sábado, 14 de janeiro de 2017

Carro do futuro

Automobilismo  🚗

Quando se pensaria que estaríamos andando em veículos auto dirigíveis, surpreendentemente o carro não é completamente autônomo. A Toyota acredita que você vai querer dirigir ainda mais de 14 anos a partir de agora.


Portogente

Na Feira de Tecnologia de Las Vegas de 2017 (CES 2017), encerrada esta semana, a Toyota revelou um carro de conceito para destacar a sua visão desses veículos em 2030. Com portas de vidro transparentes, rodas construídas diretamente no corpo e um branco brilhante interior e exterior, o futuro está olhando muito elegante.
Quando se pensaria que estaríamos andando em veículos auto dirigíveis, surpreendentemente o carro não é completamente autônomo. A Toyota acredita que você vai querer dirigir ainda mais de 14 anos a partir de agora.
O carro da Toyota do futuro parece algo fora de um filme de ficção científica. Ele acomoda quatro pessoas, mas isso é a única coisa que o Concept-i tem em comum com os carros de hoje. Suas portas são feitas quase inteiramente de vidro para dar aos passageiros uma melhor visão da estrada abaixo deles. As rodas traseiras são construídas no quadro branco lustroso do carro.
Enquanto isso, a tela na traseira do carro exibe avisos como "cuidado" para quem está dirigindo atrás do Concept-i.
Fonte - Portogente  14/01/2017

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Mais de 20 navios trazem 66 mil turistas a Salvador até o Carnaval

Turismo 🚢

As embarcações que aportam na capital baiana têm origem em cidades do Rio de Janeiro, Pernambuco,Alagoas,São Paulo e Pará.Apenas em janeiro, a programação prevê a chegada de 11 navios,com cerca de 36 mil visitantes,que vão conhecer atrativos da cidade como o Mercado Modelo, Pelourinho,Igreja do Bonfim e Farol da Barra.

Da Redação
foto - Manu Dias/GOVBA)
Do início de janeiro até o Carnaval, Salvador recebe 21 navios de cruzeiro com 66 mil visitantes. As embarcações que aportam na capital baiana têm origem em cidades do Rio de Janeiro, Pernambuco, Alagoas, São Paulo e Pará. Apenas em janeiro, a programação prevê a chegada de 11 navios, com cerca de 36 mil visitantes, que vão conhecer atrativos da cidade como o Mercado Modelo, Pelourinho, Igreja do Bonfim e Farol da Barra.
Nas duas primeiras semanas de janeiro, cinco navios já passaram por Salvador e trouxeram visitantes como Eric Coelho Passos. Pela primeira vez na Bahia, o administrador carioca aproveitou a parada para conhecer a capital. Ele visitou o Farol da Barra e a Igreja do Bonfim.
"É uma igreja muito famosa. A gente ouve falar muito e acaba despertando a nossa curiosidade", disse Eric durante visita à igreja, às vésperas da tradicional lavagem das escadarias do templo, realizada há mais de dois séculos. Também vinda do Rio de Janeiro para Salvador por via marítima, a vendedora Ana Luiza de Jesus mostrou-se emocionada. "É uma igreja muito linda", destacou.
Do total de navios previstos pela Companhia das Docas do Estado (Codeba) para o primeiro bimestre do ano, metade dos que passarem por Salvador também incluem Ilhéus, no sul da Bahia, como destino. O município encanta os visitantes pelas belezas naturais e atrativos históricos e culturais.
A previsão é de que cerca de 50 navios passem pela capital baiana, com cerca de 150 mil turistas a bordo, no período entre novembro de 2016 e março de 2017. O Porto de Ilhéus deve receber 17 embarcações de grande porte e mais de 61 mil visitantes nesta temporada.
Com informações da Secom Ba.  13/01/2017

Geddel, Cunha e outros investigados agiam para beneficiar empresas, diz MPF

Política  👀

Ao pedir à Justiça Federal autorização para a PF cumprir sete mandados de busca e apreensão em endereços residenciais e comerciais das quatro unidades da federação, o Ministério Público Federal (MPF) citou Cunha e o ex-ministro Geddel Vieira Lima como suspeitos de possíveis crimes de corrupção, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro, praticados entre 2011 e 2013.

Alex Rodrigues
Repórter da Agência Brasil

foto ilustração/Agência Brasil
A operação que a Polícia Federal deflagrou hoje (13), no Distrito Federal, Bahia, Paraná e São Paulo para investigar um suposto esquema de fraudes na liberação de créditos da Caixa Econômica Federal, entre 2011 e 2013, teve origem na obtenção de informações extraídas de um aparelho celular apreendido em 2015, do ex-presidente da Câmara, o deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).
Ao pedir à Justiça Federal autorização para a PF cumprir sete mandados de busca e apreensão em endereços residenciais e comerciais das quatro unidades da federação, o Ministério Público Federal (MPF) citou Cunha e o ex-ministro Geddel Vieira Lima como suspeitos de possíveis crimes de corrupção, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro, praticados entre 2011 e 2013. Para o procurador da República Anselmo Henrique Cordeiro Lopes, Geddel “valeu-se de seu cargo na Caixa para, de forma orquestrada, beneficiar empresas com liberações de créditos dentro de sua área de alçada e fornecer informações privilegiadas para outros membros da quadrilha composta, ainda, por Eduardo Cunha” e outros.
Também são representados o ex-vice-presidente de Fundos de Governo e Loterias da Caixa, Fábio Ferreira Cleto; o ex-vice-presidente de Gestão de Ativos Marcos Roberto Vasconcelos, exonerado do cargo a pedido em setembro de 2016; o servidor da Caixa, José Henrique Marques da Cruz, que chegou a ocupar a vice-presidência de Varejo e Atendimento do banco, além do fundador da Marfrig Alimentos, Marcos Antonio Molina, e do doleiro Lúcio Bolonha Funaro.
Segundo o MPF, o ex-deputado Eduardo Cunha manipulava a liberação de créditos na Caixa com o envolvimento de Cleto e, possivelmente, do então vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa, Geddel Vieira, mencionado em diversas mensagens eletrônicas como beneficiários de valores desviados por meio do esquema.
Geddel ocupou a vice-presidência de Pessoa Jurídica da Caixa entre março de 2011 e dezembro de 2013. Entre 2007 e 2010, período do segundo governo Lula, Geddel chefiou o Ministério da Integração Nacional. Em maio de 2016, voltou ao Palácio do Planalto como ministro-chefe da secretaria de governo do presidente Michel Temer, deixando o cargo em novembro do mesmo ano, alvo de suspeitas de ter atuado para beneficiar uma construtora na Bahia.
De acordo com o MPF, foi o ex-vice-presidente de Fundos de Governo e Loterias da Caixa, Fábio Cleto quem, ao prestar depoimentos à Procuradoria-Geral da República, acusou Eduardo Cunha de ter recebido propina de empresas em troca da liberação de verbas do Fundo de Investimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FI-FGTS ). A gestão do fundo estava sob a responsabilidade da vice-presidência de Gestão de Ativos, então ocupada por Marcos Roberto Vasconcelos, que foi exonerado do cargo a pedido, em setembro de 2016.
Para o procurador Cordeiro Lopes, os indícios de irregularidades já reunidos apontam que os investigados operaram para fraudar a liberação de créditos da Caixa empregando técnicas semelhantes às usadas para desviar recursos da Petrobras e já reveladas pela Operação Lava Jato. Entre outras acusações, o procurador sustenta que Cunha obtinha empréstimos fraudulentos para empresas participantes do esquema junto à diretoria comandada por Geddel.
Dentre as empresas citadas como beneficiárias do esquema estão o grupo J&F, a BR Vias (pertencente ao Grupo Constantino e alvo da Operação Lava Jato), a Oeste Sul Empreendimentos Imobiliários, Digibrás, Inepar, Grupo Bertin, entre outras.
“A BR Vias beneficiava-se de sistemática ilícita para obtenção de recursos junto à CEF, contando com a participação ativa do então vice-presidente de Pessoa Jurídica, Geddel Vieira Lima, bem como do ex-deputado federal Eduardo Cunha e de Fábio Cleto e Lúcio Bolonha”, afirma o procurador. Em uma mensagem extraída do telefone apreendido de Cunha, Geddel informa o ex-presidente da Câmara de que há problemas na liberação de créditos para a Oeste Sul.
“Outras mensagens dão testemunho de que, assim como a BR Vias, outras empresas vinculadas à família Constantino negociavam a obtenção de recursos na vice-presidência de Pessoas Jurídicas da CEF”, relata Cordeiro Lopes, mencionando o grupo Marfrig e Seara como beneficiários do esquema.
Diante dos argumentos e elementos apresentados pelo MPF, o juiz federal Allisney de Souza Oliveira autorizou a PF a fazer buscas e apreender documentos em endereços residenciais e comerciais ligados aos investigados e na própria Caixa. Também a pedido do MPF, o magistrado suspendeu o sigilo de todo o processo, inicialmente enviado ao STF, devido ao foro privilegiado de que Geddel e Cunha dispunham no início das investigações e, posteriormente, remetidos para o Tribunal Regional Federal do Distrito Federal.
Procurada, a assessoria do PMDB informou que Geddel ainda não se pronunciou sobre as suspeitas. A reportagem ainda não conseguiu contato com o ex-ministro, com os advogados de Eduardo Cunha e com os demais alvos dos mandados de busca e apreensão.
A Caixa informou que o banco está em contato permanente com as autoridades, prestando irrestrita colaboração com as investigações, procedimento que continuará sendo adotado pela instituição.
Fonte - Agência Brasil  13/01/2017

Diversidade musical marca shows nos largos do Pelourinho

Cultura  🎸🎷

Turistas e baianos podem conferir de rock a forró, passando pelo samba e pela batida marcante dos blocos afros. A programação do dia começa no Largo Pedro Archanjo, onde acontecem os ensaios de verão do Motumbaxé, sempre às 20h. Comandado pelo cantor e compositor Alexandre Guedes e convidados, o público tem diversão garantida. Os ingressos custam R$ 30 e R$ 15.

Da Redação
foto - Marcelo Gandra/Divulgação
A partir desta quinta-feira (12), a diversidade musical toma conta dos Largos do Pelourinho. Turistas e baianos podem conferir de rock a forró, passando pelo samba e pela batida marcante dos blocos afros. A programação do dia começa no Largo Pedro Archanjo, onde acontecem os ensaios de verão do Motumbaxé, sempre às 20h. Comandado pelo cantor e compositor Alexandre Guedes e convidados, o público tem diversão garantida. Os ingressos custam R$ 30 e R$ 15.
Também nesta quinta (12), às 20h, no Largo Tereza Batista, o Bloco Afro Bankoma realiza o 7º Encontro Mauanda, com acesso gratuito. A programação dos Largos do Pelourinho recebe apoio do Governo do Estado, por meio do Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI), vinculado à Secretaria de Cultura (Secult).
Já a Banda Scambo lança o álbum ‘Animal’ na sexta (13), no Largo Pedro Archanjo, às 21h. Os ingressos estão sendo vendidos antecipadamente pela internet (Sympla), com valor promocional. No local, os ingressos vão custar R$ 30 e R$ 60. Ainda na sexta (13), a Band’Ayiê retoma os ensaios no Largo Tereza Batista, a partir das 19h, com ingressos também custando R$ 30 e R$ 60. Para encerrar a programação do dia, o cantor Gil Félix se apresenta no Largo Quincas Berro D'Água, às 19h. Logo em seguida é a vez do ensaio da Banda Filhos de Jorge, às 21h. O valor para os dois shows do largo é R$ 20.

Fim de semana
No sábado (14), o destaque vai para o evento ‘Maglore Convida’, que recebe como convidada a Banda Vivendo do Ócio, a partir das 21h, no Largo Tereza Batista. Com público fiel, as bandas prometem lotar o espaço. Os ingressos valem R$ 30 e R$ 60. Mas quem tiver a fim de curtir um samba não pode perder as atrações dos outros largos. No Quincas Berro D’Água, a banda Samba Partidaço se apresenta às 20h30. No Largo Pedro Archanjo, será a vez do grupo Samba do Pretinho e a Escolha da Rainha Afro do Bloco Amigos do Babá, às 19h. Nos dois casos, o acesso aos largos é gratuito.
No domingo (15), o Bloco Alvorada comemora 42 anos de fundação. A partir das 16h, o bloco realiza o primeiro ensaio de verão e a 4ª Edição da Diversidade Cultural e Étnica do Samba, com apresentação dos grupos Na Média, Partido Popular e Bambeia. A entrada custa R$ 10.
No Largo Pedro Archanjo, a banda Samba de Verdade e convidados colocam o público para dançar, a partir das 16h, com entrada franca. Às 15h, no Largo Quincas Berro D'Água, a arte será unida à filantropia com a roda de samba ‘Seja Você um Sambista Solidário’. O acesso ocorrerá mediante a doação de um pacote de 400 gramas de leite em pó.
Com informações da Secom Ba.  12/01/2017

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Pedidos de recuperação judicial batem recorde em 2016, diz Serasa

Economia  $

O aprofundamento da recessão econômica em 2016 atingiu de forma significativa o consumo das famílias, seja pela elevação do desemprego, seja pelo encarecimento do crédito. Assim, o comércio foi o setor econômico que acabou sofrendo mais intensamente a redução do consumo, provocando dificuldades financeiras às empresas deste setor”, destaca a Serasa.

Bruno Bocchini
Repórter da Agência Brasil

foto - ilustração/arquivo
Os setores de comércio, indústria e serviços bateram recorde de pedidos de recuperação judicial em 2016. O resultado, divulgado hoje (12) pela Serasa Experian, é o pior desde 2005, início da série histórica do levantamento.
No total, foram 1.770 processos deste tipo no ano passado: 713 no setor de serviços, 611 no comércio e 446 na indústria.
“O aprofundamento da recessão econômica em 2016 atingiu de forma significativa o consumo das famílias, seja pela elevação do desemprego, seja pelo encarecimento do crédito. Assim, o comércio foi o setor econômico que acabou sofrendo mais intensamente a redução do consumo, provocando dificuldades financeiras às empresas deste setor”, destaca a Serasa.
Na comparação com 2015, o comércio foi o setor que apresentou a maior elevação no número de recuperações judiciais requeridas em 2016, com aumento de 51,2% nos pedidos. O setor de serviços vem em seguida, com 48,5% a mais. Já na indústria, os pedidos de recuperação judicial cresceram 24,2%, de um ano para o outro.

Falências
O levantamento mostra também que aumentou o número de pedidos de falência no ano passado em relação a 2015. Foram 1.846 solicitações em 2016 ante 1.760 no ano anterior. O setor de serviços também liderou os pedidos de falência, com 746 processos. Em seguida, aparecem a indústria, com 676 falências requeridas, e o comércio, com 424 pedidos.
Fonte - Agência Brasil  12/01/2017

Parque Tecnológico da Bahia irá abrigar novo complexo de laboratórios do Ifba

Ciência &Tecnologia 🔎

O termo de concessão do terreno para o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (Ifba) foi assinado por representantes da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), da Secretaria da Administração (Saeb) e da instituição de ensino nesta quarta-feira (11), no auditório do Tecnocentro Bautista Vidal, no Parque Tecnológico.

Da Redação
Representantes do Governo do Estado e da instituição
de ensino assinaram o termo de concessão
(Foto: Amanda Oliveira/GOVBA)
Um complexo de laboratórios voltado à pesquisa, nas áreas de saúde, informática e meio ambiente, será construído em uma área de mais de 2,5 mil metros quadrados nas dependências do Parque Tecnológico da Bahia, em Salvador. O termo de concessão do terreno para o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (Ifba) foi assinado por representantes da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), da Secretaria da Administração (Saeb) e da instituição de ensino nesta quarta-feira (11), no auditório do Tecnocentro Bautista Vidal, no Parque Tecnológico.
“Esse projeto irá centralizar vários laboratórios. Será um centro de inovação e tecnologia aplicada. Mais pessoas irão interagir aqui, dinamizando o conhecimento. Essa é a concepção do Parque Tecnológico: a criação de conhecimento, que é o que normalmente acontece nas universidades, com o adicional de transformar essa informação adquirida em produtos com ganho real para a sociedade”, afirmou o titular da Secti, Manoel Mendonça.
De acordo com o reitor do Ifba, Renato da Anunciação, a nova estrutura será responsável por pesquisas em áreas diversificadas. “Um dos campos de pesquisa será de energias renováveis, para tornar essas tecnologias mais acessíveis. Também atuaremos na busca por soluções do dia a dia, soluções para a indústria e para a agricultura. Esperamos poder começar as obras antes do segundo semestre deste ano e estar funcionando normalmente até o fim do próximo ano”.

Polo de Inovação

O Ifba pretende unir as pesquisas que serão produzidas no novo prédio com as que já são desenvolvidas no Polo de Inovação Salvador (PIS), inaugurado em setembro 2016. O espaço, que também funciona no Parque Tecnológico, é composto por cinco laboratórios: de Engenharia Médica e Clínica (Lemc), de Física Médica (Lafir), de Produtos para Saúde (Labprosaud), de Prototipagem Integrada (Laproti) e de Sistemas Computacionais (Lscomp). Cada uma dessas áreas possui equipe e dispositivos próprios, com capacidade para desenvolver soluções em diferentes frentes.
Após o fim das obras, o Polo de Inovação, cujas pesquisas estão focadas majoritariamente na área de saúde, será transferido para a nova infraestrutura laboratorial. Segundo o diretor do PIS, Handerson Leite, a mudança irá resultar numa confluência de conhecimentos. “A saúde hoje não pode mais ser pensada de forma unidisciplinar, é necessário o intercâmbio com outras áreas, como engenharia mecânica, eletrônica e informática. Essa troca de informações será muito positiva para a tecnologia na Bahia”.
Com informações da Secom Ba.  11/01/2017

Tarifa de ônibus em Fortaleza tem o maior reajuste em 14 anos

Transporte/Tarifa  🚌

O acréscimo de R$ 0,45 equivale a um aumento de 16,3%. O percentual de reajuste anunciado, ontem, pela Prefeitura é o maior desde 2003,a atual correção do valor da passagem em 16,3%  não incidirá diretamente sobre a tarifa estudantil, pois embora também passe a vigorar mais cara a partir de sábado, a alteração neste caso específico é de R$ 0,10

Thatiany Nascimento - DN
foto - ilustração/Fortalbus
A partir de 0h de sábado (14), a tarifa inteira de ônibus e alternativos em Fortaleza passará dos atuais R$ 2,75 para R$ 3,20. O acréscimo de R$ 0,45 equivale a um aumento de 16,3%. O percentual de reajuste anunciado, ontem, pela Prefeitura é o maior desde 2003, quando o aumento foi de 27%. Porém, a atual correção do valor da passagem - em 16,3% - não incidirá diretamente sobre a tarifa estudantil, pois embora também passe a vigorar mais cara a partir de sábado, a alteração neste caso específico é de R$ 0,10. Com a variação de 7,6%, a passagem para estudantes sairá de R$ 1,30 para R$1,40.
O titular da Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos (SCSP), João Pupo, defendeu que, apesar do aumento, Fortaleza continua tendo a tarifa mais barata entre as cidades que têm mais de 2 milhões de habitantes e dispõem de sistema integrado entre ônibus e também metrôs. Além disso, João Pupo explicou que o pleito do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus) era de um acréscimo de 20% e a Prefeitura estabeleceu 16,3%. O cálculo para a alteração da passagem, diz o secretário, leva em conta, dentre outros, o aumento de custos com pneus rodagem (20,57%), setor pessoal (salário 10%, cesta básica 15%, vale refeição 9,09%, plano de saúde 29,52%), além dos gastos com renovação da frota com ar condicionado (19,65%) e o custo da internet wi-fi nos coletivos (9,82%). Questionado sobre a relação entre o aumento e o reflexo na melhoria na qualidade do transporte como, por exemplo, a redução da superlotação, João Pupo garantiu que a Prefeitura já tem adotado medidas para tentar reduzir o problema, mas também admitiu que outras ações precisam ser executadas. "Temos contratada uma pesquisa de origem-destino para sabermos detalhes desses deslocamentos. Estamos esperando o financiamento de R$ 12 milhões do BID para executá-la e solucionarmos esses gargalos".
Para o presidente do Sindiônibus,este reajuste, assim como o praticado em anos anteriores, já vem defasado e fará com que o setor empresarial tenha que equacionar a diferença entre os 20% demandados e o reajuste de 16,3%. Outra queixa do Sindiônibus é quanto ao mês do reajuste, já que segundo Sindiônibus,o acordo (referente a novembro de 2015 e novembro de 2016) deveria ter sido fechado e aplicado no ano passado. "Nada impede que em 2017 tenhamos um outro reajuste em novembro. E assim como ocorreu em 2015, sejam dois reajuste em um mesmo ano". No entanto, o titular da SCSP garante que a próxima correção será em janeiro de 2018.
Fonte - Diário do Nordeste  11/01/2017

Em 2017, Rede Pública de Ensino do Maranhão terá 18 escolas de educação em tempo integral

Educação  📖

Este ano, mais 15 centros de ensino passarão a funcionar em tempo integral, sendo 11 Centros de Educação Integral, os chamados Centros ‘Educa Mais’, que entrarão em funcionamento em seis cidades, além de mais quatro unidades plenas do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (Iema) que estão sendo instaladas em quatro municípios.

Da Redação
foto - Divulgação
A Rede Estadual de Ensino do Maranhão deu um importante salto na oferta do Ensino Médio, com foco na formação integral. Este ano, mais 15 centros de ensino passarão a funcionar em tempo integral, sendo 11 Centros de Educação Integral, os chamados Centros ‘Educa Mais’, que entrarão em funcionamento em seis cidades, além de mais quatro unidades plenas do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (Iema) que estão sendo instaladas em quatro municípios.Com estas unidades, o Maranhão passará a ter mais de 6,5 mil alunos da rede pública estadual cursando o Ensino Médio em escolas de tempo integral.
O secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão, destaca que no início da gestão do governador Flávio Dino, a rede estadual de ensino possuía somente um centro de educação integral em funcionamento e agora serão 18 centros, o que demonstra o compromisso e, sobretudo, a mudança significativa na Rede Estadual de Ensino no Maranhão.
“Desde os primeiros dias da gestão, o governador Flávio Dino vem centrando esforços para retirar o Maranhão das últimas posições nos indicadores educacionais e uma das ações adotadas como estratégia para mudar esse cenário é o desenvolvimento integral do estudante maranhense, com a implantação da educação em tempo integral na Rede Estadual de Ensino. Começamos com os Iemas, que integram o ensino médio com a oferta de cursos técnicos, e agora estamos partindo para as escolas acadêmicas”, destacou Felipe Camarão.
Os Centros ‘Educa Mais’, como serão chamadas as unidades de Educação de Tempo Integral, estão sendo instalados em escolas da rede estadual nos municípios de São Luís (seis unidades), Alcântara (1), Santa Inês (1), São José de Ribamar (1), São Bento (1), Timon (1). As unidades atenderão cerca de 5 mil estudantes da Rede Estadual, com este novo modelo de escola pública que visa o desenvolvimento dos estudantes em todas as suas dimensões – intelectual, social, cultural, física e emocional.
Nessas unidades, os estudantes terão carga horária de 37,5 horas/aulas semanais, divididas de segunda a sexta-feira, com disciplinas do ensino regular (como Português, Matemática, História, dentre outras) e disciplinas eletivas (como Robótica, Protagonismo Juvenil, Iniciação Científica, Futsal, Handebol, Dança, dentre outras). As disciplinas eletivas são definidas a partir de uma seleção de temas escolhidos por estudantes e professores. Essas escolas terão em seu centro de ensino espaços administrativos, pedagógicos (com Salas de Aula, Biblioteca, Laboratórios de Informática/Robótica, Laboratórios de Ciências) e esportivos (Quadra poliesportiva, vestiários).
Os centros que estão em implantação no Maranhão têm como inspiração o modelo adotado pelo estado de Pernambuco, que saiu da 26ª colocação em 2005 e tornou-se o Estado com uma das menores taxas de abandono escolar do Brasil, com alto Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) e que reduziu a distorção idade-ano para o ensino médio.
“Pernambuco apostou, lá atrás, em escolas técnicas e integrais. É um modelo que vem dando muito certo e temos certeza que com investimentos e acompanhamento pedagógico adequado também funcionará em nosso estado”, pontuou Felipe Camarão.

Ensino técnico profissionalizante
Outra ferramenta importante no ensino integral no Estado são os Iema’s, criados em 2015 e cuja proposta é oferecer cursos técnicos integrados ao ensino médio, respeitando as necessidades locais e as prioridades estratégicas do Maranhão. Três unidades já estão funcionando plenamente em São Luís, Bacabeira e Pindaré Mirim. Agora em 2017, outras quatro unidades plenas entrarão em funcionamento nas cidades de Axixá, Coroatá, São José de Ribamar e Timon. A meta é ampliar para 23 unidades até 2018.
Além das quatro novas unidades de ensino médio e técnico em tempo integral que começam a funcionar em 2017, outra inovação para o Iema este ano é o currículo. Disciplinas como robótica e programação e leitura e interpretação textual, além de raciocínio lógico e método científico passam a ser conteúdos transversais e passarão a ser trabalhados em todas as disciplinas.
Também este ano os primeiros estudantes do Instituto farão intercâmbio Iema do Mundo. Lançado no final do ano passado, o programa vai permitir que seis estudantes cursem um semestre inteiro do Ensino Médio no Canadá ou Argentina.
Com informações da Seduc Gov.Maranhão  11/01/2016

Juíza suspende aumento de todas as tarifas de transporte em São Paulo

Transportes/Tarifas  🚌

Na decisão, a juíza disse que a razão para o aumento “não está detalhado tecnicamente,o que impede a análise de sua pertinência e,ademais,supera, sem explicação, os índices inflacionários”.Na tarde de ontem (10),o presidente do Tribunal de Justiça Paulo de São Paulo,Paulo Dimas, decidiu suspender o aumento na integração (ônibus+trilhos) do transporte público em São Paulo que estava em vigor desde domingo (8). 

Elaine Patricia Cruz
Repórter da Agência Brasil
foto - ilustração
A juíza Simone Viegas de Moraes Leme, da 15ª Vara da Fazenda Pública do Tribunal de Justiça de São Paulo, suspendeu hoje (11) o aumento das passagens de todas as linhas de ônibus intermunicipais administrados pela Empresa Metropolitana de Transporte Urbano (EMTU). Cabe recurso da decisão.
Na decisão, a juíza disse que a razão para o aumento “não está detalhado tecnicamente, o que impede a análise de sua pertinência e, ademais, supera, sem explicação, os índices inflacionários”.
Na tarde de ontem (10), o presidente do Tribunal de Justiça Paulo de São Paulo, Paulo Dimas, decidiu suspender o aumento na integração (ônibus+trilhos) do transporte público em São Paulo que estava em vigor desde domingo (8). Com essa decisão, a Secretaria Estadual de Transportes notificou, na noite de ontem, o Metrô, a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), a EMTU e a SPTrans, empresa gestora do Bilhete Único, para que as tarifas de integração fossem alteradas ao valor que era praticado antes do aumento, o que começou a ocorrer na manhã de hoje.
No caso da EMTU, a secretaria já havia determinado ontem que a empresa voltasse a cobrar o preço anterior no caso das linhas de ônibus intermunicipais da área 5 da região metropolitana (que corresponde ao ABC) e, a partir de sexta-feira (13), também nas linhas das regiões metropolitanas de Sorocaba, Vale do Paraíba e Litoral Norte.
No entanto, a secretaria não abaixou o preço das passagens nas regiões metropolitanas de Campinas, Baixada Santista, as áreas 1,2,3,4 e o corredor ABD da região metropolitana de São Paulo, pois, de acordo com a secretaria, não estavam incluídas na determinação de ontem do tribunal. Porém com a decisão de hoje, da juíza Simone Viegas de Moraes Leme, a secretaria será obrigada a abaixar o preço de todas as passagens da EMTU.
Por meio de nota, a Secretaria de Transportes Metropolitanos (STM) informou que tomou conhecimento da ampliação da liminar, mas que ainda não foi notificada. "A STM não foi citada ainda e tomará todas as medidas necessárias para cumprimento da decisão", disse.
Segundo a secretaria, a extensão da liminar abrange os reajustes aplicados nas tarifas da EMTU em sete contratos de concessão nas regiões de São Paulo (áreas 1,2,3,4 e Corredor ABD), Baixada Santista (inclusive o VLT) e Campinas.
“A STM reafirma que o atendimento da ordem liminar impacta financeiramente, de forma drástica e prejudicial, o sistema de transporte e o orçamento do governo do estado. Se mantida a decisão, causará um impacto financeiro de mais R$ 212 milhões em 2017, além dos R$220 milhões envolvendo Metrô, CPTM e permissionárias da EMTU”, diz a nota.
Fonte - Agência Brasil  11/01/2017

China consolida liderança em energia limpa

Sustentabilidade 💡

Segundo o relatório Expansão Global de Energias Renováveis ​​da China, do Instituto de Economia e Análise Financeira da Energia (IEEFA),o crescimento sobre 2015 foi de impressionantes 60%.O instituto avaliou todos os negócios desse segmento com valores acima de US$ 1 bilhão.

Portogente
foto - ilustração
Com um recorde de US$ 32 bilhões em investimentos no exterior somente em 2016, a China está claramente se tornando a líder global em energias renováveis e tecnologias relacionadas. Segundo o relatório Expansão Global de Energias Renováveis ​​da China, do Instituto de Economia e Análise Financeira da Energia (IEEFA), o crescimento sobre 2015 foi de impressionantes 60%.
O instituto avaliou todos os negócios desse segmento com valores acima de US$ 1 bilhão. A escala e o crescimento do investimento realizado consolidam a liderança global da China em indústrias e em infra-estruturas de energia limpa. Em 2015 empresas chinesas realizaram oito investimentos no exterior superiores a US$ 1 bilhão cada, totalizando US$ 20 bilhões. O valor em 2016 foi 60% maior, alcançando a marca de US$ 32 bilhões em onze transações separadas conduzidas por empresas chinesas – duas delas, no Brasil.
A State Grid Corp da China (SGCC), maior empresa de eletricidade do mundo, fez o maior acordo de distribuição de energia renovável e eletricidade de 2016, com um investimento de US $ 13 bilhões para uma participação no controle da CPFL Energia no Brasil SA. Outros US$ 1,2 bilhão foram investidos pela Three Gorges Corp no Brasil ao longo de 2016.
A China já é líder mundial em termos de investimento doméstico em energia renovável e setores associados de baixa emissão de energia. O país investiu US$ 103 bilhões em 2015, um aumento de 17% em relação ao ano anterior, de acordo com a Bloomberg New Energy Finance, ou duas vezes e meia o investimento anual realizado pelos EUA.
Investimento e empregos andam de mãos dadas. De acordo com o World Energy Outlook 2016 da Agência Internacional de Energia, a China detém 3,5 milhões, dos 8,1 milhões de empregos em energia renovável no mundo. Nos Estados Unidos, são 769 mil empregos relacionados com energias renováveis.
A China está ativamente prosseguindo uma estratégia de se tornar global em energias renováveis, particularmente em conjunto com seu programa "One Belt, One Road". Em 2016, o país estabeleceu o Banco de Infra-estrutura e Investimento da Ásia (AIIB) e o Novo Banco de Desenvolvimento (também chamado de BRICS Bank). Quando combinado com a capacidade de investimento estrangeiro do Banco de Importação e Exportação da China e do Banco de Desenvolvimento da China, a China está claramente desenvolvendo capacidade financeira para impulsionar fusões e aquisições.
O relatório também mostra como o resultado da eleição norte-americana significa que os EUA provavelmente ficarão ainda mais atrás da liderança global da China no futuro. "Os Estados Unidos já estão bem atrás da China na corrida para garantir uma maior participação no florescente mercado de energia limpa. Com o presidente eleito Trump falando de carvão e de gás, as possíveis mudanças nas políticas domésticas não são um bom presságio ", analisa Tim Buckley, diretor de Estudos de Finanças Energéticas da Australásia do IEEFA. "Se os EUA forem sérios sobre estimular o crescimento baseado em manufatura, este não é um setor para o qual se deva virar as costas. A China entende que as renováveis ​​apresentam uma enorme oportunidade comercial. Ela está se preparando para ser incomparável na liderança de energia limpa hoje. Os EUA deverão lamentar nos próximos anos ".
Fonte - Portogente  11/01/2017

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Sistema Ferry-Boat opera com movimento intenso na travessia entre Salvador e Itaparica

Travessia marítima  🚢

O sistema Ferry-Boat nesta quarta-feira (10),registra um movimento intenso de veículos e passageiros nos terminais de São Joaquim e Bom Despacho.Seis (06) embarcações operam hoje na travessia entre a ilha de Itaparica e Salvador.

Da Redação
foto - ilustração/Raul Golinelli/GOVBA
O sistema Ferry-Boat, que realiza a travessia marítima entre Salvador e a Ilha de Itaparica,desde a manhã desta quarta-feira (10),registra um movimento intenso de veículos e passageiros nos terminais de São Joaquim e Bom Despacho.As seis (06) embarcações, Agenor Gordilho, Dorival Caymmi, Anna Nery, Pinheiro, Zumbi dos Palmares e Juracy Magalhães Júnior,operam com saídas progrmadas de hora em hora.Viagens extras podem ocorrer com o aumento da demanda durante o dia.
Os usuários do sistema pode adquirir as passagens nos terminais de embarque com pagamento efetuado por meio de cartões de crédito,de débito ou dinheiro.
Condutores de veículos que optarem pelo serviço de Hora Marcada,devem consultar o site da ITS, - portalsits.internacionaltravessias.- para verificarem a disponibilidade de vagas e efetuarem a compra das passagens com pagamento feito apenas com cartões de crédito ou débito.
Para mais informações o sistema mantém uma Central de Atendimento ao Cliente (CAC),localizada no Terminal São Joaquim funcionando de segunda a sexta,das 8h às 18h, e aos sábados,das 7h às 13h. Contatos através do Tel - 071 3032-0475 e pelo cac@internacionaltravessias.com.br.
Com informações da ITS  11/01/2017

A China reforça convite aos países da África para participarem na construção da ferrovia da Rota da Seda

Ferrovias/Internacional  🚅

A China reforçou o convite aos países da África para participarem na construção da Rota da Seda com um avanço na sua "diplomacia ferroviária" nesse continente. Em 10 de janeiro, no Djibouti foi inaugurada para exploração comercial a ferrovia Djibouti-Etiópia, construída pela China.

Sputnik
foto - ilustração/WEB
O chefe da chancelaria chinesa, Wang Yi, apelou aos países africanos para intensificarem a cooperação na construção conjunta do Cinturão Econômico da Rota da Seda durante sua missão ao continente africano. Entre 7 e 12 de janeiro, Wang Yi realiza uma série de visitas oficiais a Madagascar, Zâmbia, Tanzânia, Congo e Nigéria.
O lançamento oficial da ferrovia Djibouti-Adis Abeba foi chamado pelo jornal de Hong Kong South China Morning Post de um passo importante para o aumento de influência da China na região. É a primeira linha ferroviária eletrificada na África, cuja construção se tornou possível graças ao capital e fornecimentos tecnológicos e de recursos pela China. Pequim financiou cerca de 70 por cento desse projeto do valor de quatro bilhões de dólares. Além disso, a China formou mais de 20 mil especialistas locais para a construção dessa ferrovia e que agora irão dirigir essa infraestrutura. Antes, o caminho de Djibouti para Adis Abeba levava três dias por rodovia e agora dura dez horas.
Outro avanço que se tornou possível foi a saída da Etiópia, o país com desenvolvimento mais dinâmico da África, para o mar.
Entretanto, esse projeto é considerado como parte importante da artéria transafricana que permitirá a muitos países da África Austral, Ocidental e Central obterem, através do mar Vermelho, uma saída para o canal de Suez.
O vice-presidente da Academia de Problemas Geopolíticos, Konstantin Sivkov, chama atenção ao fato que no Djibouti a China criou sua primeira base militar no estrangeiro. Entretanto, a nova ferrovia dá acesso ao porto marítimo desse país: "As ferrovias são o meio de transporte terrestre mais eficiente. A China está construindo uma rede ferroviária com base no Djibouti para aumentar no futuro seu poderio econômico e militar. Essa rede significa que a China está interessada na Etiópia. Na Etiópia há grandes reservas de ouro, além disso, o país fica com uma posição da maior importância geopolítica, obtendo saída para o mar. A ligação de Etiópia com o Djibouti e outros países africanos é uma penetração profunda da China na África. É evidente que a China substitui o Ocidente na África. A construção da rede de transporte é o instrumento evidente de controle de territórios."
Nos anos 70, a ferroviária Tanzânia-Zâmbia foi o bilhete de entrada da China no continente africano. Porque, apesar de não ter dinheiro na altura, a China ajudou a Tanzânia e a Zâmbia a construir essa ferrovia. Agora, estando o país em outro nível, a China agudará a moderniza-la.
A especialista do Centro de Economia Mundial do Instituto das Relações Internacionais Modernas chinês, Chen Fengying, apontou, em entrevista à Sputnik China, que a nova ferrovia permitirá aos africanos resolverem problemas ligados à modernização da Economia: "A construção da Rota da Seda terrestre e marítima abrange a Ásia Oriental, o Sudeste Asiático, a Ásia Meridional, o Sudoeste Asiático, a África do Norte, as regiões da Comunidade dos Estados Independentes e do Cáucaso, a Europa Meridional, Central, Ocidental e Oriental e também a Oceania, dez regiões no total. No futuro estes limites podem ser ampliados, mas hoje a África não é a direção prioritária dessa rota. Acho que a ferrovia Djibouti-Etiópia é, primeiramente, um modelo para a modernização da África com participação da China, um exemplo notável da cooperação sino-africana. É importante para a construção da infraestrutura moderna na África. A ferrovia é tanto a velocidade como outras vantagens mais evidentes." Além disso, a especialista chinesa sublinhou que ainda é cedo para falar da integração completa da África na Rota da Seda construída pela China.
Fonte - Sputnik  11/01/2017

Passados 10 anos, ninguém foi condenado por acidente no Metrô de São Paulo

Metrô-SP  🚧

Em novembro de 2016, por 2 votos a 1, os desembargadores da 7ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo mantiveram a absolvição de 12 pessoas envolvidas na tragédia. Os acusados, engenheiros ou funcionários do Metrô ou das empreiteiras, já haviam sido absolvidos em julgamento na primeira instância.

Elaine Patricia Cruz
Repórter da Agência Brasil

Assembleia Legislativa de SP/Divulgação
Dez anos depois do desabamento das obras da linha 4-amarela do Metrô de São Paulo, a serem completados nesta quinta-feira (12), ninguém foi responsabilizado pelo acidente que vitimou sete pessoas no local onde hoje está instalada a Estação Pinheiros.
Em novembro de 2016, por 2 votos a 1, os desembargadores da 7ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo mantiveram a absolvição de 12 pessoas envolvidas na tragédia. Os acusados, engenheiros ou funcionários do Metrô ou das empreiteiras, já haviam sido absolvidos em julgamento na primeira instância. Outros dois acusados foram retirados do segundo julgamento pelo próprio Ministério Público, responsável pela acusação, que entendeu que eles não tinham culpa.
A absolvição revoltou Celso Alambert, 77 anos, pai de Márcio Alambert, 31 anos, que morreu na tragédia. “Isso gera revolta. Como é que vão fazer uma obra desse porte sem responsável? Nesse caso tinha que ter um engenheiro responsável, um geólogo, uma fiscalização sobre as obras. Mas sabe como é que é, né? Se fossem cidadãos comuns já teriam sido punidos. Mas envolve muita gente graúda, então acaba tudo em pizza”, reclamou.
O corretor Antonio Manuel Dias Teixeira, que perdeu um imóvel no acidente, também reclamou da falta de punição pelo acidente. “Isso é uma coisa que também me deixou revoltado e chateado. E aqueles que morreram? Eu estou vivo, tudo bem. Mas tem os que morreram. Não havia responsáveis?”, questionou.
O acidente ocorreu por volta das 15h do dia 12 de janeiro de 2007, na rua Capri. O cobrador Wescley Adriano da Silva ocupava o seu lugar no micro-ônibus que fazia a linha Casa Verde-Pinheiros quando uma cratera se abriu no canteiro de obras da estação, “engolindo” a van em que ele se encontrava.
Além dele, também morreram no acidente o motorista da van Reinaldo Aparecido Leite, os passageiros Márcio Alambert e Valéria Alves Marmit, o motorista de um caminhão que trabalhava na obra e que também foi “engolido” pela cratera Francisco Sabino Torres, e a aposentada Abigail de Azevedo e o office boy Cícero Augustino da.Silva, que chegavam ao ponto de ônibus no momento do acidente.

MP recorreu da absolvição
Em dezembro do ano passado, o Ministério Público decidiu recorrer da absolvição ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), que ainda não se pronunciou sobre o assunto. No recurso, de 72 páginas, o procurador-geral de Justiça, Gianpaolo Poggio Smanio, e o promotor de Justiça designado Victor Eduardo Rios Gonçalves alegam que “era previsível que o desabamento poderia ocorrer” e que, mesmo assim, os réus determinaram o prosseguimento das obras, agindo, portanto, com imprudência e negligência.
No documento, eles afirmam que “as falhas originárias do projeto e da execução da obra, aliadas à desconsideração do quadro de instabilidade do canteiro, com o consequente avanço das escavações e o aumento do ritmo e da velocidade das detonações, levaram ao desmoronamento do túnel, com a morte de sete vítimas”.
Eles também dizem que essas mortes poderiam ter sido evitadas, independentemente do desmoronamento, “se o entorno do local tivesse sido interditado para o trânsito de pedestres e de veículos logo após os primeiros sinais de risco iminente de ruptura do local, sinais esses, inclusive, que possibilitaram a evacuação do subsolo, com a retirada dos obreiros que trabalhavam na escavação”.
Procurado pela Agência Brasil para falar sobre o caso, o Ministério Público não concedeu entrevista e se pronunciou apenas enviando o documento de recurso ao STJ.

Indenizações
O Consórcio Via Amarela, responsável pelas obras, informou que nenhuma família deixou de fechar acordo de indenização com a empresa. Em 2009, a assessoria de imprensa da Via informou que “todas as famílias das [sete] vítimas fatais do acidente” foram indenizadas em até 90 dias após o acidente e “todos os moradores, inicialmente deslocados de suas residências e instalados em hotéis da região, foram indenizados e retomaram sua rotina sem ter que recorrer à Justiça”.
Procurado pela Agência Brasil este ano, o Consórcio Via Amarela respondeu que, "logo após o acidente, prestou todo o apoio necessário aos familiares das vítimas, assim como já promoveu o pagamento das indenizações cabíveis”, sem revelar a quantidade e o valor das indenizações que foram pagas.
Na época do acidente, a subprefeitura de Pinheiros informou que, dos 94 imóveis que sofreram danos, sete tiveram que ser demolidos e outros 14 foram condenados, mas os demais foram todos liberados.
Já o Metrô informou que as obras de construção da estação Pinheiros estavam completamente seguradas, o que possibilitou “a cobertura a todos os prejuízos causados pelo acidente ocorrido em 2007 e também a indenização a todas as pessoas e empresas prejudicadas por parte do consórcio de empreiteiras responsável pelas obras".
Segundo o Metrô, "todo esse processo [de pagamento de indenizações] foi acompanhado e intermediado pelo governo do estado que, assim como o Metrô, não foi parte do processo judicial que absolveu em duas instâncias a todos os acusados". A empresa também informou que "sempre adotou em suas obras métodos construtivos e procedimentos de segurança com certificações internacionais que garantem a confiabilidade de execução".
Em um documento sobre o acidente na estação Pinheiros, publicado em outubro de 2008 e disponível no site do Metrô, referente ao pagamento de indenizações e ao reassentamento das famílias até agosto de 2008, o Metrô informa que 271 pessoas foram impactadas pelo acidente, número que exclui 57 proprietários de imóveis que não viviam no local ou o ocupavam.
A companhia informou que 99 imóveis foram atingidos pelo acidente, 58 deles residenciais. Desse total, 14 foram condenados, 7 precisaram ser demolidos, 10 tiveram um impacto mínimo e foram liberados, 65 foram liberados mais tarde após laudos da prefeitura e outros três foram liberados sem intervenção da prefeitura.
Entre as famílias, após o acidente, quatro decidiram permanecer no imóvel, 34 retornaram a suas moradias, nove se referiam a casos atípicos e 62 tiveram que ser reassentadas.
Das sete vítimas fatais, o Metrô diz que foram fechados oito acordos de indenização, já que uma das vítimas tinha duas famílias. Além disso, foram firmados 106 acordos [número que não necessariamente significa o total de famílias porque cada família que pode ter fechado mais de um acordo], além de oito acordos com terceiros [ambulantes ou pessoas que perderam carros estacionados próximos ao local do acidente]. Segundo o Metrô, 20 ações foram para a Justiça.
Houve famílias que receberam duas indenizações: uma do consórcio, pelos danos provocados pelo acidente e outra da prefeitura, que retirou as famílias de algumas casas da região para construir um terminal de ônibus no local, ao lado da estação de Metrô. Este foi o caso do corretor Antonio Manuel Dias Teixeira, que perdeu um imóvel no acidente. Ele diz que a indenização ainda não foi totalmente paga e que o valor acertado foi baixo.

Linha ainda não terminada
Passados dez anos, a linha 4-amarela do Metrô de São Paulo ainda não foi totalmente concluída e entregue. Prevista para funcionar na Copa do Mundo de 2014, ainda faltam estações a serem terminadas.
Segundo o Metrô, a implantação da linha foi dividida em duas fases, sendo que a primeira custou R$ 3,1 bilhões e teve as obras iniciadas em 2006, passando a funcionar a partir de 2010, com seis estações operando, entre Luz e Butantã. Em 2012 foram iniciadas as obras da segunda fase, que abrange as estações Butantã e Vila Sônia e a construção de outras cinco estações – uma delas, a Fradique Coutinho, inaugurada em 2014.
Em 2015, a empreiteira responsável abandonou as obras e o Metrô rescindiu o contrato, retomando os trabalhos com um novo consórcio em agosto de 2016. Com isso, as estações Higienópolis-Mackenzie e Oscar Freire deverão ser concluídas em dezembro de 2017, restando as estações São Paulo-Morumbi para 2018 e Vila Sônia para 2020. A segunda fase, de acordo com o Metrô, tem o custo de R$ 1,7 bilhão.
Fonte - Agência Brasil  11/01/2017

CBTU discute expansão do VLT da Grande Natal para o Aeroporto de São Gonçalo do Amarante

Transportes sobre trilhos  🚄

A futura Linha Roxa,interligará Natal ao Aeroporto Internacional Governador Aluízio Alves, passando pelos municípios de Extremoz e São Gonçalo do Amarante.

CBTU
foto - ilustração/arquivo
Nesta terça-feira, 10, a CBTU deu continuidade ao estudo de viabilidade técnica para a contratação do projeto executivo referente à implantação da Linha Roxa que interligará Natal ao Aeroporto Internacional Governador Aluízio Alves, passando pelos municípios de Extremoz e São Gonçalo do Amarante. A ação ocorre após a autorização de recursos para elaboração do projeto executivo anunciada pelo Ministro das Cidades, Bruno Araújo, em atendimento ao pleito do governador Robinson Faria e do Deputado Federal Fábio Faria.
Participaram do encontro o prefeito de São Gonçalo do Amarante, Paulo Emídio de Medeiros, e seus respectivos secretários de Trânsito e de Meio Ambiente e Urbanismo, Paulo Roberto e Paulo de Tarso; o Superintendente do DNIT, Walter Fernandes; a Secretária adjunta da Infraestrutura do Rio Grande do Norte, Ieda Cortez; o representante do DER, Nicodemus Ferreira; e o Superintendente da CBTU Natal, Leonardo Diniz, acompanhado da equipe técnica da Companhia.
A reunião teve como objetivo firmar parcerias com os órgãos envolvidos e alinhar informações para subsidiar o estudo de viabilidade técnica. Na ocasião, os participantes destacaram a importância do projeto que beneficiará a população dos municípios de Natal, Extremoz e São Gonçalo do Amarante, bem como os usuários do aeroporto, trabalhadores e moradores da região.
Com informações da CBTU  11/01/2017

Siemens irá modernizar linha de metrô no Peru

Transportes sobre trilhos 🚇

A modernização da fonte de alimentação, atualização do sistema de catenárias e modificações na eletrificação das estações irão aumentar a disponibilidade e rentabilidade da via férrea. A atualização será realizada durante a operação contínua.

Portogente
foto - ilustração/arquivo
A Siemens irá fornecer a fonte de alimentação de tração completa para a primeira seção da linha 1 do metrô de Lima, que cobre aproximadamente nove quilômetros. A modernização da fonte de alimentação, atualização do sistema de catenárias e modificações na eletrificação das estações irão aumentar a disponibilidade e rentabilidade da via férrea. A atualização será realizada durante a operação contínua.
A primeira linha do metrô de Lima foi concluída em 2011, cobrindo aproximadamente 21 quilômetros. A linha liga o sudeste de Lima com o centro da cidade, encurtando consideravelmente as rotas de transporte para muitos dos habitantes da capital. A primeira seção da linha 1, que cobre aproximadamente nove quilômetros, foi instalada em 1995, assim a fonte de alimentação de tração para esta seção agora precisa ser modernizada. O escopo de fornecimento da Siemens inclui a instalação, comissionamento e reforma de quatro subestações de alimentação de tração, seis gabinetes de média tensão para as estações entre a seção de Villa El Salvador a Atocongo. A Siemens irá instalar, testar e comissionar o sistema de catenária aérea para a linha principal assim como o sistema Scada (controle de supervisão e aquisição de dados) para monitoramento e controle, a fonte de alimentação de tração também será atualizada.
A Siemens entrou no mercado do Peru com a eletrificação da primeira extensão do metrô de Lima em 2010. Em 2013, a Siemens recebeu o contrato para eletrificar a segunda extensão da linha 1, que percorre cerca de doze quilômetros em um viaduto através dos três distritos de Cercado de Lima, El Agustino e San Juan de Lurigancho. No início deste ano, seguiram-se pedidos para a eletrificação de toda a linha 2 do metrô, bem como os cerca de oito quilômetros da primeira fase da linha 4 na capital do Peru. As duas novas linhas de metrô irão ligar outros distritos da cidade e o aeroporto internacional à rede de transporte coletivo da capital.
Fonte - Portogente  11/01/2017

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

A operadora de trens de passageiros NS na Holanda conclui transição para energia eólica

Transportes sobre trilhos  🚅

Em busca de uma redução radical das emissões de gases que provocam o efeito estufa,a NS assinou o acordo de parceria,Groene Trein,com a Eneco em 2015,que previa uma transição para o fornecimento de energia renovável até 2018.No entanto,o operador conseguiu concluir a transição um ano antes,atingindo 76% em 2016.

Da Redação
Railway Gazette
A NS (Nederlandse Spoorwegen),operadora nacional de trens de passageiros na Holanda,a partir de agora esta com toda a sua frota de trens eléctricos em serviço,utilizando energia eólica após uma transição de três anos em associação com a Eneco,fornecedora de gás natural,eletricidade e calor.De acordo com o CEO Roger van Boxtel,a NS é a primeira ferrovia do mundo a atingir uma meta de 100% de utilização de energia limpa.
Agora, transportando cerca de 1,2 milhão de passageiros por dia,a NS tem uma necessidade anual de energia de 1,2 bilhões de kWh.A empresa pretende reduzir o consumo em 2% ao ano através de um programa de eficiência energética,e relata que já conseguiu reduzir o consumo total em 30% desde 2005.
Em busca de uma redução radical das emissões de gases que provocam o efeito estufa,a NS assinou o acordo de parceria,Groene Trein,com a Eneco em 2015,que previa uma transição para o fornecimento de energia renovável até 2018.No entanto,o operador conseguiu concluir a transição um ano antes,atingindo 76% em 2016.
A demanda nacional total de energia limpa na Holanda é estimada para cerca de 12,5 bilhões de kWh contra a capacidade de geração de energia eólica de 7,4 bilhões de kWh.A Eneco está a adquirindo energia para o contrato ferroviário a partir de parques eólicos recém-construídos nos Países Baixos,na Bélgica e na Finlândia. A conclusão precoce dessas instalações é entendida como um fator chave para permitir que a NS atinja sua meta de 100% antes do cronograma.
Com informações da Railway Gazette  10/01/2017

Justiça nega pedido do governo e suspende aumento de transporte em SP

Transporte/Tarifa 🚌

Ontem (9), o governo de São Paulo havia pedido a suspensão da liminar. Mas hoje o presidente do tribunal decidiu negar o recurso. Com isso, a tarifa, que havia passado para R$ 6,80 no domingo (8), terá que voltar a custar R$ 5,92.

Elaine Patricia Cruz
Repórter da Agência Brasil

foto - ilustração
O presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, Paulo Dimas Mascaretti, manteve hoje (10) a liminar emitida na sexta-feira (6) pelo juiz Paulo Furtado de Oliveira Filho suspendendo o aumento da tarifa de integração [ônibus + trilhos] no transporte público de São Paulo. Com isso, a tarifa, que havia passado para R$ 6,80 no domingo (8), terá que voltar a custar R$ 5,92.
Ontem (9), o governo de São Paulo havia pedido a suspensão da liminar. Mas hoje o presidente do tribunal decidiu negar o recurso.
A tarifa de integração entre ônibus [administrado pela prefeitura] e trilhos [metrô e trens, administrados pelo governo estadual] custava R$ 5,92 até sábado (7). No domingo, ela foi reajustada apesar da liminar que suspendia o aumento. O governo justificou a manutenção do reajuste alegando que “ainda não havia sido notificado” sobre a decisão judicial.
Segundo Paulo Mascaretti, “a decisão questionada entendeu que a redução do desconto que beneficiava significativa parcela dos usuários do transporte público metropolitano, em especial aqueles que utilizam o sistema integrado, e que resultou em reajuste bem acima dos índices inflacionários, não foi devidamente justificada”.
O governo paulista ainda não informou a partir de quando a tarifa de integração voltará a custar R$ 5,92.
Fonte - Agência Brasil  10/01/2017

Holanda testa faixa de pedestres luminosa

Mobilidade  👫

Piso luminoso destaca pedestres durante a travessia da rua. Primeira faixa foi instalada na cidade de Brumeen.A novidade foi desenvolvida (e patenteada) pela empresa Lighted Zebra Crossing, de Brumeen, na Holanda.

Autor - Marcos de Sousa
créditos - Lighted Zebra Crossing
Uma novíssima versão da tradicional faixa de pedestres começa a ser experimentada em cidades da Holanda. Trata-se de uma lombofaixa dotada de painéis led que se acendem automaticamente quando o dia escurece. A novidade foi desenvolvida (e patenteada) pela empresa Lighted Zebra Crossing, de Brumeen, na Holanda.
O objetivo é melhorar a visibilidade da faixa de pedestres e também iluminar as pessoas que eventualmente estejam cruzando as ruas. Os técnicos que desenvolveram a faixa luminosa argumentam que às vezes - especialmente em noites de mau tempo - os motoristas têm dificuldades de enxergar a faixa, o que acaba provocando acidentes.
Além da iluminação, a faixa é dotada de sensores que registram as passagens de pedestres e veículos, as cargas por eixo e outros dados para que as autoridades de trânsito possam repensar suas políticas de tráfego
Fonte - Mobilize Brasil / Lighted Zebra Crossing  10/01/2017

Manifestantes protestam contra aumento da passagem em Brasília

Protestos 🚌

Manifestantes fecham uma das principais vias do DF contra aumento da passagem.A manifestação durou cerca de meia hora, no horário de pico. A via foi reaberta às 8h30. "Estamos mostrando ao GDF [Governo do Distrito Federal] que essa briga tem mais participação popular e que essas pessoas estão se mostrando indignadas.

Mariana Tokarnia
Repórter da Agência Brasil
foto - ilustração/EBC
Manifestantes que protestavam contra o aumento das passagens de ônibus no Distrito Federal fecharam hoje (10) a Estrada Parque Taguatinga (EPTG), uma das principais vias do DF. Os manifestantes queimaram pneus e estenderam faixas nas quais pediam a gratuidade do transporte.
A manifestação durou cerca de meia hora, no horário de pico. A via foi reaberta às 8h30. "Estamos mostrando ao GDF [Governo do Distrito Federal] que essa briga tem mais participação popular e que essas pessoas estão se mostrando indignadas. Com a participação popular, acredita que consegue derrubar o aumento da tarifa e manter a gratuidade, que é um direito nosso", disse Maria Paiva Lins, uma das representantes do Movimento Passe Livre (MPL).
Segundo a Polícia Militar do DF, não houve conflito e o ato contou com quatro participantes. O movimento não divulgou uma estimativa de participação e divulgou um vídeo que mostra número maior de participantes.
De acordo com a PM, os manifestantes colocaram fogo nos pneus e deixaram o local. Quando os policiais chegaram, não havia ninguém. Foram fechadas as pistas que ligam Taguatinga ao centro de Brasília, as mais movimentadas no horário. A PM disse que, com a ajuda do Corpo de Bombeiros, apagou o fogo e liberou a via.
O governo do Distrito Federal anunciou o aumento da passagem no dia 30 de dezembro. Os preços das passagens passaram de R$ 2,25 para R$ 2,50, de R$ 3 para R$ 3,50 e de R$ 4 para R$ 5, de acordo com o trecho e o modal utilizado, a partir da última segunda-feira (2).
Segundo o governo, o ajuste é necessário para manter benefícios à população. Em 2014, o governo bancava 16,7% das passagens de transporte público no DF com gratuidade. Esse número subiu para 22%, em 2015, e para 27,8%, em 2016. A estimativa é reduzir, em 2017, cerca de R$ 180 milhões em gastos.
O presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal, deputado Joe Valle (PDT), anunciou a convocação extraordinária dos deputados distritais para sessão, no próximo dia 12, para debater o decreto que reajustou as passagens.
"Essa é uma semana definitiva. A gente entende que a reunião pode vir com uma série de imposições e perda de benefícios dos idosos e pessoas com deficiência", disse Maria Lins, integrante do MPL.
Segundo integrantes do movimento, a situação só se resolve com uma mudança total do sistema de transporte público, como ele funciona e com a revogação do aumento. O movimento defende que o transporte deve ser ofertado gratuitamente a toda a população.
Fonte - Agência Brasil  10/01/2017

Sec.de Estado das Cidades de MT negocia com prefeitos isenção de R$ 200 mi em impostos para retomada do VLT de Cuiabá

Transportes sobre trilhos  🚄

As isenções fazem parte da viabilização da retomada das obras.A estimativa é que as isenções alcancem um patamar de R$ 200 milhões nos dois municípios,elas serão importantes para aquecer a economia local

Olhar Direto - RF 
foto - ilustração/arquivo
O secretário de Estado das Cidades, Wilson Santos (PSDB), se reuniu na manhã desta segunda-feira (9) com a prefeita de Várzea Grande, Lucimar Campos (DEM) para negociar uma isenção de impostos e taxas para as obras do Veículo Leve Sobre Trilho (VLT). Ele deverá manter um diálogo em breve com o prefeito de Cuiabá para tratar do mesmo assunto. A estimativa é que as isenções alcancem um patamar de R$ 200 milhões nos dois municípios.
“Estamos na tratativa final quanto a custos definitivos, cronogramas entre outras medidas para que diferentemente do passado, fazermos uma obra com planejamento e um mínimo de mudança”, disse Wilson Santos. As isenções fazem parte da viabilização da retomada das obras. Em entrevista recente ao Olhar Direto, o secretário afirmou que o próprio governador Pedro Taques (PSDB) trabalha nos detalhes finais do acordo entre o Governo e o Consórcio VLT Cuiabá.
A prefeita Lucimar determinou as equipes das Secretarias Municipais, de Governo e de Assuntos Estratégicos estudo de impacto econômico. De posse da análise, ela irá enviar o projeto de lei para isentar as obras do VLT de todos os encargos municipais para apreciação dos vereadores de Várzea Grande.
“As isenções são importantes para aquecer a economia, até mesmo porque iremos recomendar ao Consórcio de Empreiteiras a contratação de mão de obra local e promover a aquisição de produtos e materiais de construção nas lojas de Várzea Grande, girando a economia e potencializando a cidade”, lembrou Lucimar Campos.
Na reunião, Wilson Santos reforçou o interesse de retomar as obras no primeiro semestre e ventilou a possibilidade de concluir as obras no trecho Aeroporto/Porto até o fim de 2017. Ele também discutiu soluções para os problemas de mobilidade criado pela obra, que devem se esmiuçados por órgãos especiais criados para obra.
Fonte - Revista Ferroviária  10/01/2017

Linha Sul do Metrô de Fortaleza tem aumento de 17% no número de passageiros

Transportes sobre trilhos  🚇

No balanço geral de todas as linhas operadas comercialmente pela Cia Cearense de Transportes Metropolitanos, o aumento em 2016 – na comparação com 2015 – foi de 11,4%. Juntas, as linhas Sul e Oeste, e o VLT do Cariri, transportaram em 2015 um total de 6,5 milhões de pessoas. Em todo o ano passado, esse número subiu para 7,7 milhões.

Metrofor
foto - ilustração/arquivo
A Linha Sul do Metrô de Fortaleza encerrou o ano de 2016 com quase 800 mil passageiros a mais, em relação ao ano anterior. De janeiro a dezembro de 2015, foram transportadas 4,6 milhões de pessoas. Em 2016, esse número saltou para 5,4 milhões. O crescimento é de 17%, ou 798,9 mil passageiros a mais.
No balanço geral de todas as linhas operadas comercialmente pela Cia Cearense de Transportes Metropolitanos, o aumento em 2016 – na comparação com 2015 – foi de 11,4%. Juntas, as linhas Sul e Oeste, e o VLT do Cariri, transportaram em 2015 um total de 6,5 milhões de pessoas. Em todo o ano passado, esse número subiu para 7,7 milhões.
Para estes dados são consideradas as linhas que possuem cobrança de tarifa e operam em horário completo, isto é, atendendo à população no período da manhã, tarde e noite. Com 17% de aumento no número de passageiros, a Linha Sul é o trecho que lidera o aumento de passageiros no ano de 2016.
Essa linha interliga o Centro de Fortaleza aos municípios de Pacatuba e Maracanaú, representando uma importante ferramenta de integração e desenvolvimento da Região Metropolitana de Fortaleza. Atualmente, a Linha Sul recebe investimentos do Governo do Ceará para a construção de duas novas estações – que se somarão às 18 que já estão em operação – e para sua automatização, fatores que devem ampliar o ritmo de crescimento do sistema e representar benefícios diretos para os usuários e para toda a cidade.
A Linha Oeste, que possui 10 estações distribuídas em seus 19,5 km de extensão, também registrou aumento de passageiros, saltando de 1,7 milhão em 2015 para 1,8 milhão em 2016. Nesse caso, o aumento foi de 97,4 mil passageiros, ou 5,4% do total.
O crescimento do número passageiros consolida o resultado de uma política de investimentos contínuos no sistema metroviário do Ceará. Somente no ano de 2016, a Cia Cearense de Transportes Metropolitanos conquistou avanços importantes como resultado dos contínuos investimentos, aliados à gestão estratégica do sistema.
Com informações da Metrofor  09/01/2017

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Maior desmatamento desde 2008,a Amazônia perde 7.989 km² de floresta nativa

Meio Ambiente 🌱

Amazônia perde 7.989 km² de floresta,maior desmatamento desde 2008.O desmatamento no período equivale à derrubada de 128 campos de futebol por hora de floresta,segundo a entidade.A maior derrubada ocorreu nas propriedades privadas (35,4%),seguida de assentamentos (28,6%),terras públicas não destinadas e áreas sem informação cadastral (24%),e pelas unidades de conservação,que registraram 12% de todo o desmatamento verificado nos 12 meses analisados.

Heloisa Cristaldo
Repórter da Agência Brasil

Arquivo - Ag.Brasil
Entre agosto de 2015 e julho de 2016 (calendário oficial para medir o desmatamento), a Amazônia perdeu 7.989 quilômetros quadrados (km²) de floresta, a maior taxa desde 2008, segundo levantamento do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam) a partir de dados oficiais divulgados pelo governo federal no fim do ano passado.
O desmatamento no período equivale à derrubada de 128 campos de futebol por hora de floresta, segundo a entidade. O perfil fundiário dos responsáveis pela devastação teve pouca variação em relação aos últimos anos: a maior derrubada ocorreu nas propriedades privadas (35,4%), seguida de assentamentos (28,6%), terras públicas não destinadas e áreas sem informação cadastral (24%), e pelas unidades de conservação, que registraram 12% de todo o desmatamento verificado nos 12 meses analisados.
De acordo com o Panorama do desmatamento da Amazônia 2016,Os estados que registraram maior aumento da taxa de desmatamento foram Amazonas, Acre e Pará, com incremento de 54%, 47% e 41%, respectivamente. Em números absolutos, o estado que mais desmatou foi o Pará, 3.025 km² de floresta a menos; seguido de Mato Grosso, que perdeu de 1.508 km² de vegetação nativa; e Rondônia, com 1.394 km² de derrubadas. Os três estados respondem por 75% do total desmatado em 2016.
Segundo o levantamento do Ipam, o ranking de dez municípios que lideram o desmatamento na Amazônia permanece praticamente inalterado nos últimos anos. Cinco municípios da lista são do Pará: Altamira, São Feliz do Xingu, Novo Repartimento, Portel e Novo Progresso. O ranking também tem dois municípios amazonenses: Lábrea e Apuí; dois de Rondônia: Porto Velho e Nova Mamoré; e um de Mato Grosso: Colniza, que lidera o desmatamento no estado há, pelo menos, quatro anos.
O estudo aponta a necessidade de envolvimento da sociedade no controle do desmatamento “com uma nova estruturação de ações de comando e controle, criação de uma agenda positiva de incentivos à eficiência da produção em áreas já desmatadas e mais apoio para quem mantém seu ativo florestal, bem com participação do mercado e do sistema bancário no controle do desmatamento”.

Histórico
Desde 2004, o desmatamento na Amazônia foi reduzido em mais de 70%, após o segundo pico mais alto da história do monitoramento do bioma, com 27.772 km². De 2009 a 2015, o ritmo da derrubada manteve-se estagnado em um patamar médio de 6.080 km² por ano. Em 2012, foi registrada a taxa de desmatamento mais baixa dos últimos 20 anos na Amazônia, com 4.571 km². No entanto, após essa data, o cenário de desmatamento apresentou sucessivos aumentos e pequenos recuos.
Os dados analisados pelo Ipam são do Projeto de Monitoramento do Desflorestamento na Amazônia Legal (Prodes).
Fonte - Agência Brasil 09/01/2017

Greve no Metrô de Londres

Transportes sobre trilhos  🚇

Greve do metro semeia caos em Londres.Londres teve um início de semana caótico devido a uma greve do metro. A paralisação começou ao fim da tarde de domingo.


Movimento do comércio tem maior queda em 16 anos, diz Serasa

Economia  $

O pior resultado tinha sido em 2002, por causa da crise do racionamento de energia elétrica, quando houve recuo de 4,9%. Os economistas da Serasa explicam que as dificuldades enfrentadas pelos consumidores, como juros altos nos crediários, desemprego em alta e baixa na confiança, impactaram negativamente a atividade varejista.


Fernanda Cruz
Repórter da Agência Brasil

foto - ilustração/arquivo
O movimento dos consumidores nas lojas de todo o país caiu 6,6% no ano de 2016 em relação ao ano de 2015, de acordo com o Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio. Este foi o pior resultado do varejo desde o início do levantamento, realizado há 16 anos.
O pior resultado tinha sido em 2002, por causa da crise do racionamento de energia elétrica, quando houve recuo de 4,9%. Os economistas da Serasa explicam que as dificuldades enfrentadas pelos consumidores, como juros altos nos crediários, desemprego em alta e baixa na confiança, impactaram negativamente a atividade varejista.
A maior retração foi no segmento de veículos, motos e peças, cuja queda foi de 13% frente ao mesmo período do ano passado. A segunda maior queda foi de 12,6%, observada nas lojas de tecidos, vestuário, calçados e acessórios. Houve recuo de 11,1% nas lojas de móveis, eletroeletrônicos e equipamentos de informática.
Retrações menores ocorreram nas lojas de material de construção (-5,4%) e nos supermercados, hipermercados, alimentos e bebidas (-7,0%). Somente o segmento de combustíveis e lubrificantes se manteve no terreno positivo, com alta de 1,8%.
Fonte - Agência Brasil  09/01/2017

Obras nas avenidas Holandeses e Litorânea em São Luis(MA) totalizam investimentos de R$ 160 milhões

Mobilidade 🚌 🚗

O primeiro projeto a ser aprovado,consiste na reestruturação das avenidas Colares Moreira,São Carlos e cerca de 2 km da Avenida Litorânea.A segunda etapa da intervenção,compreende as adequações a serem realizadas na Avenida dos Holandeses,até a praia do Araçagi,além da implantação do transporte tipo BRT.

Da Redação
foto - Handson Chagas/Secap
Os investimentos para melhoria da mobilidade nas avenidas dos Holandeses e na Litorânea, em São Luís, aumentaram para R$ 160 milhões. Além dos R$ 55 milhões obtidos pelo Governo do Maranhão em operação de crédito com a Caixa, em novembro do ano passado, houve aporte de mais R$ 105 milhões em transação também junto a Caixa, no fim de dezembro.
Segundo o presidente da Agência Estadual de Transporte e Mobilidade Urbana (MOB), Arthur Cabral, o financiamento torna possível a realização da intervenção em todas as suas etapas. “Com este pacote, mais os recursos próprios do Governo do Estado, nós vamos concluir todo o projeto até a entrada da Praia do Araçagi, com a implantação do BRT”, disse.
O primeiro projeto a ser aprovado, para o qual foram liberados R$ 55 milhões, consiste na reestruturação das avenidas Colares Moreira, São Carlos e cerca de 2 km da Avenida Litorânea. A segunda etapa da intervenção, para o qual foram destinados os R$ 105 milhões, compreende as adequações a serem realizadas na Avenida dos Holandeses, até a praia do Araçagi, além da implantação do transporte tipo BRT.
A implantação do BRT irá integrar os diversos modais de transporte público, trazendo diversos benefícios para a população. Entre as vantagens do novo modelo, estão mais conforto e segurança para os usuários de transporte nos municípios da Grande Ilha, e a melhoria do fluxo de veículos na região, uma vez que o BRT circula com maior rapidez que o ônibus comum. Cadeirantes e demais usuários com mobilidade reduzida também conseguem acessar essa alternativa de transporte com mais facilidade.

Previsão de início das obras
De acordo com Arthur Cabral, a obtenção dos recursos necessários possibilita o início das obras o mais breve possível. “Acreditamos que, em meados desse semestre de 2017, nós já estejamos dando os primeiros passos para o início dessa importante obra para a mobilidade urbana da ilha de São Luís”, falou o presidente da MOB.
Para dar início às intervenções, a MOB iniciou os processos para contratação das empresas prestadoras de serviço ainda em dezembro, quando lançou o primeiro lote de licitações. A previsão de abertura de propostas do primeiro lote é 25 de janeiro. O segundo lote de licitação também está previsto para ser lançado ainda em janeiro.

Recursos para a infraestrutura
O acréscimo de R$ 105 milhões nas obras de mobilidade urbana faz parte de um pacote de recursos obtidos pelo Governo do Estado junto à Caixa para viabilizar o programa ‘Maranhão Mais Justo e Competitivo – Infraestrutura’. No total, foram aprovados o repasse de mais de R$ 444 milhões, a serem aplicados nas áreas de mobilidade, saneamento, agricultura e segurança.
Com foco em melhorias de infraestrutura e estímulo ao desenvolvimento do estado, o programa ‘Maranhão Mais Justo e Competitivo’ engloba, além da reestruturação das avenidas Holandeses, Litorânea e implantação do BRT, a continuidade dos programas ‘Mais Asfalto’, ‘Água Para Todos’, ‘Pacto Pela Paz’ e o lançamento do programa ‘Caminhos da Produção’.
Com informações da Secap/Gov.Maranhão  09/01/2017

Movimento cresce 12% e CBTU/João Pessoa opera com dois VLTs acoplados para atender demanda

Transportes sobre trilhos  🚄

De acordo com o superintendente da CBTU João Pessoa, Paulo Barreto, o acoplamento dos VLTs é para atender a população nos horários de pico. “Em virtude das férias, muitos passageiros optaram por ir às praias de Cabedelo de trem

CBTU
foto - CBTU
A CBTU João Pessoa registrou um aumento de 12% no número de passageiros transportados no início desse ano, na primeira segunda feira foram quase 10 (dez) mil usuários. Devido a esse crescimento, o Veículo Leve sobre Trilhos, que tem a capacidade para transportar até 600 passageiros por viagem, foi acoplado com outro para atender a grande demanda que ocorre por causa das férias.
De acordo com o superintendente da CBTU João Pessoa, Paulo Barreto, o acoplamento dos VLTs é para atender a população nos horários de pico. “Em virtude das férias, muitos passageiros optaram por ir às praias de Cabedelo de trem.

foto - CBTU
E nada melhor do que ir no do VLT, que é um transporte mais moderno, com ar condicionado e traz todo conforto ao nosso usuário”, revelou Barreto.
A inclusão do VLT na mobilidade urbana da Região Metropolitana de João Pessoa faz parte do processo de modernização da CBTU, que até o presente momento conta com quatro composições. A previsão é que, até 2018, os oito VLTs previstos estejam operando, as estações estejam reformas, a via seja modernizada, os pontos de cruzamentos construídos, e assim, o tempo de espera nas viagens possa diminuir dos atuais 60 minutos em média para 20 minutos.
Fonte - CBTU  09/01/2017

Cautela e caldo de galinha

Ponto de Vista 👷

A recessão é forte e apenas um pudor midiático esconde sua verdadeira face depressiva.O desemprego continua crescente,os salários perdem para a inflação renitente e o colchão social se esgarça.

João Guilherme Vargas Netto - Portogente
foto - ilustração/arquivo
A previsão de um feliz 2017 é muito difícil de ser feita. Se alguém a faz, esconde uma ponta de hipocrisia.
A recessão é forte e apenas um pudor midiático esconde sua verdadeira face depressiva. O desemprego continua crescente, os salários perdem para a inflação renitente e o colchão social se esgarça.
No fim do ano passado o governo anunciou algumas medidas para tentar recauchutá-lo. Refiro-me, por exemplo, ao acesso dos trabalhadores às suas contas inativas do FGTS.
Cada Sindicato deve, independentemente de seu julgamento sobre a intenção do governo e sobre o alcance da medida, ajudar os trabalhadores de sua base (filiados, antigos filiados, não filiados e desempregados) a garantir, com presteza e correção, o benefício.
Leve-se em conta que a alta rotatividade e o período anterior de formalização dos empregos fizeram com que os trabalhadores “rodassem”, dentro e fora de sua categoria original.
Com o quadro recessivo e o previsível esgotamento da capacidade de endividamento dos trabalhadores, a utilização mais provável desses recursos adicionais deve ser, de imediato, o pagamento de dívidas e não a circulação do dinheiro em compras novas.
Registre-se, mais uma vez, que na situação hegemônica da bancolândia e do rentismo, estes setores sempre saem ganhando, mesmo quando o trabalhador é contemplado (algo parecido com o que acontece no crédito consignado).
Mas, um risco adicional assombra os trabalhadores em 2017: o risco da divisão do movimento sindical, que dificultará o êxito de sua resistência nas mobilizações e no Congresso Nacional e poderá oferecer ao barata-voa da política os pretextos para piorar ainda mais as reformas pretendidas – e encaminhadas – pelo governo.
A convicção solitária e a precipitação não serão nunca garantia de nada, muito menos de acerto.
Assim como o povo recomenda para uma mulher recém-parida, recomenda-se para todo dirigente sindical cautela e caldo de galinha, que não fazem mal a ninguém.
*João Guilherme Vargas Netto é analista político e consultor sindical
Fonte - Portogente  09/01/2017