quinta-feira, 1 de junho de 2017

Sistema Ferroviário do Subúrbio de Salvador tem manutenção cotidiana

Transportes sobre trilhos  🚃

O Sistema Ferroviário do Subúrbio é muito antigo. Todos os trens possuem fabricação superior a 50 anos, e as peças de reposição não são mais encontradas no mercado, tornando ainda mais difícil o processo de manutenção dos trens.Uma nova solução para a mobilidade na região do Subúrbio,será a implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) em substituição aos antigos trens atualmente em operação, ampliando a oferta de viagens inclusive para as novas estações do Comércio e da avenida São Luiz.

Da Redação
foto - ilustração/Pregopontocom
A Companhia de Transportes da Bahia (CTB) realiza, cotidianamente, a manutenção do Sistema Ferroviário do Subúrbio de Salvador. Mas as chuvas dos últimos dias tem dificultado a ação dos operadores.
O Sistema Ferroviário do Subúrbio é muito antigo. Todos os trens possuem fabricação superior a 50 anos, e as peças de reposição não são mais encontradas no mercado, tornando ainda mais difícil o processo de manutenção dos trens.
Após a transferência do sistema, do município de Salvador para o Estado, em maio de 2013, foram realizados estudos e planejamentos, propondo uma nova solução para a mobilidade na região do Subúrbio, com a implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) em substituição ao Trem do Subúrbio e ampliando a oferta para o Comércio e avenida São Luiz.
Neste novo cenário, os antigos trens serão desativados para dar lugar ao moderno VLT, em condições de atender com segurança, qualidade e rapidez às necessidades de mobilidade na região.
O aviso de licitação para implantação e operação do VLT já foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE). O edital de Concessão nº 01/2017 define o dia 30 de junho como prazo final para as empresas entregarem as propostas.

VLT

O VLT terá cerca de 19 quilômetros de extensão e 21 paradas. Estão previstas intervenções em duas fases. A primeira, entre o Comércio e Plataforma, tem 9,4 quilômetros. A segunda, entre Plataforma e São Luiz, com 9 quilômetros. Atualmente, a malha ferroviária que liga Paripe à Calçada é de 13,6 quilômetros.
O sistema atual opera com trens de 40 em 40 minutos e, futuramente, com o VLT, a disponibilidade será de 10 em 10 minutos. Em horário de pico, ele vai operar até com intervalos menores. O tempo de viagem também vai mudar. Hoje, da Calçada até Paripe, leva-se 35 minutos. Com a substituição, este mesmo tempo será utilizado para fazer uma viagem mais longa, entre o Comércio e a região de São Luiz. Ou seja, será ampliada a velocidade e as possibilidades para a população.
Além da modernidade, segurança, rapidez e conforto, o VLT possibilitará requalificação urbana para toda a região do Subúrbio, Calçada e Comércio.
Com informações da Sedur  01/06/2017

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua visita,ajude-nos na divulgação desse Blog
Cidadania não é só um estado de "direito",é também um estado de "espírito"