sábado, 3 de outubro de 2015

Recuperação de atracadouros reforça turismo em Morro de São Paulo

Turismo

De acordo com o coordenador de terminais da Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações da Bahia (Agerba), Neomilton Nogueira, a recuperação dos atracadores reforça o turismo na região. “Os terminais hidroviários de Morro de São Paulo, Gamboa do Morro e Ponta do Curral formam um sistema para quem quer visitar os melhores pontos turísticos da região. 

Da Redação
Foto: Elói Corrêa/GOVBA
Chegar a Morro de São Paulo e Gamboa do Morro, distritos de Cairu, no baixo sul da Bahia, é possível apenas pelo ar ou pelo mar. Situadas em uma ilha, onde não é permitida a entrada de carros nem por balsa, as duas localidades atraem turistas do mundo inteiro pelas suas belezas naturais. Para facilitar a vida de visitantes e de quem mora na região, estão sendo recuperados os três principais terminais atracadouros – em Gamboa, em Morro e em Ponta do Curral, no município de Valença -, por onde passam diariamente cerca de duas mil pessoas na alta estação.
Os terminais estão sendo pintados, vão ganhar câmeras de monitoramento e os píeres recebem pisos de madeira de lei. Em Ponta do Curral e Gamboa do Morro, foram instaladas praças de alimentação e os flutuantes dos atracadouros estão sendo reforçados com fibra de vidro, para não se degradarem com a ferrugem. Em Ponta do Curral, o salão de passageiros também passa por ampliação.
De acordo com o coordenador de terminais da Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações da Bahia (Agerba), Neomilton Nogueira, a recuperação dos atracadores reforça o turismo na região. “Os terminais hidroviários de Morro de São Paulo, Gamboa do Morro e Ponta do Curral formam um sistema para quem quer visitar os melhores pontos turísticos da região. Antes da reforma, os atracadouros não teriam condições de atender a demanda de visitantes que escolhem essa parte do território baiano para conhecer e se divertir. Hoje a situação é outra. Estamos preparados, inclusive com todos os flutuantes recuperados, para acolher os turistas”, afirma o coordenador.

Melhorias
Foto: Elói Corrêa/GOVBA
A reforma beneficia turistas como uruguaio Diego Perez, 27 anos, que está encantado por Morro de São Paulo. “Eu acho que aqui tem muita natureza, é um atrativo turístico muito bom e tem infraestrutura comercial. Vale a pena vir e voltar depois”. Já Arlete Argolo, proprietária de uma operadora de turismo em Morro de São Paulo, afirma que os equipamentos são fundamentais para quem trabalha na área.
“As pessoas que vêm via Valença passam por estes atracadouros. Com a reforma, vai melhorar para o encostamento dos barcos, do turista, e os embarques e desembarques serão mais rápidos. Vai melhorar em tudo. Veio em boa hora, com o verão chegando”, destaca Arlete.
Marinheiro há 15 anos, Carlos Luís Pereira passa os dias realizando os trajetos entre os três atracadouros, levando turistas, moradores e transportando mercadorias e insumos que são consumidos na Gamboa e em Morro. “Antes, o píer era muito fraco. O atracamento era ruim, a ponte caiu e já foi consertada. Para mim, está melhorando a cada dia que passa. Isso [a recuperação] é importante por causa dos moradores e do turismo, que é muito forte aqui na região”.
Ronaldo Martins, 55 anos, comerciante e morador de Gamboa do Morro, ressalta que a reforma do atracadouro é importante para a comunidade inteira. “Do jeito que está, às vezes, causa acidentes. Agora vai melhorar muito, para o turismo, para o comércio e para a comunidade”.
Com informações da Secom Ba.  03/10/2015

Índios Guarani Kaiowá denunciam ataques e pedem demarcação de terras

Direitos Humanos

Elizeu Lopes, líder indígena, denuncia o envolvimento de fazendeiros e, inclusive, da polícia e de políticos locais nos ataques. Nos últimos dois meses, as tribos sofreram 12 agressões e pelo menos quatro foram mortos. Os pistoleiros e agressores utilizam armas de fogo, balas de borracha e promovem espancamentos.

Fernanda Cruz
Repórter da Agência Brasil
foto montagem - ilustração
Indígenas da etnia Guarani Kaiowá reclamam dos constantes ataques de milícias armadas às comunidades do Mato Grosso do Sul. Nos últimos 12 anos, 390 índios foram assassinados no estado, de acordo com o Conselho Indigenista Missionários.
Elizeu Lopes, líder indígena, denuncia o envolvimento de fazendeiros e, inclusive, da polícia e de políticos locais nos ataques. Nos últimos dois meses, as tribos sofreram 12 agressões e pelo menos quatro foram mortos. Os pistoleiros e agressores utilizam armas de fogo, balas de borracha e promovem espancamentos.
“Do último ataque contra o Simão [Vilhalva], nós ficamos sabendo que tem investigação, mas é muito lenta. A Polícia Federal foi rápida e comprovou que o corpo foi baleado na cabeça”. Simão morreu no município de Antonio João, em Mato Grosso do Sul.
A demarcação de terras é uma das principais questões que levam ao conflito no campo. Atualmente, estão paralisados os processos de demarcação e, assim, 45 mil índios precisam viver em apenas 30 mil hectares.
Segundo Elizeu, por esse motivo os povos indígenas passam a viver nas terras onde existe conflito, almejando mais área livre. “Lá a gente tem pelo menos o espaço para produzir, para o sustento próprio, para garantir o sustento e não depender de cestas básicas.”
O líder indígena passou 15 dias na Europa pedindo ajuda aos organismos internacionais. “Convidamos a relatora da ONU, Victoria Tauli-Corpous, três vezes para vir ao Brasil, mas precisa que o governo a convide para vir fazer essa visita. Queremos a vinda de uma comissão de parlamentares europeus também, para ver toda essa nossa realidade”.
Uma das reivindicações junto aos órgãos do exterior é que seja feita uma investigação independente sobre os ataques paramilitares e também sobre o problema do suicídio, que já matou 585 indígenas no estado durante os últimos 12 anos.
Fonte - Agência  Brasil  03/10/2015

Supremo suspende investigação da Lava Jato sobre a Eletronuclear

Política

A decisão de Teori Zavascki é decorrente da citação do senador Edison Lobão (PMDB-MA), que tem foro privilegiado.O ministro decidiu que todos os processos relacionados à 16ª fase da operação, na qual as suspeitas são investigadas, devem ser remetidos ao STF por causa da citação do senador Edison Lobão (PMDB-MA) em depoimentos de delação premiada. 

André Richter
Repórter da Agência Brasil
Arquivo/Valter Campanato/Agência Brasil
O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu hoje (2) as investigações da Operação Lava Jato sobre supostos desvios de dinheiro na construção da Usina Nuclear Angra 3.
O ministro decidiu que todos os processos relacionados à 16ª fase da operação, na qual as suspeitas são investigadas, devem ser remetidos ao STF por causa da citação do senador Edison Lobão (PMDB-MA) em depoimentos de delação premiada. Os processos são comandados pelo juiz federal Sergio Moro.
A decisão vale até que o ministro analise todo o conteúdo dos processos. Zavascki atendeu pedido de Flávio Barra, executivo da construtora Andrade Gutierrez, preso na Lava Jato.
Segundo os advogados, as investigações não podem seguir com Moro, por haver menção a Lobão, que tem foro privilegiado e só pode ser processado pelo STF, e porque os supostos desvios na usina não estão relacionados com a Petrobras.
De acordo com o Ministério Público Federal (MPF) e a Polícia Federal (PF), o ex- presidente da Eletronuclear, Othon Luiz Pinheiro da Silva, recebeu cerca de R$ 4,5 milhões para favorecer o consórcio de empresas, entre elas Andrade Gutierrez.
No mês passado, Sergio Moro abriu ação penal contra Othon Luiz e mais 13 investigados na 16ª fase da Operação Lava Jato. Na decisão, Moro destacou que, no caso da Eletronuclear, é obvia a conexão dos crimes com as empreiteiras que atuaram na Petrobras.
A partir do depoimento de delação premiada de Dalton Avancini, executivo da Camargo Correa e réu na Lava Jato, a força-tarefa de investigadores descobriu que os crimes ocorriam a partir do pagamento de propina de executivos da Andrade Gutierrez ao ex-presidente da estatal.
Em depoimento prestado à Polícia Federal antes de ser denunciado, Othon informou que nunca exigiu ou recebeu vantagem financeira, e que não recebeu orientação do governo federal ou de partidos para cobrar doações financeiras de empreiteira.
Fonte - Agência  Brasil  02/10/2015

Mortes no trânsito caem 18,5% na capital paulista

Trânsito

De janeiro a junho, o número de motoristas e passageiros que morreram no trânsito chegou a 85, ante 115 no mesmo período de 2014. Os dados indicam que os pedestres mortos chegaram a 230 (274 em 2014).

Mariana Czerwonka
Portal do Trânsito/Agência Brasil

A quantidade de mortes no trânsito da capital paulista caiu 18,5% no primeiro semestre de 2015 em comparação a igual período do ano anterior. Os dados, divulgados hoje (29), são da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e mostram queda de 26% no número de motoristas e passageiros mortos, 16% de pedestres, 14% de motociclistas e 46,4% de ciclistas.
De janeiro a junho, o número de motoristas e passageiros que morreram no trânsito chegou a 85, ante 115 no mesmo período de 2014. Os dados indicam que os pedestres mortos chegaram a 230 (274 em 2014). As mortes de motociclistas alcançaram 189 (220 no ano passado) e de ciclistas 15 (ante 28 em 2014). No total, foram 519 pessoas mortas no primeiro semestre de 2015 (637 em 2014).
Segundo a prefeitura, o índice anual de mortes no trânsito para cada 100 mil habitantes passou de 10,35, no primeiro semestre de 2014, para 9,45, em 2015. A meta da administração municipal é reduzir o índice a seis mortes a cada 100 mil habitantes até 2020.
“É importante notar que são 118 mortes a menos na cidade de São Paulo em seis meses. Salvamos 118 vidas em razão de todas as medidas implantadas, como área 40 [regiões em que a velocidade máxima para veículos é 40 km/h], o programa da CET no entorno das escolas. Como se São Paulo tivesse ganho 70 leitos hospitalares, o que equivale a um terço de um grande hospital”, disse o prefeito Fernando Haddad em entrevista coletiva.
O prefeito destacou ainda o programa CET no bairro, em que técnicos da companhia vão aos bairros da cidade para ouvir sugestões de moradores sobre o trânsito e segurança. “A população orienta, dizendo onde que está perigoso, onde é que tem escola sem faixa de pedestre, onde tem idoso que precisa de um semáforo, onde tem racha que precisa de lombada. É um trabalho que foi feito pela própria população”.
Fernando Haddad disse ainda que a medida adota pela prefeitura de reduzir a velocidade nas avenidas com maior número de ocorrências mostrou-se eficiente, e depois de colocada em prática provou a previsão dos especialistas.
“O que está ocorsrendo em São Paulo é aquilo que a teoria dizia que iria acontecer. A teoria sobre mobilidade dizia que a redução de velocidade diminui os acidentes e melhora o trânsito. Ao contrário do que pensa o senso comum. Nós falamos: vamos experimentar por 60 ou 90 dias para verificar se isso também acontece em São Paulo. E aconteceu”, disse.
Perguntado se a queda nos acidentes não poderia ter sido causada por uma suposta diminuição na movimentação dos veículos em razão da crise econômica, Haddad disse que o comportamento do trânsito da cidade de São Paulo destoou de outras capitais, que enfrentam a mesma situação econômica.
“Nós ligamos para a companhia de trânsito do Rio de Janeiro perguntando se haviam detectado queda de lentidão, a resposta foi negativa. Ligamos para várias cidades e as respostas foram negativas. Parece ter havido outras coisas, e foram as medidas tomadas”, concluiu.
Fonte - Portal do Trânsito  02/10/2015

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Governo do Estado apresenta projeto do VLT na Câmara de Vereadores de Salvador

Mobilidade

A proposta do VLT consiste na implantação do sistema de transporte que ligará o Comércio até Paripe, na estação São Luiz, um trecho de 18,5 quilômetros de extensão, contendo 21 paradas com acessibilidade universal. O projeto irá estender, revitalizar e modernizar a estrutura férrea já existente na cidade, entre os bairros de Paripe e Calçada.

Da Redação
foto - ilustração
O projeto do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) da capital baiana foi apresentado pelo coordenador executivo de Infraestrutura e Logística da Casa Civil do Governo da Bahia, Eracy Lafuente, para vereadores e representantes da sociedade civil na manhã desta sexta-feira (2). A apresentação ocorreu no Centro de Cultura da Câmara Municipal de Salvador (CMS), durante a 10ª audiência pública, promovida pela Comissão de Planejamento Urbano e Meio Ambiente, da CMS. No evento, Lafuente representou o secretário da pasta, Bruno Dauster.
A proposta do VLT consiste na implantação do sistema de transporte que ligará o Comércio até Paripe, na estação São Luiz, um trecho de 18,5 quilômetros de extensão, contendo 21 paradas com acessibilidade universal. O projeto irá estender, revitalizar e modernizar a estrutura férrea já existente na cidade, entre os bairros de Paripe e Calçada.
Segundo Lafuente, em futuro próximo, “o Estado espera que o VLT se estenda do Comércio até a Lapa, somando mais 0,8 km no seu traçado e possibilitando a integração com o metrô”. Contando com essa extensão, o valor de investimento total previsto para as obras do VLT é de R$ 1,5 bilhão.
Lafuente também destacou a importância de revitalizar e dar mais oportunidades para as comunidades do Subúrbio Ferroviário. “O Governo da Bahia tem interesse de ofertar para a região do subúrbio, além de transporte de qualidade, mais cultura, esporte e entretenimento. Dentro desse projeto, estamos investindo em paisagismo e em suportes de atrações turísticas e de atividades para jovens e idosos”.
Com informações da Secom Ba.  02/10/2015

Indústria ferroviária se prepara para atender demanda

Transportes sobre trilhos

Mais de 230 marcas nacionais e internacionais aproveitarão a oportunidade para apresentar as últimas tendências e inovações em equipamentos, infraestrutura, serviços e manutenção para os mais de nove mil visitantes qualificados, interessados em realizar negócios com empresas fornecedoras da indústria férrea.

Da Redação
foto ilustração/Randon
Ativa, a indústria ferroviária tem mantido em 2015 o ritmo de lançamentos de soluções para o setor, que espera mais de R$ 6 bilhões de investimentos até dezembro e um faturamento de 5 a 10% maior que o obtido em 2014. Resultado da produção estimada em quatro mil novos vagões, 90 locomotivas e 420 carros de passeios, responsável por manter a cadeia de fornecedores com uma cartela real de pedidos. As novidades do mercado para o setor serão destaque no pavilhão de exposições da NT Expo - Negócios nos Trilhos, principal evento do setor metroferroviário da América do Sul, que acontece em novembro.
Mais de 230 marcas nacionais e internacionais aproveitarão a oportunidade para apresentar as últimas tendências e inovações em equipamentos, infraestrutura, serviços e manutenção para os mais de nove mil visitantes qualificados, interessados em realizar negócios com empresas fornecedoras da indústria férrea.
Uma das empresas que integra a lista é a Randon S.A. – Divisão Ferroviária, fornecedora de vagões desde 2004, que vai aproveitar o momento para estreitar ainda mais o relacionamento com seus clientes, evidenciando a tecnologia de ponta desenvolvida e utilizada para os modais ferroviário e metroviário de transporte de carga e de passageiros. A empresa já fabricou mais de sete mil unidades de vagões dos modelos hopper (graneleiro), gôndola, tanque, telescópico, sider e plataforma. “Apesar da conjuntura econômica brasileira adversa, o segmento ferroviário está ativo e a empresa está investindo no segmento”, concluiu o diretor de exportação e marketing, César Alencar Pissetti, observando que a Companhia tem investido fortemente em tecnologia neste setor para manter sua competitividade no mercado.
Público comprador - Para se ter uma ideia do crescimento da cadeia produtiva, o número de profissionais que visita a feira em busca de produtos e serviços chegou a 9023 em 2014, acréscimo de 25% nos últimos anos se comparado à 2010, quando o evento registrou a presença de 6.967 visitantes. “É um público altamente qualificado, com capacidade técnica e poder de decisão. É este fluxo que faz com que a NT Expo continue na vanguarda entre os eventos do setor como oportunidade ímpar para geração de negócios, networking e discussão de tendências. Nesta edição, esperamos novamente superar este números com crescimento o dos negócios”, aponta o gerente da feira, Renan Joel. Os operadores de cargas e passageiros respondem por mais de 25% da visitação e, na última edição, 66% dos visitantes participaram com o intuito de conhecer novos produtos, procurar novos parceiros e fechar novos negócios.
Com informações da ABIFER  02/10/2015

ONU pede ações para evitar novos massacres nos Estados Unidos

Internacional

A mensagem do secretário-geral foi lida pelo porta-voz, Stephane Dujarric. O texto diz que “diante de mais uma tragédia desse tipo, o secretário-geral expressa forte esperança de que os Estados Unidos, através do robusto processo democrático que os caracterizam, serão capazes de tomar as medidas necessárias para conter a perda terrível de vidas humanas, que a violência armada está tirando da sociedade”.

Gislene Nogueira
Correspondente-Agência Brasil/EBC
foto - ilustração
Um dia depois de um atirador matar nove pessoas em uma universidade no Oregon, o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, disse ter esperança de que os Estados Unidos serão capazes de tomar medidas para conter as mortes em massa por arma de fogo no país.
A mensagem do secretário-geral foi lida pelo porta-voz, Stephane Dujarric. O texto diz que “diante de mais uma tragédia desse tipo, o secretário-geral expressa forte esperança de que os Estados Unidos, através do robusto processo democrático que os caracterizam, serão capazes de tomar as medidas necessárias para conter a perda terrível de vidas humanas, que a violência armada está tirando da sociedade”.
Ban Ki-moon disse também saber que o presidente Barack Obama tem se empenhado no compromisso de enfrentar este flagelo.
Nessa quinta-feira, um atirador invadiu a Umpqua Community College, na cidade de Roseburg, no Oregon, e matou nove pessoas. Outras nove ficaram feridas, algumas em estado grave. O atirador morreu em uma troca de tiros com a polícia.
A imprensa norte-americana aponta que o autor dos disparos é Chris Harper-Mercer, de 26 anos. Ele chegou a servir no exército, mas foi dispensado um mês depois de entrar. Segundo a polícia, ele tinha treze armas.
O massacre na universidade de Roseburg é o último de vários ataques a tiros que aconteceram em escolas, igrejas, bases militares e salas de cinema, nos últimos anos.
O presidente Barack Obama fez mais um apelo em defesa da adoção de controles para a venda de armas no país. Ele foi derrotado nas tentativas anteriores de mudar a lei norte-americana para dificultar o acesso à compra de armas no país. Segundo Obama, as mortes em tiroteios “se tornaram rotina”.
Fonte - Agência Brasil  02/10/2015

AmstedMaxion inova transporte de grãos e açúcar no Brasil

Transportes sobre trilhos

O novo vagão estará em operação nas principais ferrovias brasileiras até o final de 2015. “É uma tecnologia inovadora, utilizando o know-how de empresas líderes de mercado como AmstedMaxion e Greenbrier e esperamos contribuir para uma melhor eficiência no transporte de grãos e açúcar no Brasil”, afirma Eduardo Scolari, presidente da AmstedMaxion unidade de Hortolândia.

Imprensa AmstedMaxion

As operadoras ferroviárias e clientes estão buscando, cada vez mais, soluções diferenciadas para melhor atender o transporte de cargas nacional e otimizar o escoamento das safras, que tem sido maior a cada ano. As operações de carga e descarga são grande entraves nos portos brasileiros, por isso a engenharia da AmstedMaxion, em parceria com a Greenbrier, desenvolveu um novo vagão hopper tri articulado com maior capacidade de carga e tecnologia automatizada de carga e descarga em movimento.
O novo vagão estará em operação nas principais ferrovias brasileiras até o final de 2015. “É uma tecnologia inovadora, utilizando o know-how de empresas líderes de mercado como AmstedMaxion e Greenbrier e esperamos contribuir para uma melhor eficiência no transporte de grãos e açúcar no Brasil”, afirma Eduardo Scolari, presidente da AmstedMaxion unidade de Hortolândia.
O carregamento e a descarga automatizados possibilitam o acionamento das tampas de carga através de um sistema pneumático, acionado - através de uma chave - na parte inferior do vagão. A tecnologia, que é a primeira do seu tipo no Brasil, torna o processo mais seguro tanto para o operador, durante a carga/descarga do vagão, quanto para carga, quando os vagões ficam parados nos pátios do porto por dias, já que não utiliza a força humana para acionar as portas e sim o sistema automatizado.
O projeto vagão HTH tri articulado possui tecnologias inovadoras e diferenciadas que aperfeiçoaram o vagão hopper, com maior aumento da capacidade de carga, facilidade de manutenção e reparos, além é claro da agilidade na carga e descarga em movimento. O projeto foi desenvolvido com o truque Motion Control – Truques Premium, com tecnologia de ponta AmstedRail, desenvolvido especificamente para as condições operacionais e de via permanente das ferrovias brasileiras, proporcionando, através da otimização do comportamento dinâmico do vagão, um aumento significativo da segurança operacional e vida dos componentes, principalmente rodas.
AmstedMaxion – com mais de 70 anos de atuação no segmento ferroviário, a empresa é uma das principais referências latino-americanas no desenvolvimento e fabricação de vagões de carga, rodas de aço fundido, truques, rodeiros e sistemas de choque e tração, além de prestar serviços de reparação, adaptação e modernização de vagões e seus componentes. Pioneira, fornece para todas as ferrovias e seus usuários no Brasil, incluindo empresas de leasing de vagões, e também para o exterior. Em sua fundição são produzidas peças de aço para aplicação em máquinas e equipamentos de construção civil, mineração e ferroviária. Com duas unidades no interior de São Paulo, a empresa alcança uma capacidade anual de 40 mil de toneladas de peças fundidas de aço, 92 mil rodas ferroviárias e 10 mil vagões de carga.
Greenbrier - A companhia Greenbrier, com sede em Lake Oswego, Oregon, é um fornecedor líder de equipamentos de transporte e serviços para o setor ferroviário. A empresa é especializada em vagões Double-stack, com mais de 18 mil unidades produzidas, sendo uma referência internacional para este tipo de veículo ferroviário. Por mais de 20 anos, a Greenbrier tem recebido os mais significativos prêmios no mercado ferroviário norte-americano em todas as áreas de sua atuação direta. Atua nos segmentos de manutenção de rodeiros, reformas estruturais e de componentes, fabricação de vagões de todos os tipos, leasing, manutenção e serviços de frota. A Greenbrier repara e fornece peças de vagões em 40 locais na América do Norte, possuindo ainda unidades de negócio relacionadas com monitoramento e gerenciamento de frota, envolvendo 238 mil vagões.
A AmstedRail – Empresa do grupo Amsted Industries, é líder no fornecimento de material rodante, sistemas e componentes para os mercadosferroviáriosmaisimportantes do mundo. Com instalaçõesem todo o mundo, a empresa tem capacidade de produçãoe flexibilidade para atender as empresas do setor ferroviário. Através de seus processos de fabricação com tecnologia de ponta, proporciona aos clientes qualidade e confiabilidade.
Fonte - ABIFER   02/10/2015

CBTU João Pessoa cria adaptador para manobras e reboque do VLT

Transportes sobre trilhos

Esta peça será usada em casos de emergência, para o resgate de Veículo, sem prejudicar o sistema com atrasos de viagens e deslocamento do outro VLT para um possível reboque.

CBTU

Com necessidade de agilizar manobras e reboques do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), a equipe de manutenção da CBTU João Pessoa criou um adaptador LOCO-VLT. Esta peça será usada em casos de emergência, para o resgate de Veículo, sem prejudicar o sistema com atrasos de viagens e deslocamento do outro VLT para um possível reboque.
O Coordenador de Manutenção da CBTU João Pessoa, Sérgio Marcelino, explicou 

que nas locomotivas antigas existe a peça ‘mão de amigo’ que faz o acoplamento nas
extremidades e realiza essa função de reboque.
“Contudo, o VLT só poderia ser rebocado por outro VLT, o que atrasaria o sistema. 
Dessa forma, criamos essa peça para que a locomotiva pudesse realizar reboque ou manobras no VLT inoperante, sem atrapalhar as viagens”, afirma.
Fonte -  CBTU  02/10/2015

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Após ação da Polícia Federal, movimento Ocupe Estelita faz ato no Recife

Recife

O evento ocorre um dia após a Polícia Federal desencadear a Operação Lance Final e cumprir mandados de busca e apreensão na sede do consórcio Novo Recife, responsável pelo projeto, e na empresa que promoveu o leilão do terreno, localizada em São Paulo.

Edwirges Nogueira
Correspondente da Agência Brasil
EBC
O movimento Ocupe Estelita, que se opõe à construção de edifícios e áreas comerciais no Cais José Estelita, promove protesto no fim desta tarde (1º) no Recife. Os manifestantes pedem que a prefeitura cancele o projeto e mantenha as edificações históricas do local.
O evento ocorre um dia após a Polícia Federal desencadear a Operação Lance Final e cumprir mandados de busca e apreensão na sede do consórcio Novo Recife, responsável pelo projeto, e na empresa que promoveu o leilão do terreno, localizada em São Paulo.
As investigações apontam para possível fraude ao caráter competitivo no leilão, feito em outubro de 2008. Segundo a Polícia Federal, o consórcio conseguiu arrematar o terreno a um valor inferior ao preço de mercado – cerca de R$ 10 milhões a menos, em valores da época.
A operação verifica também se há outros crimes associados, como tráfico de influência e corrupção ativa e passiva. A Polícia Federal solicitou à Justiça o sequestro do terreno como forma de garantir o ressarcimento do prejuízo.
Em nota publicada hoje em seu blog, o consórcio Novo Recife afirma que o leilão de venda do terreno do Cais José Estelita foi legítimo e “exaustivamente examinado em diversas instâncias no âmbito judicial e administrativo”, sem serem encontradas irregularidades. O grupo diz que o valor pago foi “superior ao mínimo determinado pelo edital do leilão”.
Fonte - Agência Brasil  01/10/2015

Brasil se compromete com meta da ONU para melhorar sistemas de transporte público até 2030

Mobilidade

Objetivo está fixado na Agenda de Desenvolvimento Sustentável, aprovada pela Cúpula das Nações Unidas,aprovada por unanimidade durante a Cúpula da ONU sobre o Desenvolvimento Sustentável, realizada em Nova Iorque no último final de semana.

Natália Pianegonda - Agência CNT
foto - Arquivo CNT
O Brasil se comprometeu a, até 2030, expandir e melhorar os sistemas de transportes públicos, com atenção especial às necessidades das pessoas mais vulneráveis, como os idosos. A meta é uma das que estão fixadas na nova agenda global das Nações Unidas, aprovada por unanimidade durante a Cúpula da ONU sobre o Desenvolvimento Sustentável, realizada em Nova Iorque no último final de semana.
Nela, os 193 estados-membros das Nações Unidas, incluindo o Brasil, assumem a responsabilidade de proporcionar acesso a sistemas de transporte seguros, sustentáveis e a preço acessível para todos nos próximos 15 anos.
Conforme o diretor-presidente do ONSV (Observatório Nacional de Segurança Viária), José Aurelio Ramalho, a inclusão do tema em mais uma agenda da ONU reforça a importância de medidas para aumento da segurança no trânsito. “Toda vez que uma diretriz vem das Nações Unidas, por ser de âmbito mundial, isso fortalece, dá legitimidade e consistência para o desenvolvimento de ações voltadas ao tema. Isso saltou aos olhos das autoridades para a necessidade de o mundo tomar alguma atitude”.
Ele explica que o investimento em transporte público de qualidade e acessível é uma medida importante para aumentar a segurança no trânsito, já que reduz o número de carros nas ruas. “A explosão das motocicletas é um exemplo. Hoje é mais barato ter uma moto que andar de ônibus, pela disponibilidade, pelo custo e pela frequência”, diz o diretor-presidente do ONSV. Para se ter uma ideia, em dez anos, a quantidade de motocicletas no país mais que triplicou. E, embora esse tipo de veículo represente 27% de toda a frota nacional, os acidentes com moto respondem por 76% das indenizações pagas pelo Seguro Obrigatório DPVAT. “O transporte público, se bem gerido e oferecido à sociedade com disponibilidade, frequência e qualidade, leva o cidadão para esse modal e, com isso, se reduz o risco de acidentes”, complementa.
O tema já foi tratado pela ONU nos Objetivos do Milênio, que preveem, entre outras coisas, que todos os países devem tornar as cidades inclusivas, seguras e sustentáveis. Também é abordado na Década de Ação pela Segurança no Trânsito, na qual governos de todo o mundo assumiram a responsabilidade de adotar medidas para reduzir, pela metade, as mortes em acidentes de trânsito até 2020. Essa meta foi mantida na Agenda de Desenvolvimento Sustentável, que contempla, ao todo, 17 objetivos globais.
Fonte - Agência CNT de Notícias  01/10/2015

MPF propõe ação contra Renan por omitir informações sobre comissionados

Política

No pedido, o MPF argumenta que a ação foi proposta após Calheiros ter deixado de responder a sete pedidos de explicações sobre a ocupação de cargos comissionados. Entre os dados requisitados estavam a relação de ocupantes dos cargos comissionados, remuneração e lotações destes funcionários, horário de expediente, controle de frequência e a atividade desenvolvida pelos profissionais.

Luciano Nascimento
Repórter da Agência Brasil
foto - ilustração
O Ministério Público Federal (MPF) pediu hoje (1º) a abertura de ação contra o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), por improbidade administrativa. De acordo com os procuradores, Calheiros deixou de fornecer informações a respeito de supostas irregularidades na ocupação de cargos comissionados no Senado.
No pedido, o MPF argumenta que a ação foi proposta após Calheiros ter deixado de responder a sete pedidos de explicações sobre a ocupação de cargos comissionados. Entre os dados requisitados estavam a relação de ocupantes dos cargos comissionados, remuneração e lotações destes funcionários, horário de expediente, controle de frequência e a atividade desenvolvida pelos profissionais.
Os procuradores queriam saber também se eles desempenhavam atividades de chefia e coordenação e se tinham algum vínculo de filiação com partidos políticos. Além disso, pediram o número de candidatos aprovados em concursos públicos que aguardavam nomeação.
Na ação, o procurador Anselmo Henrique Cordeiro Lopes argumenta que Calheiros era obrigado a dar retorno aos pedidos, uma vez que as requisições têm caráter impositivo, não se configurando em mero requerimento, de atendimento facultativo.
Segundo o procurador, ao deixar de responder as requisições, o que se demonstrou foi o “reiterado descumprimento da requisição formulada pelo Ministério Público Federal, o que impediu a adequada instrução do inquérito civil, que tem por objeto apurar supostas irregularidades ocorridas no Senado Federal, no que tange à contratação exagerada de servidores comissionados, acarretando possível dano ao patrimônio público”, argumentou Lopes.
O inquérito foi enviado ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, a quem cabe apresentar ação penal contra o presidente do Senado. Caso a ação seja aceita, a pena pode resultar na perda da função pública, suspensão de direitos políticos por até 5 anos e o pagamento de multa. A reportagem procurou a assessoria de imprensa de Renan Calheiros e aguarda pronunciamento do presidente do Senado.
Fonte - Agência Brasil  01/10/2015

Balança alcança US$ 2,944 bilhões, melhor resultado desde setembro de 2011

Economia

Os dados foram divulgados hoje (1°) pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. O saldo positivo de setembro refere-se a US$ 16,148 bilhões em exportações e US$ 13,204 bilhões em importações.

Mariana Branco
Repórter da Agência Brasil
foto - ilustração
A balança comercial brasileira encerrou setembro com superávit – exportações maiores do que importações – de US$ 2,944 bilhões. O resultado é o melhor para o mês desde setembro de 2011. No acumulado do ano, a balança comercial está positiva em US$ 10,246 bilhões, melhor resultado para o período desde 2012.
Os dados foram divulgados hoje (1°) pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. O saldo positivo de setembro refere-se a US$ 16,148 bilhões em exportações e US$ 13,204 bilhões em importações.
A média diária (volume financeiro por dia útil) das exportações ficou em US$ 769 milhões, com queda de 13,8% ante setembro de 2014, e crescimento de 4,3% ante agosto desse ano. Nas importações, a média negociada foi US$ 628,8 milhões, com queda de 32,7% em relação à registrada para setembro de 2014 e alta de 3,2% em relação a agosto de 2015. O dólar em alta e a queda nas importações têm contribuído para o desempenho positivo da balança comercial em 2015.
Fonte - Agência Brasil  01/10/2015

Metrô especial para clássico BA-VI do futebol baiano

Transportes sobre trilhos

Os torcedores viajarão em trens exclusivos para cada um dos times e embarcarão e desembarcarão em diferentes estações para evitar o encontro entre as torcidas.As estações do metrô Retiro, Acesso Norte, Brotas e Campo da Pólvora, funcionarão das 8h às 19h45. As estações Lapa e Bom Juá operam normalmente, das 8h às 13h.

Com informações da CCR Metrô Bahia
foto - ilustração
A CCR Metrô Bahia preparou uma operação especial para facilitar o deslocamento dos torcedores que irão à Arena Fonte Nova, neste sábado (3/10), para assistir ao jogo do Bahia e do Vitória, válido pelo Campeonato Brasileiro- série B.
As estações do metrô Retiro, Acesso Norte, Brotas e Campo da Pólvora, funcionarão das 8h às 19h45. As estações Lapa e Bom Juá operam normalmente, das 8h às 13h. O acesso ao metrô é gratuito e os torcedores não precisarão apresentar o ingresso do jogo.
Os torcedores viajarão em trens exclusivos para cada um dos times e embarcarão e desembarcarão em diferentes estações para evitar o encontro entre as torcidas.
Os torcedores do Bahia, time com o mando de campo neste jogo, deverão utilizar as estações Acesso Norte e Campo da Pólvora, vizinha à Arena. Já, os torcedores do Vitória, time visitante, deverão utilizar as estações Retiro e Brotas. Para chegar à Arena, os torcedores do Vitória deverão sair da Estação Brotas pelo acesso da Rua das Pitangueiras e descer a ladeira dos Galés, chegando à Arena Fonte Nova, distante a 1 km da Estação Brotas.
A operação especial do metrô contará com mais de 100 colaboradores, entre Agentes de Atendimento e Segurança, Operadores de Trem e Controladores do CCO. Mais de 300 câmeras que compõe o Circuito Fechado de Televisão (CFTV) do sistema metroviário estarão monitorando os acessos às estações, as plataformas de embarque e desembarque e a via do trem. O esquema de segurança também contará com o apoio da Polícia Militar, que disponibilizará uma viatura na área externa de cada estação do metrô.

Estacionamento
Os torcedores do Vitória poderão estacionar os veículos no Terminal de Integração de Ônibus Retiro, ao lado da estação do metrô, localizado na Rua Baixa de Santo Antônio (veja o mapa abaixo). Serão disponibilizadas 250 vagas de estacionamento gratuito.
Os torcedores do Bahia poderão estacionar os veículos no Shopping Bela Vista, vizinho à Estação Acesso Norte.
Para viajar tranquilo, o usuário do metrô deve ficar atento às regras de conduta, conforme estabelecido no Decreto Estadual nº 15.197, que proíbe:

ü Fumar ou manter aceso cigarro, acender fósforos ou isqueiro;
ü Consumir bebidas alcoólicas;
ü Entrar ou permanecer sem camisa ou sem calçados;
ü Portar arma de fogo ou materiais inflamáveis, explosivos ou corrosivos;
ü Transgredir as instruções da concessionária transmitidas pelos colaboradores, pela comunicação visual existente ou pelo sistema de sonorização;
ü Praticar qualquer ato de que resulte embaraço ao serviço ou que possa acarretar perigo ou acidente;
ü Ultrapassar a Faixa Amarela de segurança da Plataforma, a não ser para entrar e sair do Trem quando este já estiver parado e com as portas abertas;
ü Acionar ou usar, indevidamente, qualquer equipamento integrante do sistema metroviário;
ü Colocar os pés nas paredes das Estações, bancos e laterais dos Carros;
ü Quebrar, danificar, sujar, escrever ou desenhar nas instalações e equipamentos pertencentes à Concessionária;
ü Tomar atitudes que induzam ao pânico ou causem tumulto;
ü Fazer funcionar aparelhos sonoros, tocar instrumentos ou emitir falas e cantos que atrapalhem a perfeita audição dos serviços de sonorização.

Como a Torcida do Vitória pode chegar à Estação Retiro:


Adicionar legenda
Pregopontocom  - 01/10/2015

Ciclismo cresce em Roraima e consolida 'bike' como meio de transporte

Ciclismo

Destaque no cenário nacional, ciclismo roraimense incentiva uso da bicicleta como meio de transporte e construção de ciclovias em Boa Vista.O crescimento do ciclismo em Roraima influencia não apenas no nível de competições, mas também na mobilidade urbana.

Gabriel Seixas
Portal Amazônia
foto divulgação - Volta Ciclística de Roraima
MANAUS – Roraima será o centro das atenções do ciclismo neste fim de semana. A Volta Internacional de Roraima vai reunir 120 atletas de todo o Brasil, além de competidores da 'vizinha'Venezuela, de sexta-feira (2) a domingo (4). O Estado do extremo Norte está cada vez mais consolidado na rota de grandes eventos de ciclismo.
Atualmente, Roraima sedia três grandes eventos de ciclismo: além da Volta Internacional, também há a Volta de Roraima e o Desafio Serra do Tepequém. As três competições contam pontos para o ranking nacional da Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC).
O 'boom' do ciclismo iniciou em Roraima na década de 90 e posteriormente sofreu uma queda, como relata o atleta e membro da Federação Ciclística de Roraima (FCR), Mário Turco. “O ciclismo vem se desenvolvendo ao longo dos anos. Naquela época foram criados os passeios noturnos de bicicleta, que surgiram através dos night bikers em São Paulo. Isso difundiu pra todo o país e, como em qualquer outro lugar do Brasil, houve uma queda depois dessa moda”, contou à rádio CBN Amazônia.
Entretanto, nos últimos anos, a nova gestão da FCR se comprometeu a resgatar o auge do ciclismo roraimense. “O Aquiles Prado tomou posse da federação e resolveu implementar o ciclismo competitivo de uma forma mais profissional, mais séria. Diante desse cenário, já tem três anos em que nós conseguimos colocar eventos nacionais em Roraima”, disse Turco.
A nova condição do ciclismo roraimense estreitou ainda mais a integração com outros estados daRegião Norte, especialmente o Amazonas. “É um Estado que sempre teve excelentes competições de ciclismo, incluindo a tradicionalíssima Aguinaldo Archer Pinto. É uma das competições mais antigas do Brasil, acredito que só fica atrás da 9 de julho, em São Paulo. A gente sempre vai competir esses eventos lá e agora os atletas do Amazonas também estão vindo competir em Roraima”, orgulha-se o atleta-dirigente.
O crescimento do ciclismo em Roraima surpreendeu até mesmo os entusiastas da modalidade em Roraima, fazendo com que houvesse um 'reforço' na organização da Volta Internacional. “O evento tomou uma proporção maior do que a gente imaginava. A diretoria [da federação] é muito pequena, as atividades se concentravam basicamente no nosso presidente. Então foi criada uma comissão de atletas e entusiastas do ciclismo para ajudar o Aquiles a organizar a competição”, revelou.

Ciclovias e bike como meio de transporte
O crescimento do ciclismo em Roraima também possibilitou a consolidação da bicicleta como meio de transporte, especialmente na capital Boa Vista. “A contribuição que a gente dá pro Estado é fazer com que as pessoas pedalem não apenas na forma competitiva. Há uns dois anos nós temos grupos de passeios de bicicleta e aqui a gente usa muito a bike como meio de transporte. As pessoas usam pra ir ao trabalho, faculdade, escola, é algo bem harmônico”, contou Turco.
Por ser uma cidade planejada, Boa Vista dispõe de uma infraestrutura melhor para os ciclistas em relação a outras capitais da Amazônia. O panorama está longe de ser o ideal, mas existem projetos em andamento para a construção de ciclovias por toda a capital.
No último mês de julho, a Prefeitura de Boa Vista anunciou a construção de 50,7 quilômetros de ciclovias. Este número deve aumentar para 300 quilômetros nos próximos anos, de acordo com Turco. “As principais avenidas terão ciclovias e elas vão ligar todos os bairros da cidade. Isso vai fazer com que a população tenha segurança pra usar a bicicleta, vai aliviar nosso trânsito e contribuir pro meio ambiente”, vislumbrou.
Fonte - Portal Amazônia  01/10/2015

Monotrilho de SP foi licitado sem projeto básico, diz TCU

Transportes sobre trilhos

Segundo o documento apresentado pelo TCU nesta quarta-feira (30), o Metrô enviou projetos que não condizem com a elaboração de um projeto básico exigido para esse tipo de concorrência. “Acerca da análise sobre a possibilidade de substituição do projeto básico pelos documentos apresentados pelo Metrô, verificou-se que a documentação apresentada não possuía as características inerentes ao projeto básico”, como descreve o relatório.

G1 - RF
foto - ilustração
O Tribunal de Contas da União (TCU), em representação ao Ministério Público Federal, concluiu que a licitação para a construção da Linha 17-Ouro do monotrilho em São Paulo foi realizada sem projeto básico e orçamento. O relator avaliou, no entanto, que não é competência de tais órgãos denunciar irregularidades e deverá encaminhar um relatório ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) e Ministério Público do Estado de São Paulo (MPE).
Em nota, o Metrô diz que "o relator do TCU reconheceu a limitação de competência do tribunal para análise dos procedimentos licitatórios da Linha 17 - Ouro, considerando, em seu voto, a representação improcedente. O Metrô prestará todos os esclarecimentos necessários quando e se for acionado pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo".
Segundo o documento apresentado pelo TCU nesta quarta-feira (30), o Metrô enviou projetos que não condizem com a elaboração de um projeto básico exigido para esse tipo de concorrência. “Acerca da análise sobre a possibilidade de substituição do projeto básico pelos documentos apresentados pelo Metrô, verificou-se que a documentação apresentada não possuía as características inerentes ao projeto básico”, como descreve o relatório.
O orçamento detalhado, segundo o TCU, também não está adequado às exigências da legislação, “tem caráter meramente estimativo” e “as tabelas apresentadas não possuem o grau de precisão necessário ao projeto básico”.
Segundo a análise disposta no texto, como não existiu um projeto básico, é inevitável que haja um orçamento adequado, já que ambos são dependentes um do outro. Além disso, foi deduzida uma ausência de relatório de sondagens geotécnicas - “caracterizam as condições do maciço sobre o qual seriam implantadas as vias-guia”.
A Caixa Econômica Federal foi o banco que cedeu os recursos financeiros para a construção da linha, mas em formato de empréstimo. Por isso, a fiscalização da aplicação dos recursos seria de responsabilidade do TCE, já que os recursos não são federais.
Ao final do documento, o relator José Múcio Monteiro pediu que cópias do relatório sejam encaminhadas às autoridades competentes, como o TCE, responsáveis pela fiscalização de recursos estatais, e julgou que não é de tarefa do MPF ou do TCU declarar possíveis irregularidades na concorrência da Linha 17-Ouro.

Obras atrasadas
A linha do monotrilho foi anunciada quando ainda se discutia o uso do Estádio do Morumbi para a Copa do Mundo de 2014. Ela chegou a ser prometida para 2013, mas só deve ficar pronta em 2017 e com extensão menor que a prevista.
Em agosto deste ano, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) decidiu congelar a construção de 17 das 36 estações de monotrilho previstas para as linhas 17-Ouro, que está sendo construída na Zona Sul de São Paulo, e da Linha 15-Prata, na Zona Leste.
Com isso, o monotrilho não vai mais atender extremos da cidade, como a ligação Aeroporto de Congonhas a Estação Jabaquara ou o trecho até a futura estação São Paulo-Morumbi da Linha 4 do Metrô.
Segundo a Secretaria dos Transportes Metropolitanos, “a prioridade é concluir os trechos que já possuem obras avançadas antes de abrir novas frentes de trabalho”. Diz ainda que, nas áreas que não serão atendidas agora, estão sendo equacionadas questões como ampliações viárias, reassentamentos e desapropriações.
Questionada, a Secretaria dos Transportes Metropolitanos não informou quantos dos 44,3 km anunciados ficam comprometidos com essa decisão.
Na Linha 17-Ouro, anunciada como serviço que atenderia o bairro de Paraisópolis, mas que não vai mais cruzar o Rio Pinheiros, são pelo menos 9,9 km congelados, segundo informações disponíveis no site do Metrô. A obra terá agora 7,7 km dos cerca de 17,7 km prometidos e ficará restrita ao trecho entre o Aeroporto de Congonhas e a Marginal Pinheiros.
A linha também vai perder o trecho que ligaria o aeroporto até a Estação Jabaquara, onde faria conexão com a Linha 1-Azul do Metrô. Ficam de fora até segunda ordem as estações Panamby, Paraisópolis, Américo Mourano, Estádio do Morumbi, São Paulo-Morumbi, Jabaquara, Hospital Sabóia, Cidade Leonor, Vila Babilônia e Vila Paulista.
Fonte - Revista Ferroviária  01/10/2015

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Via Camaçari-Lauro de Freitas está em fase de terraplanagem

Infraestrutura

A nova via, que teve ordem de serviço assinada pelo governador Rui Costa em janeiro deste ano, vai oferecer uma alternativa mais rápida para acessar o Litoral Norte da Bahia, por meio da Linha Verde. Com a Via Metropolitana, o tráfego na região central de Lauro de Freitas - estimado em mais de 100 mil veículos por dia - deve ser reduzido.

Secom
Secom
Aos poucos, a Via Metropolitana Camaçari-Lauro de Freitas começa a ganhar forma. Em três dos 11,2 quilômetros de extensão do trecho, que ligará a Rodovia CIA-Aeroporto (BA-526) à Estrada do Coco (BA-099), máquinas trabalham de forma acelerada na fase de terraplanagem do terreno, que já concluiu o processo de supressão vegetal.
Os outros oito quilômetros passam por levantamento técnico para a execução do projeto executivo. A estimativa é que toda a obra seja finalizada 18 meses após as liberações de áreas e licenças restantes serem concedidas.
A nova via, que teve ordem de serviço assinada pelo governador Rui Costa em janeiro deste ano, vai oferecer uma alternativa mais rápida para acessar o Litoral Norte da Bahia, por meio da Linha Verde. Com a Via Metropolitana, o tráfego na região central de Lauro de Freitas - estimado em mais de 100 mil veículos por dia - deve ser reduzido.
“Moro na Miragem há cinco anos, e logo quando me mudei gastava em torno de 25 minutos do CAB até Lauro de Freitas. Hoje o engarrafamento é grande. Chego a fazer 45 minutos do trabalho para casa. Acredito que com a nova via os congestionamentos diminuam, visto que os motoristas vão poder optar por um outro caminho”, afirma a servidora pública Grazielle Gomes.
A via alternativa não vai facilitar apenas a vida de quem mora em Lauro de Freitas, mas também da população da capital baiana e de Camaçari. A melhora do tráfego na região deve garantir mais conforto também a turistas que vão ao Litoral Norte, facilitando, inclusive, a chegada e saída dos visitantes pelo Aeroporto Internacional de Salvador.

Novo vetor de desenvolvimento
Pedro Moraes/GOVBA

Ao todo, R$ 220 milhões são investidos nas obras, que incluem também a construção de uma ponte sobre o Rio Joanes e da passagem sob a BA-099. A implantação do projeto, além de melhorar a mobilidade da região, vai induzir um novo vetor de desenvolvimento, facilitando o escoamento de produção. O trecho será composto de duas faixas por sentido de tráfego e contará com um avançado sistema de operação e monitoramento de vias.
Os usuários contarão com atendimento médico pré-hospitalar e socorro mecânico, tudo isso gerenciado pela Concessionária Bahia Norte. “Essa via é muito importante para a mobilidade urbana. O vetor de crescimento de Salvador está no Litoral Norte. A via será uma alternativa de desafogar o trânsito e proporcionar melhor qualidade de vida para as pessoas”, destaca o gerente de Operações da Concessionária Bahia Norte, Carlos Alejandro.
Com informações da Secom Ba.  30/09/2015

Caixa suspende recursos e obras do BRT de Feira de Santana

Mobilidade

Secretário do Ministério das Cidades quer esclarecimentos sobre como o projeto está sendo feito."O que nós estamos solicitando é que a Caixa interrompa os pagamentos até que nós da Secretaria de Transportes e Mobilidade Urbana tenhamos a total tranquilidade de que a solução seja não só boa para Feira de Santana, mas a forma como está sendo implantada.

A Tarde
Da Redação
Luiz Tito - Ag. A TARDE
A Caixa Econômica Federal suspendeu os repasses de pagamentos para as obras do BRT em Feira de Santana nesta quarta-feira, 30. A Secretaria de Transportes e Mobilidade Urbana disse que a prefeitura não pode dar continuidade ao projeto até que preste esclarecimentos sobre como está sendo conduzido o projeto.
"O que nós estamos solicitando é que a Caixa interrompa os pagamentos até que nós da Secretaria de Transportes e Mobilidade Urbana tenhamos a total tranquilidade de que a solução seja não só boa para Feira de Santana, mas a forma como está sendo implantada é a forma que dá menos trabalho, menos perturbação, menos problema aos habitantes, trazendo menos prejuízo para o comércio, menos instabilidade no fluxo, e principalmente não comprometendo áreas verdes e calçadas", esclareceu o secretário do Ministério das Cidades, Dário Rais Lopes. A suspensão dos recursos foi solicitada no dia 16 de setembro.
A prefeitura informou que o governo municipal "está preparado para prestar todas as informações que sejam solicitadas pelas instituições. Certos da legalidade de todo o processo e do desejo tanto do Município quanto do Ministério das Cidades de trabalhar pelo povo de Feira de Santana".
Fonte - A Tarde  30/09/2015

Cidades brasileiras com melhores índices de saneamento são premiadas

Saneamento Básico

Cidades brasileiras com melhores índices de saneamento são premiadas.Foram selecionadas 16 cidades consideradas exemplos de sucesso para o restante do país no saneamento. Nelas, o tratamento do esgoto atinge a média de 76,1%, enquanto a média nacional é 39%. 

Fernanda Cruz
Repórter da Agência Brasil
foto - ilustração
As cidades brasileiras com melhores indicadores na coleta, no tratamento de esgoto e na redução de perdas no abastecimento foram premiadas hoje (30), durante seminário promovido pelo Instituto Trata Brasil. Os resultados dos municípios basearam-se no Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento.
Foram selecionadas 16 cidades consideradas exemplos de sucesso para o restante do país no saneamento. Nelas, o tratamento do esgoto atinge a média de 76,1%, enquanto a média nacional é 39%. No topo do ranking está a cidade de Maringá (PR), com 94% do esgoto tratado.
A coleta de esgoto nas16 localidades chega a 95,11%, muito superior à média nacional, que é 48,6%. Cidades do interior paulista, como Franca e Limeira, e a capital mineira Belo Horizonte têm 100% do esgoto coletado.
O secretário nacional de Saneamento Ambiental, Paulo Ferreira, destaca a disparidade entre esses municípios exemplares e aqueles mais isolados, principalmente nas regiões Norte e Nordeste. Ele diz que ficou chocado ao perceber que ainda existem cidades brasileiras onde não há um banheiro sequer. “São situações dramáticas que ocorrem no saneamento, que pensávamos que só existiam na África”, acrescentou.
Para o presidente do Instituto Trata Brasil, Édsion Carlos, não é correto justificar a falta de banheiros entre essa população simplesmente por estar afastada dos grandes centros, em regiões do semiárido. “Nós temos que encontrar uma forma de atender a essas pessoas, porque sabemos que isso acarreta muitos problemas de saúde e ao meio ambiente”.

Perdas na distribuição
As perdas nas redes de distribuição de água, em razão de fraudes no sistema, erros de leitura dos hidrômetros e vazamentos, são, em média, 37% no país. O percentual é ainda mais elevado nos estados do Amapá (76%) e Amazonas (72%).
Umas das cidades consideradas modelo na redução de perdas é Campinas, no interior paulista, onde o percentual é 15%. Lina Adani, gerente de Controle de Perdas e Sistemas da Sanasa, empresa municipal responsável pela distribuição de água, explica que a boa gestão levou à eficiência.
De acordo com ela, os investimentos começaram há 21 anos, após um financiamento feito pela Sanasa com o Bando Mundial, em que uma das exigências era justamente reduzir as perdas. “Entre as ações que mais causaram impacto está o trabalho em hidrômetros, que é a caixa registradora”. Os hidrômetros com submedição ou com vida útil ultrapassada geravam prejuízo para a Sanasa.
A cidade passou a instalar hidrômetros em uma caixa lacrada e diminuiu as perdas físicas de água, reduzindo também a pressão na rede, principalmente durante a noite. Lina lembra que havia 1,4 mil quilômetros de rede que se rompiam constantemente por estar com tubulações velhas. Com a diminuição da pressão, inclusive durante o dia, a tubulação passou a romper menos. “Com a queda nas perdas, pudemos investir na troca dessa rede”.
Fonte - Agência Brasil  30/09/2015

Biblioteca Livros Sobre Trilhos recebe exposição “O FIO DA HISTÓRIA”

Arte&Cultura

Parte da 2ª Mostra Arte Sesc para Crianças, painéis com ilustrações de Patrícia Langlois ficam expostos de 1º de outubro a 30 de novembro.Os painéis irão destacar as ilustrações do livro Tudo que Couber no Coração, escrito e ilustrado por Patrícia utilizando a técnica de pintura com lápis de cor aquarelado. 

Trensurb
Ilustração - Patrícia Langlois
Começa amanhã (1º) a exposição O Fio da História, da professora, artista e escritora gaúcha Patrícia Langlois, na Biblioteca Livros sobre Trilhos, na plataforma de embarque da Estação Mercado da Trensurb. Os painéis irão destacar as ilustrações do livro Tudo que Couber no Coração, escrito e ilustrado por Patrícia utilizando a técnica de pintura com lápis de cor aquarelado. A obra conta a história de Nina, uma menina que tem um segredo e só quer saber uma coisa: “quem tem o coração maior?”. Patrícia, que é formada em artes plásticas pela UFRGS, diz que ficou lisonjeada com o convite e que “a ideia da Trensurb, de expor na estação, é ótima”. “A boa visibilidade, originada pela constante circulação de pessoas, divulga os trabalhos e valoriza o profissional gaúcho, sem contar que também atrai pessoas para retirar livros, o que se torna mais um incentivo à leitura”, afirma.
Paralelamente, o Café Sesc Centro (Av. Alberto Bins, 665), recebe oito ilustrações da autora, das publicações: Um Presente Especial, Cadê o Prato do Pato Pedro? e Um Sinal para o Coração de Javaline. As gravuras são feitas com feltragem a seco com agulhas, técnica na qual a artista tece a lã de ovelha e constrói as imagens em feltros a partir dos contos e dos poemas dos autores. Esses livros são os primeiros no Brasil com ilustrações desse tipo. Segundo Patrícia, “O Fio da História tece de forma poética a magia e o encantamento pelas histórias inventadas para a infância”.
A exposição faz parte da 2ª Mostra Arte Sesc para Crianças, uma iniciativa do projeto Arte Sesc – Cultura por toda parte, que promove em Porto Alegre uma série de atividades culturais gratuitas voltadas especialmente ao público infantil. Além da exposição, são diversas peças e oficinas no mês de outubro. A mostra na Biblioteca Livros sobre Trilhos permanece até 30 de novembro, com visitação de segunda a sexta-feira, das 10h às 20h.
Segundo Sheila Nunes, representante do Sesc-RS, “é através de projetos como este que o Sesc investe na formação de plateia e na educação para as artes, contribuindo assim para o desenvolvimento sociocultural de crianças e adolescentes”. Acesse a programação completa da 2ª Mostra Arte Sesc para Crianças clicando aqui.

Serviço
O que: exposição O Fio da História, de Patrícia Langlois.
Quando: de 1º de outubro a 30 de novembro, das 10h às 20h.
Onde: Biblioteca Livros sobre Trilhos, localizada na plataforma de embarque da Estação Mercado da Trensurb.
Quanto: R$ 1,70 (tarifa unitária do metrô).
Fonte - Trensurb  30/09/2015

Audiência pública debaterá Plano Nacional de Controle de Velocidade

Trânsito

O DNIT prepara licitação para contratar empresa interessada em instalar e manter radares nas rodovias.O encontro tem o objetivo de divulgar a realização de licitação para contratar a empresa ou consórcio que será responsável por instalar, operar e manter os equipamentos de fiscalização. 

Natália Pianegonda
Agência CNT de Notícias
foto - Arquivo CNT
O DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) realizará audiência pública para debater o novo Plano Nacional de Controle de Velocidade, que prevê a instalação e manutenção de equipamentos eletrônicos para o controle de velocidade nas rodovias federais administradas pelo órgão.
O encontro tem o objetivo de divulgar a realização de licitação para contratar a empresa ou consórcio que será responsável por instalar, operar e manter os equipamentos.
A audiência pública está marcada para as 10h do dia 14 de outubro. Ela será realizada no auditório do DNIT, em Brasília (SAN, Quadra 3, Bloco A – Edifício Núcleo dos Transportes).
Fonte - Agência CNT de Notícias

Seminário FrenteINFRA de Energia Solar ocorre em outubro

Energia solar

Especialistas brasileiros e estrangeiros oferecerão palestras e se colocarão à disposição para debates. Como resultado do encontro, se produzirá a Carta Solar FrenteINFRA.

Senador Hélio José
foto - ilustração
A FrenteINFRA, presidida pelo senador Hélio José, promove o Seminário FrenteINFRA de Energia Solar em 08 de outubro de 2015, a partir das 8:30 horas, no INTERLEGIS (VIA N2, anexo "E" do Senado Federal, Brasília – DF).
Especialistas brasileiros e estrangeiros oferecerão palestras e se colocarão à disposição para debates. Como resultado do encontro, se produzirá a Carta Solar FrenteINFRA. Tal documento consolidará as discussões e apontará diretrizes que inspirem desdobramentos nos meios de ação legítima do Congresso Nacional.
A participação é gratuita. Contudo, solicita-se encaminhar aviso de presença para frenteinfra@gmail.com
A programação encontra-se em http://www.senadorheliojose.com.br/seminario-frenteinfra-de-energia-solar-fotovoltaica.
Fonte - ABIFER  30/09/2015

Limpeza da Lagoa do Abaeté devolve bela paisagem aos visitantes

Meio Ambiente

Segundo o gestor da Área de Proteção Ambiental Lagoas e Dunas do Abaeté, Tiago Marques, o processo de restauração da Lagoa foi dividido em duas etapas – a primeira, foi a limpeza da lagoa, iniciada em dezembro de 2014 e concluída em março deste ano; já a segunda etapa, realizada no dia 15 de setembro, contou com a retirada de toda a biomassa de plantas aquáticas presente na porção sudoeste. 

Secom
Adicionar legenda
Dona de uma das paisagens mais exuberantes de Salvador, a lagoa do Parque Metropolitano Lagoas e Dunas do Abaeté é um dos principais pontos turísticos da capital baiana. Com esse entendimento, o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) tem intensificado o processo de restauração da mesma, através de limpeza e mobilização junto à população local e os visitantes.
Visitante assíduo do Parque, o administrador Pedro Paulo de Araújo parabenizou a iniciativa de preservação liderada pelo órgão. “Venho aqui desde menino e acho muito importante essa e qualquer ação de valorização da lagoa. Além de uma boa opção de lazer, precisamos lembrar que o Abaeté foi e continua sendo o palco de ícones da nossa cultura”, afirmou Pedro, fazendo referência a Dorival Caymmi e Caetano Veloso.
Segundo o gestor da Área de Proteção Ambiental Lagoas e Dunas do Abaeté, Tiago Marques, o processo de restauração da Lagoa foi dividido em duas etapas – a primeira, foi a limpeza da lagoa, iniciada em dezembro de 2014 e concluída em março deste ano; já a segunda etapa, realizada no dia 15 de setembro, contou com a retirada de toda a biomassa de plantas aquáticas presente na porção sudoeste. “Até dezembro do ano passado, a Lagoa do Abaeté estava com uma grande biomassa de plantas aquáticas (baronesas e salvíneas) cobrindo porções da superfície d’água. Um plano de ação, com o intuito de limpar a lagoa todas as segundas-feiras, foi iniciado no período envolvendo representantes da comunidade, como a Associação Educacional, Cultural, Recreativa e Carnavalesca Afoxé Korin Nagô, pescadores locais (Colônia Z6), Associação de Moradores de Itapuã e funcionários do Parque”, salientou o gestor.
Após a realização desta ação será feito um trabalho de manutenção periódica, a ser realizada semanalmente para evitar nova proliferação das plantas aquáticas. Paralelo ao trabalho de coleta manual das plantas aquáticas, a Coordenação de Monitoramento de Águas do Inema (COMON) iniciou uma série de estudos em diversos pontos da Lagoa, no sentido de mapear a qualidade dessas áreas e associar aos usos que estão ocorrendo nesses ambientes, o que vem contribuindo com a disponibilização de matéria orgânica e que influencia diretamente na qualidade da água e consequentemente na proliferação desses organismos aquáticos. “Na verdade o que nós vamos fazer é mapear os pontos de poluições e tentar entender o que leva a alteração da lagoa, buscando evitar que alguns pontos fiquem impróprios para a utilização da água”, esclareceu o coordenador de Monitoramento do Inema, Eduardo Topázio.
A partir do resultado desse monitoramento, a Diretoria de Unidades de Conservação (DIRUC) do Instituto terá subsídios para elaborar um plano de ações com o objetivo de buscar ordenar, controlar os usos que vem contribuindo direta ou indiretamente com a qualidade da água da Lagoa do Abaeté.

Proteção aos banhistas
Recentemente, em parceria técnica com Grupamento Marítimo do Corpo de Bombeiros (GMAR), foram instaladas 153 boias de sinalização dentro da lagoa, em uma área de 450 metros de extensão. O novo equipamento delimita os espaços destinados aos banhistas, evitando o acesso a áreas profundas e que apresentam perigo de afogamento. A lagoa também conta com a presença diária de dois profissionais do GMAR realizando trabalhos de prevenção e atendimento, principalmente aos sábados e domingos, quando aumenta consideravelmente o fluxo de banhistas.

Monitoramento
O Inema também realiza o monitoramento semanal da Balneabilidade (qualidade das águas destinadas à recreação de contato primário) da lagoa, de acordo com as especificações da Resolução N.º274/2000 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama). Os resultados das análises de qualidade da Lagoa do Abaeté são atualizados e divulgados semanalmente através do Boletim de Balneabilidade, disponibilizado no site do Inema.

APA Lagoas e Dunas do Abaeté
Criada pelo Decreto N° 351 de 22 de setembro de 1987, ocupa uma área de aproximadamente 1.800 hectares e tem como objetivo proteger o remanescente de sistemas de lagoas de coloração escuras intercaladas por dunas de areia branca móveis, semimóveis ou fixas, recobertas por vegetação arbórea, arbustiva e herbácea no município de Salvador.
Com informações da Secom Ba.  30/09/2015

Assassinatos de jovens negros expõem racismo e violência, diz especialista

Direitos Humanos

A fundadora do Movimento Mães de Maio, Débora Maria, lamentou a criminalização dos jovens e criticou a tentativa de se legitimar mortes com o argumento de que a vítima tinha passagem pela polícia. Ela, que teve o filho assassinado em maio de 2006, disse que basta ser pobre e morar na periferia para morrer.

Camila Boehm
Repórter da Agência Brasil
foto - ilustração
O assassinato de jovens negros na periferia das cidades expõe o racismo e a violência da sociedade brasileira, afirmou o diretor executivo da Anistia Internacional, Átila Roque. A organização destaca que, segundo dados do Mapa da Violência 2012, dos 56 mil assassinatos registrados no país, 30 mil são de jovens entre 15 e 29 anos. Destes, 77% são negros.
Segundo Roque, a violência sempre teve papel-chave na busca da ordem pelo Estado e está profundamente arraigada na forma como a sociedade distribui o poder. Ele disse que, apesar de o Brasil não se ver como um país racista, a cor influencia no tratamento que se dá ao cidadão. “O Estado, que detém o monopólio da força, acaba sendo violador de direitos e abusa da força letal”, disse o diretor em debate feito na Matilha Cultural, na capital paulista.
Para Átila Roque, não há solução mágica para a segurança pública no país. É preciso primeiro quebrar o ciclo de impunidade e romper com a lógica da guerra, na qual a busca é por eliminar o inimigo.
A fundadora do Movimento Mães de Maio, Débora Maria, lamentou a criminalização dos jovens e criticou a tentativa de se legitimar mortes com o argumento de que a vítima tinha passagem pela polícia. Ela, que teve o filho assassinado em maio de 2006, disse que basta ser pobre e morar na periferia para morrer.
A defensora pública Daniela Skromov Albuquerque afirmou que as mortes causadas por policiais militares costumam ter um roteiro padronizado, em que o suspeito atira e o policial reage em legítima defesa. Ela ressaltou que uma função da Polícia Militar é preservar a vida.
Daniela lembrou que muitos casos registrados como morte decorrente de intervenção policial, conhecidos como auto de resistência, trazem múltiplos disparos de arma de fogo em regiões vitais, muitas vezes nas costas, e sem registro de policiais feridos ou viaturas atingidas, o que eliminaria uma versão de confronto ou troca de tiros. Ela disse ainda que a falta de depoimentos de testemunhas e cenas de crimes alteradas prejudicam as investigações e dificultam as punições
Fonte - Agência  Brasil  30/09/2015

Sedur debate propostas para o PDDU de Salvador

Planejamento Urbano

O primeiro encontro aconteceu na manhã desta terça-feira (29), na sede da Secretaria, no Centro Administrativo (CAB), e tratou de questões pertinentes ao Centro Antigo. “O primeiro passo é avançar na discussão para que o PDDU, de fato, contemple os pontos estratégicos e de relevância para Salvador”, explicou a superintendente de Planejamento e Gestão Territorial da Sedur, Lívia Gabrielli, que representa o Estado no Conselho Municipal da Cidade.... 

Sedur
Sedur
Pensar a cidade de forma democrática e participativa. Com este objetivo, a Sedur está promovendo reuniões semanais com gestores, técnicos e representantes de movimentos sociais para debater temas relevantes para Salvador e contribuir, efetivamente, para o processo de revisão do Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU). Trata-se do Grupo de Trabalho Planeja Salvador.
O primeiro encontro aconteceu na manhã desta terça-feira (29), na sede da Secretaria, no Centro Administrativo (CAB), e tratou de questões pertinentes ao Centro Antigo. “O primeiro passo é avançar na discussão para que o PDDU, de fato, contemple os pontos estratégicos e de relevância para Salvador”, explicou a superintendente de Planejamento e Gestão Territorial da Sedur, Lívia Gabrielli, que representa o Estado no Conselho Municipal da Cidade, ao lado da coordenadora do Sistema Viário Oeste (SVO/Sedur), Graça Torreão.
Especificamente no que diz respeito ao Centro Antigo, uma das principais críticas é, justamente, a ausência de um plano urbanístico específico para a região. “É importante a sua elaboração de forma participativa, priorizando pontos como a melhoria da acessibilidade, a preservação das características simbólicas e a valorização dos sítios, monumentos e todo entorno”, pontuou o arquiteto responsável pela apresentação de hoje, Tiago Brasileiro, integrante da equipe que está fazendo o planejamento urbano da Ilha de Itaparica e que já colaborou com a elaboração de mais de 30 PDDUs em municípios baianos.
A região, que abrange 11 bairros e onde residem cerca de 77 mil pessoas, está passando por obras de pavimentação e requalificação, sob a responsabilidade da Diretoria do Centro Antigo de Salvador da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Dircas/Conder), vinculado a Sedur. Todavia, outras questões como a reversão do esvaziamento populacional da região, o ordenamento e controle do comércio informal, e até mesmo a modernização do Porto de Salvador devem ser tratadas dentro do âmbito do novo PDDU da capital.
“Para fazer com que o direito à cidade seja um fato, é preciso garantir um desenvolvimento urbano com controle social. E o principal instrumento é um Plano Diretor participativo, envolvendo os movimentos sociais, empresários e os governos municipais e estadual”, atentou o arquiteto Daniel Colina, representante do Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB/Bahia) no Conselho Estadual das Cidades (ConCidades) desde a sua criação, em 2007. “Se a sociedade se organiza em suas entidades e, aqui, nessa reunião, algo indica que estamos no caminho certo, podemos pautar as diretrizes”, arrematou.
Na próxima terça (06/10), o tema em pauta será Zonas Especiais de Interesse Social (ZEIS), com apresentação da coordenadora de Planejamento Habitacional da Sedur, Raquel Matedi. O Planeja Salvador também irá tratar de mobilidade, saneamento e meio ambiente, e integração e centralidade metropolitana.
Com informações da Sedur Ba. 29/09/2015

Regulação da mídia: conheça os pontos em debate no Brasil

Política

O tema da regulação da mídia voltou à tona recentemente nas eleições presidenciais, quando a então candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) declarou que, se eleita, enfrentaria o debate no âmbito econômico acerca da regulação do setor audiovisual. De lá para cá, o governo não seguiu adiante com a apresentação de uma proposta.

Do Portal EBC

Censura, liberdade de expressão, poder e influência da mídia. São várias as expressões usadas quando o assunto é regulação da mídia. O tema, que já foi alvo de debates e de criação de leis em outros países, ainda é polêmico no Brasil. Enquanto ainda não foi definido um marco regulatório para o tema, o Poder Judiciário tem sido muitas vezes o responsável por cobrar o cumprimento das leis já existentes. O vazio em relação a algumas regras deixa espaço para a veiculação de conteúdos inadequados do ponto de vista dos direitos humanos e que refletem pouco a diversidade do país. Mas afinal, o que significa a regulação da mídia?
O tema da regulação da mídia voltou à tona recentemente nas eleições presidenciais, quando a então candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) declarou que, se eleita, enfrentaria o debate no âmbito econômico acerca da regulação do setor audiovisual. De lá para cá, o governo não seguiu adiante com a apresentação de uma proposta.
Do mesmo modo como o transporte e a energia, a comunicação é um serviço público: trata-se de um direito previsto na Constituição Federal de 1988. Diferentemente de outros capítulos do texto constitucional - como os relacionados ao meio ambiente - aqueles que se referem ao direito à comunicação ainda não foram regulamentados, o que dificulta a execução e fiscalização desse serviço. Enquanto as leis que tratam desse tema ainda não foram unificadas em torno de um texto comum, a Justiça tem sido acionada para o cumprimento da atual legislação.
No especial do Portal EBC, conheça alguns exemplos de como a falta de regulação das leis pode provocar violação de direitos. Saiba ainda como denunciar casos abusivos cometidos por emissoras de rádio e TV.
Os termos técnicos e contextos históricos e normativos importantes para compreender a discussão também fazem parte do conteúdo. Entre eles está a definição do espectro eletromagnético, a diferença entre regulação e regulamentação, a história da discussão sobre a Comunicação na Assembleia Nacional Constituinte (1988) e a importância do Código Brasileiro de Telecomunicações (CBT). Entenda também como é o modelo de regulação da mídia em outros lugares do mundo, como França, Estados Unidos, Reino Unido, Portugal e Argentina, e alguns projetos sobre regulação que tramitam atualmente no Congresso Nacional.
Fonte - Agência Brasil  29/09/2015

China cria oficialmente fabricante de TAV

Internacional

A fusão da CNR e CSR foi anunciada em 30 de outubro de 2014.O novo conglomerado estreou nas bolsas de Shanghai e Hong Kong em 8 de junho. O preço da ação de classe A ficou em 13,23 yuans (US$ 2,08) nesta segunda-feira.

China Radio Internacional - RF
foto - ilustração
O estabelecimento da fabricante chinesa de trem de alta velocidade Companhia CRRC foi oficialmente anunciado nesta segunda-feira.
Sob aprovação do Conselho de Estado, o gabinete chinês, as duas ex-gigantes China North Railway (CNR) e China South Railway (CSR) se uniram para formar a CRRC.
A fusão da CNR e CSR foi anunciada em 30 de outubro de 2014.
O novo conglomerado estreou nas bolsas de Shanghai e Hong Kong em 8 de junho. O preço da ação de classe A ficou em 13,23 yuans (US$ 2,08) nesta segunda-feira.
Cui Dianguo, presidente da CRRC, disse que a companhia ajudará a acelerar a fabricação de equipamentos de ponta na China e a reforma das estatais.
O gerente-geral Liu Hualong afirmou que a CRRC visa tornar-se um grupo de investimento líder mundial com produção de ponta e operações diversificadas de capital.
Fonte - Revista Ferroviária  29/09/2015