quinta-feira, 9 de junho de 2016

Consórcio fornecedor dos novos trens e Trensurb definem plano de recall

Transportes sobre trilhos

No início deste ano, durante as atividades de manutenção preventiva nos trens, foi constatada a presença de água ou de umidade em algumas caixas de rolamentos existentes nos truques de alguns trens.O primeiro trem totalmente recuperado deve voltar à circulação até o início do mês de julho. O restante da frota, até o final do ano.

Trensurb
foto - ilustração
Técnicos das empresas Alstom e CAF (fornecedores que compõem o Consórcio FrotaPoa) e da Trensurb definiram, nesta semana, um plano de ação para o retrabalho de engenharia (recall) que será executado nos 15 novos trens, após a constatação de falha no sistema de estanqueidade (vedação) das caixas de rolamentos dos rodeiros de todos os trens. O problema obrigou a Trensurb a retirar de circulação a nova frota no final de abril passado a fim de evitar maiores danos aos próprios trens e a outros sistemas e equipamentos da empresa.
Os 15 novos trens foram entregues à Trensurb entre maio de 2014 e março de 2015 (dentro do prazo contratual), sendo que o primeiro trem passou a operar comercialmente em setembro de 2014. O preço total pago pela Trensurb pela aquisição foi de R$ 243,7 milhões, incluindo, além dos próprios trens, o fornecimento de projeto, materiais e equipamentos especiais, mão de obra para montagem e testes, treinamento e garantia. Desse total, somente em peças de reposição (sobressalentes), a Trensurb investiu pouco mais de R$ 20 milhões.

O problema
No início deste ano, durante as atividades de manutenção preventiva nos trens, foi constatada a presença de água ou de umidade em algumas caixas de rolamentos existentes nos truques de alguns trens.
O truque é o conjunto formados por dois rodeiros (rodas e eixos), suspensão, freios e outros sistemas responsáveis pelo trem circular sobre os trilhos. Cada trem possui oito truques (dois por carro ou vagão), 16 rodeiros e 32 caixas de rolamentos (uma para cada roda). A espanhola CAF é a fornecedora dos truques instalados na nova frota da Trensurb, sendo que os mesmos foram fabricados e montados na Espanha.
O problema de infiltração de água ou de umidade nessas caixas pode danificar os rolamentos e comprometer sua vida útil, uma vez que os mesmos devem funcionar somente com graxas específicas e jamais em contato com água ou umidade. Caso venha a acontecer uma infiltração de água nos rolamentos, os mesmos podem travar as rodas do trem e danificar outros componentes do próprio truque ou de outros sistemas e equipamentos da via férrea.
E foi o que veio a acontecer em abril passado, quando uma roda de um dos novos trens veio a travar. Imediatamente, a Trensurb determinou a retirada de circulação de toda nova frota a fim de realizar uma revisão completa de todas as caixas de rolamentos para que se averiguasse a extensão do problema. Foi detectada a infiltração de água ou de umidade em truques de todos os trens comprometendo cerca de 70% do total das caixas de rolamentos da nova frota.
Diante desse fato, a Trensurb notificou imediatamente o Consórcio FrotaPoa que, devido à retirada de circulação da nova frota, todos os pagamentos restantes às empresas fornecedoras (Alstom e CAF) estavam suspensos, bem como seriam aplicadas as multas previstas no contrato que ainda está em vigência. Além dessas sanções, a Trensurb também comunicou ao Consórcio FrotaPoa que cobrará todos os prejuízos decorrentes da não circulação dos trens como, por exemplo, os custos adicionais com energia elétrica para tração dos trens (os novos trens consomem menos energia do que os trens antigos) e outros eventos cabíveis até o pleno restabelecimento da circulação de toda a frota.

O recall
A partir do momento em que a Trensurb determinou a paralisação de circulação dos novos trens, técnicos da empresa e do Consórcio FrotaPoa passaram a se reunir para estabelecer um plano de ação e um calendário para realização do recall em todos os trens.
Para a aprovação do plano de ação, a Trensurb exigiu que todas as alterações de projeto de engenharia viessem precedidas de laudos técnicos sobre as causas efetivas do problema, e que os projetos de engenharia para solucionar os problemas viessem acompanhados de Anotação de Responsabilidade Técnica (ART). Além disso, a Trensurb exigiu a certificação de qualidade de todos os novos componentes que venham a ser instalados nos trens, bem como novos prazos de garantia dos mesmos.
Neste momento, o Consórcio FrotaPoa já apresentou os laudos técnicos sobre as causas que levaram às infiltrações de água nas caixas de rolamentos e os projetos de engenharia para solucionar os problemas.
Enquanto se aguarda a chegada de equipamentos especiais para realização do recall e de técnicos da Espanha que supervisionarão o trabalho por parte do Consórcio, técnicos das duas partes discutem ajustes nos procedimentos de trabalho a serem realizados, bem como o calendário de execução. Todos os trabalhos de recall serão realizados nas oficinas da Trensurb.
Convém alertar que, após os trabalhos de recall, será necessário um conjunto de testes para averiguar o sucesso das soluções que serão implementadas. Isto será acompanhado nos três primeiros trens a serem recuperados.
A expectativa é de que, não havendo maiores contratempos, o primeiro trem esteja em condições plenas de circulação até o início do mês que vem, o segundo até o final de julho e o terceiro até o início de agosto. Caso as soluções adotadas mostrem-se eficientes, os demais 12 trens deverão voltar gradualmente à circulação até o final do ano.
Fonte - Trensurb  08/06/2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua visita,ajude-nos na divulgação desse Blog
Cidadania não é só um estado de "direito",é também um estado de "espírito"