domingo, 1 de janeiro de 2017

Sihs obtém R$ 2,8 mi para recuperar nascentes na RMS

Infraestrutura Hídrica  🌊

Recuperar a vegetação nativa no entorno das nascentes e das áreas marginais dos rios, contribuintes diretos dos reservatórios responsáveis pelo abastecimento de água da Região Metropolitana de Salvador, com o propósito de ampliar a oferta de água para essa região, tida como de alta criticidade hídrica, é o objetivo maior do Governo do Estado

Da Redação
foto - ilustração Rio Paraguassú /nascente
barradaestiva
Um total de 2,83 milhões foi liberado pelo Fundo Nacional do Meio Ambiente (FNMA) para a Secretaria de Infraestrutura Hídrica e Saneamento (Sihs), por meio da diretoria de Revitalização de Bacias, para a recuperação de florestas que margeiam nascentes nas bacias dos rios Paraguaçu, Subaé e Pojuca, áreas de preservação permanentes (APPs) na Região Metropolitana de Salvador (RMS), que contribuem para o abastecimento de água de cerca de 4 milhões de habitantes.
“Recuperar a vegetação nativa no entorno das nascentes e das áreas marginais dos rios, contribuintes diretos dos reservatórios responsáveis pelo abastecimento de água da Região Metropolitana de Salvador, com o propósito de ampliar a oferta de água para essa região, tida como de alta criticidade hídrica, é o objetivo maior do Governo do Estado”, destaca o secretário de Infraestrutura Hídrica e Saneamento, Cássio Peixoto. Ele acrescenta que somente a bacia do rio Paraguaçu, uma das beneficiadas pelo projeto, com 614 quilômetros de extensão, responde por cerca de 60% do total do abastecimento de água na Grande Salvador, o que corresponde a 2,3 milhões de baianos em 86 municípios.
A Sihs implementará ainda um plano para o pagamento por serviços ambientais, no modelo Produtores de Água, que envolverá a população local na recuperação dos mananciais, gerando emprego e renda. “Afinal, além das nascentes e das áreas que margeiam os corpos d´água, o projeto contribui também para preservar a estabilidade geológica, a biodiversidade, o fluxo gênico de fauna e flora, proteger o solo, manter e ampliar a beleza cênica das paisagens”, complementa o titular da Sihs. Os resultados práticos do projeto serão monitorados pela Agência Nacional de Águas (ANA).
Os recursos são resultado da parceria com o Fundo Clima, o Fundo Nacional de Desenvolvimento Florestal, o Fundo Socioambiental Caixa, o Fundo de Defesa dos Direitos Difusos/Ministério da Justiça e a Agência Nacional de Águas. Em junho, foi assinado ainda acordo de cooperação financeira entre a Embasa e a Caixa Econômica Federal, com interveniência da Sihs, no valor de R$ 3,2 milhões, para a reabilitação florestal de áreas de preservação permanente (APPs) e nascentes dos rios Joanes e Jacuípe.
Com informações da Secom Ba.  01/01/2017  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua visita,ajude-nos na divulgação desse Blog
Cidadania não é só um estado de "direito",é também um estado de "espírito"