sábado, 22 de agosto de 2015

Aeroporto baiano feito para a guerra agora será administrado pelo Governo do Estado

Infraestrutura

A transmissão oficial da gestão foi realizada na manhã deste sábado (22/8), em cerimônia que contou com a presença do governador Rui Costa, de autoridades e membros da sociedade civil.

TB
O ministro da Defesa, Jaques Wagner, assinou a transferência para o Estado
foto - Mateus Pereira
Região com grande potencial turístico, o extremo-sul da Bahia ganhou um novo motivo para atrair visitantes. A administração do Aeroporto do município de Caravelas – antes de poder da Força Aérea Brasileira para fins militares – passou a ser de responsabilidade do Governo do Estado.
A transmissão oficial da gestão foi realizada na manhã deste sábado (22/8), em cerimônia que contou com a presença do governador Rui Costa, de autoridades e membros da sociedade civil.
Em tempos de paz, o aeródromo será utilizado para o transporte de passageiros, mais uma alternativa para quem deseja curtir as maravilhas do território conhecido como Costa das Baleias. "O turista vai ter mais facilidade para visitar o extremo-sul. O aeroporto representa o desenvolvimento, mais empregos e renda para a região. Com ele, a economia vai mudar, melhorar muito", afirmou o governador Rui Costa.
Para atender a população, o local passou por requalificação. Serviços de roçagem e limpeza de todo o sítio aeroportuário, instalação de nova cerca patrimonial e nova biruta, correções no Parque de Abastecimento de Aeronaves (PAA), sinalização vertical e restauração do Terminal de Passageiros (TPS) foram realizadas entre 2010 e 2014. As duas pistas também foram recuperadas.
Criado há sete décadas pelo Governo brasileiro em acordo com os americanos, o Aeroporto de Caravelas foi um ponto estratégico na segunda guerra mundial. Devido a localização em faixa intermediária do litoral do país, a estrutura funcionou como base aérea militar das forças aliadas. "Este aeroporto era fundamental às forças armadas. Era vital na logística de muitas estratégias. Também era aqui onde eram pensadas manobras de guerra que dependiam de um ponto de abastecimento", explicou o brigadeiro José Hugo Wolkmer, comandante do segundo comando aero regional, responsável pelo nordeste brasileiro.

foto - Twitter/Rui Costa 
Pelo aeródromo também passaram grandes nomes como o do francês Antoine de Saint-Exupéry,
autor do clássico O Pequeno Príncipe. O francês voou pelo território brasileiro na década de 30, quando era piloto da Compagnie Générale Aéropostale.
Para iniciar o funcionamento das rotas comerciais, o governo estadual aguarda a homologação por parte do governo federal. Segundo o governador, ainda neste ano licitações serão feitas para a seleção da empresa privada que ficará responsável pela gestão do aeroporto.Atendimento à população
Ainda no Aeroporto de Caravelas, neste sábado, a população teve acesso a serviços de saúde. Uma ação cívico-militar garantiu oferta de atendimentos odontológicos e médicos, entre eles na aérea da pediatria, cardiologia, oftalmologia e geriatria. Especialmente para o público-infantil, foram realizadas dinâmicas de escovação dentária.
Ainda em visita ao município de Caravelas, Rui Costa fez a entrega do Sistema de Abastecimento de Água de Rancho Alegre, distrito da cidade. O equipamento, que beneficia mais de três mil habitantes da região, contou com investimento de cerca de R$ 825 mil, e garante água potável para alguns municípios do extremo-sul da Bahia, por meio do Programa Água para Todos.
Fonte - Tribuna da Bahia  22/08/2015

Projeto Tamar completa 35 anos com nova geração de tartarugas marinhas

Ecologia

Na avaliação do coordenador nacional do projeto, o oceanógrafo Guy Marcovaldi, o Tamar está comemorando “muito mais do que um aniversário. É uma nova geração de tartarugas marinhas que apareceu no litoral brasileiro”. Isso se concretizou agora, ao se completar os 35 anos porque, conforme explicou, as estatísticas são feitas de cinco em cinco anos.

Alana Gandra 
Repórter da Agência Brasil
gráfico - Projeto Tamar
O Projeto Tamar comemora nos dias 26 e 27, no Oceanário de Aracaju (SE), 35 anos de existência, com a soltura de filhotes de tartaruga na Praia da Atalaia, na capital do estado.
Na avaliação do coordenador nacional do projeto, o oceanógrafo Guy Marcovaldi, o Tamar está comemorando “muito mais do que um aniversário. É uma nova geração de tartarugas marinhas que apareceu no litoral brasileiro”. Isso se concretizou agora, ao se completar os 35 anos porque, conforme explicou, as estatísticas são feitas de cinco em cinco anos.
“O número de tartarugas, que vinha subindo aos poucos a cada cinco anos, no último quinquênio deu um pulo radical”. Isso se deve, segundo Marcovaldi, a uma nova geração de tartarugas que estão reocupando as praias brasileiras. O número evoluiu de 4,5 milhões de filhotes por ano, entre 2005 e 2009, para 8,4 milhões/ano. “Dobrou, praticamente”.

Projeto Tamar/Divulgação
Uma nova geração de tartaarugas reocupa as praias brasileiras

Para o próximo quinquênio, os planos são “continuar firme e forte na praia e confirmar que essa geração vai seguir ativa, saudável e se reproduzindo, afastando cada vez mais as tartarugas da ameaça da extinção. Ainda não chegamos lá, mas vamos chegar”, afirmou Marcovaldi.
A programação comemorativa inclui, além da soltura de filhotes de tartaruga marinha, apresentação gratuita de grupos folclóricos e de teatro, e show do cantor Milton Nascimento com o Dudu Lima Trio. O Projeto Tamar é patrocinado pela Petrobras há mais de três décadas.
Fonte - Agência Brasil  22/08/2015

Congresso lança Frente Parlamentar Pró-ferrovia Bioceânica

Ferrovias

A ferrovia deverá ter R$ 40 bilhões em investimentos e faz parte de um programa de investimentos do governo federal. A ferrovia possui 4,4 mil quilômetros e faz parte do Programa Integrado de Logística (PIL), lançado recentemente pela presidente Dilma Rousseff (PT), tendo um grupo de chineses interessados em sua implantação. 

Agro Olhar
foto - ilustração
O Congresso Nacional lançou na quinta-feira, 20 de agosto, a Frente Parlamentar Mista Pró-Ferrovia Bioceânica (ou Transoceânica). O objetivo é viabilizar a construção da ferrovia que ligará o Oceano Atlântico ao Pacífico passando por Mato Grosso. A ferrovia permitirá o escoamento da produção de grãos do estado para China através do Oceano Pacífico
A ferrovia deverá ter R$ 40 bilhões em investimentos e faz parte de um programa de investimentos do governo federal. A ferrovia possui 4,4 mil quilômetros e faz parte do Programa Integrado de Logística (PIL), lançado recentemente pela presidente Dilma Rousseff (PT), tendo um grupo de chineses interessados em sua implantação. O modal irá ligar os oceanos Atlântico e Pacífico, saindo do litoral norte do Rio de Janeiro, passando por Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Rondônia e Acre, seguindo pelo Peru até o Porto de Ilo.
A Frente Parlamentar tem como objetivo resolver os entraves e burocracias para que a ferrovia saia do papel. A idealização da Frente é do deputado federal Fabio Garcia (PSB-MT). Também estão na coordenação o deputado federal Cézar Messias (PSB-AC) e os senadores Wellington Fagundes (PR-MT), Jorge Viana (PT-AC), Valdir Raupp (PMDB-RO) e Acir Gurgacz (RO). O lançamento da Frente Parlamentar contou com a presença do diretor executivo da China Nacional Eletronics, Wang Jianxun.

foto - ilustração/Opção FIOL
O grupo deverá reunir-se com representantes políticos dos países envolvidos. Também serão organizados seminários, debates e audiência públicas visando à implantação do modal.
“Projetos desta dimensão somente saem do papel com otimismo, ousadia e muito trabalho. Os parlamentares desta frente estão dispostos a enfrentar os desafios necessários para viabilizar este importante investimento. Este é um projeto muito estratégico para o Brasil e também para a China. Nossa produção continuará crescendo e o mercado consumidor da China também. A ponte mais eficiente para conectar estas duas demandas é exatamente esta ferrovia”, declara Fábio Garcia.
Hoje, os portos de Santos (SP) e Paranaguá (PR) são as principais rotas de escoamento da produção de grãos de Mato Grosso, principalmente a soja, para o exterior. A China é responsável pela aquisição de aproximadamente 60% da soja em grão de Mato Grosso.
Segundo estudos apresentados pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), para se levar uma tonelada de soja em grão de Sorriso à China, são desembolsados cerca de US$ 113, dos quais US$ 90 correspondem ao frete rodoviário até o porto de Santos e US$ 23 do porto até a China. Montante este inferior aos US$ 51 à tonelada de soja de Illinois (EUA) até a China, sendo US$ 20 a tonelada do transporte hidroviário de Illinois até New Orleans (EUA) e US$ 31 a tonelada de New Orleans até a China.
“Esta Ferrovia traz ao Brasil e a Mato Grosso a possibilidade de acessarmos o maior mercado consumidor do mundo de forma mais rápida e mais barata. Isso garante uma enorme segurança ao futuro econômico de nosso estado. Este é sem dúvida alguma um dos mais importantes e estratégicos investimentos em logística para futuro do estado de Mato Grosso”, salienta o deputado federal Fábio Garcia.
Segundo a Frente Parlamentar, a primeira reunião ocorrerá na próxima semana com o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa.
Fonte - ABIFER  21/08/2015

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Baixa dos Sapateiros - Conder intensifica intervenções para conclusão da requalificação

Salvador

“Uma das propostas do projeto é a transferência de parte da fiação aérea para uma vala técnica, diminuindo a poluição da paisagem com a redução dos fios”, lembra o diretor do Centro Antigo, Maurício Mathias, referindo-se ao projeto, que se encontra em fase de conclusão

Ascom Dircas/Conder
Diretor Geral do IPAC, se reúne com o novo
 diretor da DIRCAS.  f
oto-Lucas Rosário
A conexão da rede subterrânea de telefonia e internet em cinco pontos ao longo da Avenida J.J. Seabra está sendo finalizada pela equipe da Diretoria do Centro Antigo de Salvador, da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Dircas/Conder). Com a execução deste serviço, os pontos nos dois lados da calçada serão interligados, permitindo, assim, a passagem de fios pelas empresas de telecomunicação. A obra faz parte da requalificação urbana da Baixa dos Sapateiros, do Governo do Estado.
“Uma das propostas do projeto é a transferência de parte da fiação aérea para uma vala técnica, diminuindo a poluição da paisagem com a redução dos fios”, lembra o diretor do Centro Antigo, Maurício Mathias, referindo-se ao projeto, que se encontra em fase de conclusão.
Requalificação – Orçada em R$ 13,8 milhões, já foram realizadas a recuperação de vias, passeios e praças, destacando também a reforma do Quartel do Corpo de Bombeiros, a Praça dos Veteranos e a Ladeira do Pax. A obra teve início no Aquidabã, passando ao longo da Avenida J.J. Seabra e segue até o Largo da Barroquinha, onde está sendo iniciada a revisão asfáltica e a sinalização horizontal das faixas de trânsito.
Segundo Mathias, a obra da Baixa dos Sapateiros faz parte da política de valorização da cidade. Sua execução foi programada em duas etapas, sendo a primeira para a implantação da vala técnica (enterramento de fios de telefonia e internet) e a outra de requalificação urbana.
Camelódromo – A equipe da Dircas/Conder realiza também a colocação de piso novo na área onde os vendedores ambulantes se concentram na Baixa dos Sapateiros. No local, conhecido como ‘camelódromo’, estão em andamento os serviços de drenagem pluvial e nivelamento do terreno para colocação de piso de alta resistência.

Camelódromo.  foto - Ascom/Dircas
Nova praça – A Baixa dos Sapateiros também foi um dos assuntos em pauta, na reunião entre o diretor do Centro Antigo de Salvador (Dircas/Conder), Maurício Mathias e o diretor do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac), João Carlos Oliveira, ocorrida nesta semana, na sede do Ipac, no Pelourinho.
As duas instituições elaboraram o projeto para a construção da Praça Ary Barroso, na Baixa dos Sapateiros, na área dos jardins do Asilo Santa Isabel, que será executado pela Dircas/Conder. Uma homenagem ao compositor de “Na Baixa dos Sapateiros”. “A proposta reforça a parceria para a reabilitação do território”, declara Maurício Mathias.
Fonte - Sedur  21/08/2015

MP pede intervenção no transporte público de Feira de Santana

Transportes

O objetivo é colocar em circulação pelo menos 30% da frota em um prazo de 24 horas. Até o momento, as empresas 18 de Setembro e Princesinha estão paralisadas.

A Tarde
Da Redação
Luiz Tito  - Ag. A TARDE
O Ministério Público Estadual (MP-BA) solicitou a intervenção no serviço de transporte coletivo de Feira de Santana, que está há seis dias sem circulação de ônibus. A ação civil pública solicitando a determinação da Justiça no município foi ajuizada nesta quinta-feira, 20.
O objetivo é colocar em circulação pelo menos 30% da frota em um prazo de 24 horas. Até o momento, as empresas 18 de Setembro e Princesinha estão paralisadas.
A interrupção teve início na tarde de domingo, 16, 48 horas após serem anunciadas as duas empresas vencedoras da licitação, que devem operar o sistema por 15 anos.
Segundo o MPE, caso o pedido dos promotores Tiago de Almeida Quadros e Márcia Morais dos Santos seja acatado pela Justiça, a Prefeitura de Feira deverá nomear um interventor até que entre em vigor um contrato emergencial firmado pelas empresas de transporte.
As empresas vencedoras da licitação concordaram em assinar um contrato emergencial, mas isto depende do deslocamento de veículos de São Paulo até a cidade, em um prazo de cinco dias.
"Enquanto isso, a população de Feira de Santana vem sendo drasticamente penalizada, vista que obrigada a se submeter, por tempo indeterminado, a um modelo precário de transporte coletivo, realizado de improviso por veículos alternativos, pondo em risco a segurança dos passageiros", escreveram os promotores na ação.
Fonte - A Tarde  21/08/2015

Ministro dos Transportes defende projeto de trem regional

Transportes sobre trilhos

“Estamos à disposição para ajudar o Estado naquilo que estiver ao nosso alcance. Precisamos apenas de um ponto de contato no Governo do Estado para que os nossos técnicos resolvam as pendências ou entraves com os técnicos paulistas”, disse o ministro.

Caio Lobo - Viatrolebus
foto - ilustção/railwaygazette
O ministro dos transportes, Antônio Carlos Rodrigues, disse na última terça, 18, em Brasília, que o Governo Federal pretende ajudar o Governo do Estado de São Paulo no que for de seu alcance com relação ao projeto do trem regional que ligará São Paulo a Sorocaba. A reunião foi marcada pela deputada estadual Maria Lúcia Amary em nome da Frente Parlamentar em Defesa da Malha Ferroviária da Assembleia Legislativa, da qual a deputada é vice-coordenadora.
“Estamos à disposição para ajudar o Estado naquilo que estiver ao nosso alcance. Precisamos apenas de um ponto de contato no Governo do Estado para que os nossos técnicos resolvam as pendências ou entraves com os técnicos paulistas”, disse o ministro.
Além deste tema, a deputada solicitou ao minsitro que o Governo Federal invista na malha ferroviária paulista. “Temos uma série de trechos de ferrovia que estão abandonados ou que não sofrem a manutenção adequada, o que tem causado a deterioração desse patrimônio público. Por isso, precisamos de investimentos para fazer essa malha ferroviária ativa”, disse a deputada.
Em contato com a CPTM, a empresa disse que atualmente, o projeto de trens regionais do estado de São Paulo encontra-se em análise, pelo Conselho Gestor das PPP’s (Parcerias Público Privada), que foi apresentada para o Governo Estadual pelas empresas BTG Pactual e EDLP – Estação da Luz Participações.
O projeto contempla a construção de infraestrutura, implantação de equipamentos e sistemas e compra de material rodante (trens) para operar uma rede integrada de linhas de trens, abrangendo o trem que ligará não só Sorocaba a São Paulo, como também as linhas que ligarão São Paulo a Baixada Santista, Campinas e Taubaté.
Fonte - Viatrolebus  21/08/2015

Ministro dos Transportes apresenta estudos de viabilidade de trecho da Ferrovia Norte-Sul na Região Sul

Ferrovias

Um dos objetivos das reuniões é receber contribuições das lideranças dos estados interessados em investir no projeto. Antonio Carlos Rodrigues destacou que o trecho da Ferrovia no Sul poderá “transportar as riquezas e a produção dos estados da Região Sul para todo o território nacional e para o mundo”.

Ministério dos Transportes

O ministro dos Transportes, Antonio Carlos Rodrigues, começou na manhã desta sexta-feira (21/8) em Porto Alegre (RS), a apresentação do Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA) do trecho da Ferrovia Norte-Sul entre Panorama(SP), Chapecó(SC) e Rio Grande(RS). Diante de uma plateia de cerca de 100 pessoas, entre empresários, parlamentares e representantes de organizações públicas e privadas, o ministro afirmou que “precisamos ter toda disposição para discutir as melhores soluções que garantam a construção de uma ferrovia moderna e eficiente”.


Ainda na tarde desta sexta-feira, o ministro apresentará também o EVTEA em Florianópolis e em Curitiba. Um dos objetivos das reuniões é receber contribuições das lideranças dos estados interessados em investir no projeto. Antonio Carlos Rodrigues destacou que o trecho da Ferrovia no Sul poderá “transportar as riquezas e a produção dos estados da Região Sul para todo o território nacional e para o mundo”.
O EVTEA foi elaborado pela Valec Engenharia, Construções e Ferrovias S/A, empresa estatal vinculada ao Ministério dos Transportes. O estudo indicou como referência a passagem da ferrovia por 82 municípios em quatro estados (oito em São Paulo; 31 no Paraná; 14 em Santa Catarina e 29 no Rio Grande do Sul). A extensão prevista é de 1.731 quilômetros.
O trecho ferroviário poderá ser uma nova opção de transporte para a região, principalmente para o escoamento de safras agrícolas e demais produtos em direção aos portos do sul do Brasil, em especial Rio Grande, e também para os portos do sudeste, por meio de conexão com a malha ferroviária existente.
Fonte - Ministério dos Transportes  21/08/2015

Jacques Wagner inaugura simulador para helicópteros no Rio

Defesa

Com a inauguração do centro, o consórcio Helibras – Airbus Helicopters cumpre uma nova etapa do contrato de fornecimento de 50 helicópteros EC725 para as Forças Armadas, informou a assessoria do Ministério da Defesa.

Alana Gandra
Repórter da Agência Brasil
foto - ilustração/tecnodefesa
O ministro da Defesa, Jaques Wagner, inaugurou hoje (21), no Rio de Janeiro, o Centro de Treinamento e Simuladores (CTS) da Helibras. A unidade vai treinar pilotos no Full Flight Simulator, único simulador para modelos de helicópteros H225 da aviação civil e H225M das Forças Armadas instalado nas Américas. O investimento é de R$ 80 milhões, informou a Helibras.
Com a inauguração do centro, o consórcio Helibras – Airbus Helicopters cumpre uma nova etapa do contrato de fornecimento de 50 helicópteros EC725 para as Forças Armadas, informou a assessoria do Ministério da Defesa. A unidade viabiliza treinamentos de missões reais em ambientes de realidade virtual, com tecnologia inédita na América do Sul. O simulador atenderá o setor de petróleo e a área militar.
Jaques Wagner destacou o avanço tecnológico que o simulador traz ao país. "É necessário preservar as empresas brasileiras da área de defesa, pois elas são a síntese da inteligência nacional”, afirmou. Ele afirmou que o governo federal está efetuando esforços para retomar o caminho do crescimento econômico. “Vamos construir um Brasil olhando para frente, e não para trás. Nosso país não deve viver de especulações, mas de desenvolvimento”.
Para o governador fluminense, Luiz Fernando Pezão, que participou da inauguração do centro, o simulador será "referência para o mundo". O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, por sua vez, disse que o CTS é um ganho para a capital do estado.
Fonte - Agência Brasil   21/08/2015

Foguete é lançado da Guiana com satélite que cobrirá o Brasil

Ciência e Tecnologia

O foguete europeu Ariane 5 é lançado em Kourou, Guiana Francesa, no dia 15 de julho de 2015.O Intelsat 34, construído pela SSL (Space Systems Loral) para a Intelsat, fornecerá soluções de conexão para meios de comunicação, para a banda larga e a telefonia móvel, bem como para aplicações empresariais, governamentais e militares.

AFP - Agence France-Presse - DP
foto -  Jody Amiet/AFP Photo
Kourou - O foguete europeu Ariane 5 pôs em órbita geoestacionária, nesta quinta-feira, da Guiana Francesa, dois satélites de telecomunicações, o Intelsat 34 e o Eutelsat 8 West B.
O Intelsat 34, construído pela SSL (Space Systems Loral) para a Intelsat, fornecerá soluções de conexão para meios de comunicação, para a banda larga e a telefonia móvel, bem como para aplicações empresariais, governamentais e militares.
Este satélite fornecerá serviços para os clientes do setor dos meios de comunicação na América Latina e abrigará uma importante plataforma brasileira de difusão direta.
Também oferecerá infraestrutura para cobrir as necessidades de mobilidade de profissionais dos setores marítimo e aeronáutico no Atlântico norte.
O Eutelsat 8 West B, construído pela Thales Alenia Space para a empresa Eutelsat, oferecerá serviços de TV direta em alta definição e ultra definição ao norte da África e o Oriente Médio, além de serviços de telecomunicações no continente africano e na parte leste da América do Sul.
Fonte - Diário de Pernambuco  20/08/2015

Dilma diz que governo não vai "apertar o cinto" em programas sociais

Política

Presidenta Dilma Rousseff durante cerimônia de entrega da Estação de Bombeamento EBI-1, do Projeto de Integração do São Francisco, em Cabrobó.Dilma inaugurou a primeira estação de bombeamento de água do Eixo Norte da obra de transposição do Rio São Francisco, em Cabrobó, no sertão pernambucano.

Luana Lourenço
Repórter da Agência Brasil
Roberto Stuckert Filho/PR
A presidenta Dilma Rousseff reconheceu hoje (21) que o governo está enfrentando dificuldades econômicas, mas afirmou que não vai “apertar o cinto” no orçamento de programas sociais. Dilma inaugurou a primeira estação de bombeamento de água do Eixo Norte da obra de transposição do Rio São Francisco, em Cabrobó, no sertão pernambucano.
“Assim como em casa vocês têm, às vezes, algumas dificuldades com o orçamento, o governo federal também teve. Mas, assim como vocês escolhem onde vão apertar o cinto, nós também e não vamos apertar o cinto em programas essenciais para o país seguir em frente, que são programas sociais como esse aqui.”
Dilma defendeu o papel do governo na criação de oportunidades para que os brasileiros tenham igualdade de condições, independente da região em que vivam. De acordo com a presidenta, os problemas não serão superados com pessimismo.
“Temos dificuldade? Temos sim. Ninguém tem de tapar o sol com a peneira. Mas achar que está tudo ruim não é a forma pela qual a gente constrói canal. A gente constrói canal encarando a dificuldade de frente e ultrapassando a dificuldade com muita água, com muita força no coração e com muita esperança”, afirmou a presidenta, numa analogia com as águas da transposição do Rio São Francisco.
Em discurso de cerca de meia hora, Dilma defendeu a obra de críticas. Ela destacou o tamanho do projeto – com quase 500 quilômetros de canais –, atribuindo ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a “vontade política” que tirou a transposição do papel.Segundo Dilma,a ideia de levar as águas do São Francisco para regiões mais secas do Nordeste existe desde que o Brasil era governado pelo imperador D.Pedro I.
“Há nessa obra uma vontade política. É uma obra que esteve colocada como possibilidade durante essa quantidade de anos, mais de 150 anos. Foi preciso que um nordestino fosse eleito presidente, que tivesse sido praticamente expulso de sua casa e tivesse ido para São Paulo e soubesse o preço, o custo em termos de vida, em termos de perspectiva de futuro e esperança ,que a seca impunha para a população do Nordeste. Aí, a vontade de fazer foi muito importante”.

Seca
Dilma acrescentou que a obra de transposição soma-se à construção de adutoras e canais pelo Nordeste como estratégia, de modo que a população da região possa conviver com a seca sem as consequências negativas da estiagem sobre a vida e a produção agropecuária.
“Os primeiros relatórios de que havia seca no Nordeste são do século 16, ou seja, há mais de quatro séculos sabemos que a região sofre com a seca. O objetivo dessa obra é ajudar a nós, brasileiros, nordestinos, a conviver com a seca. Impedir que ela ocorra, não podemos. Só Deus sabe se tem ou não tem chuva. O que podemos fazer e fizemos? Armazenar a água, trazer água de um lugar e garantir que, na hora da seca, a gente possa recorrer àquela água”, afirmou.
A Estação de Bombeamento EBI –1 elevará a água do São Francisco por até 36 metros e permitirá que ela percorra 45,9 quilômetros dos canais e chegue a dois reservatórios. A obra faz parte do Eixo Norte da transposição.
Fonte - Agência Brasil  21/08/2015

CBTU apresenta investimentos em acessibilidade em Seminário Internacional

Transporte sobre trilhos

O coordenador operacional de Acompanhamento e Controle de Obras da CBTU Belo Horizonte,Rodrigo de Abreu Vieira, representou a CBTU-BH no evento,detalhando os projetos de acessibilidade do Metrô da capital,os investimentos já realizados,a parceria com o Laboratório ADAPTESE da Universidade Federal de Minas Gerais e os equipamentos da nova frota de trens adquiridos pela Companhia.

CBTU
CBTU
A CBTU Belo Horizonte participou, na última sexta-feira (14/8), do Seminário Internacional de Acessibilidade na Mobilidade em BH. O coordenador operacional de Acompanhamento e Controle de Obras da CBTU Belo Horizonte, Rodrigo de Abreu Vieira, representou a CBTU-BH no evento, detalhando os projetos de acessibilidade do Metrô da capital, os investimentos já realizados, a parceria com o Laboratório ADAPTESE da Universidade Federal de Minas Gerais e os equipamentos da nova frota de trens adquiridos pela Companhia.
Na oportunidade, Rodrigo Abreu apresentou ao público os equipamentos instalados na nova frota de trens adquirida pela Companhia para atendimento às normas de acessibilidade. “As novas composições são adaptadas de acordo com as mais atuais normas internacionais de acessibilidade. Entre os itens é possível destacar o espaço delimitado para cadeira de rodas, dispositivo com rampa de acesso, pega-mãos cromo diferenciados, assentos preferenciais, alarmes sonoros, identificação do carro em escrita Braille, dispositivo para solicitação de auxílio em situação de emergência, painéis para transmissão de informações educativas aos usuários, entre outros”, conta.
Promovido pela BHTRANS e pelo WRI Brasil EMBARQ Brasil, com apoio da Embaixada Britânica, o seminário apresentou experiências de planejamento urbano de gestores públicos, do Brasil e do exterior, voltadas às ações de inclusão dos portadores de necessidades especiais no âmbito urbano. As iniciativas buscam permitir que este público possa usufruir de todos os serviços oferecidos pela capital mineira, garantindo a adequada acessibilidade a todos os cidadãos. Rodrigo de Abreu destacou a importância do evento. “O seminário é uma oportunidade de compartilhar com a equipe técnica da BHTRANS e os demais convidados as experiências de adequação das instalações do metrô de BH à acessibilidade universal e apresentar o programa adotado pela Companhia”, explica.
Com informações da CBTU BH

Ministro Antonio Carlos Rodrigues apresenta programa de concessões para ministro dos Transportes da Alemanha

Infraestrutura

O ministro Antonio Carlos Rodrigues colocou-se à disposição para expor o Programa a empresários alemães. O ministro Dobrindt ressaltou o interesse da iniciativa privada da Alemanha principalmente em ferrovias no Brasil.

Ministério dos Transportes
foto - ilustração
Em reunião na manhã desta quinta-feira (20/8) com o ministro Federal dos Transportes e Infraestrutura Digital da Alemanha, Alexander Dobrindt, o ministro dos Transportes Antonio Carlos Rodrigues apresentou o Programa de Investimentos em Logística (PIL) para concessões de rodovias e ferrovias, com investimentos previstos de R$ 152,5 bilhões da iniciativa privada. “É muito importante para o Brasil contar com a parceria da Alemanha nessa nova etapa do PIL”, disse o ministro brasileiro a Dobrindt, durante encontro no gabinete do Ministério dos Transportes.
O ministro Antonio Carlos Rodrigues colocou-se à disposição para expor o Programa a empresários alemães. O ministro Dobrindt ressaltou o interesse da iniciativa privada da Alemanha principalmente em ferrovias no Brasil.
O ministro dos Transportes destacou ainda para o ministro alemão o projeto de construção da ferrovia Bioceânica, que integrará o Centro-Oeste e o Norte do Brasil até o Peru, servirá de via para o escoamento da produção agrícola aos mercados asiáticos. “Com a ferrovia vamos criar uma rota alternativa de escoamento da produção agrícola do Brasil, pelo Pacífico, sem passar pelo Canal do Panamá”, afirmou Antonio Carlos Rodrigues.
Fonte - ABIFER  20/08/2015

Manifestações ocorrem sem incidentes em várias capitais

Política

Integrantes de movimentos sociais fazem passeata por garantia de direitos democráticos no centro do Rio de Janeiro.Os participantes defendem com unanimidade o mandato da presidenta Dilma Rousseff e suas reivindicações se distribuem entre os interesses políticos e econômicos de cada categoria, que vão desde o protesto contra a terceirização às medidas de ajuste fiscal.

Elaine Patricia Cruz e 
Vladimir Platonow
Repórteres da Agência Brasil*
Fernando Frazão/Agência Brasil
Transcorrem sem qualquer incidente as manifestações nas principais capitais do país, organizadas pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), pela União Nacional dos Estudantes (UNE) e outras organizações sociais. Os participantes defendem com unanimidade o mandato da presidenta Dilma Rousseff e suas reivindicações se distribuem entre os interesses políticos e econômicos de cada categoria, que vão desde o protesto contra a terceirização às medidas de ajuste fiscal.
Em São Paulo, os manifestantes, que se concentraram no Largo da Batata, na zona oeste da cidade, caminham neste momento em direção ao Museu de Arte de São Paulo (Masp). A passeata passará pelas avenidas Faria Lima, Rebouças e Paulista. Cerca de 75 mil pessoas, segundo os organizadores, participam do ato. A Secretaria de Segurança Pública, até o momento, não deu uma estimativa sobre o número de manifestantes.
Um manifesto contra o ajuste fiscal, pela defesa da democracia e dos direitos sociais foi apresentado pelas entidades. Assinam o documento, o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), a Central Única dos Trabalhadores (CUT), a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), a Intersindical – Central da Classe Trabalhadora, a União Nacional dos Estudantes (UNE), a Marcha Mundial das Mulheres, entre outros.
“Este ato foi puxado em cima de um manifesto. Este ato não é e nem vai se tornar um ato de defesa do governo. Isso tem que ficar muito claro”, disse Guilherme Boulos, um dos líderes do MTST. “Existe um posicionamento, do conjunto das organizações em defesa da democracia e de ser contra a postura golpista da direita. Mas existe igualmente um posicionamento claro de ser contra o ajuste fiscal, de ser contra a Agenda Brasil e de não ser em defesa do governo”, acrescentou.
A manifestação na capital paulista teve ainda a presença de políticos e militantes do PT, PCdoB, PCO e PDT. Orlando Silva, ex-ministro do Esporte e atual deputado federal (PCdoB), elogiou o grau de representatividade do evento. “Considero este ato muito representativo dos movimentos sociais. Aqui há as centrais sindicais, entidades da juventude, movimentos sem-teto. Considero que é um ato que tem uma marca muito positiva, que é a defesa da democracia, e considero legítimo os movimentos sociais criticarem medidas do governo. É natural haver críticas ao ajuste econômico porque isso afeta a vida das pessoas. E a democracia se fortalece”, disse.
No final do ato, por volta das 22h, assim como ocorreu no inicio, os manifestantes lembraram as mortes ocorridas em uma chacina, na semana passada, nas cidades de Barueri e Osasco, na Grande São Paulo.

Marcelo Camargo/Agência Brasil
Em São Paulo, movimentos sociais participam de manifestação a favor da democracia

No Rio, a manifestação começou com uma concentração na Candelária, na região central da capital fluminense. Neste momento, os manifestantes estão na Cinelândia, depois de passar pela Avenida Rio Branco. Diversas entidades sindicais, estudantis e políticas estão representadas no ato. Participam também pessoas comuns.
Para o diretor da Federação Única dos Petroleiros (FUP), Joacir Pedro, é necessário reagir contra a tentativa de desestabilizar o atual governo. Segundo ele, que é presidente do Fórum dos Trabalhadores da Indústria Naval do Petróleo, o setor naval cresceu muito desde o inicio do governo Lula, quando pulou de 3 mil trabalhadores para 80 mil, com a decisão de construir navios e plataformas de petróleo no Brasil.
De manhã, ativistas do MTST e organizações sociais também se reuniram na Cinelândia contra o ajuste fiscal e medidas como a redução da maioridade penal e a Agenda Brasil, que consideram uma "ofensiva da direita" no país. O ato também é contra pedidos de impeachmentda presidenta Dilma Rousseff.
Os manifestantes caminharam por ruas do centro do Rio com faixas e palavras de ordem. A passeata foi acompanhada por policiais militares e agentes de trânsito.
Ao passar pelo Ministério da Fazenda, os manifestantes ocuparam as escadarias do prédio por alguns minutos. O grupo parou em frente ao número 50 da Avenida Nilo Peçanha, prédio onde funciona o escritório do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), gritando “Fora, Cunha” e palavras contra a redução da maioridade penal.
O coordenador do MTST, Felipe Brito, disse que o objetivo da manifestação é “emitir uma crítica à ofensiva conservadora, reacionária, autoritária e antipopular", que, segundo ele, é personificada por Cunha. "Queremos que o governo reveja o caminho das políticas recessivas de enfrentamento da crise, porque o setor mais vulnerável é o dos trabalhadores".

Tomaz Silva/Agência Brasil
De manhã, integrantes do MTST reuniram-se na Cinelandia, entro do Rio

A professora Marisa Gonçalves, de 54 anos, do Sindicato dos Profissionais da Educação de Duque de Caxias, aderiu ao protesto por ser contra medidas que considera conservadoras, como o ajuste fiscal, a Agenda Brasil e o Projeto de Lei das Terceirizações. Ela defende que a esquerda se una e que o governo mude de posicionamento. "É fundamental agora unificar a esquerda. Só vamos conseguir enfrentar isso se a esquerda se unir."
O estudante Vitor de Oliveira, de 21 anos, foi ao protesto e se diz pessimista. Para ele, a esquerda está acuada: "Tem-se um governo que se diz de esquerda, mas que, na verdade, aplica medidas de direita. Então, a gente fica meio emparedado. Mas a gente tem que pressionar, sim. Sem defender o governo e sem apoiar o golpe."
Em Fortaleza, integrantes de centrais sindicais, movimentos sociais, estudantes universitários e secundaristas, entre outros, saíram da Praça da Bandeira em direção à Praça do Ferreira, na região central da capital cearense. A organização estimou a presença de 20 mil pessoas. A Polícia Militar calculou 2,5 mil.
Os manifestantes levavam faixas com frases de apoio à presidenta.“O nosso ato hoje é para reafirmar as urnas em 2014. O governo Dilma é um governo soberano, popular, que representa o que o povo brasileiro definiu nas urnas, mas que precisa tomar um curso à esquerda”, disse, a diretora de Políticas Públicas de Juventude, Trabalho e Estágio da União Nacional dos Estudantes (UNE), Ranyelle Neves.
O líder do governo na Câmara, deputado federal José Guimarães (PT-CE), participou do ato e reforçou o coro dos manifestantes. “A principal palavra de ordem é 'não vai ter golpe'. Queremos deixar isso explícito. Se inventarem esse clima [de apoio ao impeachment], vai ter mobilização social nas ruas para vencer essa direita que não tem compromisso com o crescimento do país. Há um problema econômico e a política não pode dificultar isso”, afirmou.
Em Salvador, a estimativa da Polícia Militar é de que cerca de 8 mil pessoas tenham participado das manifestações no período da tarde. Os organizadores estimaram cerca de 10 mil. A manifestação foi encerrada na Praça Castro Alves. Na parte da manhã, outro ato, organizado por centrais sindicais, reuniu cerca de 100 pessoas, segundo a PM, e 150, de acordo com os organizadores.
Na capital amazonense, a caminhada ocorreu no centro de Manaus. Segundo a Polícia Militar, aproximadamente 4 mil pessoas participaram da manifestação. Os organizadores informaram que 5 mil estiveram presentes.
Em Belo Horizonte, os manifestantes se reuniram no centro da cidade e, depois, saíram em passeata por várias ruas da região. Segundo a polícia Militar, aproximadamente 5 mil pessoas participaram do ato nesta quinta-feira. A organização estimou um público de 10 mil pessoas.
Em Recife, além do apoio ao governo, os manifestantes defenderam também a democracia e os direitos dos trabalhadores. A caminhada teve início na Praça do Derby . A estimativa dos organizadores é de que 5 mil pessoas fizeram a caminhada.
O ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Miguel Rossetto, destacou o compromisso com a democracia e com os avanços sociais das manifestações desta quinta-feira. "Os movimentos sociais deram hoje uma grande demonstração de compromisso com a democracia e com os avanços sociais ocorridos em nosso país", afirmou em nota.
*Colaboraram Camila Bohem, Vinicius Lisbôa e Edwirges Nogueira
Fonte - Agência Brasil  20/08/2015

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

VLT do Rio terá financiamento do BNDES

Transportes sobre trilhos

O BNDES ira financiar 42% do custo do projeto do VLT do Rio.O Banco que destinou ao projeto R$35.3m do Fundo Clima,calcula uma redução de 410.000 toneladas de emissões de CO2 durante o período de concessão de 25 anos.

Railway Gazette

O BNDES anunciou em 19 de agosto um financiamento de 42% do custo do projeto, de R$ 1,77 bilhão,  sistema de VLT em construção no Rio de Janeiro, cujo valor do empréstimos será de R$ 746.5 m à concessionária do VLT Carioca.
A primeira fase do sistema devera entrar em serviço em abril de 2016, já para os Jogos Olímpicos, que serão realizados no Rio  no próximo ano, com a segunda fase para o final de 2016.O sistema terá três linhas,totalizando 27,5 km e 32 paradas com distância média de 400 m entre elas.
O VLT do Rio será operado com uma frota de 32 composições Citadis (Alstom) com ar-condicionado, 27 das quais já estão sendo construídos pela Alstom no Brasil. O BNDES destaca que a o sistema de VLT será totalmente integrado com a rede de transportes públicos de Rio incluindo metrô e trens urbano.
O financiamento do BNDES inclui R$ 35.3m do Fundo Clima do banco e calcula que o sistema de VLT devera reduzir em 410 000 toneladas,as emissões de CO2 durante o prazo de concessão de 25 anos.
Em acordo assinado com o BNDES,o banco de desenvolvimento alemão KfW Federal devera emprestar ao banco de fomento brasileiro,o total de R$ 1 bilhão para projetos de transportes urbanos sustentáveis ​​no Brasil.
Fonte - Railway Gazette  20/08/2015

Tradução e adaptação de texto - Pregopontocom
Original Text -  http://www.railwaygazette.com/news/news/cs-america/single-view/view/rio-light-rail-receives-bndes-funding.html

VLT PEDE SOCORRO

Transportes sobre trilhos

O otimismo tomou conta da maioria da população porque afinal, teríamos um transporte que garante o fluxo de um grande número de pessoas utilizando menos energia poluente, diminui a emissão de gases tóxicos na atmosfera e evita qualquer tipo de engarrafamento. Essa ideia só podia ser louvável.Só não esperávamos a falta de planejamento, organização, responsabilidade dos construtores e do governo estadual para executar as obras. 

Por Vicente Vuolo*
foto - ilustração/VLT Cuiabá
Em junho de 2011, defendi em artigo, a necessidade de se implantar o VLT em Cuiabá e Várzea Grande. Disse, na ocasião, que deveríamos seguir o exemplo de várias grandes cidades brasileiras, oferecendo aos usuários cuiabanos a mesma qualidade existente em diversos países da Europa.
Naquela oportunidade, a expectativa era grande com a realização da Copa do Mundo em 2014. O otimismo tomou conta da maioria da população porque afinal, teríamos um transporte que garante o fluxo de um grande número de pessoas utilizando menos energia poluente, diminui a emissão de gases tóxicos na atmosfera e evita qualquer tipo de engarrafamento. Essa ideia só podia ser louvável.
Só não esperávamos a falta de planejamento, organização, responsabilidade dos construtores e do governo estadual para executar as obras. Logo se viu uma enxurrada de lançamentos de canteiros de obras para todo lado, obstruindo ruas, modificando trânsito e causando enormes prejuízos ao comércio das duas maiores cidades do Estado, gerado pela falta de cronograma preciso do término de cada setor anunciado: Aeroporto, Porto, Avenida do CPA e Coxipó da Ponte.
Passados quatro anos, ninguém sabe ao certo o que vai acontecer. De quem é a culpa? Alguém será responsabilizado pelos danos causados? As empresas que aceitaram cumprir uma meta impossível de acontecer serão premiadas com a continuidade das obras? Uma brincadeira de mau gosto que causou prejuízos incalculáveis a população e até falências no comércio local.
Esta semana, o Juiz Ciro de Andrade Arapiraca, da 1ª Vara Federal de Mato Grosso, concedeu prazo de cinco dias para o Governo do Estado se manifestar sobre o contrato firmado com o Consórcio VLT Cuiabá-Várzea Grande, que está suspenso judicialmente desde o final de fevereiro.
Uma vergonha! Que só acontece no Brasil. Por que isso não ocorre, por exemplo, nos Estados Unidos da América? Porque, naquele país, a falta de cumprimento da legislação pune exemplarmente os culpados com ressarcimento ao erário e com cadeia. Aqui, estamos esperando o quê? Premiar quem?
Uma obra dessa magnitude não pode ser prejudicada por quem quer que seja. O VLT é primordial. Mas, isso não significa que pode ser construído de qualquer jeito e no prazo que quiser.
Precisamos aprimorar nossas leis e também a forma de interpretar a legislação existente. Tarefa para o Legislativo e para o Judiciário. Mas também não podemos ficar eternamente esperando que esses Poderes tomem a iniciativa. Quando há prejuízo à população, como é o caso que citei algo deve ser feito. O Ministério Público e o Judiciário devem ler e compreender a lei à luz dos direitos da população. Isso se fundamenta no conceito do Estado Democrático de Direito, a base de nossa Constituição.
Simplesmente parar uma obra de interesse público por causa de corrupção e desvios não é a solução. A população não pode pagar várias vezes ou ser penalizada recorrentemente.
*Vicente Vuolo é economista,cientista político e analista legislativo  do Senado Federal.
e-mail - vicente.vuolo10@gmail.com
Fonte - Vicente Vuolo  20/08/2015

Cabotagem é um dos grandes desafios da logística brasileira

Transporte Aquaviário

Em evento no Senado Federal, autoridades debateram os entraves e as soluções para o transporte entre os portos costeiros e os fluviais no Brasil.Privilegiado por sua posição geográfica, o Brasil dispõe de mais de 8.000 km de costa navegável. Isso representa um grande potencial para o avanço dessa categoria, que ainda representa pouco mais de 10% da matriz de transporte do país.

Diego Gomes - Ag.CNT
foto - Frenlog/Divulgação
​Navegação entre portos do mesmo país ou entre um porto fluvial ou lacustre e um porto costeiro, a cabotagem foi objeto de debate nesta quarta-feira (20), no Senado Federal, durante o 1º Workshop sobre essa categoria de transporte.
Promovido pela Frente Parlamentar Mista de Logística de Transporte e Armazenagem (Frenlog) do Congresso Nacional, o evento reuniu autoridades públicas e representantes do setor, que apontaram, como desafios para a área, a desburocratização dos processos, a desoneração do combustível, a flexibilização da legislação trabalhista para os marítimos tripulantes, a revisão do Fundo da Marinha Mercante, redução de custos ou isenção da praticagem em determinadas situações e o funcionamento de portos e terminais dedicados à cabotagem.
Na ocasião, o ministro dos Transportes, Antonio Carlos Rodrigues, declarou que o país tem grande potencial para o transporte de cargas e que, por isso, é essencial o incentivo à cabotagem combinado com investimentos complementares em infraestrutura de transporte. “O incentivo à cabotagem, combinado com o investimento complementar na infraestrutura de transporte, constitui um estímulo importante à atividade econômica, criando novos corredores para o escoamento de nossa produção”, disse.
Privilegiado por sua posição geográfica, o Brasil dispõe de mais de 8.000 km de costa navegável. Isso representa um grande potencial para o avanço dessa categoria, que ainda representa pouco mais de 10% da matriz de transporte do país. Na avaliação da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Kátia Abreu, ampliar esse transporte é um dos maiores desafios da logística do país. Segundo ela, é necessária a diminuição da burocracia e dos custos.
“A burocracia é algo extraordinário. Na cabotagem de longa distância, o tratamento é igual ao de exportação”, comentou Kátia Abreu. Ela observou que, em solo brasileiro, o transporte de cargas é tratado da mesma forma que o de um exportador. “Outro custo embutido no transporte brasileiro é o frete de longa distância, que cobra 25 % de taxas para o Fundo da Marinha Mercante”, questionou.
Presidente da Frenlog, o senador Wellington Fagundes (PR/MT) reiterou que a costa brasileira é pouco utilizada e sofre com a falta de infraestrutura adequada, mas lembrou que já há movimentos sólidos no sentido de reverter esse quadro, como a criação da Frente e o próprio PIL (Programa de Investimentos em Logística). Nesse sentido, o diretor-geral da Antaq (Agência Nacional de Transportes Aquaviários), Mário Povia, informou que, “atualmente, as condições de melhorias para a navegação de cabotagem são discutidas em várias instâncias, como na Secretaria de Portos, Ministério dos Transportes e, inclusive, no Tribunal de Contas da União”.
Fonte - Agência CNT de Notícias  20/08/2015

Brasil e Alemanha assinam acordos de urbanização e meio ambiente

Política

A cooperação técnica Brasil e Alemanha na área de gestão de resíduos sólidos urbanos foi assunto entre os dois ministros. Durante a reunião, também foi discutido o projeto de aproveitamento energético de biogás no Brasil, o Probiogás, com expressiva cooperação da Alemanha, e a questão da eficiência energética nos sistemas de abastecimento de água, em especial nas cidades.

Andreia Verdélio 
Repórter da Agência Brasil
Gilberto Kassab também discutiu o aproveitamento
de biogás no Brasil
Arquivo - Valter Campanato/Agência Brasil
O ministro das Cidades, Gilberto Kassab, e a ministra do Meio Ambiente, da Proteção da Natureza, Construção e Segurança Nuclear da Alemanha, Barbara Hendricks, assinaram hoje (20) termos de cooperação na área de saneamento, aproveitamento energético e gestão de resíduos sólidos. De acordo o ministro, alguns projetos já estão em andamento, fruto da cooperação já existente entre os dois países.
Kassab destacou que os acordos são muito mais de transferência e troca de conhecimento do que de investimentos de recursos. “Não são recursos expressivos, porque são para estudos. […] Eles [os alemães] são muito mais avançados em tecnologia”, disse.
Como exemplo, citou as incorporações nos projetos do Minha Casa, Minha Vida em termos de política de sustentabilidade. Segundo ele, o primeiro projeto de casas com essas incorporações será construído no Rio de Janeiro.
A cooperação técnica Brasil e Alemanha na área de gestão de resíduos sólidos urbanos foi assunto entre os dois ministros. “Buscamos desenvolver capacidade nas diferentes esferas de governo e nos setores, de modo a aproveitar o potencial de redução da emissão de gases de estufa por variadas medidas, entre elas a promoção da adequada gestão municipal de resíduos, o fomento à reutilização, reciclagem e tratamento de diferentes frações, a eficiência energética nos sistemas municipais e a destinação final adequada dos resíduos”, afirmou Kassab.
Durante a reunião, também foi discutido o projeto de aproveitamento energético de biogás no Brasil, o Probiogás, com expressiva cooperação da Alemanha, e a questão da eficiência energética nos sistemas de abastecimento de água, em especial nas cidades.
O ministro das Cidades lembrou o início de um entendimento para gestão do lodo gerado no tratamento de resíduos sanitários, que deve resultar em novo convênio entre Brasil e Alemanha. Também foi criado um grupo de trabalho para identificar políticas públicas eficientes na gestão e planejamento de cidades.
Na questão da mobilidade urbana, ficou definido um aprofundamento na parceria para aprimorar as condições estruturais que possibilitem o aumento da eficiência energética no setor, “apoiando instituições nacionais que visem fazer esse levantamento e, com isso, padronizar e contribuir para redução da emissão de gases de efeito estufa”, acrescentou Kassab.
Após o encontro com Hendricks, Kassab se reuniu com o ministro de Cooperação Econômica e Desenvolvimento da Alemanha, Gerhard Müller, para tratar do apoio logístico e econômico que pode ser disponibilizado pela Alemanha para as parcerias.
Fonte - Agência  Brasil  20/08/2015

Revitalização do Rio São Francisco é debatida por representações estaduais do Nordeste

Meio Ambiente

Técnicos da Agência Nacional de Águas (Ana) também participaram da reunião.A previsão climatológica para o semiárido nordestino segue apontando estiagem. Os representantes querem somar esforços diante deste já conhecido fenômeno natural, aumentando a consciência da população, reduzindo consumo e elaborando ações por parte do poder público para a revitalização. 

Secom
foto - Camila Peres
O Rio São Francisco, um dos mais importantes rios do Brasil e da América Latina, está na agenda prioritária dos representantes estaduais do Nordeste em Brasília. O cuidado com a vida desse curso d’água foi a abordagem principal do debate realizado nesta quinta-feira (20), na Representação do Governo da Bahia. Técnicos da Agência Nacional de Águas (Ana) também participaram da reunião.
A previsão climatológica para o semiárido nordestino segue apontando estiagem. Os representantes querem somar esforços diante deste já conhecido fenômeno natural, aumentando a consciência da população, reduzindo consumo e elaborando ações por parte do poder público para a revitalização. “A revitalização deve ser acompanhada de perto. Precisamos monitorar os afluentes do rio, porque eles têm peso fundamental no seu equilíbrio”, disse o representante do governo baiano, Jonas Paulo. Ele ainda ressaltou o papel econômico, social e ambiental que o conhecido ‘Velho Chico’ possui.
O resultado do debate de hoje será apresentado aos respectivos chefes de Estado para que na próxima reunião do Fórum de Governadores do Nordeste, que será realizado em setembro, em Alagoas, haja um aprofundamento na discussão e na tomada de decisões.
Fonte - Secom Ba. 20/08/2015

Dilma recebe Angela Merkel no Palácio do Planalto

Política

A presidenta Dilma Rousseff recebe a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, em cerimônia oficial no Palácio do Planalto.As duas chefes de Estado posaram para a foto oficial e seguiram para uma reunião de trabalho reservada.

Luana Lourenço e Kelly Oliveira 
Repórteres da Agência Brasil
Elza Fiùza/Agência Brasil
A presidenta Dilma Rousseff recebe na manhã de hoje (20), no Palácio do Planalto, a chanceler da Alemanha, Angela Merkel. Ela subiu a rampa do palácio, onde foi recebida por Dilma e as duas acompanharam a execução dos hinos nacionais da Alemanha e do Brasil.
As duas chefes de Estado posaram para a foto oficial e seguiram para uma reunião de trabalho reservada. Mais cedo, ministros brasileiros e alemães tiveram encontros separados para tratar de acordos de suas áreas, como economia, educação, agricultura, trabalho, energia, cultura, saúde, previdência, meio ambiente, ciência e tecnologia, comércio exterior, entre outras. O Brasil e a Alemanha deverão firmar 17 acordos em áreas como inovação, pesquisa, mineração, marinha, educação, saúde e segurança alimentar.
Ontem (19), Merkel e a comitiva alemã foram recebidos em um jantar no Palácio da Alvorada por cerca de duas horas e meia. Após as reuniões desta manhã, as duas chefes de Estado farão uma declaração à imprensa e seguirão para um almoço no Palácio Itamaraty, sede do Ministério das Relações Exteriores.
Com a visita da chanceler alemã, o governo brasileiro espera atrair mais investimentos do país europeu ao Brasil. Entre os focos, estão os projetos da segunda etapa do Programa de Infraestrutura e Logística, como rodovias, ferrovias, portos e aeroportos.
A pauta da visita também envolve discussões sobre temas internacionais, como a 21ª Conferência das Partes da Convenção-Quadro sobre Mudança do Clima (COP21), que vai ocorrer em dezembro, e a reforma do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU).
Fonte - Agência  Brasil 20/08/2015

Acidentes caem 29% após redução da velocidade nas marginais em São Paulo

Mobilidade

Acidentes com vítima nas marginais de São Paulo caem 29% após redução da velocidade.Caiu ainda, em 10%, a lentidão no trânsito das marginais Tietê e Pinheiros nas últimas quatro semanas. Dados foram anunciados nesta quarta-feira (19) pela Prefeitura

Regina Rocha - Mobilize Brasil 
créditos - Fernando Stankuns/Wikipedia
Após a redução da velocidade máxima nas marginais Tietê e Pinheiros em São Paulo, dados preliminares da prefeitura referentes às últimas quatro semanas revelaram que a lentidão em ambas as vias caiu 21% no horário de pico da tarde e 3% pela manhã.
Os acidentes com vítimas tiveram redução de 29%, e sem vítimas caíram 20%. O anúncio foi feito em coletiva de imprensa na tarde desta quarta-feira (19) pelo secretário de Transportes da Prefeitura, Jilmar Tatto. Os dados são preliminares, esclareceu Tatto.
No período de 20 de julho (data de início da redução da velocidade máxima) a 14 de agosto de 2015, a média diária de lentidão nas marginais Tietê e Pinheiros caiu 10% na comparação com o mesmo período de 2014 (entre 21 de julho e 15 de agosto do ano passado).
Os índices de lentidão caíram nos dois horários de pico. Pela manhã, a queda foi de 3% e, no período da tarde, foi de 21%. No período entre picos, houve aumento de 8%.
A segurança no trânsito também aumentou com a redução da velocidade máxima. O número de acidentes com vítimas (mortos e feridos) nas Marginais caiu 29%, na comparação entre as primeiras quatro semanas com os novos limites e o mesmo período de 2014. Foram 110 ocorrências no ano passado, contra 78 em 2015. Os acidentes sem vítima caíram 20%, de 272 para 217 ocorrências.
Também houve redução de 25% nos acidentes com mortes, e de 67% nos atropelamentos no período.

Atropelamentos
Na apresentação, Tatto mostrou gráfico indicando que o número de atropelamentos nessas vias vem diminuindo: foram 8 atropelamentos em 2013; 6 entre 2013-2014; e 2 entre 2014-2015. "O sentido das medidas é permitir que as pessoas possam andar com segurança nas nossas ruas. Nessa linha, em breve vamos anunciar a redução de velocidade em mais 11 vias da cidade", disse. O secretário também adiantou que estão nos planos outro tipo de sinalização mais específica ao pedestre.
O prefeito Fernando Haddad, presente à coletiva, declarou que a redução da velocidade trouxe resultados não só na diminuição do número de acidentes, mas também dos índices de lentidão nos horários de pico nas duas vias. "Ao melhorar a fluidez, também temos uma redução nos acidentes", defendeu. E lembrou de Paris que, a exemplo do que vem acontecendo em outras cidades do mundo, há um mês divulgou uma redução de 15% dos acidentes e aumento de 18% na fluidez do trânsito, após a adoção de medidas semelhantes. "Pois em São Paulo tivemos neste primeiro mês da redução um resultado muito superior, o dobro!", ressaltou.
Ele observou porém que não é possível comemorar nada ainda numa cidade que tem índice de 3 a 4 mortes por acidentes de trânsito por dia. "É inaceitável", enfatizou. E completou dizendo que além da redução dos carros, o plano da gestão é prosseguir adotando outras estratégias para "acalmar" o trânsito, como a implantação de lombadas nas alças de acesso das vias rápidas e o alargamento das calçadas (divulgado na imprensa hoje) onde a demanda de pedestres for maior do que o que comporta a via; caso da rua Vergueiro, Ladeira Porto Geral, entre outras, exemplificou.

Acidente na ciclovia
Fernando Haddad não quis se posicionar sobre as medidas que serão tomadas após o acidente que vitimou um idoso na ciclovia do Minhocão anteontem, e afirmou que a Prefeitura vai aguardar o resultado do inquérito. "Vamos acompanhar o inquérito para ver o que de fato aconteceu". Também o secretário Jilmar Tatto não se pronunciou, mas classificou o acidente como uma "tragédia, uma fatalidade" e disse que, se for preciso, poderão ser feitos ajustes no projeto, como melhoria na sinalização e outras.
Fonte - Mobilize  20/08/2015

Trensurb tem novo diretor de operações

Transportes sobre trilhos

A posse de Roberto Damiani Mondadori foi realizada nesta manhã pelo diretor-presidente da Trensurb Humberto Kasper.Com experiência de mais 30 anos, Damiani ingressou na Trensurb em 1984, como analista técnico e passou por diversos cargos quando, em 2001, se tornou Chefe do Setor de Manutenção Leve.

Trensurb
foto -  Felipe Figueiró, da Trensurb 
Na manhã desta quarta-feira (19), o diretor-presidente da Trensurb, Humberto Kasper, empossou o novo diretor de Operações, Roberto Damiani Mondadori. Damiani é formado em Engenharia Mecânica pela PUC-RS e pós-graduado em Engenharia de Segurança pela UFRGS. Ele tem em seu currículo, também, dois cursos de Especialização em Manutenção de Trens Unidade Elétrica no Japão, um em 1992 e o outro, em 1999.
Com experiência de mais 30 anos, Damiani ingressou na Trensurb em 1984, como analista técnico e passou por diversos cargos quando, em 2001, se tornou Chefe do Setor de Manutenção Leve. Sete anos depois foi promovido a Gerente de Sistemas e, no seu último ano, em 2014, atuou como Engenheiro Mecânico - Analista Técnico, vindo se aposentar um ano depois, em abril de 2015.
No ato de posse Damiani disse que “primeiramente, é necessário tomar conhecimento das demandas de cada área operacional, juntamente com o Belloli e, posteriormente, fazer a análise com cada gerência e o diretor-presidente”. “Darei continuidade aos projetos bem sucedidos e porventura criar propostas que irão qualificar a estatal”, concluiu.
Mondadori substitui Carlos Augusto Belloli de Almeida que atuou nesta diretoria desde dezembro de 2013. Belolli também já atuou em diversas áreas da empresa, no setor de segurança metroviária, na assessoria e chefia de Gabinete da Presidência e, atualmente, também, é autoridade responsável pelo SIC, Serviço de Informações ao Cidadão.
Fonte - Trensurb  19/08/2015

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Agência japonesa lança nanossatélite de estudantes brasileiros

Ciência e Tecnologia

O nanossatélite foi lançado pela agência espacial Japonesa.O satélite de pequeno porte está a bordo da cápsula japonesa HTV5, que leva também suprimentos e materiais de pesquisa para o laboratório espacial.

Maiana Diniz 
Repórter da Agência Brasil
Agência Espacial Japonesa/ Divulgação
O primeiro nanossatélite do Sistema Espacial para Pesquisas com Nanossatélites, da Agência Espacial Brasileira, em parceria com universidades, foi lançado hoje (19) pela agência japonesa, às 8h50, e está a caminho da Estação Espacial Internacional, em órbita a uma distância de 330 a 430 quilômetros da Terra.
O satélite de pequeno porte está a bordo da cápsula japonesa HTV5, que leva também suprimentos e materiais de pesquisa para o laboratório espacial. A previsão é que a cápsula seja acoplada à estação na próxima segunda-feira (24), quando as duas estiverem com as órbitas ajustadas.
O nanossatélite estará em órbita da Terra no final de setembro ou início de outubro. O estudante de engenharia aeroespacial da Universidade de Brasília (UnB) Brenno Popov, um dos jovens que ajudaram a criar e a montar o artefato, disse que o desafio é provar a capacidade dos pequenos satélites na transmissão de dados.
O objetivo é que o pequeno satélite seja capaz de receber e devolver mensagens que podem ser baixadas de qualquer lugar do planeta. “Após 30 minutos do lançamento no espaço, o sistema será ligado, e as antenas, liberadas, deixando o satélite pronto para receber comunicações da Terra”, explica Popov.
A agência brasileira investiu R$ 800 mil no nanossatélite. “Como é um satélite universitário, que os estudantes ajudaram a desenvolver, não há certeza de que vai funcionar. Mas, por ser uma plataforma barata, de fácil manuseio, se der problema, a perda é pequena”, explicou o estududante.
Além de alunos dos cursos de engenharia aeroespacial e de engenharia elétrica da UnB, participaram do projeto estudantes das universidades federais de Santa Catarina, do ABC, de Minas Gerais e do Instituto Federal Fluminense e das universidades de Vigo, na Espanha, Morehead State California e State Polytechnic, nos Estados Unidos, e Sapienza Università di Roma, na Itália.
Fonte - Agência Brasil  19/08/2015

Prorrogado prazo do envio de contribuições para modelo de gestão de segurança ferroviária

Ferrovias

Objetivo da ANTT é apresentar um estudo de cooperação técnica que reúna propostas que resultem na diminuição do número de acidentes e incidentes ferroviários

Patrícia Pinheiro - Ag.CNT*
foto - ilustração
O prazo do envio das contribuições referentes à Tomada de Subsídio nº 005/2015 para a ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) foi prorrogado para as 18 horas do dia 14 de setembro de 2015. O objetivo da ANTT é apresentar o estudo sobre modelo de gestão de segurança ferroviária, resultante do acordo de cooperação técnica entre a ANTT e a EPL (Empresa de Planejamento e Logística).
O estudo reúne propostas visando diminuir o número de acidentes e incidentes ferroviários, além de definir as responsabilidades dos agentes envolvidos na operação ferroviária e os processos que permitam melhora da segurança ferroviária e harmonização da estrutura regulatória.
O modelo de gestão de segurança proposto poderá ser aplicado tanto às atuais concessões ferroviárias como às novas ferrovias incluídas no (PIL) Programa de Investimentos em Logística, lançado pelo governo federal em junho de 2015, independente do modelo de exploração ser vertical ou horizontal.
Sugestões deverão ser encaminhadas por meio de formulário eletrônico disponível no site da Agência, para o e-mail parats005_2015@antt.gov.br, ou por via postal para o endereço do edifício-sede da ANTT: Superintendência de Infraestrutura e Serviços de Transporte Ferroviário de Cargas (Sufer) - SCES Trecho 3, Polo 8, Lote 10, Projeto Orla, Bloco A - 1° andar, Brasília-DF.
Com informações da ANTT*
Fonte - Agência CNT de Notícias  19/08/2015

Teori nega pedido de Eduardo Cunha para tirar ação da Lava-Jato de Moro

Política

A defesa de Cunha alegava que o juiz Sérgio Moro, que conduz a Lava-Jato na 13ª Vara Criminal de Curitiba, "usurpou a competência do Supremo" ao colher depoimento em que o deputado, que possui foro privilegiado, é citado. 

Agência Estado  - DP
foto - ilustração
O ministro Teori Zavascki, relator da Operação Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), rejeitou o pedido do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), para retirar da Justiça Federal do Paraná a ação em que o deputado é citado. Em depoimento no curso do processo, o lobista Júlio Camargo relatou pagamento de US$ 5 milhões ao peemedebista.
A defesa de Cunha alegava que o juiz Sérgio Moro, que conduz a Lava-Jato na 13ª Vara Criminal de Curitiba, "usurpou a competência do Supremo" ao colher depoimento em que o deputado, que possui foro privilegiado, é citado. Os advogados do presidente da Câmara tentavam, com a ação, anular todos os atos relativos a Cunha no processo do Paraná, como o depoimento de Camargo.
Em resposta à reclamação de Cunha, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, alegou que foi "absolutamente correto todo o procedimento de colheita de provas realizado" e chamou de "ilação" a acusação feita pelo peemedebista de que o depoimento de Camargo tem por objetivo afastá-lo da presidência da Câmara. "Absolutamente improcedente a ilação de que haveria 'interesse' do procurador-geral da República em 'conseguir' depoimentos que sustentem uma tese de influência indevida do reclamante nas investigações, a fim de instruir um absurdo pedido de afastamento do reclamante da presidência da Câmara dos Deputados", disse Janot ao STF, ao rebater a acusação de Cunha.
Ao analisar o caso, Zavascki negou o seguimento da reclamação proposta por Cunha com base na citação de Camargo ao seu nome. Com isso, a ação conduzida por Moro não terá nenhum ato anulado. A expectativa é que Janot ofereça uma denúncia - acusação formal - contra Cunha até amanhã ao STF.
Fonte - Diário de Pernambuco  19/08/2015

Produção de petróleo e gás natural da Petrobras cresce em julho

Economia

No pré-sal, companhia bate novos recordes diário e mensal na extração de petróleo.Em junho, a produção da companhia foi de 2,746 milhões de boed. A produção é 3,6% superior à registrada em julho de 2014 (2,699 milhões de boed). Em 8 de julho, foi atingido o recorde de produção de petróleo diária operada pela Petrobras no pré-sal: 865 mil barris por dia (bpd). 

Revista Amazônia

A produção média de petróleo e gás natural da Petrobras cresceu 1,8% em julho na comparação com o mês anterior e atingiu 2,796 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boed). Em junho, a produção da companhia foi de 2,746 milhões de boed. A produção é 3,6% superior à registrada em julho de 2014 (2,699 milhões de boed). Em 8 de julho, foi atingido o recorde de produção de petróleo diária operada pela Petrobras no pré-sal: 865 mil barris por dia (bpd). Essa produção não inclui a extração de gás natural. A produção mensal foi de 798 mil bpd, 6,9% acima do recorde histórico obtido no mês de junho.

Produção de petróleo e gás no Brasil
A produção total de petróleo e gás natural da Petrobras no Brasil foi de 2,611 milhões de boed, 2,3% superior ao mês anterior (2,553 milhões de boed).
A produção exclusiva de petróleo (sem contabilizar o gás natural) foi de 2,142 milhões de barris (bpd), 2,6% acima dos 2,088 milhões bpd produzidos em junho. O crescimento reflete a entrada em produção de novos poços nas plataformas P-58, no Parque das Baleias, e P-62, no campo de Roncador, ambas na Bacia de Campos; e no FPSO Cidade de Mangaratiba, ancorado na área de Iracema Sul, no pré-sal da Bacia de Santos. FPSO é a sigla em inglês para unidade flutuante de produção, armazenamento e transferência de petróleo.
Cabe registrar que, como divulgado ao mercado e à imprensa em 31 de julho, o FPSO Cidade de Itaguaí começou a produzir na área de Iracema Norte, localizada no campo de Lula, no pré-sal da Bacia de Santos. Essa nova unidade tem capacidade para processar diariamente 150 mil barris de petróleo e 8 milhões de m³ de gás.
A produção de gás natural no Brasil, excluído o volume liquefeito, foi de 74,524 milhões m³/dia, 0,9% acima do total produzido em junho (73,886 milhões de m³/dia).

Produção de petróleo e gás no exterior
No exterior, foram produzidos 184,6 mil barris de óleo equivalente, 4,2% abaixo dos 192,7 mil boed produzidos em junho, devido, principalmente, à parada programada da plataforma do Campo de Saint Malo, no Golfo do México norte-americano.
A produção de petróleo foi de 95,9 mil barris por dia, 5,9% inferior aos 101,9 mil bpd produzidos em junho e a produção média de gás natural foi de 15,1 milhões m³/dia, 2% abaixo da produção do mês anterior, que foi de 15,4 milhões m³/dia.
Fonte - Revista Amazônia  19/08/2015

Senado aprova a inclusão do transporte entre direitos constitucionais em primeiro turno

Transportes

Proposta de Emenda à Constituição ainda precisa ser aprovada em segundo turno.Caso a proposta avance, o transporte passará a fazer parte do artigo 6º da Constituição

Luiz Renato Orphão*
foto - ilustração
Em primeiro turno, Senado aprova a inclusão do transporte entre direitos constitucionais
O caminho para o transporte se tornar um direito constitucional de todo o brasileiro está mais curto. Na noite dessa terça-feira (18), o Plenário do Senado aprovou, em primeiro turno, a PEC 74/2013. A Proposta de Emenda à Constituição ainda precisa passar por mais uma votação.
Caso a proposta avance, o transporte passará a fazer parte do artigo 6º da Constituição, ao lado da educação, saúde, alimentação, trabalho, moradia, lazer, segurança, previdência social, proteção à maternidade e à infância e assistência aos desamparados como um direito social garantido a todos os brasileiros.
A reivindicação ganhou força após as manifestações de julho de 2013. Desse modo, o governo deve se comprometer mais com políticas públicas que estimulem o uso do transporte coletivo e aumento dos investimentos em mobilidade urbana.
Com informações da Agência Senado*
Fonte - Agência CNT de Notícias  19/08/2015

terça-feira, 18 de agosto de 2015

Atrasos em obras do metrô de SP deixa 31 trens novos parados

Transportes sobre trilhos

Atrasos em obras do Metrô e na implantação de sistema de sinalização e controle operacional, CBTC, impedem a operação comercial dos novos trens.Na Linha 5-Lilás,quinze composições estão no pátio em Capão Redondo.O novo sistema de sinalização e controle operacional reduziria o intervalo de tempo e a distância entre os trens,possibilitando o atendimento da demanda no horário de pico com maior numero de composições.

R7*
foto - ilustração/usuariosmetrosp
O atraso do governo estadual para concluir obras de duas linhas de Metrô e para instalar o novo sistema de controle de trens que reduziria o intervalo entre eles tem mantido parados 31 novas composições da empresa. Na Linha 5-Lilás, quinze estão no Pátio Capão Redondo, na zona sul de São Paulo — uma já foi pichada.
Todos os 31 trens paralisados têm a tecnologia CBTC (sigla em inglês para Controle de Trens Baseado em Comunicação). O sistema é importante para reduzir o intervalo entre as composições e, assim, diminuir a superlotação.
Na linha 5-Lilás, o primeiro trem está pronto para ser usado desde outubro de 2013. Mas ele só deve entrar em operação em dezembro, com a garantia de fábrica de dois anos vencida. Outras quatro composições circularão com tempo menor de garantia. O problema é que os trens adquiridos são mais modernos do que os trilhos, que não estão preparados para operar com o sistema CTBC.
A incompatibilidade impede, por exemplo, o uso imediato das composições no trecho entre Capão Redondo e Adolfo Pinheiro, da Linha 5-Lilás, o que traria mais conforto aos usuários. O CBTC é um sistema em que os trens são comandados por computador. Os sistemas sabem onde estão cada um dos trens da linha e qual a velocidade que eles estão desenvolvendo. Assim, é possível reduzir a distância entre cada composição — e aumentar a quantidade de trens na linha.
O sistema atual, analógico, chamado ATO, controla a distância entre os trens dividindo a linha em vários setores. Quando um trem está em um setor, não é possível que outro trem entre, garantindo a distância segura entre eles, mas reduzindo a quantidade de composições que podem rodar simultaneamente em uma linha. Ao todo, o Metrô comprou para a Linha 5-Lilás 26 composições modernas — com o CTBC — por R$ 615 milhões.
Já no monotrilho da Linha 15-Prata são mais 16 trens sem uso no pátio da Estação Oratório. Ali, o problema principal é o atraso das obras de engenharia. Prevista para ser entregue em 2014, a linhas começou a operar na semana passada, interligando a Vila Prudente ao Oratório, na zona leste. Ainda não há data para a conclusão da linha.
Na Linha 5-Lilás, a entrega das obras de extensão foi adiada quatro vezes - ela estava prevista para este ano. Em março, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) prometeu a conclusão dela em 2017.
Segundo o Metrô, atrasos da Bombardier, empresa responsável pela modernização da via, barram o uso dos novos trens. O prazo para conclusão era novembro de 2014. A Bombardier informou, por nota, que negocia dezembro deste ano como nova data de entrega.
Para especialistas, os trens parados têm "custo social", já que o governo pagou para que eles fossem usados na operação comercial. Os engenheiros afirmam que, sem o sistema CBTC, os trens não podem ser testados na integralidade. O Metrô nega e diz que os equipamentos passam por todos os testes.

Social
"O prejuízo maior é o social, de investir e não ter o retorno da funcionalidade. Se vai colocar um dinheiro desse montante, é esperado um retorno. Esse valor poderia estar rendendo em outra coisa e agora está deteriorando", disse o mestre em Transportes pela Universidade de São Paulo (USP), Sérgio Ejzenberg.
*Com informações do jornal O Estado de S. Paulo.
Fonte - R7.com  18/08/2015