segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Corredor Norte de Exportação terá investimento de R$ 1,5 bilhão

Infraestrutura

O contrato consiste na viabilização do Projeto Corredor Norte de Exportação, empreendimento que implantará um sistema de escoamento da produção de grãos, utilizando as bacias hidrográficas da Amazônia. O projeto será instalado em Miritituba, no município de Itaituba; e Vila do Conde, que fica em Barcarena. Serão investidos R$ 1,5 bilhão no projeto.

Portogente
foto - ilustração/asgroup
Projetos que beneficiarão o setor portuário foram formalizados, no dia 7 de janeiro último, na sede do Banco da Amazônia, em Belém. O acordo foi firmado pelo Ministério da Integração Nacional e Banco da Amazônia junto às empresas Hidrovias do Brasil.
O contrato consiste na viabilização do Projeto Corredor Norte de Exportação, empreendimento que implantará um sistema de escoamento da produção de grãos, utilizando as bacias hidrográficas da Amazônia. O projeto será instalado em Miritituba, no município de Itaituba; e Vila do Conde, que fica em Barcarena. Serão investidos R$ 1,5 bilhão no projeto. O Banco da Amazônia aportará recursos na ordem de R$ 189 milhões, do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO).
Estiveram presentes na formalização dos contratos o ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi, e o ministro da Secretaria de Portos da Presidência da República, Helder Barbalho, entre outras autoridades. “O setor portuário do Pará ganha cada vez mais importância e assume o protagonismo, fazendo com que o nosso Estado se transforme em ponto estratégico para o escoamento da produção nacional”, pontuou o ministro Helder Barbalho.

Crescimento
Segundo ele, no ano passado os portos no Brasil cresceram 4,8%. Para Helder Barbalho, o projeto abre oportunidades de negócios, novos empregos e ampliação da capacidade de produção no Estado, além de garantir competitividade e diminuição de custos.
O diretor de Infraestrutura e Negócios do Banco da Amazônia, Antônio Carlos de Lima Borges, destacou a participação da instituição no investimento dos projetos. “É muito importante para o cumprimento do papel do banco, que existe para reduzir a desigualdade e promover o desenvolvimento, seja em que âmbito for”. Ainda de acordo com o diretor, a expectativa é de que, até março deste ano, os projetos já entrem em fase de conclusão e que, até janeiro de 2017, entrem em operação.
Fonte - Portogente  11/01/2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua visita,ajude-nos na divulgação desse Blog
Cidadania não é só um estado de "direito",é também um estado de "espírito"