sábado, 30 de janeiro de 2016

Geração de energia eólica deve continuar crescendo nos próximos anos

Energia eólica

Investimentos na matriz eólica contribuem para a geração de energia limpa.A estimativa do governo, que consta no Plano Decenal de Expansão de Energia, é que em 2024 o parque eólico brasileiro deverá responder por 11,5% de toda a energia gerada pelo país.

Sabrina Craide
Repórter da Agência Brasil

Arquivo/Agência Brasil
A capacidade de geração de energia eólica no Brasil deverá passar dos atuais 8,7 mil megawatts (MW) para 24 mil MW nos próximos oito anos. A estimativa do governo, que consta no Plano Decenal de Expansão de Energia, é que em 2024 o parque eólico brasileiro deverá responder por 11,5% de toda a energia gerada pelo país. Até o fim de 2016, a capacidade instalada deve chegar a 11 mil MW, segundo projeções da Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeolica).
A energia produzida com a força dos ventos é a que apresenta o maior crescimento no país. Entre novembro de 2014 e novembro de 2015 a capacidade instalada do setor cresceu 56,9% em relação aos 12 meses anteriores, de acordo com o Ministério de Minas e Energia. No ano passado, foram inauguradas mais de 100 usinas eólicas no país, com investimentos de R$ 19,2 bilhões. Atualmente, existem 349 usinas eólicas instaladas no Brasil, a maioria na região Nordeste.
“A energia eólica no Brasil é algo razoavelmente novo e essa indústria foi sendo construída com bases muito sólidas porque temos um recurso eólico muito bom no Brasil, um dos melhores do mundo e, ao entender e saber explorar esse recurso nós colocamos a eólica em uma situação de vantagem comparativa e competitiva muito grande”, diz a presidente da Abeeolica, Elbia Gannoum.
Para a coordenadora da campanha de Energias Renováveis do Greenpeace, Larissa Rodrigues, o panorama para a expansão da capacidade de geração desta energia no país é otimista, especialmente levando em conta que o desenvolvimento do setor aconteceu com maior força na última década. No entanto, ela avalia que a meta de alcançar 24 mil MW de capacidade instalada em 2024 ainda é tímida. “Quando você pega o que já está instalado hoje e o que está sendo construído, o que sobra não é muita coisa. Pelo que estamos vendo hoje, para 2024 poderíamos ter muito mais”, diz.

Transmissão
O escoamento da energia produzida pelas usinas eólicas foi um problema para os primeiros parques construídos, que ficaram prontos sem ter um sistema de transmissão concluído para levar a energia a outras regiões. Segundo a Abeeolica, isso aconteceu porque houve um desencontro entre os cronogramas de obras das usinas de geração de energia e das de linhas de transmissão.
“Hoje não tem mais aquele atraso e os próximos [projetos] tendem a não atrasar mais, porque o modelo é outro”, diz a presidente da Abeeolica. Desde 2013, os editais para a contratação de energia eólica condicionam a compra de energia desse tipo de fonte à garantia de conexão junto à rede de transmissão.
A entidade estima que cerca de 300 MW de capacidade instalada em 14 parque eólicos do Rio Grande do Norte e da Bahia estejam com problemas de conexão à linhas de transmissão. “Esse percentual não é relevante, é menos de 5% do total”, avalia Elbia.
Para o Greenpeace, o escoamento da energia é o principal gargalo para a expansão das eólicas no país. Larissa Rodrigues diz que o atrelamento da contratação à garantia de linhas de transmissão prejudica o setor. “No fundo, isso é muito ruim para a indústria eólica, porque quem faz a usina não é o mesmo agente que faz a linha de transmissão, são coisas completamente separadas no setor elétrico”, avalia.

Custo
O custo de geração da usina eólica, que era um entrave para o crescimento do setor há alguns anos, já não é mais obstáculo. Atualmente, ela é a segunda fonte de energia mais barata, atrás da energia hidrelétrica. “A eólica já chegou no seu grau máximo de competitividade, quando se tornou a segunda energia mais barata do Brasil em 2011”, diz Elbia.
Segundo ela, atualmente cerca de 70% dos equipamentos utilizados na geração de energia eólica no Brasil são produzidos no país. “Ao construir essa cadeia produtiva somando ao recurso dos ventos, nós temos um potencial eólico disponível para atender as necessidades do Brasil”
Para a representante do Greenpeace, o debate sobre o custo da energia eólica atualmente é um mito, pois com o avanço da indústria o setor se tornou competitivo. “Há 10 anos quando se falava em energia eólica no país era uma coisa de maluco, ninguém acreditava. Hoje em dia só se fala nisso”, avalia Larissa Rodrigues.

Papel social
O presidente da Empresa de Pesquisa Energética, Maurício Tolmasquim, destaca que, além dos benefícios para a redução dos gases do efeito estufa, a expansão da energia eólica cumpre também um papel social. Isso porque pequenos proprietários arrendam parte de suas terras para colocar os aerogeradores e ganham uma renda extra por isso.
“A forte expansão da geração eólica no país é um elemento importante para o Brasil atingir a meta acordada na COP 21 para redução dos gases do efeito estufa. Além do benefício ao planeta, por menos emissões, tem ainda o benefício local, não apenas pela redução da poluição regional, mas também pelo benefício social ligado à renda que é gerada por essa atividade, que vem sendo desenvolvida geralmente em áreas mais pobres do Brasil”, avalia Tolmasquim.
Segundo estimativas da Abeeolica, cada família que arrenda suas terras para a instalação de aerogeradores ganha cerca de R$ 2,3 mil por mês e o no ano passado foram pagos cerca de R$ 5,5 milhões por mês em arrendamentos.
Os parques instalados atualmente possuem cerca de 87,5 mil hectares arrendados e 3% destas áreas são ocupadas com os equipamentos eólicos. O restante pode ser utilizado para agricultura, pecuária, piscicultura entre outras atividades.
Fonte - Agência Brasil  30/01/2016

Travessia pelo sistema Ferry-Boat terá escala de 24 horas e viagens extras durante o Carnaval

Travessia Marítima/Carnaval

A empresa administradora e operadora do sistema Ferry Boat estima transportar mais de 504 mil passageiros e mais de 79 mil veículos neste período,sete ferries farão as travessias.Para viajar durante o Carnaval desse ano,os usuários encontrarão funcionamento diferenciado entre os dias 29 de janeiro e 15 de fevereiro, tendo à disposição as embarcações: Agenor Gordilho, Dorival Caymmi, Zumbi dos Palmares, Ivete Sangalo, Maria Bethânia, Pinheiro, Rio Paraguaçu e Anna Nery 

Da Redação
foto - ilusração/Internacional Marítima
Os foliões que optarem pelo sistema Ferry-Boat, importante via de ligação entre a capital baiana e cidades do interior do Estado, para viajar durante o Carnaval este ano, encontrarão funcionamento diferenciado entre os dias 29 de janeiro e 15 de fevereiro, tendo à disposição as embarcações: Agenor Gordilho, Dorival Caymmi, Zumbi dos Palmares, Ivete Sangalo, Maria Bethânia, Pinheiro, Rio Paraguaçu e Anna Nery (com sete delas em tráfego, e a oitava para auxílio da operação nos momentos de manutenção obrigatória).
Mais de 504 mil passageiros e mais de 79 mil veículos devem circular entre os terminais São Joaquim e Bom Despacho neste período, e para atender ao fluxo esperado, a Internacional Travessias Salvador, administradora do serviço, vai realizar de uma a duas viagens extras (considerando as condições de tráfego e embarcações a cada momento) no intervalo dos horários regulares (de hora em hora), etambém vai operar por 24 horas nos dias 5 e 6/02, a partir de São Joaquim; além dos dias 9, 10 e 11/02, a partir Bom Despacho. A demanda esperada é equivalente ao movimento registrado no mesmo feriado ano passado.
O viajante que puder optar pelo horário alternativo (noite ou madrugada) contribui para a diminuição do tempo de permanência em filas que se formam devido ao aumento do fluxo que ocorre em feriados prolongados. Há datas em que o volume atendido chega a mais de 6 mil veículos e mais de 46 mil passageiros (ao dia), quando em finais de semana convencionais o fluxo costuma ser de 2 mil veículos e 15 mil passageiros, por dia.

Hora Marcada 
Em razão da grande procura, o serviço Hora Marcada teve um incremento de 1.050 vagas. Somando as vagas convencionais e extras, estão sendo ofertadas mais de 21 mil por conta do Carnaval. Atualmente disponível para veículos (e respectivos passageiros), a compra desta passagem é feita exclusivamente pelo site -https://portalsits.internacionaltravessias.com.br-, através do qual o pagamento pode ser feito nos cartões de débito e crédito.

Investimento 
Devido ao aumento do fluxo esperado para o período do Carnaval, a empresa contratou mais de 80 profissionais envolvendo as áreas de bilheteria, marítimo, auxiliar de tráfego, serviços de limpeza e portaria; e também realizou parcerias com órgãos de segurança e fiscalização com o intuito de oferecer aos clientes um atendimento mais dinâmico e confortável. O Comando da Polícia Militar da Bahia irá reforçar o trabalho policial praticado nos terminais Bom Despacho e São Joaquim, incluindo em seu efetivo a disponibilidade de um uma unidade móvel para atendimento a possíveis ocorrências. Em caso de uma situação de maior gravidade, o trabalho terá o apoio da RONDESP, batalhão especial do Estado da Bahia. Já a Transalvador manterá equipe dedicada ao entorno do terminal São Joaquim para o ordenamento do trânsito, trabalho que será feito em Bom Despacho pela equipe da Guarda Municipal da Ilha de Itaparica e pela Polícia Rodoviária.
O sistema Ferry-Boat disponibiliza uma Central de Atendimento ao Cliente (CAC), localizada no Terminal São Joaquim, aberta de segunda a sexta, das 8h às 18h, e aos sábados, das 7h às 13h. O serviço também pode ser acionado pelos contatos: 71 3032-0475 e cac@internacionaltravessias.com.br.

Média da capacidade de atendimento por embarcação:

Embarcação - Passageiros   -   Veículos

Agenor Gordilho          600   -   85
Anna Nery                   653   -   62
Dorival Caymmi          480    - 134
Ivete Sangalo              653   -   62
Maria Bethânia            800   -   50
Pinheiro                       800   -   55
Rio Paraguaçu            800   -   50
Zumbi dos Palmares   600  -  208
Com informações da Internacional Marítima Salvador  30/01/2016

Empresas de ônibus de Salvador são multadas em R$ 16 milhões

Transportes

A fiscalização analisou cinco anos de relação entre 22,5 mil trabalhadores com 24 empresas do setor.Ao todo, foram detectadas, entre janeiro de 2011 a agosto de 2015, o total de 10,43 milhões de infrações nas jornadas de trabalho, em 21,9 milhões de períodos de atividade avaliados.

Matheus Fortes - TB
foto - ilustração
Após um trabalho de fiscalização com mais de quatro anos,feito pelo Ministério do Trabalho e Previdência Social,no setor do transporte coletivo urbano de Salvador,as empresas prestadoras do serviço foram multadas em R$ 16 milhões devido a irregularidades trabalhistas detectadas durante a operação especial, resultantes da aplicação de 560 autos de infração contras as companhias.
Os dados foram apresentados nessa sexta-feira (29/1), na sede da Superintendência Regional do Trabalho da Bahia, no centro da capital. A fiscalização analisou cinco anos de relação entre 22,5 mil trabalhadores com 24 empresas do setor.
Ao todo, foram detectadas, entre janeiro de 2011 a agosto de 2015, o total de 10,43 milhões de infrações nas jornadas de trabalho, em 21,9 milhões de períodos de atividade avaliados.
De acordo com os auditores do Grupo Especial de Fiscalização do Trabalho em Transportes do Ministério do Trabalho (Getrac), a avaliação apontou desrespeito a direitos trabalhistas, como excesso da jornada de trabalho, trabalhos aos domingos, descanso semanal remunerado não concedido, descumprimento na concessão de férias, vínculo empregatício irregular, dentre outros.
A avaliação também identificou um total de R$ 120 milhões em débitos de verbas trabalhistas, que deveriam ser utilizados para o pagamento de benefícios como hora-extra, adicionais noturnos, etc. Neste número também incide o percentual de férias, representando R$ 12 milhões, e mais R$ 8,3 milhões relativos ao FGTS.
No período analisado também foi possível detectar o total de 4.451 trabalhadores em atividades no período destinado às férias, enquanto que 2.595 funcionários não possuíam vínculo empregatício regular, exercendo suas atividades de modo informal, sem registro, ou carteira assinada.
Durante o período, a operação constatou fraude no recebimento do seguro-desemprego com empregados recebendo o benefício, mesmo em atividade remunerada.
O valor total dos saques somam R$ 5 milhões, e foram realizados por 1.634 trabalhadores nos cinco anos de fiscalização. Neste ponto, tanto as empresas são autuadas por admitir trabalhadores sem registro, quanto o próprio trabalhador que deverá devolver o valor sacado do benefício.
“O trabalhador, neste caso, será notificado com a Guia de Recolhimento para efetuar a devolução do dinheiro, pois ele não poderia receber enquanto estivesse trabalhando. Há várias consequências, porque vamos ter que informar isso à Justiça Federal, mesmo com a devolução”, explicou o superintendente regional do Trabalho da Bahia, José Maria de Abreu Dutra.
A ferramenta que permitiu detectar a maioria das irregularidades foi justamente o sistema de bilhetagem eletrônico, que começou a ser utilizado na capital nos últimos anos.
“Para iniciar e terminar as viagens feitas a cada dia, tanto o motorista quanto o cobrador precisam abrir e fechar esse sistema através do validador, eles passam o cartão, e repetem essa operação algumas vezes ao dia”, destaca o auditor do Getrac, Bernardo Velasco.
“Nós percebemos que, tendo acesso a esses dados, poderíamos verificar uma série de atributos da legislação trabalhista. O ponto batido pelo trabalhador também permite, mas não tantos atributos quanto o sistema”, explica o auditor. Para ter acesso aos números, foi necessário que o Ministério Público do Trabalho (MPT) ajuizasse uma ação solicitando os dados da bilhetagem eletrônica.
De acordo com o auditor do Getrac, Bernardo Velasco, uma das razões que trouxe o grupo de fiscalização à Salvador foi o alto índice de afastamentos de motoristas do transporte coletivo de suas atividades. A capital é a quarta cidade com o maior número de afastamento de trabalhadores dos ônibus do país, perdendo apenas para São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.
Os dados mais recentes são de 2013 e apontam que, por aqui, os condutores dos ônibus urbanos, passam em média, 46 dias do ano afastados de sua atividade devido à motivos diversos. A média nacional para o mesmo dado é de 26,6 dias.
A análise também permitiu encontrar irregularidades que contribuem com esses números, no qual é possível constatar uma má gestão de saúde e segurança para os trabalhadores, e que contribui para o adoecimento de motoristas e cobradores do setor.
Fonte - Tribuna da Bahia  30/01/2016

Mobilidade Urbana

Mobilidade 

A solução para mobilidade urbana,passa pela implantação de sistemas de transportes de qualidade e de alta capacidade,integrados a outros diversos modais,além da adoção de um planejamento estratégico urbano para médio e longo prazo em nossas cidades.

Por Mércia Gomes - Portal do Trânsito

A mobilidade urbana, termo empregado para referir–se à trânsito de veículos e pedestres, tem sido muito apresentada como Tema principal nos grandes Congressos e Fóruns de Trânsito, destaca–se que a mobilidade urbana, direciona à condução de transporte individual ou coletivo, sendo mais preciso, em face de carros, motos, ônibus, metrôs, etc.
De acordo com as estatísticas em relação ao número de condutores, e aumento de frotas derradeiramente, o debate sobre mobilidade urbana em relação ao Brasil, tem sido o primeiro e em destaque, haja vista que as grandes Capitais, exemplo São Paulo, tem tido dificuldade em projetar meios para diminuir número de congestionamento diário, circulação de pedestre em aglomeração, e qualidade no meio de transporte público, incluindo ainda aumento de linhas de metrô, o que observamos diversos projetos, prazos de implantação pelas gestões, todavia, dificilmente alcançam a disponibilidade nos projetos em razão do elevado número no congestionamento, aumento de frotas, entre outros.
O maior problema no Brasil referente à mobilidade urbana é em relação ao aumento de uso de veículos individuais em detrimento do uso do transporte coletivo, sendo que para ensejar à utilização do meio coletivo, necessário se faz implantar e inserir transporte com qualidade, disponibilidade em menor tempo/hora para passageiro, aumentar número de pontos e vias exclusivas para trafegar. Ressalta–se que esse assunto deve ser planejado e desenvolvido com estudos para implantação em todas vias necessárias.
Para solucionar a questão da mobilidade urbana, primeiramente deve-se implantar meio de transporte com qualidade, eficiência no trânsito e projetos que estimulam a população ao uso do coletivo, além inclusive da utilização de bicicletas, sendo claro através de implantação de ciclovias e ciclofaixas, assim somando com a diminuição no tempo de deslocamento no coletivo, será alcançado o objetivo comum e saudável para sociedade.
De todo o apresentado, resume- se destacar mais o tema mobilidade urbana e trazer debates que façam alcançar as gestões públicas para regulamentar ações em interesse coletivo, o que trará eficiência nos deslocamentos e meio de transporte para todo condutor e pedestre.
Fonte - Portal do Trânsito  29/01/2016

VLT de Santos terá 13 pontos de venda de cartões de embarque a partir de 31/01

Transportes sobre trilhos

Os usuários do sistema terão 13 pontos de venda de cartões de embarque do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) na Baixada Santista a partir do próximo domingo (31/01), data de início da Operação Comercial.O cartão também poderá ser adquirido nas áreas de embarque das nove estações por onde o VLT passará.

EMTU
foto - ilustração
A população da Baixada Santista terá à disposição 13 pontos de venda de cartões de embarque do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) em Santos e São Vicente a partir do próximo domingo (31/01), data de início da Operação Comercial. O cartão também poderá ser adquirido nas áreas de embarque das nove estações por onde o VLT passará.
Quatro veículos circulam no trecho de 6,5km entre as estações Mascarenhas de Moraes, em São Vicente, e Pinheiro Machado, em Santos, no período das 9h às 16h. O tempo médio do percurso em cada sentido é de 20 minutos. A partir de 31 de março, o horário será estendido das 7h às 19h e, a partir de setembro, quando todas as estações do trecho Barreiros – Porto estiverem prontas, a operação do VLT será das 6h às 23h.
A tarifa unitária custará R$ 3,80, conforme resolução da Secretaria dosTransportes Metropolitanos a ser publicada nesta sexta (29) no Diário Oficial do Estado.
O VLT da Baixada Santista é o primeiro elétrico a entrar em operação no Brasil. A implantação do empreendimento é da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU), vinculada à Secretaria dos Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo. Já em operação há alguns anos em cidades médias europeias, com bons resultados, o VLT tem emissão zero de poluentes. Interage com o meio urbano de maneira amigável, circulando ao nível das ruas, preservando o patrimônio histórico e colaborando para a revitalização urbanística das vias. As novas estações construídas impulsionam a modernização do entorno, trazendo mais conforto e qualidade de vida. A redistribuição do tráfego acabou portransformar o ambiente de todas as cidades onde o sistema foi implantado, melhorando a mobilidade da população.
OVLT atenderá diretamente 70 mil usuários/dia quando as 15 estações do trecho Barreiros – Porto estiverem concluídas. De maneira indireta, todos os 1,7 milhão de habitantes dos nove municípios da Baixada Santista vão usufruir dos benefícios, já que haverá menos ônibus em circulação, menos poluição sonora, além da redução do tempo gasto nas viagens entre os municípios. Com menos ônibus circulando, a expectativa é de uma economia de aproximadamente R$ 21 milhões/ano em gastos como acidentes e manutenção de viário.
Fonte - ABIFER  29/01/2016

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Metrô de Salvador terá operação especial durante o carnaval

Transportes sobre trilhos

O serviço funcionará de Pirajá a Lapa em horário estendido nos sete dias de festa.Todas as estações da Linha 1 do metrô, de Lapa a Pirajá, estarão abertas na quinta-feira (4/2), das 5h30 à meia-noite. De sexta-feira (5/2) até terça-feira (9/2), das 5h à meia-noite e na quarta-feira de Cinzas (10/2), das 5h às 22h. 


Da Redação

A CCR Metrô Bahia, em parceria com Governo do Estado, montou esquema especial de funcionamento do metrô para facilitar o deslocamento dos foliões até os circuitos mais importantes do Carnaval de Salvador.
Todas as estações da Linha 1 do metrô, de Lapa a Pirajá, estarão abertas na quinta-feira (4/2), das 5h30 à meia-noite. De sexta-feira (5/2) até terça-feira (9/2), das 5h à meia-noite e na quarta-feira de Cinzas (10/2), das 5h às 22h. O trecho Pirajá-Bom Juá continua operando sem cobrança de tarifa. Para seguir viagem no sentido Lapa, o folião terá de desembarcar em Bom Juá, pagar a tarifa de R$ 3,30 e embarcar novamente. Na volta, também terá de fazer transferência de trem em Bom Juá.
Os foliões que irão curtir o carnaval no circuito Campo Grande/Osmar, poderão desembarcar na Estação Lapa, que fica a 450 metros da Av. 7 de Setembro. Já, a Estação Campo da Pólvora facilitará o acesso dos foliões tanto ao circuito Batatinha (Pelourinho) quanto ao circuito do Campo Grande. Saindo da Estação Campo da Pólvora, o usuário do metrô andará cerca de 900 metros até o Pelourinho.
A concessionária preparou ainda uma programação especial para os foliões entrarem no clima da festa já no metrô. Nos dias 4 e 5/2, das 14h às 16h, a Banda Maravilha se apresenta na Estação Lapa, em parceira com o Shopping Piedade. Nos dias 6 e 9/2, das 14h às 15h, na Estação Lapa, é a vez dos músicos mirins do Projeto Social Som do Quilombo, em parceria com a Associação de Moradores de Jardim Santo Inácio, alegrar os foliões. No dia 7/2, das 14h às 15h, os músicos se apresentam na Estação Pirajá.
Quem passar pelo metrô ainda terá a chance de customizar seus abadás, sem custo, em postos na Estação Lapa e Estação Pirajá, que contarão com o trabalho de costureiras da comunidade de Jardim Santo Inácio.

Para garantir a segurança dos usuários do metrô durante o carnaval, a CCR Metrô Bahia contará com mais de 600 câmeras de monitoramento nos acessos às estações do metrô, via dos trens, terminais de ônibus integrados, além de 180 Agentes de Atendimento e Segurança. Nos terminais de ônibus também administrados pela CCR Metrô Bahia, Pirajá, Mussurunga, Iguatemi e Rodoviária, irão atuar 101 vigilantes. A concessionária estará presente também no Centro Integrado de Comando e Controle Regional da Polícia Militar para que, em caso de necessidade, seja montada estratégia imediata de apoio e segurança. Também haverá a utilização de portais de detector de metal em acessos e horários estratégicos do metrô.
É importante que o folião também faça a sua parte, evite aborrecimentos e acidentes lembrando que é proibido nas estações do metrô e nos trens:

- Fumar ou manter aceso cigarro, acender fósforos ou isqueiro;
- Consumir bebidas alcoólicas;
- Entrar ou permanecer sem camisa ou sem calçados;
- Portar arma de fogo ou materiais inflamáveis, explosivos ou corrosivos;
- Transgredir as instruções da concessionária transmitidas pelos colaboradores, pela comunicação visual existente ou pelo sistema de sonorização;
- Praticar qualquer ato de que resulte embaraço ao serviço ou que possa acarretar perigo ou acidente;
- Ultrapassar a Faixa Amarela de segurança da Plataforma, a não ser para entrar e sair do trem quando este já estiver parado e com as portas abertas;
- Acionar ou usar, indevidamente, qualquer equipamento integrante do sistema metroviário;
- Colocar os pés nas paredes das Estações, bancos e laterais dos carros;
- Quebrar, danificar, sujar, escrever ou desenhar nas instalações e equipamentos pertencentes à Concessionária;
- Tomar atitudes que induzam ao pânico ou causem tumulto;
- Fazer funcionar aparelhos sonoros que atrapalhem a perfeita audição dos serviços de sonorização próprios do sistema metroviário, exceto quando previamente autorizado pela concessionária.

Em caso de dúvidas, os foliões podem ligar para a Central de Atendimento da CCR Metrô Bahia 0800 071 8020, ou procurar os Agentes de Atendimento nas estações.

SERVIÇO
Estações do metrô: Lapa, Campo da Pólvora, Brotas, Bonocô, Acesso Norte, Retiro, Bom Juá e Pirajá:
Dia 4/2 – 5ª feira – das 5h30 à meia-noite
Dia 5/2 – 6ª feira – 5h à meia-noite
Dia 6/2 – Sábado - 5h à meia noite
Dia 7/2 – Domingo - 5h à meia noite
Dia 8/2 – 2ª feira - 5h à meia noite
Dia 9/2 – 3ª feira - 5h à meia noite
Dia 10/2 – 4ª feira de Cinzas – 5h às 22h

Tarifa: R$ 3,30
Com informações da CCR Metrô Bahia 29/01/2016

Por que fechar a Avenida Rio Branco para carros foi uma boa decisão?

Mobilidade 

A inversão dessa lógica,parte dos passeios e espaços compartilhados aos carros,é uma ruptura de paradigma que o Rio de Janeiro se propõe com o fechamento parcial da Avenida Rio Branco (uma das principais artérias do Centro do Rio) para a circulação de carros e ônibus. Poderão trafegar pelo espaço entre a Nilo Peçanha e a rua Santa Luzia (começo da Cinelândia), apenas pedestres, ciclistas e o novo VLT (veículo leve sobre trilhos).

Joanatha Moreira - VT
VT
A quem pertence os espaços públicos? O advento do automóvel relegou boa parte dos passeios e espaços compartilhados aos carros, em detrimento de pedestres, que passaram a ocupar estreitas faixas entre os prédios e o asfalto. A inversão dessa lógica é uma ruptura de paradigma que o Rio de Janeiro se propõe com o fechamento parcial da Avenida Rio Branco (uma das principais artérias do Centro do Rio) para a circulação de carros e ônibus. Poderão trafegar pelo espaço entre a Nilo Peçanha e a rua Santa Luzia (começo da Cinelândia), apenas pedestres, ciclistas e o novo VLT (veículo leve sobre trilhos).
Cidades brasileiras – como Curitiba – e estrangeiras – como Santiago (Chile) e Buenos Aires (Argentina) – já enxergaram que devolver aos pedestres espaços públicos, principalmente em regiões centrais, é o caminho mais viável para a ressignificação e revalorização de bairros antes degradados. Algumas cidades europeias já taxam os veículos que querem acessar o Centro da cidade – Londres, por exemplo, teve redução de 21% no número de veículos com a vigência do pedágio. Outras já querem eliminar totalmente o acesso de automotores em suas vias urbanas – como a capital da Finlândia, que planeja em 2025 não ter carros mais transitando pelas ruas de Helsinque.
Claro que a evolução do sistema de transporte público é essencial para devolver os espaços públicos a pedestres e ciclistas, pois as pessoas precisam ter a sensação que é vantajoso usar o metrô ou ônibus, em vez de “sustentar” um carro (um veículo representa um custo mensal, em média, de R$ 2mil – Infomoney).
A cidade do Rio de Janeiro está passando por um grande estresse pelo volume de obras, principalmente nas regiões onde receberão jogos das Olimpíadas. A Região Portuária e Central estão praticamente tomadas por obras. Vias quebradas, tapumes e trânsito caótico fazem parte da rotina dos cariocas. O fechamento da Rio Branco foi encarada por muitos como mais um problema para ser enfrentado em um ano em que a autoestima do brasileiro está tão embaixo, seja pela crise econômica e política, bem como os altos índices de desemprego. Porém, diante de tantas notícias ruins, é preciso vislumbrar uma luz no fim do túnel.
O VLT e a novo Avenida Rio Branco, bem como o Porto Maravilha, podem significar uma inflexão no futuro da cidade. De região degradada, as mudanças podem ser boas oportunidades para que esses espaços públicos se reinventem, privilegiando as pessoas, em detrimento de carros e transportes individuais. É a lógica de devolver o Rio, e sua parte mais histórica, ao carioca e aos milhões de turistas que passam pela cidade maravilhosa!
Fonte - ViaTrolebus  29/01/2016

Empresários elogiam medidas, mas há receio sobre impactos na inflação

Economia

O presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), José Carlos Rodrigues Martins, elogiou a postura de Dilma. "Ela foi humilde, disse que 'precisa' da nossa ajuda e que não há tema interditado ao diálogo", observou.Para o presidente do Bradesco,o estímulo ao crédito"não cria [inflação] porque simplesmente estamos ajudando a parar de piorar".

Valor Econômico
foto - ilustração
Empresários que participaram ontem da reunião de retomada do Conselho Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), no Palácio do Planalto, elogiaram as medidas de estímulo ao crédito anunciadas pelo governo, mas há divergências quanto ao seu impacto inflacionário. A mudança de atitude da presidente Dilma Rousseff, que pediu expressamente a ajuda dos conselheiros para superar a crise, impressionou.
O presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), José Carlos Rodrigues Martins, elogiou a postura de Dilma. "Ela foi humilde, disse que 'precisa' da nossa ajuda e que não há tema interditado ao diálogo", observou.
O presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco, afirmou que as medidas de estímulo ao crédito poderão reduzir as taxas de juros e negou que pressionem a inflação. Para Trabuco, são políticas voltadas à retomada do crescimento. "Precisamos virar esse jogo", exortou.
O executivo negou que as bandas fiscais propostas pelo ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, sejam um afrouxamento da política em vigor. "Eu acho que é uma alternativa, o Barbosa estabeleceu a importância da governança fiscal. A banda seria dar uma elasticidade na transição", afirmou.
Para Trabuco, crédito é sempre algo que tem que ser colocado na oferta máxima. "A oferta de crédito está num nível adequado, e quando se oferta mais crédito, pode ter até disputa pelo preço e taxa de juros". O estímulo ao crédito, para o presidente do Bradesco, "não cria [inflação] porque simplesmente estamos ajudando a parar de piorar".
Em outra ponta, Eraí Maggi, do grupo Bom Futuro, receia que as medidas anunciadas gerem mais inflação. "Mas não vai ter outro jeito. Vão ter que fazer mesmo tendo risco [inflacionário] sim", afirmou. Para Maggi, o Brasil tem que ficar mais competitivo ao melhorar a infraestrutura. "Falta pouco", afirmou.
Maggi lembrou que o governo está trabalhando para que sejam licitadas novas rodovias, que - com o dinheiro da iniciativa privada - facilitariam as exportações. Uma das principais demandas do agronegócio é a ligação do Mato Grosso à ferrovia Norte-Sul, o que viabilizaria exportações pelos portos do Norte do país, "desafogando" os portos sulistas. "É uma 'perninha' que tem que fazer para essa ligação, são apenas 200 km para aproveitar a ferrovia", destacou.
Quanto ao apelo de Dilma para que apoiem a recriação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), Martins, da CBIC, ponderou que não adianta elevar impostos se o governo não cortar o gasto público. Ele também considerou positiva a medida anunciada por Barbosa, que amplia em R$ 10 bilhões a oferta de crédito habitacional por meio da aplicação de recursos do FGTS em Certificado de Recebível Imobiliário (CRI). Mas, para ele, o melhor modelo seria ampliar o limite para utilização do FGTS para R$ 300 mil ou R$ 400 mil. Ele deu como exemplo o teto aplicado no Distrito Federal, que é de R$ 235 mil.
O presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Luiz Moan, comemorou o anúncio da linha de refinanciamento das prestações do PSI e da Finame, voltada para bens de capital, de R$ 15 bilhões.
"Essa linha visa a não punir as pessoas que investiram e acreditaram no Brasil e foram pegas de surpresa com a recessão, esse é um exemplo de medida positiva", elogiou. Moan disse que compareceu à reunião disposto ao diálogo, "e isso aconteceu".
No mercado de capitais, houve também uma boa recepção. Um executivo de um banco de investimentos disse que a medida que pretende simplificar e ampliar a emissão de debêntures de infraestrutura é relevante e que o investidor também sai ganhando, com bom rendimento em uma aplicação de renda fixa em um ambiente econômico bastante volátil.
Fonte - Revista Ferroviária  29/01/2016

Atendimento ao turista no aeroporto Internacional de Salvador,funcionará 24 horas por dia durante Carnaval

Turismo,

O posto do SAT do aeroporto ficará aberto 24 horas por dia, iniciando os trabalhos às 8h do dia 4 de fevereiro até a meia-noite do dia 9. O da rodoviária vai funcionar das 6h até meia-noite, diariamente, e o do Pelourinho, das 9h até meia-noite.

Da Redação
foto - ilustração
Do dia 4 até 9 de fevereiro, os turistas que chegarem a Salvador terão um apoio a mais para tirar suas dúvidas. No período, o Serviço de Atendimento ao Turista (SAT) funcionará em horários especiais e terá o reforço de guias e monitores espalhados pelos circuitos do Carnaval. O posto do SAT do aeroporto ficará aberto 24 horas por dia, iniciando os trabalhos às 8h do dia 4 de fevereiro até a meia-noite do dia 9. O da rodoviária vai funcionar das 6h até meia-noite, diariamente, e o do Pelourinho, das 9h até meia-noite.
“O nosso principal objetivo é recepcionar os turistas que estarão chegando à cidade de Salvador com informações precisas e atualizadas”, afirmou o superintendente da Bahiatursa, Diogo Medrado.
Mais uma vez, a maior festa popular do planeta terá o reforço do Projeto Guias e Monitores. Os guias/monitores e supervisores estarão aptos a prestar informações precisas aos turistas. Preservativos e pulseiras de identificação de menores serão distribuídos nos SATs, durante a folia, com a colaboração da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) e do Juizado de menores.
Os profissionais, que falam vários idiomas, distribuirão materiais informativos sobre o Carnaval e as atrações turísticas da Bahia. “Iremos recepcionar os visitantes e desencadear uma série de ações receptivas nos postos do Serviço de Atendimento ao Turista”, completou Medrado. A programação completa dos circuitos da festa pode ser conferida no site Carnaval da Bahia.Com informações da Secom Ba. 29/01/2016

Índice de Confiança de Serviços cresce em janeiro pela segunda vez seguida

Economia

A alta de 2,8 pontos foi provocada principalmente por uma confiança maior dos empresários no momento presente, medido pelo Índice da Situação Atual, que cresceu 4,3 pontos. O otimismo dos empresários em relação aos próximos meses, medido pelo Índice de Expectativas, cresceu 1,2 ponto.

Vitor Abdala
Repórter da Agência Brasil
foto - ilustração
O Índice de Confiança de Serviços (ICS), medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), avançou 2,8 pontos na passagem de dezembro para janeiro, atingindo 70,4 pontos. Essa é a segunda alta consecutiva do indicador. De acordo com a FGV, a confiança do empresário do setor de serviços cresceu em 11 dos 13 segmentos pesquisados.
A alta de 2,8 pontos foi provocada principalmente por uma confiança maior dos empresários no momento presente, medido pelo Índice da Situação Atual, que cresceu 4,3 pontos. O otimismo dos empresários em relação aos próximos meses, medido pelo Índice de Expectativas, cresceu 1,2 ponto.
De acordo com a FGV, os indicadores mostram uma redução do pessimismo das empresas de serviços nesse início do ano. Apesar da melhora da confiança, ainda há o predomínio de uma percepção negativa sobre o andamento dos negócios, segundo a FGV.Fonte - Agência Brasil  29/01/2016

Governo de Minas Gerais viabiliza implementação de trem turístico em Poços de Caldas

Turismo Ferroviário

O contrato, por meio da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), prevê investimentos de R$ 10 milhões para o fortalecimento do potencial turístico da cidade e atende a uma das demandas da população recebidas durante a realização do Fórum Regional de Governo no município.

Agência Minas Gerais - RF
foto - ilustração
O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, entregou, nessa quarta-feira (27/1), no Palácio da Liberdade, em Belo Horizonte, ao prefeito de Poços de Caldas, Eloísio do Carmo Lourenço, convênio para a implantação do Trem Turístico Cultural naquele município do Sul de Minas.
O contrato, por meio da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), prevê investimentos de R$ 10 milhões para o fortalecimento do potencial turístico da cidade e atende a uma das demandas da população recebidas durante a realização do Fórum Regional de Governo no município.
“Essa é mais uma demanda que recebemos durante os fóruns regionais que estamos conseguindo atender. Esse projeto irá fortalecer ainda mais o potencial turístico do município e da região, além de gerar empregos e renda”, destaca o secretário de Estado de Governo, Odair Cunha.
A maria-fumaça irá trafegar pela ferrovia que tem importância histórica para o município. Em 1886, o então imperador Dom Pedro II esteve no local para inaugurar a Estação Central no município de Poços de Caldas. O percurso total do trem turístico será de 9,6 quilômetros no trecho que está desativado.
“A nossa proposta é a reativação desse trecho que vai da Estação Mogiana, no centro da cidade, à Estação Bauxita. A implantação da maria-fumaça vai acrescentar ao nosso turismo. Já temos um setor hoteleiro forte. Vamos instalar em Poços de Caldas uma nova opção turística para as pessoas”, afirma o prefeito do município, Eloísio do Carmo Lourenço. O prefeito ainda destacou a importância histórica do local. “É a recuperação de um patrimônio histórico que é muito importante para o município”
O Governo Estadual irá investir, por meio da Codemig, R$ 10 milhões nas obras, que serão acompanhadas pela Secretaria de Estado de Transporte e Obras Públicas (Setop). O município, por sua vez, dará contrapartida de R$ 2 milhões no projeto.
Fonte - Revista Ferroviária  29/01/2016

Estádio de Pituaçu em Salvador está entre os melhores do Brasil,aponta pesquisa

Esporte

Em janeiro de 2009, o Estádio de Pituaçu foi entregue à população baiana completamente requalificado. O investimento na obra, coordenada pela Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder), foi de R$ 55 milhões. Além de toda a modernização, o equipamento teve a capacidade de público duplicada de 16 mil para 32 mil espectadores. 

Da Redação
foto - ilustração
Com o objetivo de propor melhoria dos estádios brasileiros nos quesitos de conforto, segurança, acessibilidade e condições sanitárias e de higiene, o Ministério do Esporte apresentou na manhã desta quinta-feira (28), em São Paulo, o resultado de pesquisa inédita, realizada pelo Sistema Brasileiro de Classificação de Estádios (Sisbrace). O Estádio Roberto Santos, conhecido como Estádio de Pituaçu, em Salvador, foi classificado com quatro bolas, sendo atribuído pela pesquisa número máximo de até cinco bolas.
O critério adotado pelo Sisbrace corresponde às "estrelas" usadas nos hotéis. Cada estádio vistoriado pode receber de uma bola – atribuída aos estádios mais desconfortáveis – a cinco bolas – para aqueles que apresentam melhores condições nos quesitos analisados. Nesta primeira edição, o Sisbrace vistoriou 155 estádios.
A Arena Fonte Nova, também em Salvador, e outros estádios que participaram da Copa do Mundo de 2014 receberam cinco bolas, como Maracanã, Arena Corinthians, Mineirão, Mané Garrincha, Castelão, Beira-Rio, Arena Pernambuco, Arena da Baixada, Arena das Dunas e Arena da Amazônia.
“É uma alegria enorme para nós, do Governo do Estado, especialmente da Sudesb, ver o reconhecimento da qualidade e eficiência de Pituaçu. Desde a sua completa reforma, em 2009, o equipamento recebe da Sudesb todos os cuidados para preservar e valorizar o investimento público que ali foi feito. O êxito deste trabalho está aí demonstrado em mais esse resultado, lembrando que o gramado de Pituaçu já tinha sido eleito, no passado, pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), jogadores e imprensa esportiva como o melhor do país”, destaca o diretor da Sudesb, Elias Dourado.
Há dois anos, o equipamento esportivo abriu as portas para o esporte de base e amador, sediando partidas da Copa do Brasil, Campeonato Brasileiro, Copa 2 de Julho, Copa Metropolitana, Copa Salvador Cup, entre outras. Com a classificação atribuída, o Estádio de Pituaçu foi igualado, em termos de conforto, ao estádio de Manaus, que sediou jogos da Copa do Mundo, em 2014, e ao Morumbi, do Esporte Clube São Paulo.
Outros estádios baianos também foram avaliados. A pesquisa concedeu três bolas ao Lomanto Júnior (Vitória da Conquista), duas bolas ao Manoel Barradas/Barradão (Salvador) e uma bola ao Alberto Oliveira (Feira de Santana) e ao Luiz Viana Filho (Itabuna). Em todo o país, 51 estádios receberam três bolas, 59 ganharam duas bolas e 29 alcançaram uma bola.

Requalificação
foto - ilustração
Em janeiro de 2009, o Estádio de Pituaçu foi entregue à população baiana completamente requalificado. O investimento na obra, coordenada pela Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder), foi de R$ 55 milhões. Além de toda a modernização, o equipamento teve a capacidade de público duplicada de 16 mil para 32 mil espectadores.
Na Copa do Mundo de 2014, Pituaçu foi um dos estádios utilizados como centro oficial de treinamento por seleções que jogaram em Salvador. Em 2016, o estádio já está oficializado como um dos campos de treinamento para algumas das 10 seleções masculina e feminina de futebol que disputarão, em Salvador, os jogos das Olimpíadas Rio 2016.
Com informações da Secom Ba.  28/01/2016

VLT de Santos,passagem custará R$ 3,80 informa EMTU

Transportes sobre trilhos

A passagem poderá ser adquirida em 13 pontos de venda em Santos e São Vicente e, também, nas áreas de embarque das nove estações que já estarão em funcionamento – no total, são 15.

A Tribuna
foto - ilustração
A Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) divulgou nesta quinta-feira (28) o valor da passagem do VLT, cobrada a partir de domingo, quando será iniciada a operação comercial: R$ 3,80, para o trajeto entre São Vicente e Santos. O preço foi definido pela Secretaria Estadual dos Transportes e publicado hoje no Diário Oficial do Estado.
A passagem poderá ser adquirida em 13 pontos de venda em Santos e São Vicente e, também, nas áreas de embarque das nove estações que já estarão em funcionamento – no total, são 15.

Ampliações
Quatro veículos vêm circulando em fase de testes no trecho de 6,5 quilômetros entre as estações Mascarenhas de Moraes, em São Vicente, e Pinheiro Machado, em Santos, entre 9 e 16 horas. O tempo médio do percurso em cada sentido é de 20 minutos.
A partir de 31 de março, o horário de circulação será estendido: das 7 às 19 horas; a partir de setembro, quando todas as estações do trecho Barreiros – Porto estiverem prontas, a operação será das 6 às 23 horas.
Fonte - Revista Ferroviária  28/01/2016

Alfenas (MG) aprova Lei proibindo anúncio e obstáculos nas ruas

Acessibilidade

A lei complementar nº 24, de 23/12/2015, sancionada pelo prefeito Maurilio Peloso, altera o "Código de Posturas" do município, e cria critérios para o combate à poluição visual e a obstáculos colocados nas vias públicas e calçadas. O intuito é preservar o trânsito de veículos e pedestres, segundo o próprio texto da Lei.

O Melhor do Sul de Minas
imagem - O Melhor do Sul de Minas
A cidade de Alfenas, no Sul de Minas, aprovou uma lei que busca responder ao direito da população, em especial pedestres e deficientes, de caminhar livremente pelas calçadas, com maior acessibilidade e sem interferências físicas ou visuais.
A lei complementar nº 24, de 23/12/2015, sancionada pelo prefeito Maurilio Peloso, altera o "Código de Posturas" do município, e cria critérios para o combate à poluição visual e a obstáculos colocados nas vias públicas e calçadas. O intuito é preservar o trânsito de veículos e pedestres, segundo o próprio texto da Lei.

Sem propaganda
Com a nova legislação, ficam proibidos os usos de anúncios, cavaletes, placas, faixas, bandeiras, cartazes ou similares, quando provocarem aglomerações, poluição visual ou restrição de passagem, tais como propagandas publicitárias de qualquer espécie, do tipo faixas ou bandeiras em semáforos, cavaletes e bandeiras em calçadas e outras análogas. Uma das justificativas da medida é também que estes objetos são causadores de desatenção de motoristas e pedestres.
Nenhum tipo de propaganda, inclusive móvel, poderá ser feito em praças e vias públicas. Quem descumprir, e dispuser cavaletes ou placas em calçadas, praças e canteiros e faixas em semáforos está sujeito a receber multa de 10 UFPA (a Unidade Fiscal Padrão Alfenas equivale a aproximadamente R$ 140) e apreensão do material. Já bandeiras e faixas serão multadas em 5 UFPA e, havendo reincidência, com valor da multa dobrado.
Fonte - Mobilize  28/01/2016

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

MPF quer mais segurança nos locais de travessia da Estrada de Ferro Carajás

Ferrovias

Os 23 municípios maranhenses pelos quais passa a ferrovia, especialmente os povoados, vêm sendo prejudicados pela precariedade das vias de acesso e transposição dos trilhos, que registra alto índice de mortes por atropelamento. 

O Imparcial

O Ministério Público Federal no Maranhão (MPF/MA) propôs ação civil pública, com pedido de liminar, contra a empresa Vale S.A. e Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) por problemas decorrentes da operação da Estrada de Ferro Carajás, que não oferece condições mínimas de segurança nos pontos de travessia de pedestres.
A ação teve origem a partir de seguidas representações apresentadas por grupos da sociedade civil organizada (Missionários Comboianos do Brasil e Justiça nos Trilhos) que tratavam sobre a segurança na travessia da ferrovia.
Os 23 municípios maranhenses pelos quais passa a ferrovia, especialmente os povoados, vêm sendo prejudicados pela precariedade das vias de acesso e transposição dos trilhos, que registra alto índice de mortes por atropelamento. Além disso, o hábito adotado pela Vale de estacionar os trens por longos períodos em pontos de travessia tem impedido o trânsito de pessoas e veículos, inviabilizando suas atividades cotidianas.
Segundo o MPF/MA, a Vale e ANNT têm sido omissas quanto ao problema apontado. Em relatório social elaborado por Assistente Social da Procuradoria da República no Maranhão (PR/MA) foi constatada a necessidade de serem adotados pela Vale mecanismos de proteção para prevenir acidentes. Ainda de acordo com o relatório, "o fato da ANTT concluir pela segurança nas vias, apesar de registros de acidentes com morte e reiteradas reclamações e notícias de fatos graves (...) pode se configurar como omissão por parte da Agência Reguladora em questão".
Na ação, o MPF/MA pede que a empresa Vale seja proibida de estacionar trens ou vagões nas proximidades de povoados e núcleos urbanos ao longo da Estrada de Ferro Carajás e que a ANTT realize vistorias técnicas nos locais atravessados pela referida via férrea, além de exigir e fiscalizar a execução de medidas que visem amenizar os impactos às comunidades afetadas.
Fonte - O Imparcial  28/01/2016

Grupo investiga a presença de espécies invasoras no litoral de Alagoas

Meio ambiente

A ação faz parte dos estudos que estão sendo realizados por um grupo de trabalho para identificar se há a presença de espécies invasoras na costa alagoana.Os mergulhos serão realizados por dois biólogos do IMA e um técnico da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh).

Ascom/IMA
IMA investiga espécies
A equipe de Gerenciamento Costeiro (Gerco) do Instituto do Meio Ambiente (IMA) realiza, na sexta-feira (29), mergulhos nos bancos recifais da área de espera dos navios que aguardam para atracar no Porto de Maceió. A ação faz parte dos estudos que estão sendo realizados por um grupo de trabalho para identificar se há a presença de espécies invasoras na costa alagoana.
Os mergulhos serão realizados por dois biólogos do IMA e um técnico da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh). A área dista cerca de três quilômetros da praia da Avenida e possui entre 14 e 18 metros de profundidade. Além de observar as condições do local, a equipe deverá fazer registros fotográficos para anexar aos levantamentos.
“Vamos avaliar os recifes nessa área próxima ao Porto de Maceió para verificar se há a presença de espécies invasoras que podem ser trazidas por navios que aportam em outros locais onde há registro desse tipo de incidente”, comentou Ricardo César, coordenador do Gerco.
Segundo Juliano Fritscher, biólogo consultor do IMA, a maior preocupação é com o chamado Coral Sol, que uma vez inserido na costa alagoana poderia colocar em risco as outras espécies existentes no estado, causar sérios danos à biodiversidade marinha e ainda provocar impactos graves, como a destruição de bancos recifais e conseqüente aceleração do avanço do mar.
O trabalho está previsto para ser iniciado às 09h, com mergulhos em dois diferentes pontos. Cada um deles deve durar cerca de 40 minutos, com intervalos de tempo que variam conforme a profundidade encontrada.
Além do IMA e da Semarh, estarão presentes técnicos do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Não estarão presentes nessa sexta-feira (29), mas o grupo de trabalho também é formado pela Capitânia dos Portos, Administração do Porto de Maceió e pela Universidade Federal de Alagoas.
Fonte - Alagoas 24 Horas  28/01/2016

Satisfação em aeroportos alcança 85% dos passageiros, diz secretaria

Transporte aéreo

Ministro da Secretaria de Aviação Civil, Guilherme Ramalho apresenta o resultado da Pesquisa Permanente de Satisfação do Passageiro referente ao quarto trimestre de 2015

Yara Aquino
Repórter da Agência Brasil

José Cruz/Agência Brasil
Pesquisa de satisfação dos passageiros divulgada hoje (28) pela Secretaria de Aviação Civil indica que, no último trimestre de 2015, 85% dos entrevistados consideraram “bom” ou “muito bom” os 15 aeroportos avaliados. Juntos, os terminais movimentam 80% dos passageiros do país.
O aeroporto de Curitiba foi o melhor avaliado pelos passageiros no período. O de Cuiabá teve o pior índice de satisfação. A pesquisa é divulgada pela secretaria a cada três meses. Foram entrevistadas 13,2 mil pessoas entre os meses de outubro e dezembro.
“Passada a Copa do Mundo, com as obras entregues, estamos numa trajetória de evolução muito boa de satisfação do passageiro. Entendemos que ela está ligada sim ao aumento da oferta de infraestrutura, ao aumento da quantidade de serviços e de comodidade oferecidas nos aeroportos”, afirmou o ministro da Aviação, Guilherme Ramalho.
As notas atribuídas na pesquisa variam entre 1 e 5. O aeroporto da Curitiba teve nota 4,52 e o de Cuiabá, 3,36. Após Curitiba, os terminais com melhores notas são os de Campinas e Guarulhos, em São Paulo, e Recife.
Além de Cuiabá, os terminais do Galeão, no Rio de Janeiro, e o de Salvador ficaram com notas abaixo de quatro, que é o patamar considerado satisfatório pela secretaria. O ministro Guilherme Ramalho disse que, em alguns casos, as piores avaliações coincidem com períodos de obras nos terminais.

Wi-fi
A pesquisa avaliou 48 indicadores de infraestrutura dos aeroportos, entre eles gestão e serviços, disponibilidade de tomadas, wi-fi, assentos na área de embarque e informações nas esteiras de bagagem. A exemplo do que tem ocorrido nas últimas pesquisas, os serviços de tecnologia estão abaixo das expectativas dos passageiros.
A qualidade do wi-fi disponível foi avaliada como “ruim” ou “muito ruim” nos 15 aeroportos pesquisados. A disponibilidade de tomadas teve nota superior a 4 apenas nos terminais de Fortaleza e Viracopos, em Campinas (SP). O indicador com maior média (4,64) entre os 15 aeroportos foi referente ao tempo de fila no check-in.
A Pesquisa Permanente de Satisfação do Passageiro completou três anos e o balanço do período mostra que tem ocorrido constante evolução na avaliação dos aeroportos. No início, apenas cinco aeroportos (Fortaleza, Curitiba, Recife, Porto Alegre e Congonhas) alcançavam nota cima de 4. Nesta última pesquisa, 12 dos 15 terminais tiveram notas acima de 4.
Fonte - Agência Brasil  28/01/2016

Rio Itapicuru sobe e deixa cidade do Conde ( Ba) ilhada

Utilidade pública

A cheia do Rio Itapicuru no município do Conde (Ba) deixa população ilhada e já é grande o numero de pessoas desabrigadas que tiveram de abandonar as suas casas em virtude do grande volume de água do rio dentro da cidade.A prefeitura solicita ajuda humanitária através da doação de donativos em geral e água mineral para a população atingida.

Com informações de A Tarde
foto - ilustração/cidadão repórter A Tarde-wahtsapp
Após o aumento do nível do rio Itapicuru nesta quinta feira(28) por conta das fortes chuvas que atingem a Bahia nos últimos dias a população do município do Conde,no litoral norte do estado,ficou ilhada.
A maioria das ruas da cidade estão alagadas,impossibilitando a entrada ou saída do município.A opção de entrada por Barra do Itariri também já esta comprometida impossibilitando os deslocamentos em virtude dos alagamentos na localidade.
Já é grande o numero de pessoas desabrigadas em virtude da elevação do nível do rio na cidade,segundo a prefeita do município,os deslocamentos para alguns locais só é possível ser feito através de barcos,e escolas municipais e estaduais já estão sendo usadas como abrigos por moradores que tiveram suas casas atingidas pela enchente.O alerta antecipado de um provável risco de enchente do rio Itapicuru fez com que muitos moradores abandonassem suas casas retirando os seus pertences.Ainda a previsão de aumento do nível das águas do rio.
Em virtude da gravidade da situação a Prefeita da cidade solicita ajuda com doações,de donativos gerais,principalmente de água mineral.
Para obter maiores informações sobre as doações,de acordo com pesquisa feita no site da prefeitura do Conde em - http://conde.pb.gov.br/telefones-uteis/ - os interessados  poderão entrar em contato através dos Tels - PM Linha Direta Conde – (83) 9300-4491 - Defesa Civil Conde – (83) 9104-1779 e ASCOM contato@conde.pb.gov.br
Com informações de A Tarde  28/01/2016

Brasil resgata mais de mil pessoas de trabalho escravo em 2015

Direitos Humanos

Balanço do Ministério do Trabalho, divulgado no Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo, mostra que em 55 operações feitas na área rural em 2015, foram identificadas 403 pessoas em condições análogas à escravidão.

Andreia Verdélio
Repórter da Agência Brasil

Marcello Casal Jr/Agência Brasil
O Ministério do Trabalho e Previdência Social resgatou 1.010 trabalhadores em 2015 que estavam em condições análogas à escravidão. As 140 operações feitas pelo Grupo Especial de Fiscalização Móvel e por auditores fiscais do trabalho identificaram trabalhadores nessa situação em 90 dos 257 estabelecimentos fiscalizados, segundo balanço do ministério divulgado para marcar o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo, lembrado hoje (28).
Segundo a pasta, mantendo a tendência de 2014, a maioria das vítimas de trabalho escravo no Brasil foi localizada em áreas urbanas, que concentraram 61% dos casos (607 trabalhadores em 85 ações). Nas 55 operações feitas na área rural, 403 pessoas foram identificadas.
Segundo o presidente do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho (Sinait), Carlos Silva, os resgates na área urbana aconteceram principalmente em empresas dos setores da contrução civil e têxtil. “E, mais recentemente, também identificamos problemas na área marítima, com a ocorrência dessas condições indignas para o ser humano em navios cruzeiros, onde temos também trabalhadores estrangeiros”, acrescentou.
Para Silva, o enfrentamento ao trabalho escravo ganha outros desafios, com grande influência política e econômica dos empresários. “A chegada da luta na área urbana gerou uma resposta tão forte do capitalismo, a ponto de ameaçar dois grandes instrumentos que temos”. Ele informou que está em tramitação no Congresso Nacional o Projeto de lei do Senado nº 432, de 2013, que “diminui o conceito do trabalho escravo, retirando dele todo trabalho degradante e jornada exaustiva. Isso é um grave e perigosos retrocesso”.
A lista suja com os nomes das empresas exploradoras de trabalho escravo foi outro instrumento perdido nesse combate, segundo Silva. “O presidente do STF [Supremo Tribunal Federal], à época o ministro [Ricardo] Lewandowski, alegava a inexistência de previsão legal e constitucional para divulgação dessa lista suja, que já foi reconhecida internacionalmente pelas Nações Unidas como uma das medidas de exemplo para o mundo na luta pela erradicação do trabalho escravo”, disse.
O maior avanço nos últimos anos, de acordo com Carlos Silva, foi a promulgação da Emenda Constitucional 81, de 2014, que prevê a expropriação de imóveis nos quais for comprovada a exploração de trabalho escravo.
O dia 28 de janeiro foi instituído o Dia do Auditor Fiscal do Trabalho e Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo em homenagem aos auditores Eratóstenes de Almeida Gonsalves, João Batista Soares Lage e Nelson José da Silva e ao motorista Ailton Pereira de Oliveira. Eles foram mortos em 2004, quando investigavam denúncias de trabalho escravo em fazendas na cidade mineira de Unaí, episódio conhecido como Chacina de Unaí.
Para o presidente do Sinait, o Brasil precisa transformar o crime de submeter alguém ao trabalho escravo em oneroso, “tão onerosos a ponto de não ser vantagem arriscar praticá-lo em nome de maior lucro”, disse. “As nossas multas de valor baixo e o número insuficiente de auditores fiscais do trabalho fazem com que muitos empregadores apostem na impunidade e na falta de estrutura do Estado de combater as explorações. As multas têm valores muito variáveis, não são valores altos, são valores tão tímidos que muitas empresas incluem nos seus planos o que vão gastar com multas trabalhistas”, afirmou Silva.
Segundo os dados do Ministério do Trabalho e Previdência Social, o setor de extração de minérios concentrou 31,05% dos trabalhadores resgatados no ano passado, com 313 vítimas trabalhando na extração e no britamento de pedras, extração de minério de ferro e extração de minérios de metais preciosos. O ramo da construção civil representa 18,55% do total (187 trabalhadores localizados). A agricultura e a pecuária, atividades com histórico de resgate, aparecem em seguida, com 15,18% e 14,29% do número de trabalhadores identificados em condição análoga à de escravo.

Formalização do trabalho
Além do resgate dos trabalhadores em condições análogas à escravidão, que representaram 13,26% do universo alcançado, as operações coordenadas pelo Ministério do Trabalho e Previdência Social beneficiaram um total de 7.616 trabalhadores. Os auditores fiscais do trabalho, além de afastá-los das graves situações de violação de direitos humanos, os encaminham à formalização dos contratos, à adequação das condições de segurança no trabalho, ao depósito do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, ao acesso ao Seguro-desemprego a que tem direito a vítima resgatada e ao pagamento das verbas trabalhistas devidas pelos empregadores.
Fonte - Agência Brasil  28/01/2016

Trabalho escravo nas rodovias

Trabalho escravo

Os caminhoneiros estão sendo submetidos a fatores de risco que levarão às doenças.jornada exaustiva (em que o trabalhador é submetido a esforço excessivo ou sobrecarga de trabalho que acarreta danos à sua saúde ou risco de vida), trabalho forçado (manter a pessoa no serviço através de fraudes, isolamento geográfico, ameaças e violências físicas e psicológicas) e servidão por dívida (fazer o trabalhador contrair ilegalmente um débito e prendê-lo a ele).

Por Mariana Czerwonka.
* Dr. Dirceu Rodrigues Alves Júnior


De acordo com o artigo 149 do Código Penal brasileiro, são elementos que caracterizam o trabalho análogo ao de escravo: condições degradantes de trabalho (incompatíveis com a dignidade humana, caracterizadas pela violação de direitos fundamentais coloquem em risco a saúde e a vida do trabalhador), jornada exaustiva (em que o trabalhador é submetido a esforço excessivo ou sobrecarga de trabalho que acarreta danos à sua saúde ou risco de vida), trabalho forçado (manter a pessoa no serviço através de fraudes, isolamento geográfico, ameaças e violências físicas e psicológicas) e servidão por dívida (fazer o trabalhador contrair ilegalmente um débito e prendê-lo a ele). Os elementos podem vir juntos ou isoladamente.
Ministério do Trabalho, Polícia Federal e outros órgãos recebem denúncias de trabalho escravo, invadem fazendas, prendem fazendeiros. Nas rodovias outro trabalho escravo é aprovado por legisladores e sancionado pelo executivo.
Quem consegue ficar 5h30 consecutivas sentado à mesa de trabalho, ter apenas 11h para lazer e sono na boleia ou pendurado na rede? A lei dos caminhoneiros, como é conhecida, impõe isso.
Quando você levantará? Isso é racional? É compatível com a necessidade do trabalhador? Mas ele não fica só sentado, movimenta pernas, braços, coluna vertebral é submetido a múltiplos fatores de risco. É compatível com a ergonomia, fisiologia, qualidade de vida no trabalho? Pré dispõe a doença?
Como racionalizar uma lei sem a aceitação de justificativa médica sabendo que a atividade envolve múltiplos fatores de risco. Como isso é imposto a um trabalho extremamente penoso, onde o sacrifício invade área física, psicológica e social. A resistência física de cada indivíduo não é a mesma. Uns suportam mais, outros menos.
É um verdadeiro castigo imposto pela lei o que vem mostrar que realmente o profissional do volante está sobre regime de escravidão. E trabalho escravo é crime no Brasil.
Leis absurdas se contrapõem, legisladores defendem poucos e sacrificam muitos. A luta contra esse absurdo precisa deixar de predominar. Precisamos entender que esse profissional é que transporta as riquezas desse país e a ele devemos o nosso crescimento.
Tudo que temos foi conduzido pelo caminhoneiro a quem a lei castiga. Tiram-lhe o direito a uma vida livre, com melhor qualidade de vida no trabalho e na vida social. Compromete ainda a saúde do pobre coitado.
É necessário que a Comissão de Trânsito e Transporte da Câmara Legislativa tenha assessoria de especialistas e que não queiram interpretar e conduzir com raciocínio próprio ou interesses, aquilo que representa a sobrevivência do homem, de onde ele tira o pão de cada dia. Não podemos nos calar, temos que combater a escravidão onde fretes, pedágios, estacionamentos, assaltos, roubo de carga, sequestro, morte, comer a beira da carreta, dormir na boleia, higiene corporal precária, transitar por onde há doenças endêmicas, porque tudo compromete a saúde física, mental e social.
É um trabalho diferenciado, especial que não merece o que é proposto e ainda contém no seu bojo condutas a serem tomadas que comprometem mais ainda como o exame toxicológico, dormir na boleia e estacionar em local inseguro.
Apesar do caminhoneiro brasileiro estar mais consciente em relação aos cuidados com a sua saúde, o homem é avesso à restrição aos seus hábitos, controle médico, dietas, exames preventivos e tudo que se possa planejar em termos de prevenção no sentido de mantê-lo saudável e em consequência com boa qualidade de vida. Mas com todas as dificuldades para mudanças de comportamento temos a obrigação de conscientizá-lo da real necessidade, principalmente quando o vemos submetido a fatores de risco que não temos dúvida que o levarão às doenças. E observem doenças crônicas, evolutivas e incapacitantes. A coisa é grave, precisamos de cuidados, deixar de olhar para isso é permitir o surgimento de problemas. Dentro de uma cabine, onde trabalha se alimenta e dorme, sem as condições de higiene necessárias em relação ao sono, a confecção do seu alimento, na eliminação dos despojos, na higiene corporal, sem o lazer, isolado e confinado em ambiente tão restrito e hostil para tal, e mais submetido às doenças endêmicas e tropicais por onde circula.
As doenças primárias ou pré-existentes como hipertensão arterial, diabetes, distúrbios de colesterol, triglicérides, doenças respiratórias e cardiocirculatórias e muitas outras estão presentes no universo dos nossos motoristas. O acesso ao controle ambulatorial torna-se difícil em função de estar sempre em trânsito e não ter com isso disponibilidade para um agendamento, um controle ambulatorial.
As atitudes incorretas que comprometem a saúde como uso de álcool, tabaco, alimentação inadequada, privação do sono, rebite, excesso de horas trabalhadas e outros, são fatores importantes que comprometem e levam ao desequilíbrio orgânico e, consequentemente, às doenças.
Não bastasse tudo isso, outros componentes ocupacionais participam do dia a dia desse trabalhador concorrendo para as doenças ocupacionais como as perdas auditivas, zumbido nos ouvidos, dores musculares difusas e localizadas, degeneração da coluna vertebral, varizes de membros inferiores, tendinites, artrites, doenças respiratórias e outras.
Esses problemas surgem pela falta de liberdade diante das opressões, bem como essas características de condições sub-humanas de vida e de trabalho, ainda de absoluto desrespeito à dignidade de uma pessoa, pela imposição de chefias, gerências, tanto do remetente como do destinatário. É pressão de todos os lados, é o martírio do nosso motorista rodoviário, caminhoneiro. É a saúde física, mental e social comprometida. Lembramos que saúde é definida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como o bem-estar físico, mental e social o que não vemos nessa atividade. Os nossos caminhoneiros não gozam de plena saúde e não sabemos como resistem a tanto sacrifício. Múltiplos fatores de risco, tudo formando uma malha fina envolvendo o homem, tirando-lhe o direito de escape. Necessitamos de critérios ou protocolos para ultrapassarmos essa malha fina, buscando permanentemente a melhor qualidade de vida no trabalho. A saúde é o elemento essencial na direção veicular.
* Dr. Dirceu Rodrigues Alves Júnior é Diretor da ABRAMET -Associação Brasileira de Medicina de Tráfego  -www.abramet.org.br-
Fonte - Portal do Trânsito 28/01/2016

Ações da Petrobras disparam e bolsa tem a maior alta em mais de um mês

Economia

Essa foi a maior alta diária desde 9 de dezembro, quando o índice tinha subido 3,75%. Ontem (26), o índice tinha fechado no menor nível em sete anos.O destaque do dia foram as ações da Petrobras, as mais negociadas na bolsa. Depois de sofrer um forte tombo na terça-feira (26) e chegarem ao valor mais baixo desde 2003, os papéis da empresa dispararam hoje.

Wellton Máximo
Repórter da Agência Brasil

foto - ilustração/Fatos e Dados
Em um dia de recuperação, a bolsa de valores fechou com a maior alta em mais de um mês. O índice Ibovespa, da Bolsa de Valores de São Paulo, encerrou esta quarta-feira (27) em 38.376 pontos, com alta de 2,34%. Essa foi a maior alta diária desde 9 de dezembro, quando o índice tinha subido 3,75%. Ontem (26), o índice tinha fechado no menor nível em sete anos.
O destaque do dia foram as ações da Petrobras, as mais negociadas na bolsa. Depois de sofrer um forte tombo na terça-feira (26) e chegarem ao valor mais baixo desde 2003, os papéis da empresa dispararam hoje. As ações ordinárias da companhia, que dão direito a voto em assembleia, saltaram 9,73% e foram vendidas a R$ 6,54. Os papéis preferenciais, que dão prioridade na distribuição de dividendos, subiram 8,81%, para R$ 4,57.
As ações da estatal subiram beneficiadas pela alta do petróleo no mercado internacional. Depois de cair nos últimos dias, a cotação do barril do tipo Brent, que chegou a ficar em US$ 27 na semana passada, voltou a subir e fechou esta quarta-feira em US$ 32,86, no maior nível em 20 dias.
No mercado de câmbio, o dólar teve fortes oscilações. A moeda norte-americana chegou a operar em baixa durante quase toda a sessão. Na mínima do dia, por volta das 12, a cotação chegou a R$ 4,03, mas subiu nas horas finais de negociação após a divulgação da decisão do Federal Reserve, Banco Central norte-americano, de manter os juros básicos dos Estados Unidos entre 0,25% e 0,5% ao ano. O dólar comercial fechou o dia com alta de R$ 0,016 (0,39%), vendido a R$ 4,086.
Desde o fim do ano passado, o mercado financeiro chinês tem sofrido turbulências por causa de dados que mostram a desaceleração da maior economia do planeta. Em 2015, o país cresceu 6,9%, a menor expansão em 25 anos. A redução do ritmo de crescimento da China reduz a demanda global por matérias-primas e afeta países exportadores de produtos agrícolas e minerais, como o Brasil. Com as exportações mais baratas, menos dólares entram no país, empurrando a cotação para cima.
Fonte - Agência Brasil  28/01/2016

Maquinista da Supervia (RJ) evita acidente e vira herói

Transportes sobre trilhos

Maquinista que freou trem e evitou atropelamento vive dia de herói no RJ - “Eu percebi que o rapaz caiu em frente à minha composição. A reação que tive foi dar o freio de emergência e o trem parou imediatamente”, contou o funcionário da concessionária Supervia, que administra a linha férrea.Agora como herói, Rogério, que também tem irmãos e pai maquinista, diz nunca tinha passado por uma situação igual e que esse será um dia que ele jamais vai esquecer.


G1- ANPTrilhos
maquinista Rogério Cerqueira/ANPTrilhos
A rápida reação do maquinista Rogério Cerqueira evitou que Jeferson Vítor Rodrigues, de 24 anos, fosse atropelado pelo trem que ele conduzia. Ao RJTV, o homem, que trabalha há 29 anos como maquinista, contou como conseguiu evitar que o acidente, na manhã desta quarta-feira (27), virasse uma tragédia.
“Eu percebi que o rapaz caiu em frente à minha composição. A reação que tive foi dar o freio de emergência e o trem parou imediatamente”, contou o funcionário da concessionária Supervia, que administra a linha férrea.
Agora como herói, Rogério, que também tem irmãos e pai maquinista, diz nunca tinha passado por uma situação igual e que esse será um dia que ele jamais vai esquecer.
“Um dia que eu acho que vou guardar para o resto da minha vida, né? Espero o rápido restabelecimento dele [Jeferson], para ele voltar à vida dele normal. E, se eu puderir, vou dar um abraço nele. Estou muito satisfeito de não ter acontecido nada de errado com ele”, disse.
Desespero para o herói e para quem assistia às cenas na Estação Corte Oito, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense . O técnico de informática Elianderson Rodrigues registrou as imagens e disse ao RJ como foi a reação das pessoas que presenciaram o incidente.
“Estava eu e ele ali esperando o trem para descer para gramacho, para depois voltar pra Central, porque aí a gente pega pra ir sentado. Quando o trem veio, foi a hora que ele passou mal. Justamente na hora que o trem veio… Foi o maior desespero, uma gritaria danada, muita gente gritando”, contou.
Fonte - ANPTtrilhos  28/01/2016

Empresa italiana anuncia investimentos de R$ 440 milhões em mais três usinas eólicas na Bahia

Energia

O investimento é de R$ 440 milhões, com geração de 600 empregos diretos, nas obras civis, e 11 postos de trabalho quando os parques estiverem em funcionamento.A companhia italiana ganhou no Leilão de Fontes Alternativas, realizado em 27 de maio de 2015,e o direito fornecer de energia durante 20 anos.

Da Redação
foto - ilustração
O secretário de Desenvolvimento Econômico (SDE), Jorge Hereda, assina nesta quinta-feira (28), às 14h30, protocolo de intenções com a companhia italiana de energias renováveis Enel Green Power (EGP) para instalação de três parques eólicos nos municípios de Brumado e Dom Basílio, na região centro sul da Bahia.
O investimento é de R$ 440 milhões, com geração de 600 empregos diretos, nas obras civis, e 11 postos de trabalho quando os parques estiverem em funcionamento.
A companhia italiana ganhou no Leilão de Fontes Alternativas, realizado em 27 de maio de 2015, o direito durante 20 anos de fornecer de energia que será produzida por meio dos parques eólicos Cristalândia I, II e III, com capacidade instalada de 90 MW [Megawatt] e previsão de entrar em funcionamento em 2018.
Na Bahia, a Enel conta com 19 usinas eólicas, o equivalente a 554 MW, contando entre projetos em funcionamento e em fase de construção, com um montante de investimentos na casa de R$ 3 bilhões. A companhia também administra 410 MW de projetos solares fotovoltaico.
Com informações da Secom Ba.  27/01/2016

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Trecho do bonde de Santa Teresa desativado há 50 anos é reinaugurado

Transportes sobre trilhos

Rio de Janeiro - Após 50 anos, o bairro de Santa Teresa Santa, zona central do Rio volta a ser um dos pontos de partida dos bondes.O trecho de 800 metros, entre a Rua Francisco Muratori, na Lapa, e o Largo do Curvelo, em Santa Teresa, estava desativado desde 1966.

Vitor Abdala
Repórter da Agência Brasil*

Tânia Rêgo/Agência Brasil
Depois de quase 50 anos, a Lapa, reduto boêmio no centro do Rio de Janeiro, voltou a ser atendida hoje (27) pelo sistema de bondes de Santa Teresa. O trecho de 800 metros, entre a Rua Francisco Muratori, na Lapa, e o Largo do Curvelo, em Santa Teresa, estava desativado desde 1966.
A reinauguração de hoje é parte das intervenções feitas pelo governo fluminense para modernizar o sistema de bondes. Em agosto de 2011, um descarrilamento deixou seis mortos e mais de 50 feridos, interrompendo completamente o serviço de transporte por bondes em Santa Teresa por cerca de quatro anos.
Em julho do ano passado, o primeiro trecho, entre o Largo da Carioca e o Largo do Curvelo, foi reaberto a passageiros depois do acidente. No mês passado, foi a vez de reinaugurar o trecho até o Largo do Guimarães.

Tânia Rêgo/Agência Brasil
Rio de Janeiro - Moradores protestam para que bondinhos tenham horário estendido

Protesto
Por enquanto, os três trechos reinaugurados estão funcionando apenas de forma experimental, com um horário reduzido: das 11h às 16h. Hoje os moradores fizeram um protesto para que esse horário seja estendido.
“Pedimos que o bonde volte a sua antiga grade horária, para que seja usado preferencialmente pelos moradores no início da manhã e no final da tarde. Para nós, moradores, o bonde é um transporte público de fácil acesso e possibilidade de descer ao centro, para trabalhar, mais rápido. A gente só tem três linhas de ônibus, então o bonde é mais uma alternativa ”, disse a advogada Ana Lúcia da Silva Souza, que mora há 18 anos em Santa Teresa.

Calibragem
O secretário estadual de Transportes, Carlos Roberto Osório, disse que o bonde está funcionando em horários de menos movimento para que o sistema seja “calibrado” antes de ser liberado para circular em seu horário normal.
“Na terça-feira, vamos apresentar um cronograma para a expansão do horário de serviço dos bondes para a volta da grade [de horário] original. Também vamos discutir a tarifa dos bondes, que será menor do que a dos ônibus municipais e também que os bondes serão incluídos no bilhete único municipal”, disse.
O bonde de Santa Teresa circula desde 1896. Além das linhas já citadas, há os trechos até Silvestre e o Largo das Neves, ambos saindo do Largo do Guimarães, que ainda não estão em operação. A previsão é que tudo esteja funcionando até 2017.
*Colaborou Tâmara Freire - repórter do Radiojornalismo
Fonte - Agência Brasil  27/01/2016