quarta-feira, 8 de março de 2017

Casa Castro Alves estreia espetáculo em homenagem às mulheres

Cultura  🎦

As apresentações seguem em cartaz até 25 de março (nos dias 9, 10, 11, 17, 18, 24 e 25), sempre às 17h. A ideia contribui ainda para reflexão sobre performance de gênero, no calendário de atos políticos e artísticos pelo Dia Internacional da Mulher. A iniciativa tem apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, via Edital de Teatro da Fundação Cultural (Funceb), Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia.

Da Redação
foto -  Mariana David/Ascom TCA
O espetáculo Loucas do Riacho estreia na quinta-feira (9), às 17h, na Casa de Castro Alves (Rua do Passo, 52, Carmo), no Centro Histórico de Salvador. A apresentação une reflexões sobre a representação da loucura, a performatividade de gênero e a simbologia da água. As apresentações seguem em cartaz até 25 de março (nos dias 9, 10, 11, 17, 18, 24 e 25), sempre às 17h. A ideia contribui ainda para reflexão sobre performance de gênero, no calendário de atos políticos e artísticos pelo Dia Internacional da Mulher. A iniciativa tem apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, via Edital de Teatro da Fundação Cultural (Funceb), Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia.
No espetáculo, seis atrizes-dançarinas e um ator-dançarino dramatizam os fluxos de um rio e o público se vê convidado a mergulhar nessas águas, onde as dimensões de arte e ritual se aproximam. A direção e concepção é de Raiça Bomfim, com realização da Gameleira Artes Integradas. Segundo Raiça, o espetáculo é desdobramento de outro, intitulado Ofélia – Sete Saltos para se Afogar. “Agora ampliamos para outros corpos e vozes a ideia da transfiguração da personagem da tragédia Hamlet de Shakespeare”. Ela fez ainda os Estudos para Ofélia, a performance Cidade Afogada e o livro Manual de Afogamento.
A casa Castro Alvez onde acontece a atração recebeu apoio financeiro via Edital do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (Ipac), em 2009. A casa foi batizada pela sua proprietária, a estilista Márcia Ganem, com o nome do poeta baiano Castro Alves (1847-1871), que residiu dos sete aos dez anos na edificação. O Ipac e a Funceb são vinculados à Secult. Ambas as iniciativas têm apoio do Projeto ‘Dei Valor!’, do Instituto. “A nossa intenção é dar visibilidade e disseminar as práticas e ocupações bem-sucedidas de imóveis no Centro Histórico”, ressalta o diretor geral do Ipac, João Carlos de Oliveira. A Casa de Castro Alves é um empreendimento de Márcia Ganem inaugurado em 2013. O casarão do século XIX passou por serviços de acabamento, colocação de piso e pintura, com recursos do Edital de Patrimônio do Ipac.
Com informações da Secom Ba.  08/03/2017

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua visita,ajude-nos na divulgação desse Blog
Cidadania não é só um estado de "direito",é também um estado de "espírito"