sábado, 15 de outubro de 2016

Bombardier fornecerá 40 novos VLTs para cidade de Gotemburgo

Transportes sobre trilhos

O consórcio liderado pela Bombardier Transportation,ganhou um contrato para fornecer 40 bondes (VLT) Flexity eléctricos com piso baixo,com equipamento elétrico da Vossloh Kiepe,para a cidade de Gotemburgo.

Da Redação
foto - ilustração
A Bombardier em parceria com a Vossloh Kiepe,após a realização de uma concorrência internacional,irá fornecer 40 bondes Flexity eléctricos (VLT) com piso baixo para a operadora Göteborgs Spårvägar de transportes público de Gotemburgo.
O contrato tem um valor estimado de €140 milhões,e inclui ainda uma opção para fornecer até 60 bondes eléctricos adicionais válida até 2026.
Os novos bondes (VLT),serão adaptados a infra-estrutura já existente,ferroviária,elétrica e todos os tipos de condições ambientais e climáticas da cidade.Vidros duplos em todas as janelas e portas impede a condensação e facilita a visibilidade e a transparência em todas as condições meteorológicas.Os veículos são de piso baixo para facilitar o acesso livre de obstáculos a todos os usuários,com baixa carga por eixo e alta capacidade de passageiros.Todas as versões dos veículos terão espaços suficientes para cadeiras de rodas e também um dispositivo de embarque eletromecânico.Os veículos serão equipados com um sistema de propulsão da Vossloh Kiepe e truques Bombardier FLEXX,para proporcionar uma condução suave e confortável.
Pregopontocom  15/10/2016

Trecho no final da Paralela sentido Rodoviária será interditado para obras do metrô na madrugada desse domingo (16)

Trânsito

Obra do Metrô de Salvador causará interdição na madrugada desse domingo (16) no trecho do Shopping Salvador,sentido Aeroporto/Rodoviária,para implantação de nova passarela no local.

Da redação

A Avenida Paralela terá um trecho no sentido Aeroporto/Rodoviária interditado a partir da Zero hora deste sábado(15),e 5h de domingo(16).A interdição acontece para que seja implantada a nova passarela do Salvador Shopping,conforme informação da CCR Metrô Bahia.
A operação será iniciada com o afunilamento da via na altura da Rua Thomaz Gonzaga,com o fechamento total do trânsito entre 2h e 3h, e com bloqueio antes do viaduto da Av. Luís Eduardo Magalhães na Av. Paralela.

Os condutores de veículos deverão usar as seguintes rotas alternativas:
1) Vindo da Av. Paralela em direção à Av. ACM deverão acessar o viaduto da Av. Luís Eduardo Magalhães,pegar o primeiro retorno da Estrada do Curralinho,entrar na Rua Arnaldo Lopes da Silva e passar pela Av. Professor Manoel Ribeiro em direção à Av. Tancredo Neves, seguindo então para a Av. ACM.

2) Vindo da Av. Luís Eduardo Magalhães em direção a Av. ACM deverão cruzar o viaduto,pegar o primeiro retorno da Estrada do Curralinho,entrar na Rua Arnaldo Lopes da Silva e passar pela Av. Professor Manoel Ribeiro em direção à Av. Tancredo Neves, seguindo então para a Av. ACM.
Pregopontocom  15/10/2016

Governo entrega pavimentação na BA-534 e reforça segurança em Salinas da Margarida

Infraestrutura

Durante visita a Salinas,o governador, acompanhado do secretário estadual de Infraestrutura,Marcus Cavalcanti,também inaugurou os 27,8 km da BA-534,do entroncamento da BA-001 até a Enseada do Paraguaçu,partindo do entroncamento da BA-001 até a Enseada do Paraguaçu,que foram totalmente pavimentados e receberam nova sinalização horizontal e vertical. Sete cidades da região foram contemplados com a obra, entre elas, a turística Salinas da Margarida, que teve revitalizados o píer e a principal via da cidade, a Avenida Getúlio Vargas.

Da Redação
foto -  Mateus Pereira/GOVBA
Com aproximadamente 15,5 mil habitantes, o município de Salinas da Margarida, no Recôncavo baiano, foi contemplado com um Distrito Integrado de Segurança Pública (Disep). O governador Rui Costa, o comandante-geral da Polícia Militar da Bahia, coronel Anselmo Brandão, entre outras autoridades, inauguraram, neste sábado (15), o mais novo equipamento de segurança da região, construído e equipado com a proposta de integrar e fortalecer os trabalhos das polícias Civil e Militar, representando um investimento estadual da ordem de R$ 3,3 milhões.
Durante visita a Salinas, o governador, acompanhado do secretário estadual de Infraestrutura, Marcus Cavalcanti, também inaugurou os 27,8 km da BA-534, do entroncamento da BA-001 até a Enseada do Paraguaçu. "Nós, baianas e baianos, podemos ter orgulho do nosso estado. A Bahia é um dos seis estados brasileiros que estão pagando as suas contas em dia e fazendo investimento como a pavimentação de estradas e a construção de Diseps", afirmou o governador.
Este é o décimo Disep entregue pelo atual governo em um ano e meio. Além de recepções para atendimento ao público, setores administrativos, alojamentos masculino e feminino, os distritos integrados dispõem de celas, sanitários, salas para capacitação, copas, entre outras dependências. "Para a segurança pública melhorar precisamos integrar as polícias Civil e Militar. Por isso, estamos construindo Diseps como este em várias regiões do estado", disse Rui.
Na opinião do delegado geral adjunto da Polícia Civil, Gildécio Souza, ter as duas corporações da segurança pública num mesmo espaço facilita o trabalho conjunto, “o atendimento à comunidade, os serviços de investigação, policiamento ostensivo, cada função que estas instituições têm".
Para o tenente coronel PM Adalberto Piton, comandante do 14º Batalhão da PMBA, responsável pelo policiamento na região, "o impacto [do Disep em Salinas] é muito positivo porque facilita o cumprimento dos ditames do programa Pacto Pela Vida, em que as polícias de forma integrada buscam reduzir os índices de homicídios e crimes contra o patrimônio. Toda a comunidade ganha com essa integração".

foto -  Mateus Pereira/GOVBA
Os quase 28 quilômetros da BA-534, que partem do entroncamento da BA-001 até a Enseada do Paraguaçu, foram totalmente pavimentados e receberam nova sinalização horizontal e vertical. Sete cidades da região foram contemplados com a obra, entre elas, a turística Salinas da Margarida, que teve revitalizados o píer e a principal via da cidade, a Avenida Getúlio Vargas.
Esta foi a 18ª obra de pavimentação entregue pelo governador desde o início da sua gestão. Ele conferiu de perto o resultado dos trabalhos. "A estrada está muito bonita, de qualidade. Isso é bom para o turismo dessa região, que é uma das mais bonitas do nosso estado", enfatizou Rui. Para quem vive às margens da BA-534, como o agricultor Gerson Oliveira, de 56 anos, morador do distrito de Pirajuí, que pertence ao município de Jaguaripe, a obra valorizou as propriedades. "Era tudo esburacado isso aqui. Agora, ficou melhor".

Turismo e Bahia Produtiva
foto -  Mateus Pereira/GOVBA
Também foram beneficiados os municípios de Conceição de Salinas, São Roque do Paraguaçu, Nazaré, Itaparica, Vera Cruz e Maragojipe. Morador de Salinas da Margarida, o taxista Rosenildo Conceição, 32, percorre o trecho recuperado diariamente. Para ele, além de diminuir os custos com a manutenção do veículo, as viagens se tornaram mais seguras e confortáveis para os turistas. "Era um sofrimento essa estrada cheia de buraco. Acabei com um carro rodando nessa estrada. O dinheiro que eu ganhava era para dar manutenção no carro. O passageiro andava revoltado, cheio de dor com a buraqueira que estava aí. Agora, está ótimo. O passageiro anda [viaja] dormindo. Está satisfeito".
Ainda em Salinas, o governador assinou um convênio no âmbito do Programa Bahia Produtiva, na área socioambiental, no valor de R$ 195 mil reais, beneficiando 20 famílias. O governador Rui Costa observou que o convênio assinado hoje é para apoiar as marisqueiras, para que qualifiquem o trabalho.
"A Bahia tem o maior número de famílias que vivem da agricultura, da pesca e da maricultura. São 700 mil famílias, ou seja, 3 milhões de baianos. É impossível pensar na Bahia sem pensar nos pequenos. Com esse apoio que estamos dando, o comércio fica mais forte e a economia das cidades melhora". O programa é uma ação do Governo do Estado, por meio da SDR/CAR, voltada para financiar projetos de inclusão produtiva e acesso ao mercado, socioambientais, de abastecimento de água e esgotamento sanitário, de interesse das comunidades mais pobres da Bahia.
Com informações da Secom Ba. 15/10/2016

Paises do BRICS precisam de US$177 bi por ano para cumprir metas de energia renovável

Sustentabilidade 

De acordo com o relatório do IEEFA, as atuais metas de energias renováveis dos BRICS exige um investimento anual de US$ 51 bilhões além do montante alocado para aumentar a capacidade de energia renovável em 2015. Esta lacuna de investimento precisa ser preenchida por financiamentos combinados e catalisada por recursos públicos

Revista Amazônia
foto/montagem - ilustração
Às vésperas da 8ª cúpula anual dos BRICS, que acontece nos dias 15 e 16 de outubro em Goa, na Índia, o Instituto de Economia e Análise Financeira de Energia (IEEFA) divulga um relatório que estuda as metas de cada um desses países voluntariamente apresentou à ONU sob a égide do Acordo de Paris, bem como os objetivos energéticos declarados, para entender a expansão necessária em energias renováveis e a correspondente magnitude dos investimentos necessários para atingir esses objetivos. Os números são impressionantes: capacidade total adicionada de cerca de 498GW e necessidade de investir US$ 177 bilhões por ano. No entanto, as variações no ritmo atual de progresso são gritantes – de investimentos quase inexistentes em energia limpa na Rússia,até a revolução limpa chinesa.
De acordo com o relatório do IEEFA, as atuais metas de energias renováveis dos BRICS exige um investimento anual de US$ 51 bilhões além do montante alocado para aumentar a capacidade de energia renovável em 2015. Esta lacuna de investimento precisa ser preenchida por financiamentos combinados e catalisada por recursos públicos. O relatório conclui que cerca de US$ 10 bilhões anuais precisam vir de instituições financeiras públicas, como o New Development Bank (NDB), o banco de desenvolvimento criado pelos BRICS.
Jai Sharda, autor do relatório, disse: “O NDB planeja aumentar sua carteira de crédito em cerca de US $ 1,2 bilhão por ano ao longo dos próximos 3 anos, o que é apenas 11,7% do capital incremental exigido pelas instituições públicas. Portanto existe uma clara necessidade de aumentar a taxa com a qual ele implanta capital adicional. Além disso, o NDB precisa garantir que daqui para frente, ele continua a se concentrar no financiamento de projetos de energia renovável “.
Em 2015, os países em desenvolvimento já ultrapassaram as nações desenvolvidas no investimento em energias limpas. No contexto pós-Paris, investimentos em baixo carbono e infra-estrutura limpa podem ultrapassar as economias em desenvolvimento no caminho para um mundo com emissões líquidas zero, se as necessidades de financiamento forem atendidas.
A diretora executiva do Instituto Clima e Sociedade, Ana Toni, disse: “A agenda climática precisa ser colocada no cerne da agenda econômica dos BRICS. Energia é uma premissa vital do crescimento econômico e da inclusão social e, com a entrada em vigor do Acordo de Paris, o único caminho possível é o das energias limpas. Boa parte da matriz energética do Brasil vem de fontes limpas, mas se quisermos cumprir efetivamente lutar para que o aquecimento global não comprometa nossa agricultura, nossas cidades e a saúde dos brasileiros, precisamos avançar ainda mais, unindo todos os agentes econômicos em torno de uma agenda de desenvolvimento de baixo carbono.”.
O NDB, também chamado de Banco BRICS, coloca o financiamento para o desenvolvimento sustentável como um dos seus objetivos principais. Até agora, ele concedeu cinco empréstimos equivalentes a US $ 911 milhões, contemplando cada um dos sócios fundadores. Quase todos foram em projetos de energia limpa, em linha com a agenda declarada do Banco. Será necessário um grande impulso por parte dele para colocar as nações do BRICS em maior órbita de energia limpa.
Peng Peng, Diretor de Pesquisa Política da União da Indústria Chinesa de Energia Renovável disse: “O NDB deve apoiar o desenvolvimento de energias renováveis nos países BRICS, que são representantes do mundo em desenvolvimento, para reduzir os custos de energia no longo prazo e a dependência dos combustíveis fósseis. Atualmente, os custos de financiamento na maioria dos países em desenvolvimento são muito altos. O NDB poderia ter seus próprios programas de apoio à energia limpa e poderia apoiar os programas BRICS a alcançar financiamento de baixo custo e longo prazo no mercado financeiro internacional “.
Srinivas Krishnaswamy, CEO da Vasudha Foundation, disse: “Embora o NDB tenha definido determinados tipos de investimentos como elegíveis para financiamento , a falta de uma definição clara do que é desenvolvimento sustentável permite que alguns projetos classificados como “carvão limpo”, por exemplo, acabem sendo financiados pelo Banco. Se o NDB vai ser algo novo, ele terá de romper com o modelo até agora seguido de apoiar modelo de desenvolvimento orientados para a extração “.
Jai Sharda é consultor da IEEFA na Índia. Ele tem 8 anos de experiência em Equity Research, abrangendo tanto Buy Side como em Sell Side, tendo coberto ações mid-cap mercado acionário indiano.

Sobre IEEFA
IEEFA (ieefa. org/category/subject/reports/) realiza pesquisas e análises sobre questões financeiras e econômicas relacionadas com a energia e o ambiente. A missão do Instituto é acelerar a transição para uma economia de energia diversificada, sustentável e rentável e reduzir a dependência do carvão e outros recursos não renováveis de energia.
Fonte - Revista Amazônia  14/10/2016

Começa temporada de cruzeiros na Bahia

Turismo

Em Salvador,a partir de domingo (16),a Bahia começará a receber turistas da temporada verão 2016/2017.Serão 58 embarcações que chegarão até a metade do mês de abril. A previsão é que a cidade receba mais de 150 mil passageiros de navios.

Da Redação
foto - ilustração
A partir de domingo (16), a Bahia começará a receber turistas da temporada verão 2016/2017 pelo mar. Neste dia, a partir das 7h, o navio Mitnadsol chegará ao porto de Salvador com a previsão de trazer cerca de 500 passageiros. Para recebê-los, a Superintendência de Fomento ao Turismo (Bahiatursa) estará presente no local com baianas tipicamente caracterizadas dando boas vindas com a distribuição de fitinhas do Senhor do Bonfim.
A ação seguirá até o final da temporada, que está prevista para o mês de abril de 2017. Ao todo serão pelo menos 73 navios que se dividirão entre Salvador e Ilhéus, com a possibilidade de trazer mais de 200 mil turistas. “Este é um período muito especial. Todos os anos recebemos esses turistas e nossas ações têm uma receptividade muito grande dos passageiros”, garante o superintendente da Bahiatursa, Diogo Medrado.
Em Salvador, serão 58 embarcações que chegarão até a metade do mês de abril. A previsão é que a cidade receba mais de 150 mil passageiros de navios, como World Odyssey, Sovereign, Costa Pacifica, MSC Preziosa, Boudicca, Prinsendam, Veedam, Sea Princess e Seabourn Quest.
Com informações da Secom Ba.  14/10/2016

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Lei do Procusto

Ponto de Vista

A PEC 241, ou PEC dos gastos públicos, recentemente aprovada pela Câmara dos Deputados em primeira votação, é um verdadeiro leito de Procusto para toda a sociedade brasileira que, durante 20 anos, verá diminuída a participação do Estado nas despesas sociais e de educação, saúde, segurança, investimento e pessoal qualificado, deixando crescer livremente apenas as despesas financeiras com os juros da dívida, abocanhadas pelos rentistas.

Por João Guilherme Vargas Netto-Portogente
foto - ilustração
Procusto era um mitológico bandido grego que obrigava os viajantes assaltados a se deitarem em uma cama pequena e amputava as partes de seus corpos que a excediam.
A PEC 241, ou PEC dos gastos públicos, recentemente aprovada pela Câmara dos Deputados em primeira votação, é um verdadeiro leito de Procusto para toda a sociedade brasileira que, durante 20 anos, verá diminuída a participação do Estado nas despesas sociais e de educação, saúde, segurança, investimento e pessoal qualificado, deixando crescer livremente apenas as despesas financeiras com os juros da dívida, abocanhadas pelos rentistas.
Além do faustoso jantar oferecido pelo presidente da República com a finalidade de arrebanhar deputados pela sua aprovação, a PEC 241 mereceu o apoio unânime do empresariado brasileiro que, com sucessivas e enormes matérias publicitárias (pagas certamente pelas gordas verbas do sistema S) acomodou-se no fatídico leito, pronto a sofrer a decepação criminosa em seus interesses produtivistas.
O movimento sindical dos trabalhadores do setor privado da economia (acossado pela feroz recessão e enfrentando difíceis campanhas salariais) reagiu debilmente a esta investida mutilatória e os companheiros do setor público, representados por suas entidades, amargaram a acusação hipócrita de corporativistas ao defenderem seus dedos e os anéis.
Neste clima de certezas negativas, com a mídia a todo vapor editando, festiva, a votação da Câmara nos cadernos de economia, alguém pensa que no apertado leito de Procusto serão poupados os braços da previdência social e as pernas do salário mínimo? O pior das consequências, como dizem os portugueses, é que elas vêm depois.
Para melhor organizar o esquartejamento, o governo adiou (pela segunda vez) a reunião que havia convocado com as centrais sindicais sobre a reforma previdenciária, agora postergada para depois do segundo turno das eleições municipais ou sine die.
É importante e resulta do bom senso que as direções sindicais reforcem suas mobilizações unitárias de resistência, como as preparadas pelo setor de transporte para os dias 10 e 11 de novembro.
*João Guilherme Vargas Netto é analista político e consultor sindical
Fonte - Portogente  14/10/2016

BYD entra no mercado de transportes sobre trilhos

Transportes sobre trilhos

O SkyRail é o resultado de um projeto de cinco anos que custou 5 bilhões de yuans.O veículo tem capacidade de transportar até 30 mil passageiros/h por sentido e a sua velocidade máxima é de 80 km/h.

Da Redação
foto-Xinhua/Railway Gazette
A fabricante chinesa BYD de ônibus,carros e baterias,apresentou em 13 de outubro o seu primeiro monotrilho em uma pista de testes de 4 km na sua sede em Shenzhen .
O SkyRail é o resultado de um projeto de cinco anos que custou 5 bilhões de yuans e é destinado a pequenas e médias cidades,bem como para atrações turísticas e áreas comerciais centrais. Ele tem capacidade de transportar até 30 mil passageiros/h por sentido e a sua velocidade máxima é de 80 km/h.
O veículo se apresenta como uma opção de transporte ferroviário com capacidade relativamente pequeno de passageiros,o SkyRail pode complementar e se integrar a vários sistemas de transportes públicos existentes,disse o presidente da BYD, Wang Chuanfu.
A primeira cidade a encomendar o SkyRail foi Shantou,na província de Guangdong,onde foi planejada uma rede com 250 km de extensão.
Com informações da Railway Gazette 14/10/2016

Alemanha divulga data para o fim dos carros movidos a combustão

Sustentabilidade

De acordo com o Bundesrat (casa legislativa),todos os novos carros que forem registrados no país precisarão estar livres de emissões de gases estufa e outros poluentes,isso no prazo máximo até 2030.


Revista Amazônia
foto - ilustração/arquivo
O Bundesrat, algo como o nosso Senado Federal votou a favor de uma medida que pode ser uma sentença de morte para os carros que são movidos a combustão. De acordo com a casa legislativa, todos os novos carros que forem registrados no país precisarão estar livres de emissões de gases estufa e outros poluentes, isso no prazo máximo até 2030.
De acordo com Electrek, o país vem investindo em massa no desenvolvimento de carros elétricos. Hoje em dia, a Alemanha tem uma frota de 45 milhões de carros, dos quais apenas 25 mil são totalmente elétricos e 150 mil, híbridos.
Já o ArsTechnica aponta que a medida se relaciona a uma estratégia de redução de emissão de gases causadores do efeito estufa adotada pela Comissão Europeia (pdf) em julho passado. A resolução diz que a redução de emissão de tais gases na Alemanhã só poderia atingir mediante uma drástica “descarbonização” de toda sua frota. Como não é possível eliminar as emissões da indústria e da agropecuária do país até o ano de 2050 sem afetar o seu desenvolvimento, o governo então decidiu focar na mobilidade.

Impacto
Para ajudar na viabilidade dessa medida, o governo se compromete a oferecer incentivos fiscais e opções financeiras à indústria de carros não poluentes. Vai haver subsídios governamentais para o transporte coletivo, serviços de compartilhamento de carros e para o uso de bicicletas como meio de transporte no dia-a-dia.
Todas essas medidas são não-vinculativas, isso quer dizer que elas não têm força de lei. Entretanto, como elas foram aprovadas pela casa legislativa alemã, isso indica um firme compromisso do governo daquele país. Além do mais, como a Alemanha detém o título de terceiro maior produtor mundial de carros movidos a combustão, e como essas medidas foram adotadas para garantir o cumprimento de uma resolução feita pela Comissão Europeia, é provável que outros países da União Europeia adotem tais medidas.
Para finalizar, vale lembrar que o estado alemão de Niedersachsen tem uma forte dependência da Volkswagen em sua economia. O fato de que o estado aprovou a medida sugere que a fabricante deva reforçar seu compromisso com a criação de carros elétricos.
Fonte - Revista Amazônia  14/10/2016

Mais 460 famílias recebem casa própria em Teixeira de Freitas (BA)

Habitação                                

O governador Rui Costa, entre outras autoridades, esteve no local na manhã desta sexta-feira (14) para a entrega das chaves aos futuros moradores. "O sonho da casa própria é o sonho de muitas famílias que, a partir de agora, passam a ter mais conforto, mais segurança, inclusive, emocional. Pois quem mora de aluguel sabe do sufoco, da dificuldade de pagar o aluguel quando perde o emprego, corre o risco de ir para o olho da rua e ficar sem um lar para dar aos seus filhos.

Da Redação
foto - Mateus Pereira/GOVBA
Três décadas e um sonho que parecia impossível: Sair do aluguel e pagar a prestação da casa própria. Aos 62 anos, o desejo da empregada doméstica Tereza Ribeiro acaba de se tornar realidade. Ela é uma dos 460 moradores de Teixeira de Freitas, no extremo sul da Bahia, que foram contempladas com uma unidade habitacional do Residencial Antônio Costa Filho, construído no bairro Colina Verde, por meio do programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV). "Há 30 anos que eu pago o aluguel com os meus braços, trabalhando em casa de família. Estou muito feliz e agradecida a todos que me deram essa força", disse, emocionada.
O governador Rui Costa, entre outras autoridades, esteve no local na manhã desta sexta-feira (14) para a entrega das chaves aos futuros moradores. "O sonho da casa própria é o sonho de muitas famílias que, a partir de agora, passam a ter mais conforto, mais segurança, inclusive, emocional. Pois quem mora de aluguel sabe do sufoco, da dificuldade de pagar o aluguel quando perde o emprego, corre o risco de ir para o olho da rua e ficar sem um lar para dar aos seus filhos. A entrega de casas é o evento que mais me emociona. Porque significa uma nova vida para milhares de famílias", revelou Rui.

foto - Mateus Pereira/GOVBA
Durante a visita, o governador ressaltou que a Bahia tem se destacado como um dos estados que mais construiu moradias do Minha Casa, Minha Vida. "Aqui em Teixeira de Freitas, nós vamos para mais de três mil casas com as que serão entregues em dezembro". Até o momento, já foram erguidas cerca de 2,3 mil casas pelo MCMV no município, e outras mil moradias estão sendo construídas. Em toda a Bahia, já foram contratadas aproximadamente 300 mil unidades habitacionais.
Com redes de água, esgoto e energia elétrica, o residencial também dispõe de áreas de lazer com quiosque, parque infantil e quadra de esportes. Quem também está ansioso para viver no novo lar é Aivo Miranda, 53. Aposentado há 20 anos por invalidez, ele vai morar com o filho no residencial. "Só espero coisa boa. Que sejamos felizes e nada de ruim aconteça comigo e meu filho".
Durante 3 anos e meio, cerca de 300 trabalhadores da construção civil passaram pela obra e desempenharam diferentes funções. O servente prático, Eduardo Moraes, 28, é um deles. De acordo com o profissional, "ver a obra tomar forma e agora entregar para a população, com 460 famílias sendo beneficiadas, é gratificante".

Policlínica
Antes de entregar as chaves da casa própria o governador Rui Costa visitou o canteiro de obras, em Teixeira de Freitas, onde está sendo construída a primeira das 28 policlínicas do estado. Com 31 especialidades médicas, na unidade de saúde também serão realizados exames laboratoriais, por meio do Lacen. A unidade de Teixeira de Freitas vai contemplar moradores de 13 municípios da região. Conforme o engenheiro responsável pela obra, Rubens Carvalho, cerca de 90 trabalhadores, entre diretos e indiretos, estão no canteiro de obras. De acordo com ele, a obra deve ficar pronta entre os meses de fevereiro e março do ano que vem. "Estamos com aproximadamente 45% de avanço físico".
Com informações da Secom Ba.  14/10/2016

Peru quer que trem bioceânico com o Brasil inclua a Bolívia

Ferrovias

A autoridade peruana, que ocupa a pasta dos Transportes, disse que sua presença na reunião técnica sobre Transporte Sustentável de Países em Desenvolvimento sem Litoral, inaugurada nesta quinta-feira em Santa Cruz (leste), "tem o propósito de impulsionar novos projetos de integração".

AFP
foto - ilustração/arquivo
O Peru expressou nesta quinta-feira sua vontade de que o projeto de trem bioceânico que poderá unir seu território com o Brasil, inclua a Bolívia no trajeto que, segundo o vice-presidente peruano Martín Vizcarra, está em "ativa avaliação".
A autoridade peruana, que ocupa a pasta dos Transportes, disse que sua presença na reunião técnica sobre Transporte Sustentável de Países em Desenvolvimento sem Litoral, inaugurada nesta quinta-feira em Santa Cruz (leste), "tem o propósito de impulsionar novos projetos de integração".
Entre eles, "o corredor ferroviário central Peru-Bolívia-Brasil, destinado a unir portos peruanos no sul do Peru, no Oceano Pacífico com a Bolívia e com o Porto de Santos do Brasil, no Oceano Atlântico".
O traçado inicial planejado pela China, que se ofereceu como financiadora, não contemplava essa passagem pela Bolívia.
Segundo Vizcarra, citado pela agência oficial ABI, "este projeto se encontra em ativa avaliação neste momento e esperamos poder empreender logo os estudos de viabilidade".
Fonte - Abifer  13/10/2016

quinta-feira, 13 de outubro de 2016

O voo baixo da Embraer

Ponto de Vista

A Embraer,fabricante de aviões comerciais,executivos,agrícolas e militares,iniciou mais um plano de demissão voluntária (PDV),terminado em 11 de outubro último,na sua unidade matriz,em São José dos Campos,Interior Paulista.Segundo a companhia,o PDV faz parte do ajuste das operações da empresa e está voltado apenas para engenheiros,secretários e técnicos de nível médio, funções que representam aproximadamente 50% dos empregados.

Portogente
Portogente
Ao mesmo tempo em que abre e mantém fábricas no exterior, a Embraer, fabricante de aviões comerciais, executivos, agrícolas e militares, iniciou mais um plano de demissão voluntária (PDV), terminado em 11 de outubro último, na sua unidade matriz, em São José dos Campos, Interior Paulista. Hoje um conglomerado transnacional brasileiro, a empresa foi privatizada em 7 de dezembro de 1994.
Segundo a companhia, o PDV faz parte do ajuste das operações da empresa e está voltado apenas para engenheiros, secretários e técnicos de nível médio, funções que representam aproximadamente 50% dos empregados.
Os empregados que tiverem a adesão ao PDV confirmada serão desligados a partir do dia 17. Eles receberão indenização adicional proporcional ao tempo de empresa (40% do salário nominal por ano de empresa), com garantia de dois salários nominais brutos; o pagamento de seis meses do plano de saúde e odontológico para o empregado e seus dependentes; apoio e orientação para o processo de transição de carreira ou de aposentadoria.
Em agosto também deste ano, a Embraer já havia realizado um plano de demissão voluntária que desligou 1.470 funcionários. Interessante que no site oficial da companhia (www.embraer.com.br) está destacado, como forma de slogan: "Nossa gente é o que nos faz voar." E onde se pode ler: "Nosso maior valor é a alegria, a paixão e o comprometimento de nossa gente. Todos buscam dar o melhor de si, pois sabemos que, juntos, conquistamos a excelência. Pessoas felizes, competentes, valorizadas, realizadas e comprometidas com que fazem. Pessoas que trabalham em equipe e agem com integridade, coerência, respeito e confiança mútua.​"
Fonte - Portogente  13/10/2016

Cachoeira registra 100% de ocupação hoteleira durante a Flica

Turismo

Classificada entre os destinos turísticos mais importantes da Bahia - pelo valor do seu patrimônio histórico e arquitetônico -, Cachoeira oferece uma agradável e exclusiva experiência aos turistas.

Da Redação
foto - ilustração/flickr
Iniciada nesta quinta-feira (13), a Festa Literária Internacional de Cachoeira (Flica) prossegue até domingo (16), com ampla programação nas áreas de educação, cidadania e cultura. Classificada entre os destinos turísticos mais importantes da Bahia - pelo valor do seu patrimônio histórico e arquitetônico -, Cachoeira oferece uma agradável e exclusiva experiência aos turistas.
Há charmosas pousadas e hotéis instalados em construções coloniais, que garantem aos visitantes hospedagens em apartamentos confortáveis e aconchegantes. O centro histórico de Cachoeira é um convite para uma viagem ao passado. O casario bem conservado e representativo da arquitetura dos séculos XVIII e XIX pode ser admirado em um passeio a pé por suas ruas irregulares, revestidas em pedras.
Em visita à Festa Literária, onde acompanhou a programação desta quinta-feira (13), o secretário do Turismo da Bahia, José Alves, falou sobre a importância do evento para o fortalecimento da atividade turística no Recôncavo Baiano e comemorou a ocupação hoteleira em 100%. "Temos atuado nesta região de forma permanente, visando à qualificação dos serviços turísticos e promoção do destino", afirmou. "O grande público da Flica demonstra o êxito deste trabalho de fortalecimento da cadeia produtiva do turismo. Conseguimos movimentar a economia e gerar empregos”. Maiores informações no site da Secretaria de Turismo.
Com informações da Secom Ba. 13/10/2016

O sistema Ferry-Boat opera normalmente nesta quarta (13) na travessia Salvador/Itaparica

Travessia Marítima

O sistema Ferry-Boat que realiza a travessia entre Salvador e a ilha de Itaparica esta operando com três embarcações nesta quinta (13)com partidas de hora em hora nos dois sentidos

Da Redação
foto - ilustração/arquivo
O sistema Ferry-Boat, funciona nesta quinta-feira (13) com fluxo tranquilo nos terminais de Bom Despacho e São Joaquim.As 03 embarcações, Pinheiro, Agenor Gordilho e Dorival Caymmi realizam viagens nos horários programados com partidas de hora em hora.Viagens extras podem ocorrer com o aumento da demanda durante o dia.As passagens podem ser adquiridas nos terminais de embarques em São Joaquim e bom despacho por meio de cartões de crédito,de débito ou dinheiro.
Para verificar a disponibilidade de vagas para o serviço de Hora Marcada,válido apenas para condutores de veículos,os usuários devem acessar o site -portalsits.internacionaltravessias-.O pagamento para esse tipo de serviço pode ser feito através de cartões de débito ou crédito.
Para mais informações o sistema disponibiliza uma Central de Atendimento ao Cliente (CAC), localizada no Terminal São Joaquim funcionando de segunda a sexta,das 8h às 18h,e aos sábados, das 7h às 13h.
Contatos através do Tel - 071 3032-0475 e pelo ecac@internacionaltravessias.com.br.
Com informações da ITS  13/10/2016

Ainda o pré-sal

Ponto de Vista

O pré-sal constitui uma nova fronteira exploratória, com características inéditas.Empresas multinacionais estão explorando áreas semelhantes,na Costa Ocidental da África.Algumas aproveitando o aprendizado obtido nas parcerias com a Petrobras.Registro que o pré-sal é uma das maiores, senão a maior,descoberta de petróleo,no mundo, nos últimos 20 anos.

Por Ricardo Maranhão - Portogente
foto - ilustração
É preciso preservar essa riqueza, que pode chegar a 273 bilhões de barris, assim como a Petrobras e o modelo de partilha que garante os interesses nacionais.
Pré-sal é um conjunto de rochas carbonáticas, situadas no litoral brasileiro, com grandes acumulações de óleo e gás. Sobre estas rochas foi depositada, há milhões de anos, uma extensa camada de sal que pode ter até 2 mil metros de espessura. A profundidade total dessas rochas é de até 8 mil metros, em relação à superfície do mar, onde a lâmina d’água é superior a 2 mil metros.
O pré-sal constitui uma nova fronteira exploratória, com características inéditas. Empresas multinacionais estão explorando áreas semelhantes, na Costa Ocidental da África. Algumas aproveitando o aprendizado obtido nas parcerias com a Petrobras.
Registro que o pré-sal é uma das maiores, senão a maior, descoberta de petróleo, no mundo, nos últimos 20 anos.
Estudos bem fundamentados, do Instituto Nacional de Óleo e Gás (INOG), vinculado à Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), elaborados por Cleveland Jones e Hernane Chaves, sinalizam, com 90% de probabilidade, para reservas da ordem de 176 bilhões de barris. Essas reservas, com possibilidade de 10%, podem chegar a 273 bilhões de barris, suficientes para atender ao consumo de todo o mundo, por seis anos.
Destaco que os números acima não incluem os 30 a 40 bilhões de barris que já foram descobertos.
Os reservatórios podem estar a até 340 quilômetros do continente, onde a lâmina d’água atinge 2.400 metros e os poços profundidades de 7 mil a 8 mil metros.
O pré-sal foi descoberto por brasileiros. Pelo corpo técnico da Petrobras, competente, motivado e impulsionado pelo sentimento de patriotismo, cônscio de sua missão criadora de condições necessárias à soberania energética de nosso País. Mas, não somente pelos combatentes da Petrobras. Eles contaram e contam com apoio de dezenas de universidades e centros de pesquisas, fornecedores de materiais e equipamentos e empresas de engenharia brasileiras, que atuam em articulação com a nossa maior companhia.
O polígono do pré-sal se estende pelo litoral dos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo, com área aproximada de 149 mil quilômetros quadrados, abrangendo as bacias de Santos e Campos. Esta área corresponde a 3,4 vezes o tamanho do Estado do Rio de Janeiro. Os limites da área foram fixados a partir de avaliações e interpretações geológicas. Não está descartada a possibilidade dos reservatórios do pré-sal estarem interligados.

Desafios e sucesso na exploração
Os desafios foram e são enormes. As grandes distâncias do continente, dificultando a logística. As elevadas pressões e temperaturas exigem o desenvolvimento de materiais inéditos. A presença de gases, como o dióxido de carbono e gás sulfídrico. Os agentes que provocam forte corrosão e as características da crosta terrestre, que ensejam a possibilidade de desmoronamento dos poços. Tudo isto, e muito mais, foi superado, com obstinação, pelos brasileiros.
O esforço hercúleo, que persiste, foi recompensado. As jazidas são monumentais. O óleo é leve, de excelente qualidade, com cotação elevada no mercado. Os poços têm produtividade extraordinária. Alguns produzem até 35000 barris/dia de óleo ou 41000 barris/dia de óleo equivalente (1000 m3 de gás natural = 1 m3 de óleo = 6,29 barris).
É preciso destacar este número: 41 mil barris por dia de óleo equivalente. Para entendermos o que significa isto, vejamos. A Petrobras produz petróleo no Brasil, em terra (onshore) e offshore (na plataforma continental). Os estados produtores são Amazonas (terra), Maranhão (terra), Ceará (terra e mar), Rio Grande do Norte (terra e mar), Sergipe (terra e mar), Alagoas (terra), Bahia (terra e mar), Espírito Santo (terra e mar), Rio de Janeiro (mar), São Paulo (Mar), Paraná (terra, óleo de xisto, em São Mateus do Sul). Consideremos a Fazenda de Belém, no Estado do Ceará: um campo gigante, descoberto em março de 1980, com reservas da ordem de 700 milhões de barris. Nele foram perfurados nada menos de mil poços, dos quais 395 permanecem em produção extraindo apenas, 1.800 barris/dia ou pouco menos de 5 barris/dia por poço! No pré-sal, de um único poço são extraídos nada menos de 41 mil barris de óleo equivalente por dia!

Produção garantida
Outra característica importantíssima do pré-sal é o baixo risco geológico que foi comprovado pela Petrobrás, após pesados investimentos em vários poços pioneiros exploratórios, com grande risco, o que certamente nenhuma empresa estrangeira faria. Exemplo desta inapetência das petrolíferas estrangeiras em investir no Brasil é o da a Shell, que detinha a concessão do bloco onde depois a Petrobras enfrentou o risco exploratório com extrema competência, investiu pesadamente na perfuração de um poço pioneiro profundo e descobriu a mega acumulação de Libra.
As empresas estrangeiras não investem quando há risco, aguardam a Petrobras investir e quando essa descobre, como no caso do pré-sal, atuam como verdadeiros corsários, em nome de seus países de origem, para abocanhar riquezas que foram descobertas com a competência de brasileiros, com recursos financeiros brasileiros, no Brasil. O índice de sucesso (relação entre poços com óleo/poços perfurados) chega a 100%, ou seja, risco zero.
Ao superar desafios extraordinários no pré-sal, a Petrobras consolida sua inquestionável liderança na exploração de petróleo em águas profundas e ultraprofundas. Esta liderança, que já havia sido reconhecida pela Offshore Technology Conference (OTC), em 1992 e 2001, foi reafirmada, pela 3ª vez, em 2015, com a concessão do Distinguishe Achievement Award for Companies.
Descoberto em 2006, em apenas dois anos, o pré-sal já estava produzindo. Foram necessários somente oito anos para que a produção atingisse 400 mil barris/dia. Províncias semelhantes demoraram mais tempo para superar este patamar de produção, como o Mar do Norte (nove anos), Bacia de Campos (16 anos) e a porção americana do Golfo do México (19 anos). Em apenas dez anos, agora, em 2016, a produção do pré-sal já ultrapassa um milhão de barris/dia, atingida no dia 8 de maio último.
À medida que avança na exploração, a Petrobras vai colhendo resultados cada vez mais expressivos e encorajadores. O primeiro poço perfurado, custou US$ 240 milhões. Dificilmente uma empresa privada correria este risco.
Em 2013 o índice de sucesso da Petrobras no pré-sal foi de 100%. O custo de extração vem caindo, sistematicamente, e, no final de 2015, foi de US$ 8,00/barril. Contribuem para a redução dos custos de exploração/produção, diferentes fatores dos quais podemos destacar:
- as inovações tecnológicas introduzidas pela Petrobras;
- a produtividade dos poços, com redução nas atividades de perfuração;
- novas técnicas de perfuração, com diminuição na completação dos poços. O custo de locação das sondas, parcela de enorme expressão no custo total, também se reduziu muito (podia chegar a US$ 500 mil/dia).

A descoberta do pré-sal nos colocou diante de duas realidades, até então não verificadas na indústria brasileira do petróleo:
- a dimensão extraordinária das jazidas, em áreas de baixíssimo risco, ou mesmo de risco inexistente;
- a elevada produtividade dos poços;
- a possibilidade, praticamente já concretizada, da auto suficiência brasileira;
- o posicionamento do Brasil como um dos líderes na produção mundial de petróleo;
- a geração de excedentes de óleo, para exportação.

Modelo de partilha
Essas circunstâncias tornaram imperiosa a mudança no marco regulatório, disciplinado pela Lei 9.478, de 6 de agosto de 1997, que estabeleceu o regime de concessão. Regime em desuso, anacrônico, com diversos inconvenientes. Dentre eles o principal – a propriedade do óleo é do concessionário. O Estado Nacional tem dificuldades em controlar a produção. O ritmo de extração é fixado pelo concessionário que pode, no objetivo do lucro máximo, levar à exploração predatória das jazidas.
Decidiu então o Congresso Nacional aprovar a Lei nº 12.351, de 22.12.2010, conhecida como Lei da Partilha, que trouxe importantes medidas para a defesa do interesse nacional. Na partilha o óleo é de propriedade do Estado brasileiro. Pela Lei 12.351 todos os consórcios que venham a ser formados para exploração do pré-sal devem ter, obrigatoriamente, a presença da Petrobras, que é operadora única, com a participação mínima de 30%. Também foi estabelecida uma política de conteúdo local para assegurar uma participação mínima da indústria e da engenharia nacional nos projetos do pré-sal. Os consórcios são contratados mediante licitações, conduzidas pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Havendo necessidade de resguardar o interesse nacional, a Petrobras pode ser contratada diretamente, sem licitação. Sem dúvida, um avanço em relação às concessões.
A lei permite a participação de empresas estrangeiras, em até 70% nos consórcios a serem formados. Não é, portanto, restritiva! Seus dispositivos, visam apenas à defesa do interesse nacional. Objetivam dar ao Estado Brasileiro um mínimo de controle sobre a extração de produto mineral, não renovável, estratégico, para a segurança econômica, energética e militar de nosso País.
Não obstante a lei ser o mínimo do que se deve exigir para salvaguardar o interesse nacional, há fortes pressões para tirar da Petrobras o direito de sua presença obrigatória em todos os consórcios e, conseqüentemente, a condição de operadora única, nos consórcios em que esteja ausente.
Argumentam, falaciosamente, que “a Petrobras terá a preferência e assumirá a participação no consórcio, se desejar e se lhe for conveniente”. Ora, basta um governo descuidado, incapaz de entender a importância estratégica do petróleo, para que a empresa decline da participação.
Ainda, o argumento de que "a Petrobras está falida" é usado para justificar duas soluções equivocadas: a venda de ativos, privatização sub-reptícia, disfarçada. A privatização pode tirar da Petrobras a condição de companhia integrada, uma das condições para o sucesso de qualquer petroleira. A venda de ativos, diminuindo o porte da companhia, também a inviabiliza. Porte e integração são condições de sucesso para qualquer petroleira, segundo o Instituto Francês de Petróleo.
Não negamos a dimensão do endividamento da Petrobras. Todos os números da companhia são grandes: produção, vendas, contribuições fiscais, faturamento etc. Mas há propostas consistentes para diminuir o endividamento, limitando a venda dos ativos ao mínimo necessário, seletivamente (baixa rentabilidade, ociosos etc), sem desintegrar a empresa, paralisar investimentos essenciais ou descontinuar obras que estão em fase de conclusão e que são importantes para o País.
*Ricardo Maranhão é engenheiro, ex-deputado federal, e Conselheiro do Clube de Engenharia
Fonte - Portogente  13/10/2016

Falha provoca lentidão de trens em São Paulo

Transporte sobre trilhos

A falha foi provocada por raios que atingiram a rede da Linha 7 – Rubi, que liga o centro de São Paulo (Luz) à cidade de Francisco Morato.

Fernanda Cruz
Repórter da Agência Brasil

foto - ilustração/arquivo
Passageiros enfrentam, agora de manhã, lentidão na circulação de trens da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) na capital. A falha foi provocada por raios que atingiram a rede da Linha 7 – Rubi, que liga o centro de São Paulo (Luz) à cidade de Francisco Morato.
Os trens apresentaram intervalo maior entre as composições às 4h e o problema foi solucionado às 7h. Segundo a CPTM, usuários podem ainda encontrar dificuldades para embarcar em razão das filas geradas com a lentidão no início da manhã.Fonte - Agência Brasil  13/10/2016

VLT do Rio terá novo trecho em novembro

Transportes sobre trilhos

Em um primeiro momento, o veículo operará em sistema de testes para a população acostumar com o novo meio de transporte.

Renato Lobo - ViaTrolebus
foto - ilustração/arquivo
O sistema de Veículo Leve Sobre Trilhos – VLT do Rio de Janeiro deve ganhar uma nova extensão em novembro, entre a estação das barcas, na Praça XV, até a Praça da República. Em um primeiro momento, o veículo operará em sistema de testes para a população acostumar com o novo meio de transporte.
Segundo a prefeitura da capital, as obras desta segunda fase já passaram dos 93% de conclusão. Um terceiro trecho é esperado para 2017, entre a Gamboa até a Central do Brasil.
O VLT do Rio transporta diariamente de 20 a 25 mil passageiros. Desde que foi inaugurado, levou 3 milhões de pessoas. O pico de usuários foi durante os Jogos Olímpico do Rio, com 36 mil pessoas por dia.
Fonte - ViaTrólebus  12/10/2016

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Movimento tranquilo nesta quarta (12) na travessia marítima entre Salvador e Mar grande

Travessia marítima

Sistema de lanchas da travessia entre Salvador e Mar Grande segue normal neste feriado de quarta(12) com fluxo passageiros regular sem enfrentar filas para o embarque

Da redação
foto - ilustração/arquivo
O sistema de lanchas que opera na travessia entre Salvador e Mar Grande tem movimento tranquilo com embarque rápido dos usuários e sem fila na manhã do feriado desta quarta-feira (12).O sistema está operando até então com horários de saída do Terminal Marítimo no Comércio,com intervalos de meia hora a cada partida,caso haja um aumento na demando os intervalos poderão ser encurtados para 15 minutos entre cada partida 
O sistema dispõe da frota com 14 embarcações em condições operacionais nesta quarta feira, mas apenas 8 embarcações operam regularmente no momento,devido ao movimento normal de usuários na travessia,que leva em média 40 minutos para cobrir uma distância de 14 km entre Salvador e a ilha.
O custo da tarifa pra realizar a travessia nos feriados é de  R$7,10 e as ultimas viagens ocorrerão as 18h30 sentido Salvador e as 20h sentido Mar Grande.O mar hoje proporciona boas condições de navegabilidade.
Pregopontocom 12/10/2016

Abertura da Flica terá lançamento do Mapa da Palavra

Arte&Cultura

Pelo segundo ano seguido, Governo do Estado realiza uma ampla programação voltada para as áreas de educação, cidadania, cultura e turismo. A abertura será às 15h, no Claustro do Convento do Carmo, com a apresentação da historiadora e escritora Mary Del Priore, que vai enfocar o tema 'Histórias da Gente Brasileira'. A mesa será mediada pelo secretário estadual da Cultura, Jorge Portugal.

Da Redação
Foto - Camila Souza/Gov.Ba.
Nesta quinta-feira (13), tem início a Festa Literária Internacional de Cachoeira (Flica), que acontece até domingo (16), no município do Recôncavo baiano. Pelo segundo ano seguido, Governo do Estado realiza uma ampla programação voltada para as áreas de educação, cidadania, cultura e turismo. A abertura será às 15h, no Claustro do Convento do Carmo, com a apresentação da historiadora e escritora Mary Del Priore, que vai enfocar o tema 'Histórias da Gente Brasileira'. A mesa será mediada pelo secretário estadual da Cultura, Jorge Portugal.
Durante a abertura, Jorge Portugal fará a apresentação do resultado do Projeto Mapa da Palavra, composto por um site e quatro publicações, que serão distribuídas gratuitamente durante a Flica. Desenvolvido pela Fundação Cultural do Estado (Funceb), o projeto de mapeamento identificou artistas da palavra nos 27 territórios de identidade da Bahia, buscando ajudar a divulgar suas produções.
O site contará com minibiografias e trabalhos literários dos autores, como uma galeria permanente dos artistas da palavra da Bahia, e poderá ser consultado a partir do dia do lançamento. Pela manhã, a Secretaria de Educação do Estado vai promover, no Espaço Educar para Transformar, o Sarau do Concurso Festa Literária na Rede Estadual: 169 anos de Castro Alves, com a participação dos estudantes vencedores do concurso, que teve 121 obras inscritas nos distintos gêneros literários (poesia, prosa, carta e cordel).
O objetivo do concurso é promover ações voltadas para o desenvolvimento das experiências criativas nos contextos escolares e a preservação da memória cultural da Bahia. Neste caso especial, os estudantes foram motivados a produzir escritos literários baseados nas diversas temáticas da obra do escritor Castro Alves. O Espaço Educar para Transformar- palco das ações do Governo na Flica-, fica instalado na Casa do Iphan, em frente à Câmara Municipal de Cachoeira.
Com informações da Secom Ba.  12/10/2016

É duvidoso que Brasil preserve o direito ao seu petróleo'

Economia

O analista da empresa IFC Markets, Dmitry Lukashov, disse ao serviço russo da Rádio Sputnik que é duvidoso que o Brasil mantenha o direito ao seu próprio petróleo. Ele afirmou que era muito provável que depois da saída da ex-presidenta Dilma Rousseff as empresas estrangeiras recebessem acesso à plataforma continental com poços de petróleo no Brasil.

Sputnik
foto - ilustração/arquivo
As petrolíferas internacionais prestaram muita atenção à plataforma continental brasileira quando o parlamento do país aprovou a lei que permite aos investidores estrangeiros explorar poços de petróleo no pré-sal.
Na semana passada, o Congresso Nacional do Brasil votou a lei que derruba a norma que obrigava a estatal Petrobras,a ter um participação de 30% em projetos de extração de petróleo na plataforma continental.
O analista da empresa IFC Markets, Dmitry Lukashov, disse ao serviço russo da Rádio Sputnik que é duvidoso que o Brasil mantenha o direito ao seu próprio petróleo. Ele afirmou que era muito provável que depois da saída da ex-presidenta Dilma Rousseff as empresas estrangeiras recebessem acesso à plataforma continental com poços de petróleo no Brasil. "O Brasil dispunha de forma independente do seu petróleo desde 1997, quando a Petrobras recebeu o direito às jazidas. Pelos vistos, eles irão explorar estas jazidas em regime de concessão e pagar impostos para o orçamento brasileiro", afirmou.
Na sua opinião, talvez toda a indústria petrolífera do Brasil possa ficar nas mãos de empresas estrangeiras.
"Isso está na lógica do impeachment, da saída da presidenta Rousseff que representava o Partido dos Trabalhadores. Agora outras forças chegaram ao poder e consideram que é preciso explorar os poços de petróleo em conjunto com empresas estrangeiras. Penso que é uma decisão política ligada à mudança de governo e de presidente", disse Lukashov. Entretanto, o especialista sublinhou que as empresas russas não participarão de uma projetada concessão. A Petrobras explora cerca de 93% do petróleo brasileiro, mas há a presença de empresas estrangeiras, em particular, de três empresas – Chevron, Shell e Statoil – que produzem 1-3% do petróleo do Brasil. "As empresas russas praticamente não estão presentes [no mercado brasileiro]. É mais provável que estas três empresas tenham mais oportunidades de receber parte da concessão de produção de petróleo", disse.
Quanto ao destino da Petrobras, Lukashov disse que não ele é claro. A empresa tem uma dívida de $125 bilhões e planeja receber cerca de $40 bilhões por estes poços de petróleo. O preço das suas ações cresce de forma dinâmica. "Pode ser que um pacote de ações seja privatizado,isso não se exclui."
Lukashov disse que a grande dívida da Petrobras é explicada pela queda do preço do petróleo no mercado global. A empresa queria explorar a plataforma continental de forma independente, mas o plano de trabalhos não previa um preço tão baixo e a empresa teve de pedir empréstimos.
Fonte - Sputnik  12/10/2016

Corte Interamericana de Direitos Humanos inicia audiência sobre chacina no Rio

Direitos Humanos

A Corte convocou o Estado brasileiro,os representantes das vítimas e a Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), da OEA,para a audiência pública,em Quito, no Equador,marcada para as 14h30,pelo horário de Brasília, que ocorre após duas petições apresentadas à CIDH em 3 de novembro de 1995 e 24 de julho de 1996,pelo Centro pela Justiça e o Direito Internacional (Cejil) e pela entidade de direitos humanos Human Rights Watch/Americas,que também foram encaminhadas ao Estado brasileiro.

Cristina Índio do Brasil
Repórter da Agência Brasil

foto - ilustração
A Corte Interamericana de Direitos Humanos (Corte IDH), da Organização dos Estados Americanos (OEA), faz nesta quarta-feira (12) o primeiro dia de audiência para analisar o caso da execução de 26 pessoas e de abuso sexual de três adolescentes, supostamente realizados por policiais civis, em incursões na Favela Nova Brasília, no Complexo do Alemão, zona norte do Rio de Janeiro, nos dias 18 de outubro de 1994 e 8 de maio de 1995.
A Corte convocou o Estado brasileiro, os representantes das vítimas e a Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), da OEA, para a audiência pública, em Quito, no Equador, marcada para as 14h30, pelo horário de Brasília, que ocorre após duas petições apresentadas à CIDH em 3 de novembro de 1995 e 24 de julho de 1996, pelo Centro pela Justiça e o Direito Internacional (Cejil) e pela entidade de direitos humanos Human Rights Watch/Americas, que também foram encaminhadas ao Estado brasileiro.
No dia 31 de outubro de 2011, em um relatório, a CIDH considerou o Estado brasileiro responsável por violações de direitos reconhecidos na Convenção Americana sobre Direitos Humanos; na Convenção Interamericana para Prevenir e Punir a Tortura; e na Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência contra a Mulher. No documento, entre outros pontos, a CIDH recomendou a realização de investigações efetivas; reparação material e moral às vítimas; eliminação da figura dos autos de resistência e regulamentação dos procedimentos policiais que envolvem o uso legítimo da força letal.
De acordo com a Secretaria Especial de Direitos Humanos, do Ministério da Justiça e Cidadania, mesmo com os esforços do Brasil para um acordo com os autores das petições para o cumprimento de algumas das recomendações, a CIDH decidiu enviar, em junho de 2015, o caso à Corte IDH. A secretaria informou que tem atuado na tentativa de articulação, em conjunto com algumas instituições públicas federais e do estado do Rio de Janeiro, para o cumprimento das recomendações da CIDH, incluindo a reparação indenizatória por danos morais e materiais às famílias das vítimas das duas incursões policiais.
A secretaria destacou ainda que em dezembro de 2012, com base no relatório da CIDH, o então Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (CDDPH), atual Conselho Nacional de Direitos Humanos (CNDH), do qual o órgão faz parte, emitiu uma resolução na qual abole designações genéricas como “autos de resistência” e “resistência seguida de morte” em registros policiais, boletins de ocorrência, inquéritos policiais e notícias de crime. No dia 1 de agosto deste ano, o CNDH recomendou aos estados federados a adequação dos registros policiais conforme determina a resolução.
Na audiência em Quito, estarão presentes representantes da Secretaria Especial de Direitos Humanos, que vão atuar como agente de Estado brasileiro, além de integrantes da Advocacia-Geral da União (AGU) e do Ministério das Relações Exteriores. Segundo a secretaria, o Estado brasileiro pretende apresentar as medidas estatais para eliminar a figura dos “autos de resistência”, a evolução das políticas de segurança pública nacional e do estado do Rio de Janeiro, o controle externo da atividade policial, informações e dados sobre novo procedimento de apuração e técnica de perícia utilizada pela polícia civil, dentre outras questões relacionadas ao caso.
A secretaria defenderá ainda o reconhecimento parcial do Estado brasileiro de responsabilização internacional pelas falhas no dever de realizar a adequada investigação e persecução penal no caso.
“É importante ressaltar que esta Secretaria de Direitos Humanos tem atuado no âmbito do Sistema Interamericano de Proteção dos Direitos Humanos de forma estratégica, transparente e colaborativa, articulando ações para o cumprimento das recomendações e medidas cautelares da CIDH, dos pontos resolutivos de sentença e medidas provisórias da Corte IDH, bem como atuando nas negociações de acordos de solução amistosa”, indicou a nota da Secretaria Especial de Direitos Humanos.
De acordo com o Cejil, na incursão do dia 18 de outubro a ação policial foi justificada como cumprimento de mandado de prisão temporária, que nunca foi anexado aos inquéritos ou processo judicial. Na segunda incursão, agentes da Delegacia de Repressão e Roubos e Furtos contra Estabelecimentos Financeiros, da Polícia Civil do Rio de Janeiro, teve o objetivo de prender envolvidos com o tráfico de armas. O Cejil informou ainda que nos dois casos os corpos das vítimas foram removidos do local, sem que a perícia pudesse identificar como as mortes ocorreram.

Expectativa
A diretora do Cejil para o programa do Brasil, Beatriz Affonso, que participa da audiência em Quito, espera que a Corte responsabilize todos os órgãos envolvidos nas investigações, que após mais de 20 anos ainda não determinaram punições. “A gente espera que na sentença, a Corte possa determinar medidas de políticas públicas e legislativas, de aperfeiçoamento dos mecanismos de controle que já existem para que de fato a gente possa ter as garantias democráticas dentro da sociedade e que a sociedade possa respeitar e acreditar que a polícia e a justiça estão a seu serviço”, disse, nesta manhã, à Agência Brasil.
A diretora defendeu ainda que os órgãos públicos façam um monitoramento para saber se o uso letal de armas, que é permitido pela sociedade à Polícia, está sendo realizado adequadamente dentro dos princípios democráticos. “A gente não tem pena de morte como uma instituição no país. Tampouco, a Constituição Federal delega aos policiais, individualmente ou em grupos, o direito de executar pessoas conforme o seu arbítrio. Essas autoridades têm de garantir que a democracia funcione e que a polícia não está exacerbando do uso das suas funções e prerrogativas, especialmente no que diz respeito à vida de cidadãos, criminosos ou não”, disse.
Fonte - Agência Brasil  12/10/2016

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Novas estradas beneficiam mais um milhão de baianos em 2016

Infraestrutura

Até dezembro, outras 16 obras serão concluídas, facilitando a vida de mais um milhão de baianos. Neste sábado (15), o governador Rui Costa vai entregar obras de pavimentação em Salinas da Margarida.Em 2017, serão entregues mais 20 trechos e acessos, melhorando o tráfego para mais três milhões de pessoas.

Da Redação
foto - Mateus Pereira/GOVBA
Até o final de 2016, mais 1,3 milhão de baianos estarão trafegando com mais segurança e conforto pelas rodovias baianas que estão sendo recuperadas pelo Governo do Estado este ano. Sete trechos já foram entregues, beneficiando 300 mil pessoas, por meio do Programa de Recuperação e Manutenção de Rodovias. Até dezembro, outras 16 obras serão concluídas, facilitando a vida de mais um milhão de baianos. Neste sábado (15), o governador Rui Costa vai entregar obras de pavimentação em Salinas da Margarida.
Em 2017, serão entregues mais 20 trechos e acessos, melhorando o tráfego para mais três milhões de pessoas. A previsão inclui também o início de outras quatro obras no ano que vem, levando mais segurança na estrada para 175 mil baianos. Desde que assumiu o governo, Rui já entregou 336,24 quilômetros recuperados em 18 rodovias, além do acesso ao Aeroporto Internacional de Salvador e vias internas.

foto -  Manu Dias/GOVBA
O maior trecho entregue em 2016, no mês de junho, foram os mais de 27 quilômetros da BA-540, que liga Amargosa a Mutuípe, no Vale do Jiquiriçá. Curvas acentuadas, subidas e descidas contornam serras onde produtores rurais se dedicam à criação de gado e plantações, em meio a córregos e áreas remanescentes de Mata Atlântica. Implantada na rodovia, a fábrica de biscoitos Flor do Vale emprega 104 funcionários e exporta para outros quatro estados. A rodovia recebeu investimento de R$ 6,5 milhões.
Já o maior investimento, de R$ 11,83 milhões, foi feito no entroncamento da BR-030 até o distrito de Brejinho das Ametistas, em Caetité, no sudoeste baiano, estrada pela qual passam os caminhões carregados de minério e que foi entregue em maio.

Recuperação de estradas na Bahia:
- Total de rodovias já entregues na gestão de Rui Costa: 18 rodovias, totalizando 336,24 quilômetros e incluindo o acesso ao Aeroporto Internacional de Salvador e vias internas;
- 7 obras foram concluídas e inauguradas em 2016 até o momento;
- 33 obras estão em andamento;
- 3 obras foram concluídas em 2016, mas não foram inauguradas até o momento;
- 13 obras serão concluídas até dezembro de 2016, sendo assim, até o final deste ano, 16 obras poderão ser inauguradas;
- 20 obras em andamento neste ano serão concluídas em 2017.
Com informações da Secom Ba.  11/10/2016

Vídeo

Movimento é tranquilo no Ferry-Boat nessa terça (11) véspera de feriado

Travessia marítima

O movimento seque tranquilo nesta terça (11),no sistema Ferry-Boat que realiza a travessia marítima entra Salvador e a ilha de Itaparica.Quatro barcos estão em operação com saídas de hora em hora nos dois sentidos.

Da Redação
foto - ilustração/arquivo
Véspera de feriado e o movimento segue tranquilo na travessia entre Salvador e a ilha de Itaparica,nesta terça-feira (11),nos terminais de Bom Despacho e São Joaquim.O sistema Ferry-Boat está operando com quatro embarcações, Rio Paraguaçu, Pinheiro, Agenor Gordilho e Dorival Caymmi, realizando as viagens nos horários programados,sempre com intervalo de uma hora,entre cada saída de uma embarcação.Durante o dia,viagens extras podem acontecer,caso venha ocorrer um aumento na demanda.Os usuários do sistema podem adquirir as suas passagens nos terminais de embarque,em Salvador e Bom Despacho,com pagamento através de cartões de crédito,débito,ou em dinheiro.
Para saber sobre a disponibilidade de vagas para o sistema de Hora Marcada,disponível apenas para veículos e seus condutores,o usuário deve faze-lo através do o site -portalsits.internacionaltravessias- O pagamento para este serviço pode ser feito por meio de cartões de crédito ou débito
A ITS disponibiliza uma Central de Atendimento ao Cliente (CAC), localizada no Terminal São Joaquim funcionando de segunda a sexta, das 8h às 18h, e aos sábados, das 7h às 13h
Contatos: 071 3032-0475 e cac@internacionaltravessias.com.br
Com informações da ITS 11/10/2016

Embarcações afretadas pela Petrobras violam a Lei

Direitos humanos

As infrações colocam em risco a vida humana, a segurança da navegação e o ambiente. De atrasos nos salários, que se prolongam por meses, à falta de equipamentos de segurança apropriados, passando por rancho de má qualidade ou em quantidade insuficiente, as denúncias vêm sendo constatadas por inspeções realizadas por representantes do Ministério do Trabalho e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), entre outros órgãos.

Portogente
portogente
A Petrobras vem afretando embarcações de bandeira estrangeira cujos armadores descumprem a legislação brasileira e as Convenções internacionais das quais o Brasil é signatário, impondo condições de trabalho aviltantes aos seus tripulantes, nacionais e estrangeiros. A denúncia é da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes Aquaviários e Aéreos, na Pesca e nos Portos (Conttmaf) e do Sindicato Nacional dos Oficiais da Marinha Mercante (Sindmar).
As infrações colocam em risco a vida humana, a segurança da navegação e o ambiente. De atrasos nos salários, que se prolongam por meses, à falta de equipamentos de segurança apropriados, passando por rancho de má qualidade ou em quantidade insuficiente, as denúncias vêm sendo constatadas por inspeções realizadas por representantes do Ministério do Trabalho e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), entre outros órgãos.
O descumprimento da cota de tripulantes brasileiros a bordo, como determina a Resolução Normativa 72, do Conselho Nacional de Imigração do Ministério do Trabalho (principal mecanismo de inserção de marítimos brasileiros em navios estrangeiros que operam no Brasil), é uma das irregularidades mais graves verificadas. Há também registros de clara discriminação com tripulantes brasileiros, acomodados em camarotes inferiores aos destinados a estrangeiros com mesma função ou patente, o que viola norma (MLC-2006) da Organização Internacional do Trabalho (OIT).
No que toca o percentual obrigatório de brasileiros a bordo, as infrações são recorrentes. O petroleiro Chem Violet, por exemplo, operou mais de 90 dias no Brasil sem qualquer tripulante brasileiro. Como é sabido, a RN 72 impõe, a partir do terceiro mês de operação no país, o emprego de um terço de tripulantes brasileiros no segmento de apoio marítimo; e um quinto, no caso da cabotagem e da atividade de prospecção, bem como percentuais progressivamente maiores a partir de 180 e 360 dias. O Chem Violet é um caso que bem exemplifica a grave situação dos afretamentos em curso na Petrobras.
Recentemente arrestado pela Justiça brasileira depois que o armador turco - a empresa Eco Shipping - abandonou a tripulação, deixando de pagar os seus salários, o navio está, por determinação da Justiça, sob a guarda da Petrobras, até que seja leiloado. O armador foi acionado a pagar à tripulação turca os mesmos direitos dos marítimos brasileiros, como determina a Lei, incluindo férias, 13o salário, FGTS e multa rescisória, além de responder por danos morais. Infelizmente, não se trata de um caso isolado.
Esses navios estão sendo afretados de forma pouco criteriosa, ou com base apenas no parâmetro "menor preço", que ainda assim é demasiadamente elevado, sobretudo se considerado o baixo padrão verificado. Contratos deste tipo são sempre altos, em termos absolutos. As provas de dumping laborial - ou seja, precárias condições de trabalho visando a reduzir custos e aumentar o lucro - são evidentes. Armadores irresponsáveis, que violam direitos e infringem a Lei, estão, portanto, sendo contratados pela Petrobras para operações que, pela própria natureza, implicam grande risco e exigiriam, por decorrência, tripulações qualificadas e capacitadas.
Os brasileiros eventualmente contratados para tripular esses navios - ainda que em menor número do que a legislação determina - deparam-se com péssimas condições de trabalho. Não é apenas a RN 72 que é ignorada. Os "navios piratas" descumprem igualmente a Convenção 147, da Organização Internacional do Trabalho (OIT), que rege a segurança e a saúde do Tráfego Aquaviário. Descumprem, por extensão, a Norma Regulamentadora número 32 do Ministério do Trabalho brasileiro, nos dispositivos relativos à segurança, à saúde, à alimentação, à higiene e o conforto a bordo das embarcações.
Desde agosto último, o sindicato e a confederação têm intensificado a sua atuação para denunciar essas irregularidades às autoridades, cobrando providências imediatas. Em 23 de Agosto, a Conttmaf protocolou denúncia junto ao Tribunal de Contas da União (TCU) contra a Petrobras, em virtude de a empresa estar realizando afretamentos de navios estrangeiros "que infringem a legislação brasileira bem como Convenções Internacionais ratificadas pelo Brasil".
Seis dias depois, em 29 de agosto, portanto, a Confederação também protocolou ofício à Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) no qual informa que "a Petrobras vem afretando embarcações de bandeira estrangeira de apoio marítimo e navios tanques sem a necessária observância da legislação nacional" e das Convenções das quais o Brasil é signatário.
As violações vinham sendo apuradas pelas delegacias do Sindmar e denunciadas pela entidade sindical, que nos dia 8 e 23 de agosto, enviara ofícios ao presidente da Petrobras, Pedro Pullen Parente, cobrando providências urgentes contra os abusos e a imediata revisão dos critérios utilizados para a contratação de navios estrangeiros.
No documento, o Sindmar salienta que o menor preço não deveria ser o principal parâmetro adotado pela empresa nesses contratos, eis que tal.
"critério" tem permitido a operação, em águas territoriais nacionais, de armadores e embarcações sem o necessário compromisso com a segurança, o respeito ao trabalhador e a qualidade dos serviços a serem prestados.
Algumas empresas sequer têm endereço certo e operam sob bandeiras de conveniência, o que impede que sejam acionadas por ilícitos e danos causados. Além disso, algumas embarcações têm valor econômico tão baixo que, por vezes, esse sequer cobre dívidas operacionais e indenizações por eventuais danos materiais, incluindo os ambientais. Isso sem falar nos casos já divulgados de corrupção envolvendo os contratos de afretamentos já divulgados pela imprensa.
Nos ofícios que encaminharam à agência reguladora e à Petrobras, as duas entidades alertam para a clara possibilidade de recorrentes prejuízos ao erário em consequência de afretamentos de navios operados por empresas conhecidas no mercado como sub standard (de padrão de qualidade duvidoso). Esses prejuízos, na verdade, já começaram.
As íntegras desses documentos podem ser acessada no site do sindicato (www.sindmar.org.br).
No caso do Chem Violet, o juiz do Trabalho Claudio Victor de Castro Freitas, de Macaé, considerou a Petrobras co-responsável solidária na ação movida contra a Eco Shipping, condenando a empresa a pagar parte dos salários atrasados e a repatriação de todos os tripulantes, além de obrigar a estatal a guardar a embarcação até que seja leiloada para quitação de dívidas. Que a Justiça siga cumprindo o seu papel nesta questão.
Fonte - Portogente  11/10/2016

Comércio do Rio registra maior inadimplência do ano

Economia

As dívidas quitadas (número de consumidores que colocaram em dia seus compromissos atrasados) no comércio lojista da cidade diminuíram 2,5 % e as consultas (item que indica o movimento do comércio) caíram 7,2 %.Em relação ao mês anterior (agosto) as consultas e a inadimplência cresceram 3,9% e 2,2%, respectivamente e as dívidas quitadas diminuíram 2,3%.

Douglas Corrêa
Repórter da Agência Brasil

foto - ilustração
A inadimplência no comércio carioca cresceu 2,8% em relação ao mesmo mês do ano passado. É o maior índice para o mês de setembro desde 2001, de acordo com os registros do Serviço Central de Proteção ao Crédito do Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro (CDL-Rio). As dívidas quitadas (número de consumidores que colocaram em dia seus compromissos atrasados) no comércio lojista da cidade diminuíram 2,5 % e as consultas (item que indica o movimento do comércio) caíram 7,2 %.
Em relação ao mês anterior (agosto) as consultas e a inadimplência cresceram 3,9% e 2,2%, respectivamente e as dívidas quitadas diminuíram 2,3%. No acumulado dos nove meses do ano, de janeiro a setembro, as consultas e as dívidas quitadas recuaram, respectivamente, 7% e 2,2% e a inadimplência cresceu 1,8% em comparação com o mesmo período de 2015.
De acordo com o presidente do CDL-Rio, Aldo Gonçalves, normalmente em épocas de grandes datas comemorativas, como por exemplo o Dia das Crianças, os consumidores correm para a colocar as suas contas em dia para poder comprar mais. "Mas dessa vez o número de dívidas quitadas caiu, o que mostra que o consumidor está freando as compras, apesar de o Dia das Crianças ser uma das datas mais importantes para o comércio”, afirmou.
Fonte - Agência Brasil  11/10/2016

Auditoria Cidadã da Dívida Pública

Política 




imagem/YouTube

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Salvador sediará Seminário Socioambiental Eólico em dezembro

Sustentabilidade

O evento será organizado pela VIEX Américas, empresa brasileira especializada na organização de conferências e seminários para a distribuição de informações nos setores de energia renovável.A coordenadora de Apoio à Gestão Ambiental (CTGA), Beatriz Pita, marcou presença no congresso representando a Secretaria de Desenvolvimento Econômico da Bahia (SDE). 

Da Redação
foto - ilustração/arquivo
A Bahia vai sediar o 4º Seminário Socioambiental Eólico que acontecerá no dia 7 de dezembro, em Salvador. O evento será organizado pela VIEX Américas, empresa brasileira especializada na organização de conferências e seminários para a distribuição de informações nos setores de energia renovável. A notícia foi anunciada na última sexta-feira (7), no encerramento do congresso de Licenciamento e Gestão Socioambiental no Setor Elétrico (LASE), em São Paulo. A coordenadora de Apoio à Gestão Ambiental (CTGA), Beatriz Pita, marcou presença no congresso representando a Secretaria de Desenvolvimento Econômico da Bahia (SDE). O secretário do Meio Ambiente, Eugênio Spengler, também participou do evento, representando o Governo do Estado.
Em sua sétima edição, o congresso firma-se como palco de articulação e decisões regulatórias e técnicas de gestão socioambiental. Na oportunidade foi discutida a nova Lei Geral de Licenciamento Ambiental, cenários de expansão da matriz elétrica e aspectos técnicos da gestão socioambiental dos empreendimentos de energia.
Segundo Beatriz Pita, além da troca de experiências sobre o licenciamento em outros estados, o LASE promove também o contato com as principais empresas do setor de energia e é uma possibilidade de mostrar como funciona o licenciamento na Bahia e toda estrutura que a SDE possui para atrair novos investimentos.
“A SDE auxilia, através da CTGA e de um acordo de cooperação técnica, o licenciamento ambiental de setores estratégicos ao Estado. A coordenação, criada em 2011, já atuou em mais de 169 processos de licenciamento ambiental junto ao Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema). Não poderíamos ficar de fora de discussões como a do novo modelo de licenciamento ambiental, cenário político e discussões do Ministério de Meio Ambiente, Conselho Nacional de Meio Ambiente, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e a proposta da nova Lei Geral do Licenciamento Ambiental”, afirmou Pita.

Seminário Socioambiental Eólico
O Seminário Socioambiental Eólico, há três anos, reúne operadores de parques eólicos, órgãos ambientais, representantes governamentais e especialistas em torno de um debate que busca encontrar os caminhos da confluência dos interesses energéticos, ambientais, sociais, históricos e econômicos.
Mais de 200 participantes estiveram presentes nas últimas edições, discutindo os gargalos para o desenvolvimento dos projetos eólicos e a infraestrutura necessária para o funcionamento de linhas de transmissão, telecomunicações, rodovias e subestações, os impactos nas comunidades, a influência dos empreendimentos na fauna e flora e a preservação do patrimônio histórico.
Com informações da Secom  10/10/2016