sábado, 1 de novembro de 2014

Chega em João Pessoa a 1ª composição de VLT, no total oito trens devem ser entregues

Transportes sobre trilhos

A entrega do VLT é uma etapa do projeto de modernização do sistema de trens urbanos de João Pessoa, que ainda terá a contratação de uma empresa especializada para realizar os estudos e apontar as necessidades de construção e adequação das estações, via férrea, remodelação da Oficina e demais obras de melhoria nos 30 km do sistema. 

Paraiba.com
paraiba.com
A primeira composição de Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) chegará a capital paraibana neste fim de semana. Segundo o Superintendente da CBTU em João Pessoa, Wladme Macedo, as três carretas que vão trazer o trem foram carregadas na tarde da última quarta feira, 29, com previsão de chegada em Cabedelo na noite da próxima sexta feira, 31. A partir da chegada dessa primeira composição, a cada dois meses a fábrica Bom Sinal deverá entregar mais uma até totalizar oito trens.
A entrega do VLT é uma etapa do projeto de modernização do sistema de trens urbanos de João Pessoa, que ainda terá a contratação de uma empresa especializada para realizar os estudos e apontar as necessidades de construção e adequação das estações, via férrea, remodelação da Oficina e demais obras de melhoria nos 30 km do sistema. Nesta etapa, a aquisição do VLT representa um investimento da ordem de 70 milhões, oriundos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Equipamentos.
“A chegada do VLT representa a preocupação da CBTU em melhorar de forma substancial a mobilidade e a acessibilidade das pessoas ao transporte público. Com o novo trem, a pessoas terão, em médio prazo, viagens mais confortáveis, rápidas, seguras e muito mais baratas”, afirma Macêdo. O superintendente enfatiza ainda que com a implantação do VLT, a Região Metropolitana de João Pessoa passará a ter um indutor da mobilidade urbana, podendo chegar a ser o principal modal de transporte, sendo alimentado por ônibus, o que resultará em menos veículos trafegando pelas ruas das cidades de João Pessoa, Cabedelo, Bayeux e Santa Rita.
Ao final do processo de modernização, prevista para os próximos quatro anos, a CBTU estima reduzir o tempo de espera entre os trens dos atuais 55 minutos para até 15 minutos, com a construção de estações ilhas que possibilitará mais cruzamentos entre as composições. Também prevê um salto no número de passageiros transportados de 5 mil/dia para até 40 mil usuários diários.
A primeira composição do VLT será descarregada na cidade de Cabedelo, onde será recolhida á oficina para a conclusão da montagem e, consequentemente, entrar em fase de testes operacionais.
VLT – O Veículo Leve sobre Trilhos é um trem moderno, rápido, seguro e confortável. Fabricado pela empresa cearense Bom Sinal, instalada na cidade de Barbalha, o modelo adquirido pela CBTU é o Mobile 3, dotado de duas cabinas computadorizadas – uma em cada extremidade dos carros motores e um carro reboque ao meio. Ele é um Trem Unidade Diesel-Hidráulico (TUDH), construído em fibra de vidro, com sistema hidráulico fornecido pela Voith (Power Pack) e participação da empresa Trends. Trata-se de um veículo ferroviário leve de passageiros para transito urbano e suburbano, com motorização diesel, tração diesel-hidráulica, bidirecional, que trafega em bitola métrica – distância de um metro entre os trilhos -, ar condicionado, acessibilidade para deficientes físicos, passagem entre os carros, sistema de comunicação interna digital e sonora e capacidade para transportar até 600 passageiros por viagem. O VLT de João Pessoa mede 55,8 metros com altura de 3,7 metros e 2,8m de largura
Fonte - ABIFER  01/11/2014

Apesar da seca,CPTM mantém lavagem de trens

São Paulo

Funcionários trabalham diariamente na área ao lado da Estação Jundiapeba para lavagem dos carros das composições da CPTM.Usuários observam surpresos a medida.

O Diario de Mogi
Foto: Edson Martins
Em tempos de represas quase secas e de uma longa estiagem, a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) não alterou um hábito antigo: lavar as composições de sua frota. Funcionários trabalham diariamente ao lado da Estação Jundiapeba limpando os vagões. Usuários observam surpresos a medida.
Em entrevistas dadas há pouco tempo, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) ressalta que o Estado vive a pior crise hídrica dos últimos 100 anos, o que fez com que o Sistema Cantareira operasse com apenas 12,4% de sua capacidade e o Sistema Produtor Alto Tietê (Spat) chegasse à alarmante marca de 6,6%, segundo dados oficiais da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). A autarquia estadual, aliás, anunciou bônus para aqueles consumidores que usarem menos o precioso bem.
Apesar de ser em Mogi, onde o fornecimento de água é feito pelo Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae) – que garante que até o momento não há risco de desabastecimento na Cidade –, a estatal de transportes vem mantendo a rotina de limpeza dos trens com a água. Desde quarta-feira, a reportagem de O Diário constata a medida. Existem campanhas iniciadas pelas redes sociais que chegaram às ruas incentivando os proprietários de carros a não lavarem os veículos enquanto não chover. Quem usa a rede de transporte sobre trilhos viu com espanto a água usada. “Acho que é muito desperdício. Não tem necessidade de lavar agora, quando está tão seco”, disse uma idosa à reportagem, na Estação Jundiapeba, na manhã de anteontem.
Procurada, a CPTM informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que respeita o meio ambiente e que não usa água corrente. “A limpeza de trens e estações é realizada regularmente em conformidade às leis ambientais e o uso racional da água. Para esses serviços, é utilizada água de poço artesiano, com abastecimento fornecido por caminhão pipa. A lavagem completa de cada trem (externa e interna) é feita, em média, a cada 40 dias. Já a limpeza interna, necessária para manutenção da higiene do local que recebe muitos usuários, é feita diariamente com vassouras e produtos de limpeza. A CPTM adota várias iniciativas para redução do consumo de água nas estações e instalações internas. Nas estações em operação, existe controle do consumo nos medidores, fiscalização dos sanitários públicos para evitar o desperdício, acompanhamento da limpeza das plataformas e áreas operacionais, otimizando o tempo na lavagem e constantes inspeções das tubulações para evitar vazamentos”, trouxe a nota. (Lucas Meloni)
Fonte - STEFZS  01/11/2014

Internet - Prestadoras terão de aumentar velocidade mínima a partir de hoje

Internet

Prestadoras devem garantir,em média,80% da velocidade contratada mensalmente pelo usuário - A meta faz parte de um cronograma estabelecido há dois anos pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel),para aumentar gradualmente os limites mínimos de velocidade de banda larga fixa e móvel oferecidos aos clientes. 

Sabrina Craide 
Repórter da Agência Brasil 
Arquivo/Agência Brasil)
As prestadoras de internet terão de garantir, a partir de hoje (1º), em média, 80% da velocidade contratada mensalmente pelo usuário. A meta faz parte de um cronograma estabelecido há dois anos pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), para aumentar gradualmente os limites mínimos de velocidade de banda larga fixa e móvel oferecidos aos clientes.
Pelas metas dos regulamentos da Anatel, a velocidade instantânea (velocidade de upload e download apurada no momento de utilização da internet pelo usuário) deve ser de, no mínimo, 40% do contratado.
O cronograma começou a vigorar em 2012, quando a velocidade média entregue deveria ser de 60%. No ano seguinte, passou para 70%. A velocidade instantânea mínima começou com 20%, alcançando 30% e agora será de 40%. Antes da determinação da Anatel, a velocidade entregue aos usuários ficava em torno de 10% da contratada pelos consumidores.
Para verificar se as empresas estão cumprindo a determinação, no caso da banda larga fixa, a Anatel escolhe, por sorteio, voluntários para participar da medição. Com os dados registrados pelos medidores instalados nas casas dos usuários, a agência acompanha indicadores como velocidades instantânea e média, período de transmissão de dados, instabilidades, disponibilidade do serviço e falhas na qualidade da conexão.
No caso da banda larga móvel, os medidores que monitoram a qualidade do serviço estão instalados em escolas atendidas pelo Projeto Banda Larga nas Escolas Públicas Urbanas.
Fonte - Agência  Brasil  01/11/2014

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

BNDES e INPE assinam contrato para ampliar monitoramento por satélite na Amazônia

Ciência e Tecnologia

Os recursos permitirão ampliar e aprimorar o monitoramento ambiental por satélites do INPE, bem como irão viabilizar o desenvolvimento de estudos sobre usos e cobertura da terra na Amazônia brasileira.

RA

O diretor da Área de Meio Ambiente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Guilherme Lacerda, assinou ontem quarta-feira, 29, contrato de apoio de R$ 67 milhões do Fundo Amazônia, gerido pelo Banco, para o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e sua fundação, a Funcate.Cerimônia aconteceu ontem quarta, 29, em Brasília. Valor é de R$ 67 milhões, em recursos do Fundo Amazônia, e apoiará combate ao desmatamento
Os recursos permitirão ampliar e aprimorar o monitoramento ambiental por satélites do INPE, bem como irão viabilizar o desenvolvimento de estudos sobre usos e cobertura da terra na Amazônia brasileira.
O contrato também foi assinado pelos diretores do INPE, Leonel Perondi, e da Funcate, Luiz Carlos Miranda, tendo como testemunhas os ministros da Ciência, Tecnologia e Inovação, Clélio Campolina, e do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, em Brasília.
O INPE é responsável pela condução do programa de monitoramento ambiental da Amazônia, que produz dados sistemáticos sobre o desmatamento e a degradação florestal na região. Tais dados estão entre as principais fontes de informação para a tomada de decisões referentes às políticas de combate ao desmatamento na região.
O projeto apoiado pelo Fundo Amazônia, portanto, contribuirá para os avanços na atuação do Ministério do Meio Ambiente em sua missão de coordenar e empreender ações do Governo Federal no combate ao desmatamento ilegal da Amazônia brasileira.
Tanto os objetivos do projeto quanto os resultados esperados contribuem para a implementação da estratégia de REDD (Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação) do País, uma vez que possibilitam aumentar o controle do desmatamento e da degradação florestal. Isso ocorre em função do fortalecimento dos sistemas do INPE e do maior conhecimento sobre sua trajetória e seu comportamento ao longo do tempo.
A atuação do INPE, em coordenação com as políticas do MMA, já levaram a uma redução do desmatamento na Amazônia, que, de acordo com os últimos dados divulgados, alcançou 5.891 km2, a segunda menor taxa registrada nos últimos 25 anos.
Projeto – O projeto “Monitoramento Ambiental por Satélites no Bioma Amazônia”, formalizado hoje, tem prazo de execução de 42 meses e também apoiará o INPE em ações que o permitam compartilhar metodologia, dados, tecnologias e equipamentos para monitoramento ambiental com outras regiões e biomas brasileiros, assim como outros países tropicais.
O projeto compreende ações como: mapeamento do uso e cobertura da terra na Amazônia Legal; aprimoramento de software; melhoria dos serviços de recepção, distribuição e uso das imagens de sensoriamento remoto do INPE; aprimoramento do monitoramento de focos de queimadas e incêndios florestais; estudo das trajetórias de padrões e processos do desmatamento na Amazônia; e melhoria dos métodos de estimativa de biomassa e de emissões por mudança de uso da terra.

Carteira
Com este contrato, a carteira do Fundo Amazônia passa a somar 67 projetos apoiados,totalizando R$ 1 bilhão, dos quais R$ 372 milhões desembolsados.Todos os projetos apoiados visam reduzir o desmatamento e apoiar o desenvolvimento sustentável.
Mais informações no site  - www.fundomazonia.gov.br.
Fonte - Revista Amazônia 31/10/2014

Fatos - Reportagem forjada e pesquisa manipulada. Factoide - recontagem de votos

Política

Para tucanos, interessa mudar a pauta para que esses fatos caiam no esquecimento. Nesse contexto, um factóide vem a calhar: pedir uma auditoria ou recontagem dos votos, para tumultuar e funcionar como cortina de fumaça 

RBA
Por Helena Sthephanowitz
PT prepara representação ao Ministério Público Eleitoral
contra institutos Veritá e Sensus por pesquisas questionáveis

JOSÉ CRUZ/ABR
Há pelo menos dois fatos gravíssimos, com indícios de crimes, na última eleição que não podem ser varridos para debaixo do tapete, senão a legislação eleitoral, que busca equilíbrio no pleito, vira letra morta para as próximas eleições.
O primeiro fato é um criminoso confesso, em processo de delação premiada, fazer ou não (ainda não se sabe ao certo) divagações abstratas sobre a presidenta da República, e candidata a reeleição, ter conhecimento prévio de atividades criminosas praticadas por ele. Ato contínuo, tais divagações alimentaram uma pseudorreportagem de capa sensacionalista, panfletária e escandalosa da revista de maior circulação nacional induzindo o leitor a pensar que aquilo seria a comprovação de que a candidata não teria credenciais nem para merecer o voto, nem para cumprir o mandato se eleita fosse.
Como se não bastasse, a pseudorreportagem foi usada no horário eleitoral gratuito do candidato tucano, o maior interessado. A própria candidata Dilma Rousseff foi obrigada a usar seu horário eleitoral para fazer um pronunciamento duro repugnando o que ela chamou de terrorismo eleitoral e intento criminoso, além de declarar que iria tomar as medidas cabíveis na Justiça, diante da calúnia e difamação contra ela.
Seguiram-se batalhas judiciais para evitar que a pseudorreportagem fosse usada como campanha eleitoral negativa e paralela, infringindo as normas eleitorais. Além disso, um direto de resposta foi pedido reconhecido como justo e necessário tanto pelo Ministério Público Eleitoral como pelo Tribunal Superior Eleitoral, coisa que a revista só cumpriu na forma que mandava a sentença às 16h30 da tarde do dia das eleições, horário já próximo do fechamento das urnas.
A pseudorreportagem pautou a campanha e o noticiário nos dois últimos dias anteriores e no próprio dia da eleição, funcionando como boca de urna negativa contra a candidata Dilma Rousseff. Como se não bastasse, no dia da eleição, um boato falso foi espalhado nas redes sociais de que o doleiro delator teria morrido envenenado como "queima de arquivo".
Estes fatos estão registrados. São notórios e incontestáveis. O que não se sabe ainda é o que se passou nos bastidores e as tramas que levaram ao desdobramento que teve. Então não vamos fazer ilações sobre o que não se sabe, mas é inaceitável que não se investigue até o fim para sabermos.
Se este episódio for varrido para debaixo do tapete se criará um precedente muito perigoso, onde qualquer bandido pode vir a eleger presidente da República da sétima economia do mundo através de escândalos forjados. Note bem que qualquer candidato, de qualquer partido, pode vir a ser vítima no futuro deste tipo de golpe eleitoral.
Bandidos envolvidos em escândalos podem ser cooptados por corruptores inescrupulosos a serviço de megacorporações internacionais, seja do setor bancário, seja do petróleo, seja da indústria bélica, seja outras áreas interessadas em obter vantagens indevidas das riquezas nacionais, através da eleição de um candidato dócil ou afinado com seus interesses econômicos. Com seus tentáculos financeiros podem perfeitamente plantar divagações em depoimento de um bandido, em seguida oferecer "fontes" para plantar pseudo-reportagem em revistas, inclusive patrocinadas com anúncios pelos setores econômicos interessados, que serão repercutidas nas TVs e na campanha do candidato interessado, podendo levar a vontade popular a ser manipulada por informações falsas que causem um clima de catarse contra um candidato que contrarie interesses poderosos em defesa do interesse popular.
Outro fato diz respeito à manipulação de pesquisas. Um dos donos do Instituto Veritá denunciou pressões vindas do marketing da campanha de Aécio Neves, para divulgar pesquisa que não expressava a realidade. Pesquisas dos institutos Veritá e Sensus, com números muito diferentes das demais, foram usadas na propaganda eleitoral do candidato tucano. O PT prepara representação ao Ministério Público Eleitoral contra os dois institutos, pois ministros do TSE relatam que as pesquisas de ambos foram feitas sem observar o padrão estatístico do IBGE.
Conforme o grau de participação da campanha tucana nestes fatos, as consequências podem ser bastante graves tanto na esfera judicial como na própria opinião pública. O cidadão não gosta de ser enganado por trapaças eleitorais.
Logo, para os tucanos, interessa de forma urgente mudar a pauta, para que esses fatos caiam no esquecimento o mais rápido possível. E, nesse contexto, um factóide vem a calhar: pedir uma auditoria ou recontagem dos votos, para tumultuar e funcionar como cortina de fumaça.
Fonte - Rede Brasil Atual  31/10/2014

Ferry Boat com fluxo intenso nesta sexta-feira

Travessia Marítima

O sistema esta operando nesta sexta feira com com cinco embarcações

A Tarde
Da Redação
Raul Spinassé | Ag. A TARDE
O movimento no sistema Ferry Boat está intenso no terminal de São Joaquim, no Comércio, já que o feriado do dia dos servidores foi transferido para esta sexta-feira, 31, na Bahia, o que fez funcionários públicos anteciparem a viagem.
O passageiro que estiver viajando sem carro tem embarque imediato. Já quem estiver com veículo enfrenta fila de 2h30, de acordo com a a assessoria de comunicação do Ferry Boat.
O sistema opera com as embarcações Anna Nery, Maria Bethânia, Ivete Sangalo, Pinheiro e Dorival Caymmi.
A assessoria informou ainda que com a chegada do verão é esperado um fluxo maior de passageiros.
Fonte - A Tarde  31/10/2014

O Rio de Janeiro quer investir R$ 2,9 bi em novas linhas de metrô

Transportes sobre trilhos

Recursos foram aprovados pela comissão de Orçamento, Fiscalização Financeira e Controle da Alerj - Também foi votado o parecer ao projeto com a revisão do Plano Plurianual 2012-2015.

O Fluminense - Da Redação
Parte da rede metroviária do Rio de janeiro
créditos: www.metrorio.com.br
A Comissão de Orçamento, Fiscalização Financeira e Controle da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) aprovou ontem o parecer prévio ao texto do projeto de lei 3.200/14, que traz o Orçamento do estado do Rio para o ano de 2015. Também foi votado o parecer ao projeto com a revisão do Plano Plurianual 2012-2015.
Na proposta para o ano que vem, os principais investimentos previstos são: implantação de novas linhas metroviárias (R$ 2,93 bilhões), urbanização de comunidades (R$ 924,16 milhões), apoio ao desenvolvimento de municípios (R$ 542,99 milhões), melhoria no sistema de transporte ferroviário – PET II (R$ 426,95 milhões), saneamento ambiental dos municípios no entorno da Baía de Guanabara (R$ 328,77 milhões), ampliação da Via Light (R$ 285,97 milhões), abastecimento de água (R$ 318,95 milhões), recuperação da Região Serrana (R$ 259,23 milhões), construção, reforma e aquisição de material permanente para as unidades de saúde (R$ 121,42 milhões) e reestruturação das Delegacias Legais e órgãos investigativos (R$ 45,62 milhões).
“Ainda esta semana, os pareceres serão publicados no Diário Oficial, dando início ao processo de análise do Legislativo aos textos, que ainda serão emendados antes de serem finalmente submetidos ao plenário”, adiantou o presidente da comissão, deputado Coronel Jairo (PMDB). O Projeto da Lei Anual do Orçamento 2015 estima receitas e fixa as despesas no valor de R$ 89,3 bilhões.
Fonte - Mobilize  31/10/2014

Indústria de fabricação investe em setor metroferroviário

Transportes sobre trilhos

O valor está dividido entre 343 projetos do Plano de Transporte e Logística de 2014, que inclui a implantação de Veículos Leves sobre Trilhos (VLT) em cidades como Santos (SP), Cuiabá (MT), Rio de Janeiro (RJ), Goiânia (GO), entre outras.

Monitor Mercantil
foto - Pregopontocom
O sistema metroferroviário tem liderado os projetos de melhoria da mobilidade urbana, que é, atualmente, considerada um dos maiores gargalos das grandes cidades. A Confederação Nacional do Transporte (CNT) estima que o país tenha que investir mais de R$ 240 bilhões para superar o déficit de mobilidade. O valor está dividido entre 343 projetos do Plano de Transporte e Logística de 2014, que inclui a implantação de Veículos Leves sobre Trilhos (VLT) em cidades como Santos (SP), Cuiabá (MT), Rio de Janeiro (RJ), Goiânia (GO), entre outras.
Tais aportes direcionados à problemática também fora do eixo Rio - São Paulo e a necessidade de atender a demanda reprimida de transporte público e evitar o colapso das grandes cidades com o aumento contínuo da frota de automóveis, são apontados pelo vice-presidente do setor ferroviário do Sindicato Interestadual da Indústria de Materiais e Equipamentos Ferroviários e Rodoviários (Simefre), Luiz Fernando Ferrari, como fatores de desenvolvimento e encorajamento para a cadeia produtiva de peças e equipamentos do setor nos próximos anos.
Para o especialista, o momento favorece a indústria de fornecimento porque a envolve em programas como o PAC Mobilidade e projetos financiados pelo BNDES, que exigem um conteúdo local acima de 60% e fazem com que a indústria nacional participe mais dos investimentos.
- Todos estes projetos, somados aos que ainda serão desenvolvidos, são de fundamental importância. Nós do Simefre, junto com a Abifer, temos nos empenhado no sentido de mostrar às autoridades a significância destes projetos - afirma o vice-presidente do sindicato, que aponta duas razões para continuidade dos programas: aumento de incentivos e competitividade.
- A criação de um plano de expansão para o setor metroferroviário aumenta a capacidade de investimentos no sistema, que demanda deste estímulo, e também incita a competitividade frente ao fornecimento estrangeiro. As empresas internacionais chegam ao Brasil com medidas de incentivo dos seus países e nós concorremos com uma condição complicada de equalização fiscal, com grande custo de impostos - alerta Ferrari, ao explicar que o Governo Federal vem tentando desonerar estes tributos.
O problema é que, com os tributos somados às contribuições estaduais e municipais, o custo para a indústria ainda é muito alto.
- Nós estamos concorrendo de peito aberto. Isso exige que tenhamos competência técnica, baixo custo e capacidade industrial para entregar em prazos cada vez mais menores. Esse é o grande desafio da indústria de fornecimento hoje: manter o compromisso de fazer bem feito, rapidamente e com custo competitivo, diz o vice-presidente do Simefre.
Fonte - STEFZS  31/10/2014

ONU divulga domingo relatório do IPCC sobre clima

Internacional

Copenhague, capital da Dinamarca, será encerrado hoje (31). O relatório, que promete ser o mais abrangente já visto no setor, será divulgado domingo (2).O presidente do IPCC, Rajendra Pachauri, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, e o ministro de Meio Ambiente do Peru, Manuel Pulgar-Vidal, farão a apresentação do documento no domingo.

Giselle Garcia 
Correspondente da Agência Brasil/EBC 
Giselle Garcia/Agência Brasil
Líderes mundiais aguardam com expectativa a   divulgação da síntese do quinto relatório de avaliação sobre mudanças climáticas, elaborado pelo Painel Internacional da ONU sobre Mudanças Climáticas, o IPCC. O encontro, que reuniu cientistas e membros de governos durante toda a semana em Copenhague, capital da Dinamarca, será encerrado hoje (31). O relatório, que promete ser o mais abrangente já visto no setor, será divulgado domingo (2).
O presidente do IPCC, Rajendra Pachauri, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, e o ministro de Meio Ambiente do Peru, Manuel Pulgar-Vidal, farão a apresentação do documento no domingo. Segundo Pachauri, a síntese funcionará como guia para que os desenvolvedores de políticas públicas consigam chegar a um acordo para redução das emissões de gases de efeito estufa, responsáveis pela elevação da temperatura do planeta.
As negociações para um tratado climático global, com metas mais rigorosas para as nações, continuarão na 20ª Conferência do Clima, prevista para dezembro deste ano, em Lima, no Peru, e serão concluídas na COP-21, no ano que vem, em Paris, na França.
A elaboração do quinto relatório do IPCC contou com a participação de 830 cientistas de 80 países, divididos em três grupos de trabalho. Os resultados de cada grupo foram divulgados em três documentos diferentes, ao longo dos últimos 13 meses. A síntese, elaborada esta semana em Copenhague, abordará as principais conclusões e orientações dos cientistas.
“O relatório garante o conhecimento necessário para tomada de decisões bem fundamentadas e para construção de um futuro melhor e mais sustentável. Com ele, entenderemos melhor as razões pelas quais devemos agir, bem como as sérias consequências de não agirmos”, enfatizou Pachauri.
Por videoconferência durante a abertura do evento, a secretária-executiva da Convenção-Quadro das Nações Unidas para Mudanças Climáticas, Christiana Figueres, disse que "o quinto relatório é o mais atual e influente trabalho científico em mudanças climáticas já feito no mundo". O ministro do Clima e Energia da Dinamarca, Rasmus Helveg Petersen, enfatizou que, se não houver ação imediata para conter as mudanças climáticas, “a dívida com as futuras gerações será crescente”.
Fonte - Agência Brasil  31/10/2014

Trecho cearense da Ferrovia Transnordestina avança primeiro

Ferrovias

Os 150 km de ferrovia que serão construídos no Ceará vão passar pelos municípios de Iguatu, Aurora, Icó, Lavras da Mangabeira, Cedro e Acopiara.

Jornal do Commercio

O governo federal decidiu acelerar as obras no trecho cearense da Ferrovia Transnordestina. O empreendimento começa na cidade de Eliseu Martins, no Sul do Piauí, e segue até Salgueiro, dividindo-se em dois trechos que vão para os portos de Pecém, próximo à Fortaleza (capital do Ceará) e Suape, no litoral Sul do Estado. Na quarta-feira da semana passada, os ministros do Orçamento e Gestão, Miriam Belchior, e da Integração Nacional, Francisco Teixeira, assinaram, na cidade de Missão Velha, a ordem de serviço para a construção de mais 150 quilômetros do trecho cearense Missão Velha-Pecém. "Em Pernambuco, a obra está totalmente parada. Não me cabe responder se está havendo uma retaliação do governo federal ao Estado", afirma o secretário estadual de Desenvolvimento, Márcio Stefanni, ao ser questionado se essa retomada da obra ocorreu no Ceará pelo fato de o atual governador de Pernambuco e o eleito, João Lyra Neto e Paulo Câmara (ambos do PSB), terem apoiado Aécio Neves (PSDB) na eleição para presidente no último domingo, quando a presidente Dilma Rousseff (PT) foi reeleita.
Segundo o secretário, o único movimento que está ocorrendo com relação à implantação da ferrovia em Pernambuco é a retomada da fábrica de dormentes, reativada em Salgueiro recentemente. A unidade estava parada desde o ano passado, quando as obras foram paralisadas.
Os 150 km de ferrovia que serão construídos no Ceará vão passar pelos municípios de Iguatu, Aurora, Icó, Lavras da Mangabeira, Cedro e Acopiara. Os 96 km que ligam Salgueiro, em Pernambuco, a Missão Velha estão concluídos desde o ano passado, de acordo com a União.
Márcio Stefanni diz que o Estado continua aguardando ansiosamente a implantação da ferrovia, que "é fundamental" para melhorar a infraestrutura existente em Pernambuco junto com outras obras como o Arco Metropolitano (que será feito com recursos federais construindo uma alça entre Suape e Goiana, passando por fora da BR-101) e a licitação para o segundo terminal de contêineres do Porto de Suape.
As obras da Transnordestina são realizadas pela empresa Transnordestina Logística S.A (TLSA), que tem à frente o grupo da Companhia Siderúrgica Nacional. Segundo a assessoria de imprensa da TLSA, a companhia totaliza 420 km de superestrutura (onde já foram colocados os trilhos, dormentes e brita) em Pernambuco, sendo que mais de 100 km foram "lançados no ano de 2014 entre os municípios de Parnamirim e a localidade de Nascente". A assessoria não explicou quais são os municípios pernambucanos que receberam os outros 300 km das obras. Ainda de acordo com a empresa, há três canteiros de obra em Pernambuco localizados em Salgueiro, Nascente e Arcoverde.
A ferrovia terá 1.753 km e vai passar por 29 municípios no Ceará, 19 no Piauí e 35 em Pernambuco. O empreendimento também prevê a construção de terminais para receber a carga nos dois portos. Nesse caso, Pecém é considerado um terminal privativo, tendo autonomia para aprovar o projeto de construção dos terminais.
Já o Porto de Suape é enquadrado (pelo governo federal) como porto organizado e a administração estadual não tem autonomia para implantar novos terminais devido a uma lei sancionada pelo governo federal no meio do ano passado. Inicialmente, os terminais de Suape deveriam ser licitados pelo governo federal no ano passado, o que não ocorreu. Além de Suape, a nova lei prejudicou outros portos, como o de Santos (SP), Belém do Pará, Paranaguá, Salvador e Aratu.
Fonte - STEFZS  31/10/2014 

Golpe midiático não vai dar em nada?

Política

Está na hora daquelas autoridades que falam em nome do Estado brasileiro cumprirem o dever legal de garantir os direitos dos cidadãos de escolher os governantes através de eleições livres e limpas, sem golpes sujos.

Por Paulo Moreira Leite, em seu blog:
foto - ilustração
O golpe eleitoral midiático destinado a interferir na eleição presidencial completa uma semana hoje e cabe perguntar: vai ficar tudo por isso mesmo?
É curioso registrar que estamos diante de um caso que a Polícia Federal e o Ministério Público têm todos os meios de apurar e chegar aos responsáveis sem muita dificuldade, até porque muitos nomes são de conhecimento público. Não é diz-que-diz. Nem simples cortina de fumaça.
Os indícios criminais estão aí, à vista de 140 milhões de eleitores.
Até o momento, temos uma discussão de mercado. Jornalistas debatem o que aconteceu, analistas dão seus palpites, políticos de um lado de outro têm sua opinião. Não basta.
Está na hora daquelas autoridades que falam em nome do Estado brasileiro cumprirem o dever legal de garantir os direitos dos cidadãos de escolher os governantes através de eleições livres e limpas, sem golpes sujos.
O golpe midiático não foi um ato delinquente sem maiores consequências. Trouxe prejuízos inegáveis a candidatura de Dilma Rousseff e poderia, mesmo, ter alterado o resultado da eleição presidencial - a partir de uma denúncia falsa. Mesmo eleita, é inegável que Dilma saiu do pleito com um desfalque de milhões de votos potenciais, subtraídos nas últimas 48 horas. “Se a eleição não fosse no domingo, ela até poderia ter perdido a presidência,” admite um membro do Ministério Público Federal.
Boa parte da investigação já está pronta. Sabemos qual o lance inicial - uma capa da revista 'Veja', intitulada “Eles sabiam de tudo”, dizendo que o doleiro Alberto Yousseff dizia que Lula e Dilma estavam a par do esquema de corrupção. Sabemos que, prevendo uma possível ação judicial, a própria revista encarregou-se de esclarecer que não podia provar aquilo que dizia que Yousseff havia dito. O próprio advogado de Yousseff também desmentia o que a revista dizia. Mesmo assim, VEJA foi em frente, espalhando aquilo que confessadamente não poderia sustentar.
Seria divulgado, mais tarde, que a referência a Lula e Dilma, uma suposição (alguma coisa como “é difícil que não soubessem”) sequer fora feita no próprio depoimento a Polícia Federal, mas numa segunda conversa, 48 horas depois.
Se essa hipótese é verdadeira, isto quer dizer que a própria frase da capa, “eles sabiam de tudo”, pode ter sido obtida artificialmente, sem caráter oficial, apenas para que fosse possível produzir uma manchete na véspera da eleição.
Colocada diante de um fato consumado, Dilma foi levada a gravar um pronunciamento para seu programa político. O assunto foi tema no debate da TV Globo, na noite de sexta-feira. Também foi tratado pela Folha de S. Paulo, no dia seguinte, e no Jornal Nacional, menos de doze horas antes da abertura das urnas e dos primeiros votos.
Se antecipou a impressão e distribuição da revista em 24 horas, num esforço para garantir de qualquer maneira que a acusação que não podia ser provada contra Dilma e Lula tivesse impacto sobre os eleitores, a revista também fez um esforço especial de divulgação. No sábado, espalhou out-doors pelo país e foi acusada de não acatar decisão judicial para que fossem retirados - pois o próprio texto do anúncio servia como propaganda negativa contra Dilma. Obrigada a publicar um direito de resposta em seu site, a revista respondeu ao direito de resposta, o que é um desrespeito com a vítima.
No domingo, quando o doleiro Alberto Yousseff foi internado por uma queda de pressão, a pagina falsa de um site de notícias de grande audiência circulou pela internet, dizendo que ele fora assassinato num hospital de Curitiba. No mesmo instante, surgiram cidadãos que gritavam em pontos de circulação que Yousseff fora assassinado numa queima de arquivo, numa campanha de mentira que ajudou a elevar a tensão entre militantes, ativistas e cabos eleitorais de PT e PSDB.
O ministro José Eduardo Cardozo teve de intervir pessoalmente para desmentir a mentira.
Talvez não seja tudo. Olhados em retrospecto, os números risíveis de determinados institutos de opinião, que apontavam para uma vantagem imensa e ridícula de Aécio Neves sobre Dilma, poderiam servir para dar sustentação a trama.
Caso o golpe midiático viesse a ser bem sucedido, produzindo uma incompreensível virada de última hora, estes números de fantasia poderiam ser usados como argumento para se dizer que a candidata do PT já estava em queda e que sua derrota fora antecipada em algumas pesquisas. Verdade? Mentira? Cabe investigar.
Há uma boa notícia neste campo.
No final da tarde de ontem, era possível captar sinais de que uma investigação oficial sobre o golpe midiático pode estar a caminho. Cabe torcer para que isso aconteça e que ela seja feita com toda seriedade que o caso merece.
O eleitor agradece.
Fonte - Blog do Miro  31/10/2014

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Dhaka Mass Transit escolhe projeto para as 16 estações do Metrô de Bangladesh

Internacional

Projeto vencedor para as 16 estações elevadas que integrarão a linha 6 do metrô de Bangladesh é contratado pela Dhaka.

Railway Gazette
Railway Gazette
BANGLADESH: A Dhaka Mass Transit Co contratou John McAslan e Partners para projetar as 16 estações elevadas e instalações que farão parte da Linha 6 do metrô da cidade.
O escritório de arquitetura está trabalhando em conjunto com as empresas Nippon Koei, Delhi Metro Rail Corp e Mott MacDonald. Ele também está realizando estudos sobre a integração urbana juntamente com escritório de arquitetos locais, Desenvolvimento Consultores de Design,para incorporar as estações em seu contexto urbano imediato e mais amplo ".

Railway Gazette
A primeira linha de metrô na cidade com 20 km, de Uttara Norte para Motijheel, esta sendo construída em três fases.
A pedra fundamental foi lançada em outubro de 2013 e a conclusão de todas as três fases devera ocorrer até o ano de 2022.
O sistema já devera está transportando até 2025 cerca de 505 mil passageiros / dia.


Fonte - Railway Gazette  30/10/2014

Original text http://www.railwaygazette.com/news/news/asia/single-view/view/dhaka-metro-station-design-contract-awarded.html - 

Terminal marítimo de Salvador opera normalmente a partir de dezembro

Salvador

O Terminal Marítimo já está funcionando para o embarque e desembarque de passageiros dos cruzeiros.A confirmação, contudo, depende da Secretaria Especial dos Portos, que definirá uma data oficial para a entrega do equipamento.

TB
Foto: Francisco Galvão
Após o período de funcionamento experimental durante a Copa do Mundo, o Terminal Marítimo de Salvador deverá finalmente entrar um funcionamento normal a partir de dezembro, segundo prevê a Companhia das Docas do Estado da Bahia (Codeba). A confirmação, contudo, depende da Secretaria Especial dos Portos, que definirá uma data oficial para a entrega do equipamento.
De acordo com o órgão estadual, a única etapa da obra que falta à estrutura física para garantir seu pleno funcionamento é a instalação elétrica, a ser realizada pela Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia (Coelba) – O equipamento funciona atualmente com um gerador de energia – dentro dos próximos 15 dias.
“Tenho certeza que o funcionamento do terminal será um passo decisivo no processo de revitalização da zona portuária que é o bairro do Comércio”, afirmou o diretor-presidente da Codeba, José Rebouças.
O Terminal Marítimo já está funcionando para o embarque e desembarque de passageiros dos cruzeiros que chegam diariamente à capital baiana. Esta área específica fica no térreo do prédio, e já conta com toda estrutura necessária para as operações de viagem necessárias a todo terminal deste porte, como o posto obrigatório da Polícia Federal integrada à Receita Federal. Atualmente o equipamento é administrado pela Codeba.
Logo após a inauguração, será lançado um edital licitatório para definir a empresa que administrará o terminal nos próximos anos.
Ganhará a licitação, a empresa privada que apresentar a melhor proposta de ocupação do espaço, com o preço acertado pelo arrendamento do terminal. O processo licitatório deve durar de 60 a 90 dias, entre o lançamento do edital e a escolha da empresa.
Embora, esta etapa ainda pareça longe, a Codeba adianta que já foi procurada por empresas gestoras de terminais marítimos e centros de comércio e lazer (como shoppings e galerias), que já demonstram interesse em gerir o novo terminal de passageiros da Cidade Baixa.
O terminal ocupa uma área total de 11 mil m², dos quais 7.680 m² de área construída, inclui uma esplanada com 3 mil m² que vai descortinar para Avenida da França e o mar da Baía de Todos os Santos, com a vista do Forte de São Marcelo.
A expectativa é que o equipamento possa contribuir com a revitalização do Comércio, sendo acessado tanto pelos turistas quanto pelo cidadão soteropolitano.
Para a construção do novo terminal, foram investidos R$ 36 milhões por parte do Governo Federal, através da Secretaria Especial dos Portos, em parceria com a Prefeitura de Salvador, que elaborou o projeto básico e o governo do Estado, responsável pelo projeto executivo de engenharia.
Enquanto isso os transeuntes do Comércio se dividem em relação ao novo Terminal Marítimo. O principal ponto a ser levantado pela população é justamente a dúvida sobre o que será exatamente o novo empreendimento.
“O que vejo é cada pessoa falando uma coisa diferente, sobre ser um shopping novo, ou que só será para os passageiros de cruzeiros, mas confesso que estou curioso pra ver funcionando”, explicou o técnico em eletrônica, Evilásio Nilo.
Já a expectativa da dona de casa Lídice dos Santos é que o lugar – que deverá ser um novo espaço de lazer cultural do bairro – seja acessível para todos, principalmente em termos de preço. “Acho ótimo que haja novas opções de comércio e de lazer aqui no bairro. Isso é ótimo para o Comércio, de modo geral, mas seria muito bom que houvesse variedade para todos os gostos e todos os bolsos”, avalia.
Fonte - Tribuna da Bahia  30/10/2014

Expectativa dos consumidores volta a melhorar em outubro,revela CNI

Economia

De acordo com a CNI, o resultado de outubro parece confirmar a tendência de recuperação do Inec, mas os componentes que integram o índice total apresentaram resultados mistos. De um mês para outro, a expectativa de que a inflação vai cair aumentou 12,7%.

Wellton Máximo
Repórter da Agência Brasil
foto - ilustração
A expectativa dos consumidores brasileiros com a economia melhorou pelo segundo mês seguido. Elaborado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), o Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (Inec) cresceu de 109,7 pontos em setembro para 112 pontos em outubro, alta de 2,1%. Em 2014, o índice está abaixo apenas dos 113,9 pontos registrados em janeiro.
De acordo com a CNI, o resultado de outubro parece confirmar a tendência de recuperação do Inec, mas os componentes que integram o índice total apresentaram resultados mistos. De um mês para outro, a expectativa de que a inflação vai cair aumentou 12,7%. O indicador de queda do desemprego subiu 7%. A expectativa de melhoria da renda pessoal, no entanto, caiu 1,2%.
Conforme os dados, cresceu 0,7% o índice de consumidores que acreditam que a situação financeira pessoal vai melhorar. O indicador de endividamento (consumidores que esperam queda no endividamento) também aumentou 0,7%. O índice de pessoas que pretendem comprar bens de maior valor, porém, recuou 0,9%.
O Inec funciona como termômetro da confiança do consumidor. Quanto maior o índice, maior o otimismo. Realizada em parceira com o Ibope, a pesquisa ouviu 2.002 pessoas, em 142 municípios de todo o país, entre 16 e 20 de outubro.
Fonte - Agência Brasil  30/10/2014

Operadora do metrô de Paris negocia compra de companhia brasileira

Economia

A RATP já possui uma equipe permanente no Brasil e avalia novas oportunidades de negócios no país. Entre elas estão os projetos do metrô de Porto Alegre e do VLT de Santos. Mongin acrescentou que a empresa também olha oportunidades em Curitiba.

Valor Econômico
foto - ilustração
A RATP, gigante francesa de mobilidade urbana que opera o metrô de Paris, negocia a compra de uma empresa de engenharia brasileira. A negociação está sendo feita pela Systra, subsidiária da estatal francesa na área de engenharia e serviços. O nome da companhia brasileira, no entanto, não foi revelado.
"Decidimos juntos com a Systra comprar uma empresa brasileira de engenharia, para criar uma plataforma de engenheiros para toda a América Latina, baseada no Brasil", afirmou Pierre Mongin, diretor-presidente global da RATP. A expectativa, segundo ele, é que o negócio seja concluído até o fim do ano. "Esperamos finalizar o mais rápido possível", completou o executivo, que veio ao Brasil esta semana para uma série de reuniões.
O executivo participou de encontro sobre oportunidades de negócios para empresas brasileiras na França e se reuniu com parceiros dos dois projetos em que atua no Brasil - a construção e operação da Linha 4-Amarela do metrô de São Paulo e do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) que ligará a região portuária do Rio de Janeiro a diversos pontos do centro da capital fluminense. Ontem à tarde, Mongin também se encontrou com o governador reeleito do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, para cumprimentá-lo pela vitória nas urnas no último domingo.
A RATP já possui uma equipe permanente no Brasil e avalia novas oportunidades de negócios no país. Entre elas estão os projetos do metrô de Porto Alegre e do VLT de Santos. Mongin acrescentou que a empresa também olha oportunidades em Curitiba.
"Nosso desejo é fortalecer a cooperação para deixar a infraestrutura do Brasil mais eficiente. A presidente [Dilma Rousseff] tem o projeto de acelerar o desenvolvimento da infraestrutura. Isso é muito importante para a qualidade de vida dos brasileiros. E acreditamos que nossa experiência e tecnologia pode acrescentar valor", disse o principal executivo da RATP.
A aquisição da empresa brasileira faz parte da estratégia da companhia de ampliar para 30% a participação da área internacional no total do faturamento do grupo, da ordem de € 5,1 bilhões (cerca de R$ 16,1 bilhões) por ano. Hoje os negócios fora da França representam 17% do faturamento da RATP.
Criada em 1948, com o objetivo de reconstruir o sistema de transporte em Paris após a 2ª Guerra Mundial, a RATP transporta 11 milhões de passageiros na capital francesa. A companhia possui hoje 60 mil funcionários, espalhados em 12 países. No Brasil, a primeira atividade da empresa foi a participação na construção do metrô do Rio de Janeiro, na década de 1980.
Com relação aos projetos em andamento no Brasil, a linha 4-amarela do metrô de São Paulo será a primeira linha automática de metrô da América Latina. Segundo Mongin, três linhas do metrô de Paris já operam sem a necessidade de condutor. A linha 1 do sistema francês, em operação há 103 anos e atualmente a mais moderna do mundo, funciona com intervalos de trens de 85 segundos apenas.
A RATP possui 1% do consórcio ViaQuatro, responsável pela construção e operação da linha 4-amarela. Os demais sócios são a CCR (58%), Montgomery Participações (que pertence a um fundo administrado pelo Banif, com participação da Odebrecht, com 30%), a japonesa Mitsui (10%) e a Benito Roggio (empresa argentina do grupo Roggio, com 1%).
No Rio de Janeiro, o VLT ligará o Porto Maravilha ao centro financeiro da cidade e a diversos pontos da região, como o aeroporto Santos Dumont. O custo da obra do sistema, que terá 28 quilômetros de extensão, é estimado em R$ 1,2 bilhão. A RATP detém 0,25% de participação do consórcio VLT Carioca, responsável pela implantação e operação do sistema. Os demais sócios são a Actua - CCR (24,44%), Invepar (24,44%), OTP - Odebrecht (24,44%), Riopar Participações (24,44%) e Benito Roggio Transporte (2%).
O primeiro trecho, de 14 quilômetros, está previsto para entrar em operação no fim de 2015.
Fonte - Revista Ferroviária  30/10/2014

Até o fim do ano passageiro poderá usar eletrônicos em todas as fases do voo

Anac

Anac deve liberar, até o final do ano, o uso de equipamentos eletrônicos em todas as fases do voo - Atualmente, é preciso desligar os eletrônicos durante o pouso e a decolagem.

Yara Aquino
Repórter da Agência Brasil 
Valter Campanato/Agência Brasil
A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) publicou na edição de hoje (30) do Diário Oficial da União uma instrução suplementar para facilitar a liberação do uso de equipamentos eletrônicos como celulares,tablets e câmeras fotográficas em todas as fases do voo. Se autorizada a liberação, os equipamentos poderão ser usados no modo avião, que não permite ligações telefônicas e acesso à internet. Atualmente, é preciso desligar os eletrônicos durante o pouso e a decolagem. Com a mudança, durante o taxiamento até o portão de desembarque será permitido o uso de celulares com o modo de transmissão ativado.
A expectativa é que até o final do ano comecem sair as liberações para o uso dos eletrônicos em todas as fases do voo, de acordo com a Anac. Para obter a autorização as companhias aéreas devem fazer uma análise de sua frota, determinando se é segura a expansão do uso de dispositivos eletrônicos portáteis às demais fases de voo, além da fase de cruzeiro, sem causar problemas ao sistema de navegação da aeronave. Cada modelo de aeronave deverá ser avaliado.
A Anac informou que havia recebido algumas solicitações de empresas aéreas brasileiras para expansão do uso dos eletrônicos portáteis. Os processos recebidos estão em análise e, a partir da publicação da instrução suplementar, a avaliação final e eventual aceitação para expansão poderá ser concretizada, de acordo com a agência. A instrução brasileira foi elaborada com base em estudos feitos da agência reguladora da aviação civil dos Estados Unidos, a Federal Aviation Administration (FAA).
Fonte - Agência Brasil  30/10/2014

América Latina discute setor ferroviário no Continente

Ferrovias

A expectativa da Alaf é aumentar o envolvimento dos países e empresas da América Latina para que haja maior integração comercial e tecnológica no continente

Redação Portogente
foto - ilustração
A Asociación Latinoamericana de Ferrocarriles (Alaf) promove, pela primeira vez no País, uma assembleia geral para avaliar e discutir o desenvolvimento do sistema metroferroviário latino americano. A reunião acontece no próximo dia 13 de novembro, em São Paulo, durante a NT Expo - 17ª Negócios nos Trilhos.
A expectativa da Alaf é aumentar o envolvimento dos países e empresas da América Latina para que haja maior integração comercial e tecnológica no continente. Entre as responsabilidades da entidade estão o crescimento do modal ferroviário em todas as suas funcionalidades. “A NT Expo é um dos maiores eventos do segmento ferroviário não só em nosso continente, mas com representatividade mundial. Por isso buscamos organizar em conjunto nossos encontros e aproveitar a comemoração dos 50 anos da Associação no Brasil e o momento de investimentos oportunos”, destaca o executivo que representa a associação no Brasil, Jean Pejo.

A NT EXPO
17 ª Negócios nos Trilhos é o principal encontro metroferroviário latino-americano, que acontece nos dias 11, 12 e 13 de novembro, no Expo Center Norte, em São Paulo. O evento atua como plataforma para geração de negócios e reúne os principais players do mercado com o objetivo de estreitar o relacionamento e favorecer discussões em torno do potencial da cadeia produtiva.
Fonte - STEFZS  30/10/2014

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Cachoeira é durante 5 dias a capital da cultura no País com Festival Literário

Cultura

É a Festa Literária Internacional de Cachoeira - Flica, que começa nesta quarta-feira (29/10) e vai até domingo (2/11), contando com o apoio da Bahiatursa.

TB
A cidade histórica de Cachoeira, no Recôncavo baiano
Durante cinco dias, Cachoeira será invadida por turistas, estudantes e amantes da literatura e das artes, atraídos pela presença de autores nacionais e internacionais que participarão de 12 mesas especiais e debates.
É a Festa Literária Internacional de Cachoeira - Flica, que começa nesta quarta-feira (29/10) e vai até domingo (2/11), contando com o apoio da Bahiatursa.
Segundo Marcus Ferreira, um dos coordenadores do evento, “são esperadas cerca de 20 mil pessoas na cidade, que está com 100% de ocupação hoteleira. Um grande número de pessoas também se hospeda nas cidades vizinhas de Cruz das Almas, Santo Amaro, São Félix e até Feira de Santana”, afirma, destacando que o evento já integra o calendário turístico e cultural da Bahia.
A feira traz este ano como novidade a homenagem a um autor, Maria Stella de Azevedo Santos, Mãe Stella, escritora e ialorixá do Ilê Axé Opô Afonjá.
João Ubaldo Ribeiro, escritor e acadêmico morto em julho, vítima de embolia pulmonar e que participaria da maior festa literária do Norte/Nordeste, será celebrado com a mesa especial Viva João Ubaldo Ribeiro.
A mesa terá como debatedores os escritores Ana Maria Machado e Geraldo Carneiro, sendo o mediador o jornalista e escritor Fernando Vita. Em paralelo às mesas de discussão, em destaque atrações musicais e a Fliquinha, dedicada ao público infantil, que ganha agora um espaço especial, o Cine-teatro Cachoeirano, um dos mais antigos do país.
A programação musical deste ano fará uma homenagem ao centenário de Dorival Caymmi, que também será tema da mesa de abertura na quarta, às 20 horas, com a participação de Stella Caymmi e Marielson Carvalho e mediação de Mira Silva.
Durante todas as noites, a Praça da Aclamação terá apresentações. Entre as atrações, Juliana Ribeiro, Samba de Roda Filhos de Caquende, as Filarmônicas Lyra Ceciliana e Minerva Cachoeirana, e os espetáculos A Coisa (com Jackson Costa) e Do Samba Chula ao Samba Reggae, com Ricardo Bittencourt, Claudia Cunha, Will Carvalho, Guida Moira e Aloisio Menezes.
Cachoeira está localizada a 110 km de Salvador, no Recôncavo Baiano, e possui construções históricas como a Capela de Santa Bárbara, a Igreja da Ordem Terceira do Carmo e o sobrado da Irmandade da Boa Morte. Também o tradicional samba de roda atrai os turistas, além da culinária.
Outras atrações são os passeios de barco pelo leito do Rio Paraguaçu e as visitas para conhecer comunidades quilombolas.

Visitantes
Com a expectativa de receber mais de 20 mil visitantes, a 4ª edição da Festa Literária Internacional de Cachoeira (Flica) começa nesta quarta-feira (29) e prossegue até domingo (2), com vasta programação, reunindo, no Recôncavo Baiano (110 quilômetros de Salvador), renomados autores nacionais e internacionais.
Entre as novidades, a festa literária passa a homenagear um autor, e a escolhida foi a yalorixá Maria Stella de Azevedo Santos - Mãe Stella de Oxóssi, que vai lançar o livro Abrindo a Arca,valorizando, deste modo, a escrita e a oralidade de um dos mais tradicionais terreiros de Candomblé da Bahia, o Ilê Axé Opô Afonjá.
No sábado (1º de novembro), Mãe Stella compõe a mesa Os Rastros de Antigos Laços, que discute a importância do registro da história do Candomblé para a religião afro-brasileira.
Nesse mesmo dia, a mesa Viva João Ubaldo Ribeiro homenageia o escritor baiano, morto em julho deste ano. Outro baiano ilustre também será lembrado: a mesa de abertura do evento marca o centenário do músico Dorival Caymmi, com o tema O Tempo de Caymmi.
A mesa denominada Entre vielas e assombros reunirá o baiano Dênisson Padilha Filho e o poeta e escritor angolano Ondjaki, autor de Bom Dia Camaradas. Ondjaki também escreve para cinema e teatro; co-realizou sobre a cidade de Luanda – Oxalá cresçam pitangas – histórias de Luanda – em 2006.
A Flica é realizada com apoio do Governo da Bahia, e já se consolidou como um dos principais eventos do calendário turístico e cultural do Estado. “Proporciona visibilidade local e nacional do histórico município de Cachoeira e atração de turistas que ocuparam 100% dos leitos dos hotéis da região”, assinala o secretário do Turismo, Pedro Galvão.
Três locais abrigam as atividades da festa literária, que vão movimentar Cachoeira, cidade baiana que possui importante acervo arquitetônico barroco, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e classificada como Cidade Monumento Nacional.
Os debates serão realizados no claustro do Conjunto do Carmo, no Centro de Cachoeira, das 10h às 19h. Os shows musicais acontecem das 22h às 0h30, na Praça da Aclamação, ao lado do Conjunto do Carmo.

Música 
Os visitantes também vão poder se divertir ao som de música clássica, jazz e muito samba. A partir de quinta-feira (30) serão realizados dois shows por noite, com início às 22h. Entre as atrações, a cantora Juliana Ribeiro, as orquestras filarmônicas Lyra Ceciliana e Minerva Cachoeirana e o Gupo Samba de Criol²o. O público confere ainda uma performance do ator Jackson Costa, que interpreta poemas de várias épocas, acompanhado de uma banda de música popular contemporânea.
Localizada no Recôncavo Baiano, a 110 quilômetros de Salvador, Cachoeira possui construções históricas, como a Capela de Santa Bárbara, o Chafariz Imperial, a Igreja da Ordem Terceira do Carmo, a Matriz Nossa Senhora do Rosário e o sobrado da Irmandade da Boa Morte (grupo composto por mulheres negras remanescente de escravos).
Outra peculiaridade do município é a sua culinária e o tradicional samba de roda, que atrai milhares de turistas e baianos. Para os visitantes que curtem a natureza, existem passeios de barco pelo leito do Rio Paraguaçu. Também é possível se conhecer comunidades de quilombolas por meio do Turismo Étnico da cidade.

Como chegar
De carro: Pela BR-324, sentido Feira de Santana, retornar à direita no Km 566 e seguir pela BA-026 até Santo Amaro da Purificação, seguindo as placas para a saída da cidade, que indicarão a cidade a cerca de 40 km.
Pela BR-101, por volta do Km-197, entrar na Estrada do povoado de Capoeiruçu, descer o vale até Cachoeira por cerca de 3 km.
Fonte - Tribuna da Bahia  29/10/2014

Governo homologa licitação para requalificar vias no Centro Antigo de Salvador

Urbanismo

As ações fazem parte do Plano de Reabilitação do Centro Antigo de Salvador, do Governo do Estado, em execução pela Diretoria do Centro Antigo (Dircas), e da Companhia de Desenvolvimento do Estado da Bahia (Conder), em parceria com o governo federal, por meio do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC) Pavimentação.

Secom
foto - Pregopontocom
Moradores de 14 bairros do Centro Antigo de Salvador serão beneficiados com obras de requalificação urbana - implantação de calçadas, acessibilidade, ciclofaixas e recuperação de vias -, que vão melhorar a infraestrutura da região. O investimento é da ordem de R$ 121 milhões.
As ações fazem parte do Plano de Reabilitação do Centro Antigo de Salvador, do Governo do Estado, em execução pela Diretoria do Centro Antigo (Dircas), e da Companhia de Desenvolvimento do Estado da Bahia (Conder), em parceria com o governo federal, por meio do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC) Pavimentação.
O processo licitatório está dividido em cinco lotes, sendo que o resultado dos três primeiros já foi homologado pelo governo estadual. Os lotes 4 e 5, correspondentes aos bairros de Nazaré, parte do Santo Antônio, Barbalho, Macaúbas, Lapinha e Soledade, estão em fase de licitação. A empresa Oliveira Santana Construções ficará responsável pela execução dos serviços do Lote 1, formado pelos bairros do Comércio e Calçada.
A licitação do Lote 2 teve como vencedora a empresa Soebe Construção e Pavimentação, que irá executar a requalificação das ruas dos bairros do Centro, Campo Grande, parte de Nazaré e Politeama. As obras do Lote 3 (bairros da Saúde, parte do Santo Antônio, Barris e Tororó) serão realizadas pela PJ Construções e Terraplanagem. As intervenções devem ser iniciadas em janeiro de 2015.

Serviços
Nos 14 bairros da região do Centro Antigo, onde residem 77 mil pessoas, serão realizados serviços que incluem construção de calçadas novas em concreto lavado e detalhes em granito, faixa de serviço em placas de concreto, rampas com acesso para pessoas com deficiência, piso podotátil direcional e de alerta, ciclofaixa e nova pavimentação, sendo asfalto com fresagem e paralelepípedo reaproveitado.
Como parte do projeto está previstas também a remoção da fiação aérea e a transferência para uma vala subterrânea na Rua Direita do Santo Antônio, Rua Chile e Avenida Sete. “Buscamos a valorização do patrimônio histórico e, ao mesmo tempo, a melhoria da acessibilidade. A fiação aérea, por exemplo, prejudica a visão do conjunto arquitetônico local, formado por casas dos séculos 17, 18 e 19”, afirma a diretora do Centro Antigo de Salvador (Dircas/Conder), Beatriz Lima, se referindo à implantação de uma nova estrutura subterrânea, por onde passarão as redes de energia elétrica, telefonia e internet.
Fonte - Secom Ba  29/10/2014

Defensoria Pública da Bahia ganha nova sede no Centro Administrativo

Bahia

A Defensoria passou a funcionar no edifício Multicab Empresarial, localizado na Avenida Ulisses Guimarães, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador. Para o governador, “a Defensoria é uma instituição importante do Estado, justamente porque vem ao encontro de tanta gente que precisa se defender perante à Justiça para buscar os seus direitos”.

Secom
secom
A nova sede da Defensoria Pública do Estado da Bahia (DPE), instituição responsável pela garantia da assistência jurídica gratuita à população de baixa renda, foi inaugurada na tarde desta quarta-feira (29), com a presença do governador Jaques Wagner, outras autoridades e representantes do órgão público.
A Defensoria passou a funcionar no edifício Multicab Empresarial, localizado na Avenida Ulisses Guimarães, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador. Para o governador, “a Defensoria é uma instituição importante do Estado, justamente porque vem ao encontro de tanta gente que precisa se defender perante à Justiça para buscar os seus direitos”.
Segundo Wagner, “muitas vezes, essas pessoas não têm estrutura econômica para custear os serviços. Então, a gente procurou ao longo dos oito anos melhorar a condição de trabalho, ampliar o número de defensores e melhorar os salários. Agora, com muita alegria, é que vejo a instalação em uma sede mais apropriada para os atendimentos à nossa população”.
A Defensoria Pública, que antes funcionava no bairro da Pituba, concentra no novo prédio, além dos serviços administrativos, os atendimentos das unidades especializadas do idoso, defesa dos direitos da criança e do adolescente, proteção aos direitos humanos, crime e execução penal.
A mudança de endereço para o CAB deixa a Defensoria Pública mais próxima de outros órgãos públicos do sistema de Justiça, a exemplo do Tribunal de Justiça da Bahia (TJBA) e do Ministério Público Estadual (MPE). Segundo a defensora pública geral do Estado, Vitória Beltrão Bandeira, essa aproximação deve facilitar a integração entre dos poderes em prol da sociedade.
“No CAB hoje", enfatiza Vitória, “o sistema de Justiça se encontra instalado, assim como outros poderes como o Legislativo e o Executivo. É muito importante que fiquem juntos. Isso é um grande facilitador para que se realize um trabalho melhor para os nossos assistidos, que vão poder se dirigir para um local e ter todo o suporte jurídico que deseja”.
Fonte - Secom Ba   29/10/2014

Foguete explode seis segundos após lançamento, informa Nasa

Internacional

Nasa, foguete Antares explode logo após lançamento - A causa da explosão, que ocorreu às 18h22 (horário local) após a decolagem de Walops Island, na Virginia, ainda não é conhecida.

Da Agência Lusa
Joel Kowsky/Divulgação Nasa
O foguete Antares, da empresa norte-americana Orbital Sciences, transportando a cápsula não tripulada Cygnus para a Estação Espacial Internacional (ISS) explodiu hoje seis segundos depois do seu lançamento, informou a NASA.
“O foguete Antares teve um acidente logo após a decolagem”, informou o centro de controle da Nasa, em Houston.
A causa da explosão, que ocorreu às 18h22 (horário local) após a decolagem de Walops Island, na Virginia, ainda não é conhecida.
Segundo um comentarista da televisão da Nasa, “não há indicação de que existam pessoas em perigo”, mas houve “danos materiais significativos”.
A Cygnus entregaria 2,2 toneladas de mantimentos e de experiências científicas à estação espacial, onde estão seis astronautas.
De acordo com a Orbital, este foi o primeiro lançamento noturno do foguete Antares.
Fonte - Agência Brasil  29/10/2014

Projeto do trecho de Maringá terá R$ 4,2 milhões

Transportes sobre trilhos

O maior valor destinado à região de Londrina se deve a uma maior extensão do trecho a ser projetado, que é de 36,47 quilômetros.Os recursos foram incluídos no Orçamento Geral da União, confirmou na ultima sexta-feira (24) a assessoria de imprensa do Ministério das Cidades, que aprovou a inclusão do projeto no PAC da Mobilidade Urbana.

Por Murilo Gatti - odiario.com

A Secretaria de Estado da Infraestrutura e Logística (Seil) vai receber R$ 4,29 milhões para contratar o projeto executivo do trecho do trem de passageiros "Pé-Vermelho" que inclui as cidades de Paiçandu, Maringá e Sarandi. Os recursos foram incluídos no Orçamento Geral da União, confirmou na última sexta-feira (24) a assessoria de imprensa do Ministério das Cidades, que aprovou a inclusão do projeto no PAC da Mobilidade Urbana.
Para o trecho urbano que inclui as cidades de Ibiporã, Londrina e Cambé, vão ser destinados outros R$ 6,44 milhões. O dinheiro vai ser liberado por meio da Caixa Econômica Federal, o que deverá acontecer até meados do próximo ano.
O maior valor destinado à região de Londrina se deve a uma maior extensão do trecho a ser projetado, que é de 36,47 quilômetros. Na região de Maringá, o projeto contempla um trecho de 24,3 quilômetros. Segundo a assessoria de imprensa do Ministério, a partir de agora, a "Caixa Econômica Federal dará inicio a análise da documentação entregue pelo proponente para o início do processo de contratação".
Apesar da liberação dos recursos para os projetos, ainda não há garantias de que o governo federal irá liberar recursos para a execução das obras de implantação do trem de passageiros nas duas regiões. "Ainda não há previsão de apoio do Governo Federal para as obras do empreendimento", informou o Ministério das Cidades, por meio de nota.
O Estudo de Viabilidade Técnica, Ambiental e Econômica do empreendimento indica que a implantação do trem é viável. Na região de Maringá, a perspectiva é ter uma demanda de quase 15 mil passageiros por dia. Na região de Londrina, a estimativa é que o trem vai ser usado diariamente por 13,5 mil pessoas. O projeto inicial prevê seis estações de embarque e desembarque em cada região.
Fonte - STEFZS  29/10/2014

Assembleia Geral da ONU volta a pedir fim do embargo americano a Cuba

Internacional

A resolução foi aprovada por 188 votos a 2 e 3 abstenções. Os Estados Unidos e Israel votaram contra. As abstenções foram das Ilhas Marshall, a República de Palau e os Estados Federados da Micronésia. Com 193 Estados-Membros, o órgão plenário das Nações Unidas adotou a resolução pela primeira vez em 1992. A votação desta terça-feira foi a 23ª consecutiva.

Da Agência Lusa
foto - ilustração
A Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) voltou a pedir hoje (28), por ampla maioria, o fim do embargo econômico, comercial e financeiro imposto a Cuba pelos Estados Unidos há 52 anos. A resolução foi aprovada por 188 votos a 2 e 3 abstenções. Os Estados Unidos e Israel votaram contra. As abstenções foram das Ilhas Marshall, a República de Palau e os Estados Federados da Micronésia.
Com 193 Estados-Membros, o órgão plenário das Nações Unidas adotou a resolução pela primeira vez em 1992. A votação desta terça-feira foi a 23ª consecutiva.
O embargo econômico contra Cuba foi imposto pelos Estados Unidos em 1962, depois do fracasso da invasão da ilha para derrubar o regime de Fidel Castro em 1961. O bloqueio mantém-se em vigor, mesmo depois de o presidente norte-americano Barack Obama ter- se manifestado pela abertura no início de seu primeiro mandato.
Em Lisboa, a embaixadora de Cuba em Portugal, Johana Tablada de La Torre Lisboa, disse que a resolução aprovada hoje na ONU confirma a condenação internacional de uma "política injusta" e atualmente contestada pela sociedade norte-americana. “É um dia importante”, disse a embaixadora. “Estamos em um ponto em que é quase impossível manter essa política por muito tempo”, acrescentou Johana. Para ela, o tempo é de mudança, e os Estados Unidos têm de ouvir a comunidade internacional, inclusive a voz de sua sociedade.
A embaixadora destacou ainda que os norte-americanos começam a ter a percepção das mudanças que ocorrem em Cuba. “Os Estados Unidos veem que o país segue em frente com mudanças importantes na estrutura econômica para desenvolver-se de maneira próspera e sustentável. E com novas leis de investimento, com oportunidades de participação de outros países”, concluiu.
Fonte - Agência Brasil  28/10/2014

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Semana de Urbanismo da UNEB promove Sustentabilidade Urbana

Cidade

Temas mais específicos como ‘Sustentabilidade, cidade e espaço público’ - ‘Mobilidade sustentável’ - e ‘Protagonismo social e cidades sustentáveis’ fazem parte da pauta de discussões da SEMUR 2014, que acontece no Teatro da UNEB, localizado no bairro do Cabula.

TB
foto ilustração - Pregopontocom
Nos dias 3, 4, 5 e 6 de novembro, o curso de Urbanismo da Universidade do Estado da Bahia - UNEB realizará em Salvador a SEMUR2014 - VIII Semana de Urbanismo.
Este ano, o evento tem como tema central “Cidades no Futuro” e debaterá sustentabilidade urbana em suas diversas facetas.
Temas mais específicos como ‘Sustentabilidade, cidade e espaço público’; ‘Mobilidade sustentável’; e ‘Protagonismo social e cidades sustentáveis’ fazem parte da pauta de discussões da SEMUR2014, que acontece no Teatro da UNEB, localizado no bairro do Cabula.
"A realização de um evento como a SEMUR é uma oportunidade de discutirmos a realidade das cidades brasileiras e em particular de Salvador e a partir destas discussões termos ideias e propostas que levem à melhoria de nossa realidade urbana”, declarou o professor André Santos, que faz parte da comissão organizadora juntamente com os professores Juan Moreno e Clélia Dantas.
A conferência de abertura ficará por conta do professor Henri Acselrad, doutor em Planejamento, Economia Pública e Organização do Território pela Université Paris 1 (Panthéon-Sorbonne) e professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro.
Fazem parte da programação palestras dos professores Lincoln Paiva, José Antônio Saja e Emilio Merino, do pedagogo e integrante do Movimento Passe Livre Walter Takemoto, da promotora de Justiça de Habitação e Urbanismo Dr. Hortência Gomes Pinho, da vereadora Aladilce Souza, do presidente da Federação das Associações de Moradores do Estado da Bahia - FAMEB Ramiro Cora, e da deputada estadual Maria Del Carmen.
Segundo o professor André Santos, a ideia de realizar a SEMUR foi inspirada no histórico evento homônimo realizado em Salvador em 1935, que foi “um marco nas discussões e propostas de soluções para os problemas urbanos da capital baiana”.
De acordo com o acadêmico, a cidade, que sofreu intenso aumento populacional entre 1960 e 2000, tem um nível de sustentabilidade muito aquém de outras cidades do Brasil.
“Discutir Salvador na perspectiva sustentável é fundamental para mudar esta tendência que a cidade tem tomado na história. Reverter a precariedade do nosso espaço urbano pode refletir fortemente na qualidade de vida da população”, completou professor André.
O público-alvo da VIII Semana de Urbanismo é formado por estudantes de urbanismo, de arquitetura e de outras áreas que tenham interesse nos estudos da cidade.
Profissionais, representantes de ONGs, movimentos sociais e sociedade civil que atuem nas questões urbanas.
É necessário realizar inscrição prévia, que deverá ser feita por meio do site oficial www.semanadeurbanismo.uneb.br até o dia 3 de novembro, primeiro dia do evento.
A inscrição deverá ser confirmada no credenciamento mediante a doação de 1 kg de alimento não perecível.
Os alimentos arrecadados serão doados a instituições de caridade a serem definidas. O prazo para submissão de trabalhos é 15 de outubro.
Ao final da SEMUR, os participantes receberão certificados que contabilizam 16 horas de atividades, além de 4 horas de oficinas, cujas temáticas ainda estão em fase de definição.
A SEMUR2014 é realizada pelo Centro Acadêmico de Urbanismo (CAURB), pelo Colegiado do Curso de Urbanismo e pela UNEB, com apoio da Agência de Fomento do Estado da Bahia (Desenbahia), do Sindicato dos Engenheiros (SENGE-Bahia) e da Câmara Municipal de Salvador.
Visite o site oficial da SEMUR2014 para conferir a programação completa. http://www.semanadeurbanismo.uneb.br
Fonte - Tribuna da Bahia  28/10/2014

Reforma política e marco regulatório da mídia ganham destaque na pauta de Dilma

Política

O ministro Miguel Rossetto destaca a necessidade de uma reforma política no país - Um dos principais assessores da presidenta durante a campanha, o ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto, acredita que, durante a campanha, o fim do financiamento público para os futuros candidatos é o ponto a ser defendido nos diálogos que planeja, tanto no Congresso, quanto com as organizações sociais.

Correio do Brasil - Por Redação

A presidenta Dilma Rouseff (PT) elegeu a reforma política como uma de suas prioridades, ainda durante a campanha eleitoral, um assunto que encontra respaldo junto ao seu principal aliado, o PMDB, e é palatável para o principal adversário, o PSDB. O tema, porém, pela sua amplitude, tem vários significados para os diferentes extratos políticos, aí incluída a sociedade civil organizada, por exemplo, na Coalizão pela Reforma Política Democrática e Eleições Limpas, organização que reúne 103 entidades não-governamentais de todo o país e reúne assinaturas para apresentar um Projeto de Lei de Iniciativa Popular com uma série de alterações.
O PT, partido no governo para um período de 16 anos, o ponto fundamental será a aprovação do financiamento público de campanhas ou, no mínimo, a proibição de doações empresariais – como defendeu Dilma no último debate do segundo turno.
Um dos principais assessores da presidenta durante a campanha, o ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto, acredita que, durante a campanha, o fim do financiamento público para os futuros candidatos é o ponto a ser defendido nos diálogos que planeja, tanto no Congresso, quanto com as organizações sociais.
– Nós estamos comemorando uma vitória extraordinária, uma vitória histórica. A democracia brasileira segue fortalecida (após) uma eleição disputada, em alguns momentos, dura, mas uma eleição com muita participação e muito politizada – disse.
A amplitude do debate, nos últimos meses, segundo Rossetto, contribui para o amadurecimento do processo democrático.
– Todos os grandes temas da agenda nacional foram repassadas nessas eleições, uma das mais debatidas, politizadas, com debates programáticos. Desde o Banco Central ao combate a qualquer tipo de violência, às políticas públicas, a economia brasileira, à valorização do mundo do trabalho – acrescentou.
Para o ministro, que deverá permanecer em uma posição de destaque no próximo governo, o tratamento institucional a temas como a corrupção será mais efetivo, por ser considerado um ponto chave no processo eleitoral.
– E um dos temas centrais, que sai com muita força desse processo é a necessidade de uma reforma política, que tem como base a mudança do padrão de financiamento. O padrão de financiamento empresarial é insustentável, ele se articula e estimula um processo pouco claro, pouco transparente, para a democracia. Ele estimula um espaço e um ambiente de corrupção, que ninguém aceita mais – afirmou.
Para avançar na formação de um arcabouço legal capaz de sustentar a convocação de uma reforma política, no país, Rossetto destaca a necessidade do diálogo com as forças políticas do país.
– Nós queremos, portanto, a partir dessas eleições, e a presidenta Dilma foi absolutamente clara, em seu primeiro pronunciamento, (que quer) retomar a iniciativa sobre essa reforma política. Nós vamos iniciar um diálogo com as lideranças, com o Congresso, que tem uma responsabilidade fundamental nisso. Ela vai retomar esse diálogo com a sociedade organizada e construir um processo que tenha vigor popular, de dimensão popular e social, que construa uma relação de diálogo para que possamos, definitivamente, fazer essa mudança – frisou.

Marco regulatório
Para o jornalista Ricadro Kotscho, cronista em um dos portais de notícias na internet e ex-colega de Rossetto no ministério do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a presidenta Dilma precisará também, em breve, abordar a questão do cartel da mídia, que teve seu tempo áureo durante a ditadura militar. Segundo Kotscho, “nas últimas quatro eleições presidenciais, a velha mídia familiar brasileira fez o diabo, vendeu a alma e foi ao fundo do poço para derrotar o PT de Lula e Dilma. Perdeu todas”.
“Desta vez, perdeu também a compostura, a vergonha na cara e até o senso do ridículo. Teve até herdeiro de jornalão paulista que deu uma de black bloc e foi sem máscara à passeata pró-Aécio em São Paulo, chamada de “Revolução da Cashmere” pela revista britânica “The Economist”, carregando um cartaz com ofensas à Venezuela. Antigamente, eles eram mais discretos, mas agora perderam a modéstia, assumiram o protagonismo”, afirma o jornalista.
Kotscho ressalta que “alguns já pregam o terceiro turno e pedem abertamente o impeachment da presidente reeleita Dilma Rousseff, que derrotou o candidato deles, o tucano Aécio Neves, por 51,6% a 48,4%. Endoidaram de vez. E não é para menos: ao final do segundo mandato de Dilma, o PT terá completado 16 anos no poder central, um recorde na nossa história republicana”.
“Diante da gravidade dos acontecimentos nas últimas 48 horas que antecederam a votação, a partir da publicação da capa-panfleto da revista Veja, a última ‘bala de prata’ do arsenal de infâmias midiáticas para mudar o rumo das eleições, não dá agora para simplesmente fingir que nada houve, virar a página e tocar a bola pra frente, como se isso fosse algo natural na disputa política. Não é”.
O ex-assessor de imprensa no mandato do presidente Lula acredita que a presidenta Dilma deverá abordar, em seu próximo pronunciamento após a vitória de domingo, a criação de um marco regulatório das comunicações. Sobre o tema, Kotscho cita o cronista Ricardo Melo, em recente artigo publicado na mídia paulistana.
“Além do combate implacável à corrupção e de uma reforma política, a tarefa de democratizar os meios de informação, sem dúvida, está na ordem do dia. Sem intenção de censurar ou calar a liberdade de opinião de quem quer que seja. Mas para dar a todos oportunidades iguais de falar o que se pensa. Resta saber qual caminho Dilma Rousseff vai trilhar”.
Para que as reformas comecem de imediato, Kotscho propõe que a presidenta, “reeleita com a força do voto, não precisa esperar a nova posse no dia 1º de janeiro de 2015″.
“Pode, desde já, demitir e nomear quem ela quiser, propor as reformas que o país reclama, desarmando os profetas do caos e acabando com este clima pesado que se abateu sobre o país nas últimas semanas de campanha. O povo, mais uma vez, provou que não é bobo”, concluiu.
Fonte - Correio do Brasil  28/10/2014

Anunciado consórcio que vai implantar VLT em Goiânia

Transportes sobre trilhos

O consórcio foi o único concorrente da licitação para o metrô de superfície e a concessão dura 35 anos - A obra está estimada em R$ 1,3 bilhão. Destes, R$ 600 milhões serão injetados pelo governo estadual, R$ 200 milhões pelo governo federal e R$ 500 milhões a ser investidos pelas empresas privadas vencedoras da licitação.

O Hoje - Eduardo Pinheiro
foto - ilustração
Com expectativas para iniciar na segunda quinzena de janeiro de 2014, as obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), a ser implantado no Eixo Anhanguera em Goiânia, tem previsão para ficarem prontas em dois anos. As intervenções no principal eixo de mobilidade urbana da capital dependem de licenças da prefeitura de Goiânia. A licitação para implantação e exploração foi vencida pelo consórcio Anhanguera, formado pela Odebrecht Transportes e as quatro empresas privadas que formam a Rede Metropolitana de Transportes Coletivos (RMTC).
O consórcio foi o único concorrente da licitação para o metrô de superfície e já havia bancado os estudos de viabilidade do VTL no Eixo Anhanguera. A concessão dura 35 anos – contando dois relativos às obras e 33, para exploração da via. A obra está estimada em R$ 1,3 bilhão. Destes, R$ 600 milhões serão injetados pelo governo estadual, R$ 200 milhões pelo governo federal e R$ 500 milhões a ser investidos pelas empresas privadas vencedoras da licitação.
As obras terão inicio pelos dois extremos do Eixo Anhanguera – os terminais Padre Pelágio, na região noroeste, e o Novo Mundo (leste da capital). As intervenções, que prevêem instalação de trilhos, reconstrução das plataformas, cabeamentos subterrâneos, nova iluminação e recapeamento, serão feitas quadra a quadra, num regime de cerca de 250 metros por mês. Alternando-se o centro da via e as laterais.
Embora o projeto não prevê a implantação de passagens de níveis para veículos nos cruzamentos, o presidente do grupo executivo que coordena a implantação do VLT, Carlos Maranhão, afirma que o governo estadual busca recursos por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), junto ao governo federal. “A ideia é que a captação de recursos garanta intervenções em cruzamentos com maior volume de trânsito, como da Araguaia e Tocantis”, argumenta.
Ainda segundo Maranhão há a possibilidade de integração entre usuários de carros e terminais por meio de construção de três estacionamentos ao longo da linha do VLT: um no Padre Pelágio, um no Novo Mundo e outro junto ao Terminal da Bíblia (Setor Universitário). Os estacionamentos funcionarão como paradas para que o motorista use o VLT para chegar até o Centro, desafogando o trânsito. O estudo feito pelo consórcio vencedor ainda apontou a necessidade de desapropriar cerca de 90 mil m2 de áreas próximas aos terminais da Praça A e da Praça da Bíblia.

Tarifa
Embora o custo de operação do VLT seja mais caro, o preço da passagem não terá diferença do ônibus comum. Maranhão afirma que, embora o desconto subsidiado pelo governo não será aplicado no metrô de superfície, a passagem será subsidiada pelo governo, garantindo equidade com o sistema de transporte metropolitano.
A composição com dois vagões do VLT tem a capacidade para transportar 600 passageiros, podendo triplicar a atual capacidade de transporte em horário de pico no Eixo Anhanguera. “O sistema do Eixo Anhanguera está no limite. Hoje o Eixo conta com um ônibus a cada minuto, um minuto e meio. Se houver um aumento para 10 mil ou 12 mil passageiros, esse tempo entre um e outro teria que diminuir. Ou seja, o Eixo iria travar. O sistema está no limite, por isso é que estamos implantando um sistema com maior capacidade”, diz Maranhão.
Cerca de 200 mil passageiros são transportados por dia pelo Eixo Anhanguera, atualmente. A composição com dois vagões do VLT, quando implantado, vai triplicar a capacidade total do Eixo, sobretudo em horário de pico.
Fonte - Mobilize  28/10/2014