sábado, 28 de março de 2015

Carta Mundial da Mídia Livre é lançada no Fórum Social na Tunísia

Internacional

Entre as prioridades estabelecidas no documento estão o desenvolvimento de marcos democráticos de regulação da comunicação, por meio de órgãos independentes, o apoio aos meios de comunicação comunitários e a independência da mídia pública em relação ao governo e ao mercado.

Ana Cristina Campos 
Enviada Especial da Agência Brasil/EBC 

A Carta Mundial da Mídia Livre, com princípios e ações estratégicas para promover uma comunicação democrática em todo mundo, foi lançada hoje (28) na Assembleia de Convergência pelo Direito à Comunicação, no último dia do Fórum Social Mundial, na Universidade El Manar, em Túnis, capital da Tunísia.
Entre as prioridades estabelecidas no documento estão o desenvolvimento de marcos democráticos de regulação da comunicação, por meio de órgãos independentes, o apoio aos meios de comunicação comunitários e a independência da mídia pública em relação ao governo e ao mercado.
A carta também defende a governança democrática da internet, incluindo a garantia de neutralidade da rede, o direito à vida privada e à liberdade de expressão, além da universalização do acesso aos meios de comunicação e à internet banda larga.
Após o lançamento da carta, os ativistas da comunicação pretendem construir parcerias com outros setores para a promoção dos princípios do documento e divulgar o documento em debates e fóruns de discussão sobre as mídias e a internet livres, entre outras iniciativas.
Comunicadores, blogueiros e representantes de movimentos sociais de diversos países debateram, desde o dia 22 de março, a liberdade de expressão e o direito à comunicação na quarta edição do Fórum Mundial de Mídia Livre (FMML) na Universidade El Manar. O FMML é um evento paralelo ao Fórum Social Mundial.
Fonte - Agência Brasil  28/03/2015

Trensurb encerra comemorações de aniversário dos 30 anos de operações do metrô,na estação de Novo Hamburgo

Transportes sobre trilhos

Trensurb, que completa 30 anos de operações, promoveu atos comemorativos em estações dos seis municípios atendidos pela linha metroviária.

Trensurb
foto - Lucas Quadros/Trensurb
Na tarde desta sexta-feira (27), a Estação Novo Hamburgo da Trensurb recebeu o último dos atos em comemoração ao aniversário de 30 anos de operação da Linha 1 junto aos passageiros do metrô. As festividades aconteceram ao longo do mês em todos os seis municípios atendidos pela empresa, sempre com direito a “parabéns a você” e distribuição de bolo para os usuários. As estações Mercado, Canoas, Esteio, Sapucaia e São Leopoldo receberam atos similares ao de hoje nos dias 4, 11, 13, 19 e 25, respectivamente. A atividade desta tarde contou ainda com uma “trilha sonora”, cortesia do grupo Buquezeiros Choro & Samba.
Instituída por meio do Decreto Federal nº 84.640, de 17 de abril de 1980, a Trensurb iniciou a operação comercial da Linha 1 em 4 de março de 1985, ligando, na época, Porto Alegre e Sapucaia do Sul. A cerimônia de inauguração havia se dado dois dias antes. Foi em 2012 que o metrô chegou a Novo Hamburgo: no mês de julho, foi inaugurada a Estação Santo Afonso. Já em maio de 2014, outras três estações em solo hamburguense começaram a operar comercialmente: Industrial, Fenac e Novo Hamburgo.
Nessas três décadas de operação, mais de 1,2 bilhão de passageiros foram transportados pela empresa, contribuindo no desafogamento do tráfego rodoviário, com consequente redução dos gastos de manutenção das vias públicas e do número de acidentes. E, ao utilizar energia limpa e renovável, a Trensurb promove ainda a redução da poluição ambiental.
Somente em 2014, foram transportados 58,87 milhões de usuários, uma média de 4,9 milhões de pessoas por mês e 192 mil passageiros por dia útil. No ano que passou, cinco milhões de pessoas acessaram o metrô através das estações hamburguenses – Santo Afonso, Industrial, Fenac e Novo Hamburgo -, 15,5 mil por dia útil.
Em seu discurso no evento de hoje, o diretor-presidente da Trensurb, Humberto Kasper, lembrou que “foi justamente neste trigésimo ano que fechamos em março que tivemos a satisfação e a alegria de concluir o projeto original da empresa”, referindo-se à conclusão da expansão da linha até o Centro de Novo Hamburgo, conforme projetado pelo Grupo Executivo de Integração da Política de Transportes do governo federal na década de 1970. Kasper destacou a mobilização da comunidade e a “sinergia” entre Trensurb, administração municipal e sociedade civil para tornar possíveis as obras de expansão. “Se teve alguém que batalhou para ter o trem foi o povo de Novo Hamburgo”, disse. Segundo ele, tratou-se de um empreendimento “exemplar”, que “cumpriu rigorosamente o cronograma e ainda trouxe uma série de benefícios para o município”, alguns dos quais nem constavam no escopo do projeto original, como a conclusão da Estação Industrial e o melhoramento hidrodinâmico do Arroio Luiz Rau. O diretor-presidente ainda falou de outra ação recente que traz mais qualidade para o transporte da Trensurb: a aquisição dos 15 novos trens com ar condicionado, sistema de comunicação multimídia, menor gasto energético e passagem entre os carros. Até o fim de junho, todos eles devem estar operando plenamente. Kasper encerrou sua fala agradecendo a todos: prefeito, usuários, metroviários e comunidade em geral.
O prefeito Luis Lauermann, por sua vez, iniciou sua manifestação falando da “alegria de comemorarmos essa conquista do povo hamburguense”, referindo-se à chegada do metrô ao município, classificado por ele como “um transporte seguro, de qualidade”. Lauermann agradeceu aos empregados e gestores da Trensurb pela qualidade e presteza no atendimento à população. “É impressionante o quanto essa obra fez bem para nosso povo, nossa economia e o Vale do Sinos”, disse o prefeito a respeito da expansão da linha até Novo Hamburgo. Ele destacou, ainda, o valor da tarifa social, de R$ 1,70, possível graças ao subsídio do governo federal. Segundo ele, o transporte de massa a baixo custo realizado pela Trensurb “é uma das principais provas de como é importante termos políticas públicas para melhorar a vida da população”. “Parabéns à Trensurb e à comunidade por esse extraordinário serviço”, finalizou.
Moradora de Alvorada, Heloísa Gomes passava pela Estação Novo Hamburgo durante o ato festivo. Ela aprovou a música dos Buquezeiros e o bolo de aniversário: “Muito gostoso”, disse. Aprovou, também, a expansão do metrô até o município. Heloísa conta que tinha dificuldades para se deslocar da cidade em que reside até a capital do calçado, principalmente devido ao tempo que levava, tendo que embarcar em dois ônibus. “O trem facilitou muito”, afirma.
Representaram também a Trensurb no evento de hoje o diretor de Operações, Carlos Augusto Belolli, empregados e gestores.
Fonte - Trensurb  27/03/2015

Programa Água Doce leva qualidade de vida para 70 mil baianos

Política

Integrado ao Água para Todos, o Programa Água Doce prevê a construção e recuperação de 385 sistemas de dessalinização, ampliando a oferta de água potável para 150 mil pessoas na Bahia. “Entre grandes investimentos e ações capilares como essa, a Bahia já investiu R$ 4 bilhões em abastecimento, nos últimos anos.

Secom
Secom
Bahia - Transformar água imprópria ao uso em fonte para o consumo de milhares de famílias da zona rural do nordeste baiano. Esta é a meta da implantação de 145 sistemas de dessalinização da água de poços artesianos do Programa Água Doce, autorizada nesta sexta-feira (27), em Minuim, distrito de Santa Brígida - um dos 28 municípios da microrregião de Paulo Afonso que vão ser contemplados.
A ordem de serviço para a primeira etapa da ação, viabilizada por meio da parceria entre o governo federal e do Governo da Bahia, foi assinada pelo governador Rui Costa e pela ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira. A estimativa é que 70 mil pessoas serão beneficiadas com o investimento de R$ 61 milhões.
Integrado ao Água para Todos, o Programa Água Doce prevê a construção e recuperação de 385 sistemas de dessalinização, ampliando a oferta de água potável para 150 mil pessoas na Bahia. “Entre grandes investimentos e ações capilares como essa, a Bahia já investiu R$ 4 bilhões em abastecimento, nos últimos anos. Esses sistemas trazem, além de água para o consumo, renda para a população”, disse Rui.

Unidade demonstrativa
Os sistemas seguem o modelo da unidade demonstrativa implantada há cinco anos no povoado de Minuim, na zona rural de Santa Brígida. Após o processo de dessalinização, a água do poço chega às 130 famílias da comunidade pura e pronta para beber.
A família do agricultor Clóvis Nascimento, 59 anos, trocou o pagamento por galões de água pela captada a poucos metros de casa na unidade, que segundo ele mudou para melhor a qualidade de vida da comunidade. “Antes tínhamos muitos casos de diarréia e [outros] problemas de saúde por causa da água, [e agora] existe a facilidade de estar mais próxima”.
A água salinizada é aproveitada na produção de peixes e irrigação da forrageira erva-sal para a alimentação de caprinos e ovinos. Tudo é administrado pelos moradores por meio de uma associação comunitária. “É uma das únicas fontes de renda que temos e é bom porque a água salgada, que poderia prejudicar a terra, é aproveitada. Para a natureza é uma riqueza”, disse a presidente da associação, Íris Feitosa.
Na Bahia o programa é desenvolvido pela Secretaria do Meio Ambiente (Sema) e pela Companhia de Engenharia Ambiental e Recursos Hídricos da Bahia (Cerb), que já diagnosticaram 215 dos 700 poços a serem visitados em mais de mil localidades.
Ao todo, 41 municípios já estão selecionados para receber o programa. São prioridades as regiões onde há grupos de famílias e pequenas comunidades não atendidas por qualquer sistema de abastecimento de água potável. Para a ministra, a implantação do sistema “significa dar autonomia a essas comunidades, que passam a gerir um recurso que pertence a elas”.

Escola e investimentos
Ainda em Santa Brígida, Rui Costa autorizou obras de saneamento e entregou uma retroescavadeira destinada à recuperação de estradas vicinais e à construção de barragens e cisternas. Também, dando continuidade à série de visitas a unidades escolares baianas, o governador esteve no Centro Educacional Antonio da Silva Feitosa, no povoado de Minuim.
Fonte - Secom Ba  27/03/2015 

sexta-feira, 27 de março de 2015

Ciclistas comemoram decisão da Justiça favorável a ciclovias em São Paulo

Mobilidade

A notícia da suspensão chegou ao conhecimento dos ciclistas por volta das 21h, quando faziam uma manifestação na Avenida Paulista em favor das ciclovias. Os ativistas inciaram o ato na Praça do Ciclista, pedalaram até a Rua Bernardino de Campos e retornaram pela Avenida Paulista.

Camila Boehm 
Repórter da Agência Brasil
outraspalavras
Ciclistas comemoraram a decisão do Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo, que suspendeu na noite de hoje (27) os efeitos da liminar, de primeira instância, que proibia – com exceção da ciclovia da Avenida Paulista – a construção de ciclovias, ciclofaixas e ciclorrotas na cidade. O pedido da suspensão da liminar foi feito pela prefeitura.
A notícia da suspensão chegou ao conhecimento dos ciclistas por volta das 21h, quando faziam uma manifestação na Avenida Paulista em favor das ciclovias. Os ativistas inciaram o ato na Praça do Ciclista, pedalaram até a Rua Bernardino de Campos e retornaram pela Avenida Paulista.
“Menos carro, mais bicicleta”, “vai ter ciclovia” e “promotora, cadê você, eu to aqui pra você me ver”, eram algumas das frases que os manifestantes gritavam durante a bicicletada.
Ciclistas de pelo menos 20 localidades do país participam de manifestações em apoio ao ato de São Paulo. O protesto também ocorre em 16 cidades do exterior, entre elas Londres, na Inglaterra; São Francisco, nos Estados Unidos; Munique e Colônia, na Alemanha; e Palermo, na Itália.
Fonte - Agência Brasil  27/03/2015

Renato Janine será o novo ministro da Educação

Política

Filósofo Renato Janine será o novo ministro da Educação O novo ministro é professor titular de ética e filosofia política da Universidade de São Paulo (USP) e tomará posse como ministro da Educação no dia 6 de abril

Mariana Jungmann
Repórter da Agência Brasil 
Antonio Cruz/ Arquivo Agência Brasil
A Presidência da República anunciou hoje (27) que o filósofo e professor Renato Janine Ribeiro será o novo ministro da Educação. Ribeiro ocupará a vaga deixada por Cid Gomes na semana passada, depois que o então ministro acusou deputados de serem achacadores e oportunistas.
O novo ministro da Educação é professor titular de ética e filosofia política da Universidade de São Paulo (USP) e especialista na obra do filósofo inglês Thomas Hobbes, sobre quem focou suas pesquisas de mestrado e doutorado. Sobre o filósofo, Ribeiro publicou os livros A Marca do Leviatã e Ao Leitor Sem Medo.
Ribeiro escreveu ainda ensaios sobre filosofia política focando a realidade brasileira. Ele venceu o Prêmio Jabuti em 2001 com a obra A Sociedade Contra o Social: O Alto Custo da Vida Pública no Brasil. O filósofo tem ainda publicações que tratam de democracia, da relação da universidade com a sociedade e sobre a forma de fazer política em geral. Ao todo Ribeiro tem 18 livros editados, além de ensaios e artigos em publicações científicas.
No serviço público, além de ter sido aprovado no concurso para professor da USP, Janine atuou como membro do Conselho Deliberativo do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) (1993-1997), do conselho da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) (1997-1999), secretário da SBPC (1999-2001) e diretor de avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) (2004-2008). Além disso, foi membro do Conselho Deliberativo do Instituto de Estudos Avançados da USP e é membro do Conselho Superior de Estudos Avançados da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), segundo informações do Palácio do Planalto.
Ribeiro fez mestrado na Université Paris 1 Pantheon-Sorbonne, doutorado pela USP e pós-doutorado pela British Library. O novo ministro foi convidado hoje pela presidenta Dilma Rousseff para assumir o cargo e tomará posse no dia 6 de abril.
Fonte - Agência Brasil  27/03/2015

Projeto-piloto de geração de energia solar em reservatórios começa em 120 dias

Energia

Adotada na Europa e nos Estados Unidos, a nova tecnologia usa flutuadores com placas solares.No Brasil, a ideia é testar a tecnologia nos grandes reservatórios.

Alana Gandra
Repórter da Agência Brasil 
Divulgação/Usina Mauá
Dentro de 120 dias, o Ministério de Minas e Energia pretende dar início aos testes do projeto-piloto de geração de energia solar em reservatórios de hidrelétricas. Em entrevista coletiva hoje (27) na Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), o ministro Eduardo Braga disse que a ideia é ter uma política pública de financiamento para esses projetos na Região Sudeste, “no segundo semestre deste ano”.
A nova tecnologia usa flutuadores com placas solares e está sendo adotada na Europa e Estados Unidos. O ministro ressaltou, entretanto, que a Europa não dispõe de grandes hidrelétricas. “Estão fazendo isso em pequenos reservatórios de água para usos múltiplos.”
No Brasil, a ideia é testar a tecnologia nos grandes reservatórios. O primeiro deles será o da Usina Hidrelétrica de Balbina, no Amazonas. Braga considera Balbina o reservatório mais favorável, porque tem grande área alagada com reduzida geração de energia. “Temos uma ociosidade de subestação e de linhas de transmissão com circuito duplo. Nós vamos fazer lá os primeiros 350 megawatts (MW) testados.”
Para isso, o ministério está em conversação com a Eletronorte, subsidiária da Eletrobras, que é proprietária da usina, tratando da questão da licença ambiental. A iniciativa requer também a constituição de uma sociedade de propósito específico com os detentores da tecnologia para dar início à experiência piloto.
Braga disse que o custo nos leilões de energia fotovoltaica tem ficado entre R$ 190 e R$ 210 o megawatt. A expectativa do ministro é que o custo da energia solar com os flutuadores fique um pouco mais alto, entre R$ 220 a R$250 o megawatt, em função do custo adicional dos flutuadores. “Esse é um projeto pioneiro, que nós precisamos testar.”
A vantagem, destacou o ministro, é que a energia será captada dentro dos reservatórios, usando subestações e linhas que já existem. "Portanto, teremos uma resposta de geração muito rápida”. Ele aposta que haverá ganho de eficiência e salientou que, só nos reservatórios da Região Sudeste, o potencial de produção de energia solar atinge 15 mil MW, dentro das hidrelétricas. "É mais que uma [Usina de] Itaipu para o Brasil”, disse. A capacidade de geração em Balbina alcança 3 mil MW. O projeto-piloto será 350 MW.
Fonte - Agência Brasil  27/03/2015

Primeiros trilhos do VLT são instalados na Zona Portuária do Rio

Transportes sobre trilhos

O VLT é um projeto da prefeitura do Rio de Janeiro e integra as intervenções da Operação Urbana Porto Maravilha. Cada carro do VLT Carioca trafegará com velocidade média de 17 km/h e transportará até 420 passageiros. O sistema de pagamento será por validação voluntária, integrado ao Bilhete Único.

G1
foto - ilustração
Rio - A Prefeitura do Rio instalou na madrugada desta quinta-feira (26) os primeiros trilhos do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). Foram implantados 400 metros de trilhos na Rua General Luiz Mendes de Morais, no entorno da Rodoviária Novo Rio, no Santo Cristo. Mais de 500 operários participam desta etapa de execução da pré-montagem dos trilhos da via permanente do VLT.
Posteriormente, serão fixados dormentes e trilhos e, em seguida, equipamentos e cabos de sinalização e energia. A concretagem e a camada de cobertura, sempre de acordo com a urbanização de cada ponto da passagem, finalizam a implantação do caminho do VLT.
O VLT é um projeto da prefeitura do Rio de Janeiro e integra as intervenções da Operação Urbana Porto Maravilha. Cada carro do VLT Carioca trafegará com velocidade média de 17 km/h e transportará até 420 passageiros. O sistema de pagamento será por validação voluntária, integrado ao Bilhete Único.
Assim que todas as linhas estiverem operando, a capacidade de transporte atingirá até 300 mil passageiros por dia. Os intervalos entre um trem e outro poderão variar entre três e 15 minutos, de acordo com a linha, demanda e horário. O VLT Carioca não tem catenárias - cabos aéreos para captação da energia elétrica. O fornecimento se dará com a alimentação de energia pelo solo (sistema APS).
Um protótipo do veículo está aberto à visitação na Cinelândia de segunda a sexta-feira, das 9h às 19h, e aos sábados, das 9h às 14h. Vídeo e conteúdo expositivo apresentam detalhes sobre trajeto e funcionamento do VLT. O público poderá visitar as instalações internas, receber informações detalhadas sobre o projeto, tirar dúvidas e assistir a vídeos.
Fonte - Revista Ferroviária   27/03/2015

Veja aqui como funciona o Sistema APS



China rivaliza com FMI e Banco Mundial

Internacional

Professor de Relações Internacionais da Unisinos e da Escola Superior de Propaganda e Marketing, do Rio Grande do Sul, Diego Pautasso escreve sobre a importância econômica atual da China. Veja a seguir.

Sputinik
Sputinik
Opinião - A China tem se tornado artífice de grandes transformações na arquitetura financeira e geopolítica global. Os chineses querem rivalizar com a estrutura originada no sistema Bretton Woods (Banco Mundial e FMI), cujo controle está nas mãos de estadunidenses e seus sócios europeus. Primeiro, protagonizaram, junto com os demais integrantes do grupo BRICS, a criação do Novo Banco de Desenvolvimento e do Acordo Contingente de Reservas, de 50 e 100 bilhões de dólares, respectivamente.
Lagarde:FMI e AIIB da China têm boas
 perspectivas de cooperação
© REUTERS/ YURI GRIPAS
O governo chinês continua sua trajetória de deslocar progressivamente o centro de gravidade da economia mundial e, por isso, sua mais recente iniciativa inclui a criação do Banco Asiático de Investimentos em Infraestrutura (AIIB), com capital de 50 bilhões de dólares iniciais.
Apesar da tentativa dos Estados Unidos de evitarem que seus aliados asiáticos integrem a iniciativa chinesa, a maioria dos países da região já aderiu e, mais recentemente, governos de França, Alemanha e Itália também decidiram fazer parte desse movimento diplomático. Enfim, a liderança chinesa da integração euroasiática, como a proposta de recriar uma nova e pujante Rota da Seda, teria o poder de redefinir o papel dos Estados Unidos na região e no mundo. A ver.
Fonte - Sputnik Brasil  27/03/2015

A história de Salvador contada pelo historiador e professor Francisco Sena

Perfil e Opinião - Francisco Sena

Para celebrar o aniversário de Salvador, o Perfil e Opinião (TVE Ba) desta semana convida o historiador e professor Francisco Sena. No encontro, Sena conta sobre as principais intervenções arquitetônicas sofridas por Salvador nos últimos 466 anos!



Imagem TVE Ba
Programa exibido na TVE Ba

quinta-feira, 26 de março de 2015

ConCidades: CT de Mobilidade Urbana discute PPP e elege representantes para GT Salvador 500

Mobilidade

O GT – que será formalmente criado durante o Pleno desta sexta-feira, no auditório da Secretaria de Educação (SEC) – terá como foco a discussão do Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU) de Salvador e o impacto que ele causará no crescimento de Salvador e da Região Metropolitana.

Sedur/Ascom
CT de Mobilidade Urbana em reunião no CAB.
 Foto: Ascom Sedur
A Câmara Técnica (CT) de Mobilidade Urbana elegeu, nesta quinta-feira (26), dois representantes para integrar o Grupo de Trabalho (GT) Salvador 500 e discutiu as Parcerias Público-Privadas (PPP), como aconteceu com o metrô de Salvador.
Durante a reunião, a representante de Vera Cruz, Dejanira Roberta Borges, foi eleita titular do GT, e Francisco José dos Santos, conselheiro de Pojuca, como suplente. O GT – que será formalmente criado durante o Pleno desta sexta-feira, no auditório da Secretaria de Educação (SEC) – terá como foco a discussão do Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU) de Salvador e o impacto que ele causará no crescimento de Salvador e da Região Metropolitana.
Segundo a superintendente de Mobilidade Urbana da Sedur, Grace Gomes, o grupo também terá que debater como o Conselho das Cidades poderá ajudar na discussão do PDDU de Salvador com um olhar metropolitano, e não limitado somente à capital baiana.
“Estamos tentando fortalecer os conselhos de outros municípios do estado, queremos trazer essa discussão mais para dentro da Câmara, exatamente para assegurar esta participação e também para que possamos acompanhar de perto a formulação dos projetos garantindo o que é fundamental para quem estamos representando, que é a população usuária de transporte”, explica Grace.
Fonte - Sedur Ba  26/03/2015

Cardozo diz que irá à CPI do HSBC e defende investigações fiscais e criminais

Política

A investigação jornalística sobre o caso, conhecida como SwissLeaks, é comandada pelo ICIJ, sigla em inglês para Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos. Acredita-se inicialmente que houve sonegação e evasão fiscal por parte do banco e de alguns correntistas com contas na Suíça.
"Jamais me furtarei a atender a um convite do Congresso Nacional.

Vladimir Platonow 
Repórter da Agência Brasil
foto - ilustração
O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse hoje (26), no Rio de Janeiro, que atenderá ao convite feito por integrantes da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) criada para investigar possíveis crimes financeiros e fiscais a partir de contas abertas por brasileiros no Banco HSBC da Suíça.
A investigação jornalística sobre o caso, conhecida como SwissLeaks, é comandada pelo ICIJ, sigla em inglês para Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos. Acredita-se inicialmente que houve sonegação e evasão fiscal por parte do banco e de alguns correntistas com contas na Suíça.
"Jamais me furtarei a atender a um convite do Congresso Nacional. Irei sempre que convidado, a quaisquer comissões ou mesmo ao plenário. É um dever do governante prestar contas ao Poder Legislativo. No caso do HSBC, existiriam cerca de 8 mil brasileiros, segundo a imprensa, que teriam contas no HSBC da Suíça. Nós não sabemos se são legais ou ilegais ou que contas são", disse Cardozo, após reunião com o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, para tratar do combate a grupos de milicianos e traficantes que têm invadido conjuntos residenciais do Programa Minha Casa, Minha Vida.
Cardozo destacou que o governo brasileiro requisitou informações oficiais dos governos francês e suíço sobre essas contas bancárias. Ele disse que, diante da possibilidade de existirem brasileiros com contas ilegais em um banco estrangeiro, sem a devida declaração à Receita Federal, "entramos em contato com o governo francês, uma vez que esses dados saíram da Suíça e foram para a França, bem como entramos em contato com a Suíça. Há uma firme disposição do governo francês de, com rapidez, atender ao pedido, e que os dados sejam encaminhados ao Brasil".
O ministro explicou que tão logo as informações cheguem, elas serão confrontadas com as declarações dos contribuintes, para checar sua legalidade. "Assim que esses dados chegarem, serão encaminhados à Polícia Federal e à Receita Federal para que façam o exame dos nomes, a confrontação das respectivas declarações de rendimento, para verificar se as contas são legais ou ilegais. No caso de existirem ilegalidades, seguramente teremos uma parte que será apurada pela Receita Federal, por força dos delitos fazendários, e outra parte criminal, que poderia, em tese, envolver crimes de evasão de receita e lavagem de dinheiro."
Cardozo defendeu que haja celeridade nas investigações, e disse que "o governo tem total interesse, o dever, de fazer o possível para obter esses dados e fazer a investigação. Se há indício de crimes, cabe ao governo apurar e agir com a máxima rapidez para que isso seja esclarecido".
Ele comentou também que a Operação Zelotes, deflagrada hoje contra fraudadores da Receita Federal, incluindo integrantes do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) – o antigo Conselho de Contribuintes da Receita, vinculado ao Ministério da Fazenda – e escritórios de advocacia e de contabilidade, "foi uma operação da Polícia Federal [PF], com absoluta autonomia. Esta é uma etapa desta investigação".
Quanto aos crimes praticados por milicianos e traficantes contra moradores do Minha Casa, Minha Vida, o ministro informou que haverá uma operação conjunta, com a participação da PF e das polícias do Rio. O objetivo é identificar e prender os criminosos que, em diversos casos, têm aterrorizado moradores dos conjuntos habitacionais, que são obrigados a deixar os imóveis, sob ameaça de morte.
Fonte - Agência Brasil  26/03/2015

Licitação para construção do metrô de Bogotá será realizada em 2016

Transportes sobre trilhos

Será que o metrô de Bogotá encontrou seu rumo? - O projeto está orçado em 16 trilhões de pesos colombianos (R$20 bilhões) e será financiado com ajuda do governo.A primeira linha do metrô de Bogotá, composta por um percurso de 27 quilômetros, cruzará a cidade e contará com 27 estações. A estimativa é que 44,4 mil passageiros por hora usem o serviço em 2021, data prevista para o início da operação.

Uol Economia - Autor: EFE 
créditos: Arquivo
A licitação das obras para a construção do metrô de Bogotá será realizada em 2016, quando o governo da Colômbia terá concluído a estruturação do projeto, afirmou nesta quarta-feira o Banco de Desenvolvimento Nacional (FDN, na sigla em espanhol).
Em entrevista coletiva em Bogotá, o presidente do FDN, Clemente del Valle, afirmou que desde janeiro o projeto está sendo elaborado, etapa prevista para terminar em maio. Após isso, será iniciado o processo de abertura das propostas de licitação, e, na sequência, um leilão entre os interessados na concessão.
Desta forma, a concessão da primeira linha do metrô será atrasada em aproximadamente um ano e não ocorrerá em julho de 2015 como tinha anunciado o prefeito da capital colombiana, Gustavo Petro, após a inclusão das obras no Plano Nacional de Desenvolvimento.
O projeto está orçado em 16 trilhões de pesos colombianos (R$ 20 bilhões) e será financiado com ajuda do governo do presidente Juan Manuel Santos. No entanto, Del Valle explicou o Executivo não pode determinar qual o valor do auxílio porque o custo total da primeira linha do metrô ainda é desconhecido.
Além disso, o presidente da FDN, entidade ligada ao Ministério da Fazenda, afirmou que existem investidores estrangeiros - tanto privados como públicos - interessados no projeto, citando países como Alemanha, Brasil, Canadá e México.
"Essas empresas terão uma compensação do investimento se ela for feita como uma parceira público-privada (PPP). Se adotarem como uma obra pública, a rentabilidade será diferente", explicou Del Valle.
A primeira linha do metrô de Bogotá, composta por um percurso de 27 quilômetros, cruzará a cidade e contará com 27 estações. A estimativa é que 44,4 mil passageiros por hora usem o serviço em 2021, data prevista para o início da operação.
Fonte - Mobilize  26/03/2015

Operação da PF desarticula quadrilha suspeita de fraudar R$ 19 bilhões da Receita

Notícias

As investigações começaram em 2013, quando foi descoberta uma organização que "atuava no interior do órgão, patrocinando interesses privados, buscando influenciar e corromper conselheiros com o objetivo de conseguir a anulação ou diminuir os valores dos autos de infrações da Receita Federal".

Daniel Lima
Repórter da Agência Brasil 

A Policia Federal (PF) deflagrou hoje (26) a Operação Zelotes, com o objetivo de desarticular organizações que atuavam no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) — o antigo Conselho de Contribuintes da Receita —, manipulando o trâmite de processos e o resultado de julgamentos. O prejuízo estimado aos cofres da União pode chegar a R$ 19 bilhões, valor economizado pelas empresas envolvidas, segundo a PF. Participam também da operação o Ministério Público Federal, a Corregedoria do Ministério da Fazenda e a Receita Federal.
As investigações começaram em 2013, quando foi descoberta uma organização que "atuava no interior do órgão, patrocinando interesses privados, buscando influenciar e corromper conselheiros com o objetivo de conseguir a anulação ou diminuir os valores dos autos de infrações da Receita Federal". De acordo com a PF, servidores repassavam informações privilegiadas obtidas dentro do conselho para escritórios de assessoria, consultoria ou advocacia em Brasília, São Paulo e em outras localidades, para que esses realizassem a captação de clientes e intermediassem a contratação de “facilidades” dentro do Carf.
As investigações identificaram que, em diversas ocasiões, foi constatado tráfico de influência no convencimento de empresas devedoras ao Fisco. "Eram oferecidos manipulação do andamento de processo, pedidos de vista, exame de admissibilidade de recursos e ainda decisões favoráveis no resultado de julgamentos de recursos a autos de infrações tributárias, por meio da corrupção de conselheiros", informou a PF.
Outra destaque da investigação, segundo os agentes, é que o grupo utilizava outras empresas para dissimular as ações e o fluxo do dinheiro, que era lavado, retornava como patrimônio aparentemente lícito para essas empresas.
A PF informou ainda que os investigados responderão pelos crimes de advocacia administrativa fazendária, tráfico de influência, corrupção passiva, corrupção ativa, associação criminosa, organização criminosa e lavagem de dinheiro.
O termo Zelotes, que dá nome à Operação, tem como significado o falso zelo ou cuidado fingido. Refere-se a alguns conselheiros julgadores do Carf que não estariam atuando com o zelo e a imparcialidades necessários.
Fonte - Agência Brasil  26/03/2015

Comissão de Desenvolvimento Urbano da AL-BA visita obras do metrô de Salvador

Transportes sobre trilhos

A visita – que atendeu a uma solicitação da Comissão – foi acompanhada pelo secretário de Desenvolvimento Urbano da Bahia, Carlos Martins e pelos presidentes da CTB, Eduardo Copello, e da CCR, Luiz Valença. Entre os deputados presentes na visita estavam, Maria Del Carmen, que também preside a comissão, Rosemberg Pinto, Vando e Gika Lopes.

Ascom/Sedur
Comissão da AL-BA visitou obras da Linha 1 do metrô
Sedur Ba.
A Comissão Especial de Desenvolvimento Urbano da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) visitou, nesta terça-feira (25), as estações Acesso Norte e Retiro do Metrô de Salvador, e as obras das estações Bom Juá e Pirajá. A visita – que atendeu a uma solicitação da Comissão – foi acompanhada pelo secretário de Desenvolvimento Urbano da Bahia, Carlos Martins e pelos presidentes da CTB, Eduardo Copello, e da CCR, Luiz Valença. Entre os deputados presentes na visita estavam, Maria Del Carmen, que também preside a comissão, Rosemberg Pinto, Vando e Gika Lopes.
O grupo visitou primeiramente a estação Acesso Norte, onde eles conheceram o Centro de Controle Operacional (CCO) e, de lá, seguiram de metrô até a estação do Retiro, para que os deputados utilizassem o sistema metroviário em operação. “Essa obra é uma das importantes que ocorre em Salvador nesse momento, porque é a que vai atingir o maior número de população e é a maior intervenção viária. É um sonho dessa cidade ter a questão do metrô resolvida. E é exatamente por esse simbolismo que nós começamos a realizar estas visitas técnicas, porque responde a que é possível ser diferente, quando se tem um projeto adequado, com as soluções adequadas, e é isso que foi mostrado hoje para a Comissão”, elogiou a Deputada Del Carmen.
Presidente da CTB, Eduardo Copello apresenta
 planta do projeto metroviário de Salvador
Sedur Ba.
O roteiro também incluiu visita à estação e ao Complexo de Manutenção de Pirajá, com previsão de entrega para junho. Durante o percurso até Pirajá, os deputados tiveram a oportunidade de passar pela Estação Bom Juá, que será inaugurada no dia 9 de abril.
“A estação de Pirajá será o cérebro da operação do sistema metroviário, pois dela sairá não só o Metrô, mas também ônibus intermunicipais, interestaduais e futuramente o VLT (Veículo Leve sobre Trilhos)”, afirmou Copello. De acordo com o presidente da CTB, uma passarela será construída para conectar a estação de transbordo do bairro com a metroviária. Mais de quatro mil operários trabalham nas obras do metrô, sendo que quase metade do efetivo está somente nas obras de Pirajá.
Obras do complexo e da estação Pirajá.
Local vai funcionar como ‘cérebro’ do metrô
Sedur Ba.
Originalmente a Linha 1 do Metrô terminaria na Estação Pirajá, mas quando a licitação passou para responsabilidade do Governo do Estado foi decidido que haveria uma extensão da Linha 1, com mais duas estações até Águas Claras. As obras da Linha 2 do Metrô estão acontecendo simultaneamente à finalização da estação Pirajá.
Fonte - Sedur Ba. 25/03/2015

quarta-feira, 25 de março de 2015

Mobilidade Urbana é tema de intercâmbio entre Sedur Ba e Prefeitura de Curitiba

Mobilidade

O secretário afirmou que "eles estão interessados [em saber] como implantamos uma PPP e resolvemos um problema, que se arrastava há 13 anos, o Metrô de Salvador. Eles estão com o mesmo problema, há três anos, tentando fazer uma licitação e não conseguem. Iremos ajudá-los a viabilizar uma PPP que torne possível a construção do Metrô de Curitiba. Ao mesmo tempo, nos interessa saber como funciona o sistema de integração na capital paranaense”.

Secom
foto-ilustração/Pregopontocom
Troca de experiências. Este foi o objetivo da reunião, que aconteceu na manhã desta quarta (25), entre o secretário de Desenvolvimento Urbano, Carlos Martins, e o secretário de Planejamento e Administração de Curitiba, Fábio Dória Scatolin, na sede da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur), no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador
No encontro, o intercâmbio de ideias ocorreu principalmente em torno de dois aspectos prioritários: o modelo de Parceria Público-Privada (PPP), que o Governo do Estado tem realizado com o metrô de Salvador, e a experiência no modelo de integração de modais implantado pela Prefeitura de Curitiba, referência em mobilidade urbana no Brasil.
Segundo Carlos Martins, "são duas cidades que têm projetos muito significativos de mobilidade. Curitiba tem experiência em planejamento urbano e de integração que data de algum tempo. Ao discutirmos e trocarmos a experiência da PPP do Metrô de Salvador e a integração tarifária de lá, as duas capitais saem ganhando".
O secretário afirmou que "eles estão interessados [em saber] como implantamos uma PPP e resolvemos um problema, que se arrastava há 13 anos, o Metrô de Salvador. Eles estão com o mesmo problema, há três anos, tentando fazer uma licitação e não conseguem. Iremos ajudá-los a viabilizar uma PPP que torne possível a construção do Metrô de Curitiba. Ao mesmo tempo, nos interessa saber como funciona o sistema de integração na capital paranaense”.
Fábio Dória fez boa avaliação do encontro. “Um aspecto importante para nós é que Salvador foi a primeira PPP que recebeu recursos do governo federal e, dessa maneira, tem uma metodologia que está sendo colocada e que nós vamos ter que seguir também. Salvador serve um pouco como farol, o olhar inicial. O que é feito em Salvador pelo Governo da Bahia, nós vamos fazer também. Nosso processo está um pouco atrasado, devemos licitar e começar a obra no ano que vem”.
Também estiveram presentes no encontro a superintendente de Mobilidade da Sedur, Grace Gomes, a diretora de Mobilidade da secretaria, Ana Cláudia Nascimento, e o coordenador de Concessões e Parcerias da Prefeitura de Curitiba, Carlos Augusto Nissel.
Fonte - Secom Ba  25/03/2015

Entidades pedem retomada do julgamento sobre doações de empresas para partidos

Política

O julgamento foi interrompido em abril do ano passado, por um pedido de vista do ministro Gilmar Mendes, quando o placar estava 6 votos a 1 pelo fim de doações de empresas para candidatos e partidos políticos. Após a reunião, Lewandowski enviou o pedido das entidades para Mendes.
Segundo o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Marcos Vinícius Furtado Coêlho, o atual sistema político, com a prevalência do poder econômico, não pode continuar.

André Richter 
Repórter da Agência Brasil 
foto - ilustração
A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) pediram hoje (25) a retomada do julgamento sobre a proibição de doações de empresas privadas para campanhas políticas. Os representantes das entidades reuniram-se com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski.
O julgamento foi interrompido em abril do ano passado, por um pedido de vista do ministro Gilmar Mendes, quando o placar estava 6 votos a 1 pelo fim de doações de empresas para candidatos e partidos políticos. Após a reunião, Lewandowski enviou o pedido das entidades para Mendes.
Segundo o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Marcos Vinícius Furtado Coêlho, o atual sistema político, com a prevalência do poder econômico, não pode continuar.
"Entendemos que é importante para o Brasil uma definição da matéria para que possamos todos ter, após essa definição, adoção dos caminhos necessários ao Brasil, disse. Para ele, é preciso “construir consensos e aprovar reforma política que melhore o sistema político", disse.
O secretário-geral da CNBB, Leonardo Steiner, disse que as entidades vão fazer uma vigília, hoje à noite, em frente ao Supremo. Serão acesas 365 velas para lembrar um ano do pedido de vista do ministro Gilmar Mendes.
"Estamos vendo a realidade nua e crua da influência do financiamento das empresas. Estamos todo dia no noticiário e gostaríamos de ver resolvida essa questão. Creio que Supremo poderá nos dar luz e ajudar a sociedade.", disse Steiner.
Participaram do encontro representantes do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE), da União Nacional dos Estudantes (UNE), entre outras entidades.
Na semana passada, os deputados federais Jorge Solla (PT-BA) e Henrique Fontana (PT-RS) entraram com uma representação contra Gilmar Mendes no Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Os parlamentares alegam que Mendes deve responder a processo administrativo pela demora na conclusão do voto.
Fonte - Agência Brasil  25/03/2015

Dilma envia MP que estende política de valorização do salário mínimo até 2019

Política

Presidenta Dilma Rousseff assinou a medida provisória do salário mínimo.Segundo ela, o envio de uma MP ao Congresso foi resultado do diálogo com senadores e deputados da base aliada. Isso foi necessário porque a MP passa a vigorar com força de lei, o que permite trabalhar com as novas projeções, quando for analisado o Orçamento deste ano.


Paulo Victor Chagas
Repórter da Agência Brasil
Roberto Stuckert Filho/PR
Ao assinar hoje (24) a medida provisória (MP) que estende a política de reajuste do salário mínimo até 2019, a presidenta Dilma Rousseff disse que a decisão do governo significa o reconhecimento de que as ações de crescimento da economia não se dão “em detrimento do trabalhador”.
Segundo ela, o envio de uma MP ao Congresso foi resultado do diálogo com senadores e deputados da base aliada. Isso foi necessário porque a MP passa a vigorar com força de lei, o que permite trabalhar com as novas projeções, quando for analisado o Orçamento deste ano.
O Projeto de Lei 7.469/14, que tramitava no Congresso Nacional com o mesmo teor, foi retirado de pauta nesta terça-feira, após ter o texto-base aprovado, mas o governo não concordava com uma emenda que estendia a política de correção para os benefícios acima de um salário mínimo pagos pela Previdência Social.
A presidenta lembrou que em 2011 outra medida provisória foi enviada ao Legislativo estendendo a política daquela época até 2015, e que agora tornou-se necessária essa ação por parte do governo. De acordo com ela, não há atropelo com relação aos parlamentares, porque o governo está fazendo algo que lhe é característico: o “direito de iniciativa em algo que gera despesa”.
“Agradeço aos senhores deputados aqui presentes e aos senhores senadores, representando a base aliada. Agradeço primeiro essa força para que a gente aprove e mande como medida provisória, medida de urgência com vigência imediata”, disse a presidenta.
Ao ressaltar que tem “consciência da importância” das centrais sindicais presentes na cerimônia de assinatura da MP (Nova Central Sindical dos Trabalhadores, União Geral dos Trabalhadores, Força Sindical e Central Única dos Trabalhadores), Dilma estendeu o agradecimento a todas as entidades sindicais, acrescentando que elas tiveram papel relevante na política de valorização do salário mínimo. “Foram todas as centrais que construíram essa política, e isso resulta também em outra característica importante que deve ser o patamar do qual nós sempre vamos partir: o reconhecimento de que os movimentos sociais, as centrais e todos os movimentos que representam a parte organizada da população brasileira são muito importantes quando se trata de políticas sociais.”
Fonte - Agência Brasil  24/03/2015

terça-feira, 24 de março de 2015

Senado instala CPI do HSBC

Política

Com 11 membros e prazo de 180 dias para concluir os trabalhos, a comissão terá o objetivo de investigar quantos correntistas brasileiros do banco, entre os mais de 8 mil, cometeram crime de evasão fiscal.A CPI deve primeiramente, identificar qual são as falhas desse sistema tributário brasileiro que possibilita uma provável evasão fiscal desse tamanho”, disse Randolfe.

Karine Melo
Repórter da Agência Brasil 
foto - ilustração
Os senadores Paulo Rocha (PT-PA) e Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) serão, respectivamente, presidente e vice-presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do HSBC no Senado. Eles foram eleitos, por aclamação, na manhã desta terça-feira (23). O relator da comissão será o senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES).
Com 11 membros e prazo de 180 dias para concluir os trabalhos, a comissão terá o objetivo de investigar quantos correntistas brasileiros do banco, entre os mais de 8 mil, cometeram crime de evasão fiscal.
“Mais do que ser uma caça às bruxas, ela [a CPI] deve, primeiramente, identificar qual são as falhas desse sistema tributário brasileiro que possibilita uma provável evasão fiscal desse tamanho”, disse Randolfe.
O senador, que também é autor do pedido de criação da CPI, adiantou que vai protocolar ainda hoje na secretaria da comissão vários requerimentos para ouvir autoridades da Receita Federal, do Ministério Público e de jornalistas.
Para o relator, senador Ricardo Ferraço, além da sonegação de impostos, são várias as possibilidades de crimes associados aos depósitos milionários de brasileiros em contas numeradas na Suíça, que somam aproximadamente US$ 7 bilhões, segundo as primeiras estimativas do Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos.
“A lavagem de dinheiro pode estar ligada a episódios de corrupção, como os apurados na Operação Lavo Jato, da Polícia Federal, envolvendo contratos com a Petrobras. Essa é uma das hipóteses. Isso já mostra a importância do trabalho desta Comissão Parlamentar de Inquérito, em parceria necessária, evidentemente, com a Receita Federal, o Ministério da Fazenda, Ministério Público Federal, a Polícia Federal, o Conselho de Controle de Atividades Financeiras e, eventualmente, até com alguns organismos internacionais, que poderão nos ajudar na elucidação desses fatos”, destacou Ferraço.
O presidente do colegiado, senador Paulo Rocha, disse que vai presidir a comissão com equilíbrio e responsabilidade. O senador foi um dos investigados pela Ação Penal 470, o processo do mensalão, quando era deputado federal, e foi absolvido por lavagem de dinheiro pelo Supremo Tribunal Federal. Por isso, Rocha disse que terá muito cuidado na condução dos trabalhos.
“É um processo para a classe política muito tentador, mas tem consequências graves para as pessoas envolvidas. Digo isso porque, desde 2005, vivi e senti isso na pele. Passei por um processo de investigação e de julgamento muito forte que teve consequência na minha carreira política e na minha vida pessoal, dado essa coisa do julgamento espetacular, sem direito de ampla defesa de cada um”, disse o presidente da CPI.
Na próxima quinta-feira (25) a comissão volta a se reunir às 8h30 para discutir um plano de trabalho.
Fonte - Agência Brasil  24/03/2015

Rússia e Cuba preparam projetos conjuntos de larga escala

Internacional

Rússia e Cuba estão formulando projetos de larga escala nos setores de energia e aviação civil, disse nesta terça-feira o ministro russo de Relações Exteriores, Sergei Lavrov, após se encontrar com o presidente de Cuba, Raúl Castro, e o ministro de Relações Exteriores do país, Bruno Rodriguez Parrilla.

Sputnik

O ministro russo de Relações Exteriores, Sergei Lavrov, disse que Rússia e Cuba vão elaborar projetos nos setores de energia, transportes e infraestrutura civil, assim como nas áreas de biotecnologia, farmacêuticos, saúde e aviação civil.
Rússia e Cuba estão formulando projetos de larga escala nos setores de energia e aviação civil, disse nesta terça-feira o ministro russo de Relações Exteriores, Sergei Lavrov, após se encontrar com o presidente de Cuba, Raúl Castro, e o ministro de Relações Exteriores do país, Bruno Rodriguez Parrilla.
"Alinhadas com as instruções dadas por nossos chefes de estado, nossas agências governamentais vão certamente preparar projetos grandes, sérios e promissores nos setores de energia, transportes e infraestrutura civil, assim como nas áreas de biotecnologia, farmacêuticos, saúde e aviação civil", disse Lavrov.
O ministro russo faz uma visita de um dia em Cuba como parte de sua viagem pela América Latina, que também inclui Nicarágua, Colômbia e Guatemala.
Fonte - Sputnik Brasil  24/03/2015

Licença para a Linha 2 do Metrô na Av. Paralela é concedida

Transportes sobre trilhos

Publicada no Diário Oficial do Município (DOM),a concessão da licença que estava atrasada desde o ano passado,a Licença Ambiental Unificada para às obras da linha 2 do metrô de Salvador. A portaria para a Companhia de Trens da Bahia (CTB) terá validade de três anos e dá a licença para as obras do metrô de Salvador na Avenida Paralela, que chegará até o município de Lauro de Freitas.

Com informações da
Tribuna da Bahia
foto - ilustração/Pregopontocom
Após descerem do palanque, e deixarem de lado as ideologias partidárias, o governador Rui Costa (PT) e o prefeito ACM Neto (DEM) deram os primeiros sinais de aproximação em prol da população soteropolitana, selando acordos de obras e ações que serão desenvolvidas na capital baiana. Horas após a reunião que sacramentou a parceria dos políticos, ocorrida na última sexta-feira, na Governadoria, o secretário municipal de Urbanismo, Silvio Pinheiro, concedeu a Licença Ambiental Unificada para dar início às obras do metrô de Salvador.
Publicada no Diário Oficial do Município (DOM), a portaria para a Companhia de Trens da Bahia (CTB), terá validade de três anos e concede a licença para obras para a linha 2 do metrô de Salvador na Avenida Paralela, que chegará até o município de Lauro de Freitas.
Conforme a publicação, a concessão será “para implantação e funcionamento dos Terminais de Integração de modais de transporte localizados no Acesso Norte e no Bonocô, e que compõem as Linhas 1 e 2 do Sistema Metroviário de Salvador a Lauro de Freitas”. A concessão da licença estava atrasada desde o ano passado, e por esse motivo, governador da Bahia e prefeito de Salvador resolveram se reunir. Encontro este que rendeu outras conversas e acordos.
Para petistas, a “parceria” entre Rui, conhecido como “Correria”, e Neto, apelidado de “Rapidez”, é uma sinalização que daqui para frente ambos deixarão de lado as “picuinhas” da eleição para trabalharem juntos, sem impedimentos políticos, como tem ocorrido ao longo dos últimos anos. “Rui tem feito o que Wagner também fez. Pensar na população de Salvador”, declarou um filiado do PT.
Segundo o secretário municipal Silvio Pinheiro, os próximos passos serão analisar as formas de diminuir o impacto no canteiro central da Avenida Paralela, parque linear da cidade. Entre as principais preocupações da Sucom e da CCR, responsável pela administração do metrô, é que o canteiro da Avenida não sofra intervenção como a ocorrida no canteiro central da Avenida Bonocô, cuja construção suspensa é considerada por arquitetos e urbanistas como um verdadeiro “trambolho”.

Ilustração - Pregopontocom
A obra vai melhorar e ampliar os recursos destinados à mobilidade na capital baiana, tendo investimento aproximado (Linha 1 e Linha 2) de R$ 3,6 bilhões, por meio de Parceria Público-Privada (PPP) com a CCR Bahia. De acordo com o governo do Estado, a construção neste trecho irá gerar cerca de sete mil empregos, podendo chegar a nove mil no período de pico das obras. Serão pelo menos dez estações até o Aeroporto Internacional de Salvador, em Lauro de Freitas.
Não só a obra do metrô foi o tema da reunião na última sexta. Outras áreas começaram a ser discutidas entre os gestores. Segundo o prefeito ACM Neto, a expectativa é boa. “Conversamos sobre os vários assuntos em comum do prefeito e do governador que é o interesse da população de Salvador na Mobilidade Urbana, sobre o metrô, o VLT, as obras viárias, conversamos sobre a saúde e a educação”, disse, logo após a reunião.
Nesse cenário de parceria, é esperada ainda a atuação conjunta entre técnicos do governo e da prefeitura para melhorar o transporte público em Salvador. Segundo Pinheiro, está prevista para as próximas semanas reunião para discutir a integração do sistema de ônibus com o do Metrô.
Durante essas reuniões, também será definido o valor da tarifa a ser praticada pela CCR Metrô Bahia.
Creches - O governo do Estado também deverá ceder terrenos para a construção de escolas e creches onde o município achar conveniente. No próximo dia 30 de março, o governador lançará o Pacto Pela Educação, evento que contará com a presença de ACM Neto. Sobre os terrenos, Neto afirmou que a doação irá permitir a construção dos centros de educação infantil na cidade.
Fonte - Revista Ferroviária  24/03/2015

A viagem dos 30 anos - CBTU Recife

Transportes sobre trilhos

A viagem teve como objetivo principal fazer o mesmo percurso que foi realizado no início da operação comercial na inauguração do sistema.

CBTU

Recife - Em comemoração à viagem histórica ocorrida há 30 anos, na quinta-feira (19), o corpo técnico da CBTU Recife, acompanhados do superintendente Bartolomeu Carvalho, com os engenheiros Eduardo Côrtes, oriundo do metrô de São Paulo e Rômulo Halliday, que fez parte da primeira equipe de implantação do metrô, fizeram o percurso de trem, da estação Recife à estação Werneck.
A viagem teve como objetivo principal fazer o mesmo percurso que foi realizado no início da operação comercial na inauguração do sistema.
Após a chegada à estação Werneck, todos foram convidados a participar da solenidade no auditório do Edifício Sede. Lá os empregados tiveram a oportunidade de ver fotos históricas e de escutar o depoimento de Bartolomeu, Eduardo Côrtes, Rômulo Halliday e Fred Sena, que ressaltaram a importância da companhia para os empregados, usuários e os desafios enfrentados pela instituição ao longo dessas três décadas.
Em seguida houve o culto ecumênico, celebrado por Antônio César – seminarista da Arquidiocese de Olinda e Recife e Mizael Amaral – pastor da Igreja Batista de Boa Viagem e funcionário da CBTU Recife. Ambos ministraram palavras de incentivo, otimismo e esperança.
No final, o superintendente falou do significado pessoal de participar dessa história, “trinta anos atrás eu estava nessa mesma viagem, acompanhando a passagem do trem, ouvindo o discurso do presidente da época e hoje fazer parte dessa mesma história, junto aos colegas é muito bonito”, comenta Bartolomeu com a voz embargada. Após suas palavras, todos os presentes saborearam um delicioso bolo temático, oferecido pela empresa.
Fonte - CBTU  23/03/2015

segunda-feira, 23 de março de 2015

Modelo do VLT está aberto para visitação no Rio

Transportes sobre trilhos

A população do Rio poderá visitar um modelo do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT),que será implantado na cidade.O  novo transporte ligará o Centro à região portuária em aproximadamente 28 quilômetros, com 32 paradas.O VLT ficara exposto de segunda a sexta-feira,das 9h às 19h,e aos sábados, das 9h às 14h.

Da Agência Brasil 
Ag.Brasil
As pessoas que passarem pela Cinelândia, no centro da capital fluminense, poderão visitar um modelo do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) exposto de segunda a sexta-feira, das 9h às 19h, e aos sábados, das 9h às 14h. O novo transporte ligará o Centro à região portuária em aproximadamente 28 quilômetros, com 32 paradas.
O sistema fortalece o conceito de transporte público integrado ao conectar metrô, trens, barcas, teleférico, BRTs, ônibus convencionais e o Aeroporto Santos Dumont. Quando estiver em circulação, a previsão é que sejam transportadas 300 mil pessoas por dia.
O prefeito do Rio, Eduardo Paes, visitou o protótipo no domingo (22) e classificou o VLT de um bonde moderno. “É óbvio que, depois do transtorno gerado na vida das pessoas, é importante que todos tenham noção do que vem por aí. Este transporte vai permitir que carros sejam retirados do centro. Acho que esta é uma evolução que a cidade esperava há muito tempo, a volta daquilo que nunca deveria ter saído do Rio de Janeiro.”
O estudante Bruno Nascimento, de 29 anos, tem boas expectativas quanto ao novo transporte. “Acho que o VLT vai trazer grandes benefícios para a cidade, principalmente devido ao grande movimento de veículos no Rio. Parece ser muito bacana, estou torcendo para que venha a reduzir o tempo de viagem na região.”
Para Graciete Augusta da Silva, de 60 anos e moradora de Bangu, a mobilidade vem para melhorar diversas regiões do município. “Mesmo antes das intervenções para as obras, já era difícl a locomoção, hoje em dia então, está cada vez pior. A zona oeste também deve ser atendida da mesma forma”.
Segundo a Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro (Cdurp), a distância média entre os pontos será de 300 metros e cada composição tem capacidade para até 420 passageiros. Os trens têm ambiente climatizado, sistema de alto-falante e de câmeras de vigilância, acessibilidade a portadores de deficiência e por serem elétricos, não poluem o ambiente. O tempo máximo de espera entre um trem e outro vai variar de 2,5 a 10 minutos, de acordo com a linha.

Ag.Brasil
O projeto prevê a entrega e operação de 32 trens de 3,82 metros (m) de altura, 44 metros de comprimento por 2,65 metros de largura, com ocupação de seis passageiros por metro quadrado em pé, mais 64 passageiros sentados, além do espaço para dois passageiros em cadeiras de rodas. Os trens serão bidirecionais e compostos por sete módulos articulados. Cada VLT é equipado com oito portas por lateral. Os primeiros cinco trens estão em produção na França e deverão chegar ao país em meados deste ano. Os 27 restantes serão produzidos no Brasil, com transferência de tecnologia.
O sistema de pagamento será por validação voluntária, inédito no país. A integração via Bilhete Único Carioca também está prevista. De acordo com a Cdurp, para a instalação de catracas, seria necessária a construção de estações em cada ponto, o que tornaria o projeto limitado. O controle de passageiros e a diferença na validação serão aferidos por sistemas eletrônicos de contagem.
As obras do VLT começaram com as intervenções do Porto Maravilha nas vias já urbanizadas, com a preparação da calha para os trilhos em diversas ruas e trechos da Via Binário do Porto, incluindo o Túnel da Saúde, todos na zona portuária. A avenidas Rio Branco e Rodrigues Alves, no centro, passam atualmente por interdições para implantação do sistema. A conclusão das obras está prevista para 2016.
Fonte - Agência  Brasil  23/03/2015

Rodovias transportam 3 vezes mais cargas que ferrovias, mas custo é 6 VEZES MAIOR

Ferrovias

Dentre os países com dimensões continentais, o Brasil é o único que decidiu “encurtar as distâncias” por meio das rodovias.Em 2012, 67% da carga transportada pelo Brasil foi movimentada por rodovias (1.064 bilhões de toneladas por quilômetro), enquanto 18% passaram por ferrovias (298 bilhões de toneladas por quilômetro).

R7
foto - ilustração
Os protestos de caminhoneiros no início do mês paralisaram estradas em mais de 10 Estados, comprometendo o transporte e o abastecimento de produtos em algumas cidades do País. Os bloqueios evidenciaram a dependência do Brasil do transporte rodoviário, que cresce a cada ano, apesar de ser seis vezes mais caro que as ferrovias.
Em 2012, 67% da carga transportada pelo Brasil foi movimentada por rodovias (1.064 bilhões de toneladas por quilômetro), enquanto 18% passaram por ferrovias (298 bilhões de toneladas por quilômetro). Os dados são da pesquisa ‘Custos Logísticos no Brasil’, divulgada em 2013 pela empresa de consultoria logística Ilos.
Em 2006, as rodovias respondiam por 65% do transporte, enquanto as ferrovias tinham mais de 20%.
Segundo especialistas, a dependência das rodovias é até maior do que os números mostram. “Se você tirar o minério de ferro do total das cargas transportadas [por ferrovias], então o total transportado via caminhão vai para 78%”, diz o economista Josef Barat, ex-diretor da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil).

O Brasil é o único país onde predomina o caminhão.
Dentre os países com dimensões continentais, o Brasil é o único que decidiu “encurtar as distâncias” por meio das rodovias. Os Estados Unidos, que, sem considerar o Estado do Alaska, é menor do que o Brasil, têm uma malha ferroviária sete vezes maior: são 228 mil km contra 29 mil km.
França, Alemanha e Índia, cujas áreas são menores que a do Brasil, também possuem malha mais desenvolvida. Hoje, o Brasil tem a mesma quantidade de ferrovias que em 1922 (veja mais ao final).
O estudo do Ilos ainda mostra que, para transportar mil toneladas de carga em uma ferrovia brasileira, é preciso gastar R$ 43 por quilômetro. Já nas rodovias esse valor é de R$ 259 (seis vezes mais).
Com isso, os custos com transporte estão aumentando no Brasil, alcançando 11,5% do PIB em 2012 — considerando gastos com transporte, estoque, armazenamento e administrativo. Nos EUA, esses custos equivalem a 8,7% do PIB.

Série de erros
Segundo o diretor-geral do Ilos e professor aposentado da UFRJ Paulo Fleury, o crescimento da economia nas duas últimas décadas ampliou os locais de produção, “aumentando o volume e as distâncias do transporte”. Mas como a malha ferroviária não ampliou sua oferta, a tarefa de escoar a produção coube ao transporte rodoviário.
— É muito mais fácil e barato construir rodovia do que ferrovia. Foi o que aconteceu. As ferrovias foram minguando e as rodovias foram crescendo sem concorrência. Não foi uma questão de escolha. Não houve escolha nenhuma, foi má gestão.
Fleury lista uma sucessão de erros que afastou a ferrovia da realidade brasileira, como as privatizações “sem planejamento” da década de 1990.
— A rede ferroviária era federal [antes das privatizações], mas dava R$ 1 bilhão de prejuízo. Então a ferrovia minguou com a falta de investimentos. Em 1994 e 1995, eles quebraram a malha em seis pedaços e privatizaram a rede. Mas foi uma decisão errada. A rede acabou ficando sem conexão, se tornaram ilhas isoladas. Foi um erro do planejamento da privatização.
Hoje, diz, o governo tem garantido investimentos, mas as obras estão todas atrasadas por problemas de gestão, como a troca de construtoras, alterações de projeto e dificuldades para se fazer desapropriações.
— O investimento foi feito, mas foi mal gerenciado. Atrasou tudo. A ferrovia Norte-Sul [que teve um trecho inaugurado em 2014] era para ficar pronta há quatro anos. Outros projetos também estão paralisados.
E daqui para frente?
Entre 2011 e 2014, foram concluídos 913,7 km de ferrovias, segundo o Ministério dos Transportes. A principal entrega foi a do trecho da FNS (Ferrovia Norte-Sul) que vai de Palmas (TO) a Anápolis (GO). Esse pedaço ficou pronto em maio do ano passado, mas começou a operar comercialmente no fim de fevereiro deste ano.
Iniciadas na década de 1980, as obras foram retomadas só em 2007, durante a gestão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A promessa inicial era entregá-la até 2010.
O outro trecho em construção dessa ferrovia vai de Ouro Verde (GO) a Estrela D’Oeste (SP), que deveria ter sido entregue no ano passado, mas tem previsão agora para dezembro de 2015.
A outra ferrovia atualmente em construção é a FIOL (Ferrovia Integração Oeste-Leste), que tem 1.527 km de extensão em três trechos, saindo de Ilhéus (BA), passando por Caetité (BA) e Barreiras (BA) até chegar a Figueirópolis (TO), onde vai se interligar com a FNS. A obra está prevista para ser entregue até o fim de 2016.
Para o professor de engenharia mecânica da UFJF (Universidade Federal de Juiz de Fora) Fernando Marques, pelo tamanho do Brasil, é preciso investir ainda mais.
— O governo tem feito alguns investimentos na área, inclusive com a ferrovia Norte-Sul, a Oeste-Leste, mas ainda é pouco pelo tamanho do País. Porque não adianta só ter malha, você tem que ter infraestrutura. É preciso construir terminais adequados. É preciso ter estrutura para a carga chegar adequadamente e que junte uma quantidade suficiente para o trem levar.
Marques calcula que a construção de uma ferrovia seja até 4 vezes mais cara que a de uma rodovia. No entanto, diz, o investimento vale a pena.
— O custo é mais caro, já que a ferrovia é um investimento do tipo industrial, os materiais são muito mais sofisticados. Mas o custo operacional é bem mais barato, principalmente se considerarmos o custo de cargas de alta densidade que são transportadas em longas distâncias.
Fonte - Revista Ferroviária  23/03/2015

CSR chinesa desenvolve VLT elétrico alimentado por células de hidrogênio

Transporte sobre trilhos

CSR desenvolve na China VLT elétrico alimentado por células de combustível de hidrogênio com autonomia de 100 km e velocidade de até 70 km/hora

Railway Gazette
Photo: Song Xuechun
CHINA: Um protótipo de VLT (bonde) alimentado por células de combustível de hidrogênio foi anunciado na fábrica CSR Sifang de Qingdao em 19 de março.Segundo o engenheiro-chefe Liang Jianying da CSR em Qingdao Sifang, o bonde é capaz de rodar por 100 km em velocidades de até 70 km/h antes das células serem recarregadas,a recarga é feita em 3 min. A água é a única emissão durante a operação.
O VLT elétrico,possui três-seções com 100% de piso baixo com seis portas duplas e capacidade para 380 passageiros, incluindo 60 lugares sentados. Ele cumpre a norma EN 15227 crashworthiness e pode resistir a um impacto de até 100 MPa.
A CSR Sifang informa que o bonde estará disponível em um design modular de 2-5 seções.
Fonte - Railway Gazette 23/03/2015

Tradução e adaptação de Texto - Pregopontocom

Original Text - http://www.railwaygazette.com/news/news/asia/single-view/view/csr-unveils-hydrogen-fuel-cell-tram.html

Todas as atenções voltadas para o Norte

Infraestrutura

Enquanto o Tribunal de Contas da União (TCU) não libera os editais para licitação de novos terminais portuários no Estado, que ampliarão a capacidade de embarque, Brasília corre por outra ponta.A aprovação da nova poligonal do porto de Vila do Conde (PA), no fim de janeiro, reduziu a área do porto público, o que na visão do mercado deve impulsionar a instalação de terminais privados, os chamados TUPs.

Valor Econômico
foto - ilustração/wfco
De olho na diferença entre as capacidades de produção de grãos no Centro-Norte e de embarque nos portos do Pará, o governo decidiu investir para diminuir o descompasso nesse que é considerado um dos principais corredores logísticos do chamado "Arco Norte". Enquanto o Tribunal de Contas da União (TCU) não libera os editais para licitação de novos terminais portuários no Estado,que ampliarão a capacidade de embarque, Brasília corre por outra ponta.
A aprovação da nova poligonal do porto de Vila do Conde (PA), no fim de janeiro, reduziu a área do porto público, o que na visão do mercado deve impulsionar a instalação de terminais privados, os chamados TUPs. Por serem feitos em área particular, os TUPs dispensam licitação, podendo, portanto, sair do papel mais rapidamente que os arrendamentos públicos.
A Secretaria de Portos (SEP) afirma que o objetivo da nova poligonal de Vila do Conde - a primeira aprovada na revisão que o governo está promovendo em quase duas dezenas de portos - não era diminuir a área do porto organizado. Mas, sim, adequar os limites do porto público, "permitindo a instalação de novos terminais e a ampliação dos existentes".
Para analistas, a lacuna entre as capacidades de produção e exportação pelo Norte atrasa a chance de o Brasil aumentar a participação nas vendas de soja para a China - o maior consumidor mundial.
Segundo o Departamento de Agricultura dos EUA (USDA), o Brasil tem potencial de suprir a crescente demanda chinesa - até 2022, Pequim quer tirar da pobreza 440 milhões de cidadãos. A previsão do órgão é de que o país asiático importará 74 milhões de toneladas de soja em 2014/15. No ano passado, o Brasil exportou 32,6 milhões de toneladas à China, segundo o Ministério da Agricultura.
Mas o corredor logístico do "Arco Norte" que teria condições de atender mais rapidamente esse escoamento depende de mais porto. A capacidade de embarque conhecida hoje das estações de transbordo em Miritituba/Santarenzinho é de 27 milhões de toneladas/ano ante uma oferta de movimentação de 18 milhões de toneladas nos portos do Pará, mostra estudo da consultoria Datamar Consulting.
A conta não inclui os novos terminais para movimentação de soja que serão arrendados assim que o TCU destravar os editais. Dos 20 terminais portuários a serem arrendados no Pará, cinco serão destinados à movimentação de granel de origem vegetal e terão oferta de movimentação combinada para 20,1 milhões de toneladas/ano. Será um em Santarém, um em Vila do Conde e três em Outeiro.
"Temos capacidade de produzir, mas talvez não de escoar com a estrutura atual", diz Leandro Barreto, diretor de Análises da Datamar Consulting, que produziu o relatório "Caminhos da Soja 2015-2020". Segundo ele, o Brasil suprirá a demanda chinesa, mas, com suboferta de infraestrutura, a resposta tende a chegar atrasada.
É mercado que se perde, pois o custo logístico de levar a soja do Centro-Norte para ser exportada pelos portos do Sudeste e Sul encarece o produto brasileiro. Conforme o levantamento, o frete de Sorriso (MT) até o porto de Santos (SP) custa US$ 100 por tonelada, mais que o dobro dos US$ 45 para o transporte de uma tonelada de soja de Santos até Xangai, na China.
Saindo pelo Norte, tanto o custo do transporte terrestre quanto do marítimo tendem a cair. A região está mais próxima da Ásia via Canal do Panamá, que está sendo expandido e permitirá a navegação de navios de grandes dimensões.
"Além da conclusão das obras na BR-163, da redefinição da poligonal de Vila do Conde e das áreas no Pará aguardando liberação do TCU, a dragagem do canal do Quiriri é outra obra importante a ser realizada para viabilizar a operação de navios pós-Panamax nos portos do Pará", observa Leandro Barreto.
Afora o Pará, o Amapá tende a atrair os olhares de empresas interessadas em investir em terminais privados. Já foi anunciada a construção de um terminal em Santana que receberá os grãos embarcados em Miritituba/Santarezinho. Mas, para abarcar os volumes do nordeste do Mato Grosso, a mais importante das novas fronteiras agrícolas do Estado, falta finalizar as obras da BR-158, o derrocamento do Pedral do Lourenço, no Rio Tocantins e o prolongamento da Ferrovia Norte-Sul de Açailândia (MA) até Vila do Conde.
"O que estrangula são os acessos. Sem ampliar a oferta e capacidade dos portos e melhorar os acessos, não adianta", diz Wilen Manteli, da Associação Brasileira dos Terminais Portuários (ABTP).
Segundo o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), até dezembro de 2014 foram executados 795 Km de pavimentação na BR-163 entre a divisa de Mato Grosso e o Pará, incluindo o trecho da BR-230 de acesso a Miritituba. Restam pavimentar 240 Km na BR-163, com previsão de término em 2017. Sobre a BR-158, o Dnit informou que em Mato Grosso a maior parte (644,4 Km) dos 803,6 Km está pavimentada, havendo outros 30 Km em obras. Sobre os 129 Km não pavimentados, não se manifestou.
Em relação ao trecho Açailândia (MA)-Barcarena (PA) da Norte Sul, o Ministério dos Transportes diz que há estudos em andamento via Procedimento de Manifestação de Interesse, em que as empresas são autorizadas a apresentar estudos complementares. O prazo para entrega é 30 de junho. Após a aprovação pelo Ministério, as análises serão submetidas à audiência pública pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). Depois, o edital será elaborado para ir a leilão - não há data para essas etapas.
Fonte - Revista Ferroviária  23/03/2015 

Poluição restringe circulação de veículos nas ruas de Paris

Internacional

Uma centena de controles policiais vigia as entradas da cidade para garantir que os automóveis de matrícula par não circulem.Nas ruas de Paris, 750 agentes da polícia garantem o cumprimento da limitação e podem autuar os infratores com multa de 22 euros.

Da Agência Lusa
foto - ilustração/Pregopontocom
A capital francesa continua hoje (23) com limitação de entrada de veículos devido à poluição dos últimos dias. Estão autorizados apenas a circular os automóveis de matrícula impar, informaram as autoridades.
Uma centena de controles policiais vigia as entradas da cidade para garantir que os automóveis de matrícula par não circulem.
Nas ruas de Paris, 750 agentes da polícia garantem o cumprimento da limitação e podem autuar os infratores com multa de 22 euros.
Medidas idênticas de limitação à circulação foram implementadas na capital francesa em 1997 e, mais recentemente, em março do ano passado.
A circulação alternada, que afeta Paris e 22 localidades ao redor, foi decidida nesse domingo (22) depois de vários dias de tensão entre as autoridades municipais, que queriam aplicar a medida, e o Executivo, mais cauteloso.
Excluídos da limitação estão os veículos híbridos ou a gás, bem como aqueles que transportam, pelo menos, três pessoas, o que levou a uma redução do número de engarrafamentos na cidade.
Os transportes públicos são hoje gratuitos, bem como os serviços municipais de aluguel de veículos elétricos e de bicicletas.
Se forem mantidas as restrições, amanhã apenas os veículos de matrícula par poderão circular.
Fonte - Agência Brasil  23/03/2015