sábado, 26 de novembro de 2016

Salvador sedia ato público contra a intolerância religiosa

Direitos Humanos  👫

Participam do ato contra a intolerância religiosa, lideranças do movimento negro e de mulheres, blocos afro, afoxés, povos de terreiro e demais representantes da sociedade civil e do poder público. A iniciativa é do terreiro Abassá de Ogum e do Conselho de Desenvolvimento da Comunidade Negra (CDCN), com o apoio da Rede de Combate ao Racismo e à Intolerância Religiosa, da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial do Estado (Sepromi) e do Comitê Interreligioso da Bahia (Cirb).

Da Redação
foto - ilustração
Na Bahia, segundo informações do Centro de Referência de Combate ao Racismo e à Intolerância Religiosa Nelson Mandela, este ano foram registrados 169 casos de violação de direitos nesta área, sendo 117 de racismo e 52 de intolerância religiosa. Com o propósito de chamar a atenção para o problema, será realizado na manhã desta segunda-feira (28), como ação integrante do Novembro Negro, um ato público no espaço onde está instalado busto de Mãe Gilda, que foi alvo de vandalismo no mês de maio, após dois anos de instalação no Parque do Abaeté.
Participam do ato contra a intolerância religiosa, lideranças do movimento negro e de mulheres, blocos afro, afoxés, povos de terreiro e demais representantes da sociedade civil e do poder público. A iniciativa é do terreiro Abassá de Ogum e do Conselho de Desenvolvimento da Comunidade Negra (CDCN), com o apoio da Rede de Combate ao Racismo e à Intolerância Religiosa, da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial do Estado (Sepromi) e do Comitê Interreligioso da Bahia (Cirb).
A yalorixá Gildásia dos Santos, a Mãe Gilda, se tornou símbolo de resistência pela afirmação das religiões de matriz africana. O caso da liderança é um dos mais emblemáticos na luta contra o racismo e o ódio religioso no País. Após ter sua imagem maculada e o terreiro (Ilê Axé Abassá de Ogum, em Salvador) invadido e depredado por representantes de outra religião, a sacerdotisa teve agravamentos de problemas de saúde e faleceu em 21 de janeiro de 2000.
O ato repercutiu amplamente, resultando em projetos de lei na esfera municipal e, em seguida, sendo reconhecido na esfera federal pelo então presidente Lula que, em 2007, sancionou o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, fazendo da data um marco para fomentar o debate acerca do respeito às diferentes crenças e à liberdade de culto.
Com informações da Secom Ba.  26/11/2016

Banco dos BRICS planeja emprestar US$ 2,5 bilhões em 2017

Economia $

Pelo menos 15 projetos foram aprovados e serão financiados com até US$2,5 bi no ano que vem pelo Novo Banco de Desenvolvimento (NBD) dos BRICS.

Sputnik
foto - ilustração;arquivo
A declaração foi dada pelo vice-presidente do NBD, Zhu Xian. O grupo é composto pelo Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. Esta semana, a comissão de diretores do NBD anunciou a aprovação de empréstimos a dois novos projetos na China e na Índia. Um projeto de energia eólica costeira, localizado na baía de Pinghai, da cidade de Putian, Província de Fujian, leste da China, receberá um empréstimo de US$ 280 milhões, de acordo com a agência de notícias Xinhua. Já na Índia, serão US$ 350 milhões para um projeto de estradas em Madhya Pradesh. "Esperamos financiar os projetos que são criativos e podem trazer benefícios às pessoas locais e ao meio ambiente, tais como os dois recentemente aprovados", disse Zhu. Em 2016, o banco aprovou US$ 1,5 bilhão de empréstimos para sete projetos. O NBD foi inaugurado formalmente em julho do ano passado em Xangai, na China.
Fonte - Sputnik  26/11/2016

Laranja é o alimento com maior risco de contaminação por agrotóxico, diz Anvisa

Saúde 🍑

Entre 2013 e 2015, o programa avaliou mais de 12 mil amostras de alimentos em todos os estados brasileiros, além do Distrito Federal. Foram avaliados cereais, leguminosas, frutas, hortaliças e raízes, totalizando 25 tipos de alimentos. O critério de escolha foi o fato dos itens representarem mais de 70% dos alimentos de origem vegetal consumidos pela população brasileira.

Maiana Diniz
Repórter da Agência Brasil

foto - ilustração
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou nesta sexta-feira eo rlatório do Programa de Análises de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos (PARA), que conclui que quase 99% das amostras dos alimentos analisados estão livres de resíduos de agrotóxicos que apresentam “risco agudo” para a saúde. O risco agudo está relacionado às intoxicações que podem ocorrer dentro de um período de 24 horas após o consumo do alimento que contenha resíduos.
Entre 2013 e 2015, o programa avaliou mais de 12 mil amostras de alimentos em todos os estados brasileiros, além do Distrito Federal. Foram avaliados cereais, leguminosas, frutas, hortaliças e raízes, totalizando 25 tipos de alimentos. O critério de escolha foi o fato dos itens representarem mais de 70% dos alimentos de origem vegetal consumidos pela população brasileira.
Entre os alimentos mais consumidos pela população, as laranjas apresentaram o maior risco de contaminação por agrotóxico. Das 744 amostras, 684 foram consideradas satisfatórias e 141 não apresentaram resíduos. O maior risco associado a laranjas está relacionado ao agrotóxico carbofurano, atualmente em processo de reavaliação na Anvisa. Das amostras avaliadas, 11% apresentaram situações de risco relativas ao carbofurano.

Divulgação Anvisa
O documento registra que o abacaxi também merece atenção. Pelo menos 5% das amostras da fruta apresentaram potencial de risco relacionado ao agrotóxico carbendazim.
Nos demais produtos, como mamão, feijão, abobrinha, pimentão, tomate e morango, o risco agudo verificado foi considerado aceitável em mais de 99% das amostras.
Segundo a Anvisa, apesar de as irregularidades apontadas no levantamento “não representarem risco apreciável à saúde do consumidor do ponto de vista agudo, podem aumentar os riscos ao agricultor, caso ele utilize agrotóxicos em desacordo com as recomendações de uso autorizadas pelos órgãos competentes”.
Iniciado em 2001, o programa PARA é coordenado pela Anvisa em conjunto com as vigilâncias sanitárias de estados e municípios e com os Laboratórios Centrais de Saúde Pública. O objetivo do programa é avaliar os níveis de resíduos de agrotóxicos nos alimentos que chegam aos consumidores.
Os resultados do relatório são um ponto de partida para que a Anvisa adote ações mitigatórias como fiscalização, restrições de uso do agrotóxico no campo, entre outras medidas.
Fonte - Agência  Brasil 26/11/2016

Fidel: Tu estrella roja nos seguirá iluminando

Internacional

Sus ideas revolucionarias y socialistas, su ejemplo de combatiente y estratega, su incomparable sapiencia a la hora de emprender las más difíciles luchas. Siempre Fidel estaba presente, con su uniforme verde oliva, con su fusil levantado en alto, empuñado con vigor y dispuesto a seguir siempre pa’lante.

Carlos Aznárez.
Hasta la victoria siempre
Fidel se nos ha ido de pronto, y ya lo estamos extrañando, porque nada será igual sin él. Creíamos, muchas veces lo pensamos en los rincones más inhóspitos de las cárceles, en las cloacas de las peores torturas, o en los días más difíciles de nuestras luchas, que Fidel estaba con nosotros, alentándonos, acompañando las peores dificultades. Sus ideas revolucionarias y socialistas, su ejemplo de combatiente y estratega, su incomparable sapiencia a la hora de emprender las más difíciles luchas. Siempre Fidel estaba presente, con su uniforme verde oliva, con su fusil levantado en alto, empuñado con vigor y dispuesto a seguir siempre pa’lante.
Fidel, la estrella más roja del mapa latinoamericano y caribeño, esa enorme figura que supo hacer de la Revolución una posibilidad no lejana y a la vez logró transmitir esperanzas para que otros y otras en cualquier rincón del mundo pudieran alzarse contra las injusticias. Ese gigantesco corazón sensible en el que han cabido todas las tristezas de los más necesitados y también las alegrías por las pequeñas y grandes victorias conquistadas. En Fidel, digo, y en su forma de generar conciencia, formación, coraje y toda la audacia necesaria para conquistar el poder y no servirse del mismo, están concentrados todos los anhelos de quienes jamás se habrán de dar por vencidos en la lucha por un mundo diferente. Socialista, sin más aditamentos, al decir y el hacer del Comandante.
Justamente ahora, que la situación internacional no parece la más favorable para los pueblos y hay dudas sobre el futuro que le espera a la Humanidad, vale la pena buscar respuestas a la existencia de este inagotable referente del campo revolucionario que sigue dando lecciones de sabiduría y humildad.
Se ha marchado el hombre y el combatiente que se dio cuenta enseguida que todas las teorías del mundo no son suficientes si no se ejerce una práctica audaz e inteligente contra el autoritarismo, y junto con un puñado de valientes asaltó el Moncada, abriendo así un sendero que no se detendría más hasta la toma del poder, una meta imprescindible si se quiere hacer una Revolución con mayúsculas.Pero qué decir de ese Fidel, que con Raúl, el Che y otros tantos patriotas desembarcó del Granma, y cuando todo parecía venirse abajo, entre cadáveres de sus mejores hermanos y las balas del enemigo, contó los fusiles y se repitió varias veces, como para que lo oyeran los esbirros de la dictadura batistiana, que con esa decena de hombres que quedaban en pie, ganarían la batalla.
Ya no tendremos a ese hombre junto a nuestras luchas, a ese Fidel de la Sierra Maestra, el que rodeado de Raúl, el Che y Camilo fue capaz de cometer las más increíbles hazañas. Allí, en aquellas montañas victoriosas, apareció con toda claridad el Fidel combatiente, el estratega militar capaz de convertir en triunfo aplastante lo que minutos antes iba camino a convertirse en derrota, el Fidel compañero de sus compañeros, severo cuando se trataba de hacer que se cumplan sus órdenes, sabedor de que cualquier duda en un combate tan desigual como el que libraban, podía hacer capotar el proyecto revolucionario.
Pero también supimos en esos pocos años de batalla directa contra la soldadesca de Batista, de ese Fidel que respetaba la vida de sus enemigos una vez que eran capturados en combate, marcando de esa forma un territorio de humanidad, que en varias ocasiones provocó deserciones masivas entre los uniformados del régimen, y generó las bases para que pocos miles de rebeldes vencieran a un ejército regular y bien equipado de cien mil soldados, que contaban con tanques, aviones bombarderos, y la ayuda internacional de los imperios yanqui e inglés.
Después, cuando los barbudos felizmente marcharon victoriosos hacia La Habana, en aquellos días memorables del 59, comenzó a desarrollarse la vida de un Fidel que terminó asombrando al mundo. Revolucionario hasta la médula, liberó a su pueblo de la opresión y de la cultura gringa que lo asfixiaba, expropió y nacionalizó todo lo que antes era de cuatro magnates subordinados a la mafia norteamericana, y ejerció el internacionalismo con la misma potencia que antes había desarrollado para derrotar al tirano.
Codo a codo con el Che, no dudó de emprender una prolongada marcha para conquistar la por ahora pendiente segunda Independencia latinoamericana. Venció al Apartheid sudafricano, ayudó a liberar Angola, abrazó a Salvador Allende y apretó los puños de rabia, como pocos, cuando se enteró que su hermano Guevara caía en combate en Ñancahuazu.
Cuántos rebeldes del continente se siente enormemente agradecidos por lo que hizo Cuba por ellos, cuántos luchadores por el socialismo no hubieran podido gestar múltiples hazañas en sus países sin la decisión solidaria y comprometida de Fidel y sus compañeros. La lista es extensa y a través de ella, Cuba y su Revolución fueron escribiendo páginas de dignidad imposibles de olvidar.
En esos años y en los venideros, Fidel debió multiplicarse, para que la Isla no se hundiera tras la caída del bloque socialista, para intervenir con clarividencia en temas de deuda externa, anunciando antes que ninguno, que la misma era impagable por ilegítima. También propuso soluciones para cuidar y defender el medio ambiente, o encarar gigantescas iniciativas en temas de educación y salud para su pueblo, que luego fueron y son derivadas de manera solidaria hacia el resto del mundo.
Sin embargo, la madre de toda las batallas fue la que libró Fidel, abrazado con su pueblo, contra el criminal bloqueo imperialista.
Medio siglo de obligadas carencias, que fueron derrotadas a punta de digno coraje y la convicción de que a las revoluciones verdaderas se le oponen miles de escollos. Para que semejante agresión no pueda salir airosa, Fidel lo repitió siempre, la medicina es tener conciencia revolucionaria y convicción de que se libra una batalla justa, forjar una inmensa unidad de los de abajo, y sacrificarse hasta las lágrimas.
“Después de Dios, Fidel”, dijo emocionado un agradecido ciudadano de Haití, al defender las misiones médicas y alfabetizadoras que el gobierno cubano derramó por todo el mundo, llegando allí donde nadie se atrevía. Eso es lo que en estos días todos los que agradecemos su necesaria vigencia tenemos la obligación de recordar cuando nombramos a Fidel. Nunca, pero nunca, nos falló.
Lo decimos desde la constatación de saber en que clase de mundo vivimos, donde la felonía, la corruptela, el transfuguismo y la claudicación se han convertido en moneda corriente. Frente a esas lacras, Fidel, Cuba, su pueblo, la vieja guardia y las jóvenes generaciones revolucionarias, siempre han mostrado que se puede. Que con voluntad política y conciencia revolucionaria no hay enemigo invencible.
Nuestro querido Comandante en jefe ya no estará para alumbrar nuevos amaneceres, pero sus ideas, que nadie tenga duda, permanecerán intactas para impulsarnos a no bajar los brazos. Como buen “caballo” y merecedor de ese apodo cariñoso impuesto por el pueblo de Cuba, Fidel seguirá galopando hacia el futuro. Y lo hará, ahora que ese enemigo al que le soportó la mirada, a pesar de tenerlo a sólo 90 millas, simula acercarse y “flexibilizar relaciones” para seguir apretando la soga de formas diversas. Ahora que ya no tenemos tampoco a Hugo Chávez, su mejor amigo, hijo, hermano, compañero, ahora que el Imperio se lanza a la ofensiva en lo que sigue considerando su “patio trasero” y Cuba se nos aparece, como siempre, intacta, inabordable por sus enemigos que son los nuestros, ahora, cuando las reflexiones de Fidel en defensa de la vida contra la muerte son más que necesarias, es momento de detener la marcha por un instante, y reconocerle a este hombre excepcional todos sus méritos.
Por eso, cuando las dificultades nos apabullen, cuando creamos que nos estamos quedando sin fuerzas, cuando a veces nos falten respuestas, cuando la confusión reinante nos haga dudar sobre quien realmente es el enemigo, en esos momentos de oscuridad y desazón, volvamos a Fidel, a sus ideas, a su ética, a su audacia, a su coraje, a su lógica revolucionaria y empinémonos nuevamente en la maravillosA aventura de querer tomar los cielos por asalto.
Un poco desolados, otro poco mordiendo nuestro propio dolor, pero jamás vencidos, te decimos querido Comandante, que te evocaremos cuando escuchemos el viejo tema de Carlos Puebla, ese que habla de que “mandastes a parar” y lo cantaremos una y otra vez, para darnos fuerza, para tragarnos las lágrimas, y consultarte a cada momento: ¿Vamos bien, Fidel?
Fonte - Isla Mia  26/11/2016

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Inaugurada pavimentação de trecho da BA 001 em Valença

Infraestrutura  🚙

O governador Rui Costa, acompanhado do titular da Seinfra, Marcus Cavalcanti, entre outras autoridades, esteve no município para inaugurar a obra e também assinar três convênios do programa Bahia Produtiva, beneficiando 72 famílias da região. Foram aplicados recursos da ordem de R$ 2 milhões na pavimentação em Concreto Betuminado Usinado a Quente (CBUQ).

Ra Redação
foto - Mateus Pereira/GOVBA)
Com aproximadamente 100 mil habitantes, o município de Valença, no Baixo Sul baiano, recebeu melhorias na área de mobilidade urbana. O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Infraestrutura (Seinfra), pavimentou o trecho de 4,4 quilômetros da BA 001, na passagem urbana da cidade, que, além das belezas naturais, é ponto de partida para outras praias da região.
O governador Rui Costa, acompanhado do titular da Seinfra, Marcus Cavalcanti, entre outras autoridades, esteve no município para inaugurar a obra e também assinar três convênios do programa Bahia Produtiva, beneficiando 72 famílias da região. Foram aplicados recursos da ordem de R$ 2 milhões na pavimentação em Concreto Betuminado Usinado a Quente (CBUQ). “Essa pavimentação vai requalificar a passagem urbana da cidade de Valença, melhorando a vida de quem mora e passa pelo local”, afirmou o governador.
O investimento beneficiou turistas, motoristas, moradores e também comerciantes.Além disso a pavimentação evita acidentes.

Bahia Produtiva

Ainda em Valença, Rui Costa autorizou a Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), por meio da Companhia de Ação Regional (CAR), a celebrar três convênios do programa Bahia Produtiva, totalizando cerca de R$ 955 mil. "Esse investimento reforça experiências como a que vem acontecendo aqui em Valença e tem dado muito certo. Toda sexta-feira, os agricultores promovem uma feira para comercializar seus produtos. Ganham eles, ganha a cidade e ganha a economia da região".
A Associação de Pequenos Agricultores do Canta Galo será beneficiada com assistência técnica e aquisição de um kit pós colheita do cacau. A Central das Associações da Agricultura Familiar de Valença e Baixo Sul, além de assistência técnica, poderá adquirir um veículo utilitário, equipamentos de cozinha comunitária e barracas desmontáveis para feira. Já a Associação dos Pescadores, Marisqueiras e Maricultores de Maricoabo também terão assistência técnica e um kit agroindústria para beneficiar o pescado.
A presidente da associação com sede em Maricoabo, Antônia de Jesus Santos, explicou que a implantação da unidade de beneficiamento de peixe e mariscos, além de agregar valor à produção, vai garantir renda às famílias em diferentes épocas do ano. "Precisamos de uma qualidade para repassar o marisco para mercados e qualquer outro local que a gente venda. Precisamos do selo de qualidade do beneficiamento e ainda não temos. Queremos fazer coxinha e derivados do pescado".
O evento com a participação do governador foi realizado no pátio do prédio onde funciona o Serviço Territorial de Apoio à Agricultura Familiar (Setaf), da SDR, e o Centro Regional de Ensino Médio com Intermediação Tecnológica (CEMIT/Baixo Sul). No local, que no passado funcionou a Escola Estadual Lomanto Júnior, todas as sextas-feiras é realizada a Feira de Economia Solidária e da Agricultura Familiar. Dona Maria de Fátima Conceição, artesã da Associação Beneficente de Pesca e Agricultura de Ituberá, participa da feira comercializando objetos de decoração, itens de cozinha e artesanato feitos com piaçava de palha da costa. "É importante a gente divulgar o nosso trabalho. Todo mundo em conjunto vai divulgando o trabalho feito no dia a dia".
Com informações da Secom Ba.  25/11/2016

Tribunal de Contas do Rio vê superfaturamento em obras da Linha 4 do Metrô

Metrô/Rio  🚇

A auditoria, “de dimensões inéditas”, foi iniciada em julho do ano passado e, depois de seis meses de trabalho e de mais sete meses para a elaboração do relatório, determinou que o tribunal pedisse à Secretaria de Fazenda a retenção de R$ 1,2 bilhão das construtoras envolvidas na construção da Linha 4 Sul, que liga a zona sul da cidade à Barra da Tijuca, na zona oeste.

Nielmar de Oliveira
Repórter da Agência Brasil

foto - ilustração/arquivo
O Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) constatou - através de auditoria - a ocorrência de irregularidades e superfaturamento nas obras da Linha 4 Sul do Metrô do Rio, que pode ter provocado danos de R$ 2,4 bilhões aos cofres públicos.
A auditoria, “de dimensões inéditas”, foi iniciada em julho do ano passado e, depois de seis meses de trabalho e de mais sete meses para a elaboração do relatório, determinou que o tribunal pedisse à Secretaria de Fazenda a retenção de R$ 1,2 bilhão das construtoras envolvidas na construção da Linha 4 Sul, que liga a zona sul da cidade à Barra da Tijuca, na zona oeste.
Na avaliação do presidente do TCE-RJ, Jonas Lopes de Carvalho Junior, "a detalhada apuração se deveu ao enorme volume de recursos empregados numa obra pública e pela complexidade do empreendimento".
O resultado, de acordo com Jonas Lopes, foi a constatação de "um gigantesco dano aos cofres públicos". Os conselheiros do tribunal definiram que a auditoria continuará sendo realizada, por meio de uma Tomada de Contas Especial, para apurar eventuais danos que possam ter ocorrido após o fim da fiscalização de campo, concluída no dia 4 de dezembro de 2015.

Tribunal diz que documentos foram sonegados
A nota divulgada pelo tribunal diz, ainda, que “com a continuidade da apuração, o TCE espera contar com uma série de documentos que, segundo o relatório, foram sonegados à equipe de auditoria”.
Além disso, a decisão determina, também, que os representantes legais das empresas responsáveis pela obra sejam citados para que apresentem defesa ou recolham solidariamente os valores correspondentes aos danos constatados.
“O ex-governador Sérgio Cabral e o atual, Luiz Fernando Pezão, terão que justificar uma série de termos aditivos assinados entre o estado e as empresas e os ex-secretários de Transporte do Estado, Júlio Lopes e Carlos Roberto Osório, e a diretora-presidente da Companhia de Transporte sobre Trilhos do Estado do Rio de Janeiro (Rio Trilhos), Tatiana Vaz Carius, também serão notificados, assim como o atual diretor de engenharia da companhia, Heitor Lopes de Sousa Junior, e o ex-diretor Bento José de Lima.
A Agência Brasil entrou em contato com a Concessionária Rio Barra e os consórcios construtores Linha 4 Sul e RioBarra. Em resposta, afirmaram que ainda não foram notificados da decisão do TCE e que, portanto, “não irão se manifestar”.
A posição é a mesma da Secretaria Estadual de Transportes, que, alegando ainda não ter sido notificada, também não se pronunciou sobre o caso.
O TCE decidiu encaminhar o processo da auditoria para o Ministério Público Estadual, Assembléia Legislativa, Auditoria-Geral do Estado e Tribunal de Contas do Município do Rio de Janeiro. No caso do tribunal da capital, o envio será feito para que o órgão decida que providência tomar acerca de obras referentes à integração entre a Linha 4 e o BRT Transoeste, neste caso pagas pelo prefeitura do Rio de Janeiro.
Fonte - Agência Brasil  25/11/2016

Estações e trens de João Pessoa são cenários do filme sobre Augusto dos Anjos

Arte&Cultura 🚃

Com uma produção e orçamento modestos, o filme conta a passagens da vida de Augusto dos Anjos. O trabalho é fruto de mais de um ano de pesquisa e nasceu a partir de uma peça teatral encenada por atores locais. Para seguir a risca,nada mais autêntico do que transformar estações e trens da CBTU João Pessoa em cenário de mais um filme que retrata a vida desse paraibano ilustre. 

CBTU
CBTU
Retratar a vida do poeta e escritor Augusto dos Anjos sem estação ferroviária, trens e fazendas é negar grande parte da história. Para seguir a risca, nada mais autêntico do que transformar estações e trens da CBTU João Pessoa em cenário de mais um filme que retrata a vida desse paraibano ilustre. Vestidos com roupas de época atores e atrizes incorporaram, na manhã desta sexta-feira, 25, personagens do universo de Augusto, na montagem do longa metragem “Alma Augusta”, que será exibido pela primeira vez no dia 17 de dezembro, às 20h, no Clube Atlético Sapeense, na cidade de Sapé, a 66 km de João Pessoa.
Com uma produção e orçamento modestos, o filme conta a passagens da vida de Augusto dos Anjos. O trabalho é fruto de mais de um ano de pesquisa e nasceu a partir de uma peça teatral encenada por atores locais. De acordo com o autor, produtor e diretor do filme, Josinaldo Ferreira, o filme conta com a participação de cerca de 50 pessoas, entre atores e equipe de filmagem e apoio, numa produção independente da Companhia de Produção Cênicas e Cinematográfica da Paraíba.
“Fizemos esse filme com um orçamento de baixa produção num investimento de cerca de R$ 10 mil. Um verdadeiro trabalho em equipe para vencer as dificuldades, mas graças a Deus estamos finalizando e espero que público goste”, afirma Ferreira. Ala Augusta tem 66 cenas e mais de 100 minutos de gravação e contou com a participação de atores e figurantes das cidades de Sapé, João Pessoa, Guarabira, Rio Tinto, Itabaiana e Bayeux.
Várias cenas foram gravadas nos trens da CBTU João Pessoa que também apoia a produção cinematográfica da Paraíba. Alma Augusta será exibida na Estação João Pessoa em data a ser definida pelos produtores. Destacam-se no filme os atores paraibanos Edilete Bezerra, Márcia Ferreira, Dayanny Gleycy, Alex Reis, Jacinto Morendo, Graça Alves, Juliana Faustino e Josinaldo Ferreira, no papel de Augusto dos Anjos.
Com informações da CBTU  25/11/2016

Movimento no Ferry-Boat na travessia Salvador/Itaparica nesta sexta (25)

Travessia marítima 🚢

Os quatro ferries em operação,Dorival Caymmi, Agenor Gordilho, Pinheiro, Ivete Sangalo e Anna Nery fazem viagens dentro dos horários programados (de hora em hora), e viagens extras poderão ocorrer em caso de aumento da demanda.

Da Redação
foto - ilustração/arquivo
De acordo com a ITS administradora do sistema Ferry-Boat o fluxo segue tranquilo no terminal São Joaquim,em Bom Despacho fluxo intenso para pedestres e veículos na manhã desta sexta-feira (25). Os quatro ferries em operação,Dorival Caymmi, Agenor Gordilho, Pinheiro, Ivete Sangalo e Anna Nery fazem viagens dentro dos horários programados (de hora em hora), e viagens extras poderão ocorrer em caso de aumento da demanda.Pra adquirir passagens os usuários podem faze-lo nos terminais de embarque em Salvador e Bom Despacho,através de pagamentos com cartões de crédito, débito ou em dinheiro.
Pra quem preferir utilizar o serviço de Hora Marcada,restrito apenas aos condutores de veículos,poderá consultar a disponibilidade de vagas através do site portalsits.internacionaltravessias. O pagamento para este  tipo de serviço deverá ser feito com o uso de cartões de débito ou crédito.
Mais informações no Central de Atendimento ao Cliente (CAC), localizada no Terminal São Joaquim funcionando de segunda a sexta, das 8h às 18h, e aos sábados, das 7h às 13h,ou através de contatos pelo Tel 071 3032-0475 ou pelo cac@internacionaltravessias.com.br.
Com informações da ITS  25/11/2016

Geddel entrega carta de renúncia a Temer

Política 💥

A informação foi confirmada há pouco pela assessoria de imprensa de Geddel. A assessoria informou ainda que em breve divulgará nota com mais detalhes sobre a carta.

Pedro Peduzzi
Repórter da Agência Brasil
foto - ilustração
O ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, acabou de entregar ao presidente Michel Temer uma carta na qual pede para deixar o cargo.
A informação foi confirmada há pouco pela assessoria de imprensa de Geddel. A assessoria informou ainda que em breve divulgará nota com mais detalhes sobre a carta.
Após pedir demissão na última sexta-feira (18), o ex-ministro da Cultura Marcelo Calero deu entrevista alegando que sofreu pressão por parte de Geddel para liberar a construção de um edifício de alto padrão em Salvador. O empreendimento foi embargado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) por estar localizado em área tombada como Patrimônio Cultural da União. Os construtores queriam erguer 31 andares, mas o instituto só autorizou a construção de 13.
Na segunda-feira (21), a Comissão de Ética Pública da Presidência da República decidiu abrir um processo para investigar a conduta de Geddel no episódio. Por meio do porta-voz, o presidente Michel Temer afirmou que Geddel permanecia no cargo.
Na quarta-feira (23), Calero prestou depoimento à Polícia Federal e, segundo a imprensa, teria dito que o presidente Michel Temer o havia "enquadrado" e sugerido uma saída por meio da Advocacia-Geral da União para o caso. Por meio do porta-voz Alexandre Parola, o presidente Michel Temer disse que buscou "arbitrar o conflito" e negou ter pressionado Calero.
Fonte - Agência Brasil  25/11/2016

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Salvador recebe primeira Virada Sustentável

Cultura ♫♬

O evento é apresentado pela Braskem e Governo do Estado da Bahia, com patrocínio da Coelba e Vivo, por meio do FazCultura. Com a participação de organizações da sociedade civil,órgãos públicos,setor privado, escolas e universidades,além de coletivos de cultura e movimentos sociais,a Virada Sustentável é um grande festival de mobilização e educação para a sustentabilidade.

Da Redação
foto - Camila Souza/GOVBA
Parques de Salvador serão palco da primeira Virada Sustentável Salvador, desta sexta-feira a domingo ( 25 a 27), com programação gratuita para a população. Jardim Botânico, Parque Costa Azul, Parque da Cidade, Parque Metropolitano de Pituaçu e Parque São Bartolomeu serão os pontos principais na capital baiana que recebem a extensa programação do evento, uma realização do Instituto Fábrica de Florestas em parceria com a Virada Sustentável. O evento é apresentado pela Braskem e Governo do Estado da Bahia, com patrocínio da Coelba e Vivo, por meio do FazCultura.
Com a participação de organizações da sociedade civil, órgãos públicos, setor privado, escolas e universidades, além de coletivos de cultura e movimentos sociais, a Virada Sustentável é um grande festival de mobilização e educação para a sustentabilidade. Na programação, estão previstos shows musicais, apresentações teatrais, instalações, exposições, literatura, ações sociais, além de debates e oficinas, todos em torno do tema Sustentabilidade.
"Realizar a Virada Sustentável em Salvador está sendo um desafio e uma grande oportunidade para mostrarmos a quantidade de ações importantes que vêm sendo desenvolvidas pela sociedade civil, o terceiro setor, empresas e instituições públicas locais. O evento, em parceria com o poder público, disponibilizará espaços na cidade para demonstrações das mais diversas que tem a sustentabilidade como foco principal e desejamos, sinceramente, que esta ação gere reflexão e transforme a maneira com que as pessoas percebem o mundo, mais integrador, coletivo, natural e sustentável, visando o bem-estar desta e das próximas gerações", afirma o diretor executivo do Instituto Fábrica de Florestas, Álvaro Oyama.

foto - Camila Souza/GOVBA
Ações
Fiel ao que apresentará em toda sua programação, a Virada Sustentável também tomará atitudes que buscam diminuir o impacto ambiental, como a coleta de lixo eletrônico, vidro e óleo nos locais das atrações e coleta seletiva e gestão de resíduos em parceria com cooperativas. A produção aproveitará a primeira edição do evento ainda para fazer um mapeamento de acessibilidade e necessidades especiais para pessoas com deficiência e mapear e estimular o uso de transporte público, compartilhado e alternativo (bicicleta e a pé). Até mesmo os banners do material de comunicação (placas e totens espalhados pela cidade e locais do evento) serão transformados em sacolas ou reutilizados.
"A Virada Sustentável é um festival que procura inspirar o público para uma nova visão de mundo, mais inteligente e sustentável, a partir de uma abordagem positiva e atraente, usando a arte, o lúdico, como ferramentas principais. Realizar uma edição em Salvador sempre foi um sonho para nós", explica André Palhano, da Virada Sustentável, que contará com Marketing Cultural da Caderno 2 Produções. Confira a programação completa no site do evento.
Com informações da Secom Ba.  24/11/2016

Travessia marítima Salvador/Itaparica nesta quinta (24) - Ferry-Boat

Travessia marítima 🚢

O movimento na travessia entre Salvador e a ilha de Itaparica nesta quinta (24) pelo sistema Fery-Boat é tranquilo no sentido SSA/Itaparica e com intenso movimento de veículos e passageiros no sentido inverso,Itaparica/SSA,Quatro embarcações estão em operação.

Da Redação
foto - ilustração/arquivo
O movimento no sistema Ferry-Boat,segue tranquilo na manhã desta quinta-feira (24),no terminal São Joaquim,já em Bom Despacho o fluxo é intenso para pedestres e veículos.O sistema está operando com quatro (04) embarcações - Dorival Caymmi, Agenor Gordilho, Pinheiro e Anna Nery. As viagens seguem os horários programados (de hora em hora),com viagens extras que podem ocorrer com o aumento da demanda.Os usuários podem adquirir as passagens nos terminais de embarques com pagamento efetuado por meio de cartões de crédito,débito ou em dinheiro.
Para o serviço Hora Marcada (exclusivo aos condutores de veículos),os usuários poderão verificar a disponibilidade de vagas através do site -portalsits.internacionaltravessias-. O pagamento para este tipo de serviço será feito apenas com cartões de débito ou crédito.
Uma Central de Atendimento ao Cliente (CAC),localizada no Terminal São Joaquim,disponibilizada pelo sistema,funciona de segunda a sexta,das 8h às 18h, e aos sábados,das 7h às 13h.
Contatos - Tel 71 3032-0475 ou pelo -cac@internacionaltravessias.com.br-.
Com informações da ITS  24/11/2016

Lotação e preços alto da tarifa são as principais queixas de usuários do Metrô de SP

Transportes sobre trilhos 🚇

Essa é uma das conclusões de pesquisa feita pelo Instituto Locomotiva, que será oficialmente apresentada nesta quarta-feira (23). Os itens que tiveram melhor avaliação são a limpeza (7,6) e tempo de viagem (7).

Folha de São Paulo - RF
foto - ilustração/arquivo
A lotação e o preço da tarifa são os principais problemas percebidos pelos usuários do Metrô paulista. Em uma escala de 0 a 10, esses itens receberam notas 3,1 e 3,4, respectivamente.
Essa é uma das conclusões de pesquisa feita pelo Instituto Locomotiva, que será oficialmente apresentada nesta quarta-feira (23). Os itens que tiveram melhor avaliação são a limpeza (7,6) e tempo de viagem (7).
"Nossa ideia é contribuir com o debate sobre políticas públicas de transporte, fugindo da divisão entre esquerda e direita", afirma Renato Meirelles, presidente do instituto.
Encomendada pelo Sindicato dos Metroviários de São Paulo, a pesquisa ouviu 813 usuários de todas as linhas do Metrô, inclusive a linha 4-amarela, operada pela iniciativa privada. A margem de erro é de 3,5 p.p.
Meirelles explica que mais de 50% dos passageiros dão notas 8, 9 e 10 para o Metrô, ou seja, estão muito satisfeitas com os serviços. "Esse patamar é muito superior às outras opções. O ônibus, por exemplo, recebe 21% de notas 8, 9 ou 10, e a CPTM, 16%. Mas o grau grande de satisfação também gera mais expectativas da população", observa.
Apesar de considerar que o preço da tarifa é alto, a prioridade mais citada pelos usuários entrevistados é a conclusão das estações que estão em obras: 78% dos passageiros têm essa reivindicação, diante de 74% que gostariam de bilhetes mais baratos e 60% que pedem mais trens nos horários de pico (a pesquisa permitia escolhas múltiplas).
Só 4%, no entanto, querem a privatização das linhas de metrô. Esse foi o modelo adotado para a construção e futura operação da linha 6-laranja, que atualmente tem obras paralisadas. Outra conclusão da pesquisa é que quase todos os usuários acreditam que é dever do governo oferecer transporte público adequado (98%) e que o metrô precisa receber mais investimentos (92%).
Fonte - Revista Ferroviária  24/11/2016

China planeja ampliar a cooperação militar com países da América Latina e do Caribe

Internacional

A China planeja ampliar a cooperação com os países da América Latina e do Caribe no domínio militar e no combate ao terrorismo, diz-se no documento sobre os principais rumos da política chinesa nesta região, divulgado na quinta-feira (24) pela agência Xinhua.

Sputnik
Soutnik
O documento divulgado pela Xinhua frisa que a China se empenhará ativamente no intercâmbio e cooperação militar com os países latino-americanos e caribenhos, aumentará o número de intercâmbios de parceria entre os Ministérios da Defesa e chefias militares de ambos os países, reforçará o diálogo político e criará mecanismos de reuniões de trabalho entre os militares chineses, latino-americanos e caribenhos.
Segundo diz o texto, a China fomentará o envio recíproco das delegações militares e visitas dos tribunais militares de ambas as partes, estreitará os laços profissionais em tais esferas como a preparação de quadros e forças de paz.
A China também está disposta a ampliar a cooperação na prestação de assistência na liquidação de cataclismos, no combate ao terrorismo e noutras esferas de segurança. A RPC (República Popular da China) também planeja contribuir para cooperação na área do comércio de armamentos e tecnologias militares. Além disso, de acordo com o texto, Pequim tem intenção de ampliar a cooperação com países latino-americanos e caribenhos em outras esferas, tais como energia, finanças, recursos naturais, construção de infraestruturas, estudos de engenharia, transportes, logística, informações e emissões televisivas.
Fonte - Sputnik  24/11/2016

Rússia irá se basear em modêlo de cidades europeias para diminuir congestionamentos

Mobilidade 🚄 🚉

Os planos estão descritos em um projeto de lei apresentado pelo Ministério dos Transporte ao governo e que recebeu aprovação preliminar em 31 de outubro.Além de diminuir o número de veículos nas vias,o transporte alternativo,que inclui metrôs,monotrilho,teleféricos e funiculares, ajudará a melhorar a qualidade do ar nas cidades,uma vez que dependem sobretudo de energia elétrica para operar.

Kira Egorova e
Ekaterina Górlitsina - Gazeta Russa

Rodoanel de Moscou  foto - Maksim Blinov/RIA Nôvosti
Em um esforço para combater engarrafamentos nas grandes cidades russas, as autoridades federais pretendem desenvolver formas de transporte público que não dependam de ruas e estradas.
Os planos estão descritos em um projeto de lei apresentado pelo Ministério dos Transporte ao governo e que recebeu aprovação preliminar em 31 de outubro.
Além de diminuir o número de veículos nas vias, o transporte alternativo, que inclui metrôs, monotrilho, teleféricos e funiculares, ajudará a melhorar a qualidade do ar nas cidades, uma vez que dependem sobretudo de energia elétrica para operar.
A pasta dos Transportes planeja também integrar os vários sistemas de transporte em uma única rede por meio da sincronização de horários, da aplicação de bilhete único e da fácil circulação entre as várias estações.

De olho na Europa

Embora a proposta seja bem-sucedida, seu sucesso dependerá do estudo de sistemas semelhantes em outras cidades, avaliam urbanistas russos.
“Os responsáveis pelo desenvolvimento de sistemas de transporte alternativos na Rússia devem aproveitar a experiência das principais cidades europeias, como Londres, Frankfurt e Paris”, diz Irina Irbitskaia, da Academia Presidencial da Economia Nacional e Administração Pública.

Acima Metrô de Paris/abaixo Anel Central de Moscou 
foto - Alamy/Agência Moskva
Segundo a arquiteta, o monotrilho de Tóquio e os trens de levitação magnética do aeroporto de Xangai seriam irrelevantes na Rússia, já que a densidade populacional nas regiões da Ásia é significativamente maior do que nas cidades russas.
A prefeitura de Moscou, por exemplo, estudou a experiência europeia na integração de diferentes sistemas de transporte durante o desenvolvimento do recém-inaugurado Anel Central da capital, um análogo do alemão S-Bahn e do francês RER.
Nos dois primeiros meses de operação, o Anel Central de Moscou já transportou 12,5 milhões de passageiros, e o tráfego no novo sistema continua a crescer, segundo Iúlia Baranovskaia, assessora de imprensa do Departamento de Transportes de Moscou. “Outras cidades russas podem se beneficiar da nossa experiência, pois as emendas necessárias à lei federal foram feitas, e um precedente foi criado”, diz Baranovskaia.
O desenvolvimento do transporte alternativo nas cidades russas irá, porém, enfrentar problemas de financiamento, alerta Mikhail Blinkin, diretor do Instituto de Economia de Transporte e Política de Transporte na Escola Superior de Economia.
Apesar disso, Irbitskaia garante que a questão financeira poderia ser resolvida também com base na experiência europeia, onde a construção de um complexo de transporte envolve o apoio do Estado e de empresas privadas e moradores locais. “Tais programas têm sido utilizados no Reino Unido, Alemanha e França”, afirma.

Metrô versus bonde
O projeto de lei poderá também dar novo fôlego para projetos adiados que estipulavam a construção de linhas de metrô em cidades como Vladivostok, Omsk, Krasnoiarsk, Tcheliabinsk, Rostov-no-Don e Perm.
Três dessas localidades – Rostov-no-Don, Omsk e Krasnoiarsk – figuram no ranking das 10 principais cidades russas com as vias mais movimentadas, de acordo com a análise do serviço Yandex.Probki, que registra os engarrafamentos.
Porém, segundo Blinkin, no caso dessas cidades, os populares sistemas de bonde na Europa seriam mais viáveis do que os metrôs. “Construir esses sistemas de trilho leve é ​​mais barato e fácil do que construir linhas e estações de metrô”, defende.

Acima Metrô em Kazan/Abaixo Bonde em Roma
foto - Ígor Aleiev/TASS; AFP/East News
“O metrô é necessário em cidades com mais de 2 milhões de habitantes, e existem só duas dessas cidades na Rússia hoje: Moscou e São Petersburgo”, continua Blinkin.
Para reforçar o seu ponto, o especialista cita o exemplo de Kazan (800 km a leste de Moscou). Apesar de a cidade ter 1,1 milhões de habitantes, o volume de passageiros no metrô local, que foi concluído em 2005, permanece muito baixo.

Transporte nas alturas
Embora os teleféricos não possam competir com os meios de transporte terrestres em termos de capacidade de transporte, esse meio de locomoção já está começando a ser utilizado na Rússia como um substituto para pontes.
Sistemas de teleféricos foram construídos em regiões onde as autoridades não conseguem atrair investimentos para projetos de infraestrutura.

Acima Teleférico em Níjni Novgorod
Abaixo China 
foto -  Lori/Legion-Media; Vostock-Photo
Em 2012, a cidade siberiana de Níjni Novgorod construiu o primeiro sistema de teleférico do país para o tráfego regular de passageiros.
O projeto funcionou como um substituto para uma ponte de alto custo sobre o rio Volga. O trajeto de 800 metros conecta a cidade à vizinha Bor, e o transporte é usado, em média, por 1,8 milhões de passageiros ao ano.
Em setembro passado também foi iniciada a construção de um teleférico de quase 10 km entre a cidade russa de Blagoveschensk e a chinesa Heihe através do rio Amur, no Extremo Oriente russos.
As autoridades de ambos os países haviam discutido um projeto para construir uma ponte entre as cidades, mas decidiram, em 2015, substituir os planos pelo teleférico. Estima-se que até 6 milhões de pessoas por ano usarão o novo sistema.
Fonte - Gazeta Russa  23/11/2016

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Brasil tem recorde de cheques sem fundo para mês de outubro

Economia $

Esse foi o nível mais elevado para o mês de outubro e o terceiro maior da série histórica iniciada há 25 anos.No total,foram devolvidos 1.204.402 cheques entre os 47.802.370 documentos compensados. Em setembro,2,19% das emissões eram de correntistas que não fizeram a provisão dos recursos e no mesmo mês do ano passado o percentual chegou a 2,2%.

Marli Moreira
Repórter da Agência Brasil

imagem/Ag.Brasil
As devoluções de cheques por falta de fundos atingiram 2,5% do total de documentos compensados em outubro, segundo o Indicador Serasa Experian de Cheques Sem Fundos. Esse foi o nível mais elevado para o mês de outubro e o terceiro maior da série histórica iniciada há 25 anos.
O índice ficou abaixo apenas do registrado em março deste ano (2,66%) e em novembro do ano passado (2,61%). No total, foram devolvidos 1.204.402 cheques entre os 47.802.370 documentos compensados. Em setembro, 2,19% das emissões eram de correntistas que não fizeram a provisão dos recursos e no mesmo mês do ano passado o percentual chegou a 2,2%.
De janeiro a outubro deste ano, as devoluções atingiram a média de 2,36%. O pior quadro de inadimplência foi verificado no Amapá com taxa de 16,98%. Em sentido oposto, São Paulo apresentou o menor índice (1,8%).
Na análise dos economistas da Serasa Experian, esse resultado é consequência da recessão econômica que tem mantido em alta o desemprego, das taxas de juros e ainda da “perda do poder de compra da população por causa da inflação ainda em patamar elevado”.

Por regiões
No acumulado do ano, o Nordeste foi a região que registrou a maior taxa (4,63%) e o Sudeste a menor (1,94%). No Norte, o índice chegou a 4,44%; no Centro-Oeste, 2,04% e no Sul, 2,04%.
Em outubro, a Região Norte liderou com 4,66% ante 4,18% em setembro e 4,25% em outubro do ano passado. Esse aumento foi puxado, principalmente, pelas dificuldades de pagamento dos consumidores do Amapá, onde as devoluções atingiram 16,54% dos cheques emitidos. Na sequência aparecem o Acre (7,96%); Roraima (7,97%); Amazonas (6,14%); Tocantins (5,79%); Pará (5,57%) e Rondônia (2,21%).
No Nordeste, a devolução de cheques em outubro chegou a 5,16% do total de documentos compensados, com destaque para o Maranhão (9,31%), seguido de Piauí (6,98%) e Rio Grande do Norte (6,22%).
No Sudeste, a taxa de devolução de cheques ficou em 2,07% - superior à registrada em setembro (1,8%) e acima do percentual de outubro de 2015 (1,74%). O Espírito Santo liderou o ranking com 2,6%.
Já no Sul, 2,11% dos cheques foram devolvidos, sendo que a maior variação foi detectada no Rio Grande do Sul (2,22%).
No Centro-Oeste, ocorreram devoluções de 3,22% dos cheques compensados, com destaque para o Distrito Federal (3,83%).
Fonte - Agência Brasil  23/11/2016  

Recuperação do Centro Antigo de Salvador incentiva crescimento da economia

Desenvolvimento Urbano 🏠👪

As intervenções fazem parte do projeto Pelas Ruas do Centro Antigo, que prevê a requalificação urbana em mais de 260 ruas, dos 11 bairros que formam o Centro Antigo de Salvador, em um investimento da ordem de R$ 124 milhões. As obras em andamento na Mouraria e no Tororó integram, respectivamente, os lotes 2 e 3 do projeto. A execução está sob a responsabilidade da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder), vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Sedur).

Da Redação
foto - Manu Dias/GOVBA
Em visita às obras de requalificação dos bairros da Mouraria e Tororó, na manhã desta quarta-feira (23), o governador Rui Costa falou sobre a importância da ação do Governo do Estado para a recuperação econômica da região. Ao visitar a rua da Palma, na Mouraria, ele destacou a satisfação e o orgulho de ver um hotel 4 estrelas implantado naquele local. "Reintroduzimos o nosso centro antigo no destino da hotelaria, restaurantes e bares", afirmou Rui, que também visitou as obras no Tororó.
As intervenções fazem parte do projeto Pelas Ruas do Centro Antigo, que prevê a requalificação urbana em mais de 260 ruas, dos 11 bairros que formam o Centro Antigo de Salvador, em um investimento da ordem de R$ 124 milhões. As obras em andamento na Mouraria e no Tororó integram, respectivamente, os lotes 2 e 3 do projeto. A execução está sob a responsabilidade da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder), vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Sedur).
O casal de aposentados argentinos Oscar e Cristina Bisig estão hospedados no hotel situado no Largo da Palma. Eles vão ficar quatro dias em Salvador e dizem que estão encantados com a cidade e com os baianos. “Vemos um contraste muito grande entre a parte mais comercial, próximo ao Shopping Salvador, e esta região histórica. É preciso recuperar e conservar esta parte da cidade”, diise Oscar. Cristina afirma que todo o conjunto de ruas e casarões é um atrativo turístico. “É um patrimônio da humanidade, é a história desta região, por isso é importante preservar”.
A administradora do hotel, Jocélia Pereira, aprova as obras. “Nossos hospedes, a maioria estrangeiros, vêm para cá porque querem ficar perto do Centro Histórico. O acesso para eles é importante, então é preciso que as ruas estejam recuperadas, sinalizadas, isso é segurança para eles. Os turistas falam muito da beleza do nosso patrimônio histórico, da nossa cultura, os olhos deles chegam a brilhar. Se não preservar isso tudo, vai atrapalhar o nosso negócio, o negócio da cidade”.
Nestes dois lotes do projeto, um total de 164 deverão ser requalificadas, sendo 80 vias no lote 2 e 84, no lote 3. Para essas duas etapas, o investimento é de R$ 69,2 milhões. De acordo com o governador, além de preservar o centro antigo, o objetivo é também dar vida à localidade e impulsionar o crescimento econômico da região. “O projeto não atende apenas aos moradores, o que também é importante, mas recoloca o centro antigo no mapa dos investimentos em hotelaria, restaurantes, na vida da cidade. Quem viaja ou pesquisa na internet, vê todos os centros históricos dos países e cidades mantendo a vida econômica naquelas regiões, com atividades comerciais e outros negócios. É isso que nós estamos buscando ao recuperar o nosso centro antigo”, afirmou.
Segundo o titular da Sedur, Carlos Martins, o projeto vai tornar o centro antigo um lugar ainda mais aprazível para se morar e para se visitar. "As obras valorizam os imóveis e também geram empregos, já que atraem empresários e investidores para a região", destacou.
Aposentados, Berenície e Armando Carvalho, 74 anos, moram na esquina entre a Rua da Mangueira e a Rua da Palma, duas das que estão recebendo as obras. “Está melhorando muito, antes era cheio de buracos, era arriscado cair. Agora, com a recuperação, não precisamos mais nos preocupar com isso, podemos caminhar tranquilamente”.
Com informações da Secom Ba.  23/11/2016

Praias de São Luís estão entre as melhores experiências do Brasil para o verão

Turismo  🌊

O litoral ludovicense voltou a receber banhistas e turistas depois do esforço do Governo do Estado em tornar as praias próprias para banho. Fruto de investimentos vultosos em saneamento básico e despoluição dos rios, por meio do programa ‘Mais Saneamento’, hoje os 21 pontos aferidos pelo Laboratório de Análises Ambientais – LAA, da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Naturais (Sema) estão em condições aceitáveis de balneabilidade.

Da Redação
foto - Carlos Pereira/Secap
A balneabilidade das praias de São Luís e as belezas naturais do litoral colocaram a capital maranhense como uma das 18 melhores experiências para o verão, segundo uma das maiores empresas de viagens do mundo, a Expedia. O levantamento destaca praias de Santa Catarina, Rio de Janeiro, Alagoas, Ceará, Bahia, entre outros, como estrelas das férias no Brasil.
Em São Luís, a empresa destaca que “a capital é carinhosamente chamada de ‘Ilha do Amor’. O contraste fica por conta da movimentada Avenida dos Holandeses e dos bares da charmosa Lagoa da Jansen, com a rusticidade do belo Centro Histórico que abriga os antigos solares dos barões”.
Entre as praias da capital maranhense, a Expedia indica Calhau, Ponta d’Areia e Olho d’Água como atrativo de verão.
O litoral ludovicense voltou a receber banhistas e turistas depois do esforço do Governo do Estado em tornar as praias próprias para banho. Fruto de investimentos vultosos em saneamento básico e despoluição dos rios, por meio do programa ‘Mais Saneamento’, hoje os 21 pontos aferidos pelo Laboratório de Análises Ambientais – LAA, da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Naturais (Sema) estão em condições aceitáveis de balneabilidade.

Balneabilidade movimenta setor hoteleiro
Analisando as obras como de total força para alavancar o turismo no Maranhão, o presidente do Sindicato Empresarial de Hospedagem e Alimentação do Maranhão, Paulo Coelho, ressaltou ainda a importância do investimento para movimentar o setor hoteleiro.
“A classe vê com bons olhos esse resultado, pois era algo que esperávamos com muita ansiedade. Sabemos que para o turismo alavancar depende de vários fatores, principalmente aqui, que se trata de uma ilha. Devemos oferecer uma infraestrutura que envolve desde a balneabilidade das orlas, como um aeroporto, um terminal rodoviário e aquaviário bom e vejo que o Governo está se empenhando para solucionar todos esses entraves herdados, realizando obras de melhorias e expansão. Com essas obras, percebo que o turista virá ao Maranhão e retornará aos seus destinos de origem com outros olhos”.
Para o presidente do Conselho de Turismo do Estado do Maranhão, Bruno Mezenga, as obras que vêm sendo desempenhadas pelo Governo são de grande representatividade para toda a estrutura que envolve o mercado do turismo em São Luís.
“A atitude do Governo de inserir dentro de suas ações a despoluição do Rio Pimenta, Rio Claro e do Rio Calhau é essencial para o resgate do potencial turístico de São Luís. Colocar a ETE Vinhais para funcionar era outro ponto que as entidades que representam o turismo no Maranhão já vinham tentando fazer, e o atual Governo concretizou. Agora, nós poderemos reverter a imagem negativa que ficou das praias poluídas da nossa Ilha”, disse Mezenga.
Com informações do Gov.MA notícias 23/11/2016

EUA devem trocar frota atual por trens de alta velocidade

Transportes sobre trilhos 🚅

Além da troca dos trens que prestam serviço, a substituição aconteceria para que a nova frota melhore a segurança que os passageiros têm ao usarem o serviço.A proposta cria uma nova categoria de trens, os Tier III, com trens de supervelocidade que alcançariam até 354 quilômetros, por hora.  

Panrotas - RF
foto - ilustração/arquivo
Órgão que administra o sistema de trens dos Estados Unidos, a Federal Railroad Administration (FRA) propôs uma série de atualizações para os padrões de segurança dos trens que são usados no país. A ideia é trocar a frota atual – que está velha – por trens de alta velocidade e criar novos meios de medir a segurança.
Além da troca dos trens que prestam serviço, a substituição aconteceria para que a nova frota melhore a segurança que os passageiros têm ao usarem o serviço. “Queremos permitir que os fabricantes inovem e alcancem todos os níveis de segurança. Essas mudanças propostas nos colocam na pista para fazer isso”, disse o secretário de Transporte dos Estados Unidos, Anthony Foxx.
A proposta cria uma nova categoria de trens, os Tier III, com trens de supervelocidade que alcançariam até 354 quilômetros, por hora. Além disso, as mudanças preveem um novo padrão de segurança, que permitiria avaliar o quão segura está a tripulação e os passageiros. Outra novidade é um possível mecanismo que iria medir a resistência ao choque de um trem com base nos padrões atuais de força.
Entretanto, os trens classificados como Tier III precisam de uma trilha exclusiva para velocidades acima de 200 quilômetros, por hora. Apesar disso, quando os trens da nova categoria estiverem operando abaixo da velocidade máxima, os vagões poderão ser operados nas trilhas usadas por trens de Tier I e II.
Um dos primeiros trechos a terem os novos trens classificados como Tier III é a California High-Speed Rail, na Califórnia. A construção do serviço deve terminar em 2019.
Fonte - Revista ferroviária  23/11/2016

Aeroporto de Vitória da Conquista (BA) deve ficar pronto em 2018

Infraestrutura

Essa é a segunda fase de obras do aeroporto. A primeira foi viabilizada por convênio celebrado em 2012, no valor de R$ 48 milhões, oriundos do Profaa (Programa Federal de Auxílio a Aeroportos). As obras já concluídas incluem a implantação de sistema de pista de pouso e decolagem, pátio de aeronaves, via de acesso ao aeroporto, sinalização, construção de cerca elétrica externa e entrega da instalação da SCI (Seção Contra Incêndio).

Agência CNT
Divulgação
Um convênio no valor de R$ 45 milhões, firmado entre a Secretaria de Aviação Civil e o Governo do Estado da Bahia, vai custear a construção do terminal de passageiros do aeroporto regional de Vitória da Conquista (BA), garantindo o início das operações do aeródromo no primeiro semestre de 2018.
O projeto prevê também a execução de iluminação da via de contorno, instalação de equipamentos de auxílio de navegação aérea, além de obras complementares, como redes de telecomunicação do aeroporto. A abertura de propostas das empresas, interessadas em realizar o projeto previsto em edital, está prevista para 30 de novembro.
Essa é a segunda fase de obras do aeroporto. A primeira foi viabilizada por convênio celebrado em 2012, no valor de R$ 48 milhões, oriundos do Profaa (Programa Federal de Auxílio a Aeroportos). As obras já concluídas incluem a implantação de sistema de pista de pouso e decolagem, pátio de aeronaves, via de acesso ao aeroporto, sinalização, construção de cerca elétrica externa e entrega da instalação da SCI (Seção Contra Incêndio).
Segundo o diretor do departamento do Profaa, Eduardo Bernardi, o novo convênio garante a entrega de um aeroporto 100% operacional. “O novo terminal vai beneficiar a população do Estado da Bahia e melhor integrar o território da região à malha aérea do País. Qualificar a aviação regional é vital para o desenvolvimento do Brasil”, afirmou.

Conexão regional
O Programa de Aviação Regional da Secretaria de Aviação Civil vai investir cerca de R$ 7,3 bilhões na construção ou reforma de 176 aeroportos em todo o território nacional. O programa foi criado com o objetivo de conectar o Brasil e levar desenvolvimento e serviços sociais a lugares distantes das capitais brasileiras.
Os recursos são oriundos do Fundo Nacional da Aviação Civil (FNAC), composto por taxas e outorgas da aviação, que só podem ser investidos de volta no próprio setor. A contratação das empresas responsáveis pelos estudos e obras é feita diretamente pelo governo federal, sem repasse de verbas a estados ou municípios.
O programa trabalha para encurtar distâncias, aproximando moradores e turistas dos aeroportos brasileiros. O objetivo é que 96% da população esteja a, no máximo, 100 quilômetros de um terminal aeroportuário. Hoje, mais de 40 milhões de brasileiros vivem a centenas de quilômetros do aeroporto mais próximo da região.
Fonte - Agência CNT de Notícias  22/11/2016

Projeto de Lei que estrutura Sistema de Transporte Intermunicipal do Maranhão é aprovado

Transportes 🚏

Dentre as principais alterações, destacam-se os critérios que os serviços de transporte coletivo terão que cumprir para que sejam detentores de concessões, permissões e autorizações outorgadas pela MOB. O serviço de transporte alternativo se transforma em serviço complementar, unindo-se ao transporte regular, e passa a ser realizado, mediante procedimento licitatório, em micro-ônibus. Atualmente, o serviço é realizado à título precário. 

Da Redação
divulgação/Gov.MA.
Na sessão desta segunda-feira (21), o Plenário aprovou o Projeto de Lei Nº 147/16 que dispõe sobre a Estruturação do Sistema de Transporte Coletivo Rodoviário Intermunicipal de Passageiros do Estado do Maranhão (STRP) e dá outras providências. O PL 147 é de autoria da Agência Estadual de Transporte e Mobilidade Urbana (MOB) que, desempenhando sua função em desenvolver políticas públicas de transporte e mobilidade urbana, tem como objetivo garantir o transporte público intermunicipal de qualidade à população maranhense.
Em seu parágrafo único, o PL 147 assegura que compete ao Estado do Maranhão, por meio da MOB, explorar, organizar, dirigir, coordenar, fiscalizar, executar, delegar, extinguir, reverter, encampar e controlar a prestação de serviços públicos relativos ao STRP. Antes, o serviço era de competência da Secretaria de Estado da Infraestrutura.
Com a aprovação do PL 147, a Lei 9.431/2011, que ordenava sobre o Sistema de Serviço Público Remunerado de Transporte Coletivo Rodoviário Intermunicipal e Semiurbano de Passageiros, e a Lei 7.736/2002, referente ao Serviço Público de Transporte Alternativo Intermunicipal de Passageiros do Estado do Maranhão, passam a ser revogadas, uma vez que a nova lei engloba as duas legislações, reduzindo o conflito que existiam entre elas.
Dentre as principais alterações, destacam-se os critérios que os serviços de transporte coletivo terão que cumprir para que sejam detentores de concessões, permissões e autorizações outorgadas pela MOB. O serviço de transporte alternativo se transforma em serviço complementar, unindo-se ao transporte regular, e passa a ser realizado, mediante procedimento licitatório, em micro-ônibus. Atualmente, o serviço é realizado à título precário. O transporte de turismo ou fretamento, também passa a ter um capítulo exclusivo na nova lei, até então, não citado em legislações anteriores.
A exploração dos serviços que, anteriormente, permitia que os contratos de concessões tivessem vigência de até 20 anos e com prorrogação por igual período pelo poder concedente é modificado. As concessões passam a ser outorgadas pela MOB pelo prazo definido nos editais, podendo ser prorrogados uma única vez por igual período a critério da Agência.
Segundo Artur Cabral, presidente da MOB, a aprovação da lei também permitirá uma série de mudanças nas fiscalizações “A aprovação desse Projeto de Lei é um marco no Transporte Rodoviário de Passageiros. Significa que pela primeira vez teremos um marco regulatório adequando o serviço. A partir disso teremos uma regulamentação mais clara, permitindo uma fiscalização mais efetiva e será dada a partida para a licitação de todo o transporte rodoviário de passageiros”.
Na mensagem Nº 054/2016 encaminhada à Assembleia Legislativa, o governador Flávio Dino esclarece a importância da aprovação da Lei “considerando a constante evolução do Sistema de Transporte Coletivo e a crescente necessidade da sociedade em ter um sistema de transporte eficaz, faz-se necessário um instrumento normativo atualizado para a devida adequação do referido sistema. (…) A Lei reflete o interesse da Administração em garantir um serviço de transporte coletivo de qualidade, almejando sempre o bem-estar da população maranhense”.
Após aprovação na Assembleia Legislativa, o Projeto de Lei é encaminhado para sanção do governador, e, posteriormente, publicado.
Com informações do Gov.MA. notícias  22/11/2016

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Conferência das Cidades debate função social da cidade e da propriedade

Desenvolvimento Urbano 👪 🏠 🚉

Com o tema “A Função Social da Cidade e da Propriedade”, a Conferência irá reunir representantes de todo o Estado: são 700 delegados, eleitos nas 141 conferências municipais realizadas ao longo do ano, e 100 observadores, indicados por cada segmento. A organização é da Sedur.

Da Redação
Divulgação
Representantes de movimentos sociais, sindicatos, ONGs, setor acadêmico, empresários e Poder Públicos se reúnem em Salvador, no Senai Cimatec (Piatã), de 30 de novembro a 2 de dezembro, para a realização da 6ª Conferência Estadual das Cidades. “É um espaço de troca entre Governo e sociedade, visando a construção conjunta de políticas públicas inclusivas e socialmente justas”, destacou o secretário de Desenvolvimento Urbano (Sedur), Carlos Martins, que também preside o Conselho Estadual das Cidades – ConCidades.
Com o tema “A Função Social da Cidade e da Propriedade”, a Conferência irá reunir representantes de todo o Estado: são 700 delegados, eleitos nas 141 conferências municipais realizadas ao longo do ano, e 100 observadores, indicados por cada segmento. A organização é da Sedur.
“A Conferência é o momento de aprofundar as discussões em torno de um tema, que é de fundamental importância para a consolidação de uma política de desenvolvimento urbano integrado e sustentável, com inclusão social e econômica”, pontuou a secretária executiva do ConCidades, Micau Barreto.
A abertura contará com concerto do Quinteto da Neojiba, seguido da Conferência Magna com o tema do evento. À tarde, grupos de trabalho debatem os quatro temas centrais da Conferência: habitação, mobilidade, gestão territorial e saneamento. No segundo dia, destaque para mesa redonda sobre o Fórum de Pós-Ocupação do Programa Minha Casa, Minha Vida. No encerramento, serão apresentadas as principais deliberações para aprovação de propostas nos âmbitos estadual e nacional, além da eleição dos delegados que irão representar a Bahia na 6ª Conferência Nacional das Cidades, prevista para junho do ano que vem. Também serão eleitos os novos conselheiros para a gestão do novo triênio do Cocidades (até 2019).

ConCidades
Instituído pelo Governo Federal, em 2003, no âmbito do Ministério das Cidades, o Conselho das Cidades é um órgão colegiado de natureza permanente e caráter deliberativo e consultivo. As conferências são realizadas a cada três anos, como instrumento de participação social e democrática na construção de políticas públicas.
Com informações da Sedur Ba. 22/11/2016

Professor não é mercadoria

Educação/Ensino 📖

O tratamento desses temas sob a ótica estreita do mercado tem levado muitos “especialistas” a emitir pareceres a respeito do tema “produtividade em educação”. O problema é que, em vez de pesquisadores da área, o que se vê frequentemente são administradores e economistas afirmando que o que falta não são recursos para a educação, mas estratégias de “otimização” e, principalmente, de eliminação da “improdutividade”.

Por Gilberto Giusepone* - Portogente
foto - ilustração/arquivo
A formação e a atuação de professores são temas recorrentes na mídia, ressalvando-se que esta última frequentemente é objeto de atenção quando se buscam explicações para o “baixo rendimento” de nossos alunos em avaliações de larga escala. Ou seja, ela se torna o alvo preferencial das críticas.
Já a formação docente recentemente viu-se no campo dos interesses de grandes corporações, incluindo bancos, que decidiram atuar no campo educacional, campo esse percebido a partir da década de 1990 como promissor no âmbito de negócios globalizados – vide a presença crescente de papéis dessas corporações educacionais nas bolsas de valores.
O tratamento desses temas sob a ótica estreita do mercado tem levado muitos “especialistas” a emitir pareceres a respeito do tema “produtividade em educação”. O problema é que, em vez de pesquisadores da área, o que se vê frequentemente são administradores e economistas afirmando que o que falta não são recursos para a educação, mas estratégias de “otimização” e, principalmente, de eliminação da “improdutividade”.
Assim, a formação de professores é um tema usualmente confundido com a questão da atuação docente. O diagnóstico costuma basear-se na relação simples que se estabelece entre dois polos: de um lado a formação ineficiente e de outro a atuação insuficiente. A segunda é indicada como consequência da primeira e para muitos, isso basta.
Porém, esses temas têm particularidades que demandam análise específica e abertura de interlocução com educadores e pesquisadores da educação, não com banqueiros e multinacionais.

Por quê?
Segundo o EducaCenso de 2013, que é o repertório mais recente de estatísticas a respeito, o Brasil conta com 2.141.676 docentes em sala de aula, regendo turmas ou oferecendo disciplinas específicas.
São dados de 2013, que seguramente foram modificados, mas que em linhas gerais oferecem parâmetros para nossa análise. A Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Educação, ANPED, estimou em 2015 que esse número de docentes cresceu aproximadamente 20%.
Destes, pouco mais de dois milhões de docentes, aproximadamente 77%, diz respeito à docência em redes públicas e 23% em redes privadas. Tínhamos quase 100 mil docentes que declaravam atuar em ambas as esferas simultaneamente, a pública e a particular.
Nesse universo, estamos praticamente concluindo o sombrio ano de 2016 constatando que professores recebem de salário em média 39% a menos que os profissionais que têm o mesmo nível de escolaridade.
Trata-se de um quadro complexo que demanda análise meticulosa, o que seguramente não será feito com base em premissas empresariais que consideram que professores são bem remunerados, faltando “apenas” ajustes nas condições para o exercício da docência, ou que consideram que professores são “dispensáveis” mediante a presença do “bom método”, do “material adequado” ou de alguém de “notório saber”.
É uma questão de fundo que precisa ser considerada à luz dos compromissos republicanamente construídos no âmbito das chamadas obrigações do Estado.
O maior exemplo disso pode ser recolhido no Plano Nacional de Educação (PNE) para o período 2014-2024 e que em sua Meta número 17 consolidou o compromisso de valorizar os profissionais do magistério das redes públicas de educação básica, indicando que a remuneração básica seria equiparada àquela dos profissionais com escolaridade equivalente antes mesmo do final da década do PNE, ou seja, no sexto ano de vigência desse Plano que foi assumido como nacional.
Esses números, vistos de perto, têm pormenores que indicam o quão exigente deve ser o esforço analítico para enfrentar a questão. Um exemplo disso pode ser indicado com a situação dos que trabalham com crianças pequenas e que têm, entre os docentes, as menores remunerações, estando, portanto, na condição de sub-remunerados entre os menos remunerados.
Como aplicar a esse cenário critérios meramente empresariais de produtividade sem diluir a abordagem em expressiva superficialidade?
O que está em questão é cumprir as metas do PNE. Cumprindo-as chegaremos a cenários distantes do ideal, mas menos precários, com muito mar ainda a ser navegado.
Descumprindo-o ou descaracterizando-o retrocederemos a níveis desmoralizantes de sucateamento e desprofissionalização docente.
No país que simula caminhar voltando às sombras do lema ordem e progresso, o que está acontecendo na educação e com os docentes em geral é mais uma demonstração de que Darcy Ribeiro estava correto quando afirmava que entre nós a crise educacional não é problema, é projeto.
*Gilberto Alvarez Giusepone Jr. é diretor do Cursinho da Poli e presidente da Fundação PoliSaber
Fonte - Portogente  22/11/2016

Governo do Rio Grande do Sul decreta estado de calamidade financeira

Economia $

De acordo com a publicação, a decisão foi tomada considerando que “a crise da economia brasileira está atingindo fortemente a capacidade de financiamento do setor público”.O decreto diz também que “a queda estimada do Produto Interno Bruto (PIB), considerados os anos de 2015 e 2016, chegará a mais de 7%, com trágicas consequências para a arrecadação de tributos”.

Paula Laboissière
Repórter da Agência Brasil
Ag.Brasil
O governo do Rio Grande do Sul decretou hoje (22) estado de calamidade financeira na administração pública estadual, conforme decreto publicado no Diário Oficial do Rio Grande do Sul.
De acordo com a publicação, a decisão foi tomada considerando que “a crise da economia brasileira está atingindo fortemente a capacidade de financiamento do setor público”.
O decreto diz também que “a queda estimada do Produto Interno Bruto (PIB), considerados os anos de 2015 e 2016, chegará a mais de 7%, com trágicas consequências para a arrecadação de tributos”.
Ainda segundo o texto, a decisão levou em conta a necessidade de ações, no curto prazo, para fazer frente à crise e garantir a continuidade da prestação de serviços públicos essenciais, notadamente nas áreas da segurança pública, da saúde e da educação.
A publicação define que secretários de estado e dirigentes máximos de órgãos e entidades da administração pública estadual, sob a coordenação da Secretaria da Casa Civil, ficam autorizados a adotar medidas excepcionais necessárias à racionalização de todos os serviços públicos, salvo aqueles considerados essenciais.
O decreto entra em vigor hoje.
Fonte - Agência Brasil  22/11/2016

Obra parada do Metrô degrada áreas e cria quarteirões fantasmas em SP

Metrô/SP 🚇

Por exemplo, há alguns anos, quem passasse pela área onde será construída a estação Água Rasa (zona leste), da linha 2-verde, veria pessoas nas calçadas e um comércio movimentado. Agora, o cenário é de casas abandonadas, pichadas e mato nas calçadas.Tanto o governo Geraldo Alckmin (PSDB) como o consórcio responsável por uma das linhas alega falta de verba para as obras.

Folha de São Paulo - RF
fotos publicas
A paralisação de obras do metrô espalhou quarteirões fantasmas pela capital paulista. Parte dos quase 600 imóveis esvaziados para a construção de futuras estações está tomada por lixo, pichação e usuários de drogas.
Tanto o governo Geraldo Alckmin (PSDB) como o consórcio responsável por uma das linhas alega falta de verba para as obras.
Por exemplo, há alguns anos, quem passasse pela área onde será construída a estação Água Rasa (zona leste), da linha 2-verde, veria pessoas nas calçadas e um comércio movimentado. Agora, o cenário é de casas abandonadas, pichadas e mato nas calçadas.
A parte dos imóveis que foi demolida virou um terreno baldio. O muro que cercava o local foi destruído e, do lado de dentro, é possível ver um sofá e restos de fogueira em meio a toneladas de entulho.
Nos estudos sobre segurança pública, a famosa teoria das "janelas quebradas" prega que a degradação urbana e os índices de criminalidade aumentam em áreas com aparência de abandono.
Moradores da Água Rasa já sentem os efeitos dessa mudança. À noite, dizem, o pedaço é tomado por usuários de drogas e criminosos.
"Não dá mais para passar aí a pé quando escurece, é um breu, um deserto", diz o dono de uma loja de óleo para veículos, Francisco Ramos, 69, há mais de 20 anos no local. "Vários clientes deixaram de vir aqui", afirma.
Sem verba, governo estadual e empresas paralisaram a construção de parte importante das novas linhas da cidade. O prolongamento da linha 2-verde até Guarulhos foi suspenso no início do ano até dezembro.
Atualmente, a linha liga a Vila Madalena à Vila Prudente.
Também as obras da futura linha 6-laranja, que ligará a Brasilândia (zona norte) à Liberdade (centro), foram prejudicadas. Em setembro, o consórcio Move SP - composto pelas empresas Odebrecht Transport, Queiroz Galvão, UTC Engenharia e pelo fundo Eco Realty, contratado pelo governo para construir e operar a linha em regime de PPP- anunciou congelamento dos trabalhos.
Inicialmente prevista para 2020, não há mais data para início da operação da linha.
Para as obras nas duas linhas, já foram esvaziados 598 imóveis. A reportagem esteve nas áreas de futuras estações nas zonas leste, oeste e norte e constatou que o descompasso entre o esvaziamento das construções e o início das obras gerou efeitos colaterais.
Nos quarteirões desapropriados, além da falta de segurança, a vizinhança diz que os imóveis são invadidos por pessoas em busca de materiais para ferros-velhos e também são usados para o despejo irregular de entulho.

Despejados
Na Brasilândia (zona norte), onde será construída uma estação da linha 6-laranja, os tapumes se estendem por quatro quarteirões ao longo da estrada do Sabão. O terreno cercado sem operários causa indignação em moradores que tiveram suas casas demolidas e hoje vivem de aluguel.
Nascida em Mossoró (RN), a dona de casa Antonia Zuza, 49, chegou na década de 1990 ao bairro com a família. Ela e o marido juntaram dinheiro e ergueram uma casa nos fundos do terreno do cunhado.
"Achei que nunca mais iria voltar ao aluguel. Hoje, estou pagando R$ 800 para morar com a minha família". Como o terreno não era dela, não receberá pela desapropriação.
Os proprietários dos terrenos que conversaram com a reportagem afirmam que, mesmo tendo entregue as casas, o dinheiro da desapropriação continua barrado por pendências judiciais.
"Morávamos há 50 anos naquela casa. Eles deram uma data e tivemos que sair sem nada", diz a dona de casa Claudete Souza, 66, que hoje paga R$ 1.000 de aluguel numa casa perto da antiga. "Ficamos sem casa e não vamos ver esse metrô pronto."

foto - ilustração/Folha.UOL
Saques e dengue
As centenas de casas e terrenos desapropriados para a expansão do metrô viraram cenário de garimpo urbano, depósito de entulho e também possível criadouro de mosquitos da dengue.
Os moradores dos arredores da futura estação Sesc Pompeia, da linha 6-laranja, contam que já presenciaram vários casos invasões de imóveis vazios em busca de materiais recicláveis.
"Eles entram para pegar qualquer coisa que possam vender: fios, móveis, ferro", diz o o comerciante Luís Antonio Cardoso, 59.
Ele mora bem ao lado de uma das casas desapropriadas. "Um cara deu três passos e subiu no muro da casa vizinha à minha. Bem na minha frente. Depois passou pelo meio da grade."
De madrugada, diz ele, o barulho dos catadores de recicláveis era tamanho que era difícil dormir. Cardoso diz que reclamações ao consórcio responsável causaram o reforço da vigilância no local, com rondas mais frequentes.
"Mas a situação continua ruim, porque ficamos vulneráveis e sem prazo para isso se resolver. Os tapumes pichados chamam a atenção, o mato cresce", diz.
Nos lugares em que as casas já foram demolidas, o principal problema relatado é o depósito de entulho.
O muro que cercava um grande terreno da futura estação Água Rasa da linha 2-verde, na zona leste, foi destruído. "Jogam de tudo aí", diz Rafael Felipe, 30, proprietário de uma loja de tintas nos arredores do canteiro de obras.
Ele diz que a situação gera preocupação com questões de saúde. "Isso aí é um perigo para dengue."
Característica comum entre os locais visitados pela Folha é a proliferação de pichações nos locais desapropriados.
"Mudou muito aqui. Isso aí que você está vendo na frente era um açougue, tudo bonitinho. E olha agora como está", diz a comerciante Margarida de Almeida, 72, apontando para um imóvel pichado. O local está reservado para as obras da estação Nova Manchester, da linha 2-verde.
Preocupado com a perda da identidade da Brasilândia (zona norte), onde será construída uma estação da linha 6-laranja, o professor James Pereira, 55, diz que resolveu registrar o antes e depois das obras por meio de fotos. "Fica como documento histórico."

Outro lado
O Metrô de SP afirma fazer vigilância dos imóveis desapropriados e promete limpar os locais com entulho.
A companhia ligada ao governo de SP afirma ter tomado posse de 227 imóveis para as obras de prolongamento da linha 2-verde, dos quais 50 foram demolidos. Uma empresa terminará a demolição dos imóveis nas áreas reservadas para as estações da linha.
Segundo o Metrô, está em análise um edital para contratação de empresa para "a manutenção e limpeza dos terrenos, como a retirada dos entulhos, sanificação das áreas e fechamento com grades, além da reconstrução de suas respectivas calçadas".
A companhia diz manter vigilância "ostensiva motorizada em toda a extensão da linha durante 24 horas por dia". Segundo nota enviada à Folha, quatro vigilantes se revezam em dois turnos. Em caso de ocorrência nos terrenos, diz, a PM é chamada.
Os contratos das obras da linha 2-verde estão suspensos até dezembro "em decorrência da não liberação de limite pela União de um financiamento de R$ 2,5 bilhões via BNDES". Por isso, não há previsão de início dos trabalhos.
No caso da linha 6-laranja, a concessionária Move São Paulo paralisou as obras por não conseguir financiamento de longo prazo.
O governo notificou a empresa para que volte às obras, sob risco de penalidade, e tenta financiamento federal.
A linha prevê desapropriação de 371 imóveis privados, dos quais 344 já estão em posse da concessionária. Segundo o Metrô, as áreas são fiscalizadas pelo governo e, em caso de irregularidade, a Move SP pode ser multada.
Fonte - Revista Ferroviária  22/11/2016