sábado, 14 de novembro de 2015

Capitania dos Portos da Bahia intensifica fiscalização de embarcações

Fiscalização marítima

A Capitania dos Portos da Bahia (CPBA) realizou 5.090 abordagens,dessas, 256 condutores foram notificados e 8 tiveram a embarcação apreendida.

Jessica Sandes - A Tarde
Lúcio Távora - Ag. A TARDE
Na última Operação Verão, realizada entre dezembro de 2014 e março de 2015, a Capitania dos Portos da Bahia (CPBA) realizou 5.090 abordagens. Dessas, 256 condutores foram notificados e 8 tiveram a embarcação apreendida. A ação, anual, vale para todos os tipos de veículos marítimos.
As notificações mais comuns foram relativas à condução de embarcação por pessoa inabilitada e à falta de inscrição da embarcação na CPBA, além de inexistência ou insuficiência de extintor de incêndio e coletes salva-vidas.
Segundo a assessoria de comunicação da capitania, diariamente, uma equipe realiza ações de inspeção naval (IN), sobretudo na Baía de Todos-os-Santos (BTS). "Há uma atenção especial aos pontos onde ocorrem maiores concentrações de embarcações e banhistas (Porto da Barra, São Tomé de Paripe, Ribeira)", relata a instituição por meio de nota. Já nos finais de semana, o trabalho é executado por três equipes.

Operação anual
Durante a ação implementada entre os meses de dezembro e março, as atividades são intensificadas por meio do reforço nas equipes de inspeção naval, mas a entidade não informou quantos grupos serão acrescentados este ano.
Conforme a CPBA, as equipes são empregadas na área da BTS e em outras regiões de grande tráfego de embarcações, como Valença, Morro de São Paulo, Litoral Norte e Feira de Santana.
Os pontos mais utilizados pelos condutores de motos aquáticas são as localidades do Porto da Barra, Ribeira, São Tomé de Paripe, região sul da Ilha de Itaparica, região do Rio Jaguaripe e barra do rio Jacuípe. Além dos finais de semana, o movimento também é grande às segundas-feiras, sobretudo na Ribeira.
Fonte - A Tarde  14/11/2015

Acidente com TGV em teste provoca vítimas no nordeste da França

Internacional

O (TGV) descarrilou e pegou fogo neste sábado (14), quando efetuava ensaios numa nova linha em Eckwersheim,Segundo a SNCF, empresa ferroviária francesa, o comboio circulava com 49 técnicos a bordo, sem passageiros, e "descarrilou devido ao excesso de velocidade"

Da Agência Lusa
foto - ilustração/web
Estrasburgo, França - Dez mortos é o último balanço do acidente com um trem de grande velocidade (TGV) que descarrilou e pegou fogo neste sábado (14), quando efetuava ensaios numa nova linha em Eckwersheim, próximo a Estrasburgo, no nordeste da França, indicaram as autoridades locais.
Segundo a SNCF, empresa ferroviária francesa, o comboio circulava com 49 técnicos a bordo, sem passageiros, e "descarrilou devido ao excesso de velocidade". A polícia disse, no entanto, que a real causa do desastre ainda não foi determinada.
Esta nova geração de TGV deveria entrar em funcionamento na primavera europeia do próximo ano. Trata-se do acidente mais grave com o serviço de transporte de TGV na França desde que estes trens entraram em circulação, em 1981.
Fonte - Agência Brasil  14/11/2015

Bahia vence leilão com 24 projetos de energia eólica e fotovoltaicos

Sustentabilidade

De acordo com o secretário estadual de Infraestrutura, Marcus Cavalcanti, o processo de diversificação de fontes energéticas está sendo intensificado e os novos projetos vão expandir o potencial de geração de energia renovável no estado. “Este resultado é fruto do trabalho para consolidar a Bahia como maior geradora de energia renovável do País”. 

Da Redação
foto - ilustração
A Bahia saiu vitoriosa do segundo Leilão de Energia da Reserva (LER/2015), realizado pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), nesta sexta-feira (13), com 18 novos projetos eólicos e seis fotovoltaicos. Vencedora de 24 dos 53 projetos, a Bahia terá capacidade para gerar 662 MW de potência a partir de 2018.
De acordo com o secretário estadual de Infraestrutura, Marcus Cavalcanti, o processo de diversificação de fontes energéticas está sendo intensificado e os novos projetos vão expandir o potencial de geração de energia renovável no estado. “Este resultado é fruto do trabalho para consolidar a Bahia como maior geradora de energia renovável do País”. Segundo ele, com a conclusão do mapa solar, em fase de elaboração, será possível impulsionar ainda mais investimentos para o setor.
Serão destinados cerca de R$ 3 bilhões na construção dos novos empreendimentos de energia eólica e solar. Atualmente a Bahia possui 44 parques eólicos em funcionamento, outros 41 em construção e 125 contratados. Já empreendimentos solares somam 14 em andamento e dois grandes projetos em funcionamento.
Durante o leilão foram negociados 1.477,54 MW de potência, totalizando 53 projetos que deverão iniciar o fornecimento de energia elétrica no País a partir de novembro de 2018. No primeiro leilão deste ano, a Bahia foi vencedora com 12 projetos solares, seguido pelo Piauí (nove projetos), Minas Gerais (cinco), Paraíba (três) e Tocantins (um), totalizando a potência de 833,8 MW.
Com informações da Secom Ba.  13/11/2015

CBTU João Pessoa lança projeto Natal no Trem nesta segunda, 16

Natal no trem

A ação visa, durante os três primeiros dias do mês de dezembro deste ano, doar brinquedos para crianças carentes, promover apresentação de corais e realizar a chegada do Papai Noel de trem.

CBTU

Com uma campanha de arrecadação de brinquedos a CBTU João Pessoa lança nesta segunda feira, 16, o Projeto Natal no Trem. A ação visa, durante os três primeiros dias do mês de dezembro deste ano, doar brinquedos para crianças carentes, promover apresentação de corais e realizar a chegada do Papai Noel de trem. As apresentações artísticas começarão às 16h, sempre na Estação João Pessoa.
Ao todo, quatro grupos irão se apresentar na Área de Convivência da Estação João Pessoa. Já garantiram presença os corais Coro Sinfônico da Paraíba, Coral Jovem da Unimed, Coral Filhos de Asafé e Coral Art encanto.
Um posto de coleta de brinquedos será instalado no Hall da Estação João Pessoa (próximo a recepção). Os brinquedos devem ser novos e serão entregues no dia 22 de dezembro numa ação surpresa. Qualquer pessoa poderá doar quantos brinquedos quiserem e a meta da organização é arrecadar pelo menos 200 unidades.
De acordo com o Superintendente da CBTU João Pessoa, Paulo Barreto, a ideia é preparar o espírito dos empregados e dos passageiros para o período natalino e levar atrações musicais ao vivo para todos. ”Vários grupos de corais já confirmaram a apresentação no evento e com isso poderemos começar o mês de dezembro com música de qualidade anunciando a chegada do Natal”, diz.
O Natal no Trem é uma realização da CBTU João Pessoa com o apoio do Sindicato dos Ferroviários da Paraíba (Sintefep).
Com informações da CBTU  13/11/2015

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Inaugurada hoje (13/11) entra em operação a sétima estação do Metrô de Salvador

Transportes sobre trilhos

Durante a inauguração, Rui Costa afirmou que em dezembro, entre os dias 15 e 18, será inaugurada a Estação Pirajá, integrada a outra de transbordo, completando a primeira etapa de 12 quilômetros do Metrô de Salvador. “Ao todo, serão 41 quilômetros, ligando também Lauro de Freitas, Águas Claras e Cajazeiras. Salvador será a terceira capital do país em extensão de metrô.

Raul Rodrigues/Secom
foto - ilustração/Pregopontocom
Um dos maiores desafios atuais da implantação do Metrô de Salvador foi vencido com a inauguração da Estação Bonocô, a sétima da Linha 1, nesta sexta-feira (13), pelo governador Rui Costa, acompanhado do ministro das Cidades, Gilberto Kassab, do prefeito Antônio Carlos Magalhães Neto e outras autoridades. As obras foram realizadas com o equipamento já em operação e em uma das avenidas mais movimentadas da cidade.
A estrutura elevada, que possui passarelas, rampas e elevadores, além de um bicicletário, vai atender principalmente aos moradores de bairros do entorno, como Cosme de Farias, Brotas, Campinas de Brotas, e ainda quem trabalha na região da Bonocô.
Durante a inauguração, Rui Costa afirmou que em dezembro, entre os dias 15 e 18, será inaugurada a Estação Pirajá, integrada a outra de transbordo, completando a primeira etapa de 12 quilômetros do Metrô de Salvador.

foto - ilustração/Pregopontocom
 “Ao todo, serão 41 quilômetros, ligando também Lauro de Freitas, Águas Claras e Cajazeiras. Salvador será a terceira capital do país em extensão de metrô. São Paulo tem 80 quilômetros para 12 milhões de habitantes e Salvador, que tem três milhões de habitantes, será a terceira cidade, com 41 quilômetros, a metade de São Paulo”, disse o governador.
Já o ministro Gilberto Kassab destacou os investimentos realizados pelo governo federal em parceria com o Estado e prefeitura. “Serão, ao todo, 104 quilômetros de transporte rápido, entre metrô, ônibus rápido e VLT. Estamos fazendo todo o possível para que em breve este trabalho esteja concluído, ajudando a Bahia a melhorar a qualidade de vida dos seus cidadãos”.
Segundo o presidente da CCR Metrô Bahia, Luís Valença, estão sendo fabricados mais 34 novos trens para o metrô da capital. “Então, teremos uma frota de mais de 40 trens com ar condicionado até o final do ano que vem. Por isso, é preciso integrar os ônibus urbanos, para atendermos a mais de 500 mil passageiros”.

foto - ilustração/Pregopontocom
Aprovação
Com a nova estação, a atendente de telemarketing Daniela Santos terá mais tempo para realizar tarefas importantes do dia a dia. “Moro na Liberdade e agora eu posso pegar um ônibus até o Campo da Pólvora ou a Lapa e vir de metrô para a Bonocô, onde eu trabalho. Já cheguei a demorar uma hora para fazer este trajeto e agora vou fazer em 20 minutos. Ou seja, são 40 minutos que eu ganho em casa; dá para resolver muita coisa, ficar um pouco mais com minha filha de quatro anos ou cuidar da casa”.
A estação também vai melhorar a vida do mecânico Manoel Bonfim Conceição, que mora no município de Lauro de Freitas. “É uma avenida que tem um engarrafamento muito intenso. Agora não vou mais ter este problema, vou ter muito mais conforto e rapidez”, comemora.

Segurança e operação
foto - ilustração/Pregopontocom
O acesso dos usuários ocorre a partir do mezanino situado na parte inferior das plataformas de embarque, através de passarelas interligadas à estação, além de rampas no canteiro central da Avenida Bonocô. Localizado abaixo do mezanino, o canteiro central foi reformado, com tratamento paisagístico, além de possuir bicicletário para atendimento aos usuários do metrô.
A segurança da Estação Bonocô é reforçada com 55 câmeras de monitoramento interligadas à Sala de Supervisão Operacional do equipamento. Os passageiros também contam com cerca de 50 funcionários, entre agentes de atendimento e segurança, agentes de bilheteria e colaboradores de empresa terceirizada. O equipamento possui ainda uma sala de primeiros socorros.

Características
A estação tem 136 metros de extensão e uma área de 6.140 metros quadrados, em elevado, próximo à subida da Rua Odilon Dórea, em Brotas, e do bairro de Cosme de Farias. A plataforma é coberta por telhas metálicas termoacústicas. No topo da cobertura foi instalada uma claraboia.
Por ter sido construída em um trecho no qual o metrô já se encontrava em funcionamento, durante as obras, que duraram dez meses, os cuidados foram redobrados, principalmente em relação à segurança do trabalho. Diversos serviços apenas puderam ser realizados em horários após o encerramento da operação e aos finais de semana.

Integração
Na inauguração, Rui disse ainda que o Estado já se reuniu com a Associação das Empresas de Transporte de Salvador, buscando acelerar o processo de integração do metrô com o ônibus urbano. “Já chegamos a um acordo com o transporte metropolitano e vamos, a partir de dezembro, iniciar a integração. Os ônibus da região metropolitana não chegarão mais ao centro de Salvador, mas vão levar os passageiros até a estação de Mussurunga, na Paralela, onde será feito o transbordo dos ônibus que vêm de Lauro de Freitas, e até Pirajá, onde o sistema vai receber os passageiros que vêm de Candeias, Simões Filho e Camaçari”.
Segundo o governador, será feita também a integração para a Estação de Águas Claras. “Portanto, estaremos resolvendo o problema da quantidade de ônibus que circulam pelo centro de Salvador, dando uma contribuição importantíssima para esvaziar as ruas e facilitar o trânsito”, explicou.
Rui informou que convidou os empresários de ônibus para que sejam parceiros do Governo do Estado e sócios do VLT, incorporando ônibus especiais, com tarifas diferenciadas, para colocar a classe média dentro do metrô. “Com certeza, a classe média vai andar de metrô e esvaziar as ruas de carros, tornando nossa cidade melhor para se locomover, com menos engarrafamentos, e as pessoas terão mais tempo para fazer o que precisam”.

Corredores transversais
O governador lembrou que, além do metrô e do VLT - que será licitado e vai ter 18,5 quilômetros, da Calçada a Paripe -, estão sendo construídos dois grandes corredores viários. “A [Avenida] Pinto de Aguiar, que está concluída, será ligada à Gal Costa, que vai chegar ao Subúrbio, e também estão sendo interligadas a Orlando Gomes e a 29 de Março. São 41 quilômetros de metrô, mais 21 quilômetros da Orlando Gomes com a 29 de março, mais 13 da Gal Costa e Pinto de Aguiar, mais 18 do VLT. É um conjunto de investimentos na mobilidade de Salvador, da ordem de R$ 8 bilhões, para transformar Salvador para melhor”.

foto - ilustração/Pregoponmtocom 
Sistema Metroviário
Salvador - Lauro de Freitas
O sistema metroviário entrou em operação em junho de 2014, um ano e dois meses após ser transferido para administração do Governo do Estado. Por meio de uma Parceria Público-Privada (PPP) e investimentos na ordem de R$ 3,6 bilhões, a concessão é da CCR Metrô Bahia.
O Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas será composto por duas linhas, com total de 41 quilômetros e 23 estações. Além disso, quando concluído, o metrô estará integrado a 10 terminais de ônibus. A implantação e operação do sistema metroviário contam com seis mil colaboradores diretos, indiretos e terceiros.
Com informações da Secom Ba. 13/11/2015

Pobreza extrema no país cai a 2,8% da população, afirma Tereza Campello

Direitos Humanos

A taxa de extrema pobreza no Brasil diminuiu de 7,6% da população, em 2004, para 2,8%, no ano passado, disse hoje (13) a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, após análise dos microdados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2014, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Ana Cristina Campos 
Repórter da Agência Brasil

Brasília - A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, comenta os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2014, divulgada pelo IBGE (Valter Campanato/Agência Brasil)
A ministra Tereza Campello destacou a redução da pobreza no país, ao comentar os dados da PnadValter Campanato/Agência Brasil
A taxa de extrema pobreza no Brasil diminuiu de 7,6% da população, em 2004, para 2,8%, no ano passado, disse hoje (13) a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, após análise dos microdados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2014, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Na Região Norte, a pobreza extrema caiu de 9,6% da população, em 2004, para 3,9%, em 2014. No Nordeste, a redução foi de 16,5% para 5,7%. “O Brasil ainda tem muito a fazer, muita desigualdade a reduzir, muito o que melhorar com relação à pobreza. Mas chama a atenção a queda onde a gente tinha a maior severidade da pobreza no Brasil”, afirmou a ministra ao comentar os dados da Pnad 2014.
São consideradas extremamente pobres pessoas com renda mensal de até R$ 77, fixada com base na referência da Organização das Nações Unidas (ONU) para os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio.
Em dez anos, a queda da extrema pobreza foi mais acentuada entre crianças até 5 anos. O percentual caiu de 14,7%, em 2004, para 5,4%, no ano passado.
De acordo com a Pnad, de 2013 para 2014, o crescimento do rendimento médio mensal real domiciliar per capita no Brasil foi de 2,4% (de R$ 1.217 para R$ 1.246). Enquanto a parcela dos 10% mais pobres teve aumento real de 6,2% (de R$ 146 para R$ 155), os 10% mais ricos tiveram aumento de 2,1% (de R$ 5.076 para R$ 5.183).
Segundo o IBGE, o Índice de Gini, que mede a desigualdade, apresenta trajetória decrescente no Brasil desde 2004 e passou de 0,495, em 2013, para 0,490, em 2014 (quanto menor, menos desigual o país).
“Houve redução da desigualdade no país, sistemática e persistente. O Índice de Gini melhora em todas as regiões. Os indicadores mostram um Brasil que avança, que melhora do ponto de vista da renda, da cidadania, dos bens”, disse a ministra.
Fonte - Agência Brasil  13/11/2015

Satisfação dos passageiros com aeroportos do País bate recorde

Infraestrutura

Os dados foram divulgados nesta terça-feira pela Secretaria de Aviação Civil (SAC). Somente 3% dos entrevistados avaliaram as instalações como ruim ou muito ruim.Os entrevistados puderam dar notas de 1 (ruim) a 5 (muito bom) para 48 indicadores. 

Portogente
foto - ilustração/Wikipédia
A mais recente edição da Pesquisa Permanente de Satisfação do Passageiro revelou que 84% dos passageiros aprovam os aeroportos do País. O trabalho foi elaborado a partir de dados coletados com 13 mil passageiros nos 15 aeroportos que movimentam 80% das pessoas que viajam de avião no Brasil.
Os entrevistados puderam dar notas de 1 (ruim) a 5 (muito bom) para 48 indicadores. Desde que a pesquisa começou a ser realizada, no início de 2013, a nota de satisfação do terceiro trimestre de 2015 foi a mais alta já registrada: 4,15.
Os dados foram divulgados nesta terça-feira pela Secretaria de Aviação Civil (SAC). Somente 3% dos entrevistados avaliaram as instalações como ruim ou muito ruim.
Na comparação com igual período de 2014, o aeroporto de Guarulhos, foi o que mais evoluiu: a nota do terminal subiu de 3,46 para 4,41 pontos. O aeroporto mais bem avaliado do País, entretanto, é o de Curitiba, com nota 4,51 no terceiro trimestre deste ano. O salto da nota de Guarulhos na satisfação geral é fruto da melhoria em 45 dos 48 indicadores da pesquisa.

Serviços
Os itens de tecnologia ainda são oferecidos em qualidade abaixo das expectativas dos passageiros. A disponibilidade de tomadas, por exemplo, só é muito boa em Campinas – os demais 14 aeroportos obtiveram nota abaixo de 4. Já a qualidade da internet sem fio (wi-fi) disponível nos terminais é avaliada como ruim ou muito ruim nos 15 aeroportos pesquisados.
Entre os itens essenciais, a disponibilidade de sanitários, por exemplo, é considerada muito boa em 11 aeroportos. Há dois anos, apenas seis terminais tinham avaliação acima da nota 4 neste indicador. A limpeza dos banheiros apresentou nota média acima de 4 em nove aeroportos. Os passageiros também classificaram a limpeza geral do terminal como muito boa em 14 aeroportos.
Curitiba liderou as notas dos indicadores conforto térmico e acústico do terminal, com 4,55 e 4,57, respectivamente. Viracopos e Natal lideraram nos demais. Viracopos em disponibilidade de sanitários (4,70) e limpeza geral do aeroporto (4,74) e São Gonçalo do Amarante em conforto na sala de embarque (4,60).

A pesquisa
Esta é a 11ª rodada trimestral da pesquisa feita pela Praxian – Business & Marketing. O nível de confiança é de 95%, com margem de erro de 5%. Nos 33 meses em que é realizada, a média da satisfação geral dos passageiros com os 15 aeroportos evoluiu de 3,81 para 4,15, uma diferença de 0,34 décimos.
Para saber mais sobre a pesquisa, acesse aqui.
http://www.aviacao.gov.br/assuntos/aeroportos/pesquisa-satisfacao
Fonte - Portogente  13/11/2015

O fato além da notícia - Metrô de Salvador

Transportes sobre trilhos

Sobre as obras da linha 2 do Metrô de Salvador no canteiro central da Av.Paralela, os fatos e os factoides


Salvador Sobre Trilhos - A.Luis
foto - ilustração
Não obstante as criticas algumas por puro oportunismo e outras por falta de conhecimento e informação,cabe-nos aqui uma explicação com relação as obras da linha 2 do Metrô de Salvador na Av. Paralela.Não só a Prefeitura de Salvador bem como todos os órgãos ambientais e outros envolvidos na concessão das devidas licenças,têm pleno conhecimento de todo projeto em todas as suas fases e em todos os seus detalhes.É do do conhecimento de todos os entes envolvidos que após a conclusão das obras civis será feita a recomposição da área verde do canteiro central da Av.,com a criação e implantação de um novo parque linear onde serão replantadas 3 vezes mais espécies,"preferencialmente de mata nativa",do que o numero atualmente existente,resultado do novo projeto urbanístico e paisagístico desenvolvido para o local.A relocação das arvores retiradas,dos atuais jardins esparsos existentes,em novos locais esta sendo feita inclusive por empresa indicada pela Prefeitura de Salvador,que lhe presta serviços nesse tipo de atividade.As lagoas citadas estão sendo aterradas provisoriamente apenas para a servirem de base para construção dos pilares das pontes que passaram por cima do espelho d'água.Todo aterro será depois totalmente removido e as lagoas serão desassoreadas (retirada de todos os detritos acumulados ao longo do tempo,por falta de manutenção,no leito das mesmas,trazidos pelas águas das chuvas),as suas bordas receberão tratamento paisagístico e as lagoas ficaram mais sadias e mais profundas.Toda fauna foi cuidadosamente retirada e relocada em outros ambientes similares,tudo feito com autorização e supervisão dos órgãos ambientais.
imagem - ilustração/Sedur
O Movimento Salvador Sobre trilhos tem acompanhado de perto o andamento das obras do Metrô mantendo reuniões periódicas com a presidência da CTB e a Diretoria Institucional da CCR onde dialoga sobre os projetos,apresenta sugestões e encaminhamentos diversos sobre essas e outras demandas.Na segunda feira 09/11,o Mov.Salvador Sobre Trilhos participou de duas reuniões,uma com o Presidente de CTB e outra com o Diretor de Assuntos Institucionais da CCR onde tratou de assuntos referentes as obras da Av.Paralela em todos os seus aspectos e tudo nos foi detalhadamente explicado,sobre o projeto sobre o andamento das obras e as providências adotadas para o bom andamento da mesma.Toda a obra do sistema Metroviário de Salvador,composta pelas linha 1 e linha 2,possui todos os licenciamentos ambientais devidos e necessários,além do acompanhamento regular de todos os órgãos envolvidos.Estamos acompanhado todo processo regularmente sempre mantendo contatos diretos e reuniões com a CTB/Sedur e a CCR. Os factoides são sempre criados com o objetivo único de confundir a população e gerar um clima negativo em torno da obra em andamento.
Salvador Sobre Trilhos  13/11/2015

A partir de segunda-feira, trens do metrô de Recife vão receber bicicletas diariamente

Transportes sobre trilhos

A ideia é oferecer a opção dos 39,5 Km de percurso por trilhos aos trabalhadores que usam a bicicleta como meio de transporte, aumentando a possibilidade do uso do modal para deslocamentos maiores e contribuindo para mobilidade da cidade.

Diário de Pernambuco
foto - DP
A partir da próxima segunda-feira os ciclistas poderão entrar de bicicleta, todos os dias, nos trens do Metrô do Recife. O horário, no entanto, é limitado: a partir das 20h30 e apenas no primeiro vagão, perto do maquinista. As regras para utilização estarão afixadas nas estações do Metrô.
A ideia é oferecer a opção dos 39,5 Km de percurso por trilhos aos trabalhadores que usam a bicicleta como meio de transporte, aumentando a possibilidade do uso do modal para deslocamentos maiores e contribuindo para mobilidade da cidade. A medida atende a solicitação da Associação Metropolitana de Ciclistas do Grande Recife (Ameciclo).
Há cinco anos, as bikes são bem vindas no metrô, aos sábados a partir das 13h e aos domingos, durante todo o dia.
Fonte - Diário de Pernambuco  13/11/2015

Tragédia pode acelerar código de mineração

Tragédia ambiental

O relator do projeto, deputado Leonardo Quintão (PMDB-MG), rejeitou no ano passado duas emendas que propunham a exigência desse tipo de seguro.Após o trágico rompimento da barragem da Samarco, Quintão recuou. Ele disse ao Valor que vai fazer pelo menos duas alterações no texto do novo código, entre elas a exigência de contratação de seguro ambiental.

Valor Econômico - RF
foto - ilustração - Ag.Brasil
A tramitação do novo Código de Mineração na Câmara ignorou até agora propostas de mudanças na legislação do setor que obrigariam as empresas a contratar seguro ambiental para projetos com potencial de contaminação da água ou do solo. O relator do projeto, deputado Leonardo Quintão (PMDB-MG), rejeitou no ano passado duas emendas que propunham a exigência desse tipo de seguro.
Após o trágico rompimento da barragem da Samarco, Quintão recuou. Ele disse ao Valor que vai fazer pelo menos duas alterações no texto do novo código, entre elas a exigência de contratação de seguro ambiental. A outra mudança será a obrigatoriedade de que as mineradoras tenham um programa de tratamento dos resíduos gerados na atividade de extração.
"Vamos aprimorar o código e exigir a contratação de um seguro que não afete a competitividade das empresas", disse o deputado. A Samarco tem um seguro que vai cobrir apenas parte dos danos. A presidente Dilma Rousseff afirmou ontem que a empresa - que tem como sócios as mineradoras Vale e BHP - será multada em pelo menos R$ 250 milhões. Os Estados e municípios atingidos pelo "mar de lama" também poderão aplicar sanções, de acordo com a presidente.
No caso dos resíduos, o texto prevê apenas que as empresas terão isenção tributária para fazer o tratamento. Mas o relator considera que a tragédia de Mariana (MG) demonstrou que o tratamento adequado desses rejeitos deve passar a ser obrigatório. Ele observou que, em todos os debates que teve sobre o assunto, as mineradoras jamais demonstraram entusiasmo em cuidar dos resíduos.
O novo código está emperrado no Congresso desde junho de 2013. O relator atribui a "interesses privados" a dificuldade em votar o projeto na comissão especial que avalia a matéria. Nos bastidores, é difundida a tese de que as principais mineradoras do país não têm interesse na aprovação do novo marco regulatório e atuam para barrar o andamento do projeto. As empresas temem o aumento dos royalties cobrados pelo governo e a perda dos direitos de preferência na exploração de jazidas em que já iniciaram suas atividades de pesquisa.
Fonte - Revista Ferroviária  13/11/2015

Licitação do aeromóvel em Canoas ocorrerá em dezembro, diz prefeitura

Transportes sobre trilhos

O trajeto de 14,7 km ligará a região leste ao oeste da cidade, com uma outra via que levará ao Centro. Serão 22 estações que podem atender até 24 mil passageiros por hora. No entanto, inicialmente, serão transportados 5 mil.

G1 - ABIFER
foto - ilustração
Os primeiros editais que vão licitar a implantação do aeromóvel para a cidade de Canoas, na Região Metropolitana, deve ser lançado em dezembro de 2015. Em um primeiro momento serão licitados os serviços de readequação elétrica e do sistema hídrico nas vias, com orçamento de R$ 4 milhões e R$ 5 milhões, cada.
Também no final do ano deve ser lançada a licitação para a construção da via elevada orçada em aproximadamente R$ 90 milhões. A implantação Aeromóvel, um transporte movido com a força do vento, tem o objetivo de desafogar o trânsito das duas avenidas de maior movimento na cidade. A previsão é concluir a obra até 2018.
O trajeto de 14,7 km ligará a região leste ao oeste da cidade, com uma outra via que levará ao Centro. Serão 22 estações que podem atender até 24 mil passageiros por hora. No entanto, inicialmente, serão transportados 5 mil.
O Aeromóvel é uma tecnologia nacional desenvolvida no Rio Grande do Sul e já implantada em outros países, No entanto começou a funcionar em solo nacional em agosto de 2013 no Aeroporto Salgado Filho.
De acordo com o coordenador do projeto, Marcos Bosio, a ideia ainda está na fase de planejamento, porque diferente de metrô, o aeromóvel tem projetos com padrões já concebidos. “Tivemos que fazer toda a análise estrutural das vias e encontramos diversos obstáculos no caminho”, explicou, dizendo que alguns sequer estavam mapeados.
Para baratear o custo da tarifa deixando-o acessível e atraente para o público, de acordo coordenador do projeto, o secretário da Fazenda, Marcos Bosio, “nós vamos reestruturar todo o sistema de transporte de Canoas”.
“Para agente qualificar o sistema de transporte, a primeira coisa que temos que pensar é na equação sustentável em termos de custo”.
Fonte - ABIFER  12/11/2015

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Itaipu atinge marca histórica de produção de energia

Energia

Marca recorde de 2,3 milhões de megawatts-hora mantém a usina na posição de maior geradora de energia elétrica limpa e renovável do mundo.A nova marca é resultado de toda a energia produzida durante 31 anos e sete meses, a contar de maio de 1984, quando a binacional começou a operar.

Da Agência Brasil
Itaipu Binacional/Arquivo
A Itaipu Binacional atingiu nesta quinta-feira (12), às 8h, a marca recorde de 2,3 milhões de megawatts-hora (MWh), o que a mantém na posição de maior geradora de energia elétrica limpa e renovável do mundo. A nova marca é resultado de toda a energia produzida durante 31 anos e sete meses, a contar de maio de 1984, quando a binacional começou a operar.
Se fosse possível o armazenamento, o volume dessa energia seria suficiente para atender ao consumo de eletricidade do mundo inteiro por 38 dias e dez horas. Essa mesma quantidade também atenderia ao consumo de energia elétrica no Brasil por quatro anos e dez meses e, ainda, à demanda elétrica de uma cidade de grande porte, como São Paulo, por 78 anos.
A Usina de Itaipu responde, atualmente, por 17% de toda a energia elétrica consumida no país. A produção demandada pela binacional é fundamental para a infraestrutura energética, a integração e o desenvolvimento de todo o território brasileiro, destacou o superintendente de Operação da Itaipu, Celso Torino.
“É uma celebração enorme para a gente. Os dados são importantíssimos para o Brasil, uma vez que nenhuma outra usina ultrapassou a marca dos 2 bilhões de MWh. O número histórico reforça o marco de energia produzida pela Itaipu, que continua como a maior geradora de energia limpa e renovável do mundo, o que contribui não só economicamente com o país, mas também ambientalmente”.
A marca recorde da Itaipu ocorre em meio à crise hídrica que atinge alguns estados. O país vive, pelo segundo ano consecutivo, as consequências de fortes estiagens, devido à influência do El Niño. O fenômeno traz chuvas em excesso no Sul e seca intensa no Nordeste brasileiro.
Celso Torino destaca que a produtividade alcançada pela binacional é um avanço em relação à situação hidrológica do país, já que a Itaipu conseguiu aproveitar, somente em 2014, 99,3% dos seus recursos hídricos.
“Produção e produtividade são coisas diferentes. A produtividade se refere à relação entre a quantidade de MWh produzidos e os metros cúbicos de água que foram aproveitados. No ano de 2014, o índice operacional de produtividade foi 99,3%, ou seja, quase 100% de aproveitamento dos recursos hídricos, o que é bom para a situação de escassez que vive o Brasil. A boa notícia é que, neste ano, a produtividade se desenvolve de maneira similar”, acrescentou.
Fonte - Agência Brasil  12/11/2015

Aeroportos devem garantir acessibilidade em embarque e desembarque até dezembro

Acessibilidade

Passageiros não poderão mais ser carregados manualmente, exceto em emergências.Segundo a resolução 280/2013 da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), o acesso a aeronaves que tenham mais de 1,60 metro de altura deve se dar por meio de equipamentos "com ascenso ou descenso (como o ambulift) ou por rampa”.

Natália Pianegonda
Agência CNT*
foto -  Divulgação/SAC
Até o final deste ano, todos aeroportos brasileiros devem dispor de equipamentos que facilitam embarque e desembarque de passageiros com dificuldade de mobilidade. Cadeirantes, por exemplo, não poderão mais ser carregados manualmente, exceto em situações de emergência. Segundo a resolução 280/2013 da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), o acesso a aeronaves que tenham mais de 1,60 metro de altura deve se dar por meio de equipamentos "com ascenso ou descenso (como o ambulift) ou por rampa”.
Conforme as regras da Anac, aeroportos que movimentam mais de 500 mil passageiros por ano já precisam estar adequados às regras, previstas em uma resolução de 2013. Aqueles que recebem menos de 500 mil pessoas anualmente têm até dezembro para se adaptar.

Cartilha reúne principais orientações
As principais informações sobre os direitos dos passageiros com necessidade de atendimento especial estão reunidas no Guia de Direitos e Acessibilidade do Passageiro, lançado no dia 10 de novembro, em Brasília (DF). O material contém as principais responsabilidades das operadoras aeroportuárias e das companhias aéreas na garantia do atendimento íntegro aos usuários do transporte aéreo, em todas as fases da viagem.
Segundo as normas, têm direito à assistência diferenciada pessoas com deficiência, quem tem 60 anos ou mais, gestantes, lactantes, pessoas acompanhadas por criança de colo e quem tem mobilidade reduzida.
Tanto as empresas aéreas quanto as administradoras dos aeroportos estão sujeitas a multas que variam de R$ 10 mil a R$ 25 mil caso descumpram as determinações de acessibilidade definidas pela resolução da Anac.
*Com informações da SAC
Fonte - Agência CNT de Notícias 12/11/2015

5 cidades com o melhor transporte público do mundo Destaque

Mobilidade

A qualidade do transporte público em 5 cidades que podem podem servir de inspiração: Moscou(Russia),|Paris(França),Londres(Inglaterra),Nova York(EUA) e Tóquio(Japão).Nesses lugares a mobilidade urbana é tendência desde que foram planejados;não é “coisa da moda”

CicloVivo.
foto - ilustração  (metrô de Paris)
A qualidade do transporte público é um problema em vários países e não é novidade que na lista está incluído o Brasil. Mas, hoje vamos falar dos lugares que podem servir de inspiração. Listado pelo site Inhabitat, clique nas imagens para conferir cada uma das cidades onde estão os melhores sistemas de transporte público:

5º lugar: Moscou (Rússia)
Apesar de inaugurado há quase oitenta anos, em 1935, o sistema da capital russa é um dos mais pontuais do mundo. Mais de 8 milhões de passageiros utilizam diariamente o sistema ferroviário de Moscou, que tem 305 km de extensão.

4º lugar: Paris (França)
Independentemente de em que lugar de Paris você esteja, é possível encontrar uma estação de metro a cada 500 metros: são pelo menos 300 espalhadas pela cidade, interligando todas as áreas. E, para que as pessoas possam completar seus trajetos da melhor forma possível, a capital francesa ainda tem um sistema de aluguel de bicicletas com 1.400 estações.

3º lugar: Londres (Inglaterra)
A cidade do Big Ben tem o maior e mais antigo metrô do mundo. O Metropolitano de Londres, ou London Underground, que começou a operar 1863, ainda hoje é um dos mais eficientes, com 268 estações e cerca de 400 km de extensão. Além disso, a capital inglesa conta com uma vasta rede de ônibus, trens na superfície e bondes suburbanos que garantem a mobilidade diária da população londrina.

2º lugar: Nova York (Estados Unidos)
Na maior cidade dos EUA, as possibilidades de locomoção são muitas: ônibus, trem, metrô, bicicletas, balsas e até faixas exclusivas para pedestres fazem da cidade um dos melhores lugares do mundo para se deslocar utilizando o transporte público. Todos os sistemas funcionam 24 horas por dia, de forma a atender toda a demanda da cidade.

1º lugar: Tóquio (Japão)
A capital japonesa é uma das maiores cidades do mundo e tem o sistema de transporte mais complexo – e completo – do mundo: ônibus, metrô, balsas, VLTs, BRTs, diversas formas de locomoção somam cerca de 10,5 bilhões de viagens por ano. Com uma rede tão extensa, o sistema de transporte público é a espinha dorsal da cidade e a primeira opção da população para se deslocar.
Fonte - ANPTrilhos  12/11/2015

Ibama aplicará multas de R$ 100 milhões à mineradora Samarco

Desastre ambiental

A empresa é responsável pelas barragens Fundão e Santarém, que se romperam há uma semana, causando uma enxurrada de lama que inundou casas no distrito de Bento Rodrigues, em Mariana, na Região Central de Minas Gerais, em 5 de novembro último.

Da Agência Brasil
imagem - Ag.Brasil
O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) vai aplicar multas de R$ 100 milhões à mineradora Samarco, informou a presidente do órgão, Marilene Ramos.
A empresa é responsável pelas barragens Fundão e Santarém, que se romperam há uma semana, causando uma enxurrada de lama que inundou casas no distrito de Bento Rodrigues, em Mariana, na Região Central de Minas Gerais, em 5 de novembro último.
No total, o Ibama aplicará à Samarco duas multas: uma de R$ 50 milhões, pelo lançamento de rejeitos em rios próximos em decorrência do rompimento das barragens; e outra – no mesmo valor – em razão dos prejuízos causados à biodiversidade.
Segundo Marilene Ramos, o Ibama continua analisando a situação ambiental da área atingida pelo desastre. De acordo com o Ibama, o rompimento das barragens lançou 50 milhões de metros cúbicos de rejeitos em áreas vizinhas.
Marilene Ramos informou que, nos testes realizados até o momento, foram verificadas alterações nos padrões de qualidade da água em rios próximos, inclusive no Rio Doce, que passa pelos estados de Minas Gerais e Espírito Santo. Para a presidente do Ibama, as alterações de qualidade não significam, porém, a presença de substância tóxica na água.
O Corpo de Bombeiros de Minas Gerais informou que, até o momento, seis mortes foram confirmadas em razão do rompimento das barragens. Dois outros corpos foram encontrados e aguardam identificação.
Fonte - Agência Brasil  12/11/2015

Lava Jato poupou as estrangeiras

Política

As empreiteiras brasileiras acusadas de prática de suborno estão proibidas de firmar contrato com a Petrobras.As empresas estrangeiras Jurong, Keppel Fels, Saipem, Samsung e Mitsui não receberam visitas policiais para busca e apreensão nas filiais que todas têm no Brasil. Nem sofreram medida alguma por serem, como as brasileiras, acionadoras de corrupção e pagadoras de subornos. E continuam liberadas para fazer contratos com a Petrobras.

Janio de Freitas
É jornalista.Artigo publicado,originalmente,
no jornal Folha de S.Paulo - Portogente
foto - ilustração
Uma busca preliminar no que sucedeu desde a "Operação Juízo Final", criada há um ano para a prisão de dirigentes de empreiteiras, faz mais do que surpreender. E, dadas as indagações que suscita, clama por uma reflexão sobre as características não difundidas da Lava Jato e seus efeitos presentes e futuros.
Menos de uma semana depois daquela decisão que elevou o juiz Sergio Moro às culminâncias do prestígio, dava-se outro fato determinante na Lava Jato. Ex-gerente da Petrobras, Pedro Barusco assinava, em 19 de novembro, o acordo de delação premiada. Sua advogada era Beatriz Catta Preta, que mais tarde abandonaria os seus clientes, invocando ameaças recebidas. Ela e um batalhão de 14 procuradores e delegados da Polícia Federal assinaram o acordo.
Catta Preta já conduzira acordo semelhante para Julio Camargo. Sem vínculo com a Petrobras, esse lobista chegou a uma posição de destaque no noticiário da Lava Jato a partir da confissão de que ganhou muito dinheiro fazendo, em transações com dirigentes da estatal, a intermediação para as contratações da coreana Samsung e da japonesa Mitsui.
Mas Barusco foi o mais prolífico. Aqui mesmo, e quando seu nome mal fora citado, saiu a informação de que era o mais temido não só pelos já implicados, por estar com a vida pendente de um câncer. Foi dele a promessa de devolver quase U$ 100 milhões. Dinheiro de suborno recebido das maiores empreiteiras brasileiras. Mas não só. Além do que recebeu como gerente da Petrobras, depois Barusco foi subornado como diretor de uma empresa, a Sete Brasil, constituída para a produção de sondas destinadas ao pré-sal. Os estaleiros Jurong e Keppel Fels, de Cingapura, lhe pagaram alto pela obtenção e pelo valor das respectivas contratações.
Para não ficar só nas empreiteiras do Brasil e em grupos asiáticos, uma subornadora europeia enfeita a lista: um dos mais recentes delatores premiados, João Antonio Bernardi, descreveu subornos milionários de dirigentes da Petrobras para a contratação da italiana Saipem.
Decorrido um ano da Juízo Final, Ricardo Pessoa, dono da UTC, foi o mais noticiado dos dirigentes de empreiteiras brasileiras presos pela PF, com suas idas e vindas em torno da delação premiada. Dentre esses executivos, já há condenados a penas altas, como Sergio Mendes, da Mendes Júnior, com recente sentença de 19 anos. Em síntese, quem dentre eles não se dobrou à delação premiada, ou já está condenado, ou aguarda sentença em processo criminal por corrupção ativa, via suborno —e outras possíveis acusações em cada caso.
Nenhum dos dirigentes das empresas estrangeiras que pagaram suborno foi preso. Nem teve sua casa visitada pela PF para busca e apreensão de documentos. Nenhum está ou foi submetido a processo por suborno. Só os intermediários passaram por busca e apreensão. Como nos crimes de morte em que o matador e o intermediário são presos, mas o mandante não é incomodado. O Brasil conhece bem este tipo de critério.
As empreiteiras brasileiras acusadas de prática de suborno estão proibidas de firmar contrato com a Petrobras. O que tem implicações múltiplas também para a própria Petrobras.
As empresas estrangeiras Jurong, Keppel Fels, Saipem, Samsung e Mitsui não receberam visitas policiais para busca e apreensão nas filiais que todas têm no Brasil. Nem sofreram medida alguma por serem, como as brasileiras, acionadoras de corrupção e pagadoras de subornos. E continuam liberadas para fazer contratos com a Petrobras.
A diferenciação de tratamentos suscita inúmeras indagações, das quais a primeira pode ser esta: o objetivo da Lava Jato, e tudo o que a partir daí se irradia para o país todo, não era a corrupção, e só a corrupção?
Ah, sim, uma das cinco estrangeiras praticantes de corrupção, a Mitsui, ficou liberada para se tornar até sócia da Petrobras na Gaspetro. É o que acaba de fazer.
Fonte - Portogente  12/11/2015

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Governo avalia punição a empresas por rompimento de barragens em Minas

Desastre Ambiental

A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, disse hoje (11),“se couber aplicação de multa por parte da área federal,nós aplicaremos,seremos rígidos.Não tem essa história de achar que a pessoa não pune.Vai ter punição. Tem que, pela legislação brasileira, restaurar ambientalmente”, afirmou a ministra.

Da Agência Brasil
imagem - Ag.Brasil
A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, disse hoje (11) que o governo federal analisa eventuais punições às empresas responsáveis pelas duas barragens que romperam na última quinta-feira (5), em Mariana (MG). A barragem pertence à mineradora Samarco, controlada pelas empresas Vale e BHP Billiton.
Izabella classificou o ocorrido como “catástrofe ambiental” e lembrou que “a responsabilidade ambiental é da empresa empreendedora”.
“Se couber aplicação de multa por parte da área federal, nós aplicaremos, seremos rígidos. Não tem essa história de achar que a pessoa não pune. Vai ter punição. Tem que, pela legislação brasileira, restaurar ambientalmente”, afirmou a ministra.
foto - Ag.Brasil
Pelos cálculos do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), 50 milhões de metros cúbicos de lama foram liberados no ecossistema com o rompimento das barragens. A onda de lama que se formou destruiu Bento Rodrigues e chegou ao Espírito Santo.
A avaliação sobre os impactos ambientais só poderá ser feita após a estabilidade da lama e a liberação das áreas pela Defesa Civil, de acordo com o ministério. “O momento agora é o de apoiarmos a população e mitigamos os efeitos do acidente para assegurar o abastecimento de água para a população local”.
A ministra Izabella Teixeira vai, amanhã (12), a Mariana, para uma vistoria nos locais atingidos pelo rompimento das duas barragens. A presidenta Dilma Rousseff também deve ir à cidade, mas o Palácio do Planalto ainda não confirmou a informação.
Fonte - Agência Brasil 11/11/2015

Governo inaugura Estação Bonocô do metrô nesta sexta-feira

Transportes sobre trilhos

Estação do Bonocô do sistema metroviário de Salvador será inaugurada nessa sexta (13/11) as 9:00h com a presença do Gov. Rui Costa e do Ministro Gilberto Kassab.

Da Redação
foto - ilustração
O governador Rui Costa inaugura nesta sexta-feira (13), às 9h, a Estação Bonocô do sistema metroviário de Salvador.A cerimônia contará também com a presença do ministro das Cidades, Gilberto Kassab, do secretário de Desenvolvimento Urbano, Carlos Martins, presidente da CCR Metrô Bahia, Luís Valença, dentre outras autoridades.
Com 6.140 metros quadrados, a construção da Estação Bonocô durou 10 meses e contou com mais de 600 trabalhadores. O sistema metroviário entrou em operação em junho de 2014, um ano e dois meses após ser transferido para administração do Governo do Estado.

Orientações à imprensa
Os profissionais de imprensa interessados na cobertura devem se dirigir à Estação Retiro do metrô, onde pegarão o único trem que fará parada na Estação Bonocô, impreterivelmente, às 8h30. Os carros da imprensa devem ficar estacionados no Retiro para onde os profissionais retornarão somente após o término da cerimônia de inauguração. Após as 8h30, o único acesso à Bonocô será via passarela da estação. O local não possui espaço para estacionamento de carros.
Com informações da Secom Ba. 11/11/2015

Porto Maravilha o renascimento do Centro do Rio

Porto Maravilha 

Revitalizar essa região está entre as iniciativas mais interessantes de Eduardo Paes. Quando anunciada, houveram muitas dúvidas. Os eternos reféns dos veículos automotivos logo se revoltaram, O trânsito no Centro, é verdade, continua complicado. As obras do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) ainda continuam. Mas dá pra notar que aquilo tem um enorme potencial para dar certo.

GQ Brasil
foto - ilustração
Desde a reinauguração da Praça Mauá não tinha tido oportunidade de ir vê-la com meus próprios olhos. Só no feriado do fim de semana passado consegui enfim (re)conhecê-la. O bloco Bunytos de Corpo (anote: sem dúvida, um dos melhores do Carnaval) sairia dali para fazer seu esquenta para a folia que se aproxima. Ali, em meio à Praça Mauá dois belos museus despontam num cenário aberto para o mar. De um lado, o mais novo Museu do Amanhã, todo lindo e imponente por fora, prestes a ser inaugurado – após muitos atrasos, fala-se em dezembro como data oficial. Do outro lado, o já conhecido e belo MAR, o Museu de Arte do Rio.
Muitas famílias, jovens, adultos, idosos andavam por ali curtindo o espaço, brincando, numa festa a céu aberto sem a poluição que outros prédios e, especialmente, a Perimetral causavam por ali. Uma das iniciativas mais alardeadas pelo prefeito Eduardo Paes, a revitalização dessa região, conhecida como Porto Maravilha, dá sinais de uma revolução que promete aportar nesse espaço. As festas mais interessantes do Rio hoje acontecem em espaços daquela região, na Sacadura 154, no Pier Mauá, na antiga fábrica Behring.
E não só. Ocupações artísticas chegam com força na região. E os jovens estão cada vez mais interessados em desbravar as possibilidades que ela tem a oferecer. É curioso e interessante acompanhar esse movimento, parecido com as ocupações conferidas em bairros de outros lugares do mundo, como Kreuzberg, em Berlim, ou Williamsburg, em Nova York – região hoje já gentrificada com avanço da especulação imobiliária. Hoje, esse processo de ocupação artística em Nova York invade ainda mais o Brooklyn nova-iorquino. É um processo natural, que ainda vai demorar um bom tempo para chegar ao Porto Maravilha.
foto - ilustração
Revitalizar essa região está entre as iniciativas mais interessantes de Eduardo Paes. Quando anunciada, houveram muitas dúvidas. Os eternos reféns dos veículos automotivos logo se revoltaram: “como Eduardo Paes vai destruir a Perimetral, o trânsito vai virar um inferno, esse cara é louco!!!”. O trânsito no Centro, é verdade, continua complicado. As obras do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) ainda continuam. Mas dá pra notar que aquilo tem um enorme potencial para dar certo.
Uma gigantesca empresa do ramo de construção está de olho nesse movimento. E já negocia um interessante projeto para o Porto Maravilha para 2016, abrindo uma espécie de residência artística num grande prédio ali da região. O projeto abre espaço para artes e esportes de rua, como o grafite, o break, o skate, patins. E também para a gastronomia e o comércio, com um espaço público no meio.
Ao longo do percurso do Bunytos de Corpo (mais uma vez: procure saber!) foi lindo passear pelo Centro do Rio em pleno domingo. Um Centro ainda vazio, é verdade. Mas com grandes chances de virar uma região cheia de charme, cheirando a novo, ao contrário da desgastada Zona Sul. O Rio não é só a Zona Sul. Que venha o Porto Maravilha. Que seja abençoado – cuidado, visitado, ocupado. O medo é o melhor amigo da violência. E ocupar espaços vazios se faz necessário em uma cidade que é muito maior que Ipanema.
Fonte - ANPTrilhos  11/11/2015

Uma ponte para o retrocesso

Política

O documento programático do PMDB chamado pomposamente de “Uma Ponte Para o Futuro”, que pretende ser o esboço de um programa de governo merece, sob vários aspectos, uma atenção cuidadosa que só agora começa a se efetivar.

Por João Guilherme Vargas Netto *
imagem - Portogente
O papel aceita qualquer coisa, mas o escrito tem sempre algo a ver com a realidade.
O documento programático do PMDB chamado pomposamente de “Uma Ponte Para o Futuro”, que pretende ser o esboço de um programa de governo merece, sob vários aspectos, uma atenção cuidadosa que só agora começa a se efetivar.
Em nome de um partido que é aliado no governo, o documento afirma posições que explicitam o encaminhamento neoneoliberal para solucionar a crise política e a recessão na economia.
De maneira corajosa ousa afirmar aquilo que se pretende esconder e escancara uma visão rentista e contra os trabalhadores, apresentando um conjunto de medidas que configuram o desmanche das políticas sociais redistributivas e aperta ainda mais o nó da bancolândia sobre a economia.
O pacote é quase completo: desvinculação orçamentária total (sob o nome de “orçamento zero” ele seria estabelecido a cada ano ou a cada mandato presidencial sem respeitar as dotações para saúde e educação, por exemplo); fim da política de valorização do salário mínimo; desvinculação dos benefícios previdenciários, do seguro desemprego e de quaisquer verbas sociais do valor do salário mínimo; idade mínima para aposentadoria; negociado prevalecendo sobre o legislado e estou me referindo apenas àquelas medidas que dizem respeito diretamente aos direitos e conquistas dos trabalhadores, sem mencionar o reforço estonteante aos rentistas e aos especuladores (por exemplo, com o fim do regime de partilha na Petrobrás).
Perto desse programa o ajuste pretendido pelo ministro Levy parece ladainha de coro infantil e toda a confusão programática das oposições pode encontrar nele um desaguadouro seguro. No entanto, devido à complexidade da situação e à heterogeneidade do PMDB, é possível que após pressões e contra pressões o tom mude em meados de novembro.
O movimento sindical que se articula para discutir como enfrentar a recessão e retomar o desenvolvimento deve se pronunciar unitariamente contra as medidas lesivas aos interesses dos trabalhadores, falando alto e em bom som que esta ponte não conduz ao futuro, mas é passagem para o retrocesso.
* João Guilherme Vargas Netto é consultor sindical
Fonte - Portogente  11/11/2015

Exposição no Museu de Arte da Bahia retrata quilombolas

Arte&Cultura

No mês comemorativo do Novembro Negro, ‘Faces’ incorpora um projeto realizado pelo MAB e pela Secretaria de Promoção da Igualdade Racial do Estado (Sepromi). Além das questões estéticas e simbólicas, o objetivo da exposição é gerar uma reflexão a respeito da importância de questões ligadas à tradição e à luta do povo negro da Bahia em um momento em que o Brasil vive um período difícil e de intolerância.

Da Redação
Secom
Oferecer, por meio do retrato, a essência de uma ancestralidade que se perdia diante da fugacidade dos tempos atuais. Essa é a proposta da exposição ‘Faces’, do fotógrafo Alvaro Villela, no Museu de Arte da Bahia (MAB), no Corredor da Vitória, em Salvador, até o dia 30 deste mês. A exposição revela as expressões dos moradores das comunidades quilombolas de Barra e Bananal, no município de Rio de Contas, na Chapada Diamantina, e também convida o visitante a uma viagem sensorial, sinestésica, capaz de transportá-lo àquele mundo.
No mês comemorativo do Novembro Negro, ‘Faces’ incorpora um projeto realizado pelo MAB e pela Secretaria de Promoção da Igualdade Racial do Estado (Sepromi). Além das questões estéticas e simbólicas, o objetivo da exposição é gerar uma reflexão a respeito da importância de questões ligadas à tradição e à luta do povo negro da Bahia em um momento em que o Brasil vive um período difícil e de intolerância.
A exposição nasceu de uma imersão de Alvaro Villela, durante anos, em torno de duas comunidades formadas por descendentes de escravos que fugiram de um navio negreiro naufragado na costa sul da Bahia, no século 17. Depois de muito perambular, assentaram-se às margens do rio Brumado, em Rio de Contas, onde vivem até hoje.
Fotógrafo reconhecido nacional e internacionalmente, com exposições do calibre de ‘Cuba dos Cubanos’ e ‘A Natureza do Homem no Raso da Catarina’, entre outras, depois de anos de pesquisa e documentação, Alvaro Villela sentiu-se desafiado a buscar imagens que revelassem a ligação das comunidades quilombolas com sua cultura ancestral. “Foi, então, que percebi o quanto a ancestralidade está diluída com outros maneirismos, com certos costumes e até mesmo com outra religião da professada por seus antecessores”.
Diante da percepção de que havia uma forte diluição da memória, a solução encontrada por Villela foi buscar na simplicidade do retrato, a essência de toda a ancestralidade distante. “Montamos um pequeno estúdio na casa de Dona Joanita, uma sorridente moradora local”, explica ele, para depois revelar que utilizou “um pano preto ao fundo, o qual descontextualizou as pessoas, criando-lhes a sensação de desaparecimento deles mesmos, fazendo, assim, uma alusão à distante ancestralidade”.

Visitas guiadas
Secom
Segundo o fotógrafo, no começo, as pessoas resistiram, mas depois de verem as fotos de cada um, a emoção falou mais forte. “A tensão inicial deu lugar a risos e a deliciosos comentários sobre as suas faces. Apresentados os primeiros resultados, algumas pessoas se surpreenderam com a própria imagem, o que me leva a crer que elas não se olham ou não se veem. Uma senhora negra de olhos claros já tinha ouvido falar da cor dos seus olhos, mas não tinha certeza de como eles são”.
Em ‘Faces’, o público se depara com 15 grandes retratos em uma sala escura, que valoriza o recorte de luz que os ilumina. A composição vem acompanhada por sons da noite das comunidades quilombolas, o que reforça o conceito de instalação proposto pelo artista. “É uma exposição sinestésica, dos sentidos”, afirma Villela, que depois, para contrapor, traz o espectador para um choque de realidade, ao apresentar um audiovisual com imagens cotidianas dos povoados de Barra e Bananal.
Villela comandará visitas guiadas com o objetivo de discutir as suas opções estéticas, além de situar e oferecer aos espectadores informações mais detalhadas dos universos quilombolas retratados. O público também vai se deparar com um espaço no qual se encontra uma carta de alforria do século 19 e ainda um pelourinho, instrumento de tortura dos escravos, parte do acervo do MAB. A visitação acontece gratuitamente de terça a sexta-feira, das 13 às 19h, além de sábado, domingo e feriados, das 14 às 18h.
Com informações da Secom Ba.  11/11/2015

Governo quer intensificar leilões

Infraestrutura

Anunciado em junho, o PIL 2 projeta estimular investimentos de R$ 198,4 bilhões em rodovias, ferrovias, aeroportos e portos. Desse total, R$ 69,2 bilhões devem ser aplicados até 2018. "Estamos chegando ao final da fase de estudos e projetos e notamos um grande interesse por parte dos investidores", diz. 

Valor Econômico - RF
foto - ilustração
Os primeiros editais de concessões previstas na segunda etapa do Plano de Investimento em Logística (PIL 2) foram publicados na última semana de outubro. O governo federal prevê leiloar na BM&FBovespa três terminais no Porto de Santos (SP) e um no Porto de Vila do Conde (PA). Maurício Muniz, secretário do Ministério do Planejamento responsável pelo PIL, diz que os próximos meses serão intensos em editais e leilões nas quatro áreas do programa.
Anunciado em junho, o PIL 2 projeta estimular investimentos de R$ 198,4 bilhões em rodovias, ferrovias, aeroportos e portos. Desse total, R$ 69,2 bilhões devem ser aplicados até 2018. "Estamos chegando ao final da fase de estudos e projetos e notamos um grande interesse por parte dos investidores", diz. Segundo Muniz, um indício do interesse da iniciativa privada é o número de empresas que se inscrevem para a modelagem de pelo menos 55 projetos por meio do Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI). Os trabalhos só são remunerados para o vencedor da concessão, caso o leilão seja efetivado. "É uma demonstração de confiança no avanço do PIL."
No modal rodoviário, o PIL 2 prevê a concessão de 7 mil quilômetros em 16 rodovias, gerando R$ 51,4 bilhões em investimentos. A ideia é leiloar quatro rodovias em 2015 e 12 em 2016. Entre as concessões programadas para este ano, está incluído um leilão realizado antes mesmo do anúncio do PIL, o da Ponte Rio-Niterói, ocorrido em março e vencido pela Ecorodovias. Muniz informa que o governo trabalha para publicar até o fim do ano os editais da rodovia BR- 476 (Paraná-Santa Catarina), e de trechos rodoviários das BRs 364/365 (Goiás-Minas Gerais) e BRs 364/060 (Mato Grosso e Goiás). O leilão da BR-163 (Pará), previsto para este ano, deve ficar para o início de 2016.
Os aeroportos que estão previstos para serem privatizados são os de Salvador (BA), Porto Alegre (RS), Fortaleza (CE) e Florianópolis (SC). A previsão de investimentos é de R$ 8,5 bilhões. Muniz diz que os estudos foram concluídos em outubro e estão sob avaliação da Secretaria da
Aviação Civil e devem ser encaminhadas para análise do Tribunal de Contas da União (TCU) no início de 2016. Os editais devem ser publicados no primeiro trimestre. O cronograma, diz Muniz, atenderá uma avaliação da conveniência mercadológica da realização de cada leilão.
Os investimentos em ferrovias somam R$ 86,4 bilhões, sendo quase a metade (R$ 40 bilhões) na chamada Bioceânica, prevista para interligar o Atlântico ao Pacífico, cortando o Brasil e o Peru. Segundo Muniz, os projetos de concessão de quatro trechos ferroviários devem ser encaminhados ao TCU no primeiro semestre de 2016, com publicação de editais prevista para o final do ano.
Os projetos que estão em andamento são para a construção da ferrovia Rio-Vitória, que está em fase final de modelagem. Os estudos de três trechos da Norte-Sul, foram concluídos entre setembro e outubro. São entre Lucas do Rio Verde (MT) e Miritituba (PA); Anápolis (GO), Estrela D'Oeste (SP) e Três Lagoas (MS); e entre Anápolis, Barcarena (PA) e Açailândia (MA).
A concessão dessas ferrovias estava prevista no PIL 1, anunciado em 2012 sem sucesso. Na ocasião, o governo propôs um modelo no qual o vencedor construiria a ferrovia e faria sua manutenção. A remuneração seria feita pela estatal Valec, também responsável pela compra da capacidade de transporte de carga e comercialização do direito de passagem. Sem aceitação no mercado, o governo retomou o modelo antigo, em que o concessionário tem liberdade para comercializar o tráfego.
O consultor especializado em infraestrutura Mauricio Endo, sócio da KPMG, diz que o governo acertou em recuar de sua proposta inicial, por que a ideia de centralizar a comercialização na Valec gerou incertezas. "A Valec é uma estatal que não tem balanço publicado nem receita que garanta o pagamento aos concessionários. Dependeria de repasses do governo federal. E não há certeza em relação a capacidade do governo em transferir os recursos necessários."
Endo avalia que o governo também acertou ao adotar o sistema de outorga onerosa na área portuária. As concessões no setor também não obtiveram sucesso no PIL de 2012 ao tentar estabelecer critérios quantitativos de movimentação de carga e políticas tarifárias. "O governo levou um choque de realidade. Entendeu que as concessões devem seguir a lógica de mercado para atrair o investidor."
O PIL 2 prevê o arrendamento de 50 terminais em portos públicos, com investimentos de R$ 11,9 bilhões. Além dos quatro leilões do dia 9 de dezembro, outros quatro terminais têm aprovação do TCU. Os editais devem ser publicados ainda este ano, sendo três em Outeiro e um em Santarém, no Pará. Está prevista a autorização para a construção de 63 Terminais de Uso Privado (TUPs), com investimentos de R$ 14,7 bilhões e a renovação antecipada de 24 arrendamentos em portos públicos, com investimentos de R$ 10,8 bilhões.
Fonte - Revista Ferroviária  11/11/2015

Mais seis estações do Bicicletar serão entregues em Fortaleza nesta quinta-feira

Mobilidade

Novas estações beneficiarão bairros Fátima, José Bonifácio e Parreão.O projeto incentiva o uso da bicicleta como meio de transporte

Diário do Nordeste
PMF/Divulgação
A Prefeitura de Fortaleza entregará, nesta quinta-feira (12), seis novas estações de bicicletas compartilhadas do projeto Bicicletar, que beneficiarão o Bairro de Fátima, José Bonifácio e Parreão (Regional IV).
As novas estações ficam no Supermercado Extra Aguanambi, Igreja de Fátima, Banco do Brasil da Avenida 13 de Maio, Centro de Humanidades da UECE (Rua Ministro Joaquim Bastos, próximo à Av. Luciano Carneiro); Rodoviária (Av. Dep. Oswaldo Studart, próximo à Av. Borges de Melo) e Jornal O Povo (Rua Lauro Maia, próximo à Av. Aguanambi). As estações passam a operar a partir de 5 horas desta quinta.
O projeto, executado pela Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos (SCSP), por meio do Plano de Ações Imediatas de Transporte e Trânsito de Fortaleza (PAITT), incentiva o uso da bicicleta como meio de transporte que não polui o meio ambiente e contribui para uma mobilidade sustentável na cidade. A Unimed Fortaleza segue como patrocinadora do sistema na Capital.
Com a entrega dos equipamentos, Fortaleza agora conta com 58 estações de bicicletas compartilhadas, com um total de 580 bicicletas. Até o dia 18 deste mês, serão implantadas mais duas estações, totalizando as 20 estações previstas para esta etapa do projeto. Com isso, Fortaleza passará a ter 60 estações de compartilhamento oferecendo 600 bicicletas ainda neste ano. A previsão é de chegar ao total de 80 estações do Bicicletar até março de 2016.
Fonte - Diário do Nordeste  11'/11/2015

Produção industrial na China cai para 5,6% em outubro

Internacional

A taxa foi 5,6%, ligeiramente abaixo da marca de 5,7% registrada em setembro.

Da Agência Lusa
foto - ilustração
O crescimento do índice de produção industrial da China, que mede a atividade nas fábricas, oficinas e minas do país, caiu para o nível mais baixo dos últimos seis meses em outubro, anunciou hoje (11) o Gabinete Nacional de Estatísticas. A taxa foi 5,6%, ligeiramente abaixo da marca de 5,7% registrada em setembro.
O gabinete informou que o investimento em ativos fixos, que mede os gastos em infraestrutura, avançou 10,2%, entre janeiro e outubro de 2015, em relação ao mesmo período do ano passado.
As vendas no varejo, um indicador-chave do consumo, cresceu 11%, o valor mais alto desde dezembro de 2014, quando avançou 11,9%.
A economia chinesa registrou no terceiro trimestre deste ano o mais baixo crescimento desde o pico da crise financeira internacional (6,9%), mas dentro da meta do governo para 2015, de "cerca de 7%".
Fonte - Agência Brasil  11/11/2015

CNT é contrária à paralisação dos caminhoneiros autônomos

Transportes de carga

Confederação destaca que encontra-se em pleno trabalho o Fórum Permanente do Transporte Rodoviário de Cargas.A CNT respeita o direito constitucional de livre manifestação e reivindicação de toda a sociedade e de cada indivíduo, porém não endossa as manifestações ilegais e que não respeitam o direito coletivo....

Ag.CNT
Sérgio Alberto/Arquivo CNT
A Confederação Nacional do Transporte (CNT), entidade superior que atua na defesa dos interesses do setor de transportes, vem a público repudiar os recentes protestos de caminhoneiros autônomos orquestrados desde o dia 09/11 pelo Comando Nacional do Transporte.
A CNT respeita o direito constitucional de livre manifestação e reivindicação de toda a sociedade e de cada indivíduo, porém não endossa as manifestações ilegais e que não respeitam o direito coletivo, promovem o desabastecimento, impedem o livre direito de circulação, acesso aos bens e serviços públicos e causam transtornos a toda a sociedade.
É importante destacar que encontra-se em pleno trabalho o Fórum Permanente do Transporte Rodoviário de Cargas, colegiado de diálogo e negociação, de temas sensíveis ao setor de transporte rodoviário de cargas, que reúne representantes dos caminhoneiros autônomos, empresas de transporte de cargas, embarcadores e Governo.
Por fim, consideramos imoral e repudiamos qualquer mobilização que se utilize da boa-fé dos caminhoneiros autônomos para promover o caos no País e pressionar o Governo em prol de interesses políticos ou particulares, que não se coadunam aos problemas da categoria.
Fonte - Agência CNT de Notícias  10/11/2015

Projeto "Educando Jovens para o Trânsito" é premiado em Alagoas

Trânsito

Durante todo o ano de 2014, mais de 550 professores foram capacitados, 97 escolas atendidas e mais de 50.000 alunos envolvidos. A estrutura montada para atender o Programa “Educando Jovens Para o Trânsito” foi um fator determinante para o sucesso.

Mariana Czerwonka
Portal do Trânsito
*Grupo Educando Jovens para o Trânsito
O programa denominado “Educando Jovens Para o Trânsito”, promovido pelo Departamento Estadual de Trânsito de Alagoas (Detran/AL) em parceria com a Secretaria de Estado da Educação e do Esporte (SEE), que foi iniciado em abril de 2014, foi premiado no Concurso de Ações Inovadoras, promovido pelo Governo do Estado de Alagoas.
Nessa premiação o Governo reconhece grandes ideias inovadoras, que buscam disseminar práticas que representam avanços, transformações dos valores, soluções e mudanças significativas nos padrões da prestação dos serviços públicos para o Estado de Alagoas.
Para Celso Alves Mariano, especialista em trânsito e diretor da Tecnodata Educacional, empresa responsável pelo material didático e pelo acompanhamento técnico pedagógico utilizado no programa, o sucesso de um projeto como esse não é bom apenas para Alagoas, é bom para o trânsito brasileiro. “É prova de que, com uma boa estrutura, um bom material didático e acompanhamento, é possível envolver os jovens e modificar seus comportamentos através de um processo educativo”, conclui.
Durante todo o ano de 2014, mais de 550 professores foram capacitados, 97 escolas atendidas e mais de 50.000 alunos envolvidos. A estrutura montada para atender o Programa “Educando Jovens Para o Trânsito” foi um fator determinante para o sucesso. “O suporte para os professores, através de visitas mensais nas escolas, foi imprescindível para o sucesso, pois serviu para inserir o tema trânsito no dia a dia de sala de aula, derrubar barreiras e mostrar aos professores que era possível trabalhar com o tema de forma interdisciplinar”, informou Eliane Pietsak, pedagoga da Tecnodata Educacional.
Ainda segundo a pedagoga, alguns resultados práticos foram colhidos pelos envolvidos no projeto. “As escolas relatam mudança de comportamento por parte dos alunos que passaram, por exemplo, a utilizar capacete para andar de motocicleta e o cinto de segurança nos veículos. Além disso, escolas conseguiram a implantação de faixas de pedestre em frente as suas dependências a partir do envolvimento e mobilização da comunidade, conseguidos depois da implementação do Programa. Muito professores passaram a adotar comportamentos mais seguros no trânsito tendo como foco a prevenção e a percepção de risco e não mais a fiscalização como principal motivador destas mudanças”, conclui.
* A foto foi tirada do Grupo Educando Jovens para o Trânsito, criado no Facebook para que os participantes do Projeto expressem suas ideias, contem suas experiências e ajudem a tornar o trânsito do seu estado mais humano, funcional e seguro.
Fonte - Portal do Trânsito  10/11/2015

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Para moradores do RJ, metrô vai economizar tempo e até permitir mais convivência com os filhos

Transportes sobre trilhos

O investimento total,de R$ 10,3 bilhões,envolvem 16 km de túneis, seis estações,zonas de manobra e estacionamento de composições,a implantação de sistemas operacionais e a aquisição de trens.Assim como acontece com as Linhas 1 e 2,o passageiro poderá utilizar todo o sistema metroviário da cidade com uma única tarifa.

Blog do Planalto
foto - ilustração
Com 80% dos investimentos oriundos do governo federal, por meio do BNDES e do Banco do Brasil, a Linha 4 do metrô do Rio de Janeiro (RJ), vai transportar, a partir do primeiro semestre de 2016, mais de 300 mil pessoas por dia e vai retirar das ruas mais de 2 mil carros por hora/pico no eixo Barra da Tijuca – Zona Sul. Assim como acontece com as Linhas 1 e 2, o passageiro poderá utilizar todo o sistema metroviário da cidade com uma única tarifa.
O investimento total, de R$ 10,3 bilhões, envolvem 16 km de túneis, seis estações, zonas de manobra e estacionamento de composições, a implantação de sistemas operacionais e a aquisição de trens.
O Blog do Planalto conversou com cariocas que ganharão muito tempo, que hoje gastam no trânsito, ao trocar o modo de deslocamento atual pelos trens da Linha 4, que vai ligar a Barra da Tijuca a Ipanema, passando por seis estações: Nossa Senhora da Paz, em Ipanema; Jardim de Alah e Antero de Quental, no Leblon; Gávea; São Conrado e Jardim Oceânico, na Barra.

Veja os depoimentos abaixo:
Ângela Neves, digitadora de laudos médicos
“É para trabalho, para não ficar saindo de um transporte para ir para o outro, vai direto. Ate mesmo para quem vai para a faculdade, ajudaria bastante. A gente ganha em tempo, né, a verdade é essa. No mínimo uma meia hora nós vamos ganhar aí, porque é o tempo de descer do metrô aqui, no integração, pegar uma integração para ir parar lá, é um tempo que você já continuaria no metrô diretamente.”
Wagner Alviano, morador da Barra da Tijuca
“Trabalho segundas, terças, quartas e quintas em Ipanema. Então o meu percursos é frequentemente atrapalhado pelo trânsito da cidade. Hoje eu tenho que sair de casa com 1h, 1h30 de antecedência para cumprir minhas obrigações em Ipanema, Leblon; e na volta o trânsito me leva 1h, 1h20 no percurso Ipanema-Barra. Tenho dois filhos, esse é talvez o maior propósito para mim de diminuir o trânsito, porque eu poderei vê-los mais.
Wilzilene Rodrigues, diarista
[Hoje] eu tenho que descer aqui na estação General Osório [em Ipanema] e ainda pegar a integração para a Gávea, porque eu costumo ir ao médico na Gávea. Eu tenho que pegar a integração do metrô, mesmo, né. Mas aí é bom que eu não vou precisar fazer isso: descer, subir plataforma nenhuma, porque eu já vou ir direto. Trânsito, hora, tempo, com certeza muito melhor.”
Leonardo Ribeiro, morador da Rocinha e garçom em Ipanema
“O metrô vai me ajudar bastante a vir mais rápido aqui para Ipanema, para o trabalho. Hoje eu venho de ônibus, às vezes pego engarrafamento, vai me ajudar bastante. Quando não está engarrafado é rápido, mas quando está engarrafado pega duas horas… O metrô vai ser bem rápido, questão de minutos”.
Wallace Diogo Mesquita, trabalha nas obras da nova linha na carpintaria e na construção de calçadas
“Vai ser benefício não só para as Olimpíadas, mas para o Rio de Janeiro todo e para a minha comunidade também, que eu moro na Rocinha e eu lá vai ter um estação também. Minha família, a família dos meus companheiros que estão trabalhando também. Para a gente é muito gratificante poder apresentar a obra para os meus filhos e falar: ‘o papai trabalhou aqui’; futuramente os meus netos também: ‘o vovô trabalhou aqui’.”
Inaldo Rafael dos Santos, trabalhador da obra do metrô há 5 anos
“Além de ser uma obra que vai atender a todos nós, para o nosso bem, e para filhos e netos que estão vindo aí, é uma obra que vai ficar para o resto da vida. E a gente vê o quanto essa é útil. Esse pessoal aqui que mora no Leblon e todos esses bairros que vão perto da estação, vai poder deixar o carro em casa e ir lá para o centro com o carro guardado na garagem. Então é uma obra que vai ser bom para todo mundo, para morador, enfim, para todos.
Luciene da Conceição Cruz, motorista de caminhão-betoneira nas obras da linha 4
“Moro na Baixada [Fluminense], então para eu chegar aqui à zona sul vai ficar muito mais rápido quando concluir essa linha nova do metrô. Durante as Olimpíadas, ver todo mundo utilizando esse meio de transporte que eu ajudei a construir, com certeza vai dar orgulho imenso, né. Trazer minha família para dar uma volta, um passeio e falar: ‘fiz parte desse projeto aqui também’. Estou bem feliz, bem satisfeita.”
Fonte - ABIFER 10/11/2015