sábado, 20 de fevereiro de 2016

Testes para linha 4 do metrô do Rio começam em março

Transporte sobre trilhos

Segundo o secretário de Transportes do Rio, Carlos Roberto Osório, os testes operacionais da parte elétrica e de sinalização foram iniciados em janeiro, mas os primeiros com os trens serão no início do mês que vem, entre as estações General Osório e Nossa Senhora da Paz, em Ipanema.

Cristina Índio do Brasil
Repórter da Agência Brasil

foto - ilustração
Os testes com trens na linha 4 do metrô do Rio de Janeiro, ligando Ipanema, na zona sul, à Barra da Tijuca, começarão a ser feitos a partir de março. Segundo o secretário de Transportes do Rio, Carlos Roberto Osório, os testes operacionais da parte elétrica e de sinalização foram iniciados em janeiro, mas os primeiros com os trens serão no início do mês que vem, entre as estações General Osório e Nossa Senhora da Paz, em Ipanema.
No mês seguinte, será a vez do trecho entre o Jardim Oceânico, na Barra, na zona oeste, e São Conrado, na zona sul. “A partir de maio, toda a linha estará em testes para a inauguração em julho. Cronograma mantido”, adiantou à Agência Brasil.
Carlos Roberto informou que o governo do estado vem trabalhando com empenho na implantação da linha 4, classificada como a maior obra de infra-estrutura urbana do Brasil.
“Estamos na reta final das obras com as fases mais difíceis já concluídas e nosso cronograma permanece inalterado com a entrega da linha 4 para julho deste ano a tempo para os jogos olímpicos de 2016. Será um grande legado para a população”, assegurou.

Comitê Olímpico
Para o secretário, não existe qualquer motivo de preocupação quanto ao não cumprimento do prazo. “Nós mantemos permanente contato com o Comitê Olímpico Internacional, que acompanha as obras que seguem em ritmo pleno até a sua conclusão”, completou. Sobre o financiamento, que é um ponto importante para a obra, ele disse que o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, tem a palavra e o compromisso da presidenta Dilma Rousseff para a liberação de recursos para a obra.
Recordou que o governador esteve recentemente em Brasília e recebeu a garantia do Ministério da Fazenda da liberação, ainda em fevereiro, da parcela necessária e, depois em maio, da última parcela de pagamentos. “Com isso, o metrô será entregue no prazo - em julho deste ano”, afirmou.
O governo do estado informou que, na próxima segunda-feira (22), o secretário Carlos Roberto Osório, e a presidente da RioTrilhos, Tatiana Carius, vão fazer, às 9h30, uma visita técnica aos canteiros da Linha 4 do Metrô, em Ipanema e São Conrado.
De acordo com o governo estadual, a obra atingiu 90% da conclusão e as estações estão em fase de acabamento. “Na reta final de construção dos túneis na zona sul, o tatuzão [equipamento usado para perfuração do solo] chegou neste sábado (20) ao fim do Leblon, quando concluiu a escavação em areia. Faltam só 200 metros em rocha para finalizar o eixo Barra-Ipanema, que estará disponível à população em julho, antes dos Jogos Olímpicos. Neste trecho, faltam ser instalados apenas 3 quilômetros trilhos”, informou o governo estadual.

Público beneficiado
Pelos cálculos do estado, a partir de julho serão transportadas por dia 300 mil pessoas, com a perspectiva da retirada das ruas de cerca de 2 mil veículos por hora/pico. A linha 4 terá 15 novos trens, que já estão em testes de circulação com passageiros nas linhas 1 e 2.
Em mensagem pela internet para o Comitê Olímpico Internacional, o prefeito do Rio, Eduardo Paes, tinha demonstrado preocupação com o risco de as obras não terminarem no prazo esperado. A informação foi divulgada hoje em uma matéria do jornal O Globo. Mas pela manhã, antes de uma reunião com toda a equipe da prefeitura, o prefeito do Rio disse que as preocupações são naturais nesta fase de preparação para os jogos e que confia no cumprimento do cronograma da obra da linha 4 do metrô.
Fonte - Agência Brasil  20/02/2016

Quilombo Rio dos Macacos celebra recentes avanços para regularização fundiária

Direitos Humanos

As demandas da comunidade são acompanhadas pela Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi).O coordenador de Políticas para Comunidades Tradicionais, Cláudio Rodrigues, pontuou que, a partir da delimitação do território, um conjunto de políticas públicas e diálogos deve ser potencializado, inclusive com esforços já em fase de concretização pelo Governo do Estado. 

Da Redação
foto - Ascom/Sepomi
O Quilombo Rio dos Macacos, na região da Base Naval de Aratu, em Simões Filho, realizou encontro festivo nesta sexta-feira (19), recebendo representantes de diversos movimentos e órgãos estaduais para avaliar e celebrar os avanços no processo de regularização fundiária. As demandas da comunidade são acompanhadas pela Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi), que durante o evento fez um balanço das principais etapas alcançadas, principalmente o reconhecimento da área, estipulada em 104 hectares, por meio de portaria do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), publicada no último mês de novembro.
O coordenador de Políticas para Comunidades Tradicionais, Cláudio Rodrigues, pontuou que, a partir da delimitação do território, um conjunto de políticas públicas e diálogos deve ser potencializado, inclusive com esforços já em fase de concretização pelo Governo do Estado. “Muitos compromissos com a comunidade estão sendo cumpridos, a exemplo da aplicação de recursos para a construção de unidades habitacionais, acesso à água e apoio à produção agrícola”, explicou, referindo-se ao montante de R$ 8 milhões oriundos do Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza, apontados pelo Estatuto da Igualdade Racial e de Combate à Intolerância Religiosa.
Entre os órgãos parceiros para a execução das políticas estão a Companhia de Ação Regional (CAR), órgão vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), por meio de cooperação firmada com a Sepromi no ano passado, também envolvendo o governo federal. Em Rio dos Macacos, o Governo do Estado também tem atuado no sentido de garantir celeridade no licenciamento ambiental para construção da estrada exclusiva de acesso à comunidade, além de articular, em Brasília, a instituição de um fórum para discutir a estrutura hídrica local.
Olinda de Souza Oliveira, uma das lideranças da comunidade, comemora os passos dados pelas 67 famílias que residem no local, na expectativa de consolidar ainda mais o espírito de coletividade. “Fizemos esse encontro de celebração, reunindo forças para continuar na luta. A gente tem dialogado muito com o governo neste processo”, disse a moradora, neta de escravos exploradas nas fazendas da região. “A nossa resistência vem dos terreiros, do povo ancestral, que nunca se rendeu”, explicou. O evento teve a presença de outros organismos do poder público, de representações de organizações populares, movimento negro, artistas e integrantes da comunidade acadêmica.
Com informações da Secom Ba.  20/02/2016

Governo quer fechar acordo de recuperação ambiental com a Samarco até sexta

Meio ambiente

Após dezenas de reuniões, cerca de 40 programas ambientais, sociais e de fomento econômico foram estabelecidos no acordo, que acumula mais de 300 cláusulas e 100 páginas. “Tem que ser assinado na próxima semana, até porque as negociações têm um prazo de validade, se desgastam”, disse o procurador-geral federal, Renato Vieira, responsável direto pelas negociações como representante da Advocacia-Geral da União.

Felipe Pontes
Repórter da Agência Brasil

imagem/Ag.Brasil
O governo quer fechar até a próxima sexta-feira (26) o acordo com as empresas Samarco, Vale e BHP Billiton para a realização de dezenas de programas de recuperação ambiental, social e econômica na bacia do Rio Doce, em que milhões de metros cúbicos de lama foram despejados após o rompimento da barragem de Fundão, em Mariana (MG).
Após dezenas de reuniões, cerca de 40 programas ambientais, sociais e de fomento econômico foram estabelecidos no acordo, que acumula mais de 300 cláusulas e 100 páginas. “Tem que ser assinado na próxima semana, até porque as negociações têm um prazo de validade, se desgastam”, disse o procurador-geral federal, Renato Vieira, responsável direto pelas negociações como representante da Advocacia-Geral da União. As negociações serão retomadas na segunda-feira (22).
A conclusão do acordo era esperada para antes do carnaval, segundo afirmou em janeiro o advogado-geral da União, Luis Inácio Adams, que tem sua saída do cargo marcada para o fim do mês. Mas a resistência das empresas em relação à extensão de medidas compensatórias, aquelas que vão além da recuperação do que foi destruído, atrasaram as negociações.
O Poder Público quer, por exemplo, que as empresas se responsabilizem pela construção de aterros sanitários e por obras de saneamento básico em localidades que não dispunham de tais serviços antes da tragédia, assim como pelo reflorestamento de áreas degradadas que não foram diretamente atingidas pela lama.
Os órgãos ambientais argumentam que tais medidas são exigidas para compensar os danos ambientais e sociais que são considerados irreparáveis. “O que estamos exigindo das empresas é uma compensação proporcional ao tamanho desse dano. Um dano imenso: nós estamos falando do maior desastre ambiental na área de mineração do país”, disse a presidenta do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Marilene Ramos.
As medidas previstas no acordo independem do Plano de Recuperação Ambiental da Bacia do Rio Doce, apresentado pela Samarco ao Ibama na quarta-feira (19), que trata sobretudo de ações de curto prazo, explicou Marilene.
Segundo a AGU, os custos totais para a execução dos programas previstos no acordo devem exceder os R$ 20 bilhões pedidos na ação civil pública aberta pelo órgão em novembro na Justiça Federal, em conjunto com as procuradorias-gerais do Espírito Santo e de Minas Gerais. Por isso, as empresas buscam limitar o alcance das medidas compensatórias.
Por meio de nota, a Samarco disse que, junto com suas acionistas, Vale e BHP, “trabalha em um acordo voltado para a continuidade das ações de remediação aos impactos socioambientais”, acrescentando que “o objetivo é estabelecer os termos para executar os planos de recuperação com eficiência e transparência.”
Caso o acordo negociado entre o governo federal, os governos dos estados e as empresas não seja alcançado, caberá à Justiça Federal decidir sobre as medidas reparativas a serem exigidas.

Pesca proibida
O Ministério Público Federal (MPF) obteve ontem (19) uma liminar na Justiça que proíbe por tempo indeterminado a pesca na foz do Rio Doce. A determinação começa a valer na segunda-feira (22) e tem como justificativa preservar a saúde da população que consome o pescado na região e a preservação das espécies impactadas pela mancha de lama que atingiu a costa. Pela decisão, a Samarco fica obrigada a divulgar a proibição da pesca em seu site e na imprensa, sob pena de multa de R$ 30 mil por dia em caso de descumprimento.
Fonte - Agência Brasil  20/02/2016

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Governo estuda proposta de PPP para expansão do Metrô de Teresina

Transportes sobre trilhos

A proposta é baseada no modelo adotado na construção e operação do Metrô de Salvador,uma PPP (Parceria Público-Privada),uma experiência positiva que está sendo realizada na cidade,com a construção dos 41 km de linhas de metrô,em tempo recorde e com qualidade.  

Governo do Estado do Piauí
foto - ilustração
O Governador Wellington Dias recebeu o superintendente da área de Governo do Nordeste da Caixa Econômica Federal, Claudio Freitas, e o superintende regional do banco no Piauí, Emanuel Veloso, nessa quinta-feira (18), no Palácio de Karnak. Na oportunidade, um dos temas tratados foi o de mobilidade urbana, na qual foi apresentada a experiência de Parceria Público-Privada (PPP) já em andamento na construção do Metrô de Salvador.
Para o superintendente da Caixa no Piauí, Emanuel Veloso, esse diálogo é muito importante porque pode ser uma solução para a mobilidade urbana de Teresina. “Trouxemos aqui uma experiência positiva que está sendo realizada em Salvador por meio da concessão público-privada, que garante uma construção em tempo recorde”, enfatiza, complementando que a Caixa tem se preocupado em criar grupos técnicos para dar consultorias para estados e municípios em obras que estão sendo usados recursos do banco.
O superintende de Governo do Nordeste, Claudio Freitas, disse que, além da rapidez e qualidade nos 41 km de metrô que estão sendo construídos em Salvador, o formato de concessão publico-privada permite uma tarifa mais barata, do que se fosse uma concessão pura. "Esse formato de PPP garante uma equação econômica do negócio", relata Claudio Freitas.
O governador Wellington Dias se mostrou interessado em conhecer mais o projeto de Salvador. “São alternativas para a obra que vamos fazer no metrô de Teresina, em parceria com o Governo Federal, com recursos da União e também de empréstimos já aprovado pelo Ministério da Fazenda e aguardando a aprovação do Senado”, comenta Dias.
O chefe do Executivo explica que a Parceria Público-Privada permite que algum empreendedor ou consórcio de empresas possa iniciar uma nova linha do Metrô de Teresina, dando continuidade a linha já existente (do Dirceu ao Centro) como por exemplo do Centro à região Sul, na região do Parque Piauí e Vila Irmã Dulce.

Metrô de Salvador 
foto - ilustração
Em Salvador, por um período de 30 anos, de 2013 a 2043, a PPP promoverá investimentos em construção de estações, aquisição de equipamentos, sistemas, adequação e revitalização de trens, manutenção e operação dos Terminais de Integração de Passageiros (ônibus urbanos) e das estações de metrô. Os investimentos no Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas são feitos pela concessionária CCR Metrô Bahia e pelo Governo do Estado e Federal.
A concessionária é responsável pela construção das novas estações e do Complexo de Operações e Manutenção, além dos terminais de integração de passageiros e parte dos sistemas operacionais. A CCR Metrô Bahia também é responsável pela operação e manutenção da via e pela aquisição do material rodante (trens) e de sistemas como o de sinalização, telecomunicações e Centro de Controle Operacional (CCO).
O Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas, inaugurado em 11 de junho de 2014, será composto por duas linhas, com total de 41 km de extensão, 23 estações e 10 terminais de ônibus integrados. Atualmente, a Linha 1 é composta por 8 estações em operação, 12 km de extensão que vai da Estação Lapa à Estação Pirajá. A Linha 2, com 12 estações, está em ritmo acelerado de obras. O término da obra está previsto para 2017. 
Fonte - ABIFER  19/02/2016

Mercosul com Bolívia,será quinta economia do mundo

Política

Em 2015, o Produto Interno Bruto (PIB) da Bolívia cresceu 5,05% e a previsão para este ano é de alta de 5%. O país fechou o ano passado com inflação de 5,3%, manteve o boliviano, a moeda nacional, estável pelo quinto ano consecutivo. Para este ano, a previsão é de um aumento de 3,5% do investimento público, para US$ 6,39 bilhões, dos quais 22% serão financiados por empréstimos do exterior.

Sputnik
imagem - Sputnik
Debatida há cerca de três anos e aprovada por acordo assinado por todos os países do bloco, a adesão da Bolívia como novo membro pleno do Mercosul só depende do aval dos Parlamentos do Brasil e do Paraguai, segundo informou nesta sexta-feira, 19, à Sputnik, o alto representante geral do Mercosul, Florisvaldo Fier.
Fier, também conhecido como Dr. Rosinha, prevê que o sinal verde para adesão do novo sócio se dê ainda este ano. Segundo ele, não houve nenhuma resistência à entrada da Bolívia. Na própria Argentina, agora sob comando neoliberal com o presidente Maurício Macri, o país andino vem recebendo referências elogiosas até por parte da equipe econômica. Em uma entrevista pouco depois de tomar posse, o ministro da Economia, Afonso Prat-Gay, afirmou que a Bolívia será um dos exemplos de modelo de sucesso econômico que será perseguido pela Argentina.
Em 2015, o Produto Interno Bruto (PIB) da Bolívia cresceu 5,05% e a previsão para este ano é de alta de 5%. O país fechou o ano passado com inflação de 5,3%, manteve o boliviano, a moeda nacional, estável pelo quinto ano consecutivo. Para este ano, a previsão é de um aumento de 3,5% do investimento público, para US$ 6,39 bilhões, dos quais 22% serão financiados por empréstimos do exterior.
Na opinião do Dr. Rosinha, a entrada do novo sócio dará ainda mais força ao bloco.
"A política de expansão territorial e econômica do Mercosul é uma política correta. Queremos construir um bloco forte, com inserção política e econômica internacionalmente e trabalhar para a entrada de outros países, como já foi convidado o Equador."
Com relação aos críticos que afirmam que o Brasil adota uma estratégia equivocada ao fortalecer parcerias no Mercosul e buscar outras alternativas, como os países africanos, Dr. Rosinha rebate:
"Tem analista para tudo, e tem também aqueles que emitem opinião de que o Mercosul e o Brasil estão no caminho correto. Hoje, se não tem acordo assinado entre o Mercosul e a União Europeia (UE) é porque a UE está resistindo. A primeira e única tentativa que não deu certo foi por decisão bilateral. Agora, quando a UE pede uma nova proposta o Mercosul faz uma proposta superior e está esperando uma resposta da UE até o momento", lembra.
Segundo o alto representante do Mercosul, quando se olham números isolados, o crescimento comercial do Brasil se deu, nos últimos tempos, principalmente graças à venda de manufaturados na América Latina e de commodities para a China.
“A crise econômica mundial fez com refluísse as relações comerciais, que estão muito aquém do que foram em 2013 e 2012. Esses críticos olham por um único ângulo, mas eu tenho que olhar todo o sistema. Há uma crise econômica no mundo, há uma crise comercial, e acordos se fazem através de consensos que não têm sido obtidos a nível mundial. A própria Organização Mundial do Comércio (OMC) não consegue avançar.”
Criado em 1991, durante a assinatura do Tratado de Assunção e ratificado no Protocolo de Ouro Preto em final de 1994, o Mercosul é integrado por Brasil, Uruguai, Argentina, Paraguai e Venezuela como membros plenos e Chile, Peru, Colômbia, Equador, Guiana e Suriname, como Estados associados. Hoje, o Mercosul têm um PIB de US$ 3,2 trilhões e ocuparia a posição de quinta economia mundial se fosse um único país, segundo o Fundo Monetário Internacional (FMI).
Em duas décadas, o comércio dentro do bloco cresceu 12 vezes, saltando de US$ 4,5 bilhões em 1991 para US$ 59,4 bilhões, em 2013. Além disso, o Mercosul é o maior exportador mundial de açúcar, soja, segundo maior produtor de carne bovina, além de deter as maiores reservas de petróleo do mundo, com mais de 310 bilhões de barris de petróleo. Cerca de 87% das exportações brasileiras para o bloco são de produtos industrializados.
Fonte - Sputnik  19/02/2016

Campanha nacional contra Aedes aegypti é lançada em escola da PM em Juazeiro na Bahia

Saúde pública

Na ocasião,a Presidenta  Dilma com a presença do governador Rui Costa.convocou as crianças e os jovens a serem multiplicadores das informações da campanha.Cerca de 400 alunos assistiram a uma aula com a presidente sobre o mosquito e as doenças que ele transmite, em especial a zika.

Da Redação
foto - Mateus Pereira/GOVBA
A campanha nacional de mobilização da comunidade escolar contra o Aedes aegypti foi lançada no Colégio da Polícia Militar Alfredo Vianna, em Juazeiro, no norte da Bahia, nesta sexta-feira (19), com a presença da presidente Dilma Rousseff e do governador Rui Costa. Cerca de 400 alunos assistiram a uma aula com a presidente sobre o mosquito e as doenças que ele transmite, em especial a zika.
Na ocasião, Dilma convocou as crianças e os jovens a serem multiplicadores das informações da campanha. “Eu estou fazendo um apelo para vocês ajudarem os pais e mães de vocês a, uma vez por semana, dedicarem 15 minutos para olharem todos os lugares onde o mosquito pode nascer e crescer. Peço a vocês que falem com seus amigos, parentes e vizinhos para que a gente possa combater este mosquito. Ele não pode ser mais forte que um país inteiro. Nós vamos combater o mosquito e temos a certeza de que ele não é mais forte que todos nós juntos”.
Já Rui destacou que o Aedes aegypti, antes de morrer, não se desloca mais de 200 metros do lugar onde nasceu. “Quando olhamos os dados das pessoas que tiveram dengue, zika ou chikungunya, 90% foram contaminadas em sua própria casa, então é preciso que todo mundo faça uma vistoria geral na sua residência. Se tiver algum vizinho que não cuida, a pessoa pode ligar para a prefeitura. A presidente Dilma lançou um decreto que permite que um agente de saúde, acompanhado de uma autoridade, possa entrar na casa e tomar as providências contra o mosquito”.

Pesquisas
Segundo a presidente, o governo está investindo para desenvolver vacinas e buscando outras formas de vencer o Aedes. “Aqui em Juazeiro tem uma das fábricas mais importantes de mosquito do nosso país, a Moscamed, que produz o mosquito estéril. Ele cruza e não produz filhotes, ou também pode carregar uma doença para matar outros. Queremos usar o que o mosquito faz para matá-lo”, afirmou.
Dilma também explicou que o Ministério da Saúde identificou, a partir do aparecimento da zika, um aumento do número de casos de microcefalia. “No dia 1º de fevereiro deste ano, a Organização Mundial de Saúde declara que há uma epidemia de zika e microcefalia e que isso é uma emergência de saúde pública internacional”.
De acordo com a presidente, os casos de zika são registrados, em sua maioria, na costa dos estados nordestinos, mas estão sendo cada vez mais frequentes no resto do país. Antes da aula, Dilma e Rui visitaram a biofábrica Moscamed Brasil, responsável pela produção de mosquitos transgênicos do Aedes aegypti.

Biofábrica
Com investimento de R$ 1,2 milhão por ano, por meio da Secretaria de Saúde do Estado (Sesab), a Moscamed realiza o cruzamento dos transgênicos machos com fêmeas silvestres do Aedes, gerando mosquitos estéreis ou que morram antes de chegar à fase adulta. Atualmente, a fábrica tem a capacidade de produzir de 4 a 5 milhões de mosquitos por semana, o que é suficiente para controlar uma área de até 100 mil habitantes.
O Aedes é responsável pela transmissão da dengue, chikungunya e zika, esta última causadora de problemas de gestação, que incluem morte do feto e nascimento com microcefalia. Até 13 de fevereiro, 744 casos de microcefalia foram notificados em 121 municípios da Bahia, por meio do Registro de Eventos em Saúde Pública (RESP). Dos 744 casos, 161 foram investigados com a realização de exame de imagem, sendo 107 confirmados e 54 descartados.

Ações do Estado
O Governo do Estado vai disponibilizar mais 200 mil testes rápidos para detecção de dengue e chikungunya. Associado a um smartphone com GPS, o exame permite, simultaneamente, o georreferenciamento dos casos, a fim de controlar rapidamente os surtos. Lançado pela Sesab em 2015 e inédito no país, o teste foi utilizado inicialmente nos municípios de Feira de Santana, Riachão do Jacuípe e Ribeira do Pombal.
Outra ação do Estado é o Caça Mosquito, aplicativo que possibilita o envio de fotos de locais onde há possíveis focos do Aedes. Mais de R$ 13 milhões estão sendo investidos pelo Governo da Bahia no combate ao mosquito, incluindo campanhas educativas e capacitação para supervisores no trabalho de campo. Os municípios também receberam incentivo financeiro de R$ 3,7 milhões.
Com informações da Secom Ba. 19/04/2016

Manchas de óleo ameaçam o equilíbrio de reserva litorânea em Sergipe, diz Ibama

Meio ambiente

Um paraíso para as tartarugas olivas pode estar ameaçado no litoral de Sergipe. O Ibama confirma placas de óleo ao longo de 17 quilômetros de areia na praia da Reserva Biológica de Santa Isabel, em Sergipe

Maiana Diniz
Repórter da Agência Brasil
Banco de Imagens/Ibama 
O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) confirmou a presença de placas de óleo ao longo de 17 quilômetros de areia na praia da Reserva Biológica de Santa Isabel, em Pirambu, Sergipe. A vistoria do órgão foi feita na última quarta-feira (17), após o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), gestor da reserva, receber um comunicado oficial da Petrobras sobre a presença de óleo na areia.
A quantidade e a origem do óleo ainda são desconhecidas. Segundo o Ibama, as placas de petróleo têm até 15x15 centímetros aproximadamente. Os técnicos coletaram amostras do material, também encontrado ao longo do litoral entre a foz dos rios Japaratuba e Sergipe.
De acordo com o instituto, técnicos ambientais fizeram um sobrevoo na região ontem (18) e não identificaram manchas no mar. Outras vistorias devem ser feitas na costa nos próximos dias.
O estado de Sergipe tem grande concentração de plataformas de produção petrolífera. São 25 instalações em 163 quilômetros de costa, todas da Petrobras.
A estatal informou não ter identificado anomalia nos campos de petróleo próximos, portanto a mancha é considerada “órfã” até que os testes identifiquem a origem. Segundo especialistas, o óleo também pode ter vazado ou ter sido liberado por navios em alto mar e chegado até o litoral brasileiro.

Ameaça ambiental
A Reserva Ambiental de Santa Isabel tem 45 quilômetros de extensão, com praias desertas, lagoas, manguezais e dunas com vegetação de restinga. O local preserva o ecossistema litorâneo e abriga a mais importante área de reprodução das tartarugas olivas no país. Até a manhã desta sexta-feira (19), uma tartaruga foi encontrada morta, mas ainda não é possível afirmar a causa da morte. O animal foi encaminhado para necrópsia.
O coordenador do projeto Tamar na região, Cesar Coelho, está preocupado com o impacto do óleo nos ninhos de tartaruga. Ele está acompanhando as ações de coleta e monitorando possíveis impactos aos ecossistemas. “A maior concentração de óleo chegou justamente onde há a maior quantidade de ovos de tartarugas. Se os filhotes nascerem, e estamos na época, provavelmente vão morrer”, disse.
O Tamar atua há 25 anos na área e acompanha o período de desova, que vai de setembro a março. “De setembro a dezembro, as fêmeas botam os ovos. De dezembro a março, os filhotes nascem. Estamos no pico dos nascimentos”, lamentou. Coelho disse que ainda é cedo para estimar o estrago.
Sobre as providências para lidar com o problema, o Ibama informou que acionou a Marinha e a Agência Nacional de Petróleo e Biocombustíveis (ANP), em cumprimento ao Plano Nacional de Contingência para Incidentes de Poluição por Óleo (PNC). Até o momento, foram coletados 5 metros cúbicos de resíduos contaminados por óleo.
Cesar Coelho contou que a Petrobras está com equipes na reserva fazendo a limpeza da praia, recolhendo o material e levando para estações de tratamento da empresa. “As áreas com maior concentração já tiveram o óleo recolhido, mas não sai tudo”, informou. Por exigência do Ibama, a Petrobras monitora a região para evitar contaminações e danos ambientais.
Fonte - Agência Brasil  19/02/2016

Ferrovia retoma operações com Hidrovia Tietê-Paraná e diminui custo do transporte em até 30%

Transportes sobre trilhos

A carga veio através da Tietê-Paraná, uma das hidrovias mais importantes do país, recentemente reativada.Um trem desse tipo carrega, em média, uma carga de cinco mil toneladas. Dessa forma, cada trem que sai de Pederneiras com destino ao porto de Santos retira, aproximadamente, 200 caminhões das estradas. 

MRS

foto - ilustração/MRS
Nesta semana, uma importante operação multimodal para a economia brasileira voltou a acontecer. É que, depois de quase dois anos de espera, na noite de ontem (15/2), o primeiro trem partiu de Pederneiras/SP com destino ao porto de Santos. A carga veio através da Tietê-Paraná, uma das hidrovias mais importantes do país, recentemente reativada.
Fechada desde maio de 2014 por causa da estiagem, o transporte de grãos, que seria feito pela hidrovia e por ferrovia, foi feito de caminhão.
“Logicamente, isso custou caro para os nossos clientes. O prejuízo afetou produtores de vários estados, principalmente Goiás e Mato Grosso do Sul. Com a hidrovia parada, o trajeto entre as regiões produtoras até o porto de Santos estava sendo feito pela rodovia. Agora, com a hidrovia voltando a operar em conjunto com a ferrovia, a carga chega até o porto de Santos com um valor de frete até 30% menor. Em tempos de crise, esta é uma ótima notícia para o mercado”, explica Guilherme Alvisi, gerente geral de negócios – carga geral.
Os trens que circulam de Pederneiras até o porto de Santos carregam basicamente milho, soja, farelo de soja e, por vezes, transportam celulose.
“Um trem desse tipo carrega, em média, uma carga de cinco mil toneladas. Dessa forma, cada trem que sai de Pederneiras com destino ao porto de Santos retira, aproximadamente, 200 caminhões das estradas. Além disso, emitem, proporcionalmente, uma quantidade bem menor de gás carbônico na atmosfera”, lembra Alvisi.
Por conta da recente crise hídrica e da inativação temporária da hidrovia Tietê-Paraná, os volumes transportados a partir de Pederneiras sofreram uma queda brusca, chegando em 2015 a zero, conforme pode-se observar no gráfico.
“Com a reativação da hidrovia, nossa expectativa para este ano é a de transportar 1 milhão de toneladas de soja, farelo e milho. Assim, poderemos no médio prazo, recuperar o volume que já transportamos neste local”, finaliza Alvisi.
Hidrovia e ferrovia são modais complementares e possuem características similares. Ambos transportam carga em grande escala e, por isso, a um custo menor. Além disso, registram índices de acidentes inferiores se comparados a outros modais.
Fonte - ABIFER  19/02/2016

Metrô de Moscou começa a operar no piloto automático

Transportes sobre trilhos

Com o novo regime de operações, o computador pode parar o trem na estação com precisão de até 3 centímetros. Entretanto, sua movimentação após a parada, só ocorre após comando do maquinista.

Gazeta de Moscou
foto - ilustração
Uma das linhas mais movimentadas do metrô moscovita começou, nesta quinta-feira (18), a operar no piloto automático. Os testes começaram em setembro de 2015.
Após um incidente com usuário na pista da Vila Mariana no mesmo dia, o procedimento adotado pelo metrô de Moscou gera, porém, questões quanto à segurança. Mas, no caso moscovita, mesmo com o trem operando automaticamente, a cabine continua a levar um maquinista que pode, a qualquer momento, tomar o controle.
Com o novo regime de operações, o computador pode parar o trem na estação com precisão de até 3 centímetros. Entretanto, sua movimentação após a parada, só ocorre após comando do maquinista.
As portas também continuarão a abrir e fechar apenas sob seu comando, apesar de ser possível deixar essas funções a cargo do computador. Em caso de imprevistos, o maquinista também pode tomar o comando.
Apenas um trem está funcionando com o sistema no momento, mas em breve dois outros deverão incorporá-lo também.
Em 2012, o metrô de Moscou anunciou que colocaria 20 trens no sistema de piloto automático. As composições deveriam entrar em funcionamento em, no máximo, três anos.
O primeiro experimento com piloto automático no metrô da capital russa ocorreu ainda nos anos 1980.
Fonte - Revista Ferroviária  18/02/2016

Antaq prevê que recorde de movimentação portuária será batido novamente em 2016

Economia

De acordo com a Antaq, em 2015 os portos brasileiros movimentaram 1.007.542.986 bilhão de toneladas. O número é 4% maior do que o registrado em 2014. “Com isso, a participação brasileira na movimentação marítima internacional [que em 2015 chegou a 20 bilhões de toneladas] ficou em 3,8%”, disse o diretor-geral.

Pedro Peduzzi
Repórter da Agência Brasil
foto  - ilustração
O recorde de movimentações portuárias registrado em 2015 deverá ser batido novamente em 2016, informou o diretor- geral da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), Mário Povia. A expectativa – dele e de outros diretores da agência – foi manifestada hoje (18), em meio a um balanço sobre os números apresentados pelo setor.
De acordo com a Antaq, em 2015 os portos brasileiros movimentaram 1.007.542.986 bilhão de toneladas. O número é 4% maior do que o registrado em 2014. “Com isso, a participação brasileira na movimentação marítima internacional [que em 2015 chegou a 20 bilhões de toneladas] ficou em 3,8%”, disse o diretor-geral. Segundo ele, a ligeira diferença entre os números apresentados hoje pela Antaq e os apresentados ontem (17) pela Secretaria de Portos se deve à variação que é registrada semanalmente pelas bases de dados usadas pelos dois órgãos.
“Nossa expectativa é que em 2016 o recorde seja novamente batido. Estou bastante convicto disso”, disse Povia à Agência Brasil. Segundo ele, “um conjunto de fatores extraportos” deverá contribuir o novo recorde. “Estamos dotando o país de estruturação. Nossa expectativa é que a melhoria no modus operandi das ferrovias também contribua para isso”.
Para o diretor, esse crescimento de 4% nas movimentações portuárias, obtido em meio a um Produto Interno Bruto recuado, se deve “em primeiro lugar”, ao fato de, agora, o país dispor “de uma infraestrutura que melhor responde às demandas”. Em segundo lugar, Povia aponta “o favorecimento cambial [dólar em alta] para exportação de commodities”; e em terceiro lugar, a safra brasileira, que ano a ano vem apresentando resultados bastante positivos.
“O mercado de commodities agrícolas certamente continuará forte, com previsão de chuvas e de maior produtividade. A expectativa é de uma boa movimentação de granéis e vegetais. A de celulose também está indo muito bem, a exemplo dos minérios. Os [produtos] siderúrgicos terão incremento, e o agronegócio, com entrada de fertilizantes, deverá ficar mais forte. Já os contêineres dependerão da economia, que a meu ver deverá ser menos ruim do que em 2015”, argumentou o diretor.
Povia explica que a crise pela qual passa o país poderá favorecer mudanças nas operações "feitas por meio de uma estruturação, que está cada vez mais forte". "Por exemplo, as empresas [de logística] do setor rodoviário poderão fazer as contas e concluir que o escoamento de cargas pode ficar mais barato pelo modal aquaviário, inclusive de cabotagem. Tudo são janelas de oportunidades que surgem”.
Segundo a Antaq, a movimentação de graneis sólidos nos portos brasileiros aumentou 7,24% em 2015, atingindo a marca de 632,6 milhões de toneladas, enquanto a movimentação de carga geral solta cresceu 5,71% (48,6 milhões de toneladas). Já as de granel líquido e as de contêineres registraram quedas de 2,39% e de 1,13% (226,2 e 99,9 milhões de toneladas, respectivamente).
O minério de ferro foi o produto que mais contribuiu para a movimentação de cargas no país, chegando a um total de 400 milhões de toneladas (crescimento de 5,2% na comparação com o ano anterior). Em segundo lugar estão os combustíveis, com 232 milhões de toneladas (queda de 2,1% na comparação com 2014).
“O Arco Norte está com uma logística mais racional, principalmente para a produção do centro-norte. Mas, apesar disso, boa parte ainda é escoada via porto de Santos”, disse ele. A Antaq identifica “reflexos bastante positivos” nos portos do Pará e do Maranhão. “O Porto de Itaqui [MA], por exemplo, cresceu 87% por causa da entrada em operação de grandes armazéns e por causa da melhora da infraestrutura logística, com a chegada da ferrovia [as interligações concluídas na Ferrovia Norte-sul]”, acrescentou.
De acordo com a Antaq, a exportação agrícola por meio do Arco Norte passou de 16% para 21%, número que pode crescer ainda mais, uma vez que 58% da produção agrícola brasileira está naquela região – a chamada nova fronteira agrícola, que abrange áreas das regiões Centro-Oeste e Norte.
Povia ressaltou que a queda registrada no número de atracações (-7,7%) representa uma “boa notícia”, já que indica maior produtividade. “É positivo, porque há mais navios maiores nos rios brasileiros. Esses rios apresentam agora maior profundidade [após a conclusão de obras de dragagem]. Com isso há um melhor aproveitamento nas atracações. É importante reconhecer que esses ganhos são oriundos dos investimentos em infraestrutura”, completou.
Fonte - Agência Brasil  18/02/2016

Oposição neoliberal votou contra a diminuição do número dos Ministérios

Política

A Câmara dos Deputados aprovou, na noite de terça-feira, 16, o texto-base da Medida Provisória do Governo que prevê a reforma administrativa. Uma das medidas contempladas por essa reforma é a redução do número de Ministérios, de 39 para 31.

Sputnik
imagem-Sputnik
Dilma Rousseff anuncia reforma administrativa com corte de 8 ministérios e redução de gastos em contratação e salários
O Deputado Federal Ênio Verri, do PT do Paraná, analisa a medida e a sua tramitação, destacando que houve um amplo apoio, “inclusive um partido que estava se colocando claramente como oposição, o Partido Socialista Brasileiro – PSB, também votou favorável, e tivemos ampla maioria dos votos”.
“O que nos surpreendeu foi o papel ocupado pela oposição, que escolheu um novo líder, e esse novo líder, Antônio Imbassay, disse à imprensa nacional que nas pautas que favorecessem o Brasil eles não fariam uma oposição irresponsável – e votaram contra. Votaram contra a redução dos Ministérios, contra a redução dos cargos comissionados, o que nos surpreendeu, porque a oposição no Brasil é neoliberal, defende o Estado mínimo, defende, inclusive, o fim do Estado. Eles olham só sob a lógica da iniciativa privada, e no momento em que estamos votando pela redução dos Ministérios, o que é benéfico, devido à conjuntura em que vivemos e vai muito mais em direção ao conceito deles do que ao nosso, votaram contra.”
Segundo ainda o Deputado Ênio Verri, isso mostra que o discurso da oposição continua sendo um e “na prática é absolutamente irresponsável contra o Brasil”.
“A verdade é que em nenhuma votação eles ultrapassaram os 100 votos, o que fez com que o Governo tivesse uma vitória respeitável em todas as votações e emendas apresentadas.”
Fonte - Sputnik  18/02/2016

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Ligação Iguatemi-Paralela é interditada para obras do Metrô

Mobilidade

Durante os períodos de interdição, os motoristas que seguem pela Av. ACM, no sentido Aeroporto, devem ir pelo desvio feito para a Av. Tancredo Neves .

A Tarde
foto - Divulgação/CCR Metrô)
O viaduto da Ligação Iguatemi-Paralela, em frente ao Shopping Salvador, será interditado de 0h desse sábado, 20, às 5h do domingo, 21, e de 0h da segunda, 22, às 5h da terça, 23. O motivo é realização da obra de alargamento da pista que será feita pela CCR Metrô Bahia a fim de construir a via do metrô entre as futuras estações Rodoviária e Pernambués.
Durante os períodos de interdição, os motoristas que seguem pela Av. ACM, no sentido Aeroporto, devem ir pelo desvio feito para a Av. Tancredo Neves (bloqueio 1 na imagem ao lado)
Aqueles que vêm da Av. Professor Magalhães Neto, no sentido Rótula do Abacaxi, pelo mergulhão da LIP (bloqueio 3 e 4), deverão seguir pela Av. Tancredo Neves e pegar o viaduto da Av. Luis Eduardo Magalhães e fazer o retorno.
Já o motorista que vem da Av. Paralela, sentido Av. Tancredo Neves, pelo Viaduto Nelson Dahia (bloqueio 2), para fazer o retorno à Av. Paralela, deverá seguir pela Av. Tancredo Neves até o Hospital Sarah.
A foto mostra o mapa com os bloqueios que serão realizados no viaduto da ligação Iguatemi/Paralela.
Fonte - A Tarde  18/02/2016

Trem de levitação magnética,Maglev-Cobra,abre as portas para o público na UFRJ

Transportes sobre trilhos

Com os testes, os pesquisadores do Laboratório de Aplicações de Supercondutores da Coppe/UFRJ (LASUP) esperam conseguir, no ano que vem, a certificação para operar comercialmente. Segundo o professor Richard Stephen, coordenador do projeto, o Maglev-Cobra é o primeiro veículo no mundo a transportar passageiros, em escala real, utilizando a tecnologia de levitação magnética por supercondutividade e ímãs.

O Globo - ANPTrilhos
foto - ilustração/Maglev-Cobra
Após um ano e quatro meses operando com um público restrito, o trem de levitação magnética (Maglev-Cobra), desenvolvido na Ilha do Fundão, passará a receber passageiros todas as terças-feiras. A linha experimental de 200 metros liga o Centro de Tecnologia (CT) ao Centro de Tecnologia 2 (CT 2) da UFRJ. As viagens demonstrativas, que começaram nesta terça-feira, serão realizadas em dois horários: de 11h as 12h e de 14 as 15h.
Com os testes, os pesquisadores do Laboratório de Aplicações de Supercondutores da Coppe/UFRJ (LASUP) esperam conseguir, no ano que vem, a certificação para operar comercialmente. Segundo o professor Richard Stephen, coordenador do projeto, o Maglev-Cobra é o primeiro veículo no mundo a transportar passageiros, em escala real, utilizando a tecnologia de levitação magnética por supercondutividade e ímãs.
— Esse veículo está sendo desenvolvido para ser usado na malha urbana. No ano passado, conseguimos fazer os ajustes necessários para abrir para o público com segurança — disse Stephen, ressaltando as vantagens do novo modal. — Além do silêncio e do menor consumo de energia, o custo chega a ser três ou até cinco vezes mais barato que o metrô subterrâneo, por exemplo. Se formos comparar com o VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) ou um monorail, é bem provável que chegue a um custo similar.
Em vez de rodas, o trem utiliza levitação, trafegando silenciosamente, sem emitir poluentes. Por ser uma linha experimental, o Maglev-Cobra transporta 10 passageiros por viagem (podendo chegar até 30 pessoas) com uma velocidade de 10 km/hora. No entanto, de acordo com Stephen, é possível conectar novos módulos, de 1,5 metro de comprimento cada, e aumentar a capacidade do veículo, que, em percursos mais longos, pode chegar a uma velocidade de 100 km/h. Por enquanto, o veículo tem quatro módulos.
Desde 2000, quando começaram as pesquisas para a aplicação da levitação em transporte urbano, já foram investidos cerca de R$ 15 milhões, segundo o coordenador do projeto. A maior parte dos recursos veio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio (Faperj) e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).
Fonte - ANPTRrilhos  18/02/2016

Obama vai a Cuba em março

Internacional

Estados Unidos anunciam viagem de Obama a Cuba em março. Em Havana, ele vai discutir a ampliação das relações com o governo local.

José Romildo
Correspondente da Agência Brasil

foto -ilustração/Havana
O presidente Barack Obama e a primeira-dama Michelle estarão em Cuba em 21 e 22 de março, informou hoje (18) a Casa Branca. Em Havana, ele vai discutir a ampliação das relações com o governo local.
Haverá “avanço nos laços comerciais, que podem melhorar o bem-estar do povo cubano”, acrescentou a Casa Branca.
“Vamos também expressar o nosso apoio aos direitos humanos”, acrescentou a Secretaria de Imprensa do governo norte-americano.
Além de manter uma reunião bilateral com o presidente de Cuba, Raúl Castro, Obama vai se encontrar com membros da sociedade civil, empresários e pessoas de diferentes esferas da sociedade cubana.
Fonte - Agência Brasil  18/02/2016 

Praça das Artes no Pelourinho pode ganhar espaço de cinema e vídeo

Arte&Cultura

“Para começar algumas atividades necessitamos apenas da pintura e do condicionamento do ar”, adianta o coordenador-geral da TV Pelourinho, Alex Maia. Segundo o diretor-geral do Ipac, João Carlos de Oliveira, o instituto estava com um antigo cinema de pequeno porte subutilizado, que poderá abrigar atividades da emissora.

Da Redação
foto - Lazaro Menezes/Secom
A Praça das Artes, localizada no Pelourinho, entre a Rua Gregório de Mattos e a Baixa dos Sapateiros (Avenida JJ Seabra), no Centro Histórico de Salvador (CHS), pode ganhar um espaço para ações sociais de cinema e vídeo voltada para jovens. A TV Pelourinho e o Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (Ipac), vinculado à Secretaria de Cultura do Estado (Secult), estão construindo parceria para dinamizar uma antiga sala de cinema existente na praça.
“Para começar algumas atividades necessitamos apenas da pintura e do condicionamento do ar”, adianta o coordenador-geral da TV Pelourinho, Alex Maia. Segundo o diretor-geral do Ipac, João Carlos de Oliveira, o instituto estava com um antigo cinema de pequeno porte subutilizado, que poderá abrigar atividades da emissora.
A expectativa é que a ocupação do espaço já comece neste primeiro semestre para atividades educativas de vídeo e cinema. Em contrapartida, a TV Pelourinho oferecerá vagas gratuitas para jovens sem condições socioeconômicas de arcar com cursos semelhantes. Uma das ideias para dinamizar a parceria é inscrever a reforma do local e o projeto de ação em editais do governo federal.

Acessibilidade
Há cerca de 15 anos funcionou no espaço um cinema 180°. O local dispõe de hall com portas e janelas, sanitários em boas condições, estacionamento ao lado, com 200 vagas para carro e 40 para moto, além de segurança patrimonial do Ipac e rampas de acessibilidade, como explica Oliveira.
Equipes da TV Pelourinho e Ipac já vistoriaram o local. Do Instituto participaram o diretor e a coordenadora de Editais, Ana Coelho. Da TV, o coordenador Alex Maia, o diretor-administrativo Elismar Lima, o cinegrafista Ramon Silva e a produtora Kinda Rodrigues. A TV Pelourinho foi idealizada pela ONG Ação Pela Cidadania para trabalhar ações artísticas e sociais. Aulas de audiovisual, computação gráfica, web design, TV e cinema são algumas das atividades.

Imóveis
foto - Jefferson Vieira/Secom

O Ipac coordena a política estadual de proteção ao patrimônio cultural. Agora, segundo o diretor, elabora um plano de ocupação de imóveis no CHS. “Precisamos ocupar os imóveis com planejamento adequado, dando uso aos espaços ociosos degradados, para que sejam restaurados, ocupados e com novas atividades em benefício ao bairro e da população”.
O órgão mantém sob a sua responsabilidade 226 imóveis na zona tombada do Centro Histórico, que corresponde apenas a cerca de 2% do total existente nessa região. O restante de 98% são propriedade de órgãos e secretarias da Prefeitura de Salvador, do governo estadual, de privados e de irmandades e ordens religiosas da Igreja Católica. Mais informações estão disponíveis no site do Ipac. - http://www.ipac.ba.gov.br/ -
Com informações da Secom Ba.  18/02/2016

Senadores recebem comitiva chinesa para debater obra da Ferrovia Bioceânica

Ferrovias

Composta por profissionais da área de ferrovia e engenharia da China, a comitiva veio ao Brasil trocar informações referentes à obra e disponibilizar sua experiência nessa área a fim de colaborar com as dificuldades apresentadas pelos relatórios preliminares, intermediários e final dos estudos de viabilidade econômica.

Agência Senado
foto - ilustração
Os senadores Jorge Viana (PT-AC), Valdir Raupp (PMDB-RO), Acir Gurgacz (PDT-RO) e Wellington Fagundes (PR-MT), membros da Frente Parlamentar Mista Brasil-Peru-China Pró Ferrovia Bioceânica, receberam nesta quarta-feira (17) uma comitiva de empresários chineses interessados na construção da Ferrovia Bioceânica que vai ligar o oceano Atlântico ao Pacífico.
Composta por profissionais da área de ferrovia e engenharia da China, a comitiva veio ao Brasil trocar informações referentes à obra e disponibilizar sua experiência nessa área a fim de colaborar com as dificuldades apresentadas pelos relatórios preliminares, intermediários e final dos estudos de viabilidade econômica.
Para o senador Valdir Raupp é preciso que o Governo dê celeridade às análises dos relatórios e aceite os estudos preliminares para avançar nas próximas etapas de execução do empreendimento.
— A China já demonstrou total interesse em colaborar com o projeto e o trecho entre os estados de Mato Grosso e Rondônia já tem carga garantida para escoar. Mas precisamos de agilidade nesse processo — avaliou o peemedebista.
Wellington Fagundes enfatizou a importância do projeto para o desenvolvimento do País, para o escoamento da produção e para relação comercial entre Brasil e China.
— Com a ferrovia o custo de produção vai diminuir, a competitividade dos produtos brasileiros vai aumentar e vamos estreitar a relação econômica entre os dois países — previu Wellington.
Além dos senadores também participaram da reunião os deputados federais Angelim (PT-AC), César Messias (PSB-AC) e Fábio Faria (PSD-RN), que igualmente demonstraram preocupação e ressaltaram a importância desse empreendimento para o desenvolvimento econômico do país.
Lin Zhouyan, presidente do Conselho do Grupo Hsinchong Constructions, agradeceu a receptividade dos parlamentares e governo brasileiro, colocando o grupo à disposição para ajudar a solucionar os entraves apresentados.
— Já ficou claro o entusiasmo de ambos para a construção dessa ferrovia. Todos reconhecemos os desafios a serem enfrentados por se tratar de uma obra gigantesca, mas diante dessa vontade as dificuldades serão vencidas — afirmou.
Ao final do encontro o senador Jorge Viana esclareceu que a proposta da Frente Parlamentar, composta por mais de 200 deputados e senadores, é trabalhar com a embaixada de China e o governo brasileiro para agilizar o projeto. E informa ainda que serão realizados seminários nas regiões onde a ferrovia será construída e que uma visita à China será agendada para conhecer as dificuldades enfrentadas pelos chineses na construção de obras como a Bioceânica.
Fonte - Revista Ferroviária  17/02/2016

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Belo Monte aciona primeira turbina,em fase de teste

Energia

De acordo com a Norte Energia, empresa responsável pela construção e operação da usina, em pouco menos de um mês, Belo Monte estará gerando energia comercialmente nas duas casas de força.

Sabrina Craide
Repórter da Agência Brasil
foto - ilustração
A primeira turbina da Usina Hidrelétrica Belo Monte, no Rio Xingu (PA), foi ligada hoje (17), com capacidade de gerar 611,1 megawatts (MW). Este foi o primeiro teste dinâmico para observar e ajustar o funcionamento da primeira das 18 turbinas da casa de força principal da hidrelétrica.
De acordo com a Norte Energia, empresa responsável pela construção e operação da usina, em pouco menos de um mês, Belo Monte estará gerando energia comercialmente nas duas casas de força.
A capacidade plena de geração de energia da hidrelétrica, de 11,2 mil MW, deve ser atingida em 2019.
O enchimento dos reservatórios da usina foi concluído no último sábado (13), quando atingiu a cota necessária para o início da operação. No dia seguinte (14), a Norte Energia abriu as comportas do conduto que leva a água para movimentar e distribuir a unidade, operação necessária para realizar o giro mecânico da primeira turbina.
Fonte - Agência Brasil  17/02/2016

Justiça de SP determina que juiz aceite denúncia sobre cartel de trens da CPTM

Cartel dos trens

O juiz havia recusado a denúncia contra Missawa, o que, segundo o tribunal, foi uma “antecipação indevida da análise do mérito”. O executivo é acusado pelo Ministério Público de fraude em leilões e formação de cartel nas licitações da CPTM entre os anos de 2007 e 2008, que envolveram a compra de novos trens para a companhia.

Elaine Patricia Cruz
Repórter da Agência Brasil

foto - ilustração
O Tribunal de Justiça de São Paulo determinou que o juiz da primeira instância Rodolfo Pelizzari, da 11ª Vara Criminal de São Paulo, aceite a denúncia contra o ex-executivo da Siemens Marco Missawa, réu em um dos processos que apuram a existência de um cartel para a aquisição de trens da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).
O juiz havia recusado a denúncia contra Missawa, o que, segundo o tribunal, foi uma “antecipação indevida da análise do mérito”. O executivo é acusado pelo Ministério Público de fraude em leilões e formação de cartel nas licitações da CPTM entre os anos de 2007 e 2008, que envolveram a compra de novos trens para a companhia.
“Com efeito, a rejeição da denúncia não foi acertada”, disse o desembargador Cardoso Perpétuo, relator do processo. Segundo ele, o juiz deveria ter recebido a denúncia feita pelo Ministério Público porque “há claros e irrefutáveis indícios de sua materialidade e autoria”. O acórdão foi assinado em setembro do ano passado, mas só foi divulgado ontem (16).
Em nota, a Siemens informou que tem colaborado com as autoridades nas investigações sobre a existência de um possível cartel no setor de metrô e de trem.
“A atitude colaborativa e transparente da empresa mostra-se pelo acordo de leniência assinado com o Cade [Conselho Administrativo de Defesa Econômica], o Ministério Público Estadual e Federal, e também pela assinatura do Termo de Ajustamento de Conduta assinado com o Ministério Público do Estado de São Paulo, o primeiro neste sentido no Brasil.”
Fonte - Agência Brasil  17/02/2016

Representantes do governo francês discutem projetos de mobilidade na Bahia

Transportes sobre trilhos

Os franceses questionaram detalhes do estudo do sistema de transporte que vai substituir os trens do subúrbio, e cujo edital em forma de Parceria Público Privada (PPP) será lançado neste ano. A comitiva, que já teve outros encontros com o secretário da Sedur em 2015, ouviu atualizações sobre a segunda etapa do projeto do VLT

Da Redação
foto - Daniele Rodrigues
Representantes da Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), braço do governo francês voltado para a cooperação financeira com o setor público de outros países, reuniram-se com o secretário de Desenvolvimento Urbano (Sedur), Carlos Martins, nesta quarta-feira (17). Os temas do encontro foram os projetos de mobilidade desenvolvidos pela Sedur em Salvador, especialmente o VLT. Além do secretário, a superintendente de mobilidade da Sedur,Grace Gomes, o presidente da CTB, Eduardo Copello, e o diretor da Sumob, Márcio Tourinho, também participaram do encontro.
Os franceses questionaram detalhes do estudo do sistema de transporte que vai substituir os trens do subúrbio, e cujo edital em forma de Parceria Público Privada (PPP) será lançado neste ano. A comitiva, que já teve outros encontros com o secretário da Sedur em 2015, ouviu atualizações sobre a segunda etapa do projeto do VLT, como a nova possibilidade de articulação direta com o metrô, partindo da estação Retiro, com uma ligação na parada Santa Luzia, do VLT. Além da primeira ligação em estudo, do Comércio à Lapa.
Na primeira etapa de implantação, o VLT substituirá o trem do subúrbio, e o trajeto ainda será ampliado, compreendendo 21 paradas, entre a Avenida São Luís, em Paripe, e o Comércio.
AFD - A AFD iniciou suas atividades no Brasil em 2007. A Agência já firmou acordos com governos e prefeituras para contratação de estudos e elaboração de planos estratégicos destinados à mobilidade urbana e tem amplo know-how em projetos de teleféricos (financiou o de Medelín, na Colômbia, o de Quito, no Equador, e também no Rio de Janeiro), tecnologias inovadoras e sistemas de transportes inteligentes.
Com informações da Sedur Ba.  17/02/2016 

ICLEI promove primeiro evento nacional sobre cidades e mudanças climáticas depois da CoP21

Meio ambiente

O objetivo do evento é buscar, a partir das decisões geradas pelo Acordo de Paris, meios para aprofundar as discussões sobre o papel das cidades no enfrentamento às mudanças climáticas no Brasil, boas práticas, iniciativas e ferramentas regionais disponíveis para as cidades brasileiras e o caminho a ser trilhado para que as variáveis climáticas sejam incorporadas ao desenvolvimento urbano no país com ambição e escala.

Revista Amazônia

A II Jornada sobre Cidades e Mudanças Climáticas promovida pelo ICLEI – principal associação mundial de governos locais dedicados ao desenvolvimento sustentável – em parceria com a Prefeitura Municipal de Fortaleza será realizada nos dias 24 e 25 de fevereiro na capital cearense. Trata-se do primeiro evento nacional sobre o tema depois da CoP21.
O objetivo do evento é buscar, a partir das decisões geradas pelo Acordo de Paris, meios para aprofundar as discussões sobre o papel das cidades no enfrentamento às mudanças climáticas no Brasil, boas práticas, iniciativas e ferramentas regionais disponíveis para as cidades brasileiras e o caminho a ser trilhado para que as variáveis climáticas sejam incorporadas ao desenvolvimento urbano no país com ambição e escala.
“O Acordo de Paris instaurou um novo marco institucional para o enfrentamento das mudanças climáticas no qual governos municipais e estaduais são reconhecidos como atores essenciais para implementação de ações transformadoras no ambiente urbano”, lembra Pedro Roberto Jacobi, presidente do Secretariado para América do Sul do ICLEI – Governos Locais pela Sustentabilidade.
“Esta discussão assume uma importância ainda maior porque este ano teremos eleições municipais em todo o Brasil e o tema mudanças climáticas não pode ficar de fora da campanha, dos debates e das plataformas dos candidatos”, completa.
Durante o evento acontecerá também o encerramento do projeto Urban LEDS, um programa de quatro anos financiado pela União Europeia e desenvolvido pelo ICLEI e ONU Habitat e em 37 cidades do Brasil, Índia, Indonésia e África do Sul para demonstrar estratégias de desenvolvimento urbano inclusivo de baixa emissão de carbono em condições de crescimento e transição acelerados.
A Embaixada Britânica, por meio dos recursos do Prosperity Fund, também apoia a realização do evento. Desde 2010 trabalhando em parceria com o ICLEI em projetos relacionados à agenda climática e de infraestrutura de cidades, o fundo viabilizará a participação de especialistas britânicos para compartilharem experiências com cidades brasileiras.
A II Jornada sobre Cidades e Mudanças Climáticas contará, entre palestrantes, debatedores e plateia, com a participação de prefeitos do Brasil além de representantes de Governos Estaduais, do Governo Federal e de cidades de outros países da América do Sul. Também estão previstos representantes de instituições ligadas ao tema, como ABEMA, AFD, ANAMMA, Avina, BID, CB27, CAF, Future Cities Catapult, CDP, CEBDS, FONARI, , FNP, Fundação Grupo Boticário, Fundação Konrad Adenauer, GIZ, ITDP, LEDS LAC, MercoCiudades, ONU Habitat, SASA, SOS Mata Atlântica, WRI, WWF, entre outras.
O evento acontece no Centro de Eventos do Ceará e as inscrições podem ser feitas pelo site http://iclei.org.br/jornadaclima/
SOBRE O ICLEI – Principal associação mundial de governos locais dedicados ao desenvolvimento sustentável, o ICLEI promove ação local para a sustentabilidade global e apoia cidades a se tornarem sustentáveis, resilientes, eficientes no uso de recursos, biodiversas, de baixo de carbono; a construírem infraestrutura inteligente e a desenvolverem uma economia urbana verde e inclusiva com o objetivo final de alcançar comunidades felizes e saudáveis. Este movimento global congrega mais de 1000 estados, metrópoles e cidades de pequeno e médio porte em 86 países. Seu Secretariado para América do Sul (ICLEI SAMS) apoia uma rede de mais de 40 cidades sul-americanas que representam mais de 100 milhões de habitantes em 8 países, tais como Quito, Curitiba, Manaus, Ñuñoa, São José dos Campos, e Bogotá.
Fonte - Revista Amazônia  17/02/2016

Movimentação de cargas nos portos supera 1 bi de toneladas pela primeira vez na história

Economia

A maior parte da carga transportada, com uma parcela de 62,7%, foi de granel sólido. Em seguida, por participação, vieram granel líquido (22,3%), contêiner (9,8%) e carga solta (5%). Por tipo d​e carga específica, o destaque foi o minério de ferro, com 364 milhões de toneladas movimentadas em 2015

Natália Pianegonda - Agência CNT* 
foto -  Divulgação/Appa - 17/02/2016
A movimentação de cargas nos portos brasileiros bateu recorde histórico em 2015. Pela primeira vez, o resultado ultrapassou a marca de 1 bilhão de toneladas, com incremento de 3,9% em relação a 2014, quando o total foi de 968,8 milhões de toneladas. Os dados estão disponíveis na plataforma WebPortos, lançada pela SEP (Secretaria Especial de Portos) nessa terça-feira (16).
A maior parte da carga transportada, com uma parcela de 62,7%, foi de granel sólido. Em seguida, por participação, vieram granel líquido (22,3%), contêiner (9,8%) e carga solta (5%). Por tipo d​e carga específica, o destaque foi o minério de ferro, com 364 milhões de toneladas movimentadas em 2015, o que representa crescimento de 5,3% frente ao ano anterior.
Do total de exportações, 64,5% passaram por TUPs (Terminais de Uso Privado), construídos e explorados diretamente por empresas, com autorização do poder público.
Desenvolvido em parceria com a UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), o novo sistema consolida as informações sobre os portos brasileiros oriundas de diversas fontes, como Antaq (Agência Nacional de Transportes Aquaviários), IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), Companhias Docas, entre outras.
O WebPortos está aberto para consultas e o link está disponível na página da Secretaria de Portos, na internet.
*Com informações da SEP
Fonte - Agência CNT de Notícias  17/02/2016

Erro de controlador teria causado desastre de trens na Alemanha aponta Investigação

Internacional

O responsável seria um controlador de tráfego de 39 anos da Deutsche Bahn, a empresa ferroviária pública da Alemanha. Ele permitiu que os dois trens trafegassem sobre os mesmos trilhos no mesmo momento.

Terra - RF
foto - ilustração
Os primeiros resultados da investigação sobre a colisão de dois trens na Baviera, apresentados nesta terça-feira (16/02) pela polícia e o Ministério Público federal em Bad Aibling, apontam falha humana como a causa do desastre, que matou 11 pessoas e deixou mais de 80 feridas.
O responsável seria um controlador de tráfego de 39 anos da Deutsche Bahn, a empresa ferroviária pública da Alemanha. Ele permitiu que os dois trens trafegassem sobre os mesmos trilhos no mesmo momento.
Um processo por homicídio culposo – sem intenção de matar e derivado de uma ação negligente – foi aberto contra o controlador, cuja identidade está sendo mantida em sigilo em respeito às leis alemãs de privacidade.
"Se ele tivesse seguido as regras pertinentes à sua função, essa colisão não teria ocorrido", disse Wolfgang Giese, promotor responsável pela investigação. "Nossa investigação foca numa falha humana com resultados catastróficos, mas não numa colisão intencionalmente provocada."
O controlador, que tinha quase 20 anos de experiência, teria dado um sinal especial a um dos trens que "não deveria ter sido dado", segundo o promotor. Percebendo o erro, ele tentou enviar um alerta, que, no entanto, não chegou aos maquinistas.
O acusado teria se recusado inicialmente a prestar depoimento, mas admitiu através de uma declaração que suas ações teriam causado o acidente. Giese explicou que não há motivos para efetuar a prisão do controlador de tráfego, uma vez que suas ações não foram intencionais, mas sim, negligentes.
Segundo a promotoria, ele foi levado a um local seguro e não se encontra em boas condições. Não há provas de consumo de álcool ou abuso de qualquer substância por parte do acusado.
Os dois trens, que transportavam cerca de 150 passageiros, colidiram em uma linha férrea próxima à cidade bávara de Bad Aibling no dia 9 de fevereiro, após um sistema automático de frenagem para evitar colisões frontais ter sido aparentemente desligado.
Até o momento, não há indícios de falhas técnicas no acidente. As operações de remoção dos destroços ainda continuam no local. Não foi esclarecido quando a linha férrea poderá voltar a ser utilizada.
Fonte - Revista Ferroviária  17/02/2016

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Prefeitura abre chamada pública para sistema de carros compartilhados em Fortaleza

Mobilidade

Empresas interessadas em implantar, operar e manter o sistema podem apresentar suas propostas junto à Comissão Permanente de Licitações (CPL) da Prefeitura de Fortaleza até as 9h do dia 2 de março deste ano.

Diário do Nordeste

O modelo de carro para o sistema apresentado pela Prefeitura de Fortaleza é totalmente elétrico, com fibra de vidro, de carbono e pneus reciclados em sua composição
A Prefeitura de Fortaleza abriu nesta terça-feira (16) chamada pública para as empresas interessadas em fazer a implantação, operação e manutenção do sistema público de carros elétricos compartilhados.
Os interessados podem apresentar suas propostas junto à Comissão Permanente de Licitações (CPL) da Prefeitura de Fortaleza até as 9h do dia 2 de março deste ano. Os envelopes com habilitação, projeto executivo e proposta técnica devem ser entregues na sede da CPL, situada à Rua do Rosário, 77 – Centro – Edifício Comandante Vital Rolim.
Os envelopes serão abertos no dia 2 de março. O edital, que permite multipatrocínio e co-patrocínio, encontra-se à disposição fisicamente no mesmo endereço e também no site compras.fortaleza.ce.gov.br e no portal de licitações do Tribunal de Contas dos Municípios do Estado do Ceará (TCM-CE).

Projeto deve estar funcionando em testes a partir de abril

O projeto do sistema público de carros elétricos compartilhados, o primeiro do Brasil, já havia sido apresentado no dia 21 de janeiro deste ano pelo prefeito Roberto Cláudio. Na ocasião, também foi revelado como funcionará o cadastro, as tarifas e os locais das primeiras estações.
A intenção do prefeito é que o sistema esteja disponível em até dois meses após a assinatura do termo de autorização firmado com a empresa licenciada. A previsão é de que os carros jáestejam rodando pela Capital em forma de teste a partir do mês de abril.
Fonte - Diário do Nordeste  16/02/2016

CBTU João Pessoa integra campanha de combate ao Aedes Aegypti

Saúde pública

De acordo com o Gerente de Administração da CBTU João Pessoa, Charles Silva, algumas medidas já estão sendo tomadas,como limpeza da via férrea, mutirão nas Estações e distribuição de cartazes e panfletos de conscientização para os passageiros

CBTU - JP

A CBTU João Pessoa traçou metas para integrar a campanha de combate ao mosquito Aedes Aegypti. Como limpeza da via férrea, mutirão nas Estações e distribuição de cartazes e panfletos de conscientização para os passageiros. De acordo com o Gerente de Administração da CBTU João Pessoa, Charles Silva, algumas medidas já estão sendo tomadas. “A primeira delas é uma limpeza mais profunda da via permanente, na qual os empregados responsáveis estão procurando foco do mosquito, acúmulo de água em canaletas e solucionando o problema caso encontrem”, afirmou.
Conforme Charles Silva, o próximo passo para combater o mosquito será um mutirão realizado nas 12 Estações da Companhia, para recolher garrafas pets espalhadas e qualquer objeto que possa acumular água e ser um possível foco para o Aedes Aegypti. Além disso, a CBTU João Pessoa conseguiu em parceria com o Major Lucas, do Comando Geral da Polícia Militar da Paraíba, cinco mil panfletos educativos para a distribuição numa ação que em breve será realizada nas estações e dentro do trem.
Como exemplo de doenças provocadas por esse mosquito, podemos destacar a dengue, a chikungunya e a zika.
DENGUE: Ela causa febre, dores no corpo, dores de cabeça e nos olhos, falta de ar, manchas na pele e indisposição. Em casos mais graves, a dengue pode provocar hemorragias, que, por sua vez, podem ocasionar óbito.
CHIKUNGUNYA: Também causa febre e dores no corpo, mas as dores concentram-se principalmente nas articulações. Alguns sintomas da chikungunya duram em torno de duas semanas; todavia, as dores articulares podem permanecer por vários meses.
Casos de morte são muito raros, mas a doença, em virtude da persistência da dor, afeta bastante a qualidade de vida do paciente.
ZIKA: Pacientes com essa enfermidade apresentam febre mais baixa que a da dengue e chikungunya, olhos avermelhados e coceira característica. Em virtude desses sintomas, muitas vezes a doença é confundida com alergia. Normalmente a zika não causa morte, e os sintomas não duram mais que sete dias. Vale frisar, no entanto, que a febre zika relaciona-se com uma síndrome neurológica que causa paralisia, a Síndrome de Guillain-Barré, e também com casos de microcefalia.
Fonte - CBTU  16/02/2016

Governador da Bahia em Brasília,finaliza negociações para atrair investidores chineses

Infraestrutura

Na lista de projetos com sinalização já positiva de empresas asiáticas estão o Porto Sul, a Ferrovia de Integração Oeste Leste (Fiol), a Ponte Salvador - Itaparica e o Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) de Salvador, todos apresentados à ministra conselheira. 

Da Redação
foto - Secom Ba.
Com viagem já agendada para China no dia 4 de março, o governador Rui Costa finaliza as conversas para potencializar as negociações com investidores chineses. Ele esteve nesta terça-feira (16) na Embaixada da China, em Brasília, e, por cerca de duas horas, conversou com a ministra conselheira, Xia Xiaoling.
Na lista de projetos com sinalização já positiva de empresas asiáticas estão o Porto Sul, a Ferrovia de Integração Oeste Leste (Fiol), a Ponte Salvador - Itaparica e o Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) de Salvador, todos apresentados à ministra conselheira. Nos próximos dias, o Governo do Estado enviará a Pequim projetos executivos e orçamentários dos projetos, dando mais condições de os investidores avaliarem cada um deles.
A dinâmica de empresas que já procuraram o governo baiano manifestando interesse concreto foi explicada pela ministra Xia ao governador. As agendas serão com as estatais CRBC, CREC e CRCC, todas com atuação na área de mobilidade e logística. "Estamos convencidos da concretização de parcerias. São projetos de forte impacto social e determinantes para o crescimento da economia baiana", disse Rui Costa.
A ministra destacou que a China está disposta a ajudar outros países a fortalecer a sua infraestrutura. "Isso condiciona o crescimento do país", afirmou Xia. Outras reuniões também estão agendadas; a comitiva se reunirá ainda com empresas de energias renováveis e da área de produção de medicamentos.
O secretário da Casa Civil, Bruno Dauster, e o superintendente de Promoção do Investimento da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), Paulo Guimarães, que vão integrar a comitiva que irá para a China, além do representante do governo baiano na capital federal, Jonas Paulo, participaram da agenda em Brasília.
Com informações da Secom Ba. 16/02/2016

STF notifica Eduardo Cunha sobre pedido de afastamento do mandato

Política

A partir deste aviso, começa a contar o prazo de dez dias para que a defesa do peemedebista apresente seus argumentos.Janot acusa Cunha de utilizar o cargo de presidente da Câmara para intimidar parlamentares e cometer crimes. O presidente da Câmara responde a três inquéritos oriundos da Operação Lava Jato, que tramitam no Supremo.

Carolina Gonçalves
Repórter da Agência Brasil

foto - ilustração
O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), foi notificado na manhã de hoje (16), pelo Supremo Tribunal Federal, sobre o pedido de afastamento dele do mandato, feito em dezembro do ano passado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, à Suprema Corte.
A informação foi confirmada por assessores da presidência da Casa, no entanto, à Agência Brasil, o advogado de Cunha, Antônio Fernando, negou ter conhecimento sobre a notificação e mantém em segredo qualquer estratégia de defesa.
A partir deste aviso, começa a contar o prazo de dez dias para que a defesa do peemedebista apresente seus argumentos.
Janot acusa Cunha de utilizar o cargo de presidente da Câmara para intimidar parlamentares e cometer crimes. O presidente da Câmara responde a três inquéritos oriundos da Operação Lava Jato, que tramitam no Supremo.
No pedido apresentado ao STF, em dezembro, Janot argumenta que as suspeitas sobre Cunha, alvo de buscas e apreensões em uma das fases da operação policial, são reforçadas nas delações premiadas de réus da Lava Jato e pelas apreensões feitas no dia 15 de dezembro, pela Polícia Federal, na residência oficial da Câmara e na casa do parlamentar no Rio de Janeiro.
Eduardo Cunha chegou hoje à Câmara por volta das 9h, sem falar com a imprensa. Ele nega todas as acusações e tem evitado falar sobre processos que tramitam contra ele no STF, como o que investiga a existência de contas secretas mantidas pelo deputado na Suíça para receber dinheiro de origem ilícita.

Conselho de Ética
Cunha também é alvo de processo no Conselho de Ética da Casa, que será retomado no início da tarde de hoje (16). Mudanças na composição de nomes que integram o colegiado aumentaram ainda mais a expectativa em torno da primeira reunião do ano do conselho, que volta à fase inicial de discussões em torno do parecer do deputado Marcos Rogério (PDT-RO), relator do caso.
O líder do PTB na Câmara, Jovair Arantes (GO), aliado de Cunha, deve decidir nas próximas horas o nome que vai substituir Arnaldo Faria de Sá (SP) no conselho, que renunciou à vaga, a pedido do líder do partido. Arantes participa na manhã de hoje da reunião de líderes da base aliada da Câmara com a presidenta Dilma Rousseff.
Em princípio, Nilton Capixaba (RO) ocuparia a vaga e, diferentemente de Faria de Sá, é contrário à cassação do mandato de Cunha. O ingresso de Capixaba na comissão engrossaria o grupo dos nove deputados que votaram contra a continuidade do processo. Hoje, no entanto, Capixaba anunciou que não vai aceitar o convite.
O parecer que propõe a continuidade das investigações contra Cunha foi aprovado por 11 votos no final do ano passado, mas uma decisão do vice-presidente da Câmara, deputado Waldir Maranhão (PP-MA), anulou a votação. Maranhão acatou um recurso do deputado Carlos Marun (PMDB-MS) que questionava a negativa a um pedido de vista do relatório.
José Carlos Araújo (PSD-BA), presidente do conselho, apresentou questão de ordem no plenário da Casa contra a decisão de Maranhão, mas ainda não tem previsão de resposta. Há também um outro recurso, apresentado à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) por aliados de Cunha, que pede que o processo retorne à estaca zero. Além da reunião de hoje, outra sessão foi marcada para amanhã (17) para continuar as discussões em torno da representação.

Cunha
Ao deixar a Câmara horas antes da sessão do conselho, Cunha rechaçou as declarações de que a mudança do PTB fosse uma manobra a seu favor. “Tudo o que acontece lá vira manobra. Estou é preocupado com a manobra que está sendo feita na eleição da liderança do PMDB”, disse. Deputados da legenda vão escolher amanhã (17) o líder. A disputa é entre o atual ocupante do cargo, Leonardo Picciani (RJ), alinhado com o Planalto, e Hugo Motta (PB), que tem o apoio declarado de Cunha.
Insatisfeitos com a atual condução dos trabalhos na Câmara, alguns peemedebistas acusam Picciani de conduzir decisões de acordo com os interesses do governo sem que a bancada seja ouvida. A exoneração de parlamentares que ocupam cargos no Executivo, para retomarem o mandato na Câmara, é considerada por esta ala como uma estratégia “artificial” para manter o fluminense na função. “O PMDB está trazendo titulares, mas não para saírem os suplentes do partido, mas para nomear deputados provisoriamente, de outros partidos para crescer a bancada”, disse Cunha. Picciani participa da reunião de líderes com a presidenta Dilma e ainda não se manifestou sobre as declarações de Cunha.
Fonte - Agência Brasil  16/02/2016