sábado, 31 de agosto de 2013

Museu Nacional Ferroviário Pablo Neruda‏

Transportes sobre trilhos

Trata-se de um complexo ferroviário preservado que contém 34 locomotivas antigas, que contam parte da história dos trens no Chile. Há espaço de exposição, oficinais, espaço das máquinas e exposições ao ar livre.
Os turistas podem contratar passeios em uma locomotiva a vapor.
















Fonte http://www.panosso.pro.br/2012/11/temuco-chile-seminario-de-turismo... 
Fonte - CFVV Sul de Minas  31/08/2013

A SÍRIA, PUTIM - OBAMA

Obama diz que EUA estão prontos para ação militar na Síria, mas quer ouvir Congresso


Kelly Oliveira e Marcelo Brandão
EBC
Obama diz que EUA estão prontos para ação militar na Síria, mas quer ouvir Congresso
EBC
Brasília – Os Estados Unidos estão prontos para uma intervenção militar na Síria, declarou hoje (31) o presidente norte-americano Barack Obama, em pronunciamento na Casa Branca. Obama ressaltou, porém, que vai pedir o aval do Congresso americano, que está em recesso até 9 de setembro.
O presidente disse que não espera a concordância de todos os países com a ação militar na Síria, mas pediu que aqueles que estiverem de acordo declarem isso publicamente. Ele afirmou que tomará a decisão mesmo sem aprovação do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU).
Segundo o chefe do governo americano, o governo sírio cometeu violência contra a dignidade humana e fere a segurança dos Estados Unidos, uma vez que pode estimular o uso de armas químicas e proliferação de grupos terroristas. Obama reforçou que considera o governo sírio responsável pelo ataque ao próprio povo. Ele destacou que os Estados Unidos têm de que agir diante desse ato na Síria, que, conforme relatos de serviços secretos americanos, provocou a morte de mais de mil pessoas, entre elas crianças.
A oposição e países ocidentais acusam o regime de Bashar Al Assad de ter usado gás tóxico no ataque do dia 21 deste mês, nos arredores de Damasco, capital síria. O governo sírio rejeita as acusações e atribui a responsabilidade pelo ataque aos rebeldes.
O conflito na Síria já fez, desde março de 2011, mais de 100 mil mortos e levou o país a ser suspenso dos trabalhos da Liga Árabe.


Ataque à Síria: Putin pede a Obama que pense como Nobel da Paz


Agência Lusa
foto - ilustração
Moscou – O presidente da Rússia, Vladimir Putin, pediu hoje (31) ao presidente norte-americano, Barack Obama, que, como ganhador do Prêmio Nobel da Paz de 2009, pense nas vítimas de um eventual ataque à Síria.
“Dirijo-me a Obama como Prêmio Nobel da Paz: antes de usar a força na Síria, há que pensar nas futuras vítimas”, disse Putin, citado pelas agências russas de notícias.
Para ele, as acusações de Washington de que o governo de Bashar Al Assad usou armas químicas na Síria são “uma estupidez de metro e meio”. Aliado à Rússia, Putin disse que é necessário apresentar provas: “Se há provas sobre o uso de armas químicas, devem ser apresentadas. Se não se apresentam, é porque não existem.”
Barack Obama afirmou ontem (30) que ainda não tomou uma “decisão final” sobre um eventual ataque à Síria, mas admitiu uma ação “limitada” dos Estados Unidos contra o regime de Bashar Al Assad pelo uso de armas químicas.
Fonte - EBC 31/08/2013

MPE DIZ QUE JH SABIA DE ILEGALIDADES e é culpado por prejuízo de R$ 172 milhões na prefeitura

Política

Sandro Freitas
BN
BN  
Na avaliação da promotora do Ministério Público Estadual (MPE-BA), Rita Tourinho, caíram por terra as alegações do ex-prefeito João Henrique (sem partido) de que não tinha conhecimento de irregularidades na gestão municipal, problemas que – para ele – deveriam ser colocados na conta dos secretários, a quem o advogado de JH, Celso Castro, chama de “ordenadores de despesas”. Rita Tourinho integra o Grupo de Atuação Especial de Defesa do Patrimônio Público e da Moralidade Administrativa (Gepam), que pediu a Justiça o enquadramento do ex-prefeito na Lei de Improbidade Administrativa. O órgão fez a conta do prejuízo que a era JH deixou para a capital baiana: 172 milhões. “Não tem como não se falar que não existe responsabilidade dele [João Henrique], de que [às irregularidades] seriam no âmbito das secretarias. Todos são atos que vinham desde o início da gestão, verificados em 2009, 2010 e 2011. Como gestor, ficou comprovado que ele não adotou providências para alterar o quadro. Não só pedimos reconhecimento da improbidade administrativa, mas na forma de prejuízo ao erário com ressarcimento, porque foram aplicadas diversas multas e ele”, explicou à promotora ao Bahia Notícias. O Gepam pede que o antigo gestor devolva R$ 12 milhões aos cofres públicos, com base nas irregularidades encontrar nas contas rejeitadas pelo Tribunal de Constas dos Municípios (TCM), referentes a 2011.
BN 



Entre as irregularidades estão: não aplicação do mínimo de 25% da receita em educação; aumento de 193% das despesas com a contratação temporária de pessoal entre 2008 e 2011; e gasto de R$ 13 milhões com publicidade, quantia considerada “desarrazoada e desproporcional”. Em relação à verba de propaganda, o MPE aponta que os gastos ocorreram em um período eleitoral, na tentativa de “passar uma imagem positiva da caótica cidade de Salvador”. Tudo isso resultou no prejuízo de R$ 172 milhões e na conta deixada para o prefeito ACM Neto (DEM) de R$ 650 milhões. A culpa de João Henrique, segundo Rita Tourinho, está no fato do TCM ter rejeitado contas anteriores da prefeitura e apontado às irregularidades. No entanto, o ex-prefeito não adotou medidas para sanar os problemas. Questionada se JH teve o intuito de lesar os cofres públicos, Rita Tourinho pontuou que “roubar é só uma das possibilidades de improbidade”. “A gestão desastrosa do gestor público é uma das improbidades. A gestão temerária que gera danos ao erário público. Quando você tem uma gestão dessa natureza, durante determinado período, e fica constatado que não adota nada para mudar a situação, você está assumindo os riscos da consequência deste ato. Não precisa querer [roubar]. Se você sabe e nenhuma medida foi adotada, isso já caracteriza dolo [culpa]”, completou a promotora. Resta aguardar a Justiça decidir se chancela a ação do Ministério Público. No cenário político, caberá ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidir se o ex-prefeito ficará inelegível, mas Rita Tourinho dá um aviso: “Temos visto o TSE ter considerado inelegível inclusive prefeito que não atendeu 25% da educação, o que aconteceu em três anos [da gestão João Henrique], por exemplo. O gestor se torna [inelegível] se tiver contas rejeitadas por ato que constitua improbidade administrativa e é o que está [comprovado]. Existe improbidade e o dolo também existe, porque não é só querer [lesar os cofres], é você assumir o risco”.
Fonte -  Bahia Notícias  31/08/2013

Empresário Wagner Canhedo é preso em Brasília por sonegação de impostos

Notícias

Kelly Oliveira
Repórter da Agência Brasil
foto  ilustração - vaspabondonada
Brasília – O empresário Wagner Canhedo foi preso hoje (31) pela Polícia Civil do Distrito Federal. A prisão decorre de sentença da Justiça de Santa Catarina por sonegação fiscal.
De acordo com o delegado Sérgio Henrique de Araújo Moraes, que interinamente está no comando da Delegacia de Captura e Polícia Interestadual, Canhedo foi condenado a quatro anos, cinco meses e dez dias de prisão. O regime de prisão é semiaberto. Segundo o delegado, o empresário de 77 anos foi preso no início da manhã em casa, em Brasília. Inicialmente, ele ficará na carceragem da delegacia e depois será transferido para o Centro de Progressão Penitenciária.
Wagner Canhedo era dono da Viação Aérea São Paulo (Vasp), que teve falência decretada pela Justiça paulista em 2008. Em junho deste ano, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) confirmou a falência da Vasp, por considerar que não havia como continuar com o processo de recuperação judicial. Atualmente, a família Canhedo controla empresas de ônibus em Brasília.
Fonte - Agência Brasil  31/08/2013

MPF vai investigar causas de blecaute no Nordeste

Apagão


O Ministério Público Federal (MPF) no Piauí abriu inquérito para investigar as causas do blecaute que atingiu a região na quarta-feira (28). A interrupção no fornecimento de energia foi provocada pelo desligamento automático de duas linhas de transmissão, no Piauí. Na região, foram identificados focos de queimadas


André Richter
Repórter da Agência Brasil
Brasília – O Ministério Público Federal (MPF) no Piauí abriu hoje (30) inquérito para investigar as causas do blecaute que atingiu os estados do Nordeste na quarta-feira (28).
A interrupção no fornecimento de energia foi provocada pelo desligamento automático de duas linhas de transmissão que interligam os sistemas Sudeste/Centro-Oeste ao Nordeste, localizadas entre as subestações Ribeiro Gonçalves e São João do Piauí, no interior do Piauí. No local, foram identificados focos de queimadas.
O procurador Antônio Marcos Martins Manvailer, responsável pelo processo, pediu informações para a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Renováveis (Ibama) sobre os procedimentos adotados pelos órgãos na apuração da causas da interrupção do fornecimento de energia.
Segundo o procurador, o inquérito foi a fim de “tomar as providências necessárias para evitar novas ocorrências, bem como tomar as medidas atinentes em relação aos responsáveis pelo evento ocorrido.”
Fonte - Agência Brasil  30/08/2013

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Ofensas a "Médicos Cubanos" expõem o pior do Brasil

Saude



BOB FERNANDES
Segue o debate sobre os médicos estrangeiros do programa "Mais Médicos". Programa e debate que tentaram encaixotar no alvo ideológico rotulado de "Médicos Cubanos".
Quem pensou que o rótulo serviria para desgastar, e para obter dividendos políticos, deve ter se arrependido. O debate está pondo a nú deficiências não apenas no setor de Saúde.
Expõe também o que pensam e como vêem o país lideranças de uma corporação, a dos médicos. Mas não só. Os embates públicos permitem quase uma tomografia, um exame clínico do próprio Brasil.
Há argumentos sólidos, ou risíveis, de parte a parte; dos que são a favor e dos que são contra a vinda dos médicos. Dos que são contra, incontáveis relatos sobre o evidente descaso com a infraestrutura da Saúde país afora.
Tais relatos embutem algo precioso a ser discutido. O Brasil tem 513 anos, tem 27 estados e 5.564 municípios. Por que, até hoje, o país não tem nem um médico em 700 municípios? Por que outro milhar de cidades só tem um ou dois médicos?
A resposta é quase automática e parece fácil: "Porque o governo é incompetente". Como o Brasil tem 513 anos, pergunte-se: qual dos governos? E de qual dos 5 séculos?
Os governos da União? Os de 26 estados e DF, ou os de mais de 5 mil prefeituras e seus 60 mil vereadores?
Além da União e seu ministério, os estados e municípios têm Secretarias da Saúde e verbas. Por que não resolvem, ou ao menos amenizam o problema?
Será que o descaso com a Saúde Pública não tem relação com o fato de o país produzir a 2ª pior distribuição de renda do mundo?
Brasileiros ricos têm pelo menos U$ 520 bilhões depositados em paraísos fiscais. Cidadãos devem mais de R$ 1 trilhão ao fisco. E União e Estados devem mais de R$ 100 bilhões aos cidadãos.
Será que isso não caracteriza uma maneira de encarar a vida em sociedade? Em especial, de parte da sociedade que tem e sempre teve poder de fato?
Até que viessem o anúncio do "Mais Médicos" e os tais "médicos cubanos", quando e com que vigor entidades de classe e médicos saíram às ruas para protestar contra o escândalo que é a Saúde Pública?
Quando protestaram, por exemplo, contra Planos de Saúde que maltratam milhões de pacientes e também os próprios médicos?
Médicos cearenses vaiaram colegas cubanos em Fortaleza. E não nasceu do nada a opinião da jornalista Micheline Borges, que no facebook disse:
-Médicas cubanas têm cara de empregada doméstica. Será que são médicas mesmo? Afe, que terrível. Médico tem postura, cara de médico, se impõe a partir da aparência.
As vaias cearenses não são únicas. E Micheline não é, infelizmente, voz isolada. Elas representam uma porção importante do país. A que resistiu, por exemplo, à PEC das empregadas domésticas. E que pensa exatamente da mesma forma.
Ao supor que defendem a Saúde, pessoas como Micheline ajudam a explicar porque, com 513 anos, o Brasil tem a Saúde Pública que tem.

Concessão prevê manutenção de trens e trecho de Salvador

Metrô

RF
foto - ilustração
O grupo CCR, através da Companhia de Participações em Concessões (CPC), empresa do grupo para concessões, será o responsável pelo pagamento da manutenção dos trens e do trecho pronto de seis quilômetros do metrô de Salvador. Segundo o jornal A Tarde, da Bahia, o presidente da CCR, Renato Alves Vale, disse que o contrato de concessão do sistema de metrô de Salvador prevê que a empresa arque com os custos de reparos pelo tempo em que os trens e o trecho inicial de seis quilômetros permaneceu parado.
A homologação da CPC como vencedora da licitação foi publicada no Diário Oficial da Bahia na última quarta-feira (28/08). O contrato deve ser assinado em 30 dias. A empresa foi a única que apresentou proposta para PPP que engloba a construção, manutenção, material rodante e operação do metrô da capital baiana. A empresa vai receber R$ 127,6 milhões por ano como contrapartida do Estado para a implantação do metrô de Salvador.
Segundo o jornal A Tarde, o presidente da CCR esteve em Salvador na última quarta-feira com técnicos da empresa e do governo para a primeira reunião, após a vitória da licitação. Vale também se encontrou om o governador Jaques Wagner. Nós fizemos uma vistoria bastante detalhada para saber o quanto é que custa deixar tudo isso em ponto de bala. Está tudo em nossos custos. É responsabilidade nossa e vamos fazer. Tem coisas para fazer? É claro, disse ao jornal. Em relação aos custos do reparo , o executivo disse que somente serão divulgados após um levantamento mais cuidadoso.
A construção do metrô baiano iniciou em 2000 e somente seis quilômetros entre a Lapa e o Acesso Norte foram construídos, mas nunca operados. Seis trens foram comprados do consórcio Mitsui/Hyndai Rotem e aguardam seu destino na estação Acesso Norte. Hoje, a cidade tem em operação os trens de subúrbio operados pela Companhia de Transporte de Salvador.
Durante o leilão da PPP, na semana passada, em São Paulo, o secretário de Desenvolvimento Urbano da Bahia, Cícero Monteiro, explicou que o governo contratou o Metrô de Madrid, da Espanha, para fazer a inspeção e avaliação para definir se existe a necessidade de ajustes na obra dos seis primeiros quilômetros. Em relação aos trens, eles também passarão por inspeção, que será definida pelo vencedor da licitação.
O metrô de Salvador terá 22 estações, num traçado dividido em duas linhas: Linha 1 (17,6 km), chegando até Águas Claras / Cajazeiras, e Linha 2 (24,2km). Ao todo, o sistema de metrô de Salvador terá 55 TUEs, totalizando 220 carros. Seis trens já foram comprados, totalizando 24 carros, do consórcio Mitsui/Hyndai Rotem, na Coreia do Sul, em 2008. Os outros 196 TUEs que faltam serão comprados pelo consórcio vencedor da PPP, gradativamente, até as duas linhas ficarem prontas.
Fonte - Revista Ferroviária 30/08/2013

Economia brasileira cresce mais que norte-americana

Economia

Vitor Abdala
Repórter da Agência Brasil
Economia brasileira cresce 1,5% no segundo trimestre, aponta IBGE
EBC
Rio de Janeiro – O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro cresceu 1,5% no segundo trimestre deste ano em relação ao trimestre anterior. A taxa é superior à observada em países como os Estados Unidos (0,6%), Reino Unido (0,6%), Alemanha (0,7%) e França (0,5%).
O crescimento brasileiro também foi superior ao de Portugal (1,1%), da Coreia do Sul (1,1%), do Japão (0,6%) e da União Europeia (0,3%). Países como a Espanha (-0,1%), Itália (-0,2%), Holanda (-0,2%) e México (-0,7%) tiveram queda no PIB no segundo trimestre deste ano em relação ao trimestre anterior.
Já na comparação com os países que formam o Brics – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, o crescimento brasileiro de 3,3% do segundo trimestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado foi maior do que o observado na África do Sul (1,2%) e na Rússia (2%). A China teve crescimento de 7,5% e a Índia, de 4,4%.
Fonte - Agência Brasil 30/08/2013

Ato nacional deixa Salvador sem ônibus e bloqueia estradas

Política

Fernando Vivas | Ag. A TARDE
Rodoviários da Bahia ficam até às 8h nas garagens nesta sexta

Paula Pitta
A Tarde
Os ônibus não estão circulando nesta sexta-feira, 30, em Salvador, e centrais sindicais bloqueiam o trânsito na BR-324, BR-116 e BA-093 por conta do Dia Nacional de Mobilização e Paralisação. Os movimentos começaram às 4 horas nas garagens de transporte urbano e intermunicipal e nas rodovias que cortam a Bahia.
A pauta única dos trabalhadores é o fim do fator previdenciário e redução da jornada de trabalho de 44 para 40 horas - sem perda salarial. A mobilização pede também que o Projeto de Lei 4330, que regulamenta a terceirização, não seja aprovado no Congresso. "Estamos fazendo um pacto no Brasil por esses pontos, que atendem todos os trabalhadores", explica o diretor da Força Sindical, Vítor Costa, que organiza as manifestações nas estradas.
Além da bandeira única, os rodoviários também reivindicam o fim do descanso fracionado. "Atualmente, o rodoviário descansa entre 15 e 20 minutos a cada viagem que faz até completar uma hora de repouso", explica Hélio Ferreira, presidente do sindicato da categoria.
Motoristas e cobradores devem liberar os ônibus das garagens a partir de 8 horas. Por conta disso, os pontos de ônibus na capital baiana estão lotados, de acordo com a Superintendência de Trânsito e Transporte (Transalvador).
Já o protesto nas rodovias não tem previsão para acabar. Essa manifestação afeta o tráfego nas estradas e reflete no fluxo em Águas Claras e nas imediações de Pirajá, ainda em Salvador.
Outras categorias - Operários da construção civil, servidores públicos, técnicos de enfermagem, policiais civis, professores, comerciários, bancários, metalúrgicos, aeroviários, trabalhadores do Polo e da Petrobrás também devem realizar manifestações nos locais de trabalho, como atraso na entrada dos turnos. Pelo menos é o que prometem seus representantes de classe.
Em Feira de Santana, o presidente do Sindicato dos Rodoviários, Alberto Nery, disse que os ônibus não irão circularão durante o dia. Escolas públicas e particulares já anunciaram a suspensão das atividades. Na Universidade Estadual de Feira de Santana está prevista uma panfletagem em frente ao pórtico da instituição.
Além da pauta nacional, as centrais de Feira elaboraram uma pauta local que reivindica passe livre, CPI dos Transportes, Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano construído democraticamente além de redução da taxa de iluminação pública.
Fonte - A Tarde 30/08/2013

Campinas formaliza pedido de VLT a Dima em visita a cidade

Transportes sobre trilhos

G1
foto - ilustração
O prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), aproveitou a visita da presidente Dilma Rousseff (PT) a Campinas (SP) para formalizar publicamente o pedido de ajuda do governo federal para o projeto de implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) e para a criação de uma universidade federal na cidade. Embora ela e os ministros da comitiva tenham desviado do assunto nos discursos, o pessebista garante que houve sinalização positiva para as duas solicitações.
Dilma esteve em Campinas nesta quinta-feira (29) para a entrega de unidades habitacionais populares do “Minha Casa, Minha Vida” e também para participar da formatura de mil estudantes do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).
Universidade
Além do pedido de Donizette enquanto discursava, a Comissão Especial de Estudos (CEE) da Câmara de Vereadores também entregou à presidência um manifesto de apoio à criação de uma unidade de ensino superior federal na cidade. No documento, 40 prefeitos e parlamentares da Região Metropolitana de Campinas argumentam que a RMC é a única, entre as 20 maiores regiões metropolitanas do país, que ainda não conta com uma universidade federal.O prefeito de Campinas disse ter mencionado ao ministro da Educação, Aloizio Mercadante, que a administração já dispõe, inclusive, de um terreno para a construção da universidade. “Eu disse ao ministro que nós já temos um terreno em vista, que é um terreno que nós poderíamos ter uma junção entre Campinas, Hortolândia e Sumaré”, comentou o pessebista ao final dos eventos.
Donizette não disse como o ministro reagiu diante da proposta, mas lembrou que durante o período eleitoral, quando Mercadante apoiou o petista Marcio Pochmann à candidatura para prefeito de Campinas, ele gravou mensagens para reforçar a proposta em caso de eleição do copartidário.
VLT
Sobre o financiamento do projeto para implantação do "metrô leve" na cidade, o prefeito afirmou que a presidente se comprometeu a colaborar com a elaboração de um projeto para viabilizar o financiamento para a obra. "Ela me disse que o governo federal irá nos ajudar na elaboração do projeto e que ela vai se dedicar à questão de mobilidade urbana nas grandes cidades e que Campinas está incluída nisso".
Durante o único momento do discurso em que Dilma fez menção ao pedido, ela disse que viria a Campinas em outra oportunidade para falar com a população sobre projetos de mobilidade urbana. A expectativa do prefeito é que em breve o governo federal dê uma resposta.
Fonte - Revista Ferroviária  30/08/2013

O príncipe da privataria - Livro bomba

Política

Do sítio da Editora Geração
Adicionar legenda
Uma grande reportagem, 400 páginas, 36 capítulos, 20 anos de apuração, um repórter da velha guarda, um personagem central recheado de contradições, poderoso, ex-presidente da República, um furo jornalístico, os bastidores da imprensa, eis o conteúdo principal da mais nova polêmica do mercado editorial brasileiro: O Príncipe da Privataria – A história secreta de como o Brasil perdeu seu patrimônio e Fernando Henrique Cardoso ganhou sua reeleição (Geração Editorial, R$ 39,90).
Com uma tiragem inicial de 25 mil exemplares, um número altíssimo para o padrão nacional, O Príncipe da Privataria é o 9° título da coleção História Agora da Geração Editorial, do qual faz parte o bombástico A Privataria Tucana e o mais recente Segredos do Conclave.
O personagem principal da obra é o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o autor é o jornalista Palmério Dória, (Honoráveis Bandidos – Um retrato do Brasil na era Sarney, entre outros títulos). A reportagem retrata os dois mandatos de FHC, que vão de 1995 a 2002, as polêmicas e contraditórias privatizações do governo do PSDB e revela, com profundidade de apuração, quais foram os trâmites para a compra da reeleição, quem foi o “Senhor X” – a misteriosa fonte que gravou deputados confessando venda de votos para reeleição – e quem foram os verdadeiros amigos do presidente, o papel da imprensa em relação ao governo tucano, e a ligação do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap) com a CIA, além do suposto filho fora do casamento, um ”segredo de polichinelo” guardado durante anos…
Após 16 anos, Palmério Dória apresenta ao Brasil o personagem principal do maior escândalo de corrupção do governo FHC: o “Senhor X”. Ele foi o ex-deputado federal que gravou num minúsculo aparelho as “confissões” dos colegas que serviram de base para as reportagens do jornalista Fernando Rodrigues publicadas na Folha de S. Paulo em maio de 1997. A série “Mercado de Voto” mostrou da forma mais objetiva possível como foi realizada a compra de deputados para garantir a aprovação da emenda da reeleição. “Comprou o mandato: 150 deputados, uma montanha de dinheiro pra fazer a reeleição”, contou o senador gaúcho, Pedro Simon. Rodrigues, experiente repórter investigativo, ganhou os principais prêmios da categoria no ano da publicação.
Nos diálogos com o “Senhor X”, deputados federais confirmavam que haviam recebido R$ 200 mil para apoiar o governo. Um escândalo que mexeu com Brasília e que permanece muito mal explicado até hoje. Mais um desvio de conduta engavetado na Era FHC.
Porém, em 2012, o empresário e ex-deputado pelo Acre, Narciso Mendes – o “Senhor X” –, depois de passar por uma cirurgia complicada e ficar entre a vida e a morte, resolveu contar tudo o que sabia.
O autor e o coautor desta obra, o também jornalista da velha guarda Mylton Severiano, viajaram mais de 3.500 quilômetros para um encontro com o “Senhor X”. Pousaram em Rio Branco, no Acre, para conhecer, entrevistar e gravar um homem lúcido e disposto a desvelar um capítulo nebuloso da recente democracia brasileira.
O “Senhor X” aparece – inclusive com foto na capa e no decorrer do livro. Explica, conta e mostra como se fazia política no governo “mais ético” da história. Um dos grandes segredos da imprensa brasileira é desvendado.
20 anos de apuração
Em 1993, o autor começa a investigar a vida de FHC que resultaria neste polêmico livro. Nessas últimas duas décadas, Palmério Dória entrevistou inúmeras personalidades, entre elas o ex-presidente da República Itamar Franco, o ex-ministro e ex-governador do Ceará Ciro Gomes e o senador Pedro Simon, do PMDB. Os três, por variadas razões, fizeram revelações polêmicas sobre o presidente Fernando Henrique e sobre o quadro político brasileiro.
Exílio na Europa
Ao contrário do magnata da comunicação Charles Foster Kane, personagem do filme Cidadão Kane, de Orson Welles, que, ao ser chantageado pelo seu adversário sobre o seu suposto caso extraconjugal nas vésperas de uma eleição, decide encarar a ameaça e é derrotado nas urnas devido a polêmica, FHC preferiu esconder que teria tido um filho de um relacionamento com uma jornalista.
FHC leva a sério o risco de perder a eleição. Num plano audacioso e em parceria com a maior emissora de televisão do país, a Rede Globo, a jornalista Miriam Dutra e o suposto filho, ainda bebê, são “exilados” na Europa. Palmério Dória não faz um julgamento moralista de um caso extraconjugal e suas consequências, mas enfatiza o silêncio da imprensa brasileira para um episódio conhecido em 11 redações de 10 consultadas. Não era segredo para jornalistas e políticos, mas como uma blindagem única nunca vista antes neste país foi capaz de manter em sigilo em caso por tantos anos?
O fato só foi revelado muito mais tarde, e discretamente, quando Fernando Henrique Cardoso não era mais presidente e sua esposa, Dona Ruth Cardoso, havia morrido. Com um final inusitado: exame de DNA revelou que o filho não era do ex-presidente que, no entanto, já o havia reconhecido.
Na obra, há detalhes do projeto neoliberal de vender todo o patrimônio nacional. “Seu crime mais hediondo foi destruir a Alma Nacional, o sonho coletivo”, relatou o jornalista que desvendou o processo privativista da Era FHC, Aloysio Biondi, no livro Brasil Privatizado.
O Príncipe da Privataria conta ainda os bastidores da tentativa de venda da Petrobras, em que até a produção de identidade visual para a nova companhia, a Petrobrax, foi criada a fim de facilitar o entendimento da comunidade internacional. Também a entrega do sistema de telecomunicações, as propinas nos leilões das teles e de outras estatais, os bancos estaduais, as estradas, e até o suposto projeto de vender a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil. “A gente nem precisa de um roubômetro: FHC com a privataria roubou 10 mil vezes mais que qualquer possibilidade de desvio do governo Lula”, denuncia o senador paranaense Roberto Requião.
Sobre autor:
Palmério Dória é repórter. Nasceu em Santarém, Pará, em 1949 e atualmente mora em São Paulo, capital. Com carreira iniciada no final da década de 1960 já passou por inúmeras redações da grande imprensa e da “imprensa nanica”. Publicou seis livros, quatro de política: A Guerrilha do Araguaia; Mataram o Presidente — Memórias do pistoleiro que mudou a História do Brasil ; A Candidata que Virou Picolé (sobre a queda de Roseana Sarney na corrida presidencial de 2002, em ação orquestrada por José Serra); e Honoráveis Bandidos — Um retrato do Brasil na Era Sarney ; mais dois livros de memórias: Grandes Mulheres que eu Não Comi, pela Casa Amarela; e Evasão de Privacidade, pela Geração Editorial.
Ficha Técnica:
O Príncipe da Privataria - Autor: Palmério Dória  - Coleção: História Agora – 9 vol.
Gênero: Reportagem  - Acabamento: Brochura  - Formato: 16 x 23 cm
Págs: 400  - Peso: 552g
ISBN: 9788581302010 - Preço: R$ 39,90
Editora: Geração
Fonte - Blog do Miro  29/08/2013

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Prefeitura retira do Setps o controle sobre linhas de ônibus em Salvador

Mobilidade

Fernando Duarte e Osvaldo Lyra
TB
foto ilustração - pregopontocom
Enquanto prepara a licitação para a concessão do sistema de transporte urbano, a prefeitura de Salvador segue com estudos preliminares antes de avançar e, nessa quarta-feira (28/8), durante um evento para discutir a mobilidade urbana na capital baiana, mostrou que há discordância entre o secretário de Urbanismo e Transportes, José Carlos Aleluia, e o Setps, que representa os empresários do setor. De acordo com Aleluia, “cada empresa era proprietária de uma linha e tratava a comunidade como bem lhe interessava”, posição diametralmente oposta ao superintendente do sindicato das empresas de ônibus, Horácio Brasil.
“As linhas não foram feitas para atender as pessoas, as linhas foram feitas para atender pedidos e o traçado foi feito para que se catasse passageiros”, argumenta o titular de Urbanismo e Transportes da prefeitura. Evitando polêmicas, Horácio Brasil rebateu a crítica de Aleluia apontando existir “uma legislação ainda do tempo do prefeito Manoel Castro” em que “as linhas são da prefeitura e os empresários as operam através de ordem de serviço”. “Isso (a propriedade das linhas por parte dos empresários) é uma deturpação, decorrente de uma falta de informação”, classificou o superintendente do Setps.
Brasil, todavia, admitiu que a cidade não evoluiu na discussão sobre o sistema de transporte público. “A cidade está fazendo essa discussão há vários anos e até agora não aconteceu nada. Vamos ver se a gente consegue sair dessa nossa inércia. Salvador deu uma parada em relação às demais cidades brasileiras, onde se discutiu bastante e não se fez nada. Vamos ver se agora toma uma decisão”, provocou o representante dos empresários. Indiretamente, porém, Brasil sinalizou que é importante uma relação harmônica entre o poder público, o empresariado e a população. “Se essa relação for boa, a cidade vai bem. Se ela for ruim, vai de mal a pior”, sugeriu.
Aparentemente sem grandes entraves, a relação entre a prefeitura e o Setps não transparece desgastes mais sérios, segundo as falas de ambos os lados. “A cidade só tem que ganhar, principalmente quando você tem uma administração que sabe o que quer. Isso para mim é imprescindível. Agora a motivação política, a vontade política do dirigente é que é definitivo”, salientou Brasil. Já Aleluia sugeriu que haverá mudanças nessa relação. “Nós recuperamos o poder concedente. A prefeitura, na gestão do prefeito ACM Neto, vai assumir completamente o ordenamento, o controle e a gestão da operação do sistema de transporte de Salvador. Eu tenho deixado claro para os empresários que eles vão ter que mudar, porque quem não mudar vai ser mudado”, assegurou o secretário.
Aleluia antecipa detalhes - 
Prevista para ser divulgada em setembro – depois de alguns adiamentos conforme discursos do próprio secretário de Urbanismo e Transportes, José Carlos Aleluia –, a licitação do sistema de transporte rodoviário urbano de Salvador terá como novidade a remodelação de todas as linhas atualmente disponibilizadas para a população. De acordo com Aleluia, o novo modelo melhorará a prestação dos serviços, além de otimizar a mobilidade urbana na capital baiana.
“Nós destruímos as linhas, consideramos que todas as linhas têm que ser remontadas e nós vamos fazer um sistema novo, e terá que ser equipamentos também novos. Esse sistema está estruturado para ter linhas estruturantes, linhas alimentadoras, cada uma com um determinado tipo de equipamento. Nós não aceitamos que o serviço continue com a qualidade que está. Acho que hoje está melhor do que estava em janeiro, mas ainda é pouco, nós queremos mais, o prefeito quer mais”, antecipou o titular da pasta que coordena a elaboração do edital.
Segundo ele, o prefeito elencou uma série de prioridades que serão consideradas durante o processo. “A prioridade não é receber dinheiro. A prioridade é receber novos serviços, novos equipamentos. Ônibus tem que ter prioridade na cidade. Essa é uma realidade que vai mudar em Salvador. Se nós não fizermos isso, vai ficar todo mundo parado. Quem nunca andou de ônibus vai aprender a andar de ônibus".
Fonte - Tribuna da Bahia  29/08/2013

COMENTÁRIO PREGOPONTOCOM

Se eu não estou vendo visagem!!!!....ALELUUUUIA!!!!!!.... será que estou enxergando uma luz no fim do túnel???......será???... ou esse embate é apenas uma cortina de fumaça???...uma figuração????...uma mera encenação?????!!!!!....Venho batendo nisso a seculos, " linhas de ônibus é um bem publico" e não podem ser privatizadas nem comercializadas.O arcaico sistema de transporte de Salvador é duramente castigado e comprometido por vários fatores negativos entre eles:  a "sobreposição de linhas" (que aumenta drasticamente o custo operacional do sistema com a concorrência predatória entre as próprias empresas do setor, através da invasão de corredores) linhas criadas somente para o sobe e desce (sem origem e destino),a falta da alternância nas paradas, que gera um excesso de linhas de ônibus que se acumulam em um único ponto (existem casos de 60 linhas em uma única parada), as estações de ônibus, autênticos trambolhos, que elevam o custo operacional do sistema em virtude do seu alto custo de construção e manutenção (estações são para trens e metrôs,ônibus precisam de terminais simples, seguros,operacionais com total acessibilidade,onde o usuário deve por principio permanecer o menor tempo possível, "terminal de ônibus não é sala de visitas"), linhas longas e turísticas, a falta da integração física e tarifária em todo o sistema, com bilhete único (de verdade, e não a panaceia existente) por tempo de permanência no sistema (por hora),a falta de acessibilidade,conforto e dirigibilidade,em virtude dos arcaicos e inadequados ônibus, fora dos padrões das normas da ABNT- NBR 15.570/2009. a "excrecência" dos curais, além de uma serie de outros problemas que se acumulam em virtude da falta de planejamento e da irracionalidade do sistema.
Entre as mudanças a serem postas em práticas, uma delas deve ser o formato da licitação do transporte público,excluindo-se a licitação das linhas (um bem público),substituindo pelo sistema de "fretamento de frota", com determinado numero de veículos divididos em lotes, com valores fixos estipulados durante a vigência do contrato, por tempo máximo de 5 a 7 anos,com manutenção diária obrigatória da frota ativa de veículos a disposição do operador,por parde das empresas locadoras,dentro dos números constantes no contrato firmado,dessa forma as empresas forneceriam apenas os ônibus ficando fora do controle das linhas e das tarifas, o poder público assumiria o controle total, administraria e operaria o sistema sem ter que pagar as empresas subsídios por passageiros transportados ou por Km rodados, não haveria incidência de impostos de nenhuma natureza sobre o serviço de transportes.Com certeza teríamos um transporte mais barato mais eficiente tento por base a premissa que "transporte público" é uma atividade essencial e uma prestação de serviço de "utilidade pública e social",... longe de ser uma fonte incessante de lucros. - Ps. O sistema de "fretamento de frota" já foi usado em SP durante alguns anos com bons resultados sendo extinto em 1991...por que??????....quem sabe???!!!.....

Jorge Pontual explica os médicos "cubanos"

Saúde
Jorge Pontual fala de seu documentário sobre o médico sem 
fronteiras e seu contato com os médicos cubanos.

Salvador ficará sem ônibus no começo da manhã desta sexta

Cidade

Edilson Lima | Ag. A TARDE

A Tarde
Da Redação
Rodoviários impedem a saída dos ônibus das garagens a partir das 4hs

Salvador ficará sem ônibus nesta sexta-feira, 30, a partir das 4h, quando os rodoviários impedem a saída dos coletivos das garagens. A ação, que faz parte do Dia Nacional de Mobilização e Paralisação programado pelas centrais sindicais de todo o País, segue até as 8hs, horário em que os veículos começam a ser liberados para circulação na cidade. A manifestação envolve trabalhadores dos ramos urbano, intermunicipal, metropolitano e fretamento.
A mobilização ocorre para reivindicar o fim do fator previdenciário, redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais e combate ao Projeto de Lei 4330, da terceirização.
O protesto visa também discutir os problemas causados pela hora do descanso criada por lei federal e discutir a pauta nacional dos protestos, que inclui a luta pelos 10% do PIB para a Educação, 10% do Orçamento da União para a Saúde e transporte público de qualidade (mobilidade urbana), valorização das aposentadorias, reforma agrária e suspensão dos leilões de petróleo.
Fonte  - A Tarde  29/08/2013

CCR prevê assinar contrato (do metrô) de Salvador em até 60 dias

Metrô

Valor Econômico
foto - ilustração
A CCR espera assinar em até 60 dias o contrato de concessão do metrô de Salvador, informou em
teleconferência nesta quarta-feira a companhia especializada em infraestrutura.
Conforme adiantou na semana passada o Valor, a CCR havia sido a única a apresentar proposta pelo empreendimento. A companhia foi declarada vencedora do leilão. De acordo com fontes do mercado, a CCR calcula retorno superior a 10% ao ano com o novo negócio.
A empresa investirá cerca de R$ 1,4 bilhão, montante a ser obtido por meio de financiamentos.
A companhia também informou uma nova estimativa de início das atividades. A operação parcial deve ocorrer em até 11 meses a partir da assinatura (antes, a previsão era de em até 9 meses). Já a operação plena ocorrerá até o 42º mês de contrato (antes, a previsão era em até 36 meses).

Fitch Ratings confirma rating da CCR
A Fitch Ratings informou que o rating nacional de longo prazo da CCR, classificado como 'AA+(bra)', não deverá ser afetado pela concessão do metrô de Salvador, recém-conquistada. Segundo a Fitch, o aporte de cerca de R$ 400 milhões a ser feito pela CCR, sendo R$ 200 milhões no momento da assinatura do contrato, "é relevante e deve enfraquecer temporariamente os indicadores de crédito consolidados". Apesar disso, o aporte não aumentará significativamente o risco de refinanciamento do grupo, considerado baixo neste momento - segundo a Fitch. Com a absorção do novo investimento, a alavancagem líquida consolidada deve se elevar de 2,3 vezes para 2,7 vezes, patamar "ainda adequado".
Fonte - Revista Ferroviária  29/08/2013

Quatro propostas para o metrô de Curitiba

Metrô

RF
foto - ilustração
Em maio deste ano a Prefeitura de Curitiba lançou uma PMI (Procedimento de Manifestação de Interesse)
para o metrô da capital paranaense. Na última segunda-feira quatro interessados entregaram propostas.
O primeiro a apresentar proposta foi a organização popular, Movimento Passe Livre (MPL). A empresa Triunfo Participações e Investimentos e dois grupos privados: um formado pelas empresas C.R Almeida Engenharia de Obras, J. Malucelli Construtora de Obras, Ghella S.A, Keolis S.A e Impreglio, e outro composto por Intertechne Consultores S.A, Vertrag Arquitetura e Urbanismo e Tetraarq, Arquitetura e Projetos, também apresentaram propostas.
Na sexta-feira anterior a PMI foi assinado um termo de cooperação com o BNDES, que fará o acompanhamento técnico e financeiro do projeto do metrô, a partir do novo projeto.
“Estamos satisfeitos com o resultado do PMI, que foi além de nossa expectativa. Temos quatro projetos para analisar, o que nos diferencia da experiência de outras cidades, que tiveram apenas um participante. Com este número de propostas, temos condição de montar o melhor projeto final”, disse o secretário municipal de Planejamento e Gestão, Fábio Scatolin.
A sessão pública de entrega das propostas ocorreu na sede da Secretaria Municipal de Administração. A Prefeitura tem 30 dias para analisar as propostas. O edital de licitação das obras está previsto para o fim do ano.
Segundo Scatolin, a próxima etapa é fazer a analise das propostas e a partir disso, dar início ao processo de licitação. O secretário destacou a participação do Movimento Passe Livre (MPL) no processo. “Uma das propostas vem de uma organização popular, o que fortalece o empenho da Prefeitura de viabilizar um novo projeto de mobilidade para a cidade. Esta participação vai contribuir para que a gente entenda as necessidades da população, e corresponde ao que o prefeito Gustavo Fruet quer, que é a participação popular neste processo”, disse.
Fonte - Revista Ferroviária  29/08/2013

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Queimada no Piauí provocou blecaute no Nordeste, diz governo

Brasil

Sabrina Craide e Vladimir Platonow
Repórteres da Agência Brasil
foto - ilustração
Brasília e Rio de Janeiro – O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, e o Operador Nacional do
Sistema Elétrico (ONS) informaram que a interrupção no fornecimento de energia que atingiu a Região Nordeste na tarde de hoje (28) foi causada por uma queimada em uma fazenda no município de Canto do Buriti, no Piauí, que resultou no desligamento de linhas de transmissão.
Foi desligada a linha de transmissão Ribeiro Gonçalves-São João do Piauí devido à queimada. Às 15h04, o circuito foi religado manualmente, mas um novo desligamento pelo mesmo motivo ocorreu às 15h06. A linha de transmissão é da empresa Ienne, controlada pela espanhola Isoluxx. Segundo o ONS, às 15h08, também devido a uma queimada, foi desligada a segunda linha Ribeiro Gonçalves-São João do Piauí, da Taesa, empresa controlada pela Cemig, configurando uma contingência dupla, o que levou à perda de sincronismo e à consequente separação da Região Nordeste do restante do Sistema Interligado Nacional (SIN), havendo perda de carga de aproximadamente 10,9 mil megawatts.
“A linha passa na Fazenda Santa Clara. Houve desligamento inicial às 14h58, foi recomposta em seguida, mas logo depois uma nova incidência fez com que perdêssemos toda a carga do Nordeste. Quarenta minutos depois, já tínhamos o reinício da ligação das cargas em todas as capitais”, disse o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, que esteve na sede do ONS, no centro do Rio.
Houve o desligamento adicional de mais três linhas de transmissão que fazem a interligação do SIN com a Região Nordeste: Presidente Dutra -Teresina (circuitos 1 e 2), Presidente Dutra-Boa Esperança e Bom Jesus da Lapa-Rio das Éguas. “Após identificada a origem da ocorrência, deu-se início à recomposição das cargas da Região Nordeste, tendo a das capitais sido, praticamente, concluída às 17h30”, diz a nota divulgada no início da noite pelo ONS.
O diretor-geral do ONS, Hermes Chipp, explicou que a queimada causou um curto-circuito no sistema. “Houve uma contingência dupla na linha de 500 quilovolts São João do Piauí-Ribeiro Gonçalves. Com isso, se abriram outras linhas de 500 KV, que conduziram à separação de todo o sistema Nordeste do restante do sistema interligado. Aí a carga é muito maior do que a geração da região, ocorrendo o desligamento”, explicou Chipp.
Fonte - Agência Brasil  28/08/2013 

SALVADOR "NÃO" TEM JEITO....

Nem fiscalização.......

estacionamento em cima do passeio-rua C.Gomes
estacionamento em cima do passeio - rua C.Gomes









estacionamento em cima do passeio - rua J.das Botas
estacionado em local proibido - rua J.das Botas

carga e descarga -Av Sete (Campo Grande)

estacionado no meio da rua - Campo Grande

carga e descarga -Av Sete ( Campo grande)




carga e descarga - Av Sete (Campo Grande)


carga e descarga - Av Sete ( Piedade)
carga e descarga -Av Sete ( Merces)
Fotos dia 28/08/2013 - horário entre as 14:00 e 14:30 hs

Dilma critica preconceito contra cubanos

Política


"É um imenso preconceito sendo externado contra os cubanos. É importante dizer que os médicos estrangeiros, não só cubanos, vêm ao Brasil para trabalhar onde os brasileiros formados aqui não querem trabalhar”, disse a presidenta em entrevistas a emissoras de rádio de Minas Gerais

Renata Giraldi e Danilo Macedo
Repórteres da Agência Brasil

Brasília - A presidenta Dilma Rousseff criticou hoje (28) os que têm preconceito contra a presença dos médicos cubanos no Brasil. Em entrevista a rádios de Minas Gerais, ela ressaltou que há também médicos de outros países, além de Cuba. A presidenta reiterou que os estrangeiros estão no Brasil para desempenhar o trabalho que os médicos brasileiros não querem fazer.
"É um imenso preconceito sendo externado contra os cubanos. É importante dizer que os médicos estrangeiros, não só cubanos, vêm ao Brasil para trabalhar onde médicos brasileiros formados aqui não querem trabalhar”, disse ela.
Ontem (27), a Federação Nacional dos Médicos (Fenam) solicitou à Procuradoria-Geral do Trabalho investigação da relação de trabalho dos profissionais que atuarão pelo Mais Médicos. A entidade alega que o fato de os médicos não revalidarem os diplomas vai causar restrição de locomoção, o que, segundo a entidade, é uma das características do trabalho escravo.
Pelas regras do governo, todos os profissionais do Mais Médicos receberão uma “bolsa formação” pelo serviço nas regiões carentes. Não haverá contrato de trabalho. O Ministério da Saúde é favorável à concessão de pagamento por intermédio de bolsa porque os médicos farão uma especialização na atenção básica ao longo dos três anos de atuação no programa.
No caso dos médicos cubanos, eles atuarão no Brasil em regime diferente dos que se inscreveram individualmente no Mais Médicos. O Ministério da Saúde brasileiro firmou acordo com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) para que a entidade internacional buscasse parcerias para a vinda de médicos para o país. Pelo acordo, a Opas fez acordo com Cuba, prevendo inicialmente a vinda de 4 mil médicos cubanos. Os primeiros 400 profissionais desse acordo a chegarem no país vão atuar em parte das 701 cidades que não receberam inscrições individuais de médicos.
No acordo, os repasses financeiros serão feitos do Ministério da Saúde para a Opas. A entidade repassará as quantias ao governo cubando, que pagará os médicos. Inicialmente nem a Opas nem o Ministério da Saúde souberam especificar quanto dos R$ 10 mil pagos por médico será repassado para os profissionais, porém, o secretário adjunto de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde, Fernando Menezes, disse depois que a remuneração ficaria entre R$ 2,5 mil e R$ 4 mil.
Fonte - Agência Brasil  28/08/2013

Fuga do senador boliviano foi ação orquestrada...

Política

Fuga de senador foi ação orquestrada, diz deputado do PT


Para o deputado Cláudio Puty (PT-PA), que participou de uma missão oficial à Bolívia, em março, onde conheceu os principais personagens envolvidos na trama, fuga do senador boliviano Roger Pinto (foto) não foi obra individual de um destemido diplomada brasileiro, mas ação organizada pela direita com apoio de setores conservadores do Itamaraty, que atuam contra governos progressistas latino-americanos e a favor do agronegócio. 

Por Najla Passos
Carta Capital
Brasília – A fuga do senador boliviano que custou o cargo ao ministro das Relações Exteriores, Antônio Patriota, não foi obra individual de um destemido diplomada brasileiro, mas uma ação organizada pela direita com apoio de setores conservadores do Itamaraty, que mantêm estreitos laços em questões políticas e econômicas, como o boicote aos governos socialistas e a defesa intransigente do agronegócio.
A avaliação é do deputado Cláudio Puty (PT-PA), que participou de uma missão oficial à Bolívia, em março, onde conheceu os três principais personagens envolvidos na trama: o então embaixador do Brasil na Bolívia, Marcel Biato, que patrocinou a aceitação brasileira ao pedido de asilo político do senador, o diplomata brasileiro Eduardo Sabóia, que afirma ter organizado sozinho a fuga do político, e o próprio senador oposicionista Roger Pinto, que viveu 545 dias na embaixada brasileira na Bolívia.
“Esta foi uma ação sem precedente na história da diplomacia brasileira. Como pode um diplomata patrocinar a fuga de um criminoso comum, à revelia do governo brasileiro, escondido do governo boliviano e com o apoio explícito da direita brasileira, que já o aguardava na fronteira do país?”, questiona Puty.
Para ele, é inadmissível que o Brasil, que não aceitou o pedido de asilo político do ex-agente da CIA, Edward Snowden, corra o risco de colocar em xeque as relações com um país amigo para ajudar um criminoso comum como Roger Pinto. “Pelo que consta, o Brasil não reconhece a Bolívia como um governo de exceção. Portanto, essa ação foi um atentado à soberania boliviana que precisa ser punida exemplarmente”, acrescentou.
Missão oficial
O deputado foi à Bolívia acompanhado de outros quatro colegas que, como ele, atuavam na CPI do Trabalho Escravo. Em visita à embaixada brasileira em La Paz, se surpreenderam com a presença de Roger Pinto. “Ele usava a embaixada como escritório particular para fazer oposição ao governo de Evo Morales. Recebia colegas do partido e concedia entrevista livremente”, relembra.
Puty ficou muito impressionado também com a postura de Biato e Sabóia que, a despeito das excelentes relações bilaterais entre Brasil e Bolívia, tratavam aquele país com total desrespeito. “Eles falavam sobre a Bolívia, os bolivianos e o Evo com tanto preconceito que o jantar de recepção à nossa delegação terminou em bate-boca”, recorda ele, ressaltando a cumplicidade ideológica entre diplomatas e senador.
Para o deputado, a aceitação do pedido de asilo político, patrocinada por Biato, foi um erro que, desde então, tem gerado desconforto na relação Brasil e Bolívia. Pressionado, o Brasil decidiu transferir Biato para a Suécia, em junho passado. Saboia, então, passou a responder como embaixador em exercício.
Voz do agronegócio
Proprietário de terras na fronteira com o Acre, Roger Pinto é o principal porta-voz do agronegócio no país. Governou o departamento de Pando, quando acumulou processos por desvios de verba, favorecimento a jogos ilegais e venda de terra pública para estrangeiros. Depois, elegeu-se senador pela Convergência Nacional e passou a líder um bloco de partidos conservadores no parlamento.
Desde que ingressou na carreira política, teve um aumento 290% em seu patrimônio avaliado, hoje, em US$ 1 milhão. Condenado por dano econômico ao país mais pobre da América do Sul, pediu asilo político ao Brasil, em maio de 2011. Em junho, teve a solicitação acatada pelo Itamaraty e se dirigiu à embaixada brasileira em La Paz, onde permaneceu por 545 dias, até a fuga para o Brasil.
De acordo com o portal do Governo da Bolívia, além da condenação, o senador responde a quatro processos por corrupção, além de outros dez por crimes comuns: calúnia, difamação e desacato à autoridade. O governo boliviano garantiu que o episódio não irá afetar as relações da Bolívia com o Brasil, mas o Ministério Público do país já estuda pedir a extradição de Roger Pinto
Fuga espetacular
Roger Pinto deixou La Paz em carro oficial da embaixada brasileira, na companhia de Saboia. Atravessou a Bolívia e despistou a imigração até cruzar a fronteira. Em Corumbá (MS), foi recebido pelo presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado, Ricardo Ferraço (PMDB-ES), que o acompanhou até Brasília, de avião.
À imprensa, Saboia afirmou ter tramado sozinho a operação, motivado por questões humanitárias, já que o senador sofre de problemas renais e apresentava quadro de depressão, devido à privação de liberdade e ao afastamento da família, que vive no Brasil.
O Ministério das Relações Exteriores brasileiro demonstrou surpresa, prometeu apurar o caso e convocou Sabóia para prestar esclarecimentos nesta segunda (26). Em nota divulgada no domingo (25), afirmou que abrirá inquérito e tomará as medidas administrativas e disciplinares cabíveis.
Na noite desta segunda (26), a presidenta Dilma comunicou a demissão do ministro Antônio Patriota. No lugar dele, assume Luiz Alberto Figueiredo Machado. Diplomata de carreira, ele foi o negociador-chefe da Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, e atuava com representante do Brasil na ONU.
Fonte  - Carta Capital  28/08/2013

Planos e Projetos para Implantação de Trens Regionais

Ferrovias

Aeamesp
foto - ilustração
Este é o tema que estará em pauta no dia 13 de setembro de 2013, das 10h40 às 11h20 como parte da programação da 19ª Semana de Tecnologia Metroferroviária, que será realizada pela Associação dos
Engenheiros e Arquitetos de Metrô – AEAMESP, nos dias 10, 11,12 e 13 de setembro, no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo.
A Comissão organizadora convidou para compor o painel como moderador, o presidente da Associação Brasileira da Indústria Ferroviária - Abifer, Vicente Abate e como palestrantes, o diretor da Estação da Luz Participações Ltda. – EDLP, Guilherme Quintella; o presidente da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos – CPTM, Manoel Seabra Rodrigues Bandeira e o diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT, Jorge Luiz Macedo Bastos.
Na ocasião, os participantes colocarão em discussão assuntos como:os projetos em andamento, os desafios físicos e logísticos para a implantação dos trens regionais e as novas alternativas para substituição do transporte aeroviário e rodoviário no País.
Fonte - Revista ferroviária  27/08/2013

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Ministério Público aciona a Via Bahia para que suspenda cobrança de pedágio

Rodovias

TB
foto - Lúcio Távora
Após cerca de dois meses, o Ministério Público Federal na Bahia (MPF/BA) ajuizou uma Ação Civil Pública contra a Via Bahia e a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para que a Justiça Federal conceda liminar obrigando a concessionária a realizar obras e serviços na BR-324. A intervenção deve ser realizada para tapar a cratera formada no km 618 da rodovia (sentido Salvador - Feira de Santana), nas proximidades do Porto Seco Pirajá.
Os procuradores da República Melina Castro Montoya Flores, Marcos André Carneiro Silva e Claytton Ricardo de Jesus Santos requereram a suspensão integral do pedágio na Praça 1, localizada no km 597, até que sejam concluídas as obras de reparação das pistas. Eles também requereram que a Justiça obrigue a concessionária a apresentar um cronograma de execução das obras.
Na ação, ajuizada no último dia 15, o MPF aponta que a Via Bahia não se mostrou diligente na fase inicial do problema e que não cumpriu o contrato de concessão quanto à obrigação de realizar as obras e serviços nos prazos fixados pela ANTT. Segundo o MPF, no contrato, firmado em setembro de 2009 com prazo de 25 anos, a concessionária é obrigada a reparar os vícios, defeitos ou incorreções nos prazos que foram fixados pela agência.
O prazo para apresentação de cronograma de execução das obras é de 30 dias, a ser contado a partir da decisão liminar, sob pena de multa diária de 50 mil reais por dia de atraso. Em relação à ANTT, o órgão argumenta que a agência não cumpriu como deveria seu papel de agente fiscalizador, uma vez que não estabeleceu prazos para que a concessionária reparasse os defeitos da via sob sua concessão, além de não ter exigido um cronograma de execução das obras.
Buraco causa transtornos
Inicialmente, o buraco apresentou afundamento das duas faixas da via marginal que dá acesso ao Porto Seco Pirajá, porém, dias depois transformou-se em uma cratera, provocando a interdição do tráfego no sentido Salvador-Feira de Santana.
De acordo com as apurações do MPF, somente após atingir mais de 50% da via que liga Salvador à Feira de Santana, que a Via Bahia adotou medidas para sanar o problema. Mesmo assim, os usuários da rodovia tiveram de arcar com o ônus de seguir por rotas alternativas, além do pagamento integral de duas praças de pedágio na BR-324, ao seguir pela via Cia/Aeroporto. O problema agravou-se mais ainda ao se estender o trânsito para uma parte da via no sentido oposto (Feira de Santana – Salvador), uma vez que a concessionária adotou como solução a utilização dessa alternativa para escoar o trânsito dos motoristas que saem da capital.
A ação (0007044-33.2013.4.01.3304.) foi ajuizada na Justiça Federal em Feira de Santana, mas, no último dia 21 de agosto, houve declínio de competência para a Justiça Federal na Bahia.
A operacionalidade da concessionária Via Bahia foi duramente criticada pelo ministro dos Transportes, durante entrevista à rádio CBN. César Borges cobrou celeridade nas obras e afirmou que já abriu um processo administrativo contra a empresa. “Temos a concessão da Via Bahia que é problemática, que não cumpre o que o contrato exige. O buraco [na BR-324] tem 90 dias e não há solução de engenharia. Estamos cobrando. Já abri processo administrativo e se ela não responder, ela vai ter problemas com o Governo Federal”, falou ao explicar a necessidade de integração entre União, Estado e Prefeitura. “O governo do Estado levará o metrô até Águas Claras. A prefeitura deve resolver os gargalos da Brasil Gás, Pirajá e Valéria”, disse sobre a necessidade de desafogar a BR-324 e o Acesso Norte.
Fonte  - Tribuna da Bahia  27/08/2013

Saiba o que é o Anteprojeto de dados pessoais, que aguarda aprovação do Marco Civil

Cidadania



Paulo Rená, criador do Partido Pirata e gestor do projeto do Marco Civil, afirma que projeto deve impor limites na forma de como as empresas podem utilizar dados de usuários.

EBC - 26/08/2013

CPI dos Ônibus no Rio - Câmara tem até hoje para explica à Justiça supostas irregularidades

Transportes

Agência Brasil  
Rio de Janeiro – A presidência da Câmara Municipal do Rio de Janeiro tem até o fim da tarde de hoje (26)
foto - ilustração
para prestar esclarecimentos ao Tribunal de Justiça (TJ) sobre os questionamentos dos vereadores da oposição que levaram a juíza Roseli Nalin, da 5ª Vara da Fazenda Pública do TJ, a suspender por 48 horas os trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Ônibus. Na tarde da última sexta-feira (23), a presidência da Casa foi citada oficialmente pelo tribunal para se manifestar sobre a interrupção das atividades da comissão que investiga os contratos das empresas de ônibus do município com a prefeitura.
A Câmara Municipal informou, em nota, que se manifestará até o fim da tarde desta segunda-feira e, após o prestar esclarecimentos, aguardará a decisão judicial para a retomada das atividades. A juíza Nalin publicou em seu despacho os motivos que a levaram a interromper temporariamente os trabalhos.
“Diante dos argumentos apresentados pelos impetrantes e observado que a CPI já instaurada é objeto de impugnação sob o fundamento de vício de ordem formal e material na sua constituição, tenho por suspender o prosseguimento dos trabalhos, intimando-se a autoridade impetrada para manifestação”, disse a juíza.
O pedido de suspensão feito por vereadores de oposição ao governo do prefeito Eduardo Paes alegam irregularidades na formação da comissão, pois quatro dos cinco membros principais não assinaram a proposta de criação e pertencem à base política do prefeito.
Na última quinta-feira (22), ocorreu a primeira reunião da CPI dos Ônibus aberta à população. O dia foi marcado por troca de ofensas entre os manifestantes que não concordam com a formação da comissão e os militantes que apoiam os parlamentares. Os manifestantes estão acampados há 17 dias em frente ao Palácio Pedro Ernesto, sede do Legislativo e não há reforço no policiamento.
Fonte - EBC  26/08/2013

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Patriota sai e Luiz Alberto Figueiredo assume Ministério das Relações Exteriores

Brasil

Heloisa Cristaldo
Repórter da Agência Brasil

Brasília – A presidenta Dilma Rousseff aceitou o pedido de demissão do ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota. O representante do Brasil na Organização das Nações Unidas (ONU), embaixador Luiz Alberto Figueiredo irá assumir o cargo.
Em nota à imprensa, a presidenta Dilma Rousseff anunciou a indicação de Patriota para a Missão do Brasil na ONU e agradeceu a atuação do ex-ministro "nos mais de dois anos que permaneceu no cargo". Nesta tarde, a presidenta se reuniu com Antonio Patriota, no Palácio do Planalto, por cerca de 50 minutos. A previsão é que Figueiredo assuma o cargo até a próxima sexta-feira (30) e acompanhe a presidenta Dilma neste fim de semana para Cúpula da União de Nações Sul-Americanas (Unasul), em Paramaribo, capital do Suriname, que irá marcar a volta do Paraguai à Unasul.

Patriota deixa o ministério após uma ação que resultou na saída do senador boliviano Roger Pinto Molina da embaixada brasileira na Bolívia, onde ficou abrigado por quase 15 meses, e o ingresso dele no Brasil. Uma das lideranças de oposição ao governo de Evo Morales, Molina pediu asilo político ao Brasil, alegando perseguição política. Ele aguardava o salvo-conduto, para deixar o país, mas que foi negado pelas autoridades bolivianas que alegavam que o parlamentar responde a processos judiciais no país.
Com a saída da embaixada, Molina está em Brasília na casa de seu advogado. O diplomata de carreira e encarregado de negócios na Bolívia Eduardo Saboia é apontado como principal responsável pela saída do senador boliviano. O governo boliviano cobra explicações e argumenta que o senador Molina deixou o país como um "criminoso comum", pois tem ordem de prisão decretada e uma sentença condenatória de um ano por causar prejuízos econômicos ao Estado boliviano.
Fonte - Agência Brasil  26/08/2013

Funai pede a Ibama sanção contra Norte Energia por não cumprir condicionante de Belo Monte

Cidadania

Luciano Nascimento
Repórter da Agência Brasil
foto ilustração - Wikipédia 
Brasília - A Fundação Nacional do Índio (Funai) enviou ofício ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) pedindo sanções à Norte Energia por se recusar a cumprir uma das condicionantes indígenas para a construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no Pará. De acordo com a Funai, a recusa prejudica a os índios jurunas, do Quilômetro 17, uma das aldeias mais impactadas pelas obras da usina. As sanções previstas na legislação vão de multa à suspensão da licença de instalação.
A comunicação de descumprimento atende a uma recomendação do Ministério Público Federal (MPF) e foi encaminhada no dia 21 de agosto ao presidente do Ibama, Volney Zanardi. No ofício, a Funai argumenta que, após análise técnica, ficou configurado o não cumprimento da condicionante determinada em 2009 e que previa a compra de terras para a mudança das casas dos jurunas do Quilômetro 17, incluídos entre os povos que serão prejudicados pela obra.
“Tendo em vista a responsabilidade do órgão licenciador, solicitamos que sejam adotadas as medidas pertinentes previstas na legislação ambiental no sentido de responsabilizar o empreendedor pelo descumprimento da condicionante”, diz a Funai no ofício.
Fonte -  Agência Brasil  26/08/2013

"Médico Cubanos" provocam fígado e alma do Brasil - Bob Fernandes

Saude



Bob Fernandes
Estão chegando os médicos cubanos. Em 700 municípios, 11 milhões de brasileiros não tem nem um médico. Na maioria, em Estados do Norte e Nordeste com baixo índice de desenvolvimento humano e muita miséria.
Virão médicos também de outros países, mas, claro, Cuba é o chamariz para o debate. Há quem imagine ser esse um debate político-partidário. É, mas é muito mais do que só isso.
O que esse tema provoca são percepções sobre o que é, o que deve ser a sociedade. O "Mais Médicos" arranca a visão que cada um de nós tem da vida. Da vida privada e da vida em comunidade.
O programa é mais um a dividir opiniões radicalmente nos últimos 11 anos. Para lembrar outros: Bolsa-Família, sistema de Cotas, e a PEC das Empregadas Domésticas.
Bolsa Família, Cotas, PEC das Empregadas e Médicos... Existem argumentos irrefutáveis. E sempre haverá argumentos refutáveis. Ao gosto e visão de cada um.
Quem contesta Cotas -e há quem odeie- enxerga desprezo ao mérito, e favorecimento. Quem apoia Cotas lembra que o Brasil manteve humanos como escravos por 385 anos, quatro quintos da nossa história..
Bolsa Família. Entre os que reagem às Bolsas predomina um argumento: é um incentivo ao ócio, "dá o peixe e não ensina a pescar". A pior seca do Brasil nos últimos 50 anos providência fatos para quem defende as Bolsas.
Não se viu, como em outros tempos, saques nas cidades. E ao lado do chão esturricado, do gado morto, não há, como sempre houve, fome em larga escala. Porque existem as Bolsas. Porque existem redes de proteção social.
Na reação à PEC das Domésticas cansamos de ouvir e ler: "Eu trouxe essa babá para casa quando ainda era uma menina"; "Minha empregada é como se fosse da família".
Não faltou quem lembrasse: a menina se tornou adulta e seguiu babá; quase sempre sem estudar, e tantas sem carteira assinada. "Como se fosse da família", a empregada serve café às 7 da manhã e o jantar à noite.
Com banheiros, chão e roupa suja pra lavar no intervalo. "Da família", mas, claro, sem direito a herança. Agora, os médicos: não faltarão problemas, desavenças e crises.
Mas há outro lado nessa história: 700 cidades não têm nem um médico. E milhares têm, se tanto, um médico. Não têm médicos porque faltam condições para tanto. Mas também porque médicos para lá não querem ir.
Milhões que moram nestas cidades não querem saber se o médico é baiano, sueco ou cubano. Querem médicos. E medicina. Sabem que um médico é melhor do que nem um médico. A boa medicina será cobrada, e muito, nesse caminho. O resto é o jeito de cada um enxergar a vida.
Publicado em 26/08/2013

VLT de Sobral deve ficar pronto em setembro

Transportes sobre trilhos

RF
Mapa do VLT de Sobral/ Divulgação
O VLT de Sobral deve estar pronto no final do mês de setembro, segundo a Metrofor. Dentro do projeto do VLT, estão previstas a remodelação de sete quilômetros de via permanente já existente; a implantação de mais cinco quilômetros; a construção de 11 estações de passageiros, já concluídas; do complexo de manutenção, administração e do Centro de Controle Operacional; e a aquisição de cinco VLTs. Os VLTs têm dois carros bidirecionais cada, com dupla cabine de comando, tração hidráulica e motor a diesel. Três VLTs já foram entregues.
Na parte das obras, a sinalização das passagens em nível estão recebendo os ajustes finais; a via Sul, compartilhada com a Transnordestina, está pronta; e a linha Norte aguarda a demolição de 12 casas para ser concluída. O Metrofor informa que nove dessas casas estão com acordo desapropriatório e as outras três aguardam a emissão de posse judicial, aguardando prazo legal para saídas dos expropriados.
A companhia espera que dentro de 30 dias esteja com todas as pendências resolvidas para iniciar o período de testes do sistema de VLT de Sobral, no Ceará.
Fonte - Revista Ferroviária 26/08/2013

Visões delirantes dos médicos cubanos

Saúde

Por Cynara Menezes 
no blog Socialista Morena
Agência Brasil
1. O médico cubano malvado:
Fidel Castro e Dilma Rousseff estão planejando fazer uma revolução comunista no Brasil em pleno século 21, liderada pelos 4 mil médicos que virão ao País. Ao chegar às cidades do interior, os médicos cubanos imediatamente convencerão as pessoas mais humildes a se juntar a eles para discutir o marxismo fora do expediente. Dentro das cadernetas de vacinação das crianças, os médicos ocultarão exemplares de O Capital (2.500 páginas, mas isso é um detalhe) e do Mini-Manual do Guerrilheiro Urbano de Carlos Marighella. Lavradores esconderão coquetéis molotov entre as mandiocas de sua plantação para serem usados na hora em que o povo tomar o poder.
Entre uma consulta e outra, os médicos cubanos irão fazer lavagem cerebral nas donas-de-casa que levaram até lá seus filhos pequenos com febre e que antes eram tratados pelos atendentes das farmácias, porque os médicos brasileiros se recusavam a trabalhar ali. Depois de plantar a semente do comunismo nos rincões, os médicos marcharão junto com os recém-convertidos até as grandes cidades com o apoio do governo federal, acabarão com todos os partidos e todos os jornais e emissoras de televisão e então instalarão o comunismo no Brasil. O Exército assistirá a tudo sem fazer nada porque está sucateado e nem armas possui.
Os fatos: só uma pessoa imbecil pode acreditar num conto da carochinha desses, eu nem vou rebater.
2. O médico cubano coitadinho: 
o governo federal vai importar 4 mil médicos de Cuba para mantê-los escravizados em cidades do interior do País. Os médicos não terão acesso à internet nem à televisão. De vez em quando, poderão escutar rádio, mas apenas músicas da Nova Brasil FM. Só poderão sair de casa para atender os pacientes, mas estarão proibidos de falar com os brasileiros qualquer coisa além de “dói onde?” ou “diga 33″. Haverá vigilância permanente sobre os cubanos para que não queiram conhecer o estilo de vida daqui, o que poderia alimentar neles o desejo de desertar. Todos receberão menos que um salário mínimo e só poderão comer o que comiam em Cuba: pão e água. Dormirão em alojamentos do Exército cercados com arames farpados e com câmeras de segurança vigilando inclusive durante a madrugada. Como chegaram maltrapilhos ao Brasil (afinal, em Cuba passam até fome), usarão jalecos doados pelos compreensivos colegas brasileiros, graças a uma campanha feita pelo Conselho Federal de Medicina.
Os fatos: segundo o governo, os médicos ganharão até 4 mil reais para viverem no Brasil, a depender do custo de vida das cidades para onde serão destinados. 74% deles irão para cidades do interior do Norte e Nordeste onde não há médicos porque nossos compatriotas de branco simplesmente não querem morar ali. Os primeiros 400 profissionais que já estão chegando irão para 701 municípios que não foram escolhidos por nenhum médico brasileiro que se inscreveu para o programa. Terão previdência paga pelo governo federal e alimentação e moradia arcadas pelos governos municipais. Mais importante: se houver qualquer problema em sua estada no Brasil, todo mundo irá saber, porque hoje, com a internet, é praticamente impossível uma denúncia deixar de ser feita até mesmo em Cuba –que o diga a blogueira Yoani Sanchez. Os cubanos são médicos, não robôs. Eles falam! E saberão criticar os problemas que encontrarem. Estarão livres para isso.
A suspeita: Fiquei pensando no porquê de tanta rejeição das associações médicas brasileiras aos colegas cubanos. Não se vê tanta ojeriza quando se fala que o Brasil também importará médicos de Portugal e Espanha. Por que, afinal, os médicos de Cuba são tão criticados? Existirá alguma razão além do corporativismo para o rechaço?
Ora, a medicina cubana é reconhecida mundialmente por ser preventiva. Ou seja, por fazer o possível para impedir que a pessoa adoeça. O que isto significa? Que em Cuba, ao contrário do Brasil, se usam menos remédios. Isso tem se mostrado positivo. Hoje a ilha consegue superar até mesmo os Estados Unidos (ohhh!) na taxa de mortalidade infantil: enquanto na terra de Obama morrem 5,9 crianças a cada mil nascidos vivos, na terra de Fidel e Raul o número é de 4,7 por mil –no Brasil a taxa é quase quatro vezes maior, 16,7 por mil, embora tenha caído muito nos últimos anos.
Será que, na verdade, o que as associações médicas brasileiras temem é que chegue ao Brasil, com os cubanos, uma nova forma de praticar medicina que não a exercitada por eles aqui, uma parceria –praticamente um conluio– com os grandes laboratórios farmacêuticos? Três anos atrás, o CFM (Conselho Federal de Medicina), que agora grita contra os cubanos, desistiu de proibir as escandalosas viagens de médicos brasileiros (leia aqui) financiadas pelos laboratórios multinacionais produtores dos remédios que eles receitam a rodo para a população. Você sabia disso?
Será que o medo real do CFM não é que os cubanos tragam uma, essa sim, revolução? Uma revolução contra o excesso de medicamentos que o Brasil consome, por culpa não dos médicos cubanos, mas dos mesmos profissionais brasileiros que se recusam a atender a população do interior? Fica a pergunta.
Fonte - Blog do Miro  26/08/2013