sábado, 9 de agosto de 2014

Rússia espanta submarino dos EUA e tensão aumenta na Ucrânia

Internacional

Um submarino norte-americano da classe Virgínia foi expulso das águas territoriais russas, segundo autoridades daquele país

Redação CB
Com agências internacionais 
de Moscou e Kiev

As forças anti-submarino da Frota do Norte da Rússia detectou um submarino estrangeiro em águas de fronteira do país e o “expulsou”, afirmaram agências de notícias russas neste sábado, citando um porta-voz da equipe principal da Marinha do país, sem identificá-lo. Um submarino estrangeiro, que presume-se ser uma embarcação da classe Virginia da Marinha norte-americana, foi detectado pelas forças da Frota do Norte em serviço no mar de Barents no dia 7 de agosto, disse o porta-voz. Uma autoridade da Defesa dos Estados Unidos, que falou sob a condição de anonimato, não pode confirmar o incidente e não forneceu comentário sobre a reivindicação russa.
– Um grupo de ataque anti-submarino e aviões anti-submarino Ilyushin Il-38 foram enviados para a referida área para procurar e acompanhar o submarino. As manobras ativas das forças anti-submarino da Frota do Norte expulsaram o submarino das águas de fronteira da Federação Russa – disse o porta-voz da Marinha russa, segundo a agência russa de notícias Interfax.
O ocorrido pode ser o mais recente sinal das crescentes tensões entre Moscou e Washington sobre a crise na Ucrânia.

‘Conto de fadas’
Diante do aumento da tensão no norte do país, o governo neonazista da Ucrânia disse, por meio de nota divulgada neste sábado, em um esforço de propaganda, ter impedido uma tentativa da Rússia de enviar tropas sob o disfarce de forças de paz com o objetivo de provocar um conflito militar em larga escala, declaração que Moscou qualificou como sendo um “conto de fadas”. A Ucrânia já fez declarações similares sobre a agressão russa durante os meses de conflito com os separatistas, que diz serem apoiados por Moscou, na sua fronteira oriental com a Rússia. Nenhuma delas pode ser verificada de forma independente.
Um assessor do presidente ucraniano, Petro Poroshenko, disse que um grande comboio militar russo estava se dirigindo para a fronteira na sexta-feira a partir de um suposto acordo com a Cruz Vermelha, mas tinha parado depois de um apelo de Kiev para a Rússia. Não ficou imediatamente claro de qual comboio o assessor de Poroshenko estava se referindo.
O Ministério da Defesa da Rússia disse na sexta-feira que tinha terminado seus exercícios militares no sul da Rússia, perto da fronteira com a Ucrânia, que os Estados Unidos haviam criticado como sendo provocação.
– Um grande comboio militar, acompanhado por soldados e equipamentos russos, estava se movendo em direção à fronteira ucraniana, supostamente devido a um acordo com a Cruz Vermelha – disse Valery Chaly, vice-chefe da administração de Poroshenko.
Ninguém da Cruz Vermelha estava imediatamente disponível para comentar o assunto.
– Uma coluna humanitária com ‘soldados da Paz’ deveria entrar no território da Ucrânia, claramente para provocar um conflito em grande escala – disse, de acordo com o serviço de imprensa da Presidência da Ucrânia.
Chaly disse que Poroshenko manteve conversas urgentes com seus chefes de segurança e líderes mundiais, embora não tenha especificado quais. O ministro das Relações Exteriores, Pavlo Klimkin, disse separadamente que ele tinha ligado para seu colega russo, Sergei Lavrov, que lhe garantiu que o comboio seria parado.
Maria Zakharova, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, rejeitou a declaração de Chaly.
– Cada dia Kiev está mais e mais inventiva na criação de contos de fada – disse, destacando que protocolos especiais precisam ser concluídos antes de tropas russas serem enviadas ao exterior.
Dmitry Peskov, porta-voz do presidente russo Vladimir Putin, disse por telefone:
– Nós não sabemos o que (os ucranianos) estão falando porque nada disso ocorreu.

Conversa no avião
Ainda nesta manhã, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, conversou com a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, sobre a situação na Ucrânia a bordo de avião da Força Aérea. Obama estava voando para Massachusetts, a caminho das férias de duas semanas com sua família.
Não foram fornecidos detalhes sobre a conversa entre os dois líderes.
Fonte - Correio do Brasil  09/08/2014

Bahiatursa anuncia revitalização do Dique do Tororó

Salvador

Gestor diz estudar formas de realizar diversas competições nas águas do Dique - O presidente da Bahiatursa,Diogo Medrado, contou que pretende, em parceria com a Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder), fazer intervenções e criar campeonatos esportivos aquáticos. 

Luiza Cadidé - A Tarde
Mila Cordeiro | Ag. A TARDE
O Dique do Tororó - famoso cartão-postal de Salvador - está nos planos da Empresa de Turismo da Bahia (Bahiatursa) para ser revitalizado este ano.
O presidente do órgão, Diogo Medrado, contou que pretende, em parceria com a Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder), fazer intervenções e criar campeonatos esportivos aquáticos.
"O Dique do Tororó, para mim, é um instrumento turístico. Queremos incluir o local no roteiro de campeonatos e eventos esportivos como remo, kitesurf, windsurf e wakeboard", disse o gestor.
O projeto está fase de planejamento. Uma reunião na agendada para a próxima segunda-feira reunirá órgãos envolvidos no programa.
A ideia é estimar a viabilidade, os valores do investimento e as datas para a execução das intervenções e dos eventos.
Inicialmente, novos píeres e novas embarcações para passeio de turistas e visitantes estão incluídos na ideia de renovação do espaço.
Para este ano, o presidente da Bahiatursa quer fazer um festival com manifestações artísticas, musicais e teatrais, em novembro, mês em que se comemora o Dia da Consciência Negra. Apresentações como a do Coral de Natal seguem na programação de eventos ali realizados.

Frequentadores
Utilizado frequentemente para a prática de atividades físicas, como caminhada e corrida, entorno do espelho d'água construído pelos holandeses no século XVIII já foi mais utilizado para o lazer.
"A falta de segurança afasta a população. Tenho algumas amigas que caminhavam por aqui e foram assaltadas", contou o microempresário João Garcia, de 47 anos, frequentador assíduo do Dique.
Outro problema citado pela população é, justamente, a falta de atividades atrativas.
O estudante Marconi Barbosa, 18, mora perto, mas não costuma frequentar: "O movimento caiu. Não tenho prazer em visitar o local".
O casal Marcos Vinícius Azevedo, 21, e Luana Mila Rocha, 21, sente falta de atividades infantis para levar o filho pequeno.
"Antigamente, existiam parques para as crianças. Trago meu filho, aos domingos, para andar de bicicletas, mas sinto falta de outras atrações", reclamou Luana Rocha.
A assistente social Jocélia Nunes frequenta o Dique há 20 anos e o acha lindo. "É muito agradável, tudo de bom. Esses orixás são lindos demais", destacou.
Apesar de apreciar o cartão postal, ela mudou o horário das caminhadas por causa do temor de ser assaltada.
Fonte - A Tarde  09/08/2014

Pesquisa traça perfil de empreendedores brasileiros no exterior

Economia

A pesquisa tem o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj) e será estendida a outras comunidades empresariais brasileiras estabelecidas no exterior.

Alana Gandra
Repórter da Agência Brasil 
Pesquisa foi feita em Orlando, nos Estados Unidos,
 pelo alto fluxo de turistas brasileiros na cidade
 (Tânia Rego/Agência Brasil)
Pesquisa feita em Orlando, nos Estados Unidos, pelo Departamento de Empreendedorismo e Gestão (DEG) da Universidade Federal Fluminense (UFF), a partir de 2012, traçou o perfil dos pequenos empreendedores brasileiros na cidade e descobriu nova área de estudo, que é a internacionalização de pequenas empresas, além do envolvimento da internacionalização com o movimento de imigração de brasileiros. A pesquisa tem o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj) e será estendida a outras comunidades empresariais brasileiras estabelecidas no exterior. O professor Eduardo Picanço, um dos coordenadores do trabalho, disse à Agência Brasil que os dados apurados até agora levam a crer que, no caso dos brasileiros que vão para outros países, o que ocorre é uma internacionalização de empresários e não de negócios. Orlando foi escolhida pelo alto fluxo de turistas brasileiros, estimado em mais de 768 mil em 2013, de acordo com o Departamento de Comércio dos Estados Unidos. A isso se soma o número de negócios regulares de brasileiros na cidade, em torno de 500, incluindo salas comerciais e lojas. Computando as pessoas que trabalham em casa, os negócios podem passar de mil.
Não há, informou Picanço, nenhum caso descrito na literatura acadêmica que mostre o que foi percebido em Orlando. “O empresário que vai para lá passa por muitas dificuldades porque está em um mercado novo que não conhece e acaba sendo naturalmente levado a abrir uma empresa para brasileiro também. E aí você cria um ciclo que pode ser crucial para o insucesso do negócio”. Ele ponderou que o número de brasileiros que estão visitando Orlando pode diminuir um dia e isso acarreta risco para as empresas que praticamente dependem do turista brasileiro para sobreviver. “Você não pode criar uma situação de dependência do seu cliente”, alertou.
Em sua maioria, os brasileiros que se estabeleceram em Orlando a partir da década de 1980 são pessoas que não eram empresárias no Brasil, tinham características de imigrante de viver o sonho americano e não o sonho empresarial. “Os que tiveram sucesso, acabaram montando seus negócios lá”. Já a maioria dos novos integrantes das comunidades brasileiras sai do país empresário para continuar o processo no exterior.
Eduardo Picanço destacou que em torno de 70% abriram uma empresa em uma área de negócio diferente da que trabalhavam no Brasil. Todos os outros responderam que deixaram o país porque não aguentavam mais a insegurança, a má qualidade da educação, a corrupção. Um grupo menor disse estar indo fazer carreira nos Estados Unidos, enquanto outra parcela alegou opções pessoais: “o pai morava lá, um amigo convidou”.
Segundo o professor da UFF, o estudo está levando para um caminho que considera inédito na linha das teorias sobre empreendedorismo internacional. A generalização da pesquisa vai confirmar essa tese, disse. Concluída a etapa da pesquisa em Orlando, a meta agora é investigar as cidades de Miami e Pompano Beach, segunda maior colônia de brasileiros nos Estados Unidos, antes de seguir, em 2015, para Nova York, Los Angeles e Boston, que abrigam a maior comunidade oriunda do Brasil. Estagiários do DEG já mapearam os empresários existentes nessas áreas. Depois de concluída nos Estados Unidos, a pesquisa será feita na Europa.
Outro dado coletado confirma que a maioria das empresas brasileiras no exterior emprega brasileiros, o que acaba fortalecendo a colônia e gerando desenvolvimento econômico. Picanço reiterou, entretanto, o risco de a comunidade acabar ficando dependente dos turistas brasileiros. O estudo revela ainda, do lado social, que quando a comunidade empresarial brasileira é forte, “com certeza tem uma comunidade forte ao lado. Ela é geradora de emprego”.
Ronaldo Esteves largou o curso de engenharia que fazia no Rio faltando apenas 1,5 ano para se formar e decidiu mudar para a área de turismo. Fez cursos de inglês e espanhol e há 27 anos se mudou para Orlando com a mulher, também brasileira. Seis meses depois de chegar à cidade, abriu uma operadora de turismo receptivo, a RGE. Há 12 anos, vislumbrou outro nicho promissor, que era o serviço pela internet, e mudou para a atual empresa, Orlando Ticket On Line, que tem quase 100% do seu público formado por turistas brasileiros que vão para os Estados Unidos, além de argentinos, mexicanos e venezuelanos. “Fui com o intuito de ficar um ano para aperfeiçoar o inglês e voltar para montar uma empresa receptiva no Rio”, disse àAgência Brasil. Acabou ficando. As duas filhas, de 17 e 19 anos, nasceram em Orlando. Ronaldo Esteves não pretende retornar ao Brasil.
Voltar ao Brasil não faz parte também dos planos de Paulo de Souza, que há 14 anos foi para Orlando com a mulher e dois filhos. Levou para lá a experiência que tinha na área de publicidade e foi designer gráfico em uma publicação da cidade até que, há 7,5 anos, decidiu abrir o seu próprio jornal Nossa Gente, que distribui mensalmente 8 mil cópias gratuitas. Os custos são pagos pelos anúncios de comerciantes. “A gente já está enraizado aqui. Minha filha está indo para o college (faculdade). Cada vez é mais difícil pensar em voltar”, comentou.
O DEG-UFF está estudando a possibilidade de levar para Orlando, a partir de outubro próximo, um curso semipresencial de formação básica de técnica de gestão. O objetivo é atender aos empreendedores menos favorecidos, “aqueles que ainda não têm a sua loja, trabalham dentro de casa ou em parte da loja de um amigo”, explicou Eduardo Picanço. O curso é gratuito. Se o projeto tiver sucesso, ele poderá ficar disponível para qualquer grupo de brasileiros organizado no exterior.
Fonte - Agência Brasil  09/08/2014

MPF- BA exige cumprimento da lei dos 15 minutos nos bancos

Cidadania

Os clientes de bancos do país têm sofrido também nas filas dos caixas eletrônicos - Com isso, as instituições têm 20 dias para se adequar à lei; caso contrário, deverão justificar. Os bancos que não se manifestarem poderão responder a ação judicial.

Joana Lopo
Raul Spinassé | Ag. A TARDE |14.10.2013
O Ministério Público Federal na Bahia (MPF-BA) expediu recomendação requerendo aos bancos o cumprimento da lei dos 15 minutos para atendimentos, assim como o registro da não realização do serviço, que deve conter data, horário e dia da ocorrência.
Com isso, as instituições têm 20 dias para se adequar à lei; caso contrário, deverão justificar. Os bancos que não se manifestarem poderão responder a ação judicial.
A recomendação, expedida no último dia 29 de julho, é de autoria do procurador regional dos Direitos do Cidadão substituto, Edson Abdon Filho. Segundo ele, o objetivo da medida é garantir a eficiência na prestação de serviços e a preservação da integridade física, material e moral dos clientes de banco, assim como o cumprimento da sentença da Justiça Federal em relação ao tempo de espera de atendimento em agências.

Penalidades
Conforme o superintendente do Procon-BA, Ricardo Maurício Freire Soares, pela Lei do Município de Salvador nº 5.978/01, as penalidades variam desde uma simples advertência até pagamento de multa, que varia entre R$ 200 e R$ 400, até a suspensão do alvará de funcionamento, após a quinta reincidência.
"Caso haja qualquer lesão ou má prestação do serviço, o consumidor deverá recorrer o mais rápido possível ao Procon para registrar queixa ou denúncia", orienta Soares.
A partir do número de queixas registradas nos órgãos de defesa do consumidor, assim como na Justiça, é que as providências corretivas podem ser tomadas. Nesse caso, de demora e má prestação de serviço, o número só aumenta. Dados do Procon-BA indicam que em 2013 foram registrados 45 atendimentos sobre demora em fila de Banco, já neste ano, desde janeiro até o começo deste mês, o número saltou para 117.
Assim, ao ser atendido em instituições bancárias, o consumidor deve apresentar a senha para que seja registrado o horário do início do atendimento. Caso tenha ocorrido após o tempo máximo de espera, a recomendação é a devolução da senha ao atendente. "Este registro pode ser utilizado como prova da fala em eventual demanda de ordem indenizatória nos órgãos do Poder Judiciário", diz Soares.
"Passei mais de uma hora esperando por atendimento e ainda fui tratado mal. Não sabia que poderia pedir o registro da hora, apenas denunciei ao Banco Central", conta o administrador de empresas Maurício Santos.

Tempo perdido
Por essas situações que a advogada Júlia d'Affonsêca Barreiros aconselha ao consumidor sempre pesquisar sobre seus direitos. Ela ainda diz que nos casos dos bancos é possível pedir indenização por danos morais e materias, já que o tempo gasto com a espera para o atendimento pode gerar perdas materiais para o consumidor, trata-se do direito ao tempo perdido, já que o que "o tempo é algo finito, irrecuperável e extremamente valioso".
Essa tese ganhou força no final de 2013, quando ficou constatado pelo Judiciário que o tempo gasto com uma espera, que por lei não deveria durar mais de 15 minutos, em dias normais, e 30 minutos, em dias que antecedem os feriados, causa danos reais à vida do consumidor.
"É preciso que os consumidores forneçam informações aos órgãos integrantes do Sistema Nacional de Defesa do Consumidor, para que haja fiscalização efetiva nas instituições para coibir essas práticas", orienta d'Affonsêca.

Previna-se de danos em bancos
Informações - Ao ingressar nas agências bancárias, importante verificar se a unidade está cumprindo os requisitos legais, se possui o sistema de comprovação do tempo de espera, com a disponibilização de senhas eletrônicas e a colocação de cartazes informando o tempo de atendimento.
Queixa - É preciso que os usuários forneçam informações aos órgãos integrantes do Sistema Nacional de Defesa do Consumidor (SNDC), para que novas soluções possam ser dadas a estas questões, e para que possa existir uma fiscalização mais efetiva nas instituições, a fim de coibir as práticas abusivas.
Registro - Consumidor deve apresentar a senha para que seja registrado o horário em que seu atendimento foi iniciado. Caso o início do atendimento tenha ocorrido após o tempo máximo de espera, recomenda-se que solicite a devolução da senha ao atendente, para que o registro possa ser utilizado como prova em eventual demanda de ordem indenizatória nos órgãos do Poder Judiciário.
Fonte - A Tarde  09/08/2014

O ICH publica a revista Ciência - Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC)

Meio Ambiente

Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC). Responsável por uma série de projetos de divulgação científica, o ICH publica a revista Ciência Hoje

RA
Link / fotógrafo - Vyacheslav Mishchenko
O Instituto Ciência Hoje (ICH) é uma organização social de interesse público sem fins lucrativos vinculada à Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC). Responsável por uma série de projetos de divulgação científica, o ICH publica a revista Ciência Hoje desde 1982, a Ciência Hoje das Crianças desde 1986 e os livros da série Ciência Hoje na Escola desde 1996. Desde 1997, o instituto mantém também um portal de divulgação científica na internet: a Ciência Hoje On-line.
Vida de inseto - A natureza é vibrante e colorida não somente nas densas florestas, mas também em nossos quintais, jardins e parques. É o que mostram os registros do fotógrafo Vyacheslav Mishchenko e sua infinita capacidade de observar a ‘vida secreta’ dos pequenos seres, em cenários idílicos que parecem saídos de uma obra de fantasia.Mishchenko se diz um apaixonado pelos caramujos, criaturas que considera extraordinárias por suas formas, seu comportamento e sua beleza. Não é à toa que esses animais são as principais estrelas de sua obra, que também registra momentos únicos vividos por formigas, joaninhas e outros pequenos seres –tudo ao ar livre, em ambientes que poderiam ser um cantinho do seu jardim. Confira algumas imagens:


fotógrafo  - Vyacheslav Mishchenko
fotógrafo  - Vyacheslav Mishchenko
fotógrafo  - Vyacheslav Mishchenko
fotógrafo  - Vyacheslav Mishchenko
fotógrafo  - Vyacheslav Mishchenko
As belas imagens são tão perfeitas que parecem montagens, mas o fotógrafo jura que todos os insetos são registrados em seu hábitat natural e que é questão de sorte estar no lugar certo, no momento certo, para capturar esses instantes. Confira mais na página de Mishchenko no Facebook -    https://www.facebook.com/pages/Vyacheslav-Mishchenko/425528437562422 - . Com certeza depois dessas imagens você não conseguirá mais olhar para um canteirinho ou um parquinho com os mesmo olhos…
Fonte - Revista Amazônia  08/08/2014

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

20ª Semana de Tecnologia metroferroviária terá onze painéis de debate

Tecnologia

De acordo com o programa, os painéis de debate serão desenvolvidos a partir do segundo dia, 10 de setembro, até a data final do encontro, 12 de setembro.

Aeamesp
foto - ilustração
O trinômio Crescimento, Equilíbrio e Desenvolvimento resume o tema geral da 20ª Semana de Tecnologia Metroferroviária, que a AEAMESP promoverá no período de 9 a 12 de setembro de 2014, no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo, paralelamente à exposição de produtos e serviços Metroferr 2014.
De acordo com o programa, os painéis de debate serão desenvolvidos a partir do segundo dia, 10 de setembro, até a data final do encontro, 12 de setembro.
Dia 10 de setembro, quarta-feira. No segundo dia do encontro serão desenvolvidos os quatro primeiros painéis: Painel 1 - Gerenciamento da demanda no transporte; Painel 2 - Planejamento urbano integrado ao de transporte e seus impactos na qualidade de vida e no mercado imobiliário; Painel 3 - Desafios da operação de sistemas metroferroviários em um cenário de demanda elevada, e o Painel 4 - Capacitação profissional para prover mobilidade: estamos preparados?
11 de setembro de 2014, quinta-feira. No terceiro dia da 20ª Semana de Tecnologia Metroferroviária serão desenvolvidos outros quatro painéis: Painel 5 - A gestão como fator crítico de sucesso de grandes empreendimentos de infraestrutura; Painel 6 - Trens regionais na Macrometrópole Paulista, uma necessidade e oportunidade de reorganização territorial; Painel 7 - Integração e racionalização para eficiência e melhoria do transporte público, e Painel 8 - Monotrilho e VLT, contribuindo para a mobilidade urbana no Brasil.
12 de setembro, sexta-feira. No último dia do encontro, serão desenvolvidos três painéis: Painel 9 - Geração descentralizada de energia nos sistemas metroferroviários; Painel 10 - Financiamento e investimento em infraestrutura, e Painel 11 - Projetos de ampliação e modernização de transporte sobre trilhos em curso no Brasil.
Outras informações no site - www.semanametroferroviaria.com.br 
Fonte - Revista Ferroviária 08/08/2014

Preços dos alimentos caem pela quarta vez e seguram IPCA de julho

Economia

Para Eulina Nunes, coordenadora de pesquisas de preços do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a principal razão para o resultado foi uma oferta alta de alimentos."A safra do Brasil está estimada em cerca de 192 milhões de toneladas de grãos, isso significa mais de 2% acima da safra anterior.

Vinícius Lisboa 
Repórter da Agência Brasil 
Preços dos alimentos teve quarto recuo seguido
 e segurou o resultado do IPCA de julho
Antonio Cruz/Agência Brasil
O preço dos alimentos ajudou a segurar a taxa de inflação registrada em julho, que ficou em 0,01% e puxou o acumulado em 12 meses de volta para o teto da meta do governo, que havia sido superado no mês passado. Para Eulina Nunes, coordenadora de pesquisas de preços do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a principal razão para o resultado foi uma oferta alta de alimentos.
"A safra do Brasil está estimada em cerca de 192 milhões de toneladas de grãos, isso significa mais de 2% acima da safra anterior. Além disso, a safra de outros países importantes do mundo também tem sido anunciada como muito boa, e com isso os índices de inflação de alimentos do mundo vêm recuando", avaliou.
O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de Alimentos e Bebidas, que estava negativo em junho, caiu de 0,11% para 0,15% em julho. Foi o quarto recuo seguido, puxado com mais força pelos alimentos consumidos em casa, com baixa de 0,51%. Os alimentos consumidos fora de casa mantiveram variação positiva em julho, de 0,52%, mas, ainda assim, menor que a registrada em junho, de 0,82%.
As principais quedas em julho foram da batata-inglesa (-18,84%), do tomate (-17,33%), e do feijão fradinho (-7,54%). A farinha de mandioca, componente de peso na mesa dos nordestinos, caiu 3,46%. Entre os alimentos que encareceram, estão os laticínios, como o leite (2,16%), o queijo (1,82%) e o leite em pó (0,87%).
"Os alimentos, destacando os consumidos no domicílio, vêm caindo sucessivamente nos últimos tempos. Em julho, mostraram uma queda de 0,15%, que, embora o consumidor não sinta no seu próprio bolso, porque os preços estão relativamente altos, foi muito importante para conter a taxa do IPCA no mês".
A única região metropolitana que registrou inflação nos alimentos consumidos em casa foi São Paulo, onde foi constatada alta de 0,25%. Em Campo Grande, os preços chegaram a cair 2,26%. Quando analisados os alimentos consumidos fora da residência, Fortaleza (0,09%) e Rio de Janeiro (0,10%) têm as menores taxas; e Brasília, com 1,5%, a maior.
Apesar das quedas nos últimos meses, a inflação dos alimentos continua acumulada acima do índice geral, com 7,69% em 12 meses, contra 6,5% da composição de todos os grupos. Nos sete meses de 2014, a taxa acumula 4,91%, também superior ao IPCA de 3,76%.
Fonte - Agência Brasil  08/08/2014

Travessia marítima volta a operar nesta sexta

Salvador

Embarcações realizam a travessia a cada 30 minutos - O último horário está previsto para as 20h, saindo de Salvador, e 18h30, partindo de Mar Grande.

A Tarde
Da Redação
Fernando Amorim | Ag. A TARDE
A travessia Salvador-Mar Grande voltou a operar normalmente nesta sexta-feira, 8, após dois dias suspensa por conta do mau tempo. Oito embarcações estão em tráfego, com horários de saída a cada 30 minutos.
De acordo com a Associação dos Transportadores Marítimos da Bahia (Astramab), o último horário está previsto para as 20h, saindo de Salvador, e 18h30, partindo de Mar Grande.
As escunas de turismo que fazem o passeio pelas ilhas da Baía de Todos-os-Santos estão fora de operação, enquanto a linha marítima Salvador-Morro de São Paulo segue com conexão em Itaparica. Os catamarãs zarpam do Terminal Náutico da Bahia com destino a Itaparica, de onde os passageiros seguem via terrestre até a Ponta do Curral, em Valença, e de lá atravessam para Morro. Os horários de saída de Salvador são às 9h, 10h30, 13h e 14h30.
Fonte - A Tarde  08/08/2014

Selecionados no Sisutec têm até hoje para fazer matrícula

Educação

A lista dos selecionados está disponível no site do Sisutec. Nesta edição, foram oferecidas 289.341 vagas em cursos técnicos e gratuitos em instituições públicas e particulares e do Sistema S (que inclui instituições como Sesi, Senac, Senai e Sesc).

Mariana Tokarnia 
Repórter da Agência Brasil 

Hoje (8) é o último dia de matrícula para os selecionados na segunda chamada do Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec). O candidato deverá verificar, na instituição de ensino em que foi aprovado, o local, horário e os procedimentos para a matrícula. Quem perder o prazo, perde a vaga.
A lista dos selecionados está disponível no site do Sisutec. Nesta edição, foram oferecidas 289.341 vagas em cursos técnicos e gratuitos em instituições públicas e particulares e do Sistema S (que inclui instituições como Sesi, Senac, Senai e Sesc).
Para se inscrever, o candidato precisava ter concluído o ensino médio e feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) do ano passado, sem tirar 0 na redação. Pelas regras do Sisutec, 85% das vagas são destinadas a candidatos que cursaram o ensino médio em escolas públicas ou privadas, como bolsistas integrais.
As vagas que não forem preenchidas no período de matrícula serão disponibilizadas online para todos aqueles que fizeram o ensino médio, independentemente de terem feito o Enem. Nessa etapa, o preenchimento será por ordem de inscrição, no período de 11 a 20 de agosto. O candidato terá dois dias para fazer a matrícula na instituição, senão perde a vaga.
O Sisutec foi criado no ano passado, como parte do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). O processo seletivo ocorre duas vezes por ano.
Fonte - Agência Brasil   08/08/2014

Ventos de até 45km por hora sacodem Salvador e ampliam os engarrafamentos

Salvador

A previsão é de que a partir de hoje o tempo melhore gradativamente com períodos de abertura, segundo informou a meteorologista do Inmet, Marinês Cardoso, acrescentando que o motivo do frio e chuva é devido a “frente fria que está afastada do Oceano, mas mesmo assim influencia”, explicou.

Noemi Flores - TB 
foto - ilustração
A madrugada de ontem assustou muitos soteropolitanos com ventos fortes que chegaram a 45 km por hora, melhorando no decorrer da manhã, atingindo 15 km/h, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), e chuva de 8,6 mm.
A cidade amanheceu com pelo menos oito semáforos quebrados, nas principais áreas, árvores caídas em alguns bairros, obrigando a suspensão de travessias marítimas e da faixa solidária na orla marítima.
A previsão é de que a partir de hoje o tempo melhore gradativamente com períodos de abertura, segundo informou a meteorologista do Inmet, Marinês Cardoso, acrescentando que o motivo do frio e chuva é devido a “frente fria que está afastada do Oceano, mas mesmo assim influencia”, explicou.
Cardoso disse ainda que é época deste clima e a previsão de que chuvas mais fracas continuem ao longo do dia e o “mês de agosto sempre tem mais ressaca no litoral do estado”, declarou. A ressaca é o movimento anormal das ondas do mar sobre si mesmas na área de rebentação, causada por rápidas e violentas mudanças climáticas.
De acordo com a Superintendência de Trânsito e Transporte do Salvador (Transalvador), até o outdoor de boas-vindas a Salvador, localizado na saída do aeroporto internacional, não escapou dos ventos ( ‘Bem-Vindos a Salvador’) ficando destruído.
Duas árvores que caíram assustaram moradores, como na rua Francisco Correia da Cunha, no bairro de São Caetano, atingindo uma casa, mas sem ferir ninguém e outra no Vale dos Rios. E na rua Miguel Canizares, próximo ao colégio Oficina, na Pituba, foi ameaça de desabamento, quando os galhos da árvore atingiram a fiação de um poste que ficou inclinado.
Durante a manhã toda técnicos da Transalvador trabalharam no conserto das sinaleiras quebradas. Já a travessia marítima do Sistema Salvador-Mar Grande foi suspensa desde a tarde de quarta-feira, devido à predominância de fortes ventos e mar agitado na Baía de Todos os Santos. E o trânsito na capital fluiu lento devido aos problemas apresentados.
A faixa solidária, que compreende o trecho entre o Sesc-Piatã e o bairro da Boca do Rio, criada com a intenção de estimular a carona solidária, foi também suspensa devido ao mau tempo, principalmente os fortes ventos.
Dados da Codesal, até o início da tarde de ontem, informaram a existência de oito solicitações sendo uma ameaça de deslizamento, uma árvore ameaçando cair, duas árvores caídas, deslizamento de terra , uma infiltração e duas orientação técnica.
Fonte - Tribuna da Bahia  08/08/2014

Rússia dribla sanções dos EUA e Europa com aumento de compras no Brasil

Internacional

O ministro Nikolai Fyodorov disse que importações da Rússia significam uma revolução no campo para o Brasil - O governo russo também anunciou que vai proibir a importação de frutas, vegetais, carnes, peixes e laticínios dos Estados Unidos, União Europeia, Austrália, Canadá e Noruega.

Da Redação - CB
Agências internacionais de Moscou

Ministro da Agricultura da Rússia, Nikolai Fyodorov disse, nesta quinta-feira, que seu país tem maneiras de compensar a proibição de importação de alimentos e produtos agrícolas da União Europeia e dos EUA, imposta pelas sanções contra o país após a anexação da Crimeia, com um maior fornecimento de carne do Brasil e queijos da Nova Zelândia. A Rússia também discute a proibição de importação com Cazaquistão e Belarus, disse o ministro em entrevista coletiva, nesta manhã. O governo russo também anunciou que vai proibir a importação de frutas, vegetais, carnes, peixes e laticínios dos Estados Unidos, União Europeia, Austrália, Canadá e Noruega.
O secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Seneri Paludo da Rússia também disse à agência de notícias russa Interfax, no início desta tarde, que a situação pode representar uma “revolução” para a indústria brasileira, comparável à que a China provocou nas exportações de soja do Brasil na última década. Na véspera, o governo russo anunciou a suspensão da importação de matérias-primas de países que decidiram sancionar o país por causa do conflito no leste da Ucrânia. Adotada para “proteger os interesses nacionais”, a medida vale por um ano.
Ainda na quarta-feira, o serviço sanitário russo ampliou de 30 para cerca de 90 o número de frigoríficos brasileiros autorizados a exportar carne bovina, suína e de frango ao país. Isso mostra a intenção do governo de substituir as importações dos países com os quais está em crise pelas brasileiras.
O Brasil também poderá aumentar as suas exportações das atuais 60 mil toneladas de frango para 210 mil em um ano, ao ocupar parte do espaço deixado pelos EUA. Ainda poderia abocanhar também parte das exportações da UE, estimadas em 40 mil toneladas.
Caso o Brasil consiga vender esse volume adicional de 150 mil toneladas, acrescentaria US$ 300 milhões de receitas à balança comercial.
Em Paris, há dois meses, o representante russo da Defesa Agropecuária, Dankert Sergey, já havia dito ao ministro da Agricultura, Neri Geller, que seu país teria uma necessidade urgente de carnes e que daria um tratamento especial ao Brasil. No caso da carne suína, os produtores poderão não responder imediatamente ao apetite russo porque demanda e produção estão ajustadas internamente.
Para a carne bovina, que tem a Rússia entre os principais importadores, a boa notícia é a abertura do mercado de miúdos. A necessidade russa poderá, aliás, provocar um aumento de preços, roubando o espaço de mercados que pagam menos, inclusive o consumidor brasileiro.
Fonte - Correio do Brasil  07/08/2014

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Produção de petróleo bate recorde em junho

Petrobras

No total, a produção de petróleo e gás natural no Brasil em junho atingiu 2,79 milhões de barris de óleo equivalente por dia, volume superior ao de maio, quando totalizou 2,721 milhões de barris.-De acordo com a ANP, o aproveitamento do gás natural no mês chegou a 95,1%. 

Flavia Villela 
Repórter da Agência Brasil 
foto - ilustração
A produção de petróleo no Brasil atingiu recorde de 2,246 milhões de barris por dia em junho e superou o recorde anterior de 2,231 milhões de barris registrado em janeiro de 2012. informou hoje (7) a Agência Nacional do Petróleo (ANP). Houve aumento de 2,6% na produção de petróleo em relação a maio de 2014 e de 6,9% na comparação com junho de 2013.
A produção de gás natural chegou a 86,6 milhões de metros cúbicos e superou em 2,4% a do mês anterior, de 84,5 milhões de metros cúbicos por dia, e em 8,2% a de junho de 2013.
No total, a produção de petróleo e gás natural no Brasil em junho atingiu 2,79 milhões de barris de óleo equivalente por dia, volume superior ao de maio, quando totalizou 2,721 milhões de barris.
A produção no pré-sal aumentou 6,2% em relação ao mês anterior e chegou a 583,2 mil barris de óleo equivalente por dia, sendo 478 mil barris de petróleo e 16,7 milhões de metros cúbicos de gás natural.
De acordo com a ANP, o aproveitamento do gás natural no mês chegou a 95,1%. A queima de gás natural em junho foi cerca de 4,3 milhões de metros cúbicos por dia, uma redução de aproximadamente 9,9% em relação ao mês anterior e aumento de 14,7% em relação a junho de 2013.
Em torno de 90% da produção de petróleo e gás natural foram provenientes de campos operados pela Petrobras.
Aproximadamente 92,4% da produção de petróleo e 73,5% da produção de gás natural do Brasil foram extraídos de campos marítimos. O Campo de Roncador, na Bacia de Campos, foi o que registrou maior produção de petróleo, com média de 256,2 mil barris por dia. O maior produtor de gás natural foi o Campo de Mexilhão, na Bacia de Santos, com média diária de 6,6 milhões de metros cúbicos.
A ANP informou também que, em junho, 303 concessões, operadas por 24 empresas, foram responsáveis pela produção nacional. Dessas, 82 são concessões marítimas e 221, terrestres.
Fonte - Agência Brasil  07/08/2014

Pesquisadores do Projeto Tamar Bahia estudam população de tartarugas-oliva

Ecologia

Com a padronização e sistematização dos registros é possível compreender parâmetros demográficos essenciais sobre a população de tartarugas-oliva (Lepidochelys olivacea) no País. - A análise concluída será submetida a periódico científico para divulgação dos resultados e compartilhamento do conhecimento sobre a espécie.

Portal Brasil
Foto: Reprodução / Internet
O trabalho conjunto de equipes do Projeto Tamar da Bahia e de Sergipe em parceria com a pesquisadora do programa de ecologia e avaliação de tartarugas marinhas da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional - Noaa, na Califórnia, Manjula Tiwari, analisa série histórica de dados coletados em temporadas reprodutivas das tartarugas monitoradas pelo Tamar no Brasil de 1999 a 2014.
Com a padronização e sistematização dos registros é possível compreender parâmetros demográficos essenciais sobre a população de tartarugas-oliva (Lepidochelys olivacea) no País. "Os dados possibilitarão testar várias hipóteses e responder questões essenciais para tomadas de decisão e planejamento para a conservação desses animais nos próximos anos", diz Neca.
Ao longo do tempo, análises vão possibilitar a adoção de parâmetros como o número de ninhos por fêmeas, o que viabiliza contabilizar a quantidade de indivíduos desovando por temporada; o intervalo de tempo que cada indivíduo desova em uma mesma temporada; e entre temporadas, chamado de intervalo de remigração (para retornar da área de alimentação para a área de desova); a fidelidade das fêmeas a um mesmo trecho de praia para fazerem seus ninhos, dentre outros, conta a coordenadora de pesquisa e conservação do Tamar, Neca Marcovaldi.
A análise concluída será submetida a periódico científico para divulgação dos resultados e compartilhamento do conhecimento sobre a espécie. Das cinco que ocorrem no Brasil, a tartaruga-oliva é a que tem comprovadamente maior tendência de crescimento populacional por ano (12,3% de 2004 a 2011).
O registro de concentração regular de desovas em números significativos acontece apenas em um trecho de praia entre o litoral sul do estado de Alagoas e o litoral norte da Bahia, com maior densidade de ninhos no estado de Sergipe, tornando-a espécie de tartarugas marinhas mais vulnerável às ameaças e mudanças no habitat.

História
As tartarugas-oliva no Brasil deixaram de ser importantes apenas localmente. As praias de Sergipe e da Bahia abrigam as mais relevantes áreas de reprodução dessa espécie no oceano Atlântico Ocidental. A base de pesquisa de Pirambu foi a primeira a ser criada pelo Tamar, em 1981.
Nesta época, pouco se sabia sobre o comportamento reprodutivo das tartarugas marinhas. Os pescadores preferiam as noites de lua cheia para facilitar a localização e a coleta das desovas. Os ovos eram uma iguaria famosa, encontrada em Pirambu e até em Aracaju. Era preciso caminhar muito e ser muito insistente para conseguir encontrar e assistir a "dança" das raras olivas.
A transferência do conhecimento tradicional dos pescadores para os pesquisadores foi essencial para iniciar o trabalho conservação, explica a coordenadora técnica do Tamar em Sergipe, Jaqueline Comin de Castilhos. Na Costa Rica, no México e na Índia, as fêmeas sobem às praias para desovar em grandes grupos que chegam a totalizar 100 mil indivíduos por “arribada”.

Sobre o Tamar
O Projeto Tamar-ICMBio foi criado em 1980, pelo antigo Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Florestal (IBDF), que mais tarde se transformou no Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama). Hoje, é reconhecido internacionalmente como uma das mais bem sucedidas experiências de conservação marinha e serve de modelo para outros países, sobretudo porque envolve as comunidades costeiras diretamente no seu trabalho socioambiental.
Pesquisa, conservação e manejo das cinco espécies de tartarugas marinhas que ocorrem no Brasil, todas ameaçadas de extinção, é a principal missão do Tamar, que protege cerca de 1.100km de praias, através de 19 bases de pesquisa e conservação e 11 Centros de Visitantes localizados em áreas de alimentação, desova, crescimento e descanso desses animais, no litoral e ilhas oceânicas, em nove estados brasileiros.
Fonte - Tribuna da Bahia  07/08/2014

Teste de VLT Natal deve começar em 60 dias

Transportes sobre Trilhos

Das 14 composições adquiridas para renovação da frota ferroviária na Região Metropolitana, 12 são VLTs e dois são locomotivas tradicionais. O conjunto foi adquirido por R$ 154 milhões através do PAC Equipamentos. Além da composição do VLT, as duas locomotivas também chegaram e estão sendo testadas.

Tribuna do Norte (RN)
foto - ilustração
A primeira composição do Veículo Leve sobre Trilho (VLT) que circulará na capital potiguar já está na superintendência da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), na Ribeira, mas ainda sem data definida para entrar em circulação. Mas a expectativa do órgão é que o primeiro VLT passe a circular com passageiros, em fase teste, no prazo de dois meses, sem previsão de aumento no valor da tarifa, que custa R$ 0,50.
Das 14 composições adquiridas para renovação da frota ferroviária na Região Metropolitana, 12 são VLTs e dois são locomotivas tradicionais. O conjunto foi adquirido por R$ 154 milhões através do PAC Equipamentos. Além da composição do VLT, as duas locomotivas também chegaram e estão sendo testadas.
A primeira composição do veículo leve foi apresentada ontem pelo superintendente da CBTU em Natal, João Maria Cavalcanti, que também falou sobre o projeto de modernização do sistema ferroviário potiguar. Além desse, o segundo VLT deve chegar à cidade no fim deste mês e, posteriormente, a chegada dos outros dez com intervalo médio de dois meses entre cada um. A previsão é de que a implantação do VLT seja concluída em três anos.
“Quanto mais veículos, são mais viagens e mais demanda. A expectativa é passar da média de 6 mil passageiros diários para 18 mil. Um estudo indica que há uma demanda reprimida de 60 mil passageiros/dia das zonas Norte e Sul”, afirma o superintendente.
Os VLTs atuarão na linha Sul (Natal/Parnamirim) e parte da linha Norte (Natal/Nova Natal). Segundo Cavalcanti, a presença em parte da linha é necessária para cumprir o intervalo prometido de 20 minutos. No restante da linha Norte, entre a estação Nova Natal e a de Ceará-Mirim, atuarão as novas locomotivas.
Dentro da modernização do sistema na Grande Natal, o pré-projeto elaborado pela CBTU prevê reparos das 22 estações da década de 1980, criação de outras oito, manutenção e substituição de parte dos trilhos e dos dormentes (apoio para as linhas férreas). A expectativa do órgão é que a implantação das novas estações torne o sistema ferroviário mais acessível à população, deixando-a mais visível e próxima às paradas de ônibus e corredores viários. “O sistema de ônibus está saturado e o sistema de trem, transporte de massa de grande capacidade, pode ajudar a diminuir a demanda de veículos”, disse o superintendente.
Devem ser feitos ainda viadutos ou túneis, nos cruzamentos da ferrovia com as avenidas João Medeiros Filho, Mário Negócio, Bernardo Vieira, e Capitão Mor Gouveia. Esses equipamentos para os automóveis visam dar mais celeridade ao tráfego dos dois tipos de veículo, mas, de acordo com a companhia, independe da implantação do VLT.
Essas demandas serão entregues à empresa vencedora da licitação, em fase de conclusão, para elaborar o projeto executivo dentro do prazo inicial de um ano. A expectativa de João Maria Cavalcanti é que os serviços durem dois anos. Para esse projeto e obras, a CBTU garantiu R$ 311,65 milhões através do PAC Mobilidade Grandes Cidades.
Desse total voltado à reestruturação da rede, foram liberados R$ 53 milhões para pagar o projeto e parte do material a ser adquirido para substituição. Cavalcanti garante que os reparos a serem feitos, mesmo na linha, não impedem o funcionamento normal da rede. “Os trens e VLTs não vão parar de rodar por causa das obras. Esse pode ser feito com eles em circulação”.

O que é VLT?
O Veículo Leve sobre Trilho (VLT) é um equipamento de transporte mais moderno que as tradicionais locomotivas férreas. Similar aos ônibus, o VLT é mais leve que as locomotivas em uso, em Natal. Serão compostas por três vagões, cada uma com capacidade para 200 passageiros, podendo transportar até 600 pessoas de uma vez. O VLT também se diferencia por ser bimotor e, por ter um em cada ponta, não precisa fazer curvas, indo para frente e para trás. Serão climatizados e, de acordo com a CBTU, passarão nas estações a cada 20 minutos.

Novas estações
Na modernização, serão implantadas oito novas estações na Região Metropolitana de Natal:

BR-101 Sul, próximo ao viaduto de Parnamirim
BR-101 Norte, próximo à fábrica da Ambev
Próximo à avenida das Fronteiras, na zona Norte
Estação Baldo, próximo ao Passo da Pátria
Estação próximo aos shoppings Estação e Norte Shopping
Estação no Bairro Nordeste
Estação próximo à Lagoa de Extremoz

Unificação das atuais duas paradas do Alecrim, uma para cada linha

Números
R$ 154 milhões do PAC Equipamentos foram usados para aquisição de 12 VLTs e duas locomotivas.
R$ 311,65 milhões do PAC Mobilidade Grandes Cidades para reparos e modernização da rede ferroviária.
600 passageiros poderão ser transportados por VLT.
8 novas estações serão construídas na Grande Natal.
22 é o número de estações existentes na rede da CBTU Natal.
6 mil é a média de passageiros transportados diariamente.
18 mil é a projeção de passageiros/dia transportados quando implementados os quatro VLTs.
60 mil é a projeção de passageiros/dia, incluindo transporte pelas tradicionais locomotivas.
1.545.298 passageiros transportados em 2013.
1.126.629 passageiros transportados em 2012.
1.853.048 passageiros transportados em 2011.
Fonte - Revista Ferroviária  07/08/2014

Começa a valer hoje multa para patrão que não assinar carteira de doméstica

Cidadania

O Ministério do Trabalho fará a fiscalização por meio de denúncias. Para fazer uma denúncia, o trabalhador, um parente ou pessoa próxima deve procurar uma unidade regional do ministério - Agência do Trabalhador, Delegacia do Trabalho, Superintendência Regional do Trabalho - onde terá de preencher um formulário com os dados do empregador.

Karine Melo 
Repórter da Agência Brasil 
O Instituto Doméstica Legal prevê que o número
 de formalização no setor aumente de 10% a 15%
Antônio Cruz/Agência Brasil
A partir de hoje (7), a informalidade do trabalhador doméstico pode resultar em multa de até R$ 805,06 para o patrão. A previsão está na Lei 12.964/14. Segundo dados da Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílio (Pnad) 2012, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), dos 6,35 milhões de domésticos no Brasil, 4,45 milhões (70% da categoria) são informais.
O Ministério do Trabalho fará a fiscalização por meio de denúncias. Para fazer uma denúncia, o trabalhador, um parente ou pessoa próxima deve procurar uma unidade regional do ministério - Agência do Trabalhador, Delegacia do Trabalho, Superintendência Regional do Trabalho - onde terá de preencher um formulário com os dados do empregador. O patrão será notificado a comparecer a uma Delegacia do Trabalho para prestar esclarecimentos. “Caso o empregador não compareça, a denúncia será encaminhada ao Ministério Público do Trabalho para que tome as providências cabíveis”, garantiu o coordenador-geral de Recursos, da Secretaria de Inspeção do Trabalho, Roberto Leão.
Segundo ele, não haverá fiscalização nas residências. "Em momento nenhum a gente vai fiscalizar a casa das pessoas. De acordo com o Artigo 5º da Constituição Federal, o lar é inviolável. As pessoas não podem ingressar a não ser que tenham autorização judicial”, esclareceu à Agência Brasil.
Para Leão, a existência de multa tem grande caráter pedagógico. “A partir do momento em que existe uma penalidade que pode ser aplicada ao patrão, isso é um incentivo para que as pessoas regularizem a situação porque até agora isso não existia. Até agora, o único risco que existia ao empregador era o trabalhador ingressar em juízo. A gente entende que isso incentiva a formalização dos vínculos”, avalia.
De acordo com o presidente do Instituto Doméstica Legal, Mário Avelino, a expectativa é que o número de formalizações aumente de 10% a 15%, já que a informalidade “vai ficar mais cara”. Segundo ele, o fato de a multa começar a vigorar já "quebra a espinha de uma cultura patriarcal". “A lei trabalhista doméstica sempre foi [benéfica] para o patrão. A lei determina o direito, mas não [prevê casos em] que ela for descumprida, por isso a informalidade é tão alta”, lembra.
“O registro das informações na carteira é obrigatório, mesmo nos casos em que o profissional esteja em período de experiência”, explica o advogado trabalhista Cristiano Oliveira. Ainda segundo ele, se a pessoa trabalha pelo menos três dias por semana para uma família, precisa ser registrada dentro das normas. São considerados trabalhadores domésticos, cuidadores, auxiliares de limpeza, cozinheiras, jardineiros, motoristas e caseiros e babás, entre outros.

A lei que determina a punição por falta de registro não faz parte da chamada PEC das Domésticas, emenda constitucional que igualou os direitos dos empregados domésticos aos dos demais trabalhadores, promulgada em abril do ano passado. Entretanto, é considerada mais uma conquista dos trabalhadores já que pressiona os patrões a formalizar a situação dos domésticos. Vários dos direitos previstos na PEC das Domésticas ainda não foram regulamentados. Trabalhadores domésticos e defensores da categoria reclamam da demora para a consolidação de direitos considerados fundamentais como o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), salário-família e seguro-desemprego. Com o ano eleitoral, a expectativa é que a regulamentação, parada na Comissão Especial do Congresso Nacional que trata do assunto, só saia no ano que vem.
“O registro das informações na carteira é obrigatório, mesmo nos casos em que o profissional esteja em período de experiência”, explica o advogado trabalhista Cristiano Oliveira. Ainda segundo ele, se a pessoa trabalha pelo menos três dias por semana para uma família, precisa ser registrada dentro das normas. São considerados trabalhadores domésticos, cuidadores, auxiliares de limpeza, cozinheiras, jardineiros, motoristas e caseiros e babás, entre outros.
A lei que determina a punição por falta de registro não faz parte da chamada PEC das Domésticas, emenda constitucional que igualou os direitos dos empregados domésticos aos dos demais trabalhadores, promulgada em abril do ano passado. Entretanto, é considerada mais uma conquista dos trabalhadores já que pressiona os patrões a formalizar a situação dos domésticos. Vários dos direitos previstos na PEC das Domésticas ainda não foram regulamentados. Trabalhadores domésticos e defensores da categoria reclamam da demora para a consolidação de direitos considerados fundamentais como o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), salário-família e seguro-desemprego. Com o ano eleitoral, a expectativa é que a regulamentação, parada na Comissão Especial do Congresso Nacional que trata do assunto, só saia no ano que vem.

Fonte - Agência Brasil  07/08/2014

Movimentos Sociais criam a CMTT - Comissão Metropolitana de Transportes sobre Trilhos - Salvador

Transportes Sobre trilhos

Movimentos Sociais e entidades populares defensoras dos trilhos, criam uma comissão (CMTT) onde atuarão juntos a partir de agora, na defesa e no incentivo a revitalização do sistema de transportes sobre trilhos para o subúrbio,RMS e regional.

Da Redação
foto  - ilustração
Movimentos sociais que já conversavam mais ainda vinham atuando forma individual com ações  em prol da revitalização do transporte sobre trilhos para Salvador e RMS (Região Metropolitana de Salvador),firmaram uma parceria para trabalharem em conjunto e agora unindo forças através da recém criada CMTT (Comissão Metropolitana de Transportes sobre Trilhos).A comissão passa a ser integrada pelos Movimentos - Salvador Sobre trilhos / Verde Trem / Sociedade Nacional Mov. Trem de Ferro todos de Salvador,além das entidades Assoc. dos Pescadores e Marisqueiras de Simões Filho -  / Organização Não Governamental União Planetária,Bahia. - Com consultoria técnica de Lazaro Santos da Escola Politécnica da Ufba.
A comissão tem por objetivo a defesa,a revitalização e o incentivo ao uso do trem como o melhor sistema de transportes para o subúrbio,RMS,além do trem regional,promovendo debates com os diversos setores públicos envolvidos a sociedade civil e demais interessados,buscando dessa forma colaborar de maneira atuante e positiva com atividades e contribuições aos projetos futuros e existentes na área de mobilidade que integrara Salvador com as cidades circunvizinhas e da BTS.
A comissão já realizou entre os dias 05 e 06 desse mês as suas primeiras atividades,entre elas uma visita ao MP-BA,e reuniões na CTB (Cia de Trens da Bahia) e na Casa Civil com resultados que podemos considerar como bastante positivos e promissores.A CMTT terá também em suas atividades o acompanhamento de técnicos graduados na área de mobilidade que darão consultoria,suporte e contribuições para o aprimoramento e o melhor desenvolvimento dos trabalhos a serem realizados doravante pela referida comissão.Na pauta da comissão também estarão inclusos os transportes hidroviários na BTS e as integrações dos sistemas. Na próxima semana a CMTT iniciara uma serie de visitas semanais,uma a cada semana,as cidades da RMS para realizar reuniões e debates sobre o tema em questão,iniciando provavelmente pela cidade de Camaçari.A iniciativa foi bem recebida por todos os participantes que integram a Comissão e os mesmos estão empenhados em tocar o projeto com empenho e muita dedicação.Além das visitas a serem programadas para as cidades vizinhas algumas reuniões já estão agendadas para tratar de assuntos sobre o tema além de uma visita oficial ao sistema metroviário de Salvador.Estaremos a partir de então divulgando neste blog e na Pagina do Salvador Sobre Trilhos as atividades da comissão bem com os resultados obtidos pela mesma.
CMTT  Comissão Metropolitana de Transportes sobre Trilhos - 07/08/2014

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Dilma defende utilização de rios para escoar produção nacional

Infraestrutra

“A Amazônia devia utilizar seus rios para escoamento dos seus produtos[…]. Para mim, uma das questões nos próximos quatro anos é a da ênfase no transporte hidroviário, combinado e articulado com ferroviário”, disse a candidata, citando possíveis trajetos da soja e do milho por ferrovias que saem do Mato Grosso, desembocam no Rio Amazonas e vão para o oceano.

RA

A candidata à reeleição à Presidência Dilma Rousseff (PT) disse ontem, terça-feira (5), que o Brasil precisa aproveitar mais eficientemente os seus recursos hídricos disponíveis para o transporte de produtos agrícolas pelo país. Durante visita à Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no Pará, ela criticou o fato de mais de 40% da produção de grãos do Brasil escoar para portos do Sudeste ou do Sul, apesar das produções ocorrerem em grande parte nos estados ao norte do país.
“A Amazônia devia utilizar seus rios para escoamento dos seus produtos[…]. Para mim, uma das questões nos próximos quatro anos é a da ênfase no transporte hidroviário, combinado e articulado com ferroviário”, disse a candidata, citando possíveis trajetos da soja e do milho por ferrovias que saem do Mato Grosso, desembocam no Rio Amazonas e vão para o oceano.
Dilma prometeu ainda acompanhar para que o compromisso da empresa responsável pelas obras de Belo Monte de construir cerca de 5,3 mil moradias para as famílias impactadas pela usina seja cumprido. Segundo ela, só agora alguns municípios próximos à usina estão tendo a possibilidade de construir estações de tratamento de água e de esgoto.
Ao comentar que os investimentos em geração e transmissão de energia elétrica fizeram com que o país não entrasse em racionamento durante a Copa do Mundo, e nem corra o risco de entrar. A candidata disse que ainda é difícil saber o impacto que terá o reajuste da tarifa em 2015 devido às circunstâncias da hidrologia.
Após a visita à usina, Dilma Rousseff visitou a linha de transmissão Tucuruí-Macapá-Manaus, projeto que, em sua opinião, “dá segurança energética para o Norte do país”. “O Norte não se beneficiava com uma das maiores realizações de engenharia que vem sendo construída ao longo dos anos, que é o sistema interligado nacional de transmissão”, disse. De acordo com a candidata, 30% da cidade de Manaus já é abastecido por meio do sistema, que passa pelo Rio Amazonas por meio de duas torres de 295 metros de altura cada.
Fonte - Revista Amazônia 06/08/2014

A VIVO, A TIM E A GVT.

Economia

As únicas nações que escapam disso, dessa verdadeira escravidão digital, são aquelas que mantiveram suas próprias telecoms - grandes companhias de telecomunicações - nas mãos do estado, como fez a China, por exemplo, dona da maior empresa de telecomunicações do mundo, condição da qual o Brasil abdicou ao esquartejar e vender, majoritária e criminosamente a estrangeiros, a área de prestação de serviços da Telebras, no final dos anos 1990.

Mauro Santaiana
Mauro Santayana
(Hoje em Dia) - Disposta a consolidar, a ferro e fogo, seu controle sobre o mercado brasileiro de telecomunicações, a Telefónica da Espanha, dona da Vivo, volta agora sua cobiça para a GVT.
Segundo anunciado pela imprensa europeia, a empresa ofereceu ontem à Vivendi francesa, pouco mais de 20 bilhões de reais pelas operações da GVT no Brasil.
Antes, já tentara tomar, indiretamente, parte do controle da TIM, com a compra de participação acionária em sua matriz. As ligações entre a Telefónica e a Telecom Itália, que estaria também interessada na compra da GVT, são apenas a ponta do iceberg do mercado mundial de telecomunicações: um negócio gigantesco, no qual meia dúzia de sujeitos, donos de meia dúzia de grandes empresas privadas, explora centenas de milhões de consumidores, levando dinheiro, a cada vez que eles usam um telefone fixo, um computador, um celular ou uma televisão.
As únicas nações que escapam disso, dessa verdadeira escravidão digital, são aquelas que mantiveram suas próprias telecoms - grandes companhias de telecomunicações - nas mãos do estado, como fez a China, por exemplo, dona da maior empresa de telecomunicações do mundo, condição da qual o Brasil abdicou ao esquartejar e vender, majoritária e criminosamente a estrangeiros, a área de prestação de serviços da Telebras, no final dos anos 1990.
A Telefónica ganhou, líquidos, no primeiro semestre de 2014, dois bilhões e seiscentos e cinquenta milhões de reais no Brasil, triplicando, entre abril e junho, os lucros do primeiro trimestre, que foram de 660 milhões de reais. Além dos bilhões que envia todos os anos para a Espanha, a empresa, que deve centenas de milhões de reais ao BNDES, ainda cobra “juros” sobre o capital de sua subsidiária brasileira, que pelo que se prevê, chegarão, em 2015, a quase 100 milhões de euros.
É preciso lembrar ao CADE – Conselho Administrativo de Defesa Econômica, ao Congresso, à imprensa e à sociedade, que, na área de telecomunicações, o que o Brasil precisa não é de uma situação de virtual cartel, com grandes empresas estrangeiras controlando cada vez mais nosso mercado, mas de novos concorrentes, que possam oferecer serviços melhores e a um custo menor para um público que já paga, por péssimos serviços, segundo organizações internacionais, das maiores tarifas de telefonia celular do mundo.
No Brasil, o que precisávamos, desde o início, era de uma empresa privada 100% nacional que pudesse fazer isso, ou que a TELEBRAS tivesse sido mantida no mercado para fazer frente aos espanhóis, italianos e mexicanos que para aqui vieram na década de noventa.
A compra da GVT pela Telefónica, caso seja concretizada, evidenciará duas coisas: a irresponsável entrega do mercado nacional para uma empresa estrangeira, e a total inexistência, no Brasil, de uma política de defesa da concorrência digna desse nome.
Fonte - Blog Mauro Santayana  06/08/2014

Poupança tem em julho a maior captação líquida do ano

Economia

Segundo números divulgados hoje (6) pelo Banco Central, a captação líquida (depósitos menos retiradas) da caderneta somou R$ 4,028 bilhões em julho.

Wellton Máximo 
Repórter da Agência Brasil 
foto - ilustração
Pelo terceiro mês seguido, a poupança voltou a atrair o interesse dos investidores. Segundo números divulgados hoje (6) pelo Banco Central, a captação líquida (depósitos menos retiradas) da caderneta somou R$ 4,028 bilhões em julho. Foi o maior ingresso mensal de recursos em 2014, mas o resultado ainda está 57% abaixo do registrado no mesmo mês de 2013, quando a captação líquida tinha atingido R$ 9,331 bilhões.
De janeiro a julho, a captação líquida totalizou R$ 13,642 bilhões, com queda de 63,7% em relação ao mesmo período do ano passado. Em 2013, a poupança havia registrado recorde na entrada de recursos, quando os depósitos superaram os saques em R$ 71,047 bilhões.
O principal responsável pela diminuição do interesse da poupança foi a alta da taxa Selic (juros básicos da economia), atualmente em 11% ao ano. De acordo com a Associação Nacional dos Executivos de Finanças (Anefac), os juros mais altos tornaram, em alguns casos, os investimentos em fundos de renda fixa mais atraentes que a poupança.
Desde abril, o Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) tem mantido a Selic em 11% ao ano. No entanto, nos últimos 15 meses, os juros básicos foram reajustados em 3,75 pontos percentuais para encarecer o crédito e segurar a inflação.
As taxas mais altas aumentaram o rendimento da poupança desde o fim de agosto do ano passado. Pela regra, se a Selic estiver abaixo de 8,5% ao ano, o rendimento será equivalente a 70% da taxa básica de juros mais a Taxa Referencial (TR). Acima desse nível, a caderneta rende 0,5% ao mês mais a TR.
Apesar da melhoria no rendimento da poupança, os fundos de renda fixa passaram a render mais na maioria dos casos. Por lei, a poupança é isenta de Imposto de Renda e de taxas de administração. Mesmo assim, de acordo com a Anefac, os fundos tornaram-se mais vantajosos, principalmente em aplicações de mais de seis meses.
Fonte - Agência Brasil  06/08/2014

Produção e venda de veículos iniciam segundo semestre em alta

Economia

As exportações somaram US$ 1,02 bilhão, volume 19,7% maior do que no mês anterior, mas 32,2% inferior a julho do ano passado. No acumulado dos sete primeiros meses do ano, o valor diminuiu em 24,5% na comparação com igual período do ano passado.

Marli Moreira 
Repórter da Agência Brasil 
Ag.Brasil
As vendas de veículos aumentaram 11,8% em julho na comparação com o mês anterior com um total de 294.768 unidades comercializadas, incluindo veículos leves, caminhões e ônibus. Sobre igual mês do ano passado, no entanto, houve queda de 13,9%. No acumulado do ano, o recuo chegou a 8,6%. Já a produção cresceu 17% na comparação mensal e caiu 20,5% sobre julho de 2013. No acumulado do ano, a queda chegou a 17,4%.
As exportações somaram US$ 1,02 bilhão, volume 19,7% maior do que no mês anterior, mas 32,2% inferior a julho do ano passado. No acumulado dos sete primeiros meses do ano, o valor diminuiu em 24,5% na comparação com igual período do ano passado.
Os resultados sobre o desempenho do setor foi divulgado hoje (6) pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). O presidente da entidade, Luiz Moan, manteve as mesmas previsões do mês passado com quedas de 10% na produção; de 5,4% nas vendas e de 29,1% nas vendas externas. Ele avalia que o desempenho neste segundo semestre será bem melhor do que no primeiro.
“Esperamos um segundo semestre vendendo mais e exportando mais também”, disse Luiz Moan. Ele disse que o maior número de dias úteis vai favorecer um melhor desempenho no restante do ano.

Ele informou que um processo de integração econômica com a Argentina tem evitado que a crise econômica naquele país afete ainda mais o setor que exporta para o país vizinho. Ele defendeu uma redução do custo de produção para ganhar mais competitividade e mercado.
Fonte - Agência Brasil  06/08/2014

Política de valorização do salário mínimo até 2019 avança no Senado

Economia

Para o relator da proposta na comissão, senador Paulo Paim (PT-RS), a medida garantirá a continuidade do processo, beneficiando importantes segmentos sociais.Pelo texto, as diretrizes para a política de valorização do salário mínimo serão estendidas de 2016 a 2019, com base no reajuste pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC)

Karine Melo 
Repórter da Agência Brasil 

A Comissão de Assuntos Sociais (CAS) aprovou hoje (6) projeto que prorroga a política de valorização do salário mínimo até 2019. A política em vigor, que prevê ganhos reais acima da inflação, só terá vigência até 2015.
Para o relator da proposta na comissão, senador Paulo Paim (PT-RS), a medida garantirá a continuidade do processo, beneficiando importantes segmentos sociais.
Pelo texto, as diretrizes para a política de valorização do salário mínimo serão estendidas de 2016 a 2019, com base no reajuste pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) e, a título de aumento real, na variação do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes.
A expectativa é que as aposentadorias com valores acima do salário mínimo também tenham ganho real garantido. De acordo com uma emenda apresentada na CAS , o cálculo desse reajuste será feito com base na concessão da variação acumulada do INPC observada no ano anterior, somada à variação do crescimento das remunerações dos empregados informadas na Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço e Informações da Previdência Social (GFIP) verificada no penúltimo ano anterior ao da concessão do aumento real dos benefícios previdenciários.
A matéria segue para análise da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), onde terá decisão terminativa. Com isso, se o texto for aprovado, vai direto para a Câmara, a menos que haja recurso para votação no plenário do Senado.
Fonte - Agência Brasil   06/08/2014

Viaduto 2 que ligara Imbuí a Paralela (sentido rodoviária) ficara concluído até o fim do mês

Mobilidade

Entrega de obras viárias tem novos prazos - Intervenções no Imbuí-Paralela estão entre as mais importantes

Franco Adailton
Luciano da Matta | Ag. A TARDE
Apesar dos atrasos provocados pelas chuvas, o viaduto 2, que vai ligar o bairro do Imbuí e a Paralela (sentido centro da cidade), deve estar concluído até o fim deste mês, segundo estimativa dos técnicos. Também no Complexo Viário do Imbuí, o viaduto 3 (que liga a Paralela a Narandiba) está em uso desde 3 de junho.
Das cinco intervenções viárias que, conforme anúncio do governo do estado, ficariam prontas até julho, duas obras foram concluídas integralmente. São elas as vias marginais que ligam a 3ª avenida do Centro Administrativo à rodoviária e a alça de ligação entre a avenida Luís Eduardo Magalhães e a rodovia BR-324.
Outra obra que deve ser entregue até o fim de agosto, conforme estimativas, é a via marginal que liga a avenida Luís Eduardo Magalhães ao Imbuí. Quando esta intervenção estiver totalmente pronta, os condutores que vêm da BR-324 ou da avenida San Martin só terão acesso à Paralela após passar pela entrada do bairro.
O Viaduto 3, ligação entre as avenidas Paralela e Jorge Amado, no Imbuí, deve ser concluído até o próximo mês. Com conclusão prevista também para setembro, está a escavação dos túneis que ligarão as avenidas Pinto de Aguiar e Gal Costa, na altura da Universidade Católica.
A maior parte da obra na Pinto de Aguiar já foi concluída e a via, que passou a ter três pistas em cada sentido, já é utilizada. Duas delas, as centrais, serão destinadas ao Bus Rapid Transit (BRT).

Gestor explica
Os novos prazos foram informados pelo diretor de obras estruturantes da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado (Conder), Sérgio Silva, que atribui os atrasos não só às chuvas, mas à complexidade da execução e à Copa. Com um prazo estimado de dois meses, deve ficar pronta a ligação entre a avenida Luís Eduardo Magalhães e o Stiep, via Estrada do Curralinho. A intenção é reduzir o fluxo na avenida Tancredo Neves, que dá acesso ao Stiep.
Vale ressaltar também que em abril os trabalhadores da indústria da construção pesada pararam as principais obras na Bahia, numa greve de cinco dias.
"Estávamos com uma perspectiva de entregá-las em julho. Por causa da chuva e da Copa, perdemos alguns dias de trabalho", reforçou. "Queremos entregar o viaduto 1 do Imbuí e a via marginal, que liga a avenida Luís Eduardo Magalhães ao bairro, ainda este mês, só depende do clima", argumentou Silva.
Ainda segundo Sérgio Silva, o viaduto 2 (Paralela-Imbuí) é uma obra complexa, construída em três módulos, com trechos de sustentação metálica, além de curvas horizontais e verticais. "Esse viaduto possui uma bifurcação em forma de Y, e uma das alças servirá de retorno na Paralela", explicou.
O diretor diz ainda que o adiantamento desse trecho da obra dependerá de uma análise do fluxo de veículos vindos da marginal da avenida Luís Eduardo. "Porque, como há muito metal na obra, temos que fazer a soldagem dos módulos, de modo que não interrompa o trânsito no local", afirmou.

Dois meses
Sobre a Estrada do Curralinho, Silva justifica que o terreno da via é "muito argiloso, o que facilita a absorção de água" e deu um prazo de 60 dias para iniciar a pavimentação. "Já na avenida Pinto de Aguiar, cavar dois túneis por baixo da Paralela é uma questão complexa", pontuou.
Fonte - A Tarde 06/08/2014

Moradores cansam de esperar pela Prefeitura e arborizam bairro

Salvador

A iniciativa além de deixar as ruas com cores e o ar mais saudável mostra que com boa vontade é possível viver em harmonia com a natureza mesmo nos grandes centros urbanos.

Rivânia Nascimento - TB
Foto: Romildo de Jesus
Insatisfeito com o descaso e a manutenção do bairro onde mora, no Alto do Itaigara, o médico gaúcho Mario Neutzling fundou o movimento Apita (Amigos pelo Itaigara) e, junto com os vizinhos, começou a arborizar o bairro há um ano. Com o apoio da comunidade, entre eles adultos e crianças, ele já conseguiu plantar cerca de 95 árvores no local.
A iniciativa além de deixar as ruas com cores e o ar mais saudável mostra que com boa vontade é possível viver em harmonia com a natureza mesmo nos grandes centros urbanos.
De acordo com o médico, ao ver mais um prédio sendo construído no bairro que contempla uma das maiores reservas de Mata Atlântica da cidade, e a falta de conscientização dos moradores que costumavam jogar lixo nas ruas, ele decidiu envolver toda comunidade no projeto.
“Nosso objetivo é somar-se ao poder público na busca de soluções criativas, ecologicamente corretas e economicamente viáveis para as necessidades locais. É importante motivar as pessoas a saírem das bolhas do condomínio e de trás das janelas espelhadas dos automóveis e passar a caminhar na rua e desfrutar a beleza que é viver em uma cidade e conhecer pessoas”disse o médico.
Neutzling conta que organizou um encontro em que foram convidados todos os síndicos de mais de 20 edifícios do Alto do Itaigara, alem de administradores de shoppings e escolas,oportunidade em que expôs suas ideias de criar uma identidade de bairro, com um mobiliário urbano próprio verde, valorizando elementos de arborização urbana, coleta seletiva de lixo, arte e manutenção externa dos prédios e dos passeios.
Em seguida foram feitas pesquisas sobre a espécie e porte apropriado das árvores. A forma e época correta de plantio e o melhor gradil protetor também foram estudadas. Ainda foi idealizada uma intervenção artística em cada moldura das árvores, executadas pelo Atelier de mosaicos Eliezer Nobre.
A primeira rua a ter as calçadas decoradas com as primeiras árvore foi a Antônio Monteiro. A prefeitura, por sua vez, fez a doação de 30 mudas para o projeto que atualmente somam quase 100 árvores plantadas pela comunidade.
Fonte - Tribuna da Bahia  06/08/2014

CPMI sobre metrô de SP começará a funcionar nesta quarta (16/08)

Política

Nova comissão de inquérito quer investigar suposto cartel em SP e no DF. Primeira reunião do colegiado foi marcada para esta quarta, às 15h.

Priscilla Mendes - G1
Adicionar legenda
Na semana em que a oposição acusa governistas de fraudar as investigações da CPI da Petrobras, o senador Eduardo Suplicy (PT-SP) anunciou para esta quarta-feira (6) o início dos trabalhos da Comissão Mista Parlamentar de Inquérito (CPMI) destinada a investigar suposta prática de cartel em licitações do metrô de São Paulo durante governos do PSDB e do Distrito Federal (veja abaixo a lista de integrantes da comissão).
A CPMI do cartel foi criada formalmente em 7 de maio, mas desde então havida sido deixada de lado pelos parlamentares governistas, que são os autores do seu pedido de criação. Pouco tempo depois, o Congresso foi esvaziado com o início da Copa do Mundo e atualmente se encontra em "recesso branco" devido à campanha eleitoral.
Ainda que o Congresso permaneça esvaziado até outubro, os petistas pretendem instalar e dar início aos trabalhos da CPMI do metrô. As investigações poderão atingir o PSDB, partido que governava São Paulo na época das acusações e que tem o senador Aécio Neves (PSDB-MG) como adversário de Dilma Rousseff na disputa pela Presidência da República.
O pedido de criação da CPMI, já aprovado, prevê apuração de "fatos referentes à formação de cartel, corrupção de autoridades e outros ilícitos nos contratos, licitações, execução de obras e manutenção de linhas de trens e metrôs no estado de São Paulo e no Distrito Federal, com uso de recursos federais e em prejuízo na prestação do serviço público de transporte".
Caberá ao senador Eduardo Suplicy, que é o mais idoso dos integrantes, abrir a primeira sessão, que está marcada para as 15h desta quarta. Em seguida, o colegiado deverá eleger o presidente, que por sua vez indica o relator.
A presidência do colegiado deverá ficar com um senador do PMDB cujo nome ainda não foi escolhido. Já a relatoria deverá ser entregue ao deputado Renato Simões (PT-SP). As duas CPIs da Petrobras que estão em funcionamento também são presididas por um senador peemedebista, Vital do Rêgo (PB), e têm petistas na relatoria.
O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), negou que a instalação da CPMI do metrô seja uma "revanche" às acusações que a CPI da Petrobras tem sofrido desde o final de semana, quando a revista "Veja" revelou um vídeo que indica que a presidente da Petrobras, Graça Foster, o ex-presidente José Sérgio Gabrielli e o ex-diretor da área internacional Nestor Cerveró tiveram acesso antecipado às perguntas dos parlamentares nos depoimentos que prestaram à comissão.
"Há muito que o PT em São Paulo tenta instaurar uma CPI sobre isso, e em nenhum momento o governo do PSDB permitiu que isso acontecesse", justificou. O material que já está disponível para investigação, conforme o petista, é "bombástico". "Há provas cabais envolvimento de autoridades públicas e cabe ao Senado investigar", disse.
Costa justificou a demora de três meses entre a criação da CPMI do metrô e sua efetiva instalação pela falta de leitura dos nomes dos integrantes, uma das formalidades necessárias no processo de abertura de comissões de inquérito.
Veja quem são os titulares da CPMI do cartel do metrô de São Paulo:

Senadores:

Casildo Maldaner (PMDB)  - Ivonete Dantas (PMDB) - Benedito de Lira (PP) - Walter Pinheiro (PT-BA) - Eduardo Suplicy (PT-SP) - Acir Gurgacz (PDT-RO) - Cyro Miranda (PSDB-GO) - Flexa Ribeiro (PSDB-PA) - Gim (PTB-DF) - Antonio Carlos Rodrigues (PR-SP) - Antonio Carlos Valadares (PSB-SE) - Ataídes Oliveira (PROS-TO)

Deputados:

Dr. Rosinha (PT-PR) - Renato Simões (PT-SP) - Alexandre Santos (PMDB-RJ) - José Priante (PMDB-PA) - Eduardo Sciarra (PSD-PR) - Guilherme Campos (PSD-SP) - Antonios Carlos Mendes Thame (PSDB-SP) - Luiz Fernando Faria (PP-MG) - Bilac Pinto (PR-MG) - Dr. Ubiali (PSB-SP) - Alexandre Leite (DEM-SP) - Wladimir Costa (SD-PA) - Eros Biondini (PTB-MG)Delegado Protégenes (PCdoB-SP)
Fonte - STEFZS  06/08/2014