sábado, 24 de setembro de 2016

Balé Teatro Castro Alves estreia projeto Endogenias

Arte&Cultura

O projeto reúne três coreografias inéditas, concebidas por bailarinos da própria companhia baiana de dança contemporânea: ‘Generxs’, de Leandro de Oliveira; ‘Youkali’, de Konstanze Mello, e ‘Dê Lírios’, de Tutto Gomes. Os ingressos custam R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia). Durante a apresentação, a plateia fica sentada no próprio palco da Sala Principal.

Da Redação
Adicionar legenda
‘Endogenias’ é o nome do mais novo projeto coreográfico do Balé Teatro Castro Alves (BTCA), que este ano comemora 35 anos de fundação. O projeto será apresentado na próxima terça (27), quarta (28) e quinta-feira (29), no Teatro Castro Alves (TCA), em Salvador, às 20h. O espetáculo volta a acontecer nos dias 6 e 7 de outubro, também às 20h. O projeto reúne três coreografias inéditas, concebidas por bailarinos da própria companhia baiana de dança contemporânea: ‘Generxs’, de Leandro de Oliveira; ‘Youkali’, de Konstanze Mello, e ‘Dê Lírios’, de Tutto Gomes. Os ingressos custam R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia). Durante a apresentação, a plateia fica sentada no próprio palco da Sala Principal.
O título do projeto tem a ver com a qualidade daquilo que se origina no interior de um organismo, de um sistema, ou que se desenvolve pela influência de fatores internos. ‘Endogenias’ remete a um processo de crescimento do próprio Balé, que parte do interior para o exterior, e se apresenta como um todo, numa cena inteira bastante contemporânea.
“Vigor e ousadia, para sair da zona de conforto, foram as palavras de ordem que nortearam a concepção dessa proposta, que o público poderá conferir muito de perto e até mesmo interagir em alguns momentos”, explica o diretor artístico do BTCA, o bailarino, coreógrafo e professor Antrifo Sanches. O espetáculo não é recomendado para menores de 18 anos
Primeira companhia de dança oficial do Norte-Nordeste, o BTCA celebra o trigésimo quinto ano de fundação em 2016. A prestigiada trajetória do grupo abrange mais de 70 coreografias e uma carreira internacional de sucesso. A companhia é mantida pela Secretaria de Cultura do Estado (Secult), por meio da Fundação Cultural (Funceb), e, junto com a Orquestra Sinfônica da Bahia (Osba), é um dos corpos artísticos do TCA.
Com informações da Secom Ba.  24/09/2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua visita,ajude-nos na divulgação desse Blog
Cidadania não é só um estado de "direito",é também um estado de "espírito"