sábado, 29 de março de 2014

Terceira metrópole do país tem cena urbana de contrastes

Salvador

Os contrastes sociais se concretizam em espaços divididos como os da Pituba/Nordeste de Amaralina, Brotas/Buraco da Gia, Barra/Calabar, Iguatemi/Saramandaia e tantos outros.
O acentuado desnível social se evidencia em numerosos bairros onde comunidades aparecem ao lado de morros

Priscila Machado
Fernando Vivas | Ag. A TARDE
Salvador tem uma paisagem marcada por periferias que se estendem pelo Subúrbio, miolo e região norte, mas que também disputam lugar com bairros nobres no centro.
Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que 881.572 pessoas vivem em aglomerados subnormais na cidade, o que representa uma parcela de 32% da população.
Os contrastes sociais se concretizam em espaços divididos como os da Pituba/Nordeste de Amaralina, Brotas/Buraco da Gia, Barra/Calabar, Iguatemi/Saramandaia e tantos outros.
Segundo a Secretaria Municipal de Infraestrutura e Defesa Civil (Sindec), 73% das 750 mil residências da cidade são irregulares e se concentram, principalmente, no miolo e no Subúrbio.
A socióloga e organizadora da coletânea Como Anda Salvador e Sua Região Metropolitana, Inaiá Carvalho, explica que essa é uma característica própria das metrópoles brasileiras. "Enquanto o Subúrbio sempre foi ocupado pela população de baixa renda, a orla atlântica e o Centro da cidade concentram a classe média e alta", diz.
Inaiá também explica que o nome periferia era usado inicialmente para designar as regiões mais afastadas do Centro. Com o tempo, passou a se referir a qualquer bairro pobre, devido à semelhança em relação à falta de equipamentos e à concentração de pessoas de baixa renda.
Ainda conforme a socióloga, a periferia é dinâmica e, às vezes, é absorvida pelo Centro. "A Liberdade, por exemplo, era uma invasão. Com o passar dos anos, foi urbanizada, incorporada e já não é tão distante", diz.

Processo histórico
Na década de 1960, as periferias se intensificaram com a instalação de indústrias e a chegada de pessoas do interior do estado. A privatização das terras públicas municipais em 1968 impulsionou ainda mais esse crescimento, pois os terrenos do Centro e orla atlântica passaram a custar muito caro.
Restou aos mais pobres, ocupar, de forma precária e irregular, as porções de terra mais afastadas do núcleo, ou as brechas no entorno do centro comercial.
Atualmente, conforme o segundo vice-presidente do Conselho Regional dos Corretores de Imóveis da Bahia, José Alberto de Vasconcelos, os bairros mais valorizados são o Horto Florestal e a Vitória, cujo metro quadrado passa de R$ 10 mil. "O bairro tem imóveis de alto luxo, supera inclusive os atuais Alphavilles, de metro quadrado em torno de R$ 7 mil", diz.
Fonte - A Tarde 29/03/2014

Aeronáutica investiga pouso de emergência de avião em Brasilia

Brasilia

Na tarde de ontem (28), às 17h42, o avião, com 49 pessoas a bordo, não conseguiu baixar o trem de pouso dianteiro e pousou de barriga, “de forma segura”, segundo nota da empresa. A aeronave Fokker MK 28, fazia a rota Petrolina (PE)-Brasília.

Andreia Verdélio 
Repórter da Agência Brasil 
José Cruz/Agência Brasil
O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), da Aeronáutica, investiga as causas do pouso de emergência da aeronave da empresa Avianca no Aeroporto Internacional Juscelino Kubistchek, em Brasília (DF). A informação é da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).
Na tarde de ontem (28), às 17h42, o avião, com 49 pessoas a bordo, não conseguiu baixar o trem de pouso dianteiro e pousou de barriga, “de forma segura”, segundo nota da empresa. A aeronave Fokker MK 28, fazia a rota Petrolina (PE)-Brasília. Após o pouso, caminhões jogaram espuma sobre o avião para reduzir o risco de explosão.
Segundo a companhia, todos os 44 passageiros a bordo foram assistidos, sendo que 20 deles seguiram viagem em voos da própria empresa, 14 seguiram para suas residências em Brasília e nove adultos e uma criança foram acomodados em hotel. A Anac informou que está acompanhando a assistência aos passageiros.
Segundo a Inframérica, concessionária que administra o Aeroporto de Brasília, as pistas do aeroporto operam normalmente hoje. Ontem, a pista onde o avião pousou foi liberada por volta das 21h e os voos programadas foram direcionados para a segunda pista do aeroporto, o que provocou atraso em 15 voos.
A Anac informa que caso o passageiro se sinta prejudicado ou tenha seus direitos desrespeitados, ele deve procurar a empresa aérea contratada para reivindicar seus direitos como consumidor, inclusive aquele de companhias aéreas que tiveram suas operações impactadas pela interdição de uma das pistas. Dúvidas podem ser esclarecidas pelo telefone 0800 725 4445 ou no site da Anac.
Fonte - Agência Brasil  29/03/2014

Ministério Público pede prisão de 13 acusados de envolvimento em cartel do trem em SP

Cartel do trem

O MP estima que as fraudes, iniciadas em 1998, tenham causado prejuízos de R$ 834,8 milhões aos cofres públicos. De acordo com a investigação, a estratégia mais comum era a participação combinada nas concorrências públicas. Parte das empresas perdia a licitação e as vencedoras rateavam 30% dos ganhos e, em contrapartida, contratavam os serviços das perdedoras. Os contratos sob suspeita somam R$ 2,7 bilhões.

Daniel Mello 
Repórter da Agência Brasil 
foto - ilustração
O Ministério Público (MP) de São Paulo pediu a prisão de 13 executivos acusados de participar de um cartel nas licitações do transporte público do estado. Segundo os promotores do Grupo de Atuação Especial de Combate aos Delitos Econômicos (Gedec), foram verificadas irregularidades em 11 contratos de cinco projetos do Metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).
O MP estima que as fraudes, iniciadas em 1998, tenham causado prejuízos de R$ 834,8 milhões aos cofres públicos. De acordo com a investigação, a estratégia mais comum era a participação combinada nas concorrências públicas. Parte das empresas perdia a licitação e as vencedoras rateavam 30% dos ganhos e, em contrapartida, contratavam os serviços das perdedoras. Os contratos sob suspeita somam R$ 2,7 bilhões.
Os pedidos de prisão foram emitidos contra 11 altos funcionários da empresa alemã Siemens à época das fraudes: Peter Rathgeber, Robert Huber Weber, Herbert Hans Steffen, Rainer Giebl, José Aniorte Jimenez, Dirk Schönberger, Friedrich Smaxwill, Lothar Dill, Lothar Müller, Jochen Wiebner, e Alexander Flegel. Além deles, também tiveram a prisão decretada o ex-presidente da canadense Bombardier, Serge Van Temsche, e o gerente-geral da coreana Hyunday-Rotem, Dong Ik Woo.
Ontem (27), a empresa alemã Siemens assinou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Ministério Público de São Paulo para fornecer informações sobre o cartel. Pelo acordo, a multinacional se comprometeu a fornecer documentos e facilitar o acesso a testemunhas que ajudem a esclarecer como funcionava o esquema de fraudes em concorrências públicas.
A companhia já havia firmado um acordo de leniência com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). O acordo tem servido de base para as investigações sobre as fraudes.
Durante o anuncio do TAC, o presidente da Siemens, Paulo Stark, ressaltou que atual gestão da empresa não tem ligação com as fraudes. “Apesar da gestão atual e dos 8 mil funcionários da Siemens não terem envolvimento nenhum com esse caso, está mais que evidente que a empresa tem já instalados todos os mecanismos possíveis para evitar que erros dessa natureza possam ser cometidos por qualquer um que se diga desavisado”, destacou.
Por meio de nota, a Bombardier disse que Van Temsche não trabalha mais na empresa e que não comentará a decisão do Ministério Público.
Fonte - Agência Brasil  28/03/2014

sexta-feira, 28 de março de 2014

VLT em Fortaleza vai alternar com a linha férrea do trem de carga

Transportes sobre trilhos

Conforme a Seinfra, o trem do VLT e o de carga vão passar pelo mesmo trilho, em horários diferentes
"O trem vai ser do VLT, mas o trilho vai ser alternado: hora o de carga e hora o do VLT. Eles passam em horários diferentes, então não vai chocar", esclarece André Pierre, coordenador de Transportes e Obras da Secretaria da Infraestrutura do Estado (Seinfra). 


Luana Lima
Repórter
foto - ilustração
A três meses da Copa do Mundo de 2014, as intervenções do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) - uma das mais impactantes da matriz de responsabilidades do mundial, sobretudo no que diz respeito às desapropriações -, segue em ritmo lento. Prova disso é que apenas 44% foram concluídos. A obra, iniciada no começo de 2012, tem previsão de término em junho deste ano, quando acontece o Mundial. Com os prazos estourados, o governo informa que o modal vai começar a operar de forma compartilhada com a linha férrea do trem de carga, já existente, o que deve acontecer a partir de 31 de maio.
"O trem vai ser do VLT, mas o trilho vai ser alternado: hora o de carga e hora o do VLT. Eles passam em horários diferentes, então não vai chocar", esclarece André Pierre, coordenador de Transportes e Obras da Secretaria da Infraestrutura do Estado (Seinfra). "A gente queria que já estivesse tudo pronto, mas estamos 'reféns' das desapropriações. Esse é sempre um problema que atinge a obra", justifica.
O projeto, acrescenta o coordenador, foi desenvolvido para trabalhar com três faixas: a 1 e 2 do VLT e uma terceira do trem de carga. Entretanto, pela dificuldade de avançar nas obra por causa das desapropriações, inicialmente terá que ser de forma compartilhada. "Vai ser alternado, porque algumas estações não vão ser concluídas", alega. Ele afirma que a medida foi tomada para testar os veículos.

FOTO: KID JÚNIOR
Abandono
Em alguns pontos, como no bairro São João do Tauape, moradores reclamam que as obras foram iniciadas, mas há meses estão abandonadas, causando transtornos à população. "Foi trator e mais trator, a gente pensando que a obra ia passar rápido, mas fizeram essa vala e deixaram aí, acumulando sujeita e mosquito. E quando chove fica cheio de água. É até perigoso. Tem gente que esquece e cai dentro", denuncia a aposentada Antônia Ferreira dos Santos, 72, que reside em frente à linha férrea, próximo ao cruzamento com a Rua José Justa.
O estudante Gefredo Júnior Cordeiro, 26, afirma que a obra está parada há cerca de seis meses. "Fizeram esse buraco, que só serve para juntar lixo e mosquito, e deixaram aí. Para piorar, por causa das máquinas, muitas casas ficaram com rachaduras. A expectativa é de que melhore, se conseguirem concluir. Mas daqui para a Copa, que é em junho, não tem nem perigo de terminarem", declara, descrente com o cumprimento dos prazos. No local, não existe nenhuma placa indicando o que vai ser feito e nem prazo para conclusão. Quem mora na área sabe pouco sobre a intervenção.
Apesar da situação de abandono da área, caracterizada pelo lixo e entulho no entorno, a Seinfra informa, em nota emitida através da assessoria de comunicação, que as obras na região do São João do Tauape não estão paradas. De acordo com o órgão, os trabalhos estão concentrados na finalização da ponte que cruzará o Canal do Tauape, próximo à BR-116, parte mais importante do empreendimento no local e que possibilitará o andamento do restante da obra na região, enquanto outras ações pontuais estão sendo realizadas ao longo do trecho citado.
Orçada em R$ 265,5 milhões, dos quais em torno de R$ 150 milhões já foram investidos, conforme informações do coordenador André Pierre, a obra do VLT envolve 2.185 desapropriações. Desse total, apenas mil foram pagas e encontram-se em processo de demolição. As demais ainda estão em negociação.

Garantias
"A gente não vai tirar as pessoas sem nenhuma garantia, isso consome um prazo considerável", afirma o gestor, justificando os atrasos. Dos oito VLTs em construção, dois foram entregues neste mês de março, mais dois estão previstos para abril e quatro para o mês de maio.
Heber Oliveira, professor da Universidade de Fortaleza (Unifor) e doutorando em engenharia de transportes, comenta que, com o anúncio da Copa do Mundo em 2014, surgiram medidas intencionadas à solução de parte dos problemas que dizem respeito à mobilidade urbana, sobretudo àqueles que poderiam impedir ou restringir o funcionamento do evento no País. Entre eles, o VLT. Apesar de ser um equipamento que pode trazer benefícios para a mobilidade urbana da Capital, destaca que ele somente garantirá, quando estiver construído e em operação, parte dos deslocamentos de algumas regiões da cidade, no seu trajeto de pouco mais de 11 Km.
Fonte - Diário do Nordeste  28/03/2014

Sistema Cantareira chega a 13,8%, o mais baixo desde que foi criado


São Paulo

O nível da água do reservatório caiu, de ontem para hoje, mais 0,2 ponto percentual e chegou a 13,8%. Esse é o nível mais crítico desde que o sistema foi criado, na década de 1970. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a previsão é chuva, em São Paulo, até a próxima terça-feira (1º), mas o volume não será suficiente para melhorar a situação do Cantareira

Camila Maciel 
Repórter da Agência Brasil
Sistema CantareiraSabesp/Divulgação
O volume de água armazenado no Sistema Cantareira alcançou hoje (28) mais um recorde negativo, ficando, pela primeira vez, abaixo dos 14%. O nível da água do reservatório caiu, de ontem para hoje, mais 0,2 ponto percentual e chegou a 13,8%. Esse é o nível mais crítico desde que o sistema foi criado, na década de 1970. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a previsão é chuva, em São Paulo, até a próxima terça-feira (1º), mas o volume não será suficiente para melhorar a situação do Cantareira.
“Essa chuva ajuda a diminuição a evaporação, mas não deve resolver o problema”, avaliou Helena Balbino, meteorologista do Inmet. Ela explicou que a precipitação ocorrerá com a chegada de uma frente fria vinda do Uruguai em direção ao Oceano Atlântico. Ao encontrar um canal de umidade proveniente da Amazônia, ocorrem as chuvas. Helena esclarece que o outono, que começou na quinta-feira (20), e o inverno são estações tradicionalmente mais secas.
O diretor presidente da Agência Nacional de Águas (ANA), Vicente Andreu Guillo, avaliou, em audiência pública na Assembleia Legislativa de São Paulo, na última terça-feira (25), que 2014 será um ano “bastante difícil” para a população paulista. “Essa crise deve continuar durante todo o ano”, ressaltou ele, que ainda defendeu a utilização do volume morto do Cantareira como medida de curto prazo para ajudar na solução da crise de desabastecimento.
Ele defendeu mudanças nas regras de renovação da outorga do Sistema Cantareira, maior complexo de abastecimento de água de São Paulo. A outorga deve ocorrer em agosto deste ano. “A nova outorga precisará ter regras. E aí, não importa de que partido é o governo. Aconteceu tal coisa, a população deve saber, porque existe um cuidado das empresas de saneamento de não passar risco ou intranquilidade [para a população]”, declarou.
Fonte - Agência Brasil  28/03/2014

Estado vai requalificar trecho da orla de Salvador

Salvador

Segundo o secretário da Casa Civil e pré-candidato ao governo do estado, Rui Costa, que só fica no cargo até o próximo dia 31, o projeto será feito em duas etapas.
O trecho que ficou com o estado é o do Bahia (antiga sede do clube) até a saída da Orlando Gomes. Prevê requalificação completa: viária e da borda da praia, onde a pista deixa de ser junto à praia. Aquela área servirá para ocupação urbana, um calçadão para atividades de lazer.

Anderson Sotero
foto - a tarde
O trecho da orla entre a Boca do Rio e as imediações da saída da avenida Orlando Gomes será requalificado pelo governo do estado a um custo de
R$ 380 milhões. O anúncio foi feito ontem pelo governador Jaques Wagner durante apresentação do plano de mobilidade para Salvador, no Centro de Convenções da Bahia.
O chefe do Executivo estadual disse que estava 'batalhando' com a presidente Dilma Rousseff o valor. "Eu não sabia, mas acabei de receber a confirmação de que a presidente bateu o martelo, e nós vamos investir mais R$ 380 milhões na requalificação da orla", disse Wagner.
Segundo o secretário da Casa Civil e pré-candidato ao governo do estado, Rui Costa, que só fica no cargo até o próximo dia 31, o projeto será feito em duas etapas. Atualmente, a orla da capital baiana já é alvo de um projeto de requalificação da prefeitura.
"O trecho que ficou com o estado é o do Bahia (antiga sede do clube) até a saída da Orlando Gomes. Prevê requalificação completa: viária e da borda da praia, onde a pista deixa de ser junto à praia. Aquela área servirá para ocupação urbana, um calçadão para atividades de lazer. E a pista vem para dentro abrindo toda aquela borda ali para estacionamento, comércio e lazer para a população", adiantou o secretário.
Procurada pela reportagem, a Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado (Conder) informou, por meio de sua assessoria, que não poderia tornar público detalhes do projeto de requalificação porque "ainda não há definição da verba". No entanto, o governador destacou durante o evento que o dinheiro será federal.
Fonte -  A Tarde  28/03/2014

Setor público registra superávit primário de R$ 2,13 bilhões

Economia

O superávit primário é a economia de recursos para pagar os juros da dívida pública e reduzir o endividamento do governo no médio e longo prazos. Neste ano, a meta do Governo Central é economizar R$ 80,8 bilhões, equivalentes a 1,55% do PIB. Os estados e municípios deverão fazer superávit primário de R$ 18,2 bilhões – 0,35% do PIB. No total, o superávit primário do setor público deverá fechar o ano em R$ 91,306 bilhões – 1,9% do PIB.

Kelly Oliveira
Repórter da Agência Brasil

O setor público consolidado – governos federal, estaduais e municipais e empresas estatais – registrou superávit primário de R$ 2,130 bilhões, em fevereiro, de acordo com dados divulgados hoje (28) pelo Banco Central (BC).
Nos dois meses do ano, o superávit primário chegou a R$ 22,052 bilhões e em 12 meses encerrados em fevereiro, ficou em R$ 86,138 bilhões, o que corresponde a 1,76% de tudo o que o país produz – Produto Interno Bruto (PIB).
O superávit primário é a economia de recursos para pagar os juros da dívida pública e reduzir o endividamento do governo no médio e longo prazos. Neste ano, a meta do Governo Central é economizar R$ 80,8 bilhões, equivalentes a 1,55% do PIB. Os estados e municípios deverão fazer superávit primário de R$ 18,2 bilhões – 0,35% do PIB. No total, o superávit primário do setor público deverá fechar o ano em R$ 91,306 bilhões – 1,9% do PIB.
No mês passado, o Governo Central (Tesouro Nacional, Banco Central e Previdência) registrou déficit primário de R$ 3,389 bilhões, o que foi compensado pelo resultado superavitário dos governos regionais (estados e municípios). Os governos estaduais registraram superávit de R$ 4,107 bilhões e os municipais, R$ 1,360 bilhão. As empresas estatais (excluídos os grupos Petrobras e Eletrobras) registraram superávit de R$ 52 milhões, em fevereiro.
O esforço fiscal do setor público não foi suficiente para cobrir os gastos com os juros que incidem sobre a dívida. Esses juros chegaram a R$ 11,646 bilhões, em fevereiro, e acumularam R$ 42,045 bilhões, nos dois meses do ano. Com isso, o déficit nominal, formado pelo resultado primário e as despesas com juros, ficou em R$ 9,516 bilhões, no mês passado, e em R$ 19,994 bilhões, de janeiro a fevereiro.
O BC também informou que a dívida líquida do setor público R$ 1,649 trilhão, o que corresponde a 33,7% do PIB, com aumento de 0,5 ponto percentual em relação a janeiro.
Outro indicador divulgado pelo BC é a dívida bruta do governo geral (governos federal, estaduais e municipais). No caso da dívida bruta, não são considerados os ativos em moeda estrangeira, mas apenas os passivos. A dívida bruta chegou a R$ 2,816 trilhões ou 57,5% do PIB, com recuo de 0,6 ponto percentual em relação ao mês anterior.
Fonte - Agência Brasil  28/03/2014

VLT - Apresentado o protótipo que será usado no Rio

Transportes sobre trilhos

O protótipo do VLT ficará exposto para visitação pública todos os dias da semana, entre 9h e 20h. O espaço fica na Rua da Gamboa, entre os galpões ferroviários, na Região Portuária, próximo ao Túnel Ferroviário do Morro da Providência.

O Globo
foto - RF
Quem quiser saber como será o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), que começa a entrar em operação no Centro e na Região Portuária da cidade no segundo semestre de 2015, pode conferir um protótipo do modelo nos galpões da Gamboa. O novo transporte, que integrará barcas, aeroporto, trens, metrô, teleférico, ônibus convencionais e BRTs, foi apresentado nesta quinta-feira pelo prefeito Eduardo Paes.
O protótipo do VLT ficará exposto para visitação pública todos os dias da semana, entre 9h e 20h. O espaço fica na Rua da Gamboa, entre os galpões ferroviários, na Região Portuária, próximo ao Túnel Ferroviário do Morro da Providência.
— De todas as intervenções de infraestrutura que estão sendo feitas na cidade, a mais importante é essa aqui, que é a recuperação do Centro do Rio e da Zona Portuária. O VLT é uma espécie de resumo de tudo aquilo que tem que ser feito no campo da mobilidade na cidade, que é uma mobilidade que não interessa só à cidade, mas também à Região Metropolitana. A principal função dele é integrar todos os transportes que chegam ao Centro.
O ideal é que você tenha um meio de locomoção dentro do Centro que não seja automóvel nem ônibus — disse Paes.
De acordo com o prefeito, a expectativa é que o VLT esteja operando com toda sua capacidade no primeiro semestre de 2016. O sistema, porém, começa a entrar em circulação no segundo semestre de 2015. De acordo com o subsecretário de Parceria Público-Privada, da Casa Civil, Jorge Arraes, o primeiro trajeto a entrar em operação será o que vai da Rodoviária Novo Rio à Central (Estação Praia Formosa). O VLT vai circular durante 24 horas no Centro e na Região Portuária e terá capacidade para transportar 285 mil pessoas por dia. O sistema compreende 28 quilômetros de percurso, com seis linhas e 46 pontos (42 paradas e quatro estações). Os usuários poderão utilizar o novo sistema de transporte com o Bilhete Único Carioca.
— O VLT carioca é um dos mais modernos do mundo em termos de tecnologia ferroviária. Ele vai resgatar toda a beleza do antigo bonde — avaliou o presidente do consórcio VLT Carioca, Cláudio Andrade.
O VLT é uma espécie de bonde moderno elétrico, que não polui o meio ambiente. Ele foi projetado totalmente sem catenárias (cabos para captar energia elétrica em fios suspensos). O abastecimento de energia se dá pela combinação de um supercapacitor (fonte de energia) ao sistema APS (alimentação pelo solo), espécie de terceiro trilho, já implantado em diversas cidades europeias. A velocidade média do VLT será de 17 quilômetros por hora. Os veículos terão ar-condicionado com temperatura de 24 graus.

Transferência de tecnologia
Os cinco primeiros veículos de VLT serão importados da França. O fornecedor será a empresa francesa Alstom. Depois dessa primeira fase, outros 27 veículos devem ser produzidos no Brasil por meio de transferência de tecnologia. O projeto da prefeitura, que está sendo executado numa parceria público-privada (PPP), prevê investimentos de R$ 1,2 bilhão. As obras começaram em março pelo Túnel Ferroviário, sob o Morro da Providência. A expectativa é que todas as etapas estejam concluídas até o fim de 2015.
Fonte - Revista Ferroviária 28/03/2014

Porto do Açu deve receber R$1,9 bilhão em investimentos com aceleração das obras

Infraestrutura

Para 2014, a companhia prevê que sejam realizados investimentos de R$ 1,9 bilhão no empreendimento. Destes, R$ 1,494 bilhão serão aplicados no desenvolvimento do Terminal 2, como finalização do canal, construção de linha de transmissão, construção do quebra-mar, desenvolvimento do Terminal Multicargas (TMULT), dragagem dos terminais e adequação do quebra-mar do T1 para movimentação de petróleo

Bruno Merlin
Publicado originalmente pela
assessoria de imprensa da Prumo Logística
foto - ilustração
A Prumo Logística divulgou hoje que o Porto do Açu recebeu R$ 1,4 bilhão em investimentos em 2013. Deste total, R$ 820,1 milhões (R$ 1,038 bilhão incluindo juros capitalizados) foram aplicados no T2 (terminal onshore) e adequação do quebra-mar do T1 (terminal offshore) para movimentação de petróleo. Outros R$ 642,1 milhões (R$ 743,1 milhões contabilizando juros capitalizados) foram aplicados no desenvolvimento do projeto de minério de ferro.
Para 2014, a companhia prevê que sejam realizados investimentos de R$ 1,9 bilhão no empreendimento. Destes, R$ 1,494 bilhão serão aplicados no desenvolvimento do Terminal 2, como finalização do canal, construção de linha de transmissão, construção do quebra-mar, desenvolvimento do Terminal Multicargas (TMULT), dragagem dos terminais e adequação do quebra-mar do T1 para movimentação de petróleo. O restante será investido no desenvolvimento do projeto de minério de ferro.
Foto: assessoria de imprensa Prumo
Imagem aérea mostra avanço de obras
 no T2 (terminal onshore) do Porto do Açu
Os dados constam da divulgação dos resultados de 2013 e confirmam a retomada do ritmo das obras do porto, que tem início de operação previsto para junho deste ano.
No relatório, a empresa informa também que de 2007 a 2013 foram investidos R$ 5,2 bilhões no empreendimento, contabilizando os juros capitalizados. Deste montante, R$ 2,6 bilhões foram investidos pela LLX Açu (subsidiária da Prumo Logística) e o restante pela LLX Minas-Rio (parceria entre a Anglo American e a Prumo) e pela Anglo American.
“Neste ano a Prumo sai da fase pré-operacional e inicia efetivamente a operação do Porto do Açu. Queremos iniciar as nossas atividades e prestar serviços aos nossos clientes com eficiência e segurança. Ao longo deste ano, o foco será na atração de novos clientes e na maximização de valor dos principais negócios hoje existentes no Porto do Açu. A atual administração e todos os colaboradores estão extremamente motivados e unidos com um único objetivo: entregar para o país uma alternativa eficiente e de ponta para melhorar a infraestrutura do Brasil”, destacou Eduardo Parente, presidente da Prumo.
Fonte - Portogente  27/03/2014

quinta-feira, 27 de março de 2014

Siemens vai repassar documentos sobre o cartel para Ministério Público

Cartel

“Um compromisso relativo a obtenção de documentos, testemunhas, auditorias, investigações, pagamento de transporte para as pessoas que vão ser ouvidas e que vem do exterior”, detalhou o promotor Sílvio Marques. As informações deverão ajudar na resolução de 14 inquéritos abertos pela Promotoria de Defesa do Patrimônio Público.

Da Agência Brasil 
foto - ilustração
A empresa alemã Siemens assinou hoje (27) um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Ministério Público de São Paulo (MP-SP) para fornecer informações sobre formação de cartel nas licitações do transporte público no estado. Pelo acordo, a multinacional se comprometeu a repassar documentos e facilitar o acesso a testemunhas que ajudem a esclarecer como funcionava o esquema de fraudes em concorrências públicas, de 1998 a 2007.
“Um compromisso relativo a obtenção de documentos, testemunhas, auditorias, investigações, pagamento de transporte para as pessoas que vão ser ouvidas e que vem do exterior”, detalhou o promotor Sílvio Marques. As informações deverão ajudar na resolução de 14 inquéritos abertos pela Promotoria de Defesa do Patrimônio Público.
Um dos pontos que o Ministério Público busca desvendar é o uso de contratos de consultoria e empresas off shore para o pagamento de propina a agentes públicos brasileiros. “Nós sabemos que algumas consultorias, em relação a várias empresas, são contratos fictícios. Então nós precisamos desses documentos para saber para quem o dinheiro dessas consultorias fictícias foi encaminhado”, ressaltou Marques.
O TAC é, segundo os promotores, o primeiro passo para que seja feito um acordo para ressarcimento dos cofres públicos pelos prejuízos sofridos. “Eu não abro mão disso, nem que seja uma indenização por danos morais”, enfatizou o promotor César Dario Mariano. “Podemos ter como parâmetro indenizações que foram pagas em outros países, que a Siemens pagou em outros países”, acrescentou.
Mariano destacou ainda que a resolução do litígio por meio de um acordo, no qual o governo estadual deve obrigatoriamente fazer parte, tende a ser melhor do que a abertura de uma ação judicial. “É muito melhor fazermos um acordo nesse sentido do que propor uma ação que vai ser julgada daqui a dez anos”. Acordos semelhantes serão propostos a todas empresas envolvidas no esquema.
A assinatura só foi possível devido a prescrição dos crimes de improbidade administrativa que, segundo o MP, foram praticados pelos agentes públicos suspeitos. As provas coletadas pelos promotores podem, no entanto, embasar as ações criminais e o processo do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) sobre o cartel. “Esse termo de ajustamento de conduta é um primeiro passo para que nós possamos avançar ainda mais nas investigações que estão na nossa promotoria e em outros órgãos de investigação, como a polícia e o Cade”, destacou Sílvio Marques.
O presidente da Siemens no Brasil, Paulo Stark, disse que a empresa quer esclarecer os fatos e encerrar o caso. “Nós temos um passado do qual a gente não necessariamente se orgulha, mas nós não vamos ficar sentados em cima do rabo. O que nós queremos efetivamente é esclarecer, colocar um fim a esse episódio da única maneira correta que é colaborando”, declarou o executivo que considerou a possibilidade de que a multinacional firme um acordo para ressarcir os prejuízos causados pelo cartel.
Segundo Stark, a cooperação com o MP vai beneficiar a própria companhia, que fez investigações internas, mas com avanço limitado por não ter “poder de polícia”.
Fonte - Agência Brasil  27/03/2014

STF decide que Azeredo será julgado pela Justiça de Minas

Politica

Os ministros decidiram que, após renunciar ao mandato de deputado federal, em fevereiro, Azeredo perdeu o foro privilegiado, e não pode ser julgado pelo Supremo. A maioria seguiu o ministro Luís Roberto Barroso, relator da ação penal, que votou a favor da remessa do processo à Justiça de Minas. Seguiram o relator os ministros Teori Zavascki, Rosa Weber, Luiz Fux, Dias Toffoli, Gilmar Mendes, Marco Aurélio e Celso de Mello.

André Richter 
Repórter da Agência Brasil 
Ag.Brasil
O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu hoje (27) que Ação Penal 536, o processo do mensalão tucano,será julgada pela Justiça de Minas Gerais.Com a decisão,o ex-deputado federal Eduardo Azeredo (PSDB-MG), investigado por desvio de dinheiro público durante a campanha pela reeleição ao governo estadual em 1998, não responderá às acusações no STF.
Os ministros decidiram que,após renunciar ao mandato de deputado federal,em fevereiro, Azeredo perdeu o foro privilegiado,e não pode ser julgado pelo Supremo.A maioria seguiu o ministro Luís Roberto Barroso,relator da ação penal, que votou a favor da remessa do processo à Justiça de Minas. Seguiram o relator os ministros Teori Zavascki,Rosa Weber,Luiz Fux,Dias Toffoli,Gilmar Mendes,Marco Aurélio e Celso de Mello.
Barroso também estabeleceu critérios gerais para evitar que,em julgamento de casos futuros,a renúncia de agentes públicos que tenham prerrogativa de foro evite a mudança de competência dos tribunais para julgar as ações penais.Segundo Barroso,após o recebimento da denúncia pelo Supremo,parlamentares serão julgados pelo STF,mesmo se renunciarem ao mandato.No entanto,não houve consenso,e a questão voltará a ser debatida na próxima semana.
O presidente do STF,Joaquim Barbosa,votou a favor do critério proposto pelo relator,mas entendeu que a regra é válida no caso do ex-deputado.Barbosa afirmou que a renúncia de Azeredo teve a finalidade de evitar o julgamento pelo STF e na Justiça de primeiro grau,tendo em vista a possível prescrição das penas. “O processo tramita aqui há nove anos.Começou na mesma época da Ação Penal 470 [processo do mensalão], foi decorrente dela.Só de abertura da ação penal vamos para mais de quatro anos.Não parece bom para o tribunal permitir essa valsa processual,esse vai e volta.”
Eduardo Azeredo renunciou ao mandato parlamentar em fevereiro,após o procurador-geral da República,Rodrigo Janot, apresentar as alegações finais no processo,última fase antes do julgamento, pedindo a condenação do ex-deputado a 22 anos de prisão.
Nas alegações finais,o procurador-geral da República disse que Azeredo atuou como “um maestro” no esquema,desviando recursos públicos em benefício próprio para financiar a campanha política.Janot ressaltou que a prática dos crimes só foi possível por meio de um esquema criminoso montado pelo publicitário Marcos Valério, condenado na Ação Penal 470.
No documento enviado ao STF,Janot detalha como funcionava o esquema de desvios.Segundo ele,o então governador Eduardo Azeredo autorizava três empresas estatais – as companhias de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) e Mineradora de Minas Gerais (Camig) e o Banco do Estado de Minas Gerais (Bemge) – a liberar o pagamento de patrocínios de R$ 3,5 milhões,valores da época,para três eventos esportivos de motocross.A partir daí,o dinheiro passava pela agência de publicidade de Valério,por contas de empréstimos fraudulentos feitos no Banco Rural,e chegava à campanha do candidato.
Mesmo com a renúncia,o advogado de Eduardo Azeredo apresentou defesa ao Supremo.José Gerardo Grossi negou que o então governador mineiro tenha determinado a aquisição de cotas de patrocínio dos eventos pelas empresas citadas na denúncia.
O advogado também negou que Azeredo tivesse conhecimento da participação do publicitário Marcos Valério na contratação de empréstimos fictícios.Valério foi condenado a 37 anos de prisão na Ação Penal 470,por ser operador do núcleo financeiro que abastecia o esquema.
Na rede social Twitter,o ex-deputado disse que acata a decisão do STF.“Espero que processo referente à campanha de 98 siga na normalidade,sem provas falsas ou contaminação política”,afirmou.
Fonte - Agência Brasil  27/03/2014

Metrô de Salvador será equipado com mais moderno sistema de controle operacional - CBTC

Metrô de Salvador

Thales fornecerá CBTC para o Metrô de Salvador
A tecnologia CBTC da Thales permite uma operação completamente automatizada e sem a necessidade de um condutor, além de otimizar a capacidade e o tempo de viagem.

RF
foto - ilustração
A Thales, empresa de fornecimento de sinalização metroferroviária e de controle de trens de redes urbanas, venceu o contrato de sinalização do CCR Metrô Bahia para fornecer a tecnologia com um sistema SelTrac CBTC (Communications-Based Train Control).
Este é o terceiro contrato CBTC firmado pela Thales no Brasil desde 2010. A empresa já fechou contrato de CBTC para o monotrilho Linha 17-Ouro de São Paulo e para o monotrilho de Manaus.
Segundo a Thales, as obras de instalação do sistema CBTC têm conclusão prevista para o primeiro semestre de 2017. A tecnologia CBTC da Thales permite uma operação completamente automatizada e sem a necessidade de um condutor, além de otimizar a capacidade e o tempo de viagem.
Os beneficiários serão os passageiros de Salvador, Lauro de Freitas e toda a Região Metropolitana. O sistema vai atender ao Aeroporto Internacional Luiz Eduardo Magalhães, conectando-o a outros meios de transporte.

Metrô
As obras para o metrô em Salvador começaram há 14 anos e apenas um trecho foi entregue até agora. O primeiro consórcio responsável pelas obras, o Metrosal, era formado pelas empresas Andrade Gutierrez, Camargo Correa e Siemens e tinha prazo de 40 meses para entrega da obra.
Depois de muitos atrasos e paralisações, em agosto do ano passado houve uma nova licitação, vencida pela CCR. A previsão da empresa, que deverá operar o sistema metroviário por 30 anos, é que os trens passem a circular no primeiro trecho, Lapa-Acesso Norte, em caráter de testes a partir de junho deste ano. A operação comercial deve começar em setembro. O empreendimento completo só deve estar concluído em 2017.
Desde 2008, o metrô de Salvador tem seis trens comprados pelo Metrosal do consórcio Mitsui/Hyundai Rotem (24 carros). Estes já sofreram a deterioração causada pelo tempo. A CCR informou em fevereiro passado que vai comprar os novos trens para o metrô da capital baiana do consórcio Hyundai Rotem–Iesa. A montagem será feita na fábrica da Iesa, em Araraquara, no interior de São Paulo, com parte dos componentes importados da Coreia do Sul.

MOBILIDADE SALVADOR

Mobilidade

Autorizada construção de corredores de tráfego em Salvador
As obras vão ligar a Suburbana e a BR-324 à Orla Atlântica e melhorar a mobilidade na capital baiana, a partir da construção de viadutos e novos corredores de tráfego, com prazo de execução previsto de 36 meses e custo de R$ 1,3 bilhão.A abertura da solenidade,realizada hoje no Centro de Convenções de Salvador,contou com a presença do cantor Geronimo e banda,uma personalidade marcante da musica baiana que carrega dentro de si  o espirito e as raízes da nossa cidade.

Secom Ba
foto - pregopontocom
A assinatura da ordem de serviço pelo governador Jaques Wagner para construção de dois corredores transversais de tráfego em Salvador foi realizada na manhã desta quinta-feira (27), no Centro de Convenções da Bahia, com a presença do ministro das Cidades, Gilberto Occhi, e do secretário de Desenvolvimento Urbano da Bahia, Manuel Ribeiro.
As obras vão ligar a Suburbana e a BR-324 à Orla Atlântica e melhorar a mobilidade na capital baiana, a partir da construção de viadutos e novos corredores de tráfego, com prazo de execução previsto de 36 meses e custo de R$ 1,3 bilhão.
Segundo Wagner, as intervenções fazem parte de um grande projeto batizado de Mobilidade Salvador. “Serão construídas duas grandes transversais, integrando ao metrô, que a gente vai ver funcionando em junho, e ao conjunto de obras formado ainda pela Via Expressa e os complexos viários 2 de Julho e do Imbuí, entre outras. Também vamos transformar o trem do subúrbio em VLT e estender a rota até o Terminal da França”.
foto - pregpontocom
Para o secretário da Casa Civil, Rui Costa, responsável pela coordenação das obras estruturantes do governo do Estado, as novas vias vão trazer desenvolvimento para a população. “Vão levar possibilidade de emprego para as pessoas, teremos shoppings nas estações de Cajazeiras, Pirajá e Mussurunga. Haverá chegada de clínicas médicas, escritórios, comércios, dinamizando a economia da região”.



sedur

foto - pregopontocom
foto - pregopontocom










Com informações da Sedur 28/03/2014

Desemprego em fevereiro é o menor desde 2002

Economia

IBGE A taxa de desemprego no conjunto das seis principais regiões metropolitanas do país ficou em 5,1%

Nielmar de Oliveira 
Repórter da Agência Brasil

A taxa de desemprego em fevereiro deste ano para o conjunto das seis principais regiões metropolitanas do país ficou em 5,1%, a menor taxa para o mês desde o início da série histórica, em 2002. Os dados foram divulgados hoje (27) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e indicam uma pequena alta de 0,3 ponto percentual em relação aos 4,8% relativos à taxa de desemprego de janeiro.
Em relação a janeiro do ano passado, quando a taxa de desocupação estava em 5,6%, a queda no desemprego foi 0,5 ponto percentual. No mês, o rendimento real habitual ficou em R$ 2.015,60, contra os R$ 2.000,53 do mês anterior.
A população desocupada, em fevereiro, segundo o IBGE, estava em 1,2 milhão de pessoas, com elevação de 6,9% em relação a janeiro. Quando comparado a fevereiro do ano passado, no entanto, o contingente da população desocupada registra queda de 8,3%.
Fonte - Agência Brasil 27/03/2014

quarta-feira, 26 de março de 2014

Três novas linhas náuticas começam a operar em 2 meses

Transporte Marítimo

A primeira vai ligar o Terminal Náutico da Bahia, em Salvador, a Madre de Deus, enquanto a segunda fará a ligação entre Salvador, Itaparica e Salinas da Margarida. A outra será entre Valença e Morro de São Paulo.

Luan Santos
A Tarde
Terminal Marítimo de Salvador vai ganhar
uma embarcação com destino a Madre de Deus

Raul Spinassé | Ag. A TARDE
Três novas linhas de transporte hidroviário - duas na Baía de Todos-os-Santos (BTS) e uma no baixo sul - serão implantadas nos próximos dois meses.
A primeira vai ligar o Terminal Náutico da Bahia, em Salvador, a Madre de Deus, enquanto a segunda fará a ligação entre Salvador, Itaparica e Salinas da Margarida. A outra será entre Valença e Morro de São Paulo.
O sistema será operado pela iniciativa privada, com fiscalização do poder público. O valor da tarifa vai variar entre R$ 4,50 e R$ 14. As travessias serão feitas por catamarãs.
O vice-governador e secretário de Infraestrutura, Otto Alencar, autorizou ontem a publicação da licitação para a contratação das empresas que ficarão responsáveis pelos serviços, durante o lançamento do Plano Diretor do Transporte Hidroviário da Baía de Todos-os-Santos.
O plano sugere a criação de outras quatro linhas: Salvador-Maragojipe, Candeias-Salvador, Nazaré-Cacha-Pregos, além da rota Porto da Barra / Terminal Náutico / Plataforma / São Tomé de Paripe.
Estas, no entanto, ainda não têm data para implementação. "Ainda serão realizados estudos. Esse plano vai nortear ações futuras", afirmou Alencar. Segundo ele, o plano vai beneficiar mais de três milhões de pessoas.
"Esse plano diretor identificou uma necessidade muito grande desse tipo de transporte hidroviário da população. As pessoas sempre tiveram o hábito de fazer essa travessia, mas isso se perdeu com o tempo. O plano quer restabelecer este transporte", disse o vice-governador.
Segundo ele, para a elaboração do plano, foi desenvolvido o estudo que envolveu todos os municípios, povoados e localidades que compõem a BTS. Com o acréscimo destas duas linhas, a Baía de Todos-os-Santos conta agora com 12 rotas hidroviárias.
O plano mapeou 15 terminais náuticos na BTS. Segundo o documento, estes locais apresentam uma série de problemas e necessitam de intervenções, como reforma dos dolfins e pontos de compra de passagens, além de promover maior acessibilidade para idosos, gestantes e pessoas com deficiência.
Legalização
O superintendente de transporte da Secretaria de Infraestrutura, Ivan Barbosa, conta que a linha Valença-Morro de São Paulo já existe, porém ainda não licitada. Ele afirmou que a quantidade de embarcações ainda não foi definida. "Vamos tirar essas linhas da clandestinidade e colocar dentro da legalidade para oferecer mais segurança à população", afirma.
Segundo ele, a linha Salvador-Madre de Deus vai contar com quatro embarcações, enquanto a Salvador-Salinas, com duas. Outras licitações similares já foram realizadas, a exemplo da rota Salvador-Mar Grande, em 2011.

Fonte - A Tarde 26/03/2014

Comentário Pregopontocom

Mais do que louvável a iniciativa do vice Gov, e Sec. Otto Alencar que vem realizando um grande trabalho na área de transportes hidroviários,sistema que a muito tempo foi abandonado por gestões anteriores.A recuperação do transporte náutico tem uma importância significativa, não só para o transporte de passageiros como para o desenvolvimento econômico,social e do turismo,em toda região do recôncavo no entorno da BTS, além da sua expansão para fora da Baia de Todos os Santos.Distâncias ficarão mais curtas e as comunidades beneficiadas,terão de volta a uma tradição quase esquecida já a alguns anos com o descaso e o esquecimento do qual foi vítima esse importante meio de transporte para toda essa região.Que Maragojipe,Candeias, Nazaré,Cacha-Pregos, além do projeto da via Náutica abandonado a muito tempo ligando o Porto da Barra / Terminal Náutico / Plataforma / São Tomé de Paripe,possam torna-se em breve realidade,e torcemos para que o governo não messa esforços nesse sentido.O transporte hidroviário que no passado teve uma importância significativa para o desenvolvimento econômico e social do nosso estado com a participação efetiva da antiga CNB (Cia de navegação Baiana) com seus navios, dos saveiros,barcos e lanchas que singravam as águas da Baia de Todos os Santos,transportando passageiros e mercadorias,além da sua grande importância nessa atividade,são também atores importantes da história e da cultura do nosso estado.

Navio Maragojipe CNB
Conheça a História da CNB  - Cia de Navegação Baiana e da antiga estrada de ferro de Nazaré
CLIK AQUI - Postagens e Comentários

TV Brasil visita trem do subúrbio de Salvador - Programa Aglomerado

Transportes sobre trilhos

Programa Aglomerado visita o trem do subúrbio de Salvador mostrando a cultura sobre trilhos do Projeto Ver de Trem



Trem de Salvador - Toshiba 


Empresários brasileiros vão a Cuba conhecer Porto de Mariel

Economia

Na segunda-feira (24), o presidente e o diretor de negócios da Apex, Maurício Borges, e Ricardo Santana, respectivamente, reuniram-se em Havana com o ministro de Comércio Exterior e Desenvolvimento de Cuba, Rodrigo Malmierca. De acordo com Santana, o país da América Central pretende ampliar as importações originárias do Brasil e mostra interesse por setores específicos.

Mariana Branco 
Repórter da Agência Brasil 
foto - ilustração
A partir de hoje (26), 32 empresas brasileiras participam da primeira prospecção de negócios em território cubano desde a inauguração da primeira fase de modernização do Porto de Mariel. Na missão, organizada pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações (Apex) e pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), os empresários conhecerão o porto e participarão de rodadas de negócios com importadores cubanos. O objetivo é explorar o potencial de Mariel, inclusive como plataforma de exportação para outros países, e ampliar o comércio com Cuba.
Na segunda-feira (24), o presidente e o diretor de negócios da Apex, Maurício Borges, e Ricardo Santana, respectivamente, reuniram-se em Havana com o ministro de Comércio Exterior e Desenvolvimento de Cuba, Rodrigo Malmierca. De acordo com Santana, o país da América Central pretende ampliar as importações originárias do Brasil e mostra interesse por setores específicos. “Os setores de alimentos, casa e construção e embalagens têm bastante apelo do lado de lá. [Há interesse] em materiais elétricos, móveis e embalagens, inclusive para o processamento de alimentos”, disse.
No ano passado, a corrente de comércio entre o Brasil e Cuba somou US$ 624,8 milhões, dos quais US$ 528,2 milhões corresponderam à aquisição de produtos brasileiros pelo país. Os principais itens importados do Brasil foram óleo de soja, arroz, milho, carne de frango in natura, farelo de soja, café, papel, calçados, máquinas agrícolas e móveis. Mas, segundo Ricardo Santana, houve alta de 9,2% no comércio desde a implantação de um escritório da Apex em Havana, em 2008.
De acordo com dados da agência de fomento, em 2013 o Produto Interno Bruto (PIB, soma das riquezas de um país) de Cuba foi US$ 76,5 bilhões, o maior da América Central e do Caribe, com exceção do território norte-americano de Porto Rico. Atualmente, Cuba é o segundo maior destino das exportações brasileiras na região, com exceção do Panamá. No total, a ilha importou US$ 15,6 bilhões em produtos em 2013, o que indica espaço para o Brasil ampliar o seu mercado.
Para o diretor de negócios da Apex, o crescimento do consumo no país, em grande parte devido ao turismo, e a operação do Porto de Mariel ajudarão a impulsionar o comércio entre os dois países. “O início da operação deve ser muito vantajoso. [Deve] reduzir o custo de operações logísticas. Cuba pode ser um hub (termo usado principalmente na aviação comercial, para designar um ponto de conexão) para vários países em termos de exportações. Principalmente na América Central, com mercados que estão crescendo como o Panamá, Honduras, El Salvador, a Costa Rica, a Guatemala. Não é só o Brasil que está de olho, outros países também estão organizando missões”.
Entre as empresas que enviaram representantes a Cuba para a missão que segue até sexta-feira (28) estão a Bauducco, Asa Alimentos, Globoaves e Vilheto e Cosil, do ramo de alimentação; a TendTudo, do setor de construção; Oberthur, fabricante de equipamentos de informática e fornecedora, a Odebrecht e Eletroflex, da área de reposição de peças para caminhões e tratores. A Apex organiza missões comerciais do Brasil para o país da América Central desde 2003.
As obras no Porto de Mariel, tocadas pela Odebrecht, exigiram investimento de US$ 957 milhões, financiado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Do montante, US$ 682 milhões foram aportados pelo Brasil. Como contrapartida, houve exigência de que pelo menos US$ 802 milhões do total fossem gastos na compra de bens e serviços comprovadamente brasileiros. Apesar dessa obrigatoriedade e de o governo entender que o porto tem importância estratégica para o Brasil, a destinação de recursos para o país estrangeiro foi alvo de críticas.
Fonte - Agência Brasil  26/03/2014

A realidade virtual faz o Marco Civil nascer obsoleto

Marco Civil

 É um passo na direção certa, e de astronauta: um passinho que é um grande salto. O interesse das grandes empresas de telecomunicação, e seus representantes no Congresso, foi derrotado. O interesse das grandes empresas de internet e mídia venceu. Agora toca ficar de olho em umas e outras. Ganha o brasileiro, como consumidor e cidadão.

André Forastieri
Garota testa o Oculus Rift
Se você tem certeza sobre alguma coisa no mundo digital, tenha certeza que está errado. A única coisa inteligente a dizer sobre internet é a clássica sentença de William Goldman sobre Hollywood: "Nobody knows anything."
O Brasil aprovou o Marco Civil da Internet. Ótimo. O Marco Civil é imperfeito, como tudo no mundo da política e dos homens. É um passo na direção certa, e de astronauta: um passinho que é um grande salto. O interesse das grandes empresas de telecomunicação, e seus representantes no Congresso, foi derrotado. O interesse das grandes empresas de internet e mídia venceu. Agora toca ficar de olho em umas e outras. Ganha o brasileiro, como consumidor e cidadão.
O principal defeito do Marco Civil é que ele facilita a censura, jogando a decisão sobre o que pode ser publicado ou não na internet para "juizados especiais". Esperemos que isso seja modificado na primeira revisão. Que virá logo. Porque o Marco Civil já nasce defasado. Vai requerer revisões contínuas. As leis que regulamentam o trabalho não vêm mudando desde o final da escravidão? Pois cem anos no mundo real passam em cinco no mundo digital. E, como sabemos, não basta ter lei - há que fazê-las valer, o mais difícil.
A velocidade da mudança fica espetacularmente evidente hoje. Justamente no dia que o Brasil aprova o Marco Civil, o Facebook anuncia a compra da Oculus VR. Quem? É uma empresa com um ano e meio de idade. Seu primeiro produto, que ainda nem foi lançado oficialmente, é o Oculus Rift, óculos de realidade virtual para jogar videogames. A Oculus VR já queimou uns U$ 160 milhões em investimento. O Rift tem 75 mil encomendas. Quem testou, curtiu. Quem testou, testou na E3, maior feira de games do mundo; é assunto velho pra gamer; eu já li uns trinta artigos sobre o Rift desde 2012.
Que tem games, e realidade virtual, a ver com rede social? Tudo. Mark Zuckerberg, fundador do Facebook, explica: "A realidade virtual é uma forte candidata a ser a grande próxima plataforma social e de comunicação. Imagine assistir um jogo da primeira fileira, ou estudar em uma classe com alunos e professores do mundo inteiro, ou fazer uma consulta com um médico - simplesmente colocando seus óculos de realidade virtual, na sua casa. Da mesma maneira que a internet móvel é o presente, realidade virtual é o futuro.".
O discurso de Mark é para o grande público, que está por fora. O Oculus VR não é o futuro, é o presente - tanto, que o Facebook pagou US 2,3 bilhões por ele. O que vem depois? Não sei, mas sei onde procurar. Mais uma vez, pela milionésima vez, como a tela touch, o avatar, a rede social, o tablet e o controle de voz, o futuro vem do mundo dos games. Mas cansei de repetir isso no Brasil. Ninguém quer entender ou investir em games ou gamificação. Nenhuma empresa de tecnologia ou comunicação do nosso país quer enxergar isso.
E muito menos nossos políticos, claro. O Marco Civil, que é não mais que decente, quase não é aprovado. E já nasce incapaz de absorver a realidade virtual, que é a pauta do dia. Na verdade, tem uma única coisa que dá pra saber sobre o universo digital: a maioria de nós tenta entendê-lo olhando para o passado, não para o presente, e muito menos para frente. Mantenho os olhos fixos no horizonte, atento no jogo, lá onde a visão embaça, onde a certeza dissolve - como um relógio de Dali.
Fonte - R7.com  26/03/2014

Militares ucranianos vão começar a abandonar a Crimeia

Internacional

Os efetivos das Forças Armadas e suas famílias irão sair da Crimeia em transporte ferroviário”, disse o general Gerásimov

Da Agência Brasil
Com informações da Agência Lusa

O chefe de Estado Maior russo, Valeri Gerásimov, anunciou hoje (26) que os militares ucranianos destacados na Crimeia vão começar a abandonar a península nesta quarta-feira, de comboio, sem armamento ou outro equipamento.
“Em virtude do acordo entre o Ministério da Defesa da Rússia e a parte ucraniana, os efetivos das Forças Armadas da Ucrânia e membros de suas famílias irão sair da Crimeia em transporte ferroviário”, disse o general aos jornalistas.
Gerásimov explicou que “todos os militares que manifestaram o desejo de continuar a serviço das Forças Armadas ucranianas já estão fora das unidades, depois de terem entregado as armas, e preparam-se agora para abandonar a Crimeia com as suas famílias e objetos pessoais”.
Ele informou que a Bandeira russa está hasteada em todas as unidades militares ucranianas e navios de guerra da Armada do país estacionados na Crimeia. “Em 26 de março, as bandeiras da Federação da Rússia foram içadas nos 193 destacamentos militares e sedes administrativas das Forças Armadas da Ucrânia na Crimeia”, disse o general.
Fonte - Agência Brasil   26/03/2014

Governo anuncia construção da 1ª estação do VLT de Cuiabá no MT

Transportes sobre trilhos

A construção de todo o projeto do VLT, licitado por R$ 1,477 bilhão para servir à demanda da Copa do Mundo em junho, já deveria estar pronta no dia 13 de março, data estabelecida no contrato assinado com o consórcio de empreiteiras responsável. 

G1 MT
foto - consorcio vlt de Cuiabá
Doze dias após o prazo contratual de entrega das obras, a Secretaria Extraordinária da Copa (Secopa) divulgou nesta terça-feira (25) o início da construção da primeira estação para embarque e desembarque de passageiros do metrô de superfície Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) em Várzea Grande, cidade da região metropolitana de Cuiabá. Localizada em frente ao Aeroporto Marechal Rondon, a estrutura já teve sua fundação executada, anunciou a Secopa.
A construção de todo o projeto do VLT, licitado por R$ 1,477 bilhão para servir à demanda da Copa do Mundo em junho, já deveria estar pronta no dia 13 de março, data estabelecida no contrato assinado com o consórcio de empreiteiras responsável. Entretanto, os trabalhos atrasaram e o governo já admitiu entrega do projeto em dezembro para que a população da Grande Cuiabá venha a usufruir do novo modal de transporte somente em 2015.

Estação Aeroporto
A estação Aeroporto, na Avenida João Ponce de Arruda, é a primeira de 33 previstas no projeto original. O governo afirma que as obras da estação estão na fase de execução dos blocos e de montagem dos pilares da estrutura metálica de sustentação da cobertura. Conforme imagens de projeções artísticas da estação, a estação terá formato de arco com duas plataformas, uma para embarque e outra para desembarque, com os trilhos ao meio.De acordo com o projeto, o piso da plataforma estará a 30 centímetros do nível da rua e no mesmo nível dos trilhos, para facilitar o acesso de pessoas com mobilidade reduzida.
A estação terá 65 metros de comprimento por 19 de largura e sete metros de altura no ponto mais elevado da cobertura.
As obras deverão dotar a estação de bilheteria, catracas, sanitários, lixeiras, assentos e piso tátil para a locomoção de deficientes visuais. A Secopa não informou se a estação será climatizada, mas anunciou que os trens do VLT terão ar refrigerado e que o tempo médio de espera do passageiro dentro do local será quatro minutos.

Estações
No eixo de 15 quilômetros entre o Aeroporto e a região do CPA, em Cuiabá, a linha do VLT deverá contar com 22 estações de embarque e desembarque. A estação Aeroporto será localizada perto do Terminal Várzea Grande, ao fim do viaduto que passa em frente ao aeroporto, onde também deve funcionar o centro de controle do metrô.
Dessa forma, serão ao todo oito estações no trecho do VLT em Várzea Grande: terminal; estação Aeroporto; Couto Magalhães (cuja obra de fundação também já foi iniciada); Shopping Fórmula; Secretaria dos Esportes; Cristo Rei; Abelardo Azevedo; FEB.
Fonte - Revista Ferroviária  25/03/2014

Primeiro VLT deve chegar em maio em São Vicente, SP

Transportes sobre trilhos

A informação foi anunciada nesta terça-feira (25), durante uma visita do presidente da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU), do Prefeito de São Vicente e representantes da Prefeitura de Santos 

G1 Santos
foto - ilustração
O primeiro Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) está previsto para chegar à Baixada Santista em maio deste ano em São Vicente, no litoral de São Paulo.
A informação foi anunciada nesta terça-feira (25), durante uma visita do presidente da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU), do Prefeito de São Vicente e representantes da Prefeitura de Santos à fábrica dos veículos na Espanha, onde estão sendo montados.
O primeiro VLT será formado por sete vagões e deve ser apresentado à população na Praça Nossa Senhora das Graças, em São Vicente. Depois, o veículo passará por uma fase de testes para poder entrar em funcionamento. De acordo com a EMTU, o VLT vai atender em média 2,8 milhões de usuários na Baixada Santista.
Fonte - Revista Ferroviária  25/03/2014

terça-feira, 25 de março de 2014

O PLANO INCLINADO GONÇALVES E A REFORMA "ABACAXI"

Salvador 

A ferragem interna (corre mãos) para que os passageiros possam se segurar garantindo o equilíbrio durante o período da viagem é "frágil" não oferece segurança e foi presa inadequadamente com rebites pop ao teto da cabine, já estando inclusive despregada e solta, colocando em risco a integridade dos usuários com possíveis ocorrências de acidentes.

Redação
foto - Pregopontocom
Apos concluída a reforma a um custo de R$2,5 milhões e a sua reativação, ainda com pouco tempo de uso,o Plano Inclinado Gonçalves já da mostras da qualidade dos serviços executados no equipamento.Hoje após transitarmos pelo mesmo em duas viagens consecutivas,descendo e subindo,podemos constatar os sinais da baixa qualidade dos serviços principalmente no aspecto da segurança dos seus usuários.A ferragem interna (corre mãos) para que os passageiros possam se segurar garantindo o equilíbrio durante o período da viagem é "frágil" não oferece segurança e foi presa inadequadamente com rebites pop ao teto da cabine, já estando inclusive despregada e solta, colocando em risco a integridade dos usuários com possíveis ocorrências de acidentes.As cabines não nivelam com o piso da plataforma de embarque e desembarque ocasionando uma diferença de nível de quase 40 centímetros,o que também pode ocasionar acidentes principalmente entre os passageiros idosos e portadores de algum tipo de limitação física e visual.Não houve modernização,apenas uma reforma e as cabines continuam as mesmas com os seus antigos equipamentos de controle.Será que os órgãos de fiscalização e controle fizeram algum tipo de inspeção,principalmente no quesito da segurança dos usuários e do equipamento, antes que o mesmo entrasse em funcionamento?????....ou teremos que esperar para ai então lamentar algum fato negativo que possa a vir ocorrer???...

Galeria de Fotos

foto - Pregopontocom
foto - Pregopontocom










foto - Pregopontocom
foto - Pregopontocom










Pregopontocom - 25/03/2014

'Em Bogotá, sistema de ônibus entrou em colapso'

Transmilenio

O sistema começou a ser construído em 1998 e foi inaugurado em 2000, durante a administração do prefeito Enrique Peñalosa. Mas, 14 anos depois, enfrenta graves problemas de superlotação. "O Transmilenio começou a entrar em colapso", disse ao Estado Maria Fernanda Rojas, que dirigiu o Instituto de Desenvolvimento Urbano de Bogotá até setembro e esteve em São Paulo para participar do evento "A Cidade e o Jovem - contribuições da arquitetura e do urbanismo para as novas gerações".

O Estado de S. Paulo
foto - ilustração
A capital da Colômbia, Bogotá, é conhecida por seu moderno sistema de corredores de ônibus, o Transmilenio, inspirado no BRT de Curitiba. O sistema começou a ser construído em 1998 e foi inaugurado em 2000, durante a administração do prefeito Enrique Peñalosa. Mas, 14 anos depois, enfrenta graves problemas de superlotação. "O Transmilenio começou a entrar em colapso", disse ao Estado Maria Fernanda Rojas, que dirigiu o Instituto de Desenvolvimento Urbano de Bogotá até setembro e esteve em São Paulo para participar do evento "A Cidade e o Jovem - contribuições da arquitetura e do urbanismo para as novas gerações".
Na entrevista, concedida na quinta-feira, um dia depois da destituição do prefeito da capital colombiana Gustavo Petro, causada por uma grave crise institucional surgida em decorrência de mudanças no modelo de coleta do lixo, ela fala sobre os principais problemas enfrentados pela rede de transportes de Bogotá, suas possíveis soluções e revela semelhanças com São Paulo. "Além da superlotação, temos muitos casos de agressões sexuais."

Quatorze anos depois da abertura do Transmilenio, como está a mobilidade urbana em Bogotá?
Hoje deveria haver 388 quilômetros de linhas, mas temos apenas 110. Então o sistema começou a entrar em colapso. E, durante todo esse tempo foi eliminada a opção do metrô, por razões políticas. Entendeu-se que, como Bogotá tinha o Transmilenio, que era tão bem-sucedido, o metrô não era necessário. Também temos uma rede de ciclovias de 376 quilômetros, mas não houve um trabalho de manutenção. Elas estão deterioradas.

O que deve ser feito para melhorar a mobilidade na cidade?
Um modelo que se conhece como a intermodalidade, que é integrar os diferentes meios de transporte. Fazer com que uma pessoa possa chegar de casa à estação de metrô de bicicleta, deixá-la em um parque, pegar o TransMilenio, dirigir-se a outro lugar e tomar um outro ônibus. Para isso, é importante ampliar as estações, colocar mais acessos, fazer novas linhas e construir o metrô e teleféricos nos bairros populares. Esse meio de transporte, o teleférico, mudaria completamente a vida das zonas periféricas.

Por que o Transmilenio não supre mais as necessidades da população?
O Transmilenio foi pensado para transportar mais ou menos 30 mil passageiros hora/sentido. Mas hoje em dia está transportando 48 mil pessoas hora/sentido. Ou seja, tem o nível de um metrô. É um sistema que chegou ao limite. Isso ajudou a reforçar a crise que tomou conta da cidade e provocou a destituição do prefeito.

Como estava a cidade antes da adoção do Transmilenio?
Era um desgoverno dos ônibus, com grandes problemas de segurança no trânsito. Os ônibus se perseguiam nas ruas, atropelavam as pessoas, era uma coisa impressionante. E os transportadores eram muito poderosos, tanto que nenhum prefeito se atrevia a mexer com eles. Foi uma situação muito difícil colocá-los em ordem. Os grandes transportadores acabaram se tornando sócios do Transmilenio. Foi a maneira de fazer isso.

E os usuários de carros, como receberam as mudanças?
Bem, ainda há muito apreço pelos carros. No início, o Transmilenio se provou uma solução eficiente, que poderia competir com os veículos particulares, mas durante oito anos não se construiu nada mais. Peñalosa fez a primeira fase, o prefeito seguinte fez a segunda. Depois vieram duas administrações que não construíram nada. Isso diminuiu a competitividade do sistema. A única razão para usar o Transmilenio hoje é o tempo, porque com ele se chega mais rápido a qualquer lugar. Ainda assim, as pessoas preferem evitar a superlotação. E temos tido também muitos casos de agressões sexuais. Então implementaram uma área exclusiva para mulheres em algumas linhas.

Que medidas foram implementadas para resolver o problema das agressões sexuais?
Houve uma prova-piloto em algumas rotas com áreas só para mulheres em horas de menos movimento. Mas o problema se apresenta nas horas de pico, quando está cheio. Então esse piloto dificilmente chegará a resultados.

Qual a gravidade do problema?
Existe um estudo feito em 2011 que mostra que 88% das mulheres dizem ter sido agredidas, insultadas ou recebido um tratamento obsceno no transporte público de Bogotá. E a pergunta era se elas tinham passado por isso no mês anterior ao levantamento. Então o índice é muito alto. Dessas 88% que disseram que sim, 58% disseram que isso havia acontecido no Transmilenio. Uma medida é o espaço só para mulheres, mas também é preciso criar canais de denúncia objetivos, pois muitas mulheres nem sequer sabem que isso é uma agressão.
Fonte - ABIFER  25/03/2014

Casarões do Centro Histórico de Salvador são reformados para moradia

Salvador

“Esses casarões foram desapropriados, tiveram suas fachadas preservadas e, internamente, foram totalmente reformados, com novas instalações elétricas, hidráulicas e sanitárias, permitindo o uso residencial com bastante conforto”, explica Beatriz Lima, diretora do Centro Antigo

TB
TB
O Governo do Estado entrega até o final deste mês de março 35 unidades habitacionais, no Centro Histórico de Salvador, dentro dos programas habitacionais dos Servidores Públicos (Prohabit) e de Interesse Social (Phis).
São 31 apartamentos, em onze casarões situados nas ruas 3 de Maio, São Francisco, 28 de Setembro, Monte Alverne (do Bispo) e Beco do Seminário, que vão atender à demanda por habitação do servidor público estadual.
“Esses casarões foram desapropriados, tiveram suas fachadas preservadas e, internamente, foram totalmente reformados, com novas instalações elétricas, hidráulicas e sanitárias, permitindo o uso residencial com bastante conforto”, explica Beatriz Lima, diretora do Centro Antigo.
A ação integra um conjunto de 14 propostas do Plano de Reabilitação do Centro Antigo de Salvador, executado pela Compnahia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder), por meio da Diretoria do Centro Antigo (Dircas), visando a recuperação dos imóveis que se encontram em ruínas, desocupados ou subutilizados na região para lhes dar um novo sentido: o uso habitacional, assegurando também sua função social e atendimento à população vulnerável da região.
Nesta semana, mais 120 casarões do Santo Antônio serão entregues. Este trabalho soma-se à restauração das fachadas, já finalizadas, das igrejas, localizadas no bairro, a exemplo do Boqueirão, de Nossa Senhora do Carmo e do Santo Antônio Além do Carmo, que ganharam também nova iluminação cênica, executado pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural do Estado (Ipac).
No Terreiro de Jesus, as fachadas da Faculdade de Medicina – a primeira do Brasil -, a Catedral Basílica, a Igreja de São Pedro dos Clérigos, São Domingos e a Igreja da Ordem Primeira de São Francisco já foram recuperadas e também receberam iluminação especial, que se destaca no conjunto durante a noite.
Até sexta-feira (28) serão concluídas a restauração e a pintura da Igreja da Ordem 3ª do São Francisco e da Ordem 1ª do Carmo, além do Cine Excelsior, na Praça da Sé.
Fonte - Tribuna da Bahia  25/03/2014

MP denuncia 30 executivos por envolvimento em cartel no Metrô e na CPTM

Cartel da CPTM

De acordo com o promotor de Justiça Marcelo Mendroni, do Grupo de Atuação Especial de Combate aos Delitos Econômicos (Gedec), as fraudes teriam ocorrido a partir de 1998. Os prejuízos aos cofres públicos são avaliados em R$ 834,8 milhões. A expectativa de Mendroni é que os processos sejam analisados rapidamente para que todos os acusados respondam pelos crimes praticados.

Marli Moreira 
Repórter da Agência Brasil 
Ag.Brasil
O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) anunciou, hoje (25), que foi encaminhada denúncia à Justiça contra 30 executivos acusados de envolvimento em formação de cartel e fraudes em 11 contratos de licitações do governo paulista. As irregularidades foram verificadas em contratos de 12 empresas, firmados em cinco projetos do metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).
De acordo com o promotor de Justiça Marcelo Mendroni, do Grupo de Atuação Especial de Combate aos Delitos Econômicos (Gedec), as fraudes teriam ocorrido a partir de 1998. Os prejuízos aos cofres públicos são avaliados em R$ 834,8 milhões. A expectativa de Mendroni é que os processos sejam analisados rapidamente para que todos os acusados respondam pelos crimes praticados.
O promotor explicou que a estratégia mais comum nos casos foi a de participação nas concorrências públicas de forma combinada. Parte das empresas perdia a licitação e as vencedoras rateavam 30% dos ganhos e, em contrapartida, contratavam os serviços das perdedoras. Os contratos somam R$ 2,7 bilhões.
Alguns dos executivos denunciados eram funcionários das empresas Siemens e da Alstom, que já são investigadas por denúncia de cartel em licitações do metrô. Também foram citadas as empresas Balfour Beatty Rail Power Systems Brasil Ltda, Bombardier, CAF, Daimler-Chrysler, Hyundai, MGE, Mitsui, Tejofran, Temoinsa e T'Trans.
A Agência Brasil entrou em contato com as empresas envolvidas para que elas comentem as denúncias e aguarda resposta.
Fonte - Agência Brasil   25/03/2014

Procuradoria da República pede que Azeredo seja julgado pelo Supremo

Política

Na petição, apresentada ontem (24) aos ministros, Janot afirma que a renúncia não pode ser usada para burlar o julgamento no foro adequado. Com a renúncia, Azeredo perdeu o foro privilegiado e o processo poderá ser remitido à Justiça de primeira instância, atrasando o julgamento.

André Richter 
Repórter da Agência Brasil 
Eduardo Azeredo na Câmara
 antes de renunciar ao mandato parlamentar
José Cruz/Agência Brasil
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) que julgue a Ação Penal 536, o processo do mensalão tucano. Na quinta-feira (27), o plenário do Supremo vai decidir se o processo continuará em tramitação na Corte após a renúncia do ex-deputado federal Eduardo Azeredo (PSDB-MG), que é investigado por desvio de dinheiro público durante a campanha pela reeleição ao governo de Minas Gerais em 1998.
Na petição, apresentada ontem (24) aos ministros, Janot afirma que a renúncia não pode ser usada para burlar o julgamento no foro adequado. Com a renúncia, Azeredo perdeu o foro privilegiado e o processo poderá ser remitido à Justiça de primeira instância, atrasando o julgamento. No caso do ex-governador, o plenário vai avaliar se a renúncia teve a intenção de retardar o fim da ação penal.
"Há se ver que, sendo fatos do ano de 1998, com denúncia recebida em 2009 (mais de 11 anos após), faltando poucos meses para o término do mandato (início de 2015) faz-se a renúncia. A intenção de burla é evidente", resslta o procurador.
Azeredo renunciou ao mandato parlamentar em fevereiro, após o procurador Rodrigo Janot apresentar as alegações finais, última fase antes do julgamento da ação penal. Segundo Janot, Azeredo atuou como “um maestro” no esquema e desviava recursos públicos em benefício próprio para financiar a campanha política. O procurador também diz que a prática dos crimes só foi possível por meio de um esquema criminoso montado pelo publicitário Marcos Valério, condenado na Ação Penal 470, o processo do mensalão.
Mesmo com a renúncia, o advogado de Eduardo Azeredo apresentou defesa ao Supremo. O advogado José Gerardo Grossi negou que o então governador mineiro tivesse determinado a aquisição de cotas de patrocínio dos eventos, pelas empresas citadas na denúncia.
O advogado também negou que Azeredo tivesse conhecimento da participação do publicitário Marcos Valério na contratação de empréstimos fictícios. Valério foi condenado a 37 anos de prisão, na Ação Penal 470, por ser operador do núcleo financeiro que abastecia o esquema.
Fonte - Agência Brasil  25/03/2014