segunda-feira, 11 de abril de 2016

Prefeitura de Curitiba lançará PMI para projetos de Eletromobilidade

Transportes sobre trilhos

As soluções mais comuns nesse campo têm sido de Veículos Leves Sobre Trilhos (VLT) ou Pneus (VLP). Elas são apontadas como opções de mobilidade menos poluentes para transporte de média capacidade.A consulta será aberta para três rotas distintas: do bairro Cachoeira à Rodoferroviária; da Rodoferroviária ao Aeroporto Afonso Pena; e do Pinheirinho ao Atuba, na Linha Verde

Gazeta do Povo
foto - ilustração
A prefeitura de Curitiba lançará, nas próximas semanas, uma Proposta de Manifestação de Interesse (PMI) para três linhas de eletromobilidade na capital. Essa etapa tem sido utilizada por gestores como uma espécie de pré-edital, no qual o mercado aponta a viabilidade técnica do projeto e caminhos para o edital definitivo. As soluções mais comuns nesse campo têm sido de Veículos Leves Sobre Trilhos (VLT) ou Pneus (VLP). Elas são apontadas como opções de mobilidade menos poluentes para transporte de média capacidade.
A consulta será aberta para três rotas distintas: do bairro Cachoeira à Rodoferroviária; da Rodoferroviária ao Aeroporto Afonso Pena; e do Pinheirinho ao Atuba, na Linha Verde. Os dois primeiros são resultado de um projeto pensando pelo escritório do arquiteto e ex-prefeito Jaime Lerner. Mas a implantação na Linha Verde, por ter uma infraestrutura adiantada, é vista como a “primeira da fila”, segundo o secretário do Planejamento, Fábio Scatolin.

Tendência
Diversas cidades ao redor do mundo têm apostado na solução de veículos leves, mas a opção mais comum é sobre trilhos. Medelin, na Colômbia, é a única cidade da América do Sul a ter o sistema sobre pneus. Já o VLT está presente em mais de 20 cidades francesas e também em cidades como Dublin, na Irlanda, e Barcelona, na Espanha, e Porto. O Rio de Janeiro irá inaugurar neste mês seu VLT entre a Rodoviária Novo Rio e o Aeroporto Santos Dumont. Serão 28 Km de extensão e 32 paradas. E a prefeitura já publicou edital de concorrência para uma PMI com o objetivo de levar o modal até a zona sul. As cidades de Santos e São Vicente também já ganharam um sistema no início deste ano.
“Esse traçado é o mais próximo de se concretizar porque já tem boa parte da infraestrutura pronta. As canaletas devem chegar até o Atuba já nos próximos meses“, afirmou Scatolin. Com essa infraestrutura pronta, segundo o secretário, o projeto nessa rota custasse algo em torno de R$ 300 milhões.
Em 2013, um projeto de VLP traçado pelo escritório do ex-governador Jaime Lerner já havia sido encaminhado pela gestão Gustavo Fruet ao Governo Federal. As rotas propostas naquela ocasião eram a do bairro Cachoeira ao centro e dali para a Avenida Marechal Floriano Peixoto. Naquela ocasião, o custo estimado dessas duas fases era R$ 950 milhões. Somando ao custo da Linha Verde, esse projeto poderia então superar R$ 1,250 bilhão.
A fonte desses recursos ainda não foi divulgada pelo município, mas Scatolin garante que o projeto não depende do R$ 1,8 bilhão que o governo federal havia prometido para o metrô. “Nada impede de buscarmos o recurso do metrô. Mas sendo franco,o secretário disse não precisar , afirmando que o projeto de eletromobilidade é complementar ao metrô. A Comissão de Gestão de Parcerias Público-Privada da prefeitura irá se reunir na próxima quinta-feira (14) para sacramentar o lançamento da concorrência para a PMI da eletromobilidade.

Capacidade
Em termos de capacidade, o VLT ou VLP é uma solução de transporte próxima a que já existe na Linha Verde. Mas a ideia da prefeitura é apostar na eletromobilidade, reduzindo a emissão de poluentes na atmosfera causada pelos veículos a diesel do sistema BRT.
Na média, sistemas de BRT são estruturados para atender entre 10 e 45 mil passageiros por hora/sentido dependendo da quantidade de carros. Na Linha Verde, o BRT transporta apenas 31 mil pessoas por dia. Mas a prefeitura projeta um aumento nessa demanda depois de concluídas as obras na região. A ideia é que o novo sistema transporte até 100 mil passageiros por dia.
Fonte - ANPTrilhos  11/04/2016

Um comentário:

  1. Não só nas cidades de Dublin,na Irlanda,e Barcelona,na Espanha,Porto e agora no Rio,Santos e em breve Salvador(BR) mais em varias cidades da Itália,Alemanha,Suíça,Suécia,Holanda,EUA,Russia,Canadá,China,entre tantos outros países.Uma boa parte do mundo já anda de VLT.

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua visita,ajude-nos na divulgação desse Blog
Cidadania não é só um estado de "direito",é também um estado de "espírito"