sábado, 19 de setembro de 2015

Papa Francisco chega a Cuba para visita histórica de quatro dias

Internacional

O Airbus A330 da Alitalia transportando o papa aterrisou poucos minutos antes das 16h locais (17h, no horário de Brasília) no Aeroporto José Martí de La Habana, onde era aguardado pelo presidente cubano, Raúl Castro, e pelo cardel Jaime Ortega, maior representante da Igreja Católica na ilha.

Da Agência Lusa
foto - ilustração
O papa Francisco chegou na tarde deste sábado (19) a Cuba, primeira etapa de uma viagem que o levará também aos Estados Unidos, os dois países que contaram com seu apoio para restabelecerem relações diplomáticas.
O Airbus A330 da Alitalia transportando o papa aterrisou poucos minutos antes das 16h locais (17h, no horário de Brasília) no Aeroporto José Martí de La Habana, onde era aguardado pelo presidente cubano, Raúl Castro, e pelo cardel Jaime Ortega, maior representante da Igreja Católica na ilha.
Esta é considerada uma das viagens mais longas e delicadas do papa Francisco. Além de reuniões protocolares, ele irá à Praça da Revolução, em Havana, ao Congresso dos Estados Unidos, em Washington, e à ONU, em Nova York.
Com uma agenda muito carregada, o papa argentino, de 78 anos, pronunciará 26 discursos, dos quais oito em Cuba e 18 nos Estados Unidos.
Até terça-feira (22), o papa estará em Cuba, com passagens por Havana, Holguin e Santiago, para encontros com jovens, famílias, bispos e, provavelmente, o líder histórico do regime Fidel Castro.
Três visitas papais em 17 anos mostram a atenção do Vaticano ao país, onde o regime e a Igreja Católica comemoram, com apoio do papa, a normalização das relações diplomáticas com os Estados Unidos.
O avião papal levará diretamente Francisco de Havana à Base Militar de Andrews, em Washington, onde será recebido pelo presidente Barack Obama.
Nos Estados Unidos, os dois momentos mais esperados serão os discursos, em inglês, no Congresso, em Washington, e em espanhol na assembleia-geral das Nações Unidas, em Nova York.
Ainda em Washington, Francisco vai canonizar o missionário espanhol Junipero Serra, que participou, no século XVIII, da evangelização da Califórnia, na Costa Oeste dos Estados Unidos.
Em Nova York, o papa vai presidir, no "Ground Zero", uma cerimónia interreligiosa contra o terrorismo e em memória das vítimas dos atentados de 11 de setembro de 2001.
Na última etapa, na Filadélfia (Pensilvânia), o papa presidirá o encerramento do 8º Encontro Mundial das Famílias Católicas. De acordo com os organizadores, cerca de dois milhões de pessoas são esperados para a missa final ao ar livre.
Fonte - Agência Brasil  19/09/2015

Alemanha e Áustria pedem ajuda de 5 bilhões de euros para atender refugiados

Internacional

O chanceler austríaco, Werner Faymann, e o vice-chanceler alemão, Sigmar Gabriel, disseram, depois de uma reunião em Viena, que esse dinheiro deveria vir da União Europeia, dos Estados Unidos e dos países ricos do Golfo Pérsico.

Da Agência Lusa
Ag.Brasil
A Alemanha e a Áustria pediram hoje (19) um pacote imediato de ajuda humanitária, no valor de 5 bilhões de euros, para melhorar a situação nos campos de refugiados no Oriente Médio.
O chanceler austríaco, Werner Faymann, e o vice-chanceler alemão, Sigmar Gabriel, disseram, depois de uma reunião em Viena, que esse dinheiro deveria vir da União Europeia, dos Estados Unidos e dos países ricos do Golfo Pérsico.
"Devemos ajudar os países onde a miséria é tão grande que as pessoas decidem sair. Se as pessoas não têm o que comer e beber, que mais podem fazer que não seja fugir?", disse Sigmar Gabriel, em entrevista.
Os países vizinhos da Síria, sobretudo a Turquia, o Líbano e a Jordânia, onde a guerra civil se prolonga há cinco anos, acolheram milhões de sírios.
O vice-chanceler alemão afirmou que a União Europeia, os Estados Unidos e os países árabes deveriam dar mais ajuda e lembrou que o programa de alimentação da Organização das Nações Unidas teve de reduzir a ajuda mensal aos refugiados de US$ 27 para US$ 13 por falta de fundos.
Werner Faymann, por sua vez, criticou os muros que a Hungria está construindo nas fronteiras com a Sérvia, Croácia e Romênia.
"Um país pode construir um muro e tentar entregar as tarefas humanitárias aos seus vizinhos", afirmou o austríaco, defendendo que, para alguns problemas do mundo, não bastam as soluções nacionais. Ele apelou à solidariedade internacional para encontrar uma solução.
Fonte - Agência  Brasil  19/09/2015

Obras de logística de projeto da Vale avançam alheias à baixa cotação do minério

Infraestrutura

Engenheiros e operários dão de ombros para a situação dos preços do minério, que despencaram a uma mínima histórica poucos meses atrás, em grande parte devido à crescente oferta global de grandes mineradoras como a própria Vale e suas rivais australianas BHP e Rio Tinto.A Vale trabalha intensamente também no interior, para começar a produzir no segundo semestre de 2016 minério de alta qualidade em uma nova mina no sudeste do Pará....

Reuters
foto - ilustração
É difícil olhar para os lados nos canteiros de obras da Vale em seu terminal marítimo em São Luís (MA) e não ver dezenas de trabalhadores, máquinas e caminhões circulando e trabalhando em ritmo frenético, num gigantesco esforço para concluir a obra que vai começar a colocar mais 90 milhões de toneladas de minério de ferro por ano no mercado global já a partir do ano que vem.
Engenheiros e operários dão de ombros para a situação dos preços do minério, que despencaram a uma mínima histórica poucos meses atrás, em grande parte devido à crescente oferta global de grandes mineradoras como a própria Vale e suas rivais australianas BHP e Rio Tinto.
"Estamos seguindo um planejamento muito maduro. Não tem nenhuma diretriz para acelerar ou atrasar", disse o diretor de Implantação de Projetos Logística Norte, Adriano Mansk, responsável pelas obras, que acompanhou a reportagem da Reuters em uma visita às novas áreas do terminal marítimo de Ponta da Madeira, na capital maranhense.
A Vale trabalha intensamente também no interior, para começar a produzir no segundo semestre de 2016 minério de alta qualidade em uma nova mina no sudeste do Pará, o projeto S11D, que fica no principal polo produtor Carajás, de onde extraiu 120 milhões de toneladas no ano passado.
Para a nova produção chegar aos compradores no exterior, é preciso construir um novo ramal ferroviário de 100 quilômetros e duplicar gradualmente 570 quilômetros já existentes da Estrada de Ferro Carajás, rumo a São Luís.
No porto, está sendo feita uma ampliação das instalações em terra, como oficinas para os trens, mais equipamentos para descarregar as composições e novos pátios para armazenar minério.
Dentro do mar, em um píer que está a 1.800 metros da costa, sob influência de fortes correntes de maré, a Vale também trabalha em uma estrutura gigantesca, um novo berço para atracar e carregar os navios Valemax, os maiores mineraleiros do mundo, com capacidade para transportar 400 mil toneladas de minério em uma única viagem.
O levantamento mais recente da companhia, ao qual a Reuters teve acesso, mostra que até 31 de julho as obras de expansão da retroárea do terminal marítimo já estavam 60,1 por cento concluídas, enquanto o novo berço de atracação estava 58 por cento concluído.
A Vale prevê investir cerca de 17 bilhões de dólares para as obras de mina, usina de beneficiamento de minério, logística e porto.
Segundo Mansk, os recursos têm sido repassados para a obra dentro do cronograma.
Com a conclusão das obras, o terminal de Ponta da Madeira terá capacidade para embarcar 230 milhões de toneladas de minério por ano. A título de comparação, a produção em 2014 da Vale, a maior produtora global da commodity, atingiu 320 milhões de toneladas.
A obra que integra o projeto mais ambicioso de expansão da história da companhia receberia nesta sexta-feira o presidente-executivo da mineradora, Murilo Ferreira, que visita frequentemente o local, segundo relatos de funcionários da empresa, que se preparavam para recebê-lo.

"Pitstop" de Trens
Quando o projeto S11D estiver produzindo com capacidade total, o que está previsto, para 2018, os desafios para transportar o minério por centenas de quilômetros, do interior do Pará até o porto, serão ainda maiores do que a operação atual.
A Vale está aproveitando as obras de expansão para melhorar todo seu sistema de manutenção dos trens. Quase 11 mil vagões são usados atualmente para transporte de produtos na Estrada de Ferro Carajás.
À medida que a produção for aumentando, crescerá também o número de vagões em circulação, tornando o processo de troca de peças uma tarefa ainda mais complexa.
Atualmente, gasta-se cerca de meia hora manejando a composição para conseguir retirar dela um único par de vagões e encaminhá-lo à manutenção.
Operários trabalham à todo vapor para entregar até dezembro deste ano uma nova oficina, do tamanho de vários ginásios esportivos, onde o processo de troca de rodas e eixos será totalmente reformulado.
Ao invés de retirar o vagão com defeito da composição, o trem inteiro entrará na oficina --instalada à beira da linha de saída do terminal. A unidade com defeito para sobre um equipamento especial subterrâneo por onde o sistema de rodas é desencaixado e substituído por um novo.
O trem anda mais alguns metros e outro jogo de rodas pode ser rapidamente substituído, num trabalho em série que vai gerar grande economia de tempo na operação dos trens.
"Se eu ficasse com o modelo antigo, precisaria de uma frota muito maior (para operar com a nova capacidade adicional)", descreveu Mansk.
Já na oficina de locomotivas, o sistema lembra o de um "pitstop" de Fórmula 1.
A máquina é abastecida e o volume de combustível é informado automaticamente à sala de controle da ferrovia. Enquanto isso, funcionários aproveitam para simultaneamente a analisar itens de segurança e fazer pequenos reparos.
E locomotiva parada para reabastecer não significa que o minério deixou de ser transportado.
A máquina passa por manutenção e abastecimento enquanto um sistema automático se encarrega de puxar e virar os vagões, descarregando o minério.
Também a nova oficina de locomotivas deve ficar pronta em dezembro.

Correntes de maré
Um dos grande diferenciais do terminal marítimo em São Luís é seu calado natural.
O novo píer 4, que já tem um berço funcionando e vai ganhar outro, para atender à nova capacidade, pode receber facilmente os gigantes Valemax devido à sua profundidade de pelo menos 25 metros.
Contudo, as obras ocorrem em um local não abrigado das correntes marítimas, que são muito fortes na região devido ao grande deslocamento de água provocado pela variação das marés, que pode chegar a impressionantes sete metros em poucas horas.
Olhando-se do alto do píer 4, em um momento de movimento de maré, a água do mar mais parece um rio caudaloso do que um local tranquilo para atracar um navio.
Por isso, as embarcações só se movimentam ali nos momentos de maré cheia ou vazia, em que as correntes são praticamente nulas.
O grande desafio dos engenheiros foi criar um sistema que mantenha os navios bem firmes junto ao cais durante as correntes mais fortes.
A Vale está instalando no novo berço um sistema que vai muito além da simples amarração da embarcação. São grandes polias, com cabos e aço, motores e sensores eletrônicos, que tensionam e destensionam as amarrações automaticamente.
São obras pesadas e novas tecnologias que permitirão à Vale dar mais um golpe na batalha de titãs travada entre as grandes mineradoras do mundo que buscam garantir espaço em um mercado cada vez mais disputado.
Fonte - ABIFER  18/09/2015

Ministro Lewandowski disse que doação para campanha eleitoral é caso encerrado

Política

Lewandowski considera encerrada discussão sobre doações para campanha eleitoral.Quanto à possibilidade de entendimento diferente do Congresso, que terá que decidir sobre uma proposta de emenda à Constituição para permitir o financiamento privado, Lewandowski lembrou que houve um precedente em que o Supremo considerou a decisão inconstitucional.

Cristina Indio do Brasil
Repórter Agência Brasil
Tânia Rêgo/Agência Brasil
O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, disse hoje (18) que, para a Corte, está encerrada a discussão sobre as doações de empresas privadas para campanhas eleitorais. Ele explicou que a decisão do STF se baseou em princípios constitucionais e de igualdade entre os cidadãos, os pilares da Constituição.
Quanto à possibilidade de entendimento diferente do Congresso, que terá que decidir sobre uma proposta de emenda à Constituição para permitir o financiamento privado, Lewandowski lembrou que houve um precedente em que o Supremo considerou a decisão inconstitucional. Isso ocorre, segundo ele, quando emendas constitucionais entram em conflito com as cláusulas pétreas.
Para Lewandowski, a decisão do STF deixou evidente que a proibição valerá para as próximas eleições. Ele disse que não pretende polemizar com o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, para quem, há uma possibilidade de a medida não se aplicar nas eleições de 2016.
“Não quero polemizar com o presidente da Câmara. Ele tem as suas razões. É chefe de um poder, mas entendo que a decisão do Supremo foi extremamente clara e eu, ao proclamar o resultado, deixei explícito que as normas valerão para as próximas eleições”, apontou.
O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, recordou que são muitos anos em que a legislação permitia este tipo de financiamento e, embora reconheça que haverá um período de difícil adaptação, acrescentou que o político tem que obedecer as leis.
“Estamos chegando quase a um ano da eleição. Podia haver uma transição. Acho que os candidatos enfrentarão muitos problemas. Acho que é preciso muita orientação de como será. Se haverá financiamento público e como vai ser para se candidatar”, contou.
Pezão lembrou que uma alternativa pode ser um velho hábito de fazer campanha. “Se for só andar para pedir voto, acho extraordinário, porque fiz a minha campanha assim. Claro que tinha televisão, mas eu andava de oito a nove horas por dia. Sempre fiz campanha batendo na porta do eleitor”, disse.
Lewandowski e Pezão participaram hoje, no Tribunal de Justiça do Rio, da implantação do sistema de audiências de custódia. O sistema determinará um processo mais rápido para os casos de prisão em flagrante. O Rio é o vigésimo estado a adotar a regra. A expectativa é que sejam atendidos 20 presos por semana.
Fonte - Agência Brasil  18/09/2015

Finalizada escavação de poço da Linha 4 do Rio

Transportes sobre trilhos

A escavação teve início em março, e foi preciso fazer tratamento do solo com Jet Grouting (injeções de calda de cimento), em função do lençol freático na região.O shaft, foi escavado entre as avenidas Visconde de Albuquerque e Ataulfo de Paiva e tem 22 metros de diâmetro por 32 metros de profundidade, e foi dividido em seis nichos. 

Revista Ferroviária
Linha 4 Metrô Rio
Foi concluída a escavação do poço (shaft) de ventilação da Linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro no bairro do Leblon, na zona sul da cidade. A construção foi feita pelo consórcio Linha 4 Sul (CL4S), responsável pelas obras do trecho.
A escavação teve início em março, e foi preciso fazer tratamento do solo com Jet Grouting (injeções de calda de cimento), em função do lençol freático na região.
O shaft, foi escavado entre as avenidas Visconde de Albuquerque e Ataulfo de Paiva e tem 22 metros de diâmetro por 32 metros de profundidade, e foi dividido em seis nichos. A cada metro escavado, a área passava pelo revestimento primário por concreto projetado, para que, então, o núcleo do poço pudesse ser escavado. A técnica evita uma possível movimentação do solo ou recalques no terreno.
Após finalizada a escavação, a laje de fundo foi concretada, uma estrutura com 2,5 metros de altura que consumiu 1.000 metros cúbicos de concreto. Agora, serão construídas as paredes de concreto que revestirão o poço. As paredes têm 50 centímetros de espessura e são moldadas in loco, com o uso de formas deslizantes.
Quando pronto, o poço terá quatro andares onde ficarão ventiladores, geradores, subestação de energia, salas técnicas para o trabalho de operadores da concessionária do sistema metroviário e, em dois pontos, haverá escadas para saída de passageiros, numa eventual emergência.
Fonte - ABIFER  19/09/2015

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Cuiabá receberá propostas para retomada do VLT

Transportes sobre trilhos

De acordo a Superintendência de Aquisições e Contratos da Secid, as propostas têm como base o termo de referência 001/2015, elaborado por equipe técnica formada por servidores da Secid, Controladoria Geral do Estado (CGE) e Gabinete de Assuntos Estratégicos (GAE). O contrato tem prazo de execução de 120 dias.

Só Notícias - RF
foto - ilustração
A Secretaria de Estado das Cidades (Secid) recebe até o dia 25 deste mês as propostas orçamentárias das empresas que irão participar do processo licitatório para contratação dos serviços de consultoria relacionados à obra do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). Ao todo, dez empresas participam do trâmite, que foi definido com base o artigo 24, da lei 8.666/93.
De acordo a Superintendência de Aquisições e Contratos da Secid, as propostas têm como base o termo de referência 001/2015, elaborado por equipe técnica formada por servidores da Secid, Controladoria Geral do Estado (CGE) e Gabinete de Assuntos Estratégicos (GAE). O contrato tem prazo de execução de 120 dias.
A decisão pela contratação dos serviços especializados foi autorizada pela Justiça Federal, no dia 26 de agosto. Na data, o titular da 1ª Vara Federal, juiz Ciro José de Andrade Arapiraca, também determinou a suspensão do contrato do VLT durante o período em que os trabalhos da consultoria forem realizados. Na decisão, o magistrado reforçou a necessidade dos estudos serem concluídos no prazo de quatro meses.
A contratação de empresa especializada será responsável por dar suporte ao Estado na continuidade das obras do VLT. De acordo com o termo de referência, a empresa deverá apresentar a viabilidade financeira relacionada ao contrato, análise técnica sobre o cronograma de término de obras, estimativa de demandas de operação nos primeiros 20 anos, estimativa tarifária, proposta de integração do VLT à matriz de transporte da Região Metropolitana do Vale do Rio Cuiabá, como também o cronograma de desembolso do Estado para a implementação do modal.
O termo de referência ainda determina que os estudos sejam realizados por profissionais com experiência na realização de consultoria e/ou auditoria, gerenciamento e/ou supervisão, e/ou em fiscalização físico-financeira em contratos de execução de obras e serviços. Também está sendo exigido pelo Estado que a empresa consultora tenha conhecimento em estudos de planejamento de transporte coletivo urbano e de modelos operacionais de sistemas de transporte ferroviário urbano.
Após o dia 25 de setembro, as propostas serão analisadas pela Secid, CGE e GAE. Além de respeitar o valor limite a ser pago pelo Estado, o documento também deverá contemplar todas as exigências técnicas do termo de referência para que a empresa seja contratada.
Fonte - Revista ferroviária  18/09/2015

Semana Nacional de Trânsito começa hoje

Trânsito

O foco será a mudança de comportamento como ação primordial para a redução de acidentes.Segundo o Denatran, “é importante alertar que para mudar esse quadro dependemos da mudança de atitude de todos os atores no trânsito (pedestres, ciclistas, passageiros e condutores).

Portal do Trânsito
Mariana Czerwonka
Adicionar legenda
O Contran (Conselho Nacional de Trânsito) definiu o tema da Semana Nacional do Trânsito 2015, que será “Década Mundial de Ações para a Segurança do Trânsito – 2011/2020: Seja você a mudança”. O foco será a mudança de comportamento como ação primordial para a redução de acidentes.
Segundo o Denatran, “é importante alertar que para mudar esse quadro dependemos da mudança de atitude de todos os atores no trânsito (pedestres, ciclistas, passageiros e condutores). O ator do trânsito deve ser tratado como alguém que tem o poder de decidir o seu destino e que é responsável pelas próprias ações e vai sofrer as consequências de suas escolhas”.
O Portal do Trânsito, através de sua campanha "Quem Faz o Trânsito Sou Eu", divulgará uma série de peças educativas em sua página no Facebook durante toda a semana. " O objetivo da nossa campanha é mostrar que é possível mudar a realidade trágica do nosso trânsito, basta olhar para si mesmo e transformar pequenas atitudes no dia a dia erradicando comportamentos que levem a situações de risco. Mostraremos que a redução geral dos números de acidentes e mortos no trânsito pode começar com o indivíduo e assim contaminar a sociedade como um todo. Se você conseguir evitar um acidente, você estará contribuindo e muito com o resultado geral", conclui Celso Alves Mariano, diretor do Portal do Trânsito.
Fonte - Portal do Trânsito  18/09/2015

Pedreiro pedala 42 km por dia para se formar em Direito aos 63 anos

Educação

Após pedalar 42 km todos os dias para estudar, pedreiro se forma em Direito aos 63 anos.Joaquim juntou R$ 55 mil para os estudos ao longo dos anos de trabalho; ele recebeu o diploma nesta quinta-feira (17)

Diário do Nordeste
Joaquim Corsino dos Santos recebeu o diploma de graduação
 aos 63 anos ( Foto: Ricardo Medeiros/ A Gazeta )
O pedreiro Joaquim Corsino dos Santos percorria de bicicleta cerca de 21 km entre sua casa e a faculdade Direito onde estudava todos os dias. O trajeto entre Cariacica e Vitória, no Espírito Santo, não era uma barreira que o impedisse de realizar seu sonho. Na quinta-feira (17), ele recebeu o diploma de graduação, aos 63 anos de idade.
Joaquim nasceu em Itaumirim, em Minas Gerais, e chegou ao Espírito Santo aos 18 anos. Mesmo concluindo um curso técnico em Administração aos 20, ele precisou deixar os estudos para trabalhar, após não conseguir aprovação para o vestibular de Ciências Contábeis na Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), em 1980.
De ajudante, Joaquim passou a trabalhar como pedreiro. Mesmo assim, ao longo dos anos, ele conseguiu guardar R$ 55 mil para seus estudos. "Sempre quis fazer um curso de Direito para ajudar outras pessoas”, disse ele ao portal de notícias G1. Em 2008, ele começou a faculdade, mas teve que parar para juntar mais dinheiro.
O retorno aconteceu em 2012, e então Joaquim não parou mais. Agora, depois de formado, os objetivos são outros. Após a aprovação no exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Joaquim pretende se tornar delegado. "É meu sonho, e chegarei lá", disse ao jornal 'A Gazeta'.
Fonte - Diário do Nordeste  18/09/2015

Projeto ferroviário da China nos EUA iniciará em 2016

Transportes sobre trilhos/Internacional

O projeto ferroviário de alta velocidade de 370 quilômetros da Xpress West, também nomeado da Rede Ferroviária do Sudoeste, ligará Las Vegas, Nevada, e Los Angeles, Califórnia.

China Radio Internacional - RF
foto - ilustração
O primeiro projeto ferroviário de alta velocidade nos Estados Unidos com um investimento chinês está previsto para iniciar no início de setembro de 2016, informou nesta quinta-feira um alto funcionário chinês.
O projeto ferroviário de alta velocidade de 370 quilômetros da Xpress West, também nomeado da Rede Ferroviária do Sudoeste, ligará Las Vegas, Nevada, e Los Angeles, Califórnia.
Na semana passada, a Xpress West concordou em formar uma joint venture com a China Railway International USA CO., para construir e operar a ferrovia, de acordo com Shu Guozeng, vice-chefe do Escritório do Grupo de Liderança Central de Assuntos Financeiros e Econômicos.
A China Railway International USA CO. é registrada por um consórcio chinês liderado pela operadora ferroviária nacional China Railway.
Com um capital inicial de US$ 100 milhões, a nova linha ferroviária de alta velocidade criará empregos abundantes ao longo do corredor interestadual. A implementação das atividades reguladoras e comerciais necessárias começará nos próximos 100 dias.
Como o primeiro projeto ferroviário de alta velocidade da China nos Estados Unidos, o projeto se tornará um marco do investimento no exterior para o setor ferroviário chinês e servirá como um modelo de cooperação internacional, apontou Yang Zhongmin, presidente da China Railway International Co., Ltd.
Fonte - Revista Ferroviária  18/09/2015

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Nanossatélite brasileiro entra em órbita e tem sinais captados no país

Ciência & Tecnologia

O nanossatélite brasileiro Serpens, desenvolvido pela Agência Espacial Brasileira (AEB), em parceria com universidades, foi lançado a partir da Estação Espacial Internacional.O artefato está em órbita a uma altitude de cerca de 400 quilômetros e funciona da forma prevista, sendo capaz de receber e devolver mensagens que podem ser baixadas de qualquer lugar do planeta.

Maiana Diniz
Repórter da Agência Brasil.
Divulgação/Jaxa
O nanossatélite brasileiro Serpens, desenvolvido pela Agência Espacial Brasileira (AEB) em parceria com universidades, foi lançado na manhã de hoje (17) a partir da Estação Espacial Internacional. O lançamento do satélite foi feito pela Agência Espacial Japonesa (Jaxa). O artefato está em órbita a uma altitude de cerca de 400 quilômetros e funciona da forma prevista, sendo capaz de receber e devolver mensagens que podem ser baixadas de qualquer lugar do planeta.
Cerca de 30 minutos após o lançamento, o sistema foi ligado e as antenas do artefato liberadas, deixando o pequeno objeto pronto para se comunicar com a Terra. “Um radioamador brasileiro captou sinais e nos enviou. Decodificamos os sinais de identificação e comprovamos que é mesmo o Serpens”, comemorou o Diretor de Satélites da AEB, Carlos Gurgel. Ele explicou que o satélite tem uma assinatura única que permite a identificação.
“Agora, vamos colher mais dados e começar a trabalhar com ele. Por enquanto, estamos só rastreando”, disse Gurgel. O satélite deve ficar em órbita por cerca de 6 meses, tempo em que vai perdendo a velocidade até “cair”, sendo desintegrado após entrar na atmosfera terrestre.
Segundo Gurgel, a expectativa sobre o nanossatélite era grande, principalmente por parte dos estudantes universitários que participaram de todas as fases do projeto. “Estamos todos muito felizes com o resultado. Esta é a primeira leva de estudantes do cursos de engenharia aeroespacial que foram engajados em um projeto de verdade. Como o prazo limitado a 2 anos, eles puderam participar de todas as etapas”, afirmou.
O satélite é o primeiro do projeto Sistema Espacial para Realização de Pesquisa e Experimentos com Nanossatélites, um consórcio entre a AEB e universidades federais para o desenvolvimento de nanossatélites de baixo custo por estudantes universitários. O objetivo é capacitar profissionais e consolidar novos cursos de engenharia espacial no país.
Essa primeira missão do projeto Serpens está sendo coordenada pela Universidade de Brasília, mas a proposta é que as instituições envolvidas revezem a liderança. A previsão é que a Universidade Federal de Santa Catarina coordene o desenvolvimento do Serpens 2.
O nanossatélite custou cerca de R$ 800 mil, além dos gastos com o lançamento, cerca de R$ 3 milhões de reais, pois o Brasil não tem veículo lançador.
Fonte - Agência Brasil  17/09/2015

Governo federal garante novas ações para revitalizar Velho Chico na Bahia

Meio Ambiente

Nesta quinta-feira (17), uma boa notícia foi anunciada para um dos mais importantes rios do Brasil - o governo federal garantiu a liberação de R$ 2 milhões para ações de revitalização do velho Chico

Sedur
foto - ilustração
A revitalização do Rio São Francisco na Bahia está em pauta entre os governos estadual e federal. Nesta quinta-feira (17), uma boa notícia foi anunciada para um dos mais importantes rios do Brasil - o governo federal garantiu a liberação de R$ 2 milhões para ações de revitalização. Este valor será aplicado na implantação de dois viveiros - um na cidade de Barra, beneficiando o afluente Rio Grande, e o outro em Bom Jesus da Lapa, vocacionado para a Bacia do Rio Corrente. As mudas vão contribuir na recuperação de matas ciliares.
A decisão foi oficializada durante reunião, em Brasília, entre o ministro da Integração, Gilberto Ochi, o secretário-executivo da Casa Civil da Presidência, Marco Antônio, o diretor- presidente da Agência Nacional de Águas (ANA), Vicente Andreo, o secretário nacional de Recursos Hídricos, Osvaldo Garcia, e, representando o Estado da Bahia, o secretário estadual da Casa Civil, Bruno Dauster, e o titular da Representação estadual na capital do País, Jonas Paulo.
“A revitalização é condição de sobrevivência do Rio São Francisco. Estamos em seca prolongada e a vazão do rio tem caído nesses últimos cinco anos”, disse Dauster. No mesmo sentido, o representante Jonas informou que em alguns pontos é possível atravessá-lo a pé. Por isso, o trabalho de revitalização é de longo prazo e o governo baiano pleiteará mais recursos.
Ainda sobre o tema água, Dauster aproveitou a ocasião para um novo alerta sobre a situação emergencial de abastecimento humano nas cidades do Médio São Francisco e nas que ficam no entorno do Lago do Sobradinho, no nordeste da Bahia. Ficou acertado que o Estado apresentará o mais rápido possível um estudo sobre a situação das localidades ao ministro Ochi e à Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf). O ministro, em resposta, disse que se for caracterizada situação de emergência, atuará para resolver o problema.
Fonte - Sedur Ba.  17/09/2015

Tarifas dos ônibus de Belo Horizonte são reduzidas para R$ 3,10

Transportes

Os ônibus de BH circulam hoje com um novo preço de passagens,as tarifas foram reduzidas de R$3,40 para R$3,10 por decisão da justiça de MG a pedido do Ministério Público




Imagem -TV Brasil

Justiça derruba cartão obrigatório para idoso em ônibus

Direitos Humanos

A decisão foi dada após uma ação civil pública da Defensoria Pública do Estado da Bahia (DPE-BA).Segundo os defensores públicos da Especializada de Proteção ao Idoso (EPI), Laise de Carvalho Leite Maltez e João Carlos Gavazza Martins....

A Tarde
Da Redação
Fernando Amorim /Ag. A TARDE
Uma liminar da Justiça derrubou a obrigatoriedade do cartão do idoso para pessoas com mais de 65 anos terem acesso aos ônibus municipais. A decisão foi dada após uma ação civil pública da Defensoria Pública do Estado da Bahia (DPE-BA).
Segundo os defensores públicos da Especializada de Proteção ao Idoso (EPI), Laise de Carvalho Leite Maltez e João Carlos Gavazza Martins, o decreto reduzia o número de assentos destinados às pessoas idosas e implicava na consequente restrição do direito coletivo à gratuidade, além de má prestação do serviço público. Com a decisão, pessoas com mais de 65 anos deverão apresentar qualquer documento pessoal que o identifique e comprove sua idade.
A DPE informa que de acordo com o decreto da Prefeitura de Salvador, só teriam acesso à parte traseira do veículo (onde estão a maior parte dos assentos reservados, as pessoas com mais de 65 anos) quem tivesse efetuado previamente o cadastramento junto ao Salvador Card - SETPS para obtenção do Cartão do Idoso. Aos não cadastrados ou não residentes em Salvador, a partir de 1º de julho deste ano, o acesso passou a ser somente aos assentos anteriores à catraca, que são de três a quatro lugares.
A decisão liminar, deverá ser publicada no Diário Oficial do Poder Judiciário do Estado da Bahia nos próximos dias. Em caso de descumprimento, foi instituída multa diária no valor de cinco mil reais, informa o DPE.
Fonte - Atarde  17/09/2015

Brasil e Rússia defendem crédito em moeda local

Economia

Os governos do Brasil e da Russia determinaram que os seus bancos de desenvolvimento,BNDES e Vneshekonombank,sejam mais incisivos na informação ao setor privado sobre a existência de financiamento em moeda local,real e rublo.A necessidade de impulso foi fixada em comunicado final da reunião da Comissão Econômica Brasil-Rússia,presidida pelo vice-presidente Michel Temer e pelo chefe do governo russo,Dmitry Medvedev em Moscou.

Valor Econômico - RF
foto - iustração
Com Brasil e Rússia em recessão, os dois governos determinaram que os respectivos bancos de desenvolvimento, o BNDES e Vneshekonombank, sejam mais incisivos na informação ao setor privado sobre a existência de financiamento em moeda local, real e rublo, para projetos de investimentos e incentivos às operações de exportações entre os dois países.
A necessidade de impulso foi fixada em comunicado final da reunião da Comissão Econômica Brasil-Rússia, presidida pelo vice-presidente Michel Temer e pelo chefe do governo russo, Dmitry Medvedev, ontem, na capital russa.
Ao final do encontro, que ocorre a cada dois anos, Temer observou que os dois bancos podem oferecer linhas adicionais para financiamentos de projetos investimentos nas duas economias.
Autoridades brasileiras se declararam satisfeitas com os contatos para atrair empresas russas para investimentos de modernização de infraestrutura, nas áreas de ferrovias, portos e energia. Para os dois lados, a reunião em Moscou foi positiva também por identificar meios de expandir comércio e investimentos.
A meta é elevar o comércio bilateral a US$ 10 bilhões em alguns anos, ante US$ 6,8 bilhões atualmente e em queda por causa da contração da demanda nos dois mercados.
Medvedev voltou a defender mais rapidez para viabilizar a realização de pagamentos em rublo e real, que é um objetivo bem mais amplo do que o acordo entre os dois bancos de desenvolvimento. Temer ficou de acionar o Banco Central para examinar de novo como superar certas dificuldades para as transações com as moedas dos dois países.
Temer e Medvedev destacaram avanço no diálogo político. Brasil e Rússia defendem reforma do sistema internacional para ser mais representativo e eficiente. O representante brasileiro destacou a referência a apoio dado pela Rússia a pleito brasileiro por assento permanente no Conselho de Segurança das Nações Unidas.
Na reunião, o Brasil destacou também a utilização do sistema russo de navegação por satélite Glonass. Foi assinado acordo para instalação e uso de nova estação na Universidade de Santa Maria (RS). Também foi confirmada cooperação em curso entre Agência Espacial Brasileira e a Roscosmos, agência russa, para detecção de detritos espaciais.
Um memorando de entendimento entre a Nuclep e a Rosatom, agência de energia nuclear russa, deve estimulará intercâmbio para explorar oportunidades de negócio, como na construção de reator nuclear multipropósito brasileiro, segundo o comunicado final.
Fonte - Revista Ferroviária   17/09/2015

Uso do extintor de incêndio deixa de ser obrigatório em automóveis e caminhonetes

Transito

A decisão valerá para utilitários e caminhonetes,a exigência permanece para ônibus e caminhões. A medida vale a partir da publicação no Diário Oficial da União, que ocorrerá nos próximos dias.

Natália Pianegonda
foto - Ministério das Cidades
Depois de tornar obrigatório o uso do extintor ABC em veículos e adiar, por diversas vezes, a validade da medida, o Contran (Conselho Nacional de Trânsito) decidiu, nesta quinta-feira (17), que o uso do equipamento deverá ser facultativo no Brasil.
A decisão valerá para utilitários e caminhonetes a partir da publicação da medida no Diário Oficial da União, o que deve ocorrer nos próximos dias. A obrigatoriedade permanece para veículos utilizados comercialmente para o transporte de passageiros e de cargas.
A explicação do órgão para o novo entendimento é que, por 90 dias, foram realizadas avaliações técnicas e consultas sobre o tema. Segundo o Contran, fabricantes afirmaram que era necessário um prazo maior, de até quatro anos, para atender a demanda. Mas a justificativa, estava sendo dada pelas empresas há 11 anos, disse o órgão, em nota.
O Conselho ainda argumenta que há risco de o equipamento ferir passageiros em caso de colisões e que, segundo dados da Associação Brasileira de Engenharia Automotiva, dos dois milhões de sinistros em veículos cobertos por seguros, 800 tiveram incêndio como causa. Desse total, apenas 24 informaram que usaram o extintor, equivalente a 3%.
As inovações tecnológicas da indústria automotiva são outra justificativa para a nova determinação. Conforme o Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), elas aumentam a segurança contra incêndios, como o corte automático de combustível em caso de colisão e a localização do tanque de combustível fora do habitáculo dos passageiros.
O Contran destaca, ainda, que o uso obrigatório do extintor não é mais realidade nos Estados Unidos e na maioria das nações europeias. O equipamento era obrigatório no Brasil desde 1970.
Nos casos em que a obrigatoriedade permanece, os extintores devem ser do tipo ABC, com respeito à validade de cinco anos. A punição para quem não estiver com o equipamento em dia é de multa de R$ 127,69, além de cinco pontos na carteira de habilitação do condutor.
Fonte - Agência CNT de Notícias  17/009/2015

Equatorianos recorrem ao Brasil para receber indenização de petroleira

Internacional

O advogado Pablo Fajardo e Humberto Piaguaje, porta-voz dos índios Secoya, querem receber indenização na Justiça brasileira.“Tecnicamente, o que queremos é que a Justiça brasileira homologue a decisão do Equador, ou seja, reconheça a validade, o que permite a execução dos bens [da Chevron] no Brasil para pagar a dívida”, explicou a advogada do caso em Brasília, Antonia de Araújo Lima.

Isabela Vieira
Repórter da Agência Brasil
Tânia Rêgo/Agência Brasil
Equatorianos afetados por água contaminada na floresta amazônica estão no Brasil para pedir que uma decisão da Justiça daquele país seja cumprida aqui. Em 2011, a petrolífera Chevron foi condenada a pagar U$ 9,5 bilhões em reparações ao meio ambiente e às populações atingidas por atividades em duas províncias do interior, mas saiu do país sem cumprir a decisão. Para cobrar a Chevron, as vítimas recorreram aos tribunais de países onde a empresa mantém atividades e possui bens, como Canadá, Argentina e Brasil.
“Tecnicamente, o que queremos é que a Justiça brasileira homologue a decisão do Equador, ou seja, reconheça a validade, o que permite a execução dos bens [da Chevron] no Brasil para pagar a dívida”, explicou a advogada do caso em Brasília, Antonia de Araújo Lima.
A sentença da corte máxima de Justiça equatoriana foi decidida com base em estudos ambientais que estimaram os custos para recuperação de 480 mil hectares de floresta, onde as comunidades atingidas alegam que 16 milhões de galões de água tóxica foram despejadas em rios, lagoas e estuários, afetando todo o ciclo da água e prejudicando 30 mil pessoas.
Por causa dos impactos, segundo os equatorianos, duas etnias indígenas desapareceram e mais de 2 mil pessoas morreram de câncer. Em uma mesma família, chegaram a morrer sete pessoas, contou o assessor jurídico da Frente de Defesa da Amazônia, organização que atua na parte equatoriana da floresta, Pablo Estenio Fajardo Mendoza. Segundo ele, que mora lá, ainda hoje, a água está poluída.
“O dano é permanente e vigente, segue causando a morte de muita gente”, disse, em entrevista no Rio de Janeiro. “Os [resíduos] tóxicos passam na porta de muita gente e os filhos tomam banho nas águas contaminadas. Por isso, as taxas de câncer em mulheres e crianças é mais alta”, afirmou Fajardo que integra também a União de Afetados pela petroleira Chevron-Texaco.
A Chevron alega que a sentença equatoriana “é produto de fraude e extorsão” e que “não tem intenção alguma de pagar por uma sentença corrupta”, informou em nota. Porém, reconhece que houve algum dano ambiental na região, e assume ter “remediado sua parte acordada nos locais de produção”. “Tudo o que permaneceu após a remediação não é de responsabilidade da Texaco nem da Chevron Corporation”, acrescentou.
O processo contra a petroleira se arrasta desde 1990, quando o julgamento foi iniciado nos Estados Unidos, sede da companhia, antes de ser transferido para o Equador. Dez anos após a condenação, a negativa da empresa em remediar os danos jamais aconteceria em países desenvolvidos, avalia a assessora da organização não governamental brasileira Fase, Adriana Aguiar, que acompanha o caso.
“O caso da Chevron no Equador é um dos mais – senão o mais – emblemático da impunidade corporativa no mundo”, analisou. Para Adriana, há uma tentativa de “cansar os grupos atingidos e de evadir-se das jurisdições [área onde uma autoridade exerce o Poder judiciário], prática que se tornou padrão entre grandes empresas”, disse a advogada.
Desde 2012, o processo pedindo a validade da decisão equatoriana no Brasil está no Superior Tribunal de Justiça (STJ), em Brasília. A Procuradoria-Geral da República é contra. Procurada, não atendeu ao pedido de entrevista.
No Canadá, no início de setembro, a Corte Suprema decidiu que o país tem jurisdição para avançar na homologação da decisão equatoriana, o primeiro passo para o cumprimento da decisão.
Fonte - Agência Brasil  17/09/2015

ANTT abre chamamento para estudos de viabilidade de trens de passageiros Luziânia/Brasília

Transportes sobre trilhos

O aviso de Chamamento Público nº 4/2015, que tem o objetivo de selecionar pessoas físicas ou jurídicas de direito privado a realizarem estudos acerca da viabilidade da exploração de serviço de transporte ferroviário de passageiros no corredor de Luziânia (GO) a Brasília (DF)....

ANTT
foto - ilustração
A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) publicou, no Diário Oficial da União de hoje (17/9), o aviso de Chamamento Público nº 4/2015, que tem o objetivo de selecionar pessoas físicas ou jurídicas de direito privado a realizarem estudos acerca da viabilidade da exploração de serviço de transporte ferroviário de passageiros no corredor de Luziânia (GO) a Brasília (DF), Ferrovia Roncador Novo (EF-140).
O Termo de Referência, anexo do Edital de Chamamento Público de Estudos nº 4/2015, estabelece as diretrizes e premissas para a elaboração dos estudos. Interessados em participar deverão protocolar requerimento de autorização que contenha seus dados, demonstração de experiência na realização de estudos similares, plano de trabalho, detalhando as atividades que pretende realizar e indicando o valor de ressarcimento pretendido. Os requerimentos deverão ser protocolados na ANTT até o dia 19/10/2015.
Fonte - ABIFER  17/09/2015

OAB diz que postura de Gilmar Mendes foi "grosseira e arbitrária”

Política

Para o conselho,o comportamento do ministro é incompatível com postura de um magistrado.“Repudia o Colégio de Presidentes os ataques grosseiros e gratuitos,desprovidos de qualquer prova,evidencia ou base factual,que o ministro Gilmar Mendes fez à Ordem dos Advogados em seu voto sobre o investimento empresarial em campanhas eleitorais....

André Richter
Repórter da Agência Brasil
foto - ilustração/EBC
O Colégio de Presidentes das seccionais da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) criticou hoje (17) o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF). Em nota, a entidade lamentou a postura "grosseira, arbitrária e incorreta" de Mendes, que abandonou a parte final da sessão de ontem (16), após se desentender com o presidente da Corte, Ricardo Lewandowski.
Para o conselho, o comportamento do ministro é incompatível com postura de um magistrado. “Repudia o Colégio de Presidentes os ataques grosseiros e gratuitos, desprovidos de qualquer prova, evidencia ou base factual, que o ministro Gilmar Mendes fez à Ordem dos Advogados em seu voto sobre o investimento empresarial em campanhas eleitorais, voto-vista levado ao plenário somente um ano e meio depois do pedido de maior tempo para análise”, diz a nota.
A ordem também afirmou que a entidade nunca se calou e “não será sequer tisnada [atingida] pela ação de um magistrado que não se fez digno de seu ofício”. “Enfatizamos que o ato de desrespeito às prerrogativas profissionais do advogado foi também um ato de agressão à cidadania brasileira e merece a mais dura e veemente condenação. O ato de abandono do plenário, por grotesco e deselegante, esse se revelou mais um espasmo autoritário de juízes que simbolizam um Poder Judiciário desconectado da democracia, perfil que nossa população, definitivamente, não tolera mais”, completou o colégio.
O PT também foi criticado no voto de Gilmar Mendes e declarou, por meio de nota divulgada pelo presidente do partido, Rui Falcão, que vai continuar lutando pelo fim do financiamento privado para campanhas eleitorais. Falcão considerou lamentáveis as declarações do ministro.
O julgamento sobre o financiamento privado de campanhas retomado ontem, depois de um ano e cinco meses parado, devido a um pedido de vista de Gilmar Mendes. Desde então, o placar da votação conta com maioria contra as doações, posição divergente do ministro.
Fonte - Agência Brasil  17/09/2015

Ferrovia de alta velocidade chinesa entrará em operação

Transportes sobre trilhos/Internacional

Na quarta-feira, os engenheiros começaram a testar a nova ferrovia, que se estende 185 quilômetros pela Província de Sichuan e corre 123 quilômetros através da cidade de Chongqing

China Radio Internacional - RF
foto - ilustração
A ferrovia de 308 quilômetros de extensão reduzirá o tempo de viagem entre as duas cidades para cerca de uma hora e meia durante sua etapa de operação inicial.
Na quarta-feira, os engenheiros começaram a testar a nova ferrovia, que se estende 185 quilômetros pela Província de Sichuan e corre 123 quilômetros através da cidade de Chongqing. Ao longo da via principal foram construídos 309 pontes e 38 túneis.
A ferrovia é parte de um importante projeto de corredor oriental de ferrovias de alta velocidade incluído no plano de desenvolvimento nacional de trens rápidos da China.
Fonte - Revista Ferroviaria  17/09/2015

Terremoto no Chile deixa pelo menos cinco mortos e 1 milhão de desalojados

Internacional

Um terremoto de 8,3 graus na escala Richter provocou abalos em algumas casa e um milhão de pessoas ficaram desalojadas.As autoridades chilenas divulgaram o alerta de tsunami em toda a costa do país, depois do tremor, que atingiu o Norte, o Centro e o Sul.

Santiago do Chile
Da Agência Lusa
Mario Ruiz/EFE/Agência Lusa
O forte tremor de terra, de 8,3 na escala Richter - segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos -, registrado na noite dessa quarta-feira (16) no Chile, deixou pelo menos cinco mortos e 1 milhão de pessoas desalojadas. Foi mantido alerta de tsunami no país, informou hoje (17) o subsecretário do Ministério do Interior, Mahmoud Aleuy.
“Lamentamos a morte de cinco cidadãos chilenos, apresentamos as condolências do governo a todas as famílias. Estimamos em 1 milhão o número de pessoas retiradas de suas casas", disse Aleuy.
As autoridades chilenas divulgaram o alerta de tsunami em toda a costa do país, depois do tremor, que atingiu o Norte, o Centro e o Sul.
O balanço anterior era de três mortos, sete feridos graves, várias pessoas com pequenos ferimentos e danos materiais.
Milhares de chilenos passaram a noite em áreas elevadas, esperando que as autoridades suspendam o alerta de tsunami em mais de 4 mil quilômetros de costa.
Aa população deslocou-se para áreas seguras, situadas a mais de 30 metros acima do nível do mar, informou a agência Efe.
Fonte - Agência Brasil  17/09/2015

Produção de petróleo e gás natural cresce e bate recorde em agosto

Economia

A produção total de petróleo e gás natural no Brasil foi de 2,69 milhões boed, 3,1% superior ao mês anterior (2,61 milhões boed), representando também novo recorde de produção nacional (0,6% superior ao recorde anterior de 2,67 milhões boed atingido em dezembro de 2014). a produção total que operamos no país, incluída a parcela operada para empresas parceiras, ultrapassou pela primeira vez os 3 milhões de barris de óleo equivalente por dia, atingindo 3,01 milhões boed. 

Fatos e Dados

No mês de agosto, a nossa produção de petróleo e gás natural, no Brasil e no exterior, atingiu a marca de 2,88 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boed), um recorde histórico, 0,8% superior ao recorde anterior de 2,86 milhões boed alcançado em dezembro de 2014. Esse volume é também 4,5% maior que o registrado em agosto de 2014 (2,76 milhões boed). Em relação ao mês anterior (julho), houve um crescimento na produção de petróleo e gás natural de 3,1%, quando foram produzidos 2,80 milhões.
A produção total de petróleo e gás natural no Brasil foi de 2,69 milhões boed, 3,1% superior ao mês anterior (2,61 milhões boed), representando também novo recorde de produção nacional (0,6% superior ao recorde anterior de 2,67 milhões boed atingido em dezembro de 2014). Vale destacar que a produção total que operamos no país, incluída a parcela operada para empresas parceiras, ultrapassou pela primeira vez os 3 milhões de barris de óleo equivalente por dia, atingindo 3,01 milhões boed. Nossa produção de petróleo foi de 2,21 milhões bpd (3% acima dos 2,14 milhões bpd produzidos no mês anterior), constituindo-se, assim, a segunda melhor marca histórica.
O crescimento reflete a entrada em operação em 31 de julho do FPSO Cidade de Itaguaí, ancorado em Iracema Norte, área localizada na porção noroeste do campo de Lula, no pré-sal da Bacia de Santos. Essa plataforma tem capacidade para processar diariamente 150 mil bpd de petróleo e 8 milhões de m³/dia de gás natural. Adicionalmente, a retomada da operação de plataformas que estavam com paradas programadas para manutenção também foi um fator que contribuiu com o bom desempenho do mês.
A produção de gás natural no Brasil, excluído o volume liquefeito, também apresentou novo recorde de 77,2 milhões m³/dia (3,6% acima do mês anterior).

Novos recordes no pré-sal
Na área do pré-sal, foram atingidos dois novos recordes: o de produção diária que operamos, com volume de 896 mil bpd registrado em 19 de agosto; e o de produção mensal que operamos, que alcançou 859 mil bpd no mês.

Produção de óleo e gás no exterior
No exterior foram produzidos 192 mil boed, 3,8% acima dos 185 mil boed produzidos em julho, devido, principalmente, ao retorno das operações da plataforma do Campo de Saint Malo, no Golfo do México norte-americano. A produção de petróleo foi de 101 mil bpd, 5,2% acima dos 96 mil bpd produzidos em julho e a produção média de gás natural no exterior foi de 15,4 milhões m³/dia, 1,9% acima da produção de julho, que foi de 15,1 milhões m³/dia.
Fonte - Fatos e Dados  16/09/2015

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Desligamento voluntário do programa Bolsa Família,em Teresina,tem sido uma prática constante

Bolsa Família

Quando uma família melhora a situação socieconômica,ela pode pedir desligamento,e essa tem sido uma prática constante no Piauí.





Imagem - Reporter Brasil

Sedur e COB discutem plano de mobilidade para Olimpíadas

Mobilidade 

O foco do plano operacional de mobilidade está na logística dos deslocamentos. É a partir deste plano que serão definidas as rotas que as delegações irão fazer entre o Aeroporto Internacional de Salvador e seus hotéis de destino, os campos de treinamento (Barradão e Pituaçu) e, claro, a Arena Fonte Nova, palco das partidas. 

Sedur
Sedur
Respaldada pelo sucesso do plano de mobilidade durante a Copa do Mundo Fifa 2014, a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Urbano (Sedur) irá entrar em campo novamente; desta vez, na organização da mobilidade para os jogos de futebol das Olimpíadas 2016. A superintendente de Mobilidade da Sedur, Grace Gomes, se reuniu com a Gerência de Transporte do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) no Rio de Janeiro, segunda-feira (14), para definir as diretrizes para a elaboração do plano operacional.
“Nosso público-alvo vai dos espectadores às delegações esportivas, arbitragem e as equipes de trabalho que dão suporte às partidas ou atuam na cobertura jornalística”, pontuou Grace Gomes. Salvador é uma das seis capitais que servirão de palco às seleções masculina e feminina de futebol, juntamente com Belo Horizonte, Brasília, Manaus e São Paulo, além do Rio de Janeiro.
O foco do plano operacional de mobilidade está na logística dos deslocamentos. É a partir deste plano que serão definidas as rotas que as delegações irão fazer entre o Aeroporto Internacional de Salvador e seus hotéis de destino, os campos de treinamento (Barradão e Pituaçu) e, claro, a Arena Fonte Nova, palco das partidas.

Sedur
Parceira
As determinações se estendem à definição das vias de acesso dos torcedores ao estádio, bem como as suas formas de viabilização via metrô e ônibus, e também a coordenação dos profissionais que atuarão no evento, de voluntários à imprensa. O projeto está em fase inicial de elaboração em parceria com a Prefeitura de Salvador, responsável pela operação de tráfego e ônibus, e a partir das determinações e orientações do COB.
A capital baiana irá sediar dez partidas de futebol: sete masculinas e três femininas. Na primeira fase, entre os dias 04 e 10 de agosto, serão sempre rodadas duplas, mas Salvador também irá receber dois jogos das quartas de final, nos dias 12 e 13. Assim sendo, a cidade poderá abrigar até seis equipes por dia (somando as que estarão disputando os jogos com as equipes em deslocamento de chegada ou partida). E toda essa logística, no que diz respeito à mobilidade, estará a cargo do Grupo de Trabalho encabeçado pela Sedur e com a parceria da Prefeitura. “Vamos trabalhar juntos na construção do plano de mobilidade e garantir o mesmo sucesso que obtivemos na Copa”, assegurou Grace Gomes.
Fonte - Sedur Ba. 16/09/2015

Estudo avalia biodiversidade nas florestas e nas paisagens agrícolas

Meio ambiente

“Algumas florestas perturbadas conseguem manter uma quantidade de até 80% das espécies encontradas em áreas de florestas primárias, o que nos dá esperança”, afirma o pesquisador Ricardo Solar, primeiro autor do artigo e bolsista de pós-doutorado na Universidade Federal de Viçosa (MG), instituição que realizou o trabalho em parceria com a Embrapa.

Revista Amazônia

Que os diferentes usos da terra na Amazônia podem causar impacto sobre a biodiversidade dos ecossistemas não é novidade, mas um estudo recentemente publicado na revista Ecology Letters quantifica esse impacto, mostra que as florestas, mesmo em estágios de degradação, apresentam grande riqueza e variedade de espécies, e ainda fornece bases científicas para o planejamento da produção florestal e agropecuária na região. Os dados indicam que a biodiversidade encontrada reduz a chance de extinção de espécies.
“Algumas florestas perturbadas conseguem manter uma quantidade de até 80% das espécies encontradas em áreas de florestas primárias, o que nos dá esperança”, afirma o pesquisador Ricardo Solar, primeiro autor do artigo e bolsista de pós-doutorado na Universidade Federal de Viçosa (MG), instituição que realizou o trabalho em parceria com a Embrapa.
O estudo, desenvolvido no âmbito da Rede Amazônia Sustentável (RAS), analisou a biodiversidade presente em florestas primárias, florestas degradadas (por queima e/ou extração madeireira), florestas secundárias, pastagens e áreas de agricultura mecanizada. Foram observadas cerca de duas mil espécies de plantas, abelhas, besouros, formigas e aves, distribuídas nas cinco categorias, em regiões localizadas nos municípios de Paragominas e Santarém, nordeste e oeste do Estado do Pará, respectivamente.
O trabalho analisou áreas em 18 bacias de cada município, totalizando aproximadamente três milhões de hectares. “A área de abrangência e a análise espacial da biodiversidade são os diferenciais desse estudo, que analisou o impacto do uso da terra na região, na paisagem e em todo o mosaico que ocorre dentro dela, e não algo pontual nos sítios de coleta”, conta a pesquisadora Joice Ferreira, da Embrapa Amazônia Oriental, coautora do artigo.
As unidades de estudo, chamadas de transectos, são parcelas de 2.500 m² em que os pesquisadores registram as medidas da biodiversidade. Dentro de cada bacia, foram analisadas cerca de 10 transectos, totalizando 335, situados em diferentes áreas.
As análises quantitativas envolveram a riqueza e a diversidade de espécies que levam em conta a variedade e a proporcionalidade delas, tanto localmente nas parcelas estudadas, quanto no nível da paisagem, comparando as parcelas entre si, as bacias e as regiões. “Por exemplo, das 45 espécies de abelhas-das-orquídeas conhecidas pela ciência na Amazônia, 40 foram registradas nas áreas o estudo”, conta a pesquisadora Márcia Maués, da Embrapa Amazônia Oriental, coautora do artigo.
Ao estudar pontualmente a biodiversidade presente em cada parcela, observou-se que a diversidade foi diminuindo gradativamente conforme o nível de degradação da floresta (das áreas conservadas para as degradadas, e em seguida para as secundárias) e caiu mais ainda nas áreas de produção. “Como as espécies que restam nesses lugares são mais generalistas, dizemos que a biodiversidade é simplificada”, afirma Joice Ferreira. As áreas de agricultura mecanizada, por exemplo, apresentaram menos riqueza na biodiversidade local que áreas de florestas mesmo em estágio de degradação.
Já na avaliação da variação da biodiversidade em relação à paisagem, os resultados são otimistas: a diversidade e a riqueza de espécies entre florestas degradadas e em regeneração foi muito alta. “Isso é uma boa notícia porque descobrimos que há espécies diferentes em cada lugar, diminuindo as chances de extinção, ou seja, até o momento ainda temos muitas espécies espalhadas na paisagem, logo ainda temos tempo de planejar o uso da terra para parar o processo de perda de espécies”, ressalta a pesquisadora.

Biodiversidade nas propriedades rurais
Na Amazônia, as áreas protegidas constituem 44% da região, cerca de dois milhões e 200 mil km². Desse total, 22% são unidades de conservação (parques, reservas, florestas nacionais e outras áreas protegidas) e 22% são áreas indígenas. Impressiona o fato de que quase 60% da vegetação nativa da região está como reserva privada (propriedades), mostrando a importância de preservar essas áreas.
O pesquisador Toby Gardner, do Instituto Ambiental de Estocolmo (Suécia), coautor do trabalho, afirma que os resultados reforçam a importância das áreas de proteção ambiental, mas também indicam a importância das reservas nas propriedades privadas, áreas que muitas vezes já foram perturbadas, e que são a maioria das áreas de florestas dos trópicos.
“Sem a abordagem baseada na paisagem, muitas espécies podem ser regionalmente extintas, portanto é fundamental que as reservas de florestas estejam espalhadas na paisagem, e não concentradas em uma única parte das regiões afetadas”, completa o pesquisador.
O estudo também oferece bases científicas para a legislação. A pesquisadora Joice Ferreira afirma que florestas em regeneração nas áreas privadas têm que ser consideradas nos Planos de Recuperação Ambiental das propriedades rurais. Na Amazônia, segundo a Embrapa e o Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe), com o uso do Terraclass, estima-se em 165 milhões de hectares áreas de floresta em tais condições.
“Não haveria necessidade de, por exemplo, plantar em algumas dessas áreas para diminuir o passivo ambiental, e sim conservar algumas para que se regenerem naturalmente. É mais eficiente para a natureza e mais barato para o produtor”, afirma a pesquisadora.
Isso acontece porque ainda existem áreas de floresta nas propriedades que têm o papel de conectar as grandes áreas de reservas. As propriedades rurais, portanto, podem atuar dentro de uma rede de áreas de conservação. Esse, aliás, é o próximo passo do estudo: realizar um mapeamento para indicar a distribuição ótima de reservas florestais na região, potencializando assim as áreas já protegidas e valorizando as propriedades rurais.

Rede de pesquisa na Amazônia
A Rede Amazônia Sustentável (RAS) é um consórcio de trinta instituições brasileiras e estrangeiras, da qual participam mais de cem pesquisadores que desenvolvem estudos para avaliar a sustentabilidade dos usos da terra no leste da Amazônia. Criada em 2009, a rede é coordenada pela Embrapa Amazônia Oriental, Museu Paraense Emílio Goeldi, Universidade de Lancaster (Reino Unido) e Instituto Ambiental de Estocolmo (Suécia). A RAS é também parte do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia (INCT) Biodiversidade e Uso da Terra na Amazônia.
A rede desenvolve seus trabalhos em duas regiões localizadas no Estado do Pará, em Paragominas (nordeste), Santarém e Belterra (oeste). Elas diferem entre si em vários aspectos, como características biofísicas, história de ocupação e uso da terra, e representam as dinâmicas de desenvolvimento do leste da Amazônia. Nos locais, há mais de 300 pontos de coleta de dados de diferentes tipos, que geram estudos diversificados sobre as consequências ecológicas da perda, degradação e exploração da floresta, bem como sobre as mudanças que afetam agricultura, incluindo a pecuária e a silvicultura.
Para conhecer o trabalho da Rede Amazônia Sustentável visite - www.redeamazoniasustentavel.org/
Mais informações sobre o tema  - www.embrapa.br/fale-conosco/sac/
Fonte - Revista Amazônia  16/09/2015

Supremo retoma julgamento sobre financiamento privado de campanhas políticas

Política

Desde o pedido de vista, Gilmar Mendes foi criticado por entidades da sociedade civil e partidos políticos pela demora na devolução do processo para julgamento. Em março, representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e a da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) pediram rapidez na conclusão da votação.

André Richter
Repórter da Agência Brasil
foto - ilustração
O Supremo Tribunal Federal (STF) retoma às 14h de hoje (16) o julgamento sobre a proibição de doações de empresas privadas para campanhas políticas. Um pedido de vista do ministro Gilmar Mendes interrompeu o julgamento em abril do ano passado, quando o placar era 6 votos a 1 pelo fim de doações de empresas a candidatos e partidos políticos.
Mendes liberou o voto para a pauta do plenário na semana passada, um dia depois de a Câmara dos Deputados aprovar a doação de empresas a partidos, posição divergente da do Senado. O projeto de lei está na Presidência da República, para sanção ou veto da presidenta Dilma Rousseff.
Segundo o ministro do STF, o plenário deve discutir se prosseguirá com o julgamento ou aguardará a decisão da presidenta. Ele defendeu, no entanto, que é preciso que a questão seja resolvida antes do dia 2 de outubro. A Constituição Federal exige que alterações das regras eleitorais sejam feitas um ano antes das eleições para ter eficácia.
"O ministro Toffoli tinha sugerido isso [o adiamento]. Ele está viajando e queria participar. Mas isso, em algum momento, terá que ser pautado. Estamos próximos da data-limite de um ano de afetação do processo eleitoral e a questão precisa ser resolvida", disse Mendes.
Para o ministro, se o STF decidir que as doações de empresas são inconstitucionais, o entendimento será mantido mesmo após decisão contrária da presidenta. “Quer dizer, voltamos ao período anterior ao governo Collor em que se tinha doação só de pessoas privadas. O Brasil sempre teve isso e um amontoado de caixa 2. Essa era a realidade. Vocês [repórteres] estão acompanhando nossa situação. Nós temos dificuldades na situação atual, às vezes, de fiscalizar 20 empresas doadoras. Agora, imagine o número de doadores pessoas físicas com esse potencial: sindicatos, igrejas, organizações sociais, todas elas."
Desde o pedido de vista, Gilmar Mendes foi criticado por entidades da sociedade civil e partidos políticos pela demora na devolução do processo para julgamento. Em março, representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e a da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) pediram rapidez na conclusão da votação.
O Supremo julga Ação Direta de Inconstitucionalidade da OAB contra doações de empresas privadas a candidatos e a partidos políticos. A entidade contesta os artigos da Lei dos Partidos Políticos e da Lei das Eleições, que autorizam as doações para campanhas.
De acordo com a regra atual, as empresas podem doar até 2% do faturamento bruto obtido no ano anterior ao da eleição. Para pessoas físicas, a doação é limitada a 10% do rendimento bruto do ano anterior.
Segundo o relator, Luiz Fux, as únicas fontes legais de recursos dos partidos devem ser doações de pessoas físicas e repasses do Fundo Partidário.
Fux também definiu que o Congresso Nacional terá 24 meses para aprovar uma lei criando normas uniformes para doações de pessoas físicas e para recursos próprios dos candidatos. Se, em 18 meses, a nova lei não for aprovada, o Tribunal Superior Eleitoral poderá criar uma norma temporária.
Na época do julgamento, a maioria dos ministros seguiu o relator: Luís Roberto Barroso, Dias Toffoli e Joaquim Barbosa, além de Marco Aurélio Mello e Ricardo Lewandowski, que adiantaram o voto. O único ministro que votou contra a proibição de doações de empresas privadas para campanhas foi Teori Zavascki.
Além de Gilmar Mendes, faltam votar os ministros Celso de Mello, Rosa Weber e Cármen Lúcia. Edson Fachin não votará porque entrou na vaga de Joaquim Barbosa, que já havia votado. Até a proclamação do resultado, os ministros que já se manifestaram podem mudar o voto.
Fonte - Agência Brasil  16/09/2015

Com redução da velocidade, acidentes nas marginais Tietê e Pinheiros caem 36%

Transito

Em julho, a velocidade máxima permitida para os carros nas pistas expressas das marginais foi reduzida de 90 quilômetros por hora (km/h) para 70 km/h.Pistas locais das marginais Pinheiros e Tietê tiveram a velocidade reduzida para 50 km/h 

Daniel Mello
Repórter da Agência Brasil
 Marcelo Camargo/Agência Brasil
Os acidentes com vítimas nas marginais Tietê e Pinheiros, principais vias expressas da capital paulista, tiveram queda de 36% após a redução da velocidade máxima. Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), foram 140 acidentes com mortos ou feridos entre 20 de julho e 13 de setembro. No mesmo período do ano passado, foram registradas 220 ocorrências. Em 2014, acidentes e atropelamentos causaram a morte de 73 pessoas nas duas vias.
Em julho, a velocidade máxima permitida para os carros nas pistas expressas das marginais foi reduzida de 90 quilômetros por hora (km/h) para 70 km/h. Para os caminhões, o limite diminuiu de 70km/h para 60km/h. Na pista local da Marginal Pinheiros, a velocidade permitida passou de 70km/h para 50km/h. Na faixa central da Tietê, caiu de 70 km/h para 60 km/h.
Houve ainda queda de 21% no número de acidentes sem vítimas nas vias. Nas oito semanas avaliadas, foram registradas 414 ocorrências e no mesmo período de 2014, 523.
As extensões dos congestionamentos também caíram, em média, 8% em relação ao ano passado. No horário de pico da tarde, a redução chegou a 14%, de 47,7 quilômetros para 40,9 quilômetros. No pico da manhã, a redução do tamanho dos engarrafamentos ficou em 11%, de 21,8 quilômetros para 19,4 quilômetros. Em toda a cidade, a queda na extensão dos congestionamentos é 6%.
Desde o ano passado, a prefeitura vem reduzindo a velocidade máxima em ruas e avenidas da cidade como forma de prevenir acidentes e atropelamentos. Ao longo de 2014, a medida foi implementada em 61 quilômetros de vias na capital.
Na última sexta-feira (11), dez vias responsáveis pela ligação entre as zonas leste e oeste da cidade tiveram o limite de velocidade reduzido de 60km/h para 50km/h. Passaram pela alteração a Avenida Francisco Matarazzo, Ligação Leste-Oeste, Avenida Alcântara Machado, o Viaduto Pires do Rio, a Rua Melo Freire, Avenida Conde de Frontin, Avenida Antônio Estevão de Carvalho, Avenida Doutor Luís Ayres, o Complexo Viário Itaquera e a Avenida José Pinheiro Borges.
Fonte - Agência Brasil  16/09/2015

Antaq fixa metas para transporte aquaviário e gestão portuária até 2018

Infraestrtura

Plano Nacional de Logística Portuária foi divulgado neste mês.As metas estão estabelecidas no PNLP 2015-2018 (Plano Nacional de Logística Portuária), apresentado neste mês.

Natália Pianegonda*
Arquivo CNT
A Antaq (Agência Nacional de Transportes Aquaviários) estabeleceu as prioridades e as estratégias voltadas para o transporte aquaviário e para a gestão portuária até 2018. As metas estão estabelecidas no PNLP 2015-2018 (Plano Nacional de Logística Portuária), apresentado neste mês.
Entre elas, estão: modernizar a gestão das administrações portuárias; aumentar a capacidade das instalações portuárias para atender à demanda de carga; reduzir o tempo de espera para atracação das embarcações; incentivar o uso da navegação de cabotagem; e promover a sustentabilidade ambiental nos portos.
O PNLP é um instrumento de Estado de planejamento estratégico do setor portuário nacional, que visa identificar vocações dos diversos portos, conforme o conjunto de suas respectivas áreas de influência. Ele define, assim, cenários de curto, médio e longo prazos, com alternativas de intervenção na infraestrutura e nos sistemas de gestão.
Conforme a Antaq, entre 2010 e 2014, a movimentação de cargas nos portos brasileiros cresceu 21,7%. No ano passado, atingiu a marca de 900 milhões de toneladas.
*Com informações da Antaq
Fonte - Agência CNT de Notícias  16/09/2015

Usar a crise para chegar ao poder é versão moderna do golpe, afirma Dilma

Política

Em entrevista à rádio paulista, Dilma diz que vários países passaram por crises nos últimos anos e que em nenhum a “ruptura democrática” foi proposta.“Em todos esses países que passaram por dificuldades, você não viu nenhum país propondo a ruptura democrática como forma de saída da crise. 

Luana Lourenço
Repórter da Agência Brasil
Wilson Dias/Agência Brasil
A presidenta Dilma Rousseff disse hoje (16) que querer usar a crise econômica que o país atravessa como instrumento para chegar ao poder é “uma versão moderna do golpe”. Segundo Dilma, vários países passaram por crises nos últimos anos e, em nenhum, a “ruptura democrática” foi proposta como solução.
“Em todos esses países que passaram por dificuldades, você não viu nenhum país propondo a ruptura democrática como forma de saída da crise. Esse método que é querer utilizar a crise como um mecanismo para chegar ao poder é uma versão moderna do golpe”, comparou Dilma, em entrevista para a rádio Comercial AM, de Presidente Prudente, antes de viajar para um compromisso na cidade do interior paulista.
Dilma disse que há pessoas “que não se conformam” com o fato de o Brasil ser uma democracia sólida, baseada na legitimidade do voto popular. “Essas pessoas geralmente torcem para o quanto pior, melhor, e aí é em todas as áreas, quanto pior, melhor na economia, quanto pior, melhor na área politica; todas elas esperando uma oportunidade para pescar em águas turvas.”
A presidenta destacou que o Brasil "tem uma solidez institucional” e voltou a pedir união das forças políticas para fazer o país voltar a crescer. “O que temos de fazer é o seguinte, nos unirmos, todos juntos o mais rapidamente, independente das nossas posições e interesses pessoais ou partidários, e tomarmos o partido do Brasil, o partido que leva à mudança da nossa situação. Por isso, é fundamental muita calma nesta hora, muita tranquilidade e a certeza que eu posso garantir: o governo trabalha diuturnamente, incansavelmente para garantir a estabilidade econômica e política do país.”

Standard&Poor's
Na entrevista, Dilma comentou o rebaixamento da nota de crédito do Brasil pela agência de classificação de riscos Standard&Poor's, mas disse que a economia brasileira não tem problemas de crédito internacional nem dificuldades para atrair investimento estrangeiros.
“Estamos tomando todas as medidas para nós, não por causa da nota, estamos honrando compromissos e contratos. Não temos problemas de crédito internacional tampouco problema para atrair investimentos para o Brasil, aliás somos um dos países em que mais há entrada de capital para isso”, ressaltou.
Dilma citou países que também tiveram a nota de crédito rebaixada na última década, como os Estados Unidos, a Espanha, França e Itália, e disse que, assim como nesses locais, a economia brasileira vai se recuperar. Para isso, segundo ela, o governo aposta em medidas de controle da inflação, de reequilíbrio do Orçamento e de estímulo ao investimento. “Todos os países foram muito maiores que suas notas e o Brasil é maior que sua nota também. Todos voltaram a crescer e assim vai ser com o Brasil.”

Minha Casa, Minha Vida
Em Presidente Prudente, Dilma vai participar da entrega de 2.343 unidades habitacionais do Programa Minha Casa, Minha Vida. Simultaneamente à cerimônia com Dilma, serão entregues 256 moradias no município de Cotia, também no interior paulista.
Fonte - Agência Brasil  16/09/2015