sábado, 24 de maio de 2014

“Esquema político” liberou licitação do Metrô de SP no Tribunal de Contas do Estado

Política

O Metrô paulista pressionou o Tribunal de Contas do Estado (TCE) de São Paulo para que liberasse uma licitação de interesse da Alstom, aponta e-mail encontrado na multinacional por autoridades federais. Uma semana após a mensagem, o TCE cassou uma decisão que bloqueava a concorrência e deixou que ela prosseguisse. A informação é do jornal Folha de S. Paulo.

Correio do Brasil
Por Redação 

O Metrô paulista pressionou o TCE de São Paulo para que liberasse uma licitação de interesse da Alstom
Segundo a reportagem, o tribunal paulista resolveu o caso todo em 15 dias, com rapidez incomum. Em geral, processos como esse demoram de 30 a 60 dias. Posteriormente, a Alstom venceu a licitação com uma proposta acima do valor do orçamento elaborado pelo Metrô, o que não é usual em concorrências com livre disputa entre empresas.
O e-mail trata da licitação de 2005 da linha 2-verde do Metrô para implantação dos sistemas de trens do trecho entre as estações Ana Rosa e Alto do Ipiranga. A Alusa, concorrente da Alstom, pediu ao TCE para barrar a concorrência no dia 16 de fevereiro de 2005. Segundo a empresa, o Metrô colocou em um só pacote da licitação quatro sistemas de equipamentos que podiam ser vendidos separadamente. Esse tipo de concentração, de acordo com a Alusa, violava a Lei de Licitações.
Em 19 de fevereiro de 2005, o então conselheiro do TCE Eduardo Bittencourt acolheu o argumento e suspendeu provisoriamente a licitação. Bittencourt chegou a ser afastado do TCE pela Justiça, sob suspeita de enriquecimento ilícito, em ação judicial sem ligação com o Metrô, mas depois reassumiu o cargo.
Três dias depois, o diretor da Alstom Wagner Ribeiro enviou e-mail à colega Stephanie Brun para informar sobre a situação da concorrência. Disse que a apresentação das propostas da licitação estava bloqueada no TCE em razão da impugnação da Alusa, e que o “cliente” (o Metrô) havia colocado em ação um “esquema político” para liberar a entrega das ofertas.
No dia seguinte, o plenário do TCE confirmou decisão favorável à Alusa. Porém, em 2 de março o plenário cassou a liminar concedida por ele mesmo e liberou a licitação, como queria a Alstom. O TCE aceitou o argumento técnico do Metrô de que a divisão no fornecimento dos equipamentos poderia comprometer a segurança e a confiabilidade dos sistemas.
A decisão foi unânime. Um dos votos foi o de Robson Marinho, investigado sob suspeita de beneficiar a Alstom em contrato de 1998. Dois meses depois do julgamento, a empresa francesa venceu a licitação em consórcio com a alemã Siemens. O Metrô e o TCE-SP negam que tenha havido pressão de natureza política no julgamento. A Alstom afirma que “não concluiu a avaliação do processo” e não se manifestou.
Fonte - Correio do Brasil  24/05/2014

Dilma envia proposta ao Congresso de participação popular na reforma política

Política

“Encaminhei ao Congresso uma proposta de participação popular para que todos possam participar do processo de reforma política.Estou convencida que sem a força da participação popular não teremos a reforma política que o Brasil exige e necessita”, disse a presidenta em discurso no 17º Congresso da União da Juventude Socialista (UJS).

Marcelo Brandão 
Repórter da Agência Brasil 

A presidenta Dilma Rousseff anunciou hoje (24), em Brasília, que encaminhou ao Congresso Nacional uma proposta de participação popular no processo de reforma política. “Encaminhei ao Congresso uma proposta de participação popular para que todos possam participar do processo de reforma política. Estou convencida que sem a força da participação popular não teremos a reforma política que o Brasil exige e necessita”, disse a presidenta em discurso no 17º Congresso da União da Juventude Socialista (UJS).
Ela ressaltou a importância da educação no processo de desenvolvimento do país, e fez questão de mencionar vários programas do governo na área, como o Programa Universidade para Todos (ProUni), o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), além de citar os números do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), divulgados na manhã deste sábado (24), quando foram registrados 9,5 milhões de inscritos.
Dilma participou do ato “Amar e mudar as coisas para o Brasil avançar”, uma das atividades do congresso da UJS.
A presidenta também falou sobre a Copa do Mundo, que tem início no dia 12 de junho, e reafirmou que o Brasil fará a Copa das Copas. “Tenho certeza que o país fará a Copa das Copas. Tenho certeza da nossa capacidade e do que fizemos. Não temos do que nos envergonhar e não temos complexo de vira-lata. Sei que vocês estão engajados na defesa da nossa Copa. Vamos mostrar a melhor Copa de todos os tempos”.
O congresso da UJS teve início na última quinta-feira (22) e reune cerca de 2,5 mil jovens. Em sua abertura, a UJS cobrou a revisão da Lei de Anistia, com punição aos torturadores, e prestou homenagem às vítimas da Guerrilha do Araguaia, ocorrida entre o fim dos anos 1960 e início dos anos 1970, no sul do Pará e norte de Goiás (hoje Tocantins), na região conhecida como Bico do Papagaio.
Fonte - Agência Brasil   24/05/2014

Inscrições para Enem chegam ao recorde de 9,5 milhões, crescimento de 21,8%

Educação

Somente na sexta-feira (23), último dia de inscrições, foi 1,8 milhão de inscritos. Os dados divulgados hoje (24) são preliminares e dependem da confirmação do pagamentos da taxa de inscrição até a próxima quarta-feira (28).

Kelly Oliveira
Repórter da Agência Brasil 

O número de inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) chegou ao recorde de 9,519 milhões este ano, com crescimento de 21,8% em relação a 2013 (7,834 milhões). Somente na sexta-feira (23), último dia de inscrições, foi 1,8 milhão de inscritos. Os dados divulgados hoje (24) são preliminares e dependem da confirmação do pagamentos da taxa de inscrição até a próxima quarta-feira (28).
No Sudeste, foram 3,407 milhões de inscritos; no Nordeste, 3,062 milhões; no Sul, 1,159 milhão; no Norte, 1,033 milhão, e no Centro-Oeste, 857,195 mil.
O ministro da Educação, Henrique Paim, destacou o crescimento das inscrições em estados da Região Nordeste. “No Ceará, temos uma população de 8,8 mil habitantes e quase 600 mil inscritos”, disse.
O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), José Francisco Soares, alertou para o prazo de pagamento da taxa de inscrição, de R$ 35, que vai até a próxima quarta-feira (28). “Se a inscrição não estiver paga até 28 de maio, não será confirmada”, disse.
Segundo o ministro da Educação, no ano passado houve problemas com estudantes que agendaram o pagamento pela internet e em caixa eletrônicos no último dia do prazo, para efetivação do pagamento depois. “Houve confusão com a data de pagamento e de agendamento. Não basta agendar no dia 28. Tem que fazer o pagamento nesse dia”, alertou o ministro.
De acordo com Henrique Paim, no ano passado cerca de 10% dos inscritos não confirmaram a inscrição com o pagamento. Estudantes da rede pública e pessoas com renda familiar de até 1,5 salário mínimo são isentos. No ano passado, 60% dos inscritos se declararam isentos.

O Enem será aplicado nos dias 8 e 9 de novembro.
Para se preparar, o aluno pode acessar o aplicativo Questões Enem, um banco de questões da EBC que reúne as provas de 2009 a 2013. O acesso é gratuito.
Fonte - Agência Brasil  24/05/2014 

Mensalão: CNBB critica 'desejo de vingança e justiçamento' alimentado por Barbosa

Politica

Conferência Nacional dos Bispos do Brasil afirma que instituições democráticas não podem ser dependentes de 'vontades individuais', lamenta decisão sobre Dirceu e cobra reforma do Judiciário - Barbosa despertou críticas dentro do Judiciário, entre advogados e instituições da sociedade civil

Por Redação RBA
CARLOS HUMBERTO/STF
São Paulo – A Comissão Brasileira Justiça e Paz emitiu nota criticando a decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, de negar aos condenados da Ação Penal 470 o direito ao trabalho durante o cumprimento da pena em regime semiaberto. Em nota, a entidade pertencente à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) afirma que a recusa em cumprir a legislação deve servir para um debate mais amplo sobre as condições do sistema carcerário e o papel do Judiciário no sistema institucional brasileiro.
“A CBJP tem a firme convicção de que as instituições não podem ser dependentes de virtudes ou temperamentos individuais. Não é lícito que atos políticos, administrativos e jurídicos levem a insuflar na sociedade o espírito de vingança e de 'justiçamento'. Os fatos aqui examinados revelam a urgência de um diálogo transparente sobre a necessária reforma do Judiciário e o saneamento de todo o sistema prisional brasileiro”, diz o comunicado, assinado por Pedro Gontijo, secretário- executivo da comissão.
Este mês, Barbosa recusou o pedido de trabalho externo apresentado pelo ex-ministro da Casa Civil José Dirceucom base no entendimento de que é preciso, antes, cumprir um sexto da pena de sete anos e onze meses. A decisão do presidente do Supremo toma como base o artigo 37 da Lei de Execução Penal, que diz respeito ao regime fechado, e não ao semiaberto a que têm direito todos os condenados a menos de oito anos de reclusão. Tomando como referência este entendimento, o ministro revogou as autorizações de trabalho para outros sete condenados no julgamento da Ação Penal 470, entre eles o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares.
Agora, a defesa de Dirceu pede que o caso seja apreciado com urgência pelo plenário do STF, onde, acredita, será possível reverter o entendimento de Barbosa com base no exame do artigo 35 do Código Penal, este, sim, referente a presos condenados ao regime semiaberto. Para o advogado José Luis Oliveira Lima, que representa o ex-ministro, a decisão do presidente da Corte é baseada em uma ilegalidade e converte o status do petista em reclusão ao regime fechado.
Na nota, a CNBB se soma a esta corrente de pensamento e critica a postura pública de Barbosa. “A independência do Poder Judiciário somente realiza a necessária segurança jurídica em sua plenitude, quando viabiliza sem obstáculos o amplo direito de defesa e a completa isenção na análise objetiva das provas. Ela é imprescindível na relação do Judiciário com os meios de comunicação, não se podendo confundir transparência nos julgamentos com exposição e execração pública dos réus.”
No último dia 15, outra instituição vinculada à Igreja Católica, a Pastoral Carcerária, já havia criticado a decisão de Barbosa. A entidade, porém, havia solicitado que se utilizasse o caso para promover uma reflexão geral sobre as más condições do sistema penitenciário brasileiro e manifestado que não poderia se solidarizar com um grupo específico de presos enquanto milhares de outros padecem de situações iguais ou piores.
O comunicado manifestou o entendimento de que o presidente do Supremo fez uma leitura descontextualizada do artigo 37 da Lei de Execução Penal, num ato de reputação “constitucionalmente duvidosa”, que, no entanto, não se configura como um abuso isolado do Poder Judiciário no que diz respeito ao direito de réus e condenados. A Pastoral avalia que não há decisão técnica entre os magistrados, que buscam no Direito simplesmente expedientes que possam ratificar suas próprias convicções políticas.
“Se essa e outras decisões do presidente do STF no 'caso mensalão' têm causado espanto para determinados setores da sociedade, certamente não surpreende às centenas de milhares de presos, seus familiares ou os egressos do sistema penitenciário, que desgraçadamente já se habituaram com condenações sem provas, decisões judiciais que rasgam a letra da lei e interpretações jurídicas absurdas por parte dos julgadores que, sem a sofisticação e empenho intelectual que vimos nesta Ação Penal, sequer mascaram sua pesada carga ideológica”, concluiu a entidade.
Fonte - Rede Brasil Atual  24/05/2014

Empresa de trem do RS (Trensurb) recruta voluntários para Copa

Transporte sobre trilhos

Interessados prestarão atendimento em inglês e/ou espanhol em estações da capital de 2 a 30/6; inscrições iniciam na segunda (26)

Portal Brasil
c/informações da Imprensa Nacional
foto - ilustração
A Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre (RS) (Trensurb), vinculada ao Ministério das Cidades, vai abrir vagas para voluntários interessados em prestar atendimento de língua inglesa e espanhola nas estações de trem durante a Copa do Mundo. As inscrições começam no dia 26 de maio e deverão ser feitas no Setor de Seleção e Treinamento (Setre) da Trensurb, no Prédio de Apoio, na Avenida Ernesto Neugebauer, nº 1.985, Porto Alegre (RS) das 8h às 12h e das 13h às 17h. O trabalho será do dia 2 ao dia 30 de junho.
O voluntário trabalhará uma carga horária de quatro horas por dia, máximo de 20 horas semanais e receberá um ressarcimento de despesas com alimentação e transporte, cujo valor total no período não ultrapasse R$ 718,00.
O candidato deverá ser maior de 18 anos e ter concluído o ensino médio. Os interessados também precisam ter domínio de inglês e/ou espanhol.
Fonte - STEFZS  24/05/2014

sexta-feira, 23 de maio de 2014

MP diz ter 'provas robustas' de corrupção sobre ex-chefe da Casa Civil de Covas

Politica

Promotores querem que Robson Marinho seja afastado do cargo do Tribunal de Contas, responsável por fiscalizar as contas estaduais. Papéis recebidos da Suíça evidenciam propina paga pela Alstom

Eduardo Maretti, da RBA 
Conselheiro Robson Marinho, em 2000, quando já ocupava
o cargo no tribunal, onde está desde 1997

BOB PAULINO/FOLHAPRESS
São Paulo – A Promotoria do Patrimônio Público e Social do Ministério Público de São Paulo propôs uma ação cautelar pedindo que o conselheiro Robson Marinho seja afastado do cargo no Tribunal de Contas do Estado de São Paulo. O pedido foi motivado pela chegada de documentos da Suíça na última terça-feira (20) com provas “robustas” contra Marinho. O MP tem 30 dias, a contar da data da chegada dos documentos, para entrar com a ação principal (civil pública ou de improbidade) contra o conselheiro.
Marinho, segundo os documentos, recebeu propina para aprovar contratos da Empresa Paulista de Transmissão de Energia (EPTE) com consórcio formado pela francesa Alstom. Robson Riedel Marinho foi coordenador da campanha que elegeu Mário Covas governador de São Paulo (1995-2001), depois chefe da Casa Civil (1995 a abril de 1997), e em 1997 acabou nomeado conselheiro do Tribunal por Covas.
A EPTE é uma das empresas que surgiram com o projeto de privatização da Eletropaulo iniciado por Covas. O conselheiro é investigado desde 2008.
Atualmente há em andamento o inquérito civil no MP, um inquérito criminal no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e três ações cautelares, estas decorrentes da investigação dos promotores. A cautelar com pedido de afastamento se junta a outras duas: uma ação cautelar de sequestro (com objetivo de obter documentos e bloqueio de eventuais valores na Suíça e França) e de exibição (quebra de sigilo interno no Brasil).
“É de extrema gravidade o que foi apurado. As provas são robustas e não se pode admitir que uma pessoa, durante o dia, em sessões solenes, realize o julgamento de contas públicas do estado de São Paulo, e durante a noite movimente secretamente valores na Suíça”, disse o promotor José Carlos Blat, em coletiva à imprensa junto com os colegas Silvio Marques e Saad Mazloum.
Na última semana, após ser divulgada a informação de que foi descoberta uma conta na Suíça para a qual foram repassados recursos de propina, Esta semana, após as novas denúncias, Marinho usou o plenário do Tribunal de Contas para se defender. “Eu quero reafirmar aqui: nunca dei nenhum voto neste tribunal pra favorecer a Alstom ou quem quer que seja. Portanto, não cometi nenhum desvio de conduta. Nenhuma conta minha recebeu um tostão sequer, um dólar sequer da Alstom. Nem na Suíça, nem no Brasil. Volto a dizer. Então, o que eu espero e aguardo há mais de seis anos é que haja um processo legal, um processo formal para que eu possa me defender”, disse.
Os promotores reafirmaram várias vezes não poder entrar em detalhes sobre os documentos e as investigações, mas ressaltaram que as provas contra Marinho são inequívocas. “A única coisa que a gente pode falar no momento é que houve pagamento de vantagens ilícitas ao conselheiro Robson Marinho”, afirmou Marques.
Marinho movimento US$ 2,7 milhões em conta aberta em nome de uma empresa off shore na Suíça. De acordo com os promotores, sobre um contrato de US$ 50 milhões (equivalentes hoje a cerca de R$ 268 milhões) ocorreu pagamento de propina em torno de 15% a 17%. Em 1998 esses valores teriam sido pagos e distribuídos a diversos agentes públicos.
Os documentos da Suíça que chegaram no dia 20 foram solicitados em 2010. O promotor Silvio Marques afirmou não poder falar sobre outros agentes ou funcionários públicos sob investigação.

Pedido petista
Há dois meses, o deputado e então líder do PT na Assembleia Legislativa, Luiz Cláudio Marcolino, entregou ao procurador-geral da Justiça, interino, Álvaro Augusto Fonseca de Arruda, um pedido de afastamento cautelar de Robson Marinho, enquanto continuarem as investigações sobre seu envolvimento no esquema de corrupção da Alstom.
Segundo a petição apresentada pelo PT e assinada por todos deputados da bancada do partido, um dossiê com 282 páginas, já conhecido e divulgado pela imprensa, mostra que Marinho teria recebido US$ 1,1 milhão na conta 17321-1, por intermédio do banco Crédit Lyonnais Suisse de Genebra.
"Diante dessas informações fica claro que Marinho não tem mais idoneidade moral e reputação ilibada, característica prevista em lei para que ele ocupe o cargo”, argumentou Marcolino no pedido.
Fonte - Rede Brasil Atual  23/05/2014

Governo da Bahia reajusta gratificação de policiais militares

Bahia

Primeiros tenentes ganharão reajuste na CET de 110% para 125% - Divulgada nesta sexta-feira, 23, a medida, segundo o Governo, aumentará em R$ 55,1 milhões as despesas com pessoal. O benefício foi validado em resolução do Conselho de Política de Recursos Humanos (Cope).

A Tarde
Da Redação
Lúcio Távora | Ag. A TARDE
O Governo do Estado começa a pagar, a partir de junho, até 28% de CET (Condições Especiais de Trabalho) para 27.745 praças da Polícia Militar. A gratificação é concedida a servidores com jornada prolongada ou que estejam atuando em projetos especiais. Divulgada nesta sexta-feira, 23, a medida, segundo o Governo, aumentará em R$ 55,1 milhões as despesas com pessoal. O benefício foi validado em resolução do Conselho de Política de Recursos Humanos (Cope).
Também serão contemplados, de acordo com o Governo, 2,3 mil policiais - entre soldados, cabos, sargentos e subtenentes - que não recebiam gratificação e passarão a ganhar, no percentual de 25%. Estes profissionais trabalham na área administrativa da corporação. O percentual da área operacional - que envolve 17,2 mil policiais - será de 45%, enquanto os primeiros tenentes ganharão reajuste na CET de 110% para 125%.
Em novembro, será antecipada a GAP V (Gratificação por Atividade Policial). Com esta medida, o soldado passa a receber R$ 3.328,95; cabo, R$ 3.550,86; 1° sargento, R$ 3.871. Em 2014, somando-se o reajuste geral dos servidores públicos, a antecipação da GAP V e a CET, os soldados terão ganho médio de 17,72%, diz o Governo.
Outro benefício é a concessão do Prêmio por Desempenho Policial (PDP), em abril deste ano, a cerca de 27 mil profissionais que trabalham em 29 Áreas Integradas de Segurança Pública (Aisps) do estado. No total, o pagamento do incentivo, que integra o programa Pacto pela Vida, somou R$ 40,5 milhões. O benefício contemplou delegados, oficiais, peritos e analistas técnicos (R$ 4 mil) e investigadores, escrivães, praças e peritos técnicos (R$ 2,8 mil).
Fonte - A Tarde  23/05/2014

VLTs de Santos serão montados em São Vicente

Transportes sobre trilhos

O Veículo Leve sobre Trilhos terá 22 composições. Três delas virão da Espanha e chegarão ao porto nas próximas semanas. As demais serão fabricadas no Brasil

Diário do Litoral
Foto: Matheus Tagé/DL
Após 37 dias de viagem, três carros articulados da primeira composição do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), que irá operar na Baixada Santista, chegaram ao Porto de Santos nesta quinta-feira (22). Depois do desembaraço aduaneiro para liberação do equipamento, os vagões, que juntos pesam quase sessenta toneladas, serão montados em São Vicente.
O VLT terá 22 composições. Três delas virão da Espanha e chegarão ao porto nas próximas semanas. As demais serão fabricadas no Brasil.
De acordo com o diretor presidente da EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo, Joaquim Lopes, a chegada dos carros representa “um marco muito importante em um dos principais projetos de mobilidade do estado de São Paulo”.
O transporte de passageiros está previsto para entrar em operação comercial no primeiro semestre de 2015, ligando as cidades de São Vicente e Santos em um trajeto aproximado de 30 minutos.
As obras do Veículo Leve sobre Trilhos em São Vicente seguem em ritmo acelerado. Os primeiros trens produzidos em Valência, na Espanha, já foram entregues. A composição com 22 vagões terá capacidade para transportar 220 mil pessoas por dia entre o Município e Santos. O tempo de espera será de três a cinco minutos. Os primeiros testes do novo sistema de transporte começam em junho.
A primeira estação em São Vicente, na Vila Valença, ficou pronta em abril. O VLT vai operar em um trecho de 11 quilômetros entre a Ponte dos Barreiros (São Vicente) e o porto de Santos.
Cada VLT terá 2,65 metros de largura por 44 metros de comprimento, velocidade média de 25 km/h (a máxima é de 80km/h), ar condicionado e piso que facilita a movimentação de usuários com dificuldade de locomoção, e com capacidade para 400 usuários por viagem. O investimento total é estimado em mais de R$ 1 bilhão na compra dos equipamentos, infraestrutura , execução e manutenção do sistema.
A obra é parte da reestruturação do transporte público da Baixa Santista e interligará 9 municípios, com previsão de benefícios a toda a população metropolitana da Região, estimada em 1,9 milhão de habitantes.
O VLT vai funcionar das 5 da manhã à meia-noite. A manutenção será feita no intervalo desse período. Cada composição alcança até 70 km/h, mas para operar na cidade, a velocidade será limitada a 50 km/h. O tempo de espera para embarque será entre três e cinco minutos.
Fonte - STEFZS  23/05/2014

MP ajuíza ação publica contra prefeitura devido a Fan Fest

Salvador

A ação que foi só divulgada nesta sexta-feira, 23, levou em conta a ausência de previsão orçamentária para realização da festa, além do reconhecimento da prefeitura de que não dispõe de orçamento para realizar o evento.

A Tarde
Da Redação
Adicionar legenda
O Ministério Público da Bahia (MP-BA) entrou com uma ação civil pública contra o município de Salvador, na quarta-feira, 21, para que a Fifa Fan Fest, não seja realizada com recursos públicos da capital baiana. De acordo com as promotoras autoras da ação Rita Tourinho e Patrícia Medrado o evento não deixará qualquer legado para a população soteropolitana.
A ação que foi só divulgada nesta sexta-feira, 23, levou em conta a ausência de previsão orçamentária para realização da festa, além do reconhecimento da prefeitura de que não dispõe de orçamento para realizar o evento.Outro ponto apontado na ação é o custo da festa que pode chegar a R$ 20 milhões e incluem gastos com aluguel e preparação do local, segurança, estacionamento, equipe de apoio para artistas, estandes de alimentos e bebidas, sanitários, dentre outros.
As promotoras alegam também que a resistência do Município no cumprimento da recomendação expedida no dia 20 deste mês pelo MP, decorre do receio de que a Fifa venha a adotar medidas contra o Poder Público Municipal, já que o contrato afirma que a cidade-sede indenizará a Fifa, o Comitê e seus afiliados comerciais, as transmissoras e seus respectivos representantes com relação a toda e qualquer obrigação ou responsabilidade.
Fonte - A Tarde  23/05/2014

Prefeitura e ALL podem responder criminalmente por descarrilamento em Rio Preto

Ferrovias

Delegado que cuida de inquérito se manifestou sobre laudo da perícia. Segundo laudo, erosão no solo embaixo do trilho provocou acidente. - Dependo das respostas de ALL e prefeitura da cidade, sobre a responsabilidade pelas infiltrações debaixo do trilho do trem, as duas podem responder criminalmente pela morte das oito pessoas.

Do G1 - Rio Preto
Adicionar legenda
O delegado da Polícia Civil, Laércio Ceneviva Filho, que cuida do inquérito sobre o descarrilamento de São José do Rio Preto (SP) que matou oito pessoas em novembro do ano passado, se manifestou pela primeira vez depois que recebeu o laudo da Perícia. Dependo das respostas de ALL e prefeitura da cidade, sobre a responsabilidade pelas infiltrações debaixo do trilho do trem, as duas podem responder criminalmente pela morte das oito pessoas.
Segundo Ceneviva, o laudo aponta o que houve realmente. “O laudo da Perícia Técnica indica infiltração de água decorrente das águas fluviais e vazamentos de esgoto que se acumularam debaixo da via férrea e ocasionaram uma deformação dos trilhos externos, justamente na curva onde se deu o descarrilamento”, explica.
Com isso, a polícia pretende identificar e punir os responsáveis. "Após análise do laudo, nós deliberamos para encaminhamento de ofício à ALL requisitando informações em 15 dias sobre as vistorias e manutenções na via, se foi detectada essa deformação no trilho, bem como o acúmulo de águas fluviais e também se eles comunicaram a prefeitura ou o Semae para proceder a drenagem. Também oficiamos o Semae requisitando essas mesmas informações no prazo de 15 dias, ou seja, se eles foram instados pela ALL para tomar previdência em relação à drenagem”, afirma o delegado.
Segundo Ceneviva, o responsável vai responder por homicídio culposo. “Nós vamos apurar eventual responsabilidade por negligência, o que poderá ocasionar o indiciamento do responsável pelo delito de homicídio culposo, sem intenção de matar, mas, o agente agiu com imprudência. Houve uma omissão e ela será identificada e responsabilizada criminalmente”, finaliza.
Em nota, a prefeitura de Rio Preto disse que a responsabilidade de verificar o problema seria da Agência Nacional de Transportes Terrestres e, se tivesse sido acionada, corrigiria as infiltrações. O ANTT e a ALL não responderam aos questionamentos do Tem Notícias.

177 páginas de laudo
O laudo que aponta as falhas no descarrilamento foi encaminhado às polícias Federal e Civil para serem analisados. Em 177 páginas, o Instituto de Criminalística detalha a deformação dos trilhos no trecho que passa pelo Jardim Conceição, onde aconteceu a tragédia. Em dezenas de fotografias, os peritos apontam que infiltrações no solo tiraram o suporte de terra debaixo da linha férrea, por onde passam milhares de toneladas de carga em cada composição. As infiltrações teriam duas origens: a falta de drenagem de água de chuva na rua que fica ao lado da linha, e vazamentos da tubulação de esgoto, trabalho que seriam da prefeitura e do Semae.
Mas de acordo com o laudo do IC, a concessionária que administra a linha férrea, a ALL (América Latina Logística) também tem uma parcela de responsabilidade. A empresa, segundo o laudo, tem que monitorar as condições da via, e se observar qualquer problema que interfira na segurança da malha tem que comunicar aos órgãos competentes.
Portanto, nesse caso, se ela deixou de fazer isso, foi omissa, e de certa forma também contribuiu para que o acidente acontecesse. Agora se ela fez a notificação, entende-se que a culpa é apenas do poder público.
Depois do acidente, por determinação da ANTT, Agência Nacional de Transportes Terrestres, a ALL e prefeitura fizeram várias adaptações no local e foram construídos muros e caixas de contenção de água.

Relembre o caso
Nove composições carregadas com milho descarrilaram por volta das 17h do domingo, 24 de novembro, no Jardim Conceição, em Rio Preto, atingindo duas casas e afetando outras duas. Foram confirmadas oito mortes, entre os mortos duas crianças (de 2 e 6 anos), quatro mulheres e dois homens. Outras sete pessoas foram socorridas pelas equipes de resgate do Corpo de Bombeiros e do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) e encaminhadas para o Hospital de Base e a Santa Casa da cidade.
Em nota ao G1, na época, a ALL disse que "a concessionária responsável pela operação no trecho lamenta profundamente a fatalidade ocorrida e se solidariza às famílias e vitimas, a quem dará todo suporte e apoio. Por meio do centro que controla remotamente, via satélite, toda a operação, a empresa confirmou que a composição transitava dentro dos limites de velocidade do trecho. As causas do acidente serão investigadas por meio de sindicância".
Fonte  - SETFZS  23/05/2014

Gastos em viagens internacionais são recorde em abril

Economia

Os gastos de brasileiros em viagens internacionais chegaram a US$ 2,344 bilhões em abril, o maior resultado já registrado pelo Banco Central (BC). Em igual mês do ano passado, essas despesas chegaram a US$ 2,096 bilhões.

Kelly Oliveira 
Repórter da Agência Brasil 
Wilson Dias/Agência Brasil
Gastos de brasileiros em viagens internacionais chegaram a US$ 2,344 bilhões em abril
Os gastos de brasileiros em viagens internacionais chegaram a US$ 2,344 bilhões em abril, o maior resultado já registrado pelo Banco Central (BC). Em igual mês do ano passado, essas despesas chegaram a US$ 2,096 bilhões. De janeiro a abril, os gastos também foram recorde ao somar US$ 8,218 bilhões, contra US$ 8,080 bilhões em igual período de 2013.
As receitas deixadas por estrangeiros em viagem no Brasil chegaram a US$ 547 milhões, no mês passado, contra US$ 585 milhões em igual mês do ano passado. Nos quatro meses do ano, as receitas somaram US$ 2,318 bilhões, ante US$ 2,505 bilhões de janeiro a abril de 2013.
Com esses dados dos gastos e as receitas, a conta de viagens internacionais fechou negativa em US$ 1,797 bilhão, em abril, e em US$ 5,9 bilhões, no primeiro quadrimestre.
Esses dados das viagens internacionais fazem parte da conta de serviços – registro de receitas e despesas do Brasil com o resto do mundo em viagens internacionais, transportes, aluguel de equipamentos, seguros. Em abril, o saldo dessa conta ficou negativo em US$ 4,364 bilhões e, no quatro meses do ano, o déficit chegou a US$ 14,801 bilhões.
Os serviços fazem parte de uma conta ainda maior: a de transações correntes – saldo das compras e vendas de mercadorias e serviços entre o Brasil e o mundo. As transações correntes, além dos serviços, incluem a conta de rendas (remessas de lucros e dividendos, pagamentos de juros e salários), a balança comercial (saldo de exportações menos importações) e as transferências unilaterais correntes (doações e remessas de dólares que o país faz para o exterior ou recebe de outros países, sem contrapartida de serviços ou bens).
Em abril, o saldo das transações correntes ficou negativo em US$ 8,291 bilhões, contra US$ 8,235 bilhões de igual mês de 2013. De janeiro ao mês passado, o déficit chegou a US$ 33,476 bilhões, ante US$ 32,939 bilhões nos quatro primeiros meses de 2013. Além do déficit na conta de serviços, esse resultado foi influenciado pelo déficit comercial de US$ 5,566 bilhões e o resultado negativo da conta de rendas em US$ 13,617 bilhões, nos quatro meses do ano. As entradas líquidas (descontadas as saídas) das transferências unilaterais correntes chegaram a US$ 509 milhões, no primeiro quadrimestre.
Quando o país tem déficit em conta-corrente, ou seja, gasta além da renda do país, é preciso financiar esse resultado com investimentos estrangeiros ou tomar dinheiro emprestado no exterior.
O investimento estrangeiro direto (IED), que vai para o setor produtivo da economia, é considerado a melhor forma de financiar por ser de longo prazo. Em abril, o IED chegou a US$ 5,233 bilhões e em quatro meses a US$ 19,404 bilhões.
Há ainda outras formas de financiamento, como os empréstimos e os investimentos estrangeiros em ações e em títulos de renda fixa.
Em abril, os investimentos em carteira (ações e títulos de renda fixa) chegaram a US$ 3,474 bilhões e acumularam US$ 14,952 bilhões, de janeiro ao mês passado.
Fonte - Agência Brasil  23/05/2013

Dilma inaugura trecho de 855 km da Ferrovia Norte-Sul

Ferrovias

Inauguração na Norte-Sul - A obra recebeu investimento de R$ 4,2 bilhões do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Com um transporte inicial de 4 mil toneladas de minério de ferro, o uso da ferrovia possibilitará a redução dos custos de logísticos e melhorias nos serviços de transporte.

RF
 Crédito: Portal Brasil
A presidenta Dilma Rousseff e o ministro dos Transportes César Borges inauguraram na manhã de ontem (22/05) o trecho de 855 quilômetros da Ferrovia Norte-Sul que liga as cidades de Palmas (TO) e Anápolis (GO). Aqui se pode conectar todo o Brasil com o sistema ferroviário, disse a presidenta, que parabenizou, por meio de seu Twitter, ‘todos os trabalhadores da Ferrovia Norte-Sul’.
A obra recebeu investimento de R$ 4,2 bilhões do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Com um transporte inicial de 4 mil toneladas de minério de ferro, o uso da ferrovia possibilitará a redução dos custos de logísticos e melhorias nos serviços de transporte. O ministro dos Transportes, César Borges, lembrou a importância da chegada da ferrovia à Anápolis, considerada hoje um centro logístico para o País. “Há uma determinação política de desenvolver o país e fazer com que o modal ferroviário seja uma realidade na nossa economia”, disse Borges.
O trecho de Palmas a Anápolis uni-se com o segmento de Palmas a Açailândia (MA), que está em operação desde 2007. No total, são 1.574 quilômetros de linha férrea do Maranhão até Goiás.
Com a inauguração do trecho, a FNS passará a ser ferrovia estruturadora do Sistema Ferroviário Nacional, que possibilita o acesso a vários portos e corredores de exportação. Com isso, a Valec antecipará a aplicação open access, que permite a utilização da ferrovia por diversos transportadores ferroviários, devidamente autorizados.
A FNS tem outro trecho em construção pela Valec, a Extensão Sul, que vai de Ouro Verde (GO), próxima a Anápolis, até Estrela d’Oeste (SP). O percurso, que tem 686 quilômetros, já tem 60% de execução física e previsão de conclusão para 2015.
No Programa de Investimentos em Logística (PIL), do Governo Federal, está previsto o trecho de Açailândia (MA) a Barcarena (PA), de 480 quilômetros; e, ao sul, o trajeto de Estrela D’Oeste (SP) a Panorama (SP), com 264 quilômetros de extensão.
Fonte - Revista Ferroviária  23/05/2014

BNDES prevê R$ 57 bi para ferrovias até 2017

Transportes sobre trilhos

O estudo considerou a expansão da malha ferroviária, prevista pelo Programa de Investimentos em Logística (PIL), do Governo Federal, em 12 trechos - parte em projetos novos, parte em modernização da rede existente.

RF
foto- ilustração
O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) divulgou ontem (22/05) o resultado do estudo ‘Perspectivas do Investimento para o período 2014-2017’, que prevê o investimento de R$ 57 bilhões no setor ferroviário brasileiro.
O estudo considerou a expansão da malha ferroviária, prevista pelo Programa de Investimentos em Logística (PIL), do Governo Federal, em 12 trechos - parte em projetos novos, parte em modernização da rede existente. Além dos investimentos previstos no PIL, o BNDES destacou que se investirá em projetos de modernização e aumento da capacidade de via permanente e na ampliação da frota de material rodante.

Mobilidade Urbana
Para a mobilidade urbana, entre 2014-2017, o estudo prevê o investimento de R$ 53 bilhões, com taxa anual de crescimento de 30%. Desse total, 58% serão destinados a projetos de metrô, 16% para monotrilho, 13% para Bus Rapid Transit (BRTs), 7% para trem e 6% para Veículos Leves sobre Trilhos (VLTs).
De acordo com o BNDES, esses investimentos são sustentados pela retomada da capacidade de investimento do Estado e pela aplicação de recursos federais em projetos de mobilidade urbana por meio do PAC Mobilidade. Outro fator importante apontado pelo banco é a ampliação dos investimentos por meio de Parcerias Público-Privadas (PPPs).
Fonte - Revista Ferroviária  23/05/2014

França busca o culpado pela compra de 2 mil trens maiores que estações

Internacional

Ministra de Ecologia e Transportes Ségolne Royal exige os nomes dos responsáveis pela encomenda à Alston e promete que eles vão pagar pelo prejuízo que causaram, estimado em R$ 150 milhões

Estado de São Paulo
Adicionar legenda
Paris - Uma polêmica aestá abalando o sistema público de transporte sobre trilhos na França após a descoberta de que dois mil novos trens encomendados para melhorar o transporte de passageiros são mais largos do que o espaço em 1,3 mil estações regionais por onde eles vão circular.
Agora as estações terão de ser todas reformadas e a ministra de Ecologia e Transportes, Ségolène Royal, exigiu os nomes dos responsáveis pela 'estúpida decisão'.
"Descobrimos o problema um pouco tarde", admitiu um envergonhado porta-voz do setor ferroviário.
O problema com a largura dos carros  alguns centímetros além do tamanho das plataformas foi denunciado em uma reportagem do jornal investigativo semanal Le Canard Enchaîné e confirmado pelas autoridades responsáveis.
Os trabalhos de reparação já foram executados em 300 plataformas, e outras mil estão na fila de espera.
A RFF, empresa responsável pela gestão dos trilhos do sistema de trens regionais franceses, entregou as dimensões erradas para a SNCF, a operadora dos trens.
Os projetos foram executados por empresas de engenharia e a fabricação coube à francesa Alston e à canadense Bombardier.
"Estou consternada por esta decisão tomada por dirigentes que estão fechados em seus escritórios em País e não têm contato com a realidade", afirmou a ministra Ségolène Royal. Ela abriu uma investigação para determinar os responsáveis e afirmou que eles pagarão pelo erro.
"É um desperdício escandaloso de dinheiro dos contribuintes", disse Jean-Claude Delarue, de uma ONG que defende a melhoria do sistema de transportes públicos.
Os novos trens foram encomendados para reforçar o sistema na França, país considerado como um dos melhores do mundo em termos de transportes sobre trilhos.
O envelhecimento do sistema de transporte ferroviário regional da França chamou a atenção após o descarrilamento de um trem em julho passado nos arredores de Paris, acidente que causou sete mortes.
Investigadores culpam parafusos soltos e verificações de segurança inadequadas para o desastre, que deixou centenas de feridos.
O ministro dos transportes da França, Frederic Culliver, considerou o erro 'absurdo' decorrente da cisão do sistema em duas empresas há 17 anos. Uma consequência da falha poderia ser a fusão entre a RFF e a SNCF no futuro.
O ministro disse que uma lei de reforma do setor ferroviário está sendo proposta para acabar com a separação entre as duas empresas, mas, segundo ele, os sindicatos são contra o projeto.
O presidente da RFF, Jacques Rapoport, reconheceu em entrevista à rádio Europe 1 que as obras vão custar 50 milhões de euros, o equivalente a mais de R$ 150 milhões.
Ele negou, porém, que se trate de um erro e alegou que o gasto faz parte do projeto de renovação das estações, algumas com mais de 150 anos.
O líder do Partido Socialista, Jean-Christophe Cambadélis, cobrou responsabilidades pelo erro que "custa tanto dinheiro".
Fonte - STEFZS  23/05/2014

Empresas de ônibus receberam 22 estádios da Copa em dinheiro público desde 2010

Ônibus

Concessionárias e permissionárias não negociam reajuste superior a 10% com motoristas se prefeitura não aumentar repasses; desde 2010, R$ 22,2 bilhões foram pagos a empresas - No ano passado, aumento do subsídio foi caminho encontrado por Haddad para desfazer aumento da tarifa

Diego Sartorato, da RBA
MARCOS BEZERRA/FUTURA PRESS/FOLHAPRESS
São Paulo – O movimento dos motoristas e cobradores de ônibus de São Paulo, que fechou 16 das 29 garagens do sistema de transporte público à revelia do sindicato dos trabalhadores e causou sérios problemas à mobilidade na cidade na terça e quarta-feiras (20 e 21), aliou-se ao SP Urbanuss, sindicato patronal que representa as empresas de ônibus, para cobrar da prefeitura a solução do impasse em torno do reajuste salarial da categoria: as empresas se recusam a oferecer reajuste acima dos 10% acordados com o sindicato – os trabalhadores pedem 13% – alegando falta de receita, mas podem rever a posição caso a prefeitura aumente os subsídios pagos às permissionárias e concessionárias por viagem realizada; na reunião realizada ontem, na Superintendência Regional do Trabalho de São Paulo, os trabalhadores reforçaram essa demanda.
As empresas, no entanto, receberam R$ 22,2 bilhões da SPTrans, de janeiro de 2010 a março de 2014, de acordo com dados do Portal da Transparência da Secretaria Municipal de Transportes. O valor, que representa os subsídios pagos pelo poder público e o valor da tarifa, que é registrada pela SPTrans e depois devolvida às empresas, é equivalente ao necessário para construir 22 arenas Corinthians, estádio de abertura da Copa, em Itaquera, na zona leste. Além disso, o último acordo pelo aumento dos subsídios mensais ocorreu há menos de um ano, após os protestos de junho de 2013. O aumento dos subsídios de uma média de R$ 230 milhões mensais pagos em 2012 para os cerca de R$ 300 milhões mensais pagos atualmente foi a forma encontrada pela prefeitura para atender à demanda dos movimentos de rua e congelar o preço da passagem em R$ 3.
Fora os valores pagos às empresas diretamente, a SP Urbanuss recebeu, no mesmo período, cerca de R$ 153 milhões da SPTrans em parcelas de R$ 3 milhões ao mês, em média.
Os custos operacionais das empresas de ônibus, no entanto, são desconhecidos: desde março deste ano, a auditoria e consultoria EY analisa as tabelas das empresas de ônibus com o objetivo de conferir se as informações prestadas pelas empresas são verdadeiras ou se mascaram os verdadeiros resultados financeiros para garantir maiores repasses do poder público e oferecer reajustes salariais menores aos trabalhadores.
"O grande problema, hoje, é que discutimos esse assunto no escuro. Nós já analisamos algumas planilhas e é difícil saber se é o que se refere à realidade. Só a auditoria pode nos revelar a relação entre o lucro delas e a manutenção do sistema", afirma Maurício Broinizi, coordenador da Rede Nossa São Paulo e integrante do Conselho da Cidade. "Mas, neste momento, me parece que não cabe novo reajuste", completa. A previsão é que a auditoria apresente relatórios em julho deste ano.
Além da auditoria, uma Comissão Parlamentar de Inquérito conduzida na Câmara entre fevereiro de 2013 e fevereiro de 2014 analisou as planilhas e chegou à conclusão de que é necessário modificar a forma de prestação de contas das empresas para garantir maior transparência aos indicadores, de difícil compreensão e verificação.
As empresas de ônibus operam as cerca de 1,3 mil linhas de ônibus que atendem à cidade, organizadas em oito áreas em torno da região central de São Paulo. As linhas são divididas ainda entre estruturais, que conectam diferentes zonas da cidade, e locais, que cuidam do transporte dentro dos bairros. Para essas linhas, há dois tipos de contratos diferentes, o de concessão, praticado para as linhas estruturais e para as quais são contratadas empresas de grande porte, e de permissão, praticado para as linhas locais e atendido por cooperativas e organizações de menor porte.
São, no total, 16 consórcios, um concessionário e um permissionário por área do transporte público. A paralisação iniciada nesta semana compreende funcionários de empresas concessionárias que ficam com, aproximadamente, 60% do valor pago pela SPTrans a todas as empresas de transporte que atendem linhas em São Paulo.
Fonte -  Rede Brasil Atual  22/05/2014

COMEN TÁRIO Pregopontocom
Pergunta: Com essa dinheirama R$ 22,2 bilhões,quantas linhas de Metrôs e  VLTs poderiam ser construídas?....sem propinodutos e carteis é claro. 

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Demanda doméstica por transporte aéreo no país cresce 8,2% em abril

Economia

Associação das companhias diz que crescimento da demanda está associado à antecipação de datas de eventos, devido à Copa

Elaine Patricia Cruz
Repórter da Agência Brasil
Antonio Cruz/Agência Brasil
A demanda doméstica por transporte aéreo cresceu 8,2% em abril em comparação ao mesmo período do ano passado. A informação foi divulgada hoje (22) pela Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), que computou dados das companhias TAM, Gol, Azul e Avianca.
Segundo a associação, a taxa média de ocupação alcançou 79,5%, com 6,4 milhões de passageiros embarcados em abril, o que representou aumento de 2,2% em relação ao ano passado. Em 2014, cerca de 27,3 milhões de passageiros embarcaram em voos domésticos e internacionais nas companhias que integram a Abear. Já a oferta doméstica apresentou redução de 1,6% na mesma comparação.
De acordo com a associação, entre os motivos que explicam o crescimento da demanda está a antecipação de datas de feiras, congressos e convenções devido à Copa do Mundo. “Esses consumidores representam cerca de 3/4 dos passageiros no dia a dia da atividade. Acreditamos que haverá uma forte retração desse público durante a Copa do Mundo. E que eles serão substituídos parcialmente pelos torcedores e profissionais que estarão envolvidos com o evento”, disse Eduardo Sanovicz, presidente da Abear.
No mercado internacional, a demanda cresceu 5,7% em abril, enquanto a oferta apresentou queda de 4%. O número de passageiros embarcados nos voos internacionais chegou a 376 mil em abril, valor 3,1% superior ao mesmo mês do ano passado.
O presidente da Abear disse que as companhias aéreas nacionais estão preparadas para a Copa do Mundo. Nos dias de jogos, segundo Sanovicz, haverá 67 mil voos para as cidades-sede, um aumento de 31% no volume de operações em comparação com a malha aérea regular. A oferta alcançará 7,2 milhões de assentos. Ao todo serão 500 aeronaves voando pelo país.
Para os torcedores que vão utilizar o transporte aéreo durante a Copa do Mundo, o presidente da Abear alerta para que tentem comparar suas passagens com antecedência em relação ao horário de partida, como precaução, e que também saiam com antecedência de casa para o aeroporto para evitar problemas com o trânsito.
A associação criou um guia do passageiro com dicas e orientações para quem vai viajar de avião, com recomendações sobre a compra da passagem até a saída do aeroporto no Brasil. O guia está disponível no endereço www.abear.com.br.
Fonte - Agência Brasil  22/05/2014

Cadeirantes de Salvador têm dificuldades em usar os táxis

Mobilidade

Falta carro adaptado para os cadeirantes - Salvador está entre as capitais que não possui táxis adaptados para este público, diferente de Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo, onde inclusive há a oferta de deslocamento gratuito para pessoas que fazem uso de cadeira de rodas. 

Kelly Cerqueira - TB
Foto: Francisco Galvão
Como se não bastassem todos os problemas de mobilidade enfrentados com a falta de acessibilidade nas calçadas, nos edifícios e na maioria dos ônibus que circulam na capital baiana, deficientes físicos que podem pagar pela corrida de táxi ainda têm que conviver com a recusa de alguns motoristas, que alegam falta de espaço na hora de guardar a cadeira de rodas.
Salvador está entre as capitais que não possui táxis adaptados para este público, diferente de Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo, onde inclusive há a oferta de deslocamento gratuito para pessoas que fazem uso de cadeira de rodas.
Usuária constante do serviço, a presidente da Associação Baiana de Deficientes Físicos (Abadef), Maria Luiza Câmara, revela que é comum encontrar resistência de alguns taxistas na hora de conseguir uma corrida até o trabalho ou na volta para casa. “É uma verdadeira via crucis encontrar algum taxista que queira me levar. Há muita discriminação, pois eles pensam que o cadeirante não tem autonomia, não consegue agir, pensar sozinho”, desabafou, lamentando o fato de a capital baiana não possuir veículos adaptados para receber pessoas com dificuldade de locomoção.
Ela diz que, como representante da Abadef, pensar em entrar com um agravo no Ministério Público exigindo a disponibilidade dos veículos especiais. Há alguns anos, a prefeitura de Salvador chegou iniciar um projeto que previa a oferta de táxis adaptados, mas o assunto caiu no esquecimento. “O ideal é ter os veículos adaptados. Pessoas que têm lesão medular muito alta, que não mexem do ombro para baixo, enfrentam dificuldades ainda maiores para entrar e sair de um táxi comum, só mesmo um veículo especial com acomodação para a cadeira de rodas resolveria o problema”, continuou.

O taxista Fred de Jesus, que atua a 18 anos nas ruas, lembra que alguns alvarás chegaram a ser distribuídos na cidade com a categoria F, que indicariam veículos especiais para transporte de deficientes físicos, mas, aos poucos, os documentos foram direcionados a categoria A, que indica táxi comum. “Não sei se ter um carro adaptado valeria a pena para o taxista. Modificar um veículo é caro, o equipamento, a manutenção, tudo fica a cargo do taxista e o valor cobrado tem que ser o mesmo da bandeira”, avaliou o motorista. Na opinião dele, deveria haver um subsídio municipal que estimulasse os profissionais a fazer as adaptações para atender ao público cadeirante de forma mais qualificada.

Novo regulamento para a frota atual
O diretor da Gerência de Táxi de Salvador (Getax), Bruno Alves, confirmou a ausência de veículos especiais em Salvador, mas adiantou que a situação já vem sendo estudada pelo município. “O problema é que o atual regulamento da cidade não admite a emissão de mais alvarás de táxis porque a lei vigente permite apenas um táxi para cada 500 habitantes”, explicou. Atualmente, a capital baiana possui 6996 táxis comuns e outros 240 especiais.
Ainda segundo ele, um decreto deve ser publicado nos próximos meses, apresentando um novo regulamento para o setor que contempla, inclusive, a reserva de 5% da frota atual, destinada para veículos adaptados a receber pessoas que utilizam cadeira de rodas. “Após a publicação do novo regulamento, que já está nos últimos ajustes no setor jurídico da prefeitura, os taxistas terão de 15 a 30 dias para fazer a migração do alvará, caso tenham interesse, e depois será aberta a licitação para outros interessados”, continuou. Sem previsão para início da oferta do serviço, Salvador será uma das capitais que receberão os jogos da Copa do Mundo e não possuem transporte adaptado.

Sem táxis adaptados
Duas vans adaptadas para acomodar quatro cadeiras de rodas e mais quatro acompanhantes e um veículo doblô, também modificado para transportar, confortavelmente, uma pessoa que faça uso de cadeira de rodas. Está é a frota da Holos Central da Mobilidade, empresa que atua no segmento de vendas e oferta de serviços direcionados a deficientes físicos. Com a ausência de táxis adaptados para receber este público em Salvador, o serviço de frete, oferecido pela Holos, é uma das alternativas encontradas pelos soteropolitanos.
A empresa, instalada no Vale de Nazaré, trabalha com agendamento prévio, conforme explicou José Avelar, gerente do negócio. “Como só dispomos de três veículos, a demanda é crescente e o trânsito da cidade não ajuda. É importante que se agende o frete com, no mínimo, 48 horas de antecedência”, orienta. No agendamento, o passageiro deve informar o horário e o local de encontro, o percurso da corrida e se haverá necessidade de aguardar para retorno ao local de origem.
Os valores da tabela variam de acordo com as informações da viagem. São cobrados R$ 30 pelo deslocamento até o local marcado, R$ 3 por km rodado e mais R$ 20 por hora parada, caso o cliente solicite que o motorista aguarde para retorno. Os veículos dispõem de elevador, lugar específico para o cadeirante e acompanhante, caso haja, além de seguir a rigor os critérios de segurança estabelecidos por padrões internacionais, conforme garante o empreendimento.
Apesar de reconhecer que o valor não é acessível à boa parte da população soteropolitana, ele afirma que o serviço ajuda a quebrar o estigma de que o deficiente físico tem que ficar preso. “Eles já encontram tanta dificuldade nas ruas, nos edifícios. O serviço tenta quebrar esta cultura de que o lugar do deficiente é em casa”, finalizou o empresário, lembrando que, em São Paulo, o município possui 200 vans adaptadas que oferecem o transporte gratuitamente, além da frota de táxis também com veículos adaptados.
Fonte - Tribuna da Bahia  22/05/2014

Dilma não tem responsabilidade por compra de Pasadena diz Cerveró

Política

CPI da Petrobras no Senado ouve o depoimento do ex-diretor da Área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró - O responsável pela compra somos todos nós. Foi uma compra acertada. Foi um acerto coletivo, colegiado. 

Pedro Peduzzi e Karine Melo
Repórteres da Agência Brasil 
Antônio Cruz/Agência Brasil
Durante depoimento à CPI da Petrobras, o ex-diretor da Área Internacional da petrolífera Nestor Cerveró, autor do relatório que, em 2006, embasou a compra da Refinaria de Pasadena, no Texas (EUA), disse que a omissão de algumas cláusulas contendo detalhes contratuais é prática comum, desde que não apresentem impedimentos ao cumprimento do plano estratégico da estatal. Cerveró voltou a tirar, da presidenta Dilma Rousseff, a responsabilidade pela decisão de compra da refinaria.
“A presidenta Dilma não foi responsável porque as decisões são colegiadas e aprovadas por unanimidade. O responsável pela compra somos todos nós. Foi uma compra acertada. Foi um acerto coletivo, colegiado. E eu sou coparticipante dessa decisão”, disse o ex-diretor, que também destacou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não participou da reunião para fechar o acordo sobre a compra de Pasadena em 2006. Na época, Dilma Rousseff presidia o Conselho de Administração da Petrobras.
De forma enfática, ele negou ter preparado o resumo com a intenção de enganar Dilma. “Para fazer isso, eu teria de enganar todo o conselho”, disse. O resumo do documento de compra, analisado pelo Conselho de Administração da Petrobras, não continha as cláusulas Marlim e Put Option que faziam parte do contrato. O primeiro assegurava à Astra Oil, que era sócia da Petrobras no negócio, uma rentabilidade mínima de 6,9% ao ano, mesmo em condições adversas do mercado. Já a opção de venda - o Put Option - obrigava a Petrobras a comprar a participação da Astra Oil em caso de conflito entre os sócios.
“Não se coloca, no resumo, detalhes contratuais porque não têm interferência na informação necessária para aprovação pelo conselho. Eu conhecia o contrato e os detalhes do parecer jurídico. Não omiti as cláusulas. Consideramos que elas não representavam nenhum impedimento quanto à aprovação do projeto, que se dá em cima da aderência ao planejamento estratégico, de expansão do refino do petróleo da Petrobras e do refino de petróleo pesado”, disse.
Ainda segundo o ex-diretor é comum a estatal despriorizar alguns projetos, a exemplo do que ocorreu com a Refinaria de Pasadena, após a Petrobras optar por direcionar seus investimentos no pré-sal. "A Petrobras tem centenas de bons projetos que não foram realizados. Não significa que esse projeto não seja bom. Ele apenas não é tão interessante quanto o pré-sal", afirmou.
Por falta de quórum, a CPI não conseguiu votar hoje nenhum requerimento para novos depoimentos, como anunciado pelo presidente da CPI, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) no início da reunião. Além do presidente, só o relator senador José Pimentel (PT-CE) e a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), todos da base aliada ao governo, participaram da sessão desta quinta-feira. De acordo com o calendário da CPI, na próxima terça-feira (27) será ouvida a presidenta da estatal, Graça Foster.
Fonte - Agência Brasil   22/05/2014

Dilma diz que Ferrovia Norte-Sul será “coluna vertebral” do país

Infraestrutura

“[A ferrovia] é uma coluna vertebral que vai permitir que um estado como Goiás, que é o do interior, seja estado perto do mar, dos navios. Ela coloca o litoral aqui, transforma Goiás num polo logístico, porque será crucial para articular todos os sistemas de trasporte do Brasil, tanto os que se dirigem ao Sul, quanto aqueles que se destinarão ao Norte”, avaliou.

Luana Lourenço
Repórter da Agência Brasil 
foto - ilustração - blg-planalto
O governo inaugurou hoje (22) um trecho de 855 quilômetros da Ferrovia Norte-Sul, entre as cidades de Palmas (TO) e Anápolis (GO), complementando o segmento que já opera desde 2007 entre Palmas e Açailândia (MA). Durante a inauguração, a presidenta Dilma Rousseff disse que a ferrovia funciona como uma “coluna vertebral” do sistema de logística do país, aproximando o interior do litoral para escoamento e distribuição da produção.
“[A ferrovia] é uma coluna vertebral que vai permitir que um estado como Goiás, que é o do interior, seja estado perto do mar, dos navios. Ela coloca o litoral aqui, transforma Goiás num polo logístico, porque será crucial para articular todos os sistemas de trasporte do Brasil, tanto os que se dirigem ao Sul, quanto aqueles que se destinarão ao Norte”, avaliou.
Dilma elogiou o senador e ex-presidente José Sarney – responsável pela concepção e início da construção da Norte-Sul, há 27 anos. A demora na continuidade da linha férrea, segundo Dilma, se deve a um período em que o projeto não recebeu investimentos.
“Tivemos grandes dificuldades, primeiro porque no período anterior não havia uma prateleira na qual você chegasse e pegasse um projeto pronto e licitasse, tinha que começar do nada”, explicou. “Se fomos capazes de fazer o trecho original, construiremos o trecho que nós mesmos projetamos”, acrescentou Dilma, em referência à próxima parte da linha férrea, que ligará Anápolis a Estrela do Oeste (SP), que já está em construção. Quando o projeto da Norte-Sul foi retomado, em 2007, Dilma era ministra-chefe da Casa Civil.
A etapa da Norte-Sul inaugurada hoje atravessa 34 municípios e demandou a construção de 35 pontes, 36 viadutos e dois túneis. A obra teve investimentos de R$ 4,2 bilhões oriundos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).
Fonte - Agência Brasil  22/05/2014

VLT chega ao Porto de Santos, SP

Transportes sobre trilhos

A operação de desembarque deve durar cerca de três horas. - Os trens vieram da Espanha e a viagem até o Brasil durou um mês e meio. O navio saiu do porto espanhol no dia 7 de abril. O modelo do trem é o Tramlink, da Vossloh, com sete carros e capacidade para 400 passageiros.

G1- Santos
foto - ilustração
Os primeiros trens do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) que será utilizado na Baixada Santista, no litoral de São Paulo, chegaram nesta quinta-feira (22) em um navio que atracou no Porto de Santos.
O navio Grande Buenos Aires, de bandeira italiana, chegou ao Porto de Santos na noite desta quarta-feira (21) mas começou a descarregar os trens do VLT somente pela manhã. Por volta das 7h30, os trens saíram dos porões do navio. A embarcação também carrega trens que serão destinados a outras cidades do Brasil. A operação de desembarque deve durar cerca de três horas.
Os trens vieram da Espanha e a viagem até o Brasil durou um mês e meio. O navio saiu do porto espanhol no dia 7 de abril. O modelo do trem é o Tramlink, da Vossloh, com sete carros e capacidade para 400 passageiros. Além dele, outros dois serão fabricados na Espanha. Os 19 restantes, dos 22 previstos no contrato, serão fabricados no Brasil pela T’Trans. O cronograma de entregas dos veículos será finalizado em agosto de 2015.
No total, 22 VLTs circularão no trecho entre a Esplanada dos Barreiros, em São Vicente, e o Terminal Porto, em Santos. Cada composição transportará 400 passageiros, dos quais 72 sentados. O trajeto levará 30 minutos entre os dois pontos limites do trajeto. E correrá de forma silenciosa sobre os trilhos, podendo desenvolver até 70 km/h, sincronizado com a abertura dos sinais em cruzamentos com outros veículos nas cidades. O VLT vai operar das 5 horas à meia-noite e, de madrugada, passará por manutenção. Será integrado a linhas de ônibus e bicicletários.
A operação comercial no primeiro trecho tem previsão para início de fevereiro. Já os testes iniciais deverão ocorrer em julho deste ano. Em 2015, a população já poderá se deslocar com o novo modal de transporte, que trará para a região mobilidade a mais de 2,5 milhões de pessoas.
Fonte - Revista Ferroviária 22/05/2014

Número de trabalhadores com carteira assinada cresce 2,2% em um ano

Economia

IBGE - A taxa de desemprego em abril ficou em 4,9%, não apresentando “variação significativa” em relação a março - Segundo a pesquisa, que envolve seis das principais regiões metropolitanas do país, a taxa de desemprego em abril ficou em 4,9% da população economicamente ativa, não apresentando “variação significativa” em relação a março, quando a taxa de desocupação estava em 5%. 

Nielmar de Oliveira 
Repórter da Agência Brasil

O número de trabalhadores com carteira assinada no setor privado fechou abril em 11,7 milhões. O resultado é 2,2% maior que o registrado em abril do ano passado, mas sem variação na comparação com março deste ano. Os dados fazem parte da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) divulgada hoje (22) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Segundo a pesquisa, que envolve seis das principais regiões metropolitanas do país, a taxa de desemprego em abril ficou em 4,9% da população economicamente ativa, não apresentando “variação significativa” em relação a março, quando a taxa de desocupação estava em 5%. O resultado variou 0,9 ponto percentual em relação aos 5,8% da taxa de desemprego de abril do ano passado.
Os números indicam ainda que o total de pessoas desocupadas fechou abril em 1,2 milhão, assim como março. O resultado é 17% menor do que o observado em abril de 2013.
O levantamento do IBGE indica que, nas seis principais regiões pesquisadas, a população ocupada ficou estável em relação a março, em 22,9 milhões de trabalhadores.
Sobre os salários do trabalhador, a PME indica que o rendimento médio das pessoas ocupadas caiu 0,6%, de março para abril, passando de R$ 2.040 para R$ 2.028; embora tenha crescido 2,6% em relação a abril do ano passado, quando o rendimento médio real era de R$ 1.977.
A PME é realizada nas regiões metropolitanas de Salvador, Belo Horizonte, São Paulo, Porto Alegre, do Rio de Janeiro e Recife.
Fonte - Agência Brasil   22/05/2014

Garantia para concessão está quase pronta, diz Valec

Ferrovias

De acordo com ele, este mecanismo dará "robustez" ao programa e atrairá empresas para as disputas dos projetos de ferrovias.

Agência Estado
foto - ilustração
O assessor da Superintendência de Operações da Valec, Alex Trevizan, disse que a fórmula que dará garantias ao setor privado para investimentos nas concessões ferroviárias está próxima de uma resolução. De acordo com ele, este mecanismo dará "robustez" ao programa e atrairá empresas para as disputas dos projetos de ferrovias.
"Acredito que 70% do sistema de garantias esteja pronto", disse, após participar do painel Expansão do Modal Ferroviário no 9º Encontro de Logística e Transportes, na capital paulista.
O agente fiduciário que está sendo discutido vai ser o elo entre a concessionária de ferrovia e a instituição financeira que vai deter os R$ 15 bilhões em títulos do Tesouro destinados a cobrir os pagamentos ao investidor em caso de calote da Valec. Investidores exigem um mecanismo que afaste o risco político da estatal Valec, que vai ser responsável pela maior parte da receita das concessionárias.
Trevizan não deu certeza de que a concessão da Ferrovia de Integração Centro-Oeste (Fico) ocorrerá neste ano. O trecho vai ligar os municípios de Campinorte (GO) e Lucas do Rio Verde (MT). Segundo ele, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) faz os últimos ajustes para publicar o edital, mas ainda busca ganhar a confiança da iniciativa privada no novo modelo ferroviário. "O mercado ainda precisa entender o modelo e sentir-se seguro", disse.
Ele, no entanto, afirmou que já há proponentes. "Há interessados nacionais e internacionais", disse, sem dar detalhes.
Fonte - Revista Ferroviária  22/05/2014

Funcionários do Metrô de São Paulo decretam estado de greve

São Paulo

Sindicato diz que não haverá paralisação antes do dia 27. Entidade representa trabalhadores das linhas 1, 2, 3 e 5 da capital paulista.

G1 - SP

O Sindicato dos Metroviários de São Paulo – que representa funcionários do Metrô nas linhas 1, 2, 3 e 5 da capital paulista – decretou estado de greve na noite desta terça-feira (20). Isso ainda não significa que haverá paralisação da categoria.
Por enquanto, só foram suspensas as Operações Plataforma, Embarque Melhor e Embarque Preferencial. A partir desta quinta (22), parte dos funcionários deve passar a trabalhar sem o uniforme do Metrô e usar coletes da campanha salarial.
Desde o início do mês, o sindicato e o Metrô negociam um reajuste de salários – a data-base da categoria é em 1º de maio. Até o momento, ainda não houve um acordo, e por isso o estado de greve foi aprovado em assembleia nesta terça. As negociações continuam e a próxima assembleia será no dia 27. Antes disso, o sindicato promete não fazer nenhuma paralisação.
O sindicato pede 35,47% de reajuste (7,95% de Inflação + 25,5% de aumento real), reajuste de 13,25% para o Vale Refeição, valor de Vale Alimentação de R$ 379,80 (atualmente o valor é de R$ 247,69), plano de carreira da GMT e GOP, Metrus Saúde para aposentados, reposição do quadro de funcionários e PR Igualitária. De acordo com os metrôviários, após cinco reuniões de negociação apenas dizendo não às reivindicações, a empresa ofereceu apenas 5,20% de reajuste.
Caso as negociações salariais não cheguem a um acordo, os metroviários não descartam entrar em greve nas próximas semanas. Por isso, existe a possibilidade de uma paralisação durante a Copa do Mundo.
O Metrô informou que “está aberto ao diálogo” para chegar a um acordo com os funcionários e que “confia no bom senso da categoria” para que os usuários não sejam prejudicados.
Fonte - STEFZS  22/05/2014

Rodoviários em Salvador decidem nesta quinta se entram em greve

Salvador

Ainda não foi decidido quando começaria a greve. Chegou-se a especular que seria a partir da próxima terça, 27, mas, durante a assembleia desta manhã, a categoria discute outras datas.

A Tarde
Da Redação
foto - A Tarde
Os rodoviários estão reunidos na manhã desta quinta-feira, 22, para decidir se deflagram greve por tempo indeterminado. A categoria fará duas assembleias, às 9 e 15 horas. Representantes do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários da Bahia (Sintroba) disseram nesta quarta que a tendência era pela aprovação do movimento.
Ainda não foi decidido quando começaria a greve. Chegou-se a especular que seria a partir da próxima terça, 27, mas, durante a assembleia desta manhã, a categoria discute outras datas. Se aprovada nesta quinta, a paralisação poderia começar a partir da madrugada desta segunda, 26, quando acaba o prazo legal de 72 horas para informar o movimento.
Os rodoviários pedem aumento de 15% nos salários e de 63,5% no tíquete-refeição, que passaria de R$ 12,23 para R$ 20, além da redução da jornada de trabalho de 8 para 6 horas e extinção da hora fracionada de descanso.
O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Salvador (Setps) disse que só negocia o aumento salarial.
Fonte - A Tarde  22/05/2014

Cidades da região metropolitana de SP também enfrentam greve de rodoviários

Transportes

Em Osasco, a paralisação ocorre desde terça-feira (20). De acordo com a Companhia Municipal de Transportes de Osasco (CMTO), 45 linhas operadas pelas empresas Osasco e Urubupungá estão circulando parcialmente na manhã de hoje (22). Diariamente, em média, 140 mil passageiros tão atendidos por essas linhas.

Camila Maciel 
Repórter da Agência Brasil 
Colaborou Felipe Mendes, da TV Brasil
foto - iludtração
Motoristas e cobradores da região metropolitana de São Paulo também estão paralisando as atividades em protesto por melhorias salariais, assim como está ocorrendo há três dias na capital. Nas cidades de Osasco e Diadema, a interrupção ocorre nas linhas que circulam internamente nos municípios. Também há paralisação em linhas intermunicipais que atendem aos moradores de Itapecerica da Serra e Embu das Artes.
Em Osasco, a paralisação ocorre desde terça-feira (20). De acordo com a Companhia Municipal de Transportes de Osasco (CMTO), 45 linhas operadas pelas empresas Osasco e Urubupungá estão circulando parcialmente na manhã de hoje (22). Diariamente, em média, 140 mil passageiros tão atendidos por essas linhas. O órgão informou ainda que a Viação Urubupungá tem uma frota de 170 ônibus, dos quais 97 estão em circulação. Na Viação Osasco, a operação é ainda mais reduzida, com 20 dos 177 veículos que deveriam rodar.
O secretário-geral do Sindicato de Condutores e Trabalhadores de Osasco (Sincovero), Luiz Carlos Segatelli, informou que a Justiça determinou que pelo menos 75% devem estar rua. Ele destacou que ainda não houve nenhuma proposta concreta de reajuste salarial à categoria. A paralisação, segundo sindicato, envolve entre 15% e 25% da frota. A Viação Osasco informou que o percentual não está sendo cumprido na empresa, pois houve depredação de veículos por parte da população. A empresa não comentou a negociação salarial com os trabalhadores.
Em Diadema, os 114 veículos da empresa MobiBrasil não circularam hoje, segundo a prefeitura. A interrupção atrapalha o deslocamento de 43 mil usuários. A cidade também é afetada pelo recolhimento de 106 veículos das linhas intermunicipais, que transportam 50 mil pessoas por dia. A secretaria de Transportes autorizou, segundo a assessoria de imprensa, a entrada de mais 37 ônibus da Viação Benfica, a única que está operando hoje na cidade, atendendo a cerca de 79 mil passageiros por dia.
A Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (EMTU-SP), que controla as linhas intermunicipais, ainda não informou o balanço da paralisação em Itapecerica da Serra e Embu das Artes. As prefeituras dos municípios informaram que a paralisação não afeta o transporte público interno nas cidades.
A Agência Brasil entrou em contato com a Urubupungá, a MobiBrasil e o sindicato dos motoristas de Diadema, mas não houve retorno até o momento de publicação da reportagem.
Fonte - Agência Brasil  22/05/2014

Rodoviários: SP registra recorde de congestionamento em terceiro dia de protesto

São Paulo

Apesar de menos intensa, a paralisação de motoristas e cobradores – que está no terceiro dia – continua provocando transtornos na cidade. Eles estão insatisfeitos com o acordo fechado entre o sindicato da categoria e as empresas de ônibus.

Da Agência Brasil 
foto ilustração - efe.com
Às 9h de hoje (22), a capital paulista registrou o recorde do ano de congestionamento para o período da manhã. Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), 158 quilômetros (km) de vias congestionadas na cidade estavam congestionadas. A CET informou que a média para esse horário varia entre 69km e 95km. O recorde anterior foi registrado no dia 25 de abril, às 8h39 (142 km).
Apesar de menos intensa, a paralisação de motoristas e cobradores – que está no terceiro dia – continua provocando transtornos na cidade. Eles estão insatisfeitos com o acordo fechado entre o sindicato da categoria e as empresas de ônibus.
Na manhã de hoje, duas garagens da Viação Santa Brígida, que opera 80 linhas das zonas norte e oeste da capital paulista, amanheceram fechadas. Essa paralisação afeta o funcionamento do Terminal Pirituba, na zona oeste. O atraso na saída dos ônibus da empresa Gato Preto, por volta das 5h, também dificultou a circulação de ônibus nesse terminal. A SPTrans informou, no entanto, que os 27 restantes funcionam normalmente.
Além disso, alguns ônibus foram deixados ao longo da Avenida Inajar de Souza, próximo ao Terminal Vila Nova Cachoeirinha, na zona norte da capital paulista. Segundo a São Paulo Transportes (SPTrans), os pneus dos carros estão sendo furados. Também houve tentativa de fechamento do terminal. A Polícia Militar foi chamada ao local.
Fonte - Agência Brasil  22/05/2014

Primeiro trem do reforço para a SuperVia chega ao Rio

Transportes sobre trilhos

Os carros irão se somar aos outros 30 veículos chineses entregues pelo estado à população em 2012. Os novos 60 trens vão representar um aumento de 576 mil lugares por dia no sistema ferroviário. O governo estadual investiu mais de R$ 673 milhões na aquisição dos novos veículos.

G1 - Rio
foto - ilustração
O primeiro trem, dos 60 que foram comprados pelo Governo do estado do Rio, chegou ao porto da cidade, nesta quarta-feira (21). Com quatro meses de antecedência, as composições novas vão funcionar nos ramais da SuperVia.
Os carros irão se somar aos outros 30 veículos chineses entregues pelo estado à população em 2012. Os novos 60 trens vão representar um aumento de 576 mil lugares por dia no sistema ferroviário. O governo estadual investiu mais de R$ 673 milhões na aquisição dos novos veículos.
Os trens contam com tecnologia de ponta e modernos circuitos de tração e frenagem. Os interiores são mais amplos e confortáveis, equipados com ar-condicionado, TVs, painéis de informações de LED e câmeras de monitoramento. De acordo com o governador Luiz Fernando Pezão, quatro novos veículos chegarão mensalmente até agosto de 2015.
“Vamos chegar a dezembro com 150 trens com ar-condicionado e até o primeiro semestre de 2015 com toda a frota renovada. A SuperVia transportava cerca de 340 mil passageiros, agora já são mais de 640 mil. Com os investimentos, essa marca chegará a 1 milhão no ano que vem”, disse o governador.
Fonte - Revista Ferroviária  - 21/05/2014

COMENTÁRIO  Pregopontocom
E os trilhos da ferrovia continuarão assentados em antigos dormentes de madeira????...

Infiltração causou tragédia com trem da ALL em Rio Preto

Ferrovias

Perito diz que contratrilho instalado depois da tragédia vai inibir novos descarrilamentos - A movimentação da superfície, fenômeno conhecido como subsidência, em um trecho de 14 metros no quilômetro 201,350, provocou o rebaixamento dos trilhos em 2,5 centímetros, o suficiente para desencaixar o friso das rodas dando causa ao descarrilamento dos vagões.

Por Alexandre Gama e
Rodrigo Lima - Diário Web

Laudo da Polícia Civil concluiu que falta de drenagem de água pluvial, e consequente infiltração com movimentação do solo, foi a causa do descarrilamento do trem da América Latina Logística (ALL) que matou oito pessoas no bairro Jardim Conceição, em novembro do ano passado em Rio Preto.
A movimentação da superfície, fenômeno conhecido como subsidência, em um trecho de 14 metros no quilômetro 201,350, provocou o rebaixamento dos trilhos em 2,5 centímetros, o suficiente para desencaixar o friso das rodas dando causa ao descarrilamento dos vagões. A movimentação do solo teria ocorrido no teste de freios da composição, exigência para todos os cruzamentos em nível.
O perito William Cruz apontou que a infiltração de água da chuva foi provocada por “falta de drenagem adequada na rua Presidente Roosevelt.” No local, o aterro que dá sustentação aos trilhos formou uma espécie de represa da água da chuva que, ao longo dos anos, comprometeu a compactação do solo.
Ainda de acordo com a perícia, foram registrados pontos de vazamento de esgoto, já que análises do subsolo mostraram índices significativos de fluoretos, cloretos e cafeínas, resultantes da decomposição de material orgânico.

Fatalidade
No laudo do IC encaminhado nesta terça-feira, 20, para a Polícia Civil, Polícia Federal e Ministério Público Federal e de São Paulo, o perito não aponta responsabilidades diretas pelo acidente, que considera uma fatalidade. Mas alega que a ALL teria responsabilidade em monitorar os problemas de drenagem e comunicar a Prefeitura, que teria de promover as obras necessárias.
“Quanto às infiltrações de esgotos elas ocorrem por rompimento de alguma tubulação a montante do ponto de descarrilamento. Ao que tudo indica este tipo de acidente por subsidência do solo é inédito no mundo”, diz a conclusão do documento, obtido pelo Diário com exclusividade.
Segundo o perito, os representantes da ALL deveriam ter informado os problemas aos órgãos municipais como a Prefeitura e o Serviço Municipal Autônomo de Água e Esgoto (Semae) para que fossem realizadas obras de drenagem na altura da rua Presidente Roosevelt.
A perícia descartou a possibilidade do descarrilamento ter ocorrido por conta da velocidade do trem, da falta de manutenção dos dormentes e dos trilhos. “Nem velocidade, nem dormente, nem trilho e nem elemento de fixação. Foi a subsidência natural do solo decorrente da infiltração. Tinha de ter feito drenagem adequada. Na Presidente Roosevelt se formava uma barreira de água”, disse Cruz.

Paliativo
Após o acidente a concessionária construiu um muro ao longo da linha no trecho do descarrilamento. Para o perito, que acompanhou a reportagem até o local da tragédia, as obras não vão impedir nova infiltração do solo.
Para ele, o solo do local está comprometido. “Precisam cuidar da drenagem. Não pode mais deixar infiltrar, não pode ficar mais comprometido do que já está. (Solução) exige trabalho pesado de engenharia. Teria de tirar os trilhos e compactar de novo o solo”, afirmou ele.
A Polícia Civil, Federal e Ministérios Públicos vão apurar agora as devidas responsabilidade. Por parte da ALL, se houve omissão na fiscalização do local, como não ter notificado a Prefeitura para fazer a “drenagem adequada” do local. “Se oficiou (a Prefeitura do problema), está respaldada, uma vez que o acidente ocorreu por causas alheias à sua vontade, manutenção e operação”, afirmou Willian Cruz.

Prefeitura e ALL não comentam laudo
A Prefeitura de Rio Preto e a concessionária América Latina Logística (ALL) não quiseram se manifestar sobre o resultado da perícia antes de ter acesso ao documento. O secretário de Comunicação, Deodoro Moreira, porém, adiantou nesta terça-feira, 20, que o papel de fiscalizar é da ALL.
Para o perito do Instituto de Criminalística (IC) de Rio Preto William Cruz, a Prefeitura deveria construir sarjeta e calçada ao longo da linha férrea no bairro Jardim Conceição, além de sistema de drenagem. "A rua é em aclive e toda a água escoa e encontra a linha férrea. Tinha de fazer calçada e sarjeta. Isso aqui permite a infiltração da água e vai continuar passando por baixo da linha (férrea). Olha como o muro afunda”, afirmou o perito.
Cruz disse que “há grande chance” de acontecer um novo acidente. “Não com as mesmas proporções por causa do contratrilho. Mas um novo descarrilamento por conta da depressão do trilho pode ocorrer”, disse em entrevista ao Diário no local do acidente ontem. Somente com obras de drenagem no local o problema será solucionado de acordo com o especialista. “Aqui é o grande ‘x’ da questão. A água vem do bairro e a água vai para lá (trilho). Precisava drenagem adequada com sarjeta e galeria. Sarjeta tinha de ter”, disse.
Cada composição que passa pela linha férrea em Rio Preto tem 80 vagões e cada um pesa até 120 toneladas. Ele diz que pesquisou e não encontrou no mundo acidente com as mesmas particularidades de Rio Preto. “Só um na Austrália. Trem carregado não descarrila. Foi uma fatalidade.”
O perito apontou ainda que a faixa de domínio definida por lei municipal não foi cumprida pelo loteador do bairro. Cruz indicou que os imóveis atingidos pelo trem foram construídos foram dos padrões estabelecidos pela legislação.
Fonte - STEFZS  21/05/2014