sábado, 6 de junho de 2015

Av. Paralela terá ciclovia e pista para caminhadas ao lado da linha 2 do Metrô

Mobilidade

Ciclovias, pistas para caminhadas e corridas,projeto urbanístico com preservação do verde e das lagoas do canteiro central da Av. Paralela

Da Redação

Já imaginou percorrer a Avenida Paralela de bicicleta ou a pé com segurança e conforto? Com as obras da Linha 2 do Metrô isso será possível!
Conheça como será o projeto urbanístico que pretende promover a integração e o acesso das diversas comunidades da região implantando uma pista de corrida e uma ciclovia ao longo da via. E para quem quiser se deslocar da Paralela a outro ponto, poderá deixar sua bike nos bicicletários disponíveis nas estações do metrô, assim como já existe na Linha 1, no Retiro e Acesso Norte.
Com informações da Sedur Ba. via Facebook 06/06/2015

Novos modais de transporte: alternativas para diminuir impactos no meio ambiente

Sustentabilidade

Como viveremos em 2040? O que deixaremos para as gerações futuras? Questões como essas, geram naturalmente uma certa ansiedade ao pensamos nas possíveis respostas. Por isso, é importante encontrarmos alternativas para vivermos respeitando o meio ambiente

Log-in/loginlogistica.com

Todos os dias nós acessamos inúmeras informações sobre a situação do nosso planeta: escassez de água, alterações climáticas - secas prolongadas, inundações, tornados -, desmatamento de florestas e alto índice de emissão de dióxido de carbono (CO2). Neste cenário, cada vez mais se faz necessário refletirmos sobre os impactos das nossas atividades no meio ambiente. Na Semana Mundial do Meio Ambiente (de 01 a 05 de junho), convidamos a todos a refletir sobre um importante tema: as emissões de dióxido de carbono.
Segundo o Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC) o CO2 é o principal gás de efeito estufa, responsável pelo desequilíbrio do clima e que acentua os efeitos de eventos climáticos. Em nosso cotidiano realizamos diferentes tarefas e, na maioria delas, emitimos CO2: no deslocamento ao trabalho, em viagens e no consumo de gás e de energia elétrica. As empresas também emitem um alto índice de CO2 nas suas atividades, tanto na produção quanto no deslocamento dos seus produtos e entrada de matérias primas.
Mas o que fazer para diminuir esse impacto? Além das ações de conscientização, as empresas podem optar por diferentes meios para transportar seus produtos, contabilizando as vantagens humano socioambientais de cada uma delas. Hoje no Brasil, existem cinco tipos de modais de transporte:
- Ferroviário: transportador de longo curso e de baixa velocidade. Muito utilizado no transporte de matérias-primas e produtos manufaturados de baixo custo.
- Rodoviário: trata-se do modal mais utilizado em rotas curtas de produtos acabados ou semiacabados.
- Aeroviário: é o modal mais indicado para o transporte de mercadorias de alto valor e pouco peso/volume (tendências e-commerce, amostras e mercadorias urgentes).
- Dutoviário: consiste no transporte de granéis, por gravidade ou pressão mecânica, por meio de dutos e cilindros.
- Aquaviário: envolve todos os tipos de transporte efetuados sobre as águas. (Fonte - http://www.administradores.com.br/)
Desde 2009, a Mercur estabeleceu como uma das suas metas ser uma empresa carbono neutro em cinco anos. Para isso, adotou diversas medidas de ampliação da consciência, por meio da educação, redução de viagens e uso de transportes alternativos. No site da Mercur é possível acessar essas informações:http://www.mercur.com.br/institucional/#!/responsabilidades
A empresa adota, sempre que possível, o transporte multimodal, ou seja, são utilizados mais de um tipo de modal para transportar mercadorias/produtos até o seu destino final, como: caminhões, navios, aviões ou outro tipo de transporte necessário para a entrega.
Uma modalidade muito utilizada é a Cabotagem que é a navegação entre portos do mesmo país utilizando as vias marítimas. São inúmeras as vantagens desse módulo, uma delas é que esse tipo de transporte chega a consumir oito vezes menos combustível para mover a mesma quantidade de carga que outros modais.
Optando por essa prática, a Mercur deixou de emitir 170,98 toneladas de CO2, em 2014, o que evitou o plantio de 1.080 árvores, representando uma redução de 6% nas emissões totais. Sendo que para 2015 a empresa pretende aumentar em 50% as emissões evitadas por meio da utilização de modais alternativos, tanto para distribuição de produtos quanto para entrada de matéria prima.
“Queremos que mais empresas enxerguem a importância da Cabotagem e a contribuição que a mesma possibilita ao meio ambiente. Além da diminuição do CO2, enxergamos possibilidades de parcerias. Uma delas seria o transporte combinado, muitas organizações possuem em comum os mesmos clientes. Por que não unir essas empresas e apostar na ideia de consolidação de cargas para um mesmo destino via Cabotagem? Assim estaríamos diminuindo a emissão de dióxido de carbono e impactando diretamente no meio ambiente e na qualidade de vida das pessoas”, Sonia Tatsch, gestora de Logística da Mercur.
Vantagens CabotagemA navegação de Cabotagem é aquela que ocorre no mar, na nossa costa marítima, ligando apenas portos nacionais.
A Cabotagem contribui para um crescimento econômico mais eficiente e racional, com redução da quantidade de caminhões nas estradas e no número de acidentes, mortes e custos relacionados.
O índice de avarias nas cargas transportadas pela Cabotagem é muito pequeno em comparação aos danos causados pelos outros modais. A Cabotagem apresenta também um índice de roubos de cargas muito baixo.
O Brasil tem mais de 8.500km de costa navegável e, incluindo o Rio Amazonas, este número sobe para 10.000km, proporcionando um maior alcance de entregas.
Outra vantagem neste aspecto é a racionalidade na aplicação dos recursos públicos (manutenção de estradas e custos como acidentes de trânsito).
Fonte - Revista Amazônia  05/06/2015

Petrobras apresenta,programa que reduziu queima de gás em 60% nos últimos 6 anos,em conferência mundial

Energia

O Programa implementado pela empresa de Otimização do Aproveitamento de Gás da Petrobras (POAG), com recorde de aproveitamento de gás de 96,5% alcançado em fevereiro deste ano,em andamento desde 2010 nas unidades de operações da área de Exploração e Produção da região Sul-Sudeste, contribuiu decisivamente para o recorde.

RA

O Brasil é atualmente um dos países que melhor aproveita sua produção de gás natural. Com a expressiva redução da queima de gás em plataformas, a Petrobras atingiu em fevereiro de 2015 a marca histórica de utilização de 96,5% de gás nas atividades de exploração e produção, considerando a produção total nos campos operados pela companhia. O Programa de Otimização do Aproveitamento de Gás da Petrobras (POAG), em andamento desde 2010 nas unidades de operações da área de Exploração e Produção da região Sul-Sudeste, contribuiu decisivamente para o recorde. A iniciativa foi tema da palestra “A redução da queima de gás na Petrobras” (Reduction of Petrobras’ gas flaring), apresentada pelo coordenador do Programa, Vitor Souza Lima, nesta sexta-feira (5/6), na Conferência Mundial de Gás (World Gas Conference – WGC 2015) em Paris, na França.
A estimativa com essa redução na queima é de que até o final de 2015 a Petrobras tenha conseguido evitar a emissão de quase 23 milhões de toneladas de CO2 para a atmosfera. “O objetivo do programa é aumentar o aproveitamento de gás natural nas atividades de Exploração e Produção da Petrobras. Como consequência, temos uma expressiva redução das emissões, além de uma maior oferta de gás ao mercado. Antes do início do POAG, metade das emissões de gases do efeito estufa era oriunda da queima de gás em tocha em nossas atividades de produção. Atualmente este número caiu para um sexto”, explica Vitor Souza Lima, com base em dados da área de Segurança, Meio Ambiente e Saúde.

Entenda a queima de gás
A queima de gás natural é inerente ao processo de produção na indústria do petróleo e ocorre por uma série de razões: segurança, emergência, anormalidades operacionais, manutenções programadas e no início de operação de novas plataformas (comissionamento).

Sobre a WGC
A Conferência Mundial de Gás (World Gas Conference – WGC) é o maior evento sobre gás natural do planeta. A conferência, que acontece a cada três anos, reúne os principais especialistas no setor de gás. A edição deste ano, de 1o a 5 de junho, em Paris, conta com representantes de 100 países. A Petrobras participa do evento com a apresentação de três trabalhos técnicos e participação em cinco painéis.
Fonte - Revista Amazônia  06/06/2015

As razões profundas da guerra movida contra o Brasil

Política

Se o vitorioso modelo chinês fosse implantado no Brasil, uma democracia de modelo ocidental, uniríamos o que há de melhor na economia e na política.

Ion de Andrade 
Carta Maior

A compra da Delta de Eduardo Cavendish pela Essentium espanhola por 450 milhões de reais encerra, no plano das consequências que gerou, uma primeira grande­ fase da Operação Lava Jato e permite enxergar o cenário do que produziu em sua totalidade.
Não vamos tecer, neste artigo, comentários sobre as intenções do Dr. Moro e do Ministério Público que atuam em equipe, mas dos resultados e significados, não no combate à corrupção, que já premiou o referido magistrado como personalidade do ano pela Rede Globo, mas nos resultados referentes à geopolítica atual considerando o Petróleo como bem estratégico, a mudança do eixo de poder mundial com os Brics e os desdobramentos para o futuro do Brasil que são extraordinários e estão em risco.
Metodologicamente tentaremos enxergar nos resultados produzidos pela Operação Lava Jato, decorrentes dos seus controvertidos métodos que emprestaram significado político à Operação, a oportunidade para a atuação de forças contrárias ao Brasil a que denominaremos de Direita.

Senão, vejamos.
Durante um certo tempo muitos de nós acreditávamos que a Operação Lava Jato pretendia a derrubada do governo Dilma.
Após todos esses meses podemos concluir que a intenção que enxergávamos nunca foi essa. A Direita visou produzir como efeito colateral da Operação a desmoralização do governo. Buscou retirar-lhe a altivez e a desenvoltura, com o fito de torná-lo tímido e incapaz de levar adiante a sua missão estratégica, que diz respeito não somente ao Brasil mas também à construção da unidade latino-americana e a de sustentação de uma nova ordem internacional. Desnecessitando do golpe paraguaio produziu uma muito mais vantajosa mexicanização do governo. O governo sucumbiu tornando-se fraco e sem tônus.
A tentativa de golpe paraguaio poderia ter produzido efeito oposto fazendo emergir um governo mais forte e depurado, a derrubada do governo poderia dar lugar a um protagonismo militar que tampouco interessaria a essa direita ligada aos gringos. Seria uma preocupação nova no velho quintal... O medo do golpe, sim, foi usado, como mais um fator para instabilizar a política com o fantasma da derrocada da democracia.
Assim em primeiro lugar a Direita produziu um governo passivo perante a cena estratégica interna e externa, castrado quimicamente. Não o golpe paraguaio, mas a mexicanização do governo.
O outro alvo da direita tocou especificamente à questão estratégica do Petróleo. O objetivo aí só foi atingido parcialmente. O propósito era desmoralizar a Petrobrás ao ponto de torná-la alvo fácil ao desmembramento e à privatização, que chegaram a ser propostos, e de, numa mesma tacada, levar à falência as empresas nacionais pesadas detentoras de tecnologia, organização e experiência internacional, elementos cruciais para o exercício pleno da soberania de qualquer país.
A compra da Delta pela Essentium faz parte do lado negro desse cenário de desdentar o Brasil para os enfrentamentos estratégicos.
Se vierem os acordos de leniência e se as demais empresas resistirem os resultados terão sido minimizados. A Petrobrás ao que parece conseguiu emergir desse mar de sangue.
Então em segundo lugar, além de um governo fraco a Direita visou também produzir um país fraco, débil, incapaz economicamente de ficar de pé e despido de autonomia no setor do Petróleo, que começa a construir um Brasil novo.
O terceiro elemento tocou ao uso político pela Direita das prisões sistemáticas de empresários e políticos de forma explícita e sob humilhação pública, com ênfase para grandes empresários nacionais e personalidades nacionais do PT. Vejam bem, o que representam esses dois polos aparentemente distantes?
Vou explicar: o maior receio dos nossos irmãos do norte e da Direita que os representa aqui é que o Brasil se converta numa nova China. E o que é a China? Um país onde as grandes empresas prosperam e crescem por meio de vultosas e gigantescas encomendas estatais. O PAC é o primeiro ensaio desse modelo. Coincidentemente as empresas da Lava Jato são precisamente aquelas que poderiam permitir ao Brasil, de forma autônoma, alcançar dinâmica produtiva similar à da China.

Mas o Brasil não é a China.
Se esse modelo vitorioso pudesse ser implantado no Brasil isto estaria ocorrendo numa democracia de modelo ocidental. Estaríamos unindo o melhor do modelo asiático no plano econômico com o melhor do ocidente no plano político, orientando-nos aliás rumo a um Estado Social.
O terceiro elemento, portanto, é o de impedir ao Brasil o futuro extraordinário que ainda está em nossas mãos e que teria, caso se implantasse, gigantesco poder de influência no hemisfério ocidental e capacidade imensa de converter o nosso frágil Estado Social noutro muito mais pujante e comparável aos das mais avançadas democracia sociais da Europa em relativamente curto espaço de tempo.
Finalmente o quarto elemento é a emergência dos Brics que mudam a geografia política e econômica do planeta.
O Banco dos Brics é ameaça real às instituições de Bretton Woods, com ele inicia-se um novo ciclo econômico de caráter mundial e, pela primeira vez, para além da influência ocidental.
Enxergamos agora o que os nossos inimigos querem para nós: um governo fraco, um país anêmico e desdentado, uma economia caótica e desordenada onde o Estado e o grande empresariado não dialogam e não conseguem desenvolver sinergia para o desenvolvimento exponencial que pressentimos como possível e finalmente a quebra dos Brics pela perda do Brasil.
É bom termos muita clareza disso tudo. É mostrando isso aos brasileiros que os entreguistas serão derrotados nas eleições que se aproximam.
Fonte - Carta Maior  05/06/2015

CBTU apresenta linha para interligar VLT e aeroporto em Natal

Transportes sobre trilhos

CBTU apresentou projeto ao governador Robinson Faria nesta sexta (5). Aeroporto Aluízio Alves receberá linha férrea de 17 quilômetros.

G1

A Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) apresentou nesta sexta-feira (5) uma proposta para implantar uma linha férrea para interligar o sistema do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) ao Aeroporto Internacional Aluízio Alves, em São Gonçalo do Amarante, na Grande Natal.
O projeto da linha férrea de 17 quilômetros foi incorporado ao Plano Plurianual 2016-2019 da CBTU. O objetivo agora, segundo a companhia, é incluir a proposta no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 3).
A linha está orçada em R$ 249,8 milhões e prevê a instalação de 10 novas estações e compra de cinco composições de VLT, cada uma com três carros. O projeto de modernização do sistema já em curso contempla 12 composições, das quais três já foram entregues e estão em funcionamento.

Projeto
O projeto de expansão, além do tramo norte, que vai de Extremoz a São Gonçalo do Amarante, prevê um linha estimada em 23 km integrando o Aeroporto Aluízio Alves à Macaíba e seguindo até a BR 101, em Parnamirim. Este outro trecho, chamado de tramo sul da linha roxa, não tem ainda o estudo de viabilidade.
Também dentro do projeto completo de expansão, está prevista a criação de um anel em Natal, com a implementação de mais duas linhas levando o VLT até o campus da Universidade do Rio Grande do Norte.
Fonte - São Paulo Trem Jeito  05/06/2015

Hidrovias de Recife com dois ramais só devem ser entregues em 2017

Hidrovias

Hidrovia com dois ramais cortando o Recife só deve ocorrer em 2017, segundo o governo do estado. A obra estava prevista para 2014. 

Tania Passos - Mobilidade
 Foto – Paulo Paiva DP/D.A.Press
As obras do projeto de navegabilidade dos rios Capibaribe e Beberibe no trecho urbano do Recife serão retomadas no segundo semestre de 2015. O novo cronograma das obras prevê um ano e meio para conclusão. Ou seja início de 2017. De acordo com a Secretaria das Cidades, a retomada será possível após a aprovação dos projetos das estações pela Caixa Econômica Federal no início deste ano.
A Secid tem, no entanto, outro entrave: a relocação das palafitas de três comunidades que se encontram no trecho do ramal Oeste: Vila Brasil, Coelhos e Roque Santeiro. Esta, aliás, teria sido a principal razão para a interrupção da dragagem do rio por provocar instabilidade nas moradias.
De acordo com a Secid já foram dragados nove dos onze quilômetros do ramal Oeste. Segundo a secretária executiva de articulação, Ana Suassuna o próximo passo é remover as famílias. “Já existem soluções de habitações para as comunidades de Vila Brasil 1 e Coelhos. Ainda falta uma solução de auxílio-moradia para a comunidade de Roque Santeiro”, explicou a secretária.
A demora na análise dos projetos pela Caixa se deu, segundo ela, devido as alterações do local das estações. A estação do Derby que ficaria por trás do quartel da Polícia Militar foi transferida para as imediações do Memorial de Medicina. Já o galpão de manutenção previsto para ser instalado nas proximidades do metrô teve o projeto transferido para as imediações do Fórum Joana Bezerra. E a estação Recife ficará mais próxima da Ponte Velha (ferro).
Ao mesmo tempo que as obras serão retomadas, será lançado também o edital de concessão do serviço, que inclui também a compra das embarcações pela empresa que vencer a licitação. “No caso das embarcações chegarem antes da conclusão da estação Recife, nós poderemos entrar em operação com as que já estiverem concluídas”, pontuou.
O projeto prevê dois ramais: Oeste e Sul. A rota Oeste com 11 quilômetros de extensão no trecho entre a BR-101 e a estação central do metrô Recife. E terá cinco estações integradas ao sistema público de transporte por ônibus ou metrô. Já o ramal Norte com 2,9 km de extensão foi desenhado com duas estações. A estação Correios, na Rua do Sol, e estação Olinda, em frente ao Shopping Tacaruna. “No caso do ramal Norte, ainda não tivemos aprovação da Marinha para a estação Tacaruna”, revelou.
Fonte - Diário de Pernambuco  05/06/2015

sexta-feira, 5 de junho de 2015

Metrô de Salvador recebera 2 (dois) novos trens

Transportes sobre trilhos

Anunciado nesta quinta feira (4) pelo Governador Rui Costa a chegada de dois novos trens que irão fazer parte da frota do Metrô de Salvador.Os novos trens fabricados pela Hyundai Rotem partiram do porto de Masan na Coreia do Sul.

Da Redação
Foto - ilustração/Facebook
O governador Rui Costa anunciou em suas contas nas redes sociais nesta quinta-feria (4) o embarque de dois novos trens que irão operar no sistema Metroviário de Salvador.As composições com quatro (4) carros,com padrão semelhante as que já operam no sistema,foram embarcadas na Coreia do Sul no porto de Massan.Conforme informações divulgadas pelo Governador Rui Costa,as composições deverão chegar no dia 25 de julho ao Porto de Santos em SP,de onde seguirão para a fabrica Rotem em Araraquara SP para finalizar a montagem dos trens com equipamentos produzidos no Brasil.
As novas composições fazem parte de uma encomenda de 36 trens (136 carros) com configuração de quatro (4) carros cada um e capacidade para 1000 passageiros (250 p/carro),que juntos com os seis (6) já em operação no sistema em Salvador,totalizarão 40 trens com 160 carros no total.
Os trens são equipados com sistema de ar condicionado,iluminação total a Led e passagem livre entre os carros.
Pregopontocom  05/06/2015

Inscrições para o Enem terminam às 23h59 desta sexta-feira

Educação

As provas serão nos dias 24 e 25 de outubro em mais de 1,7 mil cidades. Até as 10h desta sexta-feira, 6,7 milhões de estudantes fizeram a inscrição. A expectativa do Ministério da Educação (MEC) é que o número supere 9 milhões. No ano passado, 8,7 milhões de estudantes se inscreveram.

Por Mariana Tokarnia
Agência Brasil

As inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) terminam hoje (5). Os interessados devem ficar atentos pois o prazo vai até as 23h59, no horário de Brasília, e o Ministério da Educação reiterou que não há expectativa de prorrogar o prazo. As inscrições devem ser feitas pela internet, no site do Enem.
As provas serão nos dias 24 e 25 de outubro em mais de 1,7 mil cidades. Até as 10h desta sexta-feira, 6,7 milhões de estudantes fizeram a inscrição. A expectativa do Ministério da Educação (MEC) é que o número supere 9 milhões. No ano passado, 8,7 milhões de estudantes se inscreveram.

O Enem foi criado para avaliar os alunos que estão concluindo o ensino médio ou que já o concluíram em anos anteriores. Não importa a idade nem o ano do término do curso. Estudantes que não terminarão o ensino médio este ano podem participar como treineiros, ou seja, o resultado não poderá ser usado para participar de programas de acesso ao ensino superior.
É na hora da inscrição que os participantes podem solicitar atendimento especializado ou específico. O atendimento especializado é oferecido a pessoas com baixa visão, cegueira, visão monocular, deficiência física, deficiência auditiva, surdez, deficiência intelectual, surdocegueira, dislexia, déficit de atenção, autismo, discalculia (alteração neurológica que dificulta a aprendizagem de números) ou com outra condição especial.
Já o atendimento específico é oferecido a gestantes, lactantes, idosos, estudantes em classe hospitalar e sabatistas – pessoas que, por convicção religiosa, guardam o sábado. Após fazer a inscrição, participantes transexuais e travestis podem pedir o uso do nome social, também pela internet, entre os dias 15 e 26 de junho.
Neste ano, para fazer a inscrição, o participante deverá ter um e-mail próprio. O sistema não aceitará a inscrição de mais de um participante com o mesmo endereço eletrônico. O exame custará R$ 63, que deverão ser pagos até o dia 10 de junho.
Para ajudar os candidatos a se prepararem para o Enem, a Empresa Brasil de Comunicação (EBC) preparou o aplicativo Questões Enem (http://www.ebc.com.br/educacao/questoesenem) que reúne todas as questões desde a edição de 2009. No sistema é possível escolher que áreas do conhecimento se quer estudar. O acesso é gratuito.
Fonte - EBC  05/06/2015

Justiça veta multa ao consórcio VLT Cuiaba

Transportes sobre trilhos

Na decisão do juiz Ciro José de Andrade, o Estado não imputar qualquer multa ou penalidade ao Consórcio até o dia 21 de junho. Segundo o juiz federal da 1ª Vara, Ciro José de Andrade Arapiraca, titular da ação que inicialmente foi julgada pela magistrada Vanessa Curti Perenha Gasques, em sua decisão o Estado não pode imputar multa ou qualquer outro tipo de penalidade ao Consórcio VLT Cuiabá até que se finde o prazo de 75 dias acordados ou haja nova decisão judicial.

Marcos Lemos - DC
André Romeu/DC
Uma decisão da Justiça Federal em favor do Consórcio VLT Cuiabá, tornou sem efeito, até o fim do prazo ajustado na Conciliação entre o referido consórcio e o Governo do Estado de Mato Grosso em conjunto com os Ministérios Públicos, Federal e Estadual.
Segundo o juiz federal da 1ª Vara, Ciro José de Andrade Arapiraca, titular da ação que inicialmente foi julgada pela magistrada Vanessa Curti Perenha Gasques, em sua decisão o Estado não pode imputar multa ou qualquer outro tipo de penalidade ao Consórcio VLT Cuiabá até que se finde o prazo de 75 dias acordados ou haja nova decisão judicial.
O prazo de 75 dias vence em 21 de junho próximo.
Em seu despacho o magistrado decide que: Pelo exposto, Defiro integralmente o pedido formulado pelo Consórcio VLT Cuiabá – Várzea Grande, declarando a ineficácia absoluta de todos os atos praticados no processo administrativo sancionatório instaurado pelo Estado de Mato Grosso (Secretaria das Cidades), consoante notificação, sobrestando, inclusive, o prazo designado para apresentação de defesa prévia, até que se finde o prazo de suspensão acordado entre as partes e deferido pelo Juízo, ou até que reste evidenciado pela manifestação das partes que as negociações estão encerradas e que não há mais espaço para composição.
A Secretaria de Cidades – Secid, com base em relatório da Controladoria Geral do Estado – CGE, apontou para uma série de irregularidades e multou o Consórcio VLT Cuiabá em R$ 148 milhões sob alegação de descumprimento de prazos, mas não reconhece que tem pendências financeiras com o referido consórcio e nem adotou uma série de medidas como desapropriações, correção de valores contratuais como estabelecidos em lei entre outras pendências que sempre fizeram parte da relação entre as empreiteiras do Consórcio VLT Cuiabá, a CR Almeida, Santa Barbara, CAF, Astep e Magna e o Estado de Mato Grosso.
Inicialmente orçada em R$ 1,477 bilhão, mas com data final de conclusão para 2014, o que não foi possível por causa de protelações judiciais, econômicas, financeiras, de desapropriações, as obras dos 23 km do VLT em dois ramais que interligam Cuiabá no Grande CPA até o Aeroporto Marechal Rondon em Várzea Grande e no segundo ramal entre a AV. da Prainha com a região do Coxipó da Ponte, estão em partes prontas, já que se preferiu adquirir vagões, componentes eletrônicos e material rodante, mas as obras físicas pararam por causa principalmente das quase 400 desapropriações que ainda precisam ser efetivadas.
Com a troca na administração do Governo do Estado, ficou o impasse, pois do total previsto R$ 1,066 bilhão já foram consumidos. O restante o Governo do Estado não sinaliza, apenas frisa não ter dinheiro e passou a acionar judicialmente o Consórcio VLT Cuiabá o que acabou resultado no acordo de conciliação que tem prazo final para este mês.
Além dos valores contratuais já previstos, o Consórcio VLT Cuiabá aponta para outros custos necessários, decorrentes de atualização financeira, de reajuste referente ao reequilíbrio econômico e financeiro e variação cambial decorrentes de compras em dólar.
Com a nova vitória do Consórcio VLT Cuiabá em cima do Governo do Estado, será necessário se aguardar o fim do prazo e o cumprimento de ambas as partes para se saber se haverá ou não uma finalização nas negociações para que as obras saiam do papel.
Fonte - Diário de Cuiabá  05/06/2015

VLT embarca rumo ao Porto do Rio nesta sexta-feira

Transportes sobre trilhos

Os sete módulos vão sair do Porto de Antuérpia, na Bélgica,A previsão é de que a composição, fabricada na França, chegue à cidade até o fim do mês.A composição levará até 420 passageiros

O Dia
foto - divulgação
Rio - O primeiro Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) que será instalado na Zona Portuária e no Centro sairá do Porto de Antuérpia, na Bélgica, amanhã, rumo ao Rio. A previsão é de que a composição, fabricada na França, chegue à cidade até o fim do mês.
Ao todo, serão 32 composições, quatro delas produzidas na França, e 28, na fábrica da Alstom em São Paulo. Cada composição tem 44 metros de comprimento por 2,65 metros de largura, com capacidade para 420 passageiros.
Os trens podem ser conduzidos nas duas direções e são compostos por 7 módulos articulados (vagões). O equipamento foi testado na fábrica e ainda passará por 30 rotinas de testes no Brasil. O VLT circulará por 28 quilômetros de trilhos e 32 paradas, levando 300 mil passageiros por dia.
Fonte - O Dia 04/06/2015

Viaduto Raul Seixas será interditado novamente para obras do metrô

Metrô de Salvador

O Viaduto Raul Seixas voltará a ser fechado na noite desta sexta-feira (5) a partir das 23h. A interdição permanece até as 5h de sábado (6) para a conclusão das obras do metrô de Salvador, realizada pelo consórcio CCR Metrô Bahia.

A Tarde
Da Redação
Marco Aurélio Martins/A Tarde
O Viaduto Raul Seixas, localizado na região do Iguatemi, voltará a ser fechado na noite desta sexta-feira, 5, a partir das 23h. A interdição permanece até as 5h de sábado, 6, para a conclusão das obras do metrô de Salvador, realizada pelo consórcio CCR Metrô Bahia.
Como alternativa, os motorista provenientes da avenida Luís Viana (Paralela) devem seguir sentido Rótula do Abacaxi para, em seguida, retornar pela avenida ACM. Outra opção é utilizar a orla da capital.
O viaduto já havia sido interditado na noite de quarta, 3, e foi reaberto ao tráfego de veículos por volta das 5h desta sexta. Entretanto, segundo informações da Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador), apenas uma faixa foi reaberta, o que causa lentidão ao trânsito do local.
A situação deve permanecer, pelo menos, durante a manhã.
Fonte - A Tarde  05/06/2015

quinta-feira, 4 de junho de 2015

Aeromóvel de Canoas (RS) começa a ser implantado

Transporte sobre trilhos

Anunciada ontem (2) a construção da segunda linha de aeromóvel do país. Serão 9 estações e cerca de 6 km de extensão. Licitação deve sair até o fim do ano.Inicialmente, os trabalhos compreendem a execução dos projetos executivos e a fiscalização das obras da primeira linha do transporte, ligando as estações Mathias Velho do Trensurb ao bairro Guajuviras.

Sul 21

Ordem para início da implantação da primeira linha de aeromóvel do município gaúcho foi assinada na manhã de terça-feira (2) pela Prefeitura de Canoas (RS). Numa primeira fase, o aeromóvel de Canoas terá 5,9 km e nove estações, informam as autoridades.
Inicialmente, os trabalhos compreendem a execução dos projetos executivos e a fiscalização das obras da primeira linha do transporte, ligando as estações Mathias Velho do Trensurb ao bairro Guajuviras. A licitação para as obras da Linha 1 – Guajuviras deve ser anunciada até o final do ano, informou a prefeitura.
O valor do contrato assinado com a Aeromovel Brasil é R$ 149,26 milhões. Os recursos garantidos pelo Ministério das Cidades serão de R$ 272 milhões, destinados às obras e aos projetos desse primeiro trecho. A contrapartida do município é de R$ 15 milhões, totalizando R$ 287 milhões.
No evento de assinatura, também foi anunciado que a sede da Aeromovel Brasil será transferida de São Leopoldo para Canoas.

Aeromóvel
Desenvolvido pelo Grupo Coester, de São Leopoldo (RS), o aeromóvel é um meio de transporte automatizado, em via elevada, que utiliza veículos leves, não motorizados, com estruturas de sustentação esbeltas. Sua propulsão é pneumática – o ar é soprado por ventiladores industriais de alta eficiência energética, por meio de um duto localizado dentro da via elevada. O vento empurra uma aleta (semelhante a uma vela de barco) fixada por uma haste ao veículo, que se movimenta sobre rodas de aço em trilhos.
A primeira linha de aeromóvel em operação comercial no país foi iniciada em 2013 em Porto Alegre, e liga a estação Aeroporto do Trensurb ao terminal do Aeroporto Internacional Salgado Filho.
Fonte - Mobilize  03/06/2015

quarta-feira, 3 de junho de 2015

Prefeitura libera alvará para construção da linha 2 do Metrô na Av. Paralela

Metrô de Salvador

Após um longo período de negociação entre Prefeitura e Governo do Estado sai o alvará de liberação para a obra da Linha 2 do Metrô na Av. Paralela.

Com informações
Da coluna Tempo presente de A Tarde
Foto - ilustração/Pregopontocom 
A Prefeitura de Salvador e Governo do estado da Bahia chegaram a um entendimento final sobre a construção da linha 2 do metrô (SSA/L.de Freitas), que terá a maior parte do seu trajeto pelo canteiro central da Av.Paralela,e o alvará com a autorização liberando a obra devera ser assinado nesta quarta-feira (3) pelo prefeito da cidade.
Foram feitos ajustes para minimizar possíveis transtornos durante e depois da obra.
O lado paisagístico foi amplamente discutido. A ideia é interferir o mínimo possível na paisagem do local buscando formas atenuantes que não comprometam as características atuais.Conforme acordo o governo do estado se comprometeu a construir na Av.Paralela dois viadutos e uma passagem subterrânea para retornos na via.
Pregopontocom  03/06/2015


Avanço das obras do metrô altera trânsito em Salvador

Transportes sobre trilhos

A via que dá acesso ao viaduto Raul Seixas, localizado em frente ao Shopping da Bahia, será interditada a partir das 23h desta quarta (3) até as 5h de sexta-feira (5). As intervenções integram as obras da Linha 2 do Sistema Metroviário Salvador-Lauro de Freitas.

Secom
Camila Souza/Gov.Ba
Para dar continuidade aos serviços de readequação do sistema de trânsito na região do Iguatemi, em Salvador, e possibilitar a implantação de estação metroviária, a via que dá acesso ao viaduto Raul Seixas, localizado em frente ao Shopping da Bahia, será interditada a partir das 23h desta quarta (3) até as 5h de sexta-feira (5). As intervenções integram as obras da Linha 2 do Sistema Metroviário Salvador-Lauro de Freitas.
No período, uma rampa será construída onde atualmente existe um canteiro. A intervenção vai permitir que, no futuro, os condutores que seguirem pela Avenida Tancredo Neves, em direção ao viaduto, possam cruzar das vias da direita para as da esquerda e, por fim, acessem o viaduto. Durante as 30 horas de interdição, quem seguir pela Avenida Tancredo Neves, em direção à Avenida ACM, terá que fazer o retorno mais à frente, na Rótula do Abacaxi.
De acordo com o diretor de obras da Companhia de Transportes do Estado da Bahia (CTB), Hernani Baltazar Júnior, foi escolhido o feriadão de Corpus Christi, quando o fluxo de veículo é menor na região, para realizar as intervenções com o menor impacto possível na rotina da cidade. “Esta data foi definida juntamente com a Transalvador. À medida em que a obra avance em direção à [avenida] Paralela, vamos ter este tipo de interferência”. Os esforços estão concentrados para que, em janeiro de 2016, as estações Acesso Norte/Linha 2, Detran e Rodoviária estejam à disposição dos usuários do metrô.

Camila Souza/Gov.Ba
Futuras modificações
Pontos de ônibus provisórios também estão sendo construídos na região para atender aos passageiros quando a estação de transbordo estiver em obras para abrigar salas técnicas e operacionais do metrô. Uma passarela provisória está sendo erguida ao lado da atual, que em breve será substituída por outra mais alta e mais larga.
A remoção da passarela é necessária porque uma das colunas está localizada em plena via, próximo da entrada da Rodoviária. A coluna será demolida para ampliar a avenida. A expectativa é que, no fim de junho, logo após os festejos de São João, as modificações provisórias, que incluem a passarela e novas paradas de ônibus, já estejam concluídas.

Apoio da população
Camila Souza/Gov.Ba

Cerca de 5,8 mil trabalhadores atuam no canteiro de obras das linhas 1 e 2 do Sistema Metroviário Salvador-Lauro de Freitas. De acordo com Baltazar, 98% da mão de obra é local. As modificações no trânsito, ainda que alterem temporariamente algumas rotas, têm o apoio de boa parte dos soteropolitanos, entre eles, o estudante de psicologia André Nilo.
Para o universitário, “[as obras do metrô] até agora não estão atrapalhando. Com a chegada do metrô, melhorou e vai melhorar bastante”. Nilo não enxerga as interdições provisórias como um transtorno. “São válidas. Em prol da melhoria do trânsito. É um contratempo momentâneo que trará benefícios. A gente vê que está trabalhando. É uma boa obra”.
Já o professor Francisco de Assis, morador de Pernambués, está ansioso para a ampliação do sistema metroviário. “[A obra] está a todo vapor. Se continuar assim vai sair dentro do [que prevê] o projeto", afirma o professor.
Fonte - Secom Ba   03/06/2015

Transpetro alcança marca de 10 novos navios em operação

Logistica

Atualmente, há 14 navios do programa em diferentes fases de edificação, dos quais sete se encontram no estágio de acabamentos. Até o fim deste ano, quatro deles deverão nos ser entregues. O número crescente de embarcações modernas possibilita uma sensível melhora da eficiência logística para o escoamento da nossa produção.

Fatos e Dados

O navio Anita Garibaldi partiu nesta quarta-feira (3/6) do estaleiro Eisa Petro-Um, em Niterói (RJ), para a sua viagem inaugural. O petroleiro é a décima embarcação do Programa de Modernização e Expansão da Frota da Transpetro (Promef) a entrar em operação. Após deixar o estaleiro, o navio seguiu para o Terminal da Ilha d’Água, na Baía de Guanabara, onde fará a sua primeira operação de carregamento.
Atualmente, há 14 navios do programa em diferentes fases de edificação, dos quais sete se encontram no estágio de acabamentos. Até o fim deste ano, quatro deles deverão nos ser entregues. O número crescente de embarcações modernas possibilita uma sensível melhora da eficiência logística para o escoamento da nossa produção.
Além disso, o aumento da frota amplia a presença de navios de bandeira brasileira no transporte e na comercialização de petróleo e derivados no Brasil e no exterior. Assim, a necessidade de utilização de embarcações estrangeiras diminui e cresce o emprego da mão de obra nacional na construção e na operação dos navios.

Primeiro panamax
O Anita Garibaldi é o primeiro de uma série de quatro panamax que homenageiam mulheres importantes na história do Brasil – dos outros três em construção, dois já foram batizados: Irmã Dulce e Zélia Gattai. Com 228 metros de comprimento e capacidade para 650 mil barris, o petroleiro será responsável pelo transporte de óleo cru e produtos claros e escuros.
Outros nove navios do Promef estão em operação. São eles: os suezmax André Rebouças (que partiu em viagem inaugural no mês passado), Henrique Dias, Dragão do Mar, Zumbi dos Palmares e João Cândido; e os navios de produtos José Alencar, Rômulo Almeida, Sérgio Buarque de Holanda e Celso Furtado.

Ficha técnica dos navios panamax
Porte bruto: 72.900 Toneladas de Porte Bruto (TPB)
Comprimento total: 228 m
Boca: 40 m
Calado:12 m
Altura: 48,3 m
Velocidade: 15 nós
Transporta: petróleo e produtos claros e escuros
Capacidade para transportar 90,2 milhões de litros
Característica: navio "shallow draft" (calado reduzido)

A homenageada
Ana Maria de Jesus Ribeiro nasceu em Santa Catarina, em 1821. Aos 18 anos, conhece o italiano Giuseppe Garibaldi, à época com 32, durante a Revolução Farroupilha, e decide segui-lo.
A partir dali, participou de diversas batalhas, combatendo ao lado de Giuseppe, com quem se casou e teve quatro filhos. Recebeu o título de “Heroína de dois mundos”, por ter participado de batalhas no Brasil e na Itália. Morreu aos 27 anos, na cidade italiana de Ravena.
Fonte - Fatos e Dados  03/06/2015

Senado aprova projetos que criam o Banco do Brics

Economia

O Banco do Brics será criado para fomentar políticas de desenvolvimento em infraestrutura nos cinco países. Terá capital inicial de US$ 50 bilhões, sendo US$ 10 bilhões em recursos e US$ 40 bilhões em garantias.

Mariana Jungmann
Repórter da Agência Brasil 
foto - ilustração
O Senado aprovou hoje (3) os projetos de decreto legislativo que criam o Banco do Brics – bloco formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul – e confirmou o Tratado para o Estabelecimento do Arranjo Contingente de Reservas do bloco.
O Banco do Brics será criado para fomentar políticas de desenvolvimento em infraestrutura nos cinco países. Terá capital inicial de US$ 50 bilhões, sendo US$ 10 bilhões em recursos e US$ 40 bilhões em garantias.
O acordo para a criação do banco foi feito em julho do ano passado, quando os representantes do bloco se encontraram em Fortaleza e definiram que a sede do banco será em Xangai, na China, e o primeiro presidente será indicado pela Índia.
Na mesma ocasião, foi firmado o Tratado para o Estabelecimento do Arranjo Contingente de Reservas dos Brics, que cria um fundo com recursos de todos os membros para ser acessado pelos países do bloco em momentos de crise.
O fundo terá capital inicial de US$ 100 bilhões com aporte de US$ 41 bilhões da China, US$ 18 bilhões do Brasil, da Índia e Rússia, cada um, e US$ 5 bilhões da África do Sul.
“Todos nós sabemos aqui dos solavancos que a economia brasileira sofreu, principalmente em função das variações cambiais, das crises externas. Então, qual é o objeto da criação desse fundo de US$100 bilhões? É exatamente para criar um colchão, criar uma blindagem para proteger esses países. Portanto, é algo absolutamente pertinente”, explicou o relator do projeto, senador Delcídio Amaral (PT-MS).
Sobre o Banco do Brics, a senadora Ana Amélia (PP-RS), manifestou-se favorável ao projeto, mas ressaltou a importância de o Brasil aproveitar a oportunidade para reforçar seu protagonismo no cenário geopolítico e não ficar a reboque da China e da Rússia.
“Penso que o mais importante nisso é o Brasil estar neste processo de globalização e participando do grupo dos Brics de forma 'protagônica', sendo atuante, não aceitando o papel de coadjuvante, que não está do seu tamanho, do seu porte”, defendeu a senadora.
Fonte - Agência Brasil   03/06/2015 

Obras do VLT só devem ser retomadas após decisão judicial

Transportes sobre trilhos

A expectativa do Governo do Estado é de que na última semana de junho seja realizada uma audiência de conciliação entre a Secretaria de Estado das Cidades (Secid-MT) e o Consórcio VLT Cuiabá-Várzea Grande (formado pelas empresas CR Almeida, Santa Bárbara e CAF), responsável pela construção do modal.

Circuito MT
foto - ilustração 
As obras do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) devem ser retomadas após uma definição da Justiça Federal. A expectativa do Governo do Estado é de que na última semana de junho seja realizada uma audiência de conciliação entre a Secretaria de Estado das Cidades (Secid-MT) e o Consórcio VLT Cuiabá-Várzea Grande (formado pelas empresas CR Almeida, Santa Bárbara e CAF), responsável pela construção do modal.
Ao custo total de R$ 1,47 bilhão, dos quais já foram gastos mais de 70% numa obra que tinha previsão de estar pronta no dia 13 de março de 2014, o VLT teve suas obras paralisadas desde dezembro do ano passado, em face das irregularidades apontadas por técnicos – que denunciavam a falta de projeto executivo da iniciativa, confirmada pelo governo do Estado – e por membros do Ministério Público Estadual e Federal, que chegaram a afirmar que “os políticos fizeram uma bandeira e o povo comprou”. Diante dessa realidade, o governador Pedro Taque (PDT) se viu obrigado a realizar estudos técnicos para entender o problema.
Como já informado pelo Circuito Mato Grosso, no último dia 07 de abril, a Justiça Federal promoveu uma audiência de conciliação entre as partes com a participação de representantes das empresas, do governo do Estado e de membros do Ministério Público Estadual e Federal. Durante sessão realizada pela juíza Vanessa Curti Perenha Gasques, titular da 1ª Vara Federal, ficou acordada a suspensão do contrato por 75 dias, que se encerrou em 31 de março desse ano. O consórcio responsável pela construção do modal cobra uma dívida de R$ 160 milhões referentes a medições realizadas nos meses de agosto, setembro e outubro de 2014.
Durante este período, o governo realizou inspeção junto as composições,que atualmente estão dispostos no Centro de Comando de Manutenção (CCM), em Várzea Grande. Já o Consórcio VLT apresentou cronograma de execução das obras. O documento destaca a conclusão do modal para 2018.
Em maio, a Secid-MT entregou um plano de desapropriações aos representantes do consórcio construtor, além de relatório com observações sobre o cronograma de execução das obras. Os materiais foram repassados aos empreiteiros no dia 26. No prazo de 10 dias, o Consórcio deve apresentar novas manifestações em relação ao plano de desapropriações.
Além da entrega dos documentos, a Secretaria de Estado das Cidades, juntamente com a Procuradoria Geral do Estado (PGE) e Controladoria Geral do Estado (CGE), tem se reunido frequentemente com os representantes do Consórcio VLT. As reuniões são para uma tentativa de conciliação no que se refere às questões técnicas relacionadas à obra.
“O governo tem buscado alternativas para viabilizar a retomada das obras do VLT e as reuniões com o Consórcio VLT Cuiabá-Várzea Grande têm ocorrido para que, na próxima audiência com a Justiça Federal, as partes estejam conciliadas em relação às demandas técnicas da construção. O que o governo quer é buscar alternativas para que a obra possa ser viabilizada e finalmente entregue para a população”, reforçou Chiletto.
Fonte - Revista Ferroviária  03/06/2015

CBTU João Pessoa é pioneira em simulador de controle de VLT

Transportes sobre trilhos

Visando uma maior circulação do VLT,o coordenador de Manutenção Sérgio Marcelino, idealizador do projeto, investiu nesse projeto para que os operadores do veículo tivessem uma capacitação adequada. Desde 2010, Marcelino deseja a criação de tal simulador. “Apenas agora, com o apoio da superintendência de João Pessoa, que pude criar esse equipamento. 

CBTU

João Pessoa - Com o objetivo de capacitar os maquinistas do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), a CBTU João Pessoa criou um simulador de controle, equipamento composto com todos os comandos do VLT, muito similar à realidade. Ele é ideal para o treinamento, pois não precisa utilizar a composição, evitando assim o desgaste do equipamento.


Visando uma maior circulação do VLT,o coordenador de Manutenção Sérgio Marcelino, idealizador do projeto, investiu nesse projeto para que os operadores do veículo tivessem uma capacitação adequada. Desde 2010, Marcelino deseja a criação de tal simulador. “Apenas agora, com o apoio da superintendência de João Pessoa, que pude criar esse equipamento. A colaboração de toda equipe de manutenção foi fundamental, pois em apenas 15 dias executamos o projeto, utilizando material reciclável, uma bancada de computador e retraços de folhas de alumínio”, afirma.

No último domingo, no auditório da Estação João Pessoa, houve um treinamento com os operadores do VLT que gostaram muito, visto que o equipamento também irá servir para os empregados da oficina como simulador de falhas. O maquinista e presidente do Sindicato dos Ferroviários, Severino Urbano, participou e revelou que o simulador realmente condiz com a realidade. “Foi muito parecido com a prática, bem dinâmico, aprendemos a parte teórica e prática. Sérgio nos passou muito mais segurança”, diz. Com esse treinamento, a CBTU irá contar com mais 24 maquinistas capacitados.
Fonte - CBTU  02/06/2015

Aeroporto de Salvador tera R$ 7 mi para concluir obras

Infraestrutura

Pelegrino se reuniu com secretário executivo da Avião Civil Guilherme Ramalho nesta terça-feira, 2, ele informou que foram liberados R$ 7 milhões, quantia que zera todos os débitos em atraso nas obras.

A Tarde
Da Redação
Ascom | Setur
As obras no aeroporto de Salvador serão retomadas. A afirmação é do secretário executivo de Aviação Civil da Presidência da República, Guilherme Ramalho.
Em reunião com secretário de Turismo da Bahia, Nelson Pelegrino, nesta terça-feira, 2, ele informou que foram liberados R$ 7 milhões, quantia que zera todos os débitos em atraso nas obras.
De acordo com Pelegrino, um novo cronograma para as obras já está sendo criado. Com este investimento, serão concluídas a parte de check-in, das esteiras e do ar-condicionado.
Ramalho também afirmou que o aeroporto estará na nova rodada de concessão que será anunciada pela presidente Dilma Rousseff. A intenção é triplicar a capacidade do aeroporto de 14 milhões para 40 milhões de usuários.
Fonte - A tarde  03/06/2015

Fabricas de trens na China,CNR e CSR,juntam-se para formar a gigante mundial CRRC

Transportes sobre trilhos/Internacional

A fusão de duas grandes empresas chinesas fabricantes de trens,a CNR e CSR,deu origem a uma gigante mundial denominada CRRC com sede em Pequim e com 175 700 funcionários

Railway Gazette
Railway Gazette
Foi  oficialmente concretizada no dia 1 de Junho,a fusão entre as duas grandes empresas fabricantes de trens da China, a CNR Corp e CSR Corp. originando a CRRC Corp Ltd.
A nova empresa CRRC,herdou todos os negócios e ativos da CNR e da CSR, que  tinham uma quota superior a 90% do mercado na China. CRRC se coloca agora como o 'maior fabricante em grande escala de trens no mundo',com o portfólio mais completo e tecnologia avançada.'A empresa com sede em Pequim conta com um quadro de 175 700 funcionários.
Sob o acordo de fusão cada ação CNR foi trocada por 1.1 ações de CSR, com a empresa pós-fusão em seguida denominada como CRRC. O capital social subscrito de CRRC é de 27 yuan 289m, compreendendo 22 918 milhões de ações A e 4 371 milhões de ações H cada uma das ações com valor nominal de 1 yuan. A negociação das ações H na bolsa de valores de Hong Kong foi suspensa em 07 de maio, enquanto a fusão era concluída, e devera retornar ao mercado no dia 8 de junho.
Na primeira reunião do conselho em 1 de Junho, o ex-presidente CNR Cui Dianguo foi eleito Presidente do CRRC,o Ex-Presidente da CSR Zheng Changhong e Presidente Liu Hualong tornaram-se vice-presidentes, e o ex-presidente Xi Guohua da CNR foi nomeado Presidente.
Fonte - Railway Gazette  02/06/2015

Tradução e adaptação de texto - Pregopontocom

Original Text http://www.railwaygazette.com/news/business/single-view/view/chinese-rolling-stock-manufacturers-merge-to-form-crrc-corp.html

Utilização do modal ferroviário bate recorde no Porto de Imbituba

Ferrovias

Entre as principais cargas destacam-se o transporte de arroz, mel, pisos, cerâmicas em geral, plásticos e pneus. O trem, que sai diariamente de Içara e Criciúma, contribui para reduzir o tráfego da BR 101, beneficiando toda a população local. Além disso, o frete ferroviário é cerca de 40% mais barato que o rodoviário representando uma importante economia para as empresas que escolhem esta forma de transporte.

Portogente
foto - ilustração
O apito do trem nos trilhos da Ferrovia Tereza Cristina pode ser ouvido diariamente em Imbituba. Reativada há cerca de um ano e meio, em um trabalho conjunto entre o Porto de Imbituba, Ferrovia Teresa Cristina (FTC) e o Terminal Intermodal Sul (TIS), o transporte de cargas destinadas ao porto através da ferrovia cresce a cada dia. Nos primeiros quatro meses de 2015 foi registrada uma movimentação total de 4311 contêineres contra 1631 registrados no mesmo período do ano passado.
Entre as principais cargas destacam-se o transporte de arroz, mel, pisos, cerâmicas em geral, plásticos e pneus. O trem, que sai diariamente de Içara e Criciúma, contribui para reduzir o tráfego da BR 101, beneficiando toda a população local. Além disso, o frete ferroviário é cerca de 40% mais barato que o rodoviário representando uma importante economia para as empresas que escolhem esta forma de transporte.
Ao longo dos seus 164 km de extensão, os trens que circulam pela ferrovia movimentam 40 TEUs (contêineres de 20 pés) por viagem, número bem mais expressivo que as 7 unidades que eram carregadas nas primeiras operações, e permitem um transporte mais barato e seguro. “No primeiro ano após ser reativado, o modal ferroviário atingiu 18% do total movimentado em contêineres. Neste primeiro quadrimestre, os trens já são responsáveis por 39% do total e a expectativa é de crescimento para o segundo semestre”, afirma o Luís Rogério Pupo Gonçalves, presidente do Porto de Imbituba.
Fonte - ABIFER  02/06/2015 

terça-feira, 2 de junho de 2015

Subcomissão quer melhorar qualidade de transporte sobre trilhos no País

Transportes sobre trilhos

A Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados criou uma subcomissão permanente que terá como objetivo propor ações para aprimorar os sistemas de transporte de passageiros sobre trilhos nas regiões metropolitanas, a expansão do transporte de cargas sobre trilhos e o trem de alta velocidade.

Cenário MT
foto - ilustração
Com o intuito de acompanhar o desenvolvimento do transporte ferroviário no Brasil, a Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados criou uma subcomissão permanente que terá como objetivo propor ações para aprimorar os sistemas de transporte de passageiros sobre trilhos nas regiões metropolitanas, a expansão do transporte de cargas sobre trilhos e o trem de alta velocidade.
Para presidir a subcomissão foi escolhido o deputado Jaime Martins (PSD-MG) e para o cargo de vice-presidente, foi eleita a deputada Marinha Raupp (PMDB-RO). O deputado Edinho Bez (PMDB-SC) será o relator do novo grupo.
"Eu espero que essa subcomissão possa ajudar no desenvolvimento das ferrovias para transporte de carga. O Brasil, com uma extensão continental e com a economia voltada para produtos primários, precisa de ferrovias para aumentar a sua competitividade. Espero, também, poder ajudar no desenvolvimento do transporte de passageiros, sobretudo, nos metrôs para melhorar a mobilidade nas áreas urbanas”, disse Jaime Martins, acrescentando que pretende ainda retomar a discussão sobre o trem de alta velocidade.
A subcomissão será composta de sete deputados e igual número de suplentes.
Fonte - Revista Ferroviária  02/06/2015

Ministra: novas regras para trabalho doméstico acabam com escravidão nas casas

Política

Demos o passo definitivo para acabar com o trabalho escravo dentro das casas, disse a ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres ao falar no Programa Bom Dia,Ministro

Ana Cristina Campos
Repórter da Agência Brasil 
Ministro Elza Fiúza/Agência Brasil
A ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci, disse hoje (2) que a sanção do projeto de lei que regulamenta o trabalho das empregadas domésticas vai acabar com a escravidão nas casas brasileiras. “Esta sanção rasga um dos capítulos mais tristes da nossa história que é o trabalho escravo dentro das nossas próprias casas. O Brasil passa a ser um dos poucos países que têm uma lei que garanta todos os direitos trabalhistas para os trabalhadores domésticos.”
A lei, sancionada pela presidenta Dilma Rousseff, foi publicada no Diário Oficial da União desta terça-feira e estabelece uma série de garantias aos empregados domésticos. Além do recolhimento previdenciário, a nova legislação para a categoria prevê o recolhimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).
“Demos o passo definitivo para acabar com o trabalho escravo dentro das casas. Ter uma trabalhadora em casa que não tem horário de trabalho, que não ganhava adicional noturno, que não tinha FGTS e carteira assinada, sem direito às férias, isso é trabalho escravo dentro de sua própria casa”, disse Eleonora, que participou do Programa Bom Dia, Ministro, produzido pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República em parceria com a EBC Serviços.
Fonte - Agência Brasil  02/06/2015

A lentidão tucana do metrô de SP

Política

Na comparação com outros países fica ainda mais visível a falta de investimentos dos tucanos neste setor estratégico à mobilidade urbana. Seul, na Coreia do Sul, inaugurou sua malha de metrô apenas um mês antes da capital paulista, em 1974. “Mas hoje, enquanto os paulistanos contam com uma rede de 80,6 km, a cidade asiática possui 326,5 km – fazendo 8 km de metrô por ano. 

Por Altamiro Borges
foto - ilustração
São Paulo, o Estado mais rico da federação, literalmente está parando. Falta água quase todo dia em vários bairros da capital e cidades da região metropolitana; a insegurança pública assusta os paulistas, com recordes de roubos e homicídios; o descalabro na educação ocasiona a maior greve dos professores da história; na área da saúde, o caos é total. Agora, a própria Folha tucana confirma, com números, o que muitos já sentiam no horário de rush: a expansão da linha do metrô é uma das mais lentas do planeta. Mesmo assim, a mídia chapa-branca, que abocanha fortunas em verbas publicitárias, segue blindando o governador Geraldo Alckmin (PSDB), o insosso “picolé de chuchu”.
Num raro momento de crítica, a Folha revela que “o ritmo de expansão do metrô de São Paulo desde 1995, quando o PSDB assumiu o governo do Estado, tem sido tão lento quanto o de gestões anteriores e muito inferior ao de outros países em condições comparáveis”. Com base em dados obtidos via Lei de Acesso à Informação descobre-se que a gestão tucana investiu R$ 30 bilhões em trilhos, trens e estações do metrô nos últimos 20 anos, quando inaugurou 37,2 km de linhas e 27 estações. Isso significa a entrega de menos de 2 km de novas linhas por ano.
Na comparação com outros países fica ainda mais visível a falta de investimentos dos tucanos neste setor estratégico à mobilidade urbana. Seul, na Coreia do Sul, inaugurou sua malha de metrô apenas um mês antes da capital paulista, em 1974. “Mas hoje, enquanto os paulistanos contam com uma rede de 80,6 km, a cidade asiática possui 326,5 km – fazendo 8 km de metrô por ano. No ritmo atual, a capital paulista demoraria mais de 120 anos para ter uma malha similar à que dispõe atualmente a capital sul-coreana. Também tiveram ritmo de expansão muito superior as redes de Santiago (Chile) e da Cidade do México, inauguradas em 1969 e 1975”.
Em perspectiva, a ampliação do transporte sobre trilhos em São Paulo nos próximos anos também são desesperadoras: as obras das linhas 5-lilás e 4-amarela já tiveram os seus cronogramas adiados neste ano. “Ao lado do canteiro de obras da futura estação Oscar Freire, da linha 4-amarela, a cabeleireira Vânia Matos, 59, se diz entediada devido ao ritmo dos trabalhos. A promessa era que a estação fosse entregue em 2010, ainda no governo José Serra (PSDB). Cinco anos se passaram e agora seu novo prazo é 2016. ‘Eu trabalho há mais de 30 anos aqui. Não vejo nada mudar há meses, apenas este trânsito aumentar. Agora piorou com duas faixas da [rua] Oscar Freire bloqueadas’”.
Além da linha 4, as 11 estações da linha 5, prometidas na campanha de 2010 para serem entregues em 2014, deverão sair do papel só em 2017. O governador tucano também adiou a entrega da linha 17-ouro (São Paulo Morumbi/Congonhas), prevista para a Copa de 2014, mas que agora só deve ficar pronta em 2016. “Desde 2011, quando voltou ao poder no Estado, Alckmin entregou só 3,2 km de metrô. A conta considera os 2,3 km da linha 15-prata, que segue em testes, operando cinco horas por dia, e que não é metrô tradicional, mas um monotrilho, que usa trens com menor capacidade de usuários”, relata o jornal, que até ouviu o “outro lado” para tentar aliviar o trágico cenário dos transportes públicos.
Estes números dariam uma boa reportagem no Jornal Nacional da TV Globo, já que pouca gente lê a Folha. Daria até para relacionar os baixos investimentos no setor com as denúncias – não apuradas pelos poderes públicos e abafadas pela mídia amiga – do esquema do "trensalão tucano". Alguém acredita nesta hipótese?
Fonte - Blog do Miro  01/06/2015

Pesquisadores brasileiros criam sistema que gera energia a partir de bactérias

Ciência &Tecnologia

O intuito é usar as bactérias para produzir a mesma quantidade de energia das células solares.O trabalho é realizado pelos professores Helinando Pequeno de Oliveira, do Colegiado de Engenharia Elétrica; e Mateus Matiuzzi, do Colegiado de Zootecnia, em conjunto com a estudante de doutorado em Engenharia Industrial da Universidade Federal da Bahia (UFBA) Ariadne Helena Pequeno de Oliveira.

Revista Amazônia

Uma pesquisa desenvolvida na Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) conseguiu gerar energia elétrica a partir da atividade de bactérias Escherichia coli cultivadas em solução de água e nutrientes em ambiente controlado. Durante 11 dias, as bactérias geraram continuamente 0,5V, atingindo, nesta fase, o ápice da produção de energia.
O trabalho é realizado pelos professores Helinando Pequeno de Oliveira, do Colegiado de Engenharia Elétrica; e Mateus Matiuzzi, do Colegiado de Zootecnia, em conjunto com a estudante de doutorado em Engenharia Industrial da Universidade Federal da Bahia (UFBA) Ariadne Helena Pequeno de Oliveira.
A pesquisa teve início no final do ano passado e será desenvolvida na Univasf e no Massachusetts Institute of Technology (MIT), nos Estados Unidos. O projeto contará com a participação do professor do Departamento de Química do MIT Timothy Swager, que trabalha com a produção de grafenos modificados quimicamente.
Os primeiros resultados são animadores, segundo o coordenador da pesquisa, Helinando de Oliveira. “Nosso objetivo é cultivar bactérias para que elas sejam geradoras de energia e no futuro possamos transformar células bacterianas em fonte alternativa de energia e produzi-las em escala industrial”, informa. Uma das metas, de acordo com ele, é fazer com que as bactérias gerem energia em quantidade equivalente à produzida por células solares.
O processoA equipe de pesquisadores desenvolveu um reator formado por dois compartimentos de teflon e separados por um trocador de prótons. Em um dos compartimentos foram inseridas as células bacterianas, cultivadas pelo microbiologista Mateus Matiuzzi, e a solução de água limpa e nutrientes. Elas são mantidas numa estufa, com temperatura controlada a 37°C.
Ao se reproduzirem, as bactérias geram energia e enviam para o outro lado, por meio de eletrodos de carbono, a água limpa purificada devido à troca de prótons pela membrana disposta entre os compartimentos. Esta purificação da água é outro efeito da atividade bacteriana. Oliveira observa que este resultado já era esperado, mas destaca o fato de a produção energética e a descontaminação da água ocorrerem num ambiente totalmente controlado e com um único tipo de bactéria, o que distingue o trabalho de outras pesquisas já realizadas com as Microbial Fuel Cells (MFC), como são chamadas as células bacterianas geradoras de energia.
Os pesquisadores da Univasf estão testando, no momento, a energia gerada pelas células bacterianas quando acopladas a um resistor. Ao conectá-las a um resistor de mil ohms, eles obtiveram uma tensão de 53 milivolts, ainda considerada pequena. Mas a pesquisa, que está no início, será desenvolvida até dezembro de 2016. “Estamos confiantes de que até o final da pesquisa teremos bons resultados a apresentar”, afirma Oliveira.
Fonte - Revista Amazônia  01/06/2015

segunda-feira, 1 de junho de 2015

Viaduto Raul Seixas será interditado por 30 horas para obras do Metrô

Metrô de Salvador

Obras do Metrô na Avenida ACM alteram trânsito em Salvador.A intervenção faz parte de obras da Linha 2 do metrô na Avenida Antônio Carlos Magalhães. 

Secom
Foto: Daniele Rodrigues/Ascom Sedur
Salvador - A partir das 23h desta quarta-feira (3), até as 5h de sexta (6), a empresa CCR Metrô Bahia interditará o acesso ao Viaduto Raul Seixas, em frente à Estação Rodoviária. A intervenção faz parte de obras da Linha 2 do metrô na Avenida Antônio Carlos Magalhães. Os motoristas que seguem pela Avenida Tancredo Neves em direção ao Raul Seixas devem ficar atentos ao bloqueio antes da subida do viaduto.
O tráfego será desviado provisoriamente para a Rótula do Abacaxi, onde os motoristas farão o retorno e voltarão pela própria Avenida ACM, no sentido contrário, e seguirão pela via em direção à Igreja Universal do Reino de Deus. A interdição do Viaduto Raul Seixas por 30 horas é necessária para adequar o sistema viário da região, onde será construída a futura estação Rodoviária do metrô.
Fonte - Secom Ba.  01/06/2015

Mapa Ilustrativo

Fonte - Sedur

Balança comercial registra maior superávit para o mês de maio desde 2012

Economia

A balança comercial brasileira encerrou maio com superávit de US$ 2,761 bilhões.O resultado é o maior para o mês desde maio de 2012, quando houve superávit de US$ 2,96 bilhões. Também é o maior resultado para a balança desde o início deste ano.

Mariana Branco
Repórter da Agência Brasil 
Arquivo/Agência Brasil
A balança comercial brasileira encerrou maio com superávit (exportações maiores que importações) de US$ 2,761 bilhões. O resultado é o maior para o mês desde maio de 2012, quando houve superávit de US$ 2,96 bilhões. Também é o maior resultado para a balança desde o início deste ano.
Em janeiro e fevereiro, houve déficit na equação das exportações e importações brasileiras, enquanto março e abril registraram superávits de US$ 458 milhões e US$ 491 milhões, respectivamente.
Os dados foram divulgados hoje (1°) pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. O saldo positivo de maio refere-se a US$ 16,769 bilhões em exportações e US$ 14 bilhões em importações. No acumulado dos cinco primeiros meses do ano, a balança comercial ainda não conseguiu reverter o saldo negativo, que soma US$ 2,305 bilhões. O número resulta de US$ 74,7 bilhões em exportações e US$ 77 bilhões em importações.
A média diária (volume financeiro por dia útil) das exportações ficou em US$ 838,5 milhões, com queda de 15,2% em comparação a maio de 2014, mas houve crescimento de 10,6% em relação a abril deste ano. Nas importações, a média negociada por dia em maio foi US$ 700,4 milhões, com queda de 26,6% em relação à registrada em maio de 2014 e recuo de 4,5% em relação a abril de 2015.
Fonte - Agência Brasil   01/06/2015

RM de Salvador poderá ter malha ferroviária de 140 quilômetros

Transportes sobre trilhos

A viabilidade dessa integração ficou evidenciada durante uma inspeção realizada pelo vice-governador e secretário do Planejamento, João Leão, no trecho da Ferrovia Centro Atlântica (FCA), localizado entre Simões Filho e Dias D’Ávila. A comitiva que realizou a vistoria técnica foi integrada também por representantes da FCA, da Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT) e o prefeito de Camaçari, Ademar Delgado. O clima foi de entusiasmo, pois foi constatada a viabilidade do projeto com a realização de alguns ajustes.

Secom
foto - ilustraão
Um dos objetivos do governador Rui Costa é interligar a Região Metropolitana de Salvador (RMS) com uma malha ferroviária para o transporte de passageiros, que terá aproximadamente 140 quilômetros de extensão, com a integração entre o metrô (linhas 1 e 2), o trem do subúrbio (futuro Veículo Leve sobre Trilhos - VLT) e o trem metropolitano, o qual atravessa os municípios de Simões Filho, Dias D’Ávila, Candeias e Camaçari.
A viabilidade dessa integração ficou evidenciada durante uma inspeção realizada pelo vice-governador e secretário do Planejamento, João Leão, no trecho da Ferrovia Centro Atlântica (FCA), localizado entre Simões Filho e Dias D’Ávila. A comitiva que realizou a vistoria técnica foi integrada também por representantes da FCA, da Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT) e o prefeito de Camaçari, Ademar Delgado. O clima foi de entusiasmo, pois foi constatada a viabilidade do projeto com a realização de alguns ajustes.
Isso porque a infraestrutura e as condições da malha ferroviária, atualmente usada pela FCA exclusivamente para o transporte de cargas, estão relativamente preservadas, necessitando de algumas intervenções para adequação. A vistoria foi realizada na última sexta-feira (29). Entre as intervenções, será necessária a reconstrução do trecho ferroviário entre Mapele e Paripe, que fará a interligação entre o trem metropolitano e o futuro VLT, o qual, por sua vez, chegará à Av. França, no Comércio.
Com isso, estaria formado o modal ferroviário de passageiros da RMS, aproveitando a malha ferroviária existente, mas que se encontra ociosa. A ideia é que num curto espaço de tempo sejam feitas melhorias que permitam o uso de um trem experimental em Camaçari. O trem metropolitano é parte de um projeto mais amplo, do trem regional, resultado de um trabalho desenvolvido pela Escola Polítécnica da Universidade Federal da Bahia (Ufba). O estudo, já aprovado pelo Ministério dos Transportes, concluiu pela viabilidade do projeto. O trem regional contempla a ligação Conceição de Feira (Feira de Santana)-Salvador-Alagoinhas.
Fonte - Secom Ba. 01/06/2015

Governo vai estimular a inclusão da população negra no mercado de trabalho

Direitos Humanos

A lei de 2010 estabelece, entre outros atos, que o poder público estimule, por meio de incentivos, a adoção das mesmas ações pelo setor privado. Ações afirmativas para mulheres negras também devem ser asseguradas, assim como a promoção de ações para elevar a escolaridade e a qualificação profissional em setores da economia que possuem alto índice de ocupação por trabalhadores negros de baixa escolarização.

Andreia Verdélio
Repórter da Agência Brasil 
foto - ilustração
O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) determinou hoje (1º) que as políticas, programas e projetos desenvolvidos pela pasta contemplem ações de estímulo à inclusão da população negra no mercado de trabalho. As medidas estão previstas no Estatuto da Igualdade Racial (Lei 12.288/2010).
A lei de 2010 estabelece, entre outros atos, que o poder público estimule, por meio de incentivos, a adoção das mesmas ações pelo setor privado. Ações afirmativas para mulheres negras também devem ser asseguradas, assim como a promoção de ações para elevar a escolaridade e a qualificação profissional em setores da economia que possuem alto índice de ocupação por trabalhadores negros de baixa escolarização.
Cabe ao Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat) formular as políticas, programas e projetos voltados para a inclusão da população negra no mercado de trabalho e orientar a destinação de recursos para seu financiamento.
Segundo o MTE, a iniciativa faz parte do esforço para garantir à população negra a efetiva igualdade de oportunidades, a defesa dos direitos étnicos individuais, coletivos e difusos e o combate à discriminação e às demais formas de intolerância étnica.
A portaria do MTE foi publicada no Diário Oficial da União.
Fonte - Agência Brasil  01/06/2015

Testes com VLT em Santos começarão em 10 de junho

Transportes sobre trilhos

A previsão da empresa é de que a partir do próximo dia 10 o trem rode até as estações Nossa Senhora de Lourdes, no José Menino, e Pinheiro Machado, no cruzamento com o Canal 1, já em Santos.

A Tribuna
foto - ilustrção
O Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) chegará a Santos em junho. As obras no túnel do José Menino, para a ligação com São Vicente, acabarão neste sábado (30). Em duas semanas, ficarão prontas as instalações elétricas e serão feitos testes, diz o gerente de Implantação de Sistemas da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU), Carlos Romão Martins.
A previsão da empresa é de que a partir do próximo dia 10 o trem rode até as estações Nossa Senhora de Lourdes, no José Menino, e Pinheiro Machado, no cruzamento com o Canal 1, já em Santos.
Até agora, o VLT estava passando apenas por estações de São Vicente, mas a operação de testes foi suspensa por uma semana, justamente para fazer a interligação com Santos. Dois veículos rodavam, um em cada sentido, de segunda a sexta-feira, por sete das estações 15 previstas para o trecho Barreiros.
Para abrigar o VLT, o túnel do José Menino foi alargado. Serão dois pares de trilhos, para o trem fazer o trajeto de ida e volta por dentro da estrutura. A largura do túnel passou de 3,5 metros para oito metros. No comprimento, foram acrescidos mais 40 metros de cobertura na entrada e na saída. De 90 metros, a galeria tem agora 120 metros de comprimento.
Os trabalhadores contratados para as obras do VLT estão atuando quase que somente no túnel do José Menino, pois o trecho de São Vicente já está pronto, e o da Avenida Francisco Glicério, em Santos, paralisado pela Justiça.
Fonte - Revista Ferroviária  01/06/2015