sábado, 29 de novembro de 2014

Rio de Janeiro inicia mais um trecho de obra do VLT no centro da cidade

Transportes sobre trilhos

O VLT ligará vários pontos da região central. Serão 28 quilômetros, seis linhas e 42 estações. Entre os pontos ligados pelo VLT, destacam-se a Rodoviária Novo Rio (que recebe ônibus intermunicipais e interestaduais), Central do Brasil (principal estação ferroviária do Rio), Estação Praça 15 das Barcas e o Aeroporto Santos Dumont.

Vitor Abdala
Repórter da Agência Brasil
Obra é fundamental para o plano de mobilidade,
 diz o prefeito Eduardo Paes -Tânia Rêgo/Agência Brasil
A prefeitura do Rio de Janeiro iniciou hoje (29) mais um trecho da obra de implantação do bondinho que, a partir de 2016, circulará pelo centro da cidade. O sistema, conhecido como Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), é uma das obras de mobilidade dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016. Os recursos são do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).
O VLT ligará vários pontos da região central. Serão 28 quilômetros, seis linhas e 42 estações. Entre os pontos ligados pelo VLT, destacam-se a Rodoviária Novo Rio (que recebe ônibus intermunicipais e interestaduais), Central do Brasil (principal estação ferroviária do Rio), Estação Praça 15 das Barcas e o Aeroporto Santos Dumont.
“É uma obra central do nosso plano de mobilidade. O que a gente quer é, que no centro do Rio, não haja mais ônibus. O objetivo é que as pessoas cheguem de metrô, BRT [corredor exclusivo de ônibus], trens e barcas. Na sequência, que entrem no VLT e possam circular por todo o centro", salientou o prefeito Eduardo Paes, na solenidade de início da obra.
Para esse novo trecho, três pistas da Avenida Rio de Branco, uma das principais do centro da cidade, serão interditadas, sentido Avenida Presidente Vargas, entre esta avenida e a Cinelândia. Os ônibus que circulam por ali serão desviados para as avenidas Presidente Antônio Carlos e 1º de Março.
Secretário municipal de Transportes, Alexandre Sansão alerta os motoristas de carros particulares para evitarem, a partir de segunda-feira (1º), as proximidades dessas avenidas. “Quem vier da zona sul para o centro na segunda-feira, principalmente para o Aeroporto Santos Dumont, procure sair mais cedo. O desafio será o acesso a essas avenidas, que é o Trevo dos Estudantes, justamente o acesso ao aeroporto. Se não precisar passar por ali, não passe”, acrescentou o secretário.
Fonte - Agência Brasil  29/11/2014

Trens urbanos de Buenos Aires ganham nova composição

Transportes sobre trilhos

No dia 25 de novembro, o ministro do Interior e Transporte, Florencio Randazzo, e a presidente Cristina Fernandez de Kirchner anunciaram a chegada dos trens.

Renato Lobo -Via Trolebus

Nossos irmãos Argentinos receberam o primeiro, dos 12 novos trens construídos pela fabricante chinesa CSR Qingdao Sifang. As novas composições deverão rodar na chamada linha Mitre, em Buenos Aires, operado atualmente pela “Corredores Ferroviários SA”.
A empresa passou a operar os trens urbanos após sua antecessora ter sido descredenciada, depois que um desastre ocorreu quando um trem perdeu freios quando chegava em uma estação movimentada da capital argentina. Na ocasião foram mais de 50 mortos e 676 feridos.
No dia 25 de novembro, o ministro do Interior e Transporte, Florencio Randazzo, e a presidente Cristina Fernandez de Kirchner anunciaram a chegada dos trens.
A CSR Qingdao Sifang ganhou o contrato em 2013 para fornecer novas composições visando substituir outras antigas com mais de 50 anos. Com a medida, o tempo de espera de 18 minutos deve cair para 14. Posteriormente o intervalo deve cair para 10 minutos com outras 30 novas composições encomendados para a linha.
Fonte - STEFZS  29/11/2014

No Marrocos, países reconhecem que precisam avançar em direitos humanos

Internacional

O Marrocos participou do Primeiro Fórum Mundial de Direitos Humanos, realizado no Brasil no ano passado, e está sediando a segunda edição do evento, que termina domingo. El Hiba fez a declaração durante o lançamento do livro de memórias da edição brasileira do fórum, que também marcou a última participação oficial do Brasil no evento marroquino.

Elza Fiuza/Agência Brasil
A ministra Ideli Salvatti participa de assinatura de portaria que cria o grupo de trabalho para mapear crimes de ódio nos ambientes virtuais (Elza Fiuza/Agência Brasil)
Ideli Salvatti : nenhum país fica igual após sediar
fórum de tal magnitude-Elza Fiuza/Agência Brasil
Enviada Especial da Agência Brasil/EBC 
O delegado interministerial para os Direitos Humanos no Marrocos, Mahjoub El Hiba, reconheceu neste sábado (29) que o país precisa avançar na questão da paridade de gêneros e também em ações de combate à violência contra a mulher.
No caso específico do combate à violência contra a mulher, El Hiba destacou que, apesar dos esforços que já estão sendo feitos em seu país, é preciso fazer mais. O Marrocos partitipou do Primeiro Fórum Mundial de Direitos Humanos, realizado no Brasil no ano passado, e está sediando a segunda edição do evento, que termina domingo. El Hiba fez a declaração durante o lançamento do livro de memórias da edição brasileira do fórum, que também marcou a última participação oficial do Brasil no evento marroquino.
A expectativa de Mahjoub El Hiba, é que na próxima edição do encontro, o Marrocos possa avançar ainda mais ao identificar temas que, segundo ele, por enquanto, ainda não foram percebidos.
“Nenhum país que sedia um fórum dessa magnitude fica igual. É uma oportunidade ímpar de receber milhares de pessoas, ideias e práticas com o objetivo de avançar nos direitos humanos”, destacou a ministra Ideli Salvatti, da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República.
Para ela, quando Brasil, Marrocos e Argentina se dispõem a sediar um evento desse tipo, não há dúvida sobre o compromisso desses países com a promoção e a defesa dos direitos humanos. “Em nenhum dos três países, com certeza, tudo está pronto ou tudo está bem, mas realizar o fórum é reconhecer que é preciso avançar”, afirmou Ideli.
A próxima edição do Fórum Mundial de Direitos Humanos será em 2016, na Argentina. Inicialmente, a ideia era promover o encontro no ano que vem, mas como 2015 será um ano de eleições gerais no país vizinho, o secretário argentino de Direitos Humanos, Martín Fresneda, disse que realizar o fórum com os novos governantes do país eleitos será melhor.
Ao falar sobre que temas devem ser mais trabalhados na edição argentina, Fresneda adiantou que questões como a impunidade dos responsáveis pelo narcotráfico e as referentes à defesa da vida, dignidade e liberdade são fundamentais. “Os direitos humanos vêm reparar grandes tragédias, sempre com justiça e memória para ter sólidas bases democráticas que nos permitam ampliar essa rede”, disse o secretário.
Fonte - Agência Brasil  29/11/2014

Grande Recife na contramão do desenvolvimento em mobilidade

Mobilidade

Segundo especialistas, a região metropolitana da capital pernambucana precisa investir mais na melhoria do transporte público coletivo.Apesar do estudo, Recife parece andar na contramão. A Via Mangue, que liga o centro à zona sul é um exemplo disso. No corredor expresso não há lugar para os ciclistas, nem tampouco para os ônibus.


TV Jornal
TV Jornal
No mundo inteiro, a solução de mobilidade tem sido aumentar os investimentos no transporte público. Mas será que as obras viárias em Pernambuco têm priorizado a população que anda de ônibus ou metrô? Enquanto os governos tentam construir saídas para esse problema, cada um pode contribuir para um trânsito mais justo e compartilhado. Esse é o assunto da última reportagem da série especial O Preço da Imobilidade.
Já pensou em gastar apenas 24 minutos no trânsito? O estudo Pernambuco 2035, encomendado pelo governo do estado, traça metas para nos próximos 20 anos diminuir o tempo gasto por cada habitante no trajeto de casa para o trabalho. Mas, para os especialistas, isso só vai acontecer com a melhoria do transporte público.
Apesar do estudo, Recife parece andar na contramão. A Via Mangue, que liga o centro à zona sul é um exemplo disso. No corredor expresso não há lugar para os ciclistas, nem tampouco para os ônibus. O custo com a obra, que ainda não terminou, já chega a R$ 430 milhões. Dinheiro poderia ter sido empregado, por exemplo, na ampliação das linhas de metrô.
Na cidade conhecida como a Veneza brasileira, uma opção de modal surge fora do asfalto. Há quase dois anos estão sendo dragados 15 km do Rio Capibaribe pra que sejam instaladas sete estações de embarque e desembarque de passageiros. Mas o projeto, assim como a via mangue, também está parado há três meses e aguarda financiamento para ser concluído. Seria mais uma alternativa, mas que parece estar longe de ser entregue a população.
Enquanto a navegabilidade do rio continua sendo um sonho pra quem usa o transporte coletivo, pequenas ações e de baixo custo tentam mudar a realidade das ruas do Grande Recife. Dar uma faixa exclusiva para os ônibus é uma delas. Hoje, a capital pernambucana tem 16 km de faixa azul e a expectativa é deixar a cidade com 60 km em um ano. Com isso, o ônibus, que chega a transportar 80 pessoas em cada viagem, vai ter mais velocidade. Fazer esses investimentos é tirar uma média de 20 carros das ruas ao mesmo tempo, se considerar que cada veículo transporta duas pessoas.
Mais velozes e com um espaço só para eles, os BRTs surgem como nova opção. Eles têm capacidade para transportar 160 passageiros e foram projetados para circular em um sistema mais ágil de embarque e desembarque. Mas as obras também estão atrasadas e o serviço, que deveria ser lançado antes da copa, está sendo inaugurado aos poucos. O resultado é que os benefícios deste transporte público ainda não estão disponíveis para todos.
Quem anda de carro, ônibus, metrô ou bicicleta, tem o mesmo sonho: que não demore muito, até 2035, pra que em Pernambuco se gaste menos tempo no trânsito. Ter mais qualidade de vida não depende só do poder público. Pequenas ações, de todos, podem contribuir para um trânsito melhor.
Esta reportagem faz parte de uma série chamada O Preço da Imobilidade, exibida na TV Jornal, nos telejornais Plantão da Cidade e TV Jornal Meio-Dia, que será transmitida na íntegra pela emissora no domingo (30), às 9h30
Fonte - TV Jornal  28/;11/2014

Segunda composição do VLT chega a João Pessoa neste sábado, 29

Transportes sobre trilhos

A entrega de mais um trem faz parte da compra de oito composições realizada pela CBTU para modernizar o sistema de trens urbanos de João Pessoa. A terceira composição deverá chegar a capital paraibana em maio de 2015.

CBTU

A segunda composição do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) de João Pessoa chegará neste sábado, 29, a Cabedelo. A entrega de mais um trem faz parte da compra de oito composições realizada pela CBTU para modernizar o sistema de trens urbanos de João Pessoa. A terceira composição deverá chegar a capital paraibana em maio de 2015. De acordo com o superintendente da CBTU em João Pessoa, Wladme Macedo, o primeiro trem novo só deverá entrar em operação no início do ano que vem.
Desde o recebimento da primeira composição, técnicos da empresa fabricante do VLT, a Bom Sinal, trabalham na montagem e realização de testes. “No período de 6 a 16 de dezembro, serão iniciados os testes dinâmicos, aceleração, frenagem, estabilidade e pesagem, quando o trem receberá cerca toneladas de sacos de areia para ver o seu desempenho como se o VLT estivesse lotado de pessoas. A partir da finalização desses testes é que nós podermos colocá-lo em funcionamento em alguns horários da grade”, explica Macêdo.
Enquanto ajusta o trem, a Bom Sinal também está efetuando cursos e treinamentos de maquinistas, técnicos e engenheiros de manutenção, na Oficina de Cabedelo, com a finalidade de capacitar toda equipe para operar e realizar as devidas manutenções preventivas e corretivas dos novos trens. De acordo com o coordenador de Manutenção e fiscal do contrato do VLT, Sérgio Marcelino, os cursos foram iniciados no dia 21 deste mês e deverão ser concluído em meados de dezembro.
O primeiro VLT será entregue a operação comercial em janeiro de 2015 e o segundo em fevereiro do mesmo ano. De acordo com o superintendente, não há projeção de reajuste da tarifa com a implantação do novo trem na grade horária, ou seja, a passagem permanecerá ao preço único de R$ 0,50, cinquenta centavos.
Para evitar a depredação do novo equipamento, a CBTU em João Pessoa também trabalha na realização de uma campanha de apresentação do VLT ao usuário e chamando-o para ajudar na preservação, evitando segurar as portas, riscar os danificar os bancos e painéis eletrônicos, jogar pedras na composição e deixando de depositar lixo na via férrea e no seu entorno. A campanha deverá ser iniciada até o início de 2015.
Fonte - CBTU  28/11/2014

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Metrô funcionará com horários especiais neste fim de semana

Metrô de Salvador

O funcionamento do metrô neste fim de semana terá horários modificados devido aos eventos que acontecerão na Arena Fonte Nova, em Salvador

A Tarde
Da Redação
Mila Cordeiro | Ag. A TARDE
Metrô terá horários modificados devido aos eventos que acontecerão na Arena Fonte Nova
O funcionamento do metrô neste fim de semana terá horários modificados devido aos eventos que acontecerão na Arena Fonte Nova, em Salvador.
No sábado, 29, o metrô irá funcionar das 8h às 13h. As estações Acesso Norte e Campo da Pólvora reabrirão às 17h para atender os usuários que irão ao show na Arena Fonte Nova. O transporte funcionará até uma hora após o término do evento.
No domingo, 30, as estações Acesso Norte e Campo da Pólvora funcionarão das 16h30 às 21h30 para usuários que irão assistir ao jogo entre Bahia x Grêmio.
As demais estações: Lapa, Brotas e Retiro, estarão fechadas no domingo. O metrô funciona em Operação Assistida (fase experimental) e o acesso segue gratuito a todos os passageiros.
Fonte - A Tarde  28/11/2014

Oficial da ONU diz que Brasil é referência latina em agricultura familiar

Economia

"Um dos produtos que o Brasil exporta é a imagem de governo que apoia a agricultura familiar. É muito interessante ver isso quando estamos em outros países. É o único país da América Latina que tem um ministério de desenvolvimento agropecuário focado nos pequenos produtores", disse Mônica durante o 2º Fórum de Agricultura da América do Sul, em Foz do Iguaçu, no Paraná.

Mariana Tokarnia 
Enviada da Agência Brasil/EBC
foto - ilustração
O Brasil é referêcia na América Latina no apoio à agricultura familiar, mas ainda tem muito que aprender na relação entre Estado e entes privados, como o agronegócio. A avaliação é de Mônica Rodrigues, oficial de Assuntos Econômicos da Comissão Econômica para a América Latina e Caribe (Cepal), da Organização das Nações Unidas (ONU).
"Um dos produtos que o Brasil exporta é a imagem de governo que apoia a agricultura familiar. É muito interessante ver isso quando estamos em outros países. É o único país da América Latina que tem um ministério de desenvolvimento agropecuário focado nos pequenos produtores", disse Mônica durante o 2º Fórum de Agricultura da América do Sul, em Foz do Iguaçu, no Paraná. "É um avanço, e o Brasil é referência".
Segundo Mônica Rodrigues, a América Latina tem experiências de alianças público-privadas que podem servir de exemplo para o Brasil. "Os recursos são limitados, e o governo tem de eleger áreas para apoiar. Por isso, acho importante o tema da participação privada. Talvez essa seja uma das áreas em que o Brasil tem a aprender com países latinos. Por ser um país com muitos recursos, possivelmente há dependência de políticas públicas centralizadas pelo Estado", alertou.
A representante da Cepap acrescentou que, como o país vive uma democracia, há espaço para o diálogo, na medida em que o governo escuta os entes privados, abre espaços para participação; "Também temos de ver como os agentes privados ocupam, ou não, o espaço de participação. Não basta essa possibilidade. Necessitamos de uma iniciativa privada para que as experiências se desenvolvam."
Como exemplo, Mônica usa encontros, na Costa Rica, no Chile e Equador, entre profissionais de tecnologias da informação e do setor agrícola. O governo proporciona o encontro e, a partir daí, trocam-se experiências e implementam-se iniciativas transversais. Segundo ela, são produzidas tecnologias específicas para o agronegócio, baseadas nas condições e necessidades locais. "São temas importantes para todas as cadeias produtivas, que necessitam articulação entre temas em que [as pessoas] só precisavam sentar e conversar."
Ela explicou que, no Brasil, há o desenvolvimento de tecnologias, liderado pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). "Ainda há muita participação do Estado". Atualmente, pelo menos 5 milhões de famílias vivem da agricultura familiar e produzem a maioria dos alimentos consumidos no Brasil. O modelo de produção está em 84% dos estabelecimentos agropecuários e responde por aproximadamente 33% do valor total da produção do meio rural, de acordo com o último levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Dados do Ministério do Desenvolvimento Agrário indicam que a agricultura familiar representa aproximadamente 25% da área de propriedades agropecuárias no Brasil. Na outra ponta, está o agronegócio, que, em 2013, representou 41% do total exportado pelo país.
Para o professor Antônio Marcio Buainain, do Instituto de Economia da Universidade de Campinas (Unicamp), com relação ao mercado internacional, o desenvolvimento do agronegócio depende da atuação direta do governo. “Não funciona se não tivermos infraestrutura adequada e uma política macroeconômica favorável. O Estado precisa atuar nofront internacional, abrindo mercados e aplicando as regulamentações adequadas”.
O 2º Fórum de Agricultura da América do Sul começou ontem (27) e será encerrado hoje em Foz do Iguaçu. Com o tema Inovação e Sustentabilidade no Campo, o evento discute o agronegócio mundial a partir da realidade sul-americana.
Fonte - Agência Brasil  28/11/2014

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

VLI inicia operação de locomotivas AC de bitola métrica

Transportes sobre trilhos

A VLI, empresa especializada em atividades que integram ferrovias, portos e terminais, é a primeira companhia do Brasil a operar locomotivas de tecnologia AC de bitola métrica. A companhia adquiriu 16 máquinas modelo EMD GT46AC. 

RF
foto - ilustração
Quatro locomotivas modelo EMD GT46AC saíram ontem (26/11) de Sete Lagoas (MG) rumo à operação. A empresa receberá outras 12 máquinas nos próximos três meses.
A VLI, empresa especializada em atividades que integram ferrovias, portos e terminais, é a primeira companhia do Brasil a operar locomotivas de tecnologia AC de bitola métrica. A companhia adquiriu 16 máquinas modelo EMD GT46AC. As primeiras quatro unidades saíram da fábrica da Electro-Motive Diesel (EMD), em Sete Lagoas (MG), nesta quarta-feira (26), direto para a operação.
A empresa informou ainda que receberá as outras 12 máquinas restantes nos próximos três meses. Elas começarão a circular assim que forem entregues e devem ser utilizadas, assim como as que entraram em operação ontem, no Corredor Centro-Sudeste da VLI, que liga Goiás ao Porto de Santos, passando pelo Triângulo Mineiro e interior de São Paulo. O corredor é uma das principais rotas de exportação do Brasil para a movimentação de fertilizantes, combustíveis, fosfatos e para o escoamento de soja e açúcar por meio do Porto de Santos.
Para Rodrigo Ruggiero, diretor de Operações Ferroviárias da VLI, a tecnologia AC permite a circulação das locomotivas de forma mais eficiente em condições extremas, como curvas estreitas e rampas muito inclinadas, reduzindo os impactos na circulação e manutenção dos trens. “A VLI está em constante busca por inovação e produtividade, desenvolvendo em conjunto com nossos fornecedores alternativas mais eficientes para a operação. Esta nova locomotiva sem dúvida alguma é um grande passo na transformação da logística do nosso país”, enfatiza.
A principal tecnologia aplicada nessas locomotivas de 4.350 HP é o motor de tração de corrente alternada que, até então, não existia em bitola métrica no Brasil, sendo utilizada apenas em modelos para bitola larga. Segundo a VLI, essa tecnologia permite um controle eletrônico mais preciso e um aumento de cerca de 50% da capacidade de transporte de duas locomotivas de mesmo peso e potência.
A VLI iniciou os testes com locomotiva AC de bitola métrica em junho deste ano. À época, um trem carregado com 21 vagões de fertilizantes partiu de Contagem (MG) em direção ao Triângulo Mineiro, tracionando 2.065 toneladas. O projeto da VLI, porém, data de três anos, quando a empresa formou equipe 50 profissionais com a EMD, entre técnicos, engenheiros e maquinistas. De acordo com a empresa, visitas à Austrália, Indonésia e Chile ajudaram os especialistas a aprofundar os estudos e melhor adaptar o produto à realidade brasileira, uma vez que esses países já possuem locomotiva similar em circulação com bitola Cape Gauge (1,06m) ou métrica.
Fonte - Revista - Ferroviária  27/11/2014

Mil tartarugas chegam para desova nas praias da Bahia e de Sergipe

Meio ambiente

Em 30 anos, número de tartarugas aumentou em 11.700%.O aumento foi observado pelos pesquisadores do Tamar nos dez primeiros dias do mês, o que indica uma recuperação considerável da espécie ao longo das últimas temporadas reprodutivas.

TB
Foto: Elí García Padilla/Flickr/Creative Common
O Projeto Tamar, fruto de uma cooperação entre o Centro Tamar/ICMBio e a Fundação Pró-Tamar, registrou em novembro de 2014 a chegada de mil tartarugas-oliva (Lepidochelys olivacea) para desovar nas praias de Sergipe e do norte da Bahia.
O aumento foi observado pelos pesquisadores do Tamar nos dez primeiros dias do mês, o que indica uma recuperação considerável da espécie ao longo das últimas temporadas reprodutivas.
"Passamos de alguns poucos ninhos na primeira temporada, ocorrida no início dos anos 80, para mais de 10 mil na duas últimas temporadas, entre 2013 e 2014, um aumento de mais de 11.700%", comemorou João Carlos Alciati Thome, coordenador do Tamar/ICMBio.
Para o coordenador do Tamar em Sergipe, o analista ambiental do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) César Coelho, o sucesso pela recuperação das tartarugas marinhas que ocorrem no Brasil deve-se, também, ao apoio dado pelas comunidades litorâneas, que ajudam a divulgar os trabalhos de conservação destas espécies. "Parece até que as tartarugas-oliva vieram nos dar os parabéns", brincou Coelho.
Na atual temporada (2014/2015), a expectativa dos pesquisadores é de aumentar o número de filhotes devolvidos ao mar em relação à última temporada, ajudando ainda mais na recuperação da espécie. "As tartarugas-oliva são uma das menores tartarugas marinhas do mundo e preferem noites com ventos fortes para desovar", pontuou o coordenador. Na última semana, foram registradas 100 desovas em uma das praias monitoradas em apenas uma noite.
De acordo com César Coelho, a espécie prefere noites com ventos fortes para desovar por uma estratégias de proteção, característica que diferencia esta tartaruga marinha de todas as demais. "Em poucos minutos, por conta dos fortes ventos, os rastros deixados por elas na praia são completamente apagados", finalizou o coordenador.
O Projeto Tamar realiza diversas ações para proteger as tartarugas marinhas. É fruto da cooperação entre o Centro Tamar, ligado ao ICMBio, e a Fundação Pró-Tamar. Tem o patrocínio oficial da Petrobras, por meio do programa Petrobras Socioambiental, e o apoio do Título de Capitalização Bradesco Pé Quente.
Desde sua criação, o Tamar prioriza pesquisas que resolvam aspectos práticos para a proteção desses animais e realiza estudos de longo prazo. Programas de marcação e recaptura de tartarugas em locais de alimentação são desenvolvidos nas áreas mais visitadas por tartarugas das espécies verde, como em Fernando de Noronha, Praia do Forte (Bahia), Ubatuba, Ceará e Vitória e de-pente (Fernando de Noronha).
O trabalho permite recolher dados importantes sobre tempo de permanência desses animais em cada local, verificar as taxas de crescimento, sobrevivência e a dieta das espécies.
Fonte - Tribuna da Bahia  27/11/2014

Mobilidade Urbana será tema de fórum em SP

Mobilidade,

A abertura do evento deve ocorrer às 8h50, seguida de apresentação do Plano Federal de Mobilidade Urbana. O Secretário Nacional de Transportes e Mobilidade Urbana, do Ministério das Cidades, Raphael Resende Neto, deve traçar um panorama e falar dos critérios de distribuição dos investimentos da união para o desenvolvimento da mobilidade urbana.

RF
foto - Pregopontocom
Na próxima semana, entre os dias 3 e 5 de dezembro, em São Paulo, será realizado o Fórum Movecidades. A abertura do evento deve ocorrer às 8h50, seguida de apresentação do Plano Federal de Mobilidade Urbana. O Secretário Nacional de Transportes e Mobilidade Urbana, do Ministério das Cidades, Raphael Resende Neto, deve traçar um panorama e falar dos critérios de distribuição dos investimentos da união para o desenvolvimento da mobilidade urbana.
O primeiro dia de evento conta ainda com uma chamada para potenciais investidores, que tratará das principais oportunidades de negócio em mobilidade urbana pelo país. Participarão representantes dos estados do Rio de Janeiro e São Paulo e das prefeituras de Cuiabá, Porto Alegre, Belo Horizonte, Manaus e Fortaleza.
O segundo dia de fórum (04/11) deve tratar do planejamento para o futuro, integração de modais, equação tarifária e bilhetagem, entre outros temas.
Para o último dia de evento está programada uma visita técnica no monotrilho da Linha 15-Prata do Metrô de São Paulo, que teve seu primeiro trecho, entre as estações Vila Prudente e a nova estação Oratório, inaugurado no final de agosto deste ano. Confira a programação preliminar do Fórum Movecidades: http://www.revistaferroviaria.com.br/upload/programação_MOVECIDADES.pdf

Serviço:
Fórum Movecidades
Onde: Hotel Golden Tulip Paulista Plaza.
Alameda Santos, 85, Jardins, São Paulo - SP
Outras informações: www.informagroup.com.br/site/hotsite_ibc.asp?idevento=496
Fonte - Revista Ferroviária  27/11/2014

OAB faz ato no Rio de Janeiro pela reforma política

Política

O ato foi organizado pela Coalizão em Defesa da Reforma Política Democrática, que reúne a OAB, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral e a Plataforma dos Movimentos Sociais pela Reforma do Sistema Político, além de mais de 100 entidades civis.

Da Agência Brasil 
Foto - ilustração EBC
A Ordem dos Advogados do Rio (OAB-RJ) fez, na manhã de hoje (27), um ato para debater a importância da reforma política e as propostas do projeto de lei de iniciativa popular que será encaminhado ao Congresso Nacional no próximo ano. O objetivo é ampliar a participação popular na iniciativa do projeto de lei, que já conta com mais de 600 mil assinaturas, mas está distante da meta de conseguir 1,5 milhão.
O ato foi organizado pela Coalizão em Defesa da Reforma Política Democrática, que reúne a OAB, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral e a Plataforma dos Movimentos Sociais pela Reforma do Sistema Político, além de mais de 100 entidades civis.
O projeto de lei tem como principal tema o fim do financiamento de empresas nas campanhas eleitorais. Outras propostas são: eleições proporcionais em dois turnos, paridade de gênero na lista pré-ordenada e o fortalecimento de mecanismos de democracia direta, com a participação da sociedade em decisões nacionais importantes. O presidente da Seccional da OAB-RJ, Felipe Santa Cruz, admitiu que o projeto pode sofrer modificações.
“O projeto pode evoluir em outros sentidos. O principal é sair da imobilidade, admitir que há uma crise de representação e um afastamento entre representante e representado. A OAB age nesse cenário como uma espécie de elemento provocador. Algumas unanimidades já temos, como o fim do financiamento por empresas, e outros pontos vamos discutir, sabendo que a palavra final será do Congresso e depois da população, em referendo”, disse.
Cruz acredita a sociedade estará preparada para participar da reforma política em uma eventual consulta popular. “A população está cada vez mais informada, tem uma imagem crítica do que está acontecendo e da necessidade de mudança. É natural que os especialistas saibam comparar melhor os modelos para efetuar a reforma. As pessoas querem, sim, participar do debate e, se a discussão for bem-sucedida, a população vai entender e escolher a melhor relação com seus representantes”, afirmou.
A representante da União Estadual dos Estudantes (UEE) do Rio de Janeiro, Tayná Paolino, disse que a entidade apoia o projeto defendido pela OAB. Segundo Tayná, as instituições não representam o desejo da juventude e, por isso, a UEE defende a reforma política.
"A questão é que muitos setores disputam essa reforma e apresentam uma proposta. Acreditamos que a proposta da OAB é a melhor, porque aborda algo fundamental: o financiamento de campanhas, que hoje determina a quem você deve dar o retorno político do seu mandato. Esse retorno deve ser para os cidadãos, os trabalhadores e os estudantes, e não para as empresas que financiam as campanhas”, disse a estudante.
A agenda do movimento teve início no último dia 20, em Campo Grande e, após o Rio de Janeiro, irá para o Recife e para Fortaleza, São Luiz, Natal e Belém, até o fim do ano, informou a OAB.
No site do projeto é possível imprimir o formulário para coleta de assinaturas.TTambém está disponível internet o projeto de lei com a proposta da reforma, além de cartilha explicativa sobre as alterações.
Fonte - Agência Brasil 27/11/2014

Vendas em supermercados crescem 7,18% em outubro

Economia

No acumulado de janeiro a outubro, foi registrada alta de 2,08%, na comparação com o mesmo período do ano anterior. Em valores nominais, as vendas do setor tiveram alta de 7,63% em relação ao mês anterior e, quando comparadas a outubro de 2013, variação de 11,71%. No acumulado do ano, o crescimento nominal foi 8,52%.

Fernanda Cruz 
Repórter da Agência Brasil 
foto - ilustração
As vendas do setor supermercadista cresceram 7,18% em outubro, na comparação com setembro, segundo a Associação Brasileira de Supermercados (Abras). Em relação ao mesmo mês no ano passado, houve alta de 4,81%. Esses dados foram deflacionados pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).
No acumulado de janeiro a outubro, foi registrada alta de 2,08%, na comparação com o mesmo período do ano anterior. Em valores nominais, as vendas do setor tiveram alta de 7,63% em relação ao mês anterior e, quando comparadas a outubro de 2013, variação de 11,71%. No acumulado do ano, o crescimento nominal foi 8,52%.
No período de janeiro a outubro, a cesta Abrasmercado acumula alta de 2,75%. Nos últimos 12 meses, o indicador soma alta de 3,25%. No resultado acumulado de 12 meses, os produtos que mais pressionaram foram o tomate, com 29,9%, a cebola, com 23,6%, e a carne traseira, com 15,9%. Os produtos com maior queda de preços no acumulado de 12 meses foram a batata (-37,4%), o feijão (-28,0%) e a farinha de mandioca (-22,7%).
De acordo com o indicador, a cesta da Região Nordeste foi a que apresentou maior queda no mês (-1,81%), passando de R$ 329,15 para R$ 323,19. A Região Sul, por sua vez, foi a que mais subiu (0,53%), com valor de R$ 408,56.
Fonte - Agência Brasil 27/11/2014

CBTU adquire veículo rodoferroviário para agilizar manutenções na via

CBTU

A aquisição era uma antiga reivindicação da área de manutenção de via permanente que a partir de agora terá mais agilidade na troca de dormentes, trilhos e demais serviços de ajustes da via férrea no âmbito dos 30 km da Companhia.


A CBTU em João Pessoa recebeu nesta semana o seu primeiro veículo rodoferroviário basculante, que tanto trafega em rodovia quanto em ferrovia. A aquisição era uma antiga reivindicação da área de manutenção de via permanente que a partir de agora terá mais agilidade na troca de dormentes, trilhos e demais serviços de ajustes da via férrea no âmbito dos 30 km da Companhia. O veículo representa um investimento da ordem de R$ 475.900,00.
Na mesma licitação, o pregão eletrônico nº 01/2014, a CBTU em João Pessoa também adquiriu uma máquina retroescavadeira, que será fundamental nos serviços de manutenção e adequação da via, bem como efetuar serviços gerais em todo o sistema. O bem foi adquirido por R$ 187 mil.
Segundo o superintendente da CBTU em João Pessoa, Wladme Macedo, esses dois novos equipamentos vão facilitar os trabalhos de manutenção e correção da via permanente, bem como necessitar de menos homens para execução do serviço. “A partir de agora teremos um veículo que pode ser carregado de brita, ou dormentes ou outros materiais em qualquer lugar e descarregá-lo ao longo da linha férrea porque ele pode ser conduzido nas ruas e na linha do trem”, afirma.
De acordo com o coordenador de Licitação, Marcos Lacet, as propostas de eventuais fornecedores estimavam em R$ 530 mil o valor para a aquisição do caminhão rodoferroviário basculante e em R$ 200 mil o preço da retroescavadeira. “Diante disto, contata-se que a metodologia utilizada, pregão eletrônico através do sistema de registro de preços, trouxe uma economia aos cofres públicos de R$ 67.100,00” diz.
Fonte - CBTU  27/11/2014

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Desmatamento cai 18% na Amazônia Legal em um ano

Meio ambiente

O desmatamento na Amazônia Legal caiu 18% entre agosto de 2013 e julho de 2014.Os dados estimados foram divulgados hoje (26) pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). O resultado do mapeamento de 2014 apresentou taxa de 4.848 quilômetros quadrados (km²) desmatados, comparados a 5.891 km² do período anterior.

Andreia Verdélio
Repórter da Agência Brasil 
Arquivo/Agência Brasil
O desmatamento caiu 18% na Amazônia Legal no período entre agosto de 2013 e julho de 2014, em relação ao período anterior – agosto/2012 a julho/2013. Os dados estimados foram divulgados hoje (26) pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). O resultado do mapeamento de 2014 apresentou taxa de 4.848 quilômetros quadrados (km²) desmatados, comparados a 5.891 km² do período anterior.
O Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal (Prodes), do Inpe, computa como desmatamento as áreas maiores que 6,25 hectares onde ocorreu remoção completa da cobertura florestal – o corte raso. O cálculo da taxa de desmatamento foi obtido após o mapeamento de 89 imagens de satélite.
A avaliação do Inpe mostra que essa é a segunda menor taxa de desmatamento na Amazônia Legal desde que o instituto começou a medi-la, em 1988, no âmbito do Prodes. De 2004 a 2014, a redução na taxa de desmatamento foi 83%. Naquele ano, o desmatamento foi 27.772 km² de florestas, quando foi criado o Plano de Ação para a Prevenção e Controle do Desmatamento na Amazônia Legal. A menor taxa foi registrada em 2012, quando foram desmatados 4.571 km².
Os estados que mais desmataram no último período foram o Pará, com 1.829 km²; Mato Grosso, 1.048 km²; e Rondônia, com 668 km². Entre 2013 e 2014, o Acre desmatou 312 km²; o Amazonas, 464 km²; o Maranhão, 246 km²; Roraima, 233 km²; e o Tocantins, 48 km².
"Apenas os estados do Acre e de Roraima apresentaram taxa de crescimento do desmatamento, em relação ao período 2012/2013, de 41% e 37%, respectivamente. Segundo a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, o trabalho agora será de detectar os locais de pressão de desmatamento nesses estados. “Vamos conversar com os governos estaduais e olhar a fiscalização. Embora do ponto de vista de magnitude, [o desmatamento nesses estados] não seja expressivo, como temos no Pará, em Mato Grosso e Rondônia, tradicionalmente estados mais representativos da pressão de desmatamento, e eles tiveram redução”, disse.
O estado do Maranhão reduziu o desmatamento em 39%, comparado a 2012/2013; Tocantins, 35%; Rondônia, 28%; Pará, 22%; Amazonas, 20%; e Mato Grosso, 8%.
Após anunciar aumento de 29% do desmatamento em 2012/2013, a ministra disse que a redução de 18% neste ano deve-se ao trabalho de inteligência na fiscalização e da busca pela regularização ambiental. “Mudamos o patamar da fiscalização para uma fiscalização preventiva. É um reconhecimento ao trabalho dos fiscais do Ibama [Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis], do ICMBio [Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade], da Força Nacional e dos sistemas criados para fortalecer a fiscalização ambiental, que estão trazendo resultados”, ressaltou Izabella.
Fonte - Agência Brasil  26/11/2014

China produz próprio TAV

Transportes sobre trilhos

O grupo CNR apontou que a técnica do sistema de acionamento e da rede de controle são partes essenciais para produzir o trem-bala.

CRI
foto - ilustração
O CRH5A, trem-bala da Corporação Ferroviária Nacional da China (CNR), entrou na última fase de teste. Esta é a primeira vez que o sistema de acionamento e a rede de controle são produzidos pela China própria.
O grupo CNR apontou que a técnica do sistema de acionamento e da rede de controle são partes essenciais para produzir o trem-bala. O sistema de acionamento é como o coração do veículo, que decide a força motriz e o conforto do trem. A rede de controle é o cérebro do veículo, que indica todos os movimentos do trem.
O domínio destas duas técnicas é o símbolo para avaliar a capacidade de criação de uma empresa no setor.
Fonte - Revista Ferroviária  26/11/2014

Roda de capoeira recebe título de Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade

Esporte/Cultura

Após votação durante a 9ª Sessão do Comitê Intergovernamental para a Salvaguarda do Patrimônio Imaterial, em Paris, a roda de capoeira ganhou oficialmente o título.
A presidenta do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Jurema Machado, presente na sessão do comitê, explicou que as políticas de patrimônio imaterial não existem apenas para conferir títulos, mas para que os governos assumam compromissos de preservação de seus bens culturais, materiais e imateriais.

Ana Cristina Campos 
Repórter da Agência Brasil 
Ag.Brasil
Dança, luta, símbolo de resistência e uma das manifestações culturais mais conhecidas no Brasil, a roda de capoeira recebeu hoje (26) o título de Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).
Após votação durante a 9ª Sessão do Comitê Intergovernamental para a Salvaguarda do Patrimônio Imaterial, em Paris, a roda de capoeira ganhou oficialmente o título.
A presidenta do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Jurema Machado, presente na sessão do comitê, explicou que as políticas de patrimônio imaterial não existem apenas para conferir títulos, mas para que os governos assumam compromissos de preservação de seus bens culturais, materiais e imateriais.
“O reconhecimento representa um tributo à capoeira como manifestação cultural importante que durante séculos foi criminalizada, além de dar visibilidade internacional. Além disso, reconhece que o Brasil tem políticas públicas para cuidar do seu patrimônio cultural”, disse Jurema em entrevista à Agência Brasil.
Segundo ela, um bem registrado como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade garante mais respaldo ao governo para apoiar, com recursos públicos, iniciativas de preservação do bem cultural, com o incentivo à transmissão do conhecimento e a formas de organização dos capoeiristas. A roda de capoeira é reconhecida como patrimônio cultural pelo Iphan desde 2008.
No dossiê de candidatura, o Iphan enumerou uma série de ações para difundir a modalidade e propõe medidas de salvaguarda orçadas em mais de R$ 2 milhões, como a produção de catálogos e encontros. O documento destacou que o registro vai favorecer a consciência sobre o legado da cultura africana no Brasil e o papel da capoeira no combate ao racismo e à discriminação. O dossiê lembra que a prática chegou a ser considerada crime e foi proibida durante um período da história. Hoje, a capoeira é praticada em muitos países.
“O reconhecimento da roda de capoeira pela Unesco é uma conquista muito importante para a cultura brasileira. A capoeira tem raízes africanas que devem ser cada vez mais valorizadas por nós. Agora, é um patrimônio a ser mais conhecido e praticado em todo o mundo”, destacou, em nota, a ministra interina da Cultura, Ana Cristina Wanzeler.
Além da presidenta do Iphan, a diretora do Departamento de Patrimônio Imaterial (DPI-Iphan), Célia Corsino, diplomatas da Delegação do Brasil junto à Unesco e capoeiristas brasileiros também acompanharam a votação, entre eles os mestres Cobra Mansa, Pirta, Peter, Paulão Kikongo, Sabiá e Mestra Janja.
Segundo o Ministério da Cultura, o Iphan deu apoio aos capoeiristas para fazer amplo inventário dos grandes grupos de capoeira e mestres no Brasil e ajudou-os a instalar comitês estaduais distribuídos pelo país. Neles, capoeiristas podem formular reivindicações e compromissos relacionados à salvaguarda e à promoção dessa manifestação cultural.
Com o título, a prática cultural afro-brasileira reúne-se agora ao Samba de Roda do Recôncavo Baiano (BA), à Arte Kusiwa- Pintura Corporal (AP), ao Frevo (PE) e ao Círio de Nazaré (PA), também reconhecidos como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade.
Fonte - Agência Brasil  26/11/2012

Onda de indignação em Ferguson se estende a 170 cidades dos EUA

Internacional

Polícia tenta dispersar protesto contra o assassinato de Michael Brown, em Ferguson - Washington, Nova York, Los Angeles, Atlanta, Boston, Filadelfia, Oakland e Seattle foram palco, na noite passada, das maiores concentrações, de tom pacífico, com raros incidentes e algumas detenções.

Da Agência Lusa
(EUA) ED ZURGA
A indignação da cidade de Ferguson, no Missouri, com a decisão de um júri que livrou o policial que matou o jovem negro Michael Brown, estendeu-se, nesta terça-feira (25), a 170 cidades em 37 estados norte-americanos, com milhares de pessoas saindo às ruas.
Washington, Nova York, Los Angeles, Atlanta, Boston, Filadelfia, Oakland e Seattle foram palco, na noite passada, das maiores concentrações, de tom pacífico, com raros incidentes e algumas detenções.
As grandes cidades de todo o país estavam em alerta diante da possibilidade de distúrbios desde a noite de segunda-feira (24), quando foi conhecida a decisão do júri de não avançar com uma acusação contra o agente Darren Wilson, por não haver provas suficientes para sustentar a imputação ao policial, de 28 anos, que matou a tiros Brown, de 18 anos, em Ferguson, no dia 9 de agosto.
O caso de Ferguson desencadeou uma série de protestos em todo o país, tendo sido registrados episódios violentos, que levaram à designação, ontem (25), de mais de 2 mil agentes da Guarda Nacional para a pequena localidade, depois de, na noite anterior, terem sido registrados incêndios em edifícios, em viaturas, saques e detidas mais de 80 pessoas.
Fonte - Agência Brasil  26/11/2014

Metrô de Salvador transporta mais de 23 mil pessoas por dia e bate recorde

Transportes sobre trilhos

Ainda em faze de operação assistida e sem a integração física e tarifária com o sistema de transportes por ônibus da cidade,o Metrô de Salvador bate recorde no volume de passageiros transportados por dia

TB
foto - ilustração
O metrô de Salvador, administrado pela CCR Metrô Bahia, registrou novo recorde nesta segunda-feira (24/11). Ao todo, foram transportados 23.017 passageiros entre às 8h e 18h, nas estações Lapa, Campo da Pólvora, Brotas, Acesso Norte e Retiro.
“Cada vez mais, os soteropolitanos estão incorporando o metrô à sua rotina diária,pelo transporte ser rápido, seguro e confortável. Pelos registros, nota-se que houve um acréscimo de embarques no horário entre às 17h e 18h, nas estações Lapa e Acesso Norte, contribuindo para este novo recorde”, avalia o diretor-presidente da CCR Metrô Bahia, Harald Peter Zwetkoff.
Desde o início da Operação Assistida (fase experimental), em 11 de junho, o metrô transportou mais de 1,8 milhão de passageiros. Com uma média diária de 21 mil passageiros, a concessionária espera atingir a marca de 2 milhões de usuários na primeira semana de dezembro.
O transporte continua funcionando de segunda à sexta-feira das 8h às 18h e, aos sábados, das 8h às 13h, sem cobrança de tarifa. Em dias de jogos na Arena Fonte Nova, o metrô opera em horário especial.
Fonte - Tribuna da Bahia 25/11/2014

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Salvador ganha incentivo ao esporte com inauguração do Ginásio de Cajazeiras

Esporte

Durante a cerimônia de entrega do ginásio, o governador Jaques Wagner, que aproveitou para visitar o espaço e cumprimentar atletas de basquete da comunidade, falou sobre a importância do equipamento, principalmente, para o bairro de Cajazeiras."O bairro está recebendo uma estrutura capaz de receber jogos e eventos de grande porte....

Secom

Com capacidade para um público de mais de duas mil pessoas nas arquibancadas, as instalações do Ginásio Poliesportivo de Cajazeiras foram entregues à população de Salvador na manhã desta terça-feira (25). Além de beneficiar a população da capital baiana, por ser um espaço para a prática de esporte e também para o lazer, o ginásio ainda possui uma estrutura capaz de sediar jogos de seleções de vôlei, basquete, futsal e handebol.
Durante a cerimônia de entrega do ginásio, o governador Jaques Wagner, que aproveitou para visitar o espaço e cumprimentar atletas de basquete da comunidade, falou sobre a importância do equipamento, principalmente, para o bairro de Cajazeiras."O bairro está recebendo uma estrutura capaz de receber jogos e eventos de grande porte, mas o nosso foco é o incentivo ao esporte, é dar estímulo a essa juventude que agora tem um lugar de excelência para a prática de esportes. Isso muda a vida e a dinâmica dessa comunidade, e é essa a nossa intenção", destacou.
Construído pelo Governo do Estado, através das superintendências dos Desportos do Estado da Bahia (Sudesb) e de Construções Administrativas da Bahia (Sucab), o ginásio recebeu R$ 13 milhões em investimentos. Esses recursos possibilitaram a instalação de quadra poliesportiva com dimensões oficiais, capaz de receber competições de vôlei, basquete, handebol e futebol de salão, além de um campo gramado para futebol society na área externa ao ginásio.

Estrutura
O ginásio está localizado em um terreno de cerca de 12 mil metros quadrados, com uma área construída de pouco mais de três mil metros quadrados. O equipamento possui capacidade para 2.060 espectadores, com alojamento, vestiários, sanitários para atletas e para o público em geral (inclusive portadores de deficiências), tribuna de honra e sala de imprensa, e acesso para cadeiras de rodas, com utilização de plataforma hidráulica. Na área externa, ainda foi construída uma área de convivência com parque infantil, estacionamento com 50 vagas para automóveis, e pátio para ônibus.
Fonte - Secom Ba  25/1/2014

Aprovada a redução de preço de energia no mercado à vista

Economia

A Aneel aprova redução de preço da energia negociada no mercado à vista e define novos limites de preços pagos pelas distribuidoras por energia comprada fora dos contratos. Falta de chuva e uso de termelétricas influenciaram nos preços máximos e mínimos

Sabrina Craide
Repórter da Agência Brasil 
Marcello Casal Agência Brasil
A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) definiu hoje (25) os novos limites do Preço de Liquidações de Diferenças (PLD) de energia elétrica, usado no mercado de curto prazo. Em 2015, o PLD máximo será R$ 388,48/megawatt-hora (MWh) e o mínimo será R$ 30,26/MWh.
Segundo a Aneel, o principal efeito do novo limite é a diminuição do risco de exposição ao mercado de curto prazo, o que beneficia tanto geradores quanto consumidores. “O novo limite contribui para mitigar o risco financeiro do mercado de curto prazo, sem prejudicar a expansão do sistema e os sinais de preço para o comportamento eficiente da demanda”, informou a agência. Na definição do limite máximo foram considerados os custos variáveis das usinas termelétricas e, para o limite mínimo, os custos operacionais das usinas hidrelétricas.
O PLD é o preço que as distribuidoras pagam pela energia que têm que comprar fora dos contratos, onde os preços são fixos. Neste ano, o PLD ficou mais caro por causa da falta de chuvas, que fez com que o nível dos reservatórios das hidrelétricas ficassem muito baixos. Por isso, as distribuidoras que tiveram que comprar energia no mercado livre precisaram de ajuda financeira do governo. Em 2014, o PLD máximo foi fixado em R$ 822,83/MWh.
No ano que vem, a Aneel implementará outras duas medidas para aperfeiçoar o sistema de preços da energia para as distribuidoras. O primeiro será o sistema de bandeiras tarifárias, que permitirá o reajuste mensal das tarifas de acordo com o patamar de PLD. O segundo será a incorporação da exposição involuntária prevista para o ano nas movimentações tarifárias em processamento, em vez de repassar somente no ano seguinte, como é feito atualmente.
Fonte - Agência Brasil  25/11/2014

Estudo mostra redução das desigualdades entre as regiões metropolitanas

Política

De acordo com o atlas, entre 2000 e 2010, as disparidades entre as 16 regiões metropolitanas analisadas diminuíram e todas se encontram na faixa de alto desenvolvimento humano. A análise leva em conta o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM).

Ana Cristina Campos e Sabrina Craide
Repórteres da Agência Brasil 
Arquivo/Agência Brasil
Os indicadores socioeconômicos das regiões metropolitanas brasileiras melhoraram entre 2000 e 2010 e mostram redução das disparidades entre metrópoles do Norte e do Sul do país. Os dados constam do Atlas do Desenvolvimento Humano nas Regiões Metropolitanas Brasileiras, divulgado hoje (25), fruto de parceria entre o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e a Fundação João Pinheiro.
De acordo com o atlas, entre 2000 e 2010, as disparidades entre as 16 regiões metropolitanas analisadas diminuíram e todas se encontram na faixa de alto desenvolvimento humano. A análise leva em conta o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM).
As regiões metropolitanas que apresentaram os maiores valores para o IDHM em 2010 foram São Paulo (0,794), Distrito Federal e Entorno (0,792), Curitiba (0,783), Belo Horizonte (0,774) e Vitória (0,772), todas com índices mais altos que os apresentados em 2000.
As regiões metropolitanas de mais baixo IDHM, em 2010, eram Manaus (0,720), Belém (0,729), Fortaleza (0,732), Natal (0,732) e Recife (0,734). Essas regiões, na mesma ordem, eram as de menor IDHM, em 2000. Entretanto, todas melhoraram.
Em 2000, apenas São Paulo tinha índice de desenvolvimento humano alto. Manaus tinha baixo e as outras regiões, médio. Em 2010, todas passaram a ter IDHM alto.
Em 2010, a diferença registrada entre a região metropolitana com o maior e o menor IDHM foi 0,074 pontos ou 10,3%. Enquanto São Paulo ficou com índice 0,794, Manaus estava com IDHM 0,720. Dez anos antes, essa diferença era 22,1%.
O IDHM é um número que varia entre 0 a 1: quanto mais próximo de 1, maior o desenvolvimento humano de um estado, município ou região metropolitana. O índice é calculado levando em conta três fatores: expectativa de vida, renda per capita e acesso ao conhecimento, que considera a escolaridade da população adulta e o fluxo escolar da população jovem.
Os dados do atlas são calculados com base nos Censos Demográficos de 2000 e 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística ( IBGE).
Entre 2000 e 2010, as regiões metropolitanas que apresentavam um IDHM menor tiveram avanço maior e as que tinham índices maiores cresceram menos. Isso fez com que as diferenças entre as regiões metropolitanas diminuíssem, resultando em maior equilíbrio entre as 16 regiões pesquisadas (Belém, Belo Horizonte, Cuiabá, Curitiba, Distrito Federal e Entorno, Fortaleza, Goiânia, Manaus, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador, São Luís, São Paulo e Vitória). Essas 16 regiões correspondem a quase 50% da população brasileira.
No período analisado, as regiões metropolitanas que tiveram o maior avanço no IDHM, em termos relativos, foram Manaus, Fortaleza, São Luís, Belém e Natal. As que tiveram menor avanço foram as de São Paulo, Porto Alegre, Curitiba, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Vitória.
Para o representante do Pnud no Brasil, Jorge Chediek, gestores públicos e população devem usar os dados do atlas não apenas para constatar as disparidades, mas também para direcionar e reivindicar políticas pública inclusivas e eficientes para as áreas mais carentes.
“Para além de evidenciar o fato de que o país ainda tem um caminho a percorrer na redução das desigualdades em suas cidades, a intenção do atlas é justamente ajudar no estabelecimento de políticas inclusivas que tenham como fim a melhoria das condições de vida das pessoas”, disse.
Além das regiões metropolitanas, foram pesquisadas 9.825 unidades de Desenvolvimento Humano (UDHs), conceito próximo ao de bairros. Nessas UDHs, “é possível notar níveis significativos de desigualdades intrametropolitana”, aponta o atlas.
Fonte - Agência Brasil  25/11/2014





Professores municipais paralisam atividades em Salvador

Salvador

Como foi noticiado na semana passada, pela Tribuna, os professores do Município iniciaram uma paralisação de suas atividades, ontem, tendo como objetivo pressionar o Poder Legislativo na votação aos vetos, para acelerar a discussão sobre o novo Plano de Cargo, Carreiras e Vencimentos (PCCV) dos educadores.

Matheus Fortes -TB
foto - ilustração
A segunda-feira amanheceu atípica para grande parte dos 150 mil alunos da rede municipal da capital baiana. Como foi noticiado na semana passada, pela Tribuna, os professores do Município iniciaram uma paralisação de suas atividades, ontem, tendo como objetivo pressionar o Poder Legislativo na votação aos vetos, para acelerar a discussão sobre o novo Plano de Cargo, Carreiras e Vencimentos (PCCV) dos educadores.
Nos colégios municipais da capital baiana, a situação varia de acordo com a instituição. Isso ocorre porque, dentre as 425 unidades escolares da rede municipal, há colégios cuja maioria dos profissionais que compõem o corpo docente, pertence à rede estadual. Uma dessas unidades é a Escola Ruy de Lima Maltez, em que os mais de 120 alunos tiveram aulas normais, já que 90% dos professores não são da rede municipal.
A coordenadora pedagógica da escola, Rosângela Neto, afirma que não houve necessidade de interromper as aulas, pois apenas os professores municipais aderiram à paralisação. Assim, as turmas que seriam prejudicadas assistiram às aulas normalmente junto às turmas dos professores estaduais. “Além disso, hoje nós tivemos um passeio do qual não podíamos cancelar, e não houve necessidade disso. Dessa forma o calendário escolar também não sofrerá mudanças por conta da paralisação”, explicou ela.
As medidas adotadas para que seu filho de 5 anos não fosse prejudicado agradaram a recepcionista Elenilce Tavares. “É sempre ruim quando o filho da gente fica em casa sem fazer nada. Ficamos preocupados, pois temos que deixá-lo com uma pessoa responsável e confiável, além de que é ruim pra ele, pois poderia estar na aula aprendendo o conteúdo escolar”, explicou.
Enquanto isso, na Escola Municipal Maria Quitéria as aulas foram suspensas, pois, de acordo com a funcionária de serviços gerais da unidade – que identificou-se como Cristina Maria –, a maior parte do corpo docente é da rede do município e optou por paralisar as atividades até a quarta-feira. A diretora do colégio não se encontrava na escola no momento de visita da equipe de reportagem, e não havia nenhum porta-voz para falar se as aulas serão repostas. De acordo com Elza Melo, diretora do Sindicato dos Trabalhadores em Educação, APLB, a paralisação vai continuar até amanhã. Hoje, haverá uma mobilização em frente à prefeitura, às 14h, para discutir sobre o novo Plano de Cargo, Carreiras e Vencimentos (PCCV) dos educadores.
Fonte - Tribuna da Bahia  25/11/2014

Caixa prevê investimentos de R$ 38 bi em infraestrutura

Infraestrutura

O plano de negócios da Caixa tem R$ 38 bilhões a serem investidos em projetos de infraestrutura. "Certamente, desse montante, parte significativa será investido em ferrovias, mas ainda estamos esperando saber como os projetos do PIL se desenvolverão no ano que vem", diz o executivo, que citou a participação do banco como financiador de diversos projetos relacionados ao modal metroferroviário no Rio de Janeiro, São Paulo, Fortaleza, Salvador, Goiânia, entre outros.

NT Expo
foto - ilustração
Patrocinadora da NT Expo – Negócios nos Trilhos, a Caixa Econômica aproveitou a realização do evento, em novembro de 2014, em São Paulo, para consolidar seu papel como agente de políticas públicas do governo federal com foco em investimentos de infraestrutura. "Temos buscado nos posicionar como um player relevante no setor de infraestrutura", disse o superintendente executivo da Caixa Econômica, Gustavo Portela.
O executivo elogiou a organização da NT Expo. "Entendemos que apoiar a realização de encontros como este é fundamental para demonstrar o quanto o banco e o governo federal estão comprometidos com as soluções e negócios do setor metroferroviário".
O plano de negócios da Caixa tem R$ 38 bilhões a serem investidos em projetos de infraestrutura. "Certamente, desse montante, parte significativa será investido em ferrovias, mas ainda estamos esperando saber como os projetos do PIL se desenvolverão no ano que vem", diz o executivo, que citou a participação do banco como financiador de diversos projetos relacionados ao modal metroferroviário no Rio de Janeiro, São Paulo, Fortaleza, Salvador, Goiânia, entre outros.
Portela mencionou que a instituição vem se posicionando como solução de funding e de repasse e que o banco é hoje fonte alternativa e complementar ao BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), sendo o principal banco operador das linhas de Pró-Transporte do FGTS. "O Pró-Transporte é hoje uma alternativa para financiar a mobilidade urbana no país e a Caixa é hoje o principal repassador e agente operador desses recursos", comentou.
Insegurança - Portela admite a existência de certa insegurança por parte da iniciativa privada em investir em ferrovias, em função das indefinições quanto à operação propriamente dita. "O governo federal tem se esforçado no sentido de recuperar o tempo que poderia ter sido endereçado aos investimentos em ferrovias, no sentido de garantir demandas, conciliar as questões ambientes e principalmente coincidir com fundings e prazos adequados para que o retorno do investidor também esteja em linha com o que se espera para um investimento dessa magnitude".
O executivo da Caixa considera evidentes os esforços do governo federal em "encontrar a equação que faça sentido para a modicidade tarifária, para o retorno adequado ao investidor e a Caixa dará sua quota de participação, via financiamento direto ou via estruturas de financiamento de projetos por antecipação de contratos. Estaremos muito presentes nesse processo", conclui.
Fonte - Revista Ferroviária  25/11/2014

Começaram os testes da linha T8 de VLT em Paris

Transportes sobre trilhos

Paris testa os bondes da linha T8 que terá dois ramais partir de Delaunay-Belleville.A linha devera entrar em operação com passageiros a partir de 16 de dezembro

Railway Gazette
Railway Gazette
França : Os testes sem passageiros da linha T8 de VLT de Paris começaram no dia 18 de novembro,e entrara em operação a partir de 16 de dezembro já com passageiros.
A linha T8 vai do norte de Saint-Denis Porte de Paris para Delaunay-Belleville, onde se divide em dois ramais, um terminando na Villetaneuse-Université e outro em Epinay-Orgemont.
A linha do VLT fara integração com a Linha 13 do metrô em Saint-Denis Porte de Paris,com com a linha T1 de VLT em Saint-Denis e com a Linha C da RER (Rede Expressa Regional) em Épinay-sur-Seine. Em Villetaneuse-Université e se conectara com a futura linha suburbana de Tramway, Tram-Express Nord 
A operação do serviço contara com uma frota de 20 bondes,Alstom Citadis,com cinco seções cada.
Nos dois ramais, Villetaneuse-Université e Epinay-Orgemont, o headway será de 6 minutos em cada tramo, e de 3 min no tramo principal,entre Saint-Denis Porte de Paris e Delaunay-Belleville.
Fonte - Railway Gazette 24/11/2014

Original Text - http://www.railwaygazette.com/news/urban/single-view/view/trial-runs-start-on-paris-tram-route-t8.html

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Soyuz leva nova tripulação à ISS,um russo, uma italiana e um norte-americano

Ciência e tecnologia

Foguete foi lançado de Baikonur com um russo, uma italiana e um norte-americano.O foguete Soyuz-FG partiu do Cazaquistão na noite de domingo, 23

DR
Foto: Alexey Filippov – RIA Novosti
Um representante da Agência Espacial Russa (Roskosmos) informou à agência de notícias Interfax que, depois do voo autônomo de seis horas, a nave espacial Soyuz TMA-15M se acoplou com êxito ao módulo de pesquisa MIM-1 do segmento russo da Estação Espacial Internacional (ISS).
O portador Soyuz-FG com a nave espacial pilotada de transporte Soyuz TMA-15M partira do cosmódromo de Baikonur na noite de domingo, 23. Alguns minutos depois da partida, o sistema de alto-falantes local anunciava que o foguete havia colocado a espaçonave na órbita pré-determinada.
A Soyuz TMA-15M levou para a base orbital o cosmonauta da Roskosmos Anton Shkaplerov, a astronauta italiana da Agência Espacial Europeia (ESA) Samantha Cristoforetti e o astronauta da NASA Terry Virts. Os três deverão permanecer em órbita por 169 dias. De acordo com o planejamento, durante a estada na Estação Espacial Internacional a tripulação trabalhará com as espaçonaves de carga russas Progress e com a espaçonave de carga europeia ATV5, além de realizar vários programas de pesquisas científicas aplicadas.
Fonte - Diário da Russia  24/11/2014

O ÔNIBUS DO COCÔ

Mobilidade/Internacional

Ônibus de cidade inglesa é movido a fezes, esgoto e lixo orgânico - Batizado de “Bio-Bus”, o coletivo de 40 lugares é capaz de viajar até 300 quilômetros com um motor movido a gás biometano, gerado na decomposição de fezes, esgoto e lixo orgânico.

iG - Universo Jatobá
Foto: Reprodução
Diante da crescente busca por novas fontes de energia, algumas descobertas um tanto inusitadas no âmbito dos biocombustíveis têm chamado muito a atenção. Um bom exemplo é o primeiro ônibus movido a fezes humana, que chegou na quinta-feira, 20 de novembro, às ruas da cidade de Bristol, na Inglaterra.
Batizado de “Bio-Bus”, o coletivo de 40 lugares é capaz de viajar até 300 quilômetros com um motor movido a gás biometano, gerado na decomposição de fezes, esgoto e lixo orgânico.
Segundo especialistas, essa forma de combustível produz menos poluentes do que o diesel e a gasolina.
Antes que possa ser usado para movimentar o ônibus, o gás recebe metano e tem o CO2 removido. Outras impurezas também são retiradas para que o gás fique sem odores.
A empresa que opera o ônibus acredita que o “ônibus do cocô”, como o veículo está sendo chamado na cidade, irá transportar cerca de 10 mil passageiros todos os meses, do aeroporto local até o centro da cidade de Bath.
Outras formas inusitadas de produção de biocombustíveis incluem penas de frango, borra de café, gordura de jacaré, tequila, chocolate, fraldas descartáveis, tequila, melancia e folhas de maconha. As mais tradicionais contam com o etanol da cana de açúcar (especialidade brasileira) e do milho norte-americano.
Fonte - Tribuna da Bahia  24/11/2014

CBTU capacita aplicadores da pesquisa Perfil do Usuário

Transportes sobre trilhos

Os coordenadores e aplicadores dos questionários nas estações participarão de um treinamento que apresentará as características do sistema e os procedimentos que devem ser adotados.

CBTU BH

As preparações para a pesquisa que vai identificar as características dos usuários do sistema começam nesta segunda-feira (24/11). Os coordenadores e aplicadores dos questionários nas estações participarão de um treinamento que apresentará as características do sistema e os procedimentos que devem ser adotados. Ministrado pelo técnico em gestão, Jason Prado, e pelo analista de gestão, Ralph Costa, o curso será realizado a partir de 14h, no auditório do Centro de Controle Operacional.
O conteúdo irá detalhar os procedimentos operacionais e de segurança a serem seguidos durante a realização de atividades no sistema. As informações trarão ainda orientações referentes à importância de não interferir no fluxo de usuários e esclarecer dúvidas sobre a aplicação dos questionários.
De acordo com a coordenadora de Atendimento ao Usuário, Cláudia Haddad, o treinamento busca munir de informação os profissionais responsáveis por realizar as perguntas aos usuários. “É importante que os aplicadores tenham um mínimo de conhecimento sobre o sistema para orientar o entrevistado quanto às questões, o que contribui, significativamente, para o resultado da pesquisa”.

Cronograma
O levantamento será realizado entre os dias 25 de novembro e 4 de dezembro, levantando informações sobre o perfil dos passageiros, os hábitos de viagem e a satisfação das pessoas em relação ao serviço prestado pela CBTU Belo Horizonte. Cerca de 1,3 mil questionários serão aplicados e a pesquisa será realizada entre 6h e 22h. Os entrevistadores estarão identificados com crachás e irão abordar os passageiros aleatoriamente nas plataformas das estações.
Fonte - CBTU  24/11/2014

Concluída a perfuração do primeiro poço de extensão do Consórcio de Libra

Pré Sal

Com essa perfuração, foi confirmada a existência de uma coluna de hidrocarbonetos de aproximadamente 290 metros e um reservatório que apresenta boa porosidade e permeabilidade. As amostras coletadas do poço confirmaram tratar-se do mesmo petróleo encontrado no poço descobridor 2-ANP-2A-RJS, com 27 graus API.

Fatos e Dados

Concluímos no dia 6 de novembro a perfuração do primeiro poço de extensão na área do Consórcio de Libra, o 3-BRSA-1255 (3-RJS-731), informalmente conhecido como NW1. Localizado na porção Noroeste do bloco de Libra, no pré-sal da Bacia de Santos, o poço está a aproximadamente 4 km a Sudeste do poço descobridor, o 2-ANP-2A-RJS.
O poço atingiu a profundidade final de 5.734 metros e está localizado a 185 km da costa do Rio de Janeiro, a uma profundidade de água de 1.963 metros. Com essa perfuração, foi confirmada a existência de uma coluna de hidrocarbonetos de aproximadamente 290 metros e um reservatório que apresenta boa porosidade e permeabilidade. As amostras coletadas do poço confirmaram tratar-se do mesmo petróleo encontrado no poço descobridor 2-ANP-2A-RJS, com 27 graus API. Está previsto, ainda, um teste de formação na zona portadora de petróleo para verificar a produtividade dos reservatórios.
O Consórcio de Libra – que é composto por Petrobras (operadora, com 40%), Shell (20%), Total (20%), CNPC (10%), CNOOC Limited (10%) e a companhia estatal Pré-Sal Petróleo S.A. (PPSA) – continuará as atividades previstas no Plano de Exploração aprovado pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).
Neste momento, o segundo poço em perfuração - 3-RJS-735 - informalmente conhecido como L2C1, já atingiu a base da camada de sal e tem previsão de iniciar a fase de perfuração dentro do reservatório nos próximos dias.
Fonte - Petrobras  24/11/2014

Volume de água armazenado no Cantareira cai para 9,4%

São Paulo

No dia 15, começou a ser bombeada a segunda parte do volume morto, água que fica abaixo do nível das comportas. Este é o último recurso de armazenamento disponível. 

Camila Maciel
Repórter da Agência Brasil 
Divulgação/Sabesp
Em quedas sucessivas há dez dias, o volume de água armazenado no Sistema Cantareira chegou hoje (24) a 9,4%. Os dados fazem parte do levantamento diário divulgado pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo. No dia 15, começou a ser bombeada a segunda parte do volume morto, água que fica abaixo do nível das comportas.
A reserva técnica acrescentou 105 bilhões de litros ao volume útil do sistema. Este é o último recurso de armazenamento disponível. A primeira parte da reserva foi incluída no dia 16 de maio, após obras para a instalação de bombas, e incorporou 182,5 bilhões de litros de água ao Sistema Cantareira.
Outros mananciais importantes no abastecimento de São Paulo apresentaram queda hoje. O volume armazenado no Alto Tietê, segundo mais importante da cidade, passou de 6,1% para 5,9%; no Guarapiranga, na zona sul da capital, o nível caiu de 32,3% para 32,2%; no Rio Grande, de 63,8% para 63,4%; e no Rio Claro, de 31,9% para 31,3%. O Alto Cotia, por sua vez, ficou estável em 28%.
Fonte - Agência Brasil  24/11/2014

BRICS são alternativa ao fim da hegemonia norte-americana, afirmam economistas

Economia

O economista Paul Craig Roberts desmascara a política norte-americana -  Essas são algumas considerações manifestadas por Peter Koenig, um economista norte-americano e ex-funcionário do Banco Mundial. Na opinião do especialista, o Banco de Desenvolvimento instituído pelos BRICS é o primeiro passo no sentido de desdolarizar o sistema econômico global.

Por Redação CB
Com agências internacionais 
de Washington

Os BRICS poderão passar a ser na prática uma alternativa competitiva para o atual sistema econômico da hegemonia norte-americana. E ainda mais, os BRICS são capazes de tomar o seu lugar. Essas são algumas considerações manifestadas por Peter Koenig, um economista norte-americano e ex-funcionário do Banco Mundial. Na opinião do especialista, o Banco de Desenvolvimento instituído pelos BRICS é o primeiro passo no sentido de desdolarizar o sistema econômico global.
– Efetivamente, já chegou a hora para que um novo sistema monetário e econômico substitua o atual Banco Mundial, que é uma espécie de casino gigante, um projeto de pilhagem com base no dólar, concebido por Wall Street… Este sistema está à beira de um abismo ainda mais profundo do que a depressão da década dos 1930 – afirma Koenig, seguro de que seis bancos norte-americanos controlam no presente momento dois terços de todos os ativos bancários mundiais (em 2008, pouco mais de 40%).
Em outra análise, também contundente, o economista norte-americano Paul Craig Roberts, em artigo intitulado Guerra e morte do dólar norte-americano? afirma que “duas pressões acumulam-se sobre o dólar norte-americano. Uma decorre da declinante capacidade do Federal Reserve para manipular o preço do ouro quando as reservas ocidentais encolhem e se espalha no mercado o conhecimento da ilegal manipulação de preços feita pelo Fed. É inequívoca a evidência de quantidades maciças de vendas a descoberto a serem despejadas no mercado de futuros do ouro numa altura em que a comercialização é fraca. Tornou-se óbvio que o preço do ouro é manipulado no mercado de futuros a fim de proteger o valor do dólar das consequências da quantitative easing(QE)”.

Abuso de Washington
“Os EUA ou o mundo estão a chegar ao fim?”, questiona Roberts. Ele aponta, ainda, que “outra pressão provém das loucas ameaças do regime de Obama, de sanções contra a Rússia. Outros países já não estão dispostos a tolerar o abuso de Washington quanto ao padrão dólar mundial. Washington utiliza os pagamentos internacionais com base no dólar para prejudicar as economias de países que resistem à hegemonia política de Washington.”
“A Rússia e a China já estão fartas”, afirma o economista e colunista do Creators Syndicate. Ele cita Peter Koenig ao afirmar que a Rússia e a China estão prestes a se desligar do dólar. “Daqui em diante, a Rússia efetuará o seu comércio, incluindo a venda de petróleo e de gás natural à Europa, em rublos e nas divisas dos seus parceiros do BRICS. Isto significa uma grande quebra na procura de dólares norte-americanos e uma queda correspondente no valor cambial do dólar”, acrescentou.
Segundo Roberts, “conforme John Williams ( shadowstats.com ) deixou claro, a economia dos EUA não recuperou dos maus tempos de 2008 e tem continuado a enfraquecer. A grande maioria da população norte-americana há anos tem sido fortemente pressionada pela falta de crescimento dos rendimentos. Como atualmente os EUA são uma economia dependente quanto a importações, uma queda no valor do dólar aumentará os preços nos EUA e fará baixar o nível de vida. Todos os indícios apontam para o fracasso econômico dos EUA em 2014, e é essa a conclusão do relatório de John William, de 9 de Abril”.
“Este ano também pode vir a assistir ao colapso da Organização do Tratado Atlântico Norte (Otan) e talvez mesmo da UE. O golpe imprudente de Washington na Ucrânia e a ameaça de sanções contra a Rússia empurraram os estados marionetes da Otan para um terreno perigoso. Washington avaliou mal a reação na Ucrânia quando derrubou o seu governo democraticamente eleito e impôs um governo fantoche. A Crimeia separou-se rapidamente da Ucrânia e juntou-se à Rússia. Poderão seguir-se em breve outros territórios outrora russos. Os descontentes em Lugansk, Donetsk e Kharkov exigem o respeito aos referendos. Os descontentes promulgaram a República Popular de Donetsk e a República Popular de Kharkov. O governo fantoche de Washington em Kiev ameaçou dominar os protestos com a violência. Washington afirma que as manifestações de protesto são organizadas pela Rússia, mas ninguém em Washington acredita, nem mesmo os seus fantoches ucranianos”, afirma.
Em muitas frentes, afirma Roberts, “Washington está a surgir aos olhos do mundo como trapaceiro, inconfiável e completamente corrupto”:
“James Kidney, promotor público da Securities and Exchange Comission (SEC), aproveitou a ocasião da sua aposentação para revelar que superiores seus haviam arquivado os seus processos da Goldman Sachs e de outros ‘bancos demasiado grandes para falir’, porque os seus patrões da SEC não estavam preocupados com a justiça mas ‘em arranjar empregos com altas remunerações após o seu serviço público’, protegendo os bancos contra processos pelas suas acções ilegais. A Agência Americana para o Desenvolvimento Internacional foi apanhada tentando usar meios de comunicação sociais para derrubar o governo de Cuba. Esta imprudência audaciosa aparece a seguir à queda do governo ucraniano incitado por Washington, ao escândalo da espionagem da NSA, ao relatório de investigação de Seymour Hersh de que o gás sarin na Síria foi um incidente clandestino organizado pela Turquia, membro da Otan, a fim de justificar um ataque militar dos EUA à Síria, a seguir à imposição de Washington de fazer aterrar e passar busca ao avião presidencial do presidente boliviano Evo Morales, às ‘armas de destruição em massa’ de Saddam Hussein, à má utilização da resolução de zona de exclusão aérea da Líbia para um ataque militar, etc. etc. Essencialmente, Washington conseguiu minar de tal modo a confiança de outros países quanto ao discernimento e integridade do governo americano que o mundo perdeu a fé na liderança dos EUA. Washington está reduzido a ameaças e subornos e aparece cada vez mais como um agressor”, pontua.

Mentira
“Estes tiros no pé refletiram-se na credibilidade de Washington. O pior de todos é a crescente percepção generalizada de que a louca teoria de conspiração de Washington sobre o 11/Set é falsa. Grande número de especialistas independentes, assim como mais de 100 prestadores de primeiros socorros contradisseram todos os aspectos da absurda teoria da conspiração de Washington. Nenhuma pessoa esclarecida acredita que meia dúzia de árabes sauditas, que não sabiam pilotar aviões, e a funcionar sem a ajuda de qualquer agência de informações, pudesse iludir todo o estado de Segurança Nacional, não apenas as 16 agências de informações norte-americanas, mas também todas as agências de informações da Otan e de Israel. Nada funcionou no 11/Set. A segurança do aeroporto falhou quatro vezes numa hora, mais falhas numa hora do que ocorreram durante as 116.232 horas do século XXI, todas juntas. Pela primeira vez na história, a Força Aérea dos EUA não conseguiu interceptar inimigos no chão e nos céus. Pela primeira vez na história, o Controle de Tráfego Aéreo perdeu aviões comerciais durante mais de uma hora e não o comunicou. Pela primeira vez na história, incêndios de baixas temperaturas, de vida curta, em alguns pisos, provocaram o enfraquecimento e colapso de estruturas de aço maciças. Pela primeira vez na história, três arranha-céus caíram em queda livre acelerada, sem o benefício de demolição controlada que eliminasse a resistência por baixo”, continuou.
“Dois terços dos norte-americanos acreditaram nesta mentira. A esquerda acreditou porque encarou-a como uma história de oprimidos a vingarem-se do império maléfico da América. A direita acreditou na história, porque interpretaram-na como de muçulmanos diabólicos a atacar a boa América. O presidente George W. Bush exprimiu muito bem a visão da direita: ‘Eles nos odeiam por causa da nossa liberdade e democracia’. Mas mais ninguém acreditou nela, muito menos os italianos. Os italianos tinham sido informados, anos antes, de incidentes secretos, quando o seu presidente revelou a verdade sobre a secreta Operação Gládio . A Operação Gládio foi chefiada pela CIA e pelos serviços secretos italianos durante a segunda metade do século XX, para colocação de bombas que mataram mulheres e crianças europeias a fim de acusar os comunistas e, a partir daí, minarem o apoio aos partidos comunistas europeus. Os italianos foram dos primeiros a fazer apresentações em vídeo contestando a história bizantina de Washington sobre o 11/Set. A última desta contestação é o filme “Zero”, de 1 hora e 45 minutos, que pode ser assistido aqui: (https://www.youtube.com/watch?v=QU961SGps8g).
 Zero foi produzido pela companhia italiana Telemaco, lembra Robers, como um filme de investigação sobre o 11/Set. “Nele aparece muita gente ilustre, juntamente com especialistas independentes. Em conjunto, contestam todas as afirmações feitas pelo governo dos EUA, relativas à sua explicação do 11/Set. O filme foi exibido no parlamento europeu. É impossível que alguém que veja este filme acredite numa só palavra da explicação oficial do 11/Set. A conclusão é que cada vez é mais difícil desmentir que elementos do governo dos EUA tenham feito ir pelos ares três arranha-céus de Nova Iorque a fim de destruir o Iraque, o Afeganistão, a Líbia, a Somália, a Síria, o Irão, e o Hezbollah, e de lançar o programa dos neoconservadores dos EUA para uma hegemonia mundial dos EUA. A China e a Rússia protestaram mas aceitaram a destruição da Líbia embora tenha sido em seu próprio prejuízo. Mas o Irão é uma linha vermelha. Washington ficou bloqueado, por isso decidiu provocar grandes problemas à Rússia na Ucrânia a fim de desviá-la do programa de Washington noutros locais. A China tem estado hesitante sobre os compromissos entre os seus excedentes comerciais com os EUA e o crescente cerco de Washington que lhe é feito com as suas bases navais e aéreas. A China chegou à conclusão de que a China e a Rússia têm o mesmo inimigo – Washington”, afirma.
“Pode acontecer uma de duas coisas: ou o dólar norte-americano será posto de lado e o seu valor entra em colapso, acabando assim com a situação de superpotência de Washington e a ameaça de Washington à paz mundial, ou Washington empurrará os seus fantoches para um conflito militar com a Rússia e a China. O resultado de uma guerra dessas será muito mais devastador do que o colapso do dólar norte-americano”, conclui.
Fonte - Correio do Brasil 23/11/2014