terça-feira, 18 de julho de 2017

Obras de mobilidade urbana contribuem para geração de emprego na Bahia

Mobilidade  🚇 🚄

Os dados foram apresentados pela Companhia Estadual de Transportes da Bahia (CTB) na manhã desta terça-feira (18), durante a reunião do Conselho Estadual Tripartite de Trabalho e Renda (CETER-BA), que abordou os reflexos dos investimentos do Governo Estado em mobilidade urbana na geração de emprego. 

Da Redação
foto - ilustração/arquivo
As obras do Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas geraram 8 mil vagas de trabalho no período de pico. A operação do metrô, por sua vez, emprega atualmente cerca de 1.200 trabalhadores. Os dados foram apresentados pela Companhia Estadual de Transportes da Bahia (CTB) na manhã desta terça-feira (18), durante a reunião do Conselho Estadual Tripartite de Trabalho e Renda (CETER-BA), que abordou os reflexos dos investimentos do Governo Estado em mobilidade urbana na geração de emprego.
Presidente do conselho, a secretária do Trabalho, Emprego e Renda, Olívia Santana, destacou que o debate faz parte da estratégia de levar aos conselheiros informações qualificadas sobre as principais ações do Governo do Estado. Na reunião anterior, o tema foi a política de desenvolvimento econômico da Bahia.
“Dessa vez, propomos uma discussão sobre mobilidade urbana, abordando os impactos imediatos e as perspectivas em longo prazo das intervenções que estão sendo realizadas em Salvador. É uma matéria que diz respeito à vocação do próprio conselho, composto por representantes do governo, dos trabalhadores e do segmento empresarial, pois são obras estruturantes que trazem oportunidades de geração de emprego e renda e novas perspectivas de negócios”, explica.
Atualmente, 21km de extensão do metrô já estão em funcionamento, atendendo uma média de 120 mil passageiros por dia. Depois de pronto, o Sistema Metroviário ligará as duas principais saídas da capital baiana: por Lauro de Freitas e pela BR-324. Serão quase 42 quilômetros de extensão, com um raio de abrangência que atingirá todo o miolo da cidade, envolvendo os bairros nos entornos da Avenida Paralela e da BR-324.

imagem - ilustração/arquivo
VLT
Além da obra do metrô, o encontro também discutiu a implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) que irá substituir o trem do subúrbio. Com um investimento inicial de R$ 1,55 bilhões do Governo do Estado, o VLT vai ligar a região da Avenida São Luís, em Paripe, ao Comércio. A obra está em fase de licitação e, quando iniciada, deve oferecer cerca de 4 mil postos de trabalho. Estima-se que em funcionamento, o VLT vai empregar mais de 500 profissionais. Já estão sendo desenvolvidos estudos para implantação do VLT Metropolitano que vai atender os municípios de Simões Filho, Camaçari, Dias D’Ávila e Candeias.
Para o presidente da CTB, Eduardo Copello, esse conjunto de ações faz parte da decisão do Governo de utilizar o transporte como indutor de desenvolvimento. “Todas essas obras de mobilidade urbana têm um impacto enorme na vida das pessoas e na economia, gerando empregos diretos e indiretos, ganhos de produtividade, valorização imobiliária, e novas centralidades no entorno das estações, com a instalação de empresas e empreendimentos comerciais”, destacou.
Com informações da Setre Ba.   18/07/2017

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua visita,ajude-nos na divulgação desse Blog
Cidadania não é só um estado de "direito",é também um estado de "espírito"