, Rene Fernandes. “Quando o presidente da CET [Companhia de Engenharia de Tráfego] fala do programa 'Marginal Segura', considera melhorar a fluidez do tráfego e o número de veículos, mas ignora a possibilidade de atropelamentos e colisões que vão ocasionar lesões corporais e mortes,” acrescentou.
Na decisão, o juiz Luis Manuel Fonseca Pires disse que a redução da velocidade nas vias, em vigor desde julho de 2015, foi “motivada tanto por um grave quadro urbano de acidentes fatais no trânsito quanto por orientação internacional de adoção de medidas preventivas, ações concretas que alcançaram expressivos resultados estatísticos de acentuado declive dos casos de mortes nas marginais Pinheiros e Tietê, e sem prejuízo sensível à circulação de veículos”.
O juiz acrescenta que “sem estudos prévios, alternativas concretas a manter os índices satisfatórios alcançados de drástica redução dos eventos de morte nas marginais, não há fundamento jurídico na eliminação de um programa que atinge os objetivos alhures anunciados”.
A redução de velocidade nas marginais Pinheiros e Tietê, segundo o juiz, faz parte de uma sequência de ações voltadas para a segurança do trânsito e preservação de vidas e, caso isso seja ignorado sem “substancial fundamentação”, a decisão de aumentar a velocidade nas vias pode ser caracterizada como um “retrocesso social”.

Ação

Na ação da Ciclocidade, o advogado João Paulo Ferreira argumentou que a intenção da prefeitura de elevar os limites de velocidade viola “frontalmente os direitos previstos na legislação aplicável de todos os usuários dessas vias, colocando-os em risco, sem qualquer argumento minimamente plausível que justifique o retrocesso de aumentar os limites máximos de velocidade”. A entidade também critica a falta de debate com a sociedade civil e a comunidade científica sobre a mudança.
Além da suspensão do aumento na velocidade das vias, a Ciclocidade pediu que o programa Marginal Segura seja submetido à efetiva apreciação e discussão no Conselho Municipal de Trânsito e Transporte, que haja audiências públicas e debates técnicos com especialistas sobre o tema e que seja demonstrado tecnicamente que a elevação das velocidades máximas não vai acarretar no aumento de colisões ou atropelamentos.
Em nota, a prefeitura disse que "a liminar concedida na tarde desta sexta-feira suspendendo a readequação da velocidade das marginais será cumprida pela Prefeitura de São Paulo, que recorrerá da decisão assim que for notificada pelo Poder Judiciário".
Fonte - Agência Brasil  20/01/2017

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Hyperloop começa a sair do papel na Europa

Transportes sobre trilhos  🚅

A República Tcheca já anunciou o acordo para avançar com o projeto.O veículo pode atingir velocidade de até 1.500 km/h

Caio Lobo - Viatrolebus

O trem de alta velocidade Hyperloop deve ganhar sua primeira linha ligando a República Tcheca e Eslováquia, passando pelas cidades de Brno, Praga e Bratislava. Hoje a viagem de Brno a Bratislava leva 1h30. Com o novo trem, levaria 10 minutos. A República Tcheca já anunciou o acordo para avançar com o projeto.
“Agora que já resolvemos todas as questões técnicas, é crucial para nós colaborar com governos em todo o mundo”, afirmou Dirk Ahiborn, CEO da Hyperloop Transportation Technologies.
O veículo pode atingir velocidade de até 1.500 km/h por meio de uma combinação de aerodinâmica e ventiladores para diminuir a resistência do ar.
Fonte - ViaTrolebus  20/01/2016

Ciclocidade aciona Justiça contra aumento de velocidade em SP

Mobilidade  🚗

Eleito com o slogan "Acelera São Paulo", o novo prefeito da cidade, João Dória, está programando a entrada em vigor das novas velocidades para o dia 25 de janeiro, mas a decisão está sendo fortemente contestada por especialistas em engenharia de tráfego e por organizações da sociedade civil. A gestão anterior, de Fernando Haddad, havia iniciado um programa de redução de velocidade do tráfego nas grandes avenidas, em sintonia com ações de redução de mortes no trânsito em cidades como Paris, Barcelona, Bogotá, Nova York, Londres e Curitiba.

Ciclocidade/Mobilize
foto - ilustração/arquivo
A Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo (Ciclocidade) entrou na tarde de ontem (19) com uma Ação Civil Pública para tentar barrar o aumento das velocidades nas avenidas Marginais Pinheiros e Tietê, na capital paulista. O pedido baseia-se principalmente no fato de que a Prefeitura tem sido incapaz de dar garantias de que a medida não coloca em risco à vida de quem circula por aquelas vias.
Eleito com o slogan "Acelera São Paulo", o novo prefeito da cidade, João Dória, está programando a entrada em vigor das novas velocidades para o dia 25 de janeiro, mas a decisão está sendo fortemente contestada por especialistas em engenharia de tráfego e por organizações da sociedade civil. A gestão anterior, de Fernando Haddad, havia iniciado um programa de redução de velocidade do tráfego nas grandes avenidas, em sintonia com ações de redução de mortes no trânsito em cidades como Paris, Barcelona, Bogotá, Nova York, Londres e Curitiba.
“Não dá para testar programas desse porte em vidas humanas”, resume Rene Fernandes, diretor da Ciclocidade. “Quando o presidente da CET fala do programa Marginal Segura, considera melhorar a fluidez do tráfego e o número de veículos, mas ignora a possibilidade de atropelamentos e colisões que vão ocasionar lesões corporais e mortes", completa.
O princípio básico da engenharia de mobilidade é preservar a vida e a saúde das pessoas e não apenas fazer com que cheguem mais rápido nos lugares, afirma o documento da Ciclocidade. As Marginais Pinheiros e Tietê são alguns dos corredores por onde mais circulam pessoas, em todos os modos de transporte. Em dezembro, a Ciclocidade e a Cidadeapé - Associação pela Mobilidade a Pé em São Paulo, que apoia a Ação Civil, realizaram duas contagens conjuntas de pedestres e ciclistas.
Em apenas um ponto da marginal Pinheiros, mais de 19,3 mil pedestres circularam no período entre 6h e 20h, horário em que o levantamento costuma ser realizado; na ponte da Freguesia do Ó, na Marginal Tietê, foram 643 ciclistas. Esse número é superior à população de mais da metade dos municípios brasileiros, mesmo deixando de incluir os condutores de carros, motos e caminhões que trafegam nas Marginais.
A menos de uma semana do início do programa ‘Marginal Segura’, a implantação das novas velocidades não contou com a realização de audiências públicas, debates técnicos e só foi apresentada para o Conselho Municipal de Trânsito e Transporte (CMTT) após forte pressão das próprias conselheiras e conselheiros.
Na apresentação ao CMTT, Sérgio Avelleda, Secretário Municipal de Mobilidade e Transportes, aumentou as incertezas sobre os estudos que supostamente embasam a decisão de elevar os limites de velocidade e que até agora não foram divulgados, ao anunciar um suposto ganho de 15 minutos para motoristas que cruzam ambas as marginais de ponta a ponta. Para ganhá-los, no entanto, esses mesmos motoristas teriam que desrespeitar as velocidades permitidas tanto nos limites atuais da via expressa (70km/h) como nos pretendidos (90km/h), uma vez que a diferença de tempo para quem trafega dentro das duas máximas permitidas soma 9 minutos.


“Tais pretensões da gestão municipal violam frontalmente os direitos previstos na legislação aplicável de todos os usuários dessas vias, colocando-os em risco, sem qualquer argumento minimamente plausível que justifique o retrocesso de aumentar os limites máximos de velocidade”, escreve na peça o advogado João Paulo Ferreira, representante da Ciclocidade. “A medida despreza por completo todos os mecanismos exigidos pela legislação de participação popular na gestão da política de trânsito, ao impor novos padrões de velocidade sem o adequado debate com a sociedade civil e com a comunidade científica, ambos com grandes contribuições para o tema”, finaliza.
O arcabouço jurídico vigente prevê, para garantir a segurança de pedestres e ciclistas, a adoção de medidas de redução de velocidades de veículos automotores, além da participação social efetiva nas políticas de mobilidade. Entre tais normas estão a Política Nacional de Mobilidade Urbana, o Plano Diretor Estratégico da cidade de São Paulo e o Plano Municipal de Mobilidade Urbana.
A ação da Ciclocidade pede a concessão de tutela de urgência liminar, determinando que a Prefeitura se abstenha de praticar qualquer ato, mesmo que preparatório, que implique no aumento das velocidades máximas de tráfego nas Marginais Pinheiros e Tietê. Requer também que o programa “Marginal Segura” seja submetido à efetiva apreciação e discussão no Conselho Municipal de Trânsito e Transporte, com tempo hábil para respostas, que haja audiências públicas e debates técnicos com especialistas sobre o tema e que seja demonstrado tecnicamente que o aumento das velocidades máximas não irá acarretar no aumento de colisões ou atropelamentos.
O processo correrá na 4ª Vara de Fazenda Pública (Foro Central)
Fonte - Mobilize  20/01/2017

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Bahia será divulgada em 60 eventos nacionais e internacionais em 2017

Turismo 🚤

Países como Argentina, França, Estados Unidos, Itália, Alemanha, Chile, Espanha, Portugal e Inglaterra estão no calendário de ações da Diretoria de Promoções da Bahiatursa. No nosso planejamento, a ideia é sempre priorizar os eventos que acontecem nos principais emissores de turistas, informa o superintendente da Bahiatursa, Diogo Medrado.

Da Redação
foto - ilustração/Pregopontocom
Os principais atrativos turísticos da Bahia vão ser apresentados este ano, pela Superintendência de Fomento ao Turismo (Bahiatursa), em cerca de 60 eventos nacionais e internacionais. Estados como São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Pernambuco e Rio Grande do Sul, além do Distrito Federal, terão feiras com a presença da Bahia, apresentando suas belezas naturais.
“Países como Argentina, França, Estados Unidos, Itália, Alemanha, Chile, Espanha, Portugal e Inglaterra estão no calendário de ações da Diretoria de Promoções da Bahiatursa. No nosso planejamento, a ideia é sempre priorizar os eventos que acontecem nos principais emissores de turistas”, informa o superintendente da Bahiatursa, Diogo Medrado.
Praia do Forte, Trancoso, Morro de São Paulo, Barra Grande e Lençóis estão na preferência dos turistas quando o assunto é Bahia. De acordo com dados do setor de estatística da Secretaria do Turismo (Setur), mais de 5 milhões de turistas devem passar pelo estado no verão 2017. Entre as 13 zonas turísticas, diversos municípios têm ocupação hoteleira entre 95% e 100%, como Porto Seguro, Mata de São João, Cairu, Maraú e Lençóis.
Em 2016, a Bahia recebeu 600 mil visitantes estrangeiros e mais de 14 milhões de visitantes brasileiros. “Este interesse pela Bahia é fruto de um 2016 em que investimos muito na propagação do estado como um todo, nos mais de 30 eventos dos quais participamos no Brasil e no mundo”, destaca Medrado.

Premiação
Nesta quarta-feira (17), a importância da Bahia no cenário do turismo internacional foi reconhecida com o prêmio Silvia Zorzanello, entregue durante a Feira Internacional de Turismo (Fitur), em Madri. Outorgada ao secretário do Turismo da Bahia, José Alves, representante do governador Rui Costa, a premiação é uma iniciativa do Grupo Excelências, da Espanha, que atua nos mercados de comunicação e turismo da Espanha, América e Caribe.
Na 37ª edição, a Fitur é considerada uma das maiores feiras de turismo internacional. “Esta premiação representa o reconhecimento da Bahia num ambiente altamente competitivo”, afirmou o secretário José Alves, após a cerimônia. “Nos alegra e estimula a prosseguir na execução de políticas públicas de desenvolvimento em ritmo ainda mais intenso”.

Voos Extras
Neste verão, a Bahia oferece 1,5 mil voos extras. A Avianca anunciou 155 rotas adicionais, com frequências ligando São Paulo, Brasília e Rio de Janeiro a Salvador até o início de março. A Gol oferta mais de 900 voos, com 160 mil assentos a mais até março, incluindo uma rota direta entre Uruguai e Salvador. A Azul disponibiliza, até fevereiro, 350 voos extras para Salvador, Porto Seguro, Ilhéus, Lençóis, Teixeira de Freitas e Valença. Já a Latam Airlines oferece 86 voos a mais para a Bahia até janeiro, com destino a Salvador e Porto Seguro.
Internacionalmente, a Aerolíneas Argentinas colocou em operação um novo voo regular Buenos Aires-Porto Seguro. A Bahia é um destino considerado muito atrativo para os argentinos, que elegeram o Nordeste brasileiro como uma das principais alternativas para o turismo. Entre os meses de janeiro e março de 2017, a Gol opera um voo semanal Montevidéu-Salvador. A ampliação da oferta de voos reforça a malha aérea e favorece a atividade turística.
Com informações da Secom Ba.  19/01/2017

Avião que transportava o ministro TEORI ZAVASCKI cai no mar próximo a Ilha Rasa

NOTÍCIA  ✈

Filho de Teori confirma que ministro estava em avião que caiu em Paraty.Francisco Zavascki, confirmou pelo Facebook que o pai estava no avião que caiu na tarde de hoje (19) em Paraty (RJ). "Amigos, infelizmente, o pai estava no avião que caiu!

Da Agência Brasil
foto - ilustração/arquivo
Um dos filhos do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki, Francisco Zavascki, confirmou pelo Facebook que o pai estava no avião que caiu na tarde de hoje (19) em Paraty (RJ). "Amigos, infelizmente, o pai estava no avião que caiu! Por favor, rezem por um milagre", escreveu Francisco em sua conta na rede social.
Ainda não há informações oficiais a respeito de sobreviventes do acidente. A presidente do STF, Cármen Lúcia, que estava em Belo Horizonte, retorna neste momento a Brasília.]

Acidente
A aeronave decolou às 13h01 do Campo de Marte, em São Paulo, com destino a Paraty, com quatro pessoas a bordo.
O Corpo de Bombeiros informou que o avião caiu no mar, próximo à Ilha Rasa, e está parcialmente submerso.
Na hora do acidente, chovia forte em Paraty e a região estava em estágio de atenção.

Atualização as 17h24
Um dos filhos do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki, Francisco Zavascki, acaba de confirmar agora há pouco pelo Facebook a morte do pai. "Caros amigos, recebemos a confirmação de que o pai faleceu! Muito obrigado a todos pela força", escreveu Francisco na rede social.
Fonte - Agência Brasil  19/01/2017

Terminal Acesso Norte do Metrô de Salvador recebe novas linhas de ônibus urbanos a partir deste sábado

Mobilidade 🚌 🚇

No total, 23 linhas irão entrar no terminal, que tem 18 baias para ônibus, plataformas cobertas, assentos para os usuários, sanitários adaptados para Pessoas com Deficiência, 24 câmeras de monitoramento, e capacidade para receber 70 mil passageiros por dia.

Da Redação
foto montagem - ilustração
A partir deste sábado (21/01), os moradores de Salvador terão novas linhas de ônibus urbanas entrando no Terminal Acesso Norte, possibilitando o embarque e desembarque de passageiros com mais conforto e segurança. No total, 23 linhas irão entrar no terminal, que tem 18 baias para ônibus, plataformas cobertas, assentos para os usuários, sanitários adaptados para Pessoas com Deficiência, 24 câmeras de monitoramento, e capacidade para receber 70 mil passageiros por dia.
O Terminal é ligado por uma passarela à Estação Acesso Norte do Metrô e a entrada dos ônibus facilita o fluxo entre os dois modais, que funcionam de forma integrada. Todas as linhas que acessarem o terminal a partir de sábado estarão integradas ao metrô, permitindo a realização de trajetos utilizando as combinações ônibus-metrô, metrô-ônibus ou ônibus-metrô-ônibus no período máximo de duas horas. O passageiro pode utilizar o SalvadorCard ou o cartão do metrô.
É na Estação Acesso Norte que acontece o encontro das Linhas 1 e 2 do Metrô, ampliando o leque de opções de trajetos dos usuários de transporte público de Salvador. Embarcando nesta estação é possível chegar à região da Rodoviária/Iguatemi em três minutos usando a Linha 2, ou em menos de oito minutos chegar em Pirajá ou na Lapa, pegando o trem na Linha 1.
“A entrada das novas linhas no Terminal Acesso Norte, com a consequente integração de todas essas ao Metrô de Salvador, é um grande ganho para o cidadão, que conta com mais opções para seu deslocamento e com um terminal totalmente preparado para atendê-lo com o conforto, segurança e atenção, características marcam os espaços administrados pela CCR Metrô Bahia”, ressalta o gestor de Arrecadação concessionária CCR Metrô Bahia, Júlio Freitas.

Confira as 23 linhas que entrarão no Terminal Acesso Norte:


Com informações da CCR Metrô Bahia  19/01/2017

Sistema Ferry-Boat tem movimento moderado nesta quinta (19) sentido Salvador/Itaparica

Travessia marítima  🚢

A travessia marítima pelo sistema Ferry-Boat nesta quinta (19),apresenta movimento moderado no sentido Salvador/Itaparica e sete (07) embarcações operam normalmente com intervalos de 30 minutos entre cada viagem.

Da Redação
foto - ilustração/arquivo
A travessia marítima entre Salvador e a ilha de Itaparica pelo sistema Ferry-Boat,na tarde desta quinta-feira (19),segue com movimento moderado somente para veículos no terminal de São Joaquim e tranquilo no terminal da ilha em Bom Despacho.Sete (07) embarcações estão em operação hoje, Agenor Gordilho, Dorival Caymmi, Anna Nery, Pinheiro, Zumbi dos Palmares, Juracy Magalhães Júnior e Ivete Sangalo, com saídas programadas a cada 30 minutos.
Alem do embarque na fila de espera,o usuário do sistema poderá optar também pelo serviço de hora marcada,bastando para isso consultar o site da ITS -portalsits.internacionaltravessias.- para verificar a disponibilidade de vagas e fazer a sua reserva para viagem,com pagamento através de cartões de débito ou credito.As demais passagens podem ser adquiridas nos próprios terminais de embarques,com pagamento feito através de cartão de crédito,de débito ou em dinheiro.
O sistema disponibiliza uma Central de Atendimento ao Cliente (CAC),localizada no Terminal São Joaquim funcionando de segunda a sexta, das 8h às 18h, e aos sábados, das 7h às 13h.Contatos através do Tel 071 3032-0475 e pelo cac@internacionaltravessias.com.br.
Com informações da ITS  19/01/2017

Tarifas dos aeroportos públicos da Infraero serão reajustadas

Transporte aéreo  ✈

Os novos valores entrarão em vigor 30 dias após a divulgação dos novos valores pelo operador aeroportuário.A tarifa máxima de embarque doméstico passará de R$ 27,69 para R$ 29,90, e a de embarque internacional,passará de R$ 109,13 para R$ 113,04

Ag.CNT
foto - ilustração/arquivo
Os tetos das tarifas dos aeroportos públicos administrados pela Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária) foram reajustados. Os novos valores entrarão em vigor 30 dias após a divulgação dos novos valores pelo operador aeroportuário.
As de embarque e conexão de passageiros e de pouso e permanência de aeronaves foram reajustados em 7,9%. Os das tarifas de armazenagem e capatazia de cargas foram reajustados em 6,2%. Com isso, a tarifa máxima de embarque doméstico a ser paga pelos passageiros passará de R$ 27,69 para R$ 29,90.
A tarifa máxima de embarque internacional, por sua vez, passará de R$ 109,13 para R$ 113,04, valores esses que já incluem o Adicional do FNAC de US$ 18,00, criado pela Lei nº 9.825/99 e que atualmente corresponde a R$ 60,10, conforme estabelecido pela Portaria Anac n° 97/SRA/2016.
Fonte - Agência CNT  de Notícias 19/01/2016

Justiça nega novo pedido do governo de SP para aumentar tarifa do transporte

Transportes/Tarifas  🚉

Na decisão, o desembargador Spoladore Dominguez, da 13ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo, sustenta que não há risco de dano grave irreparável e prejuízo ao erário que justifique a elevação das tarifas.

Bruno Bocchini
Repórter da Agência Brasil

foto - ilustração/arquivo
A Justiça negou hoje (18) um novo pedido do governo do estado de São Paulo para suspender a liminar que impede o reajuste das tarifas de trem e metrô nos bilhetes integrados. Na decisão, o desembargador Spoladore Dominguez, da 13ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo, sustenta que não há risco de dano grave irreparável e prejuízo ao erário que justifique a elevação das tarifas.
“O alegado prejuízo ao estado (R$ 404 milhões, apenas no exercício de 2017) não se consolidará, de forma imediata, a curto prazo; diferentemente do que, a priori, ocorrerá com a parcela dos usuários, que serão diretamente afetados pelo reajuste tarifário (23,86% dos usuários do Metrô; e 19,68% dos usuários da CPTM)”, disse Spoladore Dominguez em sua decisão.
Esse foi a segunda vez que o governo paulista tentou, sem sucesso, reverter a liminar do juiz Paulo Furtado de Oliveira Filho, de 6 de janeiro, que suspende o reajuste das tarifas. Na primeira tentativa, em 10 de janeiro, o presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, Paulo Dimas Mascaretti, também manteve a liminar.
O mérito do agravo de instrumento ainda será julgado, sem data definida, com a participação de mais dois desembargadores na votação. A tarifa da integração, que havia passado para R$ 6,80 no último dia 8, continua, até o julgamento final, a custar R$ 5,92.
A reportagem da Agência Brasil não conseguiu contato com assessoria de imprensa do governo de São Paulo para comentar a nova manutenção da liminar. Anteriormente, a Secretaria dos Transportes Metropolitanos (STM) defendeu que “o atendimento da ordem liminar impacta financeiramente de forma drástica e prejudicial o sistema de transporte e os cofres do governo do estado”. De acordo com o governo paulista, com a manutenção da decisão que proibiu o reajuste, o impacto financeiro em 2017 será de R$ 220 milhões.
Fonte - Agência Brasil  18/01/2017

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Mesmos métodos na Petrobras

Ponto de Vista  🔍

“Em relação ao modelo de licitação que propiciou a formação de cartel no Comperj e na Rnest (Refinaria do Nordeste, também investigada na Lava Jato), nada mudou.Não existe futuro na intolerância, no desregramento de regras, no desrespeito à Constituição e à sociedade brasileira.

Portogente
foto - ilustração/arquivo
O vice-diretor de Comunicação da Associação dos Engenheiros da Petrobras (Aepet), Hebert Teixeira,critica a decisão e questiona da direção da petrolífera brasileira de contratar apenas estrangeiras para obra no Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj).
Alerta ele: “Em relação ao modelo de licitação que propiciou a formação de cartel no Comperj e na Rnest (Refinaria do Nordeste, também investigada na Lava Jato), nada mudou. Como a Petrobrás pretende chegar a um resultado diferente utilizando os mesmos métodos?”.
Brasil em tempos nebulosos precisa parar para pensar. Não existe futuro na intolerância, no desregramento de regras, no desrespeito à Constituição e à sociedade brasileira. Que venham os homens e mulheres de bom-senso! Urgente!
Fonte - Portogente  18/01/2017

Estado reforma prédio que recebeu D. Pedro II em Salvador

Patrimônio Histórico  🏠

O imóvel de 157 anos é tombado desde 2002 como Bem Cultural da Bahia, por meio do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (Ipac), unidade da Secretaria de Cultura do Estado (Secult). O asilo recebeu a visita de D. Pedro II, na década da inauguração, e ganhou o nome em homenagem à filha do imperador, a princesa Isabel.

Da Redação
foto - Geraldo Moniz
Um dos melhores exemplos de arquitetura civil do século 19, na Bahia, pelo tamanho e qualidade, o edifício do Lar Franciscano Asilo Santa Isabel, no bairro da Saúde, em Salvador, inaugurado no 2º Império brasileiro, em 1860, passa por reformas, com obras sendo realizadas pela Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado (Conder), vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur).
O imóvel de 157 anos é tombado desde 2002 como Bem Cultural da Bahia, por meio do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (Ipac), unidade da Secretaria de Cultura do Estado (Secult). O asilo recebeu a visita de D. Pedro II, na década da inauguração, e ganhou o nome em homenagem à filha do imperador, a princesa Isabel.
“O edifício tem escala monumental em estilo neoclássico, com planta do tenente coronel João Bloem, do Corpo de Engenheiros Militares do Império, fachada principal, escadaria e jardins escalonados voltados para a Baixa dos Sapateiros, formando um cenário de magnitude para quem está no Pelourinho”, explica o diretor-geral do Ipac, João Carlos de Oliveira.
Segundo ele, o asilo possui formato de eixo, de grande rigor formal, com 75 quartos voltados para o exterior e o pátio interno, fora outros cômodos, seis grandes salões e mais de 100 janelas. “A construção do prédio é em alvenaria de tijolo, a escadaria de mármore italiano e o piso do saguão em lioz colorido”.

foto - Geraldo Moniz
Praça Ary Barroso
No local, abaixo da escadaria, está sendo construída a Praça Ary Barroso, mais um espaço de lazer para o Centro Histórico de Salvador, com área de 470 metros quadrados e acesso pela Baixa dos Sapateiros. “Estamos verificando a possibilidade de implantar uma iluminação especial após o término das obras”, informa o diretor da Diretoria do Centro Antigo de Salvador, da Conder, Maurício Mathias. Ele enfatiza que a reforma integra o trabalho de conservação e manutenção que o órgão realiza na área.
O investimento é de R$ 500 mil para a reforma da fachada, área externa e pintura, com recursos do Tesouro Estadual. O prédio é coberto por quatro lances de telhado de uma só água, que convergem para o pátio onde se encontra uma cisterna. Em 1886, Lopes Rodrigues desenha nova fachada para o edifício e, em 1914, Rossi Batista levanta um frontão com o brasão da Ordem. A construção da escadaria se dá entre 1901 e 1907.
O presidente da Ordem 3ª do São Francisco, proprietária do asilo, Jaime Baleeiro, comemora as obras. “A última reforma aconteceu há mais de 30 anos”. A ideia da Conder é instalar linha contínua de aparelhos na moldura superior da fachada, criando um banho de luz de cima para baixo, valorizando sua arquitetura e minimizando a entrada de luz na área interna. Mais informações sobre a intervenção no imóvel estão disponíveis no site Centro Antigo.
Com informações da Secom Ba.  18/01/2017

VLT inaugura segunda linha em fevereiro

Transportes sobre trilhos  🚄

Nesta terça-feira, o presidente da concessionária VLT Carioca, Rodrigo Tostes, se reuniu com o vice-prefeito e secretário municipal de Transportes, Fernando Mac Dowell, para acertar os detalhes do início da operação.

Extra - RF
foto - ilustração
RIO - A segunda linha do VLT, entre a Saara e a Praça Quinze, que não ficou pronta a tempo da Olimpíada, conforme previsto, deverá ser inaugurada na segunda semana de fevereiro. Nesta terça-feira, o presidente da concessionária VLT Carioca, Rodrigo Tostes, se reuniu com o vice-prefeito e secretário municipal de Transportes, Fernando Mac Dowell, para acertar os detalhes do início da operação. De acordo com Tostes, assim como na inauguração da primeira linha, nos primeiros sete dias os passageiros não precisarão pagar passagem. O novo trecho terá quatro estações: Praça Quinze, Rio Branco, Praça Tiradentes e Saara.
- A gente quer que as pessoas se acostumem a usar o VLT nesse novo percurso. Depois de sete dias, começaremos a operação comercial, funcionando das 6h à meia noite, com intervalos de 15 minutos. Queremos operar de forma bastante segura para o carnaval - afirmou Tostes, que também apresentou ontem uma pesquisa inédita encomendada pela concessionária ao Ibope Inteligência.
O estudo, realizado entre os dias 26 de novembro e 2 de dezembro, revela que o conforto e a limpeza do VLT são os pontos mais elogiados pelos passageiros, enquanto o tempo de espera e as orientações sobre o uso do meio de transporte são os mais criticados. De modo geral, o serviço é aprovado por 88% dos passageiros, segundo a pesquisa.
Foram entrevistadas 600 pessoas, tanto nas estações quanto dentro dos veículos. A maior parte dos entrevistados são do sexo masculino (55%), tem entre 25 e 44 anos (55%), possui ensino superior completo (49%) e ganha até cinco salários (49%) - a classe social preponderante é a B, com 60%, de acordo com a pesquisa.
Fonte - Revista Ferroviária 18/01/2017

Reforma da Previdência prejudica mais as mulheres

Política  👀

Um ministro de Temer, para tentar justificar a medida proposta pelo governo, alegava que os homens vão menos ao médico porque trabalham mais e não têm tempo.Uma conquista histórica das mulheres, dadas as outras jornadas que ela desenvolve na vida cotidiana, está ameaçada pelas brutalidades que o governo golpista tenta impor.

Escrito por Emir Sader*
foto - ilustração
Entre as tantas modificações regressivas contidas na contrarreforma da Previdência que o governo golpista tenta fazer aprovar pelo Congresso, uma das mais significativas é igualar o tempo de aposentadoria entre homens e mulheres. Uma conquista histórica das mulheres, dadas as outras jornadas que ela desenvolve na vida cotidiana, está ameaçada pelas brutalidades que o governo golpista tenta impor.
Em uma discussão recente com um economista neoliberal, ele se valia da divulgação de dados sobre a diferença de expectativa de vida entre homens e mulheres no Brasil, para apontar para a ideia de que as mulheres deveriam se aposentar mais tarde que os homens, porque vivem mais tempo.
Um ministro de Temer, para tentar justificar a medida proposta pelo governo, alegava que os homens vão menos ao médico porque trabalham mais e não têm tempo. Como se fossem os homens que ficam grávidos, dão a luz, amamentam, cozinham, cuidam da casa e dos filhos.
Tudo para tentar descaracterizar a realidade cotidiana, em que a mulher cumpre duas ou três jornadas, contando o trabalho diário, o cuidado com os filhos e o companheiro, a atenção da casa, entre outras funções que as mulheres assumem concretamente.
Estatísticas publicadas agora revelam que "na média mundial, as mulheres trabalham 39 dias a mais por ano que os homens". Isto é, em 10 anos elas terão trabalhado mais do que um ano a mais que os homens, em 20 anos mais do que dois, em 30 mais do que três, em quarenta mais do que quatro. Ganhando sempre pelo menos 20% a menos. Se se leva em conta o trabalho remunerado e o não remunerado – isto é, as outras jornadas que a mulher tem –, elas trabalham 50 minutos a mais por dia do que os homens.
No campo a diferença é ainda maior, com as mulheres levantando por volta das 4 da manhã para preparar todas as tarefas da casa, para os filhos e os animais, antes de sair para trabalhar. Nas últimas décadas, aumentou exponencialmente o número de famílias em que a cabeça de casa é a mulher, simplesmente pelo abandono do lar pelo pai. A mãe assume ainda mais funções, dividindo-as frequentemente com a filha mais velha, que cuida dos irmãos menores, enquanto a mãe trabalha fora de casa em jornada completa.
A proposta da Previdência do governo é assim, antes de tudo, uma medida contra as mulheres, enquanto trabalhadoras e como donas de casa, como mães. Aumenta mais ainda para as mulheres – e ainda mais para as trabalhadoras rurais – as dificuldades para se aposentar e diminui o montante que receberão, se chegarem a se aposentar.
*Emir Sader é sociólogo e cientista político. Artigo publicado originalmente na Rede Brasil Atual
Fonte - Portogente  18/01/2017

Fora do PAC,extensão da linha 2 Verde do Metrô de SP é adiada de novo

Transportes sobre trilhos  🚇

Sem verba federal, o início da extensão da linha 2-Verde foi suspenso por um ano em dezembro de 2015 e, agora, até dezembro deste ano.O projeto prevê a extensão da linha 2 da Vila Prudente até a Dutra, cortando parte da zona leste. São 14,5 km de extensão e 13 estações, com previsão de atender a 1,5 milhão de passageiros por dia.

Jornal Metro - SP
foto - ilustração/arquivo
Três projetos relacionados a mobilidade sobre trilhos de São Paulo foram retirados do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento): uma parte da extensão da linha 2-Verde, do Metrô; a linha 13-Jade, da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos); e a reforma ou adequação de 39 estações de cinco linhas, também da CPTM.
Sem verba federal, o início da extensão da linha 2-Verde foi suspenso por um ano em dezembro de 2015 e, agora, até dezembro deste ano.
O projeto prevê a extensão da linha 2 da Vila Prudente até a Dutra, cortando parte da zona leste. São 14,5 km de extensão e 13 estações, com previsão de atender a 1,5 milhão de passageiros por dia. A parte que estava no PAC – excluída em portaria publicada no “Diário Oficial da União” – era o trecho até a Vila Formosa.
Segundo o Ministério das Cidades, os projetos foram excluídos porque o “ente federado” – no caso, o Estado de São Paulo – não conseguiu “vencer as etapas necessárias para contratação”.
O Metrô, por sua vez, diz que apresentou à União todos os projetos para a expansão da linha 2-Verde “e aguardava a liberação de um financiamento de R$ 2,5 bilhões para iniciar as obras que já foram licitadas e contratadas”. Como o crédito não foi liberado, a companhia priorizou obras de linhas já em andamento.

CPTM
Dos dois projetos da CPTM retirados do PAC, um prossegue sem os recursos necessários: a reforma de estações da companhia em toda a Grande São Paulo.
Segundo a Secretaria dos Transportes Metropolitanos, a companhia está buscando outras fontes de recursos para levar as obras adiante. Algumas são adequações, e outras, modernizações dos pontos.
Excluída do PAC Mobilidade, a linha 13-Jade da CPTM, uma ligação sobre trilhos com o Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos (Grande São Paulo), agora deve ficar pronta somente no ano que vem.
Em maio de 2012, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) havia afirmado que a linha 13-Jade ficaria pronta até a Copa, mas as obras só começaram no final de 2013, com previsão de entrega em 18 meses, ou seja, no primeiro semestre de 2015. Naquele ano, o Metro Jornal mostrou que o prazo havia sido prorrogado para 2017.
A linha terá 12,2 km de extensão, fazendo conexão com a linha 12-Safira na estação Engenheiro Goulart, zona leste, e duas novas estações, incluindo uma ao lado do aeroporto. Deve atender a 130 mil pessoas por dia.
A Secretaria de Transportes Metropolitanos informou, em nota, que as obras estão sendo executadas com recursos financeiros obtidos junto à AFD (Agência Francesa de Desenvolvimento) e ao BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento). “O cancelamento dos recursos previstos no PAC não afetará essa obra”, diz. 
Fonte - Abifer  17/01/2017

Recifenses protestam contra reajuste no preço de ônibus urbano

Protestos 🚌

O ato saiu da Rua do Hospício,percorreu a Avenida Conde da Boa Vista e terminou na Praça do Derby.Os manifestantes criticaram empresários de ônibus e também o governador de Pernambuco,Paulo Câmara,por não ter implementado uma promessa de campanha.

Sumaia Villela
Correspondente da Agência Brasil
Sumaia Villela/Agência Brasil
Um protesto contra o aumento de 14,26% na passagem de ônibus da região metropolitana do Recife (RMR) percorreu as ruas da zona central da capital pernambucana na tarde de hoje (17). O reajuste foi aprovado na última sexta-feira (13) e passou a valer no domingo (15).
O ato saiu da Rua do Hospício, percorreu a Avenida Conde da Boa Vista e terminou na Praça do Derby. Os manifestantes criticaram empresários de ônibus e também o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, por não ter implementado uma promessa de campanha. O carro de som da manifestação tocou várias vezes um discurso de Câmara em que ele prometia, na campanha eleitoral, tarifa única de R$ 2,15 nos ônibus da RMR, além de bilhete único para pegar mais de um transporte sem pagar mais de uma passagem.
A intenção dos organizadores do protesto, como a Frente de Luta pelo Transporte Público (FLTP), é pressionar Paulo Câmara a barrar o reajuste, aprovado pelo Conselho Superior de Transporte Metropolitano (CSTM) em reunião que durou menos de cinco minutos. O representante do segmento estudantil no colegiado, Márcio Morais, integrante da FLTP, disse que seu pedido de vista foi negado e criticou a forma como o aumento foi aprovado.
"Na sexta-feira passada, o governo de Pernambuco mais uma vez não disponibilizou a planilha analítica que identificaria item por item para saber como eles chegaram a esse montante do aumento. Além disso, votaram um aumento de 14,26% que eles sabiam, iria onerar muito o bolso do trabalhador. Não teve debate nem transparência", criticou Morais.
Ele entrou com um mandado de segurança para anular a reunião que decidiu pelo aumento. Também pediu uma auditoria nas contas que definiram o reajuste. O processo começará a ser analisado amanhã (18) pelo desembargador Itabira de Brito, de acordo com a assessoria de comunicação do Tribunal de Justiça de Pernambuco.
A Agência Brasil tentou contato com o Grande Recife Consórcio de Transporte, responsável pelo gerenciamento do setor, mas os telefones da assessoria de comunicação e o geral não atendeam e o e-mail enviado não teve retorno.

Preço, qualidade e segurança
A maior parte dos manifestantes era de estudantes, entidades representativas, movimentos sociais e partidos, mas tinha também os que foram de forma espontânea depois de ver o evento criado no Facebook.
Anni Carolyne, 19 anos, estuda para o vestibular e pega três ônibus só para ir ao curso. O custo diário, ida e volta, é de R$ 17,20. Ela também trabalha e diz que sente no bolso o aumento. "A gente enfrenta um caos de engarrafamento todos os dias. As vias livres são só pra BRT, então o ônibus comum sofre igual no trânsito. A passagem é absurda e o ônibus é lotado. Fora os assaltos. Já perdi dois celulares em dois meses".
Trabalhadores informais, que não têm vale transporte, também reclamam do aumento da passagem. A vendedora de pipoca Benedita Maria da Silva, 53 anos, acompanhava os discursos do ato enquanto tentava gerar alguma renda. Ela disse que pega dois ônibus diariamente para chegar ao seu local de trabalho: a Rua do Hospício.
"Foi muito triste, porque a gente não tem condições de vender um pacote de pipoca ganhando R$ 5 e pagar duas passagens a R$ 6,40", compara, já calculando de onde vai tirar o valor extra. "Ou eu pago a passagem, ou fico sem almoçar, com fome. Ou deixo de comprar pipoca e ganho menos", diz, acrescentando que já considerava o preço anterior caro em relação à qualidade do serviço.
A passagem de ônibus na RMR tem valor variado, conforme o trajeto. O anel A subiu de R$ 2,80 para R$ 3,20; o B, de R$ 3,85 para R$ 4,40; o D, de R$ 3,00 para R$ 3,45; e o G foi de R$ 1,85 para R$ 2,10. O reajuste é cerca do dobro do acumulado pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2016.
O Grande Recife justificou o reajuste das tarifas de ôibus pelo aumento salarial concedido a rodoviários, renovação da frota, instalação de câmeras de segurança e o aumento do preço de produtos utilizados no serviço.
Fonte - Agência Brasil  17/01/2017

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Linha 3 do Metrô de Hanói deverá começar a operar em 2021

Transportes sobre trilhos  🚇

A Linha 3 de Hanoi com 12,5 km de extensão,é a segunda linha de metro em construção na cidade. A expectativa é que,ao entrar em operação,a linha 3 aumente a capacidade de transporte de pessoas por hora e por sentido progressivamente dentro de 10 anos.

Da Redação
foto - ilustração/Alstom
A Alstom,a Colas Rail e a Thales, assinaram juntas um contrato com a Hanoi Metropolitan Railway Management Board (MRB) para fornecer um sistema de metrô para a linha 3 de Hanoi,que deverá iniciar a operação comercial no final de 2021.A Linha 3 de Hanoi com 12,5 km de extensão,é a segunda linha de metro em construção na cidade. A expectativa é que,ao entrar em operação a linha 3 transporte 8600 passageiros h/por sentido,e aumente a sua capacidade de transporte progressivamente dentro de 10 anos.
O contrato com a Alstom,inclui a construção de 12 estações e um depósito de manutenção de trem em Nhon.A Alstom fornecerá 10 composições Metropolis e o seu sistema de sinalização e controle de trens  CBTC (Controle de Trens Baseado em Comunicação) Urbalis 400,que controla o movimento dos trens permitindo que eles operem com intervalos de tempo (headway) bastante reduzidos e com velocidade em segurança,além da fonte de alimentação e os equipamentos de depósito juntamente com o Colas Rail.
Pregopontocom  17/01/2017

Metrô de Recife inicia fase de testes do Carro Rosa,exclusivo para mulheres

Transportes sobre trilhos   🚇

Carro Rosa inicia fase de testes por 15 dias no metrô de Recife.- Por dia,400 mil pessoas se deslocam de metrô pela Região Metropolitana do Recife (RMR).Cerca de 56% desse público,segundo dados de pesquisa realizada em 2010 pelo sistema,é de mulheres.Em média,250 mulheres serão transportadas no espaço exclusivo,demarcado inicialmente apenas por adesivos cor-de-rosa nas portas.

Diário de Pernambuco
foto - ilustração/arquivo
Consolidado em capitais como Rio de Janeiro e São Paulo, o carro exclusivo para mulheres começou a operar ontem no Metrô do Recife. Em fase de testes pelos próximos 15 dias, o carro irá circular em horários de pico (6h às 8h30 e 16h às 19h30), na Linha Centro, entre as estações de Camaragibe e Jaboatão dos Guararapes. Em média, 250 mulheres serão transportadas no espaço exclusivo, demarcado inicialmente apenas por adesivos cor-de-rosa nas portas. A primeira viagem aconteceu ontem, no fim da tarde, sob aplausos de muitas passageiras.
Por dia, 400 mil pessoas se deslocam de metrô pela Região Metropolitana do Recife (RMR). Cerca de 56% desse público, segundo dados de pesquisa realizada em 2010 pelo sistema, é de mulheres. A vendedora Elienai Melo, 31 anos, utiliza o metrô há três anos. Em uma das viagens, percebeu que havia um homem sem cueca passando partes do corpo nela e em outra passageira. Uma das primeiras mulheres a testar o carro segregado, Elienai concordou com a iniciativa. “Me sinto mais segura, mais confortável”, justificou.
O carro rosa foi assunto entre a roda de colegas de trabalho de Elienai. “A nossa única dúvida é se ele irá funcionar mesmo”, questionou a vendedora. A professora Bernadete Lira, 57 anos, também usuária da primeira viagem do carro rosa, discordou da medida. “Até quando vamos nos sentir inseguras? À noite, quando estivermos sozinhas, será que vai funcionar? É preciso trabalhar a questão da educação e também melhorar a segurança como um todo.” A ideia também é criticada por coletivos feministas.
O Carro Rosa funcionará com o apoio de cinco seguranças: quatro deles distribuídos entre as portas e um entre o carro rosa e o carro misto. Ele fará uma média de seis viagens por turno. Apenas crianças do sexo masculino acompanhados da mãe ou outra mulher responsável poderão usar o espaço. Ontem, uma grade foi colocada para facilitar a divisão entre homens e mulheres. Ainda assim, foi preciso impedir a passagem de alguns desavisados.
Para o superintendente do metrô, Leonardo Villar Beltrão, a primeira experiência foi positiva. “A nossa intenção com o teste é observar a aceitação, analisar as melhorias que precisam ser realizadas, como vamos adaptar a segurança. Acreditamos que houve um respeito grande na entrada”, disse.
Segundo ele, o Recife tem um carro segregado em um trem de quatro carros, enquanto outras cidades oferecem a segregação em um trem com seis carros. A quantidade de seguranças para o Carro Rosa foi estabelecida visando não descobrir outras áreas do sistema. Durante os 15 dias, haverá ainda um trabalho de educação, com distribuição de panfletos e anúncios sonoros sobre a nova modalidade de acomodação do transporte. Também serão estudadas formas de intensificar a identificação visual do vagão. Após a fase de testes, será feita uma avaliação para a continuidade do serviço.

Câmeras
Em fevereiro, começarão a ser instaladas câmeras de alta definição nas estações. Serão instalados 1,3 mil equipamentos. Também entrará em funcionamento um aplicativo no qual as pessoas poderão enviar imagens e textos informando sobre qualquer problema. A partir da plataforma, serão identificados e acionados os seguranças mais próximos às ocorrências.
Também estão sendo relicitados os contratos de serviço terceirizado de vigilância, com a exigência de maior qualificação entre os profissionais. Tudo estará implementado até julho. No ano passado, R$ 18 milhões do orçamento do metrô foram usados em segurança. Neste ano, o valor será de R$ 33 milhões. “Ações estão sendo tomadas para atacar um problema que consideramos importante solucionar”, acrescentou Beltrão.
Fonte - Diário de Pernambuco  17/01/2017

COMENTÁRIO  Pregopontocom

Sempre apelam para a maneira mais fácil de encontrar "soluções"nem sempre corretas e adequadas,em vez da "educação" vão pelo caminho da segregação.Aonde vai parar isso?.....concordo com os Coletivos Feministas,questionável essa ideia tosca de colocar as mulheres num "curralzinho".Em vez de proverem meios de garantirem os seus direitos como cidadãs,preferem segrega-las,separa-las,como se fossem elas as grandes culpadas. 👎

Bolsa Escola injeta R$ 4 milhões nas cidades maranhenses de menor IDH

Projetos Sociais  📖

A melhoria nas vendas em várias cidades foi notória também em Itaipava do Grajaú, aumentando a busca de comércios para credenciamento no Bolsa Escola.São 843 comércios a mais que no ano passado, representando um aumento de 69% à rede credenciada.O valor do benefício também aumentou em 12,5%, passando a custar R$ 51 por criança atendida.

Da Redação
foto -  Gilson Teixeira/Secap Gov.Maranhão
Para a promover o Bolsa Escola em todo o estado, o Governo do Maranhão aplicou o total de R$ 59,2 milhões, aquecendo as vendas de 1.413 estabelecimentos habilitados para a comercialização de material escolar aos beneficiários do programa. São 843 comércios a mais que no ano passado, representando um aumento de 69% à rede credenciada. O valor do benefício também aumentou em 12,5%, passando a custar R$ 51 por criança atendida.
Somente para Governador Newton Bello, o Governo do Maranhão destinou R$ 123.165,00, beneficiando aproximadamente 2.500 crianças. “É uma ajuda boa para as famílias, o pessoal gosta muito dessa ajuda do governo do estado”, concluiu Alacide, que além de material escolar, comercializa roupas e calçados na sua loja.
Em São João do Sóter, o aporte financeiro do Bolsa Família foi de R$ 22.116,00, em benefício a mais de 4 mil alunos. Para Francisco de Paiva Sousa, proprietário do Comercial K e K, o programa representou um aumento de 70% nas vendas, só no ano passado.

Aumento da concorrência
A melhoria nas vendas em várias cidades foi notória também em Itaipava do Grajaú, aumentando a busca de comércios para credenciamento no Bolsa Escola. Segundo Bejoci Costa Sobrinho,gerente de uma papelaria da cidade,credenciada ao programa desde o ano passado,a concorrência aumentou este ano com o surgimento de mais pontos de comercio no ramo.
Para Bejoci, a busca por credenciamento é reflexo do sucesso do Bolsa Escola. “Na situação que as empresas vivem hoje, isso aí foi muito bom, esse programa do governo. Também incentiva às crianças irem para a escola, com a compra do material escolar”, disse ele. Somente em Itaipava do Grajaú, o programa injetou de R$ 156.213,00, auxiliando mais de 3 mil beneficiários.
As cidades com menor IDH, são: Pedro do Rosário, Fernando Falcão, Marajá do Sena, Jenipapo dos Vieiras, Satubinha, Água Doce do Maranhão, Lagoa Grande do Maranhão, São João do Carú, Santana do Maranhão, Arame, Belágua, Conceição do Lago-Açu, Primeira Cruz, Aldeias Altas, São Raimundo do Doca Bezerra, São Roberto, São João do Sóter, Centro Novo do Maranhão, Brejo de Areia, Serrano do Maranhão, Amapá do Maranhão, Araioses, Governador Newton Bello, Cajari, Santa Filomena do Maranhão, Milagres do Maranhão, São Francisco do Maranhão, Afonso Cunha, Itaipava do Grajaú e Santo Amaro do Maranhão.
Com informações da Secap/Gov.Maranhão  17/01/2017

Produção de aço no país fecha 2016 com queda de 9,2%

Economia  $

Os dados foram divulgados hoje (17) pelo Instituto Aço Brasil e apresentam número predominantemente negativos,acompanhando o comportamento da economia brasileira em geral,e da indústria em particular.

Nielmar de Oliveira
Repórter da Agência Brasil

foto - ilustração
A produção acumulada de aço bruto no país em 2016 totalizou 30,2 milhões de toneladas, uma queda de 9,2% em comparação a 2015. A produção de laminados somou 20,9 milhões de toneladas no ano passado, o que representa uma redução de 7,7% em relação ao ano anterior.
Os dados foram divulgados hoje (17) pelo Instituto Aço Brasil e apresentam número predominantemente negativos, acompanhando o comportamento da economia brasileira em geral, e da indústria em particular.
Em entrevista à Agência Brasil, o presidente executivo do Instituto Aço Brasil, Marco Polo de Mello, afirmou que, no ano passado, o setor viveu a pior crise de todos os tempos.
“Os números predominantemente negativos espelham a gravidade do que viveu o setor do aço no Brasil no ano passado. Sem dúvida nenhuma, o ano de 2016 se caracterizou pela pior crise já enfrentada pela indústria do aço em toda a sua história. Nem mesmo a crise de 2008, que foi mundial, foi tão ruim. O setor vinha de um período capitalizado, e a recuperação foi relativamente rápida. Havia ainda a China em franca expansão e demandadora de aço naquela época”, disse o presidente executivo.
Segundo Polo de Mello, a crise decorre tanto de fatores conjunturais como estruturais, com o comportamento “pífio” da economia. “O PIB [Produto Interno Bruto] vem de resultados simplesmente insignificantes nos últimos anos. Os setores automotivos, de máquinas e equipamentos e de construção civil, que chegam a representar cerca de 80% do consumo de aço no país, tiveram redução drástica de suas atividades ao longo de todo o ano passado”, destacou.
Pelos números divulgados pelo Instituto Aço Brasil, o consumo aparente (produção interna mais importações, menos exportações) de produtos siderúrgicos fechou em queda de 14,4% de um ano para o outro, alcançando 18,2 milhões de toneladas em 2016. Também houve retração nas vendas internas, que encerraram o ano em 16,5 milhões de toneladas, uma redução de 9,1% no comparativo com 2015.
Os números negativos também se repetiram no comércio exterior, com as importações fechando em queda de 41,4% e totalizando 1,9 milhão de toneladas. Com esse resultado, o valor das importações do setor atingiu US$ 1,7 bilhão, valor 45,9% inferior ao registrado em 2015.
Já em relação às exportações, a redução foi bem menor. Houve queda de 2,1% em volume exportado, totalizando 13,4 milhões de toneladas, e de 15% nas receitas, que fecharam o ano passado em US$ 5,6 bilhões.

Números de dezembro
Os números divulgados pelo Instituto Aço Brasil indicam que a produção brasileira de aço bruto em dezembro foi de 2,1 milhões de toneladas, o que representa uma queda de 12,7% quando comparada ao mesmo mês de 2015. Já em relação ao aço laminado, a produção de 1,4 milhão de toneladas representa uma queda de 7,6% na mesma base de comparação.
Os números do instituto indicam ainda que o consumo aparente no mês de dezembro foi de 1,4 milhão de toneladas de produtos siderúrgicos. Esse volume foi 12,7% superior ao registrado em dezembro de 2015. As vendas internas totalizaram 1,2 milhão de toneladas de produtos siderúrgicos, um crescimento de 11% em relação ao mesmo mês do ano anterior.
Para o presidente executivo do Instituto Aço Brasil, no entanto, esse crescimento não teve relevância para o resultado do fechamento do ano. “Esse crescimento de dezembro nada significou diante do tamanho da queda dos diversos segmentos do aço ao longo do ano passado. Ele se deu sobre uma base extremamente comprimida e ainda assim foi pífio em números absolutos”, afirmou.
“Se você olhar ao longo do ano, o consumo aparente caiu quase 14%, e isto sim é catastrófico. A base é tão comprimida que esse crescimento é praticamente nulo. A base [de comparação] está comprimida demais. Esse crescimento de 12,7%, em termos de tonelagem, é muito baixo. Para uma queda que chega ao longo do ano a cerca de 21 milhões de toneladas, crescer 100 mil toneladas não significa nada”, disse.
Os dados de dezembro indicam que as importações também avançaram 74,8% em relação a igual período de 2015 e somaram 201 mil toneladas. Esse volume resultou em uma receita de US$ 152 milhões. Já as exportações de produtos siderúrgicos atingiram 1,3 milhão de toneladas no mês, queda de 17% sobre dezembro de 2015. Em contrapartida, a receita, equivalente a US$ 569 milhões, significou um crescimento de 4,2% na mesma base de comparação.
Fonte - Agência Brasil  17/01/2017

Saeb lança edital para obras de recuperação do Instituto do Cacau da Bahia

Patrimônio histórico  🏠

O edital de licitação para contratação de serviços, na modalidade concorrência pública, foi publicado nesta terça-feira (17), no Diário Oficial do Estado. O documento reúne todas as obrigações do Estado e da empresa que vier a vencer a licitação, além da relação de todas as diretrizes e procedimentos que devem ser executados durante a obra. 

Da Redação
foto - ilustração/Salvador Antiga
O governo estadual, por meio da Secretaria da Administração (Saeb), vai investir mais de R$ 2 milhões na primeira etapa das obras para reestruturação do Instituto do Cacau, prédio público que abriga o SAC Comércio e outros órgãos do Estado. O edital de licitação para contratação de serviços, na modalidade concorrência pública, foi publicado nesta terça-feira (17), no Diário Oficial do Estado. O documento reúne todas as obrigações do Estado e da empresa que vier a vencer a licitação, além da relação de todas as diretrizes e procedimentos que devem ser executados durante a obra.
De acordo com o edital, o contrato da empresa vencedora junto ao Estado terá vigência de 10 meses, logo após sua assinatura. Todo o trabalho será acompanhado e fiscalizado pela Superintendência de Patrimônio (Supat/Saeb). O valor estimado para esta etapa de recuperação estrutural do último pavimento, e da casa de máquinas do prédio público, é de R$ 2,09 milhões. A segunda etapa da obra ocorrerá posteriormente e englobará a requalificação do prédio.
Das empresas proponentes será exigida a apresentação de documentos comprobatórios de aptidão para o desempenho das atividades e também de experiência anterior na condução de obras do mesmo porte ou semelhante. O critério de escolha da vencedora levará em consideração o menor preço. A licitação será realizada 20 de fevereiro, no Auditório da Superintendência de Patrimônio do Estado, no Centro Administrativo da Bahia. Mais informações podem ser obtidas no edital, disponível no site Comprasnet, pelo telefone (71) 3115-3130 ou no e-mail clop.ccl@saeb.ba.gov.br.

Requisitos
As obras de recuperação do Instituto do Cacau serão executadas de acordo com as recomendações, indicações e exigências dispostas no edital e seus anexos. O cronograma de todos os procedimentos será elaborado conjuntamente pela empresa vencedora e pela Supat e contempla ações de recuperação estrutural, como a remoção de elementos de alvenaria e concreto já comprometidos, e também a recomposição da cobertura e da fachada, além da impermeabilização e pintura.
Toda a nova estrutura será construída de acordo com Normas Técnicas da ABNT, entre outros documentos oficiais, sendo garantida a estabilidade predial por meio de escoramento, também de responsabilidade da empresa vencedora. Será imprescindível a manutenção da segurança na edificação, com a adoção de equipamento de proteção coletiva na fachada e de procedimentos que garantam a redução de impactos ou vibrações durante a execução das obras.
Cabe ainda à empresa vencedora manter as instalações do prédio limpas, com a apresentação de plano estratégico para a remoção de todo o entulho produzido, adoção de medidas que assegurem a integridade das instalações físicas e das linhas elétricas, hidráulicas e de gás, entre outras, além de ações que garantam a segurança de usuários e de pessoas que circulam no local.
Qualquer alteração do projeto inicial, ou no prazo original para realização das obras de recuperação, será avaliada pela Supat. Cabe também à superintendência fiscalizar equipamentos, ferramentas e materiais a serem utilizados e o acompanhamento na elaboração e execução de cada uma das etapas. A reforma da primeira etapa estará conclusa após o cumprimento de todas as atividades, mediante a emissão de Termo de Recebido por parte do Estado.

Histórico
O incêndio que atingiu o Instituto do Cacau comprometeu à época seu último pavimento, além da casa de máquinas. Após tratativas necessárias, foi elaborado um projeto para sua recuperação. Além do SAC Comércio, o prédio abriga o Núcleo Regional de Educação (NRE), da Secretaria da Educação do Estado; o Restaurante Popular, da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS); o Museu do Cacau, da Secretaria da Agricultura (Seagri); a Defensoria Pública do Estado, a Cesta do Povo e instituições bancárias.
Com informações da Secom Ba.  17/01/2017

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

O bonde moderno de Veneza

Transportes sobre trilhos  🚄

Até os anos 1950, os moradores de Mestre contavam com linhas de bondes que ligavam seu centro à famosa cidade dos doges, mas como em várias partes do mundo, os velhos bondes foram aposentados e seus trilhos substituídos por camadas de concreto e asfalto.

Marcos Souza - Mobilize
imagem - ilustração/YouTube
Mestre é a última estação de trem antes da laguna na qual a cidade de Veneza foi construída, entre os séculos 6 e 13. Trata-se, na verdade, de um bairro de Veneza, onde acontece a vida cotidiana que os turistas não vêem.
Até os anos 1950, os moradores de Mestre contavam com linhas de bondes que ligavam seu centro à famosa cidade dos doges, mas como em várias partes do mundo, os velhos bondes foram aposentados e seus trilhos substituídos por camadas de concreto e asfalto.
Sessenta anos depois, em 2010, os bondes, ou melhor trams, voltaram à cidade, mais modernizados, computadorizados e circulando sobre pneus. São na verdade VLPs (veículos leves sobre pneus), que hoje fazem a conexão Mestre-Monte Celo-Veneza e no futuro serão estendidos até o aeroporto internacional.
O sistema é operado pela empresa ACtv, a mesma que administra o sistema de barcas do "vaporetto", ônibus urbanos, estacionamentos e outros itens de mobilidade do município. Elétricas, as composições do VLP funcionam guiadas por um único trilho central, o que reduz o custo de implantação do sistema. Medellín (Colômbia), Shanghai (China), Pádua (Itália) e Paris, na França, também utilizam o mesmo sistema, que foi desenvolvido pela Lohr Industrie e pela Alstom.
Fonte - Mobilize  16/01/2017

Vídeo

Audiência pública vai discutir implantação do VLT de Salvador

Transportes sobre trilhos  🚄

A realização da consulta pública é uma ação imprescindível para o processo licitatório do VTL. Precisamos da opinião da sociedade. As pessoas precisam participar de forma ativa do projeto que irá garantir à elas maior conforto, segurança e agilidade na locomoção”, afirma o secretário estadual da Casa Civil, Bruno Dauster, que irá comandar o evento.

Da Redação
foto - ilustração/arquivo
O Governo do Estado realiza nesta sexta-feira (20), uma audiência pública para discutir a Parceria Público Privada (PPP) para concessão da implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), às 17h30, no Colégio Estadual Almirante Barroso, no bairro de Paripe, no Subúrbio Ferroviário de Salvador. Aberta a pessoas físicas e jurídicas, a iniciativa tem caráter consultivo, com o objetivo de esclarecer dúvidas e recolher sugestões para o processo licitatório, na modalidade de concorrência pública destinada à seleção da melhor proposta para contrato de PPP.
“A realização da consulta pública é uma ação imprescindível para o processo licitatório do VTL. Precisamos da opinião da sociedade. As pessoas precisam participar de forma ativa do projeto que irá garantir à elas maior conforto, segurança e agilidade na locomoção”, afirma o secretário estadual da Casa Civil, Bruno Dauster, que irá comandar o evento. O secretário de Desenvolvimento Urbano, Carlos Martins, destaca a importância do VLT para o subúrbio, como “um projeto estruturante de mobilidade, que irá valorizar toda a região, além de garantir mais qualidade de vida à população”.
Na edição dia 21 de dezembro do ano passado, foi publicado no Diário Oficial do Estado o aviso da Consulta Pública sobre a PPP destinada à implantação, operação e manutenção do VLT. “O objetivo é recolher contribuições e informações, que subsidiarão a elaboração final do edital, da minuta do contrato e demais documentos apresentados”, explica a diretora de Programas e Projetos de Mobilidade, da Sedur, Ana Cláudia Nascimento. Para participar, basta acessar os documentos no link do site da Sedur e enviar sugestões via e-mail (vltsalvador@sedur.ba.gov.br) ou protocolar na sede do órgão, no Centro Administrativo da Bahia (CAB).

foto - ilustração/arquivo
A minuta do edital de licitação encontra-se disponível no site da Sedur. Após o processo licitatório e assinatura do contrato, as obras têm previsão de serem iniciadas em 90 dias. O prazo para conclusão do VLT é de 36 meses. Inicialmente prevista para 2015, a licitação foi adiada em virtude da reformulação do projeto original do VLT, que foi repensado, buscando tornar o modal ainda mais eficiente e integrado à política estadual de mobilidade.

VLT
O VLT, que vai substituir o atual Trem do Subúrbio, terá aproximadamente 19 quilômetros de extensão e 21 paradas, ligando a região do Comércio a até Paripe, realizando o percurso, de um extremo a outro, em 40 minutos. Um investimento total de R$ 1,5 bilhão. O sistema beneficiará mais de 100 mil pessoas por dia.
Com informações da Secom Ba.  16/01/2017