sábado, 28 de junho de 2014

Classificação do Brasil foi garantida em jogo sofrido no Mineirão

Copa no Brasil

As mais de 57,7 mil pessoas que foram ao Estádio Mineirão na tarde de hoje (28) presenciaram uma partida tensa, muito disputada no meio de campo e com direito à prorrogação e disputa por pênaltis antes da classificação do Brasil para as quartas de final da Copa do Mundo.

Elaine Patricia Cruz
Enviada especial

Muita gente apostou que seria um jogo difícil. E foi. As mais de 57,7 mil pessoas que foram ao Estádio Mineirão na tarde de hoje (28) presenciaram uma partida tensa, muito disputada no meio de campo e com direito à prorrogação e disputa por pênaltis antes da classificação do Brasil para as quartas de final da Copa do Mundo. Também houve muitas jogadas polêmicas, o que fez com que a torcida questionasse muito, inclusive com vaias e palavrões, o comportamento do juiz Howard Webb em campo. “Ele está vendido”, gritava a torcida brasileira durante a prorrogação.
Apesar de sofrer em campo, o Brasil eliminou o Chile nos pênaltis, após o empate em 1 a 1 no tempo normal, com gols de David Luiz e Sánchez. Nos pênaltis, o goleiro Julio Cesar brilhou, defendendo duas cobranças. O chileno Jara completou a festa brasileira ao mandar a bola no travessão.
No começo, o que se ouvia dentro do estádio era uma profusão de gritos das duas torcidas. Os brasileiros arriscavam um “O campeão voltou” e “Explode coração”, enquanto os chilenos respondiam com o seu grito mais famoso: “Chi chi chi le le le, Viva Chile”. O estádio era, em sua maioria, verde e amarelo, mas o número de pessoas vestindo o vermelho da seleção chilena era também muito grande. Na execução dos hinos, a torcida chilena se surpreendeu ao ver seu hino ser vaiado pelos brasileiros. E mostrou respeito quando o hino brasileiro foi executado.
Torcedores vibram com o jogo entre Brasil e Chile
no Mineirão em Belo Horizonte
Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Durante a partida, a torcida foi ficando mais tensa e os gritos foram diminuindo dos dois lados. A torcida chilena só voltou a se empolgar antes do início da prorrogação. Mas também foi vencida pela ansiedade e o nervosismo.
O Brasil abriu o placar aos 17 minutos do primeiro tempo. Após cobrança de escanteio de Neymar, Thiago Silva desviou de cabeça e a bola sobrou para David Luiz dividir com Vargas, que mandou para o fundo da rede. O juiz deu o gol para o brasileiro. David Luiz, que era dúvida na partida, se emocionou muito com o gol e o dedicou ao técnico Luiz Felipe Scolari.
Depois do gol, o Brasil passou a jogar mais recuado. Pressionando, o Chile chegou ao empate aos 31 minutos do primeiro tempo, após o Brasil ter errado na reposição de bola em sua área de defesa. Hulk errou na cobrança de lateral feita por Marcelo, Vargas roubou a bola, que acabou sobrando para Alexis Sánchez empatar o jogo. O gol animou a torcida chilena no Mineirão, que tentou abafar os gritos da imensa massa verde e amarela do estádio.
Nos minutos finais da primeira etapa, o Brasil voltou a pressionar o Chile, com a melhor chance aos 42 minutos, em chute de Daniel Alves que o goleiro Bravo espalmou. Aos 45 minutos, o Chile teve uma grande chance com Sánchez, após uma falha de Luiz Gustavo na saída de bola. Na confusão dentro da área, a bola acabou sobrando para escanteio.
O segundo tempo começou com Fernandinho arriscando um chute de fora da área. A bola passou próxima ao gol. Cinco minutos depois, Hulk fez um gol para o Brasil, mas o juiz invalidou o lance alegando que a bola tocou no braço do jogador antes de ir para o fundo da rede.
Aos 19 minutos, o Chile teve uma grande oportunidade com Aránguiz, que chutou forte e exigiu uma grande defesa do goleiro Julio Cesar.
Assim como na primeira etapa, o Chile manteve o controle e a posse de bola no segundo tempo e o Brasil encontrou muitas dificuldades para passar do meio de campo. Na metade do segundo tempo, o ritmo do jogo caiu bastante, com as equipes se arriscando pouco e criando poucas oportunidades de gol. A queda no jogo desanimou bastante a torcida no Mineirão, que só voltou a vibrar aos 35 minutos, quando Neymar arriscou de cabeça no meio do gol e Bravo defendeu.
Na primeira etapa da prorrogação, o Brasil entrou um pouco melhor em campo, mas com muitas dificuldades para enfrentar a defesa chilena. Com isso, poucos chutes a gol aconteceram. Na segunda etapa do tempo extra, já bastante cansados em campo, os jogo seguiu com poucas oportunidades. A grande chance da prorrogação só aconteceu aos 14 minutos, para o Chile, quando o chute de Piniilla explodiu no travessão.
Na cobrança de pênaltis, David Luiz, Marcelo e Neymar marcaram para o Brasil. Willian chutou para fora e Hulk teve a sua cobrança defendida por Bravo. Pelo Chile, Díaz e Aránguiz marcaram, mas o goleiro Julio Cesar fez duas defesas em chutes cobrados por Pinilla e Sánchez e, para alegria dos brasileiros, Jara errou a última cobrança mandando a bola no travessão.
Fonte - Agência Brasil  28/06/2014

Trem Pendolino ETR610 chega na Suíça

Internacional

1º Trem Pendolino Alstom de uma série de 8 comprados pela Swiss Federal Railways, chega a Suiça para  uso nos serviços da rota Gotthard  para Milano 

Railway Gazette
Alstom New Pendolino ETR610 tilting trainset for SBB.
Railway Gazette - ETR610 (New Pendolino)
SUÍÇA: O primeiro de um lote de oito ETR610 (New Pendolino), trens pendolino encomendados pela Swiss Federal Railways em julho de 2012, foi entregue pela fábrica de Savigliano da Alstom na Itália.
Homologação para a Suíça foi concluída antes da entrega, e os testes dinâmicos já estão sendo realizados em dois dos trens que serão entregues a SBB até o final do ano.
Cada composição terá sete carros com 430 lugares e podera atingir a velocidade máxima de 250 km / h ,será um  TSI compatível para uso nos serviços da rota Gotthard para Milano.
Fonte - Railway Gazette  28/06/2014
Tradução e adaptação de texto Pregopontocom


The Original text
Railway Gazette
SWITZERLAND: The first of a batch of eight ETR610 New Pendolino tilting trainsets ordered by Swiss Federal Railways in July 2012 has been delivered from Alstom’s Savigliano plant in Italy.
Type approval for Switzerland was completed before delivery, and dynamic trials are now underway with the aim of two trainsets being handed over to SBB by the end of the year.
The seven-car trainsets with 430 seats and a top speed of 250 km/h will be TSI-compliant for use on Gotthard route services to Milano.

Oitavas de final da Copa começam hoje com Brasil em campo

Copa no Brasil

A fase de mata-mata do torneio começa às 13h, horário de Brasília, com Brasil e Chile, em Belo Horizonte. A seleção brasileira virá com pelo menos uma mudança em relação ao time que começou a partida contra Camarões, na última segunda-feira (23).

Marcelo Brandão
Repórter da Agência Brasil
O técnico da seleção brasileira, Luiz Felipe Scolari,
 e o jogador Thiago Silva concedem coletiva sobre
 o jogo contra o Chile, no Mineirão
Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Começam hoje (28) as oitavas de final da Copa do Mundo. A partir de agora, os erros não serão mais tolerados e quem perder estará fora do torneio. Após a primeira fase, encerrada na última quinta-feira (26), 16 seleções já deixaram o país e 16 continuam na disputa. Entre as consideradas favoritas, Brasil, Alemanha, Holanda e Argentina continuam no páreo. Entre as sensações do torneio, França e Costa Rica, invictas até agora, Colômbia, com 100% de aproveitamento, e Bélgica, também vitoriosa nas três partidas que disputou, têm força suficiente para continuar brigando pela Taça.
A fase de mata-mata do torneio começa às 13h, horário de Brasília, com Brasil e Chile, em Belo Horizonte. A seleção brasileira virá com pelo menos uma mudança em relação ao time que começou a partida contra Camarões, na última segunda-feira (23). O volante Fernandinho, que entrou no segundo tempo diante dos africanos e teve boa atuação, vai ocupar a vaga que era de Paulinho.
De acordo com o técnico do Brasil, Luiz Felipe Scolari, o time alcançou 80% do que apresentou na Copa das Confederações do ano passado, quando saiu campeão. Ele enfatizou que o time vai tentar imprimir seu estilo de jogo e buscar as quartas de final. “Vamos montar nossa equipe de acordo com nosso padrão de jogo, independentemente de como o Chile vai se oferecer para nós. Se dá certo ou se dá errado, temos alternativas que vamos conversar antes do jogo para que saibamos nos portar em determinadas situações”.

Animados por boa campanha na primeira fase,
 torcedores chilenos devem disputar as arquibancadas
 do Mineirão com a torcida verde e amarela
Arquivo/Tomaz Silva/Agência Brasil
O Chile vem credenciado por uma vitória incontestável sobre a Espanha na primeira fase, com boas atuações de Vargas e Sánchez. O time, comandado pelo argentino Jorge Sampaoli, vai tentar quebrar a sequência de eliminações do país para o Brasil em oitavas de final. Foi assim em 1998 e em 2010. Outro duelo que vale registro é o das arquibancadas. Os chilenos estão enchendo os estádios nos jogos do país e vão querer dividir o espaço com a torcida verde e amarela no Estádio Mineirão.
No outro jogo de hoje, a Holanda enfrenta o México, em Fortaleza, às 17h. Favoritos, os holandeses apostam nas boas atuações de Sneijer, Robben e Van Persie. Os mexicanos, que surpreenderam o Brasil e conseguiram sair com um empate na primeira fase, têm o talento de Giovanni dos Santos, Javier “Chicharito” Hernández e o goleiro Ochoa a seu favor.
Fonte - Agência Brasil  28/06/2014

sexta-feira, 27 de junho de 2014

Obras do VLT de Fortaleza serão retomadas em julho

Transportes sobre trilhos

Enquanto uma nova empresa ou um novo consórcio não é escolhido para tocar o projeto, a retomada dos trabalhos ficará a cargo do próprio governo estadual. A medida classificada pela Seinfra como "emergencial” é para "preservar o que já foi realizado”. O processo licitatório para definir a empresa/consórcio também deve ser realizado no próximo mês, conforme previsão da secretaria.

O Povo
foto - ilustração
Parada desde maio por conta da rescisão contratual entre o Governo do Estado e o consórcio responsável pelas obras, a construção do ramal Parangaba-Mucuripe do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) voltará em julho. A informação foi repassada ao O POVO pela Secretaria Estadual da Infraestrutura (Seinfra).
Enquanto uma nova empresa ou um novo consórcio não é escolhido para tocar o projeto, a retomada dos trabalhos ficará a cargo do próprio governo estadual. A medida classificada pela Seinfra como "emergencial” é para "preservar o que já foi realizado”. O processo licitatório para definir a empresa/consórcio também deve ser realizado no próximo mês, conforme previsão da secretaria.
Para a Seinfra, o fato de o Governo ter assumido o ramal e colocado gradis e vigilantes para preservar a obra retira o projeto do status de "parado”. Em visita à avenida Almirante Henrique Sabóia (a Via Expressa), entretanto, O POVO não encontrou nenhum vigilante. Mas flagrou vários pontos sem grades. É pela Via Expressa que o VLT fará boa parte de seu percurso do Mucuripe à Parangaba.
Pelo fato de a licitação ainda não ter ocorrido, a Secretaria diz não ter como estipular novo prazo para a entrega da obra – que deveria ter ficado pronta para a Copa do Mundo.

Regime diferenciado
O contrato entre o Governo e o consórcio CPE-VLT foi rompido justamente porque a obra não foi entregue no prazo estipulado. A rescisão foi publicada no Diário Oficial do Estado (D.O.E.) em 27 de maio, "após inúmeras notificações de atraso feitas pela Secretaria de Infraestrutura às empresas em questão”.
O consórcio foi multado e a Seinfra decidiu adotar o Regime Diferenciado de Concorrência (RDC) para terminar a obra. Conforme a pasta, "o RDC foi escolhido por ser a modalidade licitatória mais rápida e por estar prevista no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), ao qual o VLT está inserido.”
O VLT era uma das obras de melhoria urbana previstas para Fortaleza por ter sido a Capital cearense uma das cidades escolhidas para sediar os jogos da Copal 2014. O Projeto VLT Parangaba-Mucuripe consiste em um sistema de transporte ferroviário com extensão de 12,7km que ligará a região hoteleira da cidade à Linha Sul do Metrô de Fortaleza, gerando conexão ao entorno do Estádio Castelão, atendendo 22 bairros.
Fonte - ABIFER  27/06/2014

Obama pede US$ 500 milhões destinado a “treinar e equipar” os rebeldes sírios

Internacional

Se aprovada pelo Congresso, medida implicaria mudança significativa na política norte-americana para a guerra civil na Síria - Os US$ 500 milhões pedidos agora por Obama fazem parte de um pacote de US$ 1,5 bilhão dedicado a uma “iniciativa de estabilização regional” para ajudar a oposição a Damasco e os vizinhos da Síria, Jordânia, Líbano, Turquia e Iraque, a lidarem com as consequências da guerra civil síria nos seus territórios.

Por Redação 
com DW - de Washington, EUA

O presidente dos EUA, Barack Obama, pediu ao Congresso para aprovar uma ajuda financeira de US$ 500 milhões destinada a “treinar e equipar” os rebeldes sírios que combatem tanto o presidente Bashar al-Assad como o grupo extremista sunita Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL).
Os recursos ajudarão os sírios a se defender, a estabilizar as áreas sob controle da oposição, a facilitar a prestação de serviços essenciais, a combater as ameaças terroristas e a promover as condições para uma solução negociada, argumentou o governo norte-americano, demonstrando preocupação com a influência dos extremistas do EIIL na Síria e no vizinho Iraque.
Obama sempre relutou em apoiar os rebeldes sírios com armas, temendo que estas pudessem cair nas mãos de extremistas. Para críticos, a relutância do líder norte-americano abriu espaço para grupos extremistas, como o EIIL.
Oficialmente, o apoio dos EUA aos rebeldes sírios foi limitado logo no início do conflito, em março de 2011: 287 milhões de dólares em material não letal. Entretanto, a CIA participou de um programa secreto de treinamento militar dos rebeldes moderados na Jordânia.
Os US$ 500 milhões pedidos agora por Obama fazem parte de um pacote de US$ 1,5 bilhão dedicado a uma “iniciativa de estabilização regional” para ajudar a oposição a Damasco e os vizinhos da Síria, Jordânia, Líbano, Turquia e Iraque, a lidarem com as consequências da guerra civil síria nos seus territórios.
O US$ 1 bilhão restante destina-se aos países vizinhos, para fortalecerem a segurança interna, as fronteiras e a capacidade de receberem refugiados sírios.
O presidente americano anunciou a decisão num discurso na Academia Militar de West Point, no qual também revelou a criação de um fundo de US$ 5 bilhões, para financiar a luta contra o terrorismo.
Fonte - Correio do Brasil  27/06/2014

Sexto trem fabricado pela Alstom para a SuperVia entra em operação comercial

Transportes sobre trilhos

O novo trem, assim como todos que contemplam o projeto, possui oito carros e capacidade de transportar 2,4 mil passageiros. Além disso, possui um design inovador, ar-condicionado, passagem interna entre os vagões, sistema que não permitirá a abertura de portas durante as viagens, circuito interno de câmera e painéis de LED.

Alstom Brasil
Alston
Na última semana, entrou em operação comercial o sexto trem fabricado pela Alstom à SuperVia. A novidade, desta vez, é que o trem foi adesivado com desenho de bola de futebol em verde e amarelo, em comemoração à Copa do Mundo.
O novo trem, assim como todos que contemplam o projeto, possui oito carros e capacidade de transportar 2,4 mil passageiros. Além disso, possui um design inovador, ar-condicionado, passagem interna entre os vagões, sistema que não permitirá a abertura de portas durante as viagens, circuito interno de câmera e painéis de LED.
Neste mês, a companhia também entregou o sétimo trem que deve começar a operar no mês de julho e já iniciou os testes para os próximos trens. Até setembro de 2014, 80 novos carros serão entregues.

Sobre a Alstom Transporte
Promovendo a mobilidade sustentável, a Alstom Transporte desenvolve e comercializa a mais completa gama de sistemas, equipamentos e serviços do setor ferroviário. A Alstom Transporte administra sistemas inteiros de transporte, incluindo material rodante, sinalização, manutenção e modernização e infraestrutura, além de oferecer soluções integradas. A Alstom Transporte registrou vendas de 5,9 bilhões de euros no ano fiscal 2013/14. Está presente em mais de 60 países, e empresa cerca de 28.300 pessoas.
Fonte - ABIFER  27/06/2014

Pesquisa mostra que pelo 8º ano brasileiro é o mais otimista do mundo

Brasil

Com nota 8,8, numa escala de 0 a 10, o Brasil voltou a liderar o ranking, pelo oitavo ano consecutivo. - A mesma pesquisa, realizada em 138 países, constata que na hora de avaliar sua vida atual e as condições oferecidas pelo Pais, o brasileiro se dá nota 7,1. Esse é o mais alto resultado da pesquisa para o País e põe o Brasil na 14ª posição, à frente de países como Itália, Espanha, Irlanda, Portugal, Rússia, Índia, China, Chile, Peru e Colômbia.

TB
foto - ilustração
O brasileiro continua a ser o povo com mais confiança no futuro. É o que aponta a pesquisa do Instituto Gallup World Poll. Com nota 8,8, numa escala de 0 a 10, o Brasil voltou a liderar o ranking, pelo oitavo ano consecutivo. “Ninguém vê o futuro com tanto otimismo quanto o brasileiro”, afirma o ministro-chefe da Secretaria de Assuntos Estratégicos, Marcelo Neri.
A mesma pesquisa, realizada em 138 países, constata que na hora de avaliar sua vida atual e as condições oferecidas pelo Pais, o brasileiro se dá nota 7,1. Esse é o mais alto resultado da pesquisa para o País e põe o Brasil na 14ª posição, à frente de países como Itália, Espanha, Irlanda, Portugal, Rússia, Índia, China, Chile, Peru e Colômbia.
Em sua palestra no Centro Aberto de Mídia João Saldanha, no Rio de Janeiro, Neri atribuiu este bom desempenho do Brasil na pesquisa à redução da desigualdade e da extrema pobreza; ao contínuo crescimento da renda do brasileiro e à aquisição de bens como casa própria e automóveis. “A vida dos brasileiros está melhorando”, disse o ministro. “Aqui no Brasil estamos vivendo uma transformação profunda. Não é só de renda. É de educação e outros fatores. No Nordeste, a mortalidade infantil caiu 58%. O que é mais importante do que isso?”
Para o ministro, a grande transformação brasileira dos últimos 10 anos é a redução da extrema pobreza, com resultados que superam a Meta do Milênio estabelecida pelas Nações Unidas. No ano 2000, a ONU estipulou que os países deveriam reduzir a extrema pobreza em 50% até 2015. “Já em 2012, reduzimos esse índice em 70%”, afirmou o ministro. O maior motivo para isso, segundo ele, é a renda do trabalho.
Outro fator importante foi o programa do governo de transferência de renda Bolsa Família, que chamou de “coadjuvante sensacional” no processo.
foto - ilustração
Neri citou também que a Pesquisa Mensal de Emprego (PME), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, mostra redução da desigualdade e crescimento médio real da renda do brasileiro de 4,35%, acima do Produto Interno Bruto (PIB), nos últimos 12 meses até abril de 2014, edição mais atualizada para a pesquisa completa.
Abrindo dados da PME, há indicadores ainda melhores. “Um brasileiro mediano, João, está com crescimento de renda chinês, 6,8%, mais que o PIB”, disse o ministro. “A renda de mulheres, negros e com baixa escolaridade, grupos tradicionalmente excluídos, cresceram ainda mais.”
Os dados da PME mostram que a redução da desigualdade no Brasil é sustentável, segundo o ministro. “A redução da desigualdade de renda no Brasil é sem paralelo, com exceção talvez do período pós-guerra para os países ricos”, disse, lembrando que aquele processo não foi sustentável.
Neri citou que no período 2002-2003, apenas 16 em cada 100 pessoas cruzaram para cima o ponto médio de renda da PME. Dez anos depois, já são 27 em cada 100 pessoas que percorreram o mesmo trajeto, o melhor número da série. “A probabilidade de um brasileiro subir na vida nunca foi tão alta”, disse ele.
O ministro citou que no acumulado entre 2003 e 2012, enquanto o PIB cresceu 27,8%, a renda média do brasileiro cresceu 51,7%, cerca de 2 vezes mais, em termos reais por habitante (descontando a inflação e o crescimento da população).
Outros indicadores mostram desempenho ainda melhor. “A renda do brasileiro médio cresceu 3 vezes o desempenho do PIB. E se pegarmos o brasileiro mais pobre, veremos que para ele a renda cresceu ainda mais: 106%. Isso significa uma alta quatro vezes maior do que a registrada pelo PIB”, disse o ministro.
Ao final, Neri adiantou dados de uma pesquisa ainda inédita do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) sobre as manifestações de rua realizadas em 2013. Os primeiros dados mostram que em junho do ano passado, 75% dos entrevistados apoiam as manifestações. Já a nova pesquisa constatou que esse apoio caiu para 54%.
A pesquisa deve ser divulgada nos próximos dias.
Fonte - Tribuna da Bahia  27/06/2014

Eletrosul inaugura usina de energia solar para venda no mercado livre

Sustentabilidade

O investimento no projeto, de R$ 9,5 milhões, foi financiado pelo banco de fomento alemão KfW.Considerada sustentável, a energia solar sai mais cara do que opções como as hidrelétricas e termelétricas. - Depois de construída, no entanto, ela tem a manutenção menos dispendiosa.

Mariana Branco
Repórter da Agência Brasil
Rede Brasil
A Eletrosul, subsidiária da Eletrobras, inaugura hoje (27) em Florianópolis uma usina de energia solar acoplada ao prédio da sede administrativa da empresa. O projeto tem 4,2 mil painéis fotovoltáicos instalados em uma área de 8,3 mil metros quadrados no teto do edifício. Apesar de o prédio absorver parte da energia, o objetivo principal não é atender ao consumo da empresa e de unidades vizinhas, e sim vendê-la no mercado livre.
"Comercialmente, temos contrato com uma pequena central hidrelétrica que atende à demanda [do edifício da Eletrosul]. Pode ser que a partir de 2015 a gente troque o contrato [passando a atender a toda a demanda local com a energia da usina solar]. Vamos avaliar. Mas, por enquanto, o objetivo é comercializar e divulgar [a tecnologia]. Nas cidades do futuro, haverá muitos prédios assim. Queremos estar prontos para o boom [da energia solar] ", explica Ronaldo Custódio, diretor de Engenharia e Operação da Eletrosul.
De acordo com ele, o primeiro leilão para comercializar energia da usina deve ocorrer em agosto deste ano. O investimento no projeto, de R$ 9,5 milhões, foi financiado pelo banco de fomento alemão KfW.
Considerada sustentável, a energia solar sai mais cara do que opções como as hidrelétricas e termelétricas. Segundo Ronaldo Custódio, uma usina solar, com financiamento em condições idênticas ao de uma hidrelétrica, pode sair de cinco a sete vezes mais cara. Depois de construída, no entanto, ela tem a manutenção menos dispendiosa. "A hidrelétrica até tem um impacto ambiental global menor, embora tenha impacto local tanto do ponto de vista ambiental quanto social", comenta.
Com capacidade instalada de 1.000 quilowatts, o suficiente para atender a 540 residências, a usina é o maior empreendimento na América Latina com produção de energia acoplada a um prédio. Além disso, é a única com esse conceito a gerar energia para comercialização.
Para Ricardo Baitelo, coordenador da Campanha de Energias Renováveis do Greenpeace Brasil, a usina de energia solar é um marco importante. "Eu acho que é uma iniciativa bem-vinda, junto com Tanquinhos e Tauá [usinas de energia solar respectivamente em Campinas, São Paulo, e no interior do Ceará]. Serve para mostrar que a energia solar é uma opção viável para a segurança energética", diz.
Baitelo acrescenta que as iniciativas de maior porte têm avançado mais do que a implantação de pequeno porte e doméstica da energia solar, que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) buscou incentivar em 2012, aprovando resolução que previa desconto na conta de luz para residências e empresas microgeradoras que fornecessem excedente.
"Esse é outro capítulo, que caminha mais devagar. A gente tem alguns problemas a transpor, principalmente o financiamento". Segundo ele, as linhas de crédito ofertadas pelos bancos atualmente não têm prazos e taxas de juro satisfatórias. "Um projeto de energia solar que atenda a uma família pode custar de R$ 15 mil a R$ 20 mil. Se vai ter uma economia de R$ 30, R$ 40, R$ 50, o ideal é que o custo do financiamento seja esse. Estamos dialogando com governo e bancos. É um mercado com potencial muito grande", observa.
Fonte - Agência Brasil  27/06/2014

Bairros de Ondina e Barra sofrem com alagamentos em Salvador

Salvador

Enquanto a Av. Centenário (que não tinha problemas de drenagem desde a intervenção que cobriu o rio no canteiro central) teve as pistas alagadas nas imediações do Shopping Barra, um estacionamento no subsolo do edifício Mãe, na Av. Adhemar de Barros (Ondina), inundou.

Yuri Silva - A Tarde
Situação em que ficou o estacionamento do
 edifício Mãe, no bairro de Ondina

Lúcio Távora | Ag. A TARDE
A chuva que caiu em Salvador na manhã desta quinta-feira, 26, causou transtornos em alguns bairros. Ruas ficaram alagadas e o trânsito congestionado, principalmente na área entre a Barra e Ondina.
Enquanto a Av. Centenário (que não tinha problemas de drenagem desde a intervenção que cobriu o rio no canteiro central) teve as pistas alagadas nas imediações do Shopping Barra, um estacionamento no subsolo do edifício Mãe, na Av. Adhemar de Barros (Ondina), inundou.

Prejuízos
Os carros estacionados no subsolo do prédio ficaram cobertos pela água, causando prejuízos aos donos. Mais tarde, um caminhão-pipa bombeou a água para bueiros. "Foi questão de cinco minutos de chuva e estava cheio d'água", relatou um funcionário do edifício.
A consultora Dacicléia Barbosa, que trabalhava no local, teve o carro levado para o canteiro central da via pela força da chuva. Segundo ela, entre outros problemas, os bancos do veículo foram danificados. "A administração do prédio nem apareceu para dizer se vai pagar", reclamou. A TARDE tentou contato com a administração do edifício, mas não foi atendida.
Conforme transeuntes, o problema de alagamento se repete sempre no local. Para alguns, a prefeitura teria responsabilidade, por ser responsável pela drenagem. A assessoria de comunicação da prefeitura informou que não arca com prejuízos nesse tipo de caso.
Até as 16h40, a Defesa Civil de Salvador (Codesal) recebeu 21 solicitações de emergência: oito ameaças de desabamento de imóvel, uma ameaça de desabamento de muro, três ameaças de deslizamento de terra, uma árvore caída, quatro desabamentos de muro, três deslizamentos de terra e uma infiltração. Não houve feridos.
Em nota, o órgão municipal informou, também, que permanece em plantão 24 horas, para atender às solicitações, que podem ser feitas por meio do telefone 199.

Previsão
Segundo informações publicadas no site do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a capital baiana terá chuva fraca pelo menos até segunda-feira, 30.
Para esta sexta, 27, o órgão prevê dia nublado ou parcialmente nublado, com temperatura mínima de 20° C e máxima de 26° C.
Fonte - A Tarde  27/06/2014

Preços ao Produtor fecham maio com deflação de 0,24% , diz IBGE

Economia

O Índice de Preços ao Produtor mede a evolução dos preços dos produtos “na porta de fábrica”, sem impostos e fretes, de 23 setores das indústrias de transformação. A deflação de maio reflete a retração nos preços em 11 das 23 atividades pesquisadas pelo IBGE, contra dez atividades com redução de preços em abril.

Nielmar de Oliveira
Repórter da Agência Brasil
O IPP mede a evolução dos preços dos produtos
“na porta de fábrica”, sem impostos e fretes
 Arquivo/Agência Brasil
O Índice de Preços ao Produtor (IPP) fechou o mês de maio em - 0,24%, acumulando nos dois últimos meses deflação de 0,65 ponto percentual. Em abril, o indicador foi - 0,41%. Com o resultado de maio, o IPP acumula alta de 1,09% nos primeiros cinco meses do ano, queda de 0,24 ponto percentual em relação ao acumulado até abril: 1,33%.
O IPP foi divulgado hoje (27), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e mostra uma inflação acumulada nos últimos doze meses (taxa anualizada) de 6,59%, queda de 0,51 ponto percentual em relação aos 7,1% do acumulado até abril.
O Índice de Preços ao Produtor mede a evolução dos preços dos produtos “na porta de fábrica”, sem impostos e fretes, de 23 setores das indústrias de transformação. A deflação de maio reflete a retração nos preços em 11 das 23 atividades pesquisadas pelo IBGE, contra dez atividades com redução de preços em abril.
As maiores variações observadas ocorreram nos segmentos máquinas, aparelhos e materiais elétricos (-2,53%), outros produtos químicos (-1,61%) e refino de petróleo e produtos de álcool (-1,45%). Em termos de influência, sobressaíram máquinas, aparelhos e materiais elétricos (0,07 ponto percentual), outros produtos químicos (-0,18 ponto) e refino de petróleo e produtos de álcool (- 0,17 ponto).
A pesquisa do IBGE indica que refino de petróleo e produtos de álcool, que registrou variação de -1,45% em maio, em relação a abril, acusou o primeiro resultado negativo desde novembro do ano passado. O resultado vinha em patamares menos elevados depois da maior variação mensal registrada em janeiro.
Os três produtos com maior influência foram os mesmos nos três indicadores calculados para maio: óleo diesel e outros óleos combustíveis, querosenes de aviação e naftas.
Fonte - Agência Brasil  27/06/2014

Travessia marítima Salvador-Mar Grande é suspensa por causa da maré baixa

Salvador

Atendimento será retomado às 11h - De acordo com a Associação dos Transportadores Marítimos da Bahia (Astramab), a suspensão do atendimento acontece apenas de Mar Grande para a capital baiana. 

A Tarde
Da Redação
Haroldo Abrantes | Arquivo | Ag. A TARDE
A travessia marítima Salvador-Mar Grande segue interrompida até as 11h desta sexta-feira, 27, por conta da maré baixa.
De acordo com a Associação dos Transportadores Marítimos da Bahia (Astramab), a suspensão do atendimento acontece apenas de Mar Grande para a capital baiana. No sentido inverso, as lanchas saem do terminal Náutico da Bahia, no Comércio, e atracam em Bom Despacho.
As embarcações operam desde as 5h, com horários a cada 30 minutos. O último horário saindo de Mar Grande será às 18h30 e, de Salvador, às 20h.
A linha de catamarã entre Salvador e Morro de São Paulo voltou a operar sem restrições. As partidas para Morro acontecem às 10h30, 13h e 14h30. Para Salvador, os horários são às 11h30, 13h e 15h.
Fonte - A Tarde  27/06/2014 

PAC 2 executou 95,5% das ações previstas para período 2011-2014

Política

Os empreendimentos totalizaram R$ 675,8 bilhões em obras concluídas, e o valor executado é 15,9% superior ao do último balanço, quando haviam sido gastos R$ 583 bilhões em obras concluídas. O Ministério do Planejamento informou que a execução global do programa atingiu R$ 871,4 bilhões.

Danilo Macedo e Kelly Oliveira
Repórteres da Agência Brasil
PAC 2 executou 95,5% das ações previstas
para período 2011-2014
Antonio Cruz/Agência Brasil
O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) executou, até 30 de abril, 95,5% das ações previstas para o período entre 2011 e 2014 e 84,6% do orçamento destinado. Os números foram apresentados hoje (27) e fazem parte do 10º Balanço do PAC 2.
Os empreendimentos totalizaram R$ 675,8 bilhões em obras concluídas, e o valor executado é 15,9% superior ao do último balanço, quando haviam sido gastos R$ 583 bilhões em obras concluídas. O Ministério do Planejamento informou que a execução global do programa atingiu R$ 871,4 bilhões.
No eixo transportes, foram concluídos R$ 58,9 bilhões em empreendimentos no país. Em 2014, ficaram prontos 3,003 mil quilômetros de obras de rodovias, dos quais 1,413 mil quilômetros foram concessões. No caso das ferrovias, foram concluídos 1,053 mil quilômetros.
No eixo energia, foram aplicados R$ 233,1 bilhões em obras de geração, com entrada de 12.860 megawatts no parque gerador brasileiro.
Da execução global, R$ 285,3 bilhões correspondem ao financiamento habitacional, R$ 231,4 bilhões foram executados por empresas estatais e R$ 168,5 bilhões pelo setor privado. De acordo com os dados divulgados, a execução do PAC 2, somente nos quatro primeiros meses de 2014, alcançou R$ 98 bilhões. O valor é 15% maior que o do mesmo período de 2013.
Fonte - Agência Brasil  27/06/2014

Câmara de Macaé, RJ, aprova cessão de composições do VLT

Macaé RJ

O projeto do VLT ( Metrô de Macaé)  foi lançado em 2009 Pela prefeitura de Macaé, que investiu R$ 15 milhões na compra dos veículos.E agora será trocado pela construção de uma estrada, o "Arco Viário" para circulação de veículos....

G1
foto - ilustração
A Câmara de Macaé, no interior do estado do Rio, autorizou a Prefeitura a ceder as composições do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) ao Governo do Estado, tendo em troca a garantia de receber os R$ 45 milhões em investimento para construção do Arco Viário de Santa Teresa. Com isso, o município receberia de volta os R$ 15 milhões investidos para a compra das máquinas que nunca saíram das estações, no Centro da cidade.
Foram 13 votos a favor e quatro contra o projeto. A Prefeitura, por meio de nota, informou nesta quinta-feira (26) que o projeto terá 15 dias para ser sancionado pelo prefeito. Após a sanção e publicação da lei seguirão os trâmites para cessão do bem, mas não disse em quanto tempo a cessão será realizada.
O executivo municipal voltou a afirmar que o atual projeto é "inexequível" e engrandeceu o projeto do Arco Viário. Disse que a nova estrada irá permitir uma melhor circulação dos veículos e promover importante integração viária, tornando-se uma rodovia industrial relevante para o plano de mobilidade de Macaé e região.
No ano passado uma auditoria apontou irregularidades no projeto. Na época o prefeito da cidade, Dr. Aluízio Junior afirmou que irregularidades como compra de composições antes que garantias financeiras fossem confirmadas por entidades financeiras, como a Caixa Econômica Federal, contribuíram para que o trilho nunca tenha circulado.
O projeto foi lançado em 2009 Pela prefeitura de Macaé, que investiu R$ 15 milhões na compra dos veículos. O valor total da estrutura chegou a R$ 25 milhões. As quatro composições do veículo têm capacidade para transportar 350 passageiros. A previsão para inauguração do "Metrô Macaé" era julho de 2012, mas nunca rodou.
Fonte - Revista Ferroviária  26/06/2014

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Tocantins desenvolve visualizador 3D para trabalhos científicos

Tecnologia

O projeto tem um scanner para aumentar o número de insetos catalogados entre o Cerrado e a Amazônia - No momento, o projeto desenvolve um scanner para aumentar o número de insetos catalogados em imagens digitalizadas. “A grande vantagem do scanner é a possibilidade de ampliar os tipos de insetos, inclusive, os que só existem na região de transição entre Cerrado e Amazônia como é o caso do Tocantins”, pontua o coordenador.

RA

Um software destinado à criação de uma biblioteca virtual de insetos em 3D. Alunos do curso de Ciência da Computação da Fundação Universidade do Tocantins (Unitins) desenvolveram o projeto Visualizador 3D, destinado à Exploração Cientifica de Objetos Virtuais.
No momento, o projeto desenvolve um scanner para aumentar o número de insetos catalogados em imagens digitalizadas. “A grande vantagem do scanner é a possibilidade de ampliar os tipos de insetos, inclusive, os que só existem na região de transição entre Cerrado e Amazônia como é o caso do Tocantins”, pontua o coordenador.
Segundo o professor e coordenador do projeto, Silvano Malfatti, quando associado ao ensino, o uso de ambientes 3D interativos ameniza algumas limitações existentes em livros, já que permite que o aluno possa alterar a perspectiva de estudo.
Para o acadêmico Filipe Medina Culau, que cursa o 5º período do curso de Engenharia Agronômica, o visualizador permite estudar a teoria de forma diferente e mais interessante. “Com as imagens em 3D é possível examinar insetos que no dia a dia não temos a oportunidade de encontrar no campo. Isso traz um diferencial para a sala de aula”, considera.
O projeto teve um experimento piloto em 2013 e, a partir do segundo semestre deste ano, será concluído e implantado como ferramenta de aprendizagem acadêmica.
Para a professora Roberta Zani, responsável pela disciplina de Entomologia, a utilização de novas tecnologias na sala de aula é interessante para a produção de materiais didáticos em tempo real e de forma personalizada. “O visualizador 3D de insetos é uma excelente ferramenta para o processo de aprendizagem, pois os alunos podem fazer alterações e conhecer os insetos por diversos ângulos, além do retorno imediato que o professor recebe quanto ao nível de compreensão e aprendizagem”, disse Roberta.
Fonte - Revista Amazônia  26/06/2014

Bahia começa a produzir medicamento que será distribuído de graça pelo SUS

Bahia

O primeiro medicamento a ser produzido pela unidade é a Cabergolina - A nova unidade da Bahiafarma  vai produzir medicamentos de interesse social para o Sistema Único de Saúde (SUS), ampliando a oferta e reduzindo o custo para a rede pública.

TB
Foto: Carol Garcia
Inaugurada na manhã desta quinta-feira (26/6) pelo governador Jaques Wagner, no Centro Industrial de Aratu (CIA Sul), em Simões Filho, a nova unidade da Fundação Baiana de Pesquisa Científica e Desenvolvimento Tecnológico, Fornecimento e Distribuição de Medicamentos – a Bahiafarma – vai produzir medicamentos de interesse social para o Sistema Único de Saúde (SUS), ampliando a oferta e reduzindo o custo para a rede pública.
Apresentado na cerimônia de inauguração, o primeiro medicamento a ser produzido pela unidade é a Cabergolina, indicado para pessoas com distúrbios hormonais, como os que interferem na produção do leite materno, por exemplo.
Com a fabricação na Bahia em uma indústria pública, o produto farmacêutico, atualmente importado da Itália e da Argentina, passará a ser fornecido ao ministério da Saúde pela metade do preço de mercado, sendo distribuído gratuitamente através do SUS. A redução nos custos reflete diretamente no orçamento para o pacientes que necessitam do remédio.
O governador Jaques Wagner afirmou que a retomada da Bahiafarma, após 12 anos, vai ampliar a oferta de remédios distribuídos pelo SUS. "Trata-se de um recomeço em outro patamar com esforço grande do Governo do Estado, em parceria com o Governo Federal e com o laboratório privado que faz a transferência de tecnologia e já com planejamento de expansão nos próximos cinco anos, trazendo emprego, saúde e tecnologia".
A entrega da fábrica, que contou com investimentos de R$ 27 milhões, sendo R$ 12 milhões do Governo do Estado, teve as presenças do ministro da Saúde, Arthur Chioro, e do secretário da Saúde do Estado, Washington Couto.
Fonte - Tribuna da Bahia  26/06/2014

BNDES libera R$ 1,6 bilhão para a linha 6 do Metrô de SP


Transportes sobre trilhos

A nova linha terá 15,3 km de extensão, 15 estações e demanda prevista de 633 mil passageiros por dia útil. - A Linha 6-Laranja do Metrô ligará a Vila Brasilândia, na zona norte da capital, até a estação São Joaquim (Linha 1-Azul), na região central, além de fazer integração com a Linha 4-Amarela e com a CPTM (linhas 7-Rubi e 8-Diamante). 

Diário do Grande ABC 

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e o presidente do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, assinaram na manhã desta quinta-feira, 26, contrato de financiamento de R$ 1,6 bilhão para a Linha 6-Laranja do Metrô. "É uma linha muito importante, uma das maiores de São Paulo", disse o governador, durante cerimônia de anúncio de investimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), na sede da prefeitura de São Paulo.
Participam da cerimônia, além do governador e de Coutinho, a presidente Dilma Rousseff (PT) e o prefeito da cidade, Fernando Haddad (PT). Durante a cerimônia, Alckmin diz que ele, Haddad e Dilma "são imunes" ao ciclo eleitoral e voltou a dizer que Dilma é sempre "mensageira de boas novas para São Paulo".
A Linha 6-Laranja do Metrô ligará a Vila Brasilândia, na zona norte da capital, até a estação São Joaquim (Linha 1-Azul), na região central, além de fazer integração com a Linha 4-Amarela e com a CPTM (linhas 7-Rubi e 8-Diamante). A nova linha terá 15,3 km de extensão, 15 estações e demanda prevista de 633 mil passageiros por dia útil.
A construção da Linha 6 será feita por meio de uma parceria público-privada (PPP) operada pela empresa vencedora da licitação, o Consórcio Move Mais, composto pelos grupos Odebrecht, Queiroz Galvão, UTC Participações e pelo Fundo Eco Realty. Segundo governo do Estado, o valor do empreendimento é de R$ 9,6 bilhões. Do total, o BNDES será responsável por 39,2% do financiamento e 13,9% serão de recursos do governo estadual. O consórcio arcará com os 46,9% restante.
Fonte - STEFZS  26/06/2014

Curitiba tem dia de catraca livre na greve de cobradores

Curitiba

A Urbs, responsável pelo trânsito na capital, deve entrar com um recurso junto à Justiça para pedir ressarcimento dos prejuízos provocados pela greve. Os valores, porém, serão divulgados somente após o final do movimento, pois segundo a autarquia não é possível ainda calcular o valor não arrecadado em um dia de movimento.

DP
foto - ilustração
Os cobradores do transporte coletivo de Curitiba entraram em greve na madrugada desta quinta-feira (26) e os ônibus na capital estão circulando sem cobrança de tarifas. O dia de catraca livre atinge a frota curitibana e também a das cidades da Região Metropolitana da capital. Segundo o Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Curitiba, 90% dos trabalhadores da categoria estão em greve. Por conta disso, o Sindimoc está ameaçado de arcar com os prejuízos provocados pela ação grevista.
A Urbs, responsável pelo trânsito na capital, deve entrar com um recurso junto à Justiça para pedir ressarcimento dos prejuízos provocados pela greve. Os valores, porém, serão divulgados somente após o final do movimento, pois segundo a autarquia não é possível ainda calcular o valor não arrecadado em um dia de movimento. Segundo o presidente da Urbs, Roberto Gregório, a greve é ilegal e isso é um motivo a mais para a cobrança dos prejuízos. "Além disso, envolve perda de receita pública", disse. "Houve também casos de trabalhadores que foram até seus locais de trabalho e foram retirados", comentou.
Para a balconista Vera Silveira, 31, foi uma mobilização diferente. "Foi bom para nós que pudemos ir ao trabalho economizando o dinheiro da passagem", disse. O vice-presidente do Sindimoc, Dino César, afirmou que a greve deve continuar, caso não ocorra algum avanço nas negociações. "Enquanto não chegar uma proposta decente os ônibus vão sair sem cobrador hoje amanhã e até quando for necessário", afirmou.
Ele também considerou a possibilidade do movimento encerrar caso os empresários façam algum acordo no TRT. "Só se os patrões oferecem algo. Se não, vamos esperar a reunião no Tribunal Regional do Trabalho marcada para as 13h30 de sexta-feira", informou.
A audiência realizada na quarta-feira, 25, mostrou que empresários e trabalhadores estão distante de um acordo. O sindicato pede a devolução dos valores descontados pelos dias de paralisação na última greve, o fim do assédio moral caracterizado pelas ameaças de punições, o uso de bermudas em dias quentes, o fim do desconto dos salários em razão da raspagem de pneus em calçadas, a concessão de vale-cultura e passes livres, consultas aos motoristas e cobradores das alterações das escalas de trabalho, a concessão de um kit inverno para ser usados nos dias de frio e a adoção de medidas que reduzam as más condições de trabalho nas estações-tubo.
Fonte - Diário de Pernambuco  26/06/2014

Comudes aprova novo projeto ferroviário que liga Rio e ES

Ferrovias

Projeto alternativo dispensa a necessidade do Corredor Logístico. Nova opção será comunicada ao Ministério dos Transportes.- O projeto alternativo que dispensa a necessidade do Corredor Logístico é o traçado alterado da EF 118

G1

Os conselheiros do Conselho Municipal para o Desenvolvimento Sustentável (Comudes) aprovaram nesta quarta-feira (25), durante assembleia em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, um novo projeto viário que substitui o Corredor Logístico. O projeto alternativo que dispensa a necessidade do Corredor Logístico é o traçado alterado da EF 118 - Ferrovia Translitorânea que ligará os Portos do Rio de Janeiro e de Vitória-ES.
O traçado foi elaborado por empresa de consultoria técnica que aproveitou trabalho realizado por técnicos da Prefeitura de Campos para contemplar a região com passagem por fora da cidade, bem como evitando conglomerados urbanos na Baixada Campista.
A realização do projeto executivo da Ferrovia terá a participação dos governos do Estado do Rio e do Espirito Santo, tendo em vista que a partir de Vitória a EF 118 terá ligação com a Ferrovia Vitória-Minas, proporcionando o transporte de cargas dos empreendimentos do Norte Fluminense para os portos do Praia Formosa (Rio), Tubarão (Vitória) e para os mercados consumidores de Minas (Belo Horizonte e para o Centro Oeste do Brasil.
"Desde 2009 estamos defendendo na ANTT e no Ministério dos Transportes um projeto alternativo ao que foi apresentado na ocasião pela LLX, para que o então Corredor Logístico não separasse o distrito de Ururaí e a localidade da Tapera da cidade, nem seccionasse estradas importantes da Baixada Campista e nem isolasse comunidades. Hoje demos um importante passo, porque conseguimos um projeto alternativo, que foi aprovado pela representação da sociedade aqui no Comudes e agora vou comunicar a decisão ao ministro, para que sejam realizados os estudos de forma a viabilizar o projeto executivo", explicou a prefeita Rosinha Garotinho.
Durante a assembleia do Comudes, dirigentes de entidades da sociedade civil fizeram indagações sobre detalhes do projeto, a exemplo de Geraldo Hayen Coutinho, diretor da Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro), que buscou saber se o trecho da ferrovia no distrito de Tocos seria contemplado com a rodovia. Também se pronunciou o empresário Ricardo Vianna, do estaleiro BR-Offshore.
Ele sugeriu que o projeto considere a necessidade do modal passageiros, tendo em vista que nos próximos oito anos o Complexo Logístico Farol-Barra do Furado terá demandas de transporte de 10 milhões de toneladas de cargas e em torno de 8 a 10 mil
Fonte - STEFZS  26/06/2014

Portugal vence Gana; Alemanha derrota Estados Unidos

Copa no Brasil

O jogo de hoje (26), no Estádio Nacional de Brasília, o Mané Garrincha, com público de 67.540 torcedores, prometia ser emocionante, com Portugal precisando golear para passar às oitavas de final. Aos cinco minutos de jogo, o craque Cristiano Ronaldo, que pouco tinha aparecido nas duas primeiras partidas de sua equipe, chutou a bola no travessão.

Danilo Macedo
Repórter da Agência Brasil *

Desperdiçando várias chances de gol, Portugal se despediu da Copa com uma vitória de apenas 2 x 1 contra Gana, que também arruma as malas e volta para casa. A Alemanha derrotou os Estados Unidos por 1 x 0 em partida que ocorreu no mesmo horário e se classificou em primeiro lugar do Grupo G. Apesar da derrota, os norte-americanos ficaram com a segunda vaga do grupo por ter saldo de gols melhor do que o de Portugal, que perdeu da seleção alemã por 4 x 0 em sua primeira partida.
O jogo de hoje (26), no Estádio Nacional de Brasília, o Mané Garrincha, com público de 67.540 torcedores, prometia ser emocionante, com Portugal precisando golear para passar às oitavas de final. Aos cinco minutos de jogo, o craque Cristiano Ronaldo, que pouco tinha aparecido nas duas primeiras partidas de sua equipe, chutou a bola no travessão. Aos 18 minutos, recebeu cruzamento e cabeceou sozinho para uma difícil defesa do goleiro de Gana. O primeiro gol, no entanto, foi contra e só saiu aos 31 minutos, após cruzamento na área de Gana. O zagueiro John Boye tentou tirar a bola, mas ela bateu no seu joelho e entrou no gol.
foto - ilustração
No segundo tempo, Portugal começou pressionando novamente, mas aos 12 minutos, Gana empatou com o atacante Gyan, que cabeceou a bola, após um cruzamento, sem chance de defesa para o goleiro português. Aos 34 minutos, Cristiano Ronaldo fez seu único gol nesta Copa, após bate-rebate na área que o goleiro ganês espalmou a bola nos pés da estrela portuguesa. O atacante, escolhido o melhor jogador em campo, ainda teve pelo menos mais três chances de gol, mas não conseguiu converter e se lamentou muito.
Na Arena Pernambuco, a Alemanha jogou melhor do que os Estados Unidos e venceu o rival por 1 a 0. O gol foi marcado pelo atacante Thomas Müller (com 4 gols divide a artilharia com Messi e Neymar) no segundo tempo. O resultado afastou as suspeitas de um “acordo de cavalheiros” entre as seleções, já que o empate classificaria as duas diretamente. Mesmo com o resultado negativo, os Estados Unidos passaram por ter melhor saldo de gols. Na próxima fase, a Alemanha vai a Porto Alegre enfrentar o segundo colocado do Grupo H, enquanto que os Estados Unidos, no dia seguinte, pegam o primeiro lugar da chave.
A Alemanha começou a partida em alta velocidade , indiferente à chuva que quase cancelou o jogo em São Lourenço da Mata (PE). Os europeus estavam dispostos a apagar a imagem do empate apertado contra Gana. Nos primeiros 10 minutos, tinham nada menos do que 85% da posse de bola e já haviam criado pelo menos duas chances de gol. A primeira, logo no inicio do jogo, quando Müller arriscou um voleio e em uma sobra, Podolski chutou por cima. Logo depois, Schweinsteiger lançou Boateng, que tocou de primeira para a área, mas o goleiro Howard chegou antes na bola. A equipe europeia estava a mil por hora, e os Estados Unidos se fechavam com todo o time no campo de defesa. Logo depois, o zagueiro americano Gonzalez evitou o primeiro gol exatamente na hora em que o artilheiro Müller iria concluir.
A Alemanha tinha controle da partida. Os Estados Unidos somente conseguiram chegar com perigo aos 22 minutos, quando o meia Zusi chutou de fora da área com bastante perigo. Nessa segunda metade do primeiro tempo, a partida era mais equilibrada e a posse de bola dos norte-americanos passaram para 34%. Isso fez com que as propostas em campo ficassem ainda mais claras. Os Estados Unidos apostavam em contra-ataques, mas os europeus trabalhavam com a bola do meio para frente contando com os talentos individuais da equipe.
Um deles era o meia Özil, que fazia a melhor partida pela Alemanha na Copa. Aos 34 minutos, ele quase abriu o placar, depois de limpar a zaga e chutar forte e rasteiro. Howard fez mais uma boa defesa, sem dar rebote. O goleiro manteve a segurança em mais dois lances até o final do primeiro tempo depois de cruzamentos para a área.
Na etapa final, a Alemanha voltou com o artilheiro Klose no lugar de Podolski, e com características semelhantes ao início do jogo: os europeus com a marcação adiantada e os americanos com time recuado, seguravam a pressão, com a atuação decisiva do goleiro. Aos nove minutos, de novo Howard fez milagre ao espalmar cabeceada de Mertesacker. O rebote voltou na entrada da área para o artilheiro Thomas Müller, que chutou forte no canto esquerdo para abrir o placar e fazer o quarto gol dele na Copa e se igualar na artilharia a Neymar e Messi.
Com o gol, a Alemanha recuou, diminuiu a velocidade e passou a cadenciar a partida. Assim, controlava a partida. Os Estados Unidos tinham dificuldades no setor de criação e mesmo com a entrada de Bedoya (no lugar de Davis), o gol de Neuer não era ameaçado. No final do jogo, os Estados Unidos também deixaram de arriscar. O resultado da outra partida garantia a passagem para as oitavas de final.
Às 17h, a Coreia do Sul enfrentará a Bélgica na Arena Corinthians, em São Paulo, e a Argélia jogará contra a Rússia na Arena da Baixada, em Curitiba. A Bélgica, com duas vitórias, já está classificada, mas as outras três seleções ainda têm chances.
* Colaborou Luiz Claudio Ferreira, do Portal EBC
Fonte - Agência Brasil 26/06/2014

Há recursos disponíveis para obras municipais

Mobilidade

No total são R$ 143 bilhões entre verbas do Orçamento Geral da União e também linhas de financiamento público, com juros subsidiados, que contam com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e Pró-Transporte, bancado pelo Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Valor Econômico
foto - ilustração
Recursos não faltam para Estados e municípios dispostos a investir na melhoria da mobilidade urbana. O governo federal desde 2007 já disponibilizou R$ 93 bilhões por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e outros R$ 50 bilhões, que foram anunciados em junho de 2013 como resposta às manifestações públicas por melhores serviços públicos, no chamado Pacto de Mobilidade Urbana.
No total são R$ 143 bilhões entre verbas do Orçamento Geral da União e também linhas de financiamento público, com juros subsidiados, que contam com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e Pró-Transporte, bancado pelo Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).
Em 2013, o BNDES desembolsou R$ 3,6 bilhões para projetos de transportes públicos nas cidades e a previsão para 2014 é liberar outros R$ 6,2 bilhões, sendo que R$ 3,4 bilhões já foram repassados até o fim de abril. O custo dos empréstimos é a Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), que está em 5% ao ano, mais 1% ao ano de remuneração ao BNDES e 1% ao ano de taxa de risco do crédito para Estados e municípios.
Entre os principais projetos em carteira no banco de fomento estão uma linha de metrô no Rio, três em São Paulo, e a implantação do metrô nas cidades de Porto Alegre, Salvador, Belo Horizonte, Curitiba e Fortaleza. O banco também patrocina três linhas de monotrilho, sendo uma em Niterói (RJ), outra em São Bernardo do Campo (SP) e a terceira na capital paulista, corredores expresso de ônibus, tipo Bus Rapid Transit (BRT), no Rio, Vitória e Fortaleza, o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) de Goiânia e do Rio, e a modernização do transporte ferroviário de São Paulo e Rio.
Segundo levantamento da Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana do Ministério das Cidades, o programa Pró-Transporte contabiliza 495 empreendimentos contratados que somam cerca de R$ 21 bilhões. Deste total, já foram desembolsados R$ 3,7 bilhões até a primeira quinzena de junho.
Agências de fomento internacional, como Banco Mundial (Bird), Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o Banco Japonês para Cooperação Internacional (JBIC) também disponibilizam recursos para obras de transporte coletivo. O Bird e o BID são responsáveis por R$ 2,29 bilhões dos R$ 7 bilhões previstos para a extensão da Linha 5 do Metrô de São Paulo. O JBIC e o Bird entram com R$ 538,2 milhões na expansão da Linha 4 do Metrô paulistano, numa Parceria Público-Privada (PPP).
Apesar da disponibilidade de recursos, o fechamento de contratos e a execução de obras de mobilidade urbana ainda avançam em ritmo lento. O Ministério do Planejamento programa anunciar nos próximos dias o balanço atualizado das iniciativas previstas no PAC 2. Tendo como base o 9º balanço do programa divulgado em fevereiro, a ONG Contas Abertas, especializada no acompanhamento orçamentário do governo, constatou que, até aquele momento - dos 253 empreendimentos de mobilidade previstos no PAC 2 para o período de 2011 a 2014 -, 60 estavam em obras, 4 concluídos, mas apenas um em operação - a Linha Sul do Metrô de Fortaleza, formando 26% do total. A maioria, 169 projetos, encontrava-se no início do ano em fase preparatória.
No âmbito do Pacto da Mobilidade Urbana, o Ministério das Cidades informa que já foram anunciados R$ 29,4 bilhões para 114 obras e 97 estudos em 19 Estados. Mas os projetos ainda estão em fase de seleção e posterior contratação do serviço.
O secretário de Transportes Metropolitanos de São Paulo, Jurandir Fernandes, diz que tanto a União quanto as agências de fomento nacionais e internacionais dispõem de recursos e disposição em investir em mobilidade urbana. A lentidão da execução é, principalmente, resultado da dificuldade de Estados e municípios superarem dois obstáculos.
O primeiro é que a Lei de Responsabilidade Fiscal limita o acesso ao crédito para Estados com endividamento superior a duas vezes sua receita líquida. O outro problema é a falta de projetos consistentes para a obtenção de financiamentos.
"Estados e municípios estão se preparando para pleitear os recursos, mas o processo é naturalmente lento", diz. Entre a concepção e o início da execução, um bom plano de obra, diz Fernandes, leva entre dois anos, em um projeto mais simples, como o de um BRT, a quatro anos, em uma nova linha de metrô. Tempo gasto com os projetos básico e executivo, debates com a população, obtenção de licenças e fechamento do projeto financeiro.
Hector Gomez Ang, gestor do International Finance Corporation (IFC), o braço financeiro do Banco Mundial, faz avaliação parecida. "Há uma restrita disponibilidade de projetos bem elaborados no país e há um sistema regulatório que ainda não está maduro. Esses fatores dificultam a liberação de financiamentos", diz.
Fonte - Revista Ferroviária  26/06/2014

Dilma sanciona Plano Nacional de Educação sem vetos

Educação

O PNE estabelece meta mínima de investimento em educação de 7% do Produto Interno Bruto (PIB) no quinto ano de vigência e de 10% no décimo ano. Atualmente, são investidos 6,4% do PIB, segundo o Ministério da Educação.O ministro da pasta, Henrique Paim, disse que está contando com os recursos dos royalties do petróleo e do Fundo Social do pré-sal para cumprir as metas estabelecidas....

Yara Aquino  
Repórter da Agência Brasil
Ag.Brasil
A presidenta Dilma Rousseff sancionou, sem vetos, o Plano Nacional de Educação (PNE). O plano tramitou por quase quatro anos no Congresso até a aprovação e estabelece 20 metas para serem cumpridas ao longo dos próximos dez anos. As metas vão desde a educação infantil até o ensino superior, passam pela gestão e pelo financiamento do setor e pela formação dos profissionais. O texto sancionado pela presidenta será publicado em edição extra do Diário Oficial da União de hoje (26).
O PNE estabelece meta mínima de investimento em educação de 7% do Produto Interno Bruto (PIB) no quinto ano de vigência e de 10% no décimo ano. Atualmente, são investidos 6,4% do PIB, segundo o Ministério da Educação.
O ministro da pasta, Henrique Paim, disse que está contando com os recursos dos royalties do petróleo e do Fundo Social do pré-sal para cumprir as metas estabelecidas, mas reconheceu que o governo terá que fazer um grande esforço. “Como temos dez anos, precisamos fazer uma grande discussão, verificar exatamente as fontes que nós temos e ver no que é preciso avançar. É óbvio que a União terá que fazer um grande esforço, mas sabemos também que os estados e municípios terão que fazer também um grande esforço, um esforço conjunto tanto no cumprimento das metas como no financiamento", disse hoje (26) em entrevista coletiva sobre a sanção do PNE.
Um ponto que desagradou o governo durante as discussões no Congresso e que foi mantido no texto foi a obrigatoriedade de a União complementar recursos de estados e municípios, se estes não investirem o suficiente para cumprir padrões de qualidade determinados no Custo Aluno Qualidade (CAQ). Sobre o CAQ, o ministro ponderou que primeiro será preciso fazer um grande debate com a participação de governo, estados, municípios e entidades da área de educação para definir como calcular o índice.
Entidades que atuam no setor educacional reivindicavam o veto de dois trechos do PNE. Em carta à presidenta Dilma Rousseff, pediram que fosse excluída a bonificação às escolas que melhorarem o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) e a destinação de parte dos 10% do Produto Interno Bruto (PIB) para programas desenvolvidos em parceria com instituições privadas.
Com a possibilidade de destinação dos recursos também para parcerias com instituições privadas, entram na conta programas como o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e o Programa Universidade para Todos (ProUni). O texto originalmente aprovado pela Câmara previa que a parcela do PIB fosse destinada apenas para a educação pública.
O ministro defendeu esse ponto e disse que, se não houver parceria com instituições privadas, será difícil avançar. Paim acrescentou que é também uma forma de garantir gratuidade a todos. “São recursos públicos investidos e devemos ter garantia de acesso a todos. Se forneço ProUni, Fies e Ciência sem Fronteiras - ações que tem subsídio ou gratuidade envolvidos - então, estamos gerando oportunidades educacionais”, disse.
Além do financiamento, o plano assegura a formação, remuneração e carreira dos professores, consideradas questões centrais para o cumprimento das demais metas. Pelo texto, até o sexto ano de vigência, os salários dos professores da educação básica deverá ser equiparado ao rendimento médio dos demais profissionais com escolaridade equivalente. Além disso, em dez anos, 50% desses professores deverão ter pós-graduação. Todos deverão ter acesso à formação continuada.
O texto ainda institui avaliações a cada dois anos para acompanhamento da implementação das metas dos PNE. O ministro Paim, disse que o MEC vai anunciar, em breve, um sistema para acompanhamento do plano e também de medidas para dar suporte aos estados e municípios na construção dos planos de educação.
Fonte - Agência Brasil  26/06/2014

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Correios testam carro elétrico em serviço de entrega de encomendas

Tecnologia

Eles foram recebidos hoje (24) pelo presidente da empresa, Wagner Pinheiro de Oliveira, entregues pelo diretor de Vendas a Empresas da Renault, Alexandre Oliveira. - Ela explica que o carregamento leva de seis a oito horas e custa em torno de R$ 6 a R$ 7. 

Andreia Verdélio
Repórter da Agência Brasil
O veículo elétrico tem autonomia de até 150 quilômetros
 em cada recarga, segundo o fabricante
Marcelo Camargo/Agência Brasil
Os Correios começam a testar, na semana que vem, dois veículos elétricos para a entrega de encomendas, um em Brasília e outro em Curitiba, no Paraná. Eles foram recebidos hoje (24) pelo presidente da empresa, Wagner Pinheiro de Oliveira, entregues pelo diretor de Vendas a Empresas da Renault, Alexandre Oliveira.
A montadora cedeu os carros em comodato para testes por quatro meses, com possibilidade de prorrogação por um ano. “Inicialmente, faremos os testes para verificar a viabilidade e a possibilidade de integrar os veículos à frota”, disse a vice-presidenta de Clientes e Operações dos Correios, Glória Guimarães.
A redução das emissões de gás carbônico é uma das ações previstas pelo Sistema de Gestão Ambiental dos Correios e também faz parte do programa de redução de emissões de carbono do setor postal da Internacional Post Corporation, da qual a empresa é signatária. A meta é reduzir em 20% as emissões de gases de efeito estufa até 2020.
Em Brasília, o veículo será utilizado em entregas na Asa Sul, Esplanada dos Ministérios e nos setores Comercial e Hoteleiro Sul. Um totem para a recarga do veículo foi disponibilizado pela Companhia Energética de Brasília no Centro de Transporte Operacional da empresa na capital federal.
Com frota total de 25 mil veículos, os Correios também preparam a compra de 1.200 motos elétricas, a serem adquiridas em 2014 e 2015. As motos foram testadas no ano passado e o processo de licitação deve ser aberto nas próximas semanas.
O automóvel cedido é do modelo Kangoo ZE e tem como características ser 100% elétrico. O veículo não emite nenhum poluente ou ruído e tem as mesmas funções e volume de carga do modelo com motor a combustão. Segundo a chefe do Projeto Veículo Elétrico no Brasil, Silvia Barcik, o veículo tem autonomia de 120 a 150 quilômetros a cada carga e é equipado com motor de 60 cv.
Ela explica que o carregamento leva de seis a oito horas e custa em torno de R$ 6 a R$ 7. “Faríamos a mesma distância gastando quatro vezes mais usando combustível, em torno de R$ 40, com o preço atual”, explicou. O custo de manutenção também é menor, caindo cerca de 40%, diz a chefe da Renault.
Fonte - Agência Brasil  25/06/2014

Bahia consolida liderança na geração de emprego no Nordeste

Economia

No acumulado dos cinco primeiros meses do ano, a Bahia apresentou um saldo de 25.093 novos postos de trabalho, isso levando em conta a série ajustada, que incorpora as informações declaradas fora do prazo. O resultado fez com que a Bahia se consolidasse ainda mais na liderança de geração de empregos no nordeste. 

TB
foto - ilustração
As informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), sistematizadas pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI/Seplan), referentes ao mês de maio deste ano, apontam que a Bahia contabilizou um saldo positivo de 8.205 postos de trabalho com carteira assinada. Com esse resultado, o estado ocupou a primeira posição na Região Nordeste e a quarta no Brasil.
Depois da Bahia, os oito estados que apresentaram saldos positivos foram Ceará (3.178 postos), Piauí (719 postos), Maranhão (696 postos) e a Paraíba (313 postos). Entre os estados que geraram saldos negativos estão Pernambuco, que teve o menor saldo do mês (-10.706 postos), seguido de Alagoas (-8.580) Sergipe (-524) e Rio Grande do Norte (-406). O saldo registrado na Bahia se situou em um patamar superior ao contabilizado em igual período de 2013, com 4.568 postos, e superior ao mês de abril deste ano (1.854), incluindo as declarações fora do prazo.
No acumulado dos cinco primeiros meses do ano, a Bahia apresentou um saldo de 25.093 novos postos de trabalho, isso levando em conta a série ajustada, que incorpora as informações declaradas fora do prazo. O resultado fez com que a Bahia se consolidasse ainda mais na liderança de geração de empregos no nordeste.
Setorialmente, em maio, na Bahia, o setor com maior saldo positivo foi o de serviços, com 4.044 postos, seguido pela agropecuária (3.452 postos), e indústria de transformação (1.360) em terceiro lugar. Em quarto lugar ficou o setor de comércio e administração pública. Os setores que registraram saldos negativos foram o de construção civil, serviços industriais de utilidade pública e extrativa mineral.
No acumulado dos cinco primeiro meses do ano, dos oito setores de atividade, quatro registram saldos positivos. O que teve maior saldo acumulado foi o de serviços (15.449 postos) seguido pela agropecuária (7.401), indústria da transformação (3.802 postos) e administração pública (819). Entre os que apresentaram saldos negativos, no acumulado do ano, está a construção Civil, comércio, serviços industriais de utilidade pública e a extrativa mineral.
Análise RMS e interior
Na Região Metropolitana de Salvador (RMS) foram criados 1.888 novos postos de trabalho e no interior, 6.317. No saldo de emprego de janeiro a maio, o interior contratou 18.828 pessoas com carteira assinada e a RMS, 6.265. Na análise municipal, em maio, Juazeiro, Lauro de Freitas e Salvador se destacaram na criação de novas oportunidades de trabalho formal na Bahia. Juazeiro, com 1.920 novos postos, Lauro de Freitas, 1.363 postos e Salvador 814 postos.
Fonte - Tribuna da Bahia  25/06/2014

Em jogo de quatro gols, Bósnia vence o Irã na Fonte Nova

Copa no Brasil

A seleção do Oriente Médio precisava vencer e torcer por um tropeço da Nigéria contra a Argentina. Com os jogos do grupo F ocorrendo simultaneamente, a vitória do time argentino sobre a Nigéria favorecia o Irã. A Argentina venceu por 3 a 2, mas não adiantou: a vitória veio para o já eliminado time do Leste Europeu.

Renata Martins 
Portal EBC

A Bósnia-Herzegovina venceu o Irã por 3 a 1, na Arena Fonte Nova, em Salvador, e acabou com o sonho de classificação do time iraniano.
A seleção do Oriente Médio precisava vencer e torcer por um tropeço da Nigéria contra a Argentina. Com os jogos do grupo F ocorrendo simultaneamente, a vitória do time argentino sobre a Nigéria favorecia o Irã. A Argentina venceu por 3 a 2, mas não adiantou: a vitória veio para o já eliminado time do Leste Europeu.
Mesmo precisando da vitória para se classificar, o time do Irã começou o jogo todo recuado. Em um primeiro com apenas oito chaces de gol, a Bósnia foi melhor em campo, teve 66% de posse de bola e finalizou seis vezes contra apenas duas do Irã.
O primeiro gol veio aos 23 minutos com um chute de fora da área do atacante bósnio Dzeko. O camisa 11, que joga no Manchester City, da Inglaterra, bateu de canhota, sem chances para o goleiro Haghighi.
As chances iranianas vieram logo depois do gol bósnio. Aos 24 minutos, Reza chutou da entrada da área, mas a bola bateu na trave. O time ainda teve aoportunidade de marcar aos 31 minutos, Dejagah levanta na área da Bósnia, mas o juiz marca impedimento de Reza.
No final do primeiro tempo, a Bósnia teve chance de ampliar com Vrsajevic, que entrou livre na área e errou a finalização mandando a bola para longe.
O segundo tempo foi mais disputado, mas também foi dominado pela equipe da Bósnia. Numa falha do zaguerio Hosseini, aos 14 minutos, Pjanic, capitão do time bósnio, marcou o segundo gol da equipe.
A reação iraniana veio após uma falha da defesa da Bósnia. Hosseini cruzou para o atacante Reza marcar o primeiro e único gol do Irã nesta Copa. O gol animou a torcida iraniana, que fez a festa na Fonte Nova.
Aos 38 minutos do segundo tempo, Vrsajevic entra pelo lado direito da área iraniana e bate no canto do goleiro Haghighi para ampliar o placar. O gol do meio-campista bósnio fechou o placar, para a tristeza da torcida iraniana, que, em maioria na Fonte Nova, incentivou o time durante toda a partida.
A Bósnia volta para casa com duas derrotas e uma vitória. Perdeu os dois primeiros jogos, por 2 a 1 contra Argentina e 1 a 0 contra a Nigéria. Venceu o terceiro jogo contra o Irã, já desclassificado.
O Irã começou o jogo com uma campanha melhor que a de seu adversáio. Empatou com a Nigéria em 0 a 0 no primeiro jogo do Mundial e perdeu de 1 a 0 para Argentina.
Fonte - Agência Brasil  25/06/2014

Ferry registra volta tranquila do feriadão

Salvador

A tranquilidade na viagem também foi um aspecto que chamou a atenção da terapeuta Iracema Soares. Ela passou o recesso junino em Entre Rios e conseguiu voltar pra casa sem passar por qualquer ocorrência fora do normal. “Sai de lá às 13h40 e cheguei aqui um pouco antes das 16h”, afirmou ela.

Matheus Fortes - TB
Foto: Reginaldo Ipê / Tribuna da Bahia
Ontem, os terminais rodoviário e marítimo de Salvador tiveram um dia movimentado, mas, longe do que se espera para o fim de um feriado prolongado na capital baiana. Mesmo com o longo recesso – que teve início na quinta-feira, 19, com o Corpus Christi –, muitas pessoas optaram por estender um pouco mais a folga do São João.
Pelo terminal rodoviário, a circulação de pessoas estava normal, comparando-se a outros finais de semana, sem feriados. O que agradou alguns passageiros, como Ronaldo da Silva. “Retornei mais cedo, pois amanhã já preciso voltar ao trabalho”, explicou ele, que passou o feriadão com familiares na cidade de Serrinha, no Nordeste Baiano, a 173 km da capital.
A tranquilidade na viagem também foi um aspecto que chamou a atenção da terapeuta Iracema Soares. Ela passou o recesso junino em Entre Rios e conseguiu voltar pra casa sem passar por qualquer ocorrência fora do normal. “Sai de lá às 13h40 e cheguei aqui um pouco antes das 16h”, afirmou ela.
Ainda assim, com o feriado, a movimentação nas estradas já está intensa. O motorista João Carlos Rochinski fez o percurso de Santo Antônio de Jesus – no Recôncavo Baiano, a 190 km de Salvador – até a capital, no período da manhã. “O trânsito esteve lento na maior parte da BR-101, mas quando pegamos o entroncamento que dá acesso à BR-324, melhorou bastante. Mesmo assim, não houve grandes atrasos”, afirmou ele.
Com o término do feriado, a maior parte dos viajantes deve voltar à capital, nesta quarta-feira. Segundo a Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos, de Energia, Transportes e Comunicação da Bahia – Agerba –, espera-se que 35 mil pessoas estejam desembarcando no Terminal Rodoviário, hoje.
O tráfego nas estradas também deve aumentar. Na BR-324 – que liga Salvador à Feira de Santana, e a outras cidades do interior –, a Polícia Rodoviária Federal trabalha com a estimativa de 50% de aumento no fluxo de veículos, em relação aos dias de semana convencionais (sem feriados).
Nos terminais marítimos da cidade, a movimentação de pessoas que viajaram para Itaparica e Mar Grande, através do ferryboat, lanchas, e escunas, também esteve intensa, mas abaixo do esperado, para o fim do feriadão.
No Terminal do Comércio, passageiros como Cássio Melo explicaram que a saída de Vera Cruz, até a chegada em Salvador foi tranquila e sem atrasos. “A embarcação estava cheia, mas é feriado, não é mesmo?”, explicou ele, ao desembarcar na capital.
Já no Terminal São Joaquim, o tráfego de passageiros foi aumentando com o passar do dia. Durante a manhã e o início da tarde, os pedestres que voltavam da Ilha de Itaparica, pelo ferryboat, não encontravam grandes dificuldades para embarcar no Terminal de Bom Despacho. Com a Operação São João, as seis embarcações funcionaram em esquema de bate-volta.
Neste mesmo período do dia, a espera de embarque para veículos automotivos era de uma a duas horas. Já no final do tarde, o movimento se intensificou, ocasionando esperas de uma hora para os pedestres, e de três horas para os veículos.
Do dia 18 até a manhã do dia 22, a Internacional Marítima – que administra o terminal – havia registrado o embarque/desembarque de 62.501 pessoas, além de 10.804 veículos. A Operação São João continua até o fim desta quarta-feira.
Fonte - Tribuna da Bahia  25/06/2014

Estação ferroviária de Marília está abandonada há mais de 10 anos

Ferrovias

Vereador fez requerimento solicitando a revitalização do local. Prefeitura afirma que há estudo para instalação de um centro cultural. - O lixo e entulho estão jogados para todo lado, assim como os indícios de que moradores de rua buscam abrigo no local.

G1

Os trilhos por onde décadas circularam trens de passageiros e carga hoje são cercados de abandono em Marília (SP). A antiga estação ferroviária que poderia dar virar patrimônio histórico está abandonada há 14 anos desde que o local deixou de ser administrado pela América Latina Logística (ALL).
O lixo e entulho estão jogados para todo lado, assim como os indícios de que moradores de rua buscam abrigo no local. O desperdício de área pública incomoda quem passa pela estação e um vereador fez um requerimento à prefeitura solicitando a revitalização da estação.
“Nós pedimos para que o setor público tome uma providência já que, além de deixar a cidade feia, a antiga estação ferroviária tem sido um abrigo para consumo de drogas, pequenos furtos e causa uma insegurança grande na população”, alega o vereador Silvio Harada.
Para a Polícia Militar, apesar da necessidade de revitalização da área, o espaço deixou de ser um problema de segurança. “A Polícia Militar mantém o patrulhamento diário no local por conta do fluxo de pessoa. No entanto, neste ano, somente um caso de furto foi registrado”, afirma a capitã da PM, Meire Andréia de Moraes.
Em nota, a prefeitura de Marília informa que existe um estudo técnico para instalar um centro cultural na estação. Sobre a questão de moradores de rua no local, a Secretaria Municipal de Assistência Social informou que vem encaminhando diariamente pessoas que precisam de serviços de acolhimento e que desconhece que elas durmam no local.
Fonte - STEFZS  25/06/2014