sábado, 12 de julho de 2014

Fora da disputa pela taça, Brasil e Holanda se enfrentam em Brasília

Copa no Brasil

A partida será apitada pelo argelino Djamel Haimoudi. Para o Brasil, ela servirá para amenizar, ainda que minimamente, a derrota por 7 x 1 para a Alemanha, que disputará a final amanhã (13) contra a Argentina. Já os jogadores da Holanda querem sair desta Copa invictos – a partida contra a Argentina na semifinal terminou empatada e o time europeu foi eliminado após perder na disputa de pênaltis.

Pedro Peduzzi e Marcelo Brandão
Repórteres da Agência Brasil 

Não será apenas o terceiro lugar na Copa do Mundo de 2014 que estará em jogo na partida de hoje (12), que será disputada às 17h entre Brasil e Holanda no Estádio Nacional de Brasília. Com um histórico empatado em copas do mundo – três vitórias para cada lado, cinco empates e 15 gols para cada seleção –, a seleção que sair vencedora da partida passará a ter vantagem em relação à outra.
A partida será apitada pelo argelino Djamel Haimoudi. Para o Brasil, ela servirá para amenizar, ainda que minimamente, a derrota por 7 x 1 para a Alemanha, que disputará a final amanhã (13) contra a Argentina. Já os jogadores da Holanda querem sair desta Copa invictos – a partida contra a Argentina na semifinal terminou empatada e o time europeu foi eliminado após perder na disputa de pênaltis.
Outro fator que motiva os jogadores holandeses é a despedida de seu técnico, Louis van Gaal, que apesar de, em um primeiro momento, ter desdenhado a disputa pelo terceiro lugar, pediu a seus jogadores uma vitória ante ao Brasil como presente de despedida. Após a Copa, ele assumirá o cargo de técnico do time inglês Manchester United.
Em entrevista coletiva ontem (11), van Gaal disse que os jogadores holandeses "estão tristes porque tinham confiança de que seriam campeões", mas que isso não tirou a motivação por uma vitória na disputa deste sábado.
Brasil e Holanda disputam terceiro lugar no Estádio Nacional de Brasília, o Mané Garrincha Marcello Casal Jr/Agência Brasil/AP/Direitos Reservados
O zagueiro brasileiro Thiago Silva, que volta ao time após cumprir suspensão na partida da semifinal, pediu respeito ao adversário. “Temos que honrar a camisa da seleção acima de tudo. É outro adversário de muita qualidade, que não chegou na final por falhas na penalidade e tem todo nosso respeito”, disse, durante entrevista coletiva também realizada ontem.
Na mesma entrevista, o técnico do Brasil, Luiz Felipe Scolari, sinalizou que fará mudanças na estrutura tática da equipe. “Vou mexer em uma duas posições daquele time que iniciou contra a Alemanha, até porque tem jogadores que jogaram pouco ou nem jogaram. Uma substituição vou fazer porque entendo que um jogador em determinada posição será bom”.
É a quarta vez que a seleção brasileira disputará o terceiro lugar em uma Copa do Mundo. A primeira foi em 1938, após ter perdido para a Itália nas semifinais pelo placar de 2 x 1. O terceiro lugar veio com uma vitória por 4 x 2 diante da Suécia, com dois gols de Leônidas que terminou como artilheiro daquele mundial (sete gols no total).
Em 1974 o Brasil ficou em segundo lugar no quadrangular da segunda fase da Copa e disputou o terceiro lugar com a Polônia, de quem perdeu por 1 x 0, terminando a Copa na quarta posição. Em 1978, com a Copa sendo disputada nos mesmos moldes da Mundial anterior, o Brasil perdeu no saldo de gols para a Argentina e ficou em segundo lugar no grupo, perdendo a chance de disputar o título. O terceiro lugar foi conquistado com uma vitória sobre a Itália por 2 x 1.
Já para a Holanda, esta será a segunda vez do time em uma disputa pelo terceiro lugar de uma Copa do Mundo. A primeira foi em 1998, após ter sido eliminada nas semifinais pelo Brasil em disputa de pênaltis. Derrotados pelo placar de 2 x 1 pela Croácia, acabaram o campeonato na quarta posição.
Fonte - Agência Brasil   12/07/2014

Prefeitura de SP multa 195 empreendimentos suspeitos de fraudes fiscais

São Paulo

A auditoria no sistema de recolhimento do ISS começou após a descoberta de um esquema de fraudes que operou de 2007 a 2012. Até o momento, foram analisados 218 processos, desses, 23 foram liberados sem multa. Em 18 casos, as empresas não respeitaram os prazos para apresentação dos documentos, e 177 não conseguiram comprovar o pagamento devido do ISS.

Daniel Mello 
Repórter da Agência Brasil 
foto - R7.com
A prefeitura de São Paulo já multou 195 empreendimentos por suspeita de fraude no recolhimento do Imposto sobre Serviços (ISS). Os autos de infração somam R$ 27,5 milhões, sendo que 2,4 milhões já foram pagos pelas empreiteiras responsáveis pelas obras. A administração municipal aceitou parcelar R$ 1,7 milhão devidos pelas empresas que não conseguiram comprovar o pagamento do imposto.
A auditoria no sistema de recolhimento do ISS começou após a descoberta de um esquema de fraudes que operou de 2007 a 2012. Até o momento, foram analisados 218 processos, desses, 23 foram liberados sem multa. Em 18 casos, as empresas não respeitaram os prazos para apresentação dos documentos, e 177 não conseguiram comprovar o pagamento devido do ISS.
Segundo as investigações do Ministério Público (MP), quatro auditores fiscais da prefeitura recebiam propina para reduzir os valores que deveriam ser recolhidos como imposto. Uma planilha eletrônica apreendida pelo MP mostra que, em 16 meses, de junho de 2010 a outubro de 2011, o grupo criminoso arrecadou R$ 29 milhões em suborno de 410 empreendimentos imobiliários. O prejuízo para os cofres públicos é estimado em pelo menos R$ 500 milhões.
Após a conclusão dos inquéritos administrativos, o ex-subsecretário da Receita Municipal e funcionário de carreira, Ronilson Ferreira Rodrigues, o ex- diretor do Departamento de Arrecadação e Cobrança Eduardo Horle Barcellos, o agente de fiscalização Luis Alexandre Cardoso de Magalhães e o ex-diretor da Divisão de Cadastro de Imóveis, Carlos Augusto Di Lallo Leite, foram demitidos no fim de junho.
Como as investigações indicaram que a quadrilha também fraudava o recolhimento do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), a prefeitura está vistoriando os imóveis suspeitos de irregularidades. Em 29 dos 48 imóveis analisados foram constatados problemas, como área construída ou real maior do que a declarada. Para esses casos foi instaurado processo administrativo e os proprietários deverão comprovar o cálculo do tributo.
Fonte - Agência Brasil  12/07/2014

FRANÇA - Senado aprova reformas ferroviárias no país

Internacional

A legislação de reforma do sistema ferroviário deverá criar um "grupo integrado público privado", para recuperar o equilíbrio econômico do setor ferroviário e colocar as finanças do mesmo em uma posição mais sustentável,bem como a preparação da abertura para concorrência.

RG

FRANÇA - O projeto de lei do governo para reestruturar o setor ferroviário teve a sua leitura aprovada no Senado por 188 votos a 150 no dia 10 de julho desse ano. O texto revisto já havia sido aprovado por 355 votos a 168, durante uma leitura na Assemblée Nationale em 24 de junho.
Com o processo acelerado, a legislação deve ter uma única leitura em cada casa, e ser assinado pelo Presidente oito dias após a votação final.
A legislação de reforma do sistema ferroviário deverá criar um "grupo integrado público privado", para recuperar o equilíbrio econômico do setor ferroviário e colocar as finanças do mesmo em uma posição mais sustentável,bem como a preparação da abertura para concorrência.
A 1ª parte da legislação altera o Código de Transporte e prever a criação de um grupo público ferroviário, composto por três entidades: SNCF como o organismo público "mãe" responsável pelo controle estratégico, e duas instituições subsidiárias,a SNCF Réseau gerente de infra-estrutura  e o operador de trem SNCF Mobilités. A gerência de infra-estrutura unificada será formada através da fusão da RFF, negócio de manutenção de Infra SNCF e o controle de tráfego e direção DCF, mas a gestão das estações permanecerá com o operador de trem.
Novas disposições relativas ao controle da dívida e finanças ferroviárias vão formar a base de contratos de desempenho  para o operador e para a gerência de infra-estrutura, e o governo ficará obrigado a elaborar um Plano Diretor Nacional dos Transportes a cada cinco anos. O Regulador Rail Araf ganha poderes adicionais e aumento da independência, incluindo um requisito para fiscalizar os gastos de infra-estrutura e garantir que ele esteja alinhado com o contrato de desempenho.
A 2ª parte do projeto de lei inclui várias disposições específicas ou de transição. As três novas entidades serão legalmente estabelecida, com efeitos a partir de 1 de Dezembro de 2014, pronto para o Código de Transporte revisto para entrar em vigor a partir de 1 Janeiro de 2015. Outras artigos garantem a continuidade do emprego para os atuais ferroviários, incluindo medidas para a criação de um quadro comum para todos os trabalhadores do setor de transporte ferroviário e legitimar os direitos dos sindicatos ferroviários para negociar acordos colectivos sobre os termos e condições de emprego.
Fonte - Railway Gazette 11/07/2014
Tradução e adaptação de texto - Pregopontocom

The original text
Railway Gazette
FRANCE: The government’s draft legislation to restructure the rail sector passed its reading in the Sénat by 188 votes to 150 on July 10. The revised text had been adopted by 355 votes to 168 during a reading in the Assemblée Nationale on June 24.
Under an accelerated process, the legislation is due to have a single reading in each house, and to be signed off by the President eight days after the final vote.
The railway reform legislation is intended to create an ‘integrated industrial public group’, to ‘restore the economic equilibrium’ of the rail sector and put railway finances on a more sustainable footing, as well as ‘preparing for the introduction of competition’.
Part I of the legislation amends the Transport Code to provide for the establishment of a public railway group, composed of three entities: SNCF as the ‘mother’ public body responsible for strategic control, and two ‘daughter’ institutions: infrastructure manager SNCF Réseau and train operator SNCF Mobilités. The unified infrastructure manager will be formed through the merger of RFF, maintenance business SNCF Infra and the traffic control directorate DCF, but the management of stations will remain with the train operator.
New provisions on debt control and railway finances will form the basis of performance contracts for both the operator and infrastructure manager, and the government is required to draw up a National Transport Master Plan every five years. Rail regulator ARAF gains additional powers and increased independence, including a requirement to scrutinise infrastructure spending and ensure that it is in line with the performance contract.
Part II of the bill includes various specific or transitional provisions. The three new entities will be legally established with effect from December 1 2014, ready for the revised Transport Code to enter into force from January 1 2015. Further articles provide continuity of employment for existing railway staff, including ‘measures to create a common framework for all workers in the rail industry’ and enshrine the rights of rail unions to negotiate collective agreements on terms and conditions of employment.

sexta-feira, 11 de julho de 2014

População de Salvador tenta incluir metrô na rotina após um mês

Transportes sobre trilhos

A média diária é de 4,8 mil usuários no 1º mês. No dia da inauguração, o metrô totalizou 4,2 mil - Passados 30 dias da inauguração oficial, o metrô já transportou mais de 145 mil passageiros, o que equivale a uma média de cerca 4,8 mil pessoas por dia.

Luana Almeida - A Tarde
Lúcio Távora | Ag. A TARDE
Há um mês o metrô de Salvador entrava nos trilhos pela primeira vez em operação assistida. Ao contrário dos primeiros dias, quando a população utilizava o meio de transporte apenas para conhecer as instalações, hoje, os soteropolitanos tentam incluir o trajeto de 5,6 quilômetros no roteiro do dia-a-dia.
É o caso do recepcionista Gabriel Silva, 18 anos, que trabalha no Campo Grande e reside em Itapuã. Para reduzir o tempo gasto na volta para casa, ele prefere ir até a Estação Lapa, seguir até o Acesso Norte e, em seguida, pegar um ônibus até Itapuã.
Segundo ele, quando seguia para casa em um ônibus direto, gastava cerca de 2h30. Com o metrô, esse tempo foi reduzido para 1h30.
"Fujo do engarrafamento quando faço o percurso com o metrô. Assim, poupo mais tempo. Por enquanto, que a passagem é gratuita, estou até economizando pois, às vezes, chegava a pegar dois ônibus", afirmou.
A bailarina Stella Marys Alves, reside no bairro do Cabula e, embora tenha um automóvel, utiliza o novo meio de transporte sempre que precisa ir ao centro da cidade fazer compras.
"Para mim, é uma forma de escapar do congestionamento. Além disso, não preciso me preocupar com estacionamento", contou.
No primeiro dia de operação, 4.200 passageiros percorreram o itinerário entre as estações Retiro e Lapa.
Passados 30 dias da inauguração oficial, o metrô já transportou mais de 145 mil passageiros, o que equivale a uma média de cerca 4,8 mil pessoas por dia.

Novidade
Enquanto alguns passageiros tentam se habituar ao novo sistema de transporte, muitos ainda utilizam o metrô apenas para conhecê-lo.
foto arquivo - Pregopontocom
As amigas Paula Santos Silva e Camila Noto, ambas enfermeiras, aproveitaram a tarde de ontem para circular de metrô pela primeira vez.
Com a câmera do celular ativada, elas fizeram selfies e fotografaram o carro e as estações para mostrar aos amigos e familiares. "Após 14 anos de obras e tanta descrença, precisamos fotografar para comprovar que o metrô de Salvador finalmente andou", brincou Paula.
O aposentado Bernardo Matos, 91 anos, também não acreditava que veria o metrô sair dos trilhos, mas ontem foi levado por familiares para testar o equipamento. "Gostei muito, foi tranquilo. Pretendo andar novamente assim que tiver oportunidade".

Operação comercial
Em 15 de setembro será iniciada a operação comercial, quando o metrô funcionará das 5h às 24h, em dias úteis, finais de semana e feriados, com cobrança de tarifa, cujo valor não foi definido.
Até lá, a operação assistida segue em horários alternados: até o final de julho, o metrô estará em funcionamento das 10h às 16h; no mês seguinte, das 9h às 16h. Em setembro, de 1º a 14, no intervalo entre 8h e 16h.
Segundo informações da CCR Metrô - Bahia, concessionária que administra o sistema, a previsão é que, após início do funcionamento regular, a demanda de passageiros chegue a 9,3 mil usuários em dia útil.

Estações
Durante a operação assistida, estão sendo utilizadas as estações Lapa, Campo da Pólvora, Brotas e Acesso Norte. A última delas, a estação Retiro, continua em construção.
Em nota, a assessoria da CCR informou que as obras estão em fase de acabamento e dentro do cronograma estabelecido no contrato.
Ainda segundo a concessionária, o início do funcionamento das estações Pirajá e Bom Juá está previsto para janeiro de 2015. Já o primeiro trecho da linha 2, para outubro do mesmo ano.
"A entrega do primeiro trecho da linha 2, entre as estações Acesso Norte e Rodoviária, incluindo a Estação Detran, está prevista para outubro de 2015. Nessa data, também está prevista a incorporação da Estação Bonocô entre as atuais estações Brotas e Acesso Norte, da linha 1", afirma em nota.
Fonte - A Tarde  11/07/2014

Secretário critica Neto, clama por adiamento de licitação de ônibus e aponta 'equívocos técnicos'

Salvador

A metropolização de Salvador é inevitável e já aconteceu sem que as administrações municipais se dessem conta se preocupassem e procurassem entender essa transformação.A metropolização das cidades envolvidas é inevitável e isso já faz parte do novo plano de mobilidade urbana (LEI Nº 12.587, DE 3 DE JANEIRO DE 2012) 

Evilásio Júnior
Foto: Elói Corrêa/ GOV BA
O secretário estadual de desenvolvimento Urbano, Manuel Ribeiro, afirmou que o objetivo do ofício enviado pelo Estado ao Município para suspender a licitação do transporte coletivo de Salvador é uma solicitação para que se "examine a necessidade de adiar o processo por conta de equívocos técnicos". Em entrevista ao Bahia Notícias, ele reclamou do imbróglio diplomático gerado pela troca de farpas via imprensa. "A primeira coisa que eu gostaria de colocar é que isso foi um ofício do governador para o prefeito, que muito pouca gente do Estado sabia e, de repente, o governador recebeu a resposta de forma não muito delicada. A resposta deveria ser pessoal", condenou. De acordo com o titular da Sedur, três aspectos motivaram o pedido: a contestação do prefeito ACM Neto (DEM) à Lei que criou a Entidade Metropolitana, a "dificuldade de diálogo" com a prefeitura e "problemas" no edital que abriu a concorrência pública. Segundo Ribeiro, a primeira questão diz respeito à opção de se utilizar outorga onerosa, para arrecadar R$ 180 milhões aos cofres municipais. "Está na contramão da Lei Federal de Mobilidade e contra o princípio geral de modicidade tarifária. Por que não fazer por menor preço, que você estabelece um sistema equilibrado? Essa opção não só tira dinheiro do passageiro do ônibus, como também vai acabar prejudicando a própria prefeitura, porque ela está dizendo que o sistema de transporte dela é superavitário. Por exemplo, ela está pleiteando agora com o governo federal o BRT. Como pleitear recursos se o seu sistema é superavitário? Acho não só socialmente ruim, como também vai dificultar em nível de investimento na cidade", assinalou.

Outro questionamento do secretário diz respeito à ausência de um projeto básico adequado anterior à abertura da concorrência pública do setor. "O edital deveria ter um projeto básico. Serve para que o licitante possa determinar o preço que pode entrar nessa licitação. Não existe projeto básico. O que tem aí é um arremedo, já elogiando", criticou, ao opinar que o sistema tarifário previsto "só atende ao interesse privado e não ao interesse do usuário". "Tem tanta gente regulando ônibus metropolitano, trem, ônibus, Stec (Sistema de Transporte Complementar), que vai ser difícil ter a prática de reajustamento tarifário, por exemplo, anual. Podem ter datas e percentuais diferentes, o que também vai afetar o equilíbrio interno do sistema", cogitou. Ele chama a atenção de que, embora a exploração do sistema, conforme estimado na licitação, seja de 25 anos, não há previsão de integração com outros modais, a exemplo de ônibus intermunicipais, trens, lanchas e ferry boat, o que prejudicaria, sobretudo, o "usuário de baixa renda". No seu entendimento, a formatação do novo modelo de transporte poderá inviabilizar modais de massa como o metrô e o VLT, ainda na fase da promessa. "Outro problema que a gente vê é o risco da prática do modelo concorrencial, que está aí adotado. Todas as linhas, hoje, passam pelo Iguatemi, porque lá tem 22% dos passageiros. Isso pode acabar causando um prejuízo para o metrô, o trem e o VLT, que são vetores troncais que têm que ser alimentados pelos ônibus que entram nos bairros. Se privilegiar entre eles [empresários de ônibus], vai acabar prejudicando o sistema troncal", sentenciou, ao completar que "todas as pesquisas entre os usuários apontam que a principal insatisfação não é com o ônibus ou com o serviço e, sim, ficar muito tempo no transporte".
Foto: Betto Jr./ Ag. Haack/ Bahia Notícias
Ele contesta ainda que a resolução do problema de circulação na cidade não se dará só com coletivos sobre rodas. "Principalmente se der prioridade ao transporte individual, visto que ainda não é cobrado estacionamento em shoppings e muita gente usa carro", considerou, ao fazer um apelo: "A gente tem que ver que os contratos de concessão são muito longos: o metrô são 30 anos e o ônibus, 25. Talvez esta seja a última oportunidade que a gente tenha de fazer algo planejado. A última licitação de ônibus, segundo a própria prefeitura diz, foi há 40 anos. Não vão ser seis meses de adiamento para fazer de outro jeito, com uma visão metropolitana de futuro, que vão perturbar e criar mais problemas para o transporte coletivo", apelou. Para se chegar a uma equação ele requer que o prefeito atenda ao regimento da Entidade Metropolitana. "O prefeito diz que não obedece à lei porque é inconstitucional. Lei é para ser obedecida. Inclusive o IPTU dele muita gente contestou, mas foi lá, pagou, e foi à Justiça contestar. Ele, como prefeito, tem que respeitar e dar o exemplo. Agora, se ele acha que a lei é inconstitucional, ele vá aos tribunais. O Supremo está aí para ele fazer uma ação de inconstitucionalidade, mas até ele ter uma decisão favorável, tem de cumprir", sugeriu.
Foto: Max Haack/ Ag. Haack/ Bahia Notícias
Ribeiro defende a legitimidade da norma, a partir da aprovação na Assembleia Legislativa, por 50 votos a três. "Na realidade, o Estado estava cumprindo um mandamento constitucional. É uma lei complementar para um grupamento de municípios limítrofes com funções públicas de interesse comum. Não foi para pirraçar o Município e, sim, cumprir suas atribuições constitucionais. Quem controla a entidade são municípios e não o Estado. Salvador tem mesmo número de votos que o Estado e o fiel da balança são os demais municípios. Essa lei foi bastante republicana, sem nenhuma intenção de subtrair a autonomia municipal. Quem tem que fazer a licitação do transporte é o Município, mas não dá para olhar só para o seu umbigo e, sim, para área metropolitana", justificou. Ele não sabe dizer se a Procuradoria Geral do Estado pretende acionar a prefeitura de Salvador, caso Neto cumpra a promessa de manter a licitação e os prazos estabelecidos no edital.
Fonte - Bahia Notícias  11/07/2014

COMENTÁRIO DE  Salvador Sobre Trilhos

Conhecem aquele velho ditado conversa mole pra boi dormr?????......Pois é...""porque a cidade não suporta mais o modelo atual"".....????......mais a quantos anos????!!!!.... magico,engraçado,surreal,só agora ele descobriu isso...deu um jeitinho para atrasar o Metrô o quanto pode,e essa licitação vem se arrastando desde a época do antigo prefeito..."3 vezes na madeira"....sempre adiada e sempre empurrada com a barriga,não é agora que ela provavelmente vai andar.Acontece pelo que se especula,que nem os donos de ônibus de Salvador a querem, na verdade estão muito temerosos que consórcios poderosos e nacionais formados por grandes empresas do setor venham abocanhar uma boa fatia da sua mina de ouro,e por isso até já se articularam na reformulação dos seus consórcios locais,e todos sabem disso inclusive o concedente. A estratégia é apostar em um possível embargo da licitação,cheia de vícios, e arrumar um bode expiatório para justificar perante a população da cidade a sua não realização,muito comodo por sinal.A quem cabe os possíveis embargos já entendeu a pegadinha,e ai la vem adiamento em cima de adiamento na esperança que alguém morda a isca,só que essa estratégia não vai mais funcionar já esta desgastada.Salvador é hoje uma cidade que fundiu as suas fronteiras com as dos seus vizinhos que somando-se a eles formam o grande elo da RMS,e por isso não cabe mais pensar um sistema de transportes urbano exclusivo que não converse com os sistema de transportes a sua volta,dos seus vizinhos.A metropolização de Salvador é inevitável e já aconteceu sem que as administrações municipais se dessem conta se preocupassem e procurassem entender essa transformação.A metropolização das cidades envolvidas é inevitável e isso já faz parte do novo plano de mobilidade urbana (LEI Nº 12.587, DE 3 DE JANEIRO DE 2012) .....CAPÍTULO IV DAS ATRIBUIÇÕES Art. 16. São atribuições da União: I - prestar assistência técnica e financeira aos Estados, Distrito Federal e Municípios, nos termos desta Lei; II - contribuir para a capacitação continuada de pessoas e para o desenvolvimento das instituições vinculadas à Política Nacional de Mobilidade Urbana nos Estados, Municípios e Distrito Federal, nos termos desta Lei; III - organizar e disponibilizar informações sobre o Sistema Nacional de Mobilidade Urbana e a qualidade e produtividade dos serviços de transporte público coletivo; IV - fomentar a implantação de projetos de transporte público coletivo de grande e média capacidade nas aglomerações urbanas e nas regiões metropolitanas... - Por tanto não adianta fazer marolas nem jogo de sena para criar um clima e iludir a população com discursos eufóricos de conteúdos políticos que não trara nenhuma solução efetiva para o problema, pelo contrário só ira agrava-lo mais ainda com um pesado ônus para a cidade e a sua população.Com a chegada do Metrô e a prevista modernização e reformulação dos trens do subúrbio e outros prováveis sistemas de transportes sobre trilhos (VLTs) e até sobre pneus, a de se entender que nem o sistema atual nem o sistema,de isolamento,proposto pela município servem para compor a nova realidade da mobilidade urbana de maneira ampla e metropolitana,a modernização e a racionalização de todo o sistema estrutural da mobilidade composta por vários modais,não pode ser transformada uma guerra política e mesquinha sem vencedores cujo o maior perdedor será sempre o povo e a cidade.O mais correto e o mais sensato será observar as diretrizes da nova lei de mobilidade urbana,sentarem -se a mesa,todos os envolvidos,prefeitos e governador e conjuntamente desarmados de interesse políticos econômicos e eleitorais em beneficio de uma nova ordem para a mobilidade urbana que contemple e integre todas as cidades da RMS e Salvador.Dessa forma só teremos a ganhar e todos sairemos vitoriosos.
A.Luis
Coordenador do Movimento Salvador Sobre Trilhos

Universidade brasileira desenvolve trem que flutua - Maglev Cobra

Transportes sobre trilhos

Com tecnologia de ponta, o Maglev Cobra levita nos trilhos e não polui - O Laboratório de Aplicações de Supercondutores da Universidade Federal do Rio de Janeiro, em parceria com outros institutos de pesquisa, está desenvolvendo o projeto do Maglev Cobra, um trem flutuante a um custo de implantação equivalente a um terço do investimento em uma linha convencional de metrô, com manutenção até 50% mais barata.

Revista Época Negócios 
MagLev Cobra
Embora a tecnologia de levitação magnética (maglev) para ferrovias venha sendo pesquisada há mais de 40 anos na Alemanha e no Japão, atualmente apenas duas linhas operam comercialmente no mundo: em Xangai, na China, e Aichi, no Japão. Pois o Brasil, em futuro próximo, pode se juntar a esse clube fechado. O Laboratório de Aplicações de Supercondutores da Universidade Federal do Rio de Janeiro, em parceria com outros institutos de pesquisa, está desenvolvendo o projeto do Maglev Cobra, um trem flutuante que poderá, por exemplo, ligar o Rio de Janeiro a São Paulo a 450 km/h, a um custo de implantação equivalente a um terço do investimento em uma linha convencional de metrô, com manutenção até 50% mais barata. E importante: trata-se de um veículo de transporte menos poluente, pois é movido a energia elétrica.
O projeto da UFRJ optou pela levitação magnética supercondutora, considerada a mais moderna tecnologia nesse segmento. Uma placa de cerâmica supercondutora é resfriada à base de nitrogênio e, ao se aproximar de trilhos magnetizados por meio de poderosos ímãs – feitos a partir de uma composição de neodímio (Nd), ferro (Fe) e boro (B) –, provoca o efeito de levitação. Os pesquisadores realizam testes de bancadas com os componentes isolados, incluindo um módulo que já suportou sem problemas o peso de seis adultos, para então montar o veículo e testar todos os componentes interligados.
O projeto Maglev Cobra inicialmente implantará uma linha curta de testes, talvez já em 2015, estendendo-a posteriormente dentro do campus da UFRJ, com a capacidade de transportar 20 mil alunos por dia. A partir dos resultados obtidos, a aprovação final do sistema o liberará para uso comercial. As viagens mais longas, como a São Paulo-Rio, porém, ainda devem esperar um pouco. O objetivo inicial do Maglev Cobra (cujo nome deriva de sua semelhança com o réptil, por ter unidades curtas que permitem fazer curvas mais acentuadas) é interligar pontos estratégicos urbanos, como aeroportos ou estações de metrô.
A chegada desse novo modal de transporte urbano abrirá grandes possibilidades para inovar na chamada internet industrial, como, por exemplo, os sistemas de sinalização e controle metaferroviário desenvolvidos pela GE, que supervisionam automaticamente trens e suas conexões.
Assim, as operadoras de trânsito urbano terão a infraestrutura necessária para enfrentar desafios e mudanças na rotina operacional sem dificuldades – desde o aumento de número de passageiros até disponibilidade de serviços ou consumo de energia.
Fonte - STEFZS  11/07/2014

SP: Idec recebe 178 relatos de falta d'água em 15 dias

São Paulo

De acordo com a entidade, apesar de a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) negar o desabastecimento, isso já vem sendo observado em algumas localidades. A campanha vai até o dia 31 e os relatos podem ser feitos no site do instituto  - http://idec.org.br/ - 

Camila Maciel 
Repórter da Agência Brasil 
Moradores denunciam torneiras vazias na
Grande São Paulo Arquivo/Agência Brasil
Nos primeiros 15 dias da campanha "Tô sem água", o Instituto de Defesa do Consumidor (Idec) recebeu 178 relatos de torneiras vazias na Grande São Paulo, uma média diária de 11,8 reclamações. De acordo com a entidade, apesar de a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) negar o desabastecimento, isso já vem sendo observado em algumas localidades. A campanha vai até o dia 31 e os relatos podem ser feitos no site do instituto  - http://idec.org.br/ -
Balanço parcial mostra que a falta d'água ocorre todos os dias, pelo menos uma vez, em 76% dos casos. Para 14% das pessoas que fizeram o relato, o racionamento é feito mais de uma vez por semana. Entre os demais consumidores, 4% indicaram que isso ocorre mais de uma vez por dia, 2% relataram a frequência de uma vez por mês e 1% mais de uma vez por mês.
Sobre o turno mais comum para a falta d'água, a noite foi apontada por 74% dos consumidores pesquisados. Em seguida está o turno da manhã, com 16%. Para 13% das pessoas, o racionamento ocorre durante o dia e a noite e para 4%, ele ocorre somente à tarde. Em relação à região mais frequente, a zona oeste aparece na liderança, com 30%, seguida pela norte (26%), sul (17%), leste (18%) e cidades da Grande São Paulo (8%).
Com os relatos em mãos, o Idec pretende cobrar mais transparência do governo estadual e exigir providências da Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo. “Se o racionamento está mesmo ocorrendo, ele precisa ser feito de maneira responsável, igualitária e transparente para toda a população”, destaca nota da entidade.
Fonte - Agência Brasil 11/07/2014

Municípios atingidos por temporais no RS chegam a 163

Rio Grande do Sul

Desse total, 135 decretaram situação de emergência em razão de enxurradas, inundações e alagamentos. Dois estão em estado de calamidade pública.

Paula Laboissière
Repórter da Agência Brasil
Defesa Civil auxilia municípios do Rio Grande do Sul
 atingidos pela chuva
Sacha Rochele/Defesa Civil RS/Divulgação
A Defesa Civil do Rio Grande do Sul informou hoje (11) que chega a 163 o número de municípios afetados pela chuva em todo o estado. Desse total, 135 decretaram situação de emergência em razão de enxurradas, inundações e alagamentos. Dois estão em estado de calamidade pública.
De acordo com o boletim, 1.139 pessoas estão desabrigadas e 13.272, desalojadas. Até o momento, os temporais na região causaram a morte de duas pessoas: José Lindomar da Silva, no município de Jacutinga, e Eracildo Luiz Assmann, em Arroio do Tigre. Paula Thon, 23 anos, continua desaparecida em Arroio do Tigre, onde os bombeiros fazem buscas.
A expectativa – com base na previsão do tempo para os próximos cinco dias e no relatório do Departamento de Recursos Hídricos do RS – é que o nível do Rio Uruguai na região de São Borja, Itaqui e Uruguaiana baixe gradativamente.
Fonte - Agência Brasil  11/07/2014

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Trensurb fará consultoria para o Metrô de Salvador

Transportes sobre trilhos

O contrato com a Secretaria de Desenvolvimento Urbano da Bahia prevê que a empresa gaúcha acompanhe e avalie a implantação do sistema, propondo eventuais melhorias. O documento já havia sido assinado pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia, responsável pelo sistema metroviário baiano.

RF
foto - Pregopontocom
A Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre S.A. (Trensurb) assinou, nesta segunda-feira (07/07) em reunião do conselho, um contrato de prestação de serviços de consultoria especializada em mobilidade urbana para o desenvolvimento e racionalização dos sistemas do Metrô de Salvador.
O contrato com a Secretaria de Desenvolvimento Urbano da Bahia prevê que a empresa gaúcha acompanhe e avalie a implantação do sistema, propondo eventuais melhorias. O documento já havia sido assinado pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia, responsável pelo sistema metroviário baiano.
Trata-se, segundo a concessionária, do primeiro contrato de consultoria pública desse tipo firmado pela Trensurb, que colabora tecnicamente com o projeto de adequação e ampliação do metrô da capital baiana desde 2012 com troca de experiências e informações e participou dos primeiros testes do modal, iniciados em 11 de junho.
foto -Trensurb
A equipe técnica da Trensurb fica responsável por analisar processos já implantados referentes a edificações, obras de arte, via permanente, sistemas de energia e controle operacional. Além disso, irá acompanhar, a serviço do estado da Bahia, os serviços sendo executados pelo consórcio responsável pelas obras e pela futura operação da Linha 1 do Metrô de Salvador.
Cabe à Trensurb avaliar também a certificação da implantação – feita por empresa certificadora contratada – anteriormente à entrega dos serviços e obras ao estado da Bahia e posterior concessão para operação. Os termos preveem ainda o acompanhamento técnico da implantação da Linha 2 e o desenvolvimento de um módulo de capacitação de profissionais que irão trabalhar no sistema metroviário baiano.
Fonte - Revista Ferroviária  10/07/2014

Moradores pedem conclusão da requalificação de vias na Ribeira

Salvador

Ribeira: moradores pedem conclusão da requalificação de vias - Moradores convivem com entulho jogado na calçada. Este é o atual cenário da avenida Beira-Mar, no bairro da Ribeira.

Anderson Sotero - A Tarde
Marco Aurélio | Ag. A TARDE
Rua esburacada e com pontos de alagamento. Calçadas inacabadas. Montes de pedras, terra e concreto, além do estresse de moradores e comerciantes. Este é o atual cenário da avenida Beira-Mar, no bairro da Ribeira.
O trecho integra o projeto municipal de requalificação da orla, mas, por conta do rompimento com a empresa TRD - que executava o serviço -, a obra ainda não foi finalizada.
Iniciada em 5 de julho do ano passado, a intervenção, orçada em R$ 5 milhões, tinha uma primeira previsão de conclusão até dezembro de 2013. Em seguida, a prefeitura informou nova data: até janeiro deste ano. Depois, foi adiada para junho, início da Copa do Mundo 2014.
A atual nova estimativa, segundo o secretário de Infraestrutura, Paulo Fontana, é até o final deste ano.
A orla da Ribeira foi dividida em quatro trechos, três deles sob responsabilidade da prefeitura e um do governo estadual. No trecho 2, a obra era executada pela TRD, mas a prefeitura rescindiu o contrato no início de junho.
"Identificamos o atraso há seis meses, mas há um rito de notificação e defesa da empresa que deve ser cumprido. Só essa burocracia levou mais de 120 dias. Era uma empresa que não andava", afirmou Fontana. Representantes da TRD não foram localizados pela reportagem.
O secretário disse que a obra não foi interrompida. "Eles faziam um pequeno serviço num dia. Outro no seguinte. A obra andou fora do cronograma", acrescentou.
O secretário estima que a TRD executou apenas 30% do contratado, mas não soube informar quanto a empresa recebeu da prefeitura.

Atrasos
Segundo comerciantes da região, dos 12 restaurantes instalados na avenida, cinco não funcionam mais.
"A obra vem a passo de tartaruga, e há dois meses não tem um funcionário. Os restaurantes desempregaram mais de 100 pessoas, e cinco deles estão fechados por conta da demora da obra, que tem afastado clientes", disse o proprietário de um dos restaurantes, sem se identificar.
"A prefeitura tem vindo aqui com frequência com guardas municipais e retira todas as nossas mesas e cadeiras da rua. Disseram que quando acabar teremos um espaço. Não somos contra a requalificação, mas queríamos que finalizassem logo", justificou o comerciante.
"Há um ano começaram a obra e não terminam. É uma dificuldade para passar com carro. É muita dor de cabeça para quem mora aqui", reclamou o morador Sebastião Fagundes, 59.
O aposentado Antônio Carlos Fontoura, 73, e a mulher, Carolina Queiroz, 71, relataram que ficaram quatro dias sem conseguir retirar o carro da garagem por conta das obras. "A gente já passou por muita coisa. É uma falta de planejamento e administração. Espero que concluam, porque está demorando demais", disse.
"Jogaram um asfalto na rua de tanto a gente reclamar. Quando chove, faz muita lama. Para entrar em casa, é um sacrifício", disse Carolina.

Requalificação
Conforme o projeto apresentado pela prefeitura em 2013, o local terá, após requalificação, piso compartilhado para veículos e pedestres, anfiteatro, bancos, quiosques, rampas e escadas de acesso.
Segundo Fontana, as obras do trecho 2 já foram retomadas. A conclusão, somente desta parte, está prevista para até 60 dias. Nos próximos dez dias, terá início a construção de vala única para instalação de fiação subterrânea. Os trechos 3 e 4 serão licitados.
Sobre os outros trechos da orla que serão requalificados (Barra, Rio Vermelho, Itapuã, Piatã, Jardim de Alah, São Tomé de Paripe e Tubarão), o secretário disse que "é difícil" estimar, mas até o final de 2015 todos deverão ficar prontos. Das nove áreas contempladas, apenas a da Boca do Rio foi entregue na íntegra.
Fonte - A Tarde  10/07/2014

Trens-bala made in China ganham espaço no mercado global

Transportes sobre trilhos

Empresas europeias precisam desenvolver estratégias para manter competitividade, afirmam especialistas - Quando, há mais de uma década, a China decidiu expandir a malha ferroviária para trens de alta velocidade, conectando a nação de norte a sul e de leste a oeste, o país não tinha nenhuma base de produção industrial capaz de executar esse imenso projeto.  

Portal Terra Brasil 

Antes conhecida como centro de manufatura de produtos de baixa tecnologia e pelo uso de mão de obra pouco qualificada, aos poucos a China caminha no sentido de se tornar uma exportadora de bens de alta tecnologia. E o setor que mais representa essa mudança é o ferroviário.
Quando, há mais de uma década, a China decidiu expandir a malha ferroviária para trens de alta velocidade, conectando a nação de norte a sul e de leste a oeste, o país não tinha nenhuma base de produção industrial capaz de executar esse imenso projeto. Os trens teriam que ser importados de companhias estrangeiras, como a alemã Siemens, a japonesa Kawasaki e a francesa Alstom.
Hoje, entretanto, as companhias ferroviárias chinesas já dominam a tecnologia para construir os trens e procuram mercados no exterior para comercializar seus produtos, competindo, assim, com empresas já estabelecidas no segmento. Recentemente, a China South Locomotive and Rolling Stock (CSR), a maior fabricante de trens do país, assinou um contrato de venda de seis trens-bala com a empresa ferroviária nacional da Macedônia.
O negócio foi fechado na sequência de outros acordos entre a China e países do Leste Europeu, como a Romênia e a Hungria, para construir ferrovias para trens de alta velocidade. A China também está promovendo sua infraestrutura e tecnologia ferroviária de alta velocidade em outros países da Ásia e da África.

De compradora a produtora
Esses negócios são apoiados numa grande quantidade de investimentos. O país investiu cerca de US$ 500 bilhões na infraestrutura de sua malha ferroviária de alta velocidade. Apesar de denúncias de corrupção e de um acidente fatal em 2011 – que matou 40 pessoas, chocando o público e resultando numa breve desaceleração da expansão da malha ferroviária – o ritmo de negócios aumentou desde então. Atualmente, a China tem mais de 11 mil quilômetros de trilhos exclusivos para trens de alta velocidade, refletindo o desejo de Pequim de impulsionar as atividades econômicas do país por meio da alocação de recursos em projetos de infraestrutura.
Inicialmente, a China comprou trens e equipamentos de empresas estrangeiras, mas, mais tarde, seus engenheiros redesenharam os projetos das máquinas e conseguiram construir seus próprios modelos capazes de atingir uma velocidade de até 350 a 400 quilômetros por hora. A mudança causou dor de cabeça para empresas como a Siemens e a Alstom, que esperavam lucrar com a expansão chinesa.
O que alguns chamam de cópia de tecnologias estrangeiras, Pequim classifica como um trajeto de "introdução, digestão, absorção e reinovação". Adquirir o acesso à tecnologia através de joint ventures e compartilhar acordos é uma "prática amplamente seguida mundo afora, e duvido que seja uma abordagem exclusivamente chinesa", afirma Thomas König, especialista em China do Conselho Europeu de Relações Internacionais.

Competitividade internacional
Além disso, a expansão da malha ferroviária de alta velocidade resultou num declínio dos custos de produção para os fabricantes chineses, tornando-os mais competitivos do que concorrentes alemães e franceses, por exemplo. Entretanto, a questão da competitividade não se limita a esse mercado. De acordo com Nicola Casarini, especialista em Ásia do Instituto de Estudos de Segurança da União Europeia, "a Europa está perdendo competitividade perante a China à medida que mais e mais produtos chineses competem com os europeus".
Analistas também argumentam que, ao contrário de empresas como a Siemens, as companhias ferroviárias chinesas – que são estatais – têm a vantagem injusta da garantia da infusão de capital público para aumentar a produção. König afirma que a China "identificou, logo no início, o potencial do mercado e agora está tirando o máximo disso". Na tentativa de aumentar seu impacto sobre mercados europeus, Pequim conseguiu "fechar acordos com países que foram duramente atingidos pela crise do euro ou que estão procurando maneiras para incentivar o crescimento de suas economias", diz.
O especialista acrescenta que a China é amplamente percebida como uma "alternativa relativamente livre de problemas em relação aos processos burocráticos muitas vezes nada atraentes da União Europeia". König aponta, porém, que não deve haver razão para que as companhias europeias fiquem para trás, considerando que a indústria chinesa está apenas no início de uma ascensão significativa.

Mercado promissor
O rápido crescimento populacional e a migração para mercados emergentes devem impulsionar a demanda por trens de alta velocidade nas próximas duas décadas. De fato, muitos países como Rússia, Índia e Brasil estão discutindo seus projetos de trens-bala. Nas economias desenvolvidas, onde tecnologia e registros de segurança comprovados são fatores importantes, as empresas europeias continuarão a ter uma grande parcela do mercado.
Fonte - STEFZS  10/07/2014

Selecionados no ProUni têm até amanhã para comprovar informações

Educação

Os estudantes deverão apresentar, entre outros, documento de identificação, comprovante de residência, de rendimento e de conclusão do ensino médio. Uma lista completa com a documentação necessária está disponível na página do ProUni.

Mariana Tokarnia 
Repórter da Agência Brasil 

Amanhã (11) é o último dia para que os estudantes pré-selecionados na segunda chamada do Programa Universidade para Todos (ProUni) comprovem as informações prestadas na hora da inscrição. Os estudantes deverão apresentar, entre outros, documento de identificação, comprovante de residência, de rendimento e de conclusão do ensino médio.
Uma lista completa com a documentação necessária está disponível na página do ProUni. Também na página do programa é possível consultar a lista dos selecionados, disponível desde a última sexta-feira (4).
O candidato pode verificar na internet o horário e o local em que deve comparecer para comprovar as informações. Caso perca o prazo, ele é automaticamente retirado do processo.
O ProUni oferece bolsa de estudo integral ou parcial (50% da mensalidade) em instituições particulares de educação superior. O estudante precisa comprovar renda familiar, por pessoa, de até um salário mínimo e meio para a bolsa integral e de até três salários mínimos para a bolsa parcial.
Esta edição do programa ofereceu 115.101 bolsas e teve 653.992 inscritos. Quem não foi selecionado, poderá participar da lista de espera nos dias 21 e 22.
Fonte - Agência Brasil  10/07/2014

Agetransp mantém multas que somam mais de R$ 1 mi a concessionárias

Rio de Janeiro

O conselho diretor desta agência reguladora também manteve multa de R$ 41.889,15, aplicada à concessionária Supervia por um incidente ocorrido no dia 11 de agosto de 2010 - A Agetransp manteve a multa de R$ 868.474,96 para a Supervia no processo que apurou a qualidade do atendimento aos usuários durante incidente ocorrido no dia 22 de janeiro....

Jornal do Brasil

Em sessão regulatória realizada na tarde da última segunda-feira (7), o conselho diretor da Agetransp (Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos de Transportes Aquaviários, Ferroviários e Metroviários e de Rodovias do Estado do Rio de Janeiro) decidiu não acatar os recursos e manter três multas aplicadas este ano às concessionárias Supervia e Metrô Rio, que somam R$ 1.199.305,49. Outras três penalidades foram aplicadas à concessionária Supervia, que, somadas, chegam a R$ 117.436,72, referentes a incidentes ocorridos em 2012 e 2013.
A Agetransp manteve a multa de R$ 868.474,96 para a Supervia no processo que apurou a qualidade do atendimento aos usuários durante incidente ocorrido no dia 22 de janeiro, quando um trem do ramal Saracuruna descarrilou nas proximidades da estação São Cristóvão, ocasionando quebra das estruturas de sustentação da rede aérea e de sinalização, com interrupção da circulação em todos os ramais, que durou mais de dez horas e teve reflexo em outros meios de transporte, como ônibus e metrô.
A concessionária alegou que os procedimentos de atendimento foram adequados; que houve ampla comunicação aos passageiros; e que o incidente foi imprevisto e inevitável. O conselho diretor da Agetransp considerou, no entanto, nota técnica da Catra (Câmara Técnica de Transportes e Rodovias) que apontou como causas da deficiência no atendimento aos usuários a insuficiência de treinamento dos agentes envolvidos, déficit de pessoal nas estações mais afetadas e gerenciamento inadequado do incidente com relação ao plano de contingência da concessionária.
O conselho diretor desta agência reguladora também manteve multa de R$ 41.889,15, aplicada à concessionária Supervia por um incidente ocorrido no dia 11 de agosto de 2010, com queda de rede aérea próxima ao pátio da estação Deodoro. Passageiros de um trem do ramal Japeri tiveram que desembarcar na via férrea e caminhar até a estação. O relatório da Catra constatou inconformidades nas manutenções preventivas e o incidente provocou impacto significativo na operação, uma vez que, do total de 32 trens em circulação no ramal, 11 circularam com atrasos. A concessionária alegou não ter responsabilidade sobre as causas do incidente.
A concessionária Metrô Rio também teve recurso não acatado e multa de R$ R$ 288.941,38 mantida. A penalidade é referente ao processo que apurou desacoplamento mecânico entre dois carros do metrô, ocasionando a paralisação da circulação dos trens da Linha 2 durante 90 minutos, na noite do dia 16 de janeiro deste ano, entre as estações de Irajá e Colégio. Análise da Catra constatou como causa do problema no engate mecânico o travamento da alavanca de desacoplamento manual do engate, devido a torque excessivo na montagem do parafuso pivotante da alavanca.
Mais três multas por incidentes no sistema ferroviário
Durante a sessão regulatória, a Supervia recebeu outras três multas. Uma delas, no valor de R$ R$ 39.145,57, é referente ao incidente com um trem no dia 26 de setembro de 2012, próximo à estação Engenho de Dentro. Relatório da Catra constatou que, na ocasião, houve quebra de pantógrafos, com desembarque de passageiros na via férrea. A análise verificou que "não foram observadas as evidências de revisões gerais executadas em três pantógrafos". Por causa do incidente, 57 composições circularam com atraso e outras cinco foram suprimidas.
Em outra decisão, o conselho diretor da Agetransp decidiu multar a concessionária no valor de R$ 39.145,58, por um descarrilamento ocorrido no dia 18 de março de 2013, próximo à estação São Cristóvão. Na ocasião, houve desembarque de passageiros na via férrea. O incidente causou impacto na operação, com duas composições suprimidas e 33 atrasos, sendo oito deles superior a 30 minutos. Relatório técnico da Catra constatou que "no local do descarrilamento, os dormentes e vigas de madeira apresentavam insuficiência no suporte às cargas atuantes, com ausência de fixação em alguns pontos e desnivelamento da via".
Outra multa no valor de R$ 39.145,57 foi aplicada à Supervia em decorrência de um problema com um travessão, equipamento que faz a troca de linha das composições, próximo à estação Campo Grande, no dia 25 de março de 2013. Relatório da Catra constatou que a causa do problema foi a falta de manutenção preventiva no banco de baterias de comando de chaves, que é acionado em caso de alguma irregularidade no fornecimento de energia para o equipamento. Na ocasião, 16 viagens foram realizadas com atraso e outras seis foram suprimidas.
Fonte - STEFZS 10/07/2014

Prefeitura cobra em Patamares taxa de foro indevidamente

Salvador

Prefeitura cobra indevidamente taxa de foro em Patamares - Os moradores entraram com uma ação na Justiça pois a taxa é indevida. 

BN
Imagens: Google Earth
A Secretaria da Fazenda de Salvador enviou carnê para proprietários de imóveis e terrenos de casas no bairro de Patamares, com cobrança da taxa de foro ao município. O foro é uma espécie de aluguel anual cobrado aos proprietários de imóveis que utilizam um terreno de propriedade plena da prefeitura. O valor corresponde a 0,6% do total da área, sem levar em consideração as edificações feitas no local. Os moradores entraram com uma ação na Justiça pois a taxa é indevida. Na década de 70, o antigo proprietário da área Fazenda Jaguaribe, Waldemar Gantois, onde está implantado o loteamento Patamares, comprou do município a área por enfiteuse (arrendamento por prazo longo ou perpétuo de terras). Clique aqui e veja a certidão do tabelionato de ofício de imóveis da Bahia.
Fonte - Bahia Notícias  10/07/2014

Brasil e China poderão ter parcerias em ferrovias

Ferrovias

Ferrovias poderão ter parcerias entre Brasil e China - O acordo deve ser assinado durante a visita do presidente chinês, Xi Jinping, ao Brasil, na semana que vem. Ele estará em Fortaleza para participar da reunião do grupo dos Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), entre os dias 15 e 16. Em seguida, Jinping terá encontro com a presidente Dilma Rousseff, em Brasília.

Valor Econômico
foto - ilustração
Os governos do Brasil e da China devem assinar um memorando de cooperação na área de ferrovias para auxiliar empresas de ambos os países a firmarem parcerias para disputar concessões no país. O objetivo é permitir que companhias chinesas, com capital, investimento e conhecimento tecnológico no setor, possam se juntar a empresas brasileiras, que estão acostumadas a atuar em regime de concessão.
O acordo deve ser assinado durante a visita do presidente chinês, Xi Jinping, ao Brasil, na semana que vem. Ele estará em Fortaleza para participar da reunião do grupo dos Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), entre os dias 15 e 16. Em seguida, Jinping terá encontro com a presidente Dilma Rousseff, em Brasília.
A China Railway Construction Corporation (CRCC) deve procurar parceiras brasileiras para disputa da concessão do trecho entre Lucas do Rio Verde (MT) e Campinorte (GO). Já a China Railway Engineering Corporation (Crec) tem interesse em atuar no projeto de uma ferrovia do Maranhão até o Peru. As duas companhias vão aproveitar a visita de Jinping para fortalecer os contatos com empresas brasileiras que podem ser sócias nesses empreendimentos.
Ao todo, a China tem mais de 100 mil km de ferrovias, dos quais 11 mil km são de trens de al ta velocidade. A grande dificuldade para a realização de investimentos nesse setor no Brasil é que as companhias chinesas estão acostumadas com projetos de construção das ferrovias, enquanto o modelo brasileiro envolve também a exploração da concessão dos serviços. Daí a necessidade da formação de consórcios com empresas brasileiras.
Mais de cem empresários chineses devem acompanhar Jinping ao Brasil, o que deve fortalecer os contatos para a criação de consórcios capazes de disputar leilões outras áreas além das ferrovias, como petróleo e energia elétrica.
"O Brasil se converteu no maior sócio comercial da China na América Latina. É o primeiro destino de nossos investimentos na região", disse Xu Ying Zhen, diretora-geral do Ministério do Comércio para a América Latina e Oceania. Segundo ela, integrantes da delegação chinesa que vai ao Brasil estão "muito interessados" em fazer investimentos no Brasil nos setores de energia elétrica, automobilístico, ferrovias, estradas e portos.
A delegação terá empresas de tecnologia e internet, setor que recebe incentivos do governo dentro de um projeto de diversificação dos investimentos chineses no exterior. "Enquanto consolidamos a cooperação em setores tradicionais, podemos ampliar em outros segmentos da economia, como aviação e tecnologia", disse Zhen.
A Baidu, empresa de sites de busca e tecnologia, considerada o Google chinês, vai desenvolver uma página em português dentro da estratégia de aproximação e ingresso no mercado brasileiro. A empresa escolheu o português, antes mesmo do espanhol, pois acredita no potencial para crescer no Brasil.
Atualmente, a Baidu conta com 500 milhões de usuários. Ao todo, o país, de 1,3 bilhão de habitantes, tem 600 milhões de usuários de internet. A empresa tem, portanto, mais de 83% do mercado. Como o Google resolveu se retirar da China por discordar da censura a alguns temas de busca, como, por exemplo, o massacre da praça da Paz Celestial, a Baidu, que já era líder do mercado anteriormente, com 70% contra 30% do sistema de buscas americano, consolidou a posição.
Com a visita de Jinping, a empresa chinesa Sany deve anunciar um investimento grande na área de máquinas e equipamentos. A Sany já adquiriu um terreno em Jacareí, interior de São Paulo, para iniciar a sua produção.
O Brasil será o país mais importante da visita de Jinping à América Latina, que incluirá Argentina, Venezuela e México. A região é considerada estratégica para o governo chinês que, tradicionalmente, atua por meio de acordos bilaterais, nos quais a sua posição para fechar os negócios sempre é maior - dado o tamanho da economia chinesa - que a do seu parceiro.
"Seguramente, as visitas vão assegurar os interesses de ambas as partes", afirmou Li Baorong, vice-diretor-geral do Departamento de Assuntos Latino-Americanos do Ministério das Relações Exteriores da China. Segundo ele, a visita à região é importante para acelerar o crescimento da China.
De acordo com dados do Departamento Comercial do governo chinês, em 2013 o comércio entre aquele país e a região atingiu US$ 261 bilhões. As exportações da China chegaram a US$ 134 bilhões, enquanto as importações foram a US$ 127 bilhões.
"O intercâmbio com o Brasil ocupa mais de um terço das trocas comerciais com a região", disse Baorong. "A China é o primeiro sócio comercial do Brasil e o principal mercado para as exportações brasileiras. Mesmo com as dificuldades na situação econômica mundial, nos últimos anos, tivemos êxito nessa relação."
O repórter viajou a convite do governo da China
Fonte - Revista Ferroviária  10/07/2014

Justiça mantém condenação de Arruda por improbidade administrativa

Política

Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal, que desvendou o esquema de corrupção conhecido como mensalão do DEM, em 2009.
Filiado ao PR, Arruda é candidato ao governo do DF pela coligação União e Força e pode concorrer normalmente às eleições. 

André Richter 
Repórter da Agência Brasil 
José Roberto ArrudaArquivo/Agência Brasil
A 2ª Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDF) manteve hoje (9) a condenação do ex-governador do Distrito Federal (DF) José Roberto Arruda por improbidade administrativa. O processo é um dos desdobramentos das investigações da Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal, que desvendou o esquema de corrupção conhecido como mensalão do DEM, em 2009.
Filiado ao PR, Arruda é candidato ao governo do DF pela coligação União e Força e pode concorrer normalmente às eleições. A Lei da Ficha Limpa impede candidatura de condenados na segunda instância da Justiça. No entanto, a Lei das Eleições (Lei 9.504/97) diz que as condições de inelegibilidade são aferidas no momento do pedido de registro da candidatura, feito na semana passada, quando o recurso de Arruda ainda não tinha sido julgado. Além disso, a suspensão dos direitos políticos só vale após o trânsito em julgado, o fim do processo.
Em nota, o Ministério Público afirmou que vai analisar o caso. “O Ministério Público Eleitoral vai examinar a decisão do TJDFT tão logo tenha conhecimento do inteiro teor dela, e verificar as consequências da condenação no processo eleitoral”, diz a nota.
A assessoria de Arruda afirmou que vai recorrer da decisão e garantiu que ele está elegível para participar das eleições.
Em nota, o diretório do PR no Distrito Federal reafirmou “apoio absoluto e inabalável” ao candidato.
De acordo com a denúncia do Ministério Público, o ex-secretário de Assuntos Institucionais do governo do Distrito Federal Durval Barbosa relatou ter recebido autorização do ex-governador Joaquim Roriz, em 2002, para apoiar financeiramente a campanha de Arruda. Após a autorização, Durval disse que passou a entregar dinheiro arrecadado com propinas para Arruda e para quem ele indicasse. Segundo o ex-secretário, o “esquema criminoso” continuou no governo seguinte.
Como provas, Durval entregou vídeos e gravações em que diversos agentes públicos e empresários recebiam dinheiro de origem ilícita. Na mesma ação, foi condenada a ex-deputada distrital Jaqueline Roriz.
Durante o julgamento, a defesa do ex-governador negou as acusações de improbidade e afirmou que o nome de Arruda não foi citado nas gravações entregues por Barbosa.
A descoberta do suposto esquema de desvio de dinheiro público e pagamento de propina entre integrantes do Executivo e do Legislativo local resultaram na saída do então governador Arruda e do vice, Paulo Octavio.
Fonte - Agência Brasil  09/07/2014

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Futuros engenheiros participam do programa Bastidores do Metrô - CBTU

Transportes sobre trilhos

Durante a visita, os participantes conheceram de perto detalhes da rotina das oficinas de manutenção de trens, além de vivenciar o trabalho de engenheiros e técnicos da Companhia. O coordenador de Revisão de Trens, Gilberto Metzker, e a equipe de manutenção da Companhia foram os responsáveis por mostrar para os alunos o que há por trás das plataformas e vias do metrô de Belo Horizonte.

Imprensa CBTU  - BH

A edição especial do Programa Bastidores do Metrô recebeu, na última segunda- feira (7/7), no Pátio São Gabriel, cerca de 10 estudantes do primeiro período do curso de Engenharia Elétrica do CEFET-MG. Durante a visita, os participantes conheceram de perto detalhes da rotina das oficinas de manutenção de trens, além de vivenciar o trabalho de engenheiros e técnicos da Companhia. O coordenador de Revisão de Trens, Gilberto Metzker, e a equipe de manutenção da Companhia foram os responsáveis por mostrar para os alunos o que há por trás das plataformas e vias do metrô de Belo Horizonte.
De acordo com o coordenador de Revisão de Trens, Gilberto Metzker, que também estudou engenharia eletrônica, a CBTU é uma empresa que aposta no trabalho do profissional da área. “Nossa profissão é bastante promissora, por isso os alunos devem investir sempre no conhecimento. A Companhia está de portas abertas para receber a visita dos nossos futuros colegas de profissão.”

Iniciativa aprovada
O estagiário da CBTU e um dos alunos da turma de engenharia elétrica do CEFET-MG, Gabriel Bertolini, foi quem incentivou os colegas a conhecerem o programa de visitas. “Minha visão sobre o metrô era bastante generalizada. Depois que comecei a vivenciar a rotina do sistema, pude perceber pequenos detalhes que estão ajudando nas minhas escolhas”. Já a estudante Carolina Mores ressaltou a importância da visita para a formação da turma. “Conhecemos de perto umas das áreas de atuação dos engenheiros, quais são as funções e o que eles fazem no metrô. Gostei bastante da receptividade e do que vimos por aqui,” concluiu.

Participe
Interessados em participar das próximas edições do Programa Bastidores do Metrô podem se inscrever através de formulário disponível nas caixas de sugestão das estações, pelo telefone (31) 3250-3926 ou, ainda, pelo e-mail: falemetrobh@cbtu.gov.br. O programa está aberto à inscrição de turmas de alunos dos ensinos médio, técnico e universitário.
Fonte - CBTU  09/07/2014

Julgamento de ação contra reajuste do IPTU é adiado

Salvador

A desembargadora Silvia Zarif, ex-presidente do Tribunal de Justiça, se opôs ao julgamento - que acontecia na manhã desta quarta-feira, 9 - e pediu o adiamento. Ela alegou que o desembargador relator, Roberto Franklin, não publicou os relatórios e o acórdão do processo no sistema interno do tribunal, para que os desembargadores pudessem ter acesso às informações antes do julgamento.

Da Redação - A Tarde 
Com informações de Fernando Duarte
foto - A Tarde
Foi adiado para 30 de julho o julgamento da ação direta de inconstitucionalidade (Adin) e a liminar que pede a suspensão dos efeitos da lei do IPTU em Salvador, movidas pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-BA), pelo Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA) e pelos partidos dos Trabalhadores (PT), Social Liberal (PSL) e Comunista do Brasil (PCdoB).
A desembargadora Silvia Zarif, ex-presidente do Tribunal de Justiça, se opôs ao julgamento - que acontecia na manhã desta quarta-feira, 9 - e pediu o adiamento. Ela alegou que o desembargador relator, Roberto Franklin, não publicou os relatórios e o acórdão do processo no sistema interno do tribunal, para que os desembargadores pudessem ter acesso às informações antes do julgamento.
Dos 33 desembargadores presentes, 28 votaram pelo adiamento. A nova data foi confirmada pelo presidente do Tribunal de Justiça, Eserval Rocha. Representantes da OAB e do Ministério Público se manifestaram pelo cumprimento do regimento interno e não se opuseram ao adiamento.
A prefeitura publicou nesta terça-feira, 8, no Diário Oficial do Município (DOM), a lei que define que o reajuste do IPTU em 2015, 2016 e 2017 será feito apenas com base na variação anual do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).
A nova lei poderá influenciar a decisão dos conselheiros, mas o MP, que deu parecer pela inconstitucionalidade da lei do IPTU, vai opinar pela manutenção do seu parecer: contra o modelo de cálculo do tributo, por não dar segurança para o contribuinte, já que será definida de forma administrativa.
Fonte - A Tarde  09/07/2014

IPC-S cai em cinco de sete capitais pesquisadas, mostra FGV

Economia

Como na semana encerrada no último dia 30, Salvador continua com a maior inflação do país, com o IPC-S variando 0,45%, resultado 0,09 ponto percentual menor que os 0,54% da semana anterior.

Nielmar de Oliveira
Repórter da Agência Brasil
foto - ilustração
A variação de 0,28% registrada na primeira semana de julho no Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) reflete queda nos preços apurados em cinco das sete capitais envolvidas na pesquisa. O resultado é 0,05 ponto percentual menor que a taxa da semana anterior, informou o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas.
Como na semana encerrada no último dia 30, Salvador continua com a maior inflação do país, com o IPC-S variando 0,45%, resultado 0,09 ponto percentual menor que os 0,54% da semana anterior.
As outras quatro capitais com retração nos preços relativos ao IPC-S foram Belo Horizonte (de 0,17% para 0,13%), o Recife (de 0,40% para 0,20%, a maior queda em pontos percentuais, 0,20), São Paulo (de 0,32% para 0,26%) e Porto Alegre (de 0,21% para 0,07%).
As duas únicas capitais com aumento de preços entre a última semana do mês passado e a primeira deste mês foram Brasília (de 0,34% para 0,36%) e o Rio de Janeiro (de 0,39% para 0,44%, o segundo maior IPC-S do país).
Fonte - Agência Brasil  09/07/2014

Ferrovia Norte-Sul: Empreiteira prevê trilhos para setembro

Ferrovias

Construção da ponte sobre o Rio Grande avança e viaduto na Euclides da Cunha (foto) já tem fundações - As obras de terraplenagem avançam em meio aos canaviais que dominam o cenário regional, cortando os territórios dos municípios de Ouroeste, Guarani d´Oeste, Populina e Fernandópolis 

Jornal Tá Na Mão/Região Noroeste

Fernandópolis - As obras de construção da Ferrovia Norte-Sul avançam pela região e já atingem 65% do cronograma, segundo estimativa feita pela empreiteira Triunfo Iesa Infraestrutura (Tiisa) responsável pelo lote 5, que vai do Rio Arantes, em Minas Gerais, até Estrela d´Oeste em nossa região, numa extensão de 141,9 quilômetros. A chegada dos trilhos à região está prevista para setembro.
Em nota ao jornal Tá na Mão, a empresa informa que o trecho de Minas Gerais está finalizado e que está em andamento a construção da ponte ferroviária sobre o Rio Grande , com 600 metros de comprimento sobre cinco pilares cujas bases ficarão submersas. A obra terá vão navegáveis – que permitirão a passagem das balsas que passam pela hidrovia. De acordo com a nota, 14,2% da obra foram executados, o que inclui os serviços de infraestrutura (fundações) e mesoestrutura (pilares). A previsão de conclusão, segundo a Tiisa, é março de 2015.
Outra obra de arte de grande porte já em construção é o viaduto sobre a Rodovia Euclides da Cunha em Estrela d´Oeste, a um quilômetro da divisa com Fernandópolis. A empreiteira Verissimo trabalha na conclusão das fundações do viaduto e diz que aguarda a liberação do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) para construção das fundações do pilar no vão central da rodovia.
As obras de terraplenagem avançam em meio aos canaviais que dominam o cenário regional, cortando os territórios dos municípios de Ouroeste, Guarani d´Oeste, Populina e Fernandópolis . Entre Arabá e Estrela d´Oeste, várias obras de arte de menor porte estão em construção. A partir de setembro, diz a nota da Tiisa, terá início a construção da infraestrutura de ferrovia, ou seja, a colocação dos trilhos. O prazo previsto para a conclusão total da obra é Maio de 2015, conclui a nota.
Em Estrela d´Oeste, a Ferrovia Norte Sul se conectará com a Ferrovia EF – 364, operada pela América Latina Logística (ALL), de modo a permitir acesso ao Porto de Santos. O investimento previsto no PAC é de R$ 3,38 bilhões.
Fonte - STEFZS  09/07/2014

Projeto da linha a Taboão da Serra do metrô será concluído até dezembro

Transportes sobre trilhos

De acordo com o Governo do Estado, hoje um morador de Taboão da Serra que usa o transporte público leva cerca de uma hora e 35 minutos até o centro da capital. - “Os moradores terão mais facilidades de locomoção, não será tão necessário o uso de automóveis e com isso haverá redução do trânsito. 

Portal de Itapecerica da Serra

A vinda do tão sonhado metrô para Taboão da Serra já é realidade. O prefeito Fernando Fernandes recebeu, neste dia 30 de junho, o secretário estadual de Transportes Metropolitanos Jurandir Fernandes, em reunião com vereadores, líderes de bairros e autoridades religiosas. Jurandir explicou sobre o estágio das obras da Linha 4 Amarela, que está na fase do Projeto Básico, que prevê perfurações para o estudo do solo, que vem sendo feitas em pontos entre o pátio da Vila Sônia e Taboão.
A estação subterrânea, que abrangerá ainda um terminal de ônibus, será construída na região central de Taboão da Serra e terá quatro acessos para pedestres: próximo a Praça Nicola Vivilechio, ao lado do Santuário Santa Terezinha, na plataforma do terminal dos ônibus municipais e intermunicipais e no corredor de ônibus da SPTrans, na Estrada do Campo Limpo.
Segundo o secretário, esta será a fase 3 da linha, que receberá também a estação Chácara do Jóquei. “A primeira impressão que temos é de que o prazo até 2018 é muito longo, porém, até lá os taboanenses também serão beneficiados com mais duas estações inauguradas, como a São Paulo Morumbi e Vila Sônia. Não será mais necessário ir até a estação Butantã”, disse.
O prefeito Fernando Fernandes disse que o metrô em Taboão mudará toda a cultura de deslocamento da região. “Os moradores terão mais facilidades de locomoção, não será tão necessário o uso de automóveis e com isso haverá redução do trânsito. Além disso, esta linha que passará em Taboão da Serra colocará o centro de São Paulo em ligação direta com as rodovias Régis Bittencourt e Raposo Tavares”, afirma. “É um grande orgulho saber que, depois de tantos esforços, conseguiremos ter nossa estação de metrô”, conclui Fernando.
De acordo com o Governo do Estado, hoje um morador de Taboão da Serra que usa o transporte público leva cerca de uma hora e 35 minutos até o centro da capital. Com a conclusão da fase 3 da Linha Amarela, esse tempo será reduzido para 24 minutos.
Linha 4 Amarela: inaugurada em 2010, a linha possui seis estações em operação: Luz, República, Paulista, Faria Lima e Butantã. É a linha da Integração do metrô, uma vez que faz conexões com as linhas azul, verde e vermelha, além das linhas da CPTM. Em breve irá se integrar com as novas linhas laranja, rosa e ouro.
Fonte - STEFZS  09/07/2014

Salvador tem 23 viadutos com estrutura deteriorada

Salvador

A necessidade de intervenção foi constatada por engenheiros do Sindicato de Engenharia e Arquitetura da Bahia (Sinaenco) no estudo intitulado Prazo de Validade Vencido, em 2006, durante a gestão do então prefeito João Henrique.

Priscila Machado 
Jamilly Lima
O elevado sobre a rua Gamboa de Cima
 tem vigas expostas e gradil enferrujado

Lúcio Távora | Ag. A TARDE
Mais da metade dos viadutos da capital baiana precisa de reparos, segundo a Secretaria de Infraestrutura e Defesa Civil de Salvador (Sindec).
A necessidade de intervenção foi constatada por engenheiros do Sindicato de Engenharia e Arquitetura da Bahia (Sinaenco) no estudo intitulado Prazo de Validade Vencido, em 2006, durante a gestão do então prefeito João Henrique.
Conforme a atual administração municipal, apenas dois dos 25 viadutos que apresentavam problemas na estrutura - o de Patamares e o da rua Gamboa de Cima - passaram por obras.
Contudo, dentre as estruturas vistas pela reportagem, a mais danificada é a da avenida Sete de Setembro, que passa sobre a rua Gamboa de Cima. O elevado tem vigas e tubulações expostas e gradil enferrujado.
Na gestão anterior, a Sindec chegou a elaborar projeto para reparar 11 deles, mas a execução não aconteceu. Segundo Eduardo Azevedo, presidente do Sinaenco, os problemas detectados em 2006 persistem em vários bairros.
"Foi feita uma 'maquiagem' em algumas estruturas, por causa da Copa do Mundo, serviços como conserto de gradil, pintura e pavimentação. Mas ninguém interveio na base de sustentação desses elevados", disse.
"O prazo projetado para a vida útil de um viaduto é de 50 anos, mas pode ser prorrogado por mais 150, se houver manutenção constante, o que não acontece aqui. A prefeitura não reserva recurso para isso", opinou Azevedo.

Fiscalização
De acordo com a Superintendência de Conservação e Obras Públicas de Salvador (Sucop), apesar de alguns viadutos estarem deteriorados, nenhum deles oferece risco de desabamento.
A Polícia Civil de Belo Horizonte ainda investiga a causa do desabamento do viaduto Batalha dos Guararapes, na Pampulha, que deixou dois mortos e outros 23 feridos na semana passada.
Para Azevedo, a qualidade das obras passa por problemas conjunturais no Brasil. Ele aponta como fatores preponderantes a ausência de fiscalização efetiva e a anulação de algumas etapas do processo licitatório.
Fonte - A Tarde  09/07/2014 

Safra de grãos - Conab aumenta estimativa para 193,8 milhões de toneladas

Economia

De acordo com a Conab, alguns produtos superaram a produção passada, como a soja (5,9% ou 4,77 milhões de toneladas), o trigo (33,8% ou 1,87 milhão de toneladas) e o algodão em caroço (29,1% ou 586,5 mil toneladas).

Da Agência Brasil 
De acordo com a Conab, alguns produtos
superaram a produção passada, como a soja
Arquivo/Agência Brasil
A safra brasileira de grãos 2013/2014 deve chegar 193,87 milhões de toneladas, de acordo com estimativa da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Em relação à colheita anterior (188,66 milhões), haverá crescimento de 2,8%. Também houve aumento na comparação com a estimativa de junho, de 0,15%. Este é o décimo levantamento feito pela Conab, entre os dias 22 e 28 de junho.
De acordo com a Conab, alguns produtos superaram a produção passada, como a soja (5,9% ou 4,77 milhões de toneladas), o trigo (33,8% ou 1,87 milhão de toneladas) e o algodão em caroço (29,1% ou 586,5 mil toneladas). Já o milho teve queda na primeira safra (7,4%), na segunda safra (1,6%) e no milho total (4,1% ou 3,3 milhões de toneladas).
A estimativa para a área plantada é 56,82 milhões de hectares, 6,1% acima da área cultivada na safra 2012/2013 – 3,26 milhões de hectares a mais. Os destaques de aumento são para as culturas de soja, com crescimento de 8,6%, o trigo, com 18,9%, o feijão total, com 8,2% e o algodão, com 25,1%.
Fonte - Agência Brasil  09/07/2014

terça-feira, 8 de julho de 2014

Brasil é goleado pela Alemanha e dá adeus ao hexacampeonato

Copa no Brasil

Sem Neymar, que sofreu uma fratura na terceira vértebra lombar, Felipão apostou em Bernard. Para a vaga do zagueiro Thiago Silva, o técnico brasileiro colocou Dante. Mas as mudanças na equipe, que só foram divulgadas pouco antes do início da partida, não surtiram o efeito desejado.
Elaine Patrícia Cruz


Repórter da Agência Brasil 
Ag.Brasil
Em um Mineirão dominado pelas cores do Brasil, quem fez a festa no estádio foi a torcida alemã. Em apenas 30 minutos, ainda na primeira etapa de jogo, a Alemanha já vencia a partida por 5 a 0. Infelizes com o resultado, alguns torcedores brasileiros resolveram ir embora mais cedo, antes mesmo do intervalo para a segunda etapa. No final do jogo, a Alemanha venceu a partida por 7 a 1 e se garantiu para a final da Copa, que será disputada domingo, no Maracanã, no Rio de Janeiro, contra o vencedor do duelo de amanhã (9) entre Argentina e Holanda, em São Paulo.
Sem Neymar, que sofreu uma fratura na terceira vértebra lombar, Felipão apostou em Bernard. Para a vaga do zagueiro Thiago Silva, o técnico brasileiro colocou Dante. Mas as mudanças na equipe, que só foram divulgadas pouco antes do início da partida, não surtiram o efeito desejado. A equipe brasileira hoje não conseguiu controlar os equilibrados e eficientes alemães, que fizeram um primeiro tempo praticamente perfeito. O Brasil foi anulado na primeira etapa: além de não conseguir criar chances de gol, os brasileiros não seguraram a Alemanha, e permitiram que os adversários fossem construindo um placar bastante elástico, tirando quaisquer chances de o Brasil chegar à final.
Pouco antes do início do jogo, os torcedores gritaram muito o nome de Neymar. Ainda fora do estádio, diversas máscaras do jogador foram distribuídas para os torcedores, como forma de homenagear Neymar e pedir empenho dos demais jogadores da seleção.
O jogo até começou bastante disputado, com as duas equipes buscando o gol. A grande chance brasileira, uma das poucas em todo o primeiro tempo, aconteceu aos dois minutos, quando Marcelo arriscou um chute de fora da área e a bola passou perto do gol alemão.
Mas pouco a pouco a Alemanha passou a ditar o ritmo de jogo. Logo aos dez minutos, ela abriu o placar em cobrança de escanteio de Kroos, que sobrou para Müller, sem marcação na grande área, mandar para o fundo da rede.
O Brasil tentou equilibrar a partida, mas a forte marcação alemã e o meio de campo consistente impediram quaisquer jogadas da seleção. Aos 16 minutos, Marcelo caiu na grande área e pediu pênalti, não marcado pelo juiz. Iniciou-se então uma pequena confusão na grande área entre Marcelo e o zagueiro alemão Boateng, logo controlada pelo árbitro mexicano Marco Rodriguez. Depois disso, no entanto, o Brasil não conseguiu mais chegar à área alemã.
O que se viu foi um show do adversário brasileiro. Aos 22 minutos, a Alemanha ampliou o placar com Klose. Ele chutou uma vez ao gol, para defesa parcial do goleiro Julio Cesar, e recebeu o rebote, mandando a bola para o fundo da rede. Com esse gol, Klose virou o maior artilheiro das copas, ultrapassando o brasileiro Ronaldo, que tinha 15 gols.
Dois minutos depois, aproveitando nova falha e apagão do Brasil, a Alemanha fez o terceiro gol, com Kroos, que acertou um forte chute no canto direito de Julio Cesar. No minuto seguinte, o mesmo Kroos ampliou, após receber um passe de Khedira.
Aos 28 minutos, a Alemanha encerrou o placar do primeiro tempo, com um gol de Khedira, após roubar a bola no meio de campo e tabelar com Özil. Com o placar tão adverso, os torcedores brasileiros preferiram o silêncio. A festa então foi deixada para a torcida alemã, postada atrás de um dos gols. A torcida brasileira só voltou a se manifestar no final do primeiro tempo, com muitas vaias para a seleção.
Na entrada da segunda etapa, Felipão mexeu no time, tirando Hulk e Fernandinho para as entradas de Ramires e Paulinho. O Brasil voltou melhor em campo, mas não o suficiente para reverter um placar tão adverso.
Aos cinco minutos da segunda etapa o Brasil até tentou diminuir o placar, em uma tabela de Fred e Ramires na grande área, mas encontrando o goleiro Neuer à frente. Um minuto depois, o goleiro alemão fez outra boa defesa, após chute de Oscar. Minutos depois, Paulinho também arriscou, mas novamente o goleiro fechou o gol, fazendo a defesa.
Enquanto o Brasil sofria em campo para conseguir diminuir a diferença, a torcida alemã fazia a festa no Mineirão. Em um de seus gritos, eles cantavam "Rio de Janeiro ô ô ô ôô", como se estivessem cantando Vamos a la Playa. Mais calada, a torcida brasileira preferiu dirigir seus xingamentos à presidenta da República Dilma Rousseff.
Aos 23 minutos, a Alemanha fez o sexto gol, desta vez com Schuerrle, que tinha entrado no jogo há apenas dez minutos. O mesmo Schuerrle ainda fez um belo gol, aos 33 minutos, sem chance para o goleiro Julio Cesar. Após mais um gol, a torcida brasileira passou a apoiar a Alemanha, gritando olé a todo momento em que os jogadores alemães tocavam na bola. Já no último minuto de jogo, Oscar fez o único gol brasileiro, animando a torcida brasileira que ainda se mantinha no Mineirão. Apesar da derrota, ao fim do jogo os torcedores voltaram a gritar “Sou brasileiro, com muito orgulho e muito amor”.
Fonte - Agência Brasil  08/07/2014