sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Livro resgata memória visual ferroviária

Transportes sobre trilhos

Editada por Túlio de Souza Muniz e José Hamilton Pereira, obra será lançada, hoje, na sede da ACI

Iracema Sales - Reporter  DN
Pik up Willys - adaptada para uso ferroviário
O Brasil perdeu o trem da história e a América do Sul também. A metáfora define o pensamento do historiador e jornalista Túlio Muniz acerca da ascensão, decadência e retomada do transporte ferroviário no Brasil - em especial, no Ceará. O assunto é abordado no segundo volume do livro "Os descaminhos de ferro do Brasil", cuja reflexão acontece no momento em que o Brasil festeja os 158 de sua entrada nos trilhos, com a construção da Estrada de Ferro Mauá, no Rio de Janeiro, em 1854; e os 140 anos do início da Estrada de Ferro Baturité, no Ceará.
Em 1977, caminhonetes foram adaptadas para transitar sobre trilhos no Ceará
Para mostrar o apogeu do transporte ferroviário no Estado, de meados do século XIX até os anos 1980, o pesquisador lança mão a um rico material fotográfico. O resultado é um livro-álbum, com DVD, que será lançado às 19h30, no auditório da Associação Cearense de Imprensa (ACI), no Centro.
O livro foi coproduzido por José Hamilton Pereira, memorialista e engenheiro aposentado da extinta Rede Ferroviário Federal S/A (RFFSA). No evento de lançamento, os autores e a pesquisa serão apresentados pelo jornalista Nilton Almeida. Em 200 páginas (170 de imagens), os autores continuam o estudo do tema, cujo primeiro volume foi lançado ano passado.
A publicação é fruto de projeto aprovado pelo Fundo Estadual de Cultura, este ano. O segundo volume apresenta uma versão digitalizada que abrange o primeiro livro. O autor chama a atenção para os aspectos sociais, econômicos, culturais e subjetivos que envolvem o tema, que encontra eco na memória daqueles que foram sujeitos desse momento histórico. Além de curiosidade e apreensão nas gerações mais jovens que assistem ao renascimento do transporte ferroviário.
Túlio Muniz explica que, neste volume, os autores inseriram temas como a inserção das mulheres no trabalho ferroviário, o uso da mão-de-obra escrava, no início do século XIX. "A aceitação foi grande, no ano passado", conta o pesquisador, afirmando que o desmantelamento da maioria das ferrovias cearenses são parecidos. O transporte ferroviário foi fundamental para a expansão econômica e social do País e, nas últimas décadas, ganha nova dimensão ao ser usado para o transporte urbano, caso dos metrôs e dos veículos leves sobre trilhos (VLTs).
Sobre o trabalho, o pesquisador faz questão de ressaltar: "Não se trata de uma escrita rigorosamente científica, nem tampouco corporativa", esclarece. "As imagens são priorizadas dentro de uma proposta coerente", diz. O historiador ressalta o apoio da Secult. O apoio foi determinante para que a exibição das imagens fosse permitido. Daí, a ideia de anexar um DVD ao livro.
Neste segundo volume, os autores aproveitaram para aprofundar as questões teóricas e conceituais, além de aumentar os temas. Cita como exemplo a inserção da mulher no transporte ferroviário, além de tocar num ponto delicado, a utilização do trabalho escravo na construção das primeiras estradas de ferro no País, e a desintegração da América do Sul. Na opinião do pesquisador, ao relegar ao segundo plano o transporte ferroviário e priorizar o rodoviário, principalmente a partir dos anos 1960, o Brasil "perdeu o trem da história" e, consequentemente, o bonde também, fazendo referência ao transporte urbano.
Não são apenas os países Desenvolvidos que investiram forte no transporte ferroviário como alternativa ao transporte de massa urbano e de carga. Governos de países como Índia e Marrocos não abriram mão das ferrovias. Túlio Muniz reconhece ser possível conciliar os meios de transportes ferroviário e rodoviário, ideia que cada vez mais vem sendo aceita, quando os centros urbanos apresentam sinais de estagnação, com longos engarrafamentos. No momento, o pesquisador consegue enxergar alguma mudança no cenário, sobretudo urbano, citando como exemplo Fortaleza. Acredita que dentro de cinco a 10 anos é possível perceber uma transformação com a ampliação das linhas de metrô e de VLTs. "É uma tendência mundial", diz Túlio Muniz.
O Ceará também viveu os bons ventos do transporte sobre os trilhos, hegemonia que atravessou do século XIX até a década de 1980. Neste ano, o Estado completa 140 anos do início da construção de sua primeira ferrovia, a estrada de ferro de Baturité, vindo em seguida a de Sobral, na região Norte, ligando Sobral até Crateús, por volta de século XIX. Até 1980, Fortaleza ligava-se a diversos municípios como Juazeiro do Norte, Crato, além de estados a exemplo do Piauí e Maranhão, via transporte ferroviário.

LIVRO
Os descaminhos de ferro do Brasil - Vol. II
José Hamilton Pereira e Túlio de Souza Muniz
Ed. Printex
2012, 200 páginas
R$ 40

Mais informações:
Lançamento do livro "Os descaminhos de ferro do Brasil - Vol. II", de José Hamilton Pereira e Túlio de Souza Muniz. Às 19h30, na Associação Cearense de Imprensa (Rua Floriano Peixoto, 735 - Centro). Contato: (85) 3226.6260
Fonte - Diário do Nordeste  31/10/2012

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Foz do Iguaçu terá primeiro VLT elétrico do Brasil

Foto ilustração - Bom Sinal

1/11/2012
A Itaipu Binacional iniciou nesta semana os estudos para desenvolver o primeiro VLT com tração elétrica do Brasil. O projeto está sendo feito em Foz do Iguaçu (PR), com um modelo da Bom Sinal que terá o motor adaptado.
Segundo Celso Novais, coordenador do Projeto Veículo Elétrico (VE), a primeira fase do projeto será gerar o estudo para a acomodação do sistema elétrico no veículo diesel. Será verificado o espaço disponível para a instalação da tração elétrica, incluindo motor, sistema de acoplamento, caixa de redução, sistemas de fixação, além da parte de eletrônica de potência, responsável pelo acionamento do motor. O estudo deve durar um ano e meio.
Na segunda fase do estudo, será desenvolvida uma versão elétrica sem as catenárias. Serão analisadas as possibilidades de uso de bateria de sódio com carga rápida, um sistema sem fio de recarga ou um sistema de recarga nas paradas. A estimativa é que sem o uso de catenárias o gasto com o projeto poderá ser reduzido em um terço. Essa etapa do processo também deve levar um ano e meio
De acordo com Novais, será necessário instalar um pequeno trecho de trilhos dentro de Itaipu, para os testes iniciais. A versão elétrica do VLT poderá alcançar velocidade de até 170 km/h, ante os 120 km/h atuais da versão a diesel.
Fonte - Revista Ferroviária  01/11/2012

Revista Veja Tenta Barrar depoimento de Jornalista NA CPI DO Cachoeira



Empresas apresentam propostas para VLT em Natal e João Pessoa

Foto Ilustração - Bom Sinal
G1 RN 31/10/12
Duas empresas apresentaram proposta à Companhia Brasileira dos Trens Urbanos (CBTU), no edifício sede da instituição, no Rio de Janeiro, para a instalação do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLTs), em Natal. As empresas Bom Sinal Indústria e Comércio Ltda e a CAF Brasil Indústria e Comércio S/A, apresentaram propostas. A primeira apresentou um custo total pelas 20 locomotivas de R$ 182.031.342,57 contra R$ 268.870.774,26 da concorrente. A Bom Sinal, portanto, saiu vencedora da licitação apresentado o menor valor para os VLTs.
A licitação contempla a aquisição de 12 Veículos Leves Sobre Trilhos (VLTs) para o sistema trens urbanos de Natal e 08 para o sistema de João Pessoa, totalizando 20 veículos.
Após a verificação da conformidade das Propostas de Preços a comissão de licitação irá se reunir para analisar a documentação apresentada, dado o grau de complexidade das características técnicas dos equipamentos. O resultado do julgamento da proposta para a habilitação da empresa vencedora será divulgado no Diário Oficial da União (DOU), até a próxima quarta-feira (7).
Para o Superintendende de Trens Urbanos de Natal, João Maria Cavalcanti, a realização deste processo licitatório, dá início a uma nova fase no sistema de transporte de passageiros sobre trilhos na Região Metropolitana de Natal. O metrô de superfície, também chamado de VLT, atuará como coadjuvante aos demais modais, analisou o superintendente.
Os VLTs serão adquiridos com orçamento oriundo do Ministério das Cidades que disponibilizou de R$ 154 milhões, através do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Equipamentos. A instalação das máquinas irão iniciar o processo de modernização do Sistema de Trens Urbanos de Natal e deverão contemplar os municípios de Natal, Extremoz, Parnamirim e Ceará-Mirim.
Fonte - Revista Ferroviária 31/10/2012

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Salvador...PT o saldo da amarga lição

Durante a campanha eleitoral em Salvador,criou-se  convenientemente uma falsa imagem de que o Gov do Estado seria o responsável pelo caos existente na cidade fruto da  péssima administração da mesma.O governador governa o Estado da Ba,a cidade quem "administra" é o prefeito,não se pode julgar a administração do Estado apenas por Salvador pois os limites do estado vão além das fronteiras dessa cidade.Além disso as malfadadas pregações de votos por "vingança", nulos ou em branco distanciaram o voto do seu verdadeiro sentido como um importante instrumento do exercício da cidadania,ainda que tais atitudes incoerentemente se abrigem dentro do direito e da democracia,mesmo que isso no futuro venha custar muito caro para todos. Não acho que o candidato do PT tenha perdido a eleição para o seu oponente,mais sim para ele mesmo,pela falta de uma estratégia  do seu partido em prepara-lo adequadamente para a campanha eleitoral e principalmente para os debates,pois o mesmo é uma  pessoa sabidamente de índole mansa e pacata.Além de apresentar um bom e consistente  programa de governo deveria ter um bom preparo a nível de conhecimento sobre assuntos correlatos a campanha e principalmente sobre o "adversário",ou seja o candidato tem que ser um "leão", não dá para fazer por menos,não da  ficar só na defensiva.Não se ganha um debate politico em TV ao vivo comportando-se como uma "geladeira."( Estático e frio).Faltou preparo,faltou vibração,faltou energia,faltou atitude,o que sobrou no seu oponente,além de ficar preso de mais a história do "alinhamento" usada excessivamente,retirando dele a sua independência e a autonomia administrativa.Além disso não contestou de forma veemente e contundente o fato do seu oponente sem  projetos de governo ter se apropriado de boa parte dos seus.Fato seguinte,a quem ache que o governador cometeu la seus "erros estratégicos e políticos" ao enfrentar as greves, permitindo que as mesmas se protelassem, de maneira rigorosamente técnica sem se distanciar das suas obrigações legais ( lei de responsabilidade fiscal ) e não usar soluções "politiqueiras" para dar cabo das greves de "cores políticas e partidárias", preferiu pagar o preço,ainda que sabendo o custo que lhe caberia.Mais e ai a interrogação..... onde esta o certo e o errado?????!!!!!.Para uns a responsabilidade fiscal acima de tudo,para outros uma solução "política" transvestida de cunho "social" para abrandar os revoltosos,em fim custos políticos, ou custos financeiros e fiscais,o que fazer afinal????.Mais independente  disso, não seria possível também o PT ter optado por um outro candidato,fruto de um grande consenso ainda que de outro partido da sua base,porque não????!!! Um candidato de bom transito na base partidária e fruto de uma convergência entre os partidos que dela participam, que tivesse mais força e peso político perante o eleitorado e talvez uma melhor condição de vencer a eleição.Mais no outro lado da moeda, dentro dos partidos da base,sabe-se lá, houve também quem tirasse as suas casquinhas das tais greves, para aferir alguns dividendos políticos visando favorecer uma sua provável candidatura. Então talvez por falta de harmonia,coerência e convergência dentro da base aliada PT incluído, e quando cada um faz o que quer, puxando cada um  a corda para o seu lado,o resultado foi um preço caro pago pela ambição de uns,pelos erros de outros,e pela desunião de todos.Em resumo o PT (aqui),perdeu para ele mesmo.Fica ai a amarga lição.....
Pregopontocom

terça-feira, 30 de outubro de 2012

GOVERNO E EMPRESÁRIOS SUL-COREANOS DISCUTEM PARCERIAS PARA O METRÔ


AUDIO

Resumo:

EMPRESÁRIOS SUL-COREANOS QUE ATUAM EM ÁREAS DE INFRAESTRUTURA URBANA/ FABRICAÇÃO DE TRENS E SISTEMAS DE TECNOLOGIA ESTIVERAM EM SALVADOR/ NESTA SEGUNDA-FEIRA/ PARA UMA REUNIÃO COM O SECRETÁRIO DE DESENVOLVIMENTO URBANO/ CÍCERO MONTEIRO// ELES DISCUTIRAM PARCERIAS PARA O SISTEMA METROVIÁRIO DE SALVADOR E LAURO DE FREITAS// A VISITA DOS SUL-COREANOS É MAIS UM RESULTADO DAS MISSÕES INTERNACIONAIS DA BAHIA/ LIDERADAS PELO GOVERNADOR JAQUES WAGNER// NESTA VINDA À BAHIA/ OS EXECUTIVOS INSPECIONARAM A LINHA UM E AVALIARAM POSSIBILIDADES DE INVESTIMENTOS NO METRÔ DA CAPITAL BAIANA///

COM INFORMAÇÕES DA SECOM BAHIA / ALEXANDRE SANTANA///
Fonte - SECOM  BA  30/12/2012




Bob Fernandes/ Outra vez a Opinião Pública derrota a opinião publicada

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

NÃO CHORE POR ELES......SALVADOR

Elevador do Tabuão - Pregopontocom
 Dizem que a vingança é um prato que se come frio ( A vingança é um ato lesivo, praticado em nome próprio ou alheio, por alguém que foi real ou presumidamente ofendido ou lesado, em represália contra aquele que é ou seria o causador desse dano) e parece que  essa foi exatamente a lógica utilizada por uma boa parte dos eleitores de Salvador.Mais contra quem seria essa malfadada vingança,contra os políticos?contra a cidade? ou contra os próprios eleitores que dela se utilizaram para eleger um "determinado candidato" condenando inclusive os que não trilharam por esse tortuoso caminho a pagar por um "impeto" que poderá custar muito caro para todos? Esquecem que os políticos passam mais a cidade permanece viva, geração a geração e que os erros e acertos colecionados durantes as gestões que se sucedem influenciam e causam efeitos diretos na vida dos seus cidadãos atuais e futuros,e no caso de erros os futuros pagam caro pelos erros cometidos no presente,os do povo e dos administradores por eles escolhidos.Ao que parece não foram suficientes 8 anos de letargia,descontrole administrativo,incapacidade de gestão,contas reprovadas pelo TCM,degradação urbana e ambiental do nosso município,a falência e a desorganização da caótica cidade. O povo "animado" que simplesmente pediu "bis",decidiu pelo continuísmo,elegeram o candidato apoiado pelo atual prefeito (que entusiasmadamente declarou o seu voto)  ao qual tanto condenaram,xingaram,criticaram,ridicularizaram,e num inexplicável contra censo, ao fim mostraram-se extremamente  fieis e leais ao mesmo ao elegeram o seu candidato em sinal de agradecimento "por tudo que ele fez" pela nossa cidade durantes os seus 8 anos de desgoverno.Se queriam vingança escolheram o alvo errado,ao em vez de se voltarem contra o seu algos vingaram-se das vitimas,a cidade e o seu povo, todos incluídos.E o mais espetacular, boa parte da população de Salvador,( Elite e povão tudo misturado) celebram com festa a sua "vitória", mais encerrados os festejos já tendo conseguido os seus objetivos a elite sorrateiramente se desliga do povão deixando para o mesmo o saldo da sua opção "masoquista" do quanto pior melhor,quanto mais dói mais nos gosta,( la eles),(bateu a nostalgia do chicote),porque assim terão sempre do que reclamar,do que falar,motivos para fechar ruas,incendiar pneus e restos de cacarecos, aparecer nos diversos e animados "programas populares da TV" a se lastimarem aos gritos de "queremos solução", para delírio do seu fiel público ouvinte  e dos seus legendários apresentadores,cobrando as promessas esquecidas do ilustre visitante na campanha eleitoral,que distribui, abraços, beijos, tapinha nas costas,carregou criancinhas remelentas,bebeu água em latinha de cerveja ou copo de extrato de tomate, passeou pelas pirambeiras,arriscou-se em meio as valas de esgoto a céu aberto,lambuzou o seu pisante importado,mais depois de eleito tende como sempre a transforma tudo isso num grande pesadelo do qual então só pretende  mesmo é manter boa distância.A vingança pode até ser um prato que se come frio,mais também pode ter um efeito "bumerangue". Serei eu um cético pessimista ??????...O tempo dirá, se estarei eu certo ou errado e se  a prefeitura não servirá apenas com um simples trampolim (um efeito Cerra), de um projeto político de um minguado partido quase em extinção para as próximas eleições daqui a 2 anos.Quem erra não merece lágrimas por isso,NÃO CHORE POR ELES SALVADOR.
Pregopontocom

LICITAÇÃO DO SISTEMA METROVIÁRIO DE SALVADOR E LAURO DE FREITAS



AVISO Informamos que a Secretaria de Desenvolvimento Urbano - SEDUR está à disposição das empresas que tenham intenção de participar do procedimento licitatório disciplinado no Edital de Parceria Público Privada do Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas, para intermediar junto a Companhia de Transporte de Salvador – CTS o agendamento de visita técnica às instalações da Linha 1 do Metrô de Salvador. Os interessados poderão entrar em contato através do endereço eletrônico metro@sedur.ba.gov.br.
Fonte - SEDUR -  http://www.sedur.ba.gov.br/metro/index.html

ELEIÇÃO 2º TURNO - Resultados

São Paulo SP
1ºFernando Haddad PT 55,57%3.387.720 Votos
2ºJosé Serra PSDB 44,43%2.708.768 Votos

Salvador BA
1ºACM Neto DEM 53,51%717.865 Votos
2ºPelegrino PT 46,49%623.734 Votos

Fortaleza CE
 1ºRoberto Claudio PSB 53,02%650.607 Votos
 2ºElmano PT 46,98%576.435 Votos

Manaus AM
1ºArtur Neto PSDB 65,95%603.483 Votos
2ºVanessa Grazziotin PC do B 34,05%311.607 Votos

Curitiba PR
1ºGustavo Fruet PDT 60,65%597.200 Votos
2ºRatinho Junior PSC 39,35%387.483 Votos

Belém PA
 1ºZenaldo Coutinho PSDB 56,61%438.435 Votos
 2ºEdmilson Rodrigues PSOL 43,39%336.059 Votos

São Luís MA
1ºEdivaldo Holanda Júnior PTC 56,06%280.809 Votos
2ºCastelo PSDB 43,94%220.085 Votos

Campo Grande MS
1ºAlcides Bernal PP 62,55%270.927 Votos
2ºGiroto PMDB 37,45%162.212 Votos

Teresina PI
1ºFirmino Filho PSDB 51,54%212.741 Votos
2ºElmano Férrer PTB 48,46%200.062 Votos

Natal RN
1ºCarlos Eduardo PDT 58,31%214.687 Votos
 2ºHermano Moraes PMDB 41,69%153.522 Votos

João Pessoa PB
1ºLuciano Cartaxo PT 68,13%246.581 Votos
2ºCicero Lucena PSDB 31,87%115.369 Votos

Cuiabá MT
1ºMauro Mendes PSB 54,65%169.688 Votos
2ºLúdio PT 45,35%140.798 Votos

Florianópolis SC
1ºCesar Souza Júnior PSD 52,64%117.834 Votos
2ºGean Loureiro PMDB 47,36%106.013 Votos

Porto Velho RO
1ºDr Mauro Nazif PSB 63,03%142.937 Votos
2ºLindomar Garçon PV 36,97%83.828 Votos

Vitória ES
1ºLuciano Rezende PPS 52,73%98.937 Votos
2ºLuiz Paulo PSDB 47,27%88.687 Votos

Macapá AP
1ºClécio PSOL 50,59%101.261 Votos
2ºRoberto PDT 49,41%98.892 Votos

Rio Branco AC
1ºMarcus Alexandre PT 50,77%90.557 Votos
2ºTião Bocalom PSDB 49,23%87.818 Votos
Fonte - TSE - Tribunal Superior Eleitoral

domingo, 28 de outubro de 2012

Livro de arquiteto resgata a antiga Salvador

Marcos Dias

Foto divulgação
Imagens de Salvador ilustram o livro de Isaias de Carvalho Neto

Para o arquiteto e urbanista Isaias de Carvalho Santos Neto, 70 anos, o futuro prefeito de Salvador vai ter que lidar com três cidades: a cidade real, a cidade legal e a cidade do arbítrio. Mas a impressão de "abandono absoluto" da capital da Bahia, para ele, passa também por questões elementares, como o lixo mal recolhido, calçadas malcuidadas, caminhões de verduras descarregando a qualquer hora ou semáforos sem manutenção.O urbanista não considera, por exemplo, que Salvador seja um aglomerado urbano, já que não tem uma rede de transportes eficiente. "Transporte coletivo em Salvador é condição prioritária para que esta cidade volte a ser civilizada", afirma.
Com um rigor afetivo e uma memória que funde aspectos biográficos e pesquisa histórica, Isaias lança na próxima quarta-feira, às 19 horas, no Teatro Castro Alves, o livro Memória Urbana - Poética para uma Cidade (Edufba), no projeto Conversas Plugadas.
Professor aposentado da Universidade Federal da Bahia, Isaias dedicou-se à vida acadêmica por 35 anos. Mas, ao escrever este livro, a partir de 2008, foi além das limitações do discurso científico. Não deixou que fatos atuais se tornassem do passado para ser tratados, e preferiu uma narrativa usando a primeira pessoa do singular.
Além de estudos clássicos e contemporâneos, ele se vale do que ouviu do pai e do que leu nos diários da mãe. O desafio foi mostrar, numa interpretação potente, as mudanças na cidade entre os anos 1910 a 1970. "Salvador é uma cidade que privilegia o individual, isso não era assim nos anos 1950. A dor que eu tenho é que eu nasci numa época em que o coletivo era predominante", diz ele.
Nos anos 1970, de acordo com o arquiteto, o centro urbano foi descaracterizado, movido por interesses que não consideraram o aspecto da vivência coletiva. "A cidade não foi preparada convenientemente para esta mudança dos anos 1970. É preciso manter nesta cidade alguns elementos que são característicos", defende.
Para ele, a recuperação do centro é mais do que uma questão poética ou administrativa: "É o único lugar em que todas as pessoas podem ir, já que um bairro é, por definição, lugar de iguais e semelhantes. O centro é o único local em que você vai encontrar o diferente". Mas isso só pode acontecer, ele sabe, com a garantia de acessibilidade e a segurança.
Gestão - Entre as questões que o livro trata, e que a futura gestão de Salvador tem que lidar, há três que ele considera fundamentais. Em primeiro lugar, que trata-se de uma cidade de migrantes, de diferentes, começando pela questão étnica. "Enquanto essa diferença não for trabalhada, acho difícil as coisas acontecerem. Não existe uma música, nem teatro ou dinastia preponderantes, a característica é ser autônoma".
Em segundo lugar, ele enfatiza que a modernidade baiana é cultural (e não viária ou arquitetônica), e se deu nos anos 1950. Foi resultante dos pioneiros cursos de Artes da Ufba e projetos como a Escola Parque, Hora da Criança, a construção do TCA, entre outros.
E, por fim, o que considera um "problema gravíssimo", é a convivência de três cidades numa só. A "cidade real" é uma cidade clandestina e alheia ao que acontece: "70% dela não tem planta aprovada na prefeitura e não existe legalmente". Já a "cidade legal", fruto de planejamento organizado (como a avenida Manoel Dias, na Pituba), desenvolvida por técnicos, não consegue resolver as questões porque esbarra no que ele chama de "cidade do arbítrio".
É aquela em que "há uma legislação que privilegia uma decisão de gabinete, que destrói a harmonia que a cidade tem". Como exemplos, ele cita o que aconteceu com a área da Associação Atlética e o Morro Ipiranga, na Barra, "mediante Planos Diretores aprovados sem grande discussão, mas por decisões políticas". E reconhece: "É difícil, mas isso tem que ser resolvido urgentemente".
Rumos - Flutuando entre um saber da cidade e sua memória afetiva, o texto de Isaias Neto recupera uma ideia de convivência pública ao mesmo tempo que questiona os rumos dos soteropolitanos. Às muitas imagens ao longo do livro (além de sua mãe, quatro tios fotografavam), somam-se lembranças com contornos bem nítidos.
Desfilam nas décadas que o livro trata, além de contextos políticos de todas as décadas, reminiscências de quando saiu do "subúrbio" do Acupe, em Salvador, aos sete anos , para ir morar no centro de Ilhéus, no apogeu do cacau.
Também estão lá o aniversário dos 400 anos da cidade; a destruição de bondes pela população em 1930; as comemorações do 2 de Julho; os jogos da Copa de 1950 que Salvador não pôde sediar, pois a Fonte Nova não ficou pronta a tempo; o footing na rua Chile; os abrigos de bondes; o clima na Faculdade de Arquitetura e a impressão dos filmes em cinemas como o Tamoio e o Guarani.
O tempo e energia gastos nesta construção narrativa, o autor justificou no texto: "Há certos momentos em que cabe a nós darmos significado à vida, em lugar da vida datada e definida referenciada ao ontem e ao amanhã, para dar sentido aos nossos atos. A arquitetura é um desses momentos".
Fonte - A Tarde 27/10/2012

JH DE MALAS PRONTAS cercado de suspeitas nas finanças

JH arruma as malas cercado de suspeitas nas finanças  Fonte fala em "intervenções irregulares" nas contas da prefeitura

Adalton dos Anjos - Jornal da Metrópole
Metrópole

Foto: Darío Guimarães / Metropress (arquivo)Seis secretários da Fazenda, duas contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), dívidas na Saúde e na Educação e cortes na coleta de lixo e nos serviços da Transalvador. A lista de problemas do prefeito João Henrique (PP) com as finanças é interminável. No final de sua administração caótica, o alcaide dá uma de 'João sem braço' e encaminha licitações milionárias - como a de R$ 80 milhões para contratar um banco que abrigue as contas dos servidores municipais -, o que será uma dor de cabeça para o próximo prefeito.
"É inconveniente que um prefeito em fim de governo defina coisas importantes. Com este volume de recursos, poderia se estabelecer uma contrapartida que pode ser vantajosa para o município", afirma o líder do PT na Câmara de Vereadores, Henrique Carballal. Ele denunciou a manobra da Prefeitura para abrir a licitação e informou que o Banco Santander pode substituir o Bradesco na administração das folhas de pagamento dos servidores.
O mais curioso é que a divulgação da licitação aconteceu dias depois que funcionários de alto escalão da área de finanças da cidade - o secretário da Fazenda, Ruy Macedo, a subsecretária da pasta, Lisiane Guimarães, a controladora-geral do Município, Herculina Martinez, e a contadora-geral, Simone Andrade Silva - pediram demissão dos cargos. "Tenho certeza que Ruy não iria entrar numa canoa furada dessas. Isso seria uma discussão a médio e longo prazo e dois meses não é médio e longo prazo", comenta o presidente da Comissão de Finanças da Câmara, Sandoval Guimarães (PMDB).

Alternâncias no comando
A alternância de secretários da Fazenda traz prejuízos. "Cada um quer deixar sua marca. As políticas em andamento param, vão em outra direção e quem acaba sendo prejudicado é a população", diz Marta Rodrigues (PT), vice-presidente da Comissão de Finanças da Câmara.
Apesar do caos na Prefeitura, os vereadores admitem a competência dos ex-funcionários da Fazenda. "Lisiane [Guimarães] é uma pessoa que atestamos o respeito e compromisso. Não podemos trabalhar com suposições, mas para nós é estranho que o secretário e a subsecretária da Fazenda peçam demissão a praticamente dois meses do fim do governo e logo em seguida a controladora e a contadora também", diz Carballal.

Futuro da Prefeitura
Como líder do PT na Câmara de Vereadores, Carballal garante que todos os contratos assinados por João Henrique passarão por revisão, caso Nelson Pelegrino seja eleito no domingo (28). Ele ainda diz que o partido também defenderá esta postura caso ACM Neto vença. "É bom que essas instituições coloquem as barbas de molho, porque não vamos permitir que se venda os interesses da cidade", avisa.
O candidato democrata afirma que não teme receber uma prefeitura com dívidas e declara que, se vencer as eleições, vai rever os contratos e decisões mais importantes tomadas por essa administração.

"Intervenções irregulares"
Uma fonte do Jornal da Metrópole com amplo trânsito na pasta diz que o prefeito pedia que fossem feitas "intervenções irregulares" nas contas da Prefeitura. No pacote de solicitações, estava, segundo a fonte, o desvio de recursos da Saúde e Educação para uso eleitoral.
Além disso, o Ministério Público investiga irregularidades na Prefeitura. A promotora Rita Tourinho afirma que todos os contratos de terceirização da Saúde estão sendo averiguados. Ela adianta que, nos postos de saúde, existem funcionários vinculados a vários regimes. "Isso já revela uma desorganização que pode ser considerada uma irregularidade", diz.
Ainda segundo ela, cerca de 70% das secretarias do município têm algum tipo de procedimento com o MP, com questões como a licitação do lixo, transporte coletivo, a Linha Viva e a licitação dos serviços da folha de pagamento da Prefeitura.
Fonte - Metro 1 ( Jornal da Metrópole) 26/10/2012