sábado, 23 de julho de 2016

Movimentos no Rio lançam campanha contra violações de direitos em megaeventos

Direitos Humanos

Esta semana foi lançado o Mapa da Exclusão, que mostra onde ocorreram problemas como remoções, violações ao trabalho, impactos ambientais, militarização de comunidades e homicídios decorrentes de ação policial, além dos locais onde houve intervenções urbanas e construção de equipamentos esportivos.

Akemi Nitahara
Repórter da Agência Brasil

imagem/Ag.Brasil
Movimentos sociais e organizações de direitos humanos se mobilizaram para denunciar o que chamam de "jogos da exclusão", em referência às violações de direitos humanos praticadas no Rio de Janeiro desde 2007, em nome dos megaeventos esportivos que a cidade recebeu ao longo de quase uma década. Esta semana foi lançado o Mapa da Exclusão, que mostra onde ocorreram problemas como remoções, violações ao trabalho, impactos ambientais, militarização de comunidades e homicídios decorrentes de ação policial, além dos locais onde houve intervenções urbanas e construção de equipamentos esportivos.
Integrante da Jornada de Lutas contra os Jogos da Exclusão, Mario Campagnani explica que o mapa é colaborativo e reúne dados de diferentes fontes, como o Instituto de Segurança Pública (ISP), a Justiça Global e o Comitê Popular da Copa e da Olimpíada. Segundo ele, a ideia do mapa é mostrar o efeito negativo que os megaeventos causaram à cidade.
“Quando você coloca esse resultado no mapa, fica bem claro como essa olimpíada é realmente os jogos da exclusão. Você percebe como afeta uma série de moradores das áreas mais valorizadas da cidade, ou em valorização, que são expulsos de suas casas. Você percebe como existe uma grande militarização das áreas pobres, que trata essa população negra e favelada como inimiga, é uma política que você ocupa esses territórios não pensando no benefício dos moradores desses locais, você ocupa na verdade pensando no controle urbano dessa população”, destacou Campagnani.

Letalidade
Ele lembra que a letalidade da polícia também é alta na cidade. “A polícia carioca é uma das que mais matam e mais morrem no mundo”, disse. De acordo com os dados do ISP, de janeiro a maio deste ano, foram 322 homicídios decorrentes de intervenção policial no estado. O número de policiais mortos no mesmo período chega a 12. Segundo dados do instituto, na comparação de maio deste ano com maio de 2015, houve um aumento de 135% das mortes cometidas por policiais militares na cidade do Rio.
“Isso não aconteceu só agora, aconteceu na Copa do Mundo, aconteceu na Copa das Confederações. Historicamente, antes desses megaevento, o estado mata muita gente nas favelas. A gente pode lembrar que antes dos Jogos Panamericanos de 2007 houve a chacina do Alemão”, acrescentou Campagnani.
Ele explica que o Mapa da Jornada de Lutas contra os Jogos da Exclusão também será distribuído nas ruas e nos eventos que a campanha está organizando, como manifestações, atos, debates, oficinas, rodas de conversa e intervenções artísticas, entre os dias 1º e 5 de agosto. “Vamos ter pessoas do Brasil inteiro para debater os efeitos [dos jogos] e falar sobre o direito à cidade. A gente está disputando o nosso território, é um debate político sobre os rumos da nossa cidade.”

Abertura da Olimpíada
No dia da abertura da Olimpíada, 5 de agosto, segundo Campagnani, a concentração será na Praça Saens Peña, que fica a menos de dois quilômetros do Maracanã, palco do evento oficial. “Nosso objetivo é caminhar, a gente tem uma construção política de anos de manifestações na Praça Saens Peña, desde a época que nós manifestávamos contra a privatização do Maracanã.”
A prefeitura foi procurada para comentar o legado social dos Jogos Olímpicos, mas informou que isso é responsabilidade da Empresa Olímpica Municipal (EOM), que não retornou o caontato da Agência Brasil até a publicação da reportagem.
Fonte - Agência Brasil  23/07/2016

Travessia Salvador/Mar Grande para por 3 horas

Travessia marítima

De acordo com a Astramab, a suspensão acontece porque o Terminal Hidroviário de Vera Cruz, na Ilha de Itaparica, não possui muita profundidade no canal de navegação.

A Tarde
Margarida Neide/Ag. A TARDE
A Travessia marítima do Sistema Salvador-Mar Grande interrompeu o atendimento por 3h neste sábado, 23. A parada foi motivada pelo período de maré baixa. O serviço estava previsto para ser retomado a partir das 12h30.
Segundo a Associação dos Transportadores Marítimos (Astramab), a interrupção teve início por volta das 9h30. Há cinco dias o tráfego das embarcações é impedido pelo mesmo motivo.
Ainda de acordo com a Astramab, a suspensão acontece porque o Terminal Hidroviário de Vera Cruz, na Ilha de Itaparica, não possui muita profundidade no canal de navegação.
A travessia iniciou as operações às 5h e registra, até o momento, fluxo tranquilo de embarque nos terminais. Os horários de saída são de 30 em 30 minutos e oito embarcações estão em tráfego. A última viagem do dia saindo de Mar Grande será às 18h30 e de Salvador às 20h.

Morro de São Paulo
Já a linha marítima entre Salvador e Morro de São Paulo opera sem restrições deste a manhã deste sábado. Os horários saindo de Salvador são 10h30, 13h e 14h30. Já as saídas de Morro são às 12h30 e 15h. O valor da passagem é de R$ 95,20 e a viagem dura em média 2h20.
Fonte - A Tarde   23/07/2016

sexta-feira, 22 de julho de 2016

Geração eólica cresce 77% e consumo de etanol, 18,6% em 2015

Energia eólica

O consumo de energia proveniente de fonte eólica aumentou 77,1% em relação a 2014 no ano de 2015 e que o de etanol cresceu 18,6%. Ao mesmo tempo, o consumo de gasolina caiu 9,5%.A matriz energética brasileira ficou mais limpa no ano passado (2015),principalmente com o crescimento significativo do consumo de energia proveniente de fontes eólicas e do etanol.

Nielmar de Oliveira
Repórter da Agência Brasil
foto - ilustração/arquivo
A matriz energética brasileira ficou mais limpa no ano passado, principalmente com o crescimento significativo do consumo de energia proveniente de fontes eólicas e do etanol. Simultaneamente, caiu a demanda por gasolina, informa a Empresa de Pesquisa Energética (EPE), que divulgou hoje (22) a edição deste ano do Relatório Síntese do Balanço Energético Nacional (BEN).
O relatório revela ainda que, no ano passado, o consumo de energia proveniente de fonte eólica aumentou 77,1% em relação a 2014 e que o de etanol cresceu 18,6%. Ao mesmo tempo, o consumo de gasolina caiu 9,5%.
A nova edição do relatório apresenta em detalhes a contabilização da oferta, da transformação e do consumo final de produtos energéticos no país, tendo por base o ano de 2015. O BEN mostra que a oferta interna de energia (total disponibilizado no país) atingiu 299,2 milhões de toneladas equivalentes de petróleo, registrando uma redução de 2,1% em relação ao ano anterior.
Segundo a EPE, empresa responsável pelo planejamento energético do país, a queda foi influenciada pelo comportamento da oferta interna de petróleo e derivados, que caiu 7,2% no período em consequência do superávit nos fluxos de exportação e importação destas fontes energéticas.
“Contribuiu ainda para a queda da oferta interna bruta o enfraquecimento da atividade econômica em 2015, ano em que o PIB [Produto Interno Bruto, soma de todos os bens e serviços produzidos no país] nacional contraiu 3,8%, segundo o último dado divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [IBGE]”, ressalta a empresa.
Em contrapartida, do ponto de vista da energia elétrica, houve expressivo avanço da participação de renováveis na matriz elétrica de 74,6% para 75,5%, o que é explicado pela queda da geração térmica à base de derivados de petróleo e pelo incremento da geração à base de biomassa e eólica.
Esse avanço veio a compensar a redução de 3,2% da energia hidráulica, com a oferta interna de energia elétrica caindo 8,4 terawatts-hora (TWh), retração de 1,3% em relação a 2014. Já a geração eólica atingiu 21,6 TWh - crescimento de 77,1% - ultrapassando assim no ano passado a geração nuclear. A potência eólica atingiu 7.633 megawats (MW), uma expansão de 56,2%.
Os dados da publicação da EPE confirmam a queda de 1,9% no consumo final de energia em relação ao ano anterior – nos setores industrial e de transportes, a variação foi de -3,1% e -2,6%, respectivamente.
Já o setor industrial teve o consumo reduzido em 2,7 milhões de toneladas equivalentes de petróleo, com impacto da queda do consumo de carvão vegetal (-6,5%) e de eletricidade (-5%) no setor siderúrgico, e do bagaço de cana (-3,9%), nesse caso, em decorrência da queda na produção de açúcar.

Demanda cai no setor de transportes
Ainda em função da crise econômica que o país enfrenta, a demanda energética caiu 2,3 milhões de toneladas equivalentes de petróleo no segmento de transportes, principalmente em virtude da queda de 4,3% do consumo de óleo diesel, consequência da menor atividade do setor de transporte de carga.
Apesar da retração, um fato positivo é que, no ano passado, houve o percentual renovável na matriz de consumo do setor de transporte passou de 18% para 21%. Essa evolução é consequência direta do menor consumo de gasolina (-9,5%), em parte compensado pelo maior consumo de etanol (+18,6%).
Em 2015, o total de emissões antrópicas (termo usado em ecologia que se refere a tudo que resulta da atuação humana) associadas à matriz energética brasileira atingiu 462,3 milhões de toneladas de dióxido de carbono equivalente (Mt CO2-eq), contra 485,1 milhões de toneladas equivalentes verificada em 2014.Fonte - Agência Brasil  22/07/2016

Travessia Salvador/Itaparica - Ferry-Boat hoje Sexta (22)

Travessia marítima

O sistema Ferry-Boat (Salvador/Itaparica) opera nesta sexta (22) com quatro embarcações e o movimento é tranquilo nos dois terminais 

Da Redação
foto - ilustração/arquivo
O sistema Ferry-Boat,nesta sexta-feira (22) segue com movimento tranquilo nos terminais São Joaquim e Bom Despacho.O sistema esta operando com quatro embarcações Pinheiro, Dorival Caymmi, Rio Paraguaçu e Maria Bethânia,que realizam viagens nos horários programados (de hora em hora),podendo acontecer viagens extras,caso ocorra aumento na demanda.As passagens podem ser adquiridas nos terminais por meio dos cartões de crédito, débito ou dinheiro.
O usuário do sistema que quiser verificar a disponibilidade de vagas para o serviço de Hora Marcada (exclusivo aos condutores de veículos),deve acessar o site -portalsits.internacionaltravessias-.
O pagamento para este serviço pode ser feito através dos cartões de débito ou crédito.
O sistema também disponibiliza uma Central de Atendimento ao Cliente (CAC),localizada no Terminal São Joaquim e aberta de segunda a sexta,das 8h às 18h,e aos sábados,das 7h às 13h Contatos - Tel 071 3032-0475 e e mail cac@internacionaltravessias.com.br
Com informações da Internacional Travessias Salvador  22/07/2016

Pleno do ConCidades debate ações de políticas de desenvolvimento urbano

Desenvolvimento Urbano

Durante o Pleno, houve a apresentação do documento "Relatório preliminar brasileiro para o Habitat III", finalizado no ano passado durante o Seminário Urbanismo da Bahia (UrbBA [15]), com a contribuição de representantes ConCidades. A apresentação foi feita pela professora da Faculdade de Arquitetura da Ufba, doutora e pesquisadora da área de Política Urbana e Processos Urbanos Contemporâneos, Ana Fernandes.

Da Redação
foto - Daniele Rodrigues/Ascom-Sedur
O Pleno do Conselho Estadual das Cidades (ConCidades) se reuniu nesta sexta-feira (22), no auditório da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur), com a participação dos conselheiros municipais, representantes das Câmaras de Trabalho e do secretário da Sedur, Carlos Martins, que reiterou, mais uma vez, a importância desse espaço como fundamental para construção de políticas urbanas.
Durante o Pleno, houve a apresentação do documento "Relatório preliminar brasileiro para o Habitat III", finalizado no ano passado durante o Seminário Urbanismo da Bahia (UrbBA [15]), com a contribuição de representantes ConCidades. A apresentação foi feita pela professora da Faculdade de Arquitetura da Ufba, doutora e pesquisadora da área de Política Urbana e Processos Urbanos Contemporâneos, Ana Fernandes.
O documento apresenta um contraponto às informações apresentadas no Relatório Oficial Brasileiro, redigido pelo IPEA. “Foi muito importante a participação dos conselheiros na elaboração desse material. É importante que a sociedade participe para que não seja apenas o Estado que tome decisões que dizem respeito diretamente à população”, pontuou Ana. “A gente precisa trabalhar esses conceitos acadêmicos, aqui no ConCidades, para que a sociedade civil se veja representada nas discussões e nos estudos”, ressaltou Carlos Martins.

Cartilhas
Durante o encontro, foram apresentadas ainda cartilhas informativas das Câmaras Técnicas de Mobilidade, e de Planejamento e Gestão Territorial, contendo informações acerca do Plano de Mobilidade da Bahia e do Plano de Desenvolvimento Urbano Integrado (PDUI) da RMS.
A superintendente de Habitação da Sedur, Adalva Tonhá, apresentou algumas recomendações que deverão ser encaminhadas ao Conselho Nacional das Cidades. Entre as ações apontadas pelo CT de Habitação, está à criação e implantação do Sistema Nacional de Desenvolvimento Urbano. Adalva também cobrou uma maior participação da Conder e da Embasa nas discussões para estabelecer ações conjuntas em beneficiamento das obras do Minha Casa, Minha Vida.
Com informações da Sedur Ba.  22/07/2016

Tiroteio deixa mortos em centro comercial de Munique

Internacional

Um porta-voz da polícia de Munique disse Bild que a situação parece "ser grande" e que "esperam muitos mortos". Não há informações oficiais, no entanto, sobre o número de vítimas, mas alguns veículos reportaram no mínimo 15 mortes.

Da Agência Brasil*
Lukas Schulze/Agência Lusa
Uma troca de tiros foi relatada hoje (22) no centro comercial de Munique, na Alemanha, próximo ao parque olímpico da cidade. A informação foi divulgada pelo jornal Bild.
Um porta-voz da polícia de Munique disse Bild que a situação parece "ser grande" e que "esperam muitos mortos". Não há informações oficiais, no entanto, sobre o número de vítimas, mas alguns veículos reportaram no mínimo 15 mortes.
A NTV ainda informa que, no momento, há uma busca policial por um suposto segundo atirador e que as autoridades pediram para que os cidadãos permaneçam em casa.
"A situação está ainda completamente confusa. Não sabemos se há mais atiradores", disse um policial à agência de notícias DPA.
*Com informações da Ansa e da Sputnik Brasil
Fonte - Agência Brasil  22/07/2016

O desafio transversal da mobilidade urbana

Mobilidade

“O desafio é estabelecer políticas de aproximação da população mais pobre às áreas de maior dinamismo econômico-social, ou no sentido inverso, promover maior desenvolvimento às áreas mais carentes dos aglomerados urbanos”. Enquanto a questão for tratada isoladamente, dissociada de políticas de planejamento urbano, habitação, educação, saúde e desenvolvimento econômico, temo que a maioria dos projetos concebidos para resolvê-la esteja fadada ao fracasso.

Ruy M.Altenfelder Silva*- Portogente
foto - ilustração/arquivo
Leio n’O Estado de S. Paulo de 26 de junho que, dos 125 projetos de mobilidade urbana que deveriam atender o Brasil na Copa do Mundo e nos Jogos Olímpicos, somente 18% foram concluídos. Dezenas de sistemas de BRTs, VLTs e monotrilhos, concebidos não apenas para servir à população das grandes cidades durante os dois eventos, mas, idealmente, para ficar como legado de desenvolvimento no País, ainda não saíram do papel. Dois anos após a Copa. A um mês dos Jogos Olímpicos.
Trazendo dados da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU) e do Governo Federal, a reportagem atribui tal atraso a motivos pontuais, como falta de dinheiro ou erros de projeto e de planejamento que emperram a liberação de recursos, demandam novos orçamentos ou até inviabilizam obras por completo. Sem discordar de tais avaliações, creio haver um obstáculo sistêmico mais desafiador no caminho da verdadeira mobilidade urbana no Brasil. Porque, enquanto a questão for tratada isoladamente, dissociada de políticas de planejamento urbano, habitação, educação, saúde e desenvolvimento econômico, temo que a maioria dos projetos concebidos para resolvê-la esteja fadada ao fracasso.
Introduzido com impacto na pauta nacional a partir das grandes manifestações de 2013, o tema da mobilidade urbana, até então praticamente restrito a círculos especializados, mostra-se cada vez mais um desafio transversal para nossos gestores públicos. Dificilmente uma solução isolada – como a redução de tarifas ou o investimento neste ou naquele modelo de transporte – resolverá um problema, por natureza, multifacetado.
Essencialmente urbano – 85% da população brasileira reside em centros urbanos, sendo que 45% concentram-se em regiões metropolitanas –, o Brasil vive as consequências de uma explosão demográfica mal administrada. O crescimento desordenado das cidades empurrou moradias para locais distantes dos núcleos de trabalho e de outros serviços urbanos, o que, aliado à deterioração da qualidade do transporte público, conduziu a um país com franca preferência pelo transporte individual. Mais da metade da população (54%) tem algum veículo motorizado em casa (carro ou moto), de acordo com a mais recente Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílios (PNAD 2012), sendo 42,4% só de carros. Preferência que, inclusive, encontra respaldo em políticas recentes de incentivos fiscais à indústria automobilística e de facilidade de financiamento para compra automóveis.
As consequências dessa escolha são mais do que conhecidas: congestionamentos, poluição ambiental e sonora, perda de tempo, de produtividade e de qualidade de vida (para quem perde horas no trânsito, não sobra muito tempo para o lazer, atividades esportivas e culturais, oportunidades de educação, etc.). Isso sem falar nos acidentes e mortes no trânsito e nos múltiplos malefícios à saúde (doenças cardiorrespiratórias, stress, obesidade, etc.).

foto - ilustração/arquivo
Enfrentar tais desafios exige, necessariamente, soluções de infraestrutura e sistemas de transporte coletivo mais econômicos, eficientes e integrados. Não à toa, a área da Infraestrutura de Transportes é um dos temas contemplados, neste ano, pelo tradicional Prêmio Fundação Bunge, um dos mais prestigiosos estímulos à produção científica nacional.
Mas essa é apenas parte do problema. Se mobilidade urbana significa não apenas como as pessoas se locomovem, mas também por onde, em que circunstâncias e com quais objetivos, cabe repensar a própria ocupação de nossas cidades. Para citar estudo recente do Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada, “Desafios da Mobilidade Urbana” (Ipea, 2016): “O desafio é estabelecer políticas de aproximação da população mais pobre às áreas de maior dinamismo econômico-social, ou no sentido inverso, promover maior desenvolvimento às áreas mais carentes dos aglomerados urbanos”.
Por outro lado, seja diminuindo o tempo e melhorando as condições de deslocamento (casa-trabalho, casa-equipamentos urbanos), seja encurtando distâncias através de reordenamento territorial, o estímulo a que a população utilize mais os transportes coletivos, se desloque mais a pé ou de bicicleta exige ainda outras garantias, nem todas diretamente ligadas à mobilidade, como segurança e policiamento adequados, por exemplo. Quando até mesmo o envelhecimento da população influencia na questão da mobilidade – afinal, mais idosos significam menos passageiros pagantes, que são quem basicamente custeiam o transporte coletivo no Brasil –, torna-se inegável que a tarefa que temos diante das mãos só poderá ser cumprida com um entendimento mais abrangente e integral do problema.
*Ruy M. Altenfelder Silva é presidente da Academia Paulista de Letras Jurídicas e curador do Prêmio Fundação Bunge
Fonte - Portogente  22/07/2016

10 Viagens de Trem para fazer pelo Brasil

Turismo Ferroviário

Diferente dos trens convencionais (utilizados apenas como transporte público), esses roteiros propõe um dia turístico regado por histórias e informações interessantes. Assim, as locomotivas são preparadas para receber turistas, com número de acentos contados - sem qualquer possibilidade de aperto ou lotação! 

Guia da Semana
Ouro Preto a Mariana MG
Viajar de trem é uma experiência única e exótica, afinal, não é todo dia que passamos por cenários da época cafeeira em São Paulo ou até mesmo em locais históricos do nosso país.
Diferente dos trens convencionais (utilizados apenas como transporte público), esses roteiros propõe um dia turístico regado por histórias e informações interessantes. Assim, as locomotivas são preparadas para receber turistas, com número de acentos contados - sem qualquer possibilidade de aperto ou lotação!
Além da viagem, alguns passeios oferecem guias turísticos, paradas em cidades, refeições e até mesmo degustações de queijos e vinhos! Ficou interessado? Então confira 10 opções de passeios e viagens de trem para fazer pelo Brasil:

Passeios bate e volta 
Maria Fumaça - Ouro Preto a Mariana (MG)
A locomotiva de 1949 tem o interior de madeira e desenho semelhante às composições do início do século 20. A viagem parte de Ouro Preto com destino à Mariana. São apenas 18 quilômetros percorridos em menos de uma hora, mas a sensação de viajar no tempo é garantida. O valor da passagem é de R$ 20 (a meia entrada) e sai aos finais de semana (sexta, sábado e domingo) da cidade de Mariana ou Ouro Preto. Para comprar o ingresso, basta acessar o site.

Trem Serra do Mar - Curitiba á Morretes (PR)
Um dos passeios mais agradáveis que tem para fazer é o Trem Serra do Mar, que percorre o trecho de Curitiba até Morretes e atrai diversos turistas. O trajeto dura 3 horas e passa por túneis e pontes que tornam o passeio interessante. A Serra Verde Express, empresa que realiza o programa, é conhecida por ter passeios de luxo pelo Brasil todo. Além do passeio, estão inclusos no ingresso um almoço, tour guiado pela cidade e guia turístico. O ingresso custa R$ 260 e pode ser adquirido por telefone (41) 3888-3488.

Maria Fumaça - Tiradentes a São João Del Rei (MG)
O trem percorre os 12 km que separa as cidades e percorre rios, serras e incríveis paisagens. As saídas ocorrem aos finais de semana (sexta, sábado e domingo). O roteiro só de ida custa R$ 50 e o completo (ida e volta), R$ 60. É possível iniciar a viagem tanto de Tiradentes quanto de São João Del Rei. Os ingressos são adquiridos apenas nas bilheterias das cidades. Clique aqui para saber mais sobre endereços e valores.

São lourenço a Loledade MG
Trem das Águas - São Lourenço a Soledade de Minas (MG)
O Trem das Águas tem trajeto de duas horas (ida e volta) e percorre um caminho de 10 quilômetros. A locomotiva a vapor é do ano de 1928 e faz com que os visitantes viajem no tempo. Uma das opções de viagem é o vagão que oferece degustação de queijos, doces, suco de uva, vinho e cachaça. O passeio sai aos finais de semana (sexta, sábado e domingo) da cidade de São Lourenço. O valor do ingresso é de R$ 55 na classe turística e R$ 78 na classe especial com degustação. Indica-se a compra antecipada de ingressos pelo telefone (35) 3332-3011.

Maria Fumaça - Rota do Vinho na Serra Gaúcha (RS)
A Serra Gaúcha guarda aos viajantes inúmeras surpresas, principalmente para os amantes de vinho. Para aproveitar ainda mais o roteiro, o passeio de trem com a Maria Fumaça propõe uma verdadeira vivência em grupo com degustação de vinhos e queijos. O trajeto parte da cidade de Bento Gonçalves, passa por Garibaldi e termina na cidade de Carlos Barbosa. São 23 quilômetros de agradável percurso com duração média de 2 horas. Durante o passeio, a festa é conduzida por atrações típicas italianas e gaúchas. Os ingressos saem por R$ 98 na baixa temporada e R$ 120 na alta (julho, dezembro e janeiro). Para adquirir o pacote, basta entrar em contato pelo telefone (54) 3455-2788.

Trem da Serra da Mantiqueira - Passa Quatro a Serra da Mantiqueira (MG)
O Trem da Serra da Mantiqueira parte da cidade de Passa Quatro com destino à divisa entre São Paulo e Minas Gerais. Durante o percurso de uma hora (ida), são feitas paradas para compras de artesanato, além de passar por casarões da época dos barões de café, parada para conhecer o museu da novela da rede Globo JK e Mad Maria. O passeio ida e volta custa cerca de R$ 50, sendo necessário ligar para o telefone (35) 3371–2167 para fazer reservas.

Expresso Turístico - São Paulo a Paranapiacaba (SP)
A cidade turística de Paranapiacaba fica no município de Santo André e visitá-la é como voltar no tempo dos barões de café, onde as cidades eram rústicas e pequenas. A região abrigou, em 1867, imigrantes ingleses que vieram ao país para construir a ferrovia paulista. Por conta disso, Paranapiacaba possui uma arquitetura diferenciada, com edificações construídas pelos britânicos e mantidas até hoje. Além disso, trilhas, cachoeiras e bastante contato com a natureza completam as atrações do lugar. O Expresso Turístico da CPTM realiza o passeio através de uma locomotiva dos anos 50. O passeio parte da Estação da Luz aos domingos. O ingresso custa cerca de R$ 45 por pessoa e é vendido apenas na Bilheteria da Estação. Não é possível comprar pela internet. Para mais informações, acesse o site oficial da CPTM.

Maria Fumaça - Campinas a Jaguariuna (SP)
O passeio da Maria Fumaça parte da cidade de Campinas com destino à Jaguariúna e é uma das melhores viagens de trem para fazer, principalmente com crianças! A viagem de 3 horas e meia tem duas paradas: na Estação Tanquinhos, onde o público aprende o funcionamento do trem a vapor, conhecido como Maria Fumaça. Em seguida, o passeio prossegue até Jaguariúna, onde é realizada uma visita a um museu com roupas de época. Além disso, em cada vagão um monitor explica os locais importantes por onde a locomotiva passa. Para mais informações, acesse o site oficial da Maria Fumaça.

Estrada de Ferro - Campos de Jordão a Santo Antônio do Pinhal (SP)
A viagem começa em Campos do Jordão, na Estação Emílio Ribas, com destino a Santo Antônio do Pinhal. São cerca de 2h30 (ida e volta) de trajeto, que passa pelo centro de Campos do Jordão, trechos da Serra da Mantiqueira e um dos pontos ferroviários mais altos: Alto do Lajeado (tem 1.743 metros de altura)! Ao chegar ao destino, é feita uma parada de 30 minutos onde os visitantes podem conhecer uma confortável cafeteria e, se desejarem, comprar doces caseiros.

Viagem 
Trem da Vale - Belo Horizonte (MG) a Cariacica (ES)
A viagem de trem, que parte de Belo Horizonte com destino a Cariacica, no Espírito Santo, é considerada a mais longa que existe no país e a única que atravessa estados. Dentro da locomotiva, modernizada e com classes diferentes, não existe nenhum tipo de atividade turística, sendo apenas um meio de transporte. Existem 2 classes: executiva com poltronas reclináveis e mais espaçadas e a econômica com maior número de poltronas e um pouco menos espaço. Para comprar a passagem, é necessário preencher os dados no site e verificar disponibilidade.
Fonte - Guia da Semana  21/07/2016

VLT de Sobral terá reforço operacional e horário de funcionamento estendido

Transportes sobre trilhos

O projeto de lei do Governo do Ceará que cria as vagas temporárias foi aprovado nesta quarta-feira (20) pela Assembleia Legislativa do Ceará. Após sanção do texto pelo governador Camilo Santana será contratada a instituição responsável pela seleção.

Da Redação
foto - ilustração/VLT Sobral
A Cia Cearense de Transportes Metropolitanos (Metrofor) lançará nos próximos dias edital de seleção pública para o VLT de Sobral. O objetivo é aumentar o horário de funcionamento dos trens, dando início à operação comercial do sistema sobralense.
O projeto de lei do Governo do Ceará que cria as vagas temporárias foi aprovado nesta quarta-feira (20) pela Assembleia Legislativa do Ceará. Após sanção do texto pelo governador Camilo Santana será contratada a instituição responsável pela seleção.
A opção pela contratação temporária se justifica pela previsão de concessão do sistema metroferroviário à iniciativa privada, por meio de Parceria Público Privada (PPP).
Atualmente, o VLT de Sobral opera de segunda a sexta-feira, de 8h às 12h. O objetivo da Secretaria das Cidades, por meio da Metrofor, é realizar uma operação de 5h30 às 23h30, atendendo de forma mais ampla as necessidades locais. Para isso, serão 19 vagas no total, de acordo com texto aprovado por unanimidade no parlamento.
Todas as funções são de caráter operacional, e se dividem em manobradores de trens, agentes de estação, controladores de metrô, e condutores de metrô. As remunerações variam de R$ 2.589,44 a R$ 3.034,31. As contratações serão realizadas por um ano e previsão de prorrogação por mais um ano, totalizando dois anos de serviço.
Experiência com funções ligadas à operação de trem e metrô não será obrigatória para participar da seleção, mas contará pontos a mais durante a disputa entre os inscritos. Todos os selecionados participarão do treinamento, que será aplicado pela Metrofor, em Sobral, após a seleção.
Atualmente, o VLT de Sobral transporta, por dia, em média 2.600 passageiros.
Com informações do Governo do Ceará  21/07/2016

quinta-feira, 21 de julho de 2016

Conder conclui escavação de túnel na Avenida Suburbana

Mobilidade

De acordo com o superintendente de Mobilidade Urbana da Conder,Jorge Lima,equipamentos de última geração e aproximadamente 370 operários,incluindo 30 engenheiros e geólogos especialistas,participam das obras de escavação no local, que envolveu a detonação de explosivos. “Com aproximadamente 380 metros,estes túneis irão se destacar entre os existentes na capital,superando em quase 80 metros a extensão do túnel Américo Simas”, destaca.

Da Redação
foto - Lucas Pondé/Conder
Na tarde de quarta-feira (20), operários e máquinas envolvidos na implantação da Linha Azul finalizaram os serviços de escavação de um dos dois túneis que integram a Ligação Lobato/Pirajá, um passo importante para melhoria da mobilidade urbana na região do Subúrbio Ferroviário, que também envolve a construção de viadutos e vias para integrar o Subúrbio à BR-324.
Com duas faixas de trânsito por sentido, o primeiro túnel com obras de escavação concluídas funcionará no sentido Suburbana X BR-324. Esta é uma das etapas do projeto de implantação da Linha Azul, de iniciativa do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur), com execução realizada pela Conder, por meio da diretoria de Obras Estruturantes. A expectativa é que os dois túneis sejam concluídos até o fim do ano. Já a ligação entre a Avenida Suburbana e a BR-324 deve ser finalizada no segundo semestre de 2017.
De acordo com o superintendente de Mobilidade Urbana da Conder, Jorge Lima, equipamentos de última geração e aproximadamente 370 operários, incluindo 30 engenheiros e geólogos especialistas, participam das obras de escavação no local, que envolveu a detonação de explosivos. “Com aproximadamente 380 metros, estes túneis irão se destacar entre os existentes na capital, superando em quase 80 metros a extensão do túnel Américo Simas”, destaca.

Linha Azul
Corredor transversal à Avenida Paralela, a Linha Azul começa na Avenida Pinto de Aguiar, já duplicada, prosseguindo pela interligação em túneis com a Avenida Gal Costa, também em processo de duplicação, até o bairro da Capelinha, na zona de São Caetano.
O trecho final, na extremidade oposta, representa a Ligação Pirajá/Lobato (Avenida Suburbana), alcançando uma extensão total aproximada de 13 quilômetros. A expectativa é que as obras de finalização dos túneis, que incluem pavimentação e urbanização, sejam concluídas até o fim do ano.
Com informações da Secom Ba.  21/07/2016

CRRC Dalian apresenta os novos trens do Metrô de Lagos na Nigéria

Transportes sobre trilhos

A Lagos Metropolitan Area,responsável pela administração de transportes,celebrou um contrato de  US $ 14·7m, para aquisição de 15 composições da CRRC Dalian em janeiro de 2015, com opção para mais 14.Os novos trens terão 4 carros e alimentação elétrica por terceiro trilho.

Da Redação
Railway Gazette
A fábrica chinesa CRRC Dalian apresentou o seu primeiro trem de metrô para  Lagos na Nigéria.O conjunto do Tipo B é baseado no projeto para  Linha 2 do  metro de Tianjin,com uma composição de quatro carros,em vez dos seis.
A Lagos Metropolitan Area,responsável pela administração de transportes local,celebrou um contrato de  US $ 14·7m, para aquisição de 15 composições da CRRC Dalian em janeiro de 2015, com opção para mais 14. Este contrato substituiu um plano anterior para carros usados do metrô de Toronto,que iriam operar metrô da cidade.
Os trens são de de aço-bodied,tem dois carros motores e dois carros reboques,capazes de atingir uma velocidade máxima de 100 Km / h,embora a velocidade operacional máxima de serviço será de 80 km / h.O sistema de alimentação elétrica dos trens será através de terceiro trilho.
Os trens deverão operar nos 27 km da Linha Azul, com 13 estações entre Okokomaiko e Marina. As composições ficarão estacionadas em um pátio no terminal ocidental do Okokomaiko.
Com informações da Railway Gazette 21/07/2016

Boletim de Conjuntura apresenta análise do cenário econômico do Maranhão no último trimestre

Economia

A publicação faz uma ampla análise sobre a dinâmica da economia maranhense a curto e médio prazos, bem como análise dos cenários nacional e internacional.O Boletim é o resultado de uma das linhas de pesquisa do Imesc, instituição que reúne, sistematiza e analisa informações sobre a realidade do Maranhão.

Da Redação

O Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc) lançou, nesta quarta-feira (20), o Boletim de Conjuntura Econômica Maranhense. A publicação faz uma ampla análise sobre a dinâmica da economia maranhense a curto e médio prazos, bem como análise dos cenários nacional e internacional.
O Boletim é o resultado de uma das linhas de pesquisa do Imesc, instituição que reúne, sistematiza e analisa informações sobre a realidade do Maranhão. A publicação também atua como um importante documento de análise para o Planejamento Econômico do Estado, auxiliando pesquisadores, acadêmicos, empresários, trabalhadores e potenciais investidores, como aponta o presidente do Imesc, Felipe de Holanda:
“A análise de conjuntura produz um painel privilegiado de informações para os tomadores de decisões estratégicas, tanto no setor público, quanto no setor privado. Em nossa pesquisa e nas discussões semanais do Grupo dedicamos uma atenção especial ao monitoramento e avaliação das políticas públicas e de seus impactos sobre a economia maranhense, de acordo com nossas atribuições institucionais, de dar suporte às atividades do Sistema de Planejamento do Estado”, destacou.
O nível de atividade econômica do Estado é avaliado por meio de indicadores relacionados ao Produto Interno Bruto (PIB), à produção agrícola, à confiança do empresário industrial, ao financiamento imobiliário e ao comércio.
Para contextualizar de maneira ampliada a realidade do Maranhão, a equipe de Conjuntura Econômica do Imesc analisa no Boletim de Conjuntura, a sistemática do cenário internacional, tratando da dinâmica das principais economias avançadas e emergentes, além da análise da economia nacional, mapeando os principais condicionantes da situação da economia brasileira.
O Boletim de Conjuntura apresenta ainda análises relacionadas ao endividamento do Estado, ao comércio exterior, ao mercado de trabalho e às finanças públicas estaduais (incluindo a avaliação da responsabilidade fiscal), além da análise dos desdobramentos e impactos das principais políticas públicas sobre a atividade econômica no Estado.

Cenário maranhense
Com a provável retração do Produto Interno Bruto (PIB) nacional na casa de 3,5% em 2016, teremos no triênio 2014-2016 uma queda acumulada superior a 8% no PIB brasileiro, sendo superior a 12% no PIB per capita. Esse cenário tem forte impacto na realidade estadual, uma vez que gera forte retração nas transferências correntes federais, a exemplo do Fundo de Participação do Estado (FPE) com perda de R$ 1,3 bilhão na arrecadação do Estado entre janeiro de 2015 e junho de 2016.
O Maranhão perde também com a paralisação de programas e obras federais, a exemplo do Programa Minha Casa Minha Vida e de outras obras de infraestrutura federais, a exemplo da duplicação da BR-135.
Esses impactos negativos gerados pela crise nacional, no entanto, atingem o Maranhão com menor intensidade em relação a outros estados, em função de medidas anticíclicas e fiscais adotadas pelo governo estadual.

Salários de servidores em dia, obras e programas sociais avançando
Com a racionalização dos regimes de incentivos fiscais e combate a sonegação fiscal, o governo do Maranhão, mantém em dia a folha de pagamentos dos servidores públicos, ao contrário da maior parte dos demais Estados, ao mesmo tempo em que dá continuidade a estratégias de investimento na melhoria da qualidade de vida da população, a exemplo do Plano Mais IDH, do Programa Mais Asfalto, da construção da rede de hospitais macrorregionais, dos investimentos na ampliação da rede de abastecimento de água, dentre outros.
O Boletim de Conjuntura Econômica Maranhense do 2º trimestre de 2016 encontra-se disponível no site do Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos.
Com informações do Governo do Maranhão 21/07/2016

Notícias de hoje - Quinta (21)

Notícias

Inflação medida pelo IPCA-15 volta a subir e fecha últimos 12 meses em 8,93%. Operação Inversão: Justiça manda soltar delegados suspeitos de receber propina. MPF entra na Justiça por transparência nos gastos do Comitê Rio 2016. Publicadas leis que aumentam salários de servidores do Judiciário e do MPU


Inflação medida pelo IPCA-15 volta a subir e fecha últimos 12 meses em 8,93%

Nielmar de Oliveira - Repórter da Agência Brasil
Marcello Casal Jr./ABr
A prévia da inflação oficial do país, medida IPCA-15 voltou a acelerar este mês,ao subir 0,14 ponto percentual e passar de 0,40% para 0,54% entre junho e julho deste ano. Com o resultado, o IPCA-15 acumula alta de 8,93% nos últimos doze meses – resultado, no entanto, que chega a ser 0,05 ponto percentual inferior ao da taxa acumulada nos 12 meses imediatamente anteriores: 0,98%.
Os dados foram divulgados hoje (21) pelo IBGE e indicam que o total acumulado no ano é de 5,19%, bem abaixo dos 6,9% registrados em igual período do ano anterior. Em julho de 2015, a taxa havia sido 0,59%.
Também mais uma vez o feijão-carioca, cujos preços subiram, em média, 58,06%, foi, isoladamente, o item que exerceu o maior impacto no índice do mês, 0,18 ponto percentual.


Operação Inversão: Justiça manda soltar delegados suspeitos de receber propina

Marli Moreira - Repórter da Agência Brasil
Estão soltos desde a noite de ontem (20) os três delegados da Polícia Federal acusados de participar de um esquema de pagamento de propina envolvendo fraudes contra a Previdência Social, em São Paulo. Eles Foram presos no último dia 14.
Em despacho ontem (20), a juíza Ana Clara de Paula Oliveira Passos, da Justiça Federal considerou desnecessárias as prisões. Segundo o advogado Olímpio José Ferreira Rodrigues, que entrou com recurso para defender um dos acusados, Ulisses Vieira Mendes, a juíza entendeu que seu cliente não oferecia nenhuma ameaça de obstrução ao inquérito instaurado para apurar a denúncia de cobrança de propina de fraudadores da Previdência Social e nenhum risco à sociedade.

MPF entra na Justiça por transparência nos gastos do Comitê Rio 2016

Vitor Abdala – Repórter da Agência Brasil
O Ministério Público Federal (MPF) entrou com uma ação civil pública na Justiça Federal pedindo maior transparência nas receitas e despesas do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. A ação, proposta pelo Grupo de Trabalho Olimpíadas 2016 do MPF no Rio, pede que as demonstrações contábeis do comitê, um órgão privado, mostrem as despesas com orçamento próprio e os gastos feitos com recursos públicos.
Em agosto de 2015, o MPF já tinha feito uma recomendação ao comitê para que desse publicidade a gastos com folha de pagamento de funcionários, com a construção da Vila Olímpica e com os contratos celebrados desde a criação do comitê. O Ministério Público diz que a recomendação não foi atendida.
Ainda segundo o MPF, o Comitê Organizador entende que a Lei 12.035 de 2009 não o submete aos controles do Ministério Público, do Tribunal de Contas da União (TCU) ou do órgão de fiscalização do governo federal (que na época era a Controladoria-Geral da União). A lei permite que a União pode destinar recursos para cobrir eventuais déficits operacionais do comitê.


Publicadas leis que aumentam salários de servidores do Judiciário e do MPU

Da Agência Brasil
O Diário Oficial da União de hoje (21) publicou as leis que reajustam salários dos servidores do Judiciário e Ministério Público da União (MPU).
Ontem (20), o presidente interino, Michel Temer, sancionou - sem vetos - os projetos de lei que garantem os aumentos, que serão pagos gradativamente em parcelas até 2019, e, somente no ano que vem, vão gerar impacto de mais de R$ 5 bilhões.
As propostas foram aprovadas no fim do mês passado pelo Senado Federal, e determinam reajuste de 41%, dividido em oito parcelas, aos servidores do Judiciário e de 12% aos funcionários do MPU, que abrange o Ministério Público Federal (MPF), o Ministério Público do Trabalho (MPT), o Ministério Público Militar (MPM) e o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT).
Além do vencimento básico, as medidas preveem aumentos na gratificação judiciária e dos cargos em comissão. À época da aprovação, o ministro interino do Planejamento, Dyogo Oliveira, disse que os reajustes não teriam impacto negativo nas contas do governo.Com informações da Agência Brasil

Futuro promissor para o VLT

Transportes sobre trilhos

As linhas de VLT podem ser encontradas em 53 países diferentes e, juntas, transportam 45 milhões de pessoas por dia em 388 cidades. A UITP afirma que este modal é o ideal para cidades de médio porte que possuem entre 200 a 600 mil habitantes, mas também pode ser utilizado como alimentador de sistemas de maior capacidade, como metrôs e trens de subúrbio, nas grandes metrópoles.

Gustavo Ferrari
Estação Ferroviária
foto - ilustração/VLT de Salvador
A UITP (International Association of Public Transport) divulgou esta semana um estudo que enxerga o mercado global de VLT como um futuro muito promissor. De acordo com a associação, 80 cidades no mundo estão construindo a sua primeira linha, inclusive no Brasil.
As linhas de VLT podem ser encontradas em 53 países diferentes e, juntas, transportam 45 milhões de pessoas por dia em 388 cidades. A UITP afirma que este modal é o ideal para cidades de médio porte que possuem entre 200 a 600 mil habitantes, mas também pode ser utilizado como alimentador de sistemas de maior capacidade, como metrôs e trens de subúrbio, nas grandes metrópoles.

Características técnicas
A composição do VLT possui entre 22 a 60 metros de comprimento, o que torna o modal um bom intermediário para o deslocamento de 3 mil a 11 mil passageiros hora/sentido. Somente sistemas como o metrô, o trem de subúrbio e, em raros casos, o Bus Rapid Transit (BRT) oferece capacidade similar ou maior.
A UITP também afirmou que o VLT é um modal de transporte com velocidade ágil, pode operar nas condições climáticas mais adversas, não polui o meio ambiente por ser totalmente elétrico, e não agride a paisagem urbana.


foto - ilustração/Pregopontocom
O boom do VLT no mundo
Durante as décadas de 1950 e 1970, muitas cidades no mundo resolveram retirar os trilhos do bonde para dar lugar aos automóveis. Outras, entretanto, optaram em modernizar e atualizar o sistema com novos veículos e vias parcialmente segregadas, dando surgimento ao VLT.
A UITP afirma que em meados dos anos 1980, muitas cidades começaram a investir em sistemas ferroviários de média capacidade, em especial nos Estados Unidos e Europa.
Entre os anos 2000 e 2015, 70 sistemas de VLT foram inaugurados em território europeu e norte-americano. No ano passado, especificamente, 289 km de linhas foram abertas em 19 países ao redor do mundo.
O modal está no portfólio das grandes montadoras ferroviárias, tais como: Alstom (Citadis), Bombardier (Flexity), CAF (Urbos), Stadler (Tango e Metelica), Vossloh, Siemens (Avanto ou S70), etc. No Brasil, a empresa cearense Bom Sinal desenvolve bondes diesel-elétricos e os fornece essencialmente para os sistemas do Nordeste, como o metrô do Cariri.

Projetos de VLT no Brasil
De acordo com dados divulgados no último relatório da Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos (ANPTrilhos), o Brasil possui cinco projetos de VLT em execução, inaugurados ou em andamento. São eles:

VLT do Rio de Janeiro, inaugurado no início de junho de 2016;
Extensão do VLT da Baixada Santista, em SP, em operação desde janeiro de 2016;
VLT de Cuiabá, no Mato Grosso;
VLT de Goiânia (implantação);
VLT de Fortaleza (Parangaba-Mucuripe), em implantação.

O governo federal pretende implantar outros nove projetos de VLT, em especial nas regiões do Nordeste, Brasília e Rio de Janeiro. São eles:

Modernização e expansão da superintendência da CBTU Maceió;
VLT de Maceió (Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares-Maceió);
VLT de Salvador;
VLT do Eixo Monumental de Brasília;
VLT da W3 de Brasília;
Modernização da superintendência CBTU João Pessoa;
Modernização da superintendência CBTU Recife;
VLT da zona sul do Rio de Janeiro;
Modernização da superintendência CBTU Natal.

Todos os projetos citados estão em fase de estudo e não possuem estimativas de valores. A tendência, porém, é que todos os novos sistemas entrem na modelagem PPP (parceria público-privada).
No caso do VLT de Goiânia (Padre Pelágio-Novo Mundo), por exemplo, o grupo Odebrecht Transport venceu a concorrência e será responsável pela operação, concessão e manutenção da linha pelos próximos 35 anos.
Serão investidos R$ 1,3 bilhão para a construção de uma linha de VLT com 13,6 km de extensão, 18 estações, cinco terminais de integração. O grupo Odebrecht pretende comprar 30 trens para suprir o sistema, que tem demanda estimada em 240 mil passageiros por dia.
De acordo com Roberta Marchesi, superintendente da ANPTrilhos, “o mercado de VLT no Brasil é muito promissor, pois trata-se de um sistema moderno, integrador, que se insere nas cidades e se adequa aos mais diferentes tipos de municípios”. A executiva ainda crê que os recém-inaugurados sistemas de Santos e Rio de Janeiro servirão de espelho para futuras linhas.
Fonte - Estação Ferroviária  20/07/2016

Método Canguru oferece qualidade de vida aos recém-nascidos da Maternidade Nossa Senhora de Lourdes em Sergipe

Saúde

Somente nos seis primeiros meses de 2016, a ação assistencial já beneficiou mais 166 bebês prematuros.“Durante o processo é possível aumentar o vínculo afetivo entre mães e bebês através da humanização,oferecendo mais qualidade de vida aos recém-nascidos abaixo do peso

ASN
foto - Ascom/SES
Referência no atendimento às gestantes de alto risco, a Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL) trabalha com o Método Canguru desde 2006. Trata-se de um tipo de assistência neonatal que proporciona o contato pele a pele entre a mãe e o bebê, estimulando o desenvolvimento e ajudando na recuperação de bebês de baixo peso e prematuros. Em Sergipe, a MNSL é a única unidade de saúde do SUS a trabalhar com o Método Canguru. Somente nos seis primeiros meses de 2016, a ação assistencial já beneficiou mais 166 bebês prematuros na ala verde da unidade hospitalar.
“Durante o processo é possível aumentar o vínculo afetivo entre mães e bebês através da humanização, oferecendo mais qualidade de vida aos recém-nascidos abaixo do peso”, comenta o médico neonatologista da MNSL, Alex Santana. Ele ainda diz que, com a colocação do bebê no peito da mãe, é possível promover maior estabilidade térmica, substituindo as incubadoras, permitindo alta precoce, ganho de peso, crescimento, evitando infecções hospitalares.
“O que me deixa mais segura e confiante é que posso acompanhar de perto todo o processo. A cada dia, vejo meu filho ficar mais forte e saudável. A equipe de profissionais também colabora bastante e garante o bem-estar do bebê”, revela Genilma Lima, mães dos gêmeos Laura Sophia e João Guilherme, assistidos pela equipe multidisciplinar do Método Canguru na MNSL.

Assistência neonatal
O processo da assistencial Neonatal do Método Canguru é dividido em três etapas. Na primeira, a criança é enviada para Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (Utin), quando nasce prematuramente, sendo que a mãe permanece internada na maternidade para acompanhar o filho durante o processo.
O segundo passo é enviar a criança para a companhia da mãe, quando aprende a sugar e a mamar. O terceiro momento acontece após a criança ganhar peso satisfatório e ter um quadro de saúde clinicamente estável (não estar tomando soro, nem respirar com ajuda de aparelhos).
“A mãe precisa estar disposta a passar por um pequeno curso de capacitação para conhecer o projeto em todas as suas fases, para que possa ser realizado um trabalho integrado”, explica o médico neonatologista.
Já na terceira etapa, o bebê que participou do Método Canguru é acompanhado pela MNSL até os dois anos de idade, através do Ambulatório de Follow up.
De acordo com médico Paulo Menezes, neonatologista e um dos coordenadores do Método Canguru, cada recém-nascido teve uma média de ganho de peso de 18 gramas, por dia. “Com as atividades desenvolvidas, pudemos observar a diminuição no tempo de permanência de internação, que pode chegar até 13 dias. O estímulo ao aleitamento materno e o menor tempo de separação mãe-filho, evitando longos períodos sem estimulação sensorial, são as principais metodologias do Método Canguru”, pontua. “O objetivo desta prática não é só salvar vidas. Queremos dar qualidade de vida para os recém-nascidos e fazer com que eles se desenvolvam como se tivessem nascido de uma gestação normal”, acrescenta.

História
A posição Canguru foi idealizada na Colômbia, em 1979, para diminuir a mortalidade neonatal elevada naquele país. No Brasil, o método chegou em 1997 no Instituto Materno Infantil de Pernambuco (IMIP). Em 2000, o Ministério da Saúde publicou a Norma de Atenção Humanizada ao Recém-Nascido de Baixo Peso, atualizada posteriormente pela Portaria nº 1.683 de 12 de julho de 2007.
Em Sergipe a prática foi instituída em 2002, ainda na Maternidade Hildete Falcão Baptista. Com a mudança do prédio, as ações passaram a ser realizadas na Maternidade Nossa Senhora de Lourdes.
Com informações da ASN (Ag. Sergipe de Notícias)  20;07/2016

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Obras do Programa Mobilidade Salvador seguem em ritmo acelerado

Mobilidade

Assim como a nova Avenida Pinto de Aguiar, o trajeto é parte do Corredor Transversal I (Linha Azul), que ligará Patamares ao Subúrbio Ferroviário e terá, no total, 13 quilômetros de extensão.A obra consistiu na perfuração de uma parte da rocha, feita por uma perfuratriz hidráulica de origem finlandesa. Em seguida, os buracos feitos pela máquina foram carregados com explosivos e detonados.

Da Redação
foto - Alberto Coutinho/Gov.Ba
Foi finalizada nesta quarta-feira (20), na Avenida Suburbana, em Salvador, a escavação em rocha de um dos túneis que farão ligação com a Avenida Gal Costa, seguindo até o bairro do Lobato. Assim como a nova Avenida Pinto de Aguiar, o trajeto é parte do Corredor Transversal I (Linha Azul), que ligará Patamares ao Subúrbio Ferroviário e terá, no total, 13 quilômetros de extensão.
A obra consistiu na perfuração de uma parte da rocha, feita por uma perfuratriz hidráulica de origem finlandesa. Em seguida, os buracos feitos pela máquina foram carregados com explosivos e detonados. 

foto - Alberto Coutinho/Gov.Ba
O processo de detonações produz até 300 toneladas de pedras, retiradas do túnel por caminhões. Segundo o engenheiro responsável pela operação, Fabrício Vieira, a entrega dos túneis finalizados está prevista para o mês de outubro. “Esse tipo de rocha só nos permite avançar com segurança cerca de 2 metros a cada dez horas. Hoje finalizamos o primeiro túnel e vamos iniciar as obras do segundo, que devem ser finalizadas em cerca de 20 dias”.

Mais mobilidade
Outras obras do programa Mobilidade Salvador incluem a requalificação do trecho entre Pirajá e a Avenida Suburbana, além da construção de nove viadutos. A construção de ciclovias e a macrodrenagem dos rios Camarajipe e Pituaçu também integram o projeto.
Já com o Corredor Transversal II (Linha Vermelha), o objetivo é ligar a orla atlântica e a BR-324, por meio das avenidas Orlando Gomes, já entregue, e 29 de Março, em execução, passando pelo Parque Tecnológico, na Paralela, e a Via Regional, chegando até Águas Claras e totalizando 12 quilômetros de extensão. O projeto também inclui a construção de seis viadutos, cinco pontes e onze quilômetros de ciclovia.
Com informações da Secom Ba.  20/07/2016

Tribunal Internacional no Rio condena impeachment de Dilma Rousseff

Política

O evento, realizado no teatro Casa Grande, no Leblon, zona sul do Rio, foi uma iniciativa realizada por movimento sociais, Via Campesina Internacional, Frente Brasil Brasil Popular e Frente Brasil de Juristas pela Democracia. O julgamento ocorreu nos moldes de um tribunal tradicional, onde foram ouvidos testemunhas de defesa e acusação que produziram pareceres submetidos a nove juristas eméritos de nove países.

Sputnik
Sputnik
Reunido desde terça-feira, 19, no Rio, o Tribunal Internacional pela Democracia encerrou seus trabalhos nesta quarta-feira com a condenação do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Durante dois dias, magistrados de diversos países analisaram as razões do afastamento e concluíram que o processo se constituiu em um novo tipo de golpe.
O evento, realizado no teatro Casa Grande, no Leblon, zona sul do Rio, foi uma iniciativa realizada por movimento sociais, Via Campesina Internacional, Frente Brasil Brasil Popular e Frente Brasil de Juristas pela Democracia. O julgamento ocorreu nos moldes de um tribunal tradicional, onde foram ouvidos testemunhas de defesa e acusação que produziram pareceres submetidos a nove juristas eméritos de nove países.
As sessões, tanto de debate quanto de julgamento, foram acompanhadas pelo público e transmitidas em redes sociais. O Tribunal Internacional pela Democracia foi inspirado no Tribunal Russell, que, nos anos 60, julgou crimes cometidos pelos Estados Unidos durante a Guerra do Vietnã e também no Tribunal Russell II, que nos anos 70 reuniu professores e intelectuais em Roma para julgar direitos humanos violados pelas ditaduras latino-americanas.
Pouco antes de proferida a sentença, a Sputnik Brasil conversou com Caroline Proner, advogada e professora da Faculdade de Direito da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e uma das integrantes do encontro.
"Estamos aqui no Teatro Casagrande, no Rio de Janeiro, vivendo um momento histórico para o nosso país. Vamos ter daqui a uma hora a sentença do Tribunal Internacional pela Democracia no Brasil, uma iniciativa da sociedade civil, da Frente Brasil de Juristas pela Democracia, da Frente Brasil Popular e da Via Campesina Internacional, que representam, dentro dessas organizações, uma quantidade infindável de movimentos sociais e grupos que fazem parte da resistência a esse novo tipo de golpe que se está dando a partir de um processo de impeachment revestido de legalidade."
Caroline lembra que, na terça-feira, advogados e testemunhas de acusação e defesa debateram as razões e o embasamento jurídico do impeachment e nesta quarta-feira apresentado suas conclusões a um júri internacional de alto nível.
"É muito importante para nós esse olhar, essa percepção internacional que se tem do Brasil. Temos a expectativa de uma sentença que vai confirmar a percepção de que isso é realmente um novo tipo de golpe parlamentar, um golpe branco e que envolve uma cadeia de instituições, um tema complexo de ser compreendido e que tem consequências diversas como colocadas na pronúncia dos votos dos jurados. A sentença deve ser potente de argumentos e será assinada por todos os juízes."
Caroline destaca que em nenhum momento os jurados tiveram acesso à imprensa, como foi constatado pela Sputnik Brasil, que não conseguiu obter qualquer depoimento antes do veredito final. Segundo a advogada e professora, essa foi uma tomada de decisão desde que entraram no Brasil, a fim de manter a isenção e construírem eles próprios o convencimento.
"Eles já tinham uma percepção do que estava acontecendo no Brasil, mas vieram aqui e, com base em documentos oficiais e dossiês que foram oportunizados pela defesa e pela acusação, tiraram suas próprias conclusões.Temos um conjunto de experts de altíssima notoriedade no Direito."
Quando indagada se houve a presença de "países bolivarianos" – como o Ministério das Relações Exteriores do atual governo se refere a países como Venezuela, Bolívia e Equador – Caroline respondeu:
"Infelizmente não temos bolivianos e venezuelanos. Os bolivarianos, e isso é um preconceito com a América Latina, não estiveram presentes como juízes. Alguns foram convidados, mas não puderam comparecer. A idoneidade de nossos membros, contudo, pôde ser comprovada com o currículo e, principalmente, por quem pôde assistir ao vivo, porque o tribunal foi reproduzido por diversas mídias."
O presidente do tribunal foi Juarez Tavares, professor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), e o corpo de jurados foi composto por Alberto Filippi (Argentina), Azadeh Shahshahani (EUA/Irã), Bispo Raul Veras (México), Carlos Augusto Argote (Colômbia), Giovanni Tognoni (Itália), Jaime Gracia (México), Laurence Cohen (França), Maria José Dulce (Espanha) e Walter Montealegre (Costa Rica).
Fonte - Sputnik  20/07/2016

#Nada atrapalha meu caminho: um mutirão para avaliar a acessibilidade

Acessibilidade

Mapeamento de lugares para receber pessoas com mobilidade reduzida acontece no dia 28 de julho em várias cidades do Brasil. Calçadas e transportes também estão na mira.O encontro de lançamento reuniu jornalistas de todo o Brasil e ativistas, entre eles o atleta Fernando Fernandes. Os debates foram mediados pelo jornalista Marcos de Sousa, editor do Mobilize Brasil.

Marcos de Sousa - Mobilize
Mobilize
#Nada atrapalha meu caminho é o mote da campanha lançada ontem (19) pelo aplicativo Biomob em parceria com a Advil Brasil . A ideia é estimular a mobilidade a pé nas cidades brasileiras e melhorar as condições de acessibilidade para todos, em especial para idosos e pessoas com deficiência.
O encontro de lançamento reuniu jornalistas de todo o Brasil e ativistas, como o atleta Fernando Fernandes, o arquiteto Mario Cezar da Silveira, o empresário Rodrigo Credídio, um dos criadores do app Biomob, e Elio Dilburt, representante da Pfizer Consumer Healthcare, fabricante do Advil. Os debates foram mediados pelo jornalista Marcos de Sousa, editor do Mobilize Brasil.
Como parte dessa campanha, na sexta-feira, 28 de julho, pessoas de todo o país estarão mobilizadas para avaliar a acessibilidade em centros esportivos, escolas, hospitais, shoppings e outros estabelecimentos comerciais, além de calçadas e pontos de acesso ao transporte público.
O aplicativo Biomob foi criado em 2015 como uma ferramenta para ajudar as pessoas a encontrarem locais acessíveis utilizando seus celulares. O mutirão é mais uma etapa de avaliação para ampliar o mapeamento dos estabelecimentos em cidades brasileiras. A população está convidada a participar, avaliando a acessibilidade de estabelecimentos por meio do aplicativo Biomob e, assim, promover cidades melhores para todos. Após um pequeno treinamento, todos sairão às ruas juntos, para visitar lugares acessíveis e, em tempo real, dar uma nota para cada item de acessibilidade.
Quem não puder comparecer à ação presencial pode contribuir mesmo assim. Ao visitar um local, basta procurá-lo no aplicativo e fazer a avaliação, a qualquer momento. O Biomob também detecta a localização do usuário e sugere lugares próximos - que atendam à necessidade específica dele – e também permite a busca por nome ou tipo de estabelecimento. Bares, restaurantes, academias, teatros, shoppings, hotéis e parques são avaliados com base na norma NBR 9050 – que estabelece as regras de acessibilidade para edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos - e recebem notas de 0 a 5 para todos os itens (calçada, entrada, banheiro adaptado, sinalizações etc.).

Direito de ir e vir

"Seja para trabalhar, passear, fazer compras ou estudar, nossa rotina está repleta de atividades e compromissos que envolvem a mobilidade. Idosos, gestantes, pais com carrinhos de bebê, obesos ou pessoas com deficiência física também precisam ter seu direito de ir e vir garantido. Por isso, por pensar na necessidade de todos os cidadãos e, principalmente, para inspirar as pessoas a realizarem o que elas desejam é estamos promovendo a campanha #Nada Atrapalha Meu Caminho junto com o Biomob", frisa Elio Dilburt, ao explicar porque a Pfizer está apoiando a ação do Biomob.

Envelhecimento da população
Durante o evento de ontem, em São Paulo, o arquiteto especialista em acessibilidade Mario Cezar da Silveira lembrou que acessibilidade é uma necessidade que todas as pessoas têm ou terão no futuro, devido ao envelhecimento, perdas funcionais, deficiência adquirida ou até mesmo uma gravidez. De acordo com o IBGE, o Brasil tem hoje 13 milhões de pessoas com deficiência motora, mais de 20 milhões de idosos, quase 19 milhões de obesos e 800 mil gestantes por ano. A previsão é que, em 2040, 27% da população tenha mais de 60 anos, ou seja, 55 milhões de pessoas. "Um local acessível é mais confortável para todos e a adaptação de um estabelecimento deve ser vista como investimento, já que incentiva a frequência de novos clientes”, reitera Mario Silveira.

Como obter o app Biomob
O aplicativo Biomob é gratuito para os usuários e também para as empresas que quiserem incluir seus estabelecimentos, desde que apresentem um nível mínimo de acessibilidade. O app está disponível para Android e Ios e também no site www.biomob.com.br. Biomob é uma iniciativa da Goodbros e da BioMais, empresas que atuam para melhorar o bem-estar das pessoas com deficiência, e tem o apoio do Advil Brasil.
Fonte - Mobilize Brasil  20/07/2016

Aeromóvel para no fim de semana para manutenção preventiva

Transportes sobre trilhos

Serviço entre Estação Aeroporto da Trensurb e Terminal 1 do Salgado Filho será suspenso durante todo o horário de operação no sábado (23) e no domingo (24).

Trensurb
Trensurb
A linha da tecnologia aeromóvel operada pela Trensurb, que conecta o metrô ao Aeroporto Salgado Filho, terá seus serviços temporariamente suspensos durante todo o horário de operação no sábado (23) e no domingo (24). O motivo é a realização de trabalhos de manutenção preventiva, que incluem ajustes na via elevada e manutenção profunda da parte elétrica. No domingo seguinte (31), o funcionamento do aeromóvel será novamente suspenso para trabalhos de manutenção nas barras de estabilidade do elevado. Em caso de chuva, as atividades de manutenção serão adiadas e o aeromóvel funcionará normalmente.
A alternativa para o deslocamento dos usuários do metrô entre o Terminal 1 do Salgado Filho e a Estação Aeroporto da Trensurb é utilizar o ônibus gratuito que faz o transporte entre terminais e a passarela que conecta a estação ao Terminal 2.
Fonte - Trensurb  20/07/2016

Associação lança aplicativo de mobilidade urbana

Transportes sobre trilhos

O Metro Mapper Turismo Brasil, como foi batizado, disponibiliza mapas de metrôs, trens urbanos e VLTs das cidades brasileiras que detém estes sistemas, mapas de centros urbanos e principais pontos turísticos, além da possibilidade de traçar rotas livres.

Estação Ferroviária

A Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos (ANPTrilhos) lançará oficialmente nesta próxima sexta-feira, 22, um aplicativo de mobilidade urbana desenvolvido em parceria com as secretarias de Estado de Transportes e de Turismo do Rio de Janeiro e a agência Vivavida.
O Metro Mapper Turismo Brasil, como foi batizado, disponibiliza mapas de metrôs, trens urbanos e VLTs das cidades brasileiras que detém estes sistemas, mapas de centros urbanos e principais pontos turísticos, além da possibilidade de traçar rotas livres.
O aplicativo está disponível nas versões iOS e Android, nos idiomas inglês e português do Brasil, e pode ser baixado gratuitamente nas devidas lojas (App Store e Google Play Store, respectivamente).
O evento de cerimônia contará com a participação do secretário de Estado de Transportes, Rodrigo Vieira, do secretário de Estado de Turismo, Nilo Sergio Felix, do presidente da ANPTrilhos, Joubert Flores e convidados.
O lançamento do aplicativo acontece às 10 horas no auditório do Prédio Anexo do Palácio Guanabara, localizado na Rua Pinheiro Machado, s/nº, na cidade do Rio de Janeiro.
Fonte - ANPTrilhos  20/07/2016 

Empresas de transporte sobre trilhos buscam reduzir tarifa de energia elétrica

Transportes sobre trilhos

Os gastos das empresas com energia praticamente dobraram entre 2013 e 2015.Seria ótimo voltarmos a ter esse desconto, mas não é isso que estamos pleiteando,pois sabemos o momento que o país está vivendo”,acrescentou Joubert.Ele informou que as empresas propõem ao governo que todo o dinheiro economizado com a eventual redução das tarifas de energia elétrica seja reinvestido na melhoria do próprio sistema.

Alex Rodrigues
Repórter da Agência Brasil

foto - ilustração/Pregopontocom
Empresas transportadoras de passageiros de trens e metrôs pedem ao Ministério de Minas e Energia que as tarifas de energia elétrica para o setor sejam reduzidas. Segundo o presidente da Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos (ANPTrilhos), Joubert Flores, a proposta da entidade é que os valores economizados sejam integralmente revertidos em melhorias para o sistema, o que contribuiria para a mobilidade urbana, beneficiando cerca de 10 milhões de usuários transportados diariamente em todo o país.
Na segunda-feira (18), Joubert apresentou ao ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, as sugestões do setor.
“Não estamos pedindo descontos, mas que se estudem as particularidades do transporte metroferroviário. É importante descobrirmos uma forma de as empresas continuarem prestando serviço com qualidade, sem serem oneradas a um ponto quase impossível de absorver”, disse à Agência Brasil o presidente da ANPTrilhos, entidade que representa empresas, associações e operadoras como a Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre (Trensurb) e os metrôs de São Paulo, do Rio de Janeiro e do Distrito Federal.
De acordo com Joubert, os gastos com energia são o segundo maior item da planilha de custos das operadoras públicas e privadas de transporte sobre trilhos, ficando atrás de mão de obra e à frente de custos com manutenção. Se, até a década de 1990, quando vigorava um desconto de 75% na tarifa de energia elétrica, esses gastos representavam 2% dos custos operacionais totais, hoje, o percentual médio chega a 20%, reduzindo a capacidade de investimento das operadoras metroferroviárias, que, juntas, empregam cerca de 40 mil pessoas.
“Os gastos das empresas com energia praticamente dobraram entre 2013 e 2015. Seria ótimo voltarmos a ter esse desconto, mas não é isso que estamos pleiteando, pois sabemos o momento que o país está vivendo”, acrescentou Joubert. Ele informou que as empresas propõem ao governo que todo o dinheiro economizado com a eventual redução das tarifas de energia elétrica seja reinvestido na melhoria do próprio sistema.
A ANPTrilhos chegou inclusive a sugerir ao Ministério de Minas e Energia que os descontos fossem condicionados à exigência de as empresas de transporte adquirirem bens e produtos da indústria nacional, como forma de estimular a produção local. De acordo com Joubert, o ministro Fernando Coelho Filho mostrou-se sensível ao pleito e prometeu que os técnicos da pasta se reunirão com os especialistas da associação e do setor para estudar a questão.
Para a associação, os benefícios que a desoneração traria para a sociedade seriam maiores que o impacto para o setor de energia elétrica – impactos que o setor considera “insignificantes” perante as vantagens. Em uma publicação que reúne as principais propostas do setor para a elaboração de políticas públicas, a APTrilhos diz que a modernização do setor, com a substituição dos atuais trens por outros mais modernos, possibilitaria reduzir o consumo de energia elétrica entre 25% e 30%.
“Há várias formas de transferir essa economia para o benefício do sistema e dos usuários. A mais fácil é repassar a economia para o valor das tarifas, mas há outras formas mais eficazes e cujo benefício social é mais amplo, como investir na atualização e modernização dos equipamentos, o que geraria maior eficiência energética. E ainda poderíamos associar isso à empregabilidade, estabelecendo que os equipamentos fossem comprados da indústria brasileira”, concluiu Joubert.
Fonte - Agência Brasil  20/07/2016

1900 - Inauguração do metrô de Paris

Transportes sobre trilhos

Diariamente, de 5h30 da manhã até pouco a 1h da manhã, ele garante transporte eficiente aos milhões de habitantes da metrópole às margens do Sena. Atualmente, possui 16 linhas com mais de 350 estações, em grande parte subterrâneas.

Terra
foto - ilustração/Pregopontocom
No dia 19 de julho de 1900, o primeiro trecho do metropolitano de Paris, com oito estações, torna-se atração da Exposição Mundial.
A canção parisiense diz: "Metro, boulot, dodo". Ou seja, "metrô, trabalho, dormir". Seria pena se o dia a dia na capital francesa realmente se reduzisse a estas três atividades. Mas uma coisa é verdade, o chemin de fer métropolitain, vulgo metro, desempenha um papel central na vida dos habitantes de Paris.
Diariamente, de 5h30 da manhã até pouco a 1h da manhã, ele garante transporte eficiente aos milhões de habitantes da metrópole às margens do Sena. Atualmente, possui 16 linhas com mais de 350 estações, em grande parte subterrâneas. Os túneis do metrô esburacam as entranhas da capital como um queijo suíço, tornando fácil o acesso a praticamente qualquer ponto da cidade.

Mostra mundial impulsionou construção
Mas não foi sempre assim: no dia 19 de julho de 1900, o sistema ferroviário subterrâneo de Paris começou com apenas oito estações da Linha 1, ligando a zona leste à oeste: Porte de Vincennes a Porte Maillot. Os trabalhos de construção duraram quase dois anos. As escavações foram pouco profundas, para reduzir os custos, e algumas ruas, como a Saint Antoine, ficaram semeadas de imensas crateras.
A Linha 1 ficou pronta exatamente a tempo para a Expo de Paris. A ideia de construir um sistema de transportes subterrâneos para a metrópole já datava de meados do século 19, como possível solução para seus crescentes problemas de trânsito.
Porém, o advento da mostra mundial foi o impulso decisivo. Pouco após a inauguração do metrô, 130 mil passageiros já o utilizavam diariamente. Atualmente, há cerca de 6 milhões de usuários, e os veículos partem a cada três ou cinco minutos.
Os primeiros trens do metrô tinham três vagões de madeira, com dois tipos de instalações: assentos de couro para a primeira classe e bancos de madeira para a segunda. Somente após um trágico incêndio com muitos mortos e feridos, em 1903, é que se passaram a evitar os materiais facilmente inflamáveis. Desde então, os carros são construídos com metal leve e plástico.

foto - ilustração/Pregopontocom
Tradição e novas tecnologias
Cada estação do metrô de Paris tem uma "cara" distinta. Algumas, como a Louvre-Rivoli ou a Saint Paul, foram transformadas numa espécie de museu, com grandes vitrines de exposição. Outras são pintadas com cores vivas, como a Cluny la Sorbonne. Ainda outras têm música ambiente ou até mesmo exibem curtas-metragens através de monitores, como a Station Europe.
Nas linhas mais recentes, os trens viajam a cerca de 40 km/h, ou seja, quase o dobro da velocidade média das linhas tradicionais. Sobretudo, o novo metrô dispensa o condutor, trafegando de modo inteiramente automático e quase silencioso. Espessas paredes de vidro protegem ainda os passageiros dos trilhos: apenas com a chegada do trem é que as pesadas portas de vidro abrem-se simultaneamente com as do carro. É o metrô do século 21.
Fonte - Terra 19/07/2016

Travessia Salvador /Itaparica - Ferry-Boat opera tranquilo com 04 embarcações nessa quarta (20)

Travessia Marítima

O sistema opera hoje com quatro embarcações - Pinheiro, Dorival Caymmi, Rio Paraguaçu e Maria Bethânia - realizando viagens nos horários regulares (de hora em hora), além de viagens extras que podem ocorrer com o aumento da demanda

Da Redação
foto - ilustração/Arquivo
A Internacional Travessias Salvador, operadora do sistema Ferry-Boat na travessia Salvador/Itaparica,informa que o movimento segue tranquilo nos terminais São Joaquim e Bom Despacho nesta quarta-feira (20).O sistema opera com quatro embarcações - Pinheiro, Dorival Caymmi, Rio Paraguaçu e Maria Bethânia - realizando viagens nos horários regulares (de hora em hora), além de viagens extras que podem ocorrer com o aumento da demanda.As passagens podem ser adquiridas nos terminais por meio dos cartões de crédito,débito ou dinheiro.
Para verificar a disponibilidade de vagas para o serviço de Hora Marcada (exclusivo aos condutores de veículos),o usuário pode acessar o site -portalsits.internacionaltravessias-. O pagamento para este serviço pode ser feito através dos cartões de débito ou crédito.
O sistema disponibiliza também uma Central de Atendimento ao Cliente (CAC), localizada no Terminal São Joaquim e aberta de segunda a sexta, das 8h às 18h, e aos sábados, das 7h às 13h Contatos - 071 3032-0475 e pelo cac@internacionaltravessias.com.br
Com informações da Internacional Travessias Salvador  20/07/2016