sábado, 10 de maio de 2014

China quer construir trem-bala até os Estados Unidos

Internacional

Viagem de 8 mil milhas seria feita por um trem de alta velocidade e levaria menos de dois dias para ser concluída; proposta precisa ser aceita pelo governo russo, americano e canadense

Terra Magazine 

Os chineses estão considerando a construção de uma ligação ferroviária entre a Ásia e a América. A ideia envolve criar um túnel submarino de 125 quilômetros, para a viagem que iria desde o nordeste do país até o Alasca. As informações são do Daily Mail.
A viagem de 8 mil milhas seria feita por um trem de alta velocidade (trem-bala) e levaria menos de dois dias para ser concluída.
Segundo a publicação, o trem sairía da China rumo à Sibéria, neste ponto, daria início à travessia submarina, sob o estreito de Bering, entre a Rússia e o Alasca. Chegando na América, o trem continuaria sua viagem por terra, passando pelo Canadá para chegar aos EUA.
No entanto, os governos dos países envolvidos ainda não declararam apoio à proposta. Se concluída, a alternativa será a rota de trem mais longa do mundo.
Fonte - STEFZS  10/05/2014

Mercado de trabalho é o fator que mais contribui para a queda das desigualdades

Economia

Os dados fazem parte da apresentação feita pelo ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE) da Presidência da República, Marcelo Neri, à presidenta Dilma Rousseff e a 20 ministros na última segunda-feira (5), e informam que o trabalho contribuiu com 54,9% para a redução da desigualdade entre 2002 e 2012.

Paulo Victor Chagas 
Repórter da Agência Brasil 
De acordo com o ministro Marcelo Neri,
 o trabalho contribuiu com 54,9% para a redução
 da desigualdade entre 2002 e 2012.
Tânia Rêgo / Agência Brasil
A formalização do mercado de trabalho e o aumento do salário dos trabalhadores são os fatores que mais contribuíram para a queda da desigualdade social nos últimos anos. Esses dois fatores superam até mesmo outras fontes de renda do brasileiro provindas do Orçamento da União, como a Previdência e programas sociais concedidos pelo governo. Para a conta, foi utilizado como benefício social o índice de Gini, que mede a desigualdade de renda.
Os dados fazem parte da apresentação feita pelo ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE) da Presidência da República, Marcelo Neri, à presidenta Dilma Rousseff e a 20 ministros na última segunda-feira (5), e informam que o trabalho contribuiu com 54,9% para a redução da desigualdade entre 2002 e 2012.
O conjunto de informações é parte de uma compilação sobre o desenvolvimento inclusivo sustentável, na qual Marcelo Neri buscou repassar aos seus colegas e à presidenta a ideia de que o dinheiro no bolso é mais importante para o cidadão comum do que o baixo crescimento da economia apresentado recentemente.
A estratégia de investir na valorização do salário e não apenas em programas de transferência de renda gera resultados positivos para alguns analistas porque seu resultado prático é o aumento da renda dos brasileiros assalariados. No entanto, segundo o professor de economia da Universidade de Brasília, Roberto Ellery, é necessário discutir a sustentabilidade dessa política.
“Se queremos continuar esse caminho [de aumento dos salários], é preciso aumentar a produtividade”, avaliou o professor, acrescentando que, caso contrário, o país terá problemas com a inflação e com o setor externo. De acordo com Ellery, os investimentos na melhoria dos serviços e na eficiência da produtividade podem impedir essa situação. Para isso, segundo ele, é necessário focar na infraestrutura para que a produção nacional não registre prejuízos com estradas em más condições, portos operando sem a capacidade necessária nem com problemas no setor energético.
Com base nos dados da SAE, as políticas que mais contribuem para o bem estar social, depois do trabalho, são o Bolsa Família, o pagamento da Previdência acima do piso e a aposentadoria com base no salário mínimo, com 12,2%, 11,4% e 9,4%, respectivamente. “O brasileiro em suas casas está tendo um desempenho bem acima do desempenho que as contas nacionais e a maior parte dos economistas analisa”, disse o ministro, ao citar a valorização dos benefícios do Bolsa Família e da Previdência acima da inflação.
O programa de transferência de renda, que repassa recursos a famílias com renda per capitainferior a R$ 70 mensais, também atua de uma forma importante no combate à desigualdade. Segundo os números, o custo-benefício de cada real gasto com o Bolsa Família impacta a desigualdade quase quatro vezes mais do que o benefício da Previdência Social. “Uma das belezas do Bolsa Família é que ele tem um impacto social muito grande, gasta pouco e consegue efeito muito grande”, explica o professor Ellery.
Fonte - Agência Brasil  10/05/2014

Ferroviários da CPTM ameaçam paralisação

Transportes sobre trilhos

Funcionários da CPTM prometem iniciar greve na próxima quinta-feira se não houver avanço nas negociações

O Diário de Mogi das Cruzes
Adicionar legenda
O impasse nas negociações poderá desencadear um movimento grevista por parte dos funcionários da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), a partir da zero hora de quinta-feira. A decisão foi aprovada em assembleia geral, anteontem, na Capital, quando os ferroviários se reuniram para votar a proposta da estatal, que ofereceu reajuste salarial de 3,97% contra os 15% reivindicados pela categoria.
Os cerca de 8,5 mil ferroviários da CPTM estão representados por três entidades. Os funcionários que atuam nas linhas que atendem o Alto Tietê pertencem ao Sindicato dos Ferroviários da Zona Central do Brasil. Os outros dois são os sindicatos dos Ferroviários de São Paulo e dos Trabalhadores Ferroviários da Zona Sorocabana. Os dirigentes decidiram se unir para fortalecer o movimento. Eles são os responsáveis pelo transportes de 3 milhões de passageiros por dia.
O presidente do Sindicato de São Paulo, Eluiz Alves de Matos, explica que a data base da categoria é em março, mas a pauta de reivindicação foi encaminhada à estatal em janeiro. “Até agora tivemos cinco reuniões. Mas a CPTM encerrou as negociações sem apresentar proposta de reajuste decente e sem apreciar as cláusulas novas da pauta de reivindicações”, argumenta, completando que a empresa se recusa até em fazer a reposição da inflação, que é está em torno de 8%. Além disso, estamos pleiteando mais 7% de aumento real”, relata.
Os sindicalistas vão esperar que os patrões mudem de ideia e encaminhem nova contra proposta até a noite de quarta-feira. Para este dia, às 18 horas, está marcada nova assembleia para decidir sobre a greve. A CPTM alega que não pode melhorar a proposta, porque está impedida em função da lei eleitoral e de responsabilidade fiscal.
A direção da empresa propõe 3,97% para reajuste dos salários e as demais cláusulas econômicas. Além dos 15%, as principais reivindicações econômicas dos ferroviários são vale-refeição de R$ 720,00; vale-alimentação de R$ 247,69, auxílio-maternidade de R$ 500,00, entre outras. (Silvia Chimello)
Fonte - STEFZS  10/05/2014

Correios devem criar serviço de telefonia celular até o fim do ano

Economia

A primeira etapa de atuação dos Correios, prevista para ser implantada em outubro, terá a comercialização de chips e recarga de créditos. A segunda etapa incluirá venda de aparelhos e está prevista para o primeiro semestre de 2015. A previsão é levar o serviço a 8 milhões de pessoas em cinco anos, tanto nos grandes centros, como em localidades menores e mais remotas.

Sabrina Craide 
Repórter da Agência Brasil 
Os Correios vão oferecer o serviço móvel celular
por meio da rede de uma operadora tradicional,
atuando sem rede própria
Marcello Casal Jr. / Agência Brasil
Os Correios deverão começar a oferecer, até o fim do ano, serviços de telefonia celular. A autorização do Ministério das Comunicações para a prestação de serviços de telefonia móvel virtual, chamada de MVNO (Mobile Virtual Network Operator, ou operadora móvel com rede virtual, em tradução livre), foi divulgada esta semana e permite que a estatal firme parceria com empresas do setor de telecomunicações para oferecer o serviço a seus clientes.
A primeira etapa de atuação dos Correios, prevista para ser implantada em outubro, terá a comercialização de chips e recarga de créditos. A segunda etapa incluirá venda de aparelhos e está prevista para o primeiro semestre de 2015. A previsão é levar o serviço a 8 milhões de pessoas em cinco anos, tanto nos grandes centros, como em localidades menores e mais remotas. O serviço de MVNO consiste na prestação do serviço móvel celular por meio da rede de uma operadora tradicional, atuando sem rede própria em nichos de mercado onde as operadoras tradicionais não tenham interesse de atuar.
O regulamento que criou o operador virtual foi aprovado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) em em 2010, para permitir o ingresso no mercado de prestadores que não têm licença para uso de frequências nem infraestrutura de rede de telecomunicações. Para prestar o serviço, os operadores virtuais precisam firmar acordos comerciais com operadores móveis tradicionais, que têm licença e infraestrutura em operação. As empresas que oferecem o serviço alternativo têm obrigações semelhantes às de uma empresa tradicional de telefonia móvel, inclusive no cumprimento do Código de Defesa do Consumidor.
No caso dos Correios, a prestação do serviço deverá se basear em participação acionária dos Correios em uma empresa brasileira de telecomunicações, com base na nova estratégia empresarial da estatal. A empresa que fará essa parceria ainda não foi anunciada.
Segundo os Correios, a presença rede de agências dos Correios, presente em todos os municípios do país, com aproximadamente 12 mil unidades de atendimento, pode melhorar o acesso do cidadão ao serviço de telefonia celular. Toda a rede de agências no Brasil será utilizada.
Em fevereiro, os Correios e o grupo italiano Poste Italiane firmaram acordo para o lançamento do MVNO no Brasil. Na parceria com o grupo italiano, os Correios contribuem com a capilaridade da rede de atendimento e o grupo italiano entra com sua experiência. A Poste Mobile, lançada em 2007, é líder no mercado de MVNO na Itália, com 3 milhões de clientes
No Brasil, a Porto Seguro foi a primeira operadora móvel virtual a entrar em operação, em 2012. A empresa adotou o modelo de autorizada de rede virtual e utiliza a rede da TIM. Atualmente, a empresa tem 103,2 mil acessos ativos, com participação de 0,04% no mercado.
Fonte - Agência Brasil  10/05/2014

Museu Afro Brasil mostra o melhor que a Bahia tem

Cultura

O amplo material traz as referências da arte baiana desde o século 18. Podem ser vistas, por exemplo, obras de Joaquim José da Rocha, que pintou o teto da Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Praia. “Pelas terras banhadas pela Baía de Todos os Santos, uma longa história se formou nos últimos 465 anos, a começar pelo encontro de Diogo Álvares Correia, o Caramuru, salvo de um naufrágio, com os tupinambás, logo desposando a índia Catarina Paraguaçu”, ressalta o curador.

Daniel Mello 
Repórter da Agência Brasil 
Museu Afro Brasil e o melhor que a Bahia tem
Makaya Mayuma Bedel/Divulgação
O que é que a Bahia tem? é uma exposição sustentada em três nomes que marcaram a literatura, música e artes visuais não só do estado nordestino, mas de todo o Brasil. Em homenagem ao centenário de nascimento do compositor Dorival Caymmi e lembrando o escritor Jorge Amado e o artista Carybé, a mostra pode ser vista no Museu Afro Brasil, no Parque Ibirapuera, até 6 de junho. “A exposição pretende criar essa atmosfera mágica da Bahia, onde se encontra tudo ou quase tudo”, explica o diretor do museu e curador da exposição, Emanoel Araujo.
O amplo material traz as referências da arte baiana desde o século 18. Podem ser vistas, por exemplo, obras de Joaquim José da Rocha, que pintou o teto da Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Praia. “Pelas terras banhadas pela Baía de Todos os Santos, uma longa história se formou nos últimos 465 anos, a começar pelo encontro de Diogo Álvares Correia, o Caramuru, salvo de um naufrágio, com os tupinambás, logo desposando a índia Catarina Paraguaçu”, ressalta o curador.
A arte moderna está representada pelas esculturas e pinturas de Carybé, além das tapeçarias e Genaro de Carvalho ao lado de obras de Mário Cravo e Carlos Bastos. Não falta a Bahia vista pelo do cinema, apresentada nos documentários de Alexandre Robatto. O cineasta filmou em meados do século 20 obras como A Pesca de Sarel, O Regresso de Marta Rocha e A Puxada de Rede, que serão exibidos para o público.
Estão também a disposição do visitante as primeiras edições de clássicos de Jorge Amado, como Tieta do Agreste, Mar Morto e Tocaia Grande. “É uma exposição aberta para todos os seguimentos que explicam o universo da Bahia”, enfatiza Emanoel ao lembrar que as letras são complementadas por um extenso acervo de imagens.
Museu Afro Brasil / Divulgação
Tem destaque o Barroco Rebolado, série de fotografias de Sílvio Robatto de detalhes de ícones da paisagens e arquitetura baiana.
“Um trabalho de manipulação fotográfica dos anos 1970 e 1980, onde ele injeta elementos visuais abstratos”.
As músicas de Caymmi foram inspiração para artistas visuais em um conjunto de obras que comemorou os 90 anos do compositor e que faz parte do acervo do museu. São 14 obras assinadas por nomes como Regina Silveira e Arnaldo Antunes.
O curador alerta, entretanto, que a citação dos nomes importantes e as descrições dos trabalhos são pouco perto da força da coleção exposta. “É preciso estar lá para ver. Não se pode traduzir só em palavras, porque a Bahia é mais do que palavras”, finalizou Emanoel.
Fonte - Agência Brasil  10/05/2014

sexta-feira, 9 de maio de 2014

DF recebe Selo de Território Livre do Analfabetismo

Educação

O secretário de Educação do DF, Marcelo Aguiar, disse que o desafio agora é buscar os analfabetos que restam na capital, para seguir avançando. “É a parte mais difícil, porque são justamente os mais velhos, os que têm resistência em se alfabetizar, e a população de rua. 

Yara Aquino 
Repórter da Agência Brasil 
O governador Agnelo Queiroz recebeu
o Selo de Território Livre do Analfabetismo

Antonio Cruz/Agência Brasil
O Distrito Federal (DF) é a primeira unidade da Federação a receber o Selo de Território Livre do Analfabetismo, do Ministério da Educação. O selo presta homenagem às localidades que atingem 96% de alfabetização, segundo o censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. O DF atingiu o índice de 96,5%. O selo foi entregue hoje (9) pelo ministro da Educação, Henrique Paim, ao governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz.
O secretário de Educação do DF, Marcelo Aguiar, disse que o desafio agora é buscar os analfabetos que restam na capital, para seguir avançando. “É a parte mais difícil, porque são justamente os mais velhos, os que têm resistência em se alfabetizar, e a população de rua. Nosso trabalho será duro porque é preciso buscar as pessoas e convencê-las a se alfabetizar”, disse.
A dona de casa Maria do Socorro Nunes, de 61 anos, participou do evento e deu exemplo de perseverança em busca da alfabetização. De volta aos estudos há três anos, ela aprendeu a ler e faz planos para não abandonar a escola. Maria do Socorro vive no Núcleo Rural Alagado da Suzana, no Gama, cidade próxima ao Distrito Federal, e por anos buscou a construção de uma escola no local. Foi vitoriosa e agora diz que a vida mudou para melhor. “Estudar me faz sentir bem; faz bem para saúde. E o que aprendo posso ensinar para outras pessoas da comunidade”, diz.
Moradores do Gama aprenderam a ler
 pelo Programa DF Alfabetizado
Antonio Cruz/Agência Brasil
A professora Iracema Bandeira disse que muitos moradores do Alagado da Suzana enfrentavam dificuldades por não saberem ler e acabavam sendo explorados no trabalho. Na escola, a professora alfabetizou 30 alunos. “Agora eles se impõem, sabem que têm direitos e exigem que o empregador assine a carteira. Com o conhecimento, adquiriram a cidadania plena”, conta.
Iracema Bandeira conta que a alfabetização abriu a possibilidade para trabalhar com os alunos questões importantes para a comunidade, como o tratamento que deve ser dado ao lixo e os cuidados com o meio ambiente, para tornar melhor o local onde vivem.
O governador Agnelo Queiroz explicou que a alfabetização na capital é feita por meio da Educação de Jovens e Adultos e pelo Programa DF Alfabetizado. Os beneficiários do Bolsa Família que integram o DF Alfabetizado recebem uma bolsa de incentivo do governo local.
Ao entregar o selo, o ministro da Educação, Henrique Paim, disse esperar que outros estados superem o índice de 96% de alfabetização. “Queremos que essa seja uma situação que tenhamos em breve em todo o país. Vale lembrar que nunca é tarde para estudar”, disse.
Fonte - Agência Brasil  09/05/2014

Ferrovia centenária é cercada de beleza histórica e cênica

Ferrovias

Jaraguá do Sul e Corupá realizaram atos para lembrar o acontecimento histórico, com homenagens à ex-ferroviários, todos registrados pelo Jornal do Vale do Itapocu. As cidades se desenvolveram no entorno da ferrovia.

Jornal do Vale do Itapocu

Guaramirim - O ano de 2010 assinalou o centenário da ferrovia que corta a região, como também da inauguração das primeiras estações de parada. Naquele ano, Guaramirim,
Jaraguá do Sul e Corupá realizaram atos para lembrar o acontecimento histórico, com homenagens à ex-ferroviários, todos registrados pelo Jornal do Vale do Itapocu. As cidades se desenvolveram no entorno da ferrovia.
Os trilhos hoje são considerados um estorvo, principalmente quando da passagem das grandes composições de cargas paralisam a cidade, em pleno horário de pico. Primeira estação foi inaugurada no ano de 1910, O primeiro trecho da ferrovia então pertencente à Estrada de Ferro São Paulo-Rio Grande foi entregue em 1906, ligando o Porto de São Francisco do Sul a Joinville. Em 1910 a linha foi prolongada até Hansa (Corupá), em 1913 até Três Barras, e finalmente em 1917, atinge Porto União da Vitória, de onde deveria continuar até Foz do Iguaçu.
Este último trecho jamais foi construído. O último trem de passageiro, na verdade uma automotriz (litorina) passou pelo trecho Corupá-São Francisco do Sul em janeiro de 1991, quando foi desativado. Já se vão 23 anos. O trem misto que servia a linha já não existia desde 1985. Depois disso apenas alguns trens a vapor turísticos da Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF) têm percorrido a linha, principalmente na região de Rio Negrinho, onde fica a sede.
O trecho de Mafra a São Francisco tem um tráfego intenso pela movimentação de cargas por meio da América Latina Logística (ALL). A linha do ano de 1906 a 1942 pertencia à Companhia Estrada de Ferro São Paulo-Rio Grande; de 1942 a 1975 à Rede Viação Paraná-Santa Catarina e de 1975-1996 a Rede Ferroviária Federal. A ALL faz uso dos trilhos nos últimos anos.
Fonte - STEFZS  09/05/2014 

Rodoviários de Salvador e donos de empresas de ônibus continuam sem um acordo

Salvador

Motoristas foram à porta da Delegacia Regional do Trabalho no centro da cidade - Uma nova reunião foi marcada para a próxima quarta-feira (14), às 14h, no auditório da Superintendência, na Av. Sete de Setembro.

Maíra Côrtes - TB
Foto: Romildo de Jesus/Tribuna da Bahia
A reunião entre o sindicato dos rodoviários, empresários e representantes da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE) e Ministério Público do Trabalho (MPT) terminou sem acordos. A tentativa de negociações aconteceu ontem, na sede da SRTE. Uma nova reunião foi marcada para a próxima quarta-feira (14), às 14h, no auditório da Superintendência, na Av. Sete de Setembro.
De acordo com o presidente do Sindicato dos Rodoviários, Hélio Ferreira, a reunião foi positiva. “Com o intermédio dos poderes públicos conseguimos a reabertura das negociações e uma nova chance de conversar e chegar a um denominador comum, sem que a categoria e a população sejam prejudicadas”, afirmou.
Segundo Daniel Mota, a diretoria do sindicato irá se reunir na segunda-feira (11) para discutir os rumos dos rodoviários enquanto nada é decidido. “Ainda tem caminho para o diálogo, e, por isso, vamos esgotar todas as possibilidades. Mas não vamos ficar satisfeitos apenas com a discussão do salário. A categoria precisa de mais atenção em relação à jornada dupla, ao valor do ticket refeição, à carga horária, entre outras coisas. A classe está no limite”, alerta.
Os rodoviários querem reajuste salarial de 15%, aumento no ticket refeição para R$ 20, gratuidade para rodoviários aposentados, redução da jornada de trabalho de oito para seis horas, plano de saúde para dependentes.
No dia 28 de abril, o patronato suspendeu as negociações classificando a proposta da categoria como absurdas e que só voltaria a negociar o salário.
Um motorista informou que em um único turno de trabalho o cobrador já tira o salário de um motorista que é em torno de R$ 1.600. Para ele, os empresários podem e têm condições de atender ao pedido da categoria. A Tribuna tentou contato com a diretoria do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (Setps), mas não obteve retorno.
Fonte - Tribuna da Bahia  09/05/2014

Venda de veículos cresce 21,8% no país, mostra Anfavea

Economia

No acumulado deste ano, foram comercializados 1,1 milhão de veículos, contra 1,16 vendidos no mesmo período do ano passado, o que representa uma queda de 5%. Estes dados incluem automóveis leves, comerciais leves, caminhões e ônibus.

Fernanda Cruz
Repórter da Agência Brasil

A venda de veículos novos cresceu 21,8% em abril, na comparação com março, segundo dados divulgados hoje (9) pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). Foram licenciados, no mês passado, 293.240 veículos. Em relação a abril de 2013, houve queda de 12,1% nas vendas.
No acumulado deste ano, foram comercializados 1,1 milhão de veículos, contra 1,16 vendidos no mesmo período do ano passado, o que representa uma queda de 5%. Estes dados incluem automóveis leves, comerciais leves, caminhões e ônibus.
Quanto aos veículos importados, houve alta de 24,7% nas vendas em abril, na comparação com março. Foram vendidos no mês passado 49.661 veículos importados. Em relação a abril de 2013, houve queda de 18,1%.
Já os veículos nacionais apresentaram alta de 21,2% em abril, em relação a março. Foram vendidos 243.579 veículos durante abril, sendo que, na comparação com abril de 2013, foi registrado queda de 10,8%.
Fonte - Agência Brasil  09/05/2014 

Ex-diretor da CPTM tem US$ 1,2 milhão na Suíça, diz MP

Política

Dinheiro foi bloqueado pela Justiça suíça porque tem origem suspeita. Segundo MP, outros nove investigados têm ligação com contas.

Do G1 São Paulo

O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) diz que empresas em nome do ex-diretor da CPTM Ademir Venâncio de Araújo têm cinco contas na Suíça com um montante de US$ 1,2 milhão. O dinheiro foi bloqueado pela Justiça da Suíça por ter origem suspeita. O ex-diretor é um dos investigados por ligação no cartel dos trens em São Paulo, como informou o SPTV.
De acordo com informações recebidas pelos ministérios públicos estadual e federal das autoridades da Suíça, além de Ademir, a esposa dele também aparece como responsável pelas cinco contas bancárias.
O advogado de Ademir Venâncio de Araújo disse que o cliente não tem contas no exterior.
Segundo o MP, ao menos outras nove pessoas são beneficiárias de contas naquele país. Todas são investigadas por participar do suposto cartel formado para fraudar licitações de trens e Metrô, durante governos do PSDB, em São Paulo.

Denúncia à Justiça
Em março passado, o MP denunciou 30 executivos de 12 empresas do setor de transportes por crime de cartel e irregularidades em 11 licitações. No total, foram cinco denúncias envolvendo contratos com o Metrô ou a CPTM. As licitações investigadas foram realizadas entre 1998 e 2008, quando o estado de São Paulo foi governado por Mário Covas, Geraldo Alckmin e José Serra, todos do PSDB.
As cinco denúncias foram protocoladas na Justiça no dia 24 de março, de acordo com o promotor Marcelo Mendroni, do Grupo de Atuação Especial de Combate aos Delitos Econômicos (Gedec). Em seguida, os pedidos seriam distribuídos para juízes, que decidiriam se abririam processos e tornarim réus os 30 denunciados.
Segundo Mendroni, e-mails trocados entre as empresas participantes dos cartéis indicam que elas se juntavam com o objetivo de superfaturar contratos. Como parte do acordo, empresas que venciam as licitações contratavam as perdedoras como prestadoras de serviços.

Sobrepreço de R$ 835 milhões
Os cinco contratos investigados somam R$ 2,7 bilhões em valores da época em que foram firmados, segundo cálculos do promotor. Como a intenção verificada era de superfaturar os contratos em aproximadamente 30%, a estimativa de Mendroni é que o sobrepreço tenha sido de R$ 835 milhões.
Segundo o levantamento do MP, as empresas citadas nas denúncias são Alstom, Balfour Beatty Rail Power Systems Brasil Ltda., CAF, Bombardier, Daimler-Chrysler, Hyundai-Rotem, MGE, Mitsui, Siemens, Tejofran, Temoinsa e T'Trans.
Os contratos em que há suspeita de cartel são: 1) manutenção dos trens das séries S2000, S2100 e S3000, da CPTM; 2) extensão da Linha 2-Verde do Metrô; 3) projeto Boa Viagem, da CPTM; 4) projeto da Linha-5 do Metrô, inicialmente a cargo da CPTM e aquisição de 64 trens pela CPTM.
Neste último, segundo o promotor, as empresas Siemens e Hyundai fizeram um acordo, mas a licitação foi vencida pela empresa espanhola CAF, que ofereceu condições mais vantajosas. Nessa licitação, não há acusação em relação à CAF.
"Os fatos são independentes. Não houve um cartel só que praticou a fraude em todas as licitações. Eles concorreram pontualmente. Um cartel com empresas variadas para cada projeto", disse.

Funcionários públicos
Segundo o promotor, há ainda investigações relativas a agentes públicos em andamento na Promotoria do Patrimônio Público e que também poderão resultar em denúncias.
Caso sejam condenados pelo crime de cartel e por dois tipos de fraude à licitação, os denunciados podem pegar penas que variam de 7 a 15 anos. Não foram denunciados os executivos da Siemens que denunciaram o Cartel ao Cade e estão protegidos pelo acordo de leniência.
O promotor disse, que em sua opinião, "o justo seria que essas empresas se compusessem e devolvessem ao erário pelo menos o dobro disso", contando juros e correção monetária.

O que dizem as empresas
A Siemens afirmou que "tem interesse que todas as responsabilidades sejam apuradas com transparência" e que a empresa "tem uma postura de tolerância zero contra qualquer tipo de conduta ilegal e segue colaborando com as investigações". Ela lembrou, por meio de nota, ter sido "a autora da denúncia que deu origem às atuais investigações sobre possível existência de cartel nos contratos do setor metroferroviário".
Por meio de sua assessoria, a Alstom afirma que "não teve acesso ao conteúdo do procedimento, portanto não vai se manifestar".
A Bombardier, em nota, afirmou que "continuará colaborando com as investigações" e que "segue os mais altos padrões éticos em todos os países onde atua e tem confiança de que seus funcionários agem de acordo com as leis e o código de ética da empresa".
Por email, a T´Trans declarou que "sempre se norteou na lisura e não compartilhou de eventuais conluios". Segundo a empresa, ela está à disposição para prestar mais esclarecimentos aos órgãos competentes. "Responderemos ao Cade comprovando o posicionamento ético da T´Trans", concluiu.
O G1 procurou também todas as outras empresas envolvidas na denúncia, mas elas não deram resposta até a última atualização dessa matéria.

Entenda as denúncias
A investigação começou a partir de um acordo de leniência (ajuda nas investigações) feito em 2013 entre umas das empresas acusadas de participar do suposto cartel, a Siemens, e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), órgão ligado ao Ministério da Justiça.
O desdobramento das investigações mostrou, no entanto, que o esquema poderia estar funcionando muito antes da denúncia feita pela Siemens. O suposto pagamento de propinas a governos no Brasil pela empresa Alstom teria tido início em 1997, segundo apuração iniciada pela Justiça da Suíça.
Em 2008, o jornal norte-americano The Wall Street Journal revelou investigações em 11 países contra a Alstom por pagamento de propinas entre 1998 e 2003. As suspeitas atingiam obras do Metrô de SP e funcionários públicos. Foi nesse ano que o Ministério Público de São Paulo entrou no caso, pedindo informações à Suíça e instaurando seu próprio inquérito.
Também em 2008 um funcionário da Siemens denunciou práticas ilegais no Brasil à sede alemã, dando detalhes do pagamento de propina em projetos do Metrô, CPTM de SP e Metrô DF.
Em 2013, a Alstom recebeu multa milionária na Suíça e um de seus vice-presidentes acabou preso nos Estados Unidos. No Brasil, a Siemens decidiu então fazer a denúncia ao Cade delatando a existência do cartel. Em dezembro, a ação chegou ao Supremo Tribunal Federal.
A investigação se ampliou e mostrou que o esquema poderia ser bem mais amplo do que se imaginava. Em 2014, o Cade ampliou o processo e passou a investigar licitações (de 1998 a 2013) em mais locais, além São Paulo e Distrito Federal. Entraram também nas apurações Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.
Fonte - STEFZS  09/05/2014

Variação do IPCA reflete retração de preço em seis das dez regiões pesquisadas

Economia

As menores altas foram registradas no Rio de Janeiro e em São Paulo, justamente as regiões metropolitanas que têm maior peso na composição final do IPCA: 12,06% e 30,67%, respectivamente. No Rio de Janeiro, o IPCA caiu de 1,28% para 0,42% - retração de 0,86 ponto percentual; e em São Paulo de 0,93% para 0,47% - retração de 0,46 ponto percentual.

Nielmar de Oliveira 
Repórter da Agência Brasil 
foto - ilustração
A retração de 0,25 ponto percentual na inflação oficial, registrada entre março e abril (de 0,92% para 0,67%) reflete desaceleração de preços em sete das dez regiões metropolitanas pesquisadas, além de Brasília, Goiânia e Campo Grande. O Índice de Preços ao Consumidor Amplo foi divulgado hoje (9) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Os maiores índices regionais em abril foram constatados nas regiões metropolitanas de Porto Alegre e Fortaleza, ambas 1,08% - resultado 0,41 ponto percentual superior à média nacional de 0,67%.
Segundo o IBGE, em Porto Alegre a alta foi decorrente do reajuste de 5,36% nas tarifas de ônibus urbano, em vigor a partir do dia 7 de abril, além da energia elétrica que teve tarifa reajustada em 28,86%, desde de 19 de abril.
Em Fortaleza, a variação dos alimentos consumidos em casa (2,68%) ficou acima da média nacional (1,52%). A região metropolitana que registrou menor variação do índice (0,42%) foi o Rio de Janeiro, onde o item empregado doméstico apresentou queda de 0,54%. Os serviços de cabeleireiro (-2,22%) e de manicure (-0,75%) também pesaram no resultado do índice.
As menores altas foram registradas no Rio de Janeiro e em São Paulo, justamente as regiões metropolitanas que têm maior peso na composição final do IPCA: 12,06% e 30,67%, respectivamente. No Rio de Janeiro, o IPCA caiu de 1,28% para 0,42% - retração de 0,86 ponto percentual; e em São Paulo de 0,93% para 0,47% - retração de 0,46 ponto percentual.
O índice variou também em Belo Horizonte (0,75%), Brasília (0,62%), Belém (0,52%), Curitiba (0,88%), Campo Grande e Goiânia (0,84%), Salvador e no Recife (0,81%); e em Belém, que teve a menor inflação do país (0,52%).
O IPCA é calculado pelo IBGE desde 1980 e se refere às famílias com rendimento monetário de um a 40 salários mínimos, qualquer que seja a fonte e abrange dez regiões metropolitanas do país, além de Brasília e dos municípios de Goiânia e Campo Grande. Para o cálculo do índice mensal foram comparados os preços coletados no período de 29 de março a 28 de abril de 2014 (referência) com os preços vigentes no período de 27 de fevereiro a 28 de março de 2014
Fonte - Agencia Brasil  09/05/2014

Trensurb inicia operação comercial das novas estações em Novo Hamburgo

Transportes sobre trilhos

Prestigiando o momento histórico – que sinaliza o término do projeto inicial previsto para o metrô gaúcho desde a década de 1970 pelo antigo Grupo de Estudos para a Integração da Política de Transportes do governo federal – a diretoria da Trensurb e o prefeito de Novo Hamburgo, Luis Lauermann, visitaram as novas estações para ratificar o inicio da operação comercial.... 

Trensurb
Diretoria da Trensurb e prefeito de Novo Hamburgo
 realizaram visita a trecho da expansão
da Linha 1 do metrô. -
Desde as 5h da manhã de hoje (8), as três novas estações que são parte da expansão da Linha 1 da Trensurb – Industrial, Fenac e Novo Hamburgo – operam comercialmente. O acesso ao sistema é feito mediante pagamento da passagem unitária de R$ 1,70. Prestigiando o momento histórico – que sinaliza o término do projeto inicial previsto para o metrô gaúcho desde a década de 1970 pelo antigo Grupo de Estudos para a Integração da Política de Transportes do governo federal – a diretoria da Trensurb e o prefeito de Novo Hamburgo, Luis Lauermann, visitaram as novas estações para ratificar o inicio da operação comercial e observar a estrutura e a tecnologia que compõem os pontos recém-inaugurados. “Essa conquista é para a mobilidade urbana, não apenas para a integração da cidade, mas, também, para a do Vale dos Sinos com a Região Metropolitana. A extensão do trem, com esse significativo investimento do governo federal, representa uma melhora na mobilidade, integração regional, ganho de tempo, economia e conforto para os trabalhadores e comunidade”, disse o prefeito Lauermann.
Fazendo referência à antiga linha da Rede Ferroviária Federal, o diretor-presidente Humberto Kasper afirma que a Trensurb “reconstituiu em definitivo uma linha de trens de passageiros para essa região, fundamental tanto no desenvolvimento histórico dessas cidades, como na retomada e continuidade do progresso social e econômico da região”.
O início da operação comercial nas novas estações foi determinado após a realização de ajustes pontuais no trecho, referentes principalmente a sistemas de sinalização e energia. “Esse é um novo momento em que entra a Trensurb. O sistema em si está completo para garantir toda a segurança e conforto para o usuário, mas vale lembrar que ainda estamos em um processo sistemático de monitoramento do comportamento desses sistemas e nossa equipe, em parceria com o Consórcio Nova Via, está preparada para realizar qualquer adequação necessária e ajustes para garantir a manutenção da seguridade e qualidade da operação comercial”, explicou o diretor de Operações, Carlos Augusto Belolli.
As estações Industrial, Fenac e Novo Hamburgo abriram ao público em 2 dezembro de 2013, funcionando, desde então, em regime pré-operacional, sem cobrança de passagem. Desde 30 de janeiro deste ano, a pré-operação acontecia no horário integral de circulação dos trens, das 5h às 23h20. Só em abril de 2014, 412.739 passageiros acessaram a Linha 1 através das três novas estações.
Para o diretor de Administração e Finanças, Leonardo Hoff, “é um momento importante para a comunidade do Vale do Sinos. Não é só Novo Hamburgo que está embarcando aqui, mas toda a região dos vales do Sinos e Paranhana. Temos só recebido elogios da população".
Pela Trensurb, também participaram da vistoria desta manhã, o superintendente de Desenvolvimento e Expansão, Ernani Fagundes, os engenheiros Lino Fantuzzi - Coordenador Geral da Obra - e Erno Zimpel. Também estiveram presentes, o vice-prefeito de Novo Hamburgo, Roque Serpa, o secretário de Desenvolvimento Econômico, Tecnologia, Trabalho e Turismo, Carlos Finck e o vereador Gilberto Koch.
Fonte - Trensurb 08/05/2014

Metrô de Salvador vai funcionar de graça de junho a setembro

Metrô de Salvador

O primeiro trecho da linha 1 do metrô, será inaugurado em junho e terá funcionamento diferenciado durante os dias de jogos da Copa do Mundo na Arena Fonte Nova, explicou o presidente da Companhia de Transportes da Bahia (CTB), Carlos Martins. 

A Tarde
Da Redação
Mateus Pereira | GovBA
O metrô de Salvador vai funcionar gratuitamente nos três primeiros meses de funcionamento (junho, julho e setembro). A partir do dia 11 de junho, o equipamento funcionará em operação assistida, período em que a concessionária CCR fará testes antes de realizar a atividade de forma comercial.
O primeiro trecho da linha 1 do metrô, será inaugurado em junho e terá funcionamento diferenciado durante os dias de jogos da Copa do Mundo na Arena Fonte Nova, explicou o presidente da Companhia de Transportes da Bahia (CTB), Carlos Martins. O serviço estará disponível duas horas antes das partidas até duas horas depois, só terão acesso ao metrô os torcedores que estiverem com o ingresso para os jogos na Fonte Nova, informou.
Ônibus coletivos e outros veículos não credenciados pela FIFA também não terão acesso ao entorno da Arena, conforme estabelecido no plano de mobilidade para a Copa. A limitação de usuários de transporte público no perímetro do estádio também é adotada em outras cidades-sede. Em dias sem jogos na Fonte Nova e durante o período de operação assistida do metrô, o horário de funcionamento também será especial, das 12h às 16h, fora do horário de pico.
Para chegar ao ponto de partida do metrô no terminal Acesso Norte, os torcedores irão usar ônibus específicos credenciados pela Transalvador. No Acesso Norte, os usuários serão identificados com uma pulseira e partirão de metrô até a Estação do Campo da Pólvora, próximo à Arena Fonte Nova.
De acordo com o titular da CTB, estarão à disposição quatro trens com quatro vagões cada e o percurso de metrô do Acesso Norte ao Campo da Pólvora deve durar cerca de 10 minutos. A rota (Acesso Norte - Campo da Pólvora) está no perímetro monitorado pela Fifa.
Fonte - A Tarde  09/05/2014

quinta-feira, 8 de maio de 2014

Rodoviários querem reajuste de quase 3 vezes a inflação e ameaçam com greve

Salvador

Em nota, o presidente do sindicato, Hélio Ferreira,informou que espera uma postura mais flexível dos patrões com a intermediação da SRTE. Ele garantiu também que a greve ainda está indefinida e que só deve acontecer depois que esgotar todas as possibilidades de diálogo.
Enquanto isso, mais um dia de protesto dos rodoviários complicou o trânsito de Salvador, ontem. 

Maíra Côrtes -TB
Foto: Romildo de Jesus/Tribuna da Bahia
A reunião entre os rodoviários e a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE) foi antecipada para esta quinta-feira (8/5), às 14h, na sede do órgão, nas Mercês. Em nota, o presidente do sindicato, Hélio Ferreira,informou que espera uma postura mais flexível dos patrões com a intermediação da SRTE. Ele garantiu também que a greve ainda está indefinida e que só deve acontecer depois que esgotar todas as possibilidades de diálogo.
Enquanto isso, mais um dia de protesto dos rodoviários complicou o trânsito de Salvador, ontem. Centenas de veículos de diversas empresas circularam em fila indiana pelo centro da cidade em direção à sede da Transalvador. Enfileirados e usando apenas a faixa da direita, o protesto congestionou diversos pontos da cidade no final da tarde dessa quarta-feira (7).
Por volta das 17h, na região do Dique do Tororó, uma imensa fila de ônibus, se formou. Eram veículos vazios ou com poucos passageiros. “Tem muita gente que já desceu desde o Vale de Nazaré e veio andando. Eu entendo a necessidade deles, mas, por causa disso, muita gente acaba pagando o preço”, disse a estudante Carla Vasconcelos.
A categoria reivindica o retorno às negociações da proposta apresentada para o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (Setps). Eles querem reajuste salarial de 15%, aumento no valor do ticket refeição para R$ 20, redução da jornada de trabalho de oito para seis horas, além de gratuidade na passagem de rodoviários aposentados.
Em entrevista à Tribuna, no início da semana, o diretor do Setps, Daniel Castro, foi incisivo ao dizer que não vai negociar itens que ele classificou como “absurdos”.
“Podemos negociar o reajuste salarial. Mas não temos como atender as outras pautas. Juntas, elas somam mais de 60% de aumento, o que torna a negociação inviável”, declarou Castro.
Fonte - Tribuna da Bahia  08/05/2014

Rio registra 325 ônibus depredados durante greve dos rodoviários

Rio de Janeiro

Devido à greve, a concessionária CCR Barcas registrou aumento de 300% na demanda de passageiros da linha que atende ao bairro do Cocotá, na Ilha do Governador, na comparação com a média das quintas-feiras de maio do ano passado. 

Douglas Corrêa 
Repórter da Agência Brasil
Com a greve dos rodoviários,
 movimentação de passageiros na Central do Brasil
 é intensa - Tomaz Silva/Agência Brasil
O Sindicato das Empresas de Ônibus do município do Rio (Rio Ônibus) informa que até o momento 325 ônibus foram depredados, desde o início da paralisação dos rodoviários do município, na madrugada de hoje (8). As principais avarias são quebra de para-brisas, janelas e retrovisores. A área mais afetada é a zona oeste, incluindo as regiões da Barra da Tijuca e Jacarepaguá.
Devido à greve, a concessionária CCR Barcas registrou aumento de 300% na demanda de passageiros da linha que atende ao bairro do Cocotá, na Ilha do Governador, na comparação com a média das quintas-feiras de maio do ano passado. Até as 10h desta quinta-feira (8), foram transportados, aproximadamente, 3,6 mil passageiros no trajeto Cocotá-Praça XV. Durante o rush da manhã, a concessionária reforçou o efetivo e foram necessárias três viagens extras às 6h40, 7h30 e 9h05 para atender à grande demanda pelo transporte aquaviário na Ilha do Governador.
Mesmo com o reforço na operação do Cocotá, a programação seguiu normalmente nas outras linhas pela manhã. O trajeto Charitas-Praça XV também registrou aumento na demanda. Até às 10h, aproximadamente 4,3 mil usuários fizeram a travessia, número 10% maior que a média das quintas-feiras de maio do ano passado. Na ligação Praça Arariboia-Praça XV, a CCR Barcas transportou, até as 10h, 27,7 mil passageiros, mantendo a média de usuários.
De acordo com a Polícia Militar (PM), o Comando do Batalhão de Policiamento em Vias Especiais (BPVE) informou que houve uma manifestação de rodoviários do Rio, no início da manhã, na altura da Vila do João, em Manguinhos, onde cerca de 100 pessoas tentaram fechar a pista da Avenida Brasil, no sentido centro. Policiais militares estão no local, negociando com os grevistas para manter as pistas liberadas.
A PM acionou um plano de operação especial para a greve dos rodoviários. Viaturas estão próximas às empresas de ônibus, monitorando o trânsito. Policiais estão posicionados ao longo das passarelas da Avenida Brasil, monitorando o trânsito e também há patrulhas em pontos estratégicos para evitar que as pistas sejam fechadas por piquetes de grevistas.
Fonte - Agência Brasil  08/05/2014

Manifestação dos servidores da prefeitura trava trânsito

Salvador

Protesto dos servidores da prefeitura em Salvador

A Tarde
Da Redação
Divulgação | Sindseps
Servidores saíram em carreata pela região do Iguatemi

Uma manifestação de servidores municipais trava o trânsito na região do Iguatemi no início da tarde desta quinta-feira, 8.

Os trabalhadores, que fizeram uma assembleia nesta manhã, estão em greve por tempo indeterminado e pedem revisão da proposta do plano de cargos e salários.
Fonte - A Tarde  08/05/2014

VLT de Cuiabá - 29 composições já estão em Várzea Grande

Transportes sobre trilhos

Quantidade equivale a 72,5% do total contratado pelo Governo do Estado, que soma 40 composições. Uma nova carga já está no porto de Santos (SP)

Assessoria SECOPA/VLT
Secopa-MT
Secopa - Cuiabá
Chegaram a Várzea Grande nesta terça-feira (06.05) mais duas unidades que compõem a oitava remessa de trens que vão compor o sistema do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), novo modal de transporte de Cuiabá e Várzea Grande. Outras duas foram descarregadas no pátio de estacionamento do Centro de Manutenções (CM) na sexta-feira passada (02.05). Mais quatro composições chegaram ao Porto de Santos (SP) e aguardam os procedimentos aduaneiros para então serem enviadas a Cuiabá.
Com a oitava remessa, o número de composições (VLTs) no pátio de estacionamento chega a 29, o equivalente a 72,5% do total encomendado pelo Governo de Mato Grosso, que soma 40 veículos. Os trens foram fabricados pela CAF na Espanha e trazidos para Mato Grosso. A CAF é uma das cinco empresas que integram o Consórcio VLT Cuiabá-Várzea Grande, que conta ainda com as construtoras CR Almeida e Santa Bárbara, e as projetistas Astep e Magna.
Ao serem estacionados nos trilhos do CM, os veículos passam por manutenções programadas, além de testes mecânicos e eletrônicos, obedecendo aos procedimentos descritos nos manuais de instrução.
A fabricante garante ainda que os trens não sofrem prejuízo quanto à exposição a intempéries. Isso porque, os trens foram projetados para suportar as mais variadas condições climáticas como sol, chuva, ventos, raios, poeira, frio, entre outros, por um período de 30 anos, independentemente de estarem estacionados ou em circulação.
Mais veículos - Seguindo o cronograma de entrega dos VLTs, outros quatro veículos chegaram ao Porto de Santos. Cada trem possui cerca de 44 metros de comprimento. É composto por sete módulos, com capacidade para transportar até 400 pessoas (por veículo), sendo 77 sentadas.
Entre os benefícios do novo modal está a oferta de um serviço de transporte público regular e de qualidade, confiável, confortável e seguro, oferecendo mais eficiência ao transporte público. O VLT vai circular em duas linhas. A linha 1 ligará o Aeroporto ao CPA, e a linha 2, o Centro ao Coxipó.
O VLT de Cuiabá e Várzea Grande é o primeiro da América Latina movido a energia elétrica, considerado ambientalmente sustentável, pois tem zero emissão de poluentes e baixo nível de ruídos e vibrações.
Fonte - Secopa MT  08/05/23014

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Valorização do salário mínimo contrariou previsões e não resultou em desemprego

Economia

Pesquisador do Ibre, Fernando de Holanda Barbosa Filho aponta que as previsões feitas pelos economistas há duas décadas não se confirmaram. “Se em 2002 alguém falasse que o salário mínimo ia dobrar e o desemprego e a informalidade iam despencar, seria considerado louco. Estávamos todos errados, pelo menos eu e um grande número de economistas”, disse. Segundo Barbosa, o salário aumentou, o desemprego diminuiu e a informalidade despencou de 43% para 22% desde então

Akemi Nitahara 
Repórter da Agência 
foto - ilustração
A valorização do salário mínimo nas últimas décadas no Brasil, com aumento real (acima da inflação) de 75% de 2002 a 2014 e acima de 100% desde 1995, contraria as teorias econômicas. Segundo debatedores que participaram de seminário hoje (7) no Rio de Janeiro, a alta do mínimo não provocou o aumento do desemprego, da informalidade e da inflação propagado pelas teorias econômicas tradicionais.
O impacto do salário mínimo sobre o mercado de trabalho foi um dos temas do seminário Política de Salário Mínimo para 2015–2018: Avaliações de Impacto Econômico e Social, organizado pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV) e pela Escola de Economia de São Paulo (EESP/FGV).
Pesquisador do Ibre, Fernando de Holanda Barbosa Filho aponta que as previsões feitas pelos economistas há duas décadas não se confirmaram. “Se em 2002 alguém falasse que o salário mínimo ia dobrar e o desemprego e a informalidade iam despencar, seria considerado louco. Estávamos todos errados, pelo menos eu e um grande número de economistas”, disse.
Segundo Barbosa, o salário aumentou, o desemprego diminuiu e a informalidade despencou de 43% para 22% desde então. De acordo com ele, o único impacto que se verificou com a valorização do salário mínimo foi a “expulsão” do trabalhador menos qualificado do mercado, o que pode ter levado ao aumento de pessoas que não estudam nem trabalham, chamadas de “nem-nem”.
O pesquisador Carlos Henrique Corseuil, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), considera que há uma mudança na composição da força de trabalho no Brasil que tem afetado os trabalhadores menos educados. De acordo com ele, em 1997, 10% dos trabalhadores que recebiam o mínimo tinham ensino médio completo. Agora, representam 40%. Até três anos de estudo, eram 40% e agora são 15%. “Está ocorrendo a expansão na educação geral da população. Quem tem até três anos de estudo tem encontrado muita dificuldade em encontrar ocupação”, declarou.
O professor da Universidade de Campinas (Unicamp) Claudio Dedecca lembrou que a política atual de valorização do salário mínimo começou a ser estudada somente em 2005. Ao contrário das previsões tradicionais, destacou, o aumento impactou diretamente a base do mercado de trabalho e os rendimentos da população, resultando em alta do emprego.
“Os ganhos de renda são potencializados pela geração de ocupações nos diversos estratos da distribuição da renda. O que explica o aumento da massa de rendimentos não é o aumento do salário mínimo, mas o aumento da ocupação observada ao longo de toda a década passada e nos primeiros anos dessa década”, comentou.
Para Dedecca, os desafios para o Brasil estão relacionados ao aumento de investimentos para modernizar a estrutura produtiva. “Estamos vivendo o que chamo de efeito China, com o aumento do poder de compra e do consumo de importados e com a base produtiva caminhando para trás, o que referenda a dinâmica da baixa contribuição produtiva”, explicou.
O pesquisador do Departamento Intersindical de Estudos Econômicos e Sociais (Dieese) Clemente Ganz lembrou que a política de valorização do salário mínimo foi construída em diálogo entre o governo e as centrais sindicais. “Contrariamente à visão tradicional, o aumento do salário mínimo não aumentou o desemprego, a informalidade e a inflação. Houve queda na relação dívida líquida e PIB [Produto Interno Bruto]. Pelo contrário, a valorização reduziu as desigualdades e expandiu o mercado consumidor”, declarou.
Seminário no Ibre/FGV tem como objetivo debater a política econômica, com a proximidade do fim da vigência, a partir de 2015 da atual regra para correção do salário mínimo, que considera a variação do PIB de dois anos anteriores e a inflação do ano anterior.
De acordo com os especialistas, o maior impacto do aumento do salário mínimo recai sobre as contas públicas. Cerca de 20 milhões de beneficiários da Previdência Social recebem o mínimo, contra 12 milhões de trabalhadores na ativa.
Fonte - Agência Brasil  07/05/2014

Nível do Cantareira continua em queda e atinge 9,6% da capacidade

São Paulo

A Procuradoria-Geral do Estado, que divulgaria ontem (6) o parecer sobre a cobrança de multa de 30% aos consumidores que excederem o gasto médio de água, proposta pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), informou hoje que não há mais data prevista para o anúncio.

Fernanda Cruz
Repórter da Agência Brasil
Nível do Cantareira continua em queda
 e atinge 9,6% da capacidade
Divulgação/Sabesp
O volume de água do Sistema Cantareira registrou mais uma queda, baixando hoje (7) para 9,6% da sua capacidade de armazenagem. Ontem, o nível dos reservatórios estava em 9,8%. Há um ano, o nível de armazenagem no Cantareira correspondia a 62% da sua capacidade.
De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), não há previsão de chuvas significativas na cabeceira do Sistema Cantareira nos próximos dias. “Vai haver nebulosidade e apenas uns chuviscos, mas nada que melhore [o nível dos reservatórios]”, disse Kleber Souza, meteorologista do Inmet.
A Procuradoria-Geral do Estado, que divulgaria ontem (6) o parecer sobre a cobrança de multa de 30% aos consumidores que excederem o gasto médio de água, proposta pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), informou hoje que não há mais data prevista para o anúncio.
Além de recorrer à multa como forma de evitar um colapso no abastecimento de água para cerca de 9 milhões de pessoas, o governo paulista lançou um bônus dado aos clientes que conseguem reduzir o consumo em 30%. Essa ação permitiu uma queda de 76% no consumo em março, e 81% em abril.
No começo da semana, o governador Geraldo Alckmin voltou a negar a possibilidade de adoção do racionamento. Ele confirmou que, no próximo dia 15, a Sabesp começará a retirar a água do chamado volume morto, área abaixo do nível de captação das comportas, cujo aproveitamento exige a expansão da estrutura de bombeamento. A previsão é usar 200 bilhões de litros dos 400 bilhões da reserva estratégica.
Fonte - Agência Brasil  07/05/2014

Metrô funciona em esquema especial durante a Copa do Mundo

Mobilidade

Objetivo é facilitar o acesso à Arena Fonte Nova durante os jogos da Copa do Mundo

A Tarde
Da Redação
Marco Aurélio Martins | Ag. A TARDE
O plano de mobilidade urbana para Salvador durante a Copa do Mundo 2014 foi divulgado, nesta quarta-feira, 7, pela Secretaria Estadual para Assuntos da Copa do Mundo (Secopa). O projeto inclui o início da operação do metrô, criação de linhas especiais de ônibus, uma rota especial destinada aos pedestres, do Centro Histórico até o estádio e monitoramento de estradas e de outros pontos de acesso à cidade.
Segundo informações divulgadas pela Secopa, a ideia foi melhorar o acesso à Arena Fonte Nova. Além de melhorias no transporte, no plano consta a revitalização do sistema viário, recuperação de calçadas, construção do viaduto que dá acesso ao estádio, que já foram executados, e criação da Fun Walk - rota para pedestres, que liga pontos do Centro Antigo ao estádio.
A Secopa também informou que no dia 10 de junho, o metrô de Salvador começa a funcionar, em operação assistida, com linha expressa, que sai da estação do Acesso Norte ao Campo da Pólvora, em horários específicos. Mas, conforme assessoria, só terão acesso ao metrô torcedores que tiverem ingresso uma vez que a rota está dentro do perímetro monitorado pela Fifa. Só poderão ter acesso à estação durante os dias de jogo, os ônibus e vans credenciados que estiverem fazendo o transporte de pessoas com ingressos.
O projeto prevê dez linhas especiais criadas para atender a cidade durante os jogos, com 150 veículos. Duas delas saem do Aeroporto Internacional de Salvador - a primeira com início de operação até o final deste mês, que seguirá em direção a Pituba, Rio Vermelho, Ondina e Jardim de Alah, e a outra criada especialmente para os dias de jogos, com sentido Arena Fonte Nova.
Para os torcedores com necessidades especiais ou dificuldade de locomoção, haverá duas vans, com saída do Shopping Barra. Do Salvador Norte Shopping sairão outras linhas de ônibus em apoio às rotas do aeroporto.

Estradas
De acordo com a Secopa, para as pessoas que chegarão pelas rodovias estaduais e federais, o plano inclui melhorias em trechos da BA-093 e da 001 e monitoramento nas BRs 324, 116, e 101. Além de uma operação na BA-099, na altura da Estrada do Coco para atender delegações e turistas que se hospedarão no litoral norte.
Fonte - A Tarde  07/05/2014

Aeromóvel de Porto Alegre inicia operação comercial nesta quarta-feira

Transportes sobre trilhos

Passagem custa R$ 1,70 e é integrada com Trensurb. Projeto ficou parado por mais de 30 anos e custou R$ 37 milhões.

 G1 RS
Adicionar legenda
Sonho antigo dos moradores de Porto Alegre, o Aeromóvel inicia a atividade comercial a partir desta quarta-feira (7). O projeto idealizado ficou parado por mais de 30 anos e foi retomado em 2012 com investimentos do governo federal entrando na lista de obras para a Copa do Mundo. Os testes inciaram em agosto do ano passado, e os passageiros puderam usar o serviço gratuitamente. A operação comercial cobrará R$ 1,70 por viagem, sendo que os usuários do Trensurb pagarão apenas uma passagem para os dois modais.
As operações do Aeromóvel vão das 5h às 23h20, seguindo o mesmo horário do Trensurb, com intervalos de 10 minutos entre cada viagem nos dias úteis. Nos sábados, as viagens acontecem com intervalos de 10 e 15 minutos, já aos domingos e feriados todas as viagens ocorrerão com intervalos de 15 minutos. Durante os testes, no horário pleno de funcionamento foram atendidos três mil passageiros por dia. A perspectiva da Trensurb é de que sete mil passageiros utilizem o serviço diariamente. Dois veículos fazem o transporte alternadamente, um com capacidade para 300 passageiros e o outro para 150. Para tirar o projeto do papel, foram necesários investimentos na casa de R$ 37 milhões.
Fonte - STEFZS  07/05/2014

Aumento da violência e do trabalho infantil preocupa comunidade em Salvador

Direitos humanos

Em Saramandaia, um jovem de 12 anos que trabalha com o pai conta que sai para vender bebidas no contra-turno escolar depois de “bater um baba”- forma como os baianos chamam uma partida de futebol. “Vou para lá [para o ponto às] 17h30. Jogo só um baba e vou para o ponto. Fico até às 22h. Quando chego, faço o dever de casa”, revelou.

Isabela Vieira
Enviada Especial - Agência Brasil

A poucos quilômetros da Arena Fonte Nova, estádio que vai receber quatro partidas da Copa do Mundo, Saramandaia é uma entre várias comunidades pobres de Salvador. O nome de novela famosa não ajudou a colocar holofotes sobre os problemas locais. Na comunidade, a preocupação é que, com a proximidade dos jogos da Copa e o aumento de turistas no local, mais crianças passem a vender produtos eletrônicos e bebidas no entorno do estádio e no Shopping Iguatemi, como já ocorrer nos dias de hoje.
Em Saramandaia, um jovem de 12 anos que trabalha com o pai conta que sai para vender bebidas no contra-turno escolar depois de “bater um baba”- forma como os baianos chamam uma partida de futebol. “Vou para lá [para o ponto às] 17h30. Jogo só um baba e vou para o ponto. Fico até às 22h. Quando chego, faço o dever de casa”, revelou.
Com cerca de 70 mil pessoas, Saramandaia sofre com ausência de escolas e de áreas de lazer seguras. O campo de terra batida, ganhou o nome de “Mata a fome”, conta o líder comunitário Abrão Joviniano. “Geralmente, quando as crianças saem da escola, não tem outro campo, outra área de lazer, elas vem para cá brincar de bola, correndo o risco de serem atropeladas porque aqui, na realidade, é um retorno para carro”.
Segundo os jovens de Saramandaia, as escolas da comunidade também estão em situação precária. “Os colégios aqui são todos quebrados. Quando chove a quadra alaga”, disse um dos jovens. Uma outra criança que acompanhava a conversa aproveitou para reclamar do colégio onde estuda, a Escola Municipal Marisa Baqueiro. “A que eu estudo não tem quadra”, contou.
Procurada pela reportagem, a prefeitura da capital baiana não comentou as críticas às escolas da região.
Os altos índices de violência na comunidade motivaram os moradores a organizarem aulas de boxe, de circo e de percussão para os jovens. Assim, nasceu o projeto Arte Consciente que atende a cerca de 100 crianças e adolescentes, em uma casa simples.
“Aqui me dá muita alegria, porque quando eu pego um instrumento, eu me emociono. Aprendo mais, aprendo outros toques que me fazem crescer e me tornar um grande artista”, disse Marcos Antonio Gomes, 13 anos, um dos jovens atendidos pelo programa.
O Arte Consciente dribla a falta de recursos e se prepara para funcionar durante a Copa do Mundo, quando as escolas fecharão as portas e as crianças ficarão sem ter o que fazer. A grande preocupação dos educadores, hoje, é com o trabalho infantil no entorno da comunidade.
“Aqui as atividades continuam. Agora, tem um problema sério: a renda familiar. Mesmo com as nossas atividades, tem alguns alunos que os pais vendem na rua e que não tem jeito, vão levar os filhos”, disse um dos coordenadores Fábio Santos de Jesus.
Os criadores do Arte Consciente sabem como o acesso ao lazer, à cultura e ao esporte são importantes para o desenvolvimento das crianças. Há muitos anos, eles fizeram parte do Projeto Axé, que atende crianças em situação de rua no centro de Salvador há 24 anos.
Às vésperas da Copa do Mundo, o atual coordenador do Projeto Axé, Helmut Schned, acredita no aumento do número de crianças em situação de rua, atraídas pelo Mundial. “Nas ruas eles estão expostos a todo tipo de risco. Seja a exploração como mão de obra ou como exploração sexual, além do risco de se exporem às drogas. De um lado como consumidor, para fugir da realidade, do outro, com o tráfico. Eles são o segmento mais vulnerável.”
Um dos jovens do projeto, aos 16 anos, conta que, entre idas e vindas, está há mais de dez anos nas ruas. Na rampa do Mercado Modelo, na Cidade Baixa, um dos pontos turísticos de Salvador, ele se encontra com outros jovens na mesma situação. Segundo ele, a violência é rotina. “Já recebi mordida de cachorro, cacetada, já racharam minha cabeça. Tomei cacetada aqui hoje do policial. É muita onda, a população discrimina, faz covardia”, relatou.
Outro adolescente do Projeto Axé conta que as crianças ficam expostas na rua, em situações de vulnerabilidade. “Fiquei seis dias amarrado, comendo pão e água, feito cachorro”, disse. “Um cara me amarrou”, completou.

Procurada pela reportagem, a prefeitura de Salvador não revelou os planos para enfrentar o trabalho infantil durante a Copa nem as medidas voltadas para atender crianças em situação de rua.
Fonte - EBC 07/05/2014

Transporte público da Alemanha é inspiração no Fórum em Santos

Transportes sobre trilhos

Empresários do setor e políticos compareceram ao primeiro dia do Ficon. Programação continua no segundo dia do encontro

TV Tribuna

O Fórum da Indústria da Construção Civil de Santos e Região (Ficon) começou nesta segunda-feira (5) em Santos, no litoral de São Paulo. O evento está em sua quarta edição e reuniu políticos e muitos empresários do setor em sua noite de abertura.
Na primeira palestra do Ficon, o consultor e educador financeiro André Massaro explicou sobre as tendências do mercado imobiliário do Brasil e também da Baixada Santista. Para ele, o aumento de preço no mercado imobiliário não significa que exista uma bolha. “A gente pode falar que os preços estão subindo muito, mas isso não necessariamente indica que há uma bolha. E, às vezes, a gente pode ter um estouro de bolha com o preço subindo pouco”, esclarece o conferencista.
Os exemplos de Berlim, capital da Alemanha, na área da arquitetura e, principalmente, no transporte público, também serão debatidos entre os participantes do Fórum. As soluções criativas do país alemão podem ajudar o futuro das cidades da Baixada Santista, e uma delas é o Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT), que terá sua primeira linha instalada na região ainda este ano. O transporte já existe em Berlim desde o fim dos anos 1970.
Na Alemanha, o transporte público é um dos mais ágeis da Europa. O sistema conta com trem de superfície, ônibus, metrô, travessia de barcos e também o VLT, que lá é chamado de bonde. A população e os turistas podem confirmar a eficiência do serviço porque, em uma cidade de 3,5 milhões de habitantes, apenas 31% dos moradores usam o carro particular. Por isso, não há trânsito na rua, nem nos horários de pico.
Lá, com o bilhete único, o passageiro pode se deslocar durante duas horas, usando todos os sistemas. A cidade é dividida em regiões A, B e C, e o preço da tarifa varia conforme o percurso avança para os três setores. A rede tem aproximadamente 200 quilômetros, é uma das mais extensas do mundo e transporta por ano mais de 157 milhões de passageiros.
O prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa, esteve presente no evento. Ele declarou que os bons exemplos devem servir de inspiração. “É importante aprender com os bons exemplos do mundo inteiro e mobilizar a sociedade para ter uma agenda estratégica de desenvolvimento, elencando obras prioritárias para que qualquer governante, de qualquer partido político, possa colocar essa agenda em prática”, ressalta.
Já para o prefeito de São Vicente, Luis Cláudio Bili, o VLT é um projeto sensacional. “Eu sei da importância do VLT em toda a Europa, e nós estamos engatinhando aqui na nossa região. Vai ser um ‘boom’ muito positivo, não só no setor imobiliário como na questão da mobilidade, que vai ser urbana e humana. Vai ter dignidade, vai ter conforto, vai ter qualidade. É sensacional”, observou o prefeito.
Fonte - STEFZS 07/05/2014

Fundo vai fortalecer cadeia produtiva aeroespacial

Tecnologia

O fundo terá patrimônio inicial de R$ 131,3 milhões. A BNDES Participações (Bndespar), subsidiária do BNDES, a Finep e a Embraer participarão do fundo com R$ 40 milhões cada, enquanto o Desenvolve SP entrará com R$ 10 milhões e a Port Bank, gestora do fundo, com R$ 1,3 milhão.

Alana Gandra 
Repórter da Agência Brasil 
foto - ilustração
Em uma iniciativa conjunta da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), a Embraer e a Agência de Desenvolvimento Paulista (Desenvolve SP), o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) lançou hoje (7), no Rio de Janeiro, o Fundo de Investimento em Participações (FIP) Aeroespacial. Esse é o primeiro fundo destinado ao setor lançado na América Latina.
Segundo informou o BNDES, o objetivo do FIP é fortalecer a cadeia produtiva aeroespacial, aeronáutica, de defesa e de segurança, além de estimular a integração de sistemas vinculados a esses setores, mediante o apoio a pequenas e médias empresas fornecedoras de bens e serviços.
O fundo terá patrimônio inicial de R$ 131,3 milhões. A BNDES Participações (Bndespar), subsidiária do BNDES, a Finep e a Embraer participarão do fundo com R$ 40 milhões cada, enquanto o Desenvolve SP entrará com R$ 10 milhões e a Port Bank, gestora do fundo, com R$ 1,3 milhão.
O FIP é um fundo de 'venture capital' (capital empreendedor) e será destinado a empresas inovadoras nacionais de pequeno e médio porte, que apresentem faturamento bruto de até R$ 200 milhões por ano.
O fundo foi estruturado com investimento em capital de risco (corporate venturing), que se baseia no esforço corporativo de uma empresa estratégica - no caso a Embraer. Dessa forma, o fundo estabelece um vínculo entre a empresa âncora e iniciativas inovadoras do segmento aeroespacial, para a incentivar investimentos.
O presidente do BNDES, Luciano Coutinho, ressaltou a prioridade dada pela instituição ao financiamento de micro e pequenas empresas de base tecnológica que integrem cadeias produtivas importantes e que tenham o suporte de grandes empresas. “Esperamos e estamos trabalhando para que outras empresas sigam o caminho trilhado pela Embraer”, disse.
Já o presidente da Finep, Glauco Arbix, salientou a importância do capital de risco para o financiamento de projetos, “principalmente porque cria um ambiente de investimento constante”. Arbix disse que a participação de empresas líderes em vários segmentos da economia contribui para diminuir os riscos e impulsionar investimentos em empresas de base tecnológica.
O presidente da Finep manifestou, ainda, a intenção de reproduzir a iniciativa para outras cadeias produtivas, entre as quais a de óleo e gás, tendo a Petrobras como empresa líder, e também a cadeia de tecnologia da informação.
Fonte - Agência Brasil  07/05/2014

Entradas de dólares superam saídas em US$ 2,7 bilhões, no mês de abril

Economia

No mês passado, o fluxo financeiro (investimentos em títulos, remessas de lucros e dividendos ao exterior e investimentos estrangeiros diretos, entre outras operações) ficou negativo em US$ 1,015 bilhão....

Kelly Oliveira
Repórter da Agência Brasil

O saldo da entrada e saída de dólares do país, fluxo cambial, fechou o mês de abril positivo em US$ 2,783 bilhões e no primeiro dia útil deste mês (2), o resultado também ficou positivo, em US$ 773 milhões, de acordo com dados do Banco Central, divulgados hoje (7).

No mês passado, o fluxo financeiro (investimentos em títulos, remessas de lucros e dividendos ao exterior e investimentos estrangeiros diretos, entre outras operações) ficou negativo em US$ 1,015 bilhão, enquanto o comercial (operações de câmbio relacionadas a exportações e importações) registrou saldo positivo de US$ 3,798 bilhões.
No dia 2 de maio, o fluxo financeiro ficou positivo em US$ 553 milhões e o comercial, em US$ 219 milhões.
De janeiro a 2 de maio, o fluxo cambial ficou positivo em US$ 5,614 bilhões. Nesse período, o fluxo financeiro ficou positivo em US$ 2,654 bilhões enquanto o comercial registrou US$ 2,959 bilhões
Fonte - Agência Brasil

Plano retoma trens de passageiros

Transportes sobre trilhos

Estudos em fase mais adiantada indicam que algumas linhas poderiam ser concedidas para exploração pela iniciativa privada, com rentabilidade (ou Taxa Interna de Retorno, TIR), na faixa de 10% a 15%. Essas são as taxas calculadas para seis linhas que já têm estudos de viabilidade técnica, econômica e financeira concluídos. Pelo fato de estarem em estágio mais avançado, essas linhas foram selecionadas para funcionar como piloto das demais.

O Estado de S. Paulo
foto - ilustração
O governo analisa um plano em investimentos e custeio de operação nos próximos seis anos para retomar o transporte de passageiros em trens em todo o País. É um estudo elaborado sob coordenação da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e com participação de especialistas do mercado e da academia para reaproveitar a malha já existente e criar uma alternativa de mobilidade urbana.
O relatório final propõe a criação de mais uma estatal - o governo criou pelo menos sete, que vão desde a produção de derivados de sangue até a exploração do pré-sal -, dessa vez para implementar uma nova política nacional para o transporte regional, metropolitano e urbano. Ela foi batizada de Empresa Brasileira dos Transportes Terrestres (EBTT).
O estudo consumiu um ano de discussão. O relatório já foi entregue ao Ministério dos Transportes. O titular da pasta, César Borges, disse que vai entregar cópias aos Ministérios das Cidades e do Planejamento. De fato, explica um técnico da área, o resultado final das discussões é muito mais uma proposta de mobilidade urbana, que não é exatamente um tema dos Transportes. Dado o calendário eleitoral, a tendência é que o estudo sirva de base para um programa do próximo governo.
Estudos em fase mais adiantada indicam que algumas linhas poderiam ser concedidas para exploração pela iniciativa privada, com rentabilidade (ou Taxa Interna de Retorno, TIR), na faixa de 10% a 15%. Essas são as taxas calculadas para seis linhas que já têm estudos de viabilidade técnica, econômica e financeira concluídos. Pelo fato de estarem em estágio mais avançado, essas linhas foram selecionadas para funcionar como piloto das demais.
Nesse grupo há, por exemplo, uma ligação ferroviária entre Londrina e Maringá, no Paraná. Também o trem entre Caxias do Sul e Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul, e entre São Luiz e Itapecuru, no Maranhão.
PAC 3. O grupo recomendou que essas linhas sejam incluídas na terceira versão do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), que será lançado para um eventual segundo mandato de Dilma Rousseff. Assim, haveria recursos para fazer os projetos de engenharia e iniciar as obras ainda em 2015.
A proposta, porém, não fica restrita a essas linhas. O Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós -Graduação e Pesquisa de Engenharia (Coppe), da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) identificaram 64 rotas no País que poderiam ser financeiramente sustentáveis para trens de passageiros. Dessas, 16 já deram algum passo no longo processo burocrático rumo à sua transformação em empreendimento.
Além das seis que já dispõem de estudos, há outros trechos numa etapa anterior: estão sendo analisados para determinar, com maior grau de segurança, se são ou não viáveis do ponto de vista econômico. É o caso, por exemplo, da ligação de Brasília a Luziânia (GO), uma rota que passa por diversas cidades-satélites da capital federal.
Modelo. Ainda não está definido, porém, como seriam feitas as concessões. Se, por exemplo, elas seriam tocadas pelo governo federal ou do Estado. O mais provável, dizem os técnicos, é que variará de caso a caso, dependendo da capacidade gerencial do governo local.
Também tende a ser variável o modelo de concessão. Em alguns casos, poderá ser contratado somente o serviço de passageiros. Em outros, a manutenção da linha e o transporte de pessoas.

TAV deixa de ser prioridade do governo
A presidente Dilma Rousseff deve encerrar o mandato sem tirar do papel seu projeto mais emblemático na área de infraestrutura: o Trem de Alta Velocidade (TAV), o trem-bala que ligaria Rio de Janeiro, São Paulo e Campinas. O assunto não saiu de pauta, mas não está sendo priorizado nesse momento, admitiu ao Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado, o ministro dos Transportes, César Borges. Particularmente, acho que é um assunto para o próximo governo.
Em agosto, termina o prazo de um ano pedido pelos empreendedores estrangeiros para estruturar uma proposta para o TAV. Assim, em tese, o governo poderia retomar a concessão da linha. Porém, na avaliação do ministro, o calendário eleitoral pode pesar no apetite das empresas. Não trabalhamos com o horizonte de fazer qualquer ação no sentido de leiloar, disse Cesar Borges, que é favorável ao projeto. Vamos esperar para ver o mercado.
Em meados do ano passado, o governo fez sua melhor tentativa de leiloar o TAV. Acolheu propostas dos interessados e chegou a divulgar cartas dos bancos manifestando interesse em financiar os projetos. Porém, suspendeu a concorrência ao ser informado que apenas os franceses apresentariam uma proposta. Nos bastidores, espanhóis e alemães pediram mais tempo, por isso foi dado mais um ano. O processo foi complicado também porque muitas das interessadas estavam envolvidas nas investigações sobre formação de cartel em trens.
Já naquela ocasião, ficou clara a tendência de deixar o projeto para um eventual segundo mandato de Dilma. Um sinal do desinteresse foi a redução dos recursos para elaboração dos estudos. Enquanto a EPL falava em R$ 1 bilhão, o valor destinado ficou em R$ 247 milhões. De acordo com fonte da área técnica ouvidos pelo Broadcast, não houve, até agora, novos interessados no empreendimento.
A taxa de retorno não compensaria o risco do projeto, que é elevado. Este ano não sai mesmo, diz a fonte. E a única forma de tirar do papel a partir do ano que vem é o governo se responsabilizar pelo projeto executivo de engenharia. Esse estudo custaria cerca de R$ 1 bilhão.
Fonte - Revista Ferroviária 07/05/2014

terça-feira, 6 de maio de 2014

Produção de petróleo cresce 14,4% em março e de gás natural bate recorde

Economia

Os dados foram divulgados hoje (5) pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). A produção de gás natural atingiu em março 83,4 milhões de metros cúbicos por dia, novo recorde de produção, superando em 0,2% o registrado em fevereiro, quando a produção atingiu 83,2 milhões de metros cúbicos por dia

Nielmar de Oliveira 
Repórter da Agência Brasil 
foto - ilustração
A produção de petróleo nos campos nacionais atingiu em março 2,1 milhões de barris diários, um aumento de 14,4% em relação a março de 2013 e de 1,4% na comparação com o mês de fevereiro deste ano.
Os dados foram divulgados hoje (5) pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). A produção de gás natural atingiu em março 83,4 milhões de metros cúbicos por dia, novo recorde de produção, superando em 0,2% o registrado em fevereiro, quando a produção atingiu 83,2 milhões de metros cúbicos por dia. Quando comparada à de março do ano passado, a produção de gás aumentou 8%.
Os dados da ANP indicam que a produção de petróleo e gás natural no Brasil em março totalizou aproximadamente 2,64 milhões de barris equivalentes (petróleo e gás) por dia. As informações constam do Boletim da Produção da ANP e estão disponíveis na página da companhia na internet.
Os dados indicam, ainda, que a produção nos campos do pré-sal superou em 2,4% a de fevereiro, totalizando 483,4 mil barris de óleo equivalente por dia. A produção de petróleo chegou a 395,9 mil barris diários e a de gás natural, a 13,9 milhões de metros cúbicos por dia.
Segundo a ANP, a produção do pré-sal teve origem em 28 poços, localizados nos seguintes campos: Baleia Azul, Baleia Franca, Jubarte, Pirambu, Caratinga, Barracuda, Linguado, Lula, Marlim Leste, Pampo, Sapinhoá e Trilha.
Embora a queima de gás natural em março tenha sido de cerca de 4,3 milhões de metros cúbicos por dia, um aumento de aproximadamente 1% em relação ao mês anterior e de 15,8% ante março de 2013, o aproveitamento do gás natural no país no mês chegou a 94,8%.
As informações indicam, ainda, que 91,1% da produção de petróleo e gás natural foram provenientes de campos operados pela Petrobras.
O de Marlim Sul, na Bacia de Campos, registrou a maior produção de petróleo, com média de 263,9 mil barris por dia. O maior produtor de gás natural foi o Campo de Mexilhão, na Bacia de Santos, com média diária de 6,7 milhões de metros cúbicos.
A Plataforma P-52, localizada no Campo de Roncador, produziu, em 14 poços a ela interligados, cerca de 135,1 mil barris de óleo equivalente por dia e foi a unidade com maior produção.
Em fevereiro, 305 concessões, operadas por 25 empresas, foram responsáveis pela produção nacional. Dessas, 83 são concessões marítimas e 222, terrestres.
Fonte - Agência Brasil  06/05/2014