terça-feira, 13 de outubro de 2015

GT Planeja Salvador discute projetos de mobilidade para o PDDU da capital

Mobilidade

“O PDDU é tímido e não está pensando a longo prazo”, pontuou o diretor de Planejamento da Superintendência de Mobilidade da Sedur, Márcio Tourinho. Projetos que já estão em execução, a exemplo do metrô, e outros projetos futuros não estão contemplados no novo PDDU da capital.Falha em não estar incorporado à política nacional de mobilidade e falha, também, em não prever os impactos dos projetos em andamento, tampouco os futuros”.

Da Redação
Sedur Ba
Na manhã desta terça-feira (13), o Grupo de Trabalho – Planeja Salvador realizou mais uma reunião para aprofundar as discussões em torno da revisão do Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano de Salvador (PDDU). O encontro aconteceu na sede da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur). Na pauta do dia, mobilidade urbana.
“O PDDU é tímido e não está pensando a longo prazo”, pontuou o diretor de Planejamento da Superintendência de Mobilidade da Sedur, Márcio Tourinho. Projetos que já estão em execução, a exemplo do metrô, e projetos futuros, como a Ponte Salvador-Itaparica e a extensão do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) até São Luis, não estão contemplados no novo PDDU da capital, segundo apontou Tourinho. “O PDDU é bem genérico. Falha em não estar incorporado à política nacional de mobilidade e falha, também, em não prever os impactos dos projetos em andamento, tampouco os futuros”.
Os encontros semanais do Grupo de Trabalho tem, justamente, esta função de afinar as discussões e apresentar a nova configuração urbana da cidade. “O PDDU é um instrumento de planejamento e expansão, que estabelece princípios e diretrizes. E Salvador está elaborando o seu Plano Diretor sem atender à Lei do Estatuto da Cidade, que exige a participação da sociedade. Daí a criação deste Grupo de Trabalho, para contribuir com as discussões para o novo PDDU”, destacou o conselheiro do Conselho Estadual das Cidades (ConCidades), Paulo Moraes.
O GT, inclusive, surgiu dentro do ConCidades, criado no âmbito da Câmara Técnica de Planejamento e Gestão Territorial, para acompanhamento e participação na elaboração do PDDU . “O Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano é a 2ª lei mais importante de um município, atrás apenas da sua Constituição”, enfatizou Paulo Moraes.

Lacunas
A crítica quanto à mobilidade no que diz respeito ao novo PDDU de Salvador envolve não apenas a exclusão de estudos técnicos de impacto em relação aos projetos da Ponte Salvador-Itaparica e a extensão do VLT, mas também aos que já estão em curso, como a construção da nova rodoviária, em Águas Claras (estudos de dimensionamento de fluxo de passageiros estão em fase de conclusão e a abertura da consulta pública será mês que vem), a implantação do tramo 3 do metrô, que garante sua expansão até Cajazeiras, e as mudanças nas avenidas transversais e em todo entorno do novo modal.
“Projetos superam administrações e, mais cedo ou mais tarde, se tornam realidade. Portanto, assim como o PDDU de hoje trata de projetos pensados há 30 anos, é fundamental que também se planeje para os próximos 30”, arrematou o diretor de Planejamento da Superintendência de Mobilidade da Sedur.
O próximo encontro do GT será no dia 20. O tema em questão será Saneamento e Meio Ambiente.
Com informações da Sedur  Ba.  13/10/2015 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua visita,ajude-nos na divulgação desse Blog
Cidadania não é só um estado de "direito",é também um estado de "espírito"