sábado, 7 de dezembro de 2013

Tucanos dizem que não sabiam da corrupção no metrô de SP... VERDADE OU MENTIRA???....

Política







sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Acordo para redução de emissão de gases depende do resgaste de confiança, avalia ministra

Meio Ambiente

Karine Melo
Repórter da Agência Brasil
foto - ilustração
Brasília- A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira disse nesta sexta-feira (5) que nas próximas conferências das Partes da Convenção-Quadro da Organização das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (COPs) o desafio é resgatar o espírito de confiança no ambiente de negociação.
No caso do Japão, durante a COP 19, o governo daquele país anunciou o abandono de sua meta de reduzir em 25% as emissões de gases do efeito estufa até 2020, com relação ao nível de 1990. Com isso, ao invés de cortar, a projeção é que agora as emissões do país cresçam 3,1%. A justificativa seria o desastre de Fukushima e o desligamento de outras usinas nucleares, que fez crescer o consumo de carvão.
Na avaliação de Izabella Teixeira, a próxima COP em Lima, no Peru, que será a primeira na Amazônia, tem que resgatar aquilo que o G77- formado por países em desenvolvimento - conseguiram em Varsóvia que foi construir uma unidade.
“Nós conseguimos ter uma unidade de compromissos e de posições entre todos os países em desenvolvimento, esperamos isto entre os países desenvolvidos e acreditamos em um espaço politico mais confortável, mais amplo, com menos disputas para tirar o assunto de pauta e mais soluções para serem negociadas”, disse acrescentando que os países precisam sair do problema para a solução.
Para contribuir na construção de um acordo mais amplo a ministra disse que o Brasil já está em entendimento com a presidência da COP em Lima para ajudar a construir não só um engajamento dos países, mas de toda a sociedade em um diálogo, já com vistas a Paris que sediará a conferência em 2015.
O subsecretário-geral de Meio Ambiente, embaixador José Antônio Marcondes Carvalho, destacou os números de redução das emissões no Brasil, que segundo ele, representam um número considerável, já que são superiores ao somatório das ações dos países desenvolvidos.
“ Varsóvia foi que esperávamos em termos de preparação para o novo acordo, apesar de países tentarem desconstruir os conceitos basilares desse acordo. Em Lima temos que conquistar a confiança dos países desenvolvidos. O Brasil continua com sua determinação inabalável de avançar nestes processos “, ressaltou.
As declarações foram dadas durante audiência pública na Comissão Mista de Mudanças Climáticas, para discutir a agenda pós-Varsóvia. Além da ministra do meio ambiente, o encontro, que termina no fim da tarde, tem a participação de parlamentares e especialistas em meio ambiente de vários países.
Fonte - Agência Brasil  06.12.2013

Condições de vida e queda de defasagem escolar refletem na posição do Brasil no Pisa, diz especialista

Educação

Camila Maciel
Repórter da Agência Brasil

São Paulo – Melhoria das condições de vida dos brasileiros e a diminuição da defasagem idade – série foram as razões apontadas pelo pesquisador André Portela, da Fundação Getulio Vargas (FGV), para explicar o resultado obtido pelo Brasil na série histórica do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa).
“Melhoramos ao longo dos anos, mas não porque a escola se tornou melhor, e sim porque o país como um todo melhorou e isso refletiu na escola”, apontou ao participar, hoje (6), de debate sobre os resultados da avaliação, feita pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).
Os resultados do Pisa, divulgados na última terça-feira (3), mostram que, apesar de ter conseguido melhores pontuações nos itens leitura, matemática e ciências, o Brasil ainda está nas posições mais baixas do ranking. Entre os 65 países comparados, o Brasil ficou em 58º lugar em matemática, em 55º lugar em leitura e na 59º posição em ciências. Em 2009, o país ocupava a 53ª posição em leitura e ciências, e o 57º lugar em matemática.
Desde 2003, os alunos brasileiros têm apresentado melhor performance em matemática, quando alcançaram 356 pontos naquele ano, chegando aos 391 pontos em 2012, porém não suficiente para subir no ranking. No ano passado, a pontuação dos estudantes em leitura ficou em 410 e, em ciências, 405.
“Nenhum país melhorou os resultados da aprendizagem mais rápido do que o Brasil, mas o país ainda tem um longo caminho a percorrer”, avaliou Andreas Schleicher, vice-diretor de Educação e assessor especial de Política da OCDE. O Pisa avalia o conhecimento de jovens de 15 anos, a cada três anos.
Para o pesquisador da FGV, se não houver melhora na velocidade do aprendizado, não será possível atender às metas propostas pelo Plano Nacional de Educação, que é alcançar o nível médio dos países avaliados pela OCDE, em 2023. “Com esse ritmo, seria necessário pelo menos o dobro do tempo”, apontou. De acordo com os dados de 2012, a pontuação média do Pisa em matemática foi 494; em leitura, 496; e em ciências, 501.
Portela destaca que, diante desse quadro, é preciso melhorar, além do fluxo escolar, a qualidade das escolas e dos professores. “Mas o que envolve ter bons profissionais? A carreira ser atraente, ter condições de trabalho, mas isso não se faz da noite para o dia, entre outras questões”, apontou. O pesquisador avalia que mudanças são ainda mais desafiadoras em um sistema educacional estabelecido. “Partir de um sistema que já existe, maduro, é mais difícil. Há mais resistência do conjunto”, declarou.
O Pisa apontou ainda aumento percentual de estudantes matriculados. De acordo com o estudo, em 2003, 65% dos jovens com 15 anos frequentavam a escola. Em 2012, o país conseguiu matricular 78% dos adolescentes nessa faixa etária.
Fonte - Agência Brasil  06/12/2013

Túnel da Linha 4 do metrô do Rio será concluído nesta segunda

Metrô

RF
foto - ilustração
Na próxima segunda-feira (09/12), o Consórcio Construtor Rio Barra concluirá a construção do primeiro túnel da Linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro: Barra da Tijuca - São Conrado. Segundo o Rio Barra, este será o maior túnel entre estações metroviárias do mundo, com 5 km de extensão.
A Linha 4 terá 16 quilômetros de extensão, contará com seis estações: Jardim Oceânico, São Conrado, Gávea, Antero de Quental, Jardim de Alah e Nossa Senhora da Paz, ligando Ipanema a Barra da Tijuca. A linha tem pretensão de transportar, a partir de 2016, mais de 300 mil pessoas por dia e retirar das ruas cerca de dois mil veículos por hora/pico.
De acordo com o consórcio, até 2016, o sistema metroviário do Rio de Janeiro contará com 66 trens em operação. Desde 2012, 19 novos trens vêm sendo entregues para operação nas linhas 1 e 2. Em dezembro de 2015, com a inauguração da Linha 4 do metrô, o sistema terá mais 15 trens.
Fonte - Revista Ferroviária  06/12/2013

Inflação medida pelo IPCA alcançou 0,54% em novembro

Economia

Vinícius Lisboa
Repórter da Agência Brasil
foto - ilustração
Rio de Janeiro - A inflação, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), recuou para 0,54% em novembro, divulgou hoje (6) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com o resultado, a inflação se afasta do teto da meta do governo (6,5%), com uma taxa acumulada em 5,77 % nos últimos doze meses.
O índice de novembro caiu 0,03 ponto percentual em relação ao de outubro, que foi de 0,57%. No ano, a inflação acumula 4,95%. O IPCA é considerado o índice oficial de inflação do país.
O período de coleta do IPCA vai do dia 1º ao dia 30 ou 31, dependendo do mês. A pesquisa é realizada em estabelecimentos comerciais, prestadores de serviços, domicílios (para verificar valores de aluguel) e concessionárias de serviços públicos. Os preços obtidos são os efetivamente cobrados ao consumidor, para pagamento à vista.
A inflação acumulada em 12 meses foi a menor desde novembro de 2012 (5,53%). Em uma trajetória de alta que começou em junho do ano passado (4,92%), o IPCA iniciou o ano com 6,15% e subiu até 6,70% em junho. Desde então, a taxa vem caindo.
Os grupos que contribuíram para a queda da inflação em novembro são liderados pelos alimentos (de 1,03% para 0,56%), que correspondem a cerca de 23% do índice. Artigos de residência (de 0,81% para 0,35%) e
vestuário (de 1,13% para 0,85%) também caíram. Com a exceção de educação, que variou de 0,09% para 0,08%, a inflação aumentou em todos os outros grupos, com destaque para despesas pessoais, de 0,43% para
0,87%, transportes (de 0,17% para 0,36%) e habitação (de 0,56% para 0,69%).
Os itens que exerceram maior impacto na taxa foram empregado doméstico (0,97%), energia elétrica (1,63%) e passagens aéreas (6,52%). O aumento de 13% dos cigarros que vigora desde 2 de novembro fez o item
também ganhar importância, com alta de 3,19%.
Entre as capitais brasileiras pesquisadas, a taxa subiu de 0,44% para 0,99% em Fortaleza; de 0,55% para 0,61%, em Porto Alegre; de 0,46% para 0,55%, em Brasília; de 0,42% para 0,53%, em Belo Horizonte; e de 0,14% para 0,39%, em Salvador. As demais registraram queda, incluindo São Paulo (de 0,69% para 0,45%), que correspondeu a 31,68% da taxa em novembro.
Fonte - Agência Brasil  06/12/2013

Frota reformada do metrô de SP coloca em risco integridade

Transportes sobre tilhos

Rádio CBN
foto - ilustração

Um levantamento obtido com exclusividade pela Rádio CBN mostrou que os trens da frota K, que circulam pela linha 3-Vermelha, apresentaram ao longo de 30 dias quase 700 falhas técnicas.
Portas que se abrem com o trem em movimento, sistema de freios ineficiente, um descarrilamento e até um incêndio. Todos esses problemas aconteceram com trens da frota K. As composições viraram o pesadelo dos condutores do metrô.
Funcionários que concordaram em denunciar os problemas testemunhados todos os dias desde que tivessem a identidade preservada relatam o que acontece:
“Quando eu vejo que é a frota K já fico com receio de pegar o trem para operar. Você não consegue imaginar o que pode acontecer durante a circulação e você que está no comando é que vai ter que tentar resolver alguma situação emergencial”, conta um deles. Já outro profissional desabafa: “Você não sabe se sai de Itaquera e chega em Barra Funda ou se (o trem) vai parar no meio do caminho.”
O diretor de Operações do Metrô de SP, Mario Fioratti, minimiza a gravidade dos incidentes. Segundo ele, as composições reformadas estão em fase de adaptação e, por isso, acabam tendo mais problemas. Fioratti garante que os trens da frota K são seguros. “Os trens da frota K têm atendido plenamente ao conforto dos usuários e à segurança. Não há absolutamente nenhuma restrição.”
No entanto, para os funcionários, o número de falhas e a gravidade delas são a prova de que existe risco: “O trem andar devagar é o menor dos riscos que o usuário corre. Há risco de ele (o trem) abrir porta para o lado oposto. Então é indiscutível que há risco para quem está usando e para quem está operando o trem”.
Fonte - Revista Ferroviária   06/12/2013

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Propinoduto tucano recebia dinheiro de conta aberta em Luxemburgo

Política

Correio do Brasil
foto ilustração
A multinacional alemã Siemens acusou, formalmente, o ex-presidente da empresa, o engenheiro Adilson Primo, de usar uma conta em Luxemburgo para pagar propina a integrantes dos governos tucanos de José Serra e Geraldo Alckmin, no Brasil; além de fazer remessas para doleiros. A conta movimentou cerca de US$ 7 milhões (R$ 16,7 milhões atuais), que teriam sido desviados da Siemens, ainda segundo a empresa, para abastecer o propinoduto tucano paulista.
A acusação, subscrita por Mark William Gough, vice-chefe de Compliance (setor que cuida de controle ético e conformidade com as leis) da Siemens, na Alemanha, em depoimento à Polícia Federal, vazada para o diário conservador paulistano O Estado de S. Paulo, afirma que primo foi demitido da Siemens em 2011 sob acusação de esconder da direção da empresa na Alemanha a existência dessa conta. Ainda segundo a Siemens, os cerca de US$ 7 milhões foram desviados da empresa.
Primo era o titular da conta junto com outros três executivos da Siemens brasileira. Apesar da acusação, a Siemens nunca tomou providências para reaver os valores. Gough relatou à PF, em seu depoimento, que uma investigação feita em Luxemburgo descobriu que o servidor da Comissão Nacional de Energia Nuclear (Cnen) Marcos Honaiser recebeu US$ 30 mil (R$ 72 mil) da conta de Primo.
Ainda segundo o executivo, há suspeitas de propina pelo fato de Honaiser ter sido da Marinha, na qual foi capitão-de-fragata, comandando submarinos, e da Cnen. A Siemens era fornecedora da Marinha, no projeto do submarino atômico, e também da Cnen. A tecnologia da usina nuclear Angra 2 é da Siemens.
A ordem de transferência para o servidor da Cnen foi assinada por Primo e Newton Duarte.Duarte foi diretor de energia e assinou o acordo de leniência da Siemens, no qual a multinacional diz que ela e outras empresas combinavam resultados de licitações de trens em São Paulo e no Distrito Federal.
Nos documentos vazados da PF também consta que o doleiro Antonio Pires de Almeida, já falecido, recebeu cerca de US$ 150 mil da conta de Primo (R$ 358 mil), ainda de acordo com Gough. Um valor não revelado no depoimento foi transferido por Pires de Almeida para uma conta mantida por outros dois doleiros: Raul Henrique Srour e Richard Andrew de Mol Van Otterloo.
Os recursos enviados aos doleiros podem ter sido usados pelo próprio Primo no Brasil ou para pagar propina. O executivo da Siemens não especifica a data das transferências para o servidor da Cnen nem para o doleiro, mas diz que Primo operou a conta aberta em Luxemburgo entre 2004 e 2006.
‘Cortina de fumaça’
Para o advogado Antônio Cláudio Mariz de Oliveira, que defende Primo, a acusação da Siemens é uma cortina de fumaça para esconder o fato de que a conta foi aberta por ordem da matriz na Alemanha para fazer pagamentos ilícitos.
– A Siemens fazia isso no mundo todo – afirmou a jornalistas.
Honaiser diz que não sabe por que seu nome foi citado como beneficiário de US$ 30 mil:
– Eu era da administração e quem tinha contato com a Siemens eram os técnicos.
O ex-militar trabalhou na Cnen entre 1985 e 1993 e depois foi para o Uranus, o fundo de pensão da empresa pública, do qual se aposentou em 2002. Ele diz que já teve conta no exterior, pelo fato de ter morado na Inglaterra quando era da Marinha, mas não confirma se era na Suíça.
Fonte -  São Paulo Trem Jeito 05/12/2013

Fórum mundial debaterá a exclusão indígena no Brasil

Direitos Humanos


Para o mestre em antropolo - gia social, Tonico Benites, indígena da etnia Guarani Kaiowá, apenas em 1988, com a nova Constituição Federal, é que os indígenas passam a ser considerados cidadãos. Os mais de 400 anos de exclusão causam impacto até os dias de hoje....

Mariana Tokarnia
Repórter da Agência Brasil

Brasília - Índio não tem direitos. Índio é preguiçoso, não é nem gente. Esses pensamentos permearam o Brasil até bem pouco tempo. A declaração é do mestre em antropologia social, Tonico Benites, indígena da etnia Guarani-Kaiowá. Segundo ele, apenas em 1988, com a nova Constituição Federal é que os indígenas passam a ser considerados cidadãos. Os mais de 400 anos de exclusão impactam a vida dessa população até os dias de hoje.

Benites será um dos palestrantes do Fórum Mundial de Direitos Humanos, que acontecerá em Brasília de 10 a 13 de dezembro. Ele participará dos debates sobre o histórico do reconhecimento dos indígenas como detentores de direitos.
O Censo de 2010 mostra que quase 0,5% da população brasileira é indígena. São 896,9 mil de 305 etnias. Eles são responsáveis por 274 idiomas falados em território nacional, além do português.
"[Os indígenas] não vivem com qualidade, lutam para sobreviver. Lutam para ter comida, algo básico", diz o antropólogo. A maior parte da população indígena não tem acesso à saúde ou a educação de qualidade. Segundo dados do Portal Brasil, são 105,7 mil alunos indígenas matriculados em turmas do primeiro ao quinto ano, o que representa 51,7% dos que estudam e menos de um oitavo do total da população. São 4 mil indígenas em cursos de licenciatura intercultural em 20 instituições públicas, o que corresponde a 0,44% dessa população.
Um dos grandes problemas enfrentados pelos indígenas é a demarcação de terras. Também de acordo com o Censo, foram identificadas 505 terras indígenas, que representam 12,5% do território brasileiro - 106,7 milhões de hectares -, onde residiam 517,4 mil indígenas (57,7% do total).
"Em dois dias passei por três territórios da etnia Guarani Kaiowá, no Mato Grosso do Sul. Apenas uma dela é reconhecida e isso não faz diferença. Nas três não havia escola ou assistência à saúde", descreve. "A legislação diz que esses serviços são direitos do cidadão. Não os encontrei nem mesmo no território já demarcado". Os conflitos também são muitos, por posse de terra. Em duas das aldeias que visitou, os caciques foram mortos em conflitos.

Para Benites, a situação é consequência de uma omissão histórica do Estado e a exclusão legal da população. Um passado que ainda reflete na atualidade. Segundo ele, é preciso sanar necessidades imediatas, por exemplo, a alimentação. Concomitantemente, se deve sanar questões que darão segurança a longo prazo, principalmente o direito a terra. Deve haver também uma política de reparação, defendeu.
"A reparação deve acontecer. Ao longo da história, os indígenas foram expulsos das terras e tratados como não humanos", ressaltou o antropólogo.
Tonico Benites também comentou a ação, em 2012, que envolveu as redes sociais. Usuários trocaram os sobrenomes nos perfis virtuais por "Guarani Kaiowá". A ação foi feita para prestar apoio aos indígenas durante período de conflitos. "Pelas redes socais, [os indígenas] puderam passar informações mais diretas, que muitos brasileiros não conheciam. Conseguiram chamar a atenção de jornalistas e de políticos".
O debate Reconhecimento e Direitos Humanos acontece no dia 11, a partir das 10h, e conta com a participação também do escritor e ativista paquistanês Tariq Ali e da jurista brasileira Ela Wiecko Volkmer de Castilho.
Fonte - Agência Brasil  05/12/2013

ANTT promoverá reuniões sobre trechos desativados de ferrovias

Ferrovias

RF
foto - ilustração
A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) realizará neste mês duas reuniões participativas sobre a tomada de subsídios para receber contribuições sobre a devolução dos trechos ferroviários de Alagoinhas (BA)-Juazeiro (BA); Alagoinhas (BA)-Propriá (SE); Cachoeiro de Itapemirim (ES)-Vitória (ES); Barão de Angra (RJ)-Campos dos Goytacazes (RJ); Corinto (MG) a partir do km 856+100 - Alagoinhas (BA). Esses trechos fazem parte da resolução Nº 4.131, de 03 de julho deste ano, que autoriza a Ferrovia Centro-Atlântica (FCA) a desativar e devolver trechos ferroviários.
A primeira reunião está marcada para 09 de dezembro, das 14h às 18h, no auditório do Hotel Senac Ilha do Boi, em Vitória, Espírito Santo. Outra reunião ocorrerá no dia 18 de dezembro, no mesmo horário, no auditório do CDL Montes Claros, em Motes Claros, Minas Gerais. O aviso da tomada de subsídios foi publicado pela agência no início de novembro.
A tomada de subsídios tem como intuito possibilitar a participação publica sobre a devolução dos trechos e apresentação de propostas para a manutenção e aproveitamento dos trechos citados. Os interessados poderão fazer contribuições por escrito através do formulário que está disponível no site da ANTT ( http://www.antt.gov.br/index.php/content/view/26358.html ) até o dia 31 de janeiro de 2014.
Fonte - Revista Ferroviária  05/12/2013

Empresas investiram R$ 65 bilhões em inovação em 2011

Tecnología

foto - ilustração
Os investimentos feitos pelas empresas em inovação tecnológica atingiram R$ 64,9 bilhões – o equivalente a 2,56% da receita líquida de vendas. Na indústria, a aquisição de máquinas e equipamentos continua a ser a atividade que mais concentra gastos com inovação: 1,11%...

Nielmar de Oliveira
Repórter da Agência Brasil

Rio de Janeiro – Os investimentos feitos pelas empresas em inovação tecnológica atingiram, em 2011, R$ 64,9 bilhões – equivalente a 2,56% da receita líquida de vendas. Na indústria, a aquisição de máquinas e equipamentos continua a ser a atividade que mais concentra gastos com inovação: 1,11% sobre a receita líquida de vendas.
Entre 2009 e 2011, 35,7% das 128.699 empresas com dez ou mais funcionários inovaram em produtos e processos no Brasil. As informações constam da Pesquisa de Inovação Tecnológica 2011 (Pintec 2011) que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou hoje (5).
Apesar dos avanços, a pesquisa constata que os investimentos em inovação tecnológica caíram na indústria nos últimos anos. A Pintec de 2008, por exemplo, registra que 38,1% das empresas haviam inovado. Esse percentual caiu para 35,6% na pesquisa atual.
No universo pesquisado, o número de empresas industriais aumentou 16,1%. Já o crescimento das empresas consideradas inovadoras foi menor (8,3%). Dentre as empresas do grupo indústrias extrativas, 18,9% foram consideradas inovadoras, percentual bem inferior ao das indústrias de transformação (35,9%).
No período que a pesquisa abrange (de 2009 a 2011), 36,8% das empresas do setor de serviços inovaram. “Importante destacar a inclusão, neste conjunto, do setor de serviços de arquitetura e engenharia, testes e análises técnicas, no qual 29,6% das empresas inovaram – valor abaixo da média dos segmentos de serviços”, informou o IBGE.
Em serviços selecionados (edição, telecomunicações e informática), 36,8% das empresas inovaram em 2011, enquanto a taxa da indústria foi 35,6%. Os resultados não são diretamente comparáveis às edições anteriores da pesquisa, “uma vez que houve a inclusão do setor de eletricidade e gás e dos serviços de engenharia, arquitetura, testes e análises técnicas”, neste último estudo divulgado pelo Instituto. A Pintec 2011 revela que 44,1% das empresas do setor de eletricidade e gás inovaram.
Por outro lado, aproximadamente 7,5 mil empresas inovadoras (16,3%) investiram em atividades internas de pesquisa e desenvolvimento, em 2011. Dessas, 78,9% (5,9 mil) são empresas industriais; 20,2% (1,5 mil), empresas de serviços selecionados e 0,9% (65) de eletricidade e gás.
Quanto aos gastos com pesquisa e desenvolvimento (P&D) na indústria, o investimento com passou de R$ 10,7 bilhões (24,49%) em 2008 para R$ 15,2 bilhões (29,78%) em 2011. A relação entre os dispêndios em P&D interno e a receita líquida nas empresas industriais também aumentou, passando de 0,62% em 2008 para 0,71% em 2001.
Pela Pintec 2011, o IBGE constatou estabilidade no percentual de empresas que introduziram novos processos para inovação. Na indústria, o percentual de empresas inovadoras passou de 32,1% para 31,7% no período 2009-2011.
Na atual pesquisa, o percentual de empresas industriais, que introduziram processo novo para o setor foi 2,1%, praticamente reproduzindo o constatado na edição anterior da pesquisa (2,3%). Dentre as empresas do setor de serviços, 31,5% inovaram em processo, sendo que as inovadoras representaram 5,4% do universo de empresas da Pintec 2011.
Segundo o IBGE, os setores com maior incidência de inovação de processo foram os de pesquisa e desenvolvimento (81,7%), fabricação de sabões, detergentes, produtos de limpeza, cosméticos, produtos de perfumaria e de higiene pessoal (73,3%) e segmento automobilístico (69,1%).
Fonte - Agência Brasil  05/12/2013

Emprego e renda garantem aquecimento no comércio varejista - Informa Serasa

Economia


Os brasileiros estão comprando mais do que no ano passado, segundo o Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio. O movimento foi 1,1% maior, em novembro, sobre outubro último, e 6,7% superior ao mesmo mês de 2012...

Marli Moreira
Repórter da Agência Brasil

São Paulo - Os brasileiros estão comprando mais do que no ano passado, segundo o Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio. O movimento foi 1,1% maior, em novembro, sobre outubro último, e 6,7% superior ao de igual mês do ano passado. De janeiro a novembro, houve alta de 5,2% em comparação ao mesmo período de 2012.
Para os economistas da Serasa Experian, “a boa configuração do mercado de trabalho [desemprego baixo e estável com ganhos reais de rendimento], a atual trajetória de redução dos níveis de inadimplência do consumidor, os estímulos provindos do Programa Minha Casa Melhor e a entrada da primeira parcela do décimo-terceiro salário impulsionaram a atividade varejista em novembro”.
A maior procura no mês passado foi verificada no segmento de móveis, eletroeletrônicos e equipamentos de informática, com elevação de 1%. Nos supermercados, hipermercados e demais estabelecimentos de venda de alimentos e bebidas, a evolução foi pequena: 0,2%.E essa mesma taxa foi registrada nas lojas de tecidos, vestuário, calçados e acessórios.
Mas nem todos os setores apresentaram boa demanda. O desempenho foi negativo no movimento de interessados em veículos, motos e peças, com recuo de 5,2%. Também caiu 1% a procura por combustíveis e lubrificantes e 0,9% no caso de material de construção.
Quando se avalia o acumulado do ano, o segmento de supermercados, hipermercados, alimentos e bebidas lidera o ranking do comércio varejista com expansão de 6,4% no movimento de clientes. Em seguida, aparecem na lista combustíveis e lubrificantes com alta de 5,1%; lojas de veículos, motos e peças com avanço de 3,8%; móveis, eletroeletrônicos e informática com alta de 3,3% e um aumento igual a este foi observado no setor de material de construção. Nos pontos de venda de tecidos, vestuário, calçados e acessórios, o movimento de consumidores cresceu 3,2%.
Fonte - Agência Brasil   05/12/2013

Imagine se helicóptero da cocaína fosse de Genoíno - Bob Fernandes







Vem aí um novo capítulo da novela político-policial do Brasil. Quem seria o dono do Hotel Saint Peter, onde José Dirceu quer trabalhar?
E José Genoino segue nas manchetes. Ele renunciou ao mandato, e não teria como não estar nas manchetes. O problema é quanto ao que não chega, ou não permanece nas manchetes.
O ministério público requisitou a suspensão de 10 contratos para reforma de trens em São Paulo. O tal escândalo dos trens e metrô......

Projeto do VLT Santos será definido na justiça

VLT

G1 Santos
foto - ilustração
Após uma reunião entre Ministério Público e a EMTU sobre o traçado do Veículo Leve sobre Trilho (VLT), aconteceu na tarde desta quarta-feira (4) em Santos, no litoral de São Paulo, ficou decidido que o projeto do VLT será decidido na Justiça. O Ministério Público entendeu que há falhas nos estudos da EMTU e irá abrir uma ação civil para parar a obra.
Os promotores do Meio Ambiente apontaram falta de informações no estudo apresentado pela EMTU. Para eles, faltam respostas em vários aspectos que justifiquem porque o melhor traçado do VLT na Francisco Glicério, entre o Canal 1 e o Canal 3, é no canteiro central da avenida. O promotor do meio ambiente Daury de Paula Junior explicou quais são os problemas. "Os nossos técnicos avaliaram o estudo e concluíram que o traçado do VLT pelo canteiro lateral, pela antiga linha férrea, é o melhor traçado do ponto de vista urbanístico, em relação ao impactos que trazem para aquela comunidade vizinha", disse ele.
O diretor presidente da EMTU, Joaquim Lopes, não se opõe em esclarecer as dúvidas. Mas, explica porque não pode esperar para retomar as obras. Algumas intervenções já começaram no jardim lateral da avenida Francisco Glicério. "Julho está aí.Nós temos um compromisso de entrega desse empreendimento, sabemos o quanto ele é importante para quase 170 mil cidadãos que usam o transporte coletivo aqui na região", falou Joaquim Lopes.
Os representantes da EMTU e da Prefeitura de Santos se comprometeram em encaminhar todas as respostas ao Ministério Público mas não quiseram estender o prazo. Diante disso, os promotores do Ministério Público decidiram que vão mover uma ação civil pública. "A ação, se tiver por objeto a anulação da licença ambiental, ela pode atingir a obra como um todo. Não é o objetivo do Ministério Público questionar outros trechos da obra mas, infelizmente, a judicialização leva a essa consequência", disse o promotor.
Fonte - Revista Ferroviária  04/11/2013

Borges: ferrovias serão prioridade em leilões em 2014

Ferrovias

Agência Estado
foto ilustração
O ministro dos Transportes, César Borges, disse que o leilão de ferrovias será prioridade para o ano de 2014. "Estamos procurando dar condições de atratividade para colocar de pé o que o País tanto precisa para a logística de escoamento das cargas com competitividade", afirmou.
O governo trata com o Tribunal de Contas da União (TCU) a possibilidade de colocar em leilão o primeiro trecho no primeiro trimestre. A primeira disputa, segundo ele, seria travada em torno do trecho que vai de Lucas do Rio Verde (MT) a Campinorte (GO). O governo trabalha, também, para licitar em seguida a ferrovia que vai de Açailândia (MA) a Barcarena (PA). O ministro informou que o governo está detalhando com o TCU e a iniciativa privada os projetos de ferrovias para diminuir risco de engenharia.
Fonte - Revista Ferroviária  04/12/2013

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Plenário aprova PEC que inclui na Constituição o transporte como direito social

Transportes

Luciano Nascimento
Repórter da Agência Brasil
foto - ilustração
Brasília - A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 90/11, da deputada Luiza Erundina (PSB-SP), que inclui o transporte entre os direitos sociais foi aprovada hoje (4) pelo plenário da Câmara dos Deputados por 313 votos a favor, 1 contra e 1 abstenção. O texto agora segue para o Senado.
A proposta inclui o transporte no rol dos direitos sociais. Atualmente, a Constituição, no seu Artigo 6º, institui 11 direitos: educação, saúde, alimentação, trabalho, moradia, lazer, segurança, Previdência Social, proteção à maternidade, proteção à infância e assistência aos desamparados.
Um acordo entre todos os deputados viabilizou a votação da proposta em dois turnos no mesmo dia. O Regimento Interno prevê um período de cinco sessões entre o primeiro e o segundo turnos de uma PEC. No primeiro turno, foram 329 votos a favor da matéria. Houve um voto contrário e uma abstenção.
Na avaliação da deputada, a aprovação vai garantir prioridade ao tema nas políticas públicas. De acordo com Erundina, possibilitar maior mobilidade às pessoas vai facilitar o acesso a outros direitos e também vai contribuir para dar maior dinamismo à economia.
“Transformar o transporte em um direito essencial dá condições de sustentabilidade para que as pessoas acessem outros direitos, como saúde, educação e moradia. Se você não tem condições de se locomover, principalmente em grandes centros urbanos, como é que você vai a um serviço médico, a um trabalho, a uma escola? É um direito que garante outros direitos. Reconhecer isto é reconhecer um direito essencial da população", disse a deputada à Agência Brasil.
Erundina ponderou que a aprovação vai possibilitar com que a União, estados e municípios destinem maior volume de recursos para garantir o acesso ao direito que poderá ser financiado por diversas esferas de poder e por mudanças tributárias.
"Tem pessoas que não voltam para casa porque não têm dinheiro para pagar o transporte e acabam ficando pela rua. Quando a Constituição reconhece um direito, obriga o Estado a criar políticas públicas para atender a este direito. E, se isto não ocorrer, qualquer cidadão pode recorrer à Justiça", disse.
A deputada Jô Moares (PCdoB-MG) louvou a iniciativa e disse que ela está em sintonia com as diversas manifestações ocorridas no país este ano e que tiveram como pleito maior o acesso ao transporte público. "A PEC está em sintonia com aquilo pelo que a sociedade brasileira clama", disse.
Fonte - Agência Brasil  04/12/2013

Trem da CPTM sofre pane e faz passageiros terminarem trajeto a pé

Notícias

Bruno Bocchini 
Agência Brasil
foto - ilustração
São Paulo – Um trem da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) sofreu pane, por volta das 16 horas, a aproximadamente 500 metros da Estação Júlio Prestes, na linha 8 Diamante. Os passageiros tiveram de desembarcar e terminar o trajeto a pé.
De acordo com a companhia, o problema ocorreu em um equipamento. O trem foi retirado do local. O transporte de passageiros entre as estações Barra Funda e Júlio Prestes ficou suspenso até as 17h20, quando voltou a ser feito em uma única via.
Segundo a CPTM, apesar da suspensão do transporte por mais de uma hora, não houve acúmulo de passageiros nas estações.
Fonte - Portal EBC  04/12/2013

MP pede suspensão de contratos de reforma de 98 trens do Metrô de SP

Política

Bruno Bocchini
Repórter da Agência Brasil
foto - ilustração
São Paulo – O Ministério Público (MP) do Estado de São Paulo pediu hoje (3) a suspensão imediata de dez contratos de reforma de 98 trens do Metrô de São Paulo, que totalizam R$ 2,5 bilhões. De acordo com o MP, os contratos estão com vício de ilegalidade. A recomendação administrativa foi entregue ao Metrô, que tem 30 dias para apresentar providências. Os contratos foram assinados entre os anos de 2008 e de 2010.
“Uma das empresas envolvidas na licitação, e que também trabalha na reforma dos trens, recentemente fechou um contrato com o Metrô de Nova York. E os trens novos lá de Nova York vão ter um preço menor do que os trens reformados aqui”, disse o promotor do caso, Marcelo Camargo Milani.
De acordo com o MP, três trens reformados já entregues ao Metrô, e já em funcionamento, foram pivôs em acidentes nos últimos anos: em 1º de dezembro de 2012 (quando um trem andou sozinho na Estação Jabaquara e colidiu com outro); em 5 de agosto de 2013 (uma composição descarrilou na Linha 3 - Vermelha devido a um problema em uma peça); e em 16 de maio de 2013, (quando ocorreu, na Linha 3 - Vermelha, a colisão entre dois trens).
“Três acidentes em trens reformados do Metrô. É mais um indicativo no sentido de que essa reforma tem sido danosa para o metrô e para os cofres públicos de maneira geral”, disse o promotor.
Segundo o MP, os contratos de reforma dos 98 trens do Metrô de SP têm indícios de que houve irregularidade nas licitações para a escolha das empresas que fariam o serviço: Nos contratos, sempre uma única empresa se candidatava a ganhar a licitação. “Nos contratos principais não houve competitividade, ou seja, nas licitações apresentadas contaram apenas com um concorrente e uma proposta, que é a vencedora”, destacou o promotor.
O MP ressalta ainda que há indicativos que não houve vantagem para o erário na decisão pela reforma em vez da compra de novos trens. Também há indícios de que houve o fracionamento, em dez contratos, da contratação do serviço na tentativa de esconder o valor total do contrato.
“A questão é de se saber por que reformar um trem de 40 anos, qual a razão disso. Todas as outras grandes cidades que têm trem, o trem não dura todo esse tempo. É material de sucata. Você faz um novo. Não existe fora da cidade de São Paulo nenhum outro caso de reforma de trem”, disse o promotor.
“Para nós isso é um prejuízo ao erário evidente. Eu reputo que isso é um escândalo total e um prejuízo absurdo para os cofres públicos. É por isso que estamos propondo essa suspensão ao Metrô”, acrescentou o promotor.
A reportagem entrou em contato com o Metrô de SP mas, até o fechamento da matéria, não houve resposta.
Fonte - Agência Brasil   03/12/2013

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

O Cavalo de Troia

EL CAVALO DE TRÓIA

Mauro Santayana

(JB) - O lançamento, na semana passada, da seção em português da edição de internet do jornal espanhol El Pais, elucida e ilustra, com clareza, a visão neocolonial e rasteira que continua dominando o comportamento dos espanhóis com relação ao Brasil — apesar da condição de crise e de extrema fragilidade que caracteriza a Espanha neste momento.
Sem entrar nos detalhes do regabofe promovido pelo Grupo Prisa em São Paulo, vale a pena analisar o fato, e o que se pode ler nas entrelinhas do evento e da publicação.
Controlado em pouco mais de 30% pela família Polanco, e com o restante do capital na mão de investidores e fundos internacionais — não espanhóis — oGrupo Prisa, que edita o El Pais, tem atravessado sucessivas crises nos últimos anos.
Em 2008, o valor de suas ações despencou 80%, o lucro diminuiu em 56%, foi preciso suspender o pagamento de dividendos aos acionistas e vender ativos imobiliários, entre os quais a própria sede do jornal El Pais, no valor de 300 milhões de euros, para fazer frente a compromissos.
Isso não impede, no entanto, que o Grupo Prisa seja conhecido tanto pelos altíssimos salários que paga aos seus executivos — Juan Luis Cebrian ganha mais de 1 milhão de euros por mês — quanto pelos problemas que tem com os sindicatos locais.
Os jornalistas do grupo têm ido às ruas protestar contra as frequentes ondas de demissões que varrem as redações de suas publicações e emissoras. A última, no mês passado, atingiu a revista ON Madrid.
Com uma dívida de mais de 3 bilhões de euros, o Prisa multiplicou por 6 suas perdas até setembro deste ano. El Paisperdeu 25% de sua circulação desde 2008. A circulação do diário esportivo AS caiu 23% e a do diário econômico Cinco Dias, quase 30%, e o faturamento em publicidade — segundo informa também o jornalista Pascual Serrano, na revista asturiana Atlántica XXI — diminuiu pela metade nos últimos anos.
Na mesma matéria, Serrano relata como coube a Javier Moreno — o mesmo executivo que veio lançar a seção em português do El Pais em São Paulo — em outubro do ano passado, explicar a seus jornalistas que o Grupo Prisa estava “arruinado”, para justificar a demissão de quase um terço do pessoal.
Isso não impediu, no entanto, Moreno de adotar um tom entre paternal e triunfalista no seu pequeno discurso na capital paulista, para um grupo de seletos convidados. O viés neocolonial fica claro quando ele se refere ao El Pais como um veículo, procurado por inúmeros “intelectuais, artistas e políticos” de nossa região, para “defender seus projetos e conectar suas inquietações com o resto do mundo ibero-americano”, e expõe o caráter intervencionista — considerando-se que se trata de uma publicação estrangeira — quando diz que o jornal estará ligado às “inquietações e batalhas — da sociedade brasileira — para consolidar seus avanços econômicos e sociais, e as liberdades democráticas”.
Dá a entender que a imprensa do Brasil não é livre, ou competente, na medida em que afirma que “centenas de milhares de brasileiros se informaram na edição América de El Pais, sobre as maciças manifestações de julho passado” — como se no Brasil houvesse censura ou necessidade de recorrermos a publicações estrangeiras para saber o que ocorre por aqui. E, finalmente, dispensou a modéstia quando se referiu “às expectativas que o projeto — de lançamento do El Pais Brasil— suscitou em amplos segmentos da sociedade brasileira”.
Pelo hábito se reconhece o monge. Como se pode ver pelas primeiras matérias, o El Pais está vindo ao Brasil para defender nossas minorias; lembrar que o presidente Peña Nieto está — segundo o FMI — se comportando melhor do que o Brasil, embora o México vá crescer menos da metade do que nós neste ano; que gastamos muito com nossos estádios na Copa; que não conseguimos reduzir a criminalidade; que temos o menor crescimento entre os países emergentes, etc, etc, etc .
A verdade sobre a Espanha dos dias de hoje não está no coquetel servido aos convidados em São Paulo, pago com o lucro auferido aqui mesmo no Brasil por empresas como a Vivo — devedora em mais de 1 bilhão de dólares do BNDES — ou do Grupo Indra, também espanhol, cuja publicidade já começa a aparecer na edição “brasileira” de El Pais.
A Espanha real está na ausência sutil — como um elefante, desses que o pai gosta de abater — do príncipe Felipe, que deveria ter vindo ao Brasil na mesma ocasião, para abrir um seminário econômico e participar do lançamento deEl Pais.
Pouco antes da decolagem, foi localizada uma avaria em um flap do avião que deveria transportá-lo a São Paulo. Ao procurar o avião substituto, do mesmo modelo, descobriu-se que ele também estava em solo, sem condições de voar. Mecânicos tentaram, durante mais de sete horas, consertar o problema, sem conseguir, até que o infante e sua comitiva desistissem de fazer a viagem e voltassem para casa para desfazer a bagagem.
Por causa do problema do avião, em solo e sem manutenção como o próprio país, no lugar de sua majestosíssima presença, o príncipe teve de mandar, ao Brasil, uma mensagem em vídeo pela internet.
Tudo somado, pelo que se pode ver pelo lançamento de sua seção em português, oEl Pais, apesar de, aparentemente, abrir espaço para comentaristas de diferentes tendências — até artigo do Lula já saiu na edição em português — continuará, agora na língua de Machado de Assis, fazendo o que sempre fez: defendendo e protegendo a cada vez mais combalida “Marca Espanha”; atuando como um Cavalo de Tróia dos interesses neoliberais e eurocêntricos em nosso continente; e das empresas espanholas — com milhares de reclamações de consumidores como oSantander e a Telefónica (do qual o próprioGrupo Prisa é acionista)— que atuam no Brasil.
Nesse contexto, o melhor negócio que os futuros leitores podem fazer é “comprar” a Espanha pelo que vale — altamente endividada e com um crescimento de menos 1,6% este ano, segundo o FMI — e vender pelo preço que o El Pais acha que vale. Com a imagem e o valor que vai tentar nos impingir
Fonte -  Mauro Santayana  03/12/2013

Trem que descarrilou em NY estava a 132 km/h

Internacional

Reuters/ EFE
R7.com
Uma equipe de investigadores da Agência Nacional de Segurança em Transportes (NTSB, na sigla em inglês), que investiga acidentes nos EUA, disse ontem que o trem que descarrilou em Nova York no domingo, matando 4 pessoas e deixando 67 feridos, viajava a 132 km/h - a velocidade máxima na curva do acidente é de 48 km/h. Cerca de 150 pessoas estavam a bordo dos sete carros.
Os investigadores recuperaram as duas caixas-pretas do trem. A primeira foi localizada na locomotiva traseira no mesmo dia do acidente. Ontem, eles acharam a segunda, que estava na locomotiva principal. Segundo Earl Weener, funcionário da agência, os equipamentos de registro de dados foram enviados para análise.
As quatro equipes de investigadores analisarão detalhes técnicos, como o estado de barras de metal e o sistema de freios. A investigação deve durar de sete a dez dias. Weener afirmou que a investigação pretende colher o depoimento de um engenheiro e do condutor do trem para esclarecer as circunstâncias do acidente.
Imagens. O descarrilamento ocorreu às 7h22, em uma curva fechada na região do Bronx, perto dos rios Hudson e Harlem, cerca de 16 quilômetros ao norte da Grand Central Station. Segundo a imprensa local, o maquinista informou ao serviço de resgate que acionou os freios para reduzir a velocidade, mas eles não funcionaram.
Ontem, operários começaram a recolocar os sete carros de passageiros de volta nos trilhos e cães farejadores fizeram uma última varredura do local. De acordo com Keith Holloway, porta-voz da agência, os especialistas procuram imagens de vídeo do descarrilamento que possam explicar o que ocorreu no momento do acidente. Funcionários da Metro-North, empresa que opera a linha, disseram que não havia câmera a bordo do trem, mas é possível que haja câmeras de segurança na região do acidente, segundo Holloway.
Fonte - Revista Ferroviária  03/12/2013 

Carros nas ruas de Cuiabá devem cair até 12% com VLT

VLT

G1 MT
foto - ilustração
Obra mais cara e mais complexa do pacote de mobilidade urbana da Copa de 2014 em Cuiabá, a instalação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) como novo sistema de transporte coletivo da região metropolitana tem potencial para desafogar o trânsito de veículos particulares, reduzindo sua quantidade em até 12%.
A expectativa é da Secretaria Extraordinária da Copa (Secopa), responsável pela contratação do novo modal, avaliado em mais de R$ 1,477 bilhão.
De acordo com o engenheiro Rafael Detoni, que supervisiona as obras do pacote de mobilidade urbana, a expectativa por uma redução no número de veículos particulares em circulação tem como lógica a ideia de que o novo sistema – de deslocamento mais rápido e com maior conforto que o oferecido pelos ônibus atuais – deverá atrair usuários que, hoje, obtêm mais facilidade deslocando-se com veículos particulares.
Quando a cidade ainda tinha o Bus Rapid Transit (BRT) como grande projeto de mobilidade (o modelo acabou sendo substituído pelo VLT), foram coletados dados sobre o impacto deste tipo de modal em outras cidades do país. Constatou-se que o BRT – que consiste basicamente na implantação de corredores exclusivos para ônibus – chegou a provocar, na rotina da cidade, uma migração dos antigos usuários de veículos particulares para o novo sistema de transporte coletivo.
Menos veículos, mais usuários
A redução no número de veículos particulares, que também pode ser entendida no caso como um aumento na demanda pelo transporte coletivo, foi na faixa de 10 a 12%.
“Qualquer melhoria que você faça no sistema de transporte coletivo, qualquer atratividade que você dê ao transporte coletivo – seja na forma de corredor exclusivo, melhoria nos pontos de parada ou nos veículos – gera um incremento de demanda dessa natureza”, resume Detoni, lembrando que, como não há experiências de instalação de VLT urbano como o de Cuiabá, a Secopa se baseia nas projeções obtidas pelas experiências com BRT. Cuiabá, portanto, pode ser considerada um laboratório de políticas de mobilidade urbana.
Em 2005, uma pesquisa de engenharia de tráfego encomendada pelo município e pelo estado constatou que 41% dos deslocamentos na região metropolitana eram realizados por meio do transporte coletivo, 22% por transporte privado e os outros 37%, a pé ou por veículos não motorizados, como bicicletas. A expecatativa é que dez anos depois, em 2015, o mesmo tipo de pesquisa constate um aumento na proporção de deslocamentos por meio de transporte coletivo, explica o egenheiro.
Ele recorda que a mesma pesquisa foi responsável por basear o desenho do BRT e do modelo agora adotado, o VLT, prevendo dois grandes “troncos” na malha urbana – no caso, os eixos entre a região do CPA e o Aeroporto Marechal Rondon (em Várzea Grande, região metropolitana da capital) e entre o centro de Cuiabá e a região do Coxipó.
Obras
Apontadas como atrasadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), as obras de implantação do VLT em Cuiabá e Várzea Grande estão passando por uma reformulação de cronograma por parte da Secopa, mas nenhuma nova data de entrega do projeto concluído foi até agora divulgada em caráter oficial.
A primeira composição do veículo já foi entregue e se encontra em Várzea Grande, no local onde será construído o centro de controle do novo sistema, perto do Aeroporto Marechal Rondon. Informalmente, contudo, o governador Silval Barbosa (PMDB) já admitiu a possibilidade de não entregar a totalidade do projeto até a Copa do Mundo de 2014. Em sua última visita a Cuiabá, o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, também afirmou ser improvável o cumprimento de todas as etapas dentro do prazo contratual - março do ano que vem.
Fonte - Revista Ferroviária  02/12/2013

BNDES terá R$ 24 bi para financiar infraestrutura

Infraestrutura

Agência Câmara
foto - ilustração
O governo federal enviou para a análise do Congresso a Medida Provisória 628/13, que autoriza a União a conceder R$ 24 bilhões ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Os recursos devem financiar projetos de investimento de longo prazo na área de infraestrutura e em outros segmentos considerados estratégicos para o País.
O crédito será disponibilizado por meio da emissão de títulos da Dívida Pública Mobiliária Federal em favor do BNDES. Os títulos serão remunerados pela Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP).
A meta do Executivo é atender, por exemplo, compromissos assumidos com o Programa de Sustentação do Investimento (PSI) e com o Programa de Investimentos em Logística (PIL), além de beneficiar a cadeia produtiva do pré-sal e projetos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).
Fundo de recuperação
O texto da MP 628/13 também autoriza a União a encerrar o Fundo de Recuperação Econômica do Estado do Espírito Santo (Funres), transferindo competências, direitos e deveres do Funres para outro fundo a ser instituído pelo governo do Espírito Santo.
A medida, segundo o Executivo, pretende instituir um novo modelo de gestão para o fundo, que possibilite ao Espírito Santo realizar adequações administrativas e institucionais que tornem o processo decisório mais ágil e mais próximo das necessidades regionais.
Tramitação
Inicialmente, a MP será analisada por uma comissão mista de deputados e senadores. Caso aprovada, deverá ser votada pelos plenários da Câmara dos Deputados e do Senado.
Fonte - Revista Ferroviária  02/12/2013

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

O seminário de Trens de passageiros da ANTT, foi realizado dia 21 do 11 de 2013 em Brasília.‏

Trens de Passageiros

CFVV
foto - ilustração
O seminário de Trens de passageiros da ANTT, foi realizado ontem dia 21 do 11 de 2013 em Brasília. O seminário tratou diversos assuntos como se poderá ver na imagens da programação que destaco entre as imagens do evento. O CFVV esteve presente como palestrante, apresentando sua solução para o abandono do patrimônio ferroviário em Lavras, além de solucionar o problema de desocupação da linha férrea sem utilização no momento, mas que ainda pertence a FCA. O CFVV realizará isso através de um COE- Contrato de Operações Especiais, por meio do qual será parceiro da concessionária na operação de um trem "TURÍSTICO", mas que também se transportará pequenas cargas em seu comboio, levando pequenas encomendas até as cidades de destino, como: CARMO DA CACHOEIRA, TRÊS CORAÇÕES E VARGINHA. Tornando-se uma Short Line Rail. O objetivo principal com a nossa proposta é ocular imediatamente a linha evitando danos matérias pelo desuso. Esta nossa proposta ela antecede o projeto inicial e principal do CFVV que já está tramitando no Ministério dos Transportes a pedido nosso, e em ofício feito pelo Secretário de Estado e Transportes do Estado Carlos Melles. Pois o Governo de Minas nos deu todo apoio necessário para que chegássemos a este momento.
Revelo que formatamos o melhor para recuperação da via bem como dos ativos operacionais e sinistrados da antiga RFFSA. Já fizemos parcerias importantes para começarmos em 2014 a execução do processo e uma das parcerias que mais nos fortaleceram foi a UFMG, através do Professor Nilson Tadeu Ramos Nunes, Engenheiro PHD em Transportes que é responsável pela maioria dos estudos de viabilidade de trens regionais do país, mas que também pensa como nós. Tornando-se um articulador para ocupação dos ativos abandonados, mas para a formação de escolas profissionais ferroviárias que são extremamente necessárias na atualidade.
Estamos muito felizes que nossas ideias tenham ganhado a dimensão que ganharam.
Todavia, não somente se elevaram, como também começam a ganhar parceiros. 2014 será um ano importante.
Revelo que formatamos o melhor para recuperação da via bem como dos ativos operacionais e sinistrados da antiga RFFSA. Ja fizemos parcerias importantes para começarmos em 2014 a execução do processo e uma das parcerias que mais nos fortaleceram foi a UFMG, através do Professor Nilson Tadeu Ramos Nunes, Engenheiro PHD em Transportes que é responsável pela maioria dos estudos de viabilidade de trens regionais do país, mas que também pensa como nós. Tornando-se um articulador para ocupação dos ativos abandonados, mas para a formação de escolas profissionais ferroviárias que são extremamente necessárias na atualidade.
Estamos muito felizes que nossas ideias tenham ganhado a dimensão que ganharam.
Todavia, não somente se elevaram, como também começam a ganhar parceiros. 2014 será um ano importante.
Fonte - CFVV Sul de Minas  02/12/2013

Testes com ônibus elétrico começam na terça-feira em Salvador

Ônibus elétrico

A Tarde
Divulgação - Modelo de ônibus elétrico da empresa chinesa
Os testes com o novo modal de transporte público de Salvador terão início nesta terça-feira, 3. O ônibus elétrico da empresa chinesa Build Your Dreams (BYD) começa a operar, em fase de testes, a partir das 9h, com saída da Praça Municipal. O primeiro trajeto do ônibus será feito com convidados da imprensa local.

Em Salvador desde outubro, o veículo passou por uma reformulação no layout, com nova plotagem, para ser facilmente identificado pelo público. O condutor, cedido pela Viação Rio Vermelho, foi treinado e capacitado para dirigir o ônibus pela capital baiana.
O veículo, que é silencioso, possui uma autonomia de 250 km com um período de carregamento de 4 horas, capacidade para 76 passageiros e está adaptado às normas de acessibilidade, possuindo rampa de acesso e área específica para cadeirante.
O ônibus elétrico estará disponível para testes no período de 3 a 21 de dezembro, percorrendo a linha de transporte urbano Aeroporto-Lapa, passando por quase toda a orla de Salvador. A população poderá participar dos testes pagando taxa de R$ 2,80. No período de testes será possível avaliar aspectos de engenharia, adaptação às rodovias da região e satisfação dos usuários.
Fonte - A Tarde  02/12/2013

COMENTÁRIO Pregopontocom :
Tomara que a população da cidade pegue gosto pelo novo "buzu"... piso baixo,acessibilidade,suspensão macia,baixo nível de ruido,ar refrigerado,cambio automático....ai eu quero ver........rrrss

Crescimento da economia alcançará 2,5% no terceiro trimestre, diz Mantega

Economia


O ministro da Fazenda, Guido Mantega, antecipou o resultado do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) no terceiro trimestre. Segundo ele, a expansão atinge 2,5% na comparação com o mesmo trimestre em 2012. O índice será divulgado oficialmente nesta terça-feira (3) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)...


Fernanda Cruz
Repórter da Agência Brasil

São Paulo – O Ministro da Fazenda, Guido Mantega, antecipou hoje (2) o resultado do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) no terceiro trimestre: alcançará 2,5% na comparação com o mesmo trimestre em 2012. O índice será divulgado oficialmente amanhã pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
O ministro, que participava do Seminário Brasil: Uma Visão de Dez Anos, que ocorreu esta manhã na capital paulista, foi questionado sobre a queda das ações da Petrobras na Bolsa de Valores, registrada hoje, em razão do reajuste dos combustíveis anunciado da última sexta-feira (30). “Não vi o mercado hoje, ações de empresas flutuam, não tenho nada a comentar”, disse.
Mantega disse também que as Contribuições de Intervenção no Domínio Econômico (CIDE) poderão voltar a ser cobradas para os combustíveis. “[Isto ocorrerá] quando a inflação estiver contida num patamar mais confortável, abaixo dos patamares atuais”, disse ele.
Quanto ao aumento dos combustíveis, ele declarou ainda que o mercado vai se reajustar em relação aos preços e que o impacto nos valores da gasolina deve ser em torno de 2,5%.
Fonte - Agência Brasil   02/12/2013

Trensurb inaugura três novas estações - RS

Metrô

RF

A Trensurb iniciará nesta segunda-feira (02/12) a operação assistida das três novas estações da expansão do metrô até Novo Hamburgo. As estações Industrial, Fenac e Novo Hamburgo serão abertas ao público gratuitamente de segunda a sexta-feira, das 12h às 16h. Os intervalos entre viagens serão de 10 minutos, seguindo a grade horária atual. Ainda não está definido o início da operação comercial.
Os horários em que as estações permanecerão fechadas servirão para a realização dos ajustes necessários e correções de possíveis falhas detectadas durante a circulação dos trens. Os finais de semana ficarão reservados para a eventual necessidade de intervenções mais profundas, segundo a Trensurb.
Fonte - Revista Ferroviária  02/12/2013

domingo, 1 de dezembro de 2013

Aprovação do governo sobe para 41%, mostra pesquisa Datafolha

Política


Dos 65% de aprovação conquistados em março, o índice chegou a 30% em junho, após o auge dos protestos. Depois disso, o percentual dos que avaliam o governo Dilma como bom ou ótimo subiu para 36% em agosto, 38% em outubro e, agora, está em 41%. Os que consideram o governo ruim ou péssimo caíram de 19% em outubro para 17% em novembro......

Danilo Macedo
Repórter da Agência Brasil

Brasília - A avaliação do governo Dilma Rousseff apresentou recuperação constante nos últimos meses, de acordo com pesquisa Datafolha divulgada hoje (1º). Do ápice de 65% de aprovação conquistado em março, o índice chegou a 30% em junho, após o auge das manifestações populares. Depois disso, o percentual de brasileiros entrevistados que avaliaram o governo como bom ou ótimo subiu para 36% em agosto, 38% em outubro e, agora, está em 41%.
Os que consideram o governo ruim ou péssimo eram 7% em março, subiram para 25% em junho e, a partir de então, diminuíram para 22% em agosto, 19% em outubro e 17% em novembro. Os entrevistados que avaliam o governo como regular representavam 27% em março, chegaram a 43% em junho, a 42% em agosto em outubro e, agora, são 40%.
O Datafolha entrevistou 4.557 pessoas em 194 municípios na quinta (28) e na sexta-feira (29). A pesquisa tem margem de erro máxima de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.
Fonte - Agência Brasil  01/12/2013