quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Ciclistas descuidam da visão e segurança

Ciclismo

Óculos de segurança e capacete só são usados por 1% dos que optam por bicicletas. A atividade reduz o risco de contrair catarata e degeneração macular. A falta de óculos elimina este benefício

Mariana Czerwonka
Portal do Trânsito /Eutrópia Turazzi 

O Brasil é o quinto maior consumidor de bicicletas no mundo com uma frota de 61,3 milhões de unidades, segundo levantamento da Abraciclo, associação que representa os fabricantes do setor. Este número pode crescer ainda mais com a multiplicação de ciclovias em todo o país. O levantamento também mostra que só 1% dos ciclistas usam óculos de segurança e capacete.
De acordo com o oftalmologista do Instituto Penido Burnier, Leôncio Queiroz Neto, a falta dos equipamentos de proteção aumentam o risco de doenças e ferimentos oculares que podem causar danos irreparáveis à visão.
Só para se ter uma idéia, estudos internacionais comprovaram que atividades físicas vigorosas reduzem o risco de contrair catarata e degeneração macular, doenças que representam as maiores causas de perda da visão no mundo. O problema é que a falta de óculos com filtro solar elimina este benefício.
O especialista que é perito em medicina do tráfego e membro da ABRAMET (Associação Brasileira de Medicina do Tráfego) também chama a atenção para as falhas no planejamento das ciclovias. Isso porque, embora os atropelamentos causados por ciclistas sejam poucos quando comparados aos provocados por motos e carros, a falta de sinalização e outras deficiências, como por exemplo, ciclovias dividindo o espaço das calçadas de pedestres, pode aumentar o número de atropelamentos.

Os principais benefícios dos óculos para ciclismo destacados pelo oftalmologista são:
Reduz em até 90% dos acidentes oculares durante o trajeto
Previne doenças oculares que podem ser desencadeadas pelo efeito acumulativo do sol: ceratite (inflamação da córnea), pterígio, catarata e degeneração macular.
Diminui o risco de lesões na superfície dos olhos e de descolamento da retina decorrentes da penetração de corpo estranho e trauma nas quedas.
Diminui o ressecamento da lágrima que torna a visão embaçada.
Evita falhas na condução associadas ao desconforto visual.

Como escolher os óculos
Queiroz Neto afirma que as armações dos óculos para ciclistas devem proteger inclusive as laterais dos olhos. As lentes mais adequadas são as de policarbonato, material inquebrável que evita ferimentos oculares em caso de acidentes. "Os ciclistas também devem estar atentos para que as lentes tenham 100% de proteção UV (ultravioleta), independente da cor", afirma. Outra recomendação é manter o mesmo grau dos óculos de prescrição para quem tem miopia, hipermetropia ou astigmatismo.

A cor das lentes pode melhorar o conforto e a visibilidade. As dicas do médico são:
Verde – melhora a visão de contraste e filtra um pouco da luz azul que também danifica os olhos.
Âmbar ou marrom – ideal para míopes e hipermétropes por melhorar a visão de contraste.
Cinza – a mais adequada para quem tem astigmatismo por reduzir o brilho e distorção de cores.
Amarela – reduz o ofuscamento no entardecer, melhora a visão de contraste à noite e a diminui durante o dia.
Fonte - Portal do Transito  28/10/2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua visita,ajude-nos na divulgação desse Blog
Cidadania não é só um estado de "direito",é também um estado de "espírito"