sábado, 13 de setembro de 2014

Cidade de Mogi das Cruzes ganha trens para turismo

Turismo Ferroviário

Programa de turismo ferroviário inclui a restauração da antiga estação de Sabaúna e a reconstrução do pátio ferroviário 

Diário de Mogi das Cruzes
 Foto: Arquivo
O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DNIT) doou duas automotrizes para a Prefeitura de Mogi das Cruzes. Os veículos, modelo RDC-2, fabricados pela Budd Company em 1958, devem ser utilizados no projeto de turismo ferroviário sonhado pela Associação Nacional de Preservação Ferroviária (ANPF), para ser desenvolvido em Sabaúna. Apesar da primeira conquista, há uma série de etapas que precisam ser vencidas para que os vagões possam carregar os primeiros passageiros.
Conforme ressalta o responsável pela Coordenadoria de Turismo de Mogi das Cruzes, Fábio Barbosa, as automotrizes estão no município de Santos Dummont, em Minas Gerais, e o primeiro desafio é trazê-las para a Cidade.
“Estamos pedindo patrocínio da MRS para o transporte das máquinas até Mogi. Para isso, a Prefeitura precisa recuperar o sistema de frenagem mecânica para que as automotrizes possam ser colocadas nos trilhos”, pontua. (Danilo Sans)
Fonte - STEFZS  13/09/2014

Arruda,desiste de candidatura ao governo do Distrito Federal

Eleições

José Roberto Arruda desiste de candidatura ao governo do Distrito Federal - Em seu lugar, assume o vice, Jofran Frejat (PR). A candidata a vice será a mulher de Arruda, Flávia Peres.

André Richter 
Repórter da Agência Brasil
Marcelo Camargo/Agência Brasil
O candidato ao governo do Distrito Federal José Roberto Arruda (PR) desistiu hoje (13) de disputar as eleições, após ter a candidatura barrada pela Justiça Eleitoral, com base na Lei da Ficha Limpa. Em seu lugar, assume o vice, Jofran Frejat (PR). A candidata a vice será a mulher de Arruda, Flávia Peres. A desistência foi anunciada em um comício para militantes e contou com a presença do ex-governador Joaquim Roriz e do ex-senador Luiz Estevão, entre outros apoiadores que também disputarão o pleito de outubro.
Arruda confirmou a desistência ao governo do Distrito Federal depois que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) confirmou, na quinta-feira (11), decisão que rejeitara sua candidatura. A substituição também foi motivada pelo fim do prazo permitido pela Justiça Eleitoral para troca de candidatos, na próxima segunda-feira (15), 20 dias antes do primeiro turno.
O candidato antecipou-se ao julgamento de uma liminar, por meio da qual o Ministério Público Eleitoral (MPE) pedia que o presidente do TSE, Dias Toffoli, determinasse a suspensão dos atos de campanha.
José Roberto Arruda foi enquadrado pela Lei da Ficha Limpa por ter sido condenado, em julho, por improbidade administrativa pela Justiça do Distrito Federal. O processo é referente ao suposto esquema conhecido como mensalão do DEM.
Fonte - Agência Brasil  13/09/2014

PIB brasileiro surpreende com crescimento vigoroso, segundo analistas

Economia

O PIB esperado era menor do que constatou o IBGE - O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) dessazonalizado (ajustado para o período) teve crescimento de 1,5%, em julho. 

Correio do Brasil
Por Redação 

A atividade econômica apresentou crescimento em julho, depois de dois meses seguidos de retração. O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) dessazonalizado (ajustado para o período) teve crescimento de 1,5%, em julho. Em junho, a queda ficou em 1,51% e, em maio, em 0,46%, de acordo com os dados revisados divulgados em relatório do BC, nesta sexta-feira. Esse foi o maior crescimento mensal desde junho de 2008 (3,32%).
Em relação a julho de 2013, houve expansão de 5,28%, de acordo os dados sem ajustes para o período. De janeiro a julho, a atividade econômica ficou praticamente estável, com crescimento de 0,07%. Em 12 meses encerrados em julho, a expansão ficou em 1,14% (dado ajustado para o período). O IBC-Br é uma forma de avaliar a evolução da atividade econômica brasileira. O índice incorpora informações sobre o nível de atividade dos três setores da economia: indústria, comércio e serviços e agropecuária.
Em junho, o indicador havia mostrado contração de 1,51% sobre maio em dados dessazonalizados revisados pelo BC. Anteriormente, havia sido divulgado queda de 1,48% em junho. O resultado de agora foi bem melhor que o esperado em pesquisa da agência inglesa de notícias Reuters, cuja mediana de 21 projeções apontava alta de 0,80% em julho.
“Vemos o número mais alto do que o esperado principalmente como recuperação técnica de um segundo trimestre profundamente negativo. Portanto, não é indicativo de clara tendência de recuperação econômica”, destacou em nota o diretor de pesquisa econômica do Goldman Sachs para América Latina, Alberto Ramos.
Na comparação com julho de 2013, o IBC-Br recuou 0,31% e acumula alta de 1,14% em 12 meses, ainda segundo dados dessazonalizados. A economia brasileira entrou em recessão no primeiro semestre, afetada sobretudo pela indústria e pelos investimentos em queda. No segundo trimestre, o Produto Interno Bruto (PIB) havia recuado 0,6% sobre o período imediatamente anterior.
O cenário de atividade fraca vem junto com o de inflação ainda elevada, num momento em que a presidente Dilma Rousseff (PT) tenta a reeleição. Em julho, a produção industrial havia avançado 0,7% frente a junho após cinco meses de queda, ainda que os dados tenham sido encarados com cautela por agentes econômicos, que ainda não estavam convencidos na tendência de recuperação.
No mesmo período, no entanto, as vendas no varejo recuaram 1,1%, muito pior do que o esperado, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Para o estrategista-chefe do Banco Mizuho, Luciano Rostagno, o IBC-Br de agosto deve apontar para estagnação da economia, e portanto a alta de julho “não representa uma retomada de expansão sustentável”.
“Por enquanto, os dados apontam economia próxima da estagnação no terceiro trimestre, o que não seria bom em virtude das contrações nos primeiros trimestres. O que se espera é que volte a crescer”, disse ele, que estima alta do PIB de 0,2% neste ano.
Economistas de instituições financeiras consultados na pesquisa Focus do BC veem que o crescimento do PIB em 2014 ficará abaixo de 0,5%, bem aquém da expansão de 2,5% vista em 2013.
O IBC-Br incorpora estimativas para a produção nos três setores básicos da economia: serviços, indústria e agropecuária, assim como os impostos sobre os produtos.
Fonte - Correio do Brasil  12/09/2014

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Haddad garante que moradores de favela incendiada terão suas casas no mesmo local

Política

Prefeito de São Paulo prometeu construir 500 apartamentos, em dois anos, para reassentar famílias da comunidade do Piolho. Nesse tempo, eles poderão optar por auxílio-aluguel ou permanência no terreno - Haddad repetiu várias vezes que não vai retirar os moradores do local e garantiu diálogo permanente

Rodrigo Gomes da RBA
RENATO MENDES/BRAZIL PHOTO PRESS/FOLHAPRESS
São Paulo – O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), assumiu na manhã de hoje (12) o compromisso de que as famílias da favela do Piolho, no Campo Belo, zona sul da cidade, vão permanecer no local e de que serão ali construídos 500 apartamentos para acomodá-las. Ele determinou que o secretário municipal da Habitação, José Floriano Marques, instale hoje mesmo um escritório com funcionários da pasta e da Assistência Social para atender aos moradores. Um incêndio no domingo (7) deixou ao menos 640 famílias desabrigadas – algumas só com a roupa do corpo.
O prefeito afirmou que a construção das moradias vai levar cerda de dois anos. O dinheiro, segundo Haddad, está garantido e virá da Operação Urbana Água Espraiada que, embora não pretendesse desapropriar a área da favela do Piolho inicialmente, já tinha seus moradores contados nas ações de realocação. A área a ser desapropriada tem cerca de 7 mil metros quadrados e começou a ser ocupada nos anos 1970. A prefeitura já tem reservados R$ 300 milhões para realizar a medida.
“A lei (da Operação Urbana) garante o direito de vocês permanecerem aqui. Vamos desapropriar o terreno e construir as moradias aqui mesmo. Sem expulsar ninguém como se fez no passado”, afirmou Haddad.
Questionado se isso não infringiria a ordem do cadastro municipal para moradias, Haddad explicou que as ações habitacionais da Operação Urbana não se relacionam com o cadastro municipal, pois estão regidas por legislação própria.
O valor da obra ainda não está definido. Floriano espera que em 90 dias o projeto e as licenças para início dos trabalhos sejam concluídos. O secretário lembrou que embora as famílias prioritárias sejam as afetadas pelo incêndio, toda a comunidade do Piolho vai receber moradias próprias no andamento da Operação Urbana.
Haddad conversou por cerca de uma hora com os moradores e definiu com eles o atendimento que será prestado pela prefeitura. O escritório receberá os moradores para fazer o cadastramento e eles poderão optar por permanecer na área ou sair dela e receber auxílio-aluguel no valor de R$ 400, “até que as chaves sejam entregues”, frisou o prefeito. O primeiro depósito do auxílio, com adiantamento de três meses (R$ 1.200) deve ser liberado em dez dias.
MAURICIO CAMARGO/ELEVEN/FOLHAPRESS
Incêndio destruiu ao menos 600 barracos. O fogo se alastrou rápido e as famílias não conseguiram retirar seus pertencesQuem optar pela permanência vai ser acompanhado por engenheiros da Secretaria Municipal de Habitação (Sehab), que vão dividir o terreno em quatro partes e determinar onde as pessoas podem reocupar, sem afetar o andamento da obra ou implicar riscos à segurança. Nessa caso, as famílias vão construir as moradias por conta própria. A construção dos apartamentos será feita em outra parte do terreno e, quando concluída, vai receber os moradores ocupantes, para que o empreendimento possa ser realizado na parte restante.
Haddad se comprometeu a manter diálogo permanente com a população e disse que ela poderá monitorar o processo passo a passo. “Vamos voltar aqui quantas vezes forem necessárias. Faço questão que vocês acompanhem.”
Estão em processo de desapropriação outros 200 terrenos na região abrangida pela Operação Urbana. O objetivo é construir oito mil moradias para abrigar as famílias removidas das favelas do complexo Alba e outras ao longo da avenida Jornalista Roberto Marinho. Mas caso não seja possível a permanência de todos os moradores que desejem ficar no terreno da favela do Piolho, a administração municipal vai avaliar a possibilidade de encaminhá-las a uma dessas áreas.
Já no caso do auxílio-aluguel, as famílias poderão fazer contratos informais com familiares ou amigos, pois o prefeito admitiu que o valor é baixo para alugar uma casa na região. No Campo Belo, o preço do metro quadrado construído chega a R$ 11 mil e o aluguel de um cômodo não sai por menos que R$ 500. “Vamos discutir esse valor no Conselho Gestor da Operação Urbana Água Espraiada, pois existe uma proposta de o valor ser aumentado para R$ 600”, ponderou Haddad.
O auxílio-aluguel divide opiniões, pois muitas pessoas temem a irregularidade do pagamento, problema bastante comum. No entanto, algumas famílias estão dispostas a receber, como a de Fábio Teixeira, que vive com a esposa Fabiana e as filhas Giovana e Gabriela. “Só não queremos ir parar no fim do mundo. Nossa vida está organizada aqui. Eu já vim do Eldorado (bairro no extremo sul da cidade) para cá porque não tinha condições de ir de lá para a Avenida Paulista trabalhar”, explicou.
Mesmo assim, os moradores se sentiram contemplados pela proposta. “Eu moro aqui desde que nasci e não quero deixar este lugar. A gente já ouviu muita coisa e nada se cumpriu. Temos fé que vai acontecer e esperamos que o prefeito não nos decepcione”, disse Natália Santos, de 19 anos, grávida do primeiro filho.
O prefeito também se comprometeu a solicitar ao governador Geraldo Alckmin (PSDB) que um posto de atendimento móvel do Poupatempo fique disponível no local para que as famílias façam as segundas vias dos documentos perdidos no incêndio.
Na saída, Haddad foi convidado a conhecer uma das cozinhas comunitárias construídas pelos moradores para concentrar as doações de alimentos e garantir que todos façam as refeições. Tomou café e comeu pão com margarina, acompanhado do secretário Floriano e do senador Eduardo Suplicy (PT-SP), que também foi ver a situação da comunidade.
Desde o incêndio, os moradores estão vivendo em barracas improvisadas nas calçadas do entorno. Eles vêm acumulando doações de roupas, mantimentos e materiais – madeira, lonas, pregos – para reconstruir as moradias. Muitos não têm conseguido ir trabalhar e as crianças não estão indo para a escola.
Fonte - RBA (Rede Brasil Atual)  12/09/2014

Prefeitura provoca atraso no início da operação comercial do Metrô de Salvador

Salvador

A falta de entendimento da prefeitura de Salvador com relação a integração intermodal ,metrô/ônibus, provoca atraso e adiamento do inicio da operação comercial do sistema metroviário de Salvador que estava previsto para a próxima segunda dia 15.

Da Redação
Com informações de Edinillson Pereira 
foto - pregopontocom
A prefeitura de Salvador compromete e atrasa o inicio da operação comercial do Sistema Metroviário da cidade ao criar entraves "burocráticos" e consequentes dificuldades para a formatação da integração física e tarifária entre os dois modais,os ônibus e Metrô.Ainda,até o momento apesar de todo a documentação referente as estações do sistema já terem sido entregues com bastante antecedência pela CCR ao órgão competente da administração municipal,o mesmo até então, não forneceu o habite-se das estações.Estranho essa atitude da prefeitura que prejudica e atinge em cheio a população da cidade retardando o inicio da solução que ira beneficiar a todos com uma substancial melhoria na qualidade do transporte público e amenizar os graves problemas atualmente existentes na mobilidade que tantos transtornos tem causado a vida de todos em nossa cidade.Imagina-se que possa tratar-se de uma atitude com características da conhecida prática da "velha política",recheada de interesses "estranhos", em mais uma manobra na tentativa de retardar,sempre que possível,a operação definitiva do novo modal.E a quem interessa essa atitude obscura???????...A população certamente que não é,pois ela é e será sempre a mais prejudicada com tudo isso.
foto - pregopontocom
Os argumentos da prefeitura que está "preocupada" com a população,que o preço da tarifa vai aumentar,(projeta-se uma tarifa de R$3,10 apenas para o metrô e uma tarifa única de R$3,90 para metrô+duas integrações com ônibus),e que  não houve planejamento,não combinam com a realidade dos fatos,essas negociações já se arrastam a bastante tempo desde quando o sistema do Metrô e Trens do subúrbio passaram para a administração do Governo do Estado,o que houve na verdade foi sempre a falta de disposição da administração municipal para tratar do assunto de maneira clara e transparente,e colocar como prioridade o interesse público acima de quaisquer outros interesses políticos e empresariais.
A impressão aparente é que o "município" tenta sempre de alguma maneira colocar um cinturão protetor em volta do atual sistema de transportes existente,provavelmente concedendo-lhes privilégios (vide licitação), e criando resistências ao funcionamento do novo modal em prejuízo do interesse público,sempre com desculpas evasivas e retóricas vazias.
O interesse político e econômico não podem estar acima do interesse público da cidade e da sua população,tornando-as dessa forma reféns e vítimas de atitudes aparentemente mesquinhas,ou politiqueiras,sobre pena do custo de mais um incalculável prejuízo para população e para a cidade como um todo.
Usar uma questão tão importante e vital para a cidade como um provável joguinho político que possa resultar em algum tipo de bônus seja ele qual for,demonstra a imaturidade administrativa e a falta de compromisso da atual administração municipal para com as reais e urgentes necessidades relativas a mobilidade que demandam em nossa cidade.
Em quanto isso o Governo do Estado como medida emergencial, prorroga e garante o funcionamento do Metrô em operação assistida com tarifa livre,até que haja uma compreensão favorável em torno da solução definitiva para os entraves originados por parte da administração pública municipal de Salvador.
Pregopontocom

Ibope: Dilma tem 39% das intenções de voto, Marina, 31% e Aécio, 15%

Eleições

A pesquisa Ibope foi feita entre os dias 5 e 8 de setembro e ouviu mais de 2 mil pessoas em 142 municípios. A margem de erro é 2 pontos percentuais.

Carolina Gonçalves
Repórter da Agência Brasil 

Pesquisa de intenção de votos contratada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) ao Ibope mostra Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição, com 39% das intenções de voto, seguida por Marina Silva (PSB), 31% e Aécio Neves (PSDB), 15%.
O candidato do PSC, Pastor Everaldo, tem 1% das intenções de voto. Os outros candidatos somados têm 1%. Brancos e nulos somam 8%.
Em um eventual segundo turno entre Dilma e Marina, Dilma teria 42% e Marina, 43%. Caso a disputa fosse com o tucano Aécio Neves, a candidata à reeleição teria 48% dos votos contra 33%. Caso o segundo turno seja entre Marina e Aécio, a ex-senadora teria 51% dos votos e Aécio, 27%.
A pesquisa Ibope foi feita entre os dias 5 e 8 de setembro e ouviu mais de 2 mil pessoas em 142 municípios. A margem de erro é 2 pontos percentuais.
Na análise sobre potencial de votos, 15% das pessoas ouvidas declararam que votam com certeza em Aécio Neves e 35% não votariam nele. Dilma teria o voto de 32% dos entrevistados, enquanto 42% não votariam em sua reeleição de jeito nenhum. Em relação a Marina, 26% dizem que votam na candidata e 26% não a escolheriam nas urnas.
O cruzamento de dados entre a intenção de voto e a avaliação do atual governo mostra que Dilma lidera entre os que consideram seu governo ótimo ou bom. Esse grupo responde por 30,5 pontos percentuais das intenções de voto em seu nome. Marina Silva lidera entre os que consideram o governo Dilma regular, ruim ou péssimo.
A avaliação do governo Dilma Rousseff subiu 7 pontos percentuais, passando de 31% em junho para 38% em setembro, segundo a pesquisa. A aprovação do modo de governar está equilibrada: 48% dos entrevistados aprovam, enquanto 46% desaprovam a maneira de condução do atual governo.
O levantamento também apontou melhora na confiança da população no governo, que passou dos 41% para 45%. Mesmo com essa melhora, 50% não confiam na candidata à reeleição.
O combate à fome e à pobreza é o principal destaque dado pelos entrevistados ao governo Dilma, seguido pelo combate ao desemprego e medidas relacionadas ao meio ambiente e educação. No final da lista de áreas aprovadas pela população está a taxa de juros, saúde e impostos, que tem aprovação pouco maior que 20%.
Na comparação com o governo Lula, 44% dos entrevistados avaliam a administração como igual e 40% consideram o governo de Dilma pior. Apenas 13% acreditam que houve melhorias.
Em uma análise sobre as notícias recentes mais lembradas pelos entrevistados, as referentes à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras se destacam em primeiro lugar, seguida pelo tema corrupção. Eleições aparece na terceira posição, com 7% dos entrevistados.
Apenas 20% das pessoas ouvidas declararam muito interesse no processo eleitoral. Esse interesse era 16% em junho. “Estamos a quase um mês das eleições, mas chama a atenção que quase um quarto [dos entrevistados] diz não ter interesse algum nas eleições”, disse Renato da Fonseca, gerente executivo de pesquisa e competitividade da CNI. Pelos dados, 25% dos entrevistados disseram ter pouco interesse e 23% nenhum interesse no assunto.
Fonte - Agência Brasil  12/09/2014

Petrobras lança edital de concurso com mais de 8 mil vagas

Concurso

As vagas são para contratação imediata e cadastro de reserva - São ofertadas 8.088 vagas, divididas em 663 para contratação imediata e mais 7.425 para formação de cadastro de reserva.

A Tarde
Da Redação
Raul Spinassé | Ag. A TARDE 
O edital de abertura do concurso da Petrobras foi divulgado na manhã desta sexta-feira, 12, no Oficial da União. São ofertadas 8.088 vagas, divididas em 663 para contratação imediata e mais 7.425 para formação de cadastro de reserva.
Os salários variam entre R$ 3.400.47, para os cargos de nível médio, e R$ 8.081,98, para os de nível superior. As inscrições, que devem ser realizadas no site http://www.cesgranrio.org.br, podem ser feitas de 25 de setembro a 20 de outubro. As taxas de inscrições oscilam de R$ 40 (nível médio) e R$ 58 (terceiro grau completo).
Para solicitar a inseção da taxa, os candidatos deve fazer o pedidos de 25 deste mês até 2 de outubro.
As oportunidades para este concurso são para técnicos em administração, enfermagem, segurança do trabalho, manutenção, operação, perfuração e exploração de petróleo. Há vagas também, para os candidatos de nível superior, em engenharia, medicina do trabalho, administração, enfermagem e contabilidade.
As provas estão previstas para serem aplicadas no dia 7 de dezembro. As avaliações serão realizadas em mais de 25 cidades, incluindo Salvador. A organizadora da seleção é a Fundação Cesgranrio.
Fonte - A Tarde  12/09/2014

BNDES aprova crédito de R$ 982 mi para compra de novos trens em São Paulo

Transportes sobre Trilhos 

A diretoria do BNDES aprovou o financiamento de R$ 982 milhões para o Estado de São Paulo - Os investimentos totais, os quais são de R$ 1,1 bilhão deverão contribuir com a melhoria da infraestrutura no que diz respeito ao transporte metroferroviário das linhas operadas pela CPTM....
 
Nicole Ongaratto - Agência IN

A diretoria do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou o financiamento de R$ 982 milhões para o Estado de São Paulo. O valor dos recursos será destinado à compra de 35 trens para a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), bem como inclui a compra de materiais e serviços necessários à fabricação dos veículos.
Os investimentos totais, os quais são de R$ 1,1 bilhão deverão contribuir com a melhoria da infraestrutura no que diz respeito ao transporte metroferroviário das linhas operadas pela CPTM, o que irá atender à crescente demanda no transporte de passageiros. O apoio do banco ao projeto trará impactos sobre a mobilidade urbana na região metropolitana de São Paulo. Isto, possivelmente, contribuirá para que a população da cidade tenha mais conforto, segurança e rapidez na hora de se locomover.
Com oito carros em cada um em substituição aos seis carros, os novos trens ampliarão o uso do sistema de transporte com tração elétrica, o que reduziria, desta forma, a quantidade de automóveis e ônibus em circulação. Em conseqüência disto, a emissão de gases do efeito estufa, a poluição sonora, bem como os acidentes de trânsito também diminuiriam. O aumento da capacidade de atendimento aos passageiros também vai ocorrer por meio da redução do intervalo entre os trens, com a modernização das linhas da empresa.
A CPTM está comprando 65 novos trens em dois lotes, de 30 e 35. No entanto, o financiamento do BNDES contempla apenas o segundo lote, o qual teve como vencedora da licitação a CAF Brasil Indústria e Comércio – CAF Brasil.. Fabricados na unidade de Hortolândia (SP), os trens vão operar em vias com bitola larga, e contarão com a capacidade de transportar 2,6 mil passageiros. Além disto, vão dispor de modernos sistemas de frenagem, detecção de descarrilamento, ventilação, iluminação em led, comunicação e segurança, com vídeo e vigilância e detector de incêndio.
O financiamento vai ser concedido por meio da linha de Mobilidade Urbana do banco, responsável por apoiar projetos de interesse público voltados à mobilidade urbana. Estas iniciativas abrangem todos os investimentos necessários à qualificação do espaço urbano no entorno do empreendimento.
Fonte - STEFZS   12/09/2014

Atividade econômica cresce 1,5% em julho, maior aumento mensal desde 2008

Economia

O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) dessazonalizado (ajustado para o período) teve crescimento de 1,5%, em julho. 

Kelly Oliveira 
Repórter da Agência Brasil
Marcello Casal / Agência Brasil
A atividade econômica apresentou crescimento em julho, depois de dois meses seguidos de retração. O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) dessazonalizado (ajustado para o período) teve crescimento de 1,5%, em julho. Em junho, a queda ficou em 1,51% e, em maio, em 0,46%, de acordo com os dados revisados divulgados hoje (12) pelo BC. Esse foi o maior crescimento mensal desde junho de 2008 (3,32%).
Em relação a julho de 2013, houve expansão de 5,28%, de acordo os dados sem ajustes para o período.
De janeiro a julho, a atividade econômica ficou praticamente estável, com crescimento de 0,07%. Em 12 meses encerrados em julho, a expansão ficou em 1,14% (dado ajustado para o período).
O IBC-Br é uma forma de avaliar a evolução da atividade econômica brasileira. O índice incorpora informações sobre o nível de atividade dos três setores da economia: indústria, comércio e serviços e agropecuária.
Fonte - Agência Brasil 12/09/2014

Novo sistema de sinalização CBTC deve funcionar na Linha 2-Verde até o fim do ano

Transportes sobre trilhos

A nova tecnologia foi comprada em 2008, e tinha previsão para iniciar a operação nos 3 ramais em 2010

Por Renato Lobo - Via Trolebus

A Companhia do Metrô tem novo prazo para implantar o novo sistema de sinalização, o CBTC, na Linha 2-verde (Vila Madalena-Vila Prudente): De acordo com o presidente da empresa, Luiz Antonio Carvalho Pacheco, em entrevista ao jornal “Folha de São Paulo” o CBTC estará operando em toda extensão do ramal e em todo o período no fim deste ano. Já nas linhas 1-Azul e 3-Vermelha a nova previsão é que o sistema comece a ser implantado e 2015 e inicie a operação em 2016.
O novo sistema vai possibilitar a redução de intervalo de 120 para 100 segundos, colocando mais trens da linha, uma vez que a distância entre as composições poderá ser reduzida dos atuais 150 metros para cerca de 20 metros.
A nova tecnologia foi comprada em 2008, e tinha previsão para iniciar a operação nos 3 ramais em 2010. O CBTC já opera nos trechos entre Sacomã e Vila Prudente, e em todo a extensão da linha 2-Verde aos finais de semana. O fornecedor do CBTC é a Alstom, empresa que já forneceu o produto para os metrôs de Toronto, Milão, Amsterdã, paris e Cingapura.
O Metrô afirmou que pelo atraso, multou a empresa e suspendeu pagamentos. Já a multinacional afirma que não vendeu o que o Metrô cobra e que novas exigências foram feitas. Porém, nas palavras do presidente do Metrô foram “acertadas com eles (Alstom) o cronograma…e pelo andar da carruagem, a gente coloca a linha 2 em CBTC até o final do ano”.
Renato Lobo: Paulistano, Técnico em Transportes, Social Mídia, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.
Fonte - STEFZS  12/09/2014

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Brasil cria 101.425 empregos formais em agosto

Economia

Conforme o ministério, o resultado de agosto é o melhor dos últimos três meses. O saldo de empregos gerados durante o ano está em 751.456 (expansão de 1,85%). Nos últimos 12 meses, foram criados 698.475 postos de trabalho (incremento de 1,72%). Entre janeiro de 2011 e agosto de 2014, foram gerados 5.631.534 empregos.

Pedro Peduzzi 
Repórter da Agência Brasil 
Ministro do Trabalho e Emprego, Manoel Dias, divulga dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged)Marcelo Camargo/Agência Brasil
Em agosto, foram gerados 101.425 postos formais de trabalho no Brasil, resultado de um total de 1.748.818 admissões ante às 1.647.393 demissões registradas no mês. Isso representa um crescimento de 0,25%, na comparação com o mês anterior (julho). No mesmo mês (agosto) de 2013, foram criados 162.160 empregos com carteira assinada.
Os dados constam do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado hoje (11) pelo Ministério do Trabalho.
Conforme o ministério, o resultado de agosto é o melhor dos últimos três meses. O saldo de empregos gerados durante o ano está em 751.456 (expansão de 1,85%). Nos últimos 12 meses, foram criados 698.475 postos de trabalho (incremento de 1,72%). Entre janeiro de 2011 e agosto de 2014, foram gerados 5.631.534 empregos.
Segundo o ministro do Trabalho, Manoel Dias, o resultado positivo era esperado pelo governo federal, que mantém a projeção de 1 milhão de empregos a serem gerados em 2014. “Tudo que dissemos está acontecendo”, disse. “Já tínhamos indicadores de que iríamos melhorar a partir deste mês. É o que os dados estão confirmando hoje, ao contrário do que tem sido especulado, principalmente pela imprensa”, ressaltou.
Ele destacou que o país tem conseguido manter um modelo que sustenta o emprego com ganhos reais de salário, ao mesmo tempo em que mantém a economia irrigada. Argumentou que, se há uma diminuição no ritmo de contratação na comparação com anos anteriores, é porque o país vive uma situação de pleno emprego. Antes, lembrou o ministro, havia mais espaço para crescimento. "Agora, com o pleno emprego, o resultado, apesar de menor, é positivo".
“Não se gera 101 mil empregos por acaso. Não se trata de pesquisa de cunho pessoal, como outras que têm sido apresentadas, que têm por base opiniões [subjetivas] e projeções feitas por pessoas. O que estamos apresentando aqui são dados reais sobre o números de empregos gerados. Dados fornecidos pelas próprias empresas”, argumentou o ministro.
Dos oito setores da atividade econômica pesquisados, seis apresentaram bom desempenho em agosto, segundo o ministério. O destaque ficou com os setores de serviços, que geraram 71.292 novos postos de trabalho; de comércio (40.619); e de construção civil (2.239). A indústria da transformação registrou declínio de 4.111 postos. No entanto esse número representa, conforme o ministro, “desaceleração no ritmo de queda”, se comparado ao resultado apresentado nos meses anteriores (diminuição de 27.472 e de 15.392 postos em junho e julho, respectivamente).
Todos os ramos do setor de serviços apresentaram crescimento, conforme os dados. O destaque ficou com os de ensino (mais 22.409 postos criados); alojamento e alimentação (18.711); comércio e administração de imóveis (14.916); serviços médicos e odontológicos (11.023); transportes e comunicações (3.092); e instituições financeiras (saldo de 1.141 novas vagas).
Segundo o ministro Manoel Dias, a perda de 9.623 postos de trabalho no setor agrícola se deve a motivos sazonais. “Certamente este será um setor que apresentará melhores números em setembro e outubro”, comentou. Acrescentou que todos os acordos coletivos tiveram aumento real de 10% acima da inflação.
Fonte - Agência Brasil  11/09/2014

Cresce rejeição a Marina, que já pensa em trocar equipe de marketing

Eleições

Marina deveria se dedicar no programa a comunicar seu número - As mudanças, segundo nota publicada na edição desta quinta-feira do diário conservador paulistano Folha de S. Paulo, passariam a valer para o segundo turno das eleições, caso a candidata chegue até lá.

Correio do Brasil - Da Redação 

Diante dos últimos resultados da última pesquisa Datafolha, que revela uma escalada nos índices de rejeição da candidata MarinaSilva (PSB/Rede Sustentabilidade), o PSB já estuda mudanças na equipe de marketing. As mudanças, segundo nota publicada na edição desta quinta-feira do diário conservador paulistano Folha de S. Paulo, passariam a valer para o segundo turno das eleições, caso a candidata chegue até lá.
“Dirigentes da legenda consideram que o grupo precisa ser ‘turbinado’ e que a campanha na televisão também precisa melhorar. Uma das constatações é a de que Dilma Rousseff, por ser governo, tem material de sobra para rechear o tempo de TV do segundo turno (cada uma terá direito a dez minutos) com obras de sua gestão. Já a equipe de Marina precisaria quebrar a cabeça, já que discursar por tanto tempo seguido sobre propostas para o futuro seria ‘suicídio’ para qualquer político, por mais carismático que seja”, diz a nota.
O fato é que a pesquisa do Datafolha localizou o início da tendência de queda de Marina e de crescimento de seus adversários nas intenções de voto para o primeiro turno, apenas o próximo levantamento com um terceiro ponto na evolução poderá confirmar a nova diretriz. Há, no entanto, elementos que podem confirmar a desconstrução da imagem pública de Marina. A continuidade do crescimento de sua taxa de rejeição – que oscilou de 15% para 18% desde o fim de agosto – é um deles. Trata-se do índice mais alto de reprovação da ex-senadora até agora, semelhante ao que exibia no final do primeiro turno de 2010, quando não sofreu questionamentos comparáveis aos atuais.
Outro ponto que nesta etapa da disputa serve mais para ilustrar o potencial das candidaturas do que propriamente embasar prognósticos é o de segundo turno. “Apesar de também apresentar variações dentro da margem de erro em relação à semana passada, a vantagem de Marina para Dilma caiu de 10 para 4 pontos em 12 dias”, diz a análise da pesquisa, assinada por Mauro Paulino, diretor-geral do Datafolha e Alessandro Janoni, diretor de pesquisas do instituto.
“O tom dos ataques a Marina parece atingir, nesse primeiro round, segmentos do eleitorado com renda superior a 5 salários mínimos. Também é curiosa a retomada de apoio a Dilma na região Norte, origem de Marina, e, por outro lado, o melhor desempenho da ambientalista no Centro-Oeste”, continua a análise.
Com os resultados do estudo do Datafolha que combina variáveis para medir o grau de afinidade do eleitor com os candidatos, é possível chegar ao piso e teto de cada um neste momento. Os intervalos projetam a volatilidade das candidaturas para um espaço curto de tempo. Dilma tem hoje piso de 32% de intenções de voto e teto de 39%. Em relação a Marina, esses índices correspondem a 28% e 37% e para Aécio, eles são de 12% e 19%.
“Mudanças significativas nas curvas de total das intenções de voto daqui para frente dependem, porém, do quanto a campanha de desconstrução da ex-ministra alcançará setores de peso relevante na composição do eleitorado, como moradores do Sudeste e os de menor renda e escolaridade média. Se nos próximos dias seus adversários não conseguirem o feito, melhor do que se preocupar em responder aos ataques, Marina deveria se dedicar no programa a comunicar seu número. Apenas 25% dos que pretendem elegê-la sabem dizer os algarismos que devem digitar na urna”, conclui.
Fonte - Correio do Brasil  11/09/2014

Ceped está sendo revitalizado

Bahia

No local, serão instalados laboratórios de análises químicas, engenharia e biotecnologia, além da ampliação da Incubadora de Empresas de Base tecnológica (Incubatec), que auxilia os empreendedores na elaboração de propostas ou negociação para obtenção de recursos.

TB

O Centro de Pesquisas e Desenvolvimento (Ceped), vinculado à Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), vive um novo momento com a reforma de seis galpões.
No local, serão instalados laboratórios de análises químicas, engenharia e biotecnologia, além da ampliação da Incubadora de Empresas de Base tecnológica (Incubatec), que auxilia os empreendedores na elaboração de propostas ou negociação para obtenção de recursos.
A revitalização do primeiro Centro de Pesquisas e Desenvolvimento da Bahia, muito esperada pela comunidade cientifica, dará mais qualidade e pioneirismo na execução de suas atividades, afirma a secretária Andrea Mendonça.
Por meio desta ação, segundo Mendonça, a Secti busca expandir a pesquisa, desenvolvimento e inovação de produtos e processos, baseados nas vocações científicas e potencial das riquezas da biodiversidade do estado.
A secretária ainda destaca a importância também da instalação no Ceped do Laboratório de Biotecnologia, como extensão do Parque Tecnológico da Bahia.

Terapia celular
De acordo com a assessora em Biotecnologia da Secti, Ilka Biondi, “o Parque Tecnológico possui três linhas de atuação - uma delas é a biotecnologia. Por isso, iremos implantar no Ceped toda linha de biotecnologia e o desenvolvimento de processos e produtos biotecnológicos. Serão quatro laboratórios em pesquisa e desenvolvimento. No futuro teremos a expansão com pesquisa em terapia celular, biotérios e fabricação de soroterapia regionalizada”.
O laboratório, em especial, tem o objetivo comum de fortalecer principalmente a rede de pesquisa das áreas de biotecnologia e saúde, sendo equipados com a mais completa infraestrutura de Pesquisa Aplicada da Bahia nas áreas de biotecnologia, construídos a partir do marco legal das Boas Práticas de Laboratórios (BPL).
O investimento tem o propósito de aumentar a eficiência da base produtiva e inovação da saúde humana por meio da Política de Desenvolvimento da Biotecnologia (PDB). Agora, o Ceped agrega os Laboratórios Compartilhados, Fiocruz, o novo campus da niversiade Federal da Bahia (Ufba), além da Incubadora de Empresas.
Fonte - Tribuna da Bahia  11/09/2014

Wagner torna Hospital Espanhol bem de utilidade pública

Saúde

A medida também vale para o Centro Médico Manuel Antas Fraga, na Barra, que também pertence a Real Sociedade Espanhola de Beneficência. De acordo com entrevista de Wagner na rádio Metrópole, a intenção é evitar que a especulação imobiliária. A direção do hospital anunciou fechamento na terça. 

A Tarde
Da Redação
Joá Souza| Ag. A TARDE
O Hospital Espanhol foi transformado em bem de utilidade pública, de acordo com decreto 15.425 assinado pelo governador Jaques Wagner e publicado nesta quinta-feira, 11, no Diário Oficial do Estado. A medida também vale para o Centro Médico Manuel Antas Fraga, na Barra, que também pertence a Real Sociedade Espanhola de Beneficência. De acordo com entrevista de Wagner na rádio Metrópole, a intenção é evitar que a especulação imobiliária.
"Eu coloquei em utilidade público para preservar o imóvel. Ou alguém da área privada assume, ou alguém demonstra interesse em assumir, mas não é nossa intenção transformá-lo em hospital público, já que eu construi cinco hospitais. O fato é que a gente emprestou o dinheiro e ele não conseguiu se levantar, mas não vamos perder o Hospital Espanhol", explicou o governador.
Wagner lembrou do empréstimo de R$ 50 milhões fornecido pela Desenbahia e de R$ 88 milhões junto a Caixa Econômica Federal (CEF). "Para minha tristeza, apesar dessa contribuição, não deu certo. Ele é filantrópico, por obrigação tem que atender 60% de pacientes do SUS", disse o petista.
Com o decreto, o governo estadual tenta fazer com que a unidade de saúde volte a funcionar, já que a direção do hospital anunciou o fechamento da unidade. Conforme o texto do decreto, a Secretaria de Saúde do Estado (Sesab) pode pedir a desapropriação dos imóveis para realizar atos administrativos e judiciais.
Fonte - A Tarde  11/09/2014

Governo discute regulamentação do Marco Regulatório das ONGs

Política

As regras para implementação da lei, que regula as parcerias e o repasse de dinheiro da União para organizações não governamentais (ONGs), serão apresentadas em novembro.

Luana Lourenço 
Repórter da Agência Brasil 
Implementação da lei foram discutidas
 em fórum no Palácio do Planalto
Marcelo Camargo/Agência Brasil
O governo está preparando a regulamentação do Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil, sancionado em julho pela presidenta Dilma Rousseff. As regras para implementação da lei, que regula as parcerias e o repasse de dinheiro da União para organizações não governamentais (ONGs), serão apresentadas em novembro.
“Todas as parcerias em que são usados recursos públicos vão seguir novas regras, muito mais rigorosas do ponto de vista da aplicação dos recursos públicos e que, de outro lado, valorizam a atuação da sociedade”, explicou o secretário executivo da Secretaria-Geral da Presidência da República, Diogo de Sant’Ana, em debate sobre o tema, hoje (11), no Palácio do Planalto.
Entre outras regras, a lei prevê a substituição dos convênios por dois novos instrumentos: os termos de colaboração e fomento. A lei também estabelece que o governo terá que realizar chamamento público, uma espécie de edital de concorrência, para selecionar organizações parceiras.
Para a regulamentação, o governo abriu consulta pública na internet, que pode ser acessada na página da Secretaria-Geral da Presidência, e quer ouvir os gestores dos ministérios responsáveis pelas políticas públicas que demandam parcerias para identificar necessidades específicas para implementação da nova lei.
“As áreas finalísticas [os ministérios] têm de nos dizer quais são suas necessidades. De nada adianta ter uma lei muito boa se a regulamentação não vier contribuir para que possamos dar um passo à frente”, disse o secretário executivo da Controladoria-Geral da União (CGU), Carlos Higino Ribeiro de Alencar.
Um dos desafios da regulamentação, segundo a assessora especial da Secretaria-Geral, Laís de Figueirêdo Lopes, é definir processos de prestação de contas simplificados para parcerias que envolvam menores volumes de recursos públicos. “Já parcerias com maior volume de recursos têm que ser olhadas de maneira mais rígida”, avaliou.
De acordo com Laís, os contratos com valores abaixo de R$ 600 mil representam 80% das parcerias, mas apenas 20% do dinheiro disponível para parcerias com organizações da sociedade civil.
Com as novas regras, o governo pretende reduzir casos de desvios de recursos públicos na relação entre o governo e organizações da sociedade civil. Segundo Alencar, da CGU, cerca de 3% dos contratos apresentam problemas, percentual considerado “normal”, mas as exceções acabam generalizando a má impressão sobre as parcerias e repasses.
“Vivemos uma tentativa muito forte de criminalizar essa relação com organizações da sociedade civil, de que, a princípio, não seriam sérias, profícuas, quando é justamente o contrário. Algumas políticas públicas têm muito mais efetividade se feitas em parceria com a sociedade civil”, defendeu. “Há milhares de organizações que lidam com situações em que o Poder Público dificilmente poderia fazer tão benfeito”, acrescentou.
Fonte - Agência Brasil  11/09/2014

CBTU/BH investe em dormentes de plástico

CBTU

A empresa tem o propósito de trocar, gradativamente, os dormentes por uma alternativa mais sustentável e com maior durabilidade.

RF
foto - ilustração
A Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) de Belo Horizonte, Minas Gerais, está investindo na compra de dormentes plásticos para substituir o uso da madeira na manutenção dos aparelhos de mudança de via. A empresa tem o propósito de trocar, gradativamente, os dormentes por uma alternativa mais sustentável e com maior durabilidade.
Os chamados “dormentes poliméricos” do fabricante Wisewood Soluções Ecológicas S.A são produzidos a partir de matéria-prima coletada de lixo reciclável. Todo estoque foi 100% produzido no Brasil.
Segundo a CBTU BH, desde 2012, a companhia vem estudando a aplicação desse tipo de material no sistema de trens urbanos da capital mineira. A operada espera que tecnologia seja uma aliada a preservação dos recursos naturais combinada com um baixo custo de manutenção. Se a tecnologia obtiver resultados positivos, a CBTU pretende extinguir o uso dos dormentes de madeira.
Fonte - Revista Ferroviária 11/09/2014

Brasil será único grande exportador de petróleo com matriz energética limpa - EPE

Energia limpa

O PDE prevê que a participação das fontes renováveis na capacidade de geração elétrica do Sistema Interligado Nacional (SIN) permanecerá em torno de 84%, destacando a expansão do parque eólico (geração de energia a partir dos ventos) de 3%, em 2014, para 11,5%, em 2023.

Alana Gandra 
Repórter da Agência Brasil 
foto - ilustração
O presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim, disse hoje (10) que o Brasil será o único grande exportador de petróleo com uma matriz energética limpa. A afirmação foi feita durante a divulgação do novo Plano Decenal de Expansão de Energia (PDE).
Tolmasquim disse que as fontes renováveis deverão manter a participação do país na matriz energética em cerca de 42%, superando a média mundial de 13% e mesmo a dos países da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), de 9%.
O PDE prevê que a participação das fontes renováveis na capacidade de geração elétrica do Sistema Interligado Nacional (SIN) permanecerá em torno de 84%, destacando a expansão do parque eólico (geração de energia a partir dos ventos) de 3%, em 2014, para 11,5%, em 2023.
Em relação à geração hidrelétrica, embora o estudo aponte perda de participação na matriz de 66,9% para 59,7% no período de dez anos, ainda haverá um crescimento de mais de 28 mil megawatts de capacidade. Já as fontes não renováveis deverão mostrar redução na matriz energética, passando de 17%, em 2014, para 16,2%, em 2023.
O PDE projeta um volume de investimentos na expansão de energia geral no Brasil de R$ 1,2 trilhão na próxima década. Do total, 62% serão associados à exploração e produção de petróleo e gás natural, 24% caberão ao setor elétrico e 14% serão a soma dos investimentos nas áreas de derivados de petróleo e biocombustíveis.
Em relação ao etanol, o PDE 2023 prevê que a produção crescerá cerca de 75% em dez anos, subindo de 27 bilhões de litros, em 2014, para algo em torno de 48 bilhões de litros, em 2023. Para o gás natural, a projeção decenal é um aumento de 150% na produção líquida potencial, que subirá para 134 milhões de metros cúbicos diários. Já o consumo total de gás natural deverá evoluir à média de 3,7% ao ano nos próximos dez anos, alcançando 128 milhões de metros cúbicos por dia, em 2023.

Capacitação para operação do VLT tem início em Natal

Transportes sobre trilhos

A CBTU tem se preocupado com todo esse processo, que seguirá pelos próximos meses, e com a capacitação dos empregados que irão lidar diretamente com o VLT, pois eles trabalham há anos com o sistema de locomotivas bastante antigo.

CBTU
Adicionar legenda
A chegada da primeira composição do VLT em Natal foi um marco para a modernização do sistema ferroviário do estado e a concretização da nova realidade da mobilidade urbana da região metropolitana de Natal. A CBTU tem se preocupado com todo esse processo, que seguirá pelos próximos meses, e com a capacitação dos empregados que irão lidar diretamente com o VLT, pois eles trabalham há anos com o sistema de locomotivas bastante antigo.
O treinamento dos maquinistas teve início nesta terça-feira (09), com as primeiras aulas teóricas referentes a parte operacional do equipamento. O curso que ainda contará com as aulas práticas, se estende até a próxima sexta-feira (12). Na semana seguinte, os empregados da área mecânica também receberão a capacitação.
Para facilitar o processo, os empregados da operação e manutenção foram divididos em duas turmas de 15 integrantes para cada módulo. Com a conclusão desse trabalho o VLT deve começar a circular em período de testes.
Fonte - Imprensa CBTU Natal  10/09/2014

Zavascki libera documentos da Lava Jato para CPMI da Petrobras

Política

A decisão foi motivada pelo pedido do presidente da comissão, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), para ter acesso aos termos do depoimento em que o ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa cita nomes de políticos que teriam recebido propina no suposto esquema.

André Richter
Repórter da Agência Brasil
O ministro Teori Zavascki
José Cruz/Agência Brasil
O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu hoje (10) autorizar a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Petrobras a acessar parte da investigação sobre a Operação Lava Jato, da Polícia Federal, que tramita na Corte.
A decisão foi motivada pelo pedido do presidente da comissão, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), para ter acesso aos termos do depoimento em que o ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa cita nomes de políticos que teriam recebido propina no suposto esquema.
Segundo Zavascki, os integrantes da CPMI devem zelar pelo sigilo dos dados que estão sob proteção.
O ministro não disse se o depoimento de Costa está no material que será enviado à comissão. “Verificada a competência constitucionalmente atribuída às referidas comissões para realizar atividade apuratória, nada impede o compartilhamento das provas obtidas em investigação judicial, quando presente correlação entre os objetos das aludidas apurações, ressalvadas, todavia, as restrições de publicidade inerentes a autos que tramitem em segredo de justiça”, ressaltou o ministro.
Fonte - Agência Brasil  10/09/2014

Datafolha enterra Aécio e alerta Marina

Eleições 2014

Desta vez, o "Datafalha", como também é conhecido, evitou abusar da inteligência dos que ainda acreditam nestes levantamentos.

Por Altamiro Borges

O Datafolha publicou na noite desta quarta-feira (10) sua nova pesquisa sobre a corrida presidencial. Desta vez, o "Datafalha", como também é conhecido, evitou abusar da inteligência dos que ainda acreditam nestes levantamentos. A pesquisa confirmou o que já havia sido apontado pelo Ibope, Vox Populi e MDA/CNT: Dilma Rousseff cresce, Marina Silva empaca e Aécio Neves, coitado, virou pó. Segundo o levantamento, a atual presidenta teria 36% das intenções de voto no primeiro turno; a candidata-carona do PSB ficou com 33%; e o cambaleante tucano, apesar da ajudinha dos factoides da revista Veja, aparece com apenas 15%, o maior vexame na história do PSDB.
Já na simulação de segundo turno, o Datafolha também aponta empate técnico. Marina marcou 47%, contra 44% de Dilma. O problema para a ex-verde, bancada por Neca Setubal, herdeira do Itaú, é que a diferença diminuiu. Na pesquisa anterior do mesmo instituto, a sua vantagem era de sete pontos percentuais. Todos os levantamentos publicados nestes dias indicam que esta eleição será das mais disputadas. Haverá fortes emoções, muita adrenalina. Nada está descartado, inclusive a vitória da presidenta Dilma no primeiro turno. A televisão, as ruas e as redes definirão o futuro do Brasil!
Fonte - Blog do Miro 10/09/2014

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

O NedTrain inaugurou centro de manutenção com sustentabilidade na Holanda

Internacional

A operadora de trens de passageiros holandesa NS (Nederlandse) inaugurou um centro técnico de manutenção perto da estação Central Utrecht,com ações voltadas a sustentabilidade.

Railway Gazette
Railway Gazette
HOLANDA: O NedTrain inaugurou oficialmente no dia 8 de setembro,o centro técnico de manutenção de material rodante da subsidiária da NS (Nederlandse) Operadora Nacional de trens de passageiros.
Localizado perto da estação Central Utrecht, o centro técnico realizará ações de reparos no material rodante incluindo pantógrafo, acopladores e substituição de vidros. O edifício principal foi projetado e construído por BAM Utiliteitsbouw que incorporou várias medidas de ações voltadas a sustentabilidade,com economia do uso da água e da energia que inclui painéis solares montados no telhado e iluminação LED,e também no tratamento de resíduos descartados.
Esta previsto a implantação de mais um centro técnico em Den Haag  cuja construção deverá começar até o final do ano, e o planejamento para instalações semelhantes em Zwolle e Nijmegen já está em andamento.
Fonte - Railway Gazette 10/09/2014

Tradução e adaptação de texto - Pregopontocom


Original Text 
NedTrain opens Utrecht technical centre

Railway Gazette
NETHERLANDS: The NedTrain rolling stock maintenance subsidiary of national passenger operator NS officially opened the first of four ‘technical centres’ on September 8.
Located close to Utrecht Centraal station, the technical centre will undertake rolling stock repairs including pantograph, couplers and window replacement. The main building was designed and built by BAM Utiliteitsbouw, and incorporates a variety of water, energy and waste saving measures including roof-mounted solar panels and LED lighting.
Construction of the Den Haag technical centre is scheduled to start by the end of the year, and planning is underway for similar facilities in Zwolle and Nijmegen.

Aeroporto de Teixeira de Freitas inaugura nesta quarta-feira

Bahia

Teixeira de Freitas inaugura  aeroporto nesta quarta-feira,a medida deve estimular o turismo e o mercado local, além de investir na chance de aumentar os investimentos industriais.

A Tarde
Da Redação
foto - ilustração
A cidade de Teixeira de Freitas (a 800 km de Salvador) irá inaugurar nesta quarta, 10, o Aeroporto 9 de Maio. A medida deve estimular o turismo e o mercado local, além de investir na chance de aumentar os investimentos industriais.
O prefeito João Bosco receberá o governador Jaques Wagner e o assessor da presidência da Companhia Azul Linhas Aéreas, Ronaldo Veras, na cerimônia. A empresa é responsável pelo voo inaugural do aeroporto.
Segundo o site Teixeira News, o início da operação regular está marcado para o fim de setembro, quando o município passará a ter ligação direta com o Aeroporto Internacional Tancredo Neves (Confins/BH).
Fonte - A Tarde  10/09/2014

Micro e pequenas empresas poderão contratar aprendizes por meio do Pronatec

Educação

A ampliação do Pronatec Aprendiz foi anunciada hoje (10) pelos ministros da Educação, José Henrique Paim; do Trabalho, Manoel Dias, e da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, Guilherme Afif Domingos.Segundo Afif, com o acesso ao Pronatec Aprendiz, as micro e pequenas empresas poderão contratar jovens trabalhadores e ajudá-los a entrar no mercado de trabalho

Luana Lourenço 
Repórter da Agência Brasil 
foto - ilustração
As micro e pequenas empresas poderão contratar jovens aprendizes por meio do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego, Pronatec Aprendiz. O credenciamento e certificação dos estudantes que serão encaminhados como aprendizes às micro e pequenas empresas serão custeados com recursos do programa federal.
A ampliação do Pronatec Aprendiz foi anunciada hoje (10) pelos ministros da Educação, José Henrique Paim; do Trabalho, Manoel Dias, e da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, Guilherme Afif Domingos.
Segundo Afif, com o acesso ao Pronatec Aprendiz, as micro e pequenas empresas poderão contratar jovens trabalhadores e ajudá-los a entrar no mercado de trabalho. “Pelo menos 97% das empresas do país são micro e pequenas. A microempresa é uma macrofamília, é um ambiente onde o jovem aprendiz vai ter uma visão empreendedora. A micro e pequena empresa é o ambiente quase que ideal para esse programa de trabalho”, avaliou.
De acordo com o Ministério da Educação, responsável pelo programa, há parcerias em pelo menos 17 estados para oferta de cursos relacionados ao trabalho de aprendizes. “Estamos fazendo um casamento entre interesses das micros e pequenas empresas e do país na formação desses jovens que, depois dessa experiência, vão seguir no mercado de trabalho”, explicou Paim.
As micro e pequenas empresas interessadas na contratação de jovens aprendizes deverão se inscrever no site do programa. A partir da demanda dos empregadores, serão definidas as vagas para os estudantes interessados. O Ministério do Trabalho fará a articulação entre os jovens matriculados no Pronatec e a empresa para a efetivação do contrato.
Segundo Manoel Dias, pesquisa do ministério mostra que 82% dos jovens aprendizes permanecem no mercado de trabalho após o fim dos contratos.
Assim como nas grandes e médias empresas, os jovens aprendizes contratados pelas micro e pequenas terão jornada de trabalho de quatro a seis horas, com salário mínimo hora, e terão vínculo empregatício, com anotação na Carteira de Trabalho. Ao final do programa, que pode durar no máximo dois anos, o jovem recebe certificação técnica e poderá ser efetivado na empresa. As vagas dessa modalidade do Pronatec poderão ser ocupadas por jovens de 15 a 24 anos.
Fonte - Agência Brasil  10/09/2014 

Ministério dos Transportes aprova projeto ferroviário da Vale no Reidi

Ferrovias

O projeto da Vale, no âmbito do Programa de Capacitação Logística Norte, inclui o Ramal Ferroviário Sudeste do Pará, a expansão da Estrada de Ferro Carajás e a ampliação do Terminal Ferroviário de Ponta da Madeira.

Reuters
foto - ilustração
O Ministério dos Transportes aprovou o enquadramento de projeto de investimento da Vale em ferrovias no norte do país no Regime Especial de Incentivos para o Desenvolvimento da Infra-Estrutura (Reidi), segundo portaria publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira.
O projeto da Vale, no âmbito do Programa de Capacitação Logística Norte, inclui o Ramal Ferroviário Sudeste do Pará, a expansão da Estrada de Ferro Carajás e a ampliação do Terminal Ferroviário de Ponta da Madeira.
O Reidi concede benefícios fiscais para empresas atuantes em projetos de infraestrutura.
A estimativa de investimento é de 10,7 bilhões de reais e o impacto do benefício é de 507 milhões de reais, segundo a portaria.
O Programa Capacitação Logística Norte visa preparar a infraestrutura logística da Vale para atender ao novo volume de minério produzido no Pará, a partir de 2015. O programa inclui a expansão da Estrada de Ferro Carajás e a construção de um ramal ferroviário para ligar a mina do Projeto Ferro Carajás S11D à Estrada de Ferro Carajás.
No fim de agosto, a mineradora obteve autorização da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para que projeto de investimento na Estrada de Ferro Carajás fosse enquadrado no Reidi.
Fonte - Revista Ferroviária  10/09/2014

O vitorioso plebiscito da Constituinte

Política

O Plebiscito Popular da Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político produziu uma unidade entre as forças sociais e populares que não se via desde a campanha contra a Área de Livre Comércio das Américas (Alca), comprovando a força desta proposta no atual momento histórico.

Editorial do jornal Brasil de Fato
foto - ilustração
As urnas estão sendo apuradas e ainda não é possível saber o total de votos obtidos. De qualquer forma, os percentuais já apurados permitem afirmar a estrondosa vitória dos que defendem a constituinte exclusiva. E, uma informação é certa, a mobilização surpreendeu até os mais otimistas.
O Plebiscito Popular da Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político produziu uma unidade entre as forças sociais e populares que não se via desde a campanha contra a Área de Livre Comércio das Américas (Alca), comprovando a força desta proposta no atual momento histórico.
Foram mais de 100 mil militantes e ativistas voluntários em todo o país, a imensa maioria de jovens, dedicando-se de forma incansável em instalar urnas em toda parte. O primeiro Plebiscito Popular da era das redes sociais produziu uma infinidade de imagens, gerando a bem-humorada modalidade que foi apelidada de #PlebiSelfie, envolvendo artistas, intelectuais, lideranças populares numa campanha onde todos puderam acompanhar o ânimo e o esforço militante nos mais distantes pontos.
Mais uma vez, a força das redes sociais driblou a proposital omissão da grande mídia. A grande mídia limitou-se a coberturas locais e artigos críticos, desqualificando a campanha e os participantes. Nada impediu que a mobilização ganhasse a proporção que tomou.
O elemento mais original deste plebiscito popular, quando comparado às experiências anteriores, foi a participação dos trabalhadores. Uma enorme quantidade de urnas em fábricas e empresas marcaram o envolvimento do movimento sindical. Centenas de escolas e universidades realizaram debates e o tema da Constituinte ganhou força na juventude.
Hoje, não resta dúvida de que, se novas circunstâncias possibilitarem novamente grandes mobilizações da juventude, a bandeira da “Constituinte Já” ganhará as ruas. Não só porque a unidade consagrada entre os principais movimentos sociais irá assegurar sua presença, como pelo resultado do formidável trabalho pedagógico construído no Plebiscito Popular.
A primeira batalha foi vitoriosa. Porém, a conquista de uma Constituinte não será tarefa fácil. Será necessário conquistar um plebiscito oficial, com valor legal, com a mesma pergunta: “Você é a favor de uma Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político?” E o Congresso Nacional detém a prerrogativa de convocar um Plebiscito Legal.
Sabemos que sem muita pressão social, uma vitória que incomoda tanto os interesses da classe dominante é impossível. Recordemos que mesmo a campanha das “Diretas Já”, nossa maior mobilização social, que mais acumulou forças para a luta popular não conseguiu aprovar a Emenda Dante de Oliveira que restabelecia eleições presidenciais diretas.
Isso somente será possível se os mais de 1.800 comitês populares que se conformaram ao longo da preparação do Plebiscito Popular forem capazes de se manter atuantes, conservando a preciosa unidade entre as diversas forças políticas e novos ativistas que trabalharam juntos nos últimos meses.
Estamos assistindo a uma ofensiva política conservadora, que aposta todas as fichas em derrotar as conquistas obtidas nas últimas décadas. Assistimos a isso no formato diretamente golpista em Honduras e no Paraguai, nas últimas eleições em que se construíram candidaturas muito bem patrocinadas nos vários países do continente e nos intensos ataques contra o governo Maduro na Venezuela. Seria muita ingenuidade imaginar que não aproveitariam a conjunção de uma quadro recessivo com as eleições brasileiras.
Com o atual sistema político em que o Parlamento é hegemonizado por grandes grupos econômicos, nenhum avanço social será possível. Não basta uma mera reforma eleitoral, mudar o sistema político é mudar suas bases constitucionais. Daí por que a proposta de uma Constituinte incomoda tanto os conservadores.
O maior resultado deste plebiscito popular não será medido em números. É ter conquistado corações e mentes da juventude. Esta é a garantia de que a bandeira da “Constituinte já” seguirá ganhando força. E todos os que trabalharam incansavelmente nesta campanha levarão pro resto da vida o orgulho de terem deflagrado o movimento que mudará o curso de nossa história.
Fonte - Blog do Miro  (Altamiro Borges)  10/09/2014

Putin, porque convidar o Brasil para substituir a UE na mesa dos russos....

Internacional

Por que Putin convida o Brasil a substituir a União Europeia na mesa dos russos - “Acho que os empresários europeus estão decepcionados com as políticas de seus países", disse o presidente da Rússia


Dmitry Babich - DR
foto - ilustração
A curta reunião de cúpula da OTAN em Cardiff, no País de Gales, confirmou mais uma vez: a Rússia tomou a decisão certa ao restringir a entrada de produtos de países-membros da organização para “a mesa” dos russos. O secretário-geral da OTAN, Anders Fog Rasmussen, fez declarações de tal forma “linha-dura” que os membros da Aliança do Norte escutaram como se estivessem no início dos anos 1950.
Foi tomada a decisão de implantar forças de rápida reação por parte da OTAN na fronteira com a Rússia, com uma nova sede dessa força na Polônia – país que é um dos vizinhos mais próximos da Rússia, mas com certeza não é um dos melhores amigos dos russos (a russofobia na Polônia, que chama a guerra civil na Ucrânia de “invasão russa”, chegou ao pico).
O Secretário-Geral Rasmussen afirmou também que pretende adotar um “pacote de medidas para a inclusão da Geórgia na OTAN”, e juntamente manter a sua promessa de “conservar as portas da Aliança abertas” para uma Ucrânia já entregue a uma guerra civil. Isso já se soma a uma boa quantidade de passos não amigáveis com a Rússia, tal como a Rússia não via desde os tempos da Alemanha nazista contra a União Soviética em 1941. (Mesmo sob o comando de Hitler até o ataque contra a União Soviética em 1941 a Alemanha não interveio nem pela “defesa da soberania” de Lituânia, Letônia e Estônia por causa de um voo de três minutos de um caça de Leningrado sobre a Estônia, e muito menos na construção de um muro entre a Ucrânia e a Rússia. Mas a OTAN está planejando e prometendo tudo isso.)
Com essas condições , deixar a alimentação dos russos nas mãos dos mesmos países que cercam a Rússia com bases militares e enviam 15 milhões de dólares em ajuda militar ao regime de Kiev hostil à Rússia – com essas condições, receber carne e queijo de países da Aliança que fazem tudo isso seria imprudente por parte de Moscou.

E aqui está uma situação muito favorável ao Brasil.
Recentemente o presidente da Rússia, Vladimir Putin, junto com o seu ministro dos Negócios Estrangeiros, falou sobre o Brasil, colocando o país em primeiro lugar entre os países da América Latina, dando-lhe posição favorável sobre importações de alimentos para a Rússia. Vale lembrar que ainda em julho, em resposta à aplicação de sanções contra bancos russos por parte da União Europeia, a Rússia restringiu o acesso aos seus mercados para vários tipos de alimentos provenientes da União Europeia e de outros países não membros da OTAN (incluindo a Noruega, de quem deixou de receber pescado).
Enquanto isso, desde o início da década de 1990, o alimento estrangeiro ocupa um lugar importante na dieta dos russos, e a União Europeia, em conjunto com os Estados Unidos, tomou um lugar de liderança nesses suprimentos. O frango dos Estados Unidos, o queijo da França, as salsichas da Holanda – o fornecimento desses produtos à Rússia há mais de 20 anos tem gerado um negócio multibilionário. Na verdade, nos últimos anos os russos e os aliados da União Aduaneira, na Bielorrússia e no Cazaquistão, têm aprendido a fazer esses produtos por conta própria, mas no mercado de alimentos da Rússia existem nichos bilionários para os alimentos estrangeiros – e Putin diz que gostaria de obtê-los do Brasil.
“Por isso, estamos trabalhando com outros produtores, produtores estrangeiros, países da América Latina, principalmente Brasil, Argentina e Chile. Os nossos colegas europeus se dirigem a esses países com o pedido de não fornecerem seus produtos à Rússia. Isso é estranho, e até mesmo difícil de imaginar que empresários não vão aproveitar esse caso para entrar no nosso mercado”, disse Putin durante uma entrevista no programa ‘Voskresnoe Vremia”.
Putin até chegou a ameaçar os fornecedores europeus, alegando que após a chegada dos brasileiros será difícil para os europeus voltar ao mercado russo: "O perigo para os nossos fornecedores tradicionais é que, quando uma ou outra empresa tem suas estruturas fixadas em algum mercado – e nós estamos falando, em particular, do mercado russo –, em seguida, movê-las para fora daqui será muito difícil ou mesmo impossível. E eu acho que as empresas dos países europeus entendem isso. Elas não entendem essas voltas políticas. Acho que os empresários europeus estão decepcionados com as políticas de seus países", disse o presidente da Federação Russa.
Como aconteceu que os países europeus tradicionalmente mais próximos da Rússia acabaram sendo parceiros menos desejáveis do que o Brasil? O motivo aqui não está vinculado à xenofobia russa, mas à política dos próprios países europeus. O exemplo mais marcante aqui é o caso da Alemanha, que, desde o fim da Segunda Guerra Mundial, por quase 70 anos foi o parceiro comercial mais importante da União Soviética e depois da Rússia. Vejamos este exemplo em mais detalhes.
Por muitos anos, a comunidade russa de especialistas considerou a Alemanha como um dos países europeus mais amigáveis da Rússia. Além disso, nossos analistas vieram de pressupostos bastante pragmáticos. A lógica é esta: a Alemanha precisa de gás russo e a cooperação econômica com a Rússia fornece nada menos que 300 mil postos de trabalho na Alemanha (mais milhões de funcionários de meio-período e outros "beneficiários"); então, a Alemanha resistiria a toda a óbvia linha antirrussa da União Europeia.
Sim, os interesses nacionais da Alemanha, sem dúvida, estão ligados à Rússia, e o fundador do centro americano de pesquisa Stratfor, George Friedman, chega a considerar a associação entre a tecnologia alemã com o mercado e as matérias-primas russas como a única concorrência em longo prazo para os Estados Unidos no cenário econômico mundial.
Mas será que os políticos alemães irão atender aos interesses do país de dar passos ao encontro da Rússia? Esta é uma grande pergunta. A história recente da União Europeia conhece cada vez mais exemplos de líderes de grandes países ocidentais ou do Leste da Europa que agiram justamente de forma contrária aos interesses dos seus povos.
Estava a Alemanha interessada em uma revolução na Ucrânia, na fragmentação do país e no que se seguiu após essa troca de golpes de sanções entre a União Europeia e a Rússia? É claro que não. No entanto, a Chanceler Angela Merkel fez uma enorme contribuição para a desestabilização da Ucrânia. Em novembro de 2013 Merkel expressou a maior insatisfação com o pedido do ex-Presidente Yanukovich de adiar a assinatura do Acordo de Associação entre a Ucrânia e a União Europeia. "Nós esperávamos mais", disse ela a Yanukovich na conferência de cúpula de Vilnius em novembro de 2013, quando o presidente ucraniano pediu para adiar a assinatura da associação em março ou pagar a compensação financeira ao seu país pela quebra dos laços com a Rússia. Em seguida, o ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Guido Westerwelle, participou pessoalmente dos protestos no Maidan de Kiev – um fato improvável sem o consentimento de Merkel.
Enquanto isso, quando no Maidan já soavam slogans antirrussos – ameaças de matar Yanukovich e Putin como “invasores” (embora a Ucrânia seja independente de Moscou desde 1991), promessa de atacar russos com facas, chamadas para “pendurar comunistas e russos”, etc. –, Westerwelle pareceu não notar tudo isso, dizendo apenas que os manifestantes prometiam combater a corrupção de Yanukovich. Com efeito, Berlim acabou na companhia dos países mais antirrussos da União Europeia, como a Lituânia e a Polônia.
Todos esses acontecimentos dizem respeito ao fato que a Alemanha de hoje e a União Europeia de uma forma geral preferem não lembrar: a República Federativa da Alemanha e a União Europeia como um todo têm sua parcela de responsabilidade na guerra civil da Ucrânia. Pelo seu apoio à derrubada de Yanukovich, que foi legitimamente eleito em 2010, a Alemanha contribuiu para a destruição do equilíbrio político entre o leste e o oeste da Ucrânia. De 1991 até 2014, o leste tendendo para a Rússia e o oeste orientado para a União Europeia resolviam suas diferenças nas eleições presidenciais, assim como no Parlamento, onde frequentemente chegavam a brigar. Agora, após a deposição de Yanukovich e a perda da Crimeia com os seus dois milhões de eleitores para a Rússia, a Ucrânia ocidental ganhou o controle absoluto no Parlamento e na escolha do futuro presidente. E as diferenças entre o ocidente e o oriente passaram a ser decididas no campo de batalha no Leste ucraniano.
É possível que, justamente por isso, pela sensação de própria responsabilidade, Merkel fuja da expressão “guerra civil”, preferindo falar de “invasão russa” e "meios de contenção" que devem ser aplicados contra o supostamente responsável por tudo, Putin.
Dos seus colegas na Polônia e do Báltico, Merkel se diferencia apenas por uma grande hipocrisia. Ela frequentemente fala do seu amor pela Rússia e do desejo de "cessar as hostilidades na Ucrânia" (por alguma razão, nunca menciona a responsabilidade das autoridades de Kiev por esses mesmos atos de guerra, embora o lado agressor seja exatamente Kiev). Um exemplo dessa hipocrisia foi a entrevista ao canal alemão ARD:
“Eu quero encontrar um método que não prejudique a Rússia. Nós na Alemanha queremos ter boas relações comerciais com a Rússia, assim como com outros países... Nós dependemos um do outros, e no mundo existem tantos conflitos que devemos agir juntos para evitá-los, por isso espero que consigamos atingir um progresso.”
É interessante como Merkel pretendia “não prejudicar” a Rússia, discursando a favor das sanções, destinadas a interromper o acesso da Rússia ao crédito e à tecnologia europeia. E como ela pretende “trabalhar junto” com o presidente russo, se o seu país adota sanções contra indivíduos pertencentes a seu "círculo interno" apenas porque eles são "amigos de Putin”? Qual é a lei da Europa que permite que as pessoas tenham a propriedade retirada porque elas se tornaram amigas de um político censurável pela União Europeia?
Existe o temor de que a “amizade” de Merkel com a Rússia soe como hipócrita, assim como seu “incômodo” de muitos anos sobre as escutas no seu telefone particular feitas pelos serviços de inteligência americanos (apesar de todas as promessas, este "incômodo" não resultou em sanções contra os Estados Unidos).
Agora Merkel vai enfrentar um novo desafio – os países do Leste Europeu (especialmente a Polônia e os Países Bálticos) vão exigir elevar o seu status na OTAN a um nível comparável com o da Alemanha. Eles também pretendem buscar a implantação de bases da OTAN em seu território, o que vai realmente ser controlado pelos americanos, sem a participação da Alemanha e de outros gigantes europeus ocidentais da OTAN. Outro elemento será o pedido da Polônia e dos Estados bálticos para colocar o sistema de defesa antimísseis norte-americano no Leste Europeu direcionado à Rússia. Isso foi evidenciado pelo vazamento de informações antes da cúpula da OTAN, agora em setembro, no País de Gales.
Com a sua política antirrussa seguindo cegamente a política aventureira da Comissão Europeia na Ucrânia, Merkel estragou as perspectivas de negócios alemães no mercado russo. Infelizmente, com o mesmo espírito agiu a aliança da OTAN, fechando as suas perspectivas de negócios no mercado russo. Assim, vamos esperar a abertura dessa perspectiva para os negócios no Brasil.
Fonte - Diário da Russia  09/09/2014

Pesquisas se aproximam da realidade com Dilma em primeiro lugar

Política

Ao lado de Lula, Dilma começa a cristalizar sua vitória nestas eleições - DilmaRousseff no primeiro turno da disputa ao Planalto, com 38,1% das intenções de voto. A candidata do PSB/Rede Sustentabilidade, Marina Silva, registrou 33,5%. Em terceiro lugar, Aécio Neves, do PSDB, volta a declinar para 14,7%.

CB
Por Redação - Brasília/São Paulo

A nova edição da pesquisa realizada pelo Instituto MDA, divulgada nesta manhã pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT), volta a apontar a liderança da presidenta DilmaRousseff no primeiro turno da disputa ao Planalto, com 38,1% das intenções de voto. A candidata do PSB/Rede Sustentabilidade, Marina Silva, registrou 33,5%. Em terceiro lugar, Aécio Neves, do PSDB, volta a declinar para 14,7%. Na comparação com a última pesquisa CNT/MDA, divulgada no dia 27 de agosto, Dilma subiu 3,9%, Marina subiu 5,3% e Aécio caiu 1,3%. O número de indecisos caiu quase pela metade, de 10,4% para 5,7%. Brancos e nulos caíram de 8,7% para 5,9%.
Em uma simulação de segundo turno entre Dilma e Marina, a petista, com 42,7% das intenções de voto, empata tecnicamente com a candidata do PSB, que registra 45,5%. Em uma eventual disputa entre Dilma e Aécio, a petista venceria com 47,5%, contra 33,7% do presidenciável tucano. Em uma terceira possibilidade, Marina (52,2%) também ganharia de Aécio (26,7%). A pesquisa aponta que a maior parte dos entrevistados (49%) acredita que Dilma é quem vencerá as eleições. Em segundo lugar, está Marina (34,9%), e, em terceiro, Aécio (6,2%). A candidata do PT também lidera o limite de voto: 22,8% disseram que ela é a única em quem votariam. Marina tem 18,5% dessas intenções, e Aécio, 6,3%.
A popularidade da presidenta Dilma também cresceu, segundo o estudo. A avaliação de governo, estava positiva para 33,1% dos eleitores, na pesquisa divulgada no fim do mês passado. Agora, o indicador sobe para 37,5%. Enquanto isso, o percentual dos que consideraram seu governo ótimo cresceu de 6,8% para 7,7%. A performance considerada boa passou de 26,3% para 29,8%, e a regular de 37,4% para 39%. A avaliação negativa, por sua vez, caiu e passou de 28,8% para 23%. A atuação considerada ruim passou de 11,8% para 10,8%, e a péssima, de 17% para 12,2%. Em relação ao desempenho pessoal, Dilma também registrou crescimento: de 47,4%, ela foi para 52,4% de aprovação. Já a quantidade dos que desaprovam passou de 47,4% para 42,9%. Foram entrevistadas 2.002 pessoas, em 137 municípios de 25 estados das cinco regiões, entre os dias 5 e 7 de setembro.

Marina desidrata
Após uma semana sob forte ofensiva dos adversários e recheada de erros de estratégia na campanha da ex-senadora acreana, o comitê de Marina Silva passou a admitir “perda de substância” da candidata nas próximas pesquisas de intenção de voto, em linha com o resultado desta pesquisa do MDA/CNT. O remédio, segundo o comitê pessebista, é manter o ânimo e a defensiva na tentativa de levá-la ao segundo turno, mesmo diante de uma forte desidratação da ex-senadora. Em reunião na noite de domingo, em São Paulo, integrantes da campanha fizeram a apresentação de pesquisas encomendadas pelo partido, que mostram a estabilização do crescimento de Marina na última semana.
Ao contrário do que pressupõem os números que chegam ao comitê de Marina Silva, os trakings comerciais, uma forma de pesquisa atualizada diariamente, do Instituto DataCaf, já colocam a candidata à reeleição pelo PT com 42% das intenções de voto, em seguida aparece a candidata Marina Silva pelo PSB com 25% e em terceiro lugar Aécio Neves pelo PSDB com 12%. Brancos/Nulos/Não souberam 21%. O estudo foi publicado (http://correiodobrasil.com.br/noticias/politica/instituto-contraria-ibope-e-preve-vitoria-de-dilma-no-primeiro-turno/726243/) no Correio do Brasil, na última quarta-feira.
Marina ainda é considerada mais viável na disputa contra a presidenta Dilma em um eventual segundo turno, mas sua vantagem diminuiu de 10 para sete pontos de acordo com pesquisa do Datafolha. Os números do PSB, que deixaram a campanha pessebista em polvorosa, caem para uma diferença de seis pontos entre as duas se o segundo turno fosse hoje. As pesquisas do partido foram fechadas na sexta-feira e, portanto, não traziam ainda o impacto do escândalo de corrupção na Petrobras, em que o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos aparece na lista de políticos que podem estar envolvidos com o esquema.
A avaliação dos analistas é de que Marina seguirá na defensiva nos próximos dias, diante dos ataques que vem sofrendo dos adversários. Durante a reunião do comitê de campanha, que contou com a presença da candidata e também do vice na chapa, Beto Albuquerque, integrantes da campanha sugeriram uma revisão de conteúdo no programa de governo, alvo de diversas críticas dos principais adversários de Marina na disputa presidencial, Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB).
Marina, porém, não quer mais saber de alterações na proposta de governo. Na avaliação dela, uma terceira edição do texto seria “um desastre”. O programa, que deveria funcionar como um trunfo da campanha, acabou se tornando o seu pior pesadelo. As mensagens de um pastor ultraconservador no Twitter, que determinaram à Marina que deixasse de apoiar a causa gay, causou um estrago na campanha. Menos de 24 horas após a divulgação oficial do documento, a equipe de Marina divulgou nota em que reviu a posição da candidatura em relação à defesa do casamento gay e da criminalização da homofobia.
Outro foi a declaração quanto ao pré-sal e, agora, até uma perereca é usada contra a candidata. Quando ainda ocupava o Ministério do Meio Ambiente, Marina Silva atrasou a licença ambiental da obra do Arco Metropolitano – uma das maiores construções do governo do Estado – devido ao risco de extinção de uma linhagem de pererecas.

Jato suspeito
Entre a extinção de anfíbios e a ira dos homossexuais, a compra e uso do jatinho que, na queda, matou o líder do PSB Eduardo Campos transformou-se, desde o mês passado, no pior fantasma para a campanha da ex-ministra. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) investiga, agora, como no dia seguinte ao desastre, no litoral paulista, com os restos mortais ainda espalhados no local onde caiu o avião, partidários conseguiram transferir, em espécie, R$ 2,5 milhões da conta de campanha do defunto para o Comitê Financeiro Nacional, administrado pelo PSB. Para o coordenador financeiro da campanha, Basileu Margarido, indicado pessoalmente por Marina, está tudo sob controle.
– O escritório de Direito que nos atende consultou o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para fazer a operação. Segundo eles, não há nada de errado – garante. Mas o TSE, não. Esta instância do Judiciário informa que ainda vai analisar as prestações de contas para, somente então liberar um parecer sobre o caso – disse Margarido.
A transferência aconteceu no dia 14 de agosto, segundo os documentos, em dinheiro vivo. O registro está na segunda prestação de contas dos candidatos, divulgada no sábado pelo TSE. Nela, o PSB não faz qualquer menção ao jato Cessna, principal alvo de investigação da Procuradoria Geral da República por crime eleitoral e suspeita de uso de caixa dois.
Fonte - Correio do Brasil  09/09/2014