sábado, 6 de julho de 2013

Transporte público ruim afeta saúde, educação e cultura da população, dizem especialistas

Pedro Peduzzi
Repórter da Agência Brasil
Foto - ilustração
Brasília – Os efeitos negativos de um transporte público caro e de má qualidade não estão restritos à questão da mobilidade urbana. Prejudicam também outras áreas vitais para a vida do cidadão, como saúde, educação, finanças e cultura. Especialistas e integrantes do Movimento Passe Livre (MPL) consultados pela Agência Brasil avaliam que a mobilidade urbana está diretamente relacionada à qualidade de vida, além de ser um dos maiores causadores de estresse da vida das pessoas.
“É um trauma para todo mundo. Principalmente para quem fica em pé, duas horas, crucificado, com alguém tentando pegar bolsa, apalpar. Não é à toa que as pessoas estão preferindo usar motocicletas, mesmo que isso represente risco a própria integridade física por causa dos acidentes, e não é à toa que essas manifestações conseguiram tantas adesões”, disse à Agência Brasil o doutor em políticas de transporte pela Universidade Dortmund, na Alemanha e professor do Departamento de Engenharia Civil e Ambiental da Universidade de Brasília (UnB), Joaquim Aragão.
As manifestações citadas pelo especialista foram iniciadas pelo MPL em São Paulo. O movimento tem, como um de seus interlocutores, o professor de história Lucas Monteiro. “Defendemos Tarifa Zero porque, além de ser a única forma de as pessoas terem acesso à cidade, o transporte público beneficia áreas vitais como saúde e educação. Por isso já imaginávamos que nossa luta se espalharia pelo país, mas não que iria alcançar a dimensão que alcançou”, disse à Agência Brasil.
De acordo com o representante do MPL, o incentivo ao uso de transportes individuais causa também problemas como aumento da poluição e do número de atropelamentos, o que resulta em mais gastos e problemas para a saúde pública. Dados do Ministério da Saúde mostram que, em 2010, 42.844 pessoas morreram nas estradas e ruas do país. Desse total, 10.820 acidentes envolveram motos. No mesmo ano, o gasto total do Sistema Único de Saúde (SUS) com acidentes de trânsito foi R$ 187 milhões. Só com internação de motociclistas foram gastos R$ 85,5 milhões.
Além disso, acrescenta Monteiro, diversos tratamentos de saúde deixam de ser feitos porque os pacientes não têm condições de pagar pelo deslocamento. E o problema relacionado à falta de condições para custear os transportes também afeta o direto e a qualidade da educação.
“Frequentei muitas às escolas públicas. É comum alunos faltarem aulas por não terem dinheiro para ir à escola. Além do mais, direito à educação não está restrito a apenas ir à escola ou ao banco escolar. Os estudantes precisam ter acesso à cultura, a visitar museus. E, sem circular, não há como ter acesso a isso. A grande maioria não vai ao centro da cidade, museus, centros culturais para complementar sua formação”, disse Monteiro.
Segundo Aragão, dificuldades para mobilidade urbana afetam diretamente o rendimento escolar de jovens e crianças, que ficam cansados e com o sono sacrificado. “É um fator a mais a prejudicar o rendimento, além da qualidade de instalações do ensino público. Da mesma forma, afeta também a evasão escolar, a formação de profissionais e a produtividade do país”, disse o especialista.
“A mobilidade bloqueia inclusive a vida social do cidadão de baixa renda, que fica sem acesso a entretenimento, cultura e lazer. Esses são privilégios das pessoas motorizadas. Uma família de quatro pessoas que queira se deslocarem da periferia até um parque no centro da cidade gastará R$24, caso a passagem unitária custe R$3. Para quem recebe salário mínimo, isso é impossível”, disse.
Arquiteto, urbanista e especialista em transporte público, Jaime Lerner diz que por trás das manifestações iniciadas pelo MPL está o descrédito nas políticas públicas e a falta de respostas à sociedade, sobre os diversos serviços públicos prestados a ela. “E tudo fica mais fácil em todas as áreas quando se tem um bom transporte público”, disse o ex-prefeito de Curitiba (PR).
Muitas das mobilidades foram anunciadas sem sequer estudar a própria cidade, avalia Lerner. Segundo ele, é importante entender a cidade como um sistema de estrutura de vida, trabalho, movimento e mobilidade juntos. No fundo, acrescenta, faltam decisões políticas, e, em geral, essas decisões são voltadas para soluções mais caras.
“O Brasil é rápido em fazer coisa errada e demorado em fazer a coisa certa”, disse. “Sustentabilidade é equação entre o que você poupa e o que você desperdiça. Portanto, se tiver de se deslocar por distâncias cada vez maiores, é óbvio que a coisa não vai funcionar”.
Fonte - Agência Brasil  06/07/2013

COMENTÁRIO Pregopontocom

Gostaríamos de lembrar as Srs."especialistas" que tratar esse tema com superficialidade sem o aprofundamento devido não trará nenhuma solução positiva e definitiva. Analisemos as questões: 1º) Tarifa Zero - como discutir a aplicação da mesma sem antes se definir quem iara operar o sistema de transporte público,a iniciativa privada ou o poder público?...ai temos as prerrogativas,com transporte operacionalizado pela iniciativa privada o poder público terá que repassar para a mesma os custos da operação (incluídos ai todos os gastos com a  frota,sua renovação,recursos humanos,despesas complementares e o mais importante para o empresário o"lucro").Com a operacionalização do sistema pelo poder público o lucro podera ser descartado,considerando-se que transporte público é uma prestação essencial de "serviço público e social" ai nesse caso o poder público teria um custo menor.Mais e a tarifa Zero... seria Zero mesmo? e de onde viriam os recursos para banca-la? cairiam do céu? ou com certeza seria paga por todos, não nas catracas, mais de maneira indireta e constante, pois sabemos que tudo seria pago com dinheiro público,arrecadado com impostos. - 2º) Não seria mais justo uma tarifa social com integração física e tarifária com bilhete único por hora(s) diminuindo significativamente os custos do transporte para os usuários e que todos pudessem pagar por um sistema de transportes rápido,eficiente,de qualidade,confortável,moderno,não poluente com um vigoroso sistema de transportes de massa sobre trilhos (Trens,Metrôs,VLT) com sistemas complementares e alimentadores diversos,incluídos ai os hidroviários,os ônibus,as bicicletas,funiculaires,sistemas verticais,automóveis,motos e viagens a pé,garantido a sua manutenção e novos investimentos, e esquecer definitivamente o "ranço" rodoviarísta (ônibus,carros,caminhões) que a mais de 60 anos só nos traz prejuízos irreparáveis,atrasos,o caos,a poluição,os engarrafamentos e um transporte insuficiente e de PÉSSIMA  qualidade???? -3º) A questão do planejamento Urbano também é essencial e preponderante para solução efetiva e a melhoria da qualidade da mobilidade Urbana. Para se minimizar os grandes deslocamentos da população em busca de serviços diversos,dotar os Bairros das grandes e médias cidades com infra estrutura própria de serviços básicos,bancos,escolas,creches,comercio local,serviços públicos,de saúde, de lazer e sistemas de transportes de circulação interna,(sistemas cicloviários,calçadas largas sem obstáculos com sinalização horizontal e vertical,e nos bairros mais populosos micro ônibus e vans) diminuindo assim os efeitos negativos provocados na mobilidade pelos grandes deslocamentos a que são obrigados fazer todos os dias a população para cumprir as suas atividades cotidianas. - De nada adianta querer reinventar a roda.

Acabou a GREVE dos rodoviários em RECIFE

Superintendência Regional do Trabalho confirma fim da greve dos rodoviários



A Superintendência Regional do Trabalho (SRT-PE) confirmou o fim da greve dos rodoviários, deflagrada na última segunda-feira e que deixou milhares de usuários sem transporte público. As negociações entre patrões e os trabalhadores tiveram início ontem e se prolongaram pela madrugada. Eles retomaram a negociação hoje e no final desta manhã um acordo foi firmado. A categoria deve voltar imediatamente ao trabalho.


Cláudia Eloi
Diario de Pernambuco

Ficou acordado entre as partes que os grevistas não serão demitidos ou punidos, exceto aqueles que cometeram falta grave, previsto no artigo 482 da Consolidação da Lei do Trabalho (CLT). Também ficou definido que não haverá desconto dos dias parados. Quanto à multa imposta pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT), o sindicato patronal e o dos trabalhadores se comprometeram a negociar posteriormente.
A reunião foi mediada pelo Superintendente Regional do Trabalho, André Luz Negromonte. Participaram do encontro o presidente do Sindicato dos Rodoviários de Pernambuco, Patrício Magalhães, além dos representantes da oposição dos rodoviários, ligados a Central Única dos Trabalhadores (CUT), Jucelino Macedo e José Carlos de Santana Wellington e o presidente do Sindicato patronal, Luiz Fernando de Melo.
Fonte - Diário de Pernambuco  06/07/2013

STF vai decidir sobre cobrança de estacionamento em shopping

Da Redação
A Tarde
Margarida Neide
Ag. A TARDE
Estabelecimentos já se equiparam para a cobrança, apesar de ainda não ter autorização

A decisão sobre a cobrança da taxa de estacionamento pelos shoppings de Salvador foi encaminhada ao Supremo Tribunal Federal (STF). O desembargador Mário Alberto Hirs avaliou que o Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) não tem competência para julgar a ação, de acordo com determinação publicado no Diário Oficial de Justiça desta quinta, 4.
O assunto vem sendo motivo de disputa na justiça baiana entre a Superintendência de Controle do Uso do Solo do Município (Sucom) e Associação Brasileira de Shopping Centers na Bahia (Abrasce). Em fevereiro, o presidente suspendeu a decisão do juiz Benedito dos Anjos, da 7ª Vara da Fazenda, que permitia a cobrança.
Na ocasião, a Sucom entrou com recurso questionando a necessidade de pagar para usar as vagas nos shoppings. O órgão argumentava a Lei de Uso e Ordenamento do Solo prevê que qualquer empreendimento em Salvador deve oferece uma quantidade mínima de vagas para os usuários.
Após a suspensão da cobrança, a Abrasce também recorreu alegando que pagar para deixar o carro em propriedade privada não causaria desordem pública.
Não há previsão para o STF apreciar a ação.
Fonte - A Tarde  06/07/2013

Dilma nega reforma ministerial

Karine Melo
Repórter da Agência Brasil
foto - ilustração
Brasília – A presidenta Dilma Rousseff negou neste sábado (6) a intenção de fazer uma reforma ministerial. Em nota oficial, divulgada hoje, a presidenta reafirmou que espera dos ministros empenho nos cinco pactos firmados com governadores e prefeitos.
“O que espero de meus ministros é empenho nos cinco pactos firmados com os governadores e prefeitos de capital: responsabilidade fiscal para garantir a estabilidade da economia e o controle da inflação; reforma política com plebiscito; melhoria profunda nos serviços públicos de saúde; pacto nacional da mobilidade urbana que permita um salto de qualidade no transporte público; e destinação dos royalties do petróleo para educação.
Dilma destaca ainda que dos ministros quer “determinação para manter o Brasil no caminho do crescimento, da inclusão social, da geração de emprego e renda e da estabilidade econômica”.
Na manhã deste sábado a presidenta se reuniu com os ministros Aloizio Mercadante (Educação), José Eduardo Cardozo (Justiça), Fernando Pimentel (Indústria e Comércio) e Gleisi Hoffmann (Casa Civil) no Palácio da Alvorada. O assunto da reunião não foi divulgado.
Fonte - Agência Brasil  06/07/2013

Procuradoria no DF vai investigar uso de avião da FAB por Henrique Alves


A Procuradoria da República no Distrito Federal vai investigar se houve irregularidade no uso de um avião da FAB pelo presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN). A denúncia foi encaminhada por um cidadão comum


Karine Melo
Repórter da Agência Brasil

Brasília - Possíveis irregularidades no uso de um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) pelo presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) vão ser investigadas pela Procuradoria da República no Distrito Federal. Segundo a assessoria do órgão, a denúncia, feita por um cidadão comum, vai ser apurada pelo procurador Frederico Paiva, do 1º Ofício do Patrimônio Público.
Paiva terá 90 dias, prorrogáveis por igual período, para decidir se arquiva ou abre um inquérito civil público para apurar eventuais responsabilidades no caso. Segundo matéria publicada pelo jornal Folha de São Paulo, no último domingo (30) o presidente da Câmara usou a aeronave para levar familiares e amigos à final da Copa das Confederações, no Maracanã. Depois da publicação da reportagem, Henrique Eduardo Alves reconheceu o erro e se comprometeu a devolver aos cofres públicos os valores correspondentes às passagens aéreas.
Na semana que vem, a Procuradoria da República no Distrito Federal deve abrir uma investigação semelhante contra o presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL). No dia 15 de junho, ele usou um avião da FAB para ir ao casamento da filha do líder do governo no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM) em Trancoso (BA). Ontem (5) Renan disse que também vai devolver o valor equivalente às passagens.
Nos dois casos, se comprovadas eventuais irregularidades, a apuração poderá resultar em ações civis públicas por improbidade administrativa e de ressarcimento ao erário.
Fonte - Agência Brasil  06/07/2013

ANTT autoriza devolução de trechos ferroviários da Ferrovia Centro-Atlântica

Diário Oficial da União 05/07/2013

Nesta sexta-feira (05/07), no Diário Oficial da União, foi publicada a Resolução nº 4.131, que autoriza a desativação e devolução de trechos ferroviários da FCA. Confira na íntegra:

AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES
RESOLUÇÃO Nº 4.131, DE 3 DE JULHO DE 2013

Autoriza a Concessionária Ferrovia Centro-Atlântica S.A. - FCA a proceder à desativação e devolução de trechos ferroviários.
A Diretoria da Agência Nacional de Transportes Terrestres - ANTT, no uso de suas atribuições, fundamentada nos termos do Voto DCN - 107, de 3 de julho de 2013, do PARECER Nº 974 - 3.9.12/2013/PF-ANTT/PGF/AGU e no que consta do Processo nº 50500.125589/2013-18

CONSIDERANDO que o objeto do Contrato de Concessão da FCA engloba a exploração da infraestrutura e desenvolvimento do serviço público de transporte ferroviário de carga na Malha Centro-Leste;
CONSIDERANDO os direitos e obrigações estabelecidos no Contrato de Concessão celebrado pela FERROVIA CENTROATLÂNTICA S.A. - FCA para exploração do serviço de transporte ferroviário de cargas na Malha Centro-Leste;
CONSIDERANDO o interesse da FCA em realizar a devolução de trechos considerados antieconômicos, nos termos do art. 3º do Regulamento de Transporte Ferroviário, aprovado pelo Decreto nº 1.832, de 04 de março de 1996, acarretando assim o dever de ressarcimento quanto aos prejuízos causados no período de utilização de tais trechos;
CONSIDERANDO que a substituição do ressarcimento em espécie pela realização de outros investimentos a serem determinados pelo Poder Concedente poderá ser mais benéfica ao sistema ferroviário nacional, afigurando-se mais vantajosa a realização de obras relevantes para o planejamento logístico nacional;
CONSIDERANDO que as diretrizes estabelecidas pelo Programa Integrado de Logística - PIL, relativas à expansão da malha ferroviária federal, abrangem trechos ferroviários economicamente viáveis atualmente integrantes do mencionado Contrato de Concessão;
CONSIDERANDO que a devolução dos trechos economicamente viáveis implica a compensação da Concessionária em razão da perda de receita auferida na operação de tais trechos;
CONSIDERANDO a necessidade de oitiva dos usuários do transporte ferroviário de cargas nas localidades em questão; e
CONSIDERANDO o interesse público presente na espécie, assim como a manifestação da União, por intermédio do Ministério dos Transportes, e do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes - DNIT, resolve:

Art. 1º Autorizar a Concessionária Ferrovia Centro-Atlântica S.A. - FCA a proceder à desativação e devolução dos seguintes trechos ferroviários:

I - Trechos antieconômicos:
1.Paripe (BA) - Mapele (BA);
2.Ramal do Porto de Salvador;
3.Sabará (MG) - Miguel Burnier (MG);
4.Barão de Camargos (MG) - Lafaiete Bandeira (MG);
5.Biagípolis (SP) - Itaú(MG);
6.Ribeirão Preto (SP) - Passagem(SP); e
7.Cavaru (RJ) - Ambaí (RJ).

II - Trechos economicamente viáveis:
1.Alagoinhas (BA) - Juazeiro (BA);..
2.Alagoinhas (BA) - Propriá (SE);....
3.Cachoeiro de Itapemirim (ES) - Vitória (ES);
4.Barão de Angra (RJ) - Campos dos Goytacazes (RJ) - Cachoeiro
de Itapemirim (ES), incluindo trecho Recreio - Cataguases;
5.Visconde de Itaboraí (RJ) - Campos dos Goytacazes (RJ); e
6.Corinto (MG) a partir do km 1.015 + 000 - Alagoinhas (BA).

Art. 2º Determinar a adoção dos seguintes procedimentos em relação aos trechos ferroviários antieconômicos:
I - A devolução deve atender ao que consta na Resolução nº44, de 04 de julho de 2002;
II - O valor devido pela Concessionária em função da degradação apresentada pela via férrea será convertido em investimentos, a serem efetuados pela FCA na Malha Centro-Leste, conforme relação de projetos indicados pelo Ministério dos Transportes (Anexo I), no montante de R$ 760.000.000,00 (setecentos e sessenta milhões de reais), acrescidos de 15% (quinze por cento) a título de vantajosidade para o setor público;
III - Após finalização de inspeção completa acerca do estado de conservação de todos os bens arrendados envolvidos na negociação, será apurado montante adicional referente à indenização, que será quitado nos mesmos moldes indicados no item anterior, podendo haver indicação de novos projetos por parte do Ministério dos Transportes;
IV - O montante a ser investido pela FCA em função do disposto nos itens II e III acima não comporá o Ativo da Concessionária, devendo o correspondente dispêndio ser classificado como doação (ou outra descrição a ser introduzida no Plano de Contas instituído pela ANTT) e considerado, no momento de sua contabilização, em Outras Despesas Operacionais/Doações;
V - A ANTT estabelecerá valor máximo de dispêndio anual com os referidos investimentos de maneira a garantir a estabilidade econômico-financeira da concessão.
Parágrafo único. A União poderá autorizar o pagamento parcelado da indenização de que tratam os incisos II e III do presente artigo, nas mesmas condições praticadas pelo Governo Federal em parcelamentos semelhantes......
VEJA MAIS   AQUI
Fonte  -  ABIFER 05/07/2013

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Os voos nos aviões da FAB

Renan diz que vai devolver R$ 32 mil por uso de avião da FAB


Agência Brasil
Karine Melo
O presidente do Senado, Renan Calheiros, disse que vai devolver o dinheiro equivalente ao custo do uso de um avião da FAB. Segundo o jornal Folha de S.Paulo, ele utilizou a aeronave para ir ao casamento da filha do líder do governo no Senado, Eduardo Braga, na Bahia. Nessa quinta-feira (4), Renan havia dito que não devolveria o valor, por ter usado o avião para cumprir compromisso oficial  


Ministro da Previdência vai ressarcir custos por usar avião da FAB para ir à final da Copa das Confederações


Luana Lourenço
Brasília - O ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves Filho, vai ressarcir os cofres públicos pelo uso de avião da Força Aérea Brasileira (FAB) em viagem pessoal para assistir à final da Copa das Confederações, no último dia 30, no Rio de Janeiro.
Garibaldi comunicou a decisão ao Palácio do Planalto na noite de hoje (5) e disse que vai ressarcir o Erário para eliminar qualquer dúvida ou questionamento sobre o episódio. Informações sobre o valor e a data do ressarcimento serão detalhadas pelo Ministério da Previdência.

Fonte - Agência Brasil  05/07/2013

Aeroportos têm recorde de passageiros na Copa


Segundo a Secretaria de Aviação Civil, os aeroportos dos municípios que receberam jogos da Copa das Confederações bateram recorde de passageiros, especialmente o Santos Dumont, no Rio, cidade em que foi disputada a final, entre Brasil e Espanha


Aeroporto Santos Dumont bate recorde de passageiros na Copa das Confederações

Isabela Vieira
Reporter da Agencia Brasil

Rio de Janeiro – O secretário de Aviação Civil, ministro Moreira Franco, disse hoje (5) que os aeroportos dos municípios que receberam jogos da Copa das Confederações bateram recorde de passageiros, em especial, o Santos Dumont, no Rio de Janeiro, cidade em que foi disputada a partida final, entre Brasil e Espanha, domingo (30) passado.
"Foi o maior número de passageiros em um só dia", ressaltou Moreira Franco, em encontro com empresários na Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan). Segundo o ministro, dados preliminares indicam que pelo menos 100 mil pessoas passaram pelo terminal naquele dia.
Moreira Franco lembrou que, durante a Copa das Confederações, realizada do dia 15 ao dia 30 do mês passado, os órgãos do setor fizeram um balanço diário da movimentação nos aeroportos e que não houve problemas. Segundo o ministro, o próximo desafio é a vinda do papa Francisco ao Rio, em meados deste mês, para a Jornada Mundial da Juventude.
"Espero que tenhamos o mesmo resultado e empenho dos companheiros da Infraero [Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária, estatal que administra os principais aeroportos do país] no encontro do Papa com os jovens", disse Moreira.
O ministro da Aviação Civil também antecipou que será dado um prêmio às equipes da Infraero, da Aeronáutica e das companhias aéreas com melhor desempenho no período da Copa. Pesquisa feita por uma consultoria, divida em oito pontos, determinará os vencedores, que ganharão passagens aéreas e diplomas.
Fonte - Agência Brasil  05/07/2013

Leilão de ferrovias está previsto para o dia 18 outubro


Será leiloado o trecho entre Açailândia (MA) e Barcarena (PA), onde fica o Porto de Vila do Conde. A ferrovia, que terá 457 quilômetros de extensão, receberá investimentos de R$ 3,25 bilhões e deve ficar pronta em quatro anos após a assinatura do contrato. Esta é a primeira ferrovia que será concedida pelo Programa de Investimentos em Logística


Primeiro leilão de ferrovias do programa de investimentos do governo está previsto para outubro

Sabrina Craide*
Repórter da Agência Brasil

Brasília - O leilão do trecho ferroviário entre Açailândia (MA) e Barcarena (PA), onde fica o Porto de Vila do Conde, deverá ser feito no dia 18 de outubro. A ferrovia, que terá extensão de 457 quilômetros, receberá investimentos de R$ 3,25 bilhões e deverá ficar pronta em quatro anos depois da assinatura do contrato de concessão.
Esta é a primeira ferrovia que será concedida pelo Programa de Investimentos em Logística, que prevê a construção de 11 mil quilômetros de ferrovias. O governo anunciou hoje (5) a conclusão das consultas públicas sobre o trecho. Os estudos técnicos, a minuta do edital e dos contratos devem ser enviados ao Tribunal de Contas da União (TCU) até o dia 15 deste mês e no dia 19 de agosto o edital deve ser publicado.
O edital do trecho entre Açailândia e Barcarena servirá de modelo para os demais trechos que serão licitados. A expectativa do governo é que todos os editais sejam lançados neste ano e, até o fim do primeiro bimestre do ano que vem, os 13 trechos ferroviários previstos no Programa de Investimentos em Logística sejam concedidos à iniciativa privada. Os próximos trechos deverão ser licitados em outubro: entre Lucas do Rio Verde (MT) e Uruaçu (GO) e entre Estrela d’Oeste (SP) e Maracaju (MS).
“Isso é importante para nós porque retoma algo que consideramos fundamental para o país, que é a reestruturação da malha ferroviária. Reiniciamos isso com o PAC [Programa de Aceleração do Crescimento], mas o Estado não tem condições de fazer isso sozinho, tanto por questões econômicas quanto por questões de gestão. Achamos que a iniciativa privada é fundamental nesse processo para nos ajudar nos investimentos, na gestão e na celeridade dessas obras”, disse a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann.
A ferrovia vai passar por 11 municípios nos estados do Maranhão e do Pará. Segundo o ministro dos Transportes, César Borges, o trecho é importante porque complementa a Ferrovia Norte-Sul, permitindo a saída de grãos pelo Norte do país, o que economizará cerca de seis dias de viagem e aliviará os portos de Santos (SP) e Paranaguá (PR). A Ferrovia Norte-Sul deverá estar concluída no final de 2015.
"A Norte-Sul será uma grande coluna vertebral brasileira para levar as cargas do Centro-Oeste, em especial os grãos da safra de soja, para que possam ser escoados por meio do Porto de Vila do Conde, já próximo do Equador, portanto, com a vantagem competitiva muito grande para chegar aos mercados da Europa, ao mercado asiático, porque estará próximo ao Canal do Panamá e também ao mercado americano", disse.
O modelo de licitação que será adotado nos próximos leilões de ferrovias prevê que o concessionário do trecho será dissociado do responsável pelos transportes. A Valec (estatal criada para administrar as ferrovias federais) vai comprar a capacidade integral do transporte das ferrovias e fazer a oferta pública dessa capacidade para os usuários que quiserem transportar carga própria a operadores ferroviários independentes e a concessionários de transporte ferroviário que podem adquirir parte da capacidade das ferrovias.
O concessionário será responsável pela construção, manutenção e gestão da infraestrutura pelo prazo de 35 anos. A empresa que vencer a concessão deverá garantir uma determinada capacidade durante o período contratual, atingindo 34,5 milhões de toneladas por ano ao final da concessão. A taxa interna de retorno (TIR) do projeto foi fixada em 8,5%.
O presidente da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), Bernardo Figueiredo, disse que não houve diminuição no interesse de investidores em projetos de infraestrutura no Brasil por causa da conjuntura econômica. “Os investidores que têm interesse nesse programa não são os investidores da Bolsa [de valores], são investidores de longo prazo. Não se percebeu nenhuma mudança nem de ânimo nem de requisitos de condições extras para atrair, pelo contrário”
O Programa de Investimentos em Logística foi lançado em agosto do ano passado, com previsão de investimentos de R$ 91 bilhões em ferrovias via parceria público-privada. O governo acrescentou mais um trecho aos 12 que tinham sido divulgados: entre Feira de Santana (BA) e Parnamirim (PE), chegando até a Ferrovia Transnordestina, com cerca de 1,1 mil quilômetros, totalizando 11 mil quilômetros.
Fonte - Agência Brasil  05/07/2013

Salvador registra o pior desempenho em mobilidade na Copa

Mobilidade/Copa

Mobilidade urbana nas cidades-sedes da Copa foram discutidos durante seminário.A avaliação foi realizada pelo Observatório da Mobilidade Urbana e apresentada nesta quinta-feira, 4, no Seminário Nacional NTU 2013 & Transpúblico, em São Paulo.

Atarde
foto - ilustração
O esquema de mobilidade urbana em Salvador durante a Copa das Confederações foi avaliado como "regular" e obteve o pior desempenho entre as capitais que receberam jogos da competição. A avaliação foi realizada pelo Observatório da Mobilidade Urbana e apresentada nesta quinta-feira, 4, no Seminário Nacional NTU 2013 & Transpúblico, em São Paulo.
O diretor técnico da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU), André Dantas, afirmou que a operacionalização em rede integrada dos diversos modais e a melhoria da oferta de ônibus são alguns dos desafios para a implantação de um transporte público de qualidade nas cidades-sede da Copa do Mundo 2014.
Entre os principais problemas detectados em Salvador estão a falta de organização e a não priorização do transporte público. Dantas destacou que não há projetos de grande porte de mobilidade para a capital baiana.
"Há a necessidade de priorizar o transporte público. Ele que vai trazer benefícios a todos. O transporte individual é efêmero", ressaltou.
A gestão de obras, o sistema de informação ao usuário, a acessibilidade e o conflito entre os modos de transporte foram destacados como tópicos com potencial para melhorias. Salvador foi avaliada no dia 30 de junho, quando sediou o jogo entre Uruguai e Itália.
As outras capitais foram mais bem avaliadas: Brasília e Recife tiveram desempenho "satisfatório", enquanto o Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Fortaleza alcançaram a classificação de "bom", mas ainda precisam facilitar o transporte dos torcedores aos estádios.
Sobre a avaliação de Salvador a Superintendência de Trânsito e Transporte do Salvador (Transalvador) emitiu uma nota em que o Superintendente do orgão, Fabrízzio Muller, rebate a avaliação do Observatório da Mobilidade Urbana, leia o documento na integra:
"Sobre o desempenho de Salvador durante a Copa das Confederações, divulgada no Seminário Nacional NTU 2013 & Transpúblico, em São Paulo. "Todos sabem que Salvador não estava preparada para receber a Copa das Confederações, porque não foram feitas nas gestões passadas investimentos em infraestrutura e mobilidade. Mas, mesmo assim, o Comitê Organizador Local (COL) e a própria Fifa elogiaram bastante o nosso desempenho, inclusive nessa área", salientou.
Fabrizzio afirmou que, nos dias de jogos na Arena Fonte Nova, após o término das partidas, toda a operação de saída do estádio durou no máximo uma hora. Inclusive durante o confronto entre Brasil e Itália, com o maior público nos jogos da cidade. "Fizemos um trabalho de operação de trânsito e transporte que foi bastante positivo e elogiado por todos que foram ao estádio e pela organização da Copa. Não tivemos problemas que outras cidades que receberam partidas tiveram E vamos melhorar muito na Copa do Mundo de 2014", frisou."
Fonte - A Tarde 05/07/2013

COMENTÁRIO Pregopontocom
Não basta apenas operacionalizar o sistema em rede integrada (o que não deixa de ser um grande avanço) e melhorar a oferta de ônibus,é preciso que se apresse o funcionamento do sistema metroviário,a modernização e uma melhor operacionalização dos trens do subúrbio com integração física e tarifária,que se faça uma grande mudança no sistema de transportes atual  com a requalificação do mesmo, restruturação das linhas existentes, extinguindo algumas criando outras,fazer funcionar e fiscalizar as faixas exclusivas para os ônibus,reordenação de pontos e terminais.Implantação de sistemas de VLT na B.dos Sapateiros e Cidade Alta retirando de circulação os automóveis e ônibus no período entre as 07:00hs e 21:00hs, implantação de sistemas de transportes de circulação interna nos grandes bairros ( sistemas cicloviários,calçadas,micro ônibus) além de dota-los de infraestrutura própria e serviços básicos  que não obrigue aos seu moradores a fazer grande deslocamentos a procura dos mesmos.- Se todos sabiam que Salvador não estava preparada para receber a Copa das Confederações,nada fizeram porque não quiseram,falta de atitude,empenho,de vontade e muita "politicagem" .Vejam o exemplo do metrô,até hoje ainda se "arrasta" na CMS esperando a boa vontade dos Srs. Vereadores para colocarem de lado as suas vaidades os interesses pessoais e políticos e aprovarem  definitivamente a transferência do Metrô/CTS para o Gov. de Estado para que em fim possa ser licitado.Esse Srs. precisam entender que trabalham para o povo e para a cidade.

Deputado quer abrir CPI para investigar a Rede Globo por sonegação de impostos




O deputado federal Protógenes Queiroz, do PCdoB de São Paulo, articula a realização de uma Comissão Parlamentar de Inquérito para apurar se a emissora sonegou impostos durante a compra dos direitos de transmissão da Copa do Mundo de 2002.

Espanha diz não ter proibido sobrevoo de Morales

Da Agência Brasil
Brasília – O governo espanhol disse hoje (5) que não proibiu o avião do presidente da Bolívia, Evo Morales, de sobrevoar ou aterrissar em seu território. “O governo da Espanha nunca negou nem demorou a conceder permissão de sobrevoo ou escala em seu território nacional por ocasião da viagem de regresso a seu país do Exmo. Sr. Dr. Evo Morales, presidente do Estado Pluri nacional da Bolívia, realizada nos dias 2 e 3 de julho”, diz comunicado divulgado pelo Ministério de Assuntos Exteriores e Cooperação da Espanha.
Segundo as autoridades espanholas, "tais permissões foram concedidas com diligência e celeridade, como os próprios representantes bolivianos reconheceram".
A nota é uma resposta do governo espanhol à reunião da União de Nações Sul-Americanas (Unasul), em Cochabamba (Bolívia), ontem (4), em que os países do grupo cobraram explicações e pedidos de desculpas da França, da Itália, de Portugal e da Espanha sobre o veto ao avião de Morales, há três dias.
No comunicado, o ministério espanhol argumenta que o presidente boliviano teve de fazer uma escala em Viena, na Áustria, por causas “absolutamente alheias à vontade do governo espanhol. O espaço aéreo permaneceu aberto”.
De acordo com a nota, o governo boliviano pediu ajuda da Espanha para mediar que outros países permitissem a passagem do avião de Morales. O pedido foi aceito, conforme a chancelaria espanhola, “com espírito de colaboração e amizade que regem as relações entre nossos países irmãos e com o intuito de conseguir a plena aplicação das normas do direito internacional”.
O embaixador da Espanha em Viena foi acionado e se dirigiu ao aeroporto para ajudar a delegação boliviana e solucionar o incidente. Após o problema ter sido solucionado, o presidente Morales continuou a viagem de retorno a La Paz, com escala em Las Palmas, onde foi recebido por autoridades das Ilhas Canárias, conforme o texto.
A nota termina com o governo espanhol lamentando o incidente e declarando não ter nenhuma responsabilidade. “O governo da Espanha lamenta sinceramente a ocorrência deste tipo de incidente e reitera que não tem nenhuma responsabilidade, e deseja manifestar surpresa com algumas declarações que emitem juízos de valor sobre sua atuação, que sempre esteve pautada na rápida e satisfatória solução do caso”.
No último dia 2, o avião de Morales foi proibido de sobrevoar e aterrissar nos espaços aéreos de Portugal, da França, Itália e Espanha porque havia suspeitas de que o ex-agente norte-americano Edward Snowden estivesse a bordo. Morales foi obrigado a desviar a rota e aguardar autorização para seguir viagem, em Viena, na Áustria, onde ficou em terra por cerca de 13 horas. Morales vinha de uma reunião técnica sobre produção de gás na Rússia.
Nos Estados Unidos, Snowden é acusado de espionagem e está na Rússia esperando a concessão de asilo político. O ex-agente denunciou que os norte-americanos monitoravam e-mails e ligações telefônicas de cidadãos dentro e fora do país. Há, ainda, informações de que comunicações da União Europeia também foram monitoradas.
Fonte - Agência Brasil  05/07/2013

Reitup vai desonerar energia de tração para transportes publico

foto - ilustração
Vai a votação na Câmara na semana que vem, depois de passar pelo Senado, e deve ser aprovado até agosto, na onda dos projetos de mobilidade, o PLC (Projeto de Lei da Câmara) 310/2009, que institui o Regime Especial de Incentivos para o Transporte Coletivo Urbano e Metropolitano de Passageiros, conhecido como REITUP (ver na íntegra em -http://www.senado.gov.br/atividade/materia/detalhes.asp?p_cod_mate=94361).
O projeto atende a uma antiga reivindicação do setor metroviário, ao reduzir em 75 % o custo da energia elétrica – hoje paga pela tarifa de pico pelos operadores de metrôs e sistemas metropolitanos, quatro vezes mais cara que a tarifa de vale. Ao mesmo tempo, estabelece isenção de PIS/Cofins -- equivalente a 3,6 % -- no pagamento da mesma energia elétrica. A redução na receita das distribuidoras de energia, explica o deputado federal Carlos Zaratini (PT-SP) será compensada pelo reajuste da tarifa para os demais usuários ou pela Conta de Compensação de Variação de Valores de Itens da Parcela A, uma das reservas da ANEEL.
Atualmente, entre as 17:30hs e as 20:30hs de cada dia útil, escritórios, residências, fábricas e metrôs pagam quatro vezes mais pela energia elétrica que consomem do que em outros horários. O objetivo deste sistema, conhecido como horo sazonal, é desestimular o consumo em hora de pico, para aliviar as distribuidoras. Pode funcionar em escritórios, residências e fábricas, capazes de administrar seu tempo, mas não dá certo em metrôs e trens metropolitanos, que tem que receber os passageiros que vão ou voltam do trabalho, explica João Gouveia, diretor de Operações da Supervia.
“Pagamos por mês R$ 5,5 milhões de conta de energia – diz João Gouveia -- e com isso não podemos, por exemplo, renovar nossa frota e substituir os motores a corrente contínua por motores a corrente alternada, que economizam energia. A desoneração é mais do que bem vinda”.
Fonte - Revista Ferroviária 05/07/2013

Avião da FAB também é usado pelo Ministro Garibaldi Alves Filho (PMDB) para ver jogo

Avião da FAB também é usado por Ministro da Previdência para ver jogo

Foto: Fábio Cortez/DN/D.A Press
Garibaldi Alves Filho, também usou o avião no fim de semana passado para assistir à final da Copa das Confederações no Maracanã.


Depois da utilização do jato da Força Aérea Brasileira (FAB) pelos presidentes do Senado e da Câmara Federal, Renan Calheiros (PMDB) e Henrique Eduardo Alves (PMDB) respectivamente, foi a vez de vir à tona que o ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves Filho (PMDB), também usou o avião no fim de semana passado para assistir à final da Copa das Confederações no Maracanã, no Rio de Janeiro. Vale lembrar que o decreto 4244/2002, que disciplina o uso de aviões da FAB por autoridades, diz que os jatos podem ser requisitados quando houver "motivo de segurança e emergência médica, em viagens a serviço e deslocamentos para o local de residência permanente". Garibaldi é primo do presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves.
Segundo as informações do jornal Folha de São Paulo, o ministro teria saído de Brasília na sexta-feira às 6h com destino a Fortaleza (CE) para cumprir agenda oficial na cidade de Nova Morada (CE) e teria apenas durado no turno da manhã. Posteriormente, o ministro deveria retornar para Brasília mas pediu para que o piloto o levasse ao Rio, onde havia programado passar o fim de semana para ver a final do torneio da Fifa entre Brasil e Espanha. Segundo Garibaldi, ele se sentiu no direito de que o avião o deixasse onde quisesse ficar. "Já fiz isso outras vezes, porque na volta fico sempre no destino que eu me programei. Pedi com antecedência, senão ministro entra na fila". Ainda de acordo com o ministro Garibaldi, ele gostou do jogo. "Se fosse voltar para Brasília, teria optado por passar o fim de semana em Natal (terra do ministro). Mas havia programado ir ao Rio. Fui passar o fim de semana e ver o jogo".
De acordo com o decreto, o ministro não poderia ir ao Rio porque não tinha agenda e nem mora na cidade. O ministro disse que retornou para Brasília em voo comercial.
O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), também usou jato da FAB para ir ao casamento do senador Eduardo Braga (PMDB-AM) em Trancoso, na Bahia. Henrique Eduardo Alves teria usado o avião da FAB e dado carona a sete parentes para assistir a partida da seleção. Alves já anunciou que devolveu R$ 9.700 referentes, segundo ele, ao valor da carona. Já Renan disse que não pretende restituir os cofres públicos por ter usado uma aeronave."O avião da FAB usado para o presidente do Senado é um avião de representação. E eu usei o avião, como tenho usado sempre na representação, como presidente do Senado”, afirmou.
Fonte - Diário de Pernambuco 05/07/2013

Recife - Quinto dia de greve dos rodoviários com menos ônibus e mais PMs nas ruas

Foto: Carolina Braga/Esp. DP/D.A Press
 O quinto dia da greve dos rodoviários começa, nesta sexta-feira com uma quantidade ainda menor de ônibus circulando nas ruas do Grande Recife. 


O quinto dia da greve dos rodoviários começa, nesta sexta-feira com uma quantidade ainda menor de ônibus circulando nas ruas do Grande Recife e muitos motoristas trabalhando sem fardamento. A promessa da categoria é atuar apenas nos horários de pico, que vão das (5h às 8h e das 17h às 20h) para garantir, ao menos o transporte na ida e na volta para casa.
O governo do estado solicitou a presença de 800 policiais militares nas ruas para garantir que a circulação dos coletivos aconteça o dia inteiro, enquanto os patrões ameaçam contratar profissionais do cadastro de reserva caso os grevistas não voltem ao trabalho. O policiamento também foi reforçado nos terminais integrados.
Na noite de ontem, a Secretaria de Defesa Social (SDS) anunciou que as pessoas que tentarem impedir a circulação dos coletivos, depredarem os veículos e bloquearem as vias
serão presas em flagrante, não descartando a possibilidade de, se for necessário, os ônibus serão escoltados.
Fonte - Diário de Pernambuco  05/07/2013

Cade e PF investigam formação de cartel no Metrô e CPTM

O Estado de S. Paulo

A Polícia Federal (PF) e a Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) investigam suposta formação de cartel em concorrências para manutenção do metrô de Brasília e em ao menos cinco licitações em São Paulo, entre Companhia do Metropolitano (Metrô) e Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). A suspeita é de que empresas se reuniam para combinar previamente o resultado das licitações e, assim, faturar de 10% a 20% além do preço correto.
Como parte das investigações, a PF cumpriu na quinta-feira, 4, mandados de busca e apreensão em 13 empresas. As ações foram em Brasília, São Paulo, Hortolândia, no interior paulista, e em Diadema, no ABC. De acordo com o Cade, as buscas foram autorizadas judicialmente por existirem indícios consistentes da prática do crime de conluio.
Delação. A investigação teve início com um acordo de leniência, uma espécie de "delação premiada", por meio do qual um dos participantes do suposto cartel denunciou a prática. Em troca, receberia imunidade administrativa e criminal.
"Temos indícios de uma série de serviços em que as empresas combinavam quem seria o vencedor. Essas empresas definiam quem ia ganhar a licitação e dividiam a subcontratação. Um exemplo: a licitação tinha vários objetos, como implementação da linha, manutenção do pátio de manobras e fornecimento de trens. Cada uma ficava com um serviço", disse o superintendente-geral do Cade, Carlos Ragazzo. "Era a ideia de fazer um ‘mercado de compensação’ (todos ganhavam). O objeto do cartel, nesses casos, é você frustrar o valor menor, cobrar um preço mais caro e o Estado pagar."
No metrô paulista, uma das suspeitas é na Linha 2-Verde. Os indícios de fraude estão em contratos para implementação de sistemas operacionais entre as Estações Ana Rosa e Alto do Ipiranga, além de instalação de sistemas complementares entre Ana Rosa e Vila Madalena.
Desde 2010, o Estado promete trocar o sistema de sinalização dos trens por um mais moderno, chamado CBTC, que deve diminuir os intervalos entre as composições e reduzir a superlotação. A instalação do serviço ainda não tem prazo para ser concluída.
Linha 5. Há suspeitas também em relação à Linha 5-Lilás, obra que já foi paralisada pela Justiça por causa da suspeita de conluio: em outubro de 2010, o resultado da licitação foi revelado pela Folha de S.Paulo antes de o processo ser concluído. "Agora, há a implementação de praticamente 10 quilômetros de linha, mais fornecimento de trens e instalação de novas estações sendo investigadas", observa Ragazzo.
A investigação também apura indícios de fraude em três licitações para modernização da CPTM, que incluem, além da compra de trens, modernização de carros e fornecimento de serviços. O Estado prevê, só para este ano, gasto de R$ 2,9 bilhões na empresa - a maior parte em obras de modernização das linhas.
O governo do Estado foi procurado no fim da tarde de ontem para comentar as denúncias contra os fornecedores do Metrô e da CPTM. Entretanto, até as 21 horas de ontem, a assessoria do Palácio dos Bandeirantes não se manifestou.
O superintendente-geral do Cade tem a atribuição de investigar apenas a conduta das empresas. Por isso, não pôde informar se havia suspeita de participação de integrantes do governo do Estado nas eventuais fraudes. "Eu não teria competência para avaliar qualquer elemento nessa direção."
Agora, a investigação deve mirar nos documentos apreendidos nas buscas de ontem. Além de confirmar as suspeitas já levantadas, um dos objetivos é tentar encontrar indícios de ações do cartel em outras licitações. A lista completa das empresas investigadas foi mantida em sigilo pelo Cade.
Fonte - Revista Ferroviária 05/07/2013

Governador de Sergipe em exercício participa de lançamento do 1º Plano Safra para o semiárido pela presidenta Dilma

Jackson acompanha ato histórico de lançamento do 1º Plano Safra para o semiárido pela presidenta Dilma

Governo Federal anuncia R$ 7 bilhões exclusivamente para prioridades da região Nordeste. Solenidade aconteceu em Salvador (BA)

 Jackson acompanha ato histórico de lançamento do 1º Plano Safra para o semiárido pela presidenta Dilma
Fotos: Marcos Rodrigues/ASN
*Com informações do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA)
Um conjunto de medidas voltadas ao atendimento de necessidades emergenciais e estruturais dos agricultores que sofreram prejuízos com uma das maiores secas da história. Este é o resumo que define o foco estabelecido pelo Plano Safra 2013/2014, apresentado no início da tarde desta quarta-feira, 4, em Salvador (BA). O governador em exercício, Jackson Barreto, acompanhou o lançamento da iniciativa assessorado pelo secretário de Estado da Agricultura, José Macedo Sobral.
A solenidade foi realizada no Centro de Convenções da Bahia, contando com a presença de diversas autoridades, governadores nordestinos, ministros de Estado, parlamentares, prefeitos e representantes de diversos movimentos dos trabalhadores do campo. A presidente Dilma Rousseff também promoveu a entrega de 323 máquinas a diversos prefeitos de municípios baianos, dentro das medidas do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC 2).
Dos R$ 7 bilhões anunciados pela presidenta da República, Dilma Rousseff, serão investidos R$ 4 bilhões para a agricultura familiar e ou outros R$ 3 bilhões para médios e grandes produtores. Dentre as principais medidas, estão ações voltadas para a estruturação hídrica dos municípios atingidos (envolvendo ações como a instalação de cisternas) e a infraestrutura para produção e armazenagem de forragem para alimentação animal no período da seca.
Outro foco das ações é a promoção do acesso ao crédito e uma medida há muito esperada pelos agricultores que é a prorrogação das dívidas de linhas de crédito agrícola com a suspensão de todos os processos de execução até dezembro de 2014. A medida também prevê a possibilidade de desconto na renegociação de dívidas contratadas até dezembro de 2006 (que pode chegar a 85%), dentre outras ações.
Momento Histórico
Para o governador em exercício, Jackson Barreto, os anúncios realizados pela presidenta Dilma Rousseff e pelos ministros marcam um momento histórico onde o Governo Federal demonstra a sua sensibilidade social ao promover medidas específicas para atender ao semiárido nordestino. “Estamos diante do primeiro Plano Safra que teve como objetivo atender especificamente aos nordestinos. Este é um avanço inegável e reflete a sensibilidade da presidenta Dilma, oferecendo o suporte do Governo Federal para que os pequenos produtores nordestinos possam recuperar sua produção após essa terrível seca que enfrentamos”, destacou.
Segundo ele, medidas como o investimento na infraestrutura hídrica, na produção de forragem para os animais, o Programa de Aquisição de Alimentos do leite, que foi redimensionado e a proposta da criação de uma agência federal para oferecer assistência técnica são de importância fundamental. “Além dessas medidas, a possibilidade de renegociar suas dívidas com desconto de 85% é uma demonstração da visão social desse governo. Esses anúncios certamente animarão muitos produtores sergipanos que poderão ter acesso a novas linhas de crédito para reorganizar sua produção, seus ganhos e sua qualidade de vida”, contextualizou o governador em exercício, ao mencionar outros pleitos formulados por agricultores sergipanos.
Já o secretário de Estado da Agricultura, José Macêdo Sobral, destacou a importância prioritária que foi dada à agricultura familiar nas iniciativas anunciadas. “O apoio à agricultura familiar que foi ratificado pela presidenta Dilma com essas ações, revela que esta atividade que já é exitosa e tem transformado a vida de diversas famílias em Sergipe e em todo o Brasil, receberá cada vez mais incentivo”, salientou.
VEJA MAIS  AQUI

Fonte - "ASN"  Agência Sergipe de Notícias  04/07/2013

quinta-feira, 4 de julho de 2013

Metroviários de São Paulo decidem parar atividades na próxima quinta-feira

Daniel Mello
Agência Brasil

No mesmo dia, os sindicatos dos metroviários do Rio Grande do Sul, de Minas Gerais, Pernambuco e do Distrito Federal (DF) deverão decidir se vão participar do movimento

São Paulo – O Sindicato dos Metroviários de São Paulo aprovou em assembleia a noite de hoje (4) adesão à paralisação convocada pelas centrais sindicais e movimentos sociais para a próxima quinta-feira (11). O sindicato, no entanto, marcou uma assembleia para o dia 10 a fim de avaliar a decisão tomada esta noite. No mesmo dia, os sindicatos dos metroviários do Rio Grande do Sul, de Minas Gerais, Pernambuco e do Distrito Federal (DF) deverão decidir se vão participar do movimento.
Os metroviários pedem, entre outras reivindicações, a redução da tarifa do transporte público, mais investimentos para garantir metrô e trens de qualidade e o fim de toda forma de privatização, concessões e terceirizações no transporte público. Eles também querem o fim do fator previdenciário; mais investimentos em saúde, educação e moradia e redução da jornada de trabalho sem diminuição de salário.
Fonte - EBC  04/07/2013

Temer recua e diz que governo quer que mudanças do plebiscito valham para 2014

Mais cedo, o vice-presidente declarou que não há tempo hábil para a nova legislação vigorar


Do R7
O vice recuou da declaração que havia dado sobre o plebiscito
Elza Fiúza ABr
O vice-presidente Michel Temer emitiu nota oficial nesta quinta-feira (4) recuando da declaração que tinha dado no começo da manhã dizendo que o plebiscito proposto pelo governo para a realização de uma reforma política deve acontecer só em 2014.
Na nota, Temer afirma que o governo mantém a intenção de que o plebiscito sobre a reforma política valha já para as eleições de 2014.
O vice diz ainda que suas declarações apenas refletiram "a opinião de alguns líderes da base governista da Câmara, em função dos prazos indicados pelo TSE para a consulta popular".
Pela legislação eleitoral, para que as novas regras valessem já no pleito de 2014, elas precisariam ser aprovadas um ano antes das eleições. Essa data limite cai no dia 5 de outubro deste ano.
Base aliada
A base aliada na Câmara deve votar, na próxima terça-feira (9), novos procedimentos eleitorais. Segundo o líder do PTB, deputado Jovair Arantes, eles já valerão para 2014, mas não deu detalhes. Para ele, há consenso na base que não seria possível fazer um plebiscito em 2013.
— Não podemos fazer nada apressadamente sob pena de fazermos um monstrengo que nada vai resolver. É uma decisão sábia, importante e politicamente correta.
Plano B
Mesmo com as sugestões apresentadas pelo Executivo para o plebiscito, o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), disse na terça-feira (2) que criará um grupo de trabalho para elaborar, em 90 dias, um anteprojeto de reforma política. Pelas regras legislativas, a proposta precisa ser formulada primeiro por um deputado federal e tramitar na Câmara, antes de seguir para a avaliação dos senadores.
— Por precaução ou por prevenção, vou fazer uma proposta para formação de um grupo — que em um prazo improrrogável de 90 dias, ouvindo toda a sociedade, todos os movimentos que queiram participar — vai fazer um projeto de reforma que esta Casa tem o dever de fazer.
Essa ideia, no entanto, já tramita no Congresso há muitos anos sem que saia do papel. Um projeto sobre a reforma política está pronto para ser votado no plenário da Câmara dos Deputados desde o ano passado. O relator da matéria, deputado Henrique Fontana (PT-RS), não perdeu ainda a esperança de ver seu relatório ser analisado pelos demais deputados. Segundo Fontana, o texto chegou “à porta do plenário”, mas não foi apreciado por falta de um acordo entre os líderes partidários.
O deputado afirma que a matéria, que há 15 anos é discutida pelos parlamentares sem que se chegue a um acordo que permita a votação, é de fato “complexa”. Segundo ele, existem “interesses diversos” que são difíceis de conciliar.
Veja a íntegra da nota de Temer - 
Em face das notícias veiculadas a respeito da minha reunião com os líderes da base aliada na Câmara dos Deputados, esclareço que:
1. A minha declaração sobre a realização do plebiscito da reforma política relatou a opinião de alguns líderes da base governista na Câmara, em função dos prazos indicados pelo TSE para a consulta popular.
2. Embora reconheça as dificuldades impostas pelo calendário, reafirmo que o governo mantém a posição de que o ideal é a realização do plebiscito em data que altere o sistema político-eleitoral já nas eleições de 2014.
3. Reafirmo o compromisso deste governo, anunciado pela presidenta Dilma Rousseff em reunião com todos os governadores e prefeitos de capital, com uma reforma política que amplie a representatividade das instituições através de consulta popular. Na reunião de hoje, foi unânime entre as lideranças dos partidos políticos o apoio a esta tese.
4. Na próxima semana, será realizada reunião com os líderes da base no Senado para reafirmação do apoio à tese e discussão da elaboração do decreto legislativo convocando o plebiscito.
Fonte - R7.com    04/07/2013

Poupança tem captação recorde em junho e no primeiro semestre


Os depósitos em poupança superaram os saques em R$ 9,451 bilhões em junho, de acordo com o Banco Central. A captação líquida (depósitos maiores que retiradas) é a maior da série histórica, iniciada em 1995. Nos primeiros seis meses do ano, a captação líquida de R$ 28,273 bilhões também é recorde para o período

Poupança tem captação recorde desde 1995, diz BC

Mariana Branco
Repórter da Agência Brasil
Brasília – Os depósitos em poupança superaram os saques em R$ 9,451 bilhões em junho, segundo dados divulgados hoje (4) pelo Banco Central (BC). A captação líquida (depósitos maiores que retiradas) é a maior da série histórica do BC, iniciada em 1995. Nos seis primeiros meses do ano, a captação líquida de R$ 28,273 bilhões também foi recorde para o período.
No mês passado, os depósitos ficaram em R$ 116,046 bilhões e os saques em R$ 106,595 bilhões. Foram creditados R$ 2,346 bilhões de rendimentos no mês. O saldo dos depósitos em poupança ficou em R$ 538,449 bilhões.
Com a elevação da taxa básica de juros, a Selic, para 8% ao ano, no dia 29 de maio, a poupança passou a render mais. Por causa da fórmula em vigor desde o ano passado, que atrelou a remuneração da caderneta aos juros básicos, o rendimento da aplicação subiu de 5,25% para 5,6% ao ano.
Pela regra em vigor, quando a taxa Selic estiver maior que 8,5% ao ano, a poupança rende 0,5% ao mês (6,17% ao ano) mais a Taxa Referencial (TR). Sempre que os juros básicos da economia estiverem iguais ou inferiores a 8,5% ao ano, a caderneta rende 70% da Selic mais a TR. A Taxa Referencial é igual a zero quando a Selic está igual ou menor que 8% ao ano, o que torna o rendimento totalmente atrelado aos juros básicos.
Esse cálculo só vale para depósitos na poupança a partir de 4 de maio de 2012. Para os depósitos anteriores, o rendimento segue a regra antiga, de 0,5% ao mês mais a TR. A poupança é isenta de taxa de administração e de impostos.
A poupança da Caixa Econômica Federal teve captação líquida de R$ 2,86 bilhões em junho. O resultado é 71,4% superior ao registrado no mesmo mês do ano passado. De acordo com a instituição, trata-se de resultado recorde para meses de junho.
No ano, a poupança da Caixa acumula captação líquida de R$ 9,26 bilhões. Segundo o banco, houve aumento de 38% em comparação ao valor captado no primeiro semestre de 2012.
Fonte - Agência Brasil  04/07/2013

Operação prende envolvidos em esquema de lavagem de dinheiro em Rondônia



Os políticos estariam envolvidos com uma quadrilha que financiava campanhas eleitorais e captava recursos por meio de lavagem de dinheiro. Em troca, os candidatos eleitos deveriam nomear membros do grupo criminoso como funcionários fantasmas. Pelo menos vinte pessoas foram beneficiadas com os cargos.

Ipea: círculo vicioso dificulta melhoria no transporte público


O valor das passagens de ônibus subiu 65% acima da inflação entre 2000 e 2012, superior ao custo de carros particulares e da gasolina. “Quanto mais aumenta o preço [do transporte público], menos [esse tipo de transporte] é usado, gerando, então, nova necessidade de se aumentar o preço”, destaca o pesquisador do Ipea Carlos Henrique Ribeiro


Pedro Peduzzi
Repórter da Agência Brasil

Brasília - O valor das passagens de ônibus subiu em nível 65% superior ao da inflação entre 2000 e 2012, acima do custo de automóveis particulares e da gasolina. Com isso, a demanda por transporte público registrou queda de 25%, em comparação com os anos 90, gerando um círculo vicioso que favorece, novamente, o aumento das tarifas.
Esta foi uma das conclusões que se encontram em nota técnica divulgada hoje (4) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). “O congestionamento urbano também acaba aumentando em 20% [e 25% no caso de São Paulo] os custos do transporte público e, consequentemente, o preço da tarifa. E quanto mais aumenta o preço [do transporte público] menos [esse tipo de transporte] é usado, gerando, então, nova necessidade de se aumentar o preço. Para piorar, o aumento do custo não vem acompanhado de uma melhora da qualidade, o que também desestimula seu uso”, disse o pesquisador do Ipea Carlos Henrique Ribeiro.
Segundo ele, o aumento da renda das famílias também pode ser considerado negativo para o transporte público, uma vez que ele veio associado a mais investimentos em transportes privados e, consequentemente, em maiores congestionamentos urbanos. “É um círculo vicioso”, conclui o pesquisador, que aponta o oligopólio do setor como outro fator que influencia o aumento das tarifas acima do índice de inflação.
Ele explica que, em regra geral, o custo do transporte é 100% coberto pelas tarifas cobradas dos usuários, diferentemente do que ocorre em outros países. Com isso, a conta acaba sendo paga exclusivamente pelas camadas mais pobres da população, principais usuários do sistema de transporte público.
“Isso resulta também em imobilidade, já que, entre os 10% mais pobres da população, 30% das famílias não gastam absolutamente nada com transporte público”, argumentou Ribeiro.
Para contribuir com horizontes que estimulem o uso e a qualidade do transporte público, a pesquisa sugere a cobrança de tributos sobre usuários e proprietários de automóveis, sobre o setor produtivo (por serem beneficiados a partir do deslocamento de seus funcionários ao trabalho) e pelos proprietários de imóveis e comércios valorizados pela proximidade com estruturas de transporte público.
“No caso dos usuários de automóveis, sugerimos uma maior taxação de combustíveis, de vias sujeitas a congestionamentos e de estacionamentos. Aos proprietários, [sugerimos] tributos incidentes sobre a comercialização e propriedade desses veículos. Nesse caso, há que se ter certo cuidado porque a indústria do automóvel responde por 20% do PIB nacional. Não seria interessante, portanto, sobrecarregar na aquisição, e, sim, focar nas alternativas relacionadas ao uso intensivo do automóvel”, disse o pesquisador do Ipea.
Fonte - Agência Brasil 04/07/2013

GREVE DOS RODOVIÁRIOS em Recife pode causar demissões

Urbana-PE alerta para possíveis demissões dos rodoviários; TRT6 diz que exoneração é por justa causa

Rebeca Silva 
Diário de Pernambuco
A Estação Recife está bem tumultuada nesta manhã, com muita gente e empurra-empurra por conta da falta de ônibus de integração. Foto: Tato Rocha/Divulgação
 -
foto - diáriodepernambuco
A greve dos rodoviários entrou, nesta quinta-feira (04), no seu quarto dia e, segundo a categoria, seguirá por tempo indeterminado. "Queremos 20% de reajuste, ticket alimentação de R$ 350, a anulação das multas e a não punição dos trabalhadores que participam da paralisação. A greve só acabará quando a classe patronal aceitar todos os itens", afirmou o presidente do Sindicato dos Trabalhadores dos Rodoviários, Patrício Magalhães. A decisão de manter a greve, entretanto, poderá acarretar em demissão por justa causa, informou o Tribunal Regional do Trabalho da 6ª Região (TRT6).
Na praça do Derby vários ônibus estão estacionados. Foto: Carolina Braga/Esp. DP/D.A Press -
foto - diáriodepernambuco
Segundo o sindicato, a informação de exonerações em massa não assustará os trabalhadores nem impedirá o movimento. "Dentro da nossa pauta de reivindicações já está prevista a não punição dos trabalhadores. Isso inclui as demissões", disse Magalhães. Para ele os trabalhadores estão resguardados. Mas de acordo com o presidente do TRT6, desembargador Ivanildo Andrade, os rodoviários que continuam em greve poderão ser demitidos por insubordinação. "A empresa está autorizada a demitir por insubordinação. Ele pode reclamar da decisão, mas isso terá que ser analisado", explicou.
Em nota, a classe patronal, representada pelas Empresas de Transportes de Passageiros no Estado (Urbana-PE), alertou para as possíveis demissões. Destacou ainda que já implementou várias medidas como a contratação imediata de substitutos para os faltosos, convidando os integrantes do cadastro reserva das empresas."Nós fizemos nosso trabalho de convocar os rodoviários à voltarem às atividades normais, mas eles não voltaram e poderão ser demitidos. Isso depende de cada empresa, mas deve acontecer", declarou Fernando Bandeira, presidente do grupo. Com relação ao anúncio de que os rodoviários abrirão as catracas e transportarão os passageiros sem cobrar passagem, a classe patronal reafirmou que o procedimento é ilegal e não será tolerado, podendo haver demissões.
Fonte - Diário de Pernambuco 04/07/2013

Dilma lança na Bahia Plano Safra para o semiárido

Lúcio Távora| Ag. A TARDE

Dilma Rousseff posa para fotos com prefeitos do semiárido




A presidente Dilma Rousseff, o governador Jaques Wagner e o ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas, lançaram nesta quinta-feira, 4, no Centro de Convenções, em Salvador, o Plano Safra , que pela primeira vez é voltado para os agricultores familiares que convivem com a seca.
Prefeitos, autoridades e convidados participaram do lançamento. Segundo o governo brasileiro, o programa visa aumentar a segurança produtiva e melhorar a estrutura dos produtores rurais durante a estiagem, permitindo que o Nordeste conviva com a seca.
O programa dá continuidade ao Plano Safra da Agricultura Familiar, complementa as ações que os governos federal e estadual têm implementado para garantir a segurança hídrica da região. O semiárido brasileiro, onde fica 70% do território baiano.
Para o governador Jaques Wagner, "todos os prefeitos baianos têm compromisso com o povo do semiárido. Que a gente possa fazer na nossa pequena área como os grandes fazem nos grandes territórios".
Já a presidente Dilma acredita que "a seca não pode virar uma catástrofe, ela pode ser perfeitamente controlada. Para isso, é preciso vontade política e ação conjunta, e aqui houve ação conjunta para o semiárido".
O Plano Safra vai garantir também crédito para os agricultores desenvolverem suas plantações e que as máquinas distribuídas hoje vão dar apoio à produção agrícola do semiárido.
Cisternas - 
Durante o lançamento, foi assinada também ordem de serviço para execução, por meio da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e da Parnaíba (Codevasf), de obras para a implantação de 38.252 cisternas no semiárido da Bahia. O investimento é de R$ 217,25 milhões e vai beneficiar 195 mil pessoas.
Outras 46.594 cisternas de consumo serão implantadas com o termo de compromisso assinado para repasse de recursos do Ministério da Integração Nacional para o governo da Bahia, beneficiando 325 mil pessoas com mais um investimento de R$ 264,63 milhões.
Máquinas -
Na solenidade, a presidente Dilma entregou 323 máquinas - 130 retroescavadeiras e 193 motoniveladoras -, todas voltadas para a agricultura e abertura e manutenção de estradas vicinais na Bahia, e fez também a entrega simbólica de 250 ônibus escolares do Programa Caminho da Escola, de um total de 500 que o estado está recebendo.
Fonte - A Tarde  - 04/07/2013

Cesta básica fica mais barata em dez capitais, diz Dieese


As maiores quedas de preços foram apuradas no Rio de Janeiro (-3,55%), em Vitória (-3,14%), Manaus (-2,07%) e Belo Horizonte (-2,0%). Os aumentos ocorreram em oito capitais, com destaque para Aracaju (3,05%), Brasília (2,87%) e o Recife (1,97%)


Bruno Bocchini
Repórter da Agência Brasil

São Paulo – O preço da cesta básica em junho caiu em dez das 18 capitais pesquisadas. As maiores quedas foram apuradas no Rio de Janeiro (-3,55%), em Vitória (-3,14%), Manaus (-2,07%) e Belo Horizonte (-2,0%). Os aumentos ocorreram em oito capitais, com destaque para Aracaju (3,05%), Brasília (2,87%) e o Recife (1,97%). Os dados, divulgados hoje (4), são do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).
São Paulo continuou sendo a capital onde se apurou o maior valor para o conjunto de produtos da cesta (R$ 340,46). Em seguida, estão Porto Alegre (R$ 329,16), Manaus (R$ 316,29) e Vitória (R$ 315,63). Os menores valores médios foram observados em Aracaju (R$ 248,07), Salvador (R$ 260,20) e Campo Grande (R$ 275,91).
O Dieese destaca que – se for considerada a determinação constitucional que estabelece que o salário mínimo deve ser capaz de suprir as despesas de um trabalhador e sua família com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência – o salário mínimo deveria ser R$ 2.860,21, ou seja, 4,22 vezes o valor em vigor, R$ 678.
O preço da carne bovina, produto de maior peso na composição do valor da cesta básica, apresentou predominância de queda em 11 capitais, em junho. As maiores retrações ocorreram em Vitória (-2,91%), Natal (-2,71%) e Florianópolis (-2,61%). Os aumentos ocorreram em sete localidades, com destaque para Salvador (6,03%), Fortaleza (5,31%) e Manaus (1,72%). No acumulado do ano (de janeiro a junho), o preço da carne teve queda em 12 capitais.
O preço do arroz caiu em nove das 18 capitais pesquisadas em junho. As reduções mais significativas foram verificadas em Aracaju (-7,40%), Salvador (-3,34%) e Natal (-3,19%). Em Porto Alegre, os preços não variaram. Elevações foram apuradas em oito capitais, com destaque para Belo Horizonte (5,94%), o Rio de Janeiro (4,08%) e Vitória (2,43%). Segundo o Dieese, o comportamento de moderação na alta dos preços do produto reflete a colheita e os aumentos nas estimativas da safra. No semestre que terminou em junho, houve queda de preço em 15 localidades.
O leite in natura continua sendo o destaque de aumento de preços: ficou mais caro em 13 capitais em junho. As maiores elevações ocorreram no Recife (6,76%), em Porto Alegre (4,81%) e no Rio de Janeiro (4,41%). As quedas foram apuradas em Campo Grande (-5,05%), Brasília (-3,21%), Manaus (-1,76%) e Aracaju (-0,58%). Em Salvador, houve estabilidade.
O feijão ficou mais caro em 11 capitais. As maiores elevações em junho ocorreram em Florianópolis (10,59%), Vitória (6,05%) e no Rio de Janeiro (6,04%). Recuos foram apurados em sete capitais, os mais significativos em Salvador (-4,97%), Belo Horizonte (-4,24%) e João Pessoa (-1,73%).
O preço do pão francês também subiu em 11 capitais em junho. As maiores altas ocorreram em Salvador (3,78%), Natal (3,55%) e Aracaju (3,13%). As retrações foram apuradas em sete cidades: Goiânia (-3,39%), Recife (-2,00%), e Fortaleza (-0,29%).
No acumulado do ano, as 18 capitais pesquisadas apresentaram alta nos preços da cesta básica. As maiores elevações ocorreram em Aracaju (21,57%), João Pessoa (20,02%) e no Recife (19,17%). Os menores aumentos foram verificados em Florianópolis (6%), Belo Horizonte (6,05%) e Vitória (8,50%).
Fonte - Agência Brasil 04/07/2013

Reforma política: plebiscito ocorrerá em 2014, mas regras valerão só em 2016


A decisão foi tomada após reuniões com líderes da base aliada na Câmara e o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. “Não há mais condições de fazer qualquer consulta antes de outubro e, não havendo condições temporais, qualquer reforma que venha, só se aplicará para as próximas eleições”, disse o vice-presidente, Michel Temer

Carolina Gonçalves*
Repórter da Agência Brasil
Brasília - O vice-presidente da República, Michel Temer, que coordenou hoje (4) reunião sobre reforma política, anunciou que o plebiscito sobre o tema não valerá para as eleições de 2014. Temer disse que a consulta popular deve ocorrer no próximo ano para que as novas regras sejam válidas a partir de 2016. A decisão foi tomada depois de uma manhã de reuniões, no Palácio Jaburu (residência oficial do vice-presidente), com líderes da base aliada do governo na Câmara e o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo.
“Não há mais condições de fazer qualquer consulta antes de outubro e, não havendo condições temporais, qualquer reforma que venha, só se aplicará para as próximas eleições”, disse Temer, após a reunião. “O que é inexorável tem que ser aceito”, ressaltou ele, ao informar que a base aliada do governo no Senado será ouvida ao longo do dia.
Para que as regras fossem aplicadas em 2014, o plebiscito sobre a reforma política e o projeto modificando as normas eleitorais tinham de ser aprovadas até o dia 5 de outubro. A três meses para o fim do prazo, os parlamentares consideraram improvável fazer a consulta e aplicar as mudanças.
O vice-presidente disse que o próximo passo será os líderes dos partidos aliados na Câmara e no Senado elaborarem, em conjunto, o texto do projeto de decreto legislativo destinado a convocar a consulta popular. Os parlamentares calculam que precisarão de, pelo menos, 15 dias para concluir o projeto de decreto legislativo – instrumento usado para convocação do plebiscito.
Apenas a partir daí, senadores e deputados vão se debruçar sobre os temas que farão parte da consulta. Temer lembrou que há consenso sobre o plebiscito, porém, é possível promover mudanças no sistema político adotando outras alternativas.
Presente à reunião no Palácio Jaburu, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse que a decisão não desgasta o governo. Ele negou que o adiamento do plebiscito represente um recuo. “Ao contrário [de recuo], houve uma proposta clara de plebiscito que colocou na pauta [o tema] reforma política, algo que a população brasileira reclama há décadas”, disse ele.
Cardozo ressaltou que a base aliada está afinada e apoia a consulta popular sobre os principais pontos que devem ser alterados no sistema político brasileiro. “A sociedade brasileira sairá vitoriosa. Teremos um novo modelo de sistema político. A população vai dizer como quer que sua vontade seja representada no futuro e esse é um ganho para a história nacional”, disse.
O líder do PTB na Câmara, deputado Jovair Arantes (GO), ressaltou que a decisão foi baseada em regras jurídicas. “[Isso] está inviabilizado juridicamente. Existe uma forte tendência de que o plebiscito ocorra no segundo turno das eleições do ano que vem”, disse ele.
O líder do PDT na Câmara, deputado André Figueiredo (CE), ressaltou que o cuidado é para evitar efeitos negativos no futuro. “É pouco provável que consigamos correr com o prazo. Isso seria feito de forma açodada, trazendo efeitos negativos”, avaliou.
*Colaborou Renata Giraldi
Fonte - Agência Brasil  04/07/2013

Escoceses desenvolvem aeronave-comboio - (Transporte de Trens)


Reduzir o impacto ambiental e aumentar a eficiência é um dos desafios que o setor dos transportes enfrenta atualmente. Tendo em conta esta premissa, um grupo de estudantes escoceses desenvolveu uma aeronave híbrida que funciona em paralelo com trens e que permite otimizar o tempo despendido nas viagens.
Apesar de o conceito ser inovador, não é a primeira vez que um meio de transporte com estas características é apresentado. Um modelo semelhante denominado Clip-Air foi desenvolvido pela Universidade de Lausanne, na Suíça.
No entanto, o projeto agora apresentado pelos jovens escoceses difere do Clip-Air, uma vez que funciona remotamente.
Graças a um mecanismo magnético, o “Horizon Mass Transit System” tem capacidade para acolher os passageiros que viajam nos trens, facilitando o transporte. Para reduzir o impacto ambiental, a estrutura será totalmente eléctrica, adianta o Inhabitat.
Os trens são inicialmente integrados na aeronave, impedindo o contato deste último com o solo. Quando os trens começam a circular pelos trilhos, a aeronave ganha força e o impulso necessário para levantar voo.
É a partir do contato do trem com a aeronave é que esta recarrega as suas baterias. A transferência de energia permite que o sistema seja recarregado com os dois meios de transporte em movimento.
Para além do recurso à tecnologia, os estudantes também pensaram na comodidade e conforto dos passageiros. Por isso, o avião é equipado com uma sala de convívio e uma grande janela por onde é possível apreciar a paisagem durante a viagem.

Veja abaixo o vídeo de apresentação do conceito.



Fonte - Menos um carro 04/07/2013

Produção de carros é récorde no mundo

Não é só no Brasil que a produção de automóveis bate recordes. No mundo, segundo o IHS Automotive, de Londres, a fabricação de carros de passeio chegou a 66,7 milhões de veículos em 2012, contra 62,6
foto - ilustração
milhões em 2011, prevendo-se uma novo recorde de 68,3 milhões em 2013. Quando somados a veículos comerciais leves, o número de 2012 sobe a 81,5 milhões, contra 76,9 milhões em 2011. O grande motor do crescimento é a China, que no ano passado fabricou 18,2 milhões de veículos leves (contra 3,2 milhões no Brasil). A produção da China quase atingiu a dos Estados Unidos e Canadá somadas, os dois maiores produtores mundiais.
Para Michel Renner, do worldwatch (www.worldwatch.org) “isso pode ser boa notícia para a indústria automobilística mas é um problema para o meio ambiente, já que os automóveis são grandes responsáveis pela poluição da atmosfera e pela emissão de gases com efeito estufa”. A fabricação de veículos elétricos poderá ser uma solução mitigadora no futuro, mas por enquanto é ínfima, e não chega a 0,2 % da fabricação de carros convencionais.
Fonte - Revista Ferroviária   04/07/2013

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Polícia Federal investiga participação de patrões em protestos de caminhoneiros

Thais Leitão
Repórter da Agência Brasil
Brasília - A Polícia Federal vai investigar a ocorrência de locaute - paralisação de serviços coordenada pelo setor patronal - nos protestos de caminhoneiros que provocam, desde segunda-feira (1º), bloqueios em várias estradas do país. Eles reivindicam principalmente redução nos preços do óleo diesel e dos pedágios. A prática, conforme ressaltou o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, é considerada crime pela legislação brasileira.
De acordo com Cardozo, as suspeitas foram apresentadas pelo ministro dos Transportes, César Borges, que lhe enviou um ofício solicitando "a adoção das providências cabíveis para apuração de eventual ilícito penal praticado". Ele garantiu que o governo vai agir com "o máximo rigor" e que os indícios dessa prática são "fortes".
"Não vamos transigir com quem pratica crimes, com quem transgride a lei. O locaute é proibido no Brasil, portanto se alguém espera algum tipo de negociação, se equivoca. Prática de crime não se tolera, ilícitos não se se toleram e vamos ser muito rigorosos nisso", disse, durante entrevista coletiva hoje (3), no Ministério da Justiça.
"As narrativas feitas pelo ministro César Borges e pelo advogado-geral da União, ministro Luís Inácio Adams, trazem indícios fortes de que interesses de grupos econômicos ou empresas podem estar por trás disso [dos atos] e há suspeitas de que crimes decorram dessa prática de locaute. Todos eles serão apurados", acrescentou.
O ministro dos Transportes destacou que apenas o representante do Movimento União Brasil Caminhoneiro (MUBC), apontada como responsável pela convocação da paralisação geral da categoria, Nélio Botelho, tem insistido na mobilização com o objetivo de provocar desabastecimento no país. De acordo com o ministro Adams, Botelho é dirigente de uma cooperativa de autônomos e mantém contratos com entidades estatais, particularmente com a Petrobras. Ressaltou que já foi orientado a iniciar um procedimento de averiguação desses contratos e de possível rescisão contratual.
O ministro César Borges enfatizou que se reuniu, ontem (2), em Brasília, com representantes de vários setores do ramo dos transportes, entre eles os ligados aos transportadores autônomos e aos motoristas: verificou que nenhum deles tinha intenção de levar adiante o movimento, até se posicionando contrários ao enfrentamento.
"Apenas o Movimento União Brasil Caminhoneiro insistiu nessa posição. Vimos, sem sombra de dúvidas, a procura de benefícios próprios às suas organizações. Por isso, solicitamos que o Ministério da Justiça levasse avante investigações para verificar o que está por trás dessa movimentação, que é de um setor minoritário na representação e, também, entre todos que fazem o transporte de cargas no Brasil", disse.
Fonte - Agência Brasil  03/07/2013

Dilma: proibição a avião de Morales compromete diálogo com a Europa


A presidenta classificou de inaceitável a atitude de alguns países europeus de proibir que o avião do presidente da Bolívia, Evo Morales, sobrevoasse seus espaços aéreos. “O constrangimento ao presidente Morales atinge não só a Bolívia, mas toda a América Latina. Compromete o diálogo entre os dois continentes"

Luana Lourenço
Repórter da Agência Brasil

Brasília - A presidenta Dilma Rousseff classificou hoje (3) de inaceitável e constrangedora a atitude de alguns países europeus de proibir que o avião do presidente da Bolívia, Evo Morales, sobrevoasse seus espaços aéreos na noite de ontem (2). Morales voltava de uma viagem a Moscou quando foi obrigado a fazer uma escala 13 horas em Viena (Aústria), depois que Portugal, França, Itália e Espanha desautorizaram o sobrevoo sobre seus territórios.
“O governo brasileiro expressa sua indignação e repúdio ao constrangimento imposto ao presidente Evo Morales por alguns países europeus, que impediram o sobrevoo do avião presidencial boliviano por seu espaço aéreo, depois de haver autorizado seu trânsito”, disse a presidenta, por meio de nota.
Dilma disse que a atitude dos europeus causou “surpresa e espanto” ao governo brasileiro e que o constrangimento atinge não só Morales, mas todos os países latino-americanos e compromete o diálogo com a Europa. “O constrangimento ao presidente Morales atinge não só a Bolívia, mas toda a América Latina. Compromete o diálogo entre os dois continentes e possíveis negociações entre eles. Exige pronta explicação e correspondentes escusas por parte dos países envolvidos nesta provocação”, ponderou.
O incidente com o avião presidencial boliviano ocorreu por suspeitas de que o ex-consultor da CIA, a agência de inteligência dos Estados Unidos, Edward Snowden estivesse a bordo. Snowden é acusado de traição nos Estados Unidos. Segundo Dilma, a justificativa é “fantasiosa” e desrespeita as regras internacionais, além de ter colocado a vida de Morales em risco.
“O noticiado pretexto dessa atitude inaceitável – a suposta presença de Edward Snowden no avião do presidente –, além de fantasiosa, é grave desrespeito ao direito e às práticas internacionais e às normas civilizadas de convivência entre as nações. Acarretou, o que é mais grave, risco de vida para o dirigente boliviano e seus colaboradores”, condenou Dilma.
A presidenta diz ainda que o governo brasileiro “encaminhará iniciativas em todas instâncias multilaterais, especialmente em nosso continente, para que situações como essa nunca mais se repitam”. A União das Nações Sul-Americanas (Unasul) já convocou uma reunião extraordinária para discutir o incidente com Morales. Dilma deve enviar um representante ao encontro, que ainda não tem data confirmada.
Mais cedo, o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, conversou por telefone com o chanceler da Bolívia, David Choquehuanca, e expressou repúdio do governo brasileiro ao episódio e classificou de arrogante a atitude dos europeus.
A Bolívia já anunciou que vai denunciar Portugal, Espanha, França e Itália na Comissão dos Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) por terem fechado o espaço aéreo ao avião do presidente Evo Morales.
Fonte - Agência Brasil  03/07/22013