quarta-feira, 5 de abril de 2017

Justiça mantém contrato do VLT suspenso em MT

Transportes sobre trilhos  🚄

O pedido foi formulado para que o novo acordo entre as partes seja analisado pelo Ministério Público Estadual e Ministério Público Federal. Na segunda-feira (3), o governo anunciou o novo acordo para a retomada da obra já no próximo mês.

FolhaMax - RF
foto - ilustração/arquivo
O juiz Federal da 1ª Vara de Mato Grosso, Ciro José de Andrade Arapiraca, determinou a prorrogação da suspensão do contrato entre o Governo do Estado e o Consórcio VLT por mais 30 dias. A decisão foi proferida nesta terça-feira (4) e atende a um pedido do próprio Governo e do Consórcio VLT.
O pedido foi formulado para que o novo acordo entre as partes seja analisado pelo Ministério Público Estadual e Ministério Público Federal. Na segunda-feira (3), o governo anunciou o novo acordo para a retomada da obra já no próximo mês.
Para isso, o Estado será responsável pelo pagamento R$ 922 milhões para a conclusão integral da implantação do modal. A obra já custou R$ 1 bilhão e o novo acordo precisa ser homologado pela Justiça.
Diante do cenário, o juiz entendeu pela necessidade de que, tanto que o Ministério Público Estadual e o Ministério Público Federal confiram “a completa eficácia ao acordo entabulado entre as partes”. “Defiro o pedido de prorrogação da suspensão do presente processo e do Contrato Administrativo nº 037/SECOPA/2012 e seus aditivos, pelo prazo de 30 (trinta) dias, contados a partir do primeiro dia útil seguinte à publicação da presente decisão”, diz trecho da decisão.
Conforme o cronograma do novo acordo, a entrega da primeira etapa está prevista para março de 2018, no trecho entre o aeroporto de Várzea Grande até a estação do Porto, em Cuiabá. Até dezembro de 2018 deverá entrar em funcionamento todo o trecho da linha 1, num total de 15 quilômetros, entre o aeroporto de Várzea Grande e o Terminal do Comando Geral, em Cuiabá.
Já a linha 2, que compreende o trecho de 7,2 km entre a avenida Tenente Coronel Duarte (Prainha) e o Parque Ohara, no Coxipó, será entregue até maio de 2019.
Fonte - Revista Ferroviária  05/04/2017

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua visita,ajude-nos na divulgação desse Blog
Cidadania não é só um estado de "direito",é também um estado de "espírito"