terça-feira, 27 de junho de 2017

Dois de Julho é tema de exposição na Estação Pirajá do Metrô

Cultura   💂

A exposição é composta por 20 painéis que contam a história da data magna da Bahia, por meio de fotos e postais do acervo do Museu Tempostal do Ipac; e referências do livro ‘História da Bahia’, do historiador baiano Luís Henrique Dias Tavares. O público vai conhecer mais sobre os acontecimentos e roteiro que reúne localidades como o bairro de Pirajá, antiga estrada das Boiadas, atual Avenida Lima e Silva, e da Lapinha.

Da Redação
foto - Acervo Tempostal / Secom
O 2 de Julho, data da entrada triunfal das tropas libertadoras brasileiras na tomada da capital baiana dos portugueses, em 1823, é o tema da nova exposição que a Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (Dimus/PAC), unidade da Secretaria de Cultura do Estado (Secult), em parceria com a CCR Metrô Bahia, apresenta ao público na Estação Pirajá do Metrô. A mostra ‘Salve o Dois de Julho: Memórias da Independência da Bahia’ fica em cartaz de 1º a 9 de julho.
A exposição é composta por 20 painéis que contam a história da data magna da Bahia, por meio de fotos e postais do acervo do Museu Tempostal do Ipac; e referências do livro ‘História da Bahia’, do historiador baiano Luís Henrique Dias Tavares. O público vai conhecer mais sobre os acontecimentos e roteiro que reúne localidades como o bairro de Pirajá, antiga estrada das Boiadas,atual Avenida Lima e Silva,e da Lapinha.
Um dos destaques é o bairro de Pirajá, um dos mais antigos de Salvador. Surgido a partir de engenhos de açúcar e das missões jesuíticas instaladas na Bahia no período da colonização, o bairro foi palco da principal batalha travada entre os soldados brasileiros e o exército português. A batalha aconteceu em 8 de novembro de 1822, durou oito horas e envolveu cerca de quatro mil homens na área de Cabrito – Campinas – Pirajá, sendo considerada a mais alta demonstração da resistência brasileira ao longo da campanha militar pela independência.
A parceria com a CCR Metrô Bahia buscou estimular a política pública para os museus. "É fundamental mostrar os ricos acervos dos museus do Ipac em outros locais e convidar a população a conhecê-los", explica o diretor do instituto, João Carlos. Segundo ele, o Cortejo 2 de Julho é Patrimônio da Bahia por Decreto 10.179/06 e via dossiê do Ipac. “Os bens culturais imateriais, como o ‘2 de Julho’ asseguram a memória de um povo, sua história e cultura”.
“A concessionária apoia parcerias como a do Ipac para mostrar de perto a diversidade cultural nas estações do Metrô. São projetos educativos e culturais, que contribuem para o desenvolvimento sociocultural, econômico e sustentável das regiões onde atuamos, incentivando ainda o exercício da cidadania”, afirma o gestor de Atendimento da CCR Metrô Bahia, Hamilton Trindade. Leia mais no site da Dimus/Ipac.
Com informações da Secom Ba.  27/06/2017

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua visita,ajude-nos na divulgação desse Blog
Cidadania não é só um estado de "direito",é também um estado de "espírito"