sábado, 7 de fevereiro de 2015

TJ restabelece liminar e volta a suspender obras do VLT em Santos

Transportes sobre trilhos

A informação foi dada na tarde desta sexta-feira (6) pela promotora Almachia Zwarg Acerbi, do Grupo de Atuação Especial de Defesa do Meio Ambiente (Gaema), Núcleo Baixada Santista.

Adicionar legenda
A Tribuna On-line
O Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo restabeleceu a liminar que suspende as obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) em Santos. A análise do recurso da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU), responsável pelo projeto, ocorreu na tarde de quinta-feira (5). O julgamento recebeu dois votos favoráveis à liminar, ou seja, à paralisação das obras, e um contrário.
A informação foi dada na tarde desta sexta-feira (6) pela promotora Almachia Zwarg Acerbi, do Grupo de Atuação Especial de Defesa do Meio Ambiente (Gaema), Núcleo Baixada Santista.
"É bom deixar claro que o Ministério Público Estadual não é contra o VLT. Somos contrários a mudança do traçado para beneficiar um empresário da Cidade e que não traz benefícios à sociedade”, diz a promotora.
A decisão passa a valer a partir do momento da divulgação do acórdão, o que deve acontecer na segunda (9) ou terça-feira (10).
“Embora ainda não tenha acesso ao conteúdo da decisão, isso representa uma vitória para o Ministério Público Estadual, porque confirma a decisão do juiz de primeiro grau e ao que falamos desde o início dessa ação”, explica.
Em 9 de janeiro do ano passado, o juiz da 2ª Vara da Fazenda Pública de Santos, Daniel Ribeiro de Paula, concedeu liminar determinando que a EMTU suspendesse imediatamente as obras no trecho da Avenida Francisco Glicério entre o Canal 1 e a Avenida Conselheiro Nébias.
A polêmica gira em torno do traçado do projeto. O Ministério Público Estadual (MPE) entende que a opção mais econômica e viável para o VLT é pela antiga linha férrea – como apontaram os estudos de impacto ambiental – e não o canteiro central da Avenida Francisco Glicério.
No dia 31 de janeiro, o Tribunal de Justiça de SP autorizou a retomada das obras no trecho.
Fonte - STEFZS  07/02/2015

Metrô-DF terá licitações neste ano

Transportes sobre trilhos

A primeira concorrência pública deve ser em fevereiro.Empresas nacionais e internacionais disputarão com planejamentos estratégicos para a integração do metrô com outros sistemas de transporte público,a criação de rotas alternativas e a identificação de fluxo de demanda.A elaboração do plano de desenvolvimento de transporte sobre trilhos tem verba de R$ 5,6 milhões.

Metrô-DF
foto - ilustração
Com planos de expansão, de modernização e de aprimoramento da segurança do sistema, a diretoria da Companhia do Metropolitano do DF (Metrô-DF) prepara-se para lançar uma série de licitações neste ano. A verba disponível, garantida pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Mobilidade, é de R$ 1.656.130.000.
A primeira concorrência pública deve ser em fevereiro. Empresas nacionais e internacionais disputarão com planejamentos estratégicos para a integração do metrô com outros sistemas de transporte público, a criação de rotas alternativas e a identificação de fluxo de demanda. A elaboração do plano de desenvolvimento de transporte sobre trilhos tem verba de R$ 5,6 milhões.
Em maio, ocorrerá a licitação para a compra de dez trens. Os mais antigos darão lugar a novos – a atual frota é de 32 composições — em investimento estimado em R$ 231.580.000 do PAC Mobilidade. Serão licitadas também as obras para a construção de três estações na Asa Sul (quadras 104, 106 e 110), na ordem de R$ 78.950.000 milhões.
Para abril, está prevista a concorrência para a modernização dos sistemas fixos da linha 1. "Ela é a mais antiga e precisa ser revista na questão operacional e de comunicação; isso é fundamental para dar mais agilidade ao fluxo de trens", explicou o diretor-presidente do Metrô-DF, Marcelo Dourado. O valor disponível é de R$ 181 milhões. A modernização inclui a ampliação da capacidade energética do sistema de transporte. Segundo Dourado, os geradores não suportariam a ampliação do sistema.
No mesmo mês, a companhia licitará obra para a construção de estações na área central de Brasília, ligando a Universidade de Brasília, o Sudoeste e o Setor de Indústria e Abastecimento. Estão reservados para essa etapa R$ 77 milhões.

Interesse internacional
A licitação para ampliar a malha do Metrô-DF ocorrerá em junho. Empresas concorrerão com propostas de projeto e de construção para ligar os trens a mais duas estações em Samambaia, duas em Ceilândia e uma na Asa Norte, próxima ao Hospital Regional da Asa Norte. A estimativa é de que tudo esteja concluído em três anos ao custo de R$ 557 milhões. As obras para estender o alcance do metrô para o fim da Asa Norte serão licitadas em 2018 no valor de R$ 525 milhões, segundo cronograma da companhia.
Todas as licitações terão alcance internacional. Algumas empresas estrangeiras manifestaram interesse em participar da concorrência. Somente neste início de ano, Marcelo Dourado recebeu representantes de uma companhia polonesa, de outra alemã e de uma espanhola. Todas apresentaram portfólio com serviços prestados em trens urbanos por todo o mundo.
Fonte - Revista Ferroviária  07/02/2015

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Presidente do Banco do Brasil, Aldemir Bendine vai comandar a Petrobras

Economia

Conselho de Administração da estatal elegeu hoje Aldemir Bendine,atual presidente do Banco do Brasil e mais cinco diretores que irão comandar a maior e mais importante estatal brasileira,o maior patrimônio da nação,a Petrobras.

Daniel Mello e Bruno Bocchini 
Repórteres da Agência Brasil
Arquivo Agência Brasil
São Paulo - O Conselho de Administração da Petrobras aprovou hoje (6) a indicação do atual presidente do Banco do Brasil, Aldemir Bendine, para a presidência da empresa, em substituição a Maria das Graças Foster, que renunciou ao cargo quarta-feira (4). Além do novo presidente, eleito por maioria, o Conselho de Administração escolheu cinco novos diretores. Graça Foster desligou-se também do Conselho de Administração da companhia.
Graduado em administração de empresas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, com MBA em finanças e em formação geral para altos executivos, Bendine é também membro do Conselho de Administração do Banco do Brasil.
Eleito por maioria para a Diretoria Financeira e de Relacionamento com Investidores, Ivan de Souza Monteiro substituirá Almir Barbassa, que também renunciou há dois dias. Vice-presidente de Gestão Financeira e de Relações com Investidores do Banco do Brasil desde junho de 2009, Monteiro ocupou na instituição os cargos de diretor comercial, vice-presidente de Finanças, Mercado de Capitais e Relações com Investidores e de presidente do Conselho de Supervisão da BB AG. É graduado em engenharia eletrônica e telecomunicações pela Inatel-MG, com MBA em finanças e gestão.
A gerente executiva de Exploração e Produção Corporativa da Petrobras, Solange da Silva Guedes, foi eleita para a Diretoria de Exploração e Produção, em substituição a José Miranda Formigli Filho. Solange Guedes é doutora em engenharia de petróleo e tem experiência de 30 anos na Petrobras, onde já ocupou diversas posições gerenciais, todas relacionadas à área de exploração e produção.
O atual gerente executivo de Logística do Abastecimento, Jorge Celestino Ramos, será diretor de Abastecimento, em substituição a José Carlos Cosenza. Jorge Celestino é formado em engenharia química pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e em engenharia de processamento de petróleo pelo Cenpro, com especialização em tecnologia de produção de álcool pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e MBA em administração e marketing. Ele trabalha há 32 anos na Petrobras, onde já ocupou diversas posições gerenciais na área de Abastecimento e na Petrobras Distribuidora.
Para a Diretoria de Gás e Energia, foi eleito o atual gerente executivo de Gás e Energia Corporativo, Hugo Repsold Júnior, que substituirá José Alcides Santoro Martins. Formado em engenharia mecânica pela Universidade Federal Fluminense, em economia pela Uerj e mestre em planejamento energético pelo Programa de Planejamento Energético da UFRJ, Hugo Repsold trabalha há 30 anos na companhia, onde ocupou posições gerenciais nas áreas de Exploração e Produção, Estratégia e Desempenho Empresarial e Gás e Energia.
O atual gerente executivo de Engenharia para Empreendimentos Submarinos, Roberto Moro, será o novo diretor de Engenharia, Tecnologia e Materiais em substituição a José Antônio de Figueiredo. Roberto Moro é formado em engenharia mecânica pela Universidade Gama Filho, com especialização em gerenciamento de projetos, Moro está há 33 anos na Petrobras, onde já ocupou diversas posições gerenciais na área de Engenharia.
Fonte - Agência Brasil  06/02/2015

Trecho da Ferrovia Transnordestina no Piauí está em andamento

Ferrovias

O secretário dos Transporte do Piauí, Guilhermano Pires, afirma que graças ao trabalho coordenado do Ministério do Planejamento, Dnit, Procuradoria Geral da União (PGE) e a Secretaria dos Transportes do Piauí (Setrans), as pendências existentes devem ser equacionadas em breve espaço de tempo, permitindo que o Piauí seja o primeiro Estado contemplado entre os outros estados com a ferrovia até a conclusão de suas obras. 

Portal do Governo do Piauí
foto - ilustração/sudene
O trecho das obras da Ferrovia Transnordestina que compreende o estado do Piauí está em pleno andamento, já podendo as empreiteiras contratadas montar até mil metros de trilhos por dia. As pendências existentes são de naturezas fundiárias, que correspondem às desapropriações de pequenas propriedades.
O secretário dos Transporte do Piauí, Guilhermano Pires, afirma que graças ao trabalho coordenado do Ministério do Planejamento, Dnit, Procuradoria Geral da União (PGE) e a Secretaria dos Transportes do Piauí (Setrans), as pendências existentes devem ser equacionadas em breve espaço de tempo, permitindo que o Piauí seja o primeiro Estado contemplado entre os outros estados com a ferrovia até a conclusão de suas obras.
Ele acrescentou ainda que “a empresa responsável pela obra é a Transnordestina S/A, o Estado entra somente com as desapropriações e indenizações. Ou seja, é uma obra privada”.
A ferrovia começou a ser construída em junho de 2006, no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e deveria ter ficado pronta quatro anos depois, ao final do mandato. Em setembro de 2013, a obra parou devido a uma rescisão de contrato entre a concessionária Transnordestina Logística S/A (TLSA) e a construtora Odebrecht. Somente em março do ano passado, uma nova empresa assumiu e as obras foram retomadas.
Segundo o Ministério dos Transportes, até janeiro de 2014, apenas 42% dos trabalhos de infraestrutura e 35% das obras de arte especiais (pontes e viadutos) nos 420 quilômetros da linha entre as cidades de Eliseu Martins (PI) e Trindade (PE) haviam sido executados.
De acordo com o Governo Federal, o projeto prevê 2.304 quilômetros de ferrovia, beneficiando 81 municípios, sendo 19 no Piauí, 28 no Ceará e 34 em Pernambuco.
Fonte - AIBFER  06/02/2015

Salvador e Madre de Deus agora ligadas por serviço de transportes marítimos por catamarã

Transporte marítimo

Salvador e Madre de Deus estão ligadas agora por serviço marítimo de catamarã.O catamarã Caymmi fez viagem inaugural ao município de Madre de Deus na quinta (05/02) e a partir do próximo domingo, 8,terá uma alternativa comercial de transporte hidroviário,uma boa opção para fugir dos congestionamento,do trânsito nas rodovias e do precário sistema de transportes por ônibus.

Luan Santos - A Tarde
Luciano da Matta l Ag. A TARDE
O trajeto entre a capital e Madre de Deus (Grande Salvador) terá, a partir do próximo domingo, 8, uma alternativa comercial de transporte hidroviário, boa opção para fugir dos congestionamentos nas rodovias, principalmente na BR-324.
Apresentado à imprensa na quinta-feira, 5, o catamarã Caymmi, que passa a fazer a nova linha, opera gratuitamente, nesta sexta, 6, sábado, 7, para que a população e turistas conheçam a novidade. As 180 vagas disponíveis para as viagens de teste já foram preenchidas.
A partir do próximo domingo, será iniciada a operação assistida, que terá quatro horários diários. A passagem vai custar R$ 8,90 (segunda-feira a sábado) e R$ 10,10 (domingo). A tarifa de ônibus para a cidade custa R$ 6,90.
A viagem inaugural aconteceu nesta quinta e contou com a presença de representantes do governo do estado, prefeitura de Madre de Deus, da empresa Transtop, que opera a linha, além de profissionais da imprensa.
O trajeto dura, em média, uma hora, o que representa economia de até 60 minutos em comparação com o transporte terrestre, a depender das condições de trânsito.
O catamarã Caymmi tem capacidade para 110 passageiros sentados. As viagens ocorrem nos horários das 6h e 17h (Salvador-Madre de Deus); e às 7h30 e 18h30 (Madre de Deus-Salvador).
Conforme o representante da Transtop, Bruno Garrido, até o final de março chegará a segunda embarcação, o catamarã Catarina, com capacidade para 250 pessoas. Até abril, deve chegar a terceira embarcação.
Cada catamarã custa cerca de R$ 1,5 milhão, segundo Garrido, custeado pela empresa e sem gastos para o estado ou município. A estimativa é transportar cerca de mil pessoas por dia.
Com a chegada das novas embarcações, a depender da demanda, outros horários poderão ser criados ou alterados. "A meta é ter uma quarta embarcação operando em 2016", disse Garrido.
A empresa Transtop ganhou a licitação de concessão de dez anos e será responsável também pela linha Salvador (Terminal Náutico, no Comércio)-Itaparica (Marina), que começou a operação em 7 de janeiro.

Outras linhas
Segundo o secretário estadual de Infraestrutura, Marcus Cavalcanti, outras linhas estão sendo planejadas para Salinas da Margarida, São Roque do Paraguaçu, Saubara-Bom Jesus dos Pobres e São Francisco do Conde.
O prefeito de Madre de Deus, Jeferson Andrade (PP), salientou que o sistema é uma alternativa de deslocamento mais rápida e econômica. Segundo ele, para viabilizar a linha a prefeitura irá comprar cerca de 1,2 mil passagens por dia para transportar funcionários da cidade que moram em Salvador e estudantes universitários. "O município assumiu esse compromisso. À medida que esse público usar, a população vai aderir e a demanda vai ser grande", disse o gestor.
Moradores aprovaram a criação da linha. "A viagem será mais rápida e segura. Não iremos enfrentar congestionamentos", opinou o psicólogo Alexsandro Negreiros, 38.
Fonte - A Tarde  06/02/2015

Aeroporto de Salvador deve ser duplicado, segundo Infraero

Infraestrutura

Atualmente, o aeroporto ocupa uma área de 5,7 milhões de m². Com a duplicação passará a dispor de praticamente o dobro com 10 milhões de m² Ele salientou, todavia, que parte desse terreno pertence à Conder.Segundo o documento divulgado no período pela Unidunas, “a ampliação do Aeroporto de Salvador extinguiria uma grande parte do parque e do ecossistema do Abaeté,

Albenísio Fonseca - TB
foto - ilustração/infraero
O superintendente da Infraero-Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária, na Bahia, José Cassiano Ferreira Filho, anunciou, ontem, durante almoço promovido pelo Rotary Club, na Casa do Comércio, que um novo projeto de duplicação do Aeroporto Luís Eduardo Magalhães encontra-se em fase de estudos e adequações na Diretoria de Planejamento da estatal. Atualmente, o aeroporto ocupa uma área de 5,7 milhões de m². Com a duplicação passará a dispor de praticamente o dobro com 10 milhões de m² Ele salientou, todavia, que parte desse terreno pertence à Conder.
O superintendente admitiu que a não obtenção do licenciamento ambiental para a duplicação, em 2009, “decorreu do entendimento do Inema-Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (à época era o IMA) de que a pista velha teria possibilidade de ampliação, o que tornava injustificável a construção de uma nova pista, à época”. Para Cassiano, contudo, “a duplicação da pista existente não contemplaria o redimensionamento da operacionalidade prevista para o aeroporto”. A assessoria da Infraero, em âmbito nacional, ficou de emitir hoje um posicionamento oficial sobre a obra, como se haverá ou não manutenção do custo da intervenção em R$ 200 milhões, conforme previsto naquele ano.
Para José Cassiano, somente uma nova pista permitirá pousos e decolagens simultâneos e a ampliação do terminal de passageiros. A pista tem extensão prevista em 2,4 quilômetros. Portanto, tendo como perspectiva o ano de 2039, Cassiano disse que “efetivada a duplicação, o aeroporto de Salvador terá capacidade para operar um movimento de até 42 milhões de passageiros por ano. Em 2014 a movimentação alcançou 9,1 milhões, compreendendo um acréscimo de 6,5% em relação ao ano anterior.
A propósito das obras no terminal de passageiros, que permanecem sem conclusão e que deveriam estar concluídas antes da Copa do Mundo de Futebol, transcorrida em 2014, Cassiano garantiu que, “embora a conclusão já tenha sido anunciada para maio próximo, ainda não será possível concluir nesse novo prazo”.
Ele atribuiu o atraso à “falta do repasse de recursos pelo governo federal”, além das “necessidades de adequação do projeto diante das demandas surgidas com o início dos trabalhos”. Conforme o superintendente, dos dias 9 a 18 – período do Carnaval em Salvador – estão previstos 290 vôos extras, além dos 130 operados normalmente, com um aumento de 25% na malha diária. A propósito da privatização do Luis Eduardo Magalhães, o dirigente da Infraero na Bahia, disse tratar-se de questão sobre a qual não poderia se pronunciar. Mas confirmou que estudo nesse sentido vem sendo desenvolvido pela Secretaria da Aviação Civil.
Nova pista
Embora conste do Plano Diretor do Aeroporto, elaborado em 1981, a construção da terceira pista para pouso e decolagem de grandes aeronaves em Salvador é fonte de polêmica desde 2009. O projeto previa, então, a utilização de cerca de 80% da Área de Preservação Ambiental Lagoas e Dunas do Abaeté. Os ambientalistas chegaram a questionar a obra, à época, como “mais um crime ambiental anunciado que envergonha a Bahia”.
Segundo o documento divulgado no período pela Unidunas, “a ampliação do Aeroporto de Salvador extinguiria a quase totalidade do manancial do Abaeté, aterraria 15 lagoas, erradicaria espécies em risco de extinção, além de centenas de espécies vegetais raras, como orquídeas que só acontecem naquele ecossistema”.
Fonte - Tribuna da Bahia  06/02/2015

Cade marca data para julgar fusão entre ALL e Rumo e ações disparam

Economia

No mercado, a reação dos investidores foi positiva. As ações da ALL, que vinham registrando cotações historicamente baixas, registraram ontem a maior alta em mais de seis anos. Mas o acordo é visto com ceticismo por impugnantes que estão pedindo medidas mais duras ao Cade.

Valor Econômico
foto - ilustração
Mais de seis meses após ser protocolada no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), a proposta de fusão entre a companhia de ferrovias América Latina Logística (ALL) e a Rumo (empresa de logística controlada pela Cosan) finalmente tem uma data para ser julgada pelo órgão antitruste. O ato de concentração entrou na pauta do dia 11 de fevereiro (próxima quarta-feira) e o fato despertou euforia entre os investidores. Um acordo está sendo negociado entre Cade e representantes da Rumo, mas o desfecho ainda é dúvida para o mercado e para as mais de 16 empresas e entidades que temem a operação.
O Valor apurou que a tendência do Tribunal do Cade é a de analisar um acordo pelo qual a Rumo e a ALL se comprometam a não discriminar o acesso à ferrovia por outras empresas. Os detalhes do termo a ser assinado pelas empresas e pelo órgão antitruste ainda estão em discussão.
"Nós trabalhamos muito desde o parecer no sentido de atender as preocupações da Superintendência-Geral do Cade e de dar tranquilidade ao mercado no sentido de que não haverá discriminação", afirmou Juliano Maranhão, advogado da Cosan. Segundo ele, o objetivo da operação é aumentar a capacidade da ferrovia para atender mais empresas em diversos mercados.
No mercado, a reação dos investidores foi positiva. As ações da ALL, que vinham registrando cotações historicamente baixas, registraram ontem a maior alta em mais de seis anos. Subiram 23,6%, para R$ 4,50 e figuraram como a maior alta do Ibovespa. Já as da Cosan Logística (fora do índice) subiram 28,9%, a R$ 2,72. O principal índice da bolsa fechou em queda de 0,14%, para 49.234 pontos.
Mas o acordo é visto com ceticismo por impugnantes que estão pedindo medidas mais duras ao Cade. Segundo eles, o órgão está focando a sua decisão na imposição de medidas comportamentais sobre a ALL e a Rumo - mas o necessário seriam medidas estruturais, como a venda de ativos.
Várias empresas e entidades já manifestaram ao Cade preocupações sobre a fusão. Entre as companhias, estão Agrovia, Ipiranga, Fibria, Eldorado, Petrobras Distribuidora, VLI e Copersucar. A VLI, por exemplo, teme que a operação "gere incentivos para a discriminação de empresas no acesso competitivo às infraestruturas essenciais do Complexo Portuário de Santos". Já a Copersucar manifestou preocupação "em relação à garantia de condições isonômicas de competição para o acesso de terceiros à malha ferroviária e aos terminais portuários de Santos". Foram sugeridos ao Cade como "remédios" desde a venda de ativos até o impedimento da fusão.
Responsável por um sexto das exportações brasileiras de soja e milho, o que significa US$ 35,5 bilhões anuais, as associadas da Abiove defendem que o Cade determine a venda de ativos da Rumo no porto de Santos. "Esse processo de fusão vai fazer com que a rumo detenha 100% da ferrovia e o interesse econômico sobre 45% da capacidade de embarque de granéis vegetais em Santos, que é o principal porto da América Latina", afirmou o presidente da Associação, Carlo Lovatelli. "Nós reputamos como imprescindível a venda de terminais portuários do grupo Cosan para terceiros", completou.
Em dezembro, a Superintendência-Geral do Cade já havia impugnado (se oposto) à operação, alegando que seria necessária a imposição de condições para garantir que concorrentes da Rumo no setor sucroalcooleiro e empresas de outros segmentos da economia, como produtores de soja, milho e farelo, tivessem acesso ao sistema de escoamento de mercadorias da ALL. A Rumo é do grupo Cosan, um dos líderes na produção do setor sucroalcooleiro do país.
Pela operação proposta, as ações da ALL serão incorporadas pela Rumo. Os atuais acionistas da ALL terão 63,5% do capital da nova companhia. Os da Rumo (Cosan, TPG e Gávea) terão os 36,5% restantes. Com isso, a Cosan passará a indicar a maioria dos membros do Conselho de Administração da nova companhia.
Os atuais acionistas da Rumo e os integrantes do atual acordo de acionistas da ALL (BNDESPar, BRZ, Previ, Funcef, Riccardo Arduini, Júlia Dória Antônia Koranyi Arduini e GMI) comprometeram-se a eleger os membros da nova companhia, com até 17 membros, na primeira eleição após a incorporação. Um membro será necessariamente indicado pelo BNDESPar. Um pode ser indicado pela TPG; um pela Gávea; nove pela Cosan; e seis pelos demais signatários do acordo de acionistas da ALL. A Cosan, portanto, será a maior acionista indireta da ALL.
Fonte - Revista Ferroviária  06/02/2015

Venezuela ameaça deixar de enviar petróleo aos Estados Unidos

Internacional

"Estamos na disposição de entregar a nossa vida, se for necessário, para defender esta revolução (…) nem uma gota de petróleo se tentarem algo contra a Venezuela", disse o presidente da Assembleia Nacional. Diosdado Cabello falou no estado de Anzoátegui, a 320 quilômetros a leste de Caracas....

Da Agência Lusa 
Divulgação/Agência Brasil
Caracas - A Venezuela advertiu hoje (6) que vai deixar de enviar petróleo para os Estados Unidos, caso Washington "tente algo" contra Caracas. Há três dias, a Venezuela acusou os norte-americanos de atentarem "contra o diálogo de respeito mútuo", ao anunciar novas sanções contra funcionários venezuelanos.
"Estamos na disposição de entregar a nossa vida, se for necessário, para defender esta revolução (…) nem uma gota de petróleo se tentarem algo contra a Venezuela", disse o presidente da Assembleia Nacional. Diosdado Cabello falou no estado de Anzoátegui, a 320 quilômetros a leste de Caracas, durante concentração de militantes do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV).
Por outro lado, ele acusou a oposição venezuelana de ter uma agenda violenta e de ser tão má que não é capaz de fazer o seu trabalho. Têm de ser os norte-americanos a fazê-lo", disse. "Não caiamos em chantagem. Um chavista pode ficar incomodado, mas jamais irá votar na direita", acrescentou Diosdado Cabello.
Os Estados Unidos anunciaram, na segunda-feira (2), novas sanções (suspensão de vistos) contra antigos e atuais funcionários do governo venezuelano, acusando-os de serem "responsáveis ou cúmplices" por violações dos direitos humanos na Venezuela.
"Estamos enviando uma mensagem muito clara, que os violadores de direitos humanos, os que se beneficiam com a corrupção e os seus parentes não são bem-vindos nos Estados Unidos", anunciou a porta-voz do Departamento de Estado, Jen Psaki.
Segundo ela, "ao ignorar os repetidos apelos para a mudança, o governo venezuelano continua a demonstrar falta de respeito pelos direitos humanos e liberdades fundamentais".
Washington acusa Caracas de tentar "sufocar a dissidência", reprimindo manifestantes que protestam pela deterioração da situação política, econômica e de segurança no país.
Em julho, o governo dos EUA já tinha imposto restrições na concessão de vistos a 24 dirigentes venezuelanos, supostamente envolvidos em violações de direitos humanos e na repressão de protestos de grupos opositores a Maduro.
Fonte - Agência Brasil  06/02/2015

COMENTÁRIO Pregopontocom

Não seria prudente aos EUA antes de condenar a Venezuela ou qual quer outra nação, pelas ditas violações dos direitos humanos,olharem primeiro para a situação de "Guantánamo"????!!!!....uma grande vergonha aos olhos do mundo....... 

Projeto transforma linhas aposentadas de metrô em ciclovia

Mobilidade

A proposta, batizada de "The London Underline", foi elaborada no ano passado pelo escritório Gensler e inspirada pela infraestrutura da capital da Inglaterra - que possui vários túneis de metrô desativados.

Época Negócios
foto - ilustração/eadic
As ruas, já tomadas por carros e pelo comércio, nem sempre são o espaço mais amigável para os ciclistas. Um projeto premiado esta semana em Londres pretende resolver esse problema com uma solução inusitada: criar uma ciclovia subterrânea.
A proposta, batizada de "The London Underline", foi elaborada no ano passado pelo escritório Gensler e inspirada pela infraestrutura da capital da Inglaterra - que possui vários túneis de metrô desativados. A ideia seria renovar esses espaços para criar um local de circulação para pedestres e ciclistas, além de equipá-lo com lojas e espaços culturais. Em alguns trechos, o Gensler propõe a instalação de um piso especial que transformaria a energia dos passos em energia elétrica e seria capaz de iluminar os túneis.
O London Underline ganhou o prêmio de Melhor Projeto Conceitual no London Planning Awards. "Agora que Londres atingiu seu maior nível populacional da história precisamos pensar com criatividade sobre como maximizar o potencial da nosa infraestrutura. A adaptação dos túneis subutilizados de trem e metrô oferecem um acréscimo rápido e simples à nossa rede estrutural, afirmou em nota Ian Mulcahey, co-diretor do escritório londrino da Gensler. Será que a moda pega?
Fonte - Revista Ferroviária  05/02/2015

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Governador Rui Costa autoriza inicio das obras da linha 2 do Metrô de Salvador

Transportes sobre trilhos

Governador da Bahia inaugurou os bicicletários das estações Retiro e Acesso Norte e assinou a ordem de serviço para a construção da linha 2 do sistema metroviário de Salvador/Aeroporto/Lauro de Freitas.

Da Redação
Pregopontocom
Governador Rui Costa assina a ordem de serviço
Pregopontocom
O Governador Rui Costa inaugurou hoje,quinta feira (05/02) pela manhã, os bicicletários das estações Retiro e Acesso Norte do Metrô de Salvador.
Logo em seguida na estação do Acesso Norte em solenidade que contou com a presença de vários membros do governo do Estado,entre eles o Chefe da Casa Civil o Sr. Bruno Dauster,o Sr. Carlos Martins da Sedur,do presidente da CTB Eduardo Copello,diretoria da CCR,políticos e demais convidados,o Gov.Rui Costa assinou a ordem de serviço para a construção da linha 2 do Metrô cuja as obras já se encontram em rítimo acelerado.O Governador durante o seu discurso falou também sobre a licitação do VLT do subúrbio, que substituirá os antigos trens em operação,cuja a linha será estendida da Calçada até o Comércio,Av.da França,e de Paripe até a nova estação de São Luis.O governador enfatizou as várias obras de mobilidade em andamento na cidade,corredores transversais,e sobre novos estudos para a criação de sistemas de teleféricos que farão a integração entre estações do Metrô e bairros cumeados ao longo das linhas do sistema, facilitando dessa maneira os deslocamentos da população desses locais até as estações do Metrô.
Pregopontocom  05/02/2-15

mapa do Metrô linhas 1 e 2/Pregopontocom


Governador e convidados
 Pregopontocom
funcionários da obra do Metrô
Pregopontocom




Governador/operários
Governador/operários




discurso do Governador
Pregopontocom
discurso do Governador
Pregopontocom


Rui fala com a imprensa
Pregopontocom
Governador recebe comprimentos
Pregopontocom











obra do metrô linha 2
Pregopontocom
obra do metrô linha 2
Pregopontocom



bicicletário estação do Retiro
Pregopontocom
bicicletário estação Retiro
Pregopontocom


Passeio de Maria Fumaça atrai turistas para a histórica São João del Rei

Turismo ferroviário

Os visitantes se divertem nos 12 km de travessia entre os destinos, com uma viagem de 45 minutos de pura apreciação das diversidades ecológicas e belas paisagens que rodeiam a região e até hoje preservam a arquitetura do século XIX. A Maria Fumaça de São João del Rei é a mais antiga em operação no Brasil, e talvez por isso desperte tanta curiosidade.

Folha Vitória 

No Sudeste de Minas Gerais encontram-se dois grandes pólos turísticos: Tiradentes e São João del Rei. Mesclando um pouco de modernidade com as antigas tradições, a cidade de São João del Rei atrai turistas que desejam além de se divertir ter um conhecimento cultural mais abrangentes em relação as histórias que o local oferece.
Logo no centro da cidade é possível encontrar a antiga Estação Ferroviária da Estrada de Ferro Oeste de Minas (EFOM), inaugurada em 1881 também pelo imperador D. Pedro II. Nela, não somente construíram-se grandes histórias, como também é o local de onde ainda partem os tradicionais passeios de Maria Fumaça até a histórica cidade de Tiradentes.
Os visitantes se divertem nos 12 km de travessia entre os destinos, com uma viagem de 45 minutos de pura apreciação das diversidades ecológicas e belas paisagens que rodeiam a região e até hoje preservam a arquitetura do século XIX. A Maria Fumaça de São João del Rei é a mais antiga em operação no Brasil, e talvez por isso desperte tanta curiosidade.
A famosa locomotiva a vapor parte todas as sextas e sábados, às 10h e às 15h, e de domingos também às 10h e às 13h. Os valores só para ida são de R$ 40, e ida e volta R$ 56, sendo que crianças de 6 a 12 anos, estudantes e pessoas acima de 60 com a apresentação de documentos, ganham desconto de 50%, com o direito a meia entrada.
Na Estação da Avenida Hermílio Alves, 366, também encontra-se o Museu Ferroviário, com um acervo que apresenta maquinário, fotos históricas e outras locomotivas, que tanto quanto as viagens, agradam turistas e inclusive moradores locais durante todo o ano. O Museu funciona de quarta a sábado das 9h às 11h, 13h às 17h, e aos domingos das 9h às 13h.
Seja pelo simples apito do trem que empolga as crianças ou pela vista para a Serra de São José que impressiona a jovens e adultos, o passeio vale a pena e na maioria das vezes faz com que o visitante sinta que está voltando no tempo. Para maiores informações sobre pousadas em São João Del Rei acesse http://www.roteirodeturismo.com.br/hoteis-e-pousadas/minas-gerais/sao-joao-del-rei/.
Fonte - STEFZS  05/02/2015

Agentes da Transalvador paralisam atividades por 24 horas

Cidade

De acordo com Gilberto Bomfim, diretor da Associação dos Servidores em Transporte e Trânsito do Município (Astram), a cobrança é contra a reforma administrativa feita pelo órgão, o reajuste do valor proposto para pagamento no Carnaval e nas operações especiais (finais de semana, grandes eventos e feriados).

Felipe Fonseca - A Tarde
Abmael Silva | Ag. A TARDE
Agentes da Superintendência de Trânsito e Transporte de Salvador (Transalvador) e da Secretaria de Mobilidade Urbana realizam uma paralisação de 24 horas, nesta quinta-feira, 5, que teve início às 7h.
A categoria reivindica aumento salarial, além de melhorias nas condições de trabalho. Eles estão reunidos desde às 11h, no pátio da Getran, no bairro dos Barris, para decidir os rumos do movimento.
De acordo com Gilberto Bomfim, diretor da Associação dos Servidores em Transporte e Trânsito do Município (Astram), a cobrança é contra a reforma administrativa feita pelo órgão, o reajuste do valor proposto para pagamento no Carnaval e nas operações especiais (finais de semana, grandes eventos e feriados).
"Alguns servidores foram relocados para a Semob sem nenhum comunicado prévio ou negociação com movimento sindical e tiveram perdas em decorrência dessa mudança", afirmou Bomfim.
Ainda de acordo com o diretor, o valor proposto para o pagamento da hora trabalhada durante o Carnaval não agrada a categoria. "Recebíamos R$ 25 e, agora, será pago R$ 24, enquanto outras categorias que ganhavam R$ 22 receberá o mesmo valor. Já nas operações especiais há mais de três anos o valor de R$ 12 não é reajustado", pontuou.
Em nota, a assessoria da Transalvador informou que houve avanços importantes para a categoria. "Anseios antigos foram atendidos e a administração garante que ainda mais avanços serão construídos". Sobre a gratificação paga pelo Carnaval, o órgão afirmou que é justa e acima de outras categorias.
Fonte - A Tarde  05/02/2015

McDonald's é condenado por vender sanduíche com lagarta

Notícias

O caso aconteceu em novembro de 2013, em Santa Maria, região administrativa do Distrito Federal.Gabriela Rodrigues Ximenes comprou um lanche do McDonald's e, ao comer, viu que havia uma lagarta no alimento. Ao reclamar ao funcionário da lanchonete, recebeu um novo produto. Para a consumidora, o comportamento da companhia foi inadequado, por isso decidiu entrar na Justiça com um pedido de indenização por dano moral.

Por iG 
foto-ilustração/tribunadabahia
São Paulo - A Justiça do Distrito Federal condenou o McDonald's a pagar uma indenização de R$ 2 mil a uma consumidora que encontrou uma lagarta em um sanduíche.
O caso aconteceu em novembro de 2013, em Santa Maria, região administrativa do Distrito Federal.
Gabriela Rodrigues Ximenes comprou um lanche do McDonald's e, ao comer, viu que havia uma lagarta no alimento. Ao reclamar ao funcionário da lanchonete, recebeu um novo produto. Para a consumidora, o comportamento da companhia foi inadequado, por isso decidiu entrar na Justiça com um pedido de indenização por dano moral.
A empresa questionou a acusação da consumidora e garantiu que adota procedimentos rígidos de higiene. Ainda segundo o McDonald's, não havia prova de que Gabriela sofreu algum dano.
Para o juiz, as fotos apresentadas por Gabriela deixaram clara a responsabilidade do McDonald's ao servir um produto inadequado ao consumo. Ainda segundo o magistrado, a presença da lagarta no sanduíche não só causou "sentimento de nojo", mas representa um risco à saúde pública, já que pode causar doenças.
A lagarta no lanche, explicou o juiz na sentença, abalou a "integridade física" da consumidora, causou "abalo emocional" e o "constrangimento que extrapolam o mero aborrecimento".
A empresa ainda pode recorrer da decisão. Procurado, o McDonald's informou que não comenta processos judiciais em andamento”.
Fonte - Tribuna da Bahia  05/02/2015

Petrobras anuncia nova descoberta no pós-sal da Bacia de Campos

Economia

A descoberta ocorreu durante a perfuração do poço informalmente conhecido como Basilisco (1-RJS-737, segundo nomenclatura da Petrobras), localizado a aproximadamente 143 quilômetros da cidade de Armação de Búzios, na costa do estado do Rio e em profundidade de 2.214 metros.

Nielmar de Oliveira
Repórter da Agência Brasil
foto - ilustração
Rio de Janeiro - A Petrobras anunciou na madrugada de hoje (5) a descoberta de novas acumulações de petróleo em duas áreas de concessão nos blocos marítimos da Bacia de Campos (BM-C-35), no norte do estado do Rio. O local tem a maior província petrolífera do país.
A descoberta ocorreu durante a perfuração do poço informalmente conhecido como Basilisco (1-RJS-737, segundo nomenclatura da Petrobras), localizado a aproximadamente 143 quilômetros da cidade de Armação de Búzios, na costa do estado do Rio e em profundidade de 2.214 metros.
As acumulações são de petróleo pesado e ocorrem em dois diferentes níveis de reservatórios, em profundidades de 3.190 metros e 3.521 metros.
Em nota, a estatal esclarece que o consórcio do BM-C-35, formado pela Petrobras (operadora com 65%) em parceria com a BP (35%) dará continuidade às operações necessárias para avaliar a extensão das descobertas, como também o potencial exploratório da concessão.
Fonte - Agência Brasil  05/02/2015

Metrô de São Paulo usou contrato de 1992 para comprar trens em 2007

Metrô de SP

A manobra vai contra a Lei de Licitações, que avalia que os contratos devam possuir uma duração máxima de cinco anos.Segundo o TCE, o Metrô deveria ter feito nova licitação, com a participação de outras empresas. Os 16 trens, segundo o jornal, custaram R$ 828 milhões em valores atualizados e circulam na linha 3-vermelha.

Portal Terra 

São Paulo - O Tribunal de Contas do Estado (TCE) de São Paulo caracterizou como irregular a compra de 16 trens do Metrô junto à Alstom. Segundo informações do jornal Folha de S. Paulo, a Justiça entendeu que a companhia do governo paulista usou um contrato de 1992 para fazer a aquisição em 2007, durante a gestão do governador José Serra (PSDB). A manobra vai contra a Lei de Licitações, que avalia que os contratos devam possuir uma duração máxima de cinco anos.
A francesa Alstom é investigada por suspeita de fraudar licitações do Metrô e da CPTM entre 1998 e 2008, em sucessivos governos tucanos. A empresa nega as acusações.
Segundo o TCE, o Metrô deveria ter feito nova licitação, com a participação de outras empresas. Os 16 trens, segundo o jornal, custaram R$ 828 milhões em valores atualizados e circulam na linha 3-vermelha.
De acordo com o Metrô, o contrato de 1992 previa a compra de 22 trens, mas apenas 11 foram entregues. A companhia disse que o contrato continuava válido porque os trens não haviam sido fornecidos e acrescentou outros cinco na encomenda.
O Metrô incluiu a compra num contrato que fora assinado em 1992 como um aditivo. O contrato de 1992 previa a compra de 22 trens, mas só 11 foram entregues.
Sem sua defesa, o Metrô disse que era mais barato comprar da Astom, mas o Tribunal considerou que a companhia não conseguiu provar essa vantagem econômica. O Metrô vai recorrer da decisão. "Não aditar os contratos implicaria um enorme prejuízo ao Metrô", disse a empresa em comunicado.
A Alstom disse que cumpre com as leis brasileiras nas contratações que realiza.
Fonte - STEFZS  05/02/2015

Incidente com composição de VLT em joão Pessoa provoca ato de vandalismo diz CBTU

Transportes sobre trilhos

O incidente aconteceu por volta das 12h30, próximo à estação do município de Santa Rita. Segundo a assessoria de imprensa da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), o lixo que estava no trilho danificou uma mangueira do sistema de freios e portas do veículo.

G1 
foto - ilustração
Paraiba - Uma das composições do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) que circula na grnade João Pessoateve um problema técnico e sofreu seu segundo ato de vandalismo nesta quarta-feira (4). O incidente aconteceu por volta das 12h30, próximo à estação do município de Santa Rita. Segundo a assessoria de imprensa da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), o lixo que estava no trilho danificou uma mangueira do sistema de freios e portas do veículo.
Além disso, com a parada do VLT um homem riscou a lateral de um dos três carros que fazem parte da composição. O primeiro ato de vandalismo ocorreu em uma viagem de teste na Capital paraibana, quando pedras foram arremessadas contra o veículo. O VLT começou a operar na segunda-feira (2).
O problema técnico ocorreu ainda no município de Bayeux, onde, de acordo com a assessoria da CBTU, havia lixo aglomerado pelos trilhos, apesar de ter sido realizada uma solicitação prévia à Prefeitura de Bayeux para a retirada do material, que poderia prejudicar o funcionamento das composições do VLT. O lixo danificou a mangueira que alimenta o freio e o fucionamento das portas.
O VLT é um tipo de trem mais moderno, rápido e seguro e a entrega e funcionamento dos veículos faz parte do projeto de modernização do sistema de trens urbanos de João Pessoa. Cada composição do VLT tem três carros e capacidade para 600 pessoas. Os veículos irão operar na malha ferroviária atual de 30km ligando as cidades de Santa Rita e Cabedelo, passando por Bayeux e João Pessoa.
Mesmo danificada, a composição ainda conseguir seguir o trajeto até as proximidades da estação do município de Santa Rita, onde os passageiros desceram dos carros e uma outra composição rebocou a que estava quebrada, levando-a até a cidade de Cabedelo, onde devem ser feitos os reparos em um oficina. Na quinta-feira (5), as viagens devem ser normalizadas.
O G1 fez contato com a prefeitura de Bayeux, mas as ligações não foram atendidas.
Em relação ao ato da vandalismo, a CBTU informou que um homem se aproveitou da parada do veículo e fez um risco na sua lateral, fugindo em seguida. Apesar de não ter sido detido no momento do ato, a segurança da CBTU está averiguando imagens de câmeras de segurança para identificar o responsável.
Há dois dias, o superintendente da CBTU em João Pessoa, Wladme Macedo, pediu o empenho e a participação dos passageiros e moradores da região para preservar o VLT. “Nós estamos preparando uma campanha educativa para chamar a atenção de todos para a importância e necessidade de mantermos o VLT sempre em condições de tráfego para que todos desfrutem de uma viagem com segurança e comodidade”, disse.
Fonte - Revista Ferroviária  04/02/2015

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

CSN confirma Ciro na Transnordestina

Ferrovias

O ex-ministro terá como principal desafio a conclusão da obra orçada em R$ 7,5 bilhões que deveria ter sido entregue em 2010

DN
foto -  Erika Fonseca
São Paulo - A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) confirmou ontem que o ex-ministro da Integração Nacional do primeiro governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2006) Ciro Gomes (PROS) começou a trabalhar ontem na empresa.
De acordo com a companhia, Ciro ocupa o cargo de "diretor da CSN responsável pela Transnordestina", subsidiária responsável por obras da ferrovia no Nordeste. Ele será o número um na hierarquia da Transnordestina, acima do diretor-presidente interino, Ricardo Fernandes, que assumiu o cargo em janeiro de 2014, após Angelo Baptista renunciar ao posto. Fontes ouvidas pela Agência Estado, afirmam que Ciro deverá assumir formalmente como diretor-presidente em breve.
A empresa não informou detalhes da contratação, como o tempo de vigência do contrato e o salário. O ex-ministro está trabalhando no prédio da CSN na Avenida Faria Lima, na capital paulista. A confirmação de que ele iria para a CSN foi noticiada em 23 de janeiro. A informação foi passada pela assessoria do político que, na época, não informou o cargo que ele ocuparia.
Ciro terá como principal desafio a conclusão da Transnordestina, obra orçada em R$ 7,5 bilhões que deveria ter sido entregue em 2010, mas, após sucessivas paralisações, está prevista para ser concluída em 2016.

Primeiro trem da Linha 4 do metrô RJ será apresentado nesta quinta-feira

Transportes sobre trilhos

Novo trem de uma série de 15 composições do metrô da linha 4 do Rio de Janeiro vindos da China será apresentado nesta quinta feira,05/02,

RF
foto - ilustração/metrõlinha4
O governador do Estado do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, o secretário estadual de Transportes, Carlos Roberto Osorio, e o presidente do MetrôRio, Flávio Almada, apresentam o primeiro dos 15 novos trens da Linha 4 (Barra da Tijuca-Ipanema) nesta quinta-feira (5/2).

Construído na China, o trem possui seis carros, capacidade para 1.800 pessoas, ar condicionado, passagem interna entre carros, painéis de LED com sistema informatizado de comunicação e câmeras de monitoramento interno. O projeto é o mesmo das composições que operam no MetrôRio desde 2012.
Fonte - Revista Ferroviária  04/02/2015

Ceará - "Zona urbana" da velha Jaguaribara reaparece

Estiagem/Meio ambiente

A contínua redução do nível das águas do açude Castanhão revela cada dia mais a cidade antes submersa.Ruas calçamentadas e escombros de casas já são visíveis misturados a objetos

Melquíades Júnior - Reporter  DN
foto - Bruno Gomes
Jaguaribara - Cada nova baixa de águas do Castanhão é uma apreensão que ecoa. Além de não chover, parece que o céu está pegando de volta o que despejou. De fato, está. A evaporação só não é mais responsável do que o próprio consumo, seja para indústria, agricultura ou uso doméstico. Tem muita água no maior açude do Ceará. Tem tanta água que é quase metade de toda a reserva do Estado. Mas nunca teve tão pouco desde que encheu em 18 dias o que, diziam, levaria dez anos.
Chegou a 97% em 2009, com mais de 6 bilhões de metros cúbicos. Ontem, registrou 24% da capacidade, ou 1,6 bilhão de metros cúbicos. É um terço do que apresentava em janeiro de 2014. A população que viu suas terras sumirem aguadas presencia o fenômeno do mar revirando sertão.

Do poste ao pote
O quarto ano seguido de seca (é o prognóstico mais provável) é o terceiro em que os escombros da velha Jaguaribara se pronunciam. Primeiro foram os postes, as caixas d'água, os apontamentos de vida nas áreas de morro. Hoje, o que se vê é o pote de barro, o que sobrou do fogão, as estradas em paralelepípedo e todos os tijolos com que foi feita uma casa. A zona urbana da cidade vista a olho nu e seco. Centenas de hectares de terras desafundadas revelam que o Castanhão passou por ali. Nelas, o que ainda chega é o ronco das pequenas ondas batendo na alvenaria dia e noite.
Durante a construção do açude Castanhão, a população inteira de Jaguaribara foi realocada para terras altas. Uma nova cidade, totalmente projetada, foi inaugurada em 25 de setembro de 2001. Para muitos moradores, até hoje, a casa não é onde vivem, mas viveram.
Para quem é da velha Jaguaribara, o Castanhão é um baú de memórias em que se navega. A identidade estava afundada com os tijolos que hoje reaparecem. Almerinda Nogueira, de 62 anos, era lavadeira. Hoje se define "dona-de-casa-solitária". Explica: "morava na beira do Jaguaribe. Mais de 30 anos na mesma casinha. Trouxeram a gente pra cá porque era para resolver o problema da seca. E o que a gente vê agora? Uns com sede e outros com saudade. A vida lá era muito melhor".
"A falta d'água seria um problema maior sem o Castanhão", afirma o engenheiro Ulisses Maia, do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs). Vem desse açude parte da água que abastece a Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) e os projetos do Dnocs no Vale do Jaguaribe, como os perímetros irrigados Jaguaribe-Apodi e Tabuleiros de Russas.

Abertura de comportas
Entre os anos de 2007 e 2010, os meses de fevereiro e março eram de expectativa para um evento que durava até uma semana: a abertura de comportas do Castanhão. São doze, das quais ao menos duas faziam a alegria de centenas de espectadores a presenciar o "véu de noiva" que se forma com a passagem de água. A liberação era feita para o reservatório não transbordar, pois também significaria água demais em regiões como a que rodeia o município vizinho de Jaguaretama.
A liberação das comportas jogava até um milhão de litros por segundo na calha do Rio Jaguaribe, que corria mais veloz até chegar a Fortim, onde finalmente deságua no mar.
Na semana passada, moradores reunidos em movimentos como o de atingidos por barragens fizeram protesto por água. Pediam urgência na construção de uma adutora de engate rápido que abasteça a cidade, que não recebe uma gota de água do açude Castanhão, atualmente 18 km distante. A solução apontada pelo governo Estadual é o aproveitamento de uma adutora desativada em Canindé, no Sertão Central, porque o açude que fornecia água já está seco.
"O Castanhão deixou de ser aliado pra não ser praticamente nada", afirma Venâncio Lima, agricultor em Jaguaretama. Perdeu todo o plantio. "E as horas do quintal. Tem mais nada. Plantar perto do Castanhão só consegue se for empresário em perímetro irrigado, porque é quem ainda tá recebendo água. Pra agricultor familiar não tem não".

Níveis
O Ceará está com apenas 19,5% da capacidade de reserva, ou 3,6 bilhões de metros cúbicos de água. Pelo menos 127 açudes estão com menos de 30% da capacidade de reserva, conforme o portal hidrológico da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh). Mas o dado é mais dramático, pois cerca de 120 desses açudes não tem mais de 10% de "fôlego".
Fonte - Diário do Nordeste  04/02/2015

Pedidos de falência das empresas caem 11,7%, mostra Serasa

Economia

Serasa Experian mostra que caíram pedidos de requerimentos de falências.Na comparação com janeiro de 2014, o número de pedidos caiu 8,9%.Dos 113 requerimentos de falência de janeiro, 65 vieram de micro e pequenas empresas, 22 de médias empresas e 26 de grandes empresas.

Fernanda Cruz
Repórter da Agência Brasil 
Arquivo/Agência Brasil
São Paulo - Os requerimentos de falências somaram, em janeiro, 113 pedidos em todo o país, uma queda de 11,7% em relação a dezembro, mostra a empresa de consultoria Serasa Experian. Na comparação com janeiro de 2014, o número de pedidos caiu 8,9%.
Dos 113 requerimentos de falência de janeiro, 65 vieram de micro e pequenas empresas, 22 de médias empresas e 26 de grandes empresas.
Os requerimentos de recuperações judiciais aumentaram 39,6% em janeiro, quando comparados ao mês anterior. Foram 74 solicitações no primeiro mês deste ano, contra 53 em dezembro. As micro e pequenas empresas lideraram os requerimentos de recuperação judicial com 48 pedidos, seguidas pelas médias grandes empresas, com 13 pedidos cada.
De acordo com os economistas da Serasa Experian, a queda dos pedidos de falências em janeiro, na comparação com dezembro, é reflexo do impacto positivo no caixa das empresas das vendas de final de ano.
Fonte - Agência Brasil  04/02/2015

Praça Almeida Couto no bairro de Nazaré não tem mais o charme e a paz de antes

Cidade

Uma das praças mais antigas em de bairro tradicional de Salvador hoje se encontra abandonada e entregue a própria sorte.Segundo alguns comerciantes, o abandono da praça não é novidade. Além das pichações, os monumentos estão danificados, e até mesmo uma placa de bronze que continha informações sobre uma das estátuas foi roubada.

Matheus Fortes - TB
Foto: Francisco Galvão
Salvador - Principal espaço de lazer de um dos bairros mais antigos da cidade, a Praça Conselheiro Almeida Couto, em Nazaré, enfrenta um processo de degradação com atos contínuos de vandalismo, roubos, e uso de drogas – problemas que tem afastado a população de um lugar, outrora conhecido como espaço de lazer familiar, principalmente aos casais de namorados.
Segundo alguns comerciantes, o abandono da praça não é novidade. Além das pichações, os monumentos estão danificados, e até mesmo uma placa de bronze que continha informações sobre uma das estátuas foi roubada. A fonte, situada no centro não está funcionando, e sua grade de um dos monumentos é utilizada pelos flanelinhas e moradores de rua para pendurar roupas. A presença dos mendigos, pedintes, e guardadores de carro na praça já é uma realidade que muitos transeuntes precisaram se acostumar.
Para a dona de casa Lucimara Couto, estacionar nos arredores da praça sempre é uma dor de cabeça, pois são vários flanelinhas, e, não bastando a intimidação, eles vivem se desentendendo. “Certa vez, fui buscar meu carro, e quando fui dar o dinheiro a um deles, veio outro, no mesmo momento, reivindicando o espaço. É revoltante porque isso aqui é espaço público, eu pago a eles, com medo de acontecer alguma coisa comigo ou com meu carro”, ela explicou.
Karla Suzane também trabalha como secretária em um consultório médico ao lado da praça, e afirma que o verdadeiro perigo é na parte da tarde. “Durante a manhã, o movimento da praça é muito tranquilo. É problema é com o passar do dia. À tarde o fluxo diminui e as pessoas se arriscam menos em sentar-se aqui para descansar, pegar um ar livre”, relata ela, explicando que o consumo de drogas normalmente é feito à noite.
Se durante o dia, transitar pelo lugar exige atenção constante, à noite todo cuidado é pouco. Há dezesseis anos trabalhando em uma farmácia ao lado da Almeida Couto, a balconista Ana Meire dos Santos diz que após 20h, o fluxo de pessoas diminui, enquanto usuários de droga se aproveitam do espaço para o consumo das substâncias ilícitas, como o crack.
A Secretaria de Manutenção de Salvador (Seman) informou que a praça Conselheiro Almeida Couto passa por revisões periódicas, e que hoje mesmo estará enviando técnicos para averiguar os danos ao patrimônio público. Além disso, o órgão municipal está planejando uma grande ação de manutenção da praça que deverá ocorrer depois do carnaval.

Menores de idade
Mas os problemas da praça não se restringem a falta de políticas para cidadãos em situação de vulnerabilidade. Alguns transeuntes, como a balconista Eunice Silva, afirmaram já ter visto barracas nas proximidades da Biblioteca Infantil Monteiro Lobato vendendo bebidas alcoólicas a menores de idade,sem qualquer preocupação. “O ideal aqui seria ter alguma cabine fixa para fiscalizar e fazer segurança o tempo todo, só que isso não acontece”, opinou.
Fonte - Tribuna da Bahia  04/02/2015

Metrô de BH, ampliação depende de repasses da União, diz PBH

Transportes sobre trilhos

Ampliação do metrô de BH depende de repasses da União, diz PBH.Segundo a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), a ampliação do metrô de Belo Horizonte está dentro do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), formalizado em abril de 2012.

G1
foto - ilustração
O prefeito de Belo Horizonte Marcio Lacerda pediu ao Ministério das Cidades a criação de uma comissão com representantes do município, do estado e da União, para agilizar a expansão do metrô da capital. Ele se reuniu com o ministro da pasta Gilberto Kassab em Brasília.
Segundo a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), a ampliação do metrô de Belo Horizonte está dentro do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), formalizado em abril de 2012. O projeto prevê a expansão da Linha 1 (Eldorado/Vilarinho) até o bairro Novo Eldorado, em Contagem, na Região Metropolitana da capital.
Há ainda a expectativa de construção da Linha 2, entre as estações Calafate e Gameleira e irá em direção à região do Barreiro, e da Linha 3, que partirá da Estação Lagoinha em direção à Savassi, passando pela Praça Sete.
Ainda de acordo com nota divulgada pela PBH, "os projetos de engenharia desta primeira fase já estão concluídos e aguardam avaliação da Caixa Econômica Federal, que é o agente federal operador do PAC". O município também informou que as licitações para o início das obras dependem da transferência da direção do sistema de metrô, hoje operado pela Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), para a empresa estadual Metrominas.
Uma outra fase da ampliação está inserida no Pacto da Mobilidade. Ainda de acordo com a PBH, "estão previstas a construção de dois trechos subterrâneos: um partindo do Calafate em direção ao Santa Tereza, com sete quilômetros de extensão e um outro, que vai da Savassi (Linha 3 acima) em direção ao Belvedere, com seis quilômetros de extensão". A prefeitura informou também que aguarda repasse dos recursos federais para fazer os projetos de engenharia.
A tão prometida ampliação do metrô promete aliviar o desconforto e diminuir os problemas dos passageiros de Belo Horizonte. A reportagem do MGTV 1ª Edição registrou os obstáculos enfrentados pelos moradores todos os dias. Eles são obrigados a viajar em trens lotados.
De acordo com a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), foi feito um investimento de R$ 172 milhões em dez novos trens, o que aumentaria a capacidade em 50%. Uma das composições deveria estar circulando desde janeiro, mas não entrou em operação. Ela ainda está em teste.
Com a volta das aulas nesta semana, o movimento aumentou e as estações estão mais cheias.
Atualmente 230 mil pessoas usam o transporte todos os dias, segundo dados da empresa. O número deve aumentar para 340 mil.
A assessoria da CBTU não soube informar quando os novos trens do metrô começam a funcionar. Por nota, disse apenas que os testes vêm sendo realizados normalmente e seguem um cronograma previamente elaborado. Segundo a empresa, tudo está dentro dos prazos estabelecidos.
Fonte - Revista Ferroviária  04/02/2015

Embraer faz primeiro teste de avião cargueiro (KC-390) que vai integrar frota da FAB

Tecnologia

O avião, produzido pela Empresa Brasileira de Aeronáutica (Embraer), é o maior já desenvolvido no Brasil. O voo durou uma hora e 19 minutos e tudo correu bem. O período de testes deve durar até o fim de 2016.

Marcelo Brandão
Repórter da Agência Brasil
Avião cargueiro KC-390, da Embraer, que deve substituir
 o C-130 Hercules nas missões - Divulgacao Embraer
O KC-390 fez o seu primeiro teste de voo hoje (3), em Gavião Peixoto (SP). O avião, produzido pela Empresa Brasileira de Aeronáutica (Embraer), é o maior já desenvolvido no Brasil. O voo durou uma hora e 19 minutos e tudo correu bem. O período de testes deve durar até o fim de 2016. A partir daí, as aeronaves começarão a ser entregues à Força Aérea Brasileira (FAB). Serão 28 unidades em 12 anos.
O avião deve substituir o C-130 Hercules em todas as suas missões, como transporte de tropas e de carga, lançamento de paraquedistas, busca e combate a incêndios. O aparelho é mais veloz que o Hérculos, que atinge 671 quilômetros por hora (km/h). O modelo da Embraer chega a 870 km/h.
“O KC-390 será a espinha dorsal da aviação de transporte da Força Aérea Brasileira (FAB). Da Amazônia à Antártica, a frota de 28 aeronaves terá um papel fundamental para os mais diversos projetos do Estado brasileiro, da pesquisa científica à manutenção da soberania", disse o comandante da Aeronáutica, brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato, no site do Ministério da Defesa.
foto - ilustração/Youtube
O KC-390 mede 35,20 metros, tem altura de 11,84 metros e envergadura de 30,05 metros. É um avião que permite abastecimento em pleno voo e pode transportar até 23 toneladas. Ele pode transportar 80 soldados equipados, 64 paraquedistas ou 74 macas e uma equipe médica. Como reabastecedor, o KC-390 será capaz de transferir combustível em voo para aviões e helicópteros.
O valor total do contrato é R$ 7,2 bilhões e prevê o fornecimento de um pacote de suporte logístico, que inclui peças sobressalentes e manutenção. Seis países já demonstraram interesse de comprar a aeronave: Suécia, Portugal, Argentina, Colômbia, Chile e República Checa.
Fonte - Agência Brasil  03/02/2015


O Metrô do Recife e a privada

Vandalismo

Os trens e as estações do sistema foram alvo de ataques de vândalos. Até pedras foram arremessadas contra os veículos. Pelo menos dessa vez, não lançaram nenhuma privada. 

Tânia Passos - Mobilidade
Estação Werneck do metrô, Linha Centro, Recife
Foto Guilherme Veríssimo DP/D.A.Press
A paralisação do metrô, no último final de semana, a partir de uma decisão dos próprios funcionários do sistema que se recusaram a trabalhar por causa da falta de segurança, chama atenção para um grave problema no transporte público: o vandalismo das torcidas dos times pernambucanos. Os trens e as estações do sistema foram alvo de ataques de vândalos. Até pedras foram arremessadas contra os veículos. Pelo menos dessa vez, não lançaram nenhuma privada. Em maio do ano passado, uma pessoa morreu ao ser atingida por privada lançada da arquibancada no estádio do Arruda.
Não por acaso, a violência das torcidas tem trazido intranquilidade aos trabalhadores do metrô. E não apenas a eles, os ônibus também são alvo da fúria de torcedores nos dias de jogo. A Avenida Conde da Boa Vista, por exemplo, tem sido um verdadeiro saco de pancadas. E quem responde por isso? A propagação da violência encontra espaço, onde a punição é artigo de luxo.
Uma vez ouvi de um consultor em trânsito, que segurança não é um problema do transporte público, mas sim uma questão de polícia. Parece lógico, mas não há como a polícia estar presente em todas as estações, paradas, ônibus e trens. É impossível garantir esse tipo de segurança. As empresas também precisam oferecer segurança própria e dispor de uma forma mais eficaz para se comunicar com a polícia, sempre que necessário.
No final de semana passado, a Secretaria de Defesa Social (SDS) chegou a apresentar um plano de segurança com 68 policiais para fazer a segurança no metrô e não foi suficiente.O Sindicato dos Metroviários chamou atenção para o fato dos policiais não terem sido posicionados nas estações. Isso talvez possa ser melhorado, mas o fato é que há uma insegurança no sistema não apenas para os trabalhadores, mas também para os usuários. A mudança só será sentida quando a punição passar a ser encarada na medida da responsabilidade de quem a pratica, assim como a prisão dos que lançaram a privada matando uma pessoa.
Fonte - Diário de Pernambuco  03/02/2015

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Governador da Bahia autoriza construção da linha 2 do metrô e inaugura bicicletários

Transportes sobre trilhos

Serão entregues 2(dois) bicicletários 1(um) na estação do Retiro e outro na estação do Acesso Norte. Com investimento de R$ 300 mil cada, os bicicletários possuem capacidade para armazenar até 108 bicicletas cada um e a utilização será gratuita e exclusiva para os usuários do sistema.Em seguida, na Estação do Acesso Norte, Rui Costa assina a ordem de serviço para a construção da linha 2 do metrô

Secom
Foto - Pregopontocom
O governador Rui Costa inaugura nesta quinta-feira (5), às 9h, no bairro Retiro, o Bicicletário da Estação, que integra o Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas. Será entregue também a mesma estrutura na Estação do Acesso Norte. Com investimento de R$ 300 mil cada, os bicicletários possuem capacidade para armazenar até 108 bicicletas cada um e a utilização será gratuita e exclusiva para os usuários do sistema.

Linha 2
Em seguida, na Estação do Acesso Norte, Rui Costa assina a ordem de serviço para a construção da linha 2 do metrô, que ligará o Acesso Norte ao Aeroporto de Salvador. A obra que vai melhorar e ampliar os investimentos em mobilidade na capital baiana terá um investimento total de R$ 3,6 bilhões, através de Contrato de Concessão (PPP), com a CCR Bahia.
A Linha 2 contará com 20,7 km de via permanente, 12 novas estações (Acesso Norte, Detran, Rodoviária, Pernambués, Imbuí, CAB, Pituaçu, Flamboyant, Tamburugy, Bairro da Paz, Mussurunga e Aeroporto) e quatro Terminais de Integração (Acesso Norte, Rodoviária, Pituaçu e Aeroporto).
Além disso, serão construídas dez novas passarelas (Acesso Norte, Detran, Rodoviária, Pernambués, Imbuí, Pituaçu, Flamboyant, Bairro da Paz, Mussurunga e Aeroporto) e retiradas as atuais estruturas no Detran e Rodoviária. A previsão de conclusão da linha 2 é abril de 2017.
Fonte - Secom Ba. 03/02/2015

Restos de demolição trazem riscos para banhistas em Stella Maris

Cidade

O trecho onde está o entulho oriundo da demolição das barracas fica próximo ao Gran Hotel Stella Maris.Quem costuma ir ao local tem que conviver com pedaços de concreto, blocos e madeira das antigas construções na areia.

Luan Santos - A Tarde
Raul Spinassé l Ag. A TARDE
Salvador-As barracas de praia de Salvador foram demolidas há quase cinco anos. No entanto, resquícios delas permanecem nas areias de Stella Maris e representam riscos para banhistas e frequentadores.
Quem costuma ir ao local tem que conviver com pedaços de concreto, blocos e madeira das antigas construções na areia. O trecho da praia que contém o entulho fica próximo ao Gran Hotel Stella Maris.
Banhistas reclamam da morosidade da prefeitura em retirar os restos de construção e dizem que tiram a beleza natural da praia.
Barraqueiros também se queixam e contam que já presenciaram acidentes causados pelos materiais.
O engenheiro elétrico Gilson Reis, 34 anos, e a estudante Geise Maia Reis, 26, por exemplo, contam que temem levar a pequena Giovana, 3, filha do casal, para brincar nesse trecho.
"Tem que ficar de olho o tempo inteiro. Quando a maré sobe, o mar leva alguns pedaços de concreto que ficam espalhados e cobertos pela areia", diz Geise.
Gilson, morador de Stella Maris, costuma frequentar a praia e relata que o entulho costuma aparecer durante o verão. "Na maior parte do tempo, fica coberto. Quando a maré fica mais forte, esses materiais ficam mais visíveis", explica.
Banhistas e barraqueiros relatam que casos de pessoas que se cortam com os materiais são comuns. Geise já presenciou acidentes, pois os materiais são pontiagudos e cortantes. "Como o mar leva pedaços, algumas pessoas se machucam, pois não veem", afirma.

Resposta
O órgão responsável pela derrubada das barracas, que começou em 2010, foi a antiga Superintendência de Controle e Ordenamento do Uso do Solo do Município, hoje Secretaria Municipal de Urbanismo (Sucom).
Em nota, o órgão informou que "enviará uma equipe para fazer inspeção no local, nesta terça-feira, 3, e, caso seja verificado que há entulhos por conta da demolição das barracas, será feita a autorização para a retirada".
O texto consta ainda que "não houve nenhuma denúncia na Sucom sobre resquícios deixados nas praias por conta da demolição. Esta é a primeira vez chega à Secretaria uma reclamação sobre o assunto, e serão tomadas as medidas cabíveis".

Limpeza
Barraqueiros que atuam no local e não quiseram ser identificados contaram que muitos banhistas evitam ir ao trecho por conta dos restos das construções.
Eles dizem que já fizeram diversas queixas à Empresa de Limpeza Urbana do Salvador (Limpurb), órgão responsável pela limpeza das praias, "mas os agentes só retiram os pedaços menores", segundo relatou um barraqueiro.
A Limpurb, por sua vez, informou que o material remanescente é muito pesado, composto por "colunas enormes, que não podem ser retiradas pelos agentes de limpeza das praias".
No local, é possível encontrar pedaços de diversos tamanhos. Os que mais chamam a atenção são os de concreto, que, além de maiores, ficam mais visíveis.
"Esse trecho da praia ficou muito feio, porque eles deixaram esse entulho, que, além de tudo, que representa risco à saúde. Gostava daqui quando tinham as barracas, mas agora vou para outros pontos de Stella Maris", conta o turista carioca Leonardo Matos, 42.
Fonte - A Tarde  03/02/2015