domingo, 19 de junho de 2016

Alerta climático para populações indígenas ganha prêmio de R$ 1,5 milhão

Meio Ambiente

O projeto do IPAM consiste em uma ferramenta ligada ao SOMAI – Sistema de Observação e Monitoramento da Amazônia Indígena, plataforma on-line que dispõe das informações mais atuais sobre a situação das mais de 380 terras indígenas da região, a área conservada de floresta e as ameaças que sofrem, como desmatamento e variações climáticas.

Revista Amazônia

O Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (IPAM) é um dos vencedores do prêmio Desafio de Impacto Social Google 2016 com um aplicativo que levará informações sobre mudanças climáticas para os povos indígenas da Amazônia.
Ele foi um dos cinco projetos contemplados com R$ 1,5 milhão – um deles definido por voto popular. Outros cinco projetos receberam R$ 650 mil.
“A informação não chega a todos os brasileiros de forma igual, como acontece no caso dos indígenas. Esse prêmio permitirá que esse público, assim como muitos outros grupos discriminados da sociedade, tenha acesso a dados fundamentais para o planejamento de suas vidas”, afirma o pesquisador sênior do IPAM Paulo Moutinho.
“Os povos indígenas realmente precisam de apoio para se preparar, para se capacitar para enfrentar essas mudanças que atingem todas as pessoas do mundo e todos os animais”, diz Paxton Metuktire, representante do povo kayapó que participou do evento.
O projeto do IPAM consiste em uma ferramenta ligada ao SOMAI – Sistema de Observação e Monitoramento da Amazônia Indígena (www.somai.org.br), plataforma on-line que dispõe das informações mais atuais sobre a situação das mais de 380 terras indígenas da região, a área conservada de floresta e as ameaças que sofrem, como desmatamento e variações climáticas.
Os recursos serão utilizados pelo IPAM para desenvolver, com os indígenas, o Alerta Clima Indígena, um aplicativo para dispositivos móveis, ligado ao SOMAI, com alimentação constante sobre previsões sobre secas severas e variações de chuva.
Com essas informações, os indígenas terão condição de se preparar para tais eventos, adaptando por exemplo seu calendário agrícola para não terem impacto na segurança alimentar. Ou, se há um período prolongado de seca, com altas temperaturas, as comunidades podem se prevenir melhor para a ocorrência de incêndios.
Além disso, o aplicativo permitirá aos indígenas inserir dados coletados em suas próprias terras, o que enriquecerá o banco de dados do SOMAI e permitirá a formulação de projeções ainda mais precisas, juntando na mesma base o conhecimento tradicional e o científico.
Cerca de 110 milhões de hectares da floresta amazônica são atualmente protegidas em forma de terras indígenas, onde vivem cerca de 430 mil pessoas. Essa área corresponde a 13 bilhões de toneladas de carbono, estocado na forma de vegetação – que, uma vez preservados, ainda retiram CO2 da atmosfera todos os anos.
“Os indígenas cumprem um papel muito importante na conservação da floresta amazônica e, dessa forma, na manutenção de um clima equilibrado”, explica a coordenadora do núcleo indígena do IPAM, Fernanda Bortolotto.
Fonte - Revista Amazônia  18/06/2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua visita,ajude-nos na divulgação desse Blog
Cidadania não é só um estado de "direito",é também um estado de "espírito"