sábado, 18 de abril de 2015

Professores da rede estadual de São Paulo manterão greve

Educação

A paralisação dura mais de um mês. O governo do estado não apresentou proposta de reajuste para a categoria.



imagem-Repórter Brasil

CBTU transporta mais de 460 mil usuários em João Pessoa no 1º trimestre

Transportes sobre trilhos

Ao todo nos três primeiros meses desse ano a Companhia transportou 461.038 usuários, já no ano passado foram 427.995. De acordo com o Superintendente, Wladme Macêdo, a expectativa é que a CBTU se mantenha com o transporte crescente.

CBTU
Adicionar legenda
A CBTU João Pessoa registrou um aumento de 7,72% no número de passageiros no primeiro trimestre de 2015 em relação ao mesmo período de 2014, totalizando mais de 33 mil. Ao todo nos três primeiros meses desse ano a Companhia transportou 461.038 usuários, já no ano passado foram 427.995. De acordo com o Superintendente, Wladme Macêdo, a expectativa é que a CBTU se mantenha com o transporte crescente.
Segundo, o Coordenador de Operações, Franciclebe Alves, esse crescimento foi decorrente da estabilidade dos horários dos trens, da regularidade das viagens e da chegada do VLT, ganhando, assim, a confiança dos usuários no sistema. Além dos fatores citados, também foi observado que no mês de janeiro teve um grande número de turistas utilizando o transporte ferroviário.
O total de passageiros no ano de 2014 foi de 1.643.234 e o Superintendente acredita que em 2015 teremos um aumento de 10% no número de usuários, em virtude das circunstâncias mencionadas. A média por dia no ano anterior foi de 6,7 mil e a perspectiva é aumentar para 7,3 mil transportados diariamente.
Fonte - CBTU  17/04/2015

sexta-feira, 17 de abril de 2015

MP de São Paulo denuncia executivos por cartel em contratos com CPTM

Política

“As empresas dividiram o mercado e o preço final superfaturado, direcionando cada licitação e sabendo previamente qual empresa seria a vencedora de cada um dos contratos e quais os preços de cada uma, o que fazia com que as outras empresas que participavam do cartel ofertassem suas propostas a preços superiores, ou simplesmente não participassem da concorrência na referida licitação, deixando de oferecer proposta”, diz a denúncia.

Flávia Albuquerque
Repórter da Agência Brasil 
foto - ilustração
O Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP) denunciou à Justiça 11 executivos de empresas do setor ferroviário e um funcionário da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) por formação de cartel em contratos firmados para o fornecimento de trens e materiais ferroviários na execução de três projetos da empresa, firmados em 2007 e 2008. De acordo com a denúncia, as empresas dividiram entre si três contratos administrativos, combinando as propostas a serem apresentadas nas licitações.
“As empresas dividiram o mercado e o preço final superfaturado, direcionando cada licitação e sabendo previamente qual empresa seria a vencedora de cada um dos contratos e quais os preços de cada uma, o que fazia com que as outras empresas que participavam do cartel ofertassem suas propostas a preços superiores, ou simplesmente não participassem da concorrência na referida licitação, deixando de oferecer proposta”, diz a denúncia.
A acusação é resultado de investigação criminal feita a partir de documentos encaminhados pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e da análise das licitações, que demonstram práticas anticoncorrenciais nos procedimentos instaurados pela CPTM.
Foram denunciados David Lopes e Wilson Daré, executivos da Temoinsa do Brasil Ltda.; César Ponce de Leon, Luiz Fernando Ferrari e Ruy Grieco, executivos da Alstom Transport S/A; José Manuel Uribe Regueiro, da CAF Brasil – Construcciones y Auxiliar de Ferrocarriles S/A; Carlos Levy, executivo da Bombardier Transportation Brasil Ltda/ DaimlerChryler Rail Systems (Brasil) Ltda.; Mauricio Memoria; Manuel Carlos do Rio Filho e Telmo Giolito Porto, da Tejofran – Empresa Tejofran de Saneamento e Serviços Ltda; Massimo Giavina-Bianchi, da T’Trans – Trans Sistemas de Transportes S/A; e Reynaldo Rangel Dinamarco, quer era presidente da Comissão de Licitações da CPTM.
Todas as empresas e a CPTM foram procuradas, mas, até a publicação da matéria, apenas a Tejofran respondeu. Em nota, a Tejofran informou que não foi notificada da denúncia, mas reitera que participou de consórcios conforme permitido pela legislação. “A empresa obedeceu exatamente as disposições do edital e fez todos os serviços previstos em contrato, com preços competitivos. Esclarece ainda que se trata da mesma matéria que tramita no Cade, para a qual a empresa já apresentou defesa, ainda não julgada. E, conforme sua postura de seguir os mais rigorosos padrões éticos, coloca-se à disposição das autoridades para todos os esclarecimentos necessários."
Fonte - Agência Brasil  17/04/2015

Costa do Dendê é uma das opções para turistas neste feriadão

Turismo

Com a expectativa de receber entre um mil a duas mil pessoas de várias partes do Brasil, oferecendo três mil leitos, distribuídos entre pousadas e hotéis, a Ilha de Boipeba, um dos paraísos do arquipélago de Tinharé (município de Cairu - naixo sul), é o destino certo para quem quer contato com a natureza e tranquilidade.

Secom Ba.
foto - iustração/Pregopontocom
Bahia - Com praias, costões rochosos, lagoas, rios e cachoeiras, a Costa do Dendê, situada entre a foz do Rio Jaguaripe e a Baía de Camamu, é uma ótima opção para quem pretende curtir o feriado prolongado de Tiradentes (21). São 115 quilômetros de litoral da região, que abrange localidades como Morro de São Paulo e Boipeba, oferecendo opções de lazer para todos os gostos.
Com a expectativa de receber entre seis a oito mil pessoas e uma oferta de 10 mil leitos, Morro de São Paulo, com praias paradisíacas e monumentos históricos, por exemplo, é ideal para quem busca diversão e tranqüilidade, de acordo com a Secretaria do Turismo do Estado (Setur).
A ilha costuma atrair visitantes de várias partes do Brasil e do mundo, chegando a receber, anualmente, cerca de 100 mil visitantes. Além de Salvador, marcam presença em número significativo turistas brasileiros de São Paulo, Brasília e Minas Gerais, e estrangeiros da Argentina, Israel, Itália e Espanha.
Este ano, cerca de 60 nadadores de diversas partes do Brasil participam, no próximo domingo (19), da Maratour - Circuito Nadando em Paraísos 2015, primeira etapa da maratona aquática de natação no mar, que, juntamente com os turistas, incrementam toda a cadeia produtiva do turismo local, como os meios de hospedagem (hotéis e pousadas), restaurantes, bares e o comércio em geral. Para entrar no Morro, o turista paga uma tarifa no valor de R$ 15, referente à Taxa de Preservação Ambiental (TPA).
Localizado no município de Cairu, na Ilha de Tinharé, no arquipélago que leva o mesmo nome, 60 quilômetros ao sul de Salvador, Morro é o destino mais concorrido da Costa do Dendê. Para quem prefere agito, além das baladas, a principal rua do povoado possui bares e restaurantes com o melhor da gastronomia local e internacional. Para quem prefere relaxar, a localidade brinda os visitantes com praias de águas cristalinas. Uma faixa de praias inabitadas e uma reserva de Mata Atlântica convidam a esportes de aventura, náuticos e passeios ecológicos.
A pequena vila, que deu origem ao município, guarda um rico patrimônio histórico, com destaque para a fortaleza com 700 metros de muralhas, a Igreja Nossa Senhora da Luz, do século XVII, a Fonte Grande e o Casarão, os últimos registrados no diário de D. Pedro II, durante sua visita em 1859.

Boipeba
foto - ilustração/Pregopontocom

Com a expectativa de receber entre um mil a duas mil pessoas de várias partes do Brasil, oferecendo três mil leitos, distribuídos entre pousadas e hotéis, a Ilha de Boipeba, um dos paraísos do arquipélago de Tinharé (município de Cairu - naixo sul), é o destino certo para quem quer contato com a natureza e tranquilidade.
Composta por floresta densa da Mata Atlântica, restinga, dunas, extensos manguezais e praias paradisíacas com coqueirais e recifes, a ilha possui ainda recifes de corais que se estendem pela costa e tornam as praias abrigadas das ondas e correntes. A flora e fauna são ricas de uma grande variedade de corais, algas, peixes, moluscos, ouriços e estrelas, dentre outros
Para o visitante, fugir da rotina pode incluir passeios às piscinas naturais formadas por recifes de corais, passeio de canoa dentro do mangue, trilhas ecológicas em uma faixa da Mata Atlântica e praias quase desertas. Quem optar por um roteiro histórico, vale visitar a igreja do Divino Espírito Santo, localizada na Velha Boipeba, principal monumento da ilha, assim como a Residência dos Jesuítas, que data dos primórdios da fundação da cidade.
Fonte - Secom Ba.  17/04/2015

Novo metrô de Teresina custará R$ 420 milhões, afirma Wellington Dias

Transportes sobre trilhos

“Esse dinheiro está autorizado pelo PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), o que a gente precisa é acelerar na Caixa a aprovação do projeto que foi apresentado, foram feitos alguns ajustes, a previsão é que até junho a gente tenha a abertura da concorrência para, a partir daí, saber qual será a empresa que fará a obra”, indicou Wellington.

Portal Meionorte
foto - ilustração
Com o projeto de modernização do transporte público teresinense em andamento, um dos principais pilares condiz com a reestruturação do metrô da capital, tal viés tem sido trabalhado constantemente pelo Executivo Estadual. Nesse sentido, o governador Wellington Dias (PT) sinalizou ontem que o projeto já está concluído e a equipe aguarda a aprovação pela Caixa Econômica Federal, desse modo, a perspectiva gira em torno da finalização da licitação ainda neste semestre.
“Esse dinheiro está autorizado pelo PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), o que a gente precisa é acelerar na Caixa a aprovação do projeto que foi apresentado, foram feitos alguns ajustes, a previsão é que até junho a gente tenha a abertura da concorrência para, a partir daí, saber qual será a empresa que fará a obra”, indicou Wellington.
A responsabilidade pela consecução dos recursos foi compartilhada ainda com o Governo Federal, a modernização do transporte ferroviário teresinense promete ser um marco no desenvolvimento do Piauí, tendo a ciência que a concretização do projeto possibilitará a tão sonhada integração com os ônibus, oferecendo uma gama de opções para a população. “Nós vamos ter R$ 210 milhões do Orçamento Geral da União e aproximadamente o mesmo valor de contratos de empréstimos, ou seja, cerca de R$ 420 milhões investidos”, destacou o governador.
INVESTIMENTOS – Na ocasião, Dias detalhou os esforços realizados na sua última visita à capital federal em torno da liberação de recursos, visando a retomada de importantes obras no Estado. No tocante a esse assunto, ele orquestrou para a liberação de mais de R$ 360 milhões junto ao Tesouro Nacional, destinados a conclusão de projetos de infraestrutura.
A previsão é que até a próxima semana o montante já esteja disponível. “A previsão é que na próxima semana a gente tenha a liberação por parte do Tesouro Nacional e com isso vamos pagar as intervenções já existentes e retomar as obras que estão paralisadas, boa parte das obras dos empréstimos já foi retomaram, existe apenas um contrato de aproximadamente 170 obras, que nós devemos ter condição de retomar até o mês de maio”, afirmou.
ROYALTIES – Outra expectativa do Governo do Estado versa sobre a aplicação da lei de distribuição dos royalties do Pré-Sal, nisto, Wellington aguarda o posicionamento do Supremo Tribunal Federal (STF). Ele e os demais governadores nordestinos cobraram a concretização da medida, que está emperrada desde que a ministra do STF, Carmem Lúcia suspendeu, em caráter cautelar, a aplicação das novas regras para distribuição dos royalties do petróleo. “A previsão vai depender da decisão do Supremo, a decisão vai ser de entrar em vigor imediatamente, de entrar em vigor somente em 2016, vamos aguardar”, disse.
De acordo com o gestor, o Piauí poderá ter um incremento de R$ 300 milhões por ano na Receita caso a ação seja aplicada. “Na área dos royalties nós temos uma força nova, que foi a queda do preço do barril e do outro lado a queda pela manutenção de várias plataformas que voltaram agora as atividades”, lembrou Wellington.

Dias e ministro acertam projeto de desenvolvimento do Piauí
Propagando uma revolução em áreas prioritárias da administração, o ministro de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, Roberto Mangabeira Unger, esteve reunido na manhã de ontem com o governador Wellington Dias (PT) e diversos parlamentares e gestores piauienses visando a apresentação de um projeto de desenvolvimento baseado em quatro eixos principais: o incentivo ao empreendedorismo, o avanço na ciência e tecnologia, a unificação física da região e a integração das cadeias produtivas.
Na ocasião, o representante do Governo Federal destacou que as ações necessitarão de esforços constantes do Executivo, apontando para os desafios em torno da escassez de recursos, direcionando novos caminhos a serem adotados. “É claro que nós precisamos mobilizar dinheiro para investimentos, o ajuste fiscal como nós temos visto, não é agenda de desenvolvimento, é preliminar a uma agenda de desenvolvimento, mas o mais importante ainda do que o dinheiro, são as ideias, nós queremos agora começar a organizar esse projeto”, impôs.
Unger ainda creditou à educação um elo preponderante para o sucesso de qualquer política pública, impondo a extinção de velhos problemas que limitam o setor no país, segundo ele, é uma questão tradicional, que deve ser quebrada. “O foco do nosso projeto prioritário do Governo Federal é a qualificação do ensino básico, nossa tradição no Brasil é a decoreba, o enciclopedismo raso e na combinação de individualismo e autoritarismo na sala de aula, nós queremos um ensino formado em capacitações analíticas, interpretação de textos e raciocínio lógico, nós queremos um ensino organizado de maneira cooperativa; o Nordeste pode ser uma linha de frente nessa revolução educacional”, disse.
Atento ao posicionamento do ministro, o governador Wellington Dias abstraiu as intervenções, indicando para a colaboração entre Estados, Municípios e União. “Estou muito confiante que o que tivemos foi importante, mas agora temos uma nova realidade no Brasil e temos ideias novas e projetos novos para tocar, existe a possibilidade do pouco que cada um tem, se somar e dar resultado, incluindo o setor privado, creio que permite a gente andar junto, quando ele coloca uma escola cooperativa”, destacou. No encerramento da agenda a tarde o ministro proferiu a palestra “O Novo Modelo de Desenvolvimento Regional e o Federalismo Cooperativo” no auditório do CEIR.
Fonte - Revista Ferroviária  17/04/2015

Táxis elétricos no Rio evitam emissões de nove toneladas de CO2

Mobilidade

Táxis elétricos evitam emissões de poluentes.As 15 unidades do modelo 100% elétrico usadas no programa, que formam a maior frota de táxis elétricos da América do Sul, rodaram juntas no período cerca de 900 mil quilômetros sem emissões de poluentes – emissões zero.Veículos elétricos também circulam em São Paulo

Nissan News
créditos - Divulgação
O Programa de Táxis Elétricos no Rio de Janeiro completa agora dois anos contribuindo para tornar mais limpo o ar da cidade. As 15 unidades do modelo 100% elétrico usadas no programa, que formam a maior frota de táxis elétricos da América do Sul, rodaram juntas no período cerca de 900 mil quilômetros sem emissões de poluentes – emissões zero. Assim, se comparado a um carro de porte médio com motor a gasolina rodando a mesma distância, cada táxi elétrico evitou que fosse despejado na atmosfera, por exemplo, nove toneladas de CO2.
Além de contribuir para diminuir as emissões de poluentes, o táxi elétrico também proporciona uma significativa redução das despesas com abastecimento. Em relação a um carro do mesmo porte abastecido com etanol, levando-se em consideração uma média anual de 30 mil quilômetros rodados em ambiente urbano, a economia de cada LEAF táxi, sendo recarregado usando a rede elétrica, ultrapassa os R$ 10 mil por ano se comparado com um carro a gasolina. Além disso, um carro elétrico proporciona outros ganhos aos motoristas. Por exemplo, não há manutenção de componentes como filtro de óleo, óleo do motor e outros pelo fato do motor não ser a combustão.
O programa de táxis elétricos no Rio faz parte de uma parceria que promove a mobilidade com emissão zero de poluentes na cidade e envolve a montadora Nissan, a Petrobras Distribuidora – responsável pela infraestrutura de recarga para os veículos em postos com sua bandeira –, a Prefeitura e o projeto Rio Capital da Energia.
Ainda na capital carioca, modelos elétricos já foram usados em testes pela Polícia Militar no patrulhamento de pontos turísticos da cidade e pelo Corpo de Bombeiros do Estado do Rio de Janeiro demonstrando toda a sua versatilidade em diferentes tipos de uso. Outros 10 táxis rodam em São Paulo, em um projeto semelhante ao existente no Rio.
Fonte - Mobilize  17/04/2015

IPC-S recua na segunda semana de abril em seis capitais

Economia

O maior recuo foi registrado em Brasília (0,4 ponto percentual, ao passar de 1,65% para,24%).Outras cidades com queda na taxa foram Belo Horizonte (0,38 ponto percentual, ao passar de 1,01% para 0,63%), São Paulo (0,32 ponto percentual, de 1,39% para 1,07%), Rio de Janeiro (0,31 ponto percentual, de 1,38% para 1,07%) e Salvador (0,11 ponto percentual,  de 0,77% para 0,66%)....

Vitor Abdala
Repórter da Agência Brasil 
Brasília apresentou a maior queda de IPC-S entre as
sete capitais pesquisadas - José Cruz - Agência Brasil
O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) teve queda em seis das sete capitais pesquisadas pela Fundação Getulio Vargas (FGV), na segunda semana de abril. O maior recuo foi registrado em Brasília (0,4 ponto percentual, ao passar de 1,65% para 1,24%).
Outras cidades com queda na taxa foram Belo Horizonte (0,38 ponto percentual, ao passar de 1,01% para 0,63%), Porto Alegre (0,32 ponto percentual, ao passar de 1,29% para 0,92%), São Paulo (0,32 ponto percentual, ao passar de 1,39% para 1,07%), Rio de Janeiro (0,31 ponto percentual, ao passar de 1,38% para 1,07%) e Salvador (0,11 ponto percentual, ao passar de 0,77% para 0,66%).
Recife foi a única capital a ter um aumento da taxa do IPC-S na segunda semana de abril (0,06 ponto percentual, ao passar de 0,4% para 0,46%). A média nacional do IPC-S, divulgada ontem (16), ficou em 0,93%, ou seja, 0,29 ponto percentual abaixo da semana anterior.
Fonte - Agência Brasil  17/04/2015

Trem japonês Maglev bate recorde mundial de velocidade

Transportes sobre trilhos/Internacional

A JR Central estabeleceu este recorde com um novo modelo Maglev em sua linha de testes situada em Yamanashi (centro), segundo explicou em comunicado.Seu último modelo de Maglev percorreu mais de um milhão de quilômetros em sua atual fase de testes, segundo detalhou a companhia, que prevê abrir em 2027 a primeira linha operada por um trem de levitação magnética neste país.

EFE
foto - ilustração
Um trem japonês de levitação magnética atingiu nesta quinta-feira 590 km/h em um percurso de provas, o que marca um novo recorde mundial de velocidade para este tipo de veículos, anunciou a companhia ferroviária JR Central.
A empresa japonesa bateu assim a até agora velocidade máxima registrada por um trem com motorista, de 581 km/h, conseguida por outro de seus trens Maglev (magnetic levitation) em dezembro de 2003.
A JR Central estabeleceu este recorde com um novo modelo Maglev em sua linha de testes situada em Yamanashi (centro), segundo explicou em comunicado.
Seu último modelo de Maglev percorreu mais de um milhão de quilômetros em sua atual fase de testes, segundo detalhou a companhia, que prevê abrir em 2027 a primeira linha operada por um trem de levitação magnética neste país.
Esta linha de superalta velocidade ligará as cidades de Tóquio e Nagoia, contará com seis estações e começou a ser construída em outubro do ano passado após receber o sinal verde do Executivo japonês.
O Maglev será capaz de percorrer este trajeto de 286 quilômetros em cerca de 40 minutos, em vez dos 88 atuais que demora o serviço de alta velocidade Shinkansen (trem bala).
Os trens Maglev funcionam através de um sistema de levitação magnética que usa motores lineares instalados perto dos trilhos.
O campo magnético permite que o trem se eleve até 10 centímetros acima dos trilhos, o que elimina o contato e deixa o ar como único elemento de rolamento, favorecendo assim a velocidade.
O projeto terá um custo estimado de 9 trilhões de ienes, segundo a companhia.
Fonte - Revista Ferroviária  17/04/2015

EMTU adia licitação da terceira fase do VLT de Santos

Transportes sobre trilhos

No último dia 9, seriam abertos os envelopes das empresas ou consórcios interessados em participar da fase de pré-qualificação. Apenas as empresas habilitadas nessa etapa poderiam disputar a concorrência para tirar a obra do papel.Segundo a estatal, essa decisão foi tomada em razão “da análise de pedidos de esclarecimentos e impugnações recebidos” sobre o edital.

A Tribuna
foto - ilustração
A Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) adiou, por tempo indeterminado, a primeira fase da licitação para as obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), no trecho entre a Avenida Conselheiro Nébias e o Valongo, em Santos.
No último dia 9, seriam abertos os envelopes das empresas ou consórcios interessados em participar da fase de pré-qualificação. Apenas as empresas habilitadas nessa etapa poderiam disputar a concorrência para tirar a obra do papel.
Segundo a estatal, essa decisão foi tomada em razão “da análise de pedidos de esclarecimentos e impugnações recebidos” sobre o edital. Esse é o terceiro adiamento. Inicialmente, a divulgação das propostas seria em 24 de fevereiro.
Enquanto o terceiro lote ainda está distante de começar, o segundo, da Avenida Conselheiro Nébias ao Terminal Porto, no Macuco, continua com trabalhos normalmente.
Estão sendo montadas a infraestrutura do Pátio Porto, a via permanente e as demais edificações que fazem parte do conjunto destinado à manutenção dos VLTs.
Nesse estacionamento, a empresa informa que há espaço para guardar, pelo menos, dez VLTs – cada um é formado por sete vagões. Até o fim do mês, devem acabar os trabalhos na Estação Porto, próxima ao Terminal Marítimo de Passageiros Giusfredo Santini.
Dos 22 VLTs encomendados, três foram importados da Espanha e já estão na região. Os demais serão fabricados no Rio de Janeiro. O último será entregue até dezembro.

Contestação
A empresa, que é ligada à Secretaria de Estado de Transportes Metropolitanos, já entrou com recurso no Tribunal de Justiça (TJ) do Estado a fim de derrubar a liminar (decisão provisória), que impede a realização de obras do VLT ao longo da Avenida Francisco Glicério, em Santos.
Desde o dia 13 do mês passado, os trabalhos nessa via foram suspensos, após o TJ acolher o pedido do Ministério Público Estadual. Embasados em estudos realizados por peritos, os promotores defendem que o melhor traçado para as composições seria pela antiga linha férrea, não pelo canteiro central da via.

Processo do túnel também está parado
O conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE) Dimas Eduardo Ramalho apontou a necessidade de a Dersa fazer 25 alterações no edital de concorrência das obras do túnel submerso Santos-Guarujá.
Uma das medidas apontadas é a reformulação do projeto básico antes do relançamento da licitação, com o objetivo de evitar a desconsideração de desenhos técnicos por conta de alterações no projeto executivo relacionado à doca seca.
O TCE destaca ainda que é preciso resolver e esclarecer algumas dúvidas no que diz respeito a desenhos técnicos, projetos e cálculos, antes de tirar o empreendimento do papel.
O órgão recomendou também que os estudos promovidos pelos consórcios que contestaram a concorrência sejam levados em consideração nas análises geotécnicas que a estatal detém, para obter as melhores soluções à obra.
Ramalho pediu que a Dersa se atente para quatro pendências que carecem de solução para o sucesso da obra. Elas serão analisadas pelo TCE quando forem contratadas. Uma delas é a regularização das desapropriações de cerca de 4.200 pessoas com a necessidade de reassentamento.
As outras são a formalização do decreto de utilidade pública para a área de domínio da ligação seca, a renovação da Licença Ambiental Prévia (que vence este mês) e a aprovação da Licença de Instalação, documento imprescindível para iniciar a construção do túnel submerso.

Silêncio
A Dersa informa que vai se manifestar sobre a decisão do TCE apenas quando tiver ciência do teor do acórdão da sessão realizada no dia 1º deste mês.
A Tribuna perguntou à estatal quando seria lançado o novo edital da obra e a previsão de quando os trabalhos seriam iniciados. No entanto, a empresa não respondeu a essas questões.
Fonte - ABIFER  16/04/2015

Pesquisadores da USP e da UNIFESP fizeram pesquisa sobre manifestações de 12 de abril

Política

Estudo mostrou que a maioria não acredita ou não confia em instituições políticas, organizações não governamentais e movimentos sociais.

Repórter Brasil




imagem - Repórter Brasil

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Metrô de Salvador muda o horário de funcionamento nessa quinta feira (16)

Metrô de Salvador

Metrô de Salvador muda horário de funcionamento e ira operar até as 22:30h por causa do jogo Bahia e Nacional-AM, pela Copa do Brasil na Arena Fonte Nova.

Redação
foto - ilustração/Pregopontocom
As estações do metrô Acesso Norte e Campo da Pólvora funcionarão,nesta quinta-feira, 16, até as 22:30h por causa do jogo entre Bahia e Nacional-AM,pela Copa do Brasil,a partir das 19:30h,na Arena Fonte Nova.As demais estações,Lapa,Brotas e Retiro,funcionarão normalmente,das 8h às 18h.
O Metrô continua operando com acesso gratuito.
A CCR informou que atingiu um novo recorde de passageiros registrado na terça-feira (14),com 31.919 passageiros sendo transportados,das 8h as 18h, no tramo Lapa-Retiro.
Com a operação assistida iniciada em 11/06/2014,até agora já foram transportados mais de 4,5 milhões de passageiros
Pregopontocom 16/04/2015

FGV indica novamente queda no ritmo de inflação

Economia

O IPC-S, que constitui levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre), da Fundação Getulio Vargas (FGV), permite verificar com agilidade mudanças de curso na trajetória dos preços: leva em conta a média dos preços coletados nas quatro últimas semanas, período iniciado em 16 de março e encerrado em 15 de abril.

Marli Moreira 
Repórter da Agência Brasil 
foto - ilustração
O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) atingiu 0,93% na segunda prévia de abril (encerrada em 15 de abril), taxa 0,29% menor do que a registrada na apuração anterior (fechada em 7 de abril). No levantamento anterior, o IPC-S variou 1,22% – percentual menor do que o registrado no encerramento de março, que foi 1,41%.
O IPC-S, que constitui levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre), da Fundação Getulio Vargas (FGV), permite verificar com agilidade mudanças de curso na trajetória dos preços: leva em conta a média dos preços coletados nas quatro últimas semanas, período iniciado em 16 de março e encerrado em 15 de abril.
Cinco dos oito grupos pesquisados tiveram redução no ritmo de aumento: o que mais contribuiu para diminuir o impacto inflacionário foi habitação, com alta de 2,08%. Na apuração anterior, essa classe de despesas apresentou elevação de 3,31%. Do grupo habitação, o item que mais contribuiu para a redução do ritmo de crescimento da taxa foi a tarifa de eletricidade residencial, que passou de 17,44% para 10,02%.
No grupo alimentação, o índice variou 0,97%, abaixo do registrado na primeira prévia do mês (1,05%). Em transportes, houve alta de 0,19%, menor do que no último levantamento (0,31%). E, em despesas diversas, a taxa ficou em 0,57%, também abaixo da medição passada (0,70%).
Houve queda acentuada em comunicação que passou de -0,01% para -0,07%. Foi registrado ainda um recuo de 0,26%,em vestuário, mas essa baixa foi menos intensa do que a verificada na última pesquisa, quando os artigos deste segmento ficaram 0,51% mais baratos.
Nos grupos restantes, ocorreram avanços: educação, leitura e recreação (de -0,24% para 0,27%) e saúde e cuidados pessoais (de 0,72% para 0,91%).
Os cinco itens que mais pressionaram o IPC-S foram: tarifa de eletricidade residencial (10,02%); condomínio residencial (2,23%); refeições em bares e restaurantes (0,81%); leite tipo longa vida (5,51%) e aluguel residencial (0,72%). Entre os que mais colaboraram para frear a alta média dos preços estão os seguintes: batata-inglesa (-10,61%); automóvel usado (-0,88%); tarifa de telefone residencial (-0,71%); massas preparadas e congeladas (-2,35%) e cenoura (-8,45%).
O IPC-S baseia-se em um sistema de coleta quadrissemanal, com encerramento em quatro datas pré-estabelecidas (07, 15, 22 e 31). Apesar de a coleta ser semanal, a apuração das taxas de variação leva em conta a média dos preços coletados nas quatro últimas semanas até a data de fechamento, nas seguintes capitais: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife, Porto Alegre e Brasília.
Fonte - Agência Brasil  16/04/2015

Goiânia sobre trilhos

Transportes sobre trilhos

Deixar para depois a implantação do VLT de Cuiabá poderá ser considerado, no futuro, uma irresponsabilidade

Vicente Vuolo

Mais uma grande cidade brasileira aderiu à modernidade e à eficiência na mobilidade urbana.Trata-se da cidade que foi planejada e construída para ser a capital política e administrativa de Goiás.Oficialmente inaugurada em 5 de julho de 1942, nasceu bonita e com história, sob influência da “Marcha para o Oeste”, política desenvolvida pelo Governo de Getúlio Vargas para acelerar o desenvolvimento e incentivar a ocupação do Centro-Oeste brasileiro.
A Parceria-Público-Privada (PPP) envolvendo a União, Estado de Goiás e Iniciativa privada vai injetar R$ 1,3 bilhões na construção de uma linha férrea para receber o Veículo Leve Sobre Trilhos, sendo R$ 215 milhões do Governo Federal, R$ 590 milhões do Governo Estadual e R$ 495 milhões da Concessionária.
O trecho de 13,6 km cortará a monumental Avenida Anhanguera. Terá 12 estações e cinco terminais atendendo as regiões desde o Terminal Padre Pelágio, passando por Capuava, Anicuns, Terminal Dergo, José Hermano, Campinas, Praça A, Alameda das Rosas, HGG, Museu Prof. Zoroastro Artiaga, Jóquei Clube, Bandeirantes Oeste, Bandeirantes Leste, Parque Botafogo, Rua 20, Praça da Bíblia, Palmito até o Terminal Novo Mundo.
O prazo de entrega será de vinte e quatro meses. E 187 desapropriações de imóveis serão pagas à vista, a preço de mercado.
Com o início de operação previsto para 2017, o VLT Goiânia vai proporcionar mais rapidez e conforto às pessoas que utilizam o transporte coletivo, com ar-condicionado, substituindo de vez o corredor de ônibus.
O VLT Goiânia terá 30 composições de dois carros, com capacidade para transportar até 600 passageiros por viagem – muito mais que ônibus – a uma velocidade média de 23 km/hora, em intervalos de três minutos nos horários de pico.
Existe acertada preocupação com a arquitetura moderna da capital goiana. Todo o trecho por onde os trens passarão será revitalizado, de fachada a fachada, incluindo novas calçadas, faixas dos carros, sistema de drenagem, paisagismo, iluminação Led e mobiliário urbano.
Vale destacar que os novos terminais de integração e as estações terão rampas de acessibilidade.
O exemplo de Goiânia bem que poderia contagiar a cidadania mato-grossense e a modernidade dos novos bondes ser incluída entre as prioridades de nosso planejamento urbano.
Com uma população na região metropolitana de Cuiabá, que ultrapassa a 1 milhão de habitantes, o transporte ferroviário ligando as cidades próximas e se conectando com vários modais de transportes urbanos, incluindo ciclovias e modernização de acessos aos pedestres, e especialmente a implantação de uma ou mais linhas de VLT é, antes de tudo, uma exigência.
Nada de sonho distante, planejar desde já e correr para colocar em prática essa proposta, é uma necessidade concreta e factível.
Deixar para depois a implantação do VLT de Cuiabá poderá ser considerado, no futuro, irresponsabilidade de nossa geração.
Cada vez mais a mobilidade urbana é considerada um direito social básico e sua falta é um entrave ao desenvolvimento.
VICENTE VUOLO é economista, cientista político e analista legislativo do Senado Federal. - vicente.vuolo10@gmail.com
Fonte - Mídia News  16/04/2015

MOBILIDADE URBANA, uma causa nobre

Mobilidade

Um bom planejamento urbano e eficientes sistemas de transportes públicos que atendam tão somente as demandas numéricas,mais também as demandas sociais,sem excluir comunidades menores e periféricas,deixando-as a margem do sistema,certamente contribuirá para o arrefecimento do crescente caos urbano nas inúmeras cidades brasileiras.

A.Luis
Salvador Sobre Trilhos
foto - Pregopontocom
A Mobilidade é uma Piramide hierárquica,onde todos os modais funcionam em conjunto complementando-se mutuamente.Porem cada um deve ocupar o espaço que lhe cabe e cumprir a sua função de acordo com as suas características técnicas e funcionais.Assim como não é possível se colocar 1 (UM) litro de água em um copo de 200 ml,um carro não pode suprir a função de um ônibus, assim como um sistema de BRT não pode fazer as vezes de um sistema de Metrô.
Trens,Metrôs,VLTs,Transportes Hidroviários,BRTs, ônibus,vans,carros,transportes verticais,funiculaires,teleféricos,motocicletas,bicicletas,viagens a pé,todos tem o seu grau de importância dentro da cadeia da Mobilidade,estando devidamente ajustados e afinados para que operem racionalmente em conjunto,assim dessa forma só trarão benefícios para todos;a cidade,a população e o meio ambiente.
foto - Pregopontocom
A racionalidade é um quesito importante para que a operação dos sistemas de transportes públicos funcionem de maneira equilibrada e satisfatória,e dentro desse conceito não podem estar ausentes a "imprescindível" INTEGRAÇÃO FÍSICA E TARIFÁRIA multi modal,sem exceção,agregado ao sistema a BILHETAGEM ÚNICA por tempo de permanência (bilhetes por hora: fracionado,semanal ou mensal),possibilitando ao usuário dessa maneira traçar o seu próprio roteiro de viagem entre a origem e o destino,sem que seja obrigado a ficar preso a itinerários ou roteiros prefixados e inflexíveis,que nem sempre atendem as suas necessidades de deslocamentos e em muitas vezes,tornam as suas viagens desnecessariamente muito mais longas e cansativas.A integração 100% multimodal em conjunto com o bilhete único,por hora,aliada a um bom planejamento urbano e eficientes sistemas de transportes públicos que atendam tão somente as demandas numéricas,mais também as demandas sociais,sem excluir portadores de dificuldade de locomoção,comunidades menores e periféricas,deixando-as a margem do sistema,certamente contribuirá para o arrefecimento do crescente caos urbano nas inúmeras cidades brasileiras e a diminuição gradual do numero de viagens a pé,possibilitando aos até então excluídos o acesso ao transporte público. A desordem causada pela falta de planejamento,com visão para o futuro,acumulada ao longo de muitos anos pela falta de políticas públicas adequadas,foi a porta para o caos.A necessidade da criação de uma política de reordenamento urbano que possibilite a diminuição do numero de deslocamentos por demandas cruzadas (pessoas trabalharem/estudarem mais perto das suas residências ou morarem mais perto do seu trabalho/escolas e de acesso a outros serviços...utopia??!!...quem sabe....rrsss),garantir a acessibilidade universal igualitariamente,estimular e provocar a diminuição do uso do transporte individual,(enfatizando),ofertando um transporte seguro,de qualidade,rápido,com conforto e pontualidade que atraia para si uma grande parcela de usuários de automóveis além de investir em projetos de sistemas cicloviários interligados,inteligentes e calçadas largas,livres,seguras,com acessibilidade e bem sinalizadas para os pedestres.Aliado a tudo isso,é preciso também se abandonar de uma vez por todas o conceito retrógrado e ultrapassado do "rodoviarísmo".... de achar que tudo se move sobre "pneus"....
-Transporte público é uma atividade essencial,de utilidade pública e social,e é assim que deve ser visto e tratado.
Pregopontocom 16/04/2015 

quarta-feira, 15 de abril de 2015

CUIABÁ, 82% querem VLT e recusam BRT, diz pesquisa

VLT de Cuiabá

Mesmo com problemas, que atrasaram as obras, o metrô leve continua na preferência dos moradores da capital de Mato Grosso,Cuiabá, 82% querem VLT e renegam BRT. É o que revela pesquisa do Instituto Mark feita em Cuiabá (MT) no período de 11 a 13 de abril, com base na entrevista de 606 pessoas.

Folha Max
Autor - Carlos Dorileo 
créditos - MARK Instituto de Pesquisa
A continuidade das obras do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) é defendida por 81,8% da população cuiabana. É o que revela pesquisa do Instituto Mark feita em Cuiabá (MT) no período de 11 a 13 de abril, com base na entrevista de 606 pessoas. A margem de erro é de 3,5% para mais ou para menos. São contrários a continuidade das obras do VLT somente 14,9% e outros 3,3% não souberam ou não responderam.

Impasse - obras paradas em Cuiabá
Questionados a respeito da possibilidade de troca do VLT para o BRT, 64% da população cuiabana discorda e outros 7,8% concordam. São indiferentes 14,9% e não souberam ou não responderam 13,4%.
Atualmente, as obras do VLT estão paralisadas. Com investimento de R$ 1,477 bilhão, o Estado já pagou R$ 1,066 bilhão ao Consórcio VLT, conjunto de empreiteiras responsáveis pelas obras.



O modal de transporte está programado para percorrer dois trajetos que são CPA/Aeroporto e Coxipó/Centro. Desde que assumiu o governo do Estado, Taques encomendou auditorias para apurar suspeitas de irregularidades no contrato. Por intermédio da Justiça Federal, houve uma audiência de conciliação do governo do Estado com as empreiteiras no dia 7 de abril. A expectativa é que as obras sejam retomadas após a entrega dos projetos executivos pelas empreiteiras e garantias de pagamento pelo governo do Estado. O contrato permanece suspenso pelo período de 75 dias.
Fonte - Mobilize  15/04/2015

Pesquisa da Abraciclo aponta que construção de mais estrutura para ciclistas é fundamental

Mobilidade

Mesmo com a grande produção nacional, as bikes ainda são pouco usadas para o transporte.





Imagem/Reporter Brasil

Metrô na Paralela não terá imensas colunas, garante Carlos Martins

Metrô de Salvador

Segundo Martins, todo o cuidado foi tomado e o projeto do metrô prevê a arborização do canteiro central, de forma a reduzir qualquer impacto visual.Em todos os pontos onde houver contato visual com as vias, ele será suavizado com paisagismo e árvores.

Raul Monteiro
foto - ilustração
Salvador - O secretário de Desenvolvimento Urbano do Estado, Carlos Martins, disse ontem que não há motivos para setores da prefeitura temerem que a Avenida Paralela vire uma nova Bonocô, com a construção de um elevado para o metrô.
Segundo Martins, todo o cuidado foi tomado e o projeto do metrô prevê a arborização do canteiro central, de forma a reduzir qualquer impacto visual. “Ao contrário do que aconteceu no Bonocô, a Paralela não terá imensas colunas elevando os trilhos. Em todos os pontos onde houver contato visual com as vias, ele será suavizado com paisagismo e árvores. As estações serão muito bonitas e a cidade vai ter orgulho de seu metrô, que, integrado às Linhas Azul e Vermelha, dará uma nova mobilidade a Salvador”, afirma.
Carlos Martins também lembrou que a questão estética da obra vem sendo discutida com a prefeitura, que tem todo o direito de avaliar o projeto e fazer considerações. Em relação a uma possível falta de discussão com a sociedade e o Ministério Público, lembra que houve sim uma série de discussões públicas sobre o projeto. “Foram feitas diversas audiências, inclusive com a possibilidade de a população mandar sugestões ao projeto pela internet. Agora, o Estado aguarda os alvarás para avançar com a obra, que vai gerar milhares de empregos na capital”, explica Martins.
O secretário ainda destaca que o metrô deve valorizar os imóveis ao longo da avenida. “Obras de infraestrutura e mobilidade valorizam os imóveis. Recentemente, a Ademi-BA calculou em 30% a valorização daquela região depois da duplicação da Avenida Pinto de Aguiar. Vem aí as vias transversais ligando a Orla Atlântica ao subúrbio, tudo isso integrado ao metrô, trazendo facilidade no transporte, menos trânsito na região, mais conforto para quem mora, isso naturalmente leva à valorização dos imóveis”.
Fonte - Tribuna da Bahia  15/04/2015

Xangai planeja rede de VLT com 800 quilômetros

Transportes sobre trilhos/Internacional

A joint venture Shanghai Alstom Transport Co (SATCO), uma união entre a Alstom e a Shanghai Tráfego Ferroviário Equipamentos Development Co, deve fornecer veículos para as duas primeiras linhas de um sistema que prevê seis ramais no distrito de Songjiang de Shanghai.

Via Trolebus
foto - ilustração/railwygazette
Xangai, a maior cidade da República Popular da China e uma das maiores áreas metropolitanas do mundo, com mais de 20 milhões de habitantes, planeja uma extensa rede de veículos leves sobre trilhos (VLT). Um contrato no valor de 72 milhões de euros com a Alstom contempla 30 novos VLTs do modelo Citadis, sendo a primeira cidade chinesa a adotar a tecnologia.
A joint venture Shanghai Alstom Transport Co (SATCO), uma união entre a Alstom e a Shanghai Tráfego Ferroviário Equipamentos Development Co, deve fornecer veículos para as duas primeiras linhas de um sistema que prevê seis ramais no distrito de Songjiang de Shanghai.
Os veículos serão construídas na China enquanto unidades da Alstom em França e Itália fornecerão os sistemas de tração e sistema de monitoramento (SGCT).
Até 2020 serão ao todo 800 quilômetros de trilhos. Os primeiros 30 VLTs vão operar nas linhas T1 e T2, que devem ser inauguradas em abril de 2017.
Fonte - Revista Ferroviária 15/04/2015

Pernambuco, protestos contra a terceirização seguem para o Palácio do Campo das Princesas

Política

Protestos contra a terceirização em Pernambuco seguem para o Palácio do Campo das Princesas.A concentração começou por volta das 14h desta quarta-feira (15) e se estendeu até então, em frente à sede da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (Fiepe). O manifesto acontece em vários estados por todo o Brasil.

Helena Dias
Pernambuco.com
diáriodepernambuco
Várias centrais sindicais representando categorias como a dos professores, carteiros e metroviários em protesto do Dia Nacional de Paralisação, contra o PL 4330 (Terceirização), acabam de sair a caminho do Palácio do Campo das Princesas. A concentração começou por volta das 14h desta quarta-feira (15) e se estendeu até então, em frente à sede da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (Fiepe). O manifesto acontece em vários estados por todo o Brasil.
De acordo com o presidente da Central Única dos Trabalhadores de Pernambuco (CUT-PE), Carlos Veras, a expectativa é de que cinco mil pessoas participem do ato. "É o primeiro passo para ter uma greve geral", afirmou Veras acrescentando que a data dessa paralisação total ainda será definida.
Com informações de Claudia Eloi do Diario de Pernambuco
Fonte - Diário de Pernambuco  15/04/2015

Manifestações no Rio contra terceirizações reúnem várias categorias

Política

Os protestos do Dia Nacional de Luta contra o Projeto de Lei (PL) 4.330/2004, interditaram vias e provocaram paralisação em serviços no Rio de Janeiro.No centro do Rio, representantes das centrais sindicais se concentraram em um ato unificado em frente a Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan).

Cristina Indio do Brasil 
Repórter da Agência Brasil* 
foto- ilustração/redebraislatual
Os protestos do Dia Nacional de Luta contra o Projeto de Lei (PL) 4.330/2004, que regulamenta o sistema de terceirização no mercado de trabalho brasileiro, interditaram vias e provocaram paralisação em serviços no Rio de Janeiro.
Em frente à Refinaria Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, um grupo de petroleiros e representantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT), atearam fogo em galhos e pneus colocados na pista, no sentido Rio da Rodovia Washington Luiz. As chamas foram controladas pelo Corpo de Bombeiros. A interdição, por volta das 8h, durou dez minutos e só foi suspensa após negociação com os policiais militares. Outras duas pistas continuaram ocupadas por cerca de uma hora e o engarrafamento, no local, chegou a 2 quilômetros. De acordo com a polícia ninguém ficou ferido.
Já em Benfica, na zona norte do Rio, a Rua Leopoldo Bulhões foi interditada parcialmente por um grupo de trabalhadores dos Correios. Eles também bloquearam os portões de acesso ao Centro de Tratamentos de Encomendas. A manifestação incluiu pedidos de melhores condições de trabalho, a realização de concurso público e a revisão do desconto do Instituto de Seguridade Social dos Correios e Telégrafos (Postalis).
Na avaliação do Sindicato dos Trabalhadores na Empresa de Correios e Telégrafos, a paralisação atrasou a distribuição de correspondências.O Centro de Tratamentos é responsável pela maior parte das encomendas enviadas para os centros de distribuição em todo o Rio de Janeiro.“Não deixa de afetar porque os caminhões estão parados aqui. Vai ser um ato que vamos encerrar daqui a pouco, mas foi necessário fazer porque não aguentamos mais as condições de trabalho precárias”, avaliou o presidente do sindicato, Ronaldo Martins.
Em nota, os Correios informaram que a paralisação não teve adesão de trabalhadores do Rio de Janeiro e limitou-se a interdição do acesso a unidade de Benfica. A empresa acrescentou que a situação voltou à normalidade após terminado o bloqueio. “As entregas estão sendo realizadas normalmente pelos Correios”, informou a empresa.
Sobre o Postalis, a nota esclareceu que, há dois planos, o BD Saldado e o PostalPrev. A contribuição extraordinária, segundo a empresa, é apenas para empregados do plano BD Saldado. “Os empregados admitidos após 2005 estão no plano PostalPrev e não têm qualquer alteração em seu plano. Pela Lei de Previdência Complementar, os fundos de pensão são obrigados a promover essa medida”, informou.
No centro do Rio, representantes das centrais sindicais se concentraram em um ato unificado em frente a Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan). O ato unificado teve ainda a participação de servidores da Casa da Moeda e profissionais ligados ao Sindicato estadual de enfermeiros do Rio.
* Colaborou o repórter da Radioagência Nacional, Dylan Araújo
Fonte - Agência Brasil 15/04/2015

Comerciários fazem passeata no Centro de Salvador e lojas fecham portas

Política

Mesmo debaixo de chuva, o protesto dos comerciários seguiu pelo centro de Salvador.A caminhada teve início por volta de 10h30, na Casa D'Italia. Enquanto passavam pela avenida, os integrantes do movimento pediam que os comerciantes da região fechassem as portas das lojas, ação realizada pela maioria.

A Tarde - Da Redação 
C/infor. de Marco Aurélio Martins.
Marco Aurélio Martins - Ag. A TARDE
Um grupo de comerciários realizaram na manhã desta quarta-feira, 15, uma passeata pela avenida Sete de Setembro, como parte do Dia Nacional de Paralisações contra o Projeto de Lei (PL) 4330, que regulamenta a terceirização.
Por volta de 11h30, o grupo chegou na região da Igreja de São Bento. Acompanhados por uma viatura da Polícia Militar (PM), eles ocuparam duas faixas da via, e impossibilitaram a passagem dos veículos que seguiam em direção à Praça Castro Alves.
A caminhada teve início por volta de 10h30, na Casa D'Italia. Enquanto passavam pela avenida, os integrantes do movimento pediam que os comerciantes da região fechassem as portas das lojas, ação realizada pela maioria.
Segundo o Sindicato dos Comerciários de Salvador, a categoria protesta contra a PL e a precarização das relações trabalhistas.
O órgão elenca, entre os prejuízos para a categoria, a redução de salários, benefícios e número de empregos; aumento dos riscos de acidentes e de casos de trabalho escravos, entre outros.
Fonte - A Tarde  15/04/2015

Frota de ônibus paralisa atividades em Porto Alegre contra terceirização

Política

De acordo com o diretório da Central Única dos Trabalhadores (CUT) no Rio Grande do Sul categorias como a dos bancários, professores e metalúrgicos também organizam na capital e em cidades do interior paralisações e atividades, como assembleias em portas de fábrica. De acordo com a CUT, Canoas, Pelotas e Santa Maria tem agendas de mobilização ao longo do dia.

Yara Aquino 
Repórter da Agência Brasil
foto - enguantoseluta
Como parte da mobilização em Porto Alegre pelo Dia Nacional de Paralisação contra o projeto de terceirização, a frota de ônibus da Carris, empresa pública de transporte, não circula desde o início da manhã de hoje (15). Manifestantes bloqueiam a garagem da empresa impedindo a saída dos veículos, de acordo com a Empresa Pública de Transporte e Circulação. Ao longo do dia serão feitos protestos em todo o Brasil, convocados por centrais sindicais.
Pelo menos duas pessoas ficaram feridas na frente da garagem da Carris quando um homem vestido com trajes gaúchos agrediu manifestantes e usou uma chaira (objeto que afia facas). A Polícia Militar da capital informou que o homem foi levado para a delegacia e presta depoimento.
A expectativa da empresa de ônibus é que a manifestação na Carris se encerre às 12h, afetando 125 mil passageiros. A companhia transporta 250 mil usuários diariamente.
De acordo com o diretório da Central Única dos Trabalhadores (CUT) no Rio Grande do Sul categorias como a dos bancários, professores e metalúrgicos também organizam na capital e em cidades do interior paralisações e atividades, como assembleias em portas de fábrica. De acordo com a CUT, Canoas, Pelotas e Santa Maria tem agendas de mobilização ao longo do dia.
Está previsto para as 12h uma concentração dos trabalhadores e representantes de sindicatos na Avenida Alberto Bins, no centro de Porto Alegre. De lá, os manifestantes seguem em caminhada até a Assembleia Legislativa.
O Sindicato dos Bancários de Porto Alegre e região informou que ontem (14), em assembleia, a categoria decidiu pela adesão ao dia de paralisação. O sindicato ainda não tem um balanço sobre a adesão dos trabalhadores. Pela manhã, bancários se concentraram em frente a agências na Praça da Alfândega e no centro da cidade.
O texto-base do Projeto de Lei 4.330/2004, que regulamenta a terceirização, foi aprovado no último dia 8. O ponto mais polêmico é o que autoriza a terceirização total das atividades das empresas privadas, inclusive da chamada atividade-fim – aquela que identifica a área de atuação de uma companhia. Atualmente, apenas atividades-meio como, por exemplo, limpeza e segurança podem ser ocupadas por trabalhadores terceirizados. Ontem (14), a Câmara dos Deputados voltou a analisar os destaques que deputados apresentaram à proposta.
Durante o novo debate, os parlamentares aprovaram a retirada do projeto de lei do trecho que permitia que também as empresas públicas, sociedade de economia mista e suas subsidiárias e controladas recorram à terceirização. A votação dos outros destaques será retomada na tarde de hoje.
Fonte - Agência Brasil  15/04/2015

Salvador acorda sem ônibus devido a paralisação até as 8h

Política

Estação Pirajá ficou fechada durante paralisação dos rodoviários em Salvador.A ação faz parte da mobilização convocada pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) e pela Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) contra a aprovação do Projeto de Lei (PL) 4330 da terceirização....

A Tarde
Da Redação
Luciano da Matta - Ag. A TARDE
Salvador - Os rodoviários de Salvador deram início à paralisação da categoria desde as 4 horas desta quarta-feira, 15. A ação faz parte da mobilização convocada pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) e pela Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) contra a aprovação do Projeto de Lei (PL) 4330, que regulamenta a terceirização no Brasil.
Os coletivos deveriam circular a partir das 8h, mas até o momento os veículos continuam nas garagens. Nas ruas da capital, o movimento de passageiros nos pontos de ônibus e nas estações de transbordo, como Mussurunga e Iguatemi, é intenso neste momento, segundo a Superintendência de Trânsito e Transporte de Salvador (Transalvador).
Daniel Mota, diretor de imprensa do Sindicato dos Rodoviários - que está na garagem da empresa de ônibus Central, em Pau da Lima, em mobilização com os rodoviários - informou ao Portal A TARDE que a categoria tem mais duas pautas de reivindicações, além da luta contra a PL.
"A categoria está reunida nas garagens das empresas de ônibus reivindicando três pontos: o primeiro é em protesto contra a PL 4330, que foi aprovada no planalto; a outra é sobre a violência urbana, por conta dos assaltos a ônibus e agressão que os rodoviários vêm sofrendo. O último ponto é pela campanha salarial, que reivindica aumento aos empresários, pois até o momento eles não se sensibilizaram", afirma ele.
Com relação à violência, Daniel afirmou que o sindicato já "enviou todas as reivindicações dos rodoviários à Secretaria de Segurança Pública do Estado da Bahia, mas cada dia aumenta a prática de assalto a coletivo".

Outras manifestações
De acordo com a CTB e os sindicatos de cada categoria, bancários, comerciários e profissionais da saúde e da educação das redes estadual e municipal estão entre os profissionais que vão interromper as atividades e realizar manifestações contra o PL da terceirização.
Os profissionais de saúde irão se concentrar às 9h na Assembleia Legislativa da Bahia e vão caminhar até a Governadoria no Centro Administrativo da Bahia (CAB).
Os comerciários se reúnem a partir das 10h na avenida 7 de Setembro. Os professores irão se concentrar às 15h, no Campo Grande.
Fonte - A Tarde 15/04/2015

Transporte coletivo deve ser licitado após definição do VLT em Cuiabá

Transportes

As empresas que operam no transporte coletivo da capital venceram uma licitação realizada em 2004, na gestão do então prefeito Roberto França Auad. O prazo desse contrato expirou em 2012 e depois foi prorrogado até junho de 2019.A obra do VLT está parada desde o ano passado por falta de pagamento por parte do governo do estado, segundo o consórcio de empresas responsável pela execução do projeto....

G1
foto - ilustração
MT - Apesar de o contrato com as concessionárias do transporte coletivo ser 'precário', já que o prazo expirou em 2012, a licitação para o serviço em Cuiabá deve ser realizada após a definição das obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). De acordo com o prefeito da capital, Mauro Mendes (PSB), as linhas de ônibus devem ser alteradas completamente quando o metrô de superfície estiver em operação.
As empresas que operam no transporte coletivo da capital venceram uma licitação realizada em 2004, na gestão do então prefeito Roberto França Auad. O prazo desse contrato expirou em 2012 e depois foi prorrogado até junho de 2019.
A obra do VLT está parada desde o ano passado por falta de pagamento por parte do governo do estado, segundo o consórcio de empresas responsável pela execução do projeto, e ainda não tem data para ser retomada, tão menos para ser concluída.
"No primeiro semestre deste ano, queremos concluir o edital para licitar o transporte coletivo, ma
s vamos aguardar a definição do governo do estado em relação ao VLT para colocar o edital na praça", afirmou o prefeito. Segundo ele, as eventuais alterações da obra devem ser colocadas no edital de licitação. "A entrada ou não do VLT muda profundamente o sistema de transporte, as linhas, o trajeto e a quilometragem rodada", disse.
O VLT deve percorrer as principais avenidas da Grande Cuiabá, ligando o Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, região metropolitana da capital, ao bairro CPA e o outro entre o Coxipó e o Centro de Cuiabá. As linhas de ônibus devem estar interligadas às do VLT. A previsão é que haja um sistema de transporte coletivo integrado.
No entanto, o prefeito pontuou que, dependendo do prazo para a definição do VLT e se houver demora, a licitação deverá ser realizada. "Temos um contrato e a sua renovação está sendo questionada na Justiça. Por isso, estamos trabalhando para lançar esse edital", afirmou. O VLT deveria ter ficado pronto até a Copa do Mundo, em junho do ano passado, mas até agora não
Em janeiro, Mendes reajustou o valor da tarifa e, no mesmo momento, criou essa comissão composta por representantes da Secretaria de Mobilidade Urbana, do Instituto de Planejamento e Desenvolvimento e da Procuradoria Geral do Município.
O grupo tem o prazo de seis meses para entregar um estudo de viabilidade técnica e jurídica para fazer uma nova licitação, na modalidade concorrência pública, para melhoria o serviço de transporte coletivo na capital.
Fonte - Revista Ferroviária  15/04/2015

terça-feira, 14 de abril de 2015

Dilma dá entrevista a blogueiros convidados pelo governo

Política

Participaram os jornalistas Altamiro Borges, do Blog do Miro; Luis Nassif, do Jornal GGN; Cynara Menezes, do Blog Socialista Morena; Maria Inês Nassif, colunista da Carta Maior; Paulo Moreira Leite, do Brasil 247; e Renato Rovai, da Revista Fórum.

Luana Lourenço 
Repórter da Agência Brasil 
foto - ilustração
A presidenta Dilma Rousseff deu entrevista hoje (14) a blogueiros convidados pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República. Participaram os jornalistas Altamiro Borges, do Blog do Miro; Luis Nassif, do Jornal GGN; Cynara Menezes, do Blog Socialista Morena; Maria Inês Nassif, colunista da Carta Maior; Paulo Moreira Leite, do Brasil 247; e Renato Rovai, da Revista Fórum.
É a quarta entrevista que Dilma concede nas últimas semanas. A presidenta falou com exclusividade à agência de notícias Bloomberg, ao jornal China Business News e à rede norte-americana CNN.
Segundo o jornalista Paulo Moreira Leite, Dilma disse que deve anunciar hoje o nome do novo ministro do Supremo Tribunal Federal. O indicado vai preencher a vaga deixada pelo ex-ministro Joaquim Barbosa, que se aposentou em julho de 2014.
De acordo com postagens da Revista Fórum no Facebook, durante a entrevista de hoje, Dilma também falou sobre economia, relação com o Congresso Nacional e voltou a se posicionar contra a redução da maioridade penal de 18 para 16 anos.
Fonte - Agência Brasil  14/04/2015

Porto de Mariel,em Cuba,quer ser principal conexão do Canal do Panamá

Internacional

As projeções do moderno terminal de contêineres cubano, que começou a operar em janeiro de 2014, foram analisadas em um painel durante a XII Panamá Maritime sobre o futuro do setor portuário assim que as obras do Canal do Panamá sejam concluídas.O terminal de contêineres de Mariel tem a capacidade de receber navios Post-Panamax , com capacidade dobrada em relação aos usados atualmente....

G1
foto - ilustração
O terminal de contêineres do porto de Mariel, em Cuba, quer se transformar na melhor opção logística da região após a ampliação do Canal do Panamá, disse nesta segunda-feira (13) um dos diretores do porto em uma reunião internacional que analisa o impacto da expansão da via interoceânica panamenha.
As projeções do moderno terminal de contêineres cubano, que começou a operar em janeiro de 2014, foram analisadas em um painel durante a XII Panamá Maritime sobre o futuro do setor portuário assim que as obras do Canal do Panamá sejam concluídas.
O diretor comercial do terminal de Mariel, Marcelo Lluveras, destacou a importância da expansão panamenha e as oportunidades que serão abertas para os portos que tenham condições de atender a nova demanda na região.
O projeto de ampliação do Canal do Panamá, iniciado em 2007 e com término previsto inicialmente em outubro de 2014, só ficará pronto em abril de 2016. O consórcio terceirizado que executa as obras e a administração do local trocam acusações sobre os motivos do atraso.
A partir do anúncio da expansão, Cuba definiu uma política integral de desenvolvimento no país e criou a zona especial de Mariel, indicou Lluveras. O objetivo é aumentar o comércio exterior da ilha, aproveitando da proximidade com o canal panamenho.
Temos possibilidade de conexões com o mundo todo a partir da ampliação do Canal do Panamá. Nossa posição geográfica facilita a expansão em direção ao Caribe e à costa leste dos Estados Unidos. Podemos ser a melhor opção de porto de baldeio internacional na região. Nós realmente estamos no centro de todas as rotas, seja da Ásia, da Eruopa ou da costa leste e oeste da América Latina, apontou Lluveras.
O vice-presidente de marketing e vendas do Porto de Cartagena, na Colômbia, Giovanni Benedetti, disse à Agência Efe que Mariel tem uma oportunidade muito boa, e que a primeira etapa vai ser positiva, acompanhando a abertura proposta por Cuba recentemente.
Apesar disso, Benedetti afirmou que a posição geográfica de Mariel não é tão favorável assim. Cartagena, Panamá e Jamaica ainda seriam mais próximos do canal. O porto cubano só teria a seu favor a grande zona franca que tem, em teoria, mais de 2 mil hectares .
Uma forma de romper o bloqueio não é deixando que os bens fluam em direção a Cuba, mas que as companhias se instalem no país e os produtos saiam de Cuba para o exterior , afirmou.
A primeira etapa do novo terminal, que contou com financiamento brasileiro, é o coração da Zona Especial de Desenvolvimento de Mariel, criada com objetivo de se transformar em um dos motores econômicos de Cuba e um foco de atração de capital estrangeiro.
Ferrovias, armazéns, canais e pontes são algumas das infraestruturas construídas no porto de Mariel, situado a cerca de 45 quilômetros ao oeste de Havana. As obras, feitas pela Odebrecht, custaram US$ 957 milhões, sendo US$ 682 milhões financiados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).
Para a segunda etapa do projeto está previsto que o Brasil contribua com mais um segundo financiamento, da ordem de US$ 290 milhões, de acordo com fontes oficiais.
O terminal de contêineres de Mariel tem a capacidade de receber navios Post-Panamax , com capacidade dobrada em relação aos usados atualmente e que, a partir da ampliação, poderão circular pela via marítima interoceânica. EFE
Fonte - Revista Ferroviária  14/04/2015

Em apenas 3 anos, BRT Transoeste já está saturado

Mobilidade

A questão básica é a seguinte: Por que a escolha do BRT?…1º ) Forte influência do lobby dos pneus . 2º) Para o administrador público que quer uma obra rápida e supostamente mais barata,para que possa ser inaugurada ainda dentro do período da sua gestão.Ainda assim os projetos de sistemas de BRT são abreviados para que consumam menos tempo de construção a exemplo do Transoeste e muito outros sistemas iguais implantados a toque de caixa no pais.....

Caio Lobo

E é aniversário de 3 anos do BRT Transoeste, o primeiro BRT que foi entregue na cidade do Rio de Janeiro. Foram convidados 15 mil pessoas para a festa, porém 17 mil vieram, saturando e estragando a festa.
Não entendeu nada o que disse? Vou explicar então. 3 anos se passaram desde a entrega do BRT Transoeste, com custo de R$ 900 mi, e hoje o sistema já esta saturado. Projetado para levar 15 mil pessoas por hora, ele leva hoje 17 mil.
Segundo o engenheiro Eduardo Ratton, em entrevista ao jornal Extra, que o BRT suporta até 15 mil passageiros por hora/sentido. Acima disso, recomenda-se o VLT, que comporta até 35 mil. A partir daí, é metrô. Ratton disse também que o BRT de Curitiba, que inspirou de modelo para o carioca, encontra-se saturado atualmente, porém isso levou 30 anos para acontecer. A capital paranaense já tem projetos de metrô para substituir o BRT.
A Secretaria municipal de Transportes reconhece que “existem problemas, sim, que estão sendo identificados” e promete resolver as questões com obras de infraestrutura ou ajustes determinados pela prefeitura. O órgão ressalta que já solicitou o aumento da frota ao consórcio e desenvolveu um pacote de melhorias que será encaminhado à Secretaria municipal de Obras.
O consórcio BRT reconhece as falhas, mas afirma que a frota cresceu 20% desde 2012. O BRT ressalta que uma parcela dos passageiros do Transoeste migrará para a Transolímpica a partir de 2016. O consórcio não informou a média de passageiros por hora/sentido na Transcarioca.
Fonte - Via Trólebus  13/04/2015

COMENTÁRIO Pregopontocom

A questão básica é a seguinte: Por que a escolha do BRT?…1º ) Forte influência do lobby dos pneus . – 2º) Para o administrador público que quer uma obra rápida e supostamente mais barata,para que possa ser inaugurada ainda dentro do período da sua gestão.Ainda assim os projetos de sistemas de BRT são abreviados para que consumam menos tempo de construção a exemplo do Transoeste que possui apenas uma faixa por sentido com as ultrapassagens sendo feitas apenas nas estações.-3º) Um sistema de BRT completo e tecnicamente correto exige duas calhas de “concreto”/por sentido (ida e volta) cada uma com no mínimo 7(sete) metros de largura com duas faixas continuas em cada calha,uma de circulação e outra de ultrapassagem permanente.O sistema deve ser composto por 3 linhas,Uma paradora (todas as estações),Uma Semi Expressa (que serve apenas algumas estações com picos de demandas) e a linha Expressa (direta) que liga apenas as estações de ponta.Por esse exato motivo e também por eventuais interrupções que possam a vir ocorrer nos corredores em virtude de acidentes ou panes nos veículos, que possam ocasionar algum tipo de bloqueio, é que se faz necessário a implantação de calhas com duas faixas permanentes ao longo de todo o circuito,para que a operação não sofra solução de continuidade com a interrupção do fluxo causados por tais intercorrências.E qual a capacidade de atendimento de demanda observados rigorosamente todos esses parâmetros na implantação do sistema?…..A capacidade de atendimento de demanda normal sem superlotações ou transtornos causados nos embarque e desembarques dos passageiros nas estações é de 19.000 passageiros/h.por sentido,podendo chegar a 23.000 passageiros/h.pico.p/sentido.Dentro desse quadro e mantendo uma "velocidade média" de 26 km/h o sistema opera dentro da normalidade e dentro de um prazo não muito longo, ainda a depender da localidade onde seja implantado. Mas….. é preciso lembrar que o mesmo nunca deve ser utilizado quando a demanda detectada para o serviço já atinge 70 % da sua cota máxima,pois tornara o projeto inviável dentro de um curtíssimo prazo de tempo de operação,e é isso exatamente o que acontece com o Transoeste e muitos outros sistemas de BRTs implantados no Brasil a toque de caixa.O resultado é que no fim o Governo acaba gastando 3(três) vezes mais do que deveria para implantar um sistema duradouro para médio e longo prazo.Gasta 1ª vez para fazer o mal feito,a 2ª para desmancha-lo e a 3ª para fazer um projeto correto e de longa duração…Não existe mistério nessa questão,existe sim falta de bom senso,de planejamento,de responsabilidade com a cidade e a coisa pública e de respeito ao cidadão……..

Novos manobradores recebem treinamento na CBTU João Pessoa

Transportes sobre trilhos

O treinamento visa qualificar a mão de obra para atuação no serviço de atrelar e desatrelar, sinalizar e fazer a acoplagem do equipamento. O curso terá uma carga horária de 68 horas teóricas e 112 horas práticas.

CBTU - João Pessoa
CBTU
A CBTU João Pessoa iniciou, na semana passada, o curso de formação de manobradores dos 8 novos Assistentes Operacionais (ASO). O treinamento visa qualificar a mão de obra para atuação no serviço de atrelar e desatrelar, sinalizar e fazer a acoplagem do equipamento. O curso terá uma carga horária de 68 horas teóricas e 112 horas práticas.
Essa fase inicial consiste no estudo de cinco módulos, que são: comunicação operacional; via permanente; pátio e zonas de manobras; manobras e sinalização; e por fim, material rodante. De acordo com o instrutor, Odilon Tenório de Brito Neto, eles precisam de todo esse treinamento para, assim, dar início à escala de serviço. “Mesmo com todo aprendizado necessário a CBTU só os liberará para o serviço a princípio supervisionado”, assegurou.
O manobrador, Pedro Alves, está achando bastante proveitoso o treinamento. “Estamos vendo a teoria e como aplicar na prática. O instrutor mostra a realidade do serviço. Além disso, temos a oportunidade de interagir com o condutor, pois seremos os olhos dele”, afirmou.
Segundo outro iniciante na manobra, Jeferson Bernardo, ele está adorando esse primeiro módulo de comunicação operacional, pois aprendem a mexer nos rádios e demais equipamentos de comunicação. E todos os novos empregados de manobra se mostraram empolgados com a empresa e com a referida função.
Fonte - CBTU  13/04/2015

Governos do Brasil e África se reúnem para discutir avanços na agenda de proteção social - ONU

Internacional

Seminário em Senegal debate financiamento maior e mais sustentável para iniciativas de proteção social; Objetivo é tirar milhões de pessoas da pobreza e colocá-las no caminho da prosperidade.

Revista Amazônia

Se África quiser retirar milhões de pessoas da pobreza e encaminhá-las para a prosperidade, será necessária uma forte vontade política dos líderes africanos para assegurar um financiamento acrescido e sustentado das iniciativas de proteção social.
Estas são algumas das recomendaões do Seminário Internacional sobre Proteção Social na África, realizado nos dias 8 e 9 de abril em Dacar, Senegal, que contou com o apoio do governo brasileiro, a União Africana e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), por meio do Centro Mundial para o Desenvolvimento Sustentável (Centro RIO+) e do Instituto Lula.
O evento que reuniu 13 países africanos concluiu que a proteção social deve ser vista como um conjunto abrangente de intervenções intersetoriais para proteger os cidadãos, com prioridade para os mais pobres, contra os choques sociais, ambientais e econômicos que surgem ao longo do seu ciclo de vida e desenvolver a sua aptidão para resistir às crises, bem como para melhorar o seu bem-estar.
O Bolsa Família, programa de transferência condicionada de renda do Brasil, foi citado como um exemplo de plataforma que tirou milhões de pessoas da pobreza, promove a saúde e educação, e reduziu significativamente os níveis de desigualdade. Participantes ressaltaram que os sistemas de proteção social, quando bem orientados e monitorados, são um investimento, ao invés de simplesmente despesas.
Como os programas de proteção social em muitos países africanos são apoiados por parceiros internacionais, os participantes reconheceram que o financiamento dos doadores ainda tem um papel a desempenhar. A mobilização de recursos internos mais eficazes, incluindo a conformidade do setor privado com os impostos, foram recomendações adicionais para ajudar a impulsionar a agenda de proteção social.
As recomendações serão apresentadas na Reunião interministerial da União Africana sobre Desenvolvimento Social, Trabalho e Emprego no final deste mês, em Adis Abeba, na Etiópia. O Seminário em Dacar acontece em um momento crítico onde representantes internacionais se preparam para se reunir em julho, na Terceira Conferência Internacional sobre o Financiamento do Desenvolvimento, encontro em que chegarão a um acordo sobre um novo quadro para financiar a nova agenda pós-2015.
Fonte - Revista Amazônia 13/04/2015